terça-feira, 17 de maio de 2011

"A HOMOFOBIA ME FAZ QUERER VIRAR GAY"

Acho que uma maneira eficiente de lutar contra a homofobia é mostrar que ela existe. Pros gays, lésbicas e transgêneros, a existência da homofobia não é novidade alguma. El@s sabem disso perfeitamente. Mas, pra uma hétero como eu, segura no meu mundinho privilegiado, cercada de pessoas inteligentes e livres de preconceitos, às vezes fica fácil esquecer. E aí aparecem Bolsonaros e seus dinossauros amestrados pra me lembrar. E é claro que praticamente todos os homofóbicos têm uma coisa em comum: eles negam sua homofobia. Quase sempre eles começam suas frases com “Não tenho nada contra gays”, seguidas de um enorme MAS ou DESDE QUE, e aí vem a bolada.
Hoje é dia internacional contra a homofobia (o sétimo!), uma data que os GLBTTs vivem diariamente. Mas, pros héteros conscientes, às vezes é preciso se indignar pra erguer as mangas e lutar em favor das minorias.
O texto a seguir, todo sic (ou seja, não mudei nenhuma vírgula, apenas tirei da caixa alta algumas frases que o autor anônimo, histérico, decidiu berrar) foi retirado de uma comunidade no orkut e, evidentemente, publicado em blog mascu (porque machismo e homofobia andam sempre de mãos dadas). Deixo pra vocês rebaterem nos comentários as incríveis besteiras que o cara não se envergonha de gritar. Como disse um escritor americano que nunca ouvi falar (e não anotei o nome, perdão!), “homophobia makes me want to suck dick” (a homofobia me faz querer, ahn, fazer sexo oral num homem). Notem que não é a homossexualidade que revolta os héteros inteligentes. É a homofobia!

MEU FILHO NÃO IRA A ESCOLA
Hoje eu Sou pai de um garoto de 3 anos e ...
Imaginem a seguinte situação, num futuro próximo: você, pai, está levando seu filho no Colégio. Na porta da sala, você encontra "os pais" das outras crianças, abraçados amorosamente, como um casal.
Você olha, se belisca, esfrega os olhos e chega à triste conclusão de que não está tendo um pesadelo - são dois homens se abraçando, trocando carícias em público.
A decisão do STF (que reconheceu como legal a união homoafetiva) me deixou além de indignado, profundamente preocupado com o futuro da humanidade.
Imaginem uma criança sendo criada vendo o pai usar calcinha e a mãe usar cueca.
Imaginem esses casais tornando público os seus atos perante a sociedade.
Infelizmente, num futuro próximo, o mundo literalmente será cor-de-rosa. As minorias, amanhã, serão maiorias.
O que me deixa mais revoltado diante desta situação, é que TODOS estão comemorando a decisão do Supremo, inclusive aqueles que não são gays.
Qual o motivo para comemorar? Falam em dia histórico, mas pra mim trata-se de uma data triste na história.
Faço minhas as palavras de Jair Bolsonaro: "Se ser contrário à causa gay é ser homofófico, então eu sou homofóbico"...
Os gays não aceitam o contrário, querem moldar as mentes das pessoas, como se eu fosse obrigado a engolir essa pouco vergonha e abraçar também a causa deles.
Serei contra isso até a morte!
Queria ter nascido em 1930, para estar morto ou morrendo daqui a pouco!
Preparem-se! O mundo vai terminar, só os boiolas habitarão o planeta! A coisa tá feia!
Meu filho não vai poder estudar! Eu é que não o colocarei num ambiente em que distribuam kit gays e que achem normal fazer viadisse!
Podem me apedrejar me taxarem do que quiserem, mas é como disse o sábio:
"Antigamente o homossexualismo era proibido no Brasil. Depois passou a ser toleado. Hoje é aceito como coisa normal. Eu vou-me embora antes que passe a ser obrigatório." - Arnaldo Jabor

[Nota minha: não nutro nenhum carinho pelo “sábio” Jabor, mas duvido que ele tenha dito algo assim].

70 comentários:

aiaiai disse...

inacreditável! Mas, o pior é que eu acho que ainda existem muitas pessoas que pensam assim. Imagine se o filho desse idiota é gay. O menino vai sofrer como se estivesse no século passado!

Daní Montper disse...

Que nem o Edir Macedo que postou em eu blog que filho dele não vai virar gay, não importa o quanto a gente imponha isso através dos 'kit-gays'.

Seria para rir se a homofobia não matasse.

Ciro disse...

Eu não consigo entender a mente dessas pessoas... Sou cristão, evangélico e tenho plena consciência de que o Estado é laico e que o casamento homoafetivo já deveria ter sido regulamentado a muito tempo. Não existe essa coisa de que vai aumentar os números de gays, só uma coisa vai acontecer: quem está no armário, vai se sentir livre para sair.

Deixa o pessoal ser feliz. Quanto à distribuição desse material pelo MEC, acredito que lá haja profissionais extremamente qualificados para que a abordagem seja feito de forma adequadamente pedagógica. Quem não lembra da polêmica da Educação Sexual na eleição de 2004 (Luizianne x Moroni)? Infelizmente, a prefeita não implantou nas escolas...

Mas no mais, levar em consideração o que Jair Bolsonaro e seus assemelhados falam é perda de tempo. Ele ainda vive num pós-64, na dita "revolução democrática".

Rafael Pinheiro disse...

"Imaginem uma criança sendo criada vendo o pai usar calcinha e a mãe usar cueca."

Tem certeza de que ele sabe sobre o que está falando?
Ele realmente não parece saber muito sobre as coisas.
Mas o que mais me entristece é saber, através das palavras do pai, o tipo de ambiente que o filho dele é criado, aliás, os filhos de muitos outros como esse.

Letícia Simoni Junqueira disse...

Me lembrou o comediante Louis C.K., sobre casamento gay:

"It doesn't have ANY effect on your life. What do you care? People try to talk about it like it's a social issue. Like when you see someone stand up on a talk show and say 'How am I supposed to explain to my child that two men are getting married?' I dunno, it's your shitty kid, you fuckin' tell 'em. Why is that anyone else's problem? Two guys are in LOVE but they can't get married because YOU don't want to talk to your ugly child for five fuckin' minutes?"

Achei genial. Tradução do @FabioRex aqui: http://twitpic.com/4x4uzt

Pedro @snoopy_xxy disse...

Eu nem consegui levar a sério o texto desse cara besta XD. Se ele não consegue viver mais nesse mundo o que ele está esperando?

oscar wildcat disse...

é exatamente o que o rafael falou aí acima: estas pessoas sequer sabem sobre o que estão falando. não entendem os conceitos mais básicos daquilo que querem condenar. mal sabem do sofrimento que causarão a um filho que eventualmente seja gay. claro, pois como é de conhecimento de qualquer pessoa esclarecida, orientação sexual e identidade de gênero não são escolhas. fico tentado a retirar desta classificação gente como bolsonaro ou malafaia, que não creio que sejam (vejam bem, não digo que não sejam, apenas não me parecem) ignorantes a tudo isto - apenas querem usar a simpatia das pessoas usando dos medos das mesmas, a velha demagogia, cada um para seu fim (eleitores ou fiéis). triste ver que o rebanho de ambos não é pequeno nem apático.

Leticia disse...

Mais triste que isso é ver um jornal 'renomado' também apoiar a homofobia. Lamentável: http://bit.ly/mKfJE3

Fernando Borges disse...

Letícia, achei genial o texto que você colocou!

Tem que traduzir e divulgar na blogosfera brasileira.

Victor ; disse...

É de verdade?!

... como se eu fosse a única. disse...

o que tenho a comentar é: tou tentando imaginar um mundo LITERALMENTE cor-de-rosa e o que os homossexuais têm a ver com isso... ;)

... como se eu fosse a única. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pentacúspide disse...

Fui ler sobre isso do Kit-gay, de momento está a parecer-me um tanto ofensivo.

É certo que a homossexualidade deve ser conhecida como normal e as pessoas devem acostumar-se a elas, entretanto, essa de distribuição de Kit-gays não me parece uma atitude "igualitória", ou que se importa a promover a igualdade; não vou dizer que o kit-gay não vai influenciar a sexualidade de ninguém, porque tudo com que envolvemos no meio social influencia-nos de alguma maneira (e estou-me a cagar para a sexualidade de cada um), nem que vai influenciar, só digo que não me parece, uma postura neutra.

Por que não um kit-gay-hetero? É certo que as pessoas estão rodeadas de hetero na sua maioria, e não precisam de um kit, mas considerando o kit como material de educação é muito imparcial esse modelo. Deviam antes era incluir textos homossexuais na lições, histórias onde meninos se apaixonam por meninos, meninas por meninas e vivam felizes para sempre e remodelar o arquétipo clássico heterossexual, e assim ambos os lados da questão.

Na próxima semana não sei, mas hoje sou contra o kit-gay.

Joel Bueno disse...

Deixa ver se eu entendo a lógica... se o homossexualismo parar de ser discriminado, todo mundo vai virar gay? É isso?

Bruno S disse...

Perfeita a citação, Leticia.

Por que as pessoas se preocupam tanto com algo que não a afetará em nada?

Roberval disse...

"Imaginem uma criança sendo criada vendo o pai usar calcinha e a mãe usar cueca."

OH MEU GOD! O problema não é a fome, não é os genocídios das guerras, não é o estupro, a pedofilia, não é a violência, não é a desigualdade social... O problema é não seguir a cartilha azul e a rosa! Eu ri no começo mas depois fiquei triste, pq ele é um ser humano como eu. Tem cérebro, polegares oponíveis, capacidade de exercer consciência. Mas é esse lixo aí.

Roberval disse...

Gente, não é kit-gay, é kiy anti-homofobia. Usar esse apelido criado pela velha e caquética direita ultra-conservadora só reafirma o preconceito, e demonstra o desconhecimento sobre o assunto.

Vou falar o que esse "kit" não é:
- Não é um porno gay
- Não é um incentivo à homossexualidade
- Não é destinado a crianças de 6 a 8 anos (como diz o dinossauro bolsonariano) e sim para alunos do ENSINO MÉDIO
- Não é uma armação gay para seu filhinho virar gay com a doutrina gay num mundo gay

Se informem gente. Já basta essa massa de gente ignorante que se forma atrás desses homofóbicos, que o seguem como gado.

MARIA, L.P. disse...

Lola, não sei se tu já assitiu o video Fuck you... é uma boa!

Antonio Luiz M. C. Costa disse...

Arnaldo Jabor é histericamente antipetista, mas nunca foi homofóbico. Essa é mais uma das frases apocrifamente atribuídas a ele. Basta ver como ele fala do assunto:

http://www.youtube.com/watch?v=XSJyqU409Ko&feature=related

A forma original da frase parece ser "When I joined the military it was illegal to be homosexual, then it became optional. I'm getting out before it becomes mandatory". Vem do debate nos EUA sobre o fim da política de "não pergunte, não diga". Na internet, é atribuída a diferentes militares da reserva, entre eles, um certo sargento da força aérea chamado Harry Serres.

Roy disse...

Querida, sinceramente, nao ha o que rebater. O maior remedio contra a homofobia ou o racismo chama-se REALIDADE. Um dia, cedo ou tarde, ela bate a porta desse cidadao, e de muitos outros que conheco.

Quanto a condicao de nao se achar homofobico, isso vale pra todos os tipos de "outros". Afinal, quantas vezes nao ouvi falarem: Nao tenho nada contra judeu, mas (e la veio a paulada, hehehe).

To sharing no feici.

Bjx

Roy

Ana Claudia disse...

Me comove a profunda ignorância das pessoas... Na verdade, elas não se dão ao trabalho de pensar nem por 1 minuto uma coisa que é lógica. O maior medo dos homofóbicos é que, ao verem os pais homossexuais, a criança será influenciada a repetir o "terrível" comportamento homossexual. Ora, se a maioria da população mundial é heterossexual, a maioria das crianças do mundo cresceram vendo mamãe mulher e papai homem. Se essa lógica louca dos homofóbicos fosse verdadeira, não existiram homossexuais no mundo.
E mais... É muito mais saudável para uma criança crescer vendo um casal, seja de dois homens ou de duas mulheres, que se amam e se respeitam do que crescer em um ambiente onde existe a mulher e o homem, em um total ambiente de desarmonia e agressão física e verbal. Isso sim, trará consequências sérias para o futuro da criança. Uma série de traumas a serem superados e a possibilidade real de repetição de um comportamento agressivo. Isso sim é de se preocupar...

Aoi Ito disse...

Nada a declarar, só que acho muita engraçada essa lógica de "oh noes! Estão começando a tolerar coisa X! DAQUI A POUCO SERÁ OBRIGATÓRIA E EU VOU MORRER!11!1". :p

Rubens disse...

Eu não entendo essas pessoas, é preciso afirmar sempre o seu pré-conceito para que sua "opção" seja posta?No caso destes homofóbicos nem se fala de optar, mas sim de naturalidade, o que é um conceito ainda mais distoado com a realidade.

O que esse rapaz não entende é que o MEC não quer criar uma primeira comunhão da "viadagem", querem promover um material que combata o pensamento sistematicamente ignorante sobre a homoafetividade.

Em todos os argumentos dele, ele sustenta a lógica (lógica?) de que tudo que ele acredita ser certo precisa ser comprovado pela negação da vivência livre do outro, isso é bobagem.

Isolar o filho dele não vai evitar dele ser homosexual, acho que a sexualidade da pessoa não se define assim só com a sociedade, msm pq o menino não vai viver pra sempre numa bolha, posso estar falando bobagem mas enfim.

E esse papo de minoria virar maioria...sinceramente, é de uma tamanha má fé, que dizer que agora todo hetero vai virar gay? Me parece então que ser gay é a "opção" mais razoavel, os heteros só estavam esperando alguem validar o contrato.

E sobre os pais usando calcinha e as maes usando cueca, cabe lembrar que tem muito HT que tem curiosidade de vestir as roupas intimas da parceira(o), há casos de pessoas que se travestem mas não curtem o sexo igual, o Laerte é um caso, ele fala muito sobre isso ultimamente.

Creio que eles confundem sexualidade com moral, como se todo hetero fosse "bom e justo" por simples fato de gostar do sexo oposto.

O que mais me aborrece é trabalhar num local onde outras coisas, as pessoas lutam pelas minorias, mas quando estão na roda de bar, proferem os mesmos improperios que este ser ai disse.

Perco as esperanças até nas pessoas que se dizem "boas".

Thais disse...

O Brasil só tem uma saída: Jair Bolsonaro para presidente.

Eraldo Paulino disse...

Eu acredito que a saída não está somente na aprovação de leis criminalizando a homofobia, embora não haja nada mais justo que isso. Acredito que a lei garante o direito civil e cidadão de pessoas que na hora de pagar os impostos não perguntam com quem se deitam, mas o problema central da homofobia está longe de acabar.

Como foi dito no belo artigo, o problema da homofobia são os homofóbicos, e penso que o maior segredo para combater esse mal não está em botar estes/as na cadeia apenas, e sim procurar entendê-los. Acredito que essa é a melhor saída para que possamos acabar com esse mal pela raíz um dia.

Vale lembrar que a lei anti-racismo não acabou com o racismo, e que esse debate no Brasil após a aprovação está um tanto mais parado, resumindo-se apenas ao debate pelas cotas.

Pra finalizar, eu descobri tardiamente que dois dos meus irmãos eram homossexuais. Eu me considerava com mente aberta até ter o choque. Hoje não tenho nenhum problema com isso, e ao contrário do que se poderia prever, eu milito mais pela causa LGBT que eles. Mas passar por esse momento na minha vida pude perceber que a melhor saída contra a intolerância é mesmo a tolerância.

Este é um blog maravilhoso.

Bjs!

Fernando Daher disse...

A homofobia parental ainda há de se tornar equivalente a maus-tratos de filho, sujeito à perda do poder familiar.

"Ah, filho seu apanha se disser que gosta de meninos, é? Então pode deixar, nós achamos um bom lar pra ele ser criado. Diga tchau pro papai, Joãozinho!"

Esse dia talvez nem esteja tão longe assim, mas quando ocorrer, provavelmente será no judiciário, porque nosso legislativo... Até Bolsonaros tão lá naquela merda!

Victor disse...

Pois é, Lola, o Arnaldo Jabor disse isso mesmo? o.O Não, né?

Drica Leal disse...

Lógica e raciocínio são coisas que não existem na vida de alguém que faz declarações estúpidas como essa de não querer queo filho veja expressões de carinho entre duas pessoas, só poruqe são do mesmo gênero.
Acho que se um E.T. ouvisse ou lesse as asneiras desse pessoal imaginaria que as famílias cujos pais são casais hétero são invariavelmente felizes e bem estruturadas, né? Mas desconheceriam o retrato típico da família classe média brasileira: um casamento de fachada, uma mãe frequentemente infeliz, vazia, neurótica e um pai distante que acha que seu único papel é o de provedor; moralista mas que tem amante na rua ou sai com garotas de programa e considera o casamento, a esposa e os filhos um fardo.

Imoral é uma criança crescer vendo e participando de tudo isso, e não "o pai usando calcinha e a mãe usando cueca" (eu ri dessa parte, hehehe)ou sendo carinhos@ com alguém do mesmo sexo.

Leo disse...

O que dizer... é tão ridículo...
"o pai usa calcinha, e a mãe cueca..." Claro, porque isso é o que os gays fazem...
Interessante o medo absurdo que ele sente em ver as "minorias virarem maiorias". Deve ser muito assustador mesmo pensar que o que você faz com os outros, os outros podem vir a fazer com você!

Olha, na Europa a coisa não é fantástica... principalmente aqui na Alemanha. Mas é TÃO mais avançada... me dá preguiça discutir com essas pessoas. Mas eu tenho o privilégio de não ter que conviver com elas...

Carolina disse...

Aplaudo e concordo! Ao menos as minhas filhas não terão que conviver com gente tacanha na escola(pobre inocente, tomara que escape da lavagem cerebral paterna)! E um pai á menos pra me estressar nas reuniões. Dou o maior apoio... e ainda aconselho que se mude pro EUA ou pra Europa pra me livrar dessa presença ilustre também em festas, restaurantes, filas de banco, etc. Ah, não... lá também toleram as "bichas"! Putz, tá ferrado o nosso amigo aí!
Se não fosse trágico seria cômico!

Nefelibata disse...

Pois eu concordo com o anônimo: que ele vá embora do Brasil. Talvez esse pai se sinta melhor nos outros lugares, muito mais desenvolvidos, em que direitos humanos são negados a todos aqueles que não são héteros, né? Mas cuidado, os direitos humanos são como uma praga, um exército invadindo todas as praias. Assim, se possível, que vá viver na Lua, mas aí deixe a guarda do filho para a mãe, a qual torço para que seja um ser humano mais decente e capaz de educar a pobre criança inocente.

"Seria de rir se a homofobia não matasse", concordo plenamente, Dani.

Laetitia disse...

"Imaginem uma criança sendo criada vendo o pai usar calcinha e a mãe usar cueca."

- HAHAHAHAHA! Gente, é pra cair o c* da bunda, né? Como conseguem ser tão bizarros?

Ultra disse...

Eu sei o que esse cara tem, é medo. E ele é despreparado, entre outras coisas, pra explicar ao filho pequeno que o mundo que ele não aceita existe, ele não imagina que seu filhinho vai crescer e se deparar com ele, talvez e infelizmente tão despreparado qto o pai.

Carol disse...

Não vou nem comentar sobre o sujeito porque não precisa, ne?
Mas trago, para quem não sabe, que nessa quinta e sexta-feiras, dias 19 e 20, será realizada a 2ª Reunião Ordinária do Conselho contra a Discriminação LGBT, em Brasília. A reunião é aberta ao público.

Quem não mora na cidade, pode acompanhar pelo seguinte site: http://www.aids.gov.br/mediacenter/

O Conselho é um órgão do governo, que discute medidas para acabar com a discriminação a populações LGBT. Inclusive, na primeira reunião ordinária o MEC levou os kits anti-homofobia e apresentou, justamente para mostrar que não há qualquer 'incentivo' ao 'desvio sexual' de nossos jovens.

Augusto disse...

Eu tento acreditar que opiniões como essas não são verdadeiras, são piadas, de mal gosto, claro. Felizmente a situação está mudando, mas é incrível ler tais depoimentos, eu hein, qual é a dificuldade em entender a pluralidade da vida?

Sunshine disse...

Ai, Lola, sempre acho interessante quando você dá ênfase ao seu privilégio por ser hétero. Eu, sendo uma mulher bissexual, aceitavelmente dentro dos padrões estéticos, também não conheço esse preconceito horrível que a gente tanto vê por aí. Em compensação, já recebi um tipo de proposta esdrúxula de gente que acha que o fato de uma mulher não-feia ser bissexual é sinal de ninfomania e "promiscuidade" ou algo assim. Pior que não duvido nada - pelo contrário, tenho até certeza - que caso eu aceitasse, me chamariam de vadia pelas minhas costas depois.

Aoi Ito disse...

Ué, Sunshine, é só você arranjar uma namorada que logo logo o terrível mundo do preconceito contra homossexuais vai cair sobre você. Acho que ninguém vai parar e ponderar se você é bi ou homo se te ver com uma pessoa do mesmo sexo. Mas ruim mesmo é essa idéia de que bi = promíscu@, ou bi = ter relacionamentos poliamorosos com mulheres E homens, ou bi = um_ homo ou hetero que está "em cima do muro" e uma hora el_ desce. E pior, pior ainda, é que essa última idéia ainda tá muito infiltrada na própria comunidade LGBT. :/ Mas eu consigo entender. Na teoria, uma pessoa que é "puramente bi" (50/50) tem metade de chances de aderirem ao padrão mulher-homem, e aí não sofreriam tanto preconceito, como você citou...

Acho que a gente tem que prestar atenção nisso: Preconceito nunca é igual para todos. São diferentes tipos, mas todos eles que tem que acabar.

Bruna disse...

Fantástico seu texto. E quanto ao texto do Anônimo é complicado tentar imaginar a cabeça de alguém assim. Acredito que muita gente pense que, devido à tolerância os gays começarão a fazer sexo em público, ficar se agarrando, etc. Confundem duas pessoas de mãos dadas com libertinagem. Imagino como deve ser frustrante a vida sexual de alguém assim, que vê tanta coisa errada em um simples carinho.

Somnia Carvalho disse...

A pena nisso tudo mesmo... é que ele ainda nao morreu...

Roberta disse...

Realmente eu não entendo qual é o medo tamanho que os homofóbicos tem de que João case com Fabiano e Maria com Leticia.
Só consigo pensar em uma palavra quando Homofobia(e preconceitos em geral)me vem a cabeça.
Insegurança.
De que e pq?Eu não sei.
Deve ser horrivel sentir raiva da felicidade dos outros.

Roberta disse...

PS:
Quando o Bolsonaro morrer tomara que construam uma boate gay em cima do tumulo dele.

Cinthya disse...

O que Bolsonaro e sua turma não comenta é que num passado não muito distante, as famílias expulsavam seus filh@s gays de casa e aí a pesso@ fazia a vida dela, enriquecia, às vezes com companheir@. Quando estava a beira da morte ou mort@, a família ia no hospital ou reclamar o corpo d@ ente tão querid@-que errou mas pode ser perdoad@ agora. E aí a família ficava com a herança e deixava @ parceir@ a ver navios ... Bonito isso!

Koppe disse...

Se o machista gosta de andar de mãos dadas com o homofóbico, isso é a orientação deles e ninguém tem nada com isso. Deixem de ser preconceituosos!

(E agora tudo que é texto na internet ganha autoria do Arnaldo Jabor, do Millôr Fernandes ou do Nelson Rodrigues. Já vi até texto atribuído ao Jabor falando sobre sua infância em São Paulo, sendo que ele é carioca. Hoje mesmo vi a frase "o problema dessas citações na internet é a dificuldade para saber se elas são realmente autênticas" atribuída a Nietzche :-)

(E tive que rir no último parágrafo, a foto do apedrejamento é do filme "Monty Python: A Vida De Brian". Quase todas as pessoas presentes são mulheres disfarçadas, porque só homens podiam participar de um apedrejamento. Mas o elenco de Monty Python é composto só de homens, então são homens interpretando mulheres toscamente disfarçadas de homens...)

Pentacúspide disse...

andei por cá:

http://www.avaaz.org/po/uganda_stop_homophobia_petition/?rc=fb

elen mars disse...

não entendo pq nenhum desses homofobicos nojentos,n param para pensar e ver que ninguém escolhe ser hetero.
então ,pq homossexualismo é uma escolha ou safadeza?

eu tenho uma prima e um primo gays, eles nasceram assim,sempre foram assim.

e aqueles homens q ja foram "normais",namorando mulher e depois ficam com homem.
pra mim é claro, tentaram negar o q eram,pra n serem discriminados por idiotas como o bolsonaro.

e a coisa esta tão doida,q quando eu disse a minha prima q achava normal ela ser lesbica,ela perguntou se eu tb era.

acho q estão tão acostumados com idiotas q quando vem alguém q n esta nem ai, com quem eles namoram ou n, a pessoa só pode ser gay tb.

as vezes, eu até evito falar o q penso sobre isso ,pq me olham torto,devem pensar q gosto de mulher tb.


lola,n vai postar a historia da ana? to morrendo de vontade de ler a segunda parte.

Oliveira disse...

Hummmm! Mas que conversinha de boiola! Toma vergonha homarada!

Flor disse...

eu espero que o filho dele seja gay...

Aoi Ito disse...

Elen Mars, é uma boa colocação a sua, mas acho que sexualidade não é escrita na pedra desde que a criança nasceu e não vai mudar nem a pau. Acho que algumas pessoas têm pré-disposição a serem heteros ou homos ou bis ou pans, mas também acho que experiências de vida podem mexer na sua sexualidade.

Penso assim porque acho estranho quando assumem que um homem que passou a vida toda com mulheres e que agora está com um homem era homo desde o começo e na verdade estava se escondendo ou não se aceitava. Claro que casos assim existem, mas também não pode existir que o homem é bi na verdade, ou então teve exceções? Um homem que passou a vida toda com homens e que agora está com uma mulher é automaticamente hetero? A sexualidade de alguns não pode mudar com o tempo? Não sei se posso fazer essa comparação por causa da diferença de backlash entre você ser hetero mas ter um caso homo e você ser homo e ter um caso hetero (Não por quantidade, mas, digamos, de tipo), mas é algo que eu estive pensando por muito tempo porque é o meu caso. :) E também por causa da escala Kinsey, que tem como 1 e 5 o "predominantemente hetero/homossexual, apenas às vezes homo/heterossexual". Um caso desses não poderia cair nesse lado da escala?

Perguntando isso pra todo mundo... Queria saber a opinião de vocês. :)

lola aronovich disse...

Leticia, muito boa essa citação do Louis C. K.! Eu vi o show dele (gravado) quando morei nos EUA. Essa parte é realmente ótima.


Gente, não sei o que tá acontecendo com meu computador desde a semana passada (quando aconteceu aquela tragédia com o Blogger): de lá pra cá não consigo mais acessar o bit.ly! Nem pra colocar links, nem pra abri-los. Alguém mais tá tendo esse problema? (então, Leticia, não consegui abrir o seu bit.ly).

lola aronovich disse...

Há há, Roberval! Adorei que vc se identifica com o autor anônimo porque ele tem polegares! Como ter um polegar opositor (ou melhor, dois) faz diferença, né?


Luiz Costa, sempre arrasando! Obrigada por dizer de onde vem a frase atribuída ao Jabor. É, eu sabia que a frase não era dele. Ele usa “viado” nos textos e tal, mas não é homofóbico.

lola aronovich disse...

Puxa, Eraldo, que legal seu depoimento. Rola um guest post sobre como foi descobrir e aceitar que seus dois irmãos são gays, como foi superar esse preconceito e se tornar ativista LGBT?


Pois é, Leo e demais que se chocaram (como eu) com a parte do “pai usa calcinha, e a mãe cueca”: é aí que o autor revela sua mais visível ignorância. O cara não sabe que tem muito mais homem hétero (mesmo proporcionalmente) que gosta de vestir calcinha do que gay?

lola aronovich disse...

Carolina, Nefelibata, Somnia, foi isso que eu achei tb, quando li o carinha reclamando que não vai poder mandar o filho pra escola, que terá que sair do país, que lamenta não ter morrido... Nesses pontos todos eu empatizo com ele: isso, não manda seu filho pra escola, poupe-nos de um reaça-mirim; isso, sai logo do país; isso, MORRA.


Roberta, boa sugestão: “Quando o Bolsonaro morrer tomara que construam uma boate gay em cima do tumulo dele”. Seria uma bela homenagem. Imagina, som techno martelando no túmulo do Bolso a noite toda... se bem que o lugar pra onde ele vai tb deve ser bem barulhento. Mas é sacanagem com os gays ter um Bolso embaixo de uma boate. Xô assombração!

lola aronovich disse...

Cinthya, essas famílias que fazem isso, e que não são poucas, devem se achar cheias de razão. Que bom que agora não poderão mais desprezar o filho/a e depois ficar com todos seus bens...


Koppe, que bom que vc captou minha piadinha interna com as mulheres barbudas do Monty Python no apedrejamento! Quando o autor falou “Podem me apedrejar”, eu lembrei da Vida de Brian!
E adorei a frase atribuída ao Nietzche! Fica aí a dica, gente: sempre que enviarem corrente pra vc com texto de autoria do Millor, Jabor, Nelson Rodrigues, Veríssimo, e sei lá que outros bambambans, mande de volta esta frase: "o problema dessas citações na internet é a dificuldade para saber se elas são realmente autênticas" Assinado: Nietzche.

lola aronovich disse...

Elen, vou postar a segunda parte da história da Ana na quinta (depois de amanhã). Opa, eu disse “segunda parte”?! Pois o Blogger sumiu com a primeira! Tô esperando que eles devolvam. O post e mais uns 100 comentários que desapareceram naquele dia!


Obviamente Mr. Oliveira concorda plenamente com o homofóbico do texto anônimo... Se a homofobia for criminalizada, a gente pode mandar o Oliveira pra cadeia?

lola aronovich disse...

Aoi, é uma discussão interessante essa. Eu conheço bastante mulher que foi hétero pelos primeiros 30, 40, 50 anos de vida, e aí decidiu experimentar a outra fruta e gostou. Então não sei até que ponto todo mundo já nasce com sua homo/heterossexualidade já definida, ou se de repente muitos conseguem reprimir sua bissexualidade. No momento eu me sinto na escala máxima (é a 1 ou a 5?) da heterossexualidade, pois nunca cheguei perto de desejar alguma mulher. Mas sei lá, quem sabe eu abro meus horizontes quando ficar mais velhinha (e viúva)? (Não gosto desse papo porque passa um monte de mensagens erradas, como isso de “virou lésbica porque faltou homem”. E também, se a gente fala que um hétero pode “virar” homossexual, ou bi, a gente tá indiretamente falando que um homossexual pode virar hétero, ou bi. E eu não acredito muito nisso não. Acho que é mais fácil se assexuar, abdicar de sexo pelo resto da vida, do que mudar nossa orientação sexual).

Dicas e tutoriais disse...

"queria estar morto ou estar morrendo" Tá esperando oq mesmo? Já vai tarde.

Daní Montper disse...

Aoi Ito, sabe, eu acho que nós somos apenas seres sexuais, mas como somos todos diferentes, temos um 'apelo' sexual maior direcionado para determinada 'pessoa' ou coisa talvez, e essas rotulações de homo, hetero, bi etc só vieram depois, quando começaram a tachar as diferenças sexuais, como sempre fazem com tudo, e não deveriam ser tão importantes ou alarmantes, deveriam ser encaradas como naturais - como o próprio sexo deveria ser, mas se nem o sexo por si só é algo natural, está cercado de tabus, imagina então com quem a gente faz ou deixar de fazer sexo, né?
Eu acho que tudo será mais fácil em relação a esses temas quando o sexo deixar de ser visto como algo sujo, transgressor, delineador de caráter etc.

Daní Montper disse...

Ah, gente, o que falarei agora não tem nada a ver com o post da Lola, mas é importante!


Hoje, 18 de maio, é dia nacional de combate à exploração e abuso sexual de crianças e adolescentes, então gostaria de divulgar o disque 100, é o canal gratuito e anônimo do governo para denúncias de casos de violência contra crianças e adolescentes.

Ajudem a divulgar e, o mais importante, se você souber de algum caso de abuso ou exploração sexual infanto-juvenil, denuncie!, não se cale! Não tenha pena ou consideração com o predador e sim com a criança!

Desculpa, Lola, precisava falar disso aqui também xD

Bruna disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Bruna disse...

Curioso que essas pessoas se preocupam com as crianças que terão dois homens se beijando em casa, mas acham absolutamente normal as crianças de 7 anos dançando funk, "na boquinha da garrafa", assistindo BBB, "banheira do Gugu"...e tudo isso sendo legitimado por seus pais héteros!

samya disse...

Como eu digo sempre, você é contra o casamento homossexual, não case com um ser do mesmo sexo que você, simples assim.
Lola, fala a verdade, o Oliveira é você não é? Porque ele é uma caricatura de mal gosto, ele é completamente estupido, ninguém consegue ser assim. Ou consegue? Diga que é você por favor, eu não quero acreditar que ele exista.

Priscilla disse...

o mundo esta cheio de reaças de plantão, mas também tem um monte de gente que se ama, que se curte justamente por considerar válida toda expressão livre da sexualidade, e por isso, vamos conquistar mais e mais direitos!
Vamos em frente que a luta continua.
OBS: Lolinha querida, só um informe, como tudo na vida é um aprendizado e por isso deve ser socializado a sigla definida pelo movimento de lébicas, gays, travestis, transgêneros e transsexuais é LGBTTT ou simplificando, LGBT. A razão das lésbicas virem na frente é que na sociedade as lésbicas são menos visibilizadas, assim como, no próprio movimento, é como se pelo fato de serem homens (ainda que homessexuais) eles gozassem de maior notoriedade. Enfim, mais uma dica para alguém tão legal!

Abraços!

elen mars disse...

Aoi Ito ,disse isso pq com meus primos foi assim,ambos tentaram namorar do jeito normal por n se aceitarem e pra evitar preconceito.

só q um dia eles n aguentaram mais e resolveram q iam ser felizes.

eu sei q tb tem gente bi,tem gente q gostava de homem,se decepcionou e passou a ficar com mulher.

talvez em alguns casos a pessoa mude,isso é misterioso demais,ja q o normal é ser hetero e ninguem se da ao trabalho de estudar uma sexualidade diferente.

mas de qualquer forma,pra mim n importa o pq,é tudo normal e pronto.

pq será q tem gente q se incomoda tanto com quem o outro dorme?

lola q bom,pensei q n ia postar mais,muito bom a história dela.

Letícia Simoni Junqueira disse...

Lola, o link que eu coloquei é só uma tradução do texto do Louis C.K., então não perdeu nada. :)

Leandro Correia disse...

se recusam a entender que não é por ser homossexual que o cara vai querer usar calcinha, ou a mulher usar cueca ... mediocre como qualquer texto mascu.

Aurelio Coelho disse...

A melhor parte dos artigos são os comentários. Gosto muito de ouvir a opinião das pessoas. Até mesmo os trolls, porque me fazem rim.


Lola,
Parabéns pelo seu BLOG, acho muito sensível da sua parte participar dos comentários e "comentar o comentário".

A maioria, com comentários e discussões construtivas só agregam mais aos temas discutidos.

O fato é que por mais que as pessoas idiotas resistam, cedo ou tarde seus filhos serão apresentados a realidade do mundo em que vivemos. Então só por não mandar o filho para escola não irá apagar o fato de que o homosexualismo existe.
Quando a discussão sobre "sexualismo" , concordo que não faz a menor diferença. Sexo não deve ser tabú e muito menos definir caráter e personalidade.

Homosexualismo te incomoda!? Não case com um gay.

Não quer que seu filho estude nessas escolas ? Se mate antes de ter um filho.

Não sabe como se matar ? Prenda a respiração por 18 minutos e engula um mosquito da dengue.

"Água Mole em Pedra Dura tanto bate até que fura" - Assinado Arnaldo Jabor

Saracura disse...

Também duvido que o Jabor tenha dito isso.

Coisas assim não são assinadas por intelectuais e escritores com nome na praça. Suicídio intelectual.

Sergio Viula disse...

Vale a pena trabalhar para erradicar a ignorância!

Quando puder, dê uma passadinha no Fora do Armário: http://www.foradoarmario.net/

Assista também esse lindo video sobre um menino cujo pai é gay e tem namorado. http://www.youtube.com/watch?v=mrPmA8P7c_M

Beijo,
Sergio Viula

ERI disse...

sou gayse cada um cuidasce mais das tua vida, homofobia nao ia axistir. Mair perte dos homofobicos são GAYS q nao se asssume... isso é fato pq sou um gay assumido e vc mto isso...

Anônimo disse...

não sei pra que tanta discusão sobre este assunto ao meu ver não precisava nada disso ,só bastava um respeitar o outro e o outro respeitar o um e pronto.por ex.ninguem pode provar que o azul é mais bonito que o verde,mas nem por isso quem acha o azul mais bonito não fica tentando converser o outro deste fato e não da discusão nenhuma,veja bem aqui em casa eu odeio comer cebola ,mas minha mãe adora e não é por isso que eu vou deixar de gostar dela,mas eu mesmo não gosto.moral cada um cuida da sua vida e respeita o que o outro gosta mesmo não gostando outra coisa na minha faculdade tenhos colegas que adoram dar o cú,mas eu não gosto e não quero dar e nem comer o cara e agora eu sou homofobico?
pra eu não ser homofobico tenho q fazer o que eu não quero?
se ouver respeito fica tudo resolvido neste caso o cara vai dar a vontade pra quem quiser e respeitar quem não quer é bem simples.