quinta-feira, 31 de março de 2016

GUEST POST: AOS QUE PEDEM A VOLTA DA DITADURA

Hoje e amanhã marcam os 52 anos do golpe militar. O golpe realmente aconteceu no 1o de abril, mas como o dia da mentira não pega bem, ele entrou pra história no dia 31 de março. 
É impressionante que tanta gente sinta nostalgia por esse período cruel do nosso passado, que tanta gente queira os militares de volta. Agora que estamos próximos a um golpe jurídico e midiático, os ecos de 1964 gritam alto. 
Compartilho hoje o post de Shaonny Takaiama, que é jornalista, mora em Alto Paraíso de Goiás, e publica textos no Medium. Ela já colaborou aqui algumas vezes

Fui criada em um contexto muito particular. Minha mãe, que nasceu em 1948, viveu durante os difíceis tempos da ditadura militar. Na década de 70, ela morou em São Paulo e cursou História e Sociologia na PUC. Teve como professores alguns ícones, como Marilena Chauí, Gilberto Freyre e Florestan Fernandes.
No dia da fatídica invasão da PUC (em 22 de setembro de 1977), comandada pelo coronel do exército Erasmo Dias, minha mãe estava na universidade e pulou um muro de sete metros para escapar dos militares. E isso a deixou com uma sequela terrível, uma hérnia de disco que ainda dói nos dias de hoje.
Seus colegas, porém, não tiveram a mesma sorte. Minha mãe teve amigos que participaram da Guerrilha do Araguaia e outros movimentos de resistência. Muitos deles foram presos e continuam desaparecidos. Vários amigos da minha mãe foram jogados ao mar de helicópteros, com blocos de concreto amarrados em seus pés. 
E muitos deles morreram nos porões da ditadura, em circunstâncias que ainda são desconhecidas, pois só recentemente tivemos acesso aos documentos deste período obscuro da nossa história, com a Lei de Acesso à Informação, sancionada em 2011, e os relatórios da Comissão Nacional da Verdade.
Graças à minha mãe, que é a história viva, eu cresci sabendo detalhadamente dos horrores que foram cometidos contra pessoas comuns durante o regime militar.
Monumento Tortura Nunca Mais,
em Recife
Graças à minha mãe, eu conheço histórias de gelar a espinha, sobre as técnicas de tortura mais utilizadas pelos milicos, como a remoção das unhas e dos bicos dos seios, os choques elétricos nas genitálias ou no ânus, o afogamento, o espancamento, os estupros, e também as torturas psicológicas, como a que sofreu a jornalista Míriam Leitão, ex-militante do PCdoB, após ser presa no Quartel do Exército em Vila Velha, no Espírito Santo. Seus torturadores a deixaram nua em uma sala escura durante uma noite inteira na companhia de uma jiboia. Detalhe: Miriam estava grávida.
Minha mãe me contou certa vez que, quando era estudante, ela dividiu uma casa universitária com mais alguns colegas na Rua Tutoia, em São Paulo, onde funcionava a sede do temido Doi-Codi, o lugar onde 5 mil pessoas foram aprisionadas e 50 foram assassinadas, inclusive o jornalista Wladimir Herzog.
A casa onde minha mãe morava ficava na esquina desse tétrico edifício e não foram poucas as vezes em que um carro preto ficou parado em frente, só observando o movimento daquelas pessoas altamente suspeitas que ali moravam  —  simples estudantes. 
A presença constante daquele carro preto era por si só intimidadora e causava muito terror nos moradores da casa.
Também não foram poucas as vezes em que o telefone da casa da minha mãe foi grampeado, ela conta. Não foram poucas as vezes em que minha mãe, que também participou dos movimentos contra o regime militar, precisou se esconder na casa de amigos, quando a barra pesou.
Minha mãe me contou histórias muito mais pesadas, detalhes de torturas físicas, e tudo isso é muito forte. Mas, graças a ela, eu, que não vivi neste período, tenho certeza que qualquer democracia, por pior que seja, é melhor do que uma ditadura. Posso dizer que sou privilegiada por conhecer a história assim tão de perto, por saber como era o clima de medo dos anos de chumbo, mesmo sem ter vivido neles.
Minha mãe me levou à passeata das Diretas Já quando eu tinha apenas 2 anos de idade. Nós lutamos muito para viver em um país com liberdade, e hoje, tudo isso está sendo tirado de nós. A nossa democracia ainda é muito jovem e cheia de falhas, porém, não é pedindo a volta da ditadura militar que os problemas estruturais do Brasil, como a corrupção e a desigualdade social, serão solucionados.
Acredito que quem defende absurdos como Intervenção Militar ou a volta da Ditadura é porque não sabe de fato como é viver em um regime de exceção. Em uma ditadura, o seu direito de ir e vir é cerceado. Em uma ditadura, pessoas são exiladas. Em uma ditadura, todas as liberdades individuais são suprimidas. Em uma ditadura, a sua privacidade é violada e você pode acordar de madrugada com policiais arrombando a sua porta. Em uma ditadura, há graves violações dos direitos humanos. Pessoas são assassinadas em plena rua e à luz do dia.
Em uma ditadura, a imprensa não é livre porque não existe liberdade de expressão. E, por não haver liberdade de expressão, todas as vozes dissonantes são silenciadas. Em uma ditadura, manifestações são proibidas e qualquer reunião de pessoas é vista como subversiva. Em uma ditadura, pessoas são presas sem motivo algum. Em uma ditadura, a repressão também chega aos artistas, que são impedidos de criar.
Em uma ditadura, mães perdem seus filhos, filhos são encorajados a denunciar os próprios pais, casais se separam e amigos deduram amigos. O pânico e a paranoia se instalam e a desconfiança é generalizada. Ninguém confia em ninguém.
Acredito que a face mais cruel de uma ditadura é a forma como ela interfere na vida das pessoas comuns. No livro 1984, de George Orwell, isso fica bem claro. Um casal apaixonado é perseguido porque seu amor não é visto com bons olhos pelo sistema. Porque amar em tempos de ódio é um ato revolucionário.
Para quem não viveu durante a ditadura e não estudou o regime militar na escola  —  porque as atrocidades cometidas durante este período não estão nos livros didáticos  — acredito que uma boa forma de entender essa época é através da arte. Nos livros, nas músicas e nos filmes, as histórias da ditadura que se contam por aí estão muito bem retratadas.
Ouça as canções “Acorda Amor”, “Cálice”, “Samba de Orly” ou “Apesar de Você”, do Chico Buarque. Leia livros como A Casa dos Espíritos (Isabel Allende), 1984 (George Orwell), Brasil Nunca Mais (Dom Paulo Evaristo Arns) e a coleção de livros sobre a ditadura, escrita pelo jornalista Elio Gaspari. 
E assista a filmes como Zuzu Angel, O Ano Em Que Meus Pais Saíram de Férias, O Que é Isso, Companheiro, Eles Não Usam Black Tie, Além da Liberdade, etc. Este último filme se passa na Birmânia, o contexto é outro, mas em qualquer país do mundo que vive uma ditadura, a realidade se repete. Há estado de sítio, lei marcial, toque de recolher… Sinceramente, eu não quero viver num país assim.

73 comentários:

Anônimo disse...

Realmente, a maioria das pessoas que vejo defendendo a ditadira são pessoas que são muito jovens pra terem vivido com plenitude a aquela época de horror.

titia disse...

E o pior é que esses imbecis só apoiam a volta da ditadura porque pensar com a própria cabeça dá trabalho e seus pais estão revoltadinhos por andar de avião e passear no shopping não ser mais exclusividade de rico\classe média. Porque riquinhos mimados e classes médias arrogantes querem seus status de "casta superior" mesmo que o preço seja tortura e morte de inocentes. Porque, claro, votar conscientemente e cobrar os seus candidatos dá trabalho demais, é melhor trazer os milicos torturadores e assassinos de volta pra fingir que tá tudo bem - já que só um anencéfalo acharia que os militares não eram corruptos naquela época e não seriam se voltassem. Burrice é mesmo a pior epidemia que pode assolar uma nação. Dengue pelo menos tem prevenção e cura. Burrice só piora.

Wellington Fernando disse...

Esses apedeutas ruminantes que pedem a volta da ditadura militar estão cometendo um CRIME. Os artigos 22 e 23 da Lei de Segurança Nacional são claros e objetivos ao condenar incitações a um levante por parte das Forças Armadas.

A canção La Maison Dieu da Legião Urbana também trata desse assunto, sendo uma das canções mais pesadas e depressivas do último álbum da banda.

Por fim, a frase "Porque amar em tempos de ódio é um ato revolucionário" tem uma triste semelhança com os tempos atuais.

DITADURA NUNCA MAIS!

Anônimo disse...

O pior é ouvir de pessoas instruídas que quem morreu nesse período não era pai de família e sim baderneiros que mereceram.

Muito triste ver como as pessoas não querem pensar ou refletir sobre o que escutam são verdades ou invenções.


Grazi

Renata disse...

E meus pais, que mesmo tendo vivido nessa época defendem a volta desse regime asqueroso?
Eles eram crianças/adolescentes na época, mas meu pai, por ex, chegou a ser universitário do meio pro fim da década de 70. Diz que havia um funcionário da biblioteca que todos comentavam ser um “agente do SNI infiltrado” para descobrir possíveis atos subversivos dos estudantes, mas que ele não se importava, pois só quem era perseguido eram os “vagabundos e baderneiros”, que ao invés de “darem graças a Deus” de ter conseguido uma vaga em universidade pública, ficavam “correndo atrás de bagunça ao invés de estudar”.
Já minha mãe era mais nova na época, mas se lembra com saudosismo da doce época que a educação era “boa de verdade, das “lindas” aulas de religião e educação moral e cívica onde aprendiam os tão importantes conceitos de “obediência e hierarquia”, cantavam o hino nacional todos os dias para “estimular o patriotismo” e do bom tempo em que nunca faltava emprego e nem saúde de qualidade pra população (só se for na cidadezinha de onde ela veio...).
Enfim, pautam todo o regime pela experiência que eles próprios tiveram, no lugar no meio do nada onde moravam, e não enxergam que se não tem uma visão mais ampla da coisa, é em parte pq muito pouco ou quase nada se tinha acesso sobre o que acontecia pelo país afora, pela própria censura imposta por esses militares que “só queriam salvar o Brasil dos comunistas”, nos grandes centros e com pessoas mais engajadas, ou de situação social diferente da deles (sempre foram e conviveram com gente de classe média pra cima).
Quando entramos nessa discussão por conta dos debates suscitados nas últimas manifestações, ainda sou obrigada a ouvir que “eles é que vivenciaram e sabem como era de verdade”, então já nem me manifesto mais, deixo pra lá. São minha família e eu os amo muito, é até difícil comentar isso tudo, mas infelizmente eles são reacionários e não tem interesse nenhum em mudar. É difícil...

Anônimo disse...

As pessoas que viveram nessa época de fato e querem a volta dela normalmente são pessoas que não foram afetadas diretamente, logo possuem essa ilusão de que só vagabundos eram presos e torturados. Os mesmos que hoje em dia querem direitos humanos apenas a humanos direitos.

Anônimo disse...

Estou angustiada com o futuro do nosso país... Lola, é possível que tudo esteja caminhando para uma intervenção militar? Para mim isso está tão claro, mas quando comento com outras pessoas, elas me dizem que isso é retroagir demais, que não acontecerá... Mas algo me diz que a alguém interessa toda essa baderna e "beco sem saída" na política brasileira. Recentemente assisti o programa Café Filosófico e estavam dois membros da Comissão da Verdade. Eu me envergonho de dizer que sei pouco sobre os anos de chumbo. Mas fiquei estupefata ao descobrir que empresários financiaram a ditadura. Mais estupefata ainda pelo assassinato de um coronel após ele depor para a Comissão da Verdade. E a única mulher que sobreviveu à Casa da Morte e sofreu um atentado em pleno século XXI? Deram pauladas na cabeça dela no ano de 2003 e ficou com diversas seqüelas neurológicas. Disso tudo eu concluo: os ditadores continuam entre nós. Defendendo seus interesses e calando quem possa prejudicá-los de alguma forma. O seu post é apenas um comentário ao desejo de uma possível minoria, ou um alerta a seus leitores?

Anônimo disse...

Fiz História e tive ouvir do grupo de colegas de curso coisas como "a ditadura só foi ruim para uma meia dúzia, pra maioria do povo não, nem sentiu isso", são coisas que me fazem gelar e o sangue ferver.
Quem diz isso, além de ser de um viés mais de direita, de direitos humanos para humanos direitos, são, em geral, cristãos.
Para além da crítica ao cristianismo que possa existir aqui, acho uma tremenda falta de caráter e coesão se falar cristão e defender a volta da ditadura onde só "uma meia dúzia de pessoas sofreram".
Não consegui ler todo esse post, mas este tema me dá arrepio na alma, toca profundamente em mim.
Meus pais não sofreram nada, mas perderam várias pessoas. Eles estavam em Brasília, no olho do furacão na época. Tenho uma irmã que perdeu os padrinhos, ele em um atentado e a ela nos porões.
Não é só pq toca em mim, pq essa realidade se fez presente na minha família, mas não consigo conceber quem ache aceitável a volta desse regime monstruoso.
E esse povo ainda tem a cara de pau de dizer que não havia corrupção, de que nenhum general morreu rico.
Vergonha alheia desses que se dizem historiadores.

Políticos não passam de lobbystas empresariais.
Se eles ganham algum por fora, vantagem pessoal. Mas quem ganha mesmo são as empresas/grandes famílias/grupos.
Se for por critério de justiça, a cabeça de praticamente todos eles rolaria (metaforicamente).
Feliz daquele que acha que o problema do país se resume a um partido.
Quisera eu ser assim, não sofreria tanto.
E não venham colocar em minhas palavras a defesa de um ou de outro. O que está podre não tem legenda, mas só alguns serão extirpados. Infelizmente.

B. disse...

Conheço dois tipos de pessoas que defendem e/ou não veem nada de mais em volta de ditadura:
- Jovens cristãos que querem a volta da "ordem e bons costumes", todos eles bolsonetes.
- Pessoas mais velhas que viveram nos anos sob ditadura, mas que não foram afetados por tal, e assim acham que tudo bem e dizem "pelo menos ninguém era assaltado".

Meu sangue ferve quando esse assunto citado, tanto é que, assim como a Renata, nem comento mais nada, só observo.

Anônimo disse...

Meu pai disse que uma coisa boa que tinha na ditadura é que, segundo ele, vc podia andar na rua sem se preocupar com assalto como hoje em dia. Mas quando pergunto pra ele se ele desejaria que a ditadura voltasse, ele diz que não por que mesmo com essa sensação de segurança maior nas ruas e o fato dele próprio não ter sido afetado pela perseguição militar, ele sabe que era um verdadeiro terror não poder expressar suas opiniões, lutar por uma idéia e o risco de se envolver e mexer com as pessoas erradas. Ele sabe que inumeros casos de pessoas desaparecidas foram abafados e que seus corpos jamais serão achados.
Ele viveu aquela época e mesmo não tendo sido afetado diretamente, ele pelo menos é um dos que tem consciência do que se perde e do que se ganha se botar numa balança. Principalmente do que se perde.

Anônimo disse...

Concordo com a autora do guest...
E tenho que concordar com o último comentário tb... Me gelou a alma ver os posts da Lola toda empolgadinha falando sobre a China. Aquele país é horroroso pra quem tem um mínimo de preocupação com o ser humano.

As pessoas são exploradas e descartadas como lixo. Os trabalhadoras têm jornadas exaustivas, em péssimas condições de saúde, segurança e salário. A desigualdade social é absurda. Muita pobreza. E tem a repressão e a censura...

As feiras de produtos falsificados, que a Lola contou sobre suas aquisições e barganhas, por exemplo, aquilo ali retrata muita coisa sobre o país. É só pensar: pra eles venderem um tênis 'nike' por 10 ou 15 dólares, quanto custou pra fazer? Quanto pagaram na matéria prima? Quanto pagaram pro operário? Quanto aquele vendedor vai ter de lucro pra sustentar a sua família?

Porque é tão barato produzir na China? Porque eles não têm qualquer compromisso com a poluição, com a sustentabilidade, principalmente com os direitos humanos, saúde e segurança dos operários.

Sendo assim, eu esperava que a Lola tivesse tido mais senso crítico pra tratar dessa viagem.

Anônimo disse...

Esse post me lembrou da viagem da Lola para a China como se fosse a Disney,não vi ela falando nada da ditadura comunista daquele país

lola aronovich disse...

Acho que vocês não leram meus posts sobre a China ou estão simplesmente querendo mudar de assunto, velha tática troll. Eu falo da política chinesa sim, falo da opinião chinesa (eles entendem muito mais do sistema em que vivem do que nós) sobre o país em que vivem. Só reaça vê o sistema chinês como uma "ditadura comunista". Um dos muitos problemas da China é a exploração, algo muito conhecido do capitalismo. A China é uma ditadura porque não há eleições, mas comunista? Não mesmo. Enfim, leiam ou releiam meus posts sobre a China.
E não sei por que pra falar de 52 anos de golpe militar no Brasil tem que falar sobre China, Cuba ou Coreia, sinceramente.

Rafael Cherem disse...

A ditadura comunista da China não é o assunto DESSE POST.

Dito isso, falar sobre as torturas do regime é importante sim, mas realmente no bojo da população em geral afetou apenas aos militantes, não que não seja sério, é sério e deve ser mostrado, e lembrado que ela continua a existir, só que agora os torturados são os de sempre pretos e pobres, muitos dos quais sem militância política,mas há outros aspectos do regime que a população em geral não sabe, como a corrupção, a miséria que continuou a existir e a se agravar no período, a participação de empresários que estão até hoje no mercado no golpe e no governo, assim como a quebra de empresas nacionais que não atendiam aos interesses dos golpistas e de seus financiadores estrangeiros,até militares foram perseguidos, enfim, ainda há muito a ser dito, além da tortura e da censura.

Sobre os saudosistas estes sofrem das consequências da propaganda do regime,some-se a isso a tendência doa ser humano de ver o passado com mais benevolência do que realmente foi.

Sobre os jovens que querem a volta do regime, além do tesão por fardas, há a suposta ameaça comunista sempre pairando sobre o Brasil e o mundo na mente desses perturbados, logo um regime que exclua a esquerda - incluindo fisicamente - do debate público é prestigiado por esses analfabetos.

Há também unindo jovens e velhos, o clima criado de caos absoluto instalado no país, o que gera angústia e insegurança, logicamente que o desejo por ordem é natural em quem cai na conversa da mídia que o país está uma desordem.

Quanto ao momento atual, poucas coisas são semelhantes.




Anônimo disse...

"vc podia andar na rua sem se preocupar com assalto como hoje em dia."

esse papinho medíocre e anacrônico é tão "baleloso", e sabem pq? Pq havia um tempo onde a segurança pública era "de primeira", sabem qual:

Século XIX ou anos 20, pq não voltamos para aquele tempo tb?

Sério, o povo não evolui, não aceita q o ano atual é 2016, a população aumentou, a criminalidade idem, enfrentem e resolvam os problemas dos séculos 21, mas é do SÉCULO 21, ouviram? SÉCULO 21

Por isso q o país não vai pra frente, os alienados se queixam de problemas atuais achando q dá pra resolver com os métodos do passado, ainda mais na ditadura, o povo não acorda

Anônimo disse...

Quando alguém pede volta de ditadura militar eu só consigo chegar a uma conclusão:

Brasileiro adora ser gado, e se já não bastasse gostarem de ser animais rurais adestrados, ainda clamam por um cabresto; e dá-lhe jugo no lombo do gado... êeee vida de gado, povo marcado, povo feliz. Brasileiro não sabe e não gosta de ser livre

Anônimo disse...

"e a gadaiada vai a loucura quando vê uma farda"

nunca vou entender a excitação q brasileiro sente de ser capacho e pau mandado de milico, por isso q os EUA deita e rola nesse quintal sulamericano chamado braZil, pindoramenses tem vocação pra ser gado mesmo: "muuuuuuu sinhozinho"

Valdevino de Andrade disse...

O Brasil sofre de um mal maior: É a falta de moral. O dia que evoluírmos a nossa noral, sofreremos menos com tais consequencias

Anônimo disse...

OFF

Deem uma olhadinha nisso aqui e aproveitam pra dar boas risadas. Foco nos comentários.

https://www.facebook.com/quebrandootabu/posts/1078555935534126

Anônimo disse...

Pessoas que não refletem as implicações diretas e indiretas...Uma pseudo segurança à base do medo e da porrada - ambiente propício para as carteiradas do tipo: "sabe com quem está falando?"

Anônimo disse...

"Minha mãe teve amigos que participaram da Guerrilha do Araguaia e outros movimentos de resistência"

A guerrilha do Araguaia era baseada no contexto ideológico e de ação das FARCs, que chegaram a comandar com violência, drogas, e sequestros 40% do território colombiano. Se o nossos gloriosos verde oliva não tivessem dado cabo daquela corja, hoje teríamos algo que faz Comando vermelho(Outro grupo com origem de guerrilheiros de esquerda) e o PCC(Que teve como co- fundador o militante de esquerda chileno Norambuena) Um passeio no parque.
Não sejam ´preguiçosos, não sigam mentiras ideológicas, estudem a história.

Ragnar disse...

As pessoas exaltam o "Regime Militar", pelo simples fato da baderna democrática que o país se encontra. É compreensível, vez que a democracia brasileira tem aproximadamente 30 anos de existência. É mais uma resposta emocional diante da situação real do que de fato algo racional. Muitos monarquistas também costumam parasitar ou defender o regime militar, mesmo tendo ciência que a Monarquia Brasileira fora vítima dos próprios militares republicanos.

Oportunismo é o que se mais vê hoje em dia, vez que o esquerdismo bolivariano fracassou e a Direita, seja qualquer for sua vertente (Nacionalista, conservadora, liberal, cristã), sempre vê alguma oportunidade. É comum e normal dentro de uma democracia, ainda mais com um governo péssimo que faz de tudo para surgir de tudo.

Anônimo disse...

Exército devolve 150 milhões de economia em obra pública, entregando o trabalho antes do prazo. ... Em 2012, o Exército Brasileiro entregou obra de ampliação do Aeroporto de Guarulhos em prazo hábil -

http://www.folhapolitica.org/2013/05/exercito-devolve-150-milhoes-de.html

Anônimo disse...

http://pernambuco.ig.com.br/noticias/2015/exercito-resgata-vitimas-das-chuvas-em-jaboatao

Anônimo disse...

http://br.rfi.fr/brasil/20151106-exercito-ja-chegou-regiao-de-mariana-para-ajudar-nas-buscas-de-desaparecidos

Anônimo disse...

Homenagem da banda sueca de Heavy Metal Sabaton aos praças do exercito brasileiro que ajudaram a combater nazistas e fascistas(De verdade, não imaginários como Nos DGEs das UF brasileiras) durante a segunda guerra.
https://www.youtube.com/watch?v=nG46qvWgO0s

lola aronovich disse...

Anon, o que vc está fazendo? Vc é assessor de imprensa do Exército, por acaso? Ninguém aqui falou um pio sobre o Exército em si. É uma instituição que às vezes têm utilidade, como nesses exemplos que vc postou. Mas não quero o Exército no poder. Sinto muito se vc quer.

Ragnar disse...

O Exército Brasileiro está patético. Não duraria nem 1 hora de guerra. Não tem caças modernos, muito menos mísseis teleguiados, carece sistema de defesa antimíssil, sequer tem portas aviões decentes. Resumindo o exército brinca de "guerra" no AMAZONAS e (ou quando recebe ordens para intervir em casos de emergência pública, como epidemias ou traficantes no Rio). Além de estar completamente defasado, sucateado e atrasado, a única coisa que o Brasil conseguiu para destacar eu exército foi um bico da ONU para agir como "tropas de paz" num país completamente irrelevante chamado HAITI.

Anônimo disse...

O número de homicídios no Brasil aumentou em 259% nas últimas três décadas( fim do regime militar, inicio do regime revanchista), pulando de 13.910 em 1980 para 49.932 em 2012, em 2013 o recorde de 54 mil homicídios.. O que é chocante para muitas pessoas é que o Brasil não possui disputas territoriais, movimentos de emancipação ou guerras civis, religiosas, raciais ou étnicas.
A taxa de homicídios aumentou 124% no período de 30 anos, subindo de 11,7 para 26 assassinatos por grupo de 100.000 habitantes.
O estudo revela que entre 2004 e 2007, 192.804 pessoas foram assassinadas no Brasil, ultrapassando as 169.574 pessoas mortas nos doze maiores conflitos armados do mundo durante o mesmo período.Ano passado 2015 o vergonhoso recorde de 60 mil homicídios ao ano fora batido (Apear dos governos de esquerda ou social democrata das ultimas décadas insistirem que diminuíram a desigualdade como nunca antes nesta país, então como explicar?!)
Deste numero, nem 8% dos casos são esclarecidos.
Fora o numero exorbitante de assaltos, roubos, etc.

Eu acredito que os verdadeiros anos de chumbo, nos vivemos hoje

Anônimo disse...

Como que o número de homicídios aumenta 259%, mas a taxa de homicídios aumenta 124% no mesmo período? Sério.

Anônimo disse...

Quem foi torturado ou morto foi porque procurou isso. Meu pai viveu nesta época, era Janista, e sequer foi percebido pela policia. Na época dos militares o Brasil saiu da quadragésima posição econômica no mundo e veio pra oitava; bandidos existiam, mas eram presos e colocados no seu devido lugar. A abertura serviu pra que mesmo? Ah, sim; pra dar chance pra essa gangue que aí esta mentir e se locupletar dos bens públicos fazendo uma ditadura de esquerda. Grande vantagem. Viva a ordem e o progresso dos militares.

Anônimo disse...

Muito bom o texto, e realmente é tudo isso mesmo.
meu pai passou pela ditadura e ele dizia que não era nada bom estar voltando pra casa depois de um dia de trabalho e apanhar dos militares, sem motivo algum.
Quem pede a volta da ditadura ou a intervenção militar, acredita fielmente que é isto que vai acabar com todos os problemas pelos quais o pais passa.
Sabemos muito bem o que acontece quando o poder é dado à militares, policias, etc...mas infelizmente o povo não se informa, não tenta saber o que realmente foi este período e sai por ai ostentando cartazes pedindo a volta de um período tão cruel.

titia disse...

23:40 é os assassinatos (antecedidos de tortura sempre) que os militares cometiam não eram considerados e informados, sabe? Pode ter morrido um milhão de pessoas nos porões da ditadura, por culpa dos militares, mas esse número nunca vai ser informado como crime de homicídio.

05:49 então você também acha que meninas eu foram estupradas e engravidaram aos 11, 12 anos de idade estavam "procurando por isso"? Você tem 90 anos ou só é um lixo mesmo?

titia disse...

Meninas "que" foram estupradas e engravidaram aos 11, 12 anos de idade.

titia disse...

08:24 você é um lixo e um idiota, ou um lixo e um mentiroso? Ou é tudo isso de uma vez só? Podridão costuma vir mesmo no pacote completo.

Anônimo disse...

A frase mais idiota que ouço é "eu quero a volta da ditadura, não sou bandido pra ter medo de militar". Dá vontade de dar uma bofetada num ser desse.
Como se na ditadura vc precisasse ser bandido, bastava vc se expressar ou mostrar posição contraria a alguma coisa, ou simplesmente algum militar não ir com sua lata.
Meus pais eram as pessoas mais comuns naquela época, minha mãe dona de casa e meu pai trabalhava em uma usina, quantas e quantas vezes meu pai era surpreendido pela policia.



Se este período voltar podemos dar adeus a redes sociais e qualquer outra forma de expressão e liberdade que temos hoje.

Anônimo disse...

Anônimo 08:24 Isso é mentira. Trabalhador e gente descente era protegido pela policia. Cansei de ver minha mão entrar em um ônibus e se havia um policia este arrumar um lugar para minha mão que estava com duas crianças se sentar.

Seu pai não devia ser boa coisa pra levar geral da policia.

Anônimo disse...

Meu pai nunca suportou comunista de espécie alguma. Sempre votou na Arena. PMDB nem por brincadeira.

Anônimo disse...

Anônimo 8:38

Faça-me rir meu querido. Meu pai não era boa coisa? hahahaha

Realmente ele não era, ele sustentou toda a família sozinho (esposa e 4 filhos), trabalhava em dois empregos para isso, construiu nossa casa aos finais de semana junto com minha mãe, sofreu um acidente no trabalho levando-o a se aposentar por invalidez e mesmo assim continuou a trabalhar em outros locais.

E vc vem me dizer que os militares eram bons pq davam lugar pra sua mãe sentar no ônibus?

Nossa tá mais raso que poça de garoa.

titia disse...

08:22 que comentou às08:34 e também às08:42 achando que eu não ia perceber ser a mesma pessoa:


HUAHUAHUAHUAHAUHAU!! Vaca mentirosa? estúpida? Huahauhaua, um moleque da quarta série teria argumentos melhores, bebêzão.

Eu não sou petista, mula acéfala. Mas tenho o mínimo de humanidade pra saber que nenhum regime político onde tortura e assassinato são legalizados pra quem discordar de uma medida do governo não pode NUNCA ser aceito e tratado como algo normal. Nunca. Mas isso você vai aprender o dia em que reclamar do governo por não ter bolsa panicat e em troca eles te levarem pra um porão e te darem choques elétricos no pênis e te estuprarem com um cassetete no seu rabo.

E não, você não me daria uma porrada. Sabe por quê? Porque o frouxo aqui é você. Porque sabe que se me desse uma porrada na rua os outros iam partir pra cima de você. Porque sabe que eu ia reagir e rasgar a sua cara como estilete de um palmo que eu sempre levo na bolsa. Porque você sabe que eu iria à delegacia e prestaria queixa e não retiraria de jeito nenhum. Você ia ter que encarar um juiz e uns anos de cana.

Enfim... você é uma enorme perda de tempo. Só sai merda da sua boca. Não é à toa que não tem ninguém pra conversar com você na vida real. Já pensou em aprender a cagar pelo buraco certo?

Anônimo disse...

Taxa de homicídios para um total de 100 mil habitantes, diferente de numero total de homicídios pelo país no período.

Mikaela T. disse...

Não alimentem os trolls.
Muito embora isso parece mexer com a área criativa de seus cérebros e parece os motivar a escrever os mais fantásticos contos ficcionais que já li em toda minha vida. ^^

Anônimo disse...

uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa.

Querer a volta da ditadura só sendo muito escroto ou tendo neurônios a menos.

Mas confundir meia dúzia de imbecis que defendem a ditadura com qualquer um que esteja contra o governo, dizendo que é 'riquinho', não quer pobre, é reaça, etc, também é um absurdo.

O governo Dilma é um dos governos mais incompetentes e desastrosos dos últimos tempos, e é absolutamente legítimo ser contra e se manifestar.

wagner

Anônimo disse...

Wagner;

Você parece ser uma boa pessoa, mas neste blog aqui esse sua colocação lógica não tem a menor chance.

Anônimo disse...

Por mais absurdo que possa parecer, corremos este risco. Antes que me julguem como petralia, que fique bem claro, sou totalmente à favor das investigações/punições. Mas o foco está errado...estamos sem opções...sair de um para cair no outro...

Anônimo disse...

Incrível como petistas odeiam a polícia.

Liliane Rosa disse...

Muito tocante e muito importante esse depoimento. É doloroso demais falar sobre isso, mas é preciso. Esse trecho é contundente: "...qualquer democracia, por pior que seja, é melhor do que uma ditadura". Acredito que isso tudo que é relatado aqui deveria ser exposto de forma mais frequente nas escolas. Aparentemente muita gente desconhece essa página da nossa história, e é claro que existem alguns que conhecem mas preferem fingir que não é trágico - isso é problema de caráter, e sabemos que não tem cura. Mas para o que apenas desconhecem, é fundamental contar e recontar, para que compreendam o horror que sentimos diante da possibilidade de ver isso acontecer de novo. E se não bastasse o que foi feito nos porões, as torturas, as prisões, e toda sorte de injustiças, ainda é primordial recordar que a miséria e a pobreza que se instalou sobre a população naquele período deixou sequelas difíceis de serem reparadas até hoje.

André disse...

"Acredito que quem defende absurdos como Intervenção Militar ou a volta da Ditadura é porque não sabe de fato como é viver em um regime de exceção."
Sabem sim. É que eles acreditam que o terror só vai pegar quem pensa diferente deles.

Ragnar disse...

Os militares foram os responsáveis por destruir a Monarquia Brasileira e implantar uma República (com olhos já nos barões do café e do leite) decadente num golpe forçado iniciado por Deodoro da Fonseca. Depois disso, nem preciso dizer o que a gloriosa República virou. Não é atoa que os militares sempre olham para o governo do pais, vez que estes que implantaram a República positivista brasileira.

Mila disse...

Sempre válido lembrar que regimes autoritários não são muito fãs de redes sociais. Então essa liberdade de escrever o que quiser, inclusive ser misógino, racista, homofóbico travestido de "liberdade de expressão" e "é a minha opinião" veio com a democracia. Não pensem que em regimes autoritários teremos oportunidade de xingar político no twitter ou fazer textão no fb

Charle Coimbra disse...

Pois é, o q além de surpreender (e muito), revolta (mais ainda) é o historiador Março Antônio Villa dizer, ou melhor, gritar que no Brasil não houve ditadura, reconhece q houve excessos, mas ditadura não. E não é pessoa medianamente instruída. É professor altamente qualificado.

Gabriela disse...


Esse texto também é muito bom!!

http://blogdosakamoto.blogosfera.uol.com.br/2016/03/31/o-odio-eu-nao-consigo-ate-agora-entender-de-onde-vinha-tanto-odio/

B. disse...

Tenho uma dúvida sincera, que direciono aos comentaristas em geral daqui e de preferência para quem conheça mais história do que eu:

Por que é comum pessoas mais velhas que viviam ditadura falarem da sensação de segurança nas ruas? Que "não tinha assalto"? Vejo que esse tipo de sentimento é bem recorrente entre os mais velhos. Alguém saberia explicar o porquê?

Anônimo disse...

B.:

Anônimo Anônimo disse...
"vc podia andar na rua sem se preocupar com assalto como hoje em dia."

esse papinho medíocre e anacrônico é tão "baleloso", e sabem pq? Pq havia um tempo onde a segurança pública era "de primeira", sabem qual:

Século XIX ou anos 20, pq não voltamos para aquele tempo tb?

Sério, o povo não evolui, não aceita q o ano atual é 2016, a população aumentou, a criminalidade idem, enfrentem e resolvam os problemas dos séculos 21, mas é do SÉCULO 21, ouviram? SÉCULO 21

Por isso q o país não vai pra frente, os alienados se queixam de problemas atuais achando q dá pra resolver com os métodos do passado, ainda mais as da ditadura, o povo não acorda

31 de março de 2016 17:05

Anônimo disse...

17:05, no caso do meu pai ele falou isso por experiência que ele teve na época, mas se olhar no restante do comentário, não ele não iria querer a volta da ditadura.
Pra ELE, teve coisas boas, mas ele tem plena consciência de que as ruins eram mauito mais do que as boas. Se eu concordo com ele que teve coisa boa não sei, não foi uma epoca que posso dizer que vivi. Mas concordo com ele que independente de qualquer coisa, não desejo a volta a ditadura.

Anônimo disse...

Tendo procurado ou não, nada justifica essa epoca em que direitos humanos eram violados. Essas taxas de que depois da fitadura homicídio aumentou, tenho minhas duvidas já que os militares da ditadura só deixavam ser divulgado o que lhes era conveniente.
Quem defende essa monstruosidade chamada ditadura só por que não afeta sua vida ou pelo motivo que for, certamente tem problema no cérebro.

Anônimo disse...

08:38
Conheço algumas pessoas que viveram na ditadura desde sei surgimento que pode muito bem te desmentir e dizer que isso é conversa pra boi dormir. Essas gentilezas perto das atrocidades não são nada. E assim como hoje em dia voce pode ter o azar de um pm não ir com sua cara naquela epoca também, mesmo sem voce ter feito nada. Então nao me vem com esse papo ingênuo de que nossas autoridades são um poço de honestidade. Só falta dizer que não existe corruptos no nosso país.
Você é só mais um desses que fala "se não vi, não aconteceu".
Acorda pra vida e para de achar que tudo é exatamente o que mostram.

Anônimo disse...

Boa 09:01.
Esses direitistas acéfalos são tão ridículos que pra eles discordar da direita ou não ser a favor de impechment faz de voce um petista. A mente limitada deles não os permite ver além

Rafael Cherem disse...

Para o povo da periferia esse papo de segurança pública boa, é uma grossa mentira desde...sempre.
Outra coisa, os próprio militares sofreram com a ditadura.

Anônimo disse...

B, Vale a conferida no que o Rafael Cherem falou. Possivelmente pessoas q falam isso não eram estudantes universitários, professores, artistas, jornalistas (e outras profissões com potencial subversivo) e moradores da periferia (estes últimos na ditadura ou democracia sempre levando chumbo da policia). Mas vale o que o anon já disse. O mundo evoluiu, os problemas de segurança pública tbm. Hoje a gente se preocupa com o batedor de carteira de rua, mas tb com o presidiário do sequestro relâmpago ou com o criminoso de internet ou o terrorista internacional. O mundo de hj é completamente diferente do da década de 70. Soluções anacrônicas não serão eficazes, penso eu.

Rafael Cherem disse...

Tenho uma dúvida sincera, que direciono aos comentaristas em geral daqui e de preferência para quem conheça mais história do que eu:

Por que é comum pessoas mais velhas que viviam ditadura falarem da sensação de segurança nas ruas? Que "não tinha assalto"? Vejo que esse tipo de sentimento é bem recorrente entre os mais velhos. Alguém saberia explicar o porquê?

Primeiro a mania humana de dourar o passado, segundo as pessoas são bombardeadas pela mídia com crimes e mais crimes, gerando uma sensação de permanente insegurança, terceiro, o mundo era na percepção da maioria das pessoas mais velhas mais simples do que hoje o que faz parecer o passado mais seguro, quarto, depende de onde a pessoa vivia e com quem, mais ou menos como é hoje, para os 3p, a violência é constante e presente, quinto ditadura não é muito fã de divulgar dados e quando divulgava relacionava com os "subversivos".

Unknown disse...

acho que boa parte dessa galera "saudosista da ditadura " na verdade e ignorante (no sentido literal, de quem "ignora" algo.)
ou nao viveu a epoca e nao estudou direito (ate hj a maneira como se ensina o regime militar em muitas escolas e controversa ) ou viveu e nunca se informou a respeito do que acontecia (o que nao era difícil na epoca: informação de qualidade era artigo raríssimo nos anos da "Redentora").
essa impressao de que "ninguém era assaltado " tb e equivocada. na verdade, naquela época, as cidades eram menores, a população muito menos numerosa. com isso, havia menos violência urbana (assaltos, sequestros, etc). a evolução da Industria de armamentos tambem favoreceu o crescimento desse tipo de violência.

Anônimo disse...

Meu pai, viveu na ditadura, no auge militar era criança do meio da zona leste de sp, hoje São Miguel . Disse que o negócio não era dourado assim não, as periferias, sem poder político ou monetário sofriam bastante na mão da polícia.Inclusive casos de milícia cobrada, que já vem daquela época.Falta de saneamento, falta de hospital, coisas básicas.Fora crimes, como estupro,invasões, que você não podia delatar.Pq era amigo de não sei quem do quartel.Talvez nos grandes bairros e no centro, fosse dkferente, mas na periferia, já não era bem assim.

Anônimo disse...

Lola,nos últimos anos os termos ditadura civil-militar e golpe civil-militar vem tomando o lugar dos termos ditadura militar e golpe militar. Um dos percursores dessa mudança é o historiador Daniel Aarão Reis, ele faz uma autocrítica dos seus estudos anteriores, onde usava o termo ditadura militar, passando a utilizar ditadura civil-militar. Essa nova
percepção deu-se pelo fato dos grandes empresários brasileiros terem participado efetivamente do golpe e terem dado apoio à ditadura. Outro termo: ditadura empresarial-militar, defendido pela historiadora Virgínia Fontes, pode ser usado para representar o período de 1964 a 1988. Em sua obra, Reis (2004) também problematiza a complexa relação existente entre a sociedade brasileira e o regime implantado em 1964 para justificar o uso dos “novos” termos.

Anônimo disse...

Tenho mais de 60 e prefiro os militares.Eles só mataram e torturaram bandidos.As Farc produzem cocaína...o PT e outros esquerdistas são amigos das Farc...o PCC vende cocaína e os governos do PT vêem bailes funks como culturais...eu moro numa favela...pago aluguel pra o dono da casa que tem mais quatro casas em invasões e duas casas no Ceará. Ele defende o PT eu sou contra o PT.O Mensalão e o Petróleo corromperam e compraram votos em função do Lula e da Dilma.Muitos estão indo pra cadeia e os dois não sabem de nada e não viram nada.Agora o Lula esta distribuindo os cargos do PMDB para quem impedir a Dilma cair....Prefiro o exercito no poder.A Dilma cometeu crimes...roubou...e continua ai.As pesquisas mostram 80% do povo não quer mais o PT mas os 20% de vagabundos e parasitas do MST...MTST...UNE...CUT...alem do PCC nas favelas paulistas e o CV no Rio querem o PT no poder.

Anônimo disse...

Se você não tem dinheiro para passear no Shopping é porque não trabalhou nem estudou.Frequenta bailes cujos onde só se consome drogas..e agora da uma de coitadinho para mamar nas tetas do bolsa familia...cotas pra negros...cotas pra mulheres...Sou branco...e fui reprovado no vestibular de engenharia porque não estudei mas muitas mulheres e homens brancos estudaram e conseguiram.Nem todo rico rouba e nem todo pobre não teve oportunidades. A questão é que na hora de estudar o jovem vai pras baladas se drogar ai quando se da conta seus colegas estão exercendo funções de médicos engenheiros juizes ai vem aquela conversa de elites dominadoras e blá blá blá mi mi mi

Anônimo disse...

Na década de 70 eu morava em Recife e o Lindenberg era líder da UNE...ele que é meu conterrâneo paraibano.Hoje ele é Senador do PT pelo Rio de Janeiro respondendo por corrupção. Vão no Google e escrevam crimes da Dilma no regime militar e vão descobrir que ela jogou um carro bomba em frente de um quartel matando um jovem soldado de 18 anos. A mae dele nunca teve oportunidade de ir a imprensa porque quando o exercito saiu do poder os crimes da Dilma foram perdoados.Ela que queria chegar ao poder usando armas agora fala em golpe.

Anônimo disse...

As Farc são aliados do PT e o PT aliados do PCC e do CV esses sim são bem equipados com as melhores armas para roubar e matar.

Anônimo disse...

Concordo...o exercito só torturou bandido enquanto o PT estimula bailes funks que vendem drogas para os jovens que matam para alimentar o vicio.O exercito é disciplina e hierarquia alem de bons princípios a esquerda e roubo .O PT quando chegou ao poder colocou milhares de parasitas nos órgãos públicos sem concursos.

Anônimo disse...

Se a esquerda fosse coisa boa a União Soviética e a China comunista continuariam a existir mas pelo que vejo nas mídias apenas pena parte dos russos tem saudades do comunismo.Apenas aqueles que tinham altos cargos no governo.Quanto ao exercito brasileiro está sem equipamentos e dai? Nossos aliados americanos reativaram a quanta frota e só aguardam o momento de exterminar o MTST o MST...alias a FEMA esticou bastante caixões de defuntos no Rio...vai Lula manda sua turma fazer uma revolução vermelha caso a Dilma caia .

Anônimo disse...

ditadura militar é lixo, a ditadura bem como os milicos, todos LIXOS

Rafael Cherem disse...

Rapaz, abriram a porta do hospício?

Anonimo disse...

Nada