domingo, 25 de setembro de 2011

TOMARA QUE ENTRE

Já tomamos o Brasil, agora queremos tomar o mundo

Tropa de Elite 2 foi escolhido para representar o Brasil no Oscar do ano que vem. Isso não significa grande coisa: cada país submete apenas uma produção para concorrer a Melhor Filme Estrangeiro, e depois uma comissão da Academia seleciona cinco candidatos entre vários países. Infelizmente, o Brasil não entra na dança desde 1999, quando Central do Brasil concorreu. Quase entrou com O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias, mas não. E enquanto a gente não consegue nem ser pré-selecionado, nossos hermanos e maiores rivais já colecionam duas estatuetas de Filme Estrangeiro (A História Oficial, em 1985, e O Segredo dos seus Olhos, ano passado).
Não há dúvida que Tropa de Elite 2 era o melhor que o comitê brasileiro podia escolher. Se tivesse preferido o concorrente famoso, Bruna Surfistinha, ficaria de fora da seleção do Oscar com certeza absoluta. Não sei se Tropa 2 faz o perfil da Academia. Na categoria de Estrangeiro, é impressionante o número de produções que tenham crianças como protagonistas, ou que se passem em tempos de guerra. Tramas violentas demais, no entanto, costumam ser renegadas. Mas acho que o que pesa mais contra Tropa 2 é o 2 do título. Por mais que ele seja superior ao primeiro Tropa (que representa uma visão meio fascista, impossível de agradar aos membros da Academia, mais liberais), não é comum que concorram sequências. Torço para estar enganada, até porque gosto muito de Tropa 2 (e do 1 também). Uma mera indicação faria com que ele fosse mais visto no cenário internacional (por enquanto, os dois Tropas ― embora um sucesso absoluto por aqui ― não engataram em outros países). O Oscar, goste-se ou não dele, continua sendo uma grande vitrine.

20 comentários:

Rita Gomes. disse...

Nós concorremos no ano passado com o maravilhoso documentario Lixo extraordionario! só nao sei se a producao era tbm brasileira..
beijos lolinha!!
ha algumas semanas eu fui na usp visitar uma a amiga e só depois li no blog q naquele dia vc estava dando uma palestra lá.. pena q perdi!

aiaiai disse...

do jeito q os americanos andam estreitos de raciocínio, acho q vão pensar: o público ñ vai entender o 2, se não vir o 1, então melhor não selecionar. Tomara q eu esteja errada...

Niemi Hyyrynen disse...

Estou torcendo muito pelo Tropa 2!

Ele com certeza é muito mais maduro do que o primeiro, mas...tb nao sei se por sequencia, poderia ter uma chance de entrar na disputa.

Tb acho que não seja o perfil de filme que concorre ao Oscar como melhor estrangeiro, parece que a academia prefere filmes mais com cara de "lado B" o tropa 2 ainda tem um apelo meio comercial, sei lá, mas eu acho que o cinema brasileiro está melhorando bastante, tecnicamente, mas os roteiros ainda são muito fracos, vendo esse cenário o Tropa 2 é um bálsamo...

Mariana. disse...

os dois tropas são filmaços. visões diferentes, mostram o amadurecimento do nascimento.

o dois é meu preferido, revi ontem no tc premium, e torço mto para que ganhe, é um filmaço!

Mariana. disse...

mas se perder, vai continuar sendo um filmaço!

o oscar é legal, mas nem sempre o melhor ganha. tem credibilidade, mas não muita.

Teresa Silva disse...

"Na categoria de Estrangeiro, é impressionante o número de produções que tenham crianças como protagonistas, ou que se passem em tempos de guerra."
Se tiverem personagens judeus então, é garantia de conseguir nem que seja uma indicação. Por mais que neguem, pesa o fato de boa parte da comunidade hollywoodiana ser de judeus.
Você acha que Tropa 1 ganhar o Urso de Ouro em Berlim contou pouco? Existe mesmo uma "diferença" entre cinema americano e cinema europeu? Que filmes e cineastas que fazem sucesso nos festivais europeus são pouco reconhecidos pelo cinema e pelo público americano? Tô te enchendo de perguntas :).
Só pra ilustrar: o crítico Marcelo Janot conta (a conferir) que em vários cinemas americanos que exibiram A árvore da vida havia avisos na porta tipo que o filme não era de "fácil compreensão" e que o dinheiro do ingresso não seria devolvido caso o cliente saísse antes do fim do filme.

Francisca disse...

Pessoalmente, odiei os dois filmes e prefiro que não seja escolhido. Mas pelo menos o filme foi bem fiel ao Bope da vida real. Só faltou mostrar uma cena parecida com a do sequestro do ônibus 174, em que o Bope matou a réfem com um tiro e o sequestrador asfixiado no camburão. Ia ficar digno de um Oscar!

Li uma entrevista com um ex-capitão do Bope e roteirista do filme que falava sobre esse episódio. Ele disse que "hoje, tecnicamente falando, a gente percebe que o resultado morte do bandido era tão importante quanto salvar a refém." Isso explica porque o Bope atirou mesmo com o risco de matar a réfem. Nunca entendi esse tipo de pensamento, mas acho que o filme o representa de forma fidedigna.

ntwrdprss disse...

A memlhor coisa do TE2 é que derruba um dos argumentos furados do pessoal que quer liberar as drogas (TODAS e não só a maconha): que liberando vai prejudicar a vida de fernandinho beira mar e cia, que vivem do tráfico.
Essas gangues também vendem energia, gás, água, tudo coisas 'legais', pq com drogas legais seria diferente?

Eu não torço por esse filme, nem torço por absolutamente nada na vida, por um simples motivo: não faz sentido.
Gastar meu tempo, energia e neurônios querendo que aconteça algo que n vai mudar nada na minha vida, querendo a aprovação de 'críticos de cinema', um tipo de gente inútil com a profissão mais fácil do mundo, é coisa que não é vantagem nenhuma pra mim, só pra eles.

Roberto Lima disse...

Acho que o povo brasileiro precisa perder a mania de achar que o Oscar é algo importante. Pode ser que uma estatueta dessas signifique um aporte financeiro maior para os realizadores do filme, mas para mim, Cannes é muito mais importante, culturalmente falando.
E, sinceramente, "Tropa de Elite" não é um filme daqueles "clássicos"...

Niemi Hyyrynen disse...

off-topic

Hahaha Lola! Achei um video do "sou foda" dando Fatality! kkkk

http://www.youtube.com/watch?v=DPIgtKIASmg&feature=related


XD flawless victory!

Maria Caú disse...

Rita, "Lixo extraordinário" concorreu em outra categoria, a de melhor documentário. O que muita gente não sabe é que nada impede que um filme estrangeiro, desde que tenha sido lançado nos EUA, concorra em qualquer outra categoria, até na de melhor filme, como aconteceu algumas vezes (A vida é bela, por ex.).

Lola, eu não gosto dos Tropas. Vi a lista e não saberia qual escolher, pois ela está coalhada de filmes que eu não vi. Mas é claro que o Oscar é uma coisa política e o filme já precisa (em geral) ser um sucesso no país de origem para ganhar. Afinal, se um filme é mal distríbuido aqui, como muitos da lista o foram, como ele pode ter alguma chance???
De qualquer forma, eu detesto o José Padilha, esse homem reacionário dos infernos, então torço contra. Ele não precisa de mais espaço para se autopromover. Aliás, tô esperando uma declaração dele dizendo: "Ué, mas quem botou meu filme na lista? Eu não botei meu nome em lista nenhuma!!!"

A.H.B. disse...

Acho que Tropa 2 merece o prêmio pelo sarro que tirou do Datena e por ter frustrado o alter-ego do brasileiro, que era encarnado pela figura do Capitão Nascimento.
Não acho que o Padilha seja reacionário, ele foi muito provocativo, isso sim. É um filme quase sociológico sobre o Brasil contemporâneo. Ele não diz em momento algum que o pensamento fascista do Nascimento é desejável. A mensagem é muito semelhante ao "mundo de merda" que Kubrick descreveu em Full Metal Jecket ("Nascido Para Matar" em português).
Acho que o filme não será premiado, porque além do fato de ser uma seqüência, ele tem sutilezas feitas para o olhar nacional.
É um filme excelente, altamente crítico da sociedade contemporânea (presta atenção como a classe média aparece no filme, aplaudindo o Nascimento, e a reação do público na hora que ele bate em um político corrupto) e mal compreendido por quem está vendo apenas a superfície (seja aqueles que se identificaram com o Nascimento ou aqueles que acharam tudo horrível).

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Apesar de ser uma continuação o Tropa 2 me parece ser totalmente independente do primeiro, a mensagem é outra, o clima é outro. Gostei demais desse filme e torço por ele.
Confesso que não sou muito empolgada com o cinema brasileiro, foram poucos até hoje que me conquistaram de verdade, mas seria bem legal um filme brasileiro ganhar um Oscar, no mínimo seria um incentivo e tanto.

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Apesar de ser uma continuação o Tropa 2 me parece ser totalmente independente do primeiro, a mensagem é outra, o clima é outro. Gostei demais desse filme e torço por ele.
Confesso que não sou muito empolgada com o cinema brasileiro, foram poucos até hoje que me conquistaram de verdade, mas seria bem legal um filme brasileiro ganhar um Oscar, no mínimo seria um incentivo e tanto.

Gre disse...

Coinscidentemente assisti esse filme ontem.

Adorei. Sem comentários.

Torço para que ele seja premiado.

Juliana disse...

A atuação do Wagner Moura na sequência Tropa de Elite é uma coisa linda! Quando fui assistir o primeiro duvidei de que gostaria por se tratar de um filme muito violento. Mas acho que foi na medida certa. Muitas vezes esses filmes se aproveitam da realidade que não conhecemos de perto, e a pintam da pior maneira possível. (Tinha medo de retratarem os morros como 3a Guerra Mundial rs).
Outro dia estava até lendo uma matéria na CartaCapital sobre a implantação de um projeto de Economia Solidária na Cidade de Deus e falava um pouco do que os moradores acharam do filme de mesmo nome. Vale apena conferir a matéria, principalmente para aqueles que nunca ouviram falar em EcoSol.

http://www.cartacapital.com.br/destaques_carta_capital/lideres-comunitarios-estampam-notas-na-cidade-de-deus

"A comunidade foi chacoalhada em 2002 pelo filme Cidade de Deus, de Fernando Meirelles, que gerou grande insatisfação nos moradores. Para eles, o filme retrata a comunidade como um local violento, insuflando, assim, o preconceito e a criminalização da pobreza. E foi justamente esse sentimento que serviu para mobilizar 20 diferentes instituições locais, empenhadas em mostrar ao poder público que precisavam muito mais do que ações contra o tráfico de drogas e o crime organizado. Na pauta comunitária, despontaram temas básicos, como educação, trabalho, renda e saúde – plataforma de partida do Comitê Comunitário da Cidade de Deus, criado em 2003 com a finalidade de discutir as demandas da comunidade e influenciar políticas públicas."

mundomel disse...

Eu gostei muito do Tropa 2, mas eu acho difícil ganhar porque a Academia tem birra com Tropa de Elite, que eles consideram um filme fascista. Mas enfim.

Diana disse...

Mas o anterior a ser indicado não foi Cidade de Deus????? Bem depois de Central do Brasil!

ana_alice disse...

acho o 1 um filme bom se vc interpreta com ironia, mas a maioria das pessoas, do povo mesmo, levaram ao pé da letra e ficaram mais de 1 ano papagaiando as frases de efeito do filme e chamando o nascimento de heroi.

não sei se isso aconteceu no resto do país, mas era insuportável por aqui. "pede pra sair", "fanfarrão", "zero-meia", etc.

de qualquer forma, o tropa 2 se redime e de um jeito muito digno. não conheço um carioca q não tenha se identificado, se emocionado e tal. todo mundo sai do cinema meio passado, pq é muito nosso aquilo ali. o apresentador de tv (é o wagner montes cuspido e escarrado. do datena ele só tem a silhueta), o governador, o professor engajado, os policiais corruptos, todos os episódios de violência e tal. tudo real.

uma das cenas q mais me choca em tropa 2 nem tem tiro, nem nada. é a parte em que o helicoptero aparece, do nada, sobre o campinho de futebol, apavorando os meninos jogando bola. e o nascimento narrando em off q a população achava aquilo lindo. dói pq deixa a gente meio dividido. quem já foi vítima de violência já pensou que o bope tinha mais é q reprimir, prender. mas tudo q o fraga faz tanto sentido q não dá pra pensar de outro jeito.

maria, o padilha já disse mil vezes q não é fascista, o nascimento é (era). assista o 2 (vc viu ou n quis ver por causa do primeiro?) e vai desconstruir essa impressao.

pode até ser q alguém esteja se promovendo, espero q não (eu votei no marcelo freixo, em quem o fraga foi inspirado, ele foi o deputado mais votado do rio... mas na alerj o mais votado foi justamente o... wagner montes! fueeennnn)

Bruno Nigro disse...

O problema é julgar como 'fascista' sem entender o conceito ou se dar ao trabalho de entender a coisa nas entrelinhas e não superficialmente.

Não adianta o Padilha dar mil entrevistas explicando, quando o problema não é a explicação mas a conclusão precipitada.

E, pensando numa esfera mais ampla, acontece algo parecido com o cinema nacional. O público brasileiro, às vezes, se recusa a acreditar que seja alguém da mesma nacionalidade retratado ali na tela. Parece que precisa os personagens precisam ser caricatos para serem aceitos.

Por outro lado, quem faz cinema no Brasil, apesar de muita gente boa chegando no mercado, ainda não pegou o jeito de fazer o cinema de entrenimento sem abrir mão da qualidade no enredo etc. Ou o filme é 'cabeça' demais ou 'sessão da tarde' de menos. Um 8/80 sem sentido. Mas, ao menos, estamos caminhando.

É preciso um longo trabalho pela frente, mas acredito que estamos indo bem melhor do que há 10, 15 anos atrás.