quinta-feira, 23 de outubro de 2014

ROQUEIRXS DEVEM VOTAR NO PT

Se você está ansiosx com as eleições e não vê a hora de poder votar, e está usando todo seu tempo livre para convencer amigxs e familiares a manter o retrocesso longe das urnas, eis um argumento infalível pra convencer alguém a votar na Dilma. 
(Pra quem não aguenta mais ler sobre eleições, volte na semana que vem. Obrigada. Eu não consigo pensar em outra coisa. Minha timeline no Twitter não fala noutra coisa). 
O post abaixo é do Willba, 32 anos, residente em Minas, sociólogo formado pela USP, professor de sociologia no Ensino Médio, e mestre de cerimônias em shows de metal.

Sabe aquela sensação que "nunca houve tantos shows internacionais de rock no Brasil"? Pois bem, ela é correta e tem a ver com nossa escolha dia 26 de outubro.
Há um senso comum ditando que Rock Pesado e política não se misturam. Dizem que "tanto faz" quem for eleito, que para o mundo da música "dá na mesma". Mas não é assim.
Surgiram na internet imagens que comparam o número de shows que o ex-Beatles e ex- Wings Paul McCartney fez no Brasil entre 1995-2002 e 2003-2014, administrações do PSDB e PT, respectivamente. Para surpresa de muitos, o Iron Maiden também foi incluído nessa lista. Em ambos os casos, os seminais ingleses tocaram mais em nosso país durante o governo PT que o PSDB. Será então que rock pesado e política estão distantes assim? Ou faria mais sentido a máxima de Jean Paul Sartre, de que o senso-comum é, além de incorreto, deprimente?
Devemos lembrar que o Rock surgiu do Blues dos trabalhadores rurais negros estadunidenses, que viviam em condições análogas a de escravos, na década de 1950. De lá para cá, o rock passou por muitas modificações; porém, a gênese de rebelião contra o autoridade, contra o poder insistido, nunca o abandonou. Canções clássicas como "Fortunate Son", do CREEDENCE CLEARWATER REVIVAL, e tantas outras, nos lembram que o rocker é o oprimido que quer mudar a sociedade injusta. 
Infelizmente, alguns artistas se renderam ao sistema, como o BLACK SABBATH, que se apresentou em Sun City em 1987, ou o surgimento do estilo chamado Black Metal NS, de bandas nórdicas que pregam o nazismo, ou até a música deplorável "Pleasure Slave" do MANOWAR. 
Em contrapartida, houve Woodstock; tivemos o protestos contra o hotel-cassino-resort sul-africano liderados pela banda de BRUCE SPRINGSTEEN e dezenas de rockers; existem críticas ao sistema do Punk Rock e do Hardcore, e diversos artistas são ativistas de esquerda, como Bono Vox do U2... Em suma, e o que quero provar é que o Rock'n'Roll pode até ser dissociado da política, mas é muito mais facilmente associado a ela, sendo sua gênese de esquerda, mas também apropriado pela direita de quando em quando.
O que nos leva ao ponto central deste texto. Como pode um governo do PT em nível federal ser melhor pra quem curte qualquer vertente de rock, do que um do PSDB? O governo do PT representa o capital produtivo: quem trabalha e ganha salário, quem compra bens de consumo para uso próprio, viaja nas férias, tem imóvel para residir; e automóvel para uso próprio. 
O governo do PSDB é preocupado em agradar o capital especulativo: quem investe dinheiro e espera que esse dinheiro gere dinheiro, quem compra diversas casas, terrenos para especular, quem não vive de salário fixo, quem gasta no exterior; em suma, quem concentra renda e aumenta as diferenças sociais. A resposta para nossa pergunta é tão simples quanto inusitada: a política econômica do PT tem como efeito colateral proporcionar mais shows de rock internacionais que a do PSDB.
O pacote de baixo desemprego (4,7% em dezembro de 2011 contra 10,5% dos tucanos em dezembro de 2002, chegando a picos de 30%) e alta do salário mínimo (de U$D 56 em dezembro de 2002 com o PSDB, para U$D 306 em dezembro de 2012 com o PT), aliados à queda da taxa de inflação do período de 100,6% (no PSDB) para 50,3% (a metade, no PT), ou a taxa anual, de 9,1% para 5,8%, respectivamente, permitiu ampla oferta de crédito a juros baixos e financiamentos. Os dados estão aqui.
Essa bonança construída pela economia sob controle criou o cenário ideal que permitiu que os empresários daqui pudessem contratar bandas estrangeiras, sabendo que tais eventos dariam lucro, já que a economia aquecida lega para o grande público ter dinheiro para gastar em entretenimento. Como assim? Enquanto no governo PSDB foram criados 627 mil empregos por ano (12,2% de desemprego), a taxa petista foi de 1,79 milhões (5,4% de desemprego), e a desigualdade social, que caiu 2,2% na administração tucana, caiu 11,4% nos governos Dilma e Lula. Percebe que mais pessoas são incluídas? Mais pessoas têm como gastar? Não é só nas 33 milhões de passagens aéreas vendidas em 2002 para as 100 milhões vendidas em 2013 que percebemos o quanto o brasileiro pode consumir mais -- no rock também.
Em se tratando de shows internacionais de pequeno e médio porte, a situação é ainda mais nítida, pois permite que pessoas sem tanto dinheiro organizem turnês com custo e lucro baixos. Não é mais coisa apenas para um empresário de estádio, Rock in Rio com bandas milionárias e shows em capitais. 
Grupos menores passaram pelo Brasil durante o governo do PT, sob a economia focada no capital produtivo, podendo excursionar o país todo. SKULL FIST, ENFORCER, CAULDRON, NUCLEAR WARFARE, STEELWING, MAD MAX são exemplos de bandas internacionais ainda desconhecidas do grande público que puderam realizar turnês extensas pelo Brasil, com público pequeno em cada apresentação. Isso ocorria entre 1995 e 2002 (governo do PSDB)? Muitos desses concertos aconteceram em cidades pequenas, ou "sem tradição" de rock/metal. "Sem tradição" por não haver pessoas que curtam som nos interiores do Brasil, ou por nos anos 1990 a concentração de riqueza imposta pelo neoliberalismo não gerar desenvolvimento econômico nessas regiões para receber esse tipo de evento?
Pode ser contra-argumentado que as bandas citadas estavam inativas durante o período do PSDB no governo federal. Todavia, existiam bandas similares, tão competentes e desconhecidas do grande público, como UNREST, WOLF (da Suécia), DIRTY DEEDS, DORO etc, cujos headbangers também gostavam e nunca foram chamados ao Brasil durante seu período de atividade (desses só a DORO continua ativa). Percebem como um modelo econômico favorece mais shows de rock que outro?
Abaixo, a tabela feita com base nas dez bandas pesadas que mais se apresentam no Brasil, de acordo com Folha de São Paulo. Só contei as bandas que estavam em atividade durante os governos PSDB e PT, e acrescentei algumas outras do meu interesse. O número de shows tem como referência buscas feitas no site SetList.FM:
Como é impossível elencar todos os grupos, minha lista não é exaustiva, portanto, acrescente no espaço de comentários nomes e/ou correções.
Ainda assim, os grandes centros não foram esquecidos pelo empresários de shows de rock/metal. Prova disso é que John Fogerty tenha se apresentado quatro vezes no período do PT e nenhuma antes disso, pois as condições econômicas para que um show desses acontecesse eram desfavoráveis. Em relação aos grandes festivais, como Monsters of Rock e Skol Rock, lembramos que os shows ocorridos nesses festivais entraram em minha contagem. Ainda que esse tema dos festivais mereça análise mais aprofundada, é seguro dizer que se alguns sumiram, outros tantos surgiram.
Se você fosse empresário, arriscaria colocar seu dinheiro num show caro num país com o segundo maior desemprego do mundo e com a moeda que se desvalorizava? Esse era o cenário do Brasil com o PSDB.
O que posso concluir? Que concentração de renda, especulação, desigualdades sociais e instabilidade econômica diminuem o poder de compra da população, e consequentemente, o público em potencial para um show de rock internacional. Note que o governo federal petista não precisou necessariamente financiar esses eventos; sua boa gerência econômica é que indiretamente criou e aumentou as condições para que eles acontecessem.

46 comentários:

Anônimo disse...

Foda é que o preço dos ingressos está caro demais.193

Anônimo disse...

Quanta baboseira... Vão votar nela por futilidades,enquanto o mais necessário ela mal faz ou faz porcamente.
Uma vez também ouvi no rádio um cara dizendo que votaria no deputado x "porque ele faz festa para nóis"...
E vocês ainda falam que quem vai votar no Aécio que é burro kkkkkkk

Paula disse...

Paul McCartney votaria no PV:

https://www.youtube.com/watch?v=jgq2lngeapI

Patty Kirsche disse...

Totalmente verdade. Eu fui a muitos shows nos últimos anos. E muita gente que nem estava em turnê apareceu no Brasil porque compensava mais vir pra cá do que ir pra outros países. Não tem como negar, o Brasil permaneceu forte durante a mega crise do capitalismo e atraiu shows. Quem ganha é a gente, que tem mais acesso a eventos culturais. =D

Guilherme Pereira disse...

A pirataria é responsável por isso, repara a 12 anos atras era bem menos comum baixar musica pirata em mp3, ou seja para viver com muita grana atualmente musico tem é que fazer show..

Anônimo disse...

Esse post é sério?

Madaha Maluum disse...

Pode até ser que tenha bastante show no período do PT, mas o preço dos ingressos faz com que os shows sejam inexistentes para mim.

Só fui no do Red Hot Chili Peppers porque paguei meia R$ 120 e do Iron Maiden, que sofri com os preços altíssimos, tirando a concorrência para encontrá-los.

O show do Megadeth acho que, até agora foi o mais barato de todos. Ou o menos caro.

E Paul Mc Cartney já foi um bom músico. Hoje canta com qualquer cantorzinho pop aí, igual Mick Jagger com a Taylor Swift.

Mas que é verdade que os eventos culturais acontecem mais em épocas que o PT ta no comando, é. Engulam.

Fui.

lola aronovich disse...

Ué, é sério, anon das 16:56. O post tem vários links e mostra sem sombra de dúvidas que a política econômica de cada governo interfere, e muito, no lazer da população. A parte de "motivo infalível pra votar na Dilma" é brincadeira. Óbvio que há mil e um motivos mais relevantes. Mas este é um deles, e é verdadeiro.
Talvez eu nunca me perdoe que um dos meus maiores ídolos, o Paul, veio tocar em Fortaleza e eu não fui... Tomara que venha de novo!

Anônimo disse...

Se ele souber algo de rock deve saber que em 1987 não era o Black Sabbath original, o único remanescente era o guitarrista Tony Iommi, o restante eram músicos que mudavam sempre. O disco de 1986, Seventh Star, era com o Glenn Hughes nos vocais, só que ele se mandou depois de uma briga que acabou impedindo de cantar momentâneamente e sendo sucedido pelo Ray Gillen que acabaria de morrer de Aids em 1993.Não havia Bill Ward (bateria), Ozzy Osbourne (vocais) e o Geezer Butler (baixista) na banda.Pesquise mais a estória antes de dizer que uma banda é vendida. E o fato das bandas virem mais para o Brasil não significa nada; antes uma educação de qualidade, que não tem, saúde, que não tem, emprego, que não tem ( cadê a produção industrial?, não vale montadoras) que não tem e por aí vai.Tanto no RocK quanto na economia a galera é um fiasco.

JMichell disse...

Não concordo muito com a argumentação. para mim o número de shows aumentou porque artistas não conseguem mais viver da venda de discos/CDs depois da massificação da internet de banda larga a partir dos anos 2000. Por isso, os artistas, que antes conseguiam obter uma boa renda da venda de seus álbuns, hoje em dia lucram basicamente com os shows, portanto a frequência das turnês e de países visitados aumentou bastante. Também acredito que o aumento do poder aquisitivo da população tenha sim influenciado na vinda de tantos artistas para cá nos últimos anos, mas não é só isso.

Death disse...

Não só shows de rock e de grandes artistas de outros gêneros se tornaram comuns mas também o mercado de games por exemplo, na época do FHC ter um video game e jogos originais era coisa de boy.

off-topic

Aproveitando um post mais tranquilo e sem tantos comentários:

Acompanhando o programa Masterchef BR lembrei que eles cortaram logo no começo os participantes vegans, achei péssimo.

Paula disse...

Guilherme Pereira tem razão :p

Anônimo disse...

Bem, foi muito falacioso esse argumento. A pirataria reduziu muito o ganho com a venda de CDs/DVDs, resta ao músico fazer shows e viajar.
O cenário da música mudou drasticamente, mas a pessoa finge que não vê. Basta observar que as bandas que têm vindo ao Brasil aproveitam para fazer shows em toda a América do Sul, ou seja, os shows aumentaram em todo o mundo, não por causa do governo do PT.

nadiaschenker disse...

Quanto à reclamação sobre o preço dos ingressos, procede, mas não vejo como essa questão afasta as conclusões do post. Ora, o preço tem sido altíssimo sim, mas é o empresário quem põe lá em cima, pois sabe que o pessoal vai pagar. O Tomorrowland já esgotou, por ex. E até onde sei, o do McCartney tb já. Enfim...eu tb tenho que escolher. Não dá pra ir em todos.

Anônimo disse...

Roqueiros votando no PT? Oh não vão esquecer que o funk é nosso patrimônio cultural heeeeeeein kkkkkkkk...estão desesperados, tiros para todo lado. 45 45 45 45 45 45 45 45 45 45!!!!!!!

Anônimo disse...

ô guilherme aí que falou da pirataria, vamo combinar que do FHC pra cá a tecnologia avançou muito e se tornou muito mais fácil gravar CD pirata em fundo de quintal né

Anônimo disse...

Diva


Lola, desculpe por não querer comentar sobre política, mas, isso não impede de apreciar seus ótimos posts. :)
Eu quero sair um pouco do assunto do post e mostrar duas ÓTIMAS iniciativas.
Uma propaganda com meninas fofas vestidas de princesas mas falando palavrão(de forma descontraída e pura como só uma criança pode falar) e questionando papéis de gêneros e sobre discriminação contra mulher.
Pior que teve muito(a) machistazinho(a) que ficou revoltado(a) por ter visto as meninas falando palavrão.
http://oglobo.globo.com/sociedade/campanha-contra-machismo-causa-polemica-ao-colocar-garotinhas-falando-palavroes-14334017




A segunda iniciativa super bacana é da Lego com uma coleção somente de cientistas mulheres:
http://oglobo.globo.com/sociedade/acusada-de-sexismo-lego-lanca-colecao-de-cientistas-mulheres-12727832

Anônimo disse...

Achei a análise interessante porém, como outras pessoas já comentaram, a maior mudança nos últimos 12 anos foi na própria indústria musical com toda a questão da pirataria, Napster e tudo mais. Tem artista fazendo 300 shows por ano pra se "manter" (não só financeiramente mas no sentido de se manter relevante em uma indústria tão obcecada com o novo). Enfim, achei o texto divertido, se eu não anular meu voto vou de 13 no domingo (ainda estou decidindo)mas foi apelação do autor linkar aumento de shows internacionais no Brasil diretamente ao governo PT.

Anônimo disse...

No interior da BA época do fhc parceiro do carlismo só tinha pagode pornográfico (depreciava mulheres e a população humilde e negra). A cidade era refém da globo, nem havia tv a cabo para a classe C. Quem não obedecia era traidor e levava chicotada. Era uma mafia globo/veja/fhc/acm/tvbahia.

Socialites aliados do coronéis e celebridades da globo se exibiam em camarotes caríssimos e mauricinhos locais classe-media-alta ou turistas pagavam abadas caríssimos nos blocos de "gente bonita", brancos e turistas do centro-sul. Nao critico o gosto ou estilo, mas a época em que na Bahia tinha que gostar disso. A arrogância das "celebridades" dessa industria também crescia. Com o governo pt em 2003 a Bahia começou a perceber uma maior diversidade cultural, a ter mais opções e menos perseguições a quem gosta de rock.

Quando o carlismo (ACM) passou a decair e no final do primeiro mandato de Lula, os shows e eventos aqui passaram a melhorar mais e passaram aos poucos a respeitar pessoas que tinham gostos musicais mais diferenciados, especialmente rock. As passagens de avião passaram a ser cada vez mais em conta e ajudou muitos baianos de classe C/D a irem para o eixo RJ/SP ver os shows internacionais, especialmente de rock.
No fim do segundo mandato de Lula e fim do carlismo a situação melhorou para quem gosta de rock/pop internacional e eventos circenses de qualidade com alguns shows aqui. As pessoas de cidades de interior mais próximas passaram a ter mais condições financeiras para viajar e ver bons shows internacionais. Tem pessoas do interior baiano que gostam de rock.
Ha 4 meses o pt reinaugurou o aeroporto de Feira de Santana/BA e o acontecimento foi ignorado pela unica emissora local, subfilial da globo, dos Magalhães/DEM e aliado do PSDB. Uma vergonha motivo de contestações, algo tao importante para o desenvolvimento da cidade de 600 mil hab. O carlismo nunca considerou um aeroporto na cidade porque ficava a 2 hrs de viagem do aeroporto internacional de Salvador rebatizado com o nome do filho do coronel. Carlistas achavam que era pertinho e baratinho para a classe C do interior. Enquanto Aécio Neves inaugura aeroporto particular, ele investiria no aeroporto de Feira de Santana? Uma parte da classe C/D da cidade ainda fechada a tv subae e por coincidência eleitores do carlismo/psdb não se importam.

Então no governo do pt, muitos nordestinos, especialmente do interior passaram a frequentar mais shows de rock internacional também, a viajar mais de avião, a conhecer mais o mundo, a ter uma mente mais aberta, menos machista, a olhar com menos preconceito a mulher que viaja sozinha por exemplo.
A diversidade cultural na Bahia aumentou e melhorou, o respeito a outros gostos musicais também. E não quero que isso acabe, não quero os anos 90 de volta. Eu não quero que os aliados da turma do atraso voltem para o Brasil e para os baianos e nordestinos.

Raquel Link - BLOG ESCREVO POR COMIDA disse...

AMEI LOLA um pouco de humor nessa reta final estressante sempre é bom.

e lola você viu essa matéria no site ingles daily mail? sobre o tal apoio da lindsay lohan pro aécio, na matéria eles falam abertamente do avião do aécio pego com drogas, que ele é playboy e gosta de vida de luxo.

http://www.dailymail.co.uk/news/article-2803593/Brazilian-presidential-candidate-party-boy-reputation-gets-Lindsay-Lohan-s-support-help-hurt-him.html

queria ver um jornal daqui falar assim.

Anônimo disse...

Não que eu goste do chamado "funk" carioca, eu não gosto mesmo, eu só gosto do funk original que nasceu nos EUA pelos anos 60 e derivado da soul music.

Acho que consideraram o funk carioca como "patrimônio cultural" porque se tornou muito popularesco nas comunidades mais humildes do Rio de Janeiro, mesmo sempre tendo espaço na globo e investido por empresários gananciosos.

As pessoas falam muito do machismo nos "baile funk" e tem mesmo muito machismo e pornografia, mas eu acho o ambiente de micaretas terrível também. Pelo menos por conhecimento pratico e de causa.

Nas micaretas, homens homens agarram mulheres a força com a aprovação da maioria das mulheres em volta e as mulheres que recuam as investidas agressivas dos homens são criticadas por muitas mulheres. Muitos homens nas micaretas puxam os cabelos das mulheres e dão soco nas mulheres que não querem beija-los. Levar soco ao recusar beijo é comum em micaretas e considerado normal.

Anônimo disse...

Desespero por que? Não tem nada de errado neste post. O blog é da Lola e ela posta o que ela quer. Neste caso achei bem legal o post, bem leve e divertido. Desesperado seria se ela tivesse postando preconceitos como uns e outros amargurados fazem e que ainda tem o cinismo de dizer que foi mais um de "trocentos" trilhões de fakes inventados pela concorrência só para prejudicar o o seu candidatinho que acham que estão na frente.

Parabéns pelo post Lola, continua postando coisas legais, divertidas e sobre muito rock n' roll.

Anônimo disse...

Adoro gente dizendo que quem vota no PT está desesperado. E qual seria o motivo do desespero? O crescimento da Dilma nas pesquisas?
Ela vai ser reeleita senhores, lamento pela tuCANALHA, mas é Dilma presidenta e para você só vai restar pedir carona ao Lobão.
kkkkk

Mohamed disse...

O macho alpha está chegando
Califado Brazilis

Anônimo disse...

a dilma vai ganhar

Anônimo disse...

A santa Dilma está sofrendo um pedido de impeachment sobre os desvios de na petrobrás,mentiradas sobre bolsa familia e outras coisas também.
Tão honesta quanto o Aécio,embrulha o estômago ver como defendem essa mulher quando é a mesma porcaria que seu concorrente.
Político honesto é ilusão.

Anônimo disse...

Para os Channers que tentam atacar a lolinha, um recado para vocês:

"Vocês, falhos, estão pegando pesado. Me desculpem, mas waifu não reproduz. Me desculpe, gente, mas eu sempre tive namoradas, ficantes e amigas de foda, e nós, a maioria, não podemos nos escorar à minoria dos falhos.
Como é que pode um baladeiro universitário que tem vergonha na cara querer apoio desses falhos.

Anão, você já imaginou que o Brasil tem 200 milhões de habitantes. Se começarmos a estimular isso aí daqui a pouquinho vai reduzir pra 100. Vai lá no /falho/ ver como está, e anda lá e vê, é feio o negócio, né. Então, gente, vamos ter coragem, nós somos maioria, vamos enfrentar essa minoria. vamos enfrentar, não ter medo de dizer que sou baladeiro, descolado e popular. E o mais importante é que esses, que têm esses problemas, realmente sejam atendidos no plano psicológico e afetivo mas bem longe da gente, bem longe mesmo por aqui não dá."

Anônimo disse...

Desespero?
ehuheueheueheue
#é13

Anônimo disse...

Estou ficando com honesta preguiça de comentaristas que criticam a Lola por só falar de eleições/política. Parecem se esquecerem que estão em um blog feminista, algo que, tcharam!, está total e diretamente ligado à política. Tenha santa paciência, gente. Lola é militante de esquerda (sim, por mais óbvia que pareça essa informação, parece ser necessário desenhar pra alguns ou muitos), logo nada mais natural -- e óbvio -- o firme engajamento dela nessa e em eleições em geral. E vamos combinar que é o assunto do momento até pra quem normalmente não é tão engajado. Quem está achando ruim, muito provavelmente é quem não vota no PT. Não quer gostar, não goste, é um direito. Mas daí a se surpreender com a "quantidade de posts sobre esse assunto nessa época" é até meio ingênuo.

Quem não gostar, que não leia, como ela já disse no post. Blogs sobre assuntos desvinculados à política existem aos montes, pra quem já está saturado do assunto. Eu particularmente estou adorando! Entro todos os dias torcendo para que seja um post sobre a eleição.

Ri alto com o "volte na semana que vem". É isso mesmo, oras. Não se fala noutra coisa em lugar nenhum, pq aqui (ainda mais aqui!) tem que ser diferente? Nem deve. Bora bora, Lola. Dia 26 está aí. Dilma na cabeça!

Anônimo disse...

Vc quis dizer "Califado Brazilis virtual", aquele que só existe em fóruns de mimimi mesmo.

nadiaschenker disse...

A/O anônima/o das 18h58 colocou muito bem a questão. Quem gosta de rock e de shows em geral já percebeu o quanto a situação mudou. No fim do governo fhc os shows, que eram limitados ao eixo Rio-SP, quase que ficaram só em SP! E ninguém de fora tinha $$ pra ir. Hoje o Iron Maiden fez show no Pará, p. ex. Quem imaginaria isso nos anos 1980? É muito legal. E tem mais. O fato da pirataria ter aumentado a necessidade das bandas fazerem shows não tem como conseqüência necessaria o aumento do número de shows no Brasil. Por acaso alguma banda toca fiado??? Não! Eles poderiam fazer mais shows lá pela Europa mesmo. Mas hoje é uma grande oportunidade para artistas consagrados ou underground tocar na AL, já que a gente tá com algum $$ e ainda lota as Arenas. Respeito pelo Brasil!!!

Anônimo disse...

Bandas nórdicas que pregam o nazismo mas adeptas dum estilo musical de origem negra. E a lógica foi pro espaço.

Priscila Duarte disse...

kk
Vocês se superam!
Outros sites de humor que se cuidem..

Anônimo disse...

Política do pão e circo.

Raquel Link - BLOG ESCREVO POR COMIDA disse...

http://desesperodaveja.tumblr.com/

LOLA vê isso mto engraçado. avacalhando com reaças

Gle disse...

Olha essa Lola roqueira .\../ Eu de 2008 até agora fui em vários shows internacionais em SP e também fui no rock in Rio. Realizei vários "sonhos". Tem muita coisa boa nesse governo! Sempre terá o que melhorar, óbvio. Mas é visível a evolução do país e as facilidades que temos.

Erres Errantes disse...

Eu sou roqueira e pobre. O fato é que, quando ingressei no mestrado, há quatro anos, tive oportunidade de assistir a shows de bandas que amo muito, como Iron Maiden, Whitesnake e Judas Priest.
Hoje estou no doutorado, faço um curso de humanas e tenho bolsa. Tenho agora a oportunidade e ver ainda mais shows e, sobretudo, a oportunidade de me manter ao longo do curso, que, como todos que têm carreira acadêmica sabem, têm muitas despesas. Mas o que posso dizer é que, graças à bolsa, tenho dinheiro pra investir na minha carreira, apresentar meu trabalho pelas universidades do Brasil afora e ainda ver os shows das bandas que amo!
Só acho que quem escreveu o post foi injusto com o Black Sabbath. Vejo aí um preconceito contra o heavy metal. O Heavy metal sempre foi contestador, assim como várias outras vertentes do rock, e não venha me dizer que o heavy é mais condescendente com o sistema, porque não é. O Black Sabbath sempre teve letras insurgentes contra o sistema (ver War Pigs, por exemplo) e, além do mais, vivemos no sistema capitalista e os caras têm que fazer shows mesmo pra angariar uma grana. E também critico o elogio ao U2. Bono Vox é um oportunista do c*ralho que usa uma suposta militância em prol de seus próprios interesses. Quando ele fala em paz no mundo, ele quer o quê? Pobres e ricos convivendo harmoniosamente, "cada um sabendo o seu lugar". Mas enfim, a pessoa que escreveu oi post o fez influenciado pelas bandas que gosta e criticou bandas que não curte, um mal a que todos que curtem um determinado estilo estão sujeitos... Só deixo aqui minha observação.

Anônimo disse...

Post muito legal. Infelizmente, apesar do caráter revolucionário que colocou os gêneros de rock em evidência, eu frequentadora da cena rock/ metal, reconheço que há muitos reacionários no meio, uma vez que( não é o meu caso); boa parte do público de tal gênero musical é formado por classe média, classe média alta e ricos. Sim os reaças towueiros existem. É um meio excludente e que na maioria das vezes "apartidário" e totalmente permeado pelo preconceito, racismo, intolerância. O post é interessantíssimo. Para que principalmente os mais jovens analisem e conheçam as realidade distantes entre as duas propostas de governo.

Willba Dissidente disse...

Saudações!
Aqui escreve o Willba, autor do texto.
Pessoal, eu sou Sociólogo. Observo um fenômeno acontecer na sociedade e busco fontes para o explicar. Á grosso modo, foi o que elaborei nesse artigo. Sim, ele é sério e pode ser contestado por fontes e dados.

SOBRE A MUDANÇA DE MERCADO.

No que tange à pirataria, me desculpem, mas o argumento de vocês é inválido. Não há como medir quanto a industria perde / perdeu com o MP3. Todo mundo que baixa um álbum, ou ouve pelo utube, o comprária?

Muito dessa confusão vem do desconhecimento de vocês de como funciona um show. Resumo. Existem os promotores (tour maneger) e agentes (locais) que contratam as bandas. Acertam-se, caches, condições, exigências. O promotor acompanha o grupo em turnê pelo país tocando em cada cidade em os organizadores locais contrataram o show.

Conheço bem isso, pois sou mestre de cerimônias.

Meu argumento é, melhoradas as condições financeiras, mais shows puderam ser contratados, e, consequentemente acontecer. O fato de haver MP3 não influencia neste circuíto. Até onde entendo, nunca houve uma época em que as bandas pudessem viver, profissionalmente, só de compor e gravar.

QUANTO AO PREÇO DO INGRESSO

Essa é outra questão completamente diferente e que demanda uma nova pesquisa e todo um novo universo de dados. Faltou regulação? Sim. Lembrem-se, todavia, que o fato haverem mais shows hoje é, consequência (de uma política econômica acertada e voltada para a redução de desigualdades sociais) não algo pensado, feito para acontecer. É necessário, à priore, um estudo para entender o que de fato aconteceu, e movimentação política para mudar esse cenário. Percebe-se que, mesmo em situação de melhoras sociais, há quem queira lucrar mais que outrora.

SOBRE O BLACK SABBATH.

http://books.google.com.br/books?id=9cmhAgAAQBAJ&pg=PA27&lpg=PA27&dq=black+sabbath+sun+city&source=bl&ots=E5Elb_Ty-i&sig=l32MWQIjpi0xWJBHu36NFV4V95o&hl=pt-BR&sa=X&ei=9-pLVMSEBMHBggS7rYHIDw&ved=0CGAQ6AEwBw#v=onepage&q=black%20sabbath&f=false

Queridos, confiram o link. Enxerto de livro.
Eu AMO a banda com todos os vocalistas, excepto nessa volta com o Ozzy e sem o Bill Ward. O meu favorito é o DIO.

Não obstante, essa minha predileção não pode esconder um fato. A banda fez, SIM, o papel ridículo de tocar em Sun City, referendando TUDO de mais autoritário e brutal e imperialista do mundo.

Quem quiser entender o foi Sun City no contexto de 1986 / 1987, sugiro um vídeo rock'n'roll que editei sobre o assunto há alguns anos.

http://www.youtube.com/watch?v=M3J7LX3NtIA


CONSIDERAÇÕES FINAIS

Li os comentários e gostei muito do moço do interior da Bahia, da Nádia Schenker e do Death, ao citar uma dinâmica semelhante em relação aos video-games. Algo a ser estudado.

Aos preconceitos, variante do metal que prega nazismo, ódio ao funk etc só digo "Afffff".

Agradeço aos que leram, fiquei muito feliz com os comentários de vocês, espero ter esclarecido os pontos mais polêmicos.

Um xero e ótimo final de semana!
*
#WillbaVotaDilma13

****

Quem quiser saber mais sobre meu trabalho:

http://www.rockdissidente.blogspot.com.br/

http://whiplash.net/autores/willbadissidente.html

E o site que cuido do acervo e do material inédito da pioneira banda A CHAVE DO SOL

http://achavedosol.blogspot.com.br/

Pentacúspide disse...

Uau! Isto é fantástico! Mas percebe-se bem, na falta de bons argumentos qualquer um serve.

Só para esclarecer. Eu defendo e voto a esquerda, quase comunista mesmo, portanto simpatizo com a política esquerdista, neste caso Dilma. E abomino o neo-liberalismo.

No entanto, considerando o cenário actual, o que posso dizer é que os brasileiros estão fodidos. Foram 12 anos de Lula e Dilma, com muitos escândalos de corrupção e abuso de poder contra uns políticos do género monarquista que pensam que o poder dever ser herdado e com um estratégia redutora que deixa os pobres sem calças, mata a classe média, a favor dos bancos e das multinacionais.
Este é um caso para dizer: pior pelo pior, venha o menor.

Mas, o que eu acho mesmo fantástico é usarem o número de concertos de rock ou outros quaisquer como motivo para votar em alguém. Que raio, mesmo os antigos romanos pareciam mais inteligentes que isso, pelo menos esses exigiam "PÃO E CIRCO".
O facto é que NÃO HÁ PÃO, e o argumento diz: VOTAMOS NO CIRCO.

Anônimo disse...

Não existe a mínima lógica ou bom senso nesse texto.
Se é pra usar shows pra convencer os roqueiros basta o pessoal do Aecio dizer que os shows de FUNK aumentaram expressivamente durante o governo do PT, se tem uma coisa que eu sei é que muitas vezes o ódio que eles sentem pelo funk é maior que o amor pelo heavy metal.

Macris disse...

Lola, você poderia me tirar uma dúvida? Como se pronuncia palavras onde o x substitui o "o" ou o "a"?

Bruna disse...

Lola, por muito tempo fui fã do seu blog. Achei que você fazia parte do movimento VERDADEIRO feminista mas hoje vejo que você se rendeu ao neo-feminismo, que odeia os homens e acha que mulheres são melhores do que ele. Eu e você sabemos que não é verdade. Sim, existem babacas machistas, misoginos e que odeiam as mulheres. Existem. Eu os desprezo. Mas não, não sou e nem apoio o feminismo. Não mais. Hoje eu repudio qualquer movimento que separe os generos. Quero igualdade. E o meu feminismo que buscava isso acabou.
Sobre as eleições, venho de uma familia toda de metalurgicos, muitos deles semi-analfabetos e todos petistas radicais. Meu pai, durante o governo Collor, nunca estava em casa pois precisava trabalhar o dobro pra colocar carne em nossa mesa. Chegava de madrugada e perdeu muitos momentos da minha infância. Com o governo Lulla, esse mesmo pai conseguiu se aposentar e ainda trabalhar. Pagou minha faculdade sem usar sua poupança, comprou um segundo imovel e guardou dinheiro. Eu mesma consegui meu primeiro emprego fácil e a vida era muito melhor. Isso me fez admirar nosso barbudo (que mora quase do lado da minha casa, somos da mesma cidade) e votar nele de novo. Mas, você acredita mesmo que essa senhora continou o trabalho dele? Não. Metade da minha familia está desempregada. Eu me afundei em dividas pois meu salário não pagava minhas despesas. Com 100 reais não compramos nada, a saúde e educação estão cada vez piores. O que ela fez:? Baixou os padrões! pronto! Isso resolve. Menores padrões, parece que tudo está bem
Eu votei no Lulla. Ele melhorou a vida de todo mundo, fez muito pelos miseraveis e eu o admiro demais por isso mas não, eu não votei nessa senhora (prefiro chama-la assim pra não usar termos perjorativos) pois ela acabou com o Brasil que Lula fez
Eu sei o que Aécio não ia salvar a patria. Ele é tão horrivel do que ela, só muda o genero. Mas, como disse Eça de Queiroz, “Os políticos e as fraldas devem ser trocados frequentemente e pela mesma razão” por isso votei nele
Eu não quero perder minha casa, meu emprego e tenho medo de que essa senhora que vocês tanto admiram (provavelmente só por ser detentora de uma vagina) vá terminar de destruir nosso país
E sim, eu acho que 90% dos que recebem BF são vagabundos que mamam no governo ao invés de buscar um trabalho digno.
Mesmo não sendo feminista, te admiro pela inteligencia mas hoje, ao ver que você defende essa senhora, perdi um pouco de respeito.

Anônimo disse...

"Como se pronuncia palavras onde o x substitui o "o" ou o "a"?"

Não sou a Lola, mas esse sinal é mais usado para a escrita ficar neutra. Na fala você usa o expediente de falar os dois gêneros. Exemplo:

Ao invés de dizer os advogados, diga as advogadas e advogados. Na escrita advogadxs.

Anônimo disse...

É contra o capital, mas paga R$300 em show, Enchendo o bolso deles que são de países Capitalistas ferrenhos.
Se somos pela causa Socialista, temos que boicotar esses Artistas, e dar valor ao nacional.

Anomimo disse...

"Boa gerencia economica" hahahahahahahahahaha