sexta-feira, 28 de outubro de 2016

NÃO DESFIZ A AMIZADE COM VOCÊ POR CAUSA DE POLÍTICA

Um excelente artigo de Jennifer Sullivan publicado no Huffington Post
É sobre manter a amizade com gente que acha OK apoiar candidatos fascistas como o Trump nos EUA e o Bolsonaro aqui no Brasil. Eu já fiz essa pergunta algumas vezes: você namoraria alguém que chamasse um babaca preconceituoso de "Bolsomito"? Porque não é só política. Defender um cara que é abertamente hostil a mulheres, gays e negros é uma questão de (des)humanidade. Diz tudo sobre os seus valores. 
A Denise, uma advogada e feminista que mora na Austrália, fez o enorme favor de traduzir o post de Sullivan pro blog.

Um dos maiores fracassos de Trump
“Por que as pessoas estão desfazendo a amizade com outras por causa de política?”
Se eu ganhasse um centavo para cada vez que eu ouvi (ou li) essa questão nos últimos meses, eu teria dinheiro suficiente para socorrer o Trump Taj Mahal [nota de tradução: Trump Taj Mahal é um cassino em Atlantic City, USA, que pertencia ao bilionário Donald Trump e faliu em 2014, fechando as portas definitivamente em 2016].
Os indivíduos que fazem essa pergunta geralmente culpam a falta de maturidade. A vil recusa de se lidar com crenças opostas. A uma questão de mero partidarismo.
E sabe o que eu tenho a dizer a essas pessoas?
Chega.
Trocadilho: superar (overcome) e
pentear demais
Não, realmente. Chega.
Estou tão cansada de pessoas fingindo choque e indignação pelos outros não quererem manter a amizade com aqueles que estão alimentando direta ou indiretamente a discriminação. A discriminação contra as pessoas LGBT. A discriminação contra os negros. A discriminação contra aqueles de uma religião diferente ou de uma diferente nacionalidade.
Na política, a estupidez não é um
defeito -- Napoleão Bonaparte
A plataforma inteira da campanha de Trump / Pence [candidato a vice] gira em torno de fazer outros indivíduos se sentirem inferiores. É divisiva. É prejudicial. E isso está em oposição flagrante a todos os ideais sobre os quais este país [Estados Unidos] foi fundado.
"Para sermos justos, nós meio que o
criamos", diz GOP para Tea Party
Esta eleição é diferente de qualquer outra que a precedeu, como foi evidenciado pela dissonância generalizada que assola a base republicana. Houve discordância sem precedentes entre os membros do GOP [nota de tradução: GOP é como o Partido Republicano dos Estados Unidos é coloquialmente conhecido]. Jornais conservadores estão endossando um Democrata pela primeira vez na história da sua existência (existências que datam de séculos, em alguns casos).
Será que eles estão reagindo de tal maneira por que querem um Democrata na Casa Branca? Ou eles estão repudiando um candidato de seu próprio partido porque isso transcende a política?
O senso comum diria que é o último caso. Afinal de contas, esta não é uma questão de opiniões divergentes relativas ao código tributário. Isto não é sobre os mecanismos de comércio. Não se trata do sistema de saúde.
Isto é sobre humanidade.
Decência.
Moralidade.
E reduzir isso a uma questão de política é não compreender (ou mostrar uma notável quantidade de apatia para com) o próprio cerne da questão.
No final do dia eu não posso e não serei amiga de pessoas que pensam que deveríamos estar direcionando recursos para a terapia de conversão de pessoas “sofrendo” de homossexualidade (como Pence). Eu não vou ser amiga de pessoas que pensam que é aceitável sujeitar pessoas negras a práticas que foram consideradas inconstitucionais porque privaram essas pessoas das liberdades civis que a nossa Constituição foi destinada a proteger (como Trump). Eu não vou ser amiga de pessoas que pensam que aqueles que se submetem ao Islã são menos merecedores de amor, respeito, ou refúgio do que os seus homólogos cristãos. Eu não vou ser amiga de pessoas que pensam que é moralmente aceitável matar indiscriminadamente os filhos de terroristas. Nem vou ser amiga de pessoas que falam mal de imigrantes, quando sem os imigrantes nenhum de nós sequer estaria aqui.
E a única maneira que qualquer um desses pontos possa ser reduzido a uma questão de diferenças políticas é se você injustamente considerar todos do Partido Republicano homofóbicos, racistas, intolerantes e xenófobos, e (imerecidamente) considerar Democratas os únicos em oposição.
Não estou disposta a generalizar.
Então, da próxima vez que você considerar fazer esta pergunta, perceba que isso não tem absolutamente nada a ver com política (que, francamente, é algo que você deveria ter sido capaz de perceber você mesmo, baseado na concordância de um grande número de Republicanos). Isto tem a ver com um homem que não só é impróprio para a presidência, mas impróprio para este país, já que ele parece possuir uma alarmante falta de consideração para com os princípios sobre os quais este país foi fundado. E eu não vou ser obrigada a manter a amizade com pessoas que veem as contínuas tentativas de opressão e discriminação dele como uma “consequência inconveniente” de garantir que o seu partido se mantenha no poder.
Porque em última análise, se as práticas discriminatórias não são decisivas para você, se elas não inspiram em você uma dor e uma raiva tão devastadoras que deixam você compadecido do seu vizinho menos privilegiado, então eu não quero conhecer você. E eu não deveria querer simplesmente porque nós compartilhamos o mesmo andar no primeiro ano da faculdade.

46 comentários:

Anónimo disse...

O trump tem idéias e ideais que parece querer melhorar a América e algumas políticas sao extremas,mas tirando isso parece uma pessoa coerente que ataca as questões polemicas diretamente, exemplo imigração:faz muro e tira todos imigrantes que estao lá, acabou problema.Nao vejo nenhum problema nisso, ta arrumando a casa deles, imagina vc ter vizinhos que ficam entrando no seu quintal, vendem drogas pros seus filhos e alguns entram soh pra trabalhar(sem seu conhecimento e por isso sem controles) falem sério, poe esse jeitao pra todos os outros problemas do país e entendam.Jah a Hilary....socorro,dilma 2 missão EUA

Si, fosse algo seria o Nada disse...

Concordo! Também postei um texto sobre isso no meu blog:
http://malaguetasweet.blogspot.com.br/2016/10/e-hora-de-dar-tchau.html

Anônimo disse...

"Defender um cara que é abertamente hostil a mulheres, gays e negros é uma questão de (des)humanidade."

Então você está chamando quase metade da população americana é desumana.

Não acho certo tentar policiar quais são os candidatos que os outros podem ou não apoiar, cada um tem o direito de apoiar quem achar melhor e é ridículo tentar ditar quem os outros podem ou devem apoiar isso é questão de cada um.

Não apoio Bolsonaro e nem conheço suficiente do Trump, mas sei que a Hillary tb não é flor q se cheire, pode ser que a pessoa vote no Trump simplesmente por achar q ele é menos pior ou menos corrupto, não tem nada a ver com racismo.

Anônimo disse...

Pior q a eleição 2018 aki tb vai ser nesse teor. No início todo mundo ridicularizava o Trump, e agora ele é uma das duas possibilidades?? Aposto que segundo turno aqui vai dar Bolsonaro e Ciro. Voto no Ciro não convictamente, mas porque em hipótese alguma dou meu voto pra Bolsonaro.

Anônimo disse...

Nossa, adorei o texto! Eu tenho o mesmo pensamento e adoto o mesmo discurso nas discussões! (Okay, não com palavras tão eloqüentes assim, mas... Acho que deu pra entender). E, sabe Lola, sempre que eu repito esse discurso sempre aparece um “serumaninho” sedento por uma boa “treta”, indagando como eu posso querer que as pessoas me escutem se eu não dou a mínima para a alheia opinião.

Me pergunto se eles já ouviram uma famosa frase das redes sociais: “não sou obrigad@ a nada”. É muito simples de entender. Opinião é própria (que nem nariz, cada um com o seu), é uma coisa que diz respeito somente a pessoa. Os outros não têm nada a ver com ela; pois todos têm diferentes conceitos...

Por exemplo, estamos num belo e grande buffet. Você pede sushi pro garçom e eu, salada. Dá licença? Eu sou vegetariano, ou seja, tenho meus motivos para escolher isso. O que não significa que outra pessoa não possa escolher um sushi também (ou seja, ter o mesmo “gosto” que você) ou que você não possa me dar uma sugestão. Claro que pode, é seu direito, quando essa for solicitada (assim como também é seu direito não dar dica nenhuma). Ou pode me recomendar um sushi vegetariano, sei lá (isso existe ? Se existir, seria um ótimo consenso).

Política, no entanto, não é opinião. Política é ciência – já dizia um ótimo escritor.

Se o governo de direita te agrada mais que o de esquerda ou se os republicanos dos EUA são os mais próximos daquilo que você considera adequado pro país mais influente do mundo – beleza, é seu direito. Agarra que é teu! Além disso, também é seu direito expressar tamanho apreço nas redes sociais (na sua página, por favor), na sua roda de amigos ou nos almoços c/ a família - se você quiser.

Mas que essa pessoa se limite a falar só de política. E tenha em mente o seguinte: racismo não é política, é crime. Homofobia (ou LGBTfobia) não é política, é uma violência gravíssima. Aliás, violência física ou verbal – destinadas a quem quer que seja; não é “política”. É crime. Misoginia, xenofobia... Tudo isso é considerado crime. E não deve ser, em hipótese alguma, ser considerado “uma forma de política”. Porque não é e nunca foi (e se depender de nós, nunca será).

Não é que eu não tenha argumentos para debater os meus conceitos políticos. Eu tenho opiniões fortes e já li mil livros a respeito. Mas a verdade é que eu não tenho sangue frio o suficiente para conversar tranquilamente com quem tem esse discurso preconceituoso (ou que compactua com visões tão limitadas). Por exemplo, eu não consigo sair com quem votou no Bolso justificando que ele irá acabar com a “sem vergonhice” e bandidagem. Não consigo aturar piadinhas homofóbicas só porque somos “do mesmo sangue” ou algo do tipo.

Sabe Lola, me pego perguntando se eu não deveria levar tão a sério assim. Mas, para todos os efeitos, eu levo. Não irei conversar pacificamente com quem ainda não entendeu o que são direitos humanos e que ele vale para tod@s. De quem tem esse discurso machista e criminoso; mais quero é distância. Não ignoro quando esse mesmo discurso pode me matar. Não considero “brincadeirinha” quando a ignorância destilada nesses comentários pode matar as minhas irmãs dessa vida... E não ajo como se tais falácias não prejudicassem ninguém - pois podem trazer muitas consequências para tod@s nós.

Afinal, como diz no post, “não vou ser obrigada a manter a amizade com pessoas que veem as contínuas tentativas de opressão e discriminação dele como uma “consequência inconveniente” de garantir que o seu partido se mantenha no poder. Porque em última análise, se as práticas discriminatórias não são decisivas para você, se elas não inspiram em você uma dor e uma raiva tão devastadoras que deixam você compadecido do seu vizinho menos privilegiado, então eu não quero conhecer você”.

Grato pela atenção,
A.

Anônimo disse...

Faltou aquela foto dele que está com um dedo levantado e mordendo a os lábios, como que xingando alguém. Aquela é muita boa, muito engraçada!

Anônimo disse...

Tudo questão de afinidades. Um gosta de "A", o outro gosta de "B". Mas jogam bola juntos há anos. Só que no papo pós jogo, começam a se desentender. É natural que, com o tempo, vão se distanciando, parem de conversar.

E, na minha visão, não tem nada errado nisso. Até porque, não tem coisa mais chata que gente que quer enfiar sua visão ideológica goela abaixo dos outros. Se eu tenho minhas ideias, você tem as suas, e nenhum de nós dois irá mudar de opinião, não tem porque ficar discutindo.

Anônimo disse...

Trump é um indivíduo perigoso, com crenças quase messiânicas sobre si mesmo. Não é uma boa ideia que uma pessoa assim tenha acesso a um poder tão grande. Mesmo sendo de direita, creio que os americanos deveriam optar por Hillary Clinton.

Leonardo Vieira disse...

Eu acredito, que a nossas amizades devem ser mantidas apesar das diferenças de ideias, politicas, filosóficas,eu por exemplo odeio o pt, mais tenho vários amigos que são bem engajados na militância petista/esquerdistas, nem por isso a amizade acabou.

So devemos nos afastar dos radicais e extremista, aqueles que são fanáticos por suas ideias que ficam a todo hora procurando inimigos, ou atacando qualquer pessoas que discorde dos seus pensamentos.

Anônimo disse...

Lolavc disse que o lula chamar mulheres de grelo duro não é machista porque foi uma conversa privada com amigos e machismo em privado pode. E com o Trump, ele pode ser machista numa conversa privada dentro de um onibus tbem?

Autêntico disse...

Tá certo, terminei amizade de infância, primeiro virou esquerdista, relevei. Depois virou feministo e passou a mimizar sobre opressão em todas as conversas, mimimi cotas, movimento negro, gays, aí n dá pra aturar, a gota d'água foi tentar me convencer a virar mangina feministo porque era meu dever ajudar as santas mulheres...
O cara ficou insuportável.

Anônimo disse...

Recentemente perdi umas amizades pq cansei de relevar amigos que curtem disseminar o ódio por aí contra minorias. Já tinha passado por uns episódios em que amigos meus me prejudicaram com o seu ódio, mas me calei, relevei, deixei pra lá pq são amigos, certo? Errado!
Chegou uma hora que não aguentei mais os ataques e dei um basta. Os amigos não gostaram, se sentiram ofendidos e resolveram acabar com a amizade.
Depois dessa vou rever todas as amizades, sabe? Ama disseminar o ódio, ama quem gosta de disseminar a violência contra minorias e etc como Bolsonaro, Trump e cia, me afastarei sim. E foda-se. O que importa é a minha integridade física e mental.

Anônimo disse...

Esses guest posts estão cada vez mais intolerantes e escritos por pessoas que não aceitam serem contrariadas

Ezco Musaos disse...

Mascu das 16:19, enfim você fez algo de útil à humanidade. Pode crer que seu ex-amigo está muito melhor agora que perdeu o seu "encosto", quer dizer, amizade. :)

Anônimo disse...

Alguém acha possível ter amizade com pessoas que defendem neonazismo? Não vou divulgar o blog que vi, mas deem uma olhada no câncer que eu vi num blog mascu http://postimg.org/image/7vfg7hcul/
-
Como alguém acha possível manter amizade com um sujeito destes? Eu já reportei pra google e pra polícia.

Anônimo disse...

Porra mas existe uma diferença muito grande entre esses caras e uma pessoa que é de direita

Anônimo disse...

"Então você está chamando quase metade da população americana é desumana."

E daí? Se a maioria das pessoas fossem humanas o mundo nao estaria do jeito que está. Pense nisso.

Anônimo disse...

O que dizer sobre quem vota em políticos que apoiam ditaduras latino-americanas?

O que dizer sobre quem vota em políticos que glorificam figuras históricas que cometeram atos arbitrários e violentos?

O que dizer sobre um blog que insiste em discutir política sob um enfoque raso e maniqueísta (o que explica, em grande parte, a progressiva decadência do site)?

Insistir nessa briguinha "esquerda X direita", caricaturando o lado oposto e negando qualquer procedência a suas ideias, contribui bastante para a vinda de comentaristas que gostam de discussões desse nível. Aí não adianta reclamar.

Anônimo disse...

Entenda de uma vez por toda:
Deletar amiguinhos no Facebook NÃO VAI MUDAR EM NADA.

Eles AINDA vão votar em Trump, Bolsonaro, etc.

É difícil de entender? O mundo também está presente deles, QUER QUEIRA, QUER NÃO QUEIRA.

A não ser que você, com todo o seu ÓDIO embutido, queria eliminar todos eles.

Então ACHO SIM infantilidade, imaturidade, se fechar ao seu "mundinho" e mimação.

Anônimo disse...

19:22,
São tão mentirosos e canalhas que quando viram que o Trump estava crescendo e ameaçando seriamente a esquerdista Hillary, conseguiram com o apoio da mídia esquerdista "colar" falsas acusações de estupro contra Trump (novidade essa tática esquerdista, não?), o que o fez cair nas pesquisas. Como a eleição está aí, não vai dar tempo dele provar por A+B que tudo é uma mentira, e até lá a eleição já terá passado e a esquerdopata Hilarry terá ganhado na SUJEIRA, assim como a Dilma fez aqui com a falsa história do corte do bolsa família e terrorismo virtual em geral. Esquerdistas são a escória da humanidade!

Anônimo disse...

Sim votem na Hillary, que teve sua campanha financiada pela Arábia Saudita.

http://www.salon.com/2016/10/11/leaked-hillary-clinton-emails-show-u-s-allies-saudi-arabia-and-qatar-supported-isis/

A maior parte das pessoas votam no Trump pq a Hillary deve favor pra todo mundo que financia sua campanha incluindo os Sauditas. O Trump pode ser louco mas pelo menos não deve favor prantodo mundo já que sua campanha foi financiada com seu proprio dinheiro e doacao da populacão

Anônimo disse...

Nossa, que bom pro cara. Se livrou de um mascu bundão que certamente o atrapalharia até para ficar com garotas (já que vc deve afastar todas).

Anônimo disse...

Ser tolerante com intolerância é covardia.

donadio disse...

O problema é que a Hillary é quase igualmente pavorosa. Não dá para apoiar alguém que não tem nenhum problema em bombardear o Oriente Médio, ao mesmo tempo que mantém intocada a relação privilegiada dos EUA com a Arábia Saudita.

Pergunto: dá pra conversar com quem apoia isso?

Eu converso, por que não tem outro jeito. E por que a questão, no fim das contas, é exatamente aquilo que a autora do texto acha que ela não é: política. E aí é preciso debater com o divergente, mesmo que o divergente seja trumpista. O debate não tem de ser necessariamente bem-educado. Pode ser necessário ser rude, apontando os absurdos do outro lado, as contradições, as hipocrisias. Mas se desistirmos do debate como instrumento da política, só sobra a violência.

E essa, pelo menos neste momento, favorece o outro lado - alguma dúvida disso?

Ezco Musaos disse...

Mascu das 16:19, enfim você fez algo de útil à humanidade. Pode crer que seu ex-amigo está muito melhor agora que perdeu o seu "encosto", quer dizer, amizade. :)

Anônimo disse...

Gente q luta pelo direito de matar achando q tem moral pra criticar alguém, o cérebro feminista deveria ser estudado pra ver o q tem de errado.

Anônimo disse...

Decupem mas não dá para ter nenhum tipo de amizade, coleguismo, boa convivência ou empatia com quem apoia Bostonaro ou Trump, com mascus machista e a maioria dos homens em geral, com fascista, com burguês, com racista, conservador, crete ou católico, com fascista e todo este tipo de gente, acho que não há espaço no mesmo mundo para nós e eles.

Anônimo disse...

Já desfiz amizades com base no critério: segue o Bolsonaro no FB

Anônimo disse...

"Entenda de uma vez por toda:
Deletar amiguinhos no Facebook NÃO VAI MUDAR EM NADA."

Muda sim... muda minha qualidade de vida não ter que ler as coisas escrotas que eles escrevem diariamente...

donadio disse...

"Decupem mas não dá para ter nenhum tipo de amizade, coleguismo, boa convivência ou empatia com quem apoia Bostonaro ou Trump, com mascus machista e a maioria dos homens em geral, com fascista, com burguês, com racista, conservador, crete ou católico, com fascista e todo este tipo de gente, acho que não há espaço no mesmo mundo para nós e eles."

Que bom que você pode escolher; eu não posso, eu sou assalariado, e tenho de conviver com as pessoas que estão escravizadas no mesmo lugar que eu. Não posso "ir pra Cuba" como querem os reaças.

titia disse...

22:35 claro que o cérebro das feministas é incoerente. Coerente mesmo é se dizer em defesa da vida e exigir pena de morte. Ou vibrar quando um jovem pobre e negro da favela leva um tiro da polícia e morre, porque "preto favelado com certeza é bandido". Ou dizer que a vadia mereceu quando uma mulher é assassinada pelo ex por ter terminado o relacionamento. Ou comemorar quando uma mulher morre num aborto ilegal, afinal, se ela quis transar deve ser punida. Ah, também é muito a favor da vida defender legalização do estupro e da pedofilia. Abandonar um filho que nasceu vivo sem nem ao menos pagar pensão? Isso é o auge do pró-vidismo!

Agora pode pegar sua máscara e seu facão e voltar a procurar vítimas na rua. Eu pessoalmente sugiro mascus. São mais burros que a burrice, o que significa que são fáceis de enrolar, e como só se relacionam com fóruns de ódio e outros odiadores na internet, ninguém vai sentir falta deles por um tempão.

Anônimo disse...

Leonardo Vieira disse...

Eu acredito, que a nossas amizades devem ser mantidas apesar das diferenças de ideias, politicas, filosóficas,eu por exemplo odeio o pt, mais tenho vários amigos que são bem engajados na militância petista/esquerdistas, nem por isso a amizade acabou.

So devemos nos afastar dos radicais e extremista, aqueles que são fanáticos por suas ideias que ficam a todo hora procurando inimigos, ou atacando qualquer pessoas que discorde dos seus pensamentos.

28 de outubro de 2016 15:56


Cara, devemos nos afastar então de todos os esquerdistas.

Anônimo disse...

Pode se matar, já seria um adianto.

Anônimo disse...

Se um jovem negro da favela é morto em um situação de confronto, em que ele está portando um fuzil e atirando essa morte não decorrerá de uma situação legal?
E se for uma situação de legítima defesa por parte da vítima,ela não poderá se defender se o agressor for jovem e negro da favela?
E nos casos de abuso sexual ,a mulher não poderá reagir se for um negro da favela o abusador?
Responde aí titia

Anônimo disse...

"Se um jovem negro da favela é morto em um situação de confronto, em que ele está portando um fuzil e atirando essa morte não decorrerá de uma situação legal?"

Na legalidade do opressor? O jovem negro a quem tudo foi negado tem direito a sua revolta e tem mais we que meter bala em burguês e seus cachorros de farda mesmo.

Anônimo disse...

Lola pq vc apagou o comentário original que está entre aspas e não apagou a resposta com discurso de ódio acima?

Anônimo disse...

Ah, gente, na boa. Uma coisa é entender o mecanismo que faz com que jovens.negros favelados peguem em fuzis. Outra, muito diferente, é defender que eles não devem responder criminalmente pelas mortes. Toda revolta armada é autoritária.

Anônimo disse...

Esses mascutrolls são é chatos. Se livrar de um mascu é um prêmio, parabéns a este rapaz que está livre do ''amigo'' mascu.

Anônimo disse...

Facil, a culpa é da policia, claro. Que matou o jovem ao invés de protegê-lo.

Anônimo disse...

"Entenda de uma vez por toda:
Deletar amiguinhos no Facebook NÃO VAI MUDAR EM NADA."

"Muda sim... muda minha qualidade de vida não ter que ler as coisas escrotas que eles escrevem diariamente..."


Você vive trancada no quarto escrevendo no blog da Lola?



Flavia C. disse...

Eu gostei do que você escreveu, Lola, mas me preocupo com o tipo de mensagem que pode ser depreendida de um texto como esse teu, ainda mais num momento em que polarizações e radicalismos estão crescendo. Eu me considero uma pessoa de esquerda e, como tal, totalmente partidária da defesa das minorias e de uma sociedade igualitária. Mas, sabe, tenho pais protestantes, e preciso falar sobre isso.
Meu pais são pessoas civilizadas, comprometidas com o respeito às diferenças e, também, com sua fé. E, quando eu digo fé, não estou me referindo ao que dizem os Malafaias, Crivellas e Felicianos da vida. É outro papo.
Mas, sabe o que acontece? Todos os dias eu entro no Facebook e vejo vários dos meus amigos, pessoas de esquerda com alto nível de educação formal, demonizando "os evangélicos". "Os evangélicos", para eles, formam uma massa (de manobra) homogênea, sem capacidade de reflexão ou até mesmo de fazer uma exegese, ainda que superficial, do texto bíblico. "Os evangélicos" representam o atraso, a teologia da prosperidade, o fundamentalismo religioso. Quando você tenta explicar a essas pessoas que não é bem assim e que há, por exemplo, diferenças essenciais entre as vertentes históricas, pentecostais e neo-pentecostais, geralmente é interrompido com a declaração de que o teu interlocutor não tem "interesse em religião". Essa frase, aparentemente simples, traz uma carga de preconceito de classe e ranço de sentimento de superioridade intelectual que dá dó. Além disso, é de uma ignorância fora do comum: como historiadora, desafio qualquer pessoa a tentar entender a História Política sem levar em conta um elemento tão sensível quanto o religioso. É como dizer que não quer saber o que houve na II Guerra Mundial porque não tem "interesse em guerra".
Longe de mim querer que os crentes criem a sua própria versão do "nem todo homem...", mas se partirmos do pressuposto que qualquer evangélico/protestante apoia a bancada da Bíblia pelo simples fato de ser evangélico e que, portanto, deve ser banido do nosso meio social sem ter chance de ter ouvida a sua voz, estaremos indo num caminho bem estranho. E sim, eu sei que você não é a pessoa que fará isso, mas acredite: um monte de gente bem intencionada tem enveredado por esse discurso.

Denise disse...

Excelente esse artigo! Mas parece que tem gente que não sabe mesmo interpretar texto e segue batendo na tecla de que “temos que respeitar opiniões diversas”. O artigo bem didaticamente explicou que não se trata de respeitar opinião diversa sobre o sistema de saúde, o capitalismo, a privatização. Quando a “opinião” do outro viola direitos e garantias individuais, deixa de ser “opinião” pra ser ofensa.

Anônimo disse...

Ótima resposta!!!

Anônimo disse...

Falsos estupros??????????? Interessante é que o mesmo confessou e se vangloriou desses atos no áudio vazado. Será que as pessoas soltam mais verdades sobre si mesmo em "conversas informais" ou em comícios políticos? Com certeza a primeira opção. Não há como contradizer aquilo que o próprio confessou com muito gosto.

Anônimo disse...

O que acho mais engraçado nos discursos dessa papagaiada da direita é quando eles falam sobre aborto, defendem com tanta paixão a vida do não nascido mas depois que nasce e a família precisa do bolsa família são os primeiros a criticar.

Anônimo disse...

Pior é quando alguém da sua família sabe de todo esse preconceito e egoísmo e mesmo assim apoia essas pessoas, por puro ódio e implicância contra os políticos de esquerda.