sábado, 29 de novembro de 2003

CRÍTICA: APANHADOR DE SONHOS / Vermes gigantes, vaginas dentadas

Aviso: se você tiver estômago fraco, não leia esta crítica. É que vou escrever sobre o asqueroso, o nojento, o abjeto “O Apanhador de Sonhos”. E, claro, não veja o filme. Aliás, mesmo que seu estômago seja antes de tudo um forte, mantenha distância do filme. Eu raramente faço essa recomendação. Quero mais é que as pessoas vão ao cinema. Mas desta vez não tive escolha. “Apanhador” é do tipo que redefine os conceitos do que é um filme ruim. Não acredita? Acha que estou exagerando? Quantas vezes você viu espectadores exigindo a devolução do ingresso na saída? Meninos, eu vi!
Ah, antes do início, o cinema tava passando um curta que até vale a pena. É “Animatrix”, espécie de “Matrix” com atores animados. Pessoalmente, não gosto de atores gerados por computador. Acho-os muito cara-de-pau, sem expressão, recém-saídos da Escola Sylvester Stallone de Interpretação. Mas, comparados aos atores que vieram depois em “Apanhador”, esses de “Animatrix” mereciam o Oscar.
Ok, “Apanhador”. Prenda a respiração que o fedor é forte. Até que o filme não começa mal. Mostra quatro amigos que sabem ler mentes. Um flashback copia “Conta Comigo” e expõe os amiguinhos na puberdade. Eles salvam um garoto com problemas mentais que está sendo obrigado por uma gangue a, hum, como direi, comer cocô. Volta pra atualidade quando, na cabana de inverno dos amigos, eles abrigam um homem que está soltando os piores puns e burps de que se têm notícia num filme. O cara morre, sem que antes saia da sua parte traseira uma minhoca gigante. Desculpe, estou tentando ser civilizada, mas tá difícil. Espero, de coração, que esta não seja a sua leitura do café da manhã. De repente, surge também um ET. Foi nessa hora que eu virei pro maridão e falei: “Amor, tô confusa”. E aí aparece o Morgan Freeman como general e vários personagens que nunca vimos antes. Recapitulando, em ordem alfabética: alienígenas, arrotos, epidemia, militares, peidos, telepatia e vermes. Dá ou não dá pra fazer cinco filmes ruins com o mesmo material?
Mas este é um só, e interminável. No fundo, “Apanhador” é um filme que não saiu da fase anal. O assunto preferido dos quatro amigos é fezes. Juro. Como a produção é pra adolescentes, o grupelho de homens de trinta e poucos anos se comporta como adolescentes. Bebem cerveja, falam de sexo oral, batem altos papos fisiológicos. Suas palavras de ordem são “shit”, “Scooby-doo”, “Supermouse”, e “Freddy me f***”. Tanto que eu disse pro maridão: “Anjo, essa é das histórias mais escatológicas que me lembro”. Ele respondeu: “Peraí! Não tenta defender o filme!”. Numa análise fácil, dá pra notar que o verme-vindo-do-ânus (mil perdões) é um símbolo fálico/fecal, só que ele morde e é vermelho por dentro. Considerando o número de mulheres no filme (três) e seu papel (insignificante), o que isso quer dizer? Ué, é o medo primordial dos homens heterossexuais de que sua amizade de longos anos descambe em sexo. Tem até uma cena em que o que se parece com uma vagina dentada ataca um pênis. “Ataca” não no bom sentido, tá?
Num diálogo não-intencionalmente divertido, um amigo usa um revólver como telefone pra papear: “Ele foi atropelado e morreu duas vezes, mas não sabe. Isso deve ter afetado ele de alguma forma”. O que é chocante é que este diálogo é do William Goldman, roteirista de “Butch Cassidy” e “Maratona da Morte”. O livro em que ele se baseou é do Stephen King. E o diretor desta joça é o Lawrence Kasdan, que realizou os divinos “Corpos Ardentes” e “O Reencontro”. Não estou inventando!
No fim, eu e o maridão trocamos idéias. Ele: “Não consigo imaginar filme tão ruim... Sabe, ‘Anaconda’ tinha suas qualidades”. Eu: “Realmente. Pô, este é o pior da carreira do Morgan, e olha que ele fez ‘Impacto Profundo’ ”. Ele: “Ótimo filme, por sinal”. De fato, em comparação, tudo é obra-prima. Mas o que se esperar de algo onde os personagens repetem a frase “mesma m****, dias diferentes”? Até pensei que eles estivessem falando da programação do cinema...

Um comentário:

GLStoque disse...

Só quer deixar registrado que assisti esse mesmo filme junto com As Panteras DETONANDO (o segundo filme). E que a mesma pessoa, um colega, conseguiu alugar os dois piores filmes da lista de todos os jornais.

E se não me engano, o terceiro era Aquaria ou o da Xuxa. Coisas que ele só não alugou por preconceito, aposto.

Um lixo. Ainda sinto falta das horas que gastei com isso.