sábado, 10 de outubro de 2009

OBAMA E O NOBEL

Nobel é tentativa de pedir paz pros que querem derrubar Obama.

Eu gosto muito do Obama. Muito mesmo. Mas, evidentemente, depois de apenas nove meses de governo, ainda era cedo demais pra ele merecer o Nobel da Paz. Até porque até agora ele fez bem pouquinho pra resolver qualquer conflito, e boas intenções pra reduzir as armas nucleares é quase nada. Deve haver como premiar resultados concretos, não intenções. Sem falar que, a princípio, eu olho com desconfiança quando um presidente americano, qualquer um, ganha o Nobel da Paz. Porque os EUA são o país mais bélico do mundo, e, sei lá, imperialismo e paz não são substantivos que caminham juntos. Mas o Nobel é um prêmio político, isso é óbvio. Então o que significa o Obama ganhar? Significa simplesmente que tem muita gente que gosta dele e está lhe dando um voto de confiança. Não é segredo pra ninguém que Obama enfrenta uma grande oposição em seu próprio país. É gente de direita, que nunca aceitou o resultado das eleições (tá cheio de adesivos do tipo “Obama não é meu presidente”), que já achava que o Obama seria comunista e agora só tem certeza, e que inclusive prega o impeachment, por não considerar aquele cara de nome esquisito americano. Sim, tá cheio de teorias da conspiração da direita dizendo que o certificado de nascimento de Obama não existe, e que ele no fundo nasceu no Quênia (alguns insistem que ele nasceu no Havaí, e aí são avisados que, bem, aquele pedacinho tropical é de fato um dos 50 estados americanos).
Americanos têm grande orgulho em portar armas, e orgulho maior ainda em usá-las. Há vários grupos paramilitares que praticam treino de tiro ao alvo ao Obama, aquele um que quer tirar todas as suas liberdades constitucionais. Outro dia foi desvendado um plano na internet pra matar o presidente. Deve ser apenas um de vários. E esses grupos chiam quando são investigados por órgãos de inteligência. Pô, não podem nem arquitetar conspirações pra matar o presidente do seu próprio país! Daqui a pouco proíbem até que eles planejem a morte de presidentes alheios, onde já seu viu!
Já durante a campanha eleitoral do ano passado, a proposta de Obama para a saúde já era polêmica. Polêmica porque americano deve ser o único bicho do mundo que não considera saúde um direito universal de cada cidadão. Não, pra americano de direita, isso de saúde para todos é coisa de comunista. E só países comunistas como Inglaterra, França e Canadá investem nisso da universalização da saúde. Os EUA creem piamente naquele slogan de “não existe almoço grátis”. Ou seja, um americano tem que merecer ter sua saúde tratada. É tudo meritocracia, entende? Até pra sobreviver, porque eles acreditam no survival of the fittest, no darwinismo social que explica como só os mais fortes (financeiramente) sobrevivem. O sistema de saúde americano é uma tragédia, como o Sicko: SOS Saúde, do Michael Moore (sempre à frente de seu tempo), provou. Além de não funcionar, porque permite que 46 milhões de americanos não tenham cobertura nenhuma em caso de doença, ainda é um dos mais caros do mundo (veja este artigo daquele jornal comunista, o Estadão, pra entender melhor). E a expectativa de vida americana segue sendo mais baixa que a de outros países desenvolvidos. E os próprios médicos americanos apóiam o plano de Obama. Mas isso tudo não é suficiente pra convencer o pessoal de direita que saúde boa não é saúde privatizada. Esse pessoal divulga coisas inacreditáveis, como que, se nos EUA houvesse saúde universal, haveria painéis da morte pra determinar quem seria ou não tratado. Gente doente ou velha seria descartada, entende? Usaram como exemplo o cientista Stephen Hawking, dizendo que um homem com tantas deficiências físicas como ele seria renegado por um sistema comunista de saúde, e não teria condições de desenvolver seu potencial. Aí alguém lembrou que, hello, o Hawking mora na Inglaterra, onde o sistema de saúde é público, e, por incrível que pareça, ele continua vivo. O Hawking teve que desmentir os direitistas americanos que o usaram como exemplo, e agora eles o odeiam. Eu não tô inventando!
O governo Obama tentou fazer várias reuniões locais para que sua proposta fosse discutida diretamente entre os congressistas e o povo. Não deu certo, porque começaram a pipocar reações de “desobediência civil”. Gente que começava a cantar o hino americano bem alto ou declamar a constituição, não deixando ninguém falar.
Essas mesmas pessoas promoveram mês passado, em Washington, um protesto contra tudo isso que o Obama representa. Foram 2 milhões de manifestantes, de acordo com a Fox News, ou 70 mil, de acordo com o corpo de bombeiros (outra instituição socialista). Mas não é pouca gente, sabe? Tá cheio de americano que realmente acha que seu presidente atual é o anticristo e que vai trazer comunismo e destruição à América, seja lá o que chegar antes. Não é à toa que muita, muita gente de direita (inclusive aqui no Brasil) aposta que Obama não chegará ao final de seu mandato.
É contra essa torcida, essa ameaça, essa urucubaca, que o Nobel deu o prêmio da Paz a Obama. É como se fosse uma maneira de dizer: “Não liga pra esse seu povo maluco não, Barack, só siga em frente”. Esse povo maluco agora está espumando de ódio (quer dizer, já estava antes, só aumentou a produção de saliva), e dizendo que esses nobelistas em Oslo, seja lá onde fica essa terra, são um bando de comunas. Ou, na melhor das hipóteses, o povo maluco está simplesmente desdenhando o Nobel da Paz. Paz? O que é isso? Coisa de hippie!

21 comentários:

Alba Almeida disse...

Oi Lola, é por essas e outras, que não posso deixar de passar por aqui diariamente. Quando saiu o Nobel pensei,... como assim??? E agora tudo melhor esclarecido.
Diante de tantas que já aconteceu, achas que ele termina???
Beijos e bom sábado.

Anônimo disse...

Lola, que "enrolation profisiional" esse seu, hein?!!!
Tudo isso é só para CONSOLAR o Lula e a Dilma por ele não ter ganho o Prêmio Nobel da PAZ com o Bolsa-Família as custas da manutenção da pobreza no (*)"nosso país"?!!!

(*) Petista não fala BRASIL, fala "nosso país"!

lola aronovich disse...

Albinha querida, bom, os EUA tem uma longa e trágica tradição de louco atirar nos seus presidentes. Mas imagino que hoje a segurança seja muito mais séria que em 1981, data do último atentado (ao Reagan). Foi o último, né? E esses atentados são imprevisíveis. Mas imagino que a segurança vai impedir que isso aconteça novamente. Quanto a não terminar o mandato em caso de impeachment, acho bem difícil. Se nem o Bush foi impeached... Mas que o pessoal de direita vai espernear e fazer o possível pra que o Obama caia, não há dúvida. A direita só gosta desse negócio de democracia quando é o candidato deles que ganha.


Que “enrolation” o que, anônimo! Eu não sabia que a disputa pelo Nobel da Paz estava entre Obama e Lula. Devia ter notado, quando o jornal Hoje de ontem deu a notícia dizendo do Obama, “Ele é o cara!”, referindo-se ao que Obama disse de Lula (e que a elite não conseguiu engolir). E ontem tb vi um comentário de algum leitor no Globo dizendo "Melhor o pulha deles que o nosso". Então pelo jeito havia essa possibilidade que o Lula ganhasse. Eu gostaria muito disso. Alguém que tira 35 milhões de pessoas da miséria, pra mim, faz mais pela paz que muitos outros. O Lula pelo menos estava concorrendo? Mas quanto ódio no seu coraçãozinho contra o Lula, o PT, e a Bolsa Família, hein? Aliás, vcs vão ter que afinar o discurso. Afinal, o PSDB é o criador do Bolsa Família e não vai acabar com o programa se Serra for eleito, ou o Bolsa Família é uma bolsa-esmola, puramente eleitoreira, que não serve pra nada? Decidam-se!

Robson disse...

Olá Lola, por uma incrivel coincidencia seu post ficou com o titulo identico ao meu.

Má disse...

Oi Lolaa!
Confesso que tb fiquei bem surpresa com esse Nobel, sei que sempre é político, mas dessa vez esse caráter ficou muito explícito p mim.
Só acho q um país e o seu presidente q ainda deve prestar contas em relação a Guantánamo ganhar premio Nobel um poco complicado.

Agora o que acho incrível, e me deixa chateada ao mesmo tempo é a atribuição tão pejorativa, quase um xingamento da palavra "comunista" rsrsrs...
Como o maior inimigo do status quo, essa palavrinha foi tão, mas TÂO bem trabalhada com um desprezo ideológico desde o século passado. Fico triste e acho tb incrível o poder da ideologia nesse caso.
Para além de qualquer concepção ampla q esta palavra tem, atribuiu-se tantas falsas concepções do termo que até o Obama vira comunista!! Chega ser hilário neste caso!
E tenho a impressão de que nos EUA deve ter muito disso tb.

Bom, acho q é isso,
Abraço!

Renata Minami: disse...

Lola, vou falar algo que não tem nada a ver com o tópico, mas por favor, vá assistir ao filme "Bastardos Inglórios" e faça sua crítica??!
Eu achei o filme genial, mas sempre gosto de saber o que você achou!

Bjos!

Omar Talih disse...

É engraçado quando "ouço" comentário de pessoas que não se identificam, lembro-me dos anos de governo militar, que por sinal, poucos se lembram, assim como já se esqueceram do que fez FHC, parece formula quimica que acaba em M..., e ficam criticando o Lula, o PT e as conquistas sociais.
O PT de hoje, não é nem de longe aquele que ajudei a fundar e alguns bandidos cuidaram de afundar.Mas cá entre nós, essa conversinha do anonimo, me cheira campanha disfarçada pro Serra, um governador que se escondeu no palácio e colocou a policia civil contra a militar. Se for eleito o que ele fará? Colocará em guerra o exercito contra a aeronautica?
Quanto aos americanos, são loucos que se fazem de bonzinhos.e vitimas quando acontece qualquer coisinha com eles, como o atentado de 11 de setembro. E as bombas no Japão, Coreia, Vietnan...Iraque, Afeganistão...
Creio também que seu post é apenas sua opinião, não uma doutrina que quem quer que seja deva seguir.

Claudinha disse...

Lola:
Eu particularmente acho que Obama é o cara! Inteligente, elegante, "inabalável"! Obama não é os EUA, até porque o país em si é uma entidade incorpórea, "não pensante". Pessoas são necessárias para dar voz ao país. Bush teve uma atitude idiota em por os Estados Unidos em guerra, mas Obama já pegou o "bonde andando"! Creio que ele tenha realmente outros ideais. Tenta se reaproximar de Cuba (até Fidel já se mostrou impressionado!), tenta promover a paz no Oriente Médio, faz política de boa vizinhança...Não sei se boas intenções garantem um Nobel, mas...
Beijão!

La Mamacita disse...

Amei Lolô, amei. Gostei especialmente que mesmo aos sábados, você não perde o timing do blog e faz seus comentários encima da hora. Bravo, menina. O post está exato, conciso e muito esclarecedor. As vezes, as pessoas tendem a pensar que é pelas realizações, -um tanto escassas ainda- do presidente que ele levou o prêmio. No caso, como o próprio Obama disse, é um chamado a ação. Uma esperança. Pena que nos US tenha tanta gente contra. Dá medo, da raiva, sei lá, ver a importância que a direita ta conseguindo. Um horror o que escrevem os colunistas conservadores. Li todos os jornais e fiquei alarmada: um discurso unívoco centrado na importância dos EU como poder militar. Como é que pode. La Mamacita

Juliana Bittencourt disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Victor disse...

Dizem por aí que os soldados estadunidenses no Iraque comemoraram a notícia com tiros pro alto rsrs

Anônimo disse...

Hola Lola, Yo posteo al Nate's bloggo, pero usted no replio. Yo quiero ser una hostessa al Olympics en Rio. You esta muy bonito, yo hablo espanol, y yo ser una formero Senorita Ohio-o. Puedan ayudar yo?

Gracias Maracas,
Cecily

Oliveira disse...

Ou seja, em poucas palavras: o Obama é o Lula dos Estados Unidos, só que com boa formação acadêmica.

O mundo está perdido.

Kaká disse...

Essa reforma da saúde que o Obama quer fazer nos EUA é long overdue. Espero que ele consiga. Mas nao sao todos os medicos que apoiam, a minha tia é radiologista lá e, para a minha surpresa, é contra a reforma.
Eu acho que o Brasil está mais para o sistema de saúde americano do que para o europeu. Sei que ainda dá para usar o sistema público aqui, mas o crescimento dos planos de saúde e hospitais particulares é grande.

Andréia Freire disse...

Ai, sei lá, só uma coisa a dizer, sem querer generalizar, mas já generalizando, os americanos conseguem ser as pessoas mais burras, mesquinhas e hipócritas do mundo. Eu hein. Parece competição!

Andréia Freire disse...

Manutenção da pobreza, eita povinho burro. Como se a inclusão do consumo dessas pessoas (bolsa família) não movimentasse a economia.

L. M. de Souza disse...

dá uma olhada nesse artigo do arnaldo branco, é o que penso tb da direita americana.claro que tem muita gente sensata, mas qdo os argumentos usam religião, acabou pra mim a sensatez. http://www.revistazepereira.com.br/saudades-da-direita-cinica/

Guilherme Scalzilli disse...

Nobel infame

O Nobel da Paz para Barack Obama é uma brincadeira de mau gosto. Nada muito destoante dos condecorados anteriores, com a diferença de que o estadunidense nem precisou fingir que trabalhava para “fortalecer a diplomacia internacional e cooperação entre os povos” – primeiro porque não teve tempo e segundo porque não quis.
Ele é responsável pela sobrevivência de um campo de concentração e duas guerras injustificáveis, espalhou bases militares na América Latina e silencia perante um golpe de Estado a poucas horas de Miami.
Mas o comitê sueco quis enfraquecer o reacionarismo obtuso dos adversários do presidente. Aproveitou o grande marco histórico de sua vitória para lhe estender um salvo-conduto ainda mais duradouro e temerário que o já concedido pela provinciana imprensa mundial.

Dylan-Lá

Bob Dylan, descubro estupefato, concorre quase todo ano ao prêmio de literatura. Sua nova indicação, com apoios importantes, anuncia que a homenagem pode voltar a considerar apenas a importância da obra, não contingências político-biográficas. É só o velho bardo resistir mais alguns anos; o churrasco está marcado.

Éris disse...

Eu achei que a premiação foi precipitada, justamente pelo que você falou, nove meses é bem pouco tempo, e não foi por Obama merecer ou não, apenas é muito pouco tempo para definir, mas depois de ler seu artigo, acho que tem razão, é como dar um voto de confiança e ver se assim quem fica pedindo a cabeça dele maneira um pouco... Veremos.

Luciano disse...

O pessoal da direita é ruim e tá sempre tramando. O pessoal da esquerda é bem bonzinho e quer a paz mundial...
Tem certeza que é assim mesmo?!?
(De qualquer forma, parabéns pelo blog...)
Luciano

Ozznofa disse...

Dizem por aí que o Bush e o Obama são farinha do mesmo saco (não, não presidentes, não, nem imperialistas, não, nem nazistas, não, nem 'de direita', ah, deixa!).
Tem até documentário, que vi, e pensei: "amham cláudia, euq eu vou sentar agora...".
-
Ah, ótimo, seu blog! Divulga Lola Divulga!