quarta-feira, 29 de outubro de 2014

A IMAGEM DA BRASILEIRA NO EXTERIOR

Carol me enviou este relato:

Sou uma de suas grandes fãs. Viajei a Europa recentemente e por conta disto procurei informações para evitar o choque cultural e comecei a me deparar com o slut shaming [culpar uma mulher por seu comportamento sexual] por parte dos europeus, e o que é pior, dos brasileiros e das brasileiras!
Existe preconceito em todo lugar do mundo, infelizmente. 
Brasileirxs casadxs com estrangeirxs
Agora, as brasileiras que querem se “diferenciar” daquelas que são prostituídas ilegalmente por serem menores aqui no Brasil, ou daquelas que querem arrumar um marido europeu (ora, ele é adulto, não percebe se a mulher gosta dele ou não, só quer ficar na Europa? Para mim, os dois tem uma relação equânime, pois ela dá sexo em troca de ser cidadã europeia e vice versa. Parece até que os coitadinhos são menores enganados) me revoltam.
Fico revoltada porque elas acham que a brasileira tem que se colocar no seu lugar, se dar o respeito. Ora, a europeia e a americana podem transar com quem quiser, nós não. Em todo lugar do mundo tem mulher que casa por dinheiro, por carência, por status, o casamento nem sempre é gerado por amor, aliás, na sua maioria das vezes não o é.
Para mim, é o mesmo que um racista dizer que o negro tem que se colocar no lugar dele para ser respeitado! O negro faz o que quiser da vida dele! Se é o melhor para ele ou não, não cabe a nós que não temos nada a ver com a vida dos outros decidir! 
É a mesma coisa com o homossexual, a maioria das pessoas só os aceitam se não forem considerados espalhafatosos e efeminados. Ora, o que que tem ser espalhafatoso ou efeminado?
Quando um homem é desagradável e grosso, todo mundo aceita o “jeito” dele. Eu fico p* da vida.
Como se mau caratismo estivesse no meio das pernas e na origem do passaporte.
Só para constar, ontem vi uma moça linda, loira de olhos azuis, bem padrão de beleza, trabalhando como carteira aqui no Brasil. Aposto que enfrenta vários preconceitos por isto, pois essa profissão é um serviço cansativo e a pessoa às vezes tem de ir a lugares pouco recomendáveis.
Aposto que um monte de gente diz que ela deve arrumar um bom marido por ser bonita.
Agora, se ela arruma um marido rico, ou vai para Europa para casar, ela é puta. Se ela trabalha, é incompetente.
Para o machismo, estamos erradas até quando estamos quietas.
Aposto que por trás, os nojentinhos europeus que dizem são amigos deles, xingam eles pra caramba, mesmo dizendo que na frente deles, que “eles” são diferentes do resto.
Eu não confiaria em alguém assim, que fala mal de pessoas que não conhece, é machista, turista sexual, racista e xenófobo. Eu mandaria para aquele lugar.

Minha resposta: Não entendi muito bem, Carol, o que você quer que eu diga. O Brasil tem fama no exterior de ser um país liberal, com carnaval e sexo sem culpa. Quem vive aqui sabe que essa fama não corresponde à realidade. Somos, no fundo, um país bem moralista. 
Faz uns cinco anos, li em algum lugar da internet (o link já não existe mais) o relato, em inglês, de um jovem americano que estava vindo passar um mês no Brasil, a passeio, e também com a intenção de aprender português. Seus amigos americanos morreram de inveja -- acharam que ele iria fazer sexo sem parar. Duas semanas depois de ter pousado no Rio, o gringo continuava sem transar. Ficar tudo bem, ele ficava. Um outro estrangeiro frustrado lhe disse: "Beijar é meio como um aperto de mãos por aqui. Mas mais do que isso -- esqueça". 
O cara finalmente conheceu uma moça, feminista, com quem ficou e fez sexo pelo resto da viagem. Adorou o Brasil, mas voltou pros EUA com a certeza de que a imagem da brasileira lá fora não é verdadeira. Ele teria mais sorte em fazer sexo sem compromisso se fosse para países mais liberais, como a Suécia, por exemplo. 
Faz poucos meses tivemos uma linda Copa do Mundo aqui no Brasil (alguém ainda se lembra da Copa? Viu como ela não teve a menor influência nas eleições?), que trouxe pra cá um milhão de turistas estrangeiros, que foram muito bem tratados e querem voltar. Nas cidades que sediaram os jogos, muitos gringos ficaram com brasileiras (e gringas com brasileiros também, e gringos com brasileiros, e gringas com brasileiras), o que despertou ciúmes de vários homens brasileiros, que sentiram-se traídos.
É super comum (e saudável) que as pessoas tenham curiosidade em conhecer gente de outros lugares. E "conhecer" pode incluir fazer sexo, se relacionar, casar. Até parece que apenas as brasileiras (vou usar o que foi mais noticiado pela mídia na Copa) gostam de estrangeiros! Pessoas "de fora" sempre chamam a atenção. Claro que, infelizmente, esse "chamar a atenção" nem sempre é positivo. Um estrangeiro que vem de um país pobre pode acabar sendo vítima de xenofobia e racismo
Bom, somos mais de cem milhões de brasileiras. É um oceano de gente! Uma população muito maior que a de grande parte dos países. Somos mulheres de todas as idades, raças, cores, tamanhos, regiões, credos. É impossível generalizar e falar na "mulher brasileira". Qual mulher? O Brasil tem uma ótima imagem no exterior (uma das melhores do mundo, creio eu), sempre relacionada a coisas boas: praia, carnaval, futebol, samba, pessoas alegres, mulheres bonitas. 
Eu não me canso de repetir: todo lugar que eu vou, quando me perguntam "de onde você vem?" e eu respondo "Brasil", o pessoal abre um enorme sorriso. Não é sorriso de deboche, é de admiração. Eu nunca fui maltratada por ser brasileira. Muito pelo contrário
Brasileiras
Brasileiras e brasileiros espalham-se pelo mundo. Em todo lugar do planeta você acaba esbarrando com alguém do Brasil (e dos EUA, e da Índia etc). E, por incrível que pareça, isso não começou no domingo, com a derrota do Aécio. Há gente nascida no Brasil trabalhando, passeando, casando, em todo canto. Dizer que uma brasileira casada com um europeu é interesseira não faz dela uma interesseira. Mas faz da pessoa que diz esses preconceitos uma otária.

63 comentários:

Anônimo disse...

oi Lola, a sua resposta não saiu...

Anônimo disse...

também tem muitos brasileiros que vai para outros países falar mal das brasileiras, eles não entendem que se não tivesse machismo brasileiras ou qualquer outra mulher não seria condenada por isso.eu tenho amigos que iam para outros países só pra sair com mulheres e depois falavam mal delas que fáceis demais vai entender.

Anônimo disse...

Faltou a tua resposta, n lola?! #EuSouBagual

Anônimo disse...

Isso não é exclusividade brasileira, que bobagem. Infelizmente, é a imagem dos latinos em geral, como também é, com algumas variações, dos negros em geral e até dos asiáticos.

E falar que é errado cagar regra sobre como brasileiros se portam e acabar cagando regra sobre como eles deveriam se portar é bem coerente, né.

Anônimo disse...

Espaço desabafo da Lola.

lia remz disse...

ixi Carol, nem liga! Eu moro na França e gosto de falar que sou brasileira...
Uma coisa que o pessoal as vezes fala é " verdade que no brasil a mulherada é facil?" eu repondo com cara de quem não entendi: "defina facil, por favor", ai a pessoa se embanana e fala que é uma menina que fica com varios caras.
Aui eu repondo na inocência: "ahhhh, quer dizer que ela faz o que quer? néao sei o resto, mas eu sou facil.. se quero ficar com alguém, porque me fazer de dificil?"
E todo mundo fica sem resposta... agora, se vc está falando que brasileira tem fama de prostituta, repito: não ligue! Uma coisa é falar ao vento, outra coisa é alguém te conhecer e te tratar mal, pois é brasileira. Vou te falar que nunca fui mal tratada aqui POR SER BRASILEIRA. Ja fui maltratada por ter um sotaque, ser estrangeira, mas não pela minha nacionalidade.

Faladores falarão. Deixe falar!

Anônimo disse...

Moro há quase 6 anos na Alemanha. Muita gente me pergunta se meu marido é alemão. Não sei se só perguntam por perguntar ou se eles de fato acham que por ser brasileira eu to querendo dar "o golpe" em algum "otário". Posso estar sendo extremamente ingênua, mas acredito que eles não perguntam por maldade.
Teve uma situação em especial que eu estava concorrendo a uma vaga de estágio na faculdade e a pessoa me perguntou se o motivo de eu estar no país era pessoal ou só por causa da faculdade. Eu respondi que era os dois e ela fez uma expressão meio estranha... talvez ali tenha havido a associação brasileira = golpista.

Jane Doe

Bru disse...

"sempre relacionada a coisas boas: praia, carnaval, futebol, samba, pessoas alegres, mulheres bonitas. " Lola, amei o texto, mas incluir mulheres bonitas no pacote de coisas boas do Brasil ficou meio palha...

Anônimo disse...

Sim é verdade isso que eles pensam eu vi uma reportagem de mulheres casadas e elas iam denunciar os maridos e os policiais desrespeitavam elas por serem brasileiras

Anônimo disse...

As americanas fazem muito mais sexo sem compromisso que brazucas eu conheço uma menina que foi pra lá e falou isso elas , e as brasileiras levam a fama sem deitar na cama.

D Stoffel disse...

É por conta do machismo mesmo venderam a mulher como parte do produto do Brasil como parte do carnaval, futebol,praia.
Tinha cartões postais com o bumbum invés da paisagem.
Sendo que o Brasil paga de liberal mas é muito machista nos EUA EUROPA SEM SOMBRA DE DÚVIDA elas fazem tudo que as brasileiras fazem e mais um pouco.

Anônimo disse...

Esse pensamento existe Principalmente em países machistas como portugal, espanha,itália.

Anônimo disse...

ENQUANTO HOMEM LATINO RECEBE A FAMA DE AMANTE LATINO SEDUTOR RESTA A MULHER A FAMA DE FÁCIL, DÁ PRA ENTENDER MUITO BEM PORQUE AINDA ESTAMOS AQUI DISCUTINDO MACHISMO. REALMENTE ISSO JÁ ME PREOCUPOU MAS É TUDO FRUTO DO MACHISMO SE FOSSEMOS HOMENS NINGUÉM SE IMPORTAVA SE TRANSAMOS COM 5 OU COM 10 SE CASAMOS COM GRINGOS. AFINAL HOMEM NÃO DÁ GOLPE

Anônimo disse...

no Brasil as mulheres fazem menos sexo casual que na suécia aqui é feio fazer sexo no 1o encontro lá é normal

Anônimo disse...

se a mulher brasileira é puta imagina o homem brasileiro que aceita tudo.
Vejo muito homem fácil e gostam de ser pra sexo é muito fácil.
nesse assunto ninguém toca os homens afinal são livres pra fazer sexo.

nadiaschenker disse...

Ah, quem não se lembra da Copa... Se eu pudesse, voltava no tempo para vivê-la mais uma vez!

Anônimo disse...

Eu moro nos EUA, ja morei na Australia e concordo com a Lola: as pessoas amam o Brasil, e xs brasileirxs.

Quem queima o filme da mulher brasileira no exterior sao os homens brasileiros, pela minha experiencia.

Nenhum dos meus ex jamais me chamou de promiscua, nem mesmo na cama, eles acham extremamente desrespeitoso usar palavras pejorativas na cama.

Caras estrangeiros que pensam isso de brasileiras pensam isso de qq mulher, fia.

Outra, beijar na maioria dos paises desenvolvidos significa que sexo vai acontecer. Entao os gringos veem a galera "ficando" no Brasil e acham que vai rolar uma suruba e talz hahaha

Beijo, Lola

Barbara

Mariana Goes Tavares disse...

Se a promiscuidade é uma marca registrada do brasileiro, independente de gênero, não vejo problema algum do europeu, árabe, russo ou americano cultivar essa imagem.

Nós chegamos ao ponto de uma universitária afirmar em sua tese de mestrado que letras machistas, misóginas e promíscuas comuns em festas e músicas populares é uma forma de libertação da mulher, porque ela se converte em um objeto e dessa forma é usada e fica livre sem vínculos.

Eu imagino que essa Carol deve ser evangélica ou mais uma dessas pessoas que acreditam em família. A verdade é que a família acabou, é nosso dever acabar com essa farsa da família feliz. Apenas com o fim do núcleo familiar haverá a liberdade sexual sem limites, sem família poderemos manter relação sexual no meio da rua com qualquer pessoa desconhecida. Isso é liberdade sexual verdadeira.

A grande preocupação das pessoas é com as crianças. Não faça isso tem criança aqui, não diga aquilo tem criança aqui, que horror ela fezendo aquilo na frente de crianças. A liberdade sexual começa na primeira infância, devemos mostrar para as crianças a relação sexual hetero e homossexual desde a mai tenra idade. Devemos acabar com as famílias entregando as crianças recém nascidas para os comitês locais onde receberão uma educação libertária.

Anônimo disse...

Esse negócio de casar por interese, já discuti com uns caras por isso... peguei um sujeito falando mal de mulher que casa só por causa da grana do homem e respondi que esses ricos não podiam reclamar pelas mulheres só os quererem por interesse. Afinal, eles também só queriam mulheres troféus, mulheres jovens e lindas (no padrão, claro) só pra exibir e causar inveja nos outros, pra mostrar que pode "ter" aquela mulher. Eles não tem mais nada a oferecer àquela mulher, respeito, amor, cumplicidade, amizade, nada. Só o dinheiro mesmo. Então como eles podem exigir que essas mulheres amem os homens se eles não tem o mesmo a oferecer? O carinha ficou mudo...

Anônimo disse...

Olá,

Desse assunto eu entendo, morei em vários países e sou casada com 'gringo' há muitos anos. Quando morei na Europa (eu fui na época do Collor) era muito mais difícil que hoje, difícil no sentido de que o Brasil e os brasileirxs não eram respeitados como são hoje. Isso não quer dizer que não éramos vistos de forma simpática, sim, sempre fui bem recebida ao dizer que era brasileira, tem razão quem diz que são os brasileiros que criticam, julgam e atribuem esse comportamento às brasileiras. Claro, algumas mulheres são validadores, infelizmente.

Quanto a ser casada com 'gringo' há um certo preconceito sim, mas onde não há? Tem idiota pra tudo, uma das coisas (e alguém já escreveu aqui sobre isso) é que esperam que você chegue com um príncipe loiro e se possível rico também, se ele não for nada disso...pronto! O melhor é deixar ladrar e seguir com a carruagem.
Leila

Anônimo disse...

Nos EUA também tem mulher metida a puritana, assim como tem mulher "liberada". O que é chato são esses gringos virem generalizar e já fazendo convites sexuais a todas as mulheres brasileiras, (principalmente se a mulher tiver dançando, sendo extrovertida, usando roupas ditas sensuais ou se fizer o tipo "mulata") que aparece pela frente achando que ela vai fazer sexo com ele só por ela ser brasileira e por ser brasileira "tem que fazer sexo casual, seja com gringo ou brasileiro". Não é porque uma mulher não quer fazer sexo casual que ela é "metida a moralista", reprimida pelo machismo/patriarcado,etc. Cada pessoa tem seu estilo de vida, personalidade e singularidade. Na Europa a mesma coisa, la tem todo tipo de gente, ruim é a maldita generalização e o pre-conceito contra negros, latinos, árabes, etc.

Raquel Link - BLOG ESCREVO POR COMIDA disse...

Isso é muito complicado. essa imagem totalmente ligada a sensualidade. é triste. porque fica uma desvalorização da mulher brasileira.

mas ao mesmo tempo todo país ver o outro com um filtro esquisito com preconceitos. poxa no PRÓPRIO PAÍS isso acontece. olha a ELEIÇÃO. o pessoal falando do nordeste como se fosse de outro mundo. preconceito vindo da ignorância e do desconhecimento. complicado.

Paula disse...

mudando de saco para mala, Dr Drauzio é feminista e não sabe:

http://drauziovarella.com.br/destaque1/as-adolescentes-e-a-camisinha/

Roxy Carmichael disse...

Eu acho que as pessoas curtem o brasil, acho que existe preconceito contra mulher brasileira, acho o brasil e a america latina machista, mas acho que outros continentes também são super machistas. Concordo com barbara: se o homem é preconceituoso com uma mulher de determinada nacionalidade o problema não é a nacionalidade em particular e sim o cara que é um belíssimo dum machista influenciado por uma cultura machista. E essa influencia é beeem forte nos países europeus. Então voltando ao principio: existe preconceito com a brasileira? Sim, mas isso na minha opinião tem menos a ver com a mulher brasileira em si, sua suposta fama, imagem do que o machismo transcultural que influenciam homens e mulheres ao redor do mundo.

Anônimo disse...

"Quem queima o filme da mulher brasileira no exterior sao os homens brasileiros, pela minha experiencia."

Mas sabe que foi o que mais vi na Copa?
Vi alguns homens brasileiros falando mal de nós brasileiras pro gringos que faziam caras de não entender nada.
Além da vergonha que senti, fico me perguntando como pode esses caras falarem mal das próprias conterrâneas? É como se tivessem falando mal do próprio país!
Desde então passei a entender que a má fama que temos por aí foi disseminada por homens brasileiros. Decepção.

Anônimo disse...

Me relacionei uma vez com um mexicano e mesmo sabendo que mexicanos têm má fama de serem mt machistas, não liguei pq era só um rolinho rápido.
Mas acreditam que o ser fez de tudo pra me sacanear? Quis manter contato pra ir atrás só pra me irritar? Foi extremamente machista! Mentiu, enganou, deu falsas esperanças, me bloqueou, etc.
Fiquei besta com a necessidade que sentia em me humilhar só pq sou mulher e notei que o fato de eu ser brasileira, deu mais força pra ele me tratar mal.
Foi machismo e xenofobia juntos.

Anônimo disse...

Eu concordo que na maioria das vezes, quem queima o filme das brasileiras são os próprios homens brasileira. Seja por inveja ou puro machismo.

Mas precisamos nos lembrar de duas coisas também:

1) A Embratur já vez várias campanhas turísticas objetificando o corpo da mulher brasileira. É como se as mulheres brasileiras fossem "um brinde a mais para os turistas

2) Alguns homens da Europa, dos EUA e Canadá tem mania de exotificar e objetificar mulheres latinas. do leste europeu e asiáticas.

E toda essa objetificação e exotificação é reforçada pela mídia desses países. Basta ver Hollywood. Lá latinas ou são retratadas como empregadas domésticas ou "gostosonas exóticas". Raras exceções escapam desses clichês.

Anônimo disse...

O fato de promiscuidade ser uma suposta característica do brasileiro não da direito de julgar ninguém individualmente por ser brasileiro.

Anônimo disse...

Há meses me relaciono com um alemão que mora na minha cidade e estuda na minha faculdade.
O conheci mt por acaso e acho interessante me relacionar com ele pq o diferente me atrai, gosto de conhecer gente de outros países e culturas. É como se fosse uma espécie de fetiche meu.
Cada dia que o vejo ou falo com ele é uma descoberta nova sobre seu modo de viver, de pensar, de ser.
E de todos os caras com que já me relacionei e que queriam algo comigo(todos brasileiros), ele é o único que não me trata de forma machista ou como se eu fosse um ser inferior. Nunca me força a nada ou se dirige a mim de forma pejorativa. Nunca me xingou e o sexo é mt...diferente, natural, romântico. É mt fofo, alegre e fica feliz qd me vê.
Fico impressionada de perceber com ele, o qt que brasileiro é machista, viu?
Porém há o choque cultural, ou melhor, as diferenças culturais.
Ele é bem reservado e frio. Mts vezes não me responde ou ignora qd tá ocupado e qd tá com problemas. E eu querendo atenção, um feedback. Já passamos por umas saias justas de eu me sentir abandonada e ignorada e ele de sentir invadido.

Anônimo disse...

Esse negócio de nós latinas recebermos a alcunha de quentes/fogosas/sensuais/whatever é pura e simplesmente tática de desumanização. Somos objetos sexuais, não pessoas. Mas é justamente pra isso: pra que não sejamos associadas a sentimentos, à vontades próprias.
Morei na Europa por um ano, enquanto tinha uma amiga no Canadá na mesma época. Uma vez ela me disse que ficava triste quando ia em festa e, ao saberem que era brasileira, a abordagem mudava bastante, os caras ficavam cheio de malícia. Minha amiga disse que ficava muito triste com isso, ao ponto de não ter vontade de ficar com ninguém pra não dar razão ao que eles diziam, no que eu respondi "cara, tu vai deixar de fazer coisas por causa de um esteriótipo? Pois se eles acham que brasileira é puta, eu vou dar é motivo pra eles acharem mesmo". Ora porra, você ta la estudando, trabalhando, pagando suas contas, e vai deixar de fazer o que quer por causa do que os outros acham ou deixam de achar? E se fica na sua é frígida, se sai com alguém é puta que não se dá o respeito, a verdade é quede qualquer jeito a gente sai perdendo no julgamento alheio, prefiro viver do jeito que eu quiser.
Em tempo: acabou que lá na Europa eu nunca nunca nunca fui tratada como "puta/facil" ao saberem que sou brasileira. Tinha mesmo a coisa da surpresa, curiosidade, mas meus olhos também brilhavam e eu ficava cheia de perguntas ao conhecer egípcio, singapurenha, mexicana, sul-africano e etc.
(E por mais que eu quisesse ter passado o rodo, nem deu hehe, arranjei um namorado lá e seguimos firmes e fortes, mesmo que eu ainda tenha que terminar meus estudos aqui pra voltar. E tem quem ache legal, mas tem também gente que eu sinto de leve que acham que eu fui só pra arranjar marido. Podem achar. Eu que sei de mim.)
Até comentei uma vez com meu namorado sobre o bafafá que tava dando na época da Copa de dizerem que as brasileiras só queriam saber dos estrangeiros. Claro que essas notícias eu só ficava sabendo pelos amigos brasileir@s, lá não tinha ninguém falando disso. Comentei com ele que era muito mal caratismo da parte de quem publicava essas coisas como se fosse uma prova cabal da brasileira ser interesseira, quando muitas só queriam mesmo se divertir e conhecer gente nova e diferente. E mesmo que algumas fossem interesseiras mesmo, é da conta de quem? Como falou alguém aí em cima, a mulher é uma puta por só querer saber do dinheiro dele, mas o cara tudo bem só querer saber do corpo dela. Além do mais, tenho amigas que estão cansadas de serem tratadas que nem lixo pelos caras que conhecem, têm mais é que saber mesmo que em países com maior igualdade entre os sexos não tem essa do homem achar que a mulher é puta porque transou na primeira noite ou do cara ser de cristal e não lavar um prato porque isso é tarefa da mãe ou da parceira.
LÓGICO que não é todo estrangeiro que tem mais consciência sobre a equidade de gênero. Me refiro a países em que a divisão de papéis já é tão igualitária que muitos caras lá têm princípios feministas sem nem se darem conta.

(E pra a fulana troll que falou um monte de bosta como entregar crianças pros comitês pra elas não atrapalharem as pessoas a fazer/dizer o que querem: amiga, tenta com mais força, porque dessa vez não deu)


Gi

Luiza Original disse...

Vê se eu estou preocupada com o que gente que eu nunca vou ver na vida pensa ou deixa de pensar de mim.

Anônimo disse...

Na copa peguei um chileno e perguntei o que acha das brasileiras. Simplesmente respondeu com uma cara normal, sem fazer cara de nojo ou de ódio, que acha elas bonitas apenas. E só.

Anônimo disse...

Quem faz a fama das mulheres brasileiras no exterior são os homens brasileiros?
Que países são esses onde homens brasileiros tem toda essa visibilidade pra fazer campanha difamatória sobre outro grupo de pessoas pouquíssimo importante dentro de contextos internacionais?

Anônimo disse...

Mas sabe que foi o que mais vi na Copa?
Vi alguns homens brasileiros falando mal de nós brasileiras pro gringos que faziam caras de não entender nada.
"Além da vergonha que senti, fico me perguntando como pode esses caras falarem mal das próprias conterrâneas? É como se tivessem falando mal do próprio país!
Desde então passei a entender que a má fama que temos por aí foi disseminada por homens brasileiros. Decepção.

29 de outubro de 2014 21:05"

Pois entao, nos paises que eu morei, os homens acham muito grosseiro se referir a mulheres dessa forma, especialmente os mais simples. Eles realmente nao entendem porque a gente se relaciona com os brasileiros ainda - o que eh muito triste, pq nem todos sao assim - porque a mulher brasileira tem fama de ser CARINHOSA, SOCIAVEL e AFETIVAMENTE disposta a relacionamentos mais longos, nada relacionado a sexo.

Existe aquele choque cultural quando os homens te tratam que nem gente, nao como objeto. Vc nota de cara! Isso eh muito triste, mas eh real, acontece.

O machismo que eu presenciei morando nos EUA e na Australia era muito mais relacionado ao meu papel na sociedade como mulher, de fazer coisas de mulher, de ser "feminina" blabla, jamais relacionado a minha sexualidade. Por isso tem tanta brasileira machista que fala: "ah essas gringas fazem de tudo, transam ateh com mulher", etc, etc. Gente, isso eh normal. Nobody cares or gives a damn fuck.

Thanks for citar

Barbara

Anônimo disse...

"Que países são esses onde homens brasileiros tem toda essa visibilidade pra fazer campanha difamatória sobre outro grupo de pessoas pouquíssimo importante dentro de contextos internacionais?"

Publicidade pra turismo no Brasil sempre objetifica a mulher... quem tu acha que faz a publicidade? uma velhinha num andador? Nops, most likely a man.

PLUS, o Brasil tem 200 milhoes de habitantes. Qq cu de mundo que tu for tem brasileiro, fia.

E, pra lembrar, pela MINHA experiencia, quem queimou filme foram os brasileiros. Nao generalizei, o que esta bem claro no contexto.

Barbara

Anônimo disse...

Acho q os homens brasileiros brasileiros construiram essa fama, pq são eles as cabeças por trás dessas propagandas turisticas q só mostram mulatas de pouca roupa. Qdo vem um grupo d egringo pra cá qual é o primeiro espetáculo q os agentes de turismo levam os caras: show de mulatas. A mulher brasileira é vendida como um subproduto do turismo, um objeto, algo q o gringo pode vir e consumir, algo inventado pela propaganda feita por brasileiros.

Anônimo disse...

29 de outubro de 2014 21:05

O mais engraçado de ver homens brasileiros falando mal de mulheres brasileiras é que eles também não são vistos com bons olhos em alguns países, são tidos como vagabundos. Já vi xingamentos a eles várias vezes e mesmo assim eles acham que estão abalando. lçklçklk

Fabi disse...

Gostei muito do post. Moro na Suécia e não vejo essa facilidade do fazer sexo. O Suecos no geral são "fechados". O que mais me chamou atenção quando vim morar aqui é que os homens não falam nada pra você na rua. Nem mesmo olham você. Quando isso acontece são estrangeiros. Carros com som alto idem. Para fazer amizade com suecos(a) demora bastante. Você não chega aqui beijando ou abraçando ninguém quando é apresentado. Bem diferente da nossa cultura. Você cumprimenta com aperto de mão. Eu sou Brasileira, sempre sou recebida com sorriso e respeito. Nunca sofri preconceito por minha nacionalidade. O difícil é você falar a língua. No Brasil quando alguém é de fora, sempre recebe ajuda para se comunicar. Aqui se você disser que não fala sueco ele começam a falar em inglês. Se você também não fala inglês eles fazem uma cara feia e ficam na deles. Mas esse é outro assunto. :D

Anônimo disse...

Alguém já comentou e, apesar de gente escrota e machista existir no mundo inteiro, também é minha impressão de que em locais onde as diferenças de gênero não são tão gritantes,a possibilidade de ser tratada como mulher objeto por vir de determinada região do mundo é menor.

Meu marido veio antes de mim para a Alemanha. Ele encontrou outras brasileiras no curso de línguas com quem fez amizade. As meninas tiveram muito problemas com um grupo de rapazes do Gabão que, quando descobriram de onde elas eram, as assediaram de todas as maneiras possíveis (eles nunca dirigiram a palavras às moças da Turquia, Japão e China). Elas tiveram que se queixar com a direção do curso, que repreendeu os guris e o assédio parou.

Outra situação bizarra - uma brasileira falar em alto e bom que todas as suas conterrâneas são putas que não podem ver um estrangeiro que se "atiram". Detalhe: Ela mesma era casada com um alemão! Machismo e seus irmãos gêmeos moralismo e hipocrisia rule!!!

Do mais, a grande maioria das pessoas perguntam com muito interesse sobre o Brasil. Ficam fascinadas quando eu conto sobre a história, que no sul o inverno pode ser tão rigoroso que faz nossos ossos doerem, que no verão sol queima igual a tabasco e que quando eu morava aí eu via o mar da janela do meu quarto...

Já passei por situações em que fui constrangida por ser estrangeira. Como disse anteriormente, pode ter rolado essa associação pejorativa, mas pelo menos pra mim foram eventos esporádicos....

Jane Doe

Anônimo disse...

Moro nas zoropa faz 10 anos. Tive dois namorados aqui (casei com o último) e estou "mal acostumada". Me dá arrepios de horror ver a dinamica de uns 95% dos relacionamentos/famílias no Brasil, é muito machismo embutido.
Pode ser porque eu sou clarinha, vim pra estudar, sou phD na minha profissao coxinha, ganho o mesmo que o marido ou sei lá, mas nunca ouvi nada de mais mesmo dizendo claramente que casamos no papel "tao rápido" (3 anos juntos) por causa de visto.
Em algumas ocasioes fui abordada de forma inconveniente, quase sempre por estrangeiros (africanos e muculmanos), mas o fato de ser mulher com certeza pesou mais que de ser brasileira.
Uma vez num congresso nos EUA um asiático veio discutir trabalho comigo e ao perguntar do meu sobrenome descobriu que eu sou brasileira. Nisso ele virou um escroto. Morri de ódio!
Tenho um garotinho e ando muito satisfeita de nao ver machismo por tudo. Tive meu parto humanizado sem briga (a obstetricia no Brasil é MUITO machista), amamentei onde eu quis sem receber olhares inconvenientes. As amiguinhas do meu filho nao sao "namoradinhas", os brinquedos casa/filhinhx nao sao rosa, meninos brincam de cozinha e nenê, existem opcoes de roupa e utensílios fora do rosa e azul (no Brasil nem talher de crianca se acha unisex). Vários homens, assim como o meu, tiram licenca/reduzem carga de trabalho e cuidam s-o-z-i-n-h-o-s dos filhotes enquanto a mae trabalha/estuda/dorme/faz qualquer coisa. Juntando ao combo educacao+saúde+seguranca boa (retorno dos pesados impostos), nao tenho vontade de criar filho no Brasil nao.
Bjs!

lia remz disse...

E Carol, quem fala mal de brasileira por ser liberal (coisa que não é verdade) , fala mal de quamlquer nacionalidade. O problema não é com brasileiras que fazem sexo, mas com Mulheres liveres!!

E D Stoffel, desculpe te decepcionar, mas moro na França é aqui ninguém transa no primeiro encontro, e aqui infelizmente também exite o conceito de mulher facil.. espero que em outros paises da europa seja diferente, mas em todo caso, na França é assim! :-(

Catharina disse...

Sou brasileira e também casada com um europeu e não foram poucas vezes que "amigos" dele o avisaram pra tomar cuidado, porque "essas mulheres latinas, de terceiro mundo, só querem passaporte europeu". Disseram a ele muitas vezes que ficasse atento, pois eu iria me casar só pela cidadania e pelo dinheiro. A grande incoerência é que eu tenho um avô alemão, e portanto, poderia ter passaporte europeu quando eu bem entendesse, e minha família no Brasil tem muito mais dinheiro do que a dele, aqui na Europa. O preconceito cega as pessoas. Muitas vezes eu me senti diminuída por causa desses comentários, mas meu marido sempre me deu força e jamais permitiu que as pessoas interferissem na nossa vida.

Anônimo disse...

"comecei a me deparar com o slut shaming [culpar uma mulher por seu comportamento sexual] por parte dos europeus, e o que é pior, dos brasileiros e das brasileiras!"

Vivo na Europa há 10 anos e não poderia discordar mais de você. Viajei tudo isso aqui. Slut shaming existe sim, especialmente nos países latinos e na Rússia mas não sei se diria que é pior que no Brasil. No entanto, na maior parte (Europa central, ocidental e parte da oriental) ele é muito mais ameno.

Na Europa central, por exemplo, conheci meninas que trabalharam como strippers, prostitutas e atrizes pornô e isso não era nenhum segredo mortal; a vida de ninguém acabava por isso. Quase sempre quem causava uma situação incômoda por conta disso era latinoamericano, que acreditava que, por a mulher haver trabalhado com essas coisas, ela era pública e disponível.

O "grosso" do slutshaming que vejo contra brasileiras no exterior parte de - adivinha! - BRASILEIROS!

Anônimo disse...

Ironia mode on né!?

Anônimo disse...

"Não entendi muito bem, Carol, o que você quer que eu diga"

Ué, mas acabou dizendo muita coisa.

Anônimo disse...

Ah, mas não pode anon 18:07, o cara casa com a mulher trote por interesse mas ela tem que amá-lo de verdade, com toda a devoção.

Loup~garou disse...

Isso de demonizar os próprios conterrâneos acontece em vários países e regiões dentro deles. Essa coisa aparentemente saudável de se empolgar com o "diferente" me parece vir daí.

Já vi mulheres paulistas reclamando de homens paulistas e louvando o homem mineiro. Homens americanos reclamando de mulheres americanas e louvando a cingapurenha. Os ingleses se zoam sem dó por se acharem feios. Estamos sempre tentando fugir de casa.

Ora, os dois movimentos - reclamar do igual e buscar o diferente para fugir do igual - são o mesmo, não?

Anônimo disse...

*troféu

Maria disse...

Lola, a linda Copa que vc tanto elogia foi considerada culpada, pelo Ministro Guido Mantega, pelo baixo crescimento do país neste ano.
Além disso, o prejuízo continua. A maioria das obras prometidas não foi concluída. Só pra ficar em um exemplo:

A obra de ampliação do aeroporto de Fortaleza foi interrompida em maio, mês em que deveria ser entregue. O consórcio só conseguiu realizar 15% do projeto de R$ 336 milhões. Recebeu quase R$ 80 milhões por isso.

O mesmo acontece em inúmeras outras cidades do país. O estádio de Manaus já está dando prejuízo ao estado, pois o custo de manutenção é muito maior que a arrecadação possível. É dinheiro que faz muita falta em lugares com tantas carências

Aqui tem imagens e mais dados sobre o assunto: http://g1.globo.com/ceara/noticia/2014/10/obras-prometidas-para-copa-do-mundo-seguem-inacabadas-no-ceara.html

Acho importante contrabalancear elogios e críticas. A Copa foi festa para os gringos, sim. Para quem tem dinheiro. Para quem ficou em casa, sobrou o gosto do 7 x 0.

Rafaela disse...

Sinceramente, Lola... Não sei como tem paciência com esses tipos de relatos. rsrs
Como você mesma escreveu que não havia entendido o que Carol queria que dissesse.

Anônimo disse...

Eu fico impressionado com a tal incoerência feminina, é impressionante como vcs usam dois pesos duas medidas, tudo bem que o site tem como centro da questão a mulher, mas é comum vc ler comentários das mulheres simplesmente generalizando e falando que brasileiro não presta, que a culpa da fama é dos homens brasileiros, ai pode e não tem problema, agora o homem não pode generalizar e tb falar que a culpa é da mulher brasileira, acho que antes de vcs reclamarem dos julgamentos masculinos vcs precisam tb parar de julgar os homens e parar de generalizar. E precisam se informar tb com essa ladainha de que o brasil é machista, os números de mercado de trabalho são praticamente idênticos tanto na europa quanto eua, número de crimes sexuais é maior na europa e nos eua do que no brasil, se não acreditam vão se informar antes de sair falando asneira sobre os homens brasileiros tb.

Anônimo disse...

O anônimo das 17:53 do dia 1/11 é machista e ignorante. Não sabe o que diz.

Anônimo disse...

Tipo de relato "olha pra mim, diz que eu to certa, me dá uma resposta pra esfregar na cara deles". Honestamente, perda de tempo.

Anônimo disse...

Neste site de noticias da Australia podemos, para efeito de comparação ter uma mostra de como somos percebidos de fora. Trata-se da repercussão da estada dos Australianos na Copa.
Algumas das observações:
"Elas(brasileiras) estavam desesperadas..."
"Perdi um pouco do respeito pelas brasileiras.. elas estavam dando atenção pra caras que não valiam grande coisa"

Um grande contraste com a avaliação comum, que li, de que o estrangeiro e mais legal que nós os nativos.

Ass. Carlos

http://www.news.com.au/technology/online/tinder-has-become-a-favourite-at-the-2014-fifa-world-cup-in-brazil/story-fnjwnhzf-1226963629771

Anônimo disse...

Lola, seu comentário foi fantástico. Vou me mudar para a Alemanha no final do ano e ando meio nervosa em relação a minha imagem para os europeus. Sempre ficamos nervosas, afinal, sempre é noticiado quando garotas fazem ensaios sensuais na Europa e o mundo machista sempre nos leva pensar que seremos destratadas por sermos brasileiras. Conheço vários alemães, todos são maravilhosos e nunca me desrespeitaram, mas bate aquele medo, né?
Mas, com seu texto, o que tenho a concluir é que a atitude, em geral, das pessoas tem muito haver com o que pensamos a respeito de nós mesmos e como agimos, né? Nisto eu coloco a teoria do pensamento positivo que tem funcionado muito bem para mim. rs
Beijos! <3

Michael Carvalho Silva disse...

Minha mãe Solange mora em Portugal e é casada com um europeu e ela me disse uma vez que é vista como puta por lá. Mas isso é problema dela, não estou nem um pouco preocupado com isso pois moro no Brasil e não tenho a menor vontade de conhecer o exterior apesar de eu mesmo adorar a Europa e os Estados Unidos junto com os americanos e os europeus.

Anônimo disse...

Mas os homes brasileiros adoram ver mulhjer pelada na TV. Se a mulher brasileira é puta, deve ser porque os homens daqui a tratam desse jeito. E gostam disso.

Os Turistas Lunáticos disse...

Não fiquem zangados com a visão distorcida sobre a mulher brasileira e o próprio Brasil. Isto é fácil de resolver com uma palavra: informação.

Se um estrangeiro acha que brasileiras são todas putas, isso não as torna putas. O estrangeiro que pensa assim que é otário mesmo.

Estrangeiro costuma se achar melhor que todo o mundo, mais erudito e civilizado, mas é uma baita contradição ele desconhecer ou negligenciar uma das principais fontes geográficas de toda a riqueza que ele desfruta... Individuo erudito de fato, nunca atesta um estereótipo como verdade absoluta, sem ter conhecido a realidade.

A verdade é que este país tem a melhor propaganda do mundo porque a imagem vendida no exterior é a de um paraíso tropical, onde todo mundo é alegre o tempo inteiro, mas quem vem aqui, vê um mundo muito diferente.

Todo país vende uma imagem diferente da verdade, para melhor ou pior, isso não é nada novo ou surpreendente.

Jaqueline Cavalcanti disse...

Nossaaa ! Essa Mariana Góes Tavares é diabólica, pensamentos altamente diabólicos, separadores, relativistas e desordenados....Que Deus a cure e toque seu coração, sua alma, para q nao sofra as consequências...e que nada do que tenha escrito, seja realizado, que seja tudo neutralizado pelo sopro de Deus, pela mão pesada para correção. E que a Família sea Sagrada seja abençoada como sempre foi e sempre será..! Amém

Anônimo disse...

Visualizei esse site acho que é alemão,ele descreve tudo o que você disse em no blogger:http://www.gutefrage.net/frage/wer-hat-schon-erfahrungen-mit-brasilianerinnen-oder-lateinamerikanischen-frauen-gemacht

Eu fiquei muito ofendida com certos comentários preconceituosos nesse site,são alemães que já tiveram algum relacionamento com brasileiras, e que simplesmente nos generalizam,vi comentários do tipo: casamos com estrangeiros por interesse pois somos pobres,sem formação acadêmica,semi-analfabetas,burras,arrogantes,briguentas,fazemos um bom sexo mas a maioria faz sem amor só por interesse,que queremos a cidadania europeia... e aconselham outros homens estrangeiros a não se relacionar com nós.

Minha opinião é o seguinte,Agora eu que vou generalizar, pensava que os alemães eram mais inteligentes, porque eles tem fama de ser um povo Racional,os caras dão a falta de sorte de conhecer uma "caça gringo" faz sexo com ela fácil, e já morre de paixão por ela ser "caliente" "fogo latino",e já propõem casamento menos de um ano, sem conhecer direito.(acontece muito isso) depois o relacionamento não dá certo poem a culpa no Brasil inteiro. Mulher interesseira tem em todo país,e boba a brasileira que acha que todo gringo é rico,a maioria são assalariados iguais nós, a diferença é que eles tem qualidade de vida melhor do que a nossa. O nosso país há muitos mulheres bonitas que se são muito mais do que "peitos" e "bunda grande" mulheres inteligentes,simpáticas,educadas acho que generalizar todas por causa de 1/3 é um grande erro.

Anônimo disse...

Oi Eu sou casada um gringo estive na Europa fui super respeitada quando falava sou brasileira todos respondia meu sonho um dia poder conhecer seja bem vinda no pais mas claro tem brasileiras que chegam no exterior que tirar as gringas ai com certeza não vai dar certo.

Anônimo disse...

aff, voces fazem tempestade num copo d'agua

Anônimo disse...

Estou indo passar um tempo na Itália e entrei no badoo para conversar em italiano,testar o idioma e tals.. Minha raiva nunca foi tão grande como a de agora,já vinha percebendo esse sentimento mas só guardei pra mim! Estava lá conversando com um ragazzo italiano até que ele pergunta se eu era italiana e eu disse que não,era brasileira! E aí emendei um outro assunto e perguntei o que ele gostava de fazer? Gente,juro por tudo que é mais sagrado,o cara tava sendo super educado e gentil ,depois que eu disse que era brasileira ele começou a dizer bosta! Dizendo que amava beber e fazer sexo!? P***** isso é coisa que se diga ? Duvido que eles falam pra italianas.. Fiquei com tanto abuso que só respondi lendo e escutando música,mas a vontade era de não falar mais nada ! Esses imbecis acha que todas são putas,vulgares? Bando de machista e o pior que italiano tem fama de ser filhinho da mamãe,bunda mole! Desculpa a raiva, mas não só me sinto ofendida mas como outras mulheres brasileiras que passam por isso!