quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

BLOG RECLAMA CONTRA HETERONORMATIVIDADE DE AVATAR

A legenda diz: “Detenha Avatar. O futuro é transgênero, não hetero”.

Lendo apenas este post aqui, que diz que 18 de dezembro foi o dia internacional de protesto contra Avatar, não dá pra saber se o blog Stop Avatar é sério ou não. Certo, parece totalmente ridículo que a comunidade GLBT proteste contra o mais recente filme do James Cameron, reclamando que não há nele uma só personagem gay ou lésbica. Soa ridículo porque uma coisa é insultar gays, bissexuais e travestis e retratá-los como vilões (como Hollywood fez em Parceiros da Noite, de 1980, Silêncio dos Inocentes e Instinto Selvagem, entre outros ― o que gerou boicotes e protestos justos); outra coisa é não representá-los. Seria ótimo se todas as minorias fossem positivamente representadas em todos os filmes, mas isso está longe de acontecer (eu, como gorda, poderia me queixar que não há uma só personagem gorda no filme inteiro). Em Avatar essa queixa da heteronormatividade não procede porque há apenas um par romântico na história, e tudo bem, ele é hetero, mas é só unzinho. Não é que haja milhares de histórias de amor e todos os envolvidos nelas são casais heteros. Avatar se passa basicamente num laboratório/base militar, onde os cientistas e militares não têm interesses sexuais. Estão lá só pra trabalhar mesmo. Se fossemos preconceituosos e acreditássemos nos estereótipos, poderíamos até especular se as personagens da Michelle Rodriguez (a piloto) e a da Sigourney Weaver (a cientista chefa) são lésbicas. Afinal, elas são duronas, mandonas, e não usam maquiagem, vestido ou salto alto. Mas isso equivaleria a dizer que eu era meio lésbica porque jogava futebol, sabe? Além do mais, as heroínas em outros filmes do Cameron, como a Sarah Connor em Exterminador do Futuro 2 e a Lindsey em O Segredo do Abismo, também eram duronas e nada decorativas. A única diferença é que uma tinha um marido, e a outra era viúva (pode-se dizer isso da Sarah, vai). Como tinha pênis na jogada, elas não eram lésbicas. Em Avatar as duas heroínas não se interessam por ninguém, não se acasalam, não desfilam. Mas não há nada que indique que gostem de homem, de mulher, ou dos dois. A mesma coisa com os personagens masculinos. E os nativos de Pandora, os Na'vi, são igualmente assexuados. Menciona-se que um Na'vi macho deve escolher uma fêmea pra acasalar, e só. É levemente heteronormativo, mas vamos lá, os Na'vis não são humanos ou terráqueos. São bichos azuis de três metros de altura que vivem em árvores. Quem sabe um universo desses seja mesmo que nem o Irã, onde não existem gays (tô piscando meu olhinho pra vocês).
Ok, naquele post já há algumas pequenas pistas de que o blog não é sério. Um dos objetivos do protesto, segundo o Stop Avatar, é educar as pessoas sobre a transição da humanidade dos heteros para os transgêneros. Nenhum ativista GLBT diria uma besteira dessas. Outra pista é que uma das formas de protesto indicada é levantar-se no meio do cinema e permanecer de pé. Ainda que deva ser hiper eficaz (e seguro) fazer isso num cinema lotado, essas pistas ainda são insuficientes pra estabelecer o caráter irônico do blog.
Mas os posts seguintes não deixam muita margem pra dúvida, principalmente um que diz que os protestos iniciais fizeram que Avatar não batesse recorde de bilheteria no seu fim de semana de estreia. Ha ha. O filme abriu muito bem, obrigada, mas analistas chegaram a dizer que as tempestades de neve em algumas cidades dos EUA fizeram com que muitos espectadores ficassem em casa. Achar que alguns gatos pintados protestando (se é que existiram) pudessem interferir na bilheteria é um pouco como copiar o Nate, que decidiu comandar um boicote ao Cavalheiro das Trevas no ano passado (por ser “propaganda liberal” e mensagem subliminar, já que o Batman, o mocinho, representaria Obama, enquanto o Coringa, pintado de branco, seria o republicano McCain). Nate disse que foi graças ao seu boicote bem-sucedido que Dark Knight arrecadou menos milhões de dólares na segunda semana (isso acontece com todos os filmes, claro).
Vocês podem ver pelos comentários do blog que a maior parte das pessoas ainda não pescou que o Stop Avatar é uma brincadeira. Quero dizer, eu tenho quase certeza absoluta que seja. E é bastante engraçada, até certo ponto. O lado ruim é que encenar um protesto absurdo desses ridiculariza protestos legítimos. Mas sou a favor da liberdade de expressão, então deixa estar. O que vocês acham? É ironia ou não? Se for, atrapalha futuros protestos GLBT? Ou vocês creem que Avatar merece uma mobilização contra?

28 comentários:

Masegui disse...

No Avatar tem algum personagem idiota? será que o Oliveira vai iniciar um protesto? Êta sujeitinho desprezível...

J.anquevitti disse...

Eu ainda não assisti ao filme, preciso vê-lo pra poder opinar, mas não acho que haja algum tipo de preconceito, afinal, é um filme de ficção bem fora da realidade não é?E se o há somente um caso romântico no filme, fica difícil encontrar algum tipo de preconceito

Deve ser brincadeira do site mesmo, mas sei lá né? Se você Lola, que é sempre bastante atenciosa em relação à discriminação na mídia não viu preconceito nele, provavelmente não deve ter mesmo.

J.anquevitti disse...

PQP, repeti preconceito três vezes no comentário!! Preciso de um dicionário de sinônimos rs

Luiza disse...

Oi LOLA,

Eu gostaria de ter o seu e mail, trabalho para 1 site comparador de preços e gostaria de te fazer uma proposta.
Se tiveres interessada, mande um e mail para luiza@shopbot-inc.com

Luciana disse...

Comprei os ingressos. Vou assistir ao filme (em 3D hehehehe) hoje! Amanhã eu comento ;)

Anônimo disse...

é pq vc não é homossexual por isso vc não ve preconceito mas é um filme muito preconceituoso sim

Mei disse...

Aiii, eu ainda não fiquei com vontade de ver...assisti ao trailer ontem de novo e argh, achei tão ruim quanto tinha achado antes! hehehehe

Belle-Belle disse...

Lola!!!!!!!!! Desculpe, não vou falar de Avatar. Preciso lhe desejar um Natal maravilhoso. Passamos momentos muito legais juntas este ano. Sou muito grata a você por tudo que aprendi. Desejo grande sucesso em 2010 nesta vida nova. Aproveite a data para renovar os melhores sentimentos.
Um grande beijo.

Laura disse...

Eu acho tão engraçado quem comenta anonimamente em blog. É só invntar um nome, moçada.

Não vi o filme. Tava até a fim de ver, mas em 3d. Por aqui até tem 3h, mas só veio a cópia dublada. E filme dublado não é filme.

Deborah disse...

Lola, Avatar não é homofóbico, mas é heteronormativo. Ou seja, separa pelo gênero e classifica padrões de sexualidade como normais.
Além do mais, é o homem que escolhe (o que é estranho para uma sociedade matriarcal).
Escrevi mais aqui: http://aqueladeborah.wordpress.com/2009/12/21/avatar/

Serge Renine disse...

Aronovich: por favor, me desculpe estar fora do tópico, mas é o que assunto me chamou a atenção.

Eu não concordo como 98% do que o Oliveira te escreve, porém o que ele te escreveu ontem faz muito sentido. Abaixo o dito pelo Oliveira, entre aspas.

"Ongs mal intencionadas, mentirosas, como todos que se dizem de esquerda, deveriam pedir desculpas por mentir tanto sobre o aquecimento global visando conseguir verbas ilícitas ( outra vertente da esquerda) diante da verdade incontestável do resfriamento, e não, do aquecimento, dos pólos. Houve um resfriamento dos pólos em relação a 2006, segundo dados científicos, e o frio mortal em Nova York, Alemanha, Inglaterra e outros lugares da
Europa, já com centenas de mortos, deixa claro a vigarice do terrorismo ecológico do superaquecimento da terra."


Isso que acaba de ler está empiricamente correto. É fácil confirmar neste final de anos, em todos os países que ele cita. Nos anos anteriores o frio castigou também vários paises. Afinal que resfriamento é esse. Muito estranho.

Eu acho que, realmente, estão fazendo terrorismo ecológico com todos. É um erro a esquerda estar aliada a isso.

Sou, e sempre serei de esquerda, mas não sou bobo.

Um ótimo natal e um ano novo muito próspero para você, seu marido e sua mãe.

aiaiai disse...

kkkkkkkkkkkkk Masegui, adorei seu comentário...até esqueci o que eu ia comentar!!!!!
clap, clap, clap

Agora, respondendo à lola: eu não vi o filme nem li o blog, mas acho que deve ser ironia, mal feita, diga-se de passagem. Alias, espero que seja ironia ou estariamos diante de uma idiotia mundial.
pensando bem, será que foi o oliveira que fez o blog. Taí teríamos uma explicação completa para a história
kkkkkkkkkkkkkkkkk

Alcyone Coelho disse...

Lola, estou na fila dos que não assistiram o filme ainda por causa do frio (e das compras de Natal, festinhas e tal). Se aqui na Florida a galera NAO esta saindo de casa a noite p causa do frio, imagine onde faz frio de verdade@! Por aqui a temperatura a noite ta menos de dez celcius, o q eh superfrio p cá!
Anyway, uma dica: qd vc ver um filme 3D eles sempre te cobram a mais pelo oculos (aqui na sala do Regal custa U$3 cada um) mas se vc tiver de outros filmes pode levar. Vc nao é obrigado a comprar o óculos...
Acho q a maioria dos protestos sao "meio" sem futuro, imagine os q protestam qt coisas q poderiam ser mas nao foi... fala serio!

Alcyone Coelho disse...

Serge, lembra daquele filme q esfriava tudo e NY virava uma geleira? isso eh sim consequencia do aquecimento global.

Serge Renine disse...

Alcyone:

Eu me lembro sim, mas , com todo respeito a sua opnião, esse tipo de filme é a parte mais forte do terrorismo ecológico. Nada da mais medo do que ver um filme destes.

Dri Viaro disse...

acho que ainda nao conhecia seu blog. nao vi o filme, e pra ser sincera nem tenho vontade, vi o trailer e achei um coco hehe

mas, posso mudar de idéia, um dia...

temos uma super promoção no blog, vem dar uma olhadinha

bjs

GabiPurple disse...

a Lola sei la..eu fiquei tao emocionada com o filme,absorvida pela historia e pela temática,chorando e gritando,torcendo pros na'vis ganharem que nem parei um só momento pra pensar nisso.Sério mesmo =P

Mirella Nogueira disse...

hahahaha... terrorismo ecológico foi ótimo!
meu deus uma pessoa consegue ter MEDO de "terrorismo ecológico", e conviver super bem com o caos que o mundo vive devido as ações antrópicas.

É rir para não chorar!

Carla Mazaro disse...

Sobre o "terrorismo ecológico" acho q ele existe sim... mas do mesmo jeito q os invernos estão mais frios os verões estão absurdamente mais quentes tambem... não chamaria isso de aquecimento global e sim de efeito estufa!


Quanto ao filme, não assisti... mas, não digo que seja normal, mas é COMUM - mais pessoas são - hetero, então é de se esperar que um filme tenha predominancia hetero... se é q se pode dizer predominancia, já q só existe um casal... agora isso de homens q escolhem as mulheres, é estranho numa sociedade matriarcal...

Mica disse...

Olha, como você disse, Avatar só traz um casal (e que nem precisava existir na verdade), então falar em heteronormatividade ou protestos é demais para minha cabecinha. Nada impede que os outros personagens sejam gays ou lésbicas. Ou para ser gay o cara tem que ter obrigatoriamente gestos efeminados? E a mulher ser exageradamente brutalizada? Isso é absurdo!
em momento algum do filme as opções sexuais são discutidas, com exceção do casal principal...
Agora, se há homossexuais ou não entre os na'vi eu não sei. A sociedade deles é diferente da nossa. Em nosso meio nós podemos afirmar que há pessoas que se sentem atraídas pelo mesmo sexo, mas ninguém pode afirmar coisa alguma de uma civilização extraterrestre. Querer colocar as nossas concepções em vidas alienígenas é tão preconceituoso quanto querer esconder as diferenças que existem em nosso meio.
E se os na'vi se preocuparem mais com a reprodução da espécie do que com o fato de serem homens ou mulheres?
Tanto faz. A verdade é que o filme não se aprofunda nesse assunto. aliás, sequer o menciona, então tentar achar pelo em ovo é coisa de gente que gosta de se rebelar e protestar pelo simples prazer de rebelar e protestar.

Rita disse...

Oi, Lola

Acabei de chegar do cinema e escrever um post sobre Avatar, ainda em estado de graça. Gostei de absolutamente TUDO: tecnicamente, óbvio ululante, é perfeito; mas é muito mais que isso, a temática é ótima, é irônico ("vamos combater o terror com o terror", lembra alguém?), joga na nossa cara até onde nossa raça é capaz de ir pelo dinheiro. E não tem nada de "absurdo" ou "totalmente fora da real": é só substituir os Na'vis pelos índios ou outros povos massacrados, é aquilo ali. Com algumas diferenças que não posso comentar aqui porque seriam spoilers. Quanto ao ponto levantado aqui de que o homem escolhe, ao escolher a Neytiri, Jake diz: mas ela também precisa me escolher. E ela escolhe. E a mulherada toda, por sinal, dá um show no filme. Ah, eu estou deslumbrada demais ainda, é melhor parar por aqui. E Lola, vi em 3D... meu, sem condições.

Beijos!!

Rita

Antonio Lemasal disse...

Esse Sergio Renine deve estar falando assim pois pelo jeito é petista e quer limpar a barra da Dilma que foi falar lá em Copenhague que o meio ambiente é ameaça.

Só pode...

terrorismo ecológico não chega nem aos pés de terrorismo anti-ecológico.

Carla disse...

Lola, fui ontem assistir Avatar (em 3D!) e sai do cinema inebriada... Nunca um filme me comoveu tanto, mexeu tanto comigo! Me emocionei em várias cenas, chorei mesmo diante da limitação do entendimento humano sobre a natureza, da qual também fazemos parte! Que filme lindo!! Além dos efeitos que são perfeitos, o filme é de uma beleza não só visual, mas é lindo pela mensagem que nos passa.
Estou encantada, todo mundo deveria assistir!
Quanto ao preconceito, acho que não tem muito haver, prefiro pensar que é brincadeira mesmo!
Beijão e Feliz Natal, querida!

Julia disse...

Eu vejo protestos contra heteronormatividade em tudo que é coisa. E a maioria deles, por mais que tenham uma intenção legítima, não fazem sentido.

Teoricamente, todo e qualquer filme onde uma mulher e um homem se apaixonam e o roteiro é centrado neles é heteronormativo. Antes do Amenhecer, de acordo com essa lógica, é heteronormativo. Titanic é heteronormativo. A história de como os meus pais se conheceram é heteronormativa. E protestar contra isso é o mesmo que dizer que não há casais heteros. Tipo. Há. E há gays tambem. É como reclamar que num filme de cachorro não aparece nenhum gato. Às vezes não tem gato mesmo.

Claro que gays, lésbicas, bissexuais e transexuais não têm visibilidade na nossa sociedade POR serem vítimas de desrespeito, homofobia etc. E claro que um filme centrado em pessoas vítimas de preconceito dificilmente vai passar por muito tempo em muitas salas de cinema. Mas há filmes que deliberadamente fingem que gays não existem e se FOCAM nisso, e há filmes que simplesmente estão tratando de um casal que é hetero. E que podia ser gay que a história não ia mudar grandes coisas - como parece ser o caso de Avatar.

Ana disse...

Oi, lola,
Assisti o filme hoje com mamãe aqui no interior, para poder aproveitar 3 horas de ar condicionado no cinema. Estava com sua resenha na cabeça também. Acho que o filme é meio mal sucedido em resolver a questão que coloca, que é (na minha humilde opinião) a do colonialismo. Fiquei pensando se o roteirista leu Michael Taussig ou algum desses antropólogos pós 80s.
Não obstante, é um filme que fala sobre o ser pós-humano, de alguma maneira, e recoloca algumas das fronteiras entre natureza e cultura que as discussões dos queer studies põem em cheque. Creio que isso seria melhor resolvido se os Na`vi não fossem dimorfizados, ou o fossem em formas que não remetessem automaticamente ao par homem/mulher.
Não repudio o filme por isso, não é a questão principal. Poderia ter ousado mais, mas não acho preconceituoso

Ana disse...

"põem em xeque". Céus, que erro feio. É o calor :P

Luciana disse...

Achei o blog uma piada de mau gosto.

Mas amei o filme =D Tanto a estética quanto o enredo.
Tenho lido muitos comentários sobre a história ser cheia de furos e incoerências (claro que eu tenho os meus poréns.. mas eu sempre tenho), mas pera aí, não vi essas mesmas críticas em filmes absurdos como Transformers, Parque dos Dinossauros, isso pra não citar os filmes com super-heróis...
Ai, puxa, queria fazer mil comentários aqui, mas ia encher de spoiler.

Vc tem toda razão sobre as personagens femininas serem fodonas.

Ah sim, veja o filme em 3D. Vale tudo a pena. Quero ver em imax tb, mas não sei essa estripulia vai caber no orçamento.

Beijos.

Carlos Vitor disse...

Eu, brasileiro miscigenado acidentalmente com a pele clara protesto contra o fato de não haver nenhum habitante de avatar que seja meio amarelado no inverno e meio avermelhado no verão.

O movimento negro está reclamando também, mas um pouco diferente, a queixa é que não havia nenhum habitante azul escuro.

a comunidade judaica resmunga que não havia nenhum Mezuzah nas portas em Avatar.

Islâmicos estão reclamando do fato das fêmeas de Avatar não andarem cobertas com a burca.

Sobre o filminho que eu fiz em família ninguém está reclamando porque não dá ibope reclamar de alguma coisa que ninguém viu.

Millor: "eu desconfio sempre do idealista que lucra com seu ideal..."