segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

PESSOAS QUE VOCÊ VAI CONHECER EM DISCUSSÕES SOBRE SEXISMO

Algumas leitoras me enviaram um post muito interessante tirado daqui, que tomei a liberdade de traduzir (e já falei que não sou muito boa nisso, e toda vez que falo alguém diz “Ohhh, mas você não é doutora em Inglês?”, e eu explico que em Literatura em Língua Inglesa, minha área, existem vários campos, e que Estudos de Tradução inclui muito mais do que... traduzir). Tenho certeza que você vai reconhecer os tipinhos caricatos aqui mesmo dos comentários do blog. E trolls, percebam como vocês são tudo, tudo, tudo -- menos originais.

Sr. Bem-Vinda ao Mundo Real. O machismo faz parte da vida. Sempre fez, sempre fará. Você deveria aceitar o fato. Quer tentar mudar a sociedade? Você é o quê, louca? Eu também não gosto, docinho, mas seja boazinha e pare de criar caso.
Sr. Oh Meu Deus Acalme-se Foi uma Piada. Todo mundo sabe que se você coloca “lol” (laughing out loud, ou rindo em voz alta, ou kkkk ou rs ou hehehe) no final de uma frase, ninguém vai poder ficar bravo com você porque você estava sendo hilário, e se alguém se ofender com o que você disse é porque elas são umas mal-amadas recalcadas. Você é mesmo o Rafinha Bastos da nossa época! [isso deve ser um elogio].
Srta. Validadora. Eu sou uma garota, e eu acho isso hilário! Acalmem-se, feminazis! Observe como todos nos comentários usam a moça como mais uma prova de que você é burra e sensível demais e eles são hilários e estão certos. A pessoa pode também pedir desculpas pelo seu gênero numa explosão cósmica de misoginia interiorizada.
Sr. Me Recuso a Acreditar que Isso Acontece. Ele nunca iria dizer grosserias na rua ou estuprar ou ser machista de forma alguma, e ele pensa que papéis de gênero estão ultrapassados. Portanto, pensa ele, todos pensam como eu penso. Não consegue encaixar as experiências que as mulheres têm com machismo no seu próprio ponto de vista, então ignora tudo que elas dizem, exigindo “provas”. Não vê nenhuma ironia nisso.
Sr. Na Verdade é Tudo ao Contrário. Como você é boba! Isso parece, cheira, soa como misoginia mas na realidade é misandria! Não se preocupe, este é um erro comum, qualquer um pode cometê-lo. Só não diga que eu estou errado ou vou colocar uns links aqui explicando que você tem privilégios por ser mulher e vou te chamar de vadia burra.
Sr. PsicoEvo! Nunca estudou isso mas passou os olhos por alguns artigos e, portanto, pode explicar toda faceta de como funciona o comportamento humano. E porque é simplesmente melhor e mais natural pra todo mundo ficar nos seus papéis tradicionais de gênero. Porque já era assim 10 mil anos antes de Cristo. Homens e mulheres são apenas diferentes, por isso que você não é tão esperta quanto ele.
Sr. Ponto Totalmente Irrelevante. Sério, cara, como que você chegou aqui? Parece estar numa discussão totalmente diferente da sua, e aí chora porque a gente não responde os seus pontos.
Sr. Eu Não Sou o Problema; Olá Meninas! Eca, photoshop é terrível, moda é ridícula, e eu digo pra minha namorada não se maquiar porque maquiagem é nojento. Eu gosto de seios pequenos –- viu só, padrão de beleza?! Vocês não têm mais que se submeter a cirurgias plásticas, garotas, porque eu gosto de seios pequenos. Pare de fazer dieta! Eu gosto de mulher com um pouquinho de carne. Leia Proust! Eu gosto de moças que lêem. Não entendo por que você quer comprar aquela roupa que custa mais de 100 reais –- você não precisa disso pra me atrair, querida. O que você quer dizer com você gostar de usar sombra nos olhos e não se vestir unicamente pro meu prazer? Eu já te disse que não gosto de salto alto! Pare de fazer coisas que eu não gosto!

161 comentários:

Fernando Borges disse...

Engraçado... Como homem é difícil aceitar que faço parte de alguma dessas categorias, mas acho que, em um momento ou outro, é bem provável que eu tenha certas atitudes de alguns desses Srs. rs

Às vezes é algo que se torna tão intrínseco a nós (exatamente por crescer numa cultura e ambiente machista) que nem percebemos que estamos sendo machistas. Mas com um pouco de esforço individual acho que dá pra melhorar isso.

Giovana disse...

Ô Lola, sua tradução ficou boa, sim! Principalmente pelas adaptações feitas para a nossa língua, que ficaram bastante adequadas.

Ao ler o último tópico, lembrei-me imediatamente de um conhecido meu, que era exatamente assim: "não sou como os outros homens, eu sou melhor!". Ele se esforçava, tadinho, mas sempre se dava mal.

Acho uma pena as pessoas não pensarem de modo mais crítico. Claro que é impossível ter uma opinião única e exclusiva sobre qualquer coisa, uma vez que somos constantemente bombardeados por informações e discursos a todo momento, das mais diversas fontes. No entanto, é possível refletir mais profunda e criticamente sobre esses discursos que nos chegam, pensando se eles são realmente viáveis e se são mesmo necessários ao nosso modo de vida.

Acredito piamente que o machismo - o conservadorismo em geral - é muito nocivo à sociedade, prejudicando tanto os homens quanto as mulheres. É uma pena, por exemplo, que muitos homens ainda classifiquem as mulheres em "putas" e "santas", supervalorizando estas e desprezando aquelas, porém jamais respeitando ambas. Tenho certeza de que eles seriam bem mais resolvidos e satisfeitos se se livrassem desses conceitos e passassem a ver a mulher como um ser igualmente dotado de vontades, desejos, qualidades e defeitos, assim como eles.

É uma pena, também, que as mulheres também se submetam a tais conceitos, sem refletir se eles são de fato necessários (se sim, até que ponto?) à sua vida. Certamente, seria mais fácil e menos sofrido assumir e respeitar sua sexualidade e a do outro, reconhecendo o quanto isso é importante e saudável.

O maior problema, a meu ver, não é o machismo, não é o feminismo, mas sim essa falta de reflexão mais aprofundada das pessoas em geral. É essa aceitação passiva de valores de qualquer natureza porque alguém disse que deve ser assim. É essa alienação massiva e destrutiva que impede com que vivamos socialmente mais em paz e com melhor qualidade de vida.

Enfim. Sob o sistema em que vivemos, o capitalista, o objetivo não é criar seres pensantes, por isso a Educação está cada vez mais abandonada e sucateada - mas aí são outros 500. O que interessa, nesse momento, é que as pessoas tomem consciência da importância de pensar e aprender a selecionar os valores que são importantes para a vida individual e em sociedade, com questionamentos e mudanças significativas. Com certeza, viveríamos um pouco melhor, sem opressões, repressões, frustrações e até decepções, os quais muitas vezes poderiam ser evitados.

Majô disse...

as srtas validadoras me irritam profundamente.

mas acho q faltou aí tb um tipinho, q vou chamar aqui de Sr. Só Quero o Bem das Mulheres - aqueles que adoram ditar regrinhas de comportamentos "aceitáveis" às mulheres, com a desculpa de que, tão bem intencionados, apenas estão dando conselhos válidos para que as mulheres se deem bem com os homens e sejam compreendidas e amadas por eles.

mousounikki disse...

Só faltou o Sr. Sexismo não existe!
Aqueles que juram de pé junto que não existe, que é só fruto da imaginação de feministas loucas que querem achar pulga pra se coçar.

Lord Anderson disse...

hehehe

Amo o uso da ironia que é uma das marcas do blog.

Pois é Fernando, eu tb ja me passei por isso.

O machismo é "natural" só pq é o padrão, pra dugir dele, temos que refletir, tomar coinsciencia, ir melhorando aos poucos.

Acredito sinceramente que consegamos sim :)

Maria Bergamo disse...

Eu li umas duas vezes e não entendi nada hi hi hi hi hi, achei meio complicado porque diz de umas pessoas e não explica. E olha que não sou loura hi hi hi hi hi hi Brinks migas........ Estou cansada, acho que fiquei mto tempo no sol lavando o quintal, vou ler mais a noite. Vamos ver se entendo :)

Erika disse...

A Srta. Validadora é a pior de todas. Ultimamente, tenho me deparado bastante com elas sempre que me volto contra alguma afirmação/piadinha machista. E aí fica aquela sensação de que a pior coisa do machismo, para mim, não é mais o preconceito que vem dos homens, mas a aceitação e cumplicidade da maior parte das mulheres. Não quero cair naquela de que a culpa é sempre de nós mulheres por tudo o que sofremos, mas poxa vida! O que há de mulheres machistas nesse mundo...

Lord Anderson disse...

AH, e com uns poucos ajustes da para usar esses post nos casos de discussões sobre homosexualidade e racismo.

A reação conservadora é sempre a mesma.

Josiane Caetano disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Josiane Caetano disse...

Gostei quando falam " Ah, é só uma piada" Não há melhor veículo de propagação de preconceitos que o elemento surpresa e a ridicularização presente nas piadas, que sempre escolhem ( pq será?) um grupo específico para fazer troça deles!

Augusto disse...

Também acho a Sra. Valiadora a pior... Não tenho paciência...

Bruno S disse...

Fernando,

eu tinha pensado a mesma coisa.

Já me vi fazendo parte um pouco de alguns desses grupos.

É um esforço de autocrítica que devemos procurar fazer.

É muito fácil cair no último personagem ou não perceber que está no segundo.

Sara disse...

Maria Bergamo se te consola eu tb não entendi, e pior é q sou loira, oxigenada mais loira, vai ver q é a tinta q penetrou no cerebro kkkk...

Fabiola disse...

Infelizmente já fui a sra. validadora...ai vergonha do passado viu. Mas eu sigo em frente, agora entendo meus erros. E realmente hj é um dos tipos de pessoas que mais me irrita também. Mas por ter sido uma, tento ir com tato.

Legal ver a lista aqui Lola! :)

lola aronovich disse...

Olá, pessoas loiras e não loiras! O que vcs não entenderam? Se eu puder ajudar: a pessoa que escreveu o post listou alguns dos tipos mais comuns de pessoas (homens em geral) que aparecem toda santa vez que alguém discute sexismo (machismo, em geral). Vcs já não viram vários desses tipos por aqui nos comentários? Porque não varia muito, são meio parecidos. Então tem o cara que diz “Aceite a vida como ela é e pare de querer mudar o mundo” (que muitas vezes diz coisas como “a vida é assim e sempre foi, não vai mudar”), tem aqueles do “foi só uma piada” (odeio essa! Serve pra tudo! A gente também devia usar quando se ofendem com a gente), a Srta Validadora (uma mulher ou alguém fingindo ser mulher dizendo “é assim mesmo, vc tem razão, eu sei porque sou mulher” pra algum comentário machista (ultimamente, lamento informar, é a Eu, ou Moema, que vem exercendo este papel aqui no blog; aí sempre aparecem trolls pra dizer “Parabéns, Eu, pelo único comentário lúcido”). E por aí vai.
Como muita gente disse, a lista está incompleta. Falta muita coisa mesmo:
- “Sr. Sexismo Não Existe” (by Mousounikki) - a gente tá vendo coisas e reclamando à toa, porque tá tudo ótimo no mundo, principalmente pras mulheres. Este ponto geralmente vem com um acréscimo: “Se sexismo existe, é contra os homens!” (como disse o Lord Anderson, esses argumentos aparecem em outras discussões, como racismo e homofobia. Aquele negócio de “Racismo não existe! Se existe, é dos negros contra os brancos! Os negros sim é que são racistas!” etc).
- “Sr. Só Quero o Bem das Mulheres” (by Majô) – eu quero que vc pare de trabalhar e fique em casa pelo seu bem, pra vc ser feliz. Aí vc também não tem desculpa pra sair a rua, e estará totalmente protegida. Parece machista, mas não é! É só pro seu bem. (em inglês tem até um nome pra esse tipo de troll: é o CONCERN TROLL, muito presente em posts sobre gordofobia. O cara não tá te mandando emagrecer por motivos estéticos, é porque ele se preocupa muito, de verdade, com a sua saúde!).
- Vou acrescentar um outro que faltou, mas que é super comum: “Sr. Você Está Histérica e Não Dá pra Argumentar com Você” - o cara chega atacando de todas as formas, super agressivo. Aí quando a autrora do blog ou qualquer comentarista responde, o cara que iniciou o ataque – e que foi 500 vezes mais agressivo que a pessoa que respondeu, geralmente com ironia – usa a velha palavrinha “histérica” pra não ter que responder ao argumento.
Tem muitos mais tipos...

carolinapaiva disse...

Eu também fui uma validadora, Fabiola, é muita vergonha mesmo.

Sara disse...

Agora caiu a ficha Lola, é q eu ando meio lenta, rsss obrigada.

nanachan290 disse...

Eu sempre duvido altamente que a maioria das sras validadoras sejam realmente srAs, pq na internet nickname vemos, identidade não sabemos. (essa foi horrível!) >.<

Mulher Asterísco disse...

Pois é...mas até nos foruns contra o sexismo são as mulheres as mais atacadas, as loiras associadas à burrice e a Srta Validadora a que mais irrita aos outros...com tantos tipos sinistros porque é logo a mulher a que mais irrita? Porque as mulheres não tem paciência nem consigo mesma e fazem piadas consigo e não aturam as piadas validadoras das outras??? Sei lá... só acho que nesta discussão sobre sexismo precisa de menos rotulos e mais compreensão, principalmente das mulheres com elas mesmas

Lord Anderson disse...

nana-chan.

verdade.

sem contar os troll trapaceiros e covardes que roubam os perfis de comentaristas femininas, para tentar falar merda no nome delas.

miatrix disse...

imagino que muitos caras se passem por mulheres pra fazer a linha Validadora, mas sabe? quando a gente nao entende muito bem um assunto, quando não se deu ao trabalho de estudar e já tem uma opinião a respeito, pode acabar caindo nessa de Validadora.

é uma sede de ser ouvido em vez de ouvir que acaba nisso: falando merda, basicamente. sei que eu já fiz (e provavelmente ainda faço, mas não com o feminismo - ACHO) :/

Ainda não sei disse...

Tem tb o cara que chega e diz que a mulher com suas atitudes estão castrando os caras e que não gostam de mulheres independentes pq eles ficam assustados e correm para a mamãe.

Lord Anderson disse...

Miatrix

tb tem o fato de o feminismo sofrer com uma contra-propaganda muito forte.

Quantas vezes ja vimos uma mulher dizer: "não sou feminista, mas..."

como se tivesse vergonha de assumir o feminismo.

Isso leva algumas a concordarem só para não assumir o esteriotipo que a midia e os machistas impoõe a feministas.

Majô disse...

conheco uma Validadora q sempre começa seus posts assim: "sou mãe, criei duas filhas,..."

Majô disse...

Às vezes um cara consegue assumir vários desses papeis numa só discussão. Lola, tomo a liberdade de reproduzir aqui trechos de um diálogo sobre uma imagem postada no face chamada "8 coisas q tornam uma mulher ridícula": falar palavrao, mau humor, fumar, usar roupa curta, ser fria na cama, usar calcinha grande, não se depilar, chorar. (aliás, mensagens "doutrinadoras" como essa andam se espalhando, notaram?)

Eu: achei a imagem q vc acabou de postar ofensiva. além de ser retrógrado querer inventar regrinhas para o comportamento feminino

Ele: Bom, não vejo nada ofensivo ali

Eu: se não vê, piorou

Ele: Eu já andei com mulher que eu tive que dar uns toques desse tipo, como critica construtiva até
Mas o q vc achou tão repulsivo assim?

Eu: cagar regra pra ridicularizar as mulheres, oras.
ninguém é ridícula por nada daquilo.

Ele: Então só a palavra "ridícula" é que foi mal colocada, não acha?

(...)

Ele:
Quem compartilha não necessariamente concorda. As postagens normalmente são compartilhadas com o intuito de que mais pessoas a vejam, sendo boas ou não. Pelo menos o meu intuito é esse, para que vejam e tomem suas próprias opiniões a respeito.

Eu: ué, mas vc comentou: "exatamente isso, fiquem atentas". vc concordou

Ele: Esse é o intuito de provocação apenas
Não tem a ver com meus ideais, não tenho nenhum tipo de preconceito.
Imagine, Majô.

Eu: cada mulher é livre pra fazer o que quiser sem ter q ficar sendo rotulada de nada, entende?

Ele: Eu sei disso e aprovo. Sou extremamente liberal, até demais, quase anárquico. Eu entendo o que vc está pensando
Mas não é este o intuito de postagem, que vc atribui a mim, é na verdade o de quem fez a imagem

Eu: mas vc percebe q é um tipo de pensamento q, qto mais se compartilha, mais pressao se cria?

Ele: Eu somente compartilhei. É o mesmo de vc achar que eu realmente acredito nas piadas do Chuck Norris.

Eu: compartilhar é de alguma forma aprovar

Ele: não é, isso é generalização e toda generalização é errada.
entenda que quando eu reposto algo, não tem valor pra mim a não ser passar para q outras pessoas tb vejam.
Agora que já entramos no assunto. Eu acho que isso daí pode até ajudar algumas mulheres

Eu: não, em nada essa mensagem pode ajudar
nenhum tipo de julgamento ajuda ninguém

Ele: não falo de mulheres que já conhecem a si mesmas como vc
e a maioria, e vc sabe disso, procura por parâmetros sociais que estabeleçam o q devem ou não seguir. Isso a sociedade, homens e mulheres.
Não q este seja o intuito

Eu: sim, esse é o intuito

Ele: Porém, tenho certeza que umas mulheres que eu conheço, ficarão atentas a essa "mensagem' pensando "devo me policiar"
Não o meu intuito
o intuito machista deve ser de quem criou, não o meu.

Eu: pq elas devem se policiar? vc não entende que aí é q mora o problema?
nenhum homem tem q vir apontar o dedo pra dizer o que é aceitável ou não

Ele:
Sim! Mas esse problema não é das mulheres, mas da sociedade que sucumbe a sistemas pré estabelecidos

Eu: e uma mensagem como essa ajuda a manter esse sistema
preciso ir
já disse mais do q devia

Ele:
Tudo bem, mas por favor não transfira para mim sua raiva dos machistas por que eu não faço parte disso.

Arlequina disse...

Pras mulheres: eu acho que é até relativamente fácil cair no Srta. Validatora, especialmente quando você é nova.

Geralmente um adolescente tem aquela ânsia de ser aceito e de ser aprovado - especialmente por membros do sexo oposto.

E hoje em dia você tem aquele sexismo mascarado, que acha que uma personagem feminina só é forte se ela usa pouca roupa, armas e é violenta. São as moças que aparecem, sei lá, no blog do Testosterona e fazem parte do grupo que tira foto semi nua pra pra postar lá - "olha como eu sou liberada e entendo exatamente como a sociedade é": estou tirando fotos nuas pra por na internet e nem me importo! É isso aí: me vejam e me julguem.

[veja bem, nada contra um bom voyerismo. O ponto é - geralmente é pro prazer próprio e é algo.. bom, pensado. Não é só pra buscar a aceitação do macho comum da internet]

E daí quando você fala um A contra pessoas se aproveitarem dessa falta de reflexão, você vira a pessoa santa, puritana, não liberal.

Bruno S disse...

Majô,

o melhor do diálogo e que quando você quetionou a imagem ofensiva que seu amigo postou, ele tentou escapar de todas as formas (se enquadrando nos personagens apresentados no post da Lola) e abandonou a coerência entre uma coisa que falava e outra.

Deu até pena...

Luiz Prata disse...

Lola, concordo com a Giovana, a sua tradução ficou boa, sim.

Mais um pra lista:
"Sr. Eu Te Digo Como Agir", ou "Eu Entendo Disso Mais do Que Você", ou seja, o sujeito que quer "ensinar" a feministas como agir (ou pior: dizer que estão "agindo errado") ou ditar o que é ou não sexismo(também aplicável, como disse o Lord Anderson, a questões de racismo e homofobia).

@Lord Anderson
Também sinto saudade da verdadeira Liana.
___________________________________

Em tempo: o que o Belchior tá fazendo na 1ª foto?

Lord Anderson disse...

Luiz,

pois é.

esse que vc mencionou é o representante do homemexplicalismo que a Lola mencionou num outro post.

PS: nem me toquei que era o Belchior, heheheh

Kalinda disse...

Blogger Mulher Asterísco disse...

Pois é...mas até nos foruns contra o sexismo são as mulheres as mais atacadas, as loiras associadas à burrice e a Srta Validadora a que mais irrita aos outros...com tantos tipos sinistros porque é logo a mulher a que mais irrita? Porque as mulheres não tem paciência nem consigo mesma e fazem piadas consigo e não aturam as piadas validadoras das outras???

***

Talvez as mulheres que tenham tido um comportamento de Srta. Validadora e passaram a refletir sobre ele e a questioná-lo em si mesmas, passem a percebê-lo fortemente em outras mulheres, por relembrar da sua prática de Srta. Validadora.

***

Pessoalmente, esse comportamento me entristece, porque no dia a dia escuto pérolas do tipo:

*"A fulana roubou o marido da beltrana" - dita pela minha mãe.

*"Olha ali o corno. Como ele deixa a mulher dele sair com essa minisaia?" - dita por uma vendedora enquanto eu pesquisava preços de um armário.

Bom, me entristece ver mulheres culpando e julgando mulheres de forma machista. Vivemos numa sociedade machista e desmistificar os papéis de gênero e demais preconceitos é um exercício diário pra mim. Ler, debater, conhecer é o meu caminho e mais uma vez obrigada Lola e comentaristas por fazer parte dele :)

Bruno S disse...

Kalinda,

a intolerência das mulheres com as Srtas. Validadoras acaba sendo maior porque acabam sendo vistas como "quinta coluna".

carolinapaiva disse...

Todos os tipos são ruins, todos irritam. O problema das validadoras é que elas servem de incentivo aos outros tipos. De pois que uma validadora entra na discussão, geralmente os outros passam a evitar argumentos e usá-la para desqualificar quem critica o machismo.

carolinapaiva disse...

Errata: depois.

Ah, gente, por falar em discussões no facebook, recentemente cortei relações com um "amigo" por causa disso. E ele acabou se enrolando todo também. Começou criticando o "feminismo exacerbado" que vitimizava o homem branco heterossexual (sim, lá vamos nós de novo), depois usou a palavra "feminazi". Quando eu questionei o tal "feminismo exacerbado", ele diz que na verdade não estava falando de feministas, mas de mulheres que se dizem feministas, pregando ódio a homens.
Mesmo depois de ter apresentado a ele a palavra "misandria", o mesmo insiste em dizer que essas "feministas misândricas" têm mais visibilidade e voz no movimento feminista.
Pedi para que ele me apresentasse então essas feministas visíveis, e ele saiu da discussão, dizendo que eu estava querendo doutriná-lo.
Um show de mansplaining e ignorância.

lola aronovich disse...

Pra ser sincera, as Srtas Validadoras me irritam, mas muito menos que as outras categorias. Inclusivo, acho que sinto mais desprezo por Srtas Validadoras em outras discussões de preconceito. Sabe, como nos debates sobre racismo. Aí vem alguém e diz: “Eu sou negro e todo mundo adora o meu cabelo e me dou bem com todos os polliciais do mundo e adoro ser chamado de negão e sou contra as cotas etc etc etc”. As Srtas Validadoras dos debates feministas eu imagino mais como Penelope Charmosas. É a primeira imagem que me vem à mente.
Mas sabem o que não entendo? Essas que a Arlequina citou, que aparecem em blogs misóginos e machistas. Sei que a vontade de se enturmar deve ser grande (ainda mais quando se é jovem), e sei que é mais fácil fazer o que o mundo espera de vc do que nadar contra a maré. Por exemplo, sem dúvida é mais fácil ser mulher objeto que ser feminista. Muito mais cômodo, mais tranquilo.
Mas não estou nem pensando nas moças que tiram fotos sexy. E não acompanho porcarias como o Testosterona, então não posso falar muito. O que não entendo mesmo são as moças que comentam em fóruns mascus. Não estou falando das que entram pra argumentar (embora eu ache que é um pouco de perda de tempo, porque os caras são fanáticos religiosos e não vão mudar). Tô falando das que vão lá pra mostrar como elas também odeiam feministas, como elas também sonham ser donas de casa, como elas sim vão se casar virgens... enfim, como elas são as mulheres dos sonhos de todo mascu. Ok, ok, até entendo por que alguma moça possa querer fazer tudo isso. Mas e quando ela começa a sofrer humilhações diversas? E quando todos os caras daquele fórum passam a xingá-la, rir dela, dizer que não existe mulher exceção, enfim, quando os caras usam aquela mulher “em carne e osso” (virtual, mas ainda assim menos abstrata que as “vadias em geral”, que é como eles se referem às mulheres) para extravasar sua misoginia? A mulher passa a ser xingada e continua entrando lá e comentando lá regularmente, até ser banida. Até que ponto ela suporta toda aquela humilhação, e pra quê? As leitoras que acompanham blogs e fóruns mascus sabem bem de como essas figuras existem.

Paulo Roberto disse...

Parabéns mulheres, vocês estão quase atingindo o objetivo principal. Esse artigo da Revista Época apenas confirmou o que eu já sabia:

http://colunas.revistaepoca.globo.com/mulher7por7/2012/01/08/onde-estao-os-homens/

Eu preferi a castração química à arrumar confusão para a minha cabeça. Parece que eu não sou o único no mundo a pensar assim.

Luna disse...

Creio que a intolerância com as Srtas Validadoras seja maior basicamente porque um homem ser machista dá pra se entender, por mais escroto que seja.

Ele quer defender seus privilégios de macho na sociedade, então o cara machista vai defender aquela sociedade que oprime mulheres e bota o cara num pedestal. Por mais escroto que seja, dá pra entender.

Porém as feministas não conseguem entender (por mais que todo mundo saiba sobre manipulação, sobre fazer a vítima sentir que está ok em ser vítima, etc, etc, etc) como uma mulher - que é a maior prejudicada do sistema patriarcal e machista - pode não só não enxergar a incoerência do sistema, como pode CONCORDAR com ele.

Eu me sinto meio deprimida quando vejo mulheres machistas porque elas percebem que o homem pode ficar com todas e elas não, e essas coisas, mas elas não acham isso anormal ou algo assim. Pelo contrário, elas perpetuam esse sistema porque acham que está certo, que é assim que deve ser e condenam as feministas por contrariarem esse sistema.

E já vi todos os tipos. Faltou mesmo o tipo 'Sr Oops Você Está Histérica!'.

♪Sueli Alves♪ disse...

O último mané cujo eu dei um fora era o tipo número 10. Um dia me queixava com ele (o que se enquadra no décimo item) sobre meu último relacionamento que o cara não foi bacana comigo, já que eu sempre fui uma pessoa "fácil" (digamos assim, se ele me chamava pra sair, eu ia, não fazia doce não ficava de mimimi de me fazer de difícil) e o sujeito do item número 10, disse: Claro, vc era fácil, toda vez que ele te chamava, vc ia. Aí ele enjoou de vc.Eu disse: Olha só, não esperava esse tipo de pensamento de você(haja vista que ele tb queria sair comigo), pois se eu tinha vontade de sair com o cara, pq eu iria dizer não?
Ele contra-argumentou: Mas vc tme que entender que quando a mulher não se faz de difícil, os homens não valorizam.
Eu:Ah, então vc pensa assim?
Ele: Eu não, vc pode sair com quantos caras vc quiser, mas os outros caras pensam.
Então, o dia que deixem bem claro que eu não queria nada com ele pq ele não fazia meu tipo de interesse, ficou revoltado pq "pro outro vc ia fácil e pq pra mim vc não vem?
E por ele ser de uma classe social/cultural superior e branco (descendente de alemães), imagine o choque que foi levar o fora de uma afro/indígena/luso-descendente?
O mais leve que o cara me disse foi para eu ir à fezes. Isso pq ele tinha esse discurso : "Eu não sou machista, são os outros."

Blanca disse...

Sr. Eu Não Sou o Problema e Sr. PsicoEvo! são os mais comuns.

Uma vez um amigo meu escreveu uma BÍBLIA dizendo que as mulheres tem que ter direitos iguais mas esquecem dos deveres, que é servir ao exército obrigatoriamente!

lol.
HAHAHA

Jane Doe disse...

Na minha opiniao, o pior de todos sao os Pscicoevos que, na grande maioria, nao conseguem nem entender o livro de ciência da 4° série!
Eles deturpam as leis da biologia e das teorias verdadeiramente científicas para provar seu ponto de vista equivocado e sem fundamento nenhum.
A psicologia evolutiva nada mais do que a substituicao do "deus quis assim" pela " a natureza fez assim"!

Majô disse...

pois é, Bruno S.
mas ele não está mentindo qdo diz q tem uma postura libertária e não preconceituosa (em outros temas). até por causa disso q eu resolvi chamar a atenção dele para o assunto, pq dói mais qdo a gente vê amigos conscientes socialmente sendo preconceituosos com mulheres do q qdo a gente vê outras pessoas. só q ele não conseguiu, no diálogo, perceber o próprio preconceito, ou nao quis admitir. talvez seja mais difícil admitir isso qdo se tem uma mente progressista, pq afinal de contas, vc está acostumado a ser o cara q levanta as bandeiras de justica social, mas nao está acostumado a protestos contra vc. vejo isso acontecendo bastante.

lola aronovich disse...

Puxa, Paulo Roberto, vc preferiu se castrar quimicamente a encontrar uma mulher? Bom, a decisão foi sua. Mas acho que admitir essas coisas num blog feminista aproxima muito seu comentário de outros clássicos do gênero, como “Nunca mais serei penetrado por uma feminista!” e “Travestis são mais atraentes que mulheres”. Nada contra ser penetrado ou contra travestis, é só que fica estranho ouvir isso vindo de um mascu. Mas é um sinal que vcs estão ampliando seus horizontes.


Pois é, Luiz Prata, os tipos “Sr. Eu Te Digo Como Agir” e “Sr. Eu Entendo Disso Mais Que Você” são extremamente comuns. Estão bem na categoria de mansplaining.

♪Sueli Alves♪ disse...

E o que dizer dos blogs masculinos para dúvidas femininas?

Bruno S disse...

Majô,

dar o braço a torcer e admitir que fez cagada acaba sendo muito difícil. Ainda mais sendo uma pessoa que geralmente tem posições libertárias.

Natália disse...

engraçado q eu estava hj conversando com uma amiga sb o que gostei no livro "a dominação masculina" do bourdieu (q eu fui ler pq este blog me interessou pelo tema), e ele explica bem a validadora:

"Falar de dominação, ou de violência simbólica, é dizer que, salvo uma revolta subversiva que conduza à inversão das categorias de percepção e de avaliação, O DOMINADO TENDE A ASSUMIR A RESPEITO DE SI MESMO O PONTO DE VISTA DOMINANTE"

Isso vale para as validadoras do machismo, para os gays que não gostam dos afeminados, para os q justificam o racismo com "os negros msm são racistas!", etc.

Natália disse...

P.S.: Lola, suas traduções sempre são ótimas. Pára de modéstia!

Paulo Roberto disse...

Parece radical demais o termo castração química, mas é algo simples de ser feito. Eu já comentei as vantagem em uma outra resposta aqui no seu blog.

5 mg de Finasterida + 1 Aspirina

Basta tomar essa dose diária, não é necessário receita para comprar. Em 3 dias já está totalmente independente, sem a necessidade do sexo oposto, e a medicação evita cair o cabelo, evita problema de próstata, reduz probabilidade de problema cardíaco, reduz problema de pressão arterial. Vale a pena.

E a resposta é SIM, eu desisti. Chega.

Eu comecei a tomar essa medicação para passar um fim de ano sozinho em um resort, adorei o resultado porque é muito sutil, sem efeito colateral. E estou a vários anos independente.

Existe outro medicamentos mais potentes, alguns com efeitos de longo prazo, tipo uma dose um ano. Mas esses são com receita médica.

♪Sueli Alves♪ disse...

Estou louca. onde escrevi perfil 10 (sendo que os itens nem foram numerados), leia-se "Sr. Eu Não Sou o Problema; Olá Meninas! "

Blanca disse...

Esse Sr que lê 1 ou dois artigos é um dos piores, senão o pior. Tenho raiva gigantesca dessa gente que apresenta estatísticas que parecem ter vindo de um livro de humor negro pra provar que feminismo não é mais necessário.

Ah! E tem também aquela pessoa que lê e leu 1001 livros de filosofia e continua sendo machistinha. Ah, dess@s tenho preguiça.

♪Sueli Alves♪ disse...

Eu ainda cho que o pior de todos é o "Sr. Eu Não Sou o Problema; Olá Meninas! ", pois eles têm esse discurso, mas tente contar uma atitude mais "libertina" que eles reagem indignados e dizem: Eu não sou assim, mas tenho pena de vc pq os outros homens são assim.

Natália disse...

hahaha Viram que o Ainda Não Sei previu o tipo do Paulo Roberto?

Fabiola disse...

Normalment a sra. validadora aparece juntamente com o Sr. Me Recuso a Acreditar que Isso Acontece, que por mais que seja colocado dados dos lugares e pesquisas mais confiáveis do universo, nada se compara a "experiência de vida" desses dois seres e portanto nossos comentários são inválidos!

Paulo Roberto disse...

Natália

O "Ainda não sei" comentou sobre o tipico reclamão, o cara que se faz de vítima. Diz que a mulher está castrando o homem para se fazer de vítima.

Eu sou superior a isso porque de fato realizei o procedimento para me tornar independente, não reclamo disso e divulgo a técnica para todos aqueles homens que resolverem ser independente possa se libertar.

Eu acredito que isso é muito benéfico para o feminismo de uma forma geral pelo fato que quanto mais homens independentes, mais as mulheres serão livres.

lola aronovich disse...

É, Paulo Roberto, acho que é bastante radical sim recorrer à “castração química” para fazer desaparecer qualquer apetite sexual e, assim, não precisar mais de mulheres pra nada. Mas vi que há grupos mascus nos EUA (aqui no Brasil eu desconheço) que defendem isso. São os MGTOWs (Men Going Their Own Way). É isso, né? Enfim, acho que cada um deve fazer o que o faz feliz. O problema, Paulo, é que vc não parece feliz. Se esse separatismo forçado funcionasse pra vc, vc não estaria todo rancoroso dizendo “Viram só, mulheres? Vcs vão conseguir o que querem”, ainda mais referindo-se a um artigo que diz que várias mulheres com mais de 35 anos NÃO estão felizes por estarem sozinhas. Mas... boa sorte.

aiaiai disse...

post ótimo e comentários idem. Tem mais um tipo: "Sr. Continue assim e vai ficar solteira" como o Paulo roberto q quer ser castrado kkkkkkk, vai nessa, querido!
sobre a matéria da época, é um bando de "sras. validadoras", né?

Renata Gama disse...

Mulher Asterísco, entendo q vc tenha interpretado como sexismo das proprias mulheres a irritação com as Validadoras, mas não é isso. A irritação com as Validadoras é pq elas enfraquecem a defesa do feminismo.

Paulo Roberto disse...

:-) Lola, agradeço a compreensão.

Sem dúvida quando postei o link para o artigo da Revista Época usei de uma forte ironia, pois é inaceitável ver aquele tipo de reclamação, não consigo aceitar que as mulheres façam aquele tipo de comentário, uma vez que esse é o objetivo principal, a independência social sem a necessidade de um companheiro ao lado.

E principalmente mulheres com alto poder aquisitivo que podem contratar um GoGoBoy a qualquer hora e ainda escolher no book da agência.

Eu achei aquele artigo da Revista Época um verdadeiro contrasenso e que se encaixa nesse seu artigo, por isso postei aqui.

É uma mulher da grande mídia desmoralizando os esforços das mulheres em construir um ambiente social independente. A forma como ela escreveu até parece que as mulheres dependem de ter uma relação com algum homem.

yulia2 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ludmila Queiroz disse...

(Primeira vez ao ler o blog)
Já repararam que a pior figura que foi apontada foi a SrtA. Validadora?
A única figura mulher no post?

Sem querer defendê-las mas existe alguem pior do um ser que te chama de lunática ou se acha legal demais pq o gosto dele não é o tal padrão?
É engraçado como nós, mesmo não querendo ainda culpamos as mulheres pelo que há de pior....

Dizer que quando uma mulher comete um ato machista é pior do que um homem me soa como machismo. Ou eu to errada?

yulia2 disse...

essa matéria da época tem tudo a ver com back lash, jogue todas as suas conquistas no lixo.... toda a sua autonomia e agarre o seu macho, vale tudo, até se rebaixar... foi isso mesmo que ela quis dizer?

yulia2 disse...

galera , homem se comprazer desse tipo de texto, já era esperado, agora mulher concordar....
mas quero pinçar comentários da revista época , é bom saber que algumas não se deixa manipular...

Dani9/01/2012 | 0:33
''Giselle, percebo que vc está passando por um momento delicado na sua vida pessoal e isto está transparecendo em seus posts.Já é a segunda vez que vc critica a mulheres modernas com um certo saudosismo do passado desconhecido de nossas avós.Não sei onde vc quer chegar, mas, seria interessante vc ser mais imparcial, não generalizar suas insatisfações pessoais no blog. Sua profecia apocalíptica de mulher desesperadamente carente assusta qualquer um. Não me admira que mulheres que pensam assim como vc estejam sozinhas. Eu não sou homem e fiquei assustada com tamanha falta de auto estima.''

essa deu no meio do saco! impiedosamente. rsrsrsr

Sara disse...

Bom Paulo Roberto só vou falar por mim mas acho importante sim ter um relacionamento legal com um homem, e creio que muitas mulheres desejam isso tb pra si.
Achei a reportagem meio fora da realidade que eu vivo, só esse final de ano tive dois casamentos de amigas minhas, uma viuva com 53 anos que se casou com um cara de 31, e foi morar na suiça pq ele foi transferido pra trabalhar la, e outra que era divorciada com duas filhas adolescentes com 42 anos, se casou com um cara de 47.
Eu não acredito que eu teria tanto problema assim pra achar alguem interessado como mostra a reportagem.
É uma pena que vc tenha achado uma solução tão radical, mas como disse a Lola se isso esta te fazendo bem, eu respeito, mas assim como ela achei o seu tom meio melancolico.

yulia2 disse...

veja que dado curioso.... a autora do texto é solteira.... será que foi uma mini autobiografia?
_______________

''Mayara9/01/2012 | 2:27
Achei totalmente descabido impor uma "regra", como se mulheres solteiras acima dos 35 anos não tivessem mais esperança. Esse tipo de estereótipo é tão absurdo que chega a ser machista. Ocorre que as pessoas, atualmente, não sabem se relacionar''

''Demostenes9/01/2012 | 1:53
Gisela, tudo bem? Ao ler seu texto, logo associei o mesmo a certas amigas e amigos que estão solteiros ou que reclamam por alguém. Reclamar não resolverá, há mercado para todos, oportunidades e condições. Aceito e compreendo os meus defeitos, e assim sigo o jogo, sem pular de galho-em-galho, e sim amando a mim mesmo - Para um dia amar e ser amado. Vamos parar de reclamar e lutar pelos nossos ideais!''

Giovana disse...

Lola, totalmente nada a ver com o post, mas que pode ser útil para um novo, veja essa essa:

http://www.comunidadenews.com/mundo/preconceito-na-tv-contra-brasileiras-provoca-protesto-em-portugal-7758

Trata-se de um programa em Portugal que exibe uma personagem que reforça o estereótipo das brasileiras como "prostitutas", causando polêmica e protestos.

yulia2 disse...

Marcelo Richter9/01/2012 | 0:05
Com todo respeito, Gisela, achei ótimo o comentário da leitora Carla e bastante fraquinho o seu texto. É igual a de várias mulheres que não saem para se divertir e acham que não existem mais homens heteros acima de 35 no mercado. Se você quer encontrar homens, basta sair de casa e frequentar bares e casas noturnas - e não reuniões de amigas na mesma situação -. Saio sempre de casa (moro em SP) e o que vejo na noite é um cenário oposto do que vc diz: há muito mais homens do que mulheres nas baladas. Há muitos gays sim, mas também há muitas lesbicas. É normal. E em muitas casas, as mulheres são pouco interessantes e disputadas por vários homens. Mas que há mais homens na noite do que mulheres é fato. Talvez esteja na hora de rever seus conceitos e sair para se divertir e dançar mais. Mas se vc acha que baladas não é para você, não gosta de dançar, sair para paquerar, então convenhamos, o problema não está na falta de homens. Vocês é que estão indo em lugares errados... Aliás, se puder me dizer que lugares são esses, eu ficaria agradecido! Quem sabe eu não encontro você e...

yulia2 disse...

Mariana8/01/2012 | 20:41
Acho que você está indo nos lugares errados, ou realmente você e suas amigas são muito exigentes. Relacionamento de filme americano? Gente, vocês tem mais de 35 mesmo? Emocionalmente? Tenho 38, um namorado fantástico (mesmo), deixei um na beira do altar por questões reais, não imaginárias - do tipo ele não é bom porque não manda flores. PeloamordeDeus. E tenho vários interessados em mim. Sou bonitinha, gostosinha, nada demais. Tenho PhD, ganho bem, e independente. Meu namorado tem ótimo emprego, formação e família. Então, queridas, acordeeeem! Ou melhor, tá faltando pra vocês, as chatinhas princesas, e sobrando pra mim, a plebeia que sabe ser feliz junto aos homens do bem e felizes.

LisAnaHD disse...

"pessoas loiras e não loiras..." rs.. rs... LoLa pegando pesado pra cima das duas categorias de pensantes e não-pensantes...rs...

Majô disse...

Ludmila Queiroz, eu disse aí q me irrito com as Validadoras, eu tb me irrito com todos os outras. mas por favor nao diga q ao me irritar com outra mulher estou sendo machista. a causa maior da irritacao q elas provocam é por estarem "traindo" seu grupo. nada mais. validadores em outros grupos irritam pela mesma razao.

Majô disse...

*todos os outrOs

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Adorei Lola. Acho que é bem por aí mesmo, com exceção do último, que acho que é o tipo menos comum nessas discussões.
Claro que na vida lá fora, esses "sábios" costumam ser mais discretos, menos insistentes e exagerados, mas em redes sociais, é muito fácil encarnarem esses tipos ao máximo.
E haja repetição. Aqui mesmo é mais que comum ler palavras e expressões repetidas à exaustão, que sempre vem dos mesmos tipos como "desonestidade intelectual", "argumento ad hominem", feminazismo, sociedade bucetista e outras coisas do tipo.
Cansa. E o pior é acharem que estão sendo perspicazes ou originais.

Camila Fernandes disse...

Ah, Lola, dificilmente algum desses tipos me faz perder a cabeça, na internet ou na "vida real". Contudo, todos eles me dão uma preguiiiça...!

Entendo a "revolta" do pessoal com a "Srta. Validadora", uma vez que ela mais do que os outros deveria perceber o absurdo da coisa inteira. A mim, só dá um pouco de pena, mesmo: quanta alienação!

Fora isso, o que mais me incomoda é que o último caso.

Enfim: ótimo texto! Adoro o seu tipo de humor, Lola.

A.H.B. disse...

@Lola: além da categoria de validadoras, faltou a das mulheres francamente reacionárias e racistas, mas que acham que são feministas porque têm um emprego no setor privado e por isso capitalismo não pode ser criticado pelas feministas!

Do resto das categorias, hoje eu e meu parceiro estávamos comentando sobre privilégio masculino em discussões online e chegamos a conclusão que o objetivo de tipos como o "Sr. Na Verdade é Tudo ao Contrário" é transformar a internet na barbearia online (já viu ambiente e conversa de barbearia? pois é.)

A.H.B. disse...

Mas acho que os psico-evos são os piores, porque de todo esse pessoal, são os únicos que fazem parte de um grupo acadêmico e espaço na mídia para expor suas teses. Na verdade,os baluartes da psico-evo são bastante culpados pela perpetuação de pensamento machista, porque pessoas que acreditam nesse tipo de besteira podem encontrar na internet algum artigo acadêmico para validar esse ponto de vista, mesmo que a metodologia da maioria das pesquisas dessa área seja completamente falha.

Eu disse...

Paulo Roberto, poucos são os homens dispostos a ter uma queda de libido prá conservar os cabelos...acho esse efeito uma maravilha mesmo, no cômputo geral, porque deixa as pessoas mais serenas, mas dispostas a buscarem uma espiritualidade, coisa que só fazemos mais velhos, quando a libido já desceu bastante.
Mas não fuja das mulheres por causa disso, viu?

A.H.B. disse...

Ah, lola, na categoria "você está histérica" também tem que incluir esse pessoal que desqualifica os argumentos de uma mulher dizendo que ela está de TPM, ou alguma besteira assim.

O pior de tudo é que a pessoa acha que está sendo especialista em debates agindo dessa maneira.

Eu disse...

Do resto das categorias, hoje eu e meu parceiro estávamos comentando sobre privilégio masculino (AHB)

A qual privilégio masculino você se refere?

Lola, eu ri com seu comentário agora. Que pena que não li qual o comentário lúcido que eu escrevi...rsrs estou me divertindo...:)

Bjs

Eu disse...

a causa maior da irritacao q elas provocam é por estarem "traindo" seu grupo. nada mais.*

Trair o grupo das feministas é o quê, exatamente, Majô?

emagrecer, pintar/arrumar o cabelo, se maquiar, gostar de homem...fale prá mim, a Sra Validadora do blog! hahaha

Eu disse...

AHB,meu anjo, dê uma olhada no Roda Viva que está no ar agora e veja o que é privilégio...2 meses de férias para o Judiciário, por ex.

Bjs

Majô disse...

Eu,

achei q fosse óbvio. trair seu próprio grupo, se vc é uma mulher e está numa discussao onde o tema é sexismo, é ser uma mulher machista. é validar o machismo. jura q vc nao entendeu?

Majô disse...

e nao é trair o grupo das feministas. é trair o grupo das mulheres, pq uma validadora nao é feminista.

lola aronovich disse...

Eu (Moema), meu anjo, não é de hoje que vc está se fazendo de boba. Vc gostar ou não gostar do termo PRIVILÉGIO é totalmente insignificante. Este termo está sendo usado pelo mundo acadêmico faz vários anos. Vc não considerá-lo um termo “correto” ou relevante faz tanto sentido quanto vc discordar da palavra “gênero” ser usada para Estudos de Gênero, por exemplo. Então continue dando suas definições individuais do que vc considera privilégio, ou informe-se. Há vários livros escritos a respeito. É uma teoria crítica, geralmente associada a WHITE e MALE privilege.

Eu disse...

achei q fosse óbvio. trair seu próprio grupo, se vc é uma mulher e está numa discussao onde o tema é sexismo, é ser uma mulher machista. é validar o machismo. jura q vc nao entendeu?(Majô)

E porque eu estou numa discussão sexista, sou obrigada a aceitar qq coisa que se diga sem refletir? Ou somos um bando de crianças brincando de 'faremos tudo o que o mestre mandar? faremos todos'...

Majô disse...

Eu,

onde foi que eu disse que a Srta Validadora é "obrigada a aceitar qq coisa que se diga sem refletir"?

fui clara: numa discussao sexista, a mulher validadora é a mulher machista.

decomposta disse...

Hahaha! Genial!

Acho que um irmão do "Sr. Na Verdade é Tudo ao Contrário" seria o Sr. Veja Bem Como Eu Também Sofro que diz que o machismo é mal, muito mal, mas igualmente mal para os homens e para as mulheres. Afinal, ser cobrado demais por ser um homem superestimado e ser estuprada por ser uma mulher marginalizada são, praticamente, a mesma coisa.

LisAnaHD disse...

Amy Whinehouse
Our Day Will Come (with lyrics)
http://www.youtube.com/watch?v=JxaIXQqQkPw

para os que se amam e se fazem felizes . . .

Eu disse...

Majô, vc provavelmente se considera uma feminista...mas que tipo de feminista você é? tipo Andrea Dworkin, por ex.? Ou estaria mais prá Camille Paglia?

"Paglia's view that rape is sexually motivated has been endorsed by evolutionary psychologists Randy Thornhill and Craig T. Palmer; they comment that, "Paglia...urges women to be skeptical toward the feminist 'party line' on the subject, to become better informed about risk factors, and to use the information to lower their risk of rape." WiKipedia

"Paglia conclama as mulheres a serem céticas em relação ao posicionamento quanto ao assunto [estupro], a se tornarem mais bem informadas sobre os fatores de risco e usarem a informação para diminuir os riscos de estupro."

O que vc acha disso, Majô?




Lola, "Male privilege is a sociological term that refers quite generally to the special rights or status granted to men in a society, on the basis of their sex or gender, but usually denied to women and/or transsexuals." wikipedia

Seu link confirma o conceito de privilégio como DIREITOS especiais GARANTIDOS a uma classe, no caso os homens, no passado muitos realmente, alguns ainda estão de pé... mas não confunda privilégio com licença, permissividade ou abuso social/cultural e ainda com condição física.

Esse que vc mencionou em seu post DURMA-SE COM...sobre privilégio de enxergar é o fim...desculpe a franqueza. Não vai me dizer que há trabalhos acadêmicos nessa área tb...

Eu disse...

fui clara: numa discussao sexista, a mulher validadora é a mulher machista.*

vc quer dizer a mulher que não concorda com tudo?

Ludmila Queiroz disse...

Majô, Eu realmente entendo seu ponto de vista. Mas quando fiz a crítica nãi citei especialmente seu comentário. Há muitos que dizem: "Eu acho essa a pior", "Essa é a que mais me irrita". E quando eu fiz essa crítica, foi justamente para colocar a ironia da situação. A defesa do feminismo é a liberdade e a ausencia de opressão das mulheres na sociedade. Eu honestamente não acredito que exista mulheres que sejam contra ao que o feminismo prega. E se em algum momento elas defendes o machismo (ou sua manutenção) é porque vivemos numa sociedade onde é praticamente impossível não ser machista. E portanto é muito mais simples "remar com a maré" do que fazer o oposto. Acho q a defesa das mulheres pelo machismo tem a ver também com falta de informação, que gera toda uma analise crítica. Talvez eu seja muito Poliana mas eu não consigo imaginar uma mulher que diga seguramente que é machista e que nossa sociedade tá ótima do jeito que tá.

carolinapaiva disse...

Ludmila

Bom, no meu caso foi assim como você falou. Eu tinha receio de adotar uma postura feminista até pouco tempo atrás, justamente pq isso significa remar contra a maré, ter gente te olhando torto ou não dando valor ao que você diz. Eu adotava um discurso machista por comodidade.

Caroline disse...

Olha Lola, antes de ler o seu blog eu tinha uns pensamentos um tanto machistas. Mas era mais a respeito da vestimenta das mulheres. Eu tinha o pensamento que a roupa que uma mulher usava dizia se ela era uma vadia ou não. Se eu via uma mulher vestindo algo bem decotado, eu pensava que ela tava pedindo pra ser assediada grotescamente e até estuprada.

Hoje eu sinto uma vergonha imensa de ter pensado daquela maneira. E hoje eu não penso mais assim graças a vc Lola e a todas as suas leitoras e seus leitores. A mulher tem a liberdade de usar o que ela quiser e isso não significa que ela é obrigada a alguma coisa com qualquer homem que seja. Obrigada por fazer eu me livrar de pensamentos horrorosos como aquele. Obrigada mesmo. Hoje qdo eu vejo alguém que me diz algo com teor machista, eu converso numa boa, me lembro de tudo que vc já disse aqui e tento passar pra frente.

A única coisa que eu ainda não me decidi a respeito e não tenho uma opinião formada é sobre o aborto. Mas foi o seu blog que abriu minha cabeça pra pensar a respeito de assuntos tão polêmicos como esse.

=)

Eu disse...

Há vários livros escritos a respeito. É uma teoria crítica, geralmente associada a WHITE e MALE privilege.(Lola)

Pois é, Lola,nos EUA houve mesmo uma segregação INSTITUCIONALIZADA entre negros e brancos depois da abolição da escravatura. O privilégio dos brancos era legal, até as coisas começarem a mudar com Rosa Parks, por ex.

Enquanto isso, aqui no Brasil, debaixo do nosso nariz, o PSDB não aceita negros/as candidatos/as a cargo público no partido.

Quanto ao Male Privilege nos EUA, ilumine-me, porque não conheço a lei americana. Por ora, é bom lembrar que:

"The existence of male privilege is not universally accepted. Critics state that women are more privileged than men, or that women are also privileged, but in different ways to men.

Men's rights activist Herb Goldberg[23], for example, claimed in 1976 that "the myth that the male is culturally favoured ...is clung to, despite the fact that every critical statistic in the area of longevity, disease, suicide, crime, accidents, childhood emotional disorders, alcoholism, and drug addiction shows a disproportionately higher male rate." He sees males as "oppressed by the cultural pressures that have denied him his feelings, by the mythology of the woman and the distorted and self destructive way he sees and relates to her, by the urgency for him to 'act like a man' which blocks his ability to respond ... both emotionally and physiologically, and by a generalized self hate that causes him to [not] feel comfortable ... when he lives for joy and for personal growth.""
wikipedia

Caroline disse...

Ah Lola, eu vi um clipe da extinta banda INXS, de uma música chamada Beautiful Girl. E lembrei de tanta coisa que vc escreveu aqui sobre o rigido padrão de beleza que fazem milhares de mulheres se submeterem a dietas que levam a disturbios alimentares e inumeras cirurgias plásticas. Vale muito a pena assistir e depois ler a tradução da letra.

O clipe:
http://www.youtube.com/watch?v=aH986VE47M8

A letra:
http://www.youtube.com/watch?v=aH986VE47M8

Majô disse...

Postando de novo... comi uma palavra

Eu,

tenho certeza q fui clara, mas, ok, acho q agora eu entendi pq vc está insistindo nisso.

estou falando do tipo "srta validadora" e, embora a Lola tenha dado vc como exemplo, EU não estou falando de vc. mesmo pq nem lembro das suas posicoes aqui no forum.

como mulher machista, ou a srta validadora numa discussao sobre sexismo, estou considerando aquela que demonstra posicoes favoraveis ao machismo. ex.: o cara diz: "mulher q usa roupa curta é vadia". uma mulher responde: "peraí, toda mulher pode vestir oq quiser e não deve ser julgada por isso." começa uma discussao. daí, a srta validadora vem e diz "acho mulheres q usam roupa curta vulgares e nao têm direito de reclamar se um cara passa a mão ou chama de puta". isso é ser uma mulher machista e eu, sinceramente, nao consigo enxergar onde vc está vendo isso como "nao concordar com tudo". com tudo oq? com tudo oq a Lola diz? se for isso q vc tá pensando, está enganada sobre oq eu disse.

A.H.B. disse...

Majô: 'ela" é um troll citando os trechos da wikipedia editados por masculinistas. Nem vale a pena discutir.
Para quem não sabe, qualquer pessoa pode editar a wikipedia e não há parâmetro nenhum sobre o que pode ser escrito ou não em um artigo. E todo artigo permite uma área para que críticos reacionários exponham seus argumentos falaciosos, mas a presença de certo argumento na wikipedia de forma alguma valida esse argumento ou quer dizer que ele é aceito nas academias ou que tem valor cientifico de qualquer forma.
Ou seja, esse site deve ser usado e lido com atenção.

Paulo disse...

Prezada "Eu",

Não é aceito por quem que não existe privilégio masculino? Pelo senso comum? Pelo masculinista citado na wikipedia? Você entendeu mal o propósito da wikipedia. É pra dar uma noção básica do assunto aos leigos, não pra ignorar a totalidade do artigo e pescar aquilo que concorda com você, ainda mais quando é uma sessão de crítica (câncer de todos os artigos da wikipedia, que os editores fazem questão de por até em artigo de ursinhos carinhosos pra ser mais "balanceado") em que a retórica masculinista é a única apresentada. Se você quiser argumentar pelo viés masculinista, não sei o que dizer, somente que é necessário se destacar muito da realidade. A wikipedia em si é uma fonte que tende a atrair os setores mais conservadores da sociedade, isto é, pessoas que vêm de um perfil em que, em países estrangeiros falam inglês (elite), e nestes e nos países anglófonos, de um perfil que utiliza a internet e tem familiaridade com computadores e tempo livre pra ficar editando (elite). Não é a tôa que se você visitar as páginas de usuários e olhar a redação dos próprios artigos, verá um interesse muito grande em ideologias como o anarco capitalismo e o libertarianismo americano, vai ver muitos artigos técnicos sobre computador, e artigos sobre anime e outras diversões juvenis da pequena burguesia. Seu próprio visionário e criador, Jim Wales, é um objetivista. Conhece a barbárie que é a wikipedia quem já editou, participou das páginas de discussão de cada artigo e viu o quanto as regras para a produção do artigo são contra-producentes.
A academia certamente conhece muito bem o privilégio masculino, e esta é a única visão que uma investigação minimamente cautelosa e sagaz do assunto revelará citações em publicações respeitáveis.
Leigos deveriam entender que não basta se apoiar em um Diogo Mainardi ou um Boris Casoy para sustentar sua opinião. É necessário se familiarizar com as grandes obras e sucessos das ciências humanas, fruto de um grande esforço para a aquisição de conhecimento, se quisermos sair da intelectualidade de boteco. Não há trabalhos sérios que dão calibre às asneiras dos masculinistas. Enquanto isso, os trabalhos sobre privilégio masculino são incontáveis. Para quem está no meio, a discussão não vai além disso.

Eu disse...

OK, Majô, entendi seu ponto-de-vista. E pegando o gancho da Caroline que tocou nesse ponto da vestimenta, vamos jogar um pouco de luz nesse aspecto da condição feminina.

Você sabe por que as garotas de programa/prostitutas do mundo inteiro se vestem sumariamente? Não é difícil entender, né? Elas estão anunciando o produto. No big deal. Nada demais. Sem julgamentos. No auge da civilização grega, as mulheres solteiras usavam uma túnica que mostrava a perna inteira. Depois que casavam, a vestimenta cobriam as pernas. Uma freira, que supostamente não quer sexo ou relacionamento amoroso, veste (ou vestia) um hábito que só deixava meia carinha de fora.

Nesta altura temos duas posições:
1. a reação dos homens quanto à vestimenta das mulheres que anunciam o corpo.

2. a liberdade de mulheres não prostitutas ou GPs usarem roupas sumárias.

Embora as prostitutas existam para servir aos homens com testosterona extra prá gastar, estes são os primeiros a execrarem tais mulheres
e todas as que com elas se pareçam por estarem usando roupas sumárias. Por que isso? Parte disso se deve à cultura judaica em que estamos imersas/os. (Desculpem a insistência.) Parte se deve à projeção de má avaliação/auto-condenação de si mesmos (o que nós, mulheres tb fazemos, por sinal).
A mesma associação com as prostitutas passa pela cabeça dos homens quando vêm uma top model/atriz em trajes sumários, embora elas estejam anunciando o corpo para outros fins.

Aí chegamos ao ponto em que teremos que: ou peitar a homarada quando 'usarmos o que quisermos' (sem problemas) ou maneirar se não estamos anunciando o corpo de alguma forma. Cada uma deve saber quantas balas têm na agulha. Eu gosto de me cobrir. Gosto porque gosto de moda. Moda é roupa, é pano (alguns estilistas de quinta mais despem do que vestem as mulheres, fazer o quê?) Quanto mais pano, mais me sinto poderosa, à vontade, indexada. Repare nas vestimentas de pessoas poderosas. Todas com mantos longos, togas, batinas, etc. Até o concurso de miss põe um manto nos ombros da vencedora, hein?

Terei me comportado como a sra. validadora porque refleti sobre vestimenta das mulheres e não saí dizendo que mulher tem mais é que sair de casa quase pelada e tudo bem? o que vc acha?

Paulo disse...

Devo dizer também que sexismo e privilégio não é uma questão somente de lei, como os legalistas da mídia reacionária e corporativa fazem parecer nos editoriais. O privilégio está embutido nas relações reais entre as pessoas dentro da sociedade. Ele está nos livros em que a visão masculina é a visão padrão, nos jogos em que o protagonista é 90% do tempo um homem branco, na cultura que diz que a mulher não é tão capaz que o homem, que isso aqui é coisa de homem e aquilo ali é coisa de mulher, e assim por diante. Reduzir o debate somente à lei é uma cegueira perigosíssima. Igualdade constitucional não vai garantir igualdade real numa sociedade racista, sexista, homofóbica, etc. Os liberais deveriam deixar de ter esta ilusão.

Eu disse...

Bom, Paulo, AHB a Lola postou link da wikipedia. Não vejo problema algum.
Let's talk business.

Esperava mais de você.

Eu disse...

"The existence of male privilege is not universally accepted." Wikipedia

Paulo, essa afirmação quer dizer que o privilégio masculino não é unanimidade. Graças a deus porque a unanimidade é burra.

Paulo disse...

Let's talk business.

Indeed.

Você ignorou todo o conteúdo do artigo pra pegar a dissonância que citava um masculinista? Que eu não compactue com suas expectativas é um elogio então.

Caso não seja óbvio: Masculinistas existem. Nós sabemos. É claro que não é universalmente aceita. Que tal tirar a cabeça do buraco e tentar entender esse fenômeno para além da opinião de um bebê disfarçado de homem adulto?

A opinião sem base, científica, moral, ou aproximação qualquer da realidade, realmente não importa. Não é argumento. Sinto muito.

Eu disse...

Paulo, o debate pode seguir tranquilo sem confundir privilégio -- que constitui num direito subjetivo e que ninguém tem peito de atacar -- e qq outra coisa que vc queira chamar os abusos, as preferências, as vantagens dos homens ou brancos ou héteros.

A.H.B. disse...

"Eu": os únicos que não aceitam que há privilégio masculino são conservadores e masculinistas.
-
Você deve gostar muito de se humilhar, se você é mesmo uma mulher tão empenhada em defender os machistas!

Paulo disse...

A unanimidade é burra. Sábias frases de um autor sexista, que óbviamente acharia saudável contestar a mais básica fórmula matemática de pitágoras, porque mantém a ignorância como princípio.

Liana_5841 disse...

Luiz Prata, Lord

sumi não :) De dezembro a fevereiro eu quase não chego perto de computador. Ou melhor, chego sim, como me cansa a vista ler no computador, ando numa de baixar audiolivros. O dia que eu comprar um kindle ninguém me segura.


Bem, comentando o post...

Eu considero a banda dos que usam a psicoevo como desculpa um dos piores porque a coisa sai do campo mais imediato das relações para cair numa validação com ares de autoridade sobre a sociedade (se cientistas estão dizendo, quem somos nós, reles mortais, para questionar, né). Há um potencial maior para ser aceito passivamente.

Assim como piadistas a la rafabastos, pois cria uma blindagem para toda sorte de desrespeito. Se por um lado precisamos de uma válvula de escape para as nossas torpezas e tem horas em que o humor é o melhor remédio, por outro é preocupante ver isso sendo usado para não só manter o status quo, como para criar uma classe de gente diferenciada, cool, moderninha, mas que não passa do velho de cara nova.

Esse Sr. Me Recuso a Acreditar que Isso Acontece é na verdade um ET em rápida passagem pela Terra porque só assim para não notar atitudes preconceituosas tão comuns.

Paulo disse...

"Eu"

Não se trata de um debate semântico. As pessoas informadas deste blog estão se referindo a um termo com tradição na literatura acadêmica.

Privilégio masculino, branco, hétero existe sim. Qualquer argumento feito do contrário, no momento atual, é feito pela ignorância.

Eu disse...

Eu sei que o machismo, o patriarcalismo, a herança judaica existem, meu caro. Não nasci ontem. Mas não venha dizer que o machismo é um privilégio, tá? Você sabe muito bem que os privilégios legais dos homens estão caindo um por um. A mentalidade machista e eclesiástica está mais difícil de cair e você não está ajudando em nada dando uma de paladino da justiça prá cima de mim, tá?

Eu disse...

Não se trata de um debate semântico. As pessoas informadas deste blog estão se referindo a um termo com tradição na literatura acadêmica.*

quiiii tradição acadêmica...a outra comentarista citou um post da nossa anfitriã aqui prá me iluminar quanto aos 'privilégios' em geral. Não vai me dizer que o post em questão virou literatura acadêmica...por favor!!

Paulo disse...

"Eu"

Como já disse e reafirmo. A questão do privilégio não se reduz a uma questão legal, e a literatura acadêmica deixa isso bem claro. Vai ler Dworkin, Butler, Wolf, etc. Não confunda usar a terminologia e reproduzir os diagnósticos que as autoras mais reconhecidas do feminismo acadêmico com tentar impor uma visão masculina, seria muito contra-producente.

Paulo disse...

"Eu"

Não me referi a post algum neste tópico que não fosse seu.

A.H.B. disse...

Aff.
"Eu", o Paulo não disse que machismo é um privilégio, mas que a sociedade machista faz com que os homens tenham mais privilégios.
E não estamos falando em um termo legal, no qual você fica insistindo, o que é surreal.
Em nossa sociedade, a maior parte da produção cultural é feita para a perspectiva de homens, brancos, heteros. São estes também os que possuem a maior parte da riqueza, os maiores cargos hierarquicos da sociedade, o papel de líderes religiosos, etc.
Só alguém vivendo em uma caverna acharia que os "direitos legais masculinos" estão sendo erodidos. E, ainda assim, por acaso igualdade legal e leis de pensão significam erosão do direito masculino?
Ainda assim, mesmo com mudanças legais, os homens continuam possuindo todo tipo de vantagem no mercado de trabalho, por exemplo.

Eu disse...

A unanimidade é burra. Sábias frases de um autor sexista, que óbviamente acharia saudável contestar a mais básica fórmula matemática de pitágoras, porque mantém a ignorância como princípio.*

Sim, a unanimidade é burra. É lógico que não é lei. Mas olha, graças a uma minoria que não votou em Hitler, a Alemanha pôde escapar da vergonha total.

A.H.B. disse...

Eu: citei o post da Lola porque se você vem a esse blog, deveria dar-se ao trabalho de ler o que a autora tem a dizer.

A Lola escreve a opinião dela aqui, que é embasada por literatura feminista.

Eu disse...

lola aronovich disse...

Eu (Moema), meu anjo, não é de hoje que vc está se fazendo de boba. Vc gostar ou não gostar do termo PRIVILÉGIO é totalmente insignificante. Este termo está sendo usado pelo mundo acadêmico faz vários anos. Vc não considerá-lo um termo “correto” ou relevante faz tanto sentido quanto vc discordar da palavra “gênero” ser usada para Estudos de Gênero, por exemplo. Então continue dando suas definições individuais do que vc considera privilégio, ou informe-se. Há vários livros escritos a respeito. É uma teoria crítica, geralmente associada a WHITE e MALE privilege.


Paulo, clique nos links WHITE e MALE,postados pela Lola.

Paulo disse...

"Eu"

Já havia feito isso. Que tal ler literatura feminista agora, para ficarmos quites? Eu particularmente gosto de Simone de Beauvoir.

lola aronovich disse...

"Eu" (Moema), eu só citei a Wikipedia pra ilustrar como o conceito de PRIVILÉGIO não é algo que eu inventei, é algo já muito bem fundamentado (leia-se: pesquisado, estudado, analisado) na academia. É que em outro post vc discordou do uso da palavra "privilégio", disse que não gostava dele, como se não fosse um termo já estabelecido, como se aceitar ou não que algo como privilégio existe é uma questão de opinião pessoal (como vc quer fazer crer). Anyway, como o Paulo já disse, vc foi direto na parte da Wiki que dizia o que o masculinismo acha da noção de privilégio... Tsc tsc tsc.

Obrigada, Paulo, por explicar como é feita a Wikipedia. Outro que conhece bastante, que já foi editor, é o Patrick, o recém-casado lá de Natal. Pessoalmente eu gosto da Wiki, não tenho preconceitos, acho uma boa introdução para muitos temas. Mas posso imaginar o que rola por trás de cada palavra... Só pra citar um exemplo: "masculinismo" na Wikipedia em português é um paraíso na Terra. Se nos basearmos nessa definição, os mascus realmente se preocupam com coisas importantes relacionadas a rediscutir a masculinidade e não são um grupo misógino e frustrado. Mas não há notícias de um só blog ou fórum mascu (nem no Brasil nem nos EUA) que se comporte desta forma descrita pela Wiki. Na prática a teoria é bem outra!

Sawl disse...

QUem acha que uma pessoa tem direito a previlégios por ser: homem, branco, hétero, não passa de um grande babaca!
Um mané que não avalia que os tempos mudaram, que a sociedade evoluiu. QUe sociedades onde o machismo impera(certos países árabes e alguns países africanos) a miséria, a corrupção, a ignorância, a opressão e as tragédias fazem parte do cotidiano da população.
Eu quero que a Lola comente sobre o Esquenta de domingo passado que fez enfoque sobre as "periguetes" termo perjorativo e machista, mas, que no programa foi mostrado como "bonitinho".
Quer dizer, uma mulher pode ter uma vida sexual ativa e livre, mas, aceitar este termo é se submeter a ser rotulada como um "pedaço de carne". EU moro no RJ e acredite, "periguete" é um termo extremamente OFENSIVO! Porque não se incentiva as garotas a serem: arquitetas, médica, jogadoras de futebol, juízas, pilotos de avião, etc? Só se incentivam as garotas a serem "periguetes" que correm atrás de jogadores de futebol, de pagodeiros, de funkeiros, de ricaços, como se isso fosse torná-las cidadãs. É triste. Gostaria muito que alguém comentasse sobre a exaltação da rotulagem de "periguetes" no Esquenta. Eu até gosto do programa, mas, não gostei deste enfoque. Machista e apelativo.
Outra sugestão para texto é sobre o projeto de lei da corajosa deputada Luiza Maia proibindo a contratação de bandas de pagode baiano que ofedem as mulheres. Minha opinião, o projeto podia se estender e também podiam vetar o uso de recursos públicos para grupos e "cantores" de funk proibidão em festas públicas porque todos eles só "cantam" letras extremamente ofensivas e misóginas inclusive de apoio a criminosos e a pedofilia!

Eu disse...

vc foi direto na parte da Wiki que dizia o que o masculinismo acha da noção de privilégio... Tsc tsc tsc.(Lola)

você vai negar que: "the myth that the male is culturally favoured ...is clung to, despite the fact that every critical statistic in the area of longevity, disease, suicide, crime, accidents, childhood emotional disorders, alcoholism, and drug addiction shows a disproportionately higher male rate."?

A homofobia é mais feroz contra os homens ou contra as mulheres? As negras sofrem tanto quanto os negros nas mãos da polícia abusadora? Pois é...ah, ai você vem com o homem, branco e hétero. Tem que ser os três, né? Nossos maridos, por sinal, hein?

Eu disse...

Mas não há notícias de um só blog ou fórum mascu (nem no Brasil nem nos EUA) que se comporte desta forma descrita pela Wiki. Na prática a teoria é bem outra! (Lala)

Ah, Lola, esse povo que posta essas besteiras masculinistas todas na net não pode ser levado a sério, não do ponto de vista sociológico, político e jurídico...são apenas maiores abandonados, precisando de tratamento psicológico ou muito colo de mãe, hein? São os seus bebês (carinhosamente)...rs

Eu disse...

Já havia feito isso. Que tal ler literatura feminista agora, para ficarmos quites? Eu particularmente gosto de Simone de Beauvoir. (Paulo)

Paulo, estou acabando As Sete Filhas de Eva, um livro chato sobre um assunto fascinante. O próximo provavelmente não será um título sobre feminismo, mas recomendo o Fat Is A Feminist Issue, citado pela Lola.

LisAnaHD disse...

"QUem acha que uma pessoa tem direito a previlégios por ser: homem, branco, hétero, não passa de um grande babaca! Um mané que não avalia que os tempos mudaram, que a sociedade evoluiu. QUe sociedades onde o machismo impera(certos países árabes e alguns países africanos) a miséria, a corrupção, a ignorância, a opressão e as tragédias fazem parte do cotidiano da população." --Sawl

meu marido tem todas essas tais características físicas e tudo o que conseguiu foi suado... fisica e intelectualmente... o mesmo se deu com o pai dele... ainda ontem li sobre dois países africanos que praticam escravatura através do tráfico de meninas pra serem prostitutas...

LisAnaHD disse...

Infelizmente a Wikipedia em português deixa sim a desejar e acho que é porisso que por aqui passa uma meninada que faz deboche qdo eu cito Wikipedia... em inglês é uma grande fonte de informação e até mesmo educação... em espanhol tb... existem profissionais altamente gabaritados que escrevem artigos científicos pra Wikipedia.... assuntos culturais em geral idem... é uma pena que os acadêmicos brasileiros e muitos em formação acadêmica o Brasil não tenham condições de usar todo o recurso que a Wikipedia oferece... e apelam pro deboche... too bad...

mas mesmo em português já encontrei muita coisa útil... depois expandi meu conhecimento lendo o artigo em inglês.

A.H.B. disse...

Sawl: erm... o Paulo não quis dizer que "acha que uma pessoa tem direito a previlégios por ser: homem, branco, hétero" - ele quis dizer que a sociedade ocidental ainda possui uma cultura que privilegia homens, brancos e heteros, por isso mesmo mulheres são tratadas como "pedaços de carne", como você exemplificou. E isso deve ser mudado. Pela forma como ele expõs sua opinião, a opinião dele é que os privilégios que algumas pessoas têm sobre outras, por causa dessas características, deve acabar.

ele, assim como o Patrick e o Lord Anderson, são alguns dos homens feministas que frequentam o blog da Lola.

Paulo disse...

A Wikipédia é um lixo pra qualquer informação mais precisa do que a data disto ou o nome daquilo. Ela é o grande apoio das pessoas que não querem se familiarizar com a literatura de qualquer assunto mas querem sustentar sua opinião em debates da internet.

E nego qualquer noção de privilégio feminino, pois isto não está respaldado em nenhum estudo científico ou embasado de qualquer maneira no campo das ciências humanas. Não adianta citar uma pustulazinha wikipédica. Recomendo que se informem com a literatura relevante ou parem de defender a postura reacionária.

O fato é que a Wikipedia é editada por um bando de manés filhinhos de papai sem formação acadêmica, e nenhuma universidade séria em lugar nenhum do mundo seria capaz de não dar risada e zerar a nota de qualquer aluno que utilizasse a wikipedia como fonte.

E digo mais, sustentar a idéia de meritocracia perante a discussão de privilégio é muita dissonância cognitiva. A noção liberal de meritocracia é falseada pelos estudos estatísticos do privilégio. Essa coisa de reacionário nesse blog já ficou cansativa, que tal passar a opinar por um viés feminista, pode ser?

A.H.B. disse...

@Paulo: Na faculdade eu fiz um trabalho SOBRE a wikipedia, analisando como textos de eventos históricos nela - em inglês ou nas traduções incompletas em português - são escritos a partir de perspectivas tradicionais e ignoram a existência do debate historiográfico acadêmico, geralmente reproduzindo as visões do senso comum sobre o evento em questão.

ana_alice disse...

o trecho diz "rights or STATUS" -> a lei não ser discriminatória não significa que a sociedade não seja. há costumes, práticas, tão incorporados, que são muito mais difíceis de se combater. mas eu tenho certeza q quem leu sabe disso e está se fazendo de desentendida.

sobre as senhoritas validadoras, eu sempre acho q são mulheres numa posição bem privilegiada (brancas, magras, hetero, jovens, de classe média, com boa escolaridade, consideradas bonitas, de preferência tudo junto num combo), q não enfrentam nenhuma outra forma de opressão sem ser a de gênero. e mesmo essa é suavizada já que é uma experiência de vida super protegida pelos demais privilégios.

considero essas meninas iguais àquelas q vão à marcha das vadias mas não se dizem feministas. com a diferença é q essas supostas feministas leram sobre o assunto e sabem q podem se intitular assim (mas o pensamento é o mesmo, pode ver).

elas dizem q ser objeto é legal, uma escolha livre, q quem reclama queria ser julgada pela beleza interior (ahahaha juro q eu li isso), q sexo é bom (oi? cadê o foco?), como se alguém estivesse implicando com uma mulher querer se sentir gostosa ou até mesmo controlar as práticas sexuais individuais da criatura.

preferem ignorar q o problema é q essa cultura de apreciação e aprovação (ou não) dos corpos femininos acaba se estendendo pra onde não devia, por exemplo, pro ambiente de trabalho. se muitas mulheres ainda são assediadas por chefes só pq são bonitas ou deixam de ser escolhidas em entrevistas de emprego só pq são feias (leia-se: negras, nordestinas, gordas, velhas), é graças a esse pensamento q reduz a mulher ao corpo.

fora q é muito fácil pra uma patricinha universitária dizer q gosta de ser julgada o tempo todo pela aparência quando não é ela q é assediada todo dia, como muitas meninas q moram em favelas; quando não é ela q sofreu um abuso sexual na infância; quando não é ela q teve a auto-estima destruída, etc. livre escolha só vale pra pessoas como ela, oq é no mínimo egocêntrico. é uma questão de bom senso: combater esse pensamento sexista prejudica alguém? não. beneficia alguém? a todas.

então quando alguém reclama de práticas sexistas, de piadas machistas, de comerciais como o da Hope, elas dizem q isso é falta de senso de humor, exagero, vitimismo, radicalismo, coisa de mulher feia e mal comida, etc. quer dizer, a validadora se alinha muito mais ao pensamento machista do que feminista.

aliás, muitas delas se definem como pós-feministas, né? numa vibe "i'm over it" pq esse "it" não incomoda pessoalmente. outro dia li algumas delas dizendo q feminista de verdade é valesca popozuda. sério, uma mulher que canta "toda mulher de verdade quer um otário pra bancar". HAHAHAHA super feminista, só que não.

enfim, eu até me questiono qual é foco dessa gente, pq se tudo é considerado radical e exagero, oq elas querem qd se dizem feministas? se é q querem alguma coisa... algumas q eu vi tendo esse tipo de discurso validador só falam do aborto, ponto. todo mundo falando do comercial, tralala, e aí vinham as pérolas: "enquanto vcs perdem tempo falando disso, poderiam estar lutando pelo aborto". tipo esses "progressistas" q minimizam a causa feminista pq "desigualdade econômica é mais importante", etc.

parece q a questão do aborto é a única q elas enxergam pq é obvia, tem uma lei proibindo. esquecem q diferença salarial não é uma questão de lei e tem muito a ver com mulheres serem consideradas menos inteligentes/capazes. mas ser julgada pelo corpo é muito bom, néam? :)

lola aronovich disse...

Excelente comentário, Ana Alice. Concordo muito contigo.
Acho que o debate de algumas dessas feministas não é se sexo é bom, mas sim que pornografia é algo fantástico. Não só porn feminista, mas toda a pornografia, inclusive a mainstream, e feminista que diz que não só pode ser puritana, frígida e mal amada. E ai se alguma feminista falar em abuso sexual, estupro, grosserias na rua... Aí somos vitimistas. Elas nunca mencionam nada disso. É como se não existisse. E zero de crítica a qualquer comercial, filme, novela, piada, música, livro, qualquer produto cultural que possa ser visto como machista. Isso é perda de tempo. Então sobra o quê? Sobra passar o tempo criticando as feministas que fazem tudo isso, dizer que não somos feministas “de verdade”. Mas pô, assim fica fácil ser feminista, né? Dá pra ser best friend forever dos maiores machistas da internet, que também odeiam as outras feministas – que eles consideram radicais e chamam de feminazis – e validam essas, que não brigam contra o machismo (única bandeira além de criticar o feminismo é o aborto, concordo contigo). Pessoalmente odeio essas birrinhas entre feministas e pós-feministas, entre feministas mais jovens e mais velhas. E não julgo o feminismo de ninguém. Se alguém se diz feminista, não vou ficar testando se a pessoa é ou não feminista. Mas essas feministas não são assim. São elas que desqualificam as feministas que não pensam como elas. E tem a palavra PRIVILÉGIO escrito em cima de tudo. Porque é uma defesa elitista do que é ser feminista. Pra ser considerada feminista por elas, tem que ter lido as autoras feministas que elas mandam. Se não tiver lido teoria feminista (mas não qualquer uma; danem-se as teóricas da segunda onda, totalmente ultrapassadas), não é feminista e acabou. Sei lá, eu quero mais é que alguém (principalmente as adolescentes) se diga feminista, se interesse pelo feminismo, e aí vá ler teoria. Não que essas meninas sejam barradas logo na entrada por essas hostesses do feminismo.
Muito interessante isso tudo que vc falou, Ana Alice, porque eu não tinha pensado nesse tipo de feministas como validadoras. Mas são, né?

A.H.B. disse...

@lola

é, isso é importante. Agora, não diria que uma mulher está sendo validadora porque recomendou que alguém fosse ler certo livro. Se não, de onde iremos produzir nossos argumentos?
Acho importante que moças jovens se interessem por feminismo, mas é importante reconhecer que é um movimento apoiado por excelentes autoras, cujos trabalhos valem a pena ser lidos.
Acho problemático parecer imposição intelectual indicar livros a alguém que sequer se intitula como feminista, por exemplo. A pessoa aparece dizendo algumas besteiras como se fossem verdades e o único meio de argumentar é falar "olha, não é bem assim, tem uma bibliografia enorme sobre isso" e citar essa bibliografia.
Obviamente reconheço meu privilégio por ter feito uma boa universidade e acho que todas as pessoas deveriam ter direito ao acesso a uma educação completa, porém, em um debate na internet, não acho correto perdoar anti-intelectualismo e desonestidade.

A.H.B. disse...

Ah, mas sim, é bem comum um pessoal pós-moderno que gosta de ignorar a segunda onda. É interessante, porque acho que a segunda onda produziu praticamente toda a fundamentação teórica, então esse negócio de "pós-feminismo" parece coisa de gente de primeiro mundo ou de elite ignorando a continuidade do sexismo na perferia, na distribuição de poder e no próprio modelo econômico.
Nesse caso da cantora de funk, acredito que é o pessoal que vai dizer que "é tudo uma questão de discurso e postura", então se a cantora tem um discurso no qual ela se coloca como alguém que "usa" os homens, ainda que dentro de papéis tradicionais, ela está invertendo esses papéis. Em minha opinião, isso é besteira e continua sendo uma relação em que a mulher não possui independência econõmica, por exemplo.

lola aronovich disse...

AHB, eu sou professora universitária, faço pesquisa... não vou ser anti-acadêmica nunca! Detesto anti-intelectualismo, acho uma praga de quem tem medo de aprender. Não tenho nada contra teoria feminista, muito pelo contrário. É ótimo poder contar com todo um arcabouço teórico em vez de ter que fundir a cabeça e tentar descobrir a roda a cada momento. Todo mundo deve ler teoria feminista. Devemos recomendar bibliografia. Não tem nada de imposição intelectual nisso, nem de carteirada. Mas não é disso que estamos falando. O que eu não concordo é que pra pessoa se considerar feminista ela tenha que ter lido teoria feminista. Claro que é excelente que leia, tem mais é que ler. Mas desqualificar o feminismo de alguém que se declara feminista porque essa pessoa não leu as autoras A, B, C e D é ridículo. Pra mim, é elitismo mesmo. Imagina só uma menina de 15 anos quese revolta contra algumas coisas que observa, fala com amig@s, lê blogs, tem uma visão mais crítica do mundo, e finalmente se declara feminista (o que não é fácil; a contrapropaganda é forte). A gente vai barrá-la e dizer: Opa, peraí, vc não é feminista até ler Judith Butler? Eu prefiro que a pessoa se diga feminista, sinta-se à vontade, vá lendo cada vez mais, encontre a teoria, cresça... Mas sem imposições. Sugestões e imposições são coisas completamente diferentes. Ninguém é validadora por sugerir leitura de livro, nem que seja de livro da Camille Paglia, ha ha. Mas a pessoa é meio validadora se fizer as mil e uma coisas que eu e a Ana Alice citamos nos comentários aí atrás.

A.H.B. disse...

Aah, saquei. Tem razão, Lola e Ana Alice.
Desculpe, é que concordei absolutamente com o que a Ana A. tinha postado e com praticamente toda sua resposta a ela, Lola, principalmente quanto a refletir sobre o próprio privilégio e as estratégias em chamar pessoas novas a um grupo progressista, não formar uma panelinha impenetrável, etc.
Foi só esse ponto que expressei que precisei de esclarecimento.
Obrigada pela explicação. :)

lola aronovich disse...

Se tem uma Srta Validadora neste mundo, essa é a Camille Paglia, vamos combinar... Não é à toa que ela tenha tanto espaço na mídia mainstream. Uma feminista que critica as feministas – o que mais o backlash pode querer da vida?
E se de repente as feministas que atuam como hostesses (barrando e liberando a entrada pra boate) do feminismo e dizem que a menina que se assume feminista só pode ser considerada feminista se tiver lido Paglia? Tudo bem? Tipo, quem decide a bibliografia? Qual teoria feminista aquela menina que se assume feminista precisa ler? E se ela quiser ler só as autoras da segunda onda? Aí não será considerada feminista? Se embarcarmos nessa furada, estaremos avaliando quem é mais ou menos feminista. Ah, sou mais feminista que vc porque sou mais velha e sou feminista desde os 8 anos, quer dizer, 8 anos não, que parece que foi decretado outro dia que não existe menina feminista ou criança pensante, aquela Riley do vídeo que todo mundo já viu não pode ser considerada feminista jamais... Ah, sou mais feminista que vc porque não só li tais autoras como escrevi artigos baseados nessa teoria... Quem seria essa banca examinadora do feminismo? Detesto isso. Elitismo puro. Claro que tem muita feminista que já faz isso... Eu não faço. E se a Valesca Popozuda se disser feminista, por mim ela é feminista. Mesmo que ela nunca tenha lido teoria.

Sara disse...

Lola é por vc pensar assim, que cada vez mais pessoas se interessam em te ouvir e aprender com vc, realmente a cada dia que passa tenho mais certeza que vc é a porta voz de muitas mulheres, não só de um grupo de privilegiad@s.
Obrigada.

Bruna B. disse...

Paulo Roberto


A demente, vulgo escritora, da matéria que você citou perdeu uma ótima oportunidade de ficar calada.
Como é que é? Uma mulher só é feliz quando tem um macho para chamar de seu?



Com licença, vou ali vomitar e já volto.

Raphael disse...

A Má Notícia é que o forum dos homens honrados acabou.

A Pior Notícia é que agora a Lola vai ficar sem idéias...

A Péssima é que foi tudo culpa dos Sanctos ='(

Sara disse...

Bom Raphael depende do ponto de vista, achei o encerramento de um blog que ficava desqualificando as mulheres, e pregando ódio ao desejo delas por direitos iguais aos dos homens uma ótima noticia, obrigada. Só espero que não reabram ou fiquem como estão fazendo no 'questionando o feminino'que disse que encerraria aqueles posts nojentos, mas fica toda hora voltando para postar mais porcarias.

carolinapaiva disse...

Raphael

Se fosse realmente um fórum de "homens de bem", não teria acabado. Isso diz muito sobre a "ideologia" de vocês.

yulia2 disse...

A Má Notícia é que o forum dos homens honrados acabou.
_________
acabou por enquanto... depois , eles voltam... eles sempre voltam.
È como matar barata, mata uma , aparecem mais 10 ....

yulia2 disse...

os homens honrados migraram para o canal do búfalo...

Eu disse...

Paulo, estou esperando os links para os trabalhos acadêmicos acerca do Male Privilege, viu?

Enquanto isso, no posto de sra. validadora gentilmente a mim outorgado pela anfitriã e boss, e com a devida venia desta, dê uma olhada nesse episódio e me dê sua opinião sobre
a atitude da cética D. Rebecca Watson diante do 'quasi-estupro' no elevador e os comentários do
guru do ateísmo atual, Sr. Richard Dawkins.

http://blogs.discovermagazine.com/badastronomy/2011/07/05/richard-dawkins-and-male-privilege/

Daní Montper disse...

Todos são horríveis, mas os que mais me irritam são o da piada e a validadora.
Inclusive, acho que devemos ter mais debates sobre as piadas e as validadoras no meio feminista.

Não gosto de pós-feminismo, pois dá a entender que o feminismo não é mais necessário, que já conquistamos a igualdade, e os antifeministas adoram isso.

Raphael disse...

Os Guerreiros estão lutando arduamente para restaurar a Obra. Muitos textos já haviam sido guardados voluntariamente.

Vocês comemoram a queda do portal dos Homens Honrados. Mas os autores foram os Sanctos, muito piores =P.
Mas não aprovo essa atitude deles. Pura molecagem. Por mim eu usava o Silvio Sancto para difamar as feministas. Difamar aliado por dissidência é criancice.

O que está em jogo aqui não é quem está correto. Se as feministas ou os masculinistas, mas como ocorreu o negócio.

Isso em nada configura declínio do masculinismo. Estou realmente surpreso em constatar que dezenas de guerreiros guardavam os textos consigo para essas eventualidades.
Só um ignorante acharia que um grupo crescente de pessoas dedicadas não tem futuro.

Um problema é que eles são meio bananinha, uma vez eu sugeri dizer que os sanctos eram uma possível conspiração não de doentes, mas de feministas querendo difama-los, e quase todos disseram: "Nós somos homens honrados. Não iremos fazer joguinho e muito menos mentir!"

Luiz Prata disse...

@Liana (a verdadeira)
Bom saber! Bjs.

Sobre a wikipedia, o conselho é: "Use com moderação". Ou, como já foi dito, ter como ponto de partida, não de chegada. Comparar com as páginas de outros idiomas e consultar as referências na parte de baixo das páginas. E mesmo assim consultar outras fontes.

Sobre o pior dos tipos: acho o Psico-Evo (ou, como diriam no twitter, o "Aponta-Estudo"), pois tenta dar um aval "científico" ao sexismo e usar este aval como escudo anti-críticas, além de induzir leitor@s a erro por sua aura de "seriedade".

LisAnaHD disse...

"A Wikipédia é um lixo pra qualquer informação mais precisa do que a data disto ou o nome daquilo. Ela é o grande apoio das pessoas que não querem se familiarizar com a literatura de qualquer assunto mas querem sustentar sua opinião em debates da internet." --Paulo 01:40

Isso me faz lembrar qdo cientistas e alguns acadêmicos brasileiros, após receberem a visita de Einstein no Brasil, mas antes de Einstein ter seu trabalho mundialmente reconhecido, os brasileiros que o receberam disseram que não encontraram nada de excepcional nas ideias de Einstein. A matéria eu a localizei há alguns anos via net (antes do Google)... havia uma foto em preto e branco de Einstein em meio aos brasileiros do tal comentário...

Qdo se trata de pesquisas, pra mim nem sempre o Google é minha primeira opção e muitas vezes eu encontro excelentes links não apontados pelo Google... na verdade eu não uso o Google como minha primeira tentativa ao buscar algo na net...

LisAnaHD disse...

Há vários anos eu tinha vontade de ler "Le Journal d'un Curé de Campagne" porém eu havia me esquecido o nome do autor e nem me lembrava ao certo o título do livro. Dia desses, na prateleira de livros de um brechó que vende de um tudo, dei com "The Diary of a Country Priest", by Georges Bernanos, e me ocorreu que fosse o livro de meu interesse. O preço da preciosidade? US$.25 (vinte e ciunco centavos).

Em casa, entrei no site www.Amazon.com e dei uma checada, depois foi verificar com a Wikipedia e li a página em vários idiomas. Considerando que o escritor francês viveu no Brasil por alguns anos, devidamente estabelecido, e a casa dele até virou museu, eu esperava BEM MAIS da Wikipedia em português, mas não foi o que ocorreu.

Quem tiver interesse, verifique por si só... em português, inglês, francês, espanhol, italiano... idiomas dos quais posso tirar vantagem... uns bem mais do que outros....

LisAnaHD disse...

Lola querida, clicando aqui e ali cheguei acá
http://www.youtube.com/watch?v=4EHsKBUyq8M&feature=related

é o hino nacional argentino cantado a letra na tela....

yulia2 disse...

Isso em nada configura declínio do masculinismo.
_____________
Isso quer dizer que os criminosos tem que mudar de hospedagem constantemente para despistar a pf.
não chora não... já já eles reaparecem em outro portal com outro nome.

LisAnaHD disse...

Lola, vc já viu esses dois vídeos? (criança na TV brasileira imitando a Beyoncé)

http://www.youtube.com/watch?v=T_miXX5Gi1Y&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=3rKfiXR72_4&feature=related

não houve voz pra protestar contra? a censura tá assim totalmente liberada???!!!!)

Sawl disse...

PARA LisAnaHD

Querida eu NÃO quis generalizar. Acho que vc não compreendeu o que quis escrever.
TODOS merecem um "lugar ao Sol" desde que façam por merecer.
EU não quis dizer que "homens brancos e héteros NÃO merecem privilégios, bons empregos, bons salários, etc.
Apenas quis colocar que para quem é racista e machista SOMENTE quem tem estas características é que merecem oportunidades.
NÃO quis desmerecer seu marido e nenhum outro homem com estas características. Meu pai também é branco e é um homem muito batalhador, honrado e de ótimo caráter que sempre batalhou por tudo que conseguiu.
Tambem falei das sociedades árabes e africanas que tem culturas extremamente misóginas.
Inclusive no Congo, os homens(na verdade, "ratosde duas pernas" que não honram as calças que vestem) que fazem parte tanto da guerrilha quanto do exército se acham no "direito" de estuprar mulheres e até mesmo crianças com o argumento que eles tem "vontade" e merecem por ser "homens". Eu vi reportagens e vi um documentário muito chocante da HBO sobre a situação das mulheres do Congo violentadas e sem NINGUÉM para ajudá-las e punir estes vermes!
Na Índia e se não me engano no Congo e outro país africano estão fazendo tráfico de meninas, um absurdo!
Porque ninguém, incluindo os Direitos Humanos não fazem NADA pelas mulheres e crianças destes países?!
Enfim, ignorância, preconceito, opressão e violência NÃO tem raça específica, mas, uma coisa é verdade são sociedades dominadas por homens(ou melhor dominadas por covardes!).

LisAnaHD disse...

"10 de janeiro de 2012 20:15
Sawl disse...
PARA LisAnaHD blablablabla..."

vc é prolix@ pra esclarecer algo que poderia ser feito com meia dúzia de palavras !!! e nem me lembro de ter feito meu comment em resposta ao seu !!!!!

LisAnaHD disse...

OK.. reli e encontrei seu texto, o do mané?

cabanadeinverno disse...

Creio que as validadoras são tensas. Sujeito começa a se apegar nisso e não tem mais discussão.

Raphael disse...

Não entendo porque pras feminazis masculinismo é crime.... Se feminismo que devia ser.

Raphael disse...

Tem uma galera do novo forum afim de manter uma relação cordial com a Lola. Resolver as divergencias como pessoas civilizadas.

Mas outros acreditam que a Lola fará o possível para difama-los.

Lord Anderson disse...

AH

tem hora que a idiotice é muita.

Serio, Raphael? a Lola difama-los?

Não os sanctos, não as besterias que vcs escrevem lá, não as idiotices que vc escreve aqui, mas é a Lola que vai difama-los?

Raphael disse...

Tanto faz, Meu Lorde. Só estou dizendo os fatos. Eu sou a favor de parar com essa pirraça de ambas as partes e ambos conversarem como seres humanos civilizados.

yulia2 disse...

Não entendo porque pras feminazis masculinismo é crime.... Se feminismo que devia ser.
________________

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
feminismo deveria ser crime?
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

queria saber qual é o crime que o feminismo prega? to curiosa agora....se fosse crime..a Lola e tantas milhares não botavam a cara prafora, vcs se escondem típico de marginal.
porque será que o atirador de realengo botou fogo no pc antes de matar as meninas hein??? huuuummmm

mascumachista incitam o ódio a mulher pregam o estupro pedofilia, homofobia... etc.
Por isso que vivem fechando e abrindo foruns... mudando de hospedagem para despistar a polícia, mas não adianta, uma hora eles pegam. e quando pegar eu vou rir muito vendo o datena falar: BOTA A CARA DO VAGABUNDO NA TELA...ME AJUDA AEEEE!!! rsrs

Sawl disse...

Para Raphael
Os mascus são tão estupidamente irônicos que até me fazem rir(rsrsrs).
Por favor sr Raphael, o que o feminismo já fez de criminoso?
As feministas mais extremistas(que são minoria) até falam mal dos homens, mas, não pregam agressão e morte a eles.
Você NÃO entende porque masculismo é crime?
Ora ou você é MUITO burro(o que eu acredito mais) ou é muito ingênuo!
Em TODOS os fóruns masculinistas é pregado que as mulheres devem ser(os menos radicais, hein!) ofendidas e humilhadas, mas, boa parte dos blogs e fóruns mascus pregam que mulheres devem ser agredidas, assediadas, estupradas e até mortas!
Em sites e fóruns mascus pessoas negras são ofendidas seriamente! Existe uma séria apologia ao racismo!
Também existe a apologia a pedofilia. Ou você acha que um homem adulto ameaçar estuprar a neta de 3 anos de uma mulher NÃO É GRAVE?!
Nem a mais louca e insana das "feministas"(muitas vezes são mulheres machistas, isso sim) jamais iriam pregar a violência contra qualquer pessoa!
Invés de pregar o termo "nazismo" a mulheres que só querem direitos e deveres iguais a todos os seres humanos, vc devia aceitar que o masculinismo é na verdade "masculinazismo"!
Se você não reconhecer tudo de ruim e criminoso que estes blogs e fóruns misóginos pregam ou vc é muito ignorante ou é só mais um psicopata!

Faye Gabriela Maciel Cardoso disse...

Lola, conheci hoje seu blog, interessante como o assunto gerou tanta polêmica.
A sincera opnião de uma pessoa leiga no assunto, desde criança somos obrigadas a aceitar o machismo, quando eu tinha uns doze anos ao ouvir uma mulher com um filho nos braços, fruto de um relacionamento casual falar que o bem mas precioso que a mulher tem é a virgindade eu rebati falando que não achava que era virgindade que eu achava o meu bem mais precioso o caratér, ao que eu sai do ambiente ela falou para a minha amiga que ficou, que eu iria perder a minha cedo, ou seja, através desse caso fica claro, que se rebatemos uma opnião contraria a opnião de massa que é machista, todo mundo cai contra você, e continua sendo assim, até hoje comigo, toda vez que eu falo que a mulher tem direito ao seu corpo sem ser julgada e outras coisas se não ouço criticas, com certeza um olhares reprovadores e zombeteiros me acompanham.

Só queria falar o ponto de vista de uma pessoa comum, um pouco introspectiva, e com pouco conhecimento na área do feminismo, não que eu seja feminista, só se vejo que algo está claramente errado na percepção das pessoas até na minha procuro refletir, acho que só assim podemos ter a igualdade entre gênero, raça, etc...

Desculpa se falei besteira, se falei algo errado pode corrigir.

Faye Gabriela Maciel Cardoso disse...

Obrigada por me iniciar numa coisa que valha a pena pesquisar.

LisAnaHD disse...

Faye, até na virgindade o homem leva vantagem... é possível provar se uma mulher é ou não virgem... já o homem não carrega nenhuma marca física se é ou não virgem...

Sawl disse...

PARA Faye Gabriela Maciel Cardoso

Cara Faye.
Seja bem vinda a este ótimo blog.
Sei que afirmação da LisAnaHD é verdadeira no sentido FÍSICO mas no sentido moral, a sociedade que sempre "castrou"(metaforicamente falando) as mulheres.
Veja o caso das religiões cristãs(Católica e Protestante) a virgindade sempre foi cobrada apenas da mulher e NUNCA do homem, até porque Igreja e Sociedade SEMPRE foram controladas por HOMENS! Então eles nunca cobrariam conduta sexual discreta deles mesmos. Inclusive ainda hoje muitos não consideram um cara casado ficar com várias mulheres como traição, mas, uma mulher casada ficar com um outro homem a história é "diferente".
A questão aqui Faye é como muitas mulheres(como postou aqui a Lola "validam" o machismo). É o caso desta mulher com um bebê de dois anos no braço. Pela idade do bebê presumo que ela seja uma mulher jovem. Ou seja em pleno século XXI muitas mulheres jusitificam um sistema que as oprime. Ou seja, acreditam que elas e todas as outras ou são "santas" ou são "putas".
Conheço o caso de um rapaz que era namorado de uma garota. Quando a família dele descobriu que ela tinha morado(bem antes de conhecê-lo) com outro homem, o obrigou a terminar com ela, mesmo a mulher sendo uma médica bem sucedida. Resultado, o homem conheceu e casou com uma "mocinha do interior" de família tradicional, que nunca teve namorado, e, em menos de 1 mês morando em outro estado, ela tinha o traído com vários homens, até mesmo com o irmão do marido!
O que importa na pessoa(seja homem ou mulher) é o CARÁTER e a DIGNIDADE!
Homens não são "santos" e "putos"(no masculino, infelizmente não é tão agressivo) são homens. Mulheres também não são uma dicotomia, são seres humanos com suas diferenças e complexidades.
Não adianta reclamar do machismo de alguns homens, se algumas mulheres JUSTIFICAM!

Faye Gabriela Maciel Cardoso disse...

Sawl,

Sim entendi o que a LisAnaHD disse, entendo também o que você quis dizer, concordo também que a sociedade foi deveras injusta com as mulheres em tudo inclusive, como impedi-las do conhecimento, de explorar seu corpo enfim, quase tudo para elas serem submissas e comportadinhas.

Obrigada pela recepção, tenho um pouco de receio de comentar em blogs e discussões em geral, prefiro ler o que as pessoas escrevem refletir sozinha.

Esses Mascus existem mesmo? Parecem ter saido do filme Laranja Mecânica, com essas ameaças de estupro e violência do nada, esqueça é melhor não dá ideias para esses meninos. Pelo o que eu li que a Lola postou e que pelo que os proprios escrevem foi essa a conclusão que cheguei, que devem sofrer de algum distubio emocinal, apesar de não ser psiquiatra fica claro para uma leiga.