terça-feira, 4 de outubro de 2011

TÁ TUDO DOMINADO

A foto acima é uma das três que Rafinha Bastos divulgou à quase meia noite de ontem, junto ao tweet “Que noite triste pra mim”. Nas outras duas, que reproduzo aqui no post, uma moça faz massagem no humorista; e duas mulheres o cercam. Ao fundo, seus integrantes de CQC olham da tela pra ele, fingindo indignação. Ainda estou indecisa sobre qual foto é a mais reveladora — essa de cima em que Rafinha ri da Vejinha SP, que lhe dedicou uma matéria de capa chamada “O Rei da Baixaria”, ou a outra dos integrantes do CQC observando sua ovelhinha desgarrada. Vou ficar com a segunda foto. Pra mim, ela simboliza a armação que vem sendo feita pela Band nessa história de suspensão. Porque é óbvio ululante que Rafinha não faria nem divulgaria essas fotos sem o conhecimento do CQC e da emissora.
Eu sou ingênua, mas nem tanto. Eu não achava jamais que Rafinha poderia ser demitido da Band. Ele é famoso, faz sucesso, e tem muitos fãs — que adoram as piadinhas preconceituosas do ídolo. Aliás, se isso for algum indicativo, recebi ontem uns 70 recados de fãs do Raf entre comentários no post e tweets. 99% vinham com ofensas às mulheres, seja a mim — deletei os piores, aqueles que torciam pra que eu fosse estuprada —, ou às duas moças famosas que ele insultou, Daniela e Wanessa. A linha geral é que eu, elas, todas as mulheres, merecemos ser xingadas. Misoginia escancarada mesmo. Esses são os espectadores do CQC, o que põe por terra qualquer ilusão de que o programa é inteligente (porque preconceito é burrice, e só algo muito preconceituoso pra atrair tantos iguais). Suponho que eles devem sacrificar suas mentes ao deus-TV diariamente. Enfim, eu não apostava em demissão do Rafinha. Mas pensei que, sei lá, uma suspensão pudesse ser de um ou dois meses. Até acalmar a situação.
Nada disso. Ontem no almoço um leitor me enviou um link pra um pequeno artigo do Daniel Castro, que traz várias informações relevantes: Rafinha teria sido afastado por apenas um programa (o de ontem); esta foi uma resposta para os anunciantes, mas também uma estratégia para tirá-lo de cena, porque ele estaria sendo massacrado (pausa pra eu secar as lágrimas); semana que vem ele já estaria de volta, inclusive para apresentar um especial pro Dia da Criança. Ah, o amor!
Como me senti ao ler isso? Feito uma otária. Quer dizer que todo esse carnaval, todo mundo só falando no sujeito e seu programa medíocre, é por causa de uma suspensão de uma semana?! Ou seja, se ele estivesse resfriado e tivesse que faltar a uma semana de trabalho, daria na mesma. É absurdo. E tudo bem que a Band queira enganar toda uma seita de tapadinhos — os fãs do CQC — plenamente dispostos a serem enganados todo dia. Mas e eu e tantas outras pessoas que têm o bom senso de não dar audiência prum tipo de humor que perpetua preconceitos?
E aí, horas depois, aparecem as três fotos que Rafinha postou no seu Twtitter. O que comprova minhas suspeitas de que foi — é — tudo uma maracutaia. Um golpe de marketing pra promover o programa e limpar a barra de um de seus humoristas. “Não viaja, Lola” disse-me uma das fãs do CQC no Twitter, “foi supensão mesmo e as fotos mais uma babaquice dele. Pagou por elas, os fãs adolescentes adoraram, rs”. É, risos. Vão ter que me convencer que a Band não articulou as fotos com Rafinha.
Não sabemos quanto disso tudo foi uma encenação. Tudo? Até a indignação do Ronaldo e Marco Luque? Creio que não. Mas creio também que todos, ou quase todos, sabiam que a suspensão seria por apenas uma semana. E sabiam que haveria divulgação de fotos rafísticas de “Que noite triste pra mim”. De uma forma ou outra, tod@s nós (e fomos muit@s) que escrevemos sobre a suspensão ajudamos a azeitar uma engrenagem publicitária.
Não estou arrependida de ter escrito o post de ontem ou qualquer outro que já escrevi sobre esse pessoal. Afinal, o machismo transparece até numa armação. Até num joguinho de cartas marcadas em que somos informados de todos os pedidos de desculpas dados ao marido de Wanessa (e aí? Li em algum lugar que Buaiz estaria pensando em processar Rafinha — duvido), fica claro mais uma vez que o CQC desrespeita as mulheres. Fiquei feliz de ter percebido ontem que ninguém pediu perdão às mulheres; no máximo, a seus maridos. E mulher anônima sem homem não merece perdão algum, lógico (adorei o que uma leitora narrou: que, numa dessas grosserias que ouvimos na rua, um sujeito de bicicleta gritou o de sempre, “Quero te chupar todinha”, ou algo assim. Só que aí ele percebeu a aliança no dedo da leitora e pediu desculpas. Ele não sabia que ela era casada! Porque tudo bem ser grosso e invasivo com uma mulher sozinha — logo, disponível — mas desculpaí mexer com propriedade alheia!).
O caso todo também abre alguns precedentes interessantes, como os próprios membros do CQC romperem seu discurso constante de “É só uma piada! Humor não pode ter limites! Humor sempre faz vítimas! Ceeeensuuuraaa!”.
Mas que é ruim se sentir manipulada, ah, isso é.

221 comentários:

1 – 200 de 221   Recentes›   Mais recentes»
Angi disse...

Lola,
não acreditei mesmo!
que eles continuem sacrificando o "cérebro" inútil deles ao programa mais tosco da tv!
tô ficando com sanguenozóio dessa band...desse rafinha...e dos homens idiotas que apóiam esse programa ridículo!
beijos querida

Isabela Candeloro Campoi, disse...

Bem, eu acompanho essa polêmica só pela internet mesmo: não consigo ver mais tv, quase não ligo no meu cotidiano. Só vejo jornal local e alguns nacionais. O conteúdo das fotos do rapaz só confirmam a postura dele: lamentável...!

Eduardo Marques disse...

Às vezes eu fico realmente em dúvida se foi tudo realmente armação ou se apenas estão reagindo com "bom humor". Se o Rafinha fasz piada de tudo, poderia estar fazendo piada disso também, sei lá.

João B disse...

Lola, não sou fã de Rafinha Bastos, tampouco do CQC. Concordo que os pedidos de desculpas são demostração de machismo, mas só concordo com isso. Uma piada é uma piada, se ela não te faz rir é só desligar a TV. Cobrar "decoro" de um humorista é demonstração de conservadorismo, um conservadorismo do qual a TV brasileira está cheia. Ele se mostra em programas como Zorra total, por exemplo. As piadas inócuas e previsíveis servem muito mais à manutenção de preconceitos do que um humor provocativo. Pra não falar da redução da mulher a bundas, peitos e coxas. Penso que o machismo e o preconceito dissimulados pela mascara do politicamente correto são muito mais perigosos porque deles nós sequer nos damos conta. Lola, que fazemos então, banimos o humor provocativo e as vezes incomodo do Rafinha e ficamos com o humor estupefaciente do Zorra?

Um abraço.

Ivan B. Prado disse...

Engraçado que das mulheres que aceitaram posar de "escravas sexuais" do Rafinha você não fala nada, né? Ou vai dizer que elas são vítimas de um "mercado machista de prostituição" ou coisa parecida.

Como é fácil radicalizar sem ter auto-crítica...

Omar Talih disse...

O que falar de um cara que se não fosse Judeu, seria Nazista? O Rafa tem tudo de nazifascista, sua atitudes não enganam.

J. Machado disse...

Fotos nojentas! Mostram que vc querer fazer o certo, lutar pelo bom senso, pelo respeito mútuo é um trabalho todo em vão!
O cara solta ofensas, agressões gratuitas para todos os lados e ainda sai por cima, postando fotos que revelam uma "triste noite de luxúria". Me senti mentalmentte estrupada com isso.
Indignação é pouco diante do que sinto.

Lucas disse...

João B.

"Comia ela e o bebê" e "quem estupra mulher feia merece um abraço" são provocativos, questionadores, onde?

Ivan B. Prado disse...

A propósito: mais munição para você praticar o seu feminismo de trincheira:

"Oscar Maroni é condenado a mais de 11 anos de prisão em SP" - http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/985236-oscar-maroni-e-condenado-a-mais-de-11-anos-de-prisao-em-sp.shtml

Vai, fala que todas as prostitutas que trabalharam lá foram obrigadas, eram vítimas de uma sociedade misógina, blá blá blá.

Filipe disse...

Ahh já imaginava, assim como a indignação do Marco Luque e do Tas pelo comentário do colega, ora eles sabem muito bem o que fazem...

Piada mesmo somos nós, ou melhor, nós não, porque vi que seus leitores não assistem o programa, mas as pessoas, homens e principalmente mulheres que gostam de "rir de si próprio" (e humilhar os outros né), e perpetuam esses programinhas preconceituosos se achando super liberais e espertos!

Gabi disse...

Ivan,
a maior parte das mulheres, também é machista. E o que vai ser dito das moças que estavam lá trabalhando? Que elas não deviam se submeter a um trabalho desse? Cada um sabe de si e se elas não veem problemas com isso, pq vamos apontar o dedo para elas?
Se eu não faço, há quem faça. E a minha atitude está de acordo com o que acredito.
Eu não faria um trabalho apoiando algo que fosse contra o que acredito, apenas pelo dinheiro recebido.
Muitas vezes sou criticada por manter minhas escolhas coerentes com o que digo, com a seguinte argumentação: "Se a gente não fizer tem quem faça e quem fizer é que ganha o dinheiro."
E o que eu respondo para essas pessoas?
Em geral, elas não tem os mesmo princípios que os meus e não se importam e o pior, não respeitam a minha decisão. Pq acham que eu tenho que priorizar o dinheiro recebido. Mas se eu insisto em algo que eles não toleram, eu sou a carrasca na história.

Lola, comentar sobre as coisas e esclarece-las é sempre importante, mas nesse post de hoje, achei que vc deu ibope à toa. Para que reproduzir as fotos?

lol disse...

oi, lola. fui eu quem fez o post do "diagrama hilário". (;

vim pra dizer que eu acho a indignação do luque - e a do tas- FALSA SIM (a do ronaldo eu não sei), porque se você olhar no vídeo, na hora em que o rafinha bostas regurgita o bolo fecal os dois ANJOS LINDOS só RIEM. a platéia também. não teve constrangimento na hora...

é isso.

beijo

mikhailovna disse...

"As piadas inócuas e previsíveis servem muito mais à manutenção de preconceitos do que um humor provocativo. Pra não falar da redução da mulher a bundas, peitos e coxas."

REALMENTE, o que faríamos sem as piadas do rafinha bastos, gente? apologia ao crime (estupro, espancamento) é um humor MUUUITO provocativo! gostaria de saber se vc estaria morrendo de rir se sua mãe, amiga, namorada, irmã ou prima tivessem sido estupradas. ia lá, abraçar o estuprador tb?

Vcs, politicamente corretos, daqui a pouco, vão querer cobrar respeito e tolerância para tod@s! Que absurdo, né?!

mas, enfim, o que discutir com uma pessoa que acha que o zorra total faz humor politicamente correto, né?

Lu-Bau.Blog disse...

Meu Deus! Cadê as ONG's que combatem a pedofilia? Pq toda piada revela algo de quem a conta e esta última revela que ele aceita a pedofilia como algo normal pelo menos (Torço pra que ele pelo menos aceite, pq não duvidaria se ele a praticasse)

lola aronovich disse...

Ivan, vc tá falando sério? A gente falando de armação entre uma emissora de TV, um programa, um comediante considerado a pessoa mais influente do mundo no Twitter, e vc quer que eu compare tudo isso a atrizes/modelos/figurantes que posaram pra fotos?! E por que elas seriam “escravas sexuais”? Elas só posaram pra fotos! Não são elas que estão suspensas do programa. O foco está tão longe de ser nelas que falar delas — como vc faz — parece uma tentativa clara de “não vamos falar no Rafinha!”. E de qual auto-crítica vc está falando? No post eu digo que me senti uma otária. Tá bom pra vc? Não, pelo jeito vc acha que eu devo ME criticar como mulher porque duas modelos posaram pra foto com Rafinha... E sim, eu sou muito radical. Pergunte pras feministas assumidamente radicais o que elas acham do meu “feminismo radical”.

Ah sim, e dispenso pautas de gente agressiva como vc, ainda mais fazendo as comparações absurdas que vc está fazendo.

Lord Anderson disse...

Eu queria entender esse pessoal que se põe contra tudo oq vc escreve.

É só uma piada, vc não tem humor, vc não tem capacidade de entender ironia, existem coisas mais importantes, etc

Ou que querem patrulhar sua melitancia, dizendo oq vc pode ou não denunciar.

Serio pessoas, querem discondar do post, apresentem argumentos.

Acham que o blog não vale a pena, criem os seus.

Mas tentar ficar minimizando ou tirando a importancia do que ela escreva é patetico.

Oliveira disse...

Lola;

O mais legal é ver vocês da esquerda sempre chorando, sempre sendo "injustiçaods" pelos monstros da direita,e, entretanto, estão sempre na merda, pobres, feios e gordos, não necessarímente nesta ordem.

Vão trabalhar vagabundos!

João B disse...

Lucas,
1. São piadas, também não acho elas engraçadas, mas ainda assim são piadas.
2. Provocaram sua indignação, fizeram vc pensar sobre se isso merece ou não ser visto. Então vc pode decidir. É melhor do que aquilo que, de tão previsível e correto, não te deixa pensar.

baunilhete disse...

Eu não sei se é armação ou não.

Mas que sempre foi óbvio que qualquer sanção feita pela Band seria branda; afinal; eles veiculam esse programa, aprovam o conteúdo.

Eu cansei dessa história do Rafinha Bastos, CQC, bla bla bla. Chega disso.

O cara é asqueroso, baixo e adora. Eu chamaria de troll, só que troll sabe o que é humor. Esse cara parece um pré-adolescente querendo chamar atenção. Desesperado, falando coisas só pra chocar. Falem mal mas falem de mim.

Me sinto extremamente ofendida com as coisas que ele falou? Sim. Sinto raiva e nojo quando penso no teor do programa e que essas pessoas realmente pensam assim - e que pior, milhões de outros acéfalos gargalham e balançam a cabeça pedindo bis? SIM.

Mas eu fico tão, mas TÃO cansada de argumentar com gente assim... Porque é falar com uma porta - ou no caso uma samambaia dado o baixo grau de inteligência.

Eu sei que temos que responder principalmente porque quem cala consente. Eu sei que gente preconceituosa vence pelo cansaço. Mas putz. é frustrante demais as vezes, credo.

Lord Anderson disse...

Esse negocio de "são só piadas, não reclame", me lembra aquele "não se fiscute, politca, religão e futebol".

e é igualmente ridicula.

piadas não nascem do nada. elas surgem do contexto social, elas querem sim dizer alguma coisa.

representar uma ideia, questionar ou reforçar o status.

então desculpem ai, mas piadas podem e devem sim ser analisadas e discutidas.

Quem não quer fazer isso, ok, mas não ficam pegando no pé de quem se dispõe a pensar e refletir.

Marilia disse...

João B, o blog aqui sempre me faz pensar e não reproduz comportamentos preconceituosos. Gosto de humor de gente inteligente que não é machista. Piada é discurso como outro discurso e precisa ter limites. Não é a desculpa de ser piada que vai fazê-la ser impune às leis.

O triste é ver que há quem ria dessas imundícies.

Oliveira, fale por você. Se você é de direita e trabalha, que bom. Sou de esquerda e trabalho. Muito. Sinto muito se você só conhece vagabundos. Está na hora de conhecer mais gente, né?!

Lucas disse...

João B.

Pera lá...

Essas "piadas" me fizeram refletir não pq ela abordou o tema do machismo de forma irônica e sútil, a visão do estupro na nossa sociedade mas sim pq ele fez piada em cima de estupro! Desconsiderando totalmente a realidade e o sofrimento de quem passa por esse tipo de situação!
Minha indignação é ver o machismo e a falta de empatia do ser. Ele não me faz refletir e ficar puto com a existência do estupro, ele me faz ficar refletir e ficar puto com ele, Rafinha Bastos!

Desse ponto de vista, uma "piada" ou um comentário masculinista ou a defesa de um estuprador dá na mesma!
É, em essência, machista, agressivo e desumano, independente de ser mostrado com piada ou não!

Luciano disse...

Pra mim, esse tal Rafa é uma tremenda bichona enrustida! Fica tentando passar a imagem de machão quando, na verdade, solicita!

Ághata disse...

Credo, Lola... Ninguém merece receber tanta mensagem estúpida defendendo um cara nojento como o idiota do Bastos...

Sr Dig Din disse...

Aronovich sua paranoica!

Armação? Porra tu tem uma mente imaginativa hein!

Vai que foi um paparazzo que tirou as fotos!!!

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk


É mas as minas tão curtindo, tão apoiando o comedor de bebês

SOCO NO SEU FEMINISMO RADICAL!

TEM FEMINISTA MAIS RADICAL QUE VC?

DU - VI- DU - O

Ághata disse...

Ah, sim, e as fotos me deram muita vergonha alheia... [E tá bem óbvio que foi tudo muito bem produzido, né? Luz certa, maquiagem, ângulos, as roupas e poses ridículas, nada nem fingindo ser natural]

Ághata disse...

...eu realmente quero muito saber qual a diferença entre Zorra Total e as piadinhas do Rafinha Bastos...

Ághata disse...

Sr Dig Din ficaria surpreso...

{Ah, claro, Lola, há várias correntes de feminismo (como você sabe), algumas mais radicais, o que não desmerece a sua corrente de forma alguma.}

bike disse...

Ei Lolinha , que inveja do c... vc tem do Rafinha einnnn ?

Será que ele sabe quem vc é ?

E outra coisa , que conversa pra boi dormir é essa ? A de uma leitora ,que disse que ia pela rua , alguém passa de bicicleta e mexe com a infeliz! E o sujeito ainda vai notar aliança no dedo ?

Nem se o cara fosse o The Flash !!!
vai mexer com a mulher , andando de bicicleta e ainda ver o dedo ? devia estar vendo coisa melhor não acham ?

E lola não adianta nada vc tentar f... o Rafinha , ele tem talento , coisa que falta em muito em vc .

Fernando Marques disse...

O Rafinha foi injustiçado pela band. por uma simples piada. só pq a Wamerda Camargo tem a costa quente. rodeada de milhionários e influentes. ela ficou ofendidinha e deu nisso, o Rafinha não era pra ficar nem 5 segundos fora do ar. mas na band o que manda é o dinheiro.. pq não suspenderam tb as propagandas com ele? pra não perder dinheiro é claro. quem deveria ser substituido era o traira do Marco Luque, que não tem graça nenhuma, e publicou uma nota criticando o parceiro de bancada, só pra não se queimar com a claro e com a besta do ronaldo.

Flávio Brito™ disse...

Lamentável toda essa situação.
Por essas e outras acho que o PT deve controlar a mídia, algunhas pessoas com bom senso devem controlar o que todos os cidadãos podem ou não assistir.

O PT deveria criar uma secretaria para avaliar previamente toda a programação e só depois de previamente avaliado e eliminado/cortado o que não for de bom senso ser exibido na TV.

É claro que para isso programas ao vivo serão cortados.
E na internet a mesma coisa o estado deveria controlar assim como na China.

Se o Rafinha Bastos contar a piada do Português ele deveria ser processado por xenofobia;

Se contar uma piada sobre a “bicha” ele tem que ser processado por homofobia...

Se contar a piada do padre processo por intolerância religiosa;

Se contar a piada do papagaio uma ação no IBAMA!

Se contar a piada da mulher no volante processo por misoginia.

João B disse...

Marilia, Lucas,
Piada é discurso, sim, e precisa ser discutida como tal. Mas é discurso de um nível diferente do apologético. uma piada sobre estupro pode ser uma má piada, uma piada sem graça, mas não NECESSARIAMENTE um convite ao crime. A ironia é uma figura de linguagem específica.

Ághata, se não há diferença entre O Rafinha e Zorra Total, pq ninguém está indignado com o Zorra?

Lord Anderson disse...

De novo o papo da inveja.

Será então que quem vem criticar a Lola tem inveja dela??

Lucas disse...

Correndo o risco de me repetir...

Ver nessa situação possibilidade de falar de "censura" e atacar o a pessoa que argumenta em vez do argumento, ou ainda atacar a Wanessa (como se ela fosse culpada de alguma coisa), é muita, muita burrice ou má-fé mesmo.

As pessoas são assustadoras mesmo.

Lucas disse...

João B.

Creio que se fosse o caso de ironia ou de simplesmente uma "má-piada" (não sei se acredito nisso), acho que toda essa discussão seria diferente.

Mas quando do post criticando, a Lola levou em consideração o contexto e a forma, além do caráter (falta de) da criatura em questão.
Entendo seu ponto, mas aqui não estamos abordando todo o universo e nuances do humor.

Estamos falando da escrotice específica do Rafinha Bastos nas situações discutidas.

Nathalia Alves disse...

Estou conhecendo o blog agora, através do face, e fico feliz de saber que muitas pessoas não estão em cima do muro, e não se deixam afetar por comentários de pessoas "Bastos" pessoas que infelizmente caem na armadilha da manipulação e não se dão conta disto. Este cara é sim preconceituoso e carrega isto no seu jeito de se expressar, só que esta expressão tem sim que ter conseqüências. Quando este cidadão portador de uma oportunidade de informar e entreter, diferenciada das maiorias fala em rede nacional tem sim que responder por seus atos, ainda mas se seus atos ferem aos direitos humanos, se alguém se sentiu ofendido, desrespeitado, sinto muito "Bastinhos", relembrando tv é concessão pública então ele não pode dizer o que bem entender e ficar por isso mesmo.
E nós que não compactuamos com este tipo de humor, temos sim que se manifestar e sermos respeitados, porque respeito é um direito.

Lord Anderson disse...

Lucas

Concordo contigo.

A incapacidade ou a falta de vontade de algumas pessoas de refletir ao inves de aceitar que a TV ta certa e pronto é assustadora mesmo.

taty disse...

Mulheres são espancadas, estupradas e mortas diariamente. Crianças são violentadas.
Não precisa fazer muito esforço para dizer que isto é fruto de uma mentalidade machista, onde coloca a mulher como objeto sexual e propriedade do homem.
Mentalidade esta que está sendo perpetuada por esse tipo de piadinha e posicionamento como o que CQC está fazendo.
Pra mudar a realidade, antes de tudo, é preciso mudar a mentalidade.
Mas como podemos fazer isso, diante do que estamos vendo nesse infeliz episódio?
Lola, também estou me sentindo uma otária.
O que nos resta?
Chorar por nós, nossas mães, irmãs, filhas e amigas?

Sr Dig Din disse...

Ághata

Ta fazendo escola com a Lola Balofa tb?

Mostra mas esconde né!

Ficaria surpreso com o que? Não tenho medo de nada nem de ninguem!

Pode mandar esse feminismo mais radical do que o da Aronovich, eu detono do mesmo jeito!

João B disse...

Lucas,
É precisamente o contexto e a forma que caracterizam o discurso, nesse caso, o discurso irônico. Por isso levantei esse ponto.

Mas se a discussão se restringe à "escrotice" de determinada pessoa, ela já não me interessa. Esse tipo de discussão fica melhor em revista de celebridades. O texto da Lola me pareceu mais contundente do que isso.

Sr Dig Din disse...

Eu detono o feminazismo com farinha!

Flavia Vianna disse...

...suspiro...

Sério mesmo, Rafinha Bastos já torrou minha paciência. Não vejo CQC (acho um programa meio idiota desde o início) e ainda quero entender porque ele tem tanta audiência. Não duvido que ele fez as fotos de caso pensado. Ah, as moçasa das fotos só reforçam a postura preconceituosa dele em relação àa mulheres.

É meio infantil essa postura do "não pode criticar" e "quem critica tem inveja". Soa como falta de argumentação lógica dos que "apóiam" o Rafinha Bastos.

Cora disse...

Lola,

comento pouco por aqui, pois, na maior parte das vezes, não tenho muito o que acrescentar aos demais comentários. Seus posts e comentaristas são ótimos.

Acho que não devemos nos sentir manipuladas não, pois tudo foi dito. A questão financeira, incomodar gente grande, a falta de sensibilidade, a misoginia, o preconceito... achei todas as análises muito pertinentes e foram, todas, no alvo.

Na verdade, o episódio fez cair a última máscara. E, se havia alguma dúvida de como pensam esses senhores, após a publicação das fotos do 'humorista', não resta mais nenhuma.

Caiu a máscara. De todos eles.

http://claudiaaoextremo.blogspot.com/ disse...

Flávio Brito vc não tá falando sério não né
Pelo amor de Deus! Controlar a televisão, como na China? O PT controlar a programação e processar tudo que se fala? kkkkkkk só pode ser piada, e muito sem graça por sinal...
Lola sinceramente,toda essa discussão só gerou mais ibope para o CQC (todas as redes socias falaram sobre a tal suspensão, que é óbvioooo não foi séria, hoje já tem o programa dele A liga, ontem mesmo já estavam divulgando a chamada do programa!!!)
Quanto mais se fala nele, mas faz crescer a curiosidade, e ontem pessoas que conheço que nem gostam do CQC assitiram só para saber se ele estaria na bancada e o pq de toda essa repercussão da piada infame
Me perdoa Lola mas acho que vc ficar fazendo post,postando fotos dele só está dando mais ibope ainda
Ele continuará com esse "humor" ácido e de nada adianta pois a televisão pensa em números e resultados e se ele dá ibope, continuará lá...ainda que não apareça por um dia...Ontem foi a piada suja, hoje serão as fotos que estarão sendo comentadas em todos os lugares, amanhã ele inventa outra coisa e assim vai ficando na mídia, e infelizmente todos continuarão perdendo tempo falando dele...

Relicário disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Niemi Hyyrynen disse...

Eu fico muito preocupada com toda essa situação do CQC e do Rafinha em especifico.

Ele pra mim é um sintoma, por aqui tem essa cultura de se esperar por um Messias, que diga tudo o que os seus seguidores pensam mas não tem coragem de falar, é por isso que eles defendem o direito de expressão, do MESSIAS.

Se um unico idiota não tiver voz para xingar, humilhar e desrespeitar, quem o fará? A massa? Que está revoltada (sem motivos) mas que sabe que não pode proferir tão livremente assim seus impropérios?

É muito melhor esperar que alguem com "poder" faça as escrotices.

Se o Rafinha fosse parte de uma doença, ele seria a febre, o sinal de que algo está errado, na sociedade.

(pra mim o Rafinha Bastos se assemelha a uma espécia bizarra de sintoma de uma doença social chamada preconceito enrustido).

Liana disse...

Será que é muito difícil de entender que piadas que DEFENDEM crimes hediondos (estupro de bebês, por ex. é pedofilia caso não saibam) passam dos limites do aceitável, até para o "humor"?

Criticar este tipo de coisa é censura, extremismo, incapacidade de apreciar as sutilezas da "piada"? Que tipo de gente continua defendendo isso?



Engraçado que não vi essa reclamação toda da parte dos "guardiões do humor" quando o Adnet fez aquela "piada" com a "Casa dos Autistas" e tiveram que fazer uma retratação assumindo terem passado dos limites, ou mesmo no caso do Gentili sobre Auschwitz, indo pessoalmente se
desculpar na Confederação Israelita. Por que os ratos não vão se roerem de raiva por causa disso também? Por que não vão fazer discurso sobre a piada ser sui generis e estar acima de meras questões como os efeitos do nazismo ou de uma condição médica como o autismo? Por que não mandam emails para a Conf Israelita ou a Assoc Brasileira de Autismo dizendo que eles estão é com inveja, que mudem o canal, que aprendam a apreciar as sutilezas do humor, ou quem sabe dizer que eles são radicais e querem censurar alguns dos poucos expoentes do "humor inteligente" do país, com seus mimimis intermináveis? Aproveitem e mandem também emails para os respectivos autores e emissoras dizendo que eles não deveriam ter feito retratação alguma, que o "humor" deles está acima disso, que são meros incompreendidos. Vão lá. Ou não?

Agora, quando o alvo é mulher ou criança, aí tudo bem. Não tem problema.


É muita ginástica retórica desse povo tentando convencer de que tudo isso é válido e os incomodados que mudem de canal.

Lucas disse...

João B.

Posso ter me expressado mal. Embora muito da discussão tenha ficado em torno da "pessoa" (me perdoem as pessoas) Rafinha Bastos, o que é natural, acho que podemos pegá-lo como exemplo (no momento maior) desse tipo de humor que criticamos.

Ele não é o único a fazê-lo. Humilhar e atacar a dignidade do oprimido (pobre, negro, estrangeiro, homossexual, mulher) é um tipo de humor corrente.

O que não quer dizer que o humor possa abordar essas temáticas de forma inteligente e crítica. Não é o conteúdo que define se é cretinice ou humor inteligente, mas creio que a intenção e a forma.

Como num stand-up do Chris Rock (se bem me lembro), onde ele diz algo mais ou menos assim:

"Aí o sujeito branco vira pra mim e diz :'hey, se eu te chamar de crioulo é racismo, mas você pode me chamar de branquelo e eu não posso reclamar!'
Bom, digo eu, até a ultima vez que eu chequei, essa era a única vantagem de ser negro!"

Humor fino, crítico e direto no baço.

carolinapaiva disse...

Não sei se foi armação, mas de qualquer modo, a emissora sabe muito bem o empregado que tem e deve estar adorando a repercussão, afinal, vai garantir mais pontos de audiência.
Sobre a mais nova piadinha(sic): não me surpreende, muito pelo contrário. O cara adora uma polêmica e iria tirar proveito da situação.
Sobre as fotos: é claramente uma provocação a quem o critica. É chamado me machista? Beleza, vai esfregar isso na cara de todos agora. Não me admiraria se ele começar a defender o machismo e a inferioridade da mulher ao homem. Ele quer "chocar", ser cada vez mais polêmico.
Sobre o sucesso: as críticas levantam o nome dele? Qual é a solução então? "Calar as críticas." Incoerência desse povo que se diz a favor da liberdade de expressão, não é?

Rick disse...

ESCREVA LOLA ESCREVA...
ESCREVA HOMEM ESCREVA...
ESCREVA MULHER ESCREVA...
EXISTEM MUITAS 'FORÇAS ALIADAS' MANIPULANDO OPINIÕES, ESCRAVIZANDO SENTIMENTOS, ARTICULANDO INDIGNAÇÕES.
E O QUE DEVEMOS FAZER? CONTINUAR A ESCREVER. NÃO SINTA-SE OTÁRIA LOLA, PARA OS QUE NÃO SE DOBRAM AO DEUS TV, SEUS POSTS SAO MUITO BEM VINDOS!
OBRIGADO, PELO SEU BLOG, É LAMENTÁVEL O QUE TESTEMUNHAMOS, MAS O QUE PODEMOS FAZER? ESCREVER
ABRAÇOS, RICARDO

Ághata disse...

"Ághata, se não há diferença entre O Rafinha e Zorra Total, pq ninguém está indignado com o Zorra?"

...talvez, porque este não seja o assunto, gênio.

Lucas disse...

Liana,

Excelente reflexão.

Juliana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Stefano disse...

Vivemos em uma sociedade de "liberdades". Porém, invocando alguns preceitos do direito, liberdade dispõe responsabilidades. Portanto, o senhor Rafael Bastos deve sim ser cobrado e legalmente "questionado" sobre as suas palavras, piadas, atitudes. Ele ocupa espaço em uma concessão pública e não é o caso de censura como querem colocar alguns (aliás, os que mais criticam a "esquerda" de se colocar como vítima, são os que mais se "vitimizam"... não podem ouvir falar em qualquer causa social que saem com "o PT querendo regular"... por favor). E os argumentos... (ah os argumentos...) são exatamente o que alguém já colocou aqui: "algoritmo do comentário ridículo: tudo bem que [uma verdade antes comentada], mas [uma coisa nada a ver com o assunto e irrelevante para o contexto]". É aquele: "o Rafinha falou mesmo da Wanessa, mas ele tem talento, ele pode"... (What?) O que que estamos discutindo mesmo? Eu acho que eu não falar "seu língua", carapálida. Lola, mesmo que vc não acredite, vc vai para o céu... pq HAJA PACIÊNCIA!

Relicário disse...

O Ex Flávio Che Mickey, agora Flavio Madruga, sempre com seu discurso em desfavor do PT e da esquerda, cansou não?
Acho engraçado que dar limites para o conteúdo da TV, que é CONCESSÃO de serviço público é CENSURA, mas disseminar preconceitos, equívocos, defender esse ou aquele político, e por consequência encher os bolsos através do privilégio de anos utilizando-se de uma concessão pública é bonito.
"O mundo está ao contrário e ninguém parou." Mesmo!
O que mais surpreende é que esse pessoal toca sempre a mesma música, mas sequer conhece o instrumento, nunca se deram ao trabalho de ler profundamente sobre o assunto que abordam.
Outro ponto é a sua infeliz observação "Oliveira" quem são os reais "vagabundos"? Os pobres trabalhadores braçais ou os "Rafinhas Bastos" que sequer sabem o que significa trabalhar de verdade, que ganham seus milhões fazendo piada estúpida e de mal gosto?
Fica a pergunta...

Angélica

Juliana disse...

Faço minhas as palavras da baunilhete:

“Esse cara parece um pré-adolescente querendo chamar atenção. Desesperado, falando coisas só pra chocar. Falem mal, mas falem de mim. Me sinto extremamente ofendida com as coisas que ele falou? Sim. Sinto raiva e nojo quando penso no teor do programa e que essas pessoas realmente pensam assim - e que pior, milhões de outros acéfalos gargalham e balançam a cabeça pedindo bis? SIM.”

No entanto, tenho pensado muito sobre a maneira como o humor se constrói. Qual seria o limite da piada?

Aos interessados, sugiro que leiam o ótimo livro “O humor da língua”, do linguista Sirio Possenti. A partir de análises de piadas, o autor chega à conclusão de que a base de todo humor é o preconceito.

Para confirmar isso, é só parar e pensar um pouco que vamos perceber como é difícil encontrar uma piada que não tenha algum tipo de preconceito como pano de fundo.

E aí? Como fugir disso? Eu, sinceramente, não sei.

Deixando claro, mais uma vez, que repudio completamente as “piadas” do Rafinha Bastos.

André disse...

Essa desculpa "É só uma piada." anda de mãos dadas com aquela dos moleques de Brasília que queimaram o índio "Achamos que era um mendigo."

Dirck disse...

É evidente que vc não entendeu a gracinha de mau gosto do rafinha sobre a gravidez da Wanessa Camargo.

Niemi Hyyrynen disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Niemi Hyyrynen disse...

Lola, vc que manja muito de cinema, to tentando aqui fazer um pararelo do Rafinha Bastos com um filme..mas não lembro qual é o nome agora:

É de um apresentador que está para se aposentar e recebe um aviso prévio, umas duas semanas antes, dai ele fala que vai se matar na frente das cameras na outra semana ao vivo.

Nisso, dá o maior rebuliço, a emissora que tava pra falir, vê o programa do cara bater records de audiencia, então o chefe da emissora bota uma mulher pra ser a produtora do programa do cara.

Ele vira tipo um profeta, fica falando da "decadencia dos bons costumes" e essa coisa toda, falando que os EUA está "moralmente corrompido" e o povo compra mesmo essas ladainhas dele, ele vira tipo um Jesus.Pq ele fica proferindo escrotices conservadoras que todo mundo quer ouvir.

Dai o tempo passa, as pessoas enjoam da cara do apresentador, ele entra em depressão denovo...

É um filme perfeito pra fazer esse tipo de comparação com o Rafinha...

João B disse...

Concordo com a juliana, ela pôs a questão mais pertinente.

Não estou defendendo o Rafinha, nem suas pidas. Quando falo do Zorra é pra dizer que é um programa mais perigoso porque lá as coisas são dissimuladas. Mas tudo bem se não se quer por isso em questão, se se prefere ficar xingando o cara.

taty disse...

Li que o Marque Luque vai ser substituído numa propaganda da Claro. Já não sei até que ponto isso é verdade.
Mas poderíamos fazer uma manifestação na internet de que se alguma marca ligar seu nome com algum integrante do CQC estará ligando seu nome ao machismo, estupro e pedofilia.
O que acha Lola?

Giovanni Gouveia disse...

Esto há 6 meses sem televisão. Não estou sentindo nenhuma falta...

Niemi Hyyrynen disse...

João B

Esse seu argumento de que a Lola deveria parar de falar do Rafinha pra falar da Zorra Total pq é mais "perigoso" é o mesmo que muitos aqui usam no blog para pautar os assuntos da Lola.

"Ah, para que falar de violencia domestica? Vá combater a foma na África que deveria ser prioridade"

Além de vc não colaborar em nada ( em nenhum dos casos, Zorra, Rafinha, fome na Africa, violencia domestica) vc ainda está querendo impor limites a quem se preocupa com alguma questão e se propoe a debater sobre.

Pq vc não monta seu proprio blog?

Niemi Hyyrynen disse...

Aliás:

Rolou manifestação de um grupo feminista na Sé a poucos dias.Exatamente por conta do quadro da Zorra Total

Mas kd? Não vi nenhum homem lá apoiando a causa

Flávio Brito™ disse...

Relicário

Peço desculpas por ter maculado a figura do Che.
Mas Ramon Valdez é um ícone da América latina também
(E olhe que o Ramon nunca executou ninguém, nem torturou, nunca manteve campos de concentração em Cuba...)
Olha votei no Lula duas vezes e sou de centro esquerda viu.
(Não sou do tio que segrega as pessoas entre reaças malvados e revolucionários bonzinhos)

Aida disse...

Parabéns, Lola, sou tua mais nova leitora!

Isabel SFF disse...

Perdoem o palavreado, mas PQP. Que ódio da cara dessa pessoa, do deboche dele frente a nossa indignação. Acho que isso é o que mais me incomoda, esse indivíduo ganhou quase um status de inatingível. Alguém que pode falar o que quiser sem se preocupar quando atinge alguém. Aliás, ele realmente não se preocupa, vide o pouco caso que ele fez com a audiência convocada pelo MP para esclarecer aquela declaração nojenta sobre mulheres estupradas.

Incrível como as emissoras de TV também têm um status de intocáveis, como empresas que devem ser reguladas pelo Deus-mercado... Todo mundo esquece que elas estão subordinadas à Constituição Brasileira e não devem ferir a dignidade humana. Ou seja, as TVs têm a OBRIGAÇÃO de não reforçar preconceitos. Por que isso não é lembrado a elas? Um estado democrático tem ferramentas para fazer isso, basta que a população se mobilize. por que não nos mobilizamos?

Lola, achei seus posts sobre o assunto muito pertinentes (eu nem sabia que ele tinha feito essa "piada" com a Wanessa). O problema é essa horda de groupies do CQC que aparece aqui pra comentar. Torço para que eles saiam logo da adolescência, quem sabe isso passa.

Cora disse...

Oi Giovanni,

estou me desintoxicando também. Estou há dois anos sem TV!

E sem sintomas de abstinência!

Niemi Hyyrynen disse...

Lembrei do filme!

Lies & Illusions saiu aqui no Brasil com o nome de "Rede de intrigas" é de 1976...

João B disse...

Niemi,
onde vc leu nos meus comentários que se deveria parar de falar do Rafinha?
A ideia era ligar um assunto a outro pra tornar a discussão mais ampla, ao invés de ficar xingando alguém.

Rolou manifestação pelo quadro do Zorra? Ótimo, pena que, como vc mesmo observou, isso indignou pouca gente. Talvez porque estejamos mais acostumados ao humor brando e dissimulado e porque ele não ofereça a oportunidade fácil xingar.

Se os meus comentários não acrescentam à discussão vc pode facilmente ignorá-los. A não ser que prefira xingar alguém.

A. F. disse...

Eu escrevi um texto falando dessa campanha absurda no Mingau de Aço. Sai a partir das 18 horas. Visitem http://mingaudeaco.blogspot.com até lá.

Achei lamentável essa campanha toda. Existe louco para tudo, mas isso é demais.

Oliveira disse...

Esse Sr. Dig Din é um poeta, um Hemingway!

Chamar a Lola de pacóvia é pura poesia. Expressa tudo numa só palavra. Isso é que é prosa!

Parabéns Sr.Dig Din!

Lívia Pinheiro disse...

Existem incontáveis piadas (algumas muito boas, por sinal) que não precisam humilhar ninguém para fazer rir. Quem defende esse lenga-lenga de que o humor só sobrevive fazendo vítimas parece mais coisa de sádico que não é capaz de se divertir se não houver a diminuição de alguém. E o mais engraçadinho de tudo é que quando a piada é sobre algo que eles são/gostam, geralmente são os mais chiliquentos, que imediatamente retrucam com uma piada que rebaixe quem fez a primeira. É um joguinho infantil de quem tem o pinto maior. Patético.

Niemi Hyyrynen disse...

João B.

Acho que a Zorra total e o Rafinha Bastos tem pouco em comum ao que se diz ao jeito de se "fazer humor".

Enquanto o apresentador do CQC quer ganhar publico pelo choque, vomitando todo seu preconceito a Zorra quer embutir nas pessoas um sentimento de conformidade através da repetição.

Um quer chocar e é agressivo, o outro quer ensinar e pra isso lida com a tática da repetição, não dá pra fazer muita relação de caso por ai, o único ponto em comum é que ambos atacam as mulheres.

Seus comentários não deveriam ser ignorados, vejo que vc tem uma certa vontade de debater, mas concorda comigo que não é lá a melhor maneira de se fazer isso dizendo que "alguem prefere xingar" né?

Pra vc a Lola prefere xingar o Rafinha e eu? Xingar vc?

Tá todo mundo aqui só querendo xingar muito? Só vc quer discutir idéias...não, por favor vc tá se fazendo de vitima...

Quem quer xingar muito que vá pro twitter..

Daniela Rodrigues disse...

Lola,

A discussão sobre os limites das piadas com minorias já está em curso há algum tempo, principalmente depois da popularização do stand-up comedy no Brasil. Acho um campo de estudos interessantíssimo e considero menos pior que a questão, apesar de toda a problemática que evoca, pelo menos esteja na pauta do dia ao invés de ser ignorada como foi durante tanto tempo. Isso revela a visibilidade conquistada nos últimos anos pelos grupos socialmente marginalizados.

O caso Rafinha, entretanto, não se encaixa no que quadro acima. Enquanto ele fez piadas que tinham como alvo mulheres, judeus, rondonenses etc, ou seja, grupos, ainda era possível (e interessante, pelo menos pra mim que gosto muito de análise do discurso, de sociologia etc) discutir a legitimidade dessas piadas, seus limites (ou falta de), as razões pelas quais algumas coisas que eram toleradas há 20 anos não são mais hoje em dia, as mudanças culturais e políticas que ocorreram, enfim: a reflexão e o debate nessa área, dentro do contexto da "sociedade do espetáculo" que vivemos hoje, ainda podem render bons frutos.

Mas quando o "comediante" diz (se dirigindo à Daniela): "Se fosse eu já dava uma cotovelada. É octógono, cadela! Põe esse nariz no lugar!", como é que isso pode ser considerado como piada? Nem aqui nem em lugar nenhum do mundo! Isso foi uma agressão pessoal de baixíssimo nível e impossível de ser inserida no contexto do debate sobre os limites (ou não) do humor. Além, claro, de revelar que seu autor é um ser extremamente estúpido, violento e misógino. E a mesma lógica vale para o episódio envolvendo a Wanessa.

Portanto, acho mais do que justo que ele seja responsabilizado por suas declarações ofensivas e que toda pessoa com o mínimo de empatia e respeito pelo ser humano se solidarize com as vítimas desses ataques pessoais (mas que obviamente expõem o status da mulher na nossa sociedade) e gratuitos.

P. P. P. disse...

“Dilma foi presa e torturada porque foi idiota”, humor ou horror?
03/10/2011 Posted by Ana Helena Tavares

Rafinha Bastos e Danilo Gentilli
Rafinha Bastos perdeu seu posto no CQC porque foi idiota. Disse, sobre a grávida Wanessa Camargo, que “comeria ela e o bebê”. Mexeu com celebridade e só por isso se deu mal. Já seu companheiro de programa, Danilo Gentilli, também perdeu o posto, mas porque irá se dedicar a um programa só seu: “Agora é tarde”

Gentilli também mexeu com peixe grande, um peixe bem maior, uma presidente da República. “Votar na Dilma porque ela foi torturada? Foda-se. Eu pedi para ela ser?”, disse ele durante as eleições do ano passado. “Sério. Um presidente tem que ser esperto. Se ela foi presa e torturada, é porque ela era uma idiota”, completou. O episódio foi lembrado esta semana por um jornal da Inglaterra (clique aqui para ler em inglês).

Curioso que o jornal seja da terra de Charles Chaplin. Gênio que fazia humor sem palavras.

Ora, se Dilma foi “idiota”, suponho que aqueles que conseguiram se exilar sem serem presos nem torturados tenham sido “espertos”. Suponho ainda que os generais fossem o supra-sumo da inteligência. Que o digam os cavalos de Figueiredo. Que o diga Ulysses Guimarães que denominou os membros da Junta Militar de 69 de “os três patetas”.

Vivemos hoje dentro do chamado Estado Democrático de Direito, não é? Democracia pela qual nossa presidente lutou. E por isso Danilo Gentilli pôde dizer impunemente que aquela luta dela e de tantos foi uma idiotice.

Mas quais os limites que separam democracia e balbúrdia? Humor e horror?

A sociedade não parece preocupada em responder. Talvez porque boa parte seja conivente com o horror diário, nas esquinas, consideram aceitável e masoquistamente agradável que o humor reflita isso.

Rafinha Bastos figurou por algum tempo como a pessoa mais influente do mundo no Twitter. O programa solo de Danilo Gentilli na Band está batendo recordes de audiência para o horário.

Há algo muito errado e não digam que agora é tarde para mudar.

*Ana Helena Tavares é jornalista. Editora do site “Quem tem medo da democracia?”.

Sarah de Souza disse...

"RAFINHA BASTOS OFENDE NEGROS E HOMOSSEXUAIS!"

Não é verdade, mas se fosse, se ele tivesse dito que homossexuais deveriam ser espancados ou que pessoas negras jamais deveriam sair de casa, será que continuariam dizendo que é só uma piada?
Claro que não, porque isso ofenderia grupos de pessoas que se reconhecem lesados e ofendidos. Simone de Beauvoir diz que a mulher se vê como o Outro. A reação das fãs do Rafinha está aí pra comprovar, meninas que não ligam a mínima se estão sendo ofendidas, porque tudo é uma brincadeira e "o Rafinha é mais legal que a Wanessa". Como se fosse esta a questão.

João B disse...

Niemi,

Eu estaria sendo vitima de que? A discussão não é sobre mim.

Não, não acho que está todo mundo querendo xingar. Tem muita gente escrevendo coisas interessantes.

Não, não acho que a Lola esta só querendo xingar, eu concordo com muita coisa que ela diz no texto, mas não com tudo.

Não, não acho que vc esteja só querendo me xingar. Alias, vc acabou de fazer uma contribuição importante sobre a discussão.

Acho que o Rafinha é só um bufão que quer aparecer, não merece toda a atenção, revolta e indignação que se lhe dispensa. Provocar esse tipo de reação é o que ele pretende e é assim que ele ganha dinheiro.

Concordo com a diferença que vc observa entre ele e Zorra, mas é precisamente por causa dessa diferença que acho Zorra um programa mais perigoso no que diz respeito à inculcação de preconceitos.

No primeiro comentário que fiz eu escrevi: "Lola, que fazemos então, banimos o humor provocativo e as vezes incomodo do Rafinha e ficamos com o humor estupefaciente do Zorra?"

Eu quis provocar a discussão sobre o status do humor na TV brasileira ao invés de ficar alimentando a reação anti Rafinha. A Daniela, alias, fez um comentário bem interessante sobre isso.

. disse...

Lola, raramente comento, mas hoje senti vontade de comentar e te agradecer pelos seus textos, críticas e reflexões. Poucas coisas são mais transformadoras que essa tua sensibilidade - para quem está sempre disposto a repensar e se transformar. Até pra mim, uma feminista, são muitas as descobertas, e velhas crenças machistas que vão sendo desconstruídas com muito da discussão que acontece aqui. São anos de uma "couraça" machista pra quebrar em todos nós, e transformação dói, né? Gosto de acreditar que é só isso que estamos vendo, choro e berro de dor, de apego ao velho.
Sinto muito que tenha que levar porrada e ouvir tanta coisa tão desrespeitosa de tanta gente, mas agradeço muito por esse espaço que você construiu.
É um trabalho árduo e que leva tempo, mas fico felicíssima de ver que somos muitis juntis espalhadis por aí!
Um beijo grande!

Fernanda: disse...

Lola, eu quero acreditar que suas suspeitas de que o afastamento de Rafinha Bastos vai durar 1 semana estão erradas. Mas vindo de um programa no qual absolutamente tudo já veio pronto e enlatado desde sua estréia, acredito que seja o mais provável.

Deve-se lembrar que o programa "CQC" não é uma criação de seus integrantes ou de algum produtor de TV brasileiro, mas apenas mais uma franquia internacional na qual absolutamente tudo é padronizado, ainda que com alguns toques pessoais como o de Rafinha, que conseguiu adaptar perfeitamente a mente misógina de alguns brasileiros e incorporá-la ao programa.

Anderson Santos disse...

Quando vi em matérias de hoje sobre essas fotos do Rafinha no Twitter - já que não o "sigo" -, primeiro pensei que você iria escrever sobre e, depois, que o cara tirou mais uma com todo mundo. Realmente, se ele estivesse para ser demitido, como perguntei sua opinião sobre via Twitter, ele não brincaria desse jeito. Acabou renovando a imagem já construída. Como diria Ricardo Teixeira, de estar "cag... e andando para isso".

Sobre o CQC, ouvindo a colunista da rádio Estadão ESPN Cristina Padiglione, dei-me conta de que este ano, a não ser pelas confusões geradas pelo Rafinha - amamentação e a de agora - o programa não teve nenhuma difusão. Após três anos, parece que o formato estagnou e não tem mais nada de diferente ou de grande coisa para a mídia nacional - até mesmo pq a Band está longe de ser referencial contra-hegemônico.

Essa história atual acaba por dar mais audiência ao programa. Não sei quais os números de ontem - com as pessoas "ansiosas" por saber se a bancada comentaria algo sobre o assunto e pela participação da Mônica (que mal pôde falar durante o programa). Só imagino o que será quando ele voltar. Parece aqueles monstros de filmes trashes, que quando você acha que foi derrota, retorna ainda mais forte na segunda versão.

Paula disse...

Cêjura que aqui nos comments tem gente diaendo que porque existem prostitutas e mulheres que se prestam a esse papel de serem fotografadas assim com o Rafinha isso justifica que se chamem tratem todas as mulheres como prostitutas? CÊJURA?

Aoi Ito disse...

Mantenho minha pergunta:

Se o Rafinha Bastos um dia estiver conversando com uma celebridade ou apenas pessoa negra, em um quadro dele, e falar, rindo, "Ah, volta pra senzala, preto", agora podemos ficar zangad@s? :)

Ou vai ser só humor?

Então humor é carta branca pra tudo? Então posso começar a falar as coisas mais terríveis e dar a desculpa de ser humor, mesmo que absolutamente não tenha graça? Oba!

taty disse...

Aoi lto,

Pelo jeito pode.
E se alguém te criticar, basta você gritar "Censura! Censura!" ou dizer que estão com "Enveja" de você.

Julian disse...

Censura é coisa de ''cubano''
Viva Rafinha Bastos

Serge Renine disse...

Prezados comentaristas deste animado blog:

Como bem disse a Fernanda, o CQC não é um programa inventado pelo gênio de seus apresentadores, mas sim uma franquia.

Uma vez disseram ao Marcelo Tas que ele era um gênio, apenas por causa do Prof. Varela e as perguntas inconvenientes ao Paulo Maluf (Maluf esse que, pasmem, na época e que o Tas ainda tinha cabelo já tinha fama de ladrão), e o Tas acreditou na sua genialidade. Bom... não precisa falar o que esse tipo de elogio causa de desastres quando dirigidos a pessoas que na verdade são idiotas, precisa?

Aoi Ito disse...

Aliás, Lola, eu acho preocupante as mulheres nessas poses sim. Não é "ah, elas escolheram fazer isso" ou "ah, elas só estão posando". Talvez seja que não é o assunto do post, mas duas mulheres jovens de lingerie fazendo provocação sexual e pseudo-lésbica para um homem machista como o Bastos é preocupante sim. Mas de outro jeito. Aí vemos como o machismo está enterrado a esse ponto na mente das mulheres: É mais interessante, mesmo que no-brainer, posar de "ninfeta safadinha" pra um homem que diz que mulher estuprada devia agradecer que se levantar e falar "Não, está errado" ou ao menos se recusar a fazer isso. É mais interessante fazer um comercial de lingerie falando que mulher é tudo burra e só sabe usar o corpo que, ao menos, se recusar a fazer isso. Mas eu, por mim, acho que não foi uma escolha racional, uma escolha direta. Muitas vezes nem se passa pela cabeça dessas mulheres que tem algo de errado, que elas não precisem fazer isso, que talvez seja melhor ouvir suas cosexais (What... Pessoas do mesmo sexo, whathever), que muitas das vezes não são feias invejosas, que ouvir o que o homem no poder diz.

Aliás, podia dar um ótimo post, essa temática, IMO. Misoginia internalizada. Como várias meninas pré/adolescentes que dizem que "Não são como as outras meninas", "pensam como os homens", são melhores porque não ficam com maquiagem e roupas 24h/d na cabeça (Quando raramente uma mulher faz isso) e porque soltam um palavrão e jogam videogame. Ou seja, são mulheres que desafiam, nem ao menos no mínimo, papéis de gênero, e em vez de verem isso como uma prova que o sexo feminino não é "naturalmente" idiota, preferem se aliar aos homens e desprezar as outras porque "se parecem mais com homens que mulheres", ao mesmo tempo que são trolladas furiosamente pelos homens como classe, assim como as mulheres que tanto desprezam. :D

Não é o caso para ser discutido, mas duas mulheres nessa situação já é para disparar o alarme feminista normalmente. Com o Bastos então, mais ainda.

Roberto disse...

Bem feito para as revoltadinhas de plantão. Rafinha voltará e vocês só ajudaram isto a acontecer, deram mídia. Se achando espertas! E ainda ficaram assistindo ontem o programa todo!
Humor é sinal de inteligência evoluam e não tomem as dores de piadas, simples situações hipotéticas. Vocês estão sendo ridículas.

Lord Anderson disse...

Para mim ridiculo para mim é quem não é o alvo da piada querendo determinar quem deve ou não se ofender com ela.

Ridiculo é quem usa isso de"é só uma piada" para fugir de toda e qualquer reflexão.

Isso sim é ridiculo.

taty disse...

Considerar estupro "simples situações hipotéticas" ???

Somnia Carvalho disse...

Lolissima, quando soube pelo Renato que o Ronaldo tinha cancelado a entrevista de sexta feira porque nao aceitou o bestinha do CQC eu vibrei muito! e na hora quis te escrever para contar... ao que o marido disse: com certeza ela ja deve estar sabendo!

Li todos os ultimos posts agora... uns 4 e sao incriveis! quanta informacao voce tem amiga!

eu concordo com voce sobre parecer tudo armacao! parece ate que a gente nunca viu nada como esse show de truman antes nao? e tao comum isso tudo na midia! por outro lado eu ainda fico com uma felicidade interior! e voce sabe como eu sou pessimista quanto a isso! eu sinto que boicotar esses caras e um jeito otimo de dizer: a gente nao quer ser ter a imagem ligada a deles! entao isso ja e alguma coisa Lolissima!

Eu fico muito contente que pegue mal pros machos ficarem ao lado dessas piadas infames!

e eu tenho que concordar com voce totalmente sobre sim! mesmo quando eles se desculpam e taoooo macho man! e tao propriedade do mundo masculino!

eu vejo isso nos homens que amo e convivo todos os dias! mesmo sendo otimos e fofos etc eles sempre dao aqueeeelas escorregadas! mesmo nao agindo com um machismo terrivel eles precisam manter a piadinha sem graca... e nojento, mas e!

entao quando parte deles decide que ta pegando mal se juntar a um imbecil feito este rafinha entao alguma coisa me da uma ponta de esperanca que algum dia ele seja demitido sim da emissora! ...

e eu que sou doutora, mulher mas mae nao posso continuar este coments porque minha cria ta tirando literalmente minha mao do teclado!

Lord Anderson disse...

Taty.

Para algumas pessoas sem empatia (homens principalmente) é só hipotetica mesmo.

Como eu disse facil não se ofender quando não se é o ofendido.

Aoi Ito disse...

"Como eu disse facil não se ofender quando não se é o ofendido."

Isso mesmo. :D

(LORD ANDERSON, TE DOU MAIS RESPEITO PELO SEU AVATAR DE DOCTOR WHO.)

Lord Anderson disse...

Aoi


Terminou a sexta temporada e fiqui com saudades do melhor dos Doctor modernos :)

Roberto disse...

Caros intelectuais. O que faremos com os filmes que simulam estupro? Tiraremos de circulação?

Liana disse...

Pois é, Lord. Ao mesmo tempo que se ofendem mortalmente por outra pessoa criticar o que eles idolatram.

Ainda estou esperando algum dos mega fãs desse "humor inteligente super revolucionário" me explicar porque não fizeram estardalhaço quando aconteceram as "piadas" e posteriormente as retratações do Adnet e do Gentili, mas estão aqui gastando dedinhos tentando explicar porque a "piada" valeu quando se tratou de defender misoginia, estupro e pedofilia. Será que os alvos anteriores também foram invejosos e não souberam apreciar tal "humor"?

Lord Anderson disse...

Depende.

É um filme que banaliza o estupro?

que mostra ele como algo "leve", divertido, uma piada?

então acho que rola um repudio sim.

e nem precisa tirar de circulação, basta fazer a denuncia, chamar ao debate.

ou não se pode fazer isso?

não se pode debater, oferecer outro ponto de vista, questionar?

se a TV e cinema mostraram então a gente baixa a cabeça e aceita?

talvez funcione para vc, para muitos outro, não.

Serge Renine disse...

Do blog Ooops do Ricardo Feltrin:

"Após grosseria, Rafinha perde mais trabalhos e dinheiro"

Isso é a unica coisa de cala a boca de gente desse tipo: doer no bolso.

Roberto disse...

A comédia é uma arte que banaliza tudo. Onde alguém se dá mal.

No caso do fato estupro a arte usa suas imagens para criar tramas. Uma pessoa que sofreu com isto e sem querer vê um filme com uma cena destas deveria pedir sua censura?

Um negro, deficiente ou doente que já sofreu preconceito deve pedir pra que uma novela que fala nisto saia do ar?
Provavelmente haverá um personagem dando este mal exemplo.

Não é questão de aceitar, mas de como se lida com isto.

Roberto disse...

Eu quero humorísmo caótico, ácido, sarcástico e politicamente incorreto. As pessoas que evoluam e não peguem as dores pra si. Que não levem a vida tão a sério, aprendam a rir de si mesmo. Que não tentem controlar tudo, que se deixem surpreender. Se te acontece ou aconteceu você é que tem que aprender a lidar com isto, não os outros. Nenhuma arte é dirigida a alguém mas provoca em cada um diferentes reações de acordo com seu jeito de ser e bagagem. A arte não ofende, pessoas se ofendem. E elas podem optar por outra coisa se quiserem. A arte seja qual for tem que ser livre. Pode se simular um estupro num filme, vê quem quer. Alguém que já foi vítima de um psicopata pode se ofender com a existencia de filmes de terror que as pessoas tanto gostam. Pra mim é o Rafinha é soh mais um que tiraram pra Cristo.

Lord Anderson disse...

Eu acho o contrario.

Que evoluir é conseguir se colocar do outro.

De ter empatia e respetio pela dor alheia.

Não fica menosprezando-a.

Eu quero um humor engraçado, que queria rir com todos e não dos outros.

Um humor criativo, original, questionador, não a repetição de esteriotipos que ja eram velhos quando eu era criança.

Isso para mim é falta de criatividade.

Humor não é algo solto no vacuo, é algo que reflete, se alimenta e inspira o contexto em que vive.

Por isso ele pode ser discutido, avaliado, aprimorado.

Da mesma forma que vc tem o direito de gostar, outros tem direito de questionar e propor novos caminhos.

Tudo tem limites, inclusive o humor.

Humor é coisa seria.

E sinceramente ser politicamente incorreto é a coisa mais facil e velha do mundo. Não tem nada de suprendente ou inovador nisso.

Lord Anderson disse...

Liana

Sim, muita gente fala da liberdade de expressão, mas esquece que ela tb advoga liberdade para criticas.

Adora dar opinião (e em alguns casos sair xingando os outros) mas fica revoltado se oq ele diz é contrariado.

Aoi Ito disse...

Putz, Roberto. A diferença de um filme ou uma narrativa pra humor é que, para a narrativa em geral ser boa, as coisas acontecem por um motivo, para um motivo, e têm consequências. Uma história que bota estupro como algo banal, ou faz graça de estupro sem motivo, apenas para tentar fazer uma situação engraçada, é uma história ruim, ao menos nessa parte.

Tem um livro que eu gosto muito chamado Les Fourmis. No segundo livro, a protagonista é quase estuprada, e é uma cena bastante gráfica. Eu pulei porque isso me dá nojo. Descobri depois que o estupro foi SÓ um motivo pro protagonista salvar ela e fazê-la se abrir (Não nesse sentido, gente maldosa) para ele, e nunca mais falam do estupro. A misantropia que já vinha antes disso, da protagonista, some por outros motivos, na história. Por mais que eu ame toda a storyline, foi uma cena RUIM, mal-feita, mal-escrita e, principalmente, desnecessária. Foi pra chocar. Uma mulher andando sozinha no metrô é quase estuprada. Ele poderia ter colocado qualquer outra coisa que o protagonista podia salvá-la e daria na mesma: Um acidente, ela quase sendo atropelada, um assalto, mas não, tinha que ser estupro, porque estupro é a coisa que mais deixa a mulher vulnerável e realmente mexe com ela.

Então, se um filme tem um estupro e ele é tratado de acordo - Com consequências para os personagens, de forma realista, mesmo que deprimente - Não há nada de errado, afinal, é uma narrativa fictícia, envolve personagens e seria tratado decentemente. Agora, tentar arrancar riso - Uma das felicidades do ser humano - De uma desgraça, e não digo "ah, caiu enquanto corria, tropeçou, rsrsrs schadenfreude"; é algo que deixa a mulher mal para sempre - É puro e inadulterado péssimo gosto. É pegar um grupo frágil, que não pode lutar contra isso, e fazer graça da sua fragilidade.

É uma pessoa da classe que ESTUPRA fazendo graça de pessoas da classe que são estupradas pela sua própria classe. Não é humor - É nada mais do que reafirmar que você está no poder, esfregar na cara de uma criança faminta uma coxa de galinha suculenta e depois a comer toda quando você já pesa uns 100kg. É falar, sendo branco, pra um negro: "Viu, viu, me escolheram pro (Grupo/emprego/doutorado/mestrado/etc), não vão te escolher porque você é negro, eu sou branco e consegui, you jelly?".

É fácil falar "quero que as pessoas aprendam a rir de si mesmas" quando não é contigo a piada sobre o terrorismo que fazem com pessoas como você. Porque, pra mim, a situação da mulher em relação a estupro é terrorismo sim, mulher não pode fazer isso, aquilo, sair assim, sair vestida de jeito X, sair sozinha, sair depois de tal horário, confiar nas pessoas, que ela pode ser estuprada e, se for, vai ser culpa completamente dela, e temos que viver todos os dias pensando nessas regras, porque morremos de medo que, um dia, um homem vá nos estuprar, tirar nossa dignidade, nos humilhar, e ainda tem um babaca na TV que acha graça do nosso terror pessoal.

Só isso.

Alfredo disse...

Tá mesmo. E no final eles usam as feministas, mídias sociais e etc para aumentar a audiência.
Falem mal, mas falem de mim. É esse o lema. Minorias não são ouvidas por serem taxadas de extremistas e perseguidoras...o problema é que o "bullying social" mascarado de humor que esses indivíduos promovem atenta contra a liberdade do coletivo. Quem seria o individuo que estaria imune ao humor depreciativo? Enfim...O povo adora rir da falha alheia. Contanto que seja sempre a do outro, tá limpo.

Julian disse...

Os politicamente corretos não se conformam que não existe mais CENSURA no Brasil...
Rafinha Bastos volta semana que vem
Pânico continua bombando
E vida que segue

wannabe writer disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Kezia SRSC disse...

O que e incomoda é o cara ser tão sensato em "A Liga " e tão cretino no CQC. Acredito que tudo é jogo de publicidade... Cabe a nós ligarmos lá na Band, mandarmos e-mail, reclamarmos em Blogs, não simplesmente fechar a boca.

Niemi Hyyrynen disse...

Dificil, muito dificil

Esse povo só vai conseguir separar violencia verbal de "humor" quando eles sofrerem alguma espécie de preconceito.

Lord Anderson disse...

Niemi

Prova disso foi o bafafá com aquela propaganda do Bombril.

Tudo mundo reclamou.

Quem a gente espera (como a Lola e outros), mas tb aquele pessoal que adora dizer que tudo é uma piada, vide os blogs dos masculinistas.


"Engraçado" né?

Naquela vez, quiseram "censurar" o "humor", e esqueceram que era só uma "piada".

Roberto disse...

Lord Anderson
O Humor é coisa séria?
Você deve ter uma fórmula realmente inovadora guardada.

Sinto muito mas a comédia como toda arte nunca terá limite. Por mais que você queira.


Aoi Ito

Concordo com tudo que tu falou sobre machismo. Mesmo assim sou a favor de piadas machistas. Assim como piadas feministas. Uma piada perto da meia noite não é para uma criança ouvir. Quem vai a um teatro sabe o que pode ouvir. E deve ter dicernimento sobre aquilo ou então fica em casa. O resto que tu falou é pura paranóia. Você precisa calcular racionalmente tudo isto para ouvir uma piada? É só uma piada ruim, esquece passa pra outra. Não gostou, troca de canal.

Mas o que eu realmente não entendi no que tu escreveu foi: o humor não é fictício?


Niemi
Eu já sofri preconceito, trauma, bulling, sou de mal com o mundo mas tento usar esta rebeldia de forma mais positiva. E rir é uma boa forma de superar problemas. Claro que um estupro é algo de um nível que só sabe quem passou. Então, caso não dê pra lidar com algo o melhor é trocar de canal ou programa não? E não arranjar um bode espiatório para despejar ódio.

Liana disse...

Sobre Daniela Albuquerque: "Se fosse eu já dava uma cotovelada. É octógono, cadela! Põe esse nariz no lugar!"

Sobre Wanessa Camargo: "Comeria ela e o bebê."

Imagina, nem foi uma agressão sexista, foi só "humor inteligente".

E o que foi isso aqui: "A arte não ofende, pessoas se ofendem." Como assim? rafinha bastos personificou a própria definição de arte? Ele não quis ofender ninguém, só estava num momento de singularidade no tempo-espaço no qual ele deixou de "ser humano", para ser "arte"? A arte se faz sozinha ou são as pessoas que a produzem? Fazem no vácuo? Fazem pra quê, como ofensa gratuita, para uma emissora de tv chamar atenção o suficiente ridicularizando uma situação social terrível com o intuito de enriquecer?

Arte? Ah faça-me o favor. Aquilo é um produto que deve atrair audiência para que posssam vender espaço para que outras empresas vendam seus produtos. É uma vitrine e somos, ou não, seu mercado consumidor. E sim, eu critico o produto à vontade.

Lord Anderson disse...

Roberto

Humor é serio mesmo.

basta ver o quanto de discurssão ele gera.

basta ver a maneira como vc o defende.

se não serio/importante vc não ficaria num post que não concorda , apresentando o seu post de vista com tanta enfase.

a unica duvida é no que a reflrxão apresentada aqu ameaça tanto seu humor.

Liana disse...

E a outra desculpa da vez: "continua criticando, dá audiência e ele volta." Para mim, isso é o de menos.

Que ele sirva de exemplo do quanto nossa sociedade é machista e misógina. Num país em que a violência contra a mulher é uma das suas marcas registradas, faz todo sentido que ele seja idolatrado e defendido com unhas e dentes.

O que ele disse sobre estupro ser um favor e o estuprador merecer um abraço, o modo muito natural com que ele falou sobre estuprar uma criança são mais do que representativos dos valores do seu público, encontram eco na mente dos fãs. É isso que a maioria pensa, mas não fala.

Não é uma questão de incitar crimes, mas sim de a piada se afinar com os valores da audiência. Isso já diz muita coisa. E é por isso que tanta gente se incomodou com a crítica a ele, por tabela eles também foram criticados.

Lord, bem lembrado o comercial da Bombril e as respectivas reações. As coisas mudam de figura quando muda-se o alvo.

Pat Ferret disse...

E eu que não sabia que a censura, no Brasil, havia acabado... :-P

Pessoalmente eu tenho pena do Rafinha. Coloquem-se no lugar do rapaz: alguém disse que ele era um "gênio formador de opinião", e ele acreditou. Pensem no PESO que foi colocado sobre seus ombros! Antes um pobre humorista descompromissado, ele, agora, sente-se na obrigação de SEMPRE falar coisas espirituosas e inteligentes que atendam ao alto nivel de exigência de seu público! Ninguém pode com toda essa responsabilidade, minha gente!

Temos que admitir que, diante dessa situação tão inefável e transcendente, é até perdoável que ele diga tanta m****... ;-)

Roberto disse...

Não Milorde, quem tá querendo deixar sério e politicamente correto (chato), são vocês. Já disse quanto gosto e como gosto do humor. Eu rio muito de tudo isto, inclusive toda esta discussão é surreal pra mim e chega a ter graça.

Liana só uma mente doentia pra imaginar naquele momento um ato de pedofilia real. Só pode ser paranóia. E sinto muito mas comédia é arte e sempre vai ser. Se você não é pra sua cabeça devia ter parado no Chaplin.

Julian disse...

Rafinha Bastos é um baita comediante, cara inteligente, rico, ainda por cima boa pinta. Natural inveja-los, o mesmo que ocorreu com a Gisele, linda e milionária aos 30 anos

Starsmore disse...

Quanto menos se falar em CQC e seus apresentadores melhor. Quanto mais mexe, mais fede.

Essa coisa de aprender a "rir de sí mesmo", eu sei rir de mim mesmo, mas não sou palhaço pra ser chacota de ninguém. Nem aceito que outros sejam.

Quem gosta, que pinte a cara, coloque uma peruca e vá pra rua.
___
PS:
Nem me compare RB com Cristo, porque o exemplo de Cristo é totalmente o contrário, alguém que amava tanto que sentia em si mesmo o que de mal era feito aos outros.

RB é tão frio que acha divertido o sofrimento e agressão que uma mulher sofre ao ser estuprada (e incrivelmente algumas de suas fãs tbm). Gentili idem ao tratar de judeus assassinado nas câmaras de gás.

Niemi Hyyrynen disse...

Roberto

Humor é super sério,

Já foi usado de forma inteligente como Gil Vicent por exemplo, mas hj em dia é usado por essas pessoas ai, como o Rafinha

Quer ver um exemplo de como a coisa não é piada?

Liga sua tv no programa do comediante de stand-up religioso Silas Malafaia, ele tenta ser engraçadinho, faz troça, de quem?

Homoafetivos, mulheres (que não se enquadrem na sua dicotomia de santa) em pobres etc etc

As pessoas riem e dando risada aprendem preconceitos que mais tarde vão proferir, ou pior, instigará essas pessoas a agirem de forma violenta ou marginilizadora.

Isso não tem graça.

Mas me dá licença que vou ali fazer arte, arte misandrica, minha nova categoria de arte

Vou deitar uns 5 homens nus e amarrados em fileira, e passar por cima deles com uma bicileta, nos aros acho que vou amarrar umas espadas..sei lá, pra cortar eles todos.

Vou ali fazer uma arte moderna e transgressora, pricipalmente inteligente.

E não quero ser processada hein!

A arte está acima de tudo

Elisa Maia disse...

Isso de rir de si mesmo é muito bom, saudável, torna a vida mais leve e tal. Só não entendo como pode ser usado nesta discussão. No CQC, eles não riem de si mesmos, eles riem DOS OUTROS, e o fazem confundindo humor com agressão gratuita.

LetB disse...

Eu já sabia que esse afastamento seria só teatro... é óbvio que não iam afastar ele do CQC. Aliás o CQC faz 5 pontos de média no Ibope, o sucesso do programa se deve as polêmicas.

Acabei de ler na UOL que Rafinha Bastos perdeu trabalhos (palestras e propagandas) canceladas... Pelo menos isso...

carolpd disse...

Essa história só acaba quando o Rafinha Bastos morrer sufocado no próprio ego.

http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/os-fascistas-do-bem-estao-assanhados-ou-rafinha-bastos-como-pretexto/

Roberto disse...

Já me diverti bastante nas discussões. Segunda que vem temos hora marcada na frente da tv ok?
Outra coisa..

Vocês já ouviram falar em Especismo? Algo que provavelmente todos vocês patrocinam todos os dias e que é tão ou mais cruel que estupros? O quanto será que vocês se preocupam com isto. Talvez por não ser do interesse estrito de vocês, da defesa das suas opiniões. Vocês que conhecem tão bem os limites da ética. Fica a dica.

Rê_Ayla disse...

Só eu q nunca assisti CQC? Não sei nem como é o programa, exceto pelo q leio na internet.

Não acho q Rafinha Bastos seja o problema. O q é preocupante é a quantidade de pessoa que dá audiência para um cara desses e para estes programas... Se estes "humoristas" ridículos ganham dinheiro, é pq a maioria gosta e é conivente com eles, isso sim é preocupante.

De qq forma, apesar do machismo do talzinho, ainda acho, como sempre achei, q suspensão e pedidos de desculpas só existiram por causa do fator $$$. Na realidade, o q comanda os meios de comunicação, mais do q qq outra coisa, é $$$.

-lia- disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Aoi Ito disse...

"Mas o que eu realmente não entendi no que tu escreveu foi: o humor não é fictício?"

Não. Em um filme ou em um livro, tudo está resumido ao universo do filme ou do livro. É um universo paralelo, não é real; assim como não existem zumbis andando por aí ou matriarquias marcianas no nosso mundo, porque o nosso mundo é o nosso mundo e o mundo alternativo e fictício é o fictício. Quando pára de ser fictício e pára de dizer respeito apenas ao universo, a coisa começa a ficar complicada. Quando algo é feito num desses sem nenhum motivo para o enredo, apenas para "chocar" ou por "humor", já tem uma diferenciação.

O Bastos não é personagem de nenhum livro. O Bastos é uma pessoa real, que influencia no universo real, e está brincando e achando graça de situações que destruíram vidas reais. Tem uma diferença entre isso e um Rafinha Bastos personagem que diz isso, e que é recebido com as reações da Lola personagem, tudo para um leitor que não está envolvido nisso e nem é diretamente afetado por tal. Em uma narrativa, há muitas coisas que diferenciam da vida real, como a existência de um narrador (Que pode ser personagem e ter suas próprias intenções), um autor (Que também tem suas próprias intenções, e aí quem se critica é a obra do autor, não o personagem, a não ser quando em relação ao autor, por exemplo, mal-construído ou excessivamente exagerado).

Então não. Um humor fictício é uma coisa, é uma coisa de um universo à parte, com um autor que pode ser criticado. Um "humor" real como o do Bastos tem só ele como autor e, logo, pode ser criticado, já que a intenção dele está aí. Eu poderia facilmente fazer um personagem Rafinha Bastos contando a mesma piada, mas com uma reação e término diferente do do mundo real - Na minha ficção, eu mostraria uma vítima de estupro reagindo à piada do Bastos, daria um lado humano à "piada", e então o leitor poderia ficar à vontade para decidir se a piada é engraçada ou é só piada ou não; ou então poderia simplesmente mostrar a reação da vítima e dar um final feliz com o Rafinha Bastos sendo desligado do CQC e um Esopo de como com coisa séria não se brinca. Viu? São coisas bem diferentes. :)

Aliás, por favor. Feminismo não é o contrário de machismo. Acho que nenhuma de nós acha que mulheres são superiores aos homens simplesmente por termos vagina e podermos engravidar.

E não, não é paranóia. É só a realidade de uma mulher que já passou por situações de abuso sexual. É só a reação de uma mulher cujo maior medo é ser estuprada, porque ela tem certeza que, se for, a culpa vai acabar sendo dela simplesmente porque ela é mulher e não seguiu as 938723434 regras imaginárias que a sociedade cria para tirar a culpa do homem e botar na mulher, mesmo que o único culpado tenha sido o homem. Então, por favor, não diminua minhas experiências, porque elas são minhas, e você não está na minha pele para dizer se sou paranóica ou não, se você faz parte da parte da sociedade que não corre risco de ser estuprado, podendo levar, além da sua moral arruinada e da sua imagem destruída, uma DST ou um filho de brinde. :)

Liana disse...

Meu caro, nem precisa imaginar um caso real de pedofilia. No Brasil, o número de casos é muito alto (desde "simples" assédio sexual ao estupro com penetração), as denúncias são pouquíssimas e os que são efetivamente punidos contam em número menor ainda. Tende-se a desmerecer a vítima e a proteger o culpado. Isso é NORMAL, é como a nossa sociedade lida com o tema. Pedofilia já está sedimentada no imaginário da população.

Para essas pessoas rir de uma piada que defende pedofilia é o de menos, comparado com o que realmente acontece no dia-a-dia. O "humor" só retrata uma realidade, fica óbvio que há uma conivência enorme com o tema por parte da MAIORIA das pessoas. Difícil é encontrar uma mísera pessoa que fique do lado e defenda uma criança de tal crime. Por n motivos prefere-se fingir que não está acontecendo, até porque a maioria dos casos envolvem incesto. Isso é uma constante em quase todos os países.

Todas essas pessoas têm mentes doentias? Eu acho que não, são só pessoas querendo tirar o seu da reta, ninguém quer ser o rosto que arcará com a vergonha de lidar publicamente com um tema tabu que aconteceu na própria família ou próximo, só se fala de pedofilia hipoteticamente, nunca por experiência próxima. E são essas mesmas pessoas que defendem uma piada que glamouriza a pedofilia como foi o caso do rafinha bastos, sob o manto intocável do "arte" e do "humor".

E estou deixando de fora o número de casos de violência sexual cometido contra mulheres adultas. Já viu as estatísticas? Dá uma lida, é ENORME. Gente pra caramba para se ofender com a "piadinha" inofensiva, bem mais que judeus e autistas que ganharam uma reparação rápida e humilde. Mas vá lá, né, somos mulheres, aparentemente não contamos.

Não é paranóia, as estatísticas estão aí, é tudo muito consistente com nossa realidade social. Por isso riem tanto e se ofendem quando criticamos a "piada". Não sei porque o espanto, estranho mesmo vai ser quando criticarem esse tipo de situação com a mesma facilidade com que criticaram o "passeio de trem para Auschwitz" ou "a casa dos autistas".

-lia- disse...

lola, é claro que essa suspensão era só pra calar a boca de quem tava reclamando. óbvio que ele não seria demitido.

rafinha está dando continuidade em seu plano de ser um ricky gervais brasileiro.

só ta esquecendo que isso aqui não é a Inglaterra.

Rosangela disse...

Mesmo que tenha sido uma armação, de jeito nenhum o debate iniciado pelo seu post de ontem foi inócuo. Aliás, como vc deve saber, a questão que vc levantou sobre o pedido de desculpas ter sido dirigido ao marido e não à mulher agredida está sendo comentada até agora - muitas vezes sem dar o crédito devido a vc, mas mesmo assim foi mais um tijolinho que vc tirou da casa da ignorância (isto ficou muito ruim, HaHaHa). Obrigada, Lola!

Lord Anderson disse...

Roberto, quando chega num blog é bom conhecer os posts anteriores para não dar dica furada.

A questão do especicismo ja foi tratada aqui varias vezes, em post e principalmente nas caixas dos comentarios.

Leia-os, vai sim ver muito sobre etica.

fica a dica.

Sò não entendi oq isso tem a ver com o esse post.


ou é o velho "tem tanta coisa mais importante e vcs falando disso"?

ntwrdprss disse...

Esse cartum do alvin não tem o menor sentido
Ele é um americano, como é que da em oferenda um preto de TAPIOCA, comida de indio brasileiro?
Isso é muito importante.

Elisabeth disse...

Oi, Lola!

É tão triste que a mediocridade seja tão exaltada e que pessoas que buscam fazer humor humilhando e depreciando o outro ainda encontrem um espaço enorme na mídia.
Mais triste ainda que haja fãs que busquem argumentar em defesa dessas bobagens e grosserias ditas.
Muitas vezes sinto que não é questão de inversão de valores mas, de ausência destes!
Bjks e obrigada por nos brindar com ótimas reflexões!

ntwrdprss disse...

rafinha bastos é só um judeu imbecil se esforçando pra aumentar o anti semitismo no mundo.

Ághata disse...

Liana,

falando em pedofilia, teve um congresso ou palestra na Unb faz uns dois anos em que se discutia violência sexual contra crianças e depoimento sem dano.
Uma das palestrantes disse "Não há muitas pesquisas sobre o tema, por isso fizemos uma baseada no Estado de Santa Catarina. Durante um período registramos todas as denúncias e as acompanhamos para saber o resultado. Chegamos ao resultado de que apenas 3% (três por cento mesmo) das denúncias resultaram em condenação..."

Ou seja, o povo já denuncia pouco...
O Estado condena ainda menos...
Some-se a isso nossos programinhas de tv, propagandas, filmes, entre outros discursos ideológicos que pregam que "tem muita menina safada por aí", "não dá pra culpar o cara porque a menina parecia mais velha", "onda estava a mãe dela nessa hora?", "homens têm certas necessidades" e pronto.

Ah, e não esqueça do tanto de filmes e revistas pornôs que exaltam tanto fetiche com lolitas...

E aí? A nossa sociedade incentiva ou não a pedofilia?

Aliás, a palestrante ainda disse que mesmo em casos em que o cara admitia ter violentado ainda podia não ser condenado, olha só que beleza.

Roberto disse...

Realmente estúpido da minha parte não ter lido mais de dez anos de histórico de posts. Aliás vi um post que vocês não chegam a lugar nenhum. Pelo jeito a maioria deve ser assim. Já foi o suficiente para eu não voltar a este blog. Onde todos tem as mesmas idéias.

Jéssica disse...

Sobre acharem que a Lola está dando ibope demais para o Rafinha, é mais provável ue alguém que veja CQC deixe de ver por causa dos posts, do que um@ leitor@ passe a ver o programa.

Considerando que esse imbecil é praticamente um ídolo nacional, eu acho muito relevante criticá-lo.

ntwrdprss disse...

Roberto, nem todos
Mas quem discorda é convenientemente rotulado de troll e pronto, assunto encerrado.Argumento, focar no argumento independente de quem fala,ESTO NON EXESTE

ntwrdprss disse...

'Some-se a isso nossos programinhas de tv, propagandas, filmes, entre outros discursos ideológicos que pregam que "tem muita menina safada por aí", "não dá pra culpar o cara porque a menina parecia mais velha", "onda estava a mãe dela nessa hora?"'

Engraçado que nessas horas ninguem fala das letras de funk que sao a pedofilia mais descarada e escancarada do mundo
Não acredita? procure no google ou youtube: funk + novinha

Niemi Hyyrynen disse...

Fica roberto vai ter bolo!

digo, fica não...

ntwrdprss disse...

Taí, a Niemi mesmo é uma que discorda, quando o assunto é capitalismo.

Roberto disse...

Acho que vou ficar pra babar ovo da dona do blog. Já que é proibido discordar.

Liana disse...

ah, tadinhos dos que se julgam incompreendidos no blog da Lola, deviam montar uma associação

..uhmm deixa eu ver: Associação Dos Que Só Querem Humildemente Opinar Sem Serem Duramente Criticados Por Suas Idéias Discordantes No Blog Da Lola (ADQSQHOSSDCPSIDNBDL)

Já estou aqui imaginando a turminha.

Pronto, cês já tem nomizinho pra começar.

Roberto disse...

Lola nossa rainha!
felizmente não a conhecia, que falta fez na minha vida este blog.
Realmente opniões replicadas num mesmo blog é pra ficar de fora mesmo.

ntwrdprss disse...

Liana, guarde o 'sem serem duramente criticados' pra vc.Crítica pela crítica qq idiota faz, agora foco nas idéias que é bom...

Vamos a um exemplo, mesmo eu achando que vc nao aguenta.No post lá de como a midia mauvada da zelite é ruim com o lula eu falei que essa história que a esquerda vive papagaiando que é o consumo das classes CD que sustenta a economia é conversa, e que o crescimento do mundo inteiro foi puxado pela China.
Argumentos contra to esperando até agora.

Sr Dig Din disse...

Roberto!

GUERREIRO INCANSAVEL DA ARGUMENTAÇÃO LOGICA ARMADA!

NÃO DESISTA RAPÁH

Essas histericas não admitem mas estão repensando seus valores, lá no fundinho do amago amargo delas elas estão!

Venha se juntar a nós

Flasht, ntwdrpss, Oliveira, Flávio Madruga

OS SAMURAIS DA ARGUMENTAÇÃO!

DÁ PRA FORMAR UMA LIGA, UM BLOCO DE COMBATE A FANFARRONICE DA LOLA BALOFA

lola aronovich disse...

Ha ha, Niemi, adorei! "Fica Roberto vai ter bolo!".
Mas vamos fazer um minuto de silêncio em homenagem à perda terrível que vai ser o Roberto não entrar mais neste blog. Prontas?
[silêncio silêncio silêncio]
Prevejo um destino cruel pro blog sem a participação do Roberto. Sinceramente, não sei se o blog vai sobreviver sem a presença de um cara incapaz de escrever na caixa de buscas a palavra "especismo", e daí encontrar uns 5 posts sobre o assunto. Vai ser difícil, mas vamos tentar.
Ntsopadeletrinhastroll, não quer fazer companhia pro Bob? Juro que fazemos um minuto de silêncio pra vc também! E, quando estiver saindo, indica a porta de saída pro Oliveira, que já jurou 344 vezes que nunca mais volta a esta porcaria de blog, e no entanto... é mais insistente que o Jason de Sexta-Feira 13.
Fala sério, vcs vivem aqui, né? Tenho certeza que nem eu passo tanto tempo aqui quanto meus trolls!
Mas não vai ter bolo não, sorry.

EU disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
EU disse...

AHUAHUAHuahuahua
O bom é que voces acreditam em tudo que sai na mídia!

Ana Clara disse...

Lola,

Não sei, mas me parece que a mídia, agora, está "chutando cachorro morto" com relação ao Rafinha Bastos (embora você mesmo atente para o fato de que talvez ele não esteja tão morto assim). Logo após a piada do estupro ou a chacota em cima do mamaço, não vi nenhum blogueiro ou jornalista da grande mídia emitir sua opinião de revolta, descontentamento. Agora que o Rafinha virou quase unanimidade negativa entre a elite intelectual - a que domina os meios de comunicação e a produção e difusão de conhecimento - parece que esses caras sempre pensaram que o 'politicamente incorreto' era uma babaquice. Achei estranho, sabe; na hora em que realmente foi preciso apoio de grandes comunicadores para fazer valer nossas reivindicações de retratação, estavam todos eles se preocupando com coisas melhores a fazer.

Natália disse...

jura que um homem CASADO tirou essas fotos? tá querendo dizer que é assim que ele aproveita uma segunda-feira de "folga"? mega ridículo plus plus. essa mulher dele tem mesmo mta paciência.

Escarlate disse...

Para os trollzinhos da Lola que adoram chorar e bradar sobre como o mundo injusto:

Tem um X vermelho na parte superior da página. Usem-o.

Moema G. disse...

Lola, minha linda, vc não acha que está dando muita visibilidade a esse psicopata?

Shirley de Queiroz disse...

Rafinha, Marcelos, Danilos, não me surpreendem mais. Duas coisas me surpreendem: 1 - A quantidade de gente que dá audiência pra esse tipo de coisa. 2 - A TV é uma concessão pública, não se pode fazer o que quiser, como se estivessem em suas "privadas". Governo tem que fiscalizar isso aí...

A Equilibrista disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fefah_Flor disse...

Pois é...no fundo eu sabia que essa suspensão nem era tão drástica assim...se realmente fosse sério, seria demissão.

Tudo está dominado, pronto falei.

Só gostaria de deixar um recado a tantos "defensores rafísticos" daqui:

1 - sou uma mau humorada politicamente correta,
2 - valorizo a mulher e tento não me aborrecer com o machismo diário de cada dia (está cada vez mais difícil),
3 - não sou feia;
4 - não sou gorda;
5 - não sou pobre;
6 - não tenho peito caído;
7 - sou realizada profissionalmente;
8- muito bem casada;
9 - não tenho nenhum trauma;
10 - não sou desocupada.

E aí? Sou feminista por quê?

Acho ridículo rotular as pessoas, ridículo.

A Equilibrista disse...

Só consigo pensar uma coisa: o senso crítico dos fãs do CQC e, em especial, dos fãs do Rafinha não cabe em um dedal.

Fefah_Flor disse...

Bom senso e auto crítica, a gente se vê no CQC [/ironia].

E para aqueles que se magoam e ficam defendendo veemente um cara que está enchendo a conta bancária as suas custas e não precisa da defesa de vocês: aquele abraço. Fiquem longe.

Liana disse...

Vem Ntw.. me ENSINA (pescou? que nem a Hope) o beabá da economia brasileira e a contribuição das classes C e D, estou ávida para aprender.

Não, peraí, o que o presente post tem a ver com isso? necas de pitibiriba.

:)

agora, me diga, você se sente perseguido aqui? você acha que suas idéias não estão sendo devidamente apreciadas? sente que digita para o nada? gostaria que essa realidade mudasse? estamos ferindo seus sentimentos? vai, me diga o que se passa em seu íntimo, este é um lugar seguro (NOT) para você expor suas queixas e inseguranças..

Noemi disse...

Logo que começou este bafafá todo pensei que era tudo marketing para o programa. Que tudo daria em pizza, nada sério, mas posso dormir tranquila pois eu nunca dei ibope para eles.

carolinapaiva disse...

As críticas incomodam muita gente. Este é o papel da crítica, fazer pensar, analisar as coisas de outros ângulos. Absolutamente TUDO pode ser criticado, nada está imune. Se a crítica tem base ou não, isso fica a critério de cada um.
É por isso que não vejo sentido nas tentativas de calar as críticas. "Não falem sobre isso, há coisas mais importantes"; "é só uma piada, não leve a sério"; "não falem, pois estão dando ibope"; etc. Não concorda com a crítica, argumente. Simples. Isso sim é censura, é dizer que os incomodados não tem direito de criticar.
Argumentar não é debochar dos outros comentaristas ou do assunto, tampouco é fazer pouco caso e posar de superior.
Reclamar que a maioria aqui possui a mesma opinião é ilógico. Este é um blog feminista, é óbvio que atrai gente que compactue com as ideias da blogueira. Reclamar que "todos estão discordando de mim" não faz sentido algum. Ou, além de criticar, também não se pode discordar agora?

Francisca disse...

Lola,

Acho que o tal Rafinha é uma pessoa adulta e age de forma independente da Band e dos outros membros do CQC.

Engraçado essa gente que vem aqui defender o "humorista". A questão não é se ele tem a liberdade de dizer qualquer coisa. Muita gente diz que o holocausto não ocorreu ou que os judeus mereciam. O problema é que tudo que essa criatura diz, ele fala que é uma piada e por isso nós não podemos criticar. Oh, que gente sem humor criticando uma piada!

A questão é que nós não somos obrigados a desculpar qualquer piada cretina que alguém diz para ofender os outros. Incrível como ultimamente no Brasil existe uma ditadura que persegue todo mundo que não acha graça nas piadas dessas criaturas. Querem tolher nossa liberdade de criticar o "humor" dessa turma.

Nisia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ana Gabardo disse...

Eu não acredito na nota tosca em que o Luque se "desculpou" para o marido da Vanessa. Pra mim é tudo farinha do mesmo saco. E tinha gente no facebook ontem achando lindo a menina do CQC substituir Rafinha na bancada do programa. Repito: pra mim tudo farinha do mesmo saco. Mulher ou homem que apresenta um programa assim não tem muita diferença né?
Beijos Lola.

Serge Renine disse...

O engraçado é que o
Rafinha podia ter falado que o Ronaldinho é um gilette que pega travesti, que a Vanessa Camargo é um purgante como artista, mas foi ofender justo uma mulher grávida e um féto indefeso. É muita falta de inteligência para o humor.

O humorísta é antes de tudo muito intleligente para driblar as patrulhas, tanto que o próprio Chico Anisio, quando perdeu essa habilidade e saiu falando o que lhe vinha a cabeça e: perdeu o emprego e depois, consequentemente, a saúde. Humor exige jogo de cintura.

Rick e Jack disse...

Força, Lola, força...

carolpd disse...

Engraçado que ele é pai, eu DÚVIDO, ams eu dúúúvido mesmo que algum homem aleátorio chegasse nele e falasse "Po, gostosa sua mulher comia ela e teu filho" ele levaria isso na esportiva, é, pimenta no cu dos outros é refresco.

Joel Bueno disse...

Guarde suas velas de boa cera para defuntos melhores, Lola.

Serge Renine disse...

Carolpd:

É isso aí!

Richard disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
disse...

Oi Lola,
Não querendo merecer as palavras dos estúpidos que vêm apenas te ofender acho que alguém do teu garbo intelectual tem muito mais campo para escrever do que se concentrar num misógino infeliz como o tal do Rafael Bastos.

lola aronovich disse...

O Blue Eyes deixou um comentário num post antigo, mas respondo aqui:

Grande resistência a sua, Blue Eyes. Vc acha que a “batalha sob a egide da cultura só começou”? Nos EUA essas Culture Wars existem desde o final da década de 60. Mesmo aqui essa “batalha” já tem muitos anos. O que vc não entende é que vc trava uma luta conservadora. O “politicamente incorreto” sempre existiu. Vcs sempre tiveram total liberdade pra chamarem homossexuais de viados, mulheres de vadias, negros de sei lá o quê. E ninguém olhava feio pra vcs por isso. Hoje esses termos estão se tornando socialmente inaceitáveis. Ou seja, os tapinhas nas costas não virão mais. Muita gente vai achar vc e o Rafinha grandes babacas por falarem grandes besteiras. E disso vcs não gostam, né? É chato ser chamado de babaca preconceituoso por tanta gente. Vcs preferem o termo “politicamente incorreto”, não é mesmo? Então, o seu estilo de se referir as minorias, o seu jeito de se relacionar com elas (fazendo piadas em que só elas são vítimas), não trouxe “salvação ao povo”, trouxe? E essa mobilização que vcs fazem agora é apenas pra manter os privilégios que vcs tiveram, e ainda têm, durante séculos. A maior hiporcrisia é que vcs não são apenas conservadores, são reacionários mesmo (querem voltar atrás no tempo), mas se apresentam como moderninhos revolucionários lutando pela tradição e liberdade. Pro seu desespero, sua máscara já caiu pra muita gente...

Daniela Rodrigues disse...

Aaaai, Lola... Sua linda!!!

Igor Nogueira disse...

Olá Lola,
Eu comecei a conhecer seu blog agora, e estou gostando bastante. A cerca de um ano atrás, eu falaria que você é uma pessoa que não deveria ser ouvida, que deveriam tapar a sua boca, porém, depois de muitas considerações em torno de temas tão absurdos que agora estão ganhando mais pauta na mídia, pois, como você disse, são socialmente inaceitáveis, eu me sinto no dever de elogiá-la, pois concordo com 97% do que você disse. Espero que a sociedade (incluindo eu) possa aprimorar-se e não deixar mais que pessoas como o desrespeitoso (no mínimo) Rafinha Bastos, se infiltrarem com o consentimento dos grandes empresário, como o Sr. Saad, nos meios de comunicação em massa.

É triste ver uma coisa dessas...
Mulheres devem ser respeitadas por serem seres humanos, assim como os homens.

Para os homens: Não ajude as mulheres. Divida igualmente.

Laurinha (Mulher modernex) disse...

É o que abala a fé na humanidade.
O cara ganha dinheiro fazendo piada de mal gosto com estupro e coisas do tipo, aparentemente leva uma suspensão como puxão de orelha e uma espécie de pedidos de desculpas da emissora às ofendidas (mais especificamente ao seus maridos) e no fim revelam que não passa de mais uma piada idiota e sem graça.
E pra deixar ainda mais claro o respeito que esses senhores tem por mulheres, nem pra colocar o cara curtindo em casa comendo uma pizza ou qualquer coisa do tipo. Não. Tem que ser se divertindo com mulheres, e ainda faz questão de colocar mais de uma pra deixar bem claro quem é que está ali pra agradar a quem. Mais claro que isso impossível.
O CQC está cuspindo na cara das mulheres, um monte de homem defende e acha bonito e ainda tem umas que ainda acham argumento pra tentar defender esse palhaço.

Laurinha (Mulher modernex) disse...

E continuo boba com a quantidade de pessoas se doendo tanto pra querer enfiar goela abaixo dos outros que fazer piada com estupro, pedofilia, é normal, bonito, quem não gosta é só trocar de canal, simples assim, enquanto isso um monte de babaca não troca de canal e está do outro lado morrendo de rir, aprendendo a ter menos empatia ainda com violência contra mulher. Já tem muito pouca e com essas piadinhas parece diminuir mais ainda.
Vamos todos morrer de rir de estupro, violência doméstica. Esse povo politicamente correto é muito chato. Deixa a gente rir bastante dos problemas sérios que não nos atingem.

Marilia disse...

Pô, eu tenho achado tudo muito difícil, mas quando vejo um comentário como o do Igor, fico com muita esperança de alcançar a igualdade entre homens e mulheres.

=D

Blue Eyes, Na Resistência disse...

Não era para tanto, cara blogueira...
até porque não me posicionei em situação alguma... mas a alma embriagada pela falsa doutrina vê tudo em preto e branco... se querer voltar no tempo é ser reacionario, como ficariam os socialistas depois da queda do muro de Berlim? não seriam também reacionarios?... antes fosse tão simples a nomeação de quem esta a esquerda ou a direita, certo ou errado, verdadeiro ou falso... para isso seria preciso um ponto de partida, dada a lei da relativização, coisa que duvido que consiga, devido aos multiplos pontos a serem alinhavados em seu discurso, eis a multiplicidade dos ideais humanos... além do mais, soa como revanchista sua resposta, como não fosse possivel para um perfil como o meu ter amigos negros, ser casado com negra, ter amigos gays, militar na defesa e providencia dos pobres... criaste um esteriotipo do branco rico opressor em sua ideologia... o rico que estaciona sua mercedez, mas paga seus impostos para o governo criar "bolsas" para população carente é o vilão, enquanto o traficante afro-descendente (em sua mistificação) armado de AR15, mata o branco rico para tomar-lhe o veiculo devido a sua revolta contra o sistema, esse é o oprimido... visão romantica, arcaica, distorcida e injusta a sua... mas não, o que vale é a militancia nua e crua, cara amiga... tudo pela causa... e a minha minoria,como fica? vcs revolucionarios irão tomar a bastilha e matar a todos? onde fica o discurso de tolerancia e abstinencia da violencia? não me tome pelas aparencias... não é mostrando as garras que vc vai demonstrar a que veio... o discurso é lindo, mas os frutos do coração são amargos... amargura travestida em feminismo ideologico... aprenda a compor um contraponto em sua visão monocular... vai fazer bem até para seus textos... nunca ouviste que tudo vale a pena quando a alma não é pequena?... sem ressentimentos... saudações...

yulia disse...

Lola, minha linda, vc não acha que está dando muita visibilidade a esse psicopata?[2]

também acho que o blog não resiste a ausencia dos mascú trolls defensores do rafa misogino

Thiago Leal disse...

Lola; um estudo que confirma o humor politicamente correto como fator de aumento dos preconceitos:

http://blogs.estadao.com.br/daniel-martins-de-barros/humor-e-preconceito-em-rafinha-bastos-e-gisele-bundchen/

Um texto que fala da imbecilidade desse humor politicamente incorreto:

http://www.cartacapital.com.br/destaques_carta_capital/o-perfeito-imbecil-politicamente-incorreto

E Niemi, o nome do filme é Network. Em português saiu como Rede de Intrigas, mas esse é homônimo de outro, que em inglês é o Lies and Illusions, e que foi filmado mais tarde.

Abraços.

Mônica disse...

Gosto do CQC, costumo assistir. Mas perdeu um pouco da minha audiência depois da piada da amamentação e mais ainda depois dessa ofensa a uma mãe e um bebê... Não sou obviamente a favor da censura, mas o limite do bom senso e da inteligência deve existir. Gosto do quadro Proteste já e da Mônica em Brasília. Considero dois excelentes quadros. Mas, me senti pessoalmente ofendida. Dessa forma o programa perderá a minha audiência.

Cidade da TV disse...

E a resposta dele é fotos fazendo a mulher de objeto sexual, servindo o homem.

Lia Lupilo disse...

Estamos com você, Lola! Chega de misoginia na TV! Democratização da Comunicação já!

#freelola

Niemi Hyyrynen disse...

Thiago Leal

Brigada pela correção :)

Ukiyou disse...

O triste é uma pessoa dessas fazer a fama com base em preconceito, e nós, que nos ofendemos com isso, sermos taxadas de "nazis". Tem algo muito errado aí.

carolpd disse...

Pois é, esses caras fazendo piadinhas com holocausto e nós que somos nazis, claro.

Lorena Junqueira, 18 anos disse...

Não sei como as pessoas ainda riem das piadas feitas por ele. Não sou moralista chata de dizer que piada tem que ser politicamente correta; todos nós sabemos que não tem como! Só acho que a piada tem que ser boa, tem que fazer rir... e as piadas do Babaquinha Bastos não tem cumprido esse pré-requisito piadístico. Tá na hora do povo perceber que não tem graça falar que estupro é favor; que não tem graça falar mal de mulher que amamenta. Tá na hora de perceberem que as piadas dele são apelativas e ultrapassam qualquer barreira aceitável do preconceito e do machismo.
O CQC pagar de politicamente correto, indo na câmara e no senado cobrar compromisso dos parlamentares, e depois fazer piadas de um calão tão baixo que não são dignas de riso, é contraditório... mas as pessoas ainda adoram! Infelizmente... uma perda pruma sociedade que precisa se desvincular do machismo!

bike disse...

Blue Eyes , vc em seu comentário foi de uma precisão sem igual .

Claro e profundo , parabéns !!!

Marie disse...

Mais uma vez uma excelente reflexão, Lola.

Contudo, peço licença pra fazer um comentário sobre os comentários: enquanto nós feministas nem assistimos a esses programas feitos por babacas que se supõem gênios e que na verdade perpetuam os mesmos preconceitos de qualquer Zorra Total, isso não acontece com os seus trolls, né?

Esses caras que ficam nos mandando trabalhar e que fazem questão de vir aqui de te xingar de feminazi e balofa (coisa mais 2a série, né?) não podem viver sem você, Lola! Será um caso de amor mal-resolvido? Aqueles meninos de colégio que gostam da gordinha de olhos azuis e por isso a empurram do escorregador. Humm, estou vendo um padrão aqui, hahaha.

É isso aí, ser a maior blogueira feminista do Brasil não é pra qualquer um, bebê! Beijo.

Erres Errantes disse...

Não sei qual é o problema que uns e outros têm com o feminismo radical.
Acho que todo movimento engajado tem que ser radical mesmo. Reformismo é para pessoas covardes que no fundo não querem transformar p*rra nenhuma.
E quanto ao sr. Bastos, parece óbvio que tudo não passou de uma armação da Band para tripudiar de quem se revolta com as suas grosserias em rede nacional. Eles têm dinheiro, espaço na mídia e muitos seguidores. Logo, eles acham que podem perpetuar o seu "humor" preconceituoso e sem limites, o que batizaram por aí como o tal do politicamente incorreto.
Mas vamos continuar na luta.
Abraço,
Rosa.

Cléo Ricardo disse...

Eu queria que vc´s tomassem conhecimento e comentassem isso aqui... Todo mundo sabe que a sociedade é machista, que devemos lutar contra o machismo, mas daí sair crucificando um só machista é demais. A luta contra o machismo não é contra o rafa bastos, mas contra a estrutura montada e mantida pelo Capital.
.
Abaixo, um video de bruno e marrone nos states. Vamos fazer uma cruzada contra eles tbm?

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=3PF4fvZv1bQ

Eliane Ramscheid disse...

Achei hoje esse texto fantástico de um psiquiatra, Daniel Martins de Barros no site do Estadão. E ele cita estudos, números, sobre como o humor pode influenciar e deixar determinadas condutas parecerem mais aceitas pela sociedade. Como o caso da Gisele e do Rafael Bastos (não tenho intimidade para tratá-lo no diminutivo) http://blogs.estadao.com.br/daniel-martins-de-barros/humor-e-preconceito-em-rafinha-bastos-e-gisele-bundchen/

Juliana disse...

A verdade é que o respeito as mulheres é zero, e muitas vezes o machismo parte das proprias mulheres. Eu não assisto o programa, confesso que já assisti, mas é muito fraco, eles tentam passar uma aura de ser intelectuais, falando de politica, o que acaba enganando as pessoas, e o que me enganou quando o programa começou a passar. Eu também achei que essa punição não fosse durar e que era tudo uma armação, suas piadas preconceituosas sempre são direcionadas a grupos menores, por exemplo quero ver ele dizer um absurdo contra algum poderoso da band, ele nunca vai ofender, o patrão, ou a mulher e filhas do patrão dele. Isso foi lamentavel.

florestadeversos disse...

Uma situação toda ela lamentavel, do inicio ao... Meio, sei lá onde estará o fim disso. Mas de tudo o que se comentou a respeito na mídia até agora, e à parte o fato de que o sr. Americo não está se importando com as mulheres e sim com a honra de seu filho, confesso que foi uma delícia ler: "...como telespectador foi um prazer não ver um cretino continuar se utilizando de um veículo de massa para satisfazer seu próprio ego."

http://br.omg.yahoo.com/noticias/sogro-de-wanessa-chama-rafinha-bastos-de-cretino.html

ntwrdprss disse...

Blue Eyes, essa tua ingenuidade é irritante.

Blue Eyes, Na Resistência disse...

Ta dificil pesar, caro ntwrdprss... entre a minha e a sua ingenuidade, vence a estupidez do preconceito feminista utopico antinatural... saudações...

Nanda disse...

E ele fez novamente...

http://www.youtube.com/watch?v=zCQHDXe3ENk&feature=player_embedded

Blue Eyes, Na Resistência disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Blue Eyes, Na Resistência disse...

Ouçam o que o "cara" pensa sobre as polemicas de suas piadas e tirem suas proprias conclusões... http://www.youtube.com/watch?v=MayOl3WcP7k&NR=1

carolinapaiva disse...

Não me importa o que ele acha, o que me importa é minha liberdade de crítica, posso? Ou será que não se pode criticar a comédia? Comediantes possuem colete a prova de críticas, por acaso?
E outra, não se confunde liberdade de expressão com liberdade de insulto/agressão. Se tal "liberdade" de insultar fosse permitido em nome da piada, bullying não seria um caso tão sério assim, não é mesmo? Afinal, é só piada, e dai se crianças se suicidam por causa disso, não é mesmo?

Roberto Lima disse...

O pai de Marcus Buaiz, Americo Buaiz Filho, publicou no jornal Folha de Vitória, do qual é dono, uma carta aberta .
Leia na íntegra:
"Festejamos um tempo de novas tecnologias, de informações diversificadas e on line, do acesso ao mundo em tempo real. Assistimos uma geração crescer com novos referenciais (ou sem eles), alterando fronteiras, mas com dificuldades de perceber limites. A imagem frequentemente prevalece sobre a realidade e se projetam idealizações que nos fazem reféns de marcas, de comportamentos, do consumo compulsivo por tudo que nos é "imposto" pelo "outro" que toma um significado supervalorizado. Precisamos de ídolos que traduzam estas expectativas, que representem essa nova linguagem, essa nova forma de nos relacionarmos onde ferramentas como facebook e twitter são indispensáveis.

Rafinha Bastos surgiu (como mais um e de forma intensa) para responder essas demandas. Irreverente, sem papas na língua, fez da bancada do CQC a tribuna para falar o que pensa, sem medir qualquer conseqüência, e o que muitos gostariam de dizer. Tornou-se um fenômeno: acompanhado por milhões, capa de revistas, propagandista de sucesso de produtos voltados para os jovens. Foi de forma crescente liberando sua agressividade, seu potencial ofensivo e continuou sendo aplaudido e acreditando que fazer mais do mesmo seria uma fórmula para mantê-lo no “estrelato”. Travestido de crítico do politicamente correto e em nome do humor, se arvore o direito de romper qualquer limite de civilidade e transgredir o limiar do bom senso. Tal como um "viciado" que sente o prazer da droga, mas não consegue avaliar sua capacidade de destruição, seguiu atacando impunimente até que deu efetivas demonstrações de que perdeu o controle. Primeiro declarou que as "mulheres feias não teriam do que reclamar se estupradas e sim ficarem agradecidas". Depois e por último acrescentou ao comentário de Marcelo Tas de que Wanessa Camargo está muito bonitinha grávida que "comeria ela e o bebê. Eu não tô nem aí".

De uma só vez desrespeitou valores sagrados, agrediu mães no seu sublime sentimento de maternidade e pais que tem como missão cuidarem e preservarem seus esperados e indefesos bebês. Perdeu a dignidade, a compostura para não perder a piada infame e de mau gosto.Como sogro, como pai, como avô, como empresário de comunicação e, principalmente, como cidadão, tenho crença de que a punição "temporária" de não mais co-apresentar o CQC se torne permanente porque como telespectador foi um prazer não ver um cretino continuar se utilizando de um veículo de massa para satisfazer seu próprio ego. Os trapezistas não podem acreditar que voam e os criminosos têm que ser colocados à margem da sociedade.

Rafinha, você não está nem aí, mas nós estamos aqui!

Americo Buaiz Filho"

«Mais antigas ‹Antigas   1 – 200 de 221   Recentes› Mais recentes»