terça-feira, 30 de maio de 2017

MAIS UMA PROFESSORA PERSEGUIDA PELO ESCOLA SEM PARTIDO

O relato abaixo é de Valéria Borges, professora da rede estadual de ensino do Rio de Janeiro, vítima do "Escola sem Partido" (que nem precisa ser aprovado no Congresso para virar uma caça às bruxas) promovido por um preposto da famiglia Bolsonaro, vereador pelo PSC de Niteroi. 
Todo o nosso apoio à professora Valéria.

Gostaria de me dirigir à comunidade liceísta, em especial aos educadores, alunos e aos interessados na verdade e na justiça.
Fui exposta na internet pelo vereador Carlos Jordy (PSC). Supostamente eu estaria assediando um aluno ao explicar a ação da juventude hitlerista durante a ascensão do nazismo na Alemanha e compará-la ao comportamento de grande parte dos seguidores de uma figura pública, o deputado federal Jair Bolsonaro.
O vereador foi eleito prometendo
amordaçar professores
Estou sendo acusada, sem que o vereador tenha se dado ao trabalho de me ouvir e de eu ter podido exercer o direito ao contraditório. Contudo, a verdade não se esconde por muito tempo, ela surge e expõe a verdadeira face dos que me acusam. O vereador Jordy tem como plataforma eleitoral o projeto inconstitucional “Escola Sem Partido”, que tenta cercear a liberdade de expressão dos professores. A liberdade de expressão, porém, é garantida pelo Artigo 5º da Constituição Federal.
A liberdade de expressão não é, no entanto, porta aberta para o cometimento de crimes. Quando se rompe a ordem democrática, saem das profundezas do autoritarismo tentativas de dizimar aqueles que pensam diferente, dos que veem a sociedade como plural e diversa e dos que prezam pelos direitos e garantias individuais.
O aluno gravou minhas palavras, sem minha autorização, induzido por uma lógica autoritária que está por detrás do projeto que tenta amordaçar os professores. Os artífices deste projeto agem de forma coordenada e pensada para oprimir (como se orgulham em dizer) as minorias e os que ousam levantar a voz em defesa de uma sociedade pautada pela diversidade.
Causou-me estranheza que os responsáveis pelo adolescente tenham buscado o vereador menos de 24 horas após a gravação de um pequeno trecho da minha aula, sem nem mesmo levar o caso à direção da escola, tampouco à Secretaria de Educação.
Visivelmente, o vereador fez uso da gravação para reforçar o seu discurso oportunista e manipulador contra a liberdade de expressão na escola. Capitalizar apoio para o seu projeto e dar visibilidade para a audiência pública de 29 de maio [ontem], iniciativa do vereador que terá como pauta o Escola Sem Partido, foram os reais propósitos que o levaram a me atacar nas redes sociais. Consequentemente, fui transformada em alvo de perseguição por parte dos bolsominions.
Tive meu profissionalismo e os meus quase 30 anos de magistério como professora de História atacados por conta de um áudio, descontextualizado, de um trecho de 2min44s de uma aula inteira, utilizado nessa manipulação torpe.
Vivemos tempos obscuros, mas é em momentos de crises e tristezas, como este, que vemos surgir o que há de melhor na humanidade.
Fui inundada pelo amor, respeito, solidariedade e apoio de alunos, ex-alunos, professores, diretores, amigos, familiares, figuras públicas e por muitos daqueles que prezam e lutam pela liberdade de expressão, pela escola como espaço democrático, pelo conhecimento e pela pluralidade de ideias.
Termino reproduzindo o que disse Marc Bloch:
“A incompreensão do presente nasce fatalmente da ignorância do passado. Mas talvez não seja menos vão esgotar-se em compreender o passado se nada se sabe do presente.”

107 comentários:

Anônimo disse...

Política n é pra ser debatido em escola pq vira doutrinação, n é imparcial. Se ainda se falasse sobre os dois lados, essa professora esquerdista falaria sobre as ideias da direita para os alunos decidirem por si?

Anônimo disse...

E a cartilha gay que vcs iam distribuir para as crianças nas escolas primárias, que o Dep. Bolsonaro descobriu e denunciou? Vcs acham que aquela m* lá é coisa certa a se fazer? PQP deixem as crianças serem crianças pelamordeDeus!

Anônimo disse...

Professores atuais já são praticamente heróis por continuarem lecionando em meio aos baixos salários e ao crescente desrespeito de pais e alunos. Agora ainda isso.

Anônimo disse...

Coxinhas acham que chamar alguém de esquerdista é insulto... rsrsrs

Anônimo disse...

Querem acabar com a liberdade de expressão dos professores, mas querem liberdade pra fazer discursos de ódio, expor pessoas, incitar violência, preconceito. Esse Bolsonaro é o maior exemplo disso.
Vai entender.

Anonima disse...

Anon 13:36

O Brasil não tem escolas "primárias", não usamos esse termo na estruturação do ensino aqui.
Há Educação Básica, que é composta de Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio.
Ler a LDB/1996 faz bem antes de falar besteira.

Mas pra quem acredita naquela cartilha falsa...

Anônimo disse...

Mais um grande exemplo que confirma que o nazismo era mesmo da extrema direita.

Anônimo disse...

Naqueles chans lá já estão falando em fazer domingo

Anônimo disse...

Porque eu nunca ouvi um professor de história socialista no Brasil falando sobre Stalin e suas gulags assassinas?

Anônimo disse...

Não sabia que xingar o Bolsonaro fazia parte do currículo agora.

Anônimo disse...

Porque eu nunca ouvi um professor de história no Brasil falando sobre a escravidão de brancos europeus por negros muçulmanos na invasão dos mouros norte africanos?

Anônimo disse...

Anon 13:22

O que deve ser debatido em escola não é decidido pelo seu umbigo.

Vá ler os PCNs e vá ler e participar da BNCC e depois volta aqui. Se não souber o que é; joga no google junto com a sigla MEC. Bom proveito.

Anônimo disse...

Porque eu nunca ouvi um professor de história brasileiro falando sobre a nossa CLT ter sido baseada na Carta de Lavoro de Stalin?

Anônimo disse...

Se a educação de ciências humanas e vendida e cantada por seus docentes como a solução para violência e as drogas, as Cracolândias lotadas e os 60 mil mortos por ano fora o número de latrocínios, assaltos estupros etc. Não seriam a prova que vcs professores estão fazendo seus trabalhos mau e porcamente?

Anônimo disse...

Idi Amin,Pol Pot, Stalin e Mao Tsé Tung eram de esquerda...pesquise sobre eles.

Anônimo disse...

gente,

o projeto escola sem partido é temerário por ser sem parâmetro, sem critério objetivo.
Mas uma orientação aos professores (em especial de história) objetivando apresentar todos os pontos de vista é sempre algo válido.

Da mesma forma que sou veementemente contra professores(as) de filosofia que usam sua aula para catequizar criança, ignorando completamente a contribuição e pensamento de várias correntes filosóficas ao longo da história, também não desejo que um professor de história amenize alguns aspectos dos acontecimentos para favorecer o seu próprio ponto de vista, e sabemos que isso acontece.

Eu não ouvi o áudio, mas é óbvio que comparar a juventude hitlerista com eleitores do bolsonaro é algo descabido. A juventude hitlerista era uma organização estatal de caráter semi militar e alistamento obrigatório. Os pais que deixavam de inscrever seus filhos eram multados e perseguidos. Crianças a partir dos 6 anos já eram arrebanhadas para ouvir horas de doutrinação nazista e, quando maiores, recebiam treinamento militar e faziam propaganda nazista. Não era tão diferente do Komsomol (juventude comunista da antiga URSS), na qual os jovens, além da enxurrada de doutrinação ideológica e partidária, também recebiam treinamento militar.

Comparar isso a manifestação livre e espontânea (ainda que altamente controversas) de pessoas sem ligação entre si na internet beira a desonestidade intelectual.

Alícia

Anônimo disse...

14:20

Claro, mas deve ser de acordo com o pensamento esquerdista, certo? Como já disse, se fosse imparcial, n teria problema.
E hipocrisia para todo lado, tem uma professora de direita no YouTube q foi gentilmente convidada a se retirar do Colégio q dava aula, por ir contra ideias esquerdistas.

Os dois lados querem é doutrinar os alunos de acordo com o que acham certo.


Quando tive aula de filosofia ficou claro a doutrinação, a professora garantiu que a matéria era pra nos fazer pensar, mas ficou óbvio que n era nada disso. A prova era de múltipla escolha, se escolhesse a resposta errada, tiravam pontos. E resposta errada era o mesmo que ter opinião diferente.

Anônimo disse...

As nações mais desenvolvidas da terra procuram formar seus cidadãos com base na inserção de conhecimentos científicos, os quais permitirão que sua sociedade evolua. Excelência no ensino de disciplinas como Matemática, Física, Biologia, etc é quem fazem parte da grade curricular destas nações e não discussões políticas. Nesse misero país, alguns educadores insistem em discussões inócuas que só afundam mais ainda a "mandiocalândia".

Anônimo disse...

No ensino médio, os professores de geografia, e alguns de história faziam realmente doutrinação.

Naquela época eu acreditava em tudo que eles falavam. Com o amadurecimento, desenvolvi o pensamento crítico, e penso que boa parte daquele discurso era puramente panfletário.

Por outro lado, caça às bruxas não vai resolver o problema. Com a internet, esse tipo de professor "doutrinador" tem cada vez menos espaço, já que os estudantes podem buscar o contraditório.

Anônimo disse...

Sou de esquerda, mas sou a favor da escola sem partido.
É simples, o professor é um ser humano, e portanto corruptível.
Se determinado partido decide "comprar" a opinião dos professores viveríamos tão somente a ideologia de seu partido.
E se a família Bolsonaro conseguir implantar a militarização nas escolas, será que seria interessante expor as crianças a tão somente essa ideologia?

Anônimo disse...

"O aluno gravou minhas palavras, sem minha autorização, induzido por uma lógica autoritária que está por detrás do projeto que tenta amordaçar os professores."

Ninguém precisa de autorização para gravar aulas, conversas em que seja interlocutor ou que esteja somente presente no recinto, se aberto para a pessoa que está gravando. Não precisa pedir para o professor, para o diretor ou para o juiz. Não é crime e é uma prova robusta, largamente usada, mesmo em tempos anteriores à Lava-Jato.

A gravação está na internet para quem quiser ouvir, no Youtube. No momento em que se começa a emitor opiniões políticas sobre defensores deste ou daquele candidato, está ocorrendo doutrinação ideológica sim.

Anônimo disse...

Engraçado q ninguém viu nada de errado em gravarem conversa com o bandido temer sem ele saber.

E estão sabendo q José mayer pretende processar a figurinista? E o que alguns sites estão dizendo.

Bruxa da noite disse...

hahahahaha Alícia, a rainha da desonestidade intelectual, falando contra... tchan tchan tchan tchan - desonestidade intelectual. Oremos...

Anônimo disse...

acusar sem apontar fatos, serião bruxa da noite, volta pra sonserina, bjs!

alícia

Anônimo disse...

"Esta e a diferenca a esquerda assume seus erros nao e como a direita que quer convencer que o nazismo era de direita"

I see what you did.

Anônimo disse...

Oi meninas, vamos divulgar isso aqui?

http://www1.folha.uol.com.br/colunas/claudiacollucci/2017/05/1888457-em-meio-ao-caos-politico-avanca-no-senado-proposta-que-veta-aborto-legal.shtml

Não é porque o Cunha tá preso que esse esse tipo de coisa não tem chance de ir para votação heim, vamos ficar atentas.

Bruxa da noite disse...

Apontando: a pessoa se diz feminista e é a favor de retirada de direitos que afetam profundamente mulheres pobres e pretas (no caso da terceirização e precarização dos direitos trabalhistas - que levam ao aumento da feminização da pobreza), afinal, não afetará a madama do mpu. Usa de desonestidade intelectual ("até onde eu sei" ou seja, três centímetros adiante do nariz) e aponta isso nos outros... aqui na quebrada a gente não sabe o que é sonserina, mas a gente sabe o que é hipocrisia e luta de classes, lidamos com elas todos os dias...

Anônimo disse...

Sou professora de Historia e o que o projeto escola sem partido deseja e que va para a sala de aula as bobagens que a direita fala no facebook como nazismo e de esquerda que o golpe de 64 foi uma revolucao que salvou o Brasil e outras besteiras sem fundamento.

Anônimo disse...

Linda, vai estudar.

Reduzir direitos trabalhistas melhoram a condição do trabalhador, e não pioram.
Ninguém quer ir dos EUA para o méxico, mas o contrário.... Me responde, pq ir para um país onde há menos direitos legalmente constituídos para os trabalhadores?

Não sou madame. Estudei e muito para passar no concurso que passei, e continuo estudando, vê se para de recalque.

Alícia

Anônimo disse...

Professora de história das 16h31,

fazer professores propagarem a idéia de que o golpe de 64 foi uma revolução que salvou o Brasil é tão errado quanto dizer que Cuba é um paraíso socialista que venceu o imperialismo americano.

Não use dois pesos e duas medidas.

Alícia

Anônimo disse...

Sou capaz de falar em sala de aula os dois lados da Historia mas nao vou concordar com as besteiras que a universidade do Facebook anda propagando para ajudar em uma guerra ideologica

Bruxa da noite disse...

kkkkk vai estudar, alícia. passar em concurso público não te faz inteligente, apenas faz o que você pagou no cursinho valer a pena. recalque por quê? diabos isso de letra de funk agora virar argumento em discussão. falou recalque, já sei, não tem argumento. pesquise sobre o aumento da feminização da pobreza (principalmente entre as mulheres negras que têm que ter dois ou até mesmo três empregos) nos estados unidos depois das desregulamentações operadas pelo ídolos dos coxas (mas não só ele), ronald reagan, traga dados e depois a gente conversa. porque, né, reduzir salário e aumentar a carga horária do trabalhador, além da retirada de outros direitos, é ótemo (pros outros, aposto que o sinasempu nem cogita isso pros parça de trabalho, e se cogitar, vixi...).
PS - gatosa, eu sou servidora pública, mas ao contrário de você, eu não cuspo no prato em que como. Se pouco estado fosse bom, tinha fila de gente tipo tu tentando morar na quebrada...

donadio disse...

"Porque eu nunca ouvi um professor de história brasileiro falando sobre a nossa CLT ter sido baseada na Carta de Lavoro de Stalin?"

Por que a CLT foi parcialmente baseada na Carta del Lavoro do regime do Mussolini, na Itália. Não tem nada a ver com Stalin.

Também importante lembrar que a Constituição de 1988 revogou toda a parte propriamente fascista da CLT. Achar que a CLT, tal como é hoje, guarda alguma semelhança com a Carta del Lavoro revela bastante ignorância a respeito tanto da Carta del Lavoro quando da CLT e da Constituição Federal.

... ignorância que será sem dúvida aprofundada se esse monumento à estupidez humana que é o Escola Sem Partido vier a ditar os rumos da educação no Brasil.

Anônimo disse...

sim, pq foram funkeiros que inventaram a palavra recalque.


Pouco estado é bom para todos. Pobres e ricos, empresários e trabalhadores. Menos gasto com funcionalismo público deveria ser a meta de todo país. Qualquer um que tenha noções básicas de economia sabe disso (não significa o fim dos servidores públicos, mas sem dúvida uma drástica otimização do serviço é mais que necessária, discorda?).

Não falei que sou inteligente por ter passado. Inteligência por si só, sem esforço e dedicação, não faz ninguém passar em concurso nenhum.
È vc quem fica tocando no assunto do meu emprego, como se isso me fizesse a pessoa mais hipócrita do mundo por eu ser a favor de um estado menor, menos oneroso.

Enfim, esse não é o assunto do post e já demonstrei até a exaustão o porquê de eu pensar assim (não é por não me importar com pobres, como já me acusaram aqui). É como se a CLT tivesse assegurado o paraíso para os trabalhadores brasileiros...

Alícia

Anônimo disse...

Por que o link com o áudio foi apagado daqui dos comentários?

donadio disse...

"A juventude hitlerista era uma organização estatal de caráter semi militar e alistamento obrigatório. Os pais que deixavam de inscrever seus filhos eram multados e perseguidos."

Alícia, a juventude hitlerista foi fundada em 1922, quando o partido nazista não era governo. Obviamente, a descrição que você faz só pode corresponder à verdade a partir de 1933, quando os nazistas tomaram o poder. Portanto, durante onze anos, a juventude hitlerista não teve alistamento obrigatório, nem os pais que deixavam de inscrever os filhos podiam ser perseguidos.

Aí um dia eles chegaram ao poder, e a juventude hitlerista foi instrumental nisso.

É óbvio que o bolsonarismo não pode hoje, na oposição, se basear em alistamento obrigatório. A questão é saber o que essa cambada de valentões de extrema-direita vai fazer, se por estupidez nossa, o Bolsonaro chegar à presidência, e o seu movimento ao poder.

Não quero fazer a experiência: não acho que vá ser exatamente igual ao nazismo na Alemanha, mas vai ser uma merda para todos nós (inclusive aqueles entre nós que são imbecis o suficiente para apoiarem essa forma de gangsterismo político).

Mais aprofundadamente, falta ao bolsonarismo um elemento essencial do nazismo: o nacionalismo. A extrema-direita brasileira é irrecuperavelmente entreguista, ao contrário da direita nos países centrais. Isso a faz, é claro, um pouco menos perigosa. E também muito incapaz de realmente ascender ao poder. Servem mesmo é de linha auxiliar aos Aécios e Temers da vida.

Anônimo disse...

Fiz um comentário que foi apagado, imagino que por engano.

Mas vou repetir.
No meu ensino médio eu tinha professores que faziam doutrinação ideológica. Na época, eu acreditava naquilo como verdade absoluta. A medida que amadureci e desenvolvi pensamento crítico, passei a questionar aquilo tudo e entendi que era propaganda panfletária.

Mas não acho que a caça às bruxas desse projeto "escola sem partido" não é solução. Hoje em dia os estudantes têm acesso na internet a informações e o contraditório. Isso sim limita a ação dos doutrinadores de qualquer ideologia.

Anônimo disse...

Desculpe, achei que meu comentário foi apagado, mas não foi.

Foi um engano meu.

Bruxa da noite disse...

Não, mas são os que usam sem saber o significado dado pelo barbudinho. vc, cara alícia, é rasa como um pires. e a clt assegura não um paraíso para os trabalhadores, mas uma garantia que o mais fraco vai ter uma maneira de lutar contra o mais forte. se ela tivesse sido realmente implementada e todos os direitos realmente assegurados, não veríamos dono de empresa dando calote no fgts, assediando trabalhadores para assinar recebimento de 13° fictício, entre otras cositas más. volta pro país das maravilhas, alícia...

Anônimo disse...

eu gostaria de ver esse projeto do escola sem partido ser aprovado só pra conseguir fazer calar a boca dos meus professores ridículos e reaças, não aguento mais esse povo anti-pt que usa sala de aula pra ficar fazendo proselitismo e defendendo o PSDB, TO PAGANDO PORRA quero estudar, opinião faço a minha em casa kct

Anônimo disse...

Donadio, querido, eu sei isso que vc falou sobre a juventude hitlerista, tá? só quis resumir e me ater ao essencial. Mas obrigada por nos poupar o tempo de checar na wikipédia. Não importa o que se fale, comparar a juventude hitlerista aos eleteitores do bolsonaro é errado e injusto e o melhor seria que os professores emitissem menos opiniões e se atessem aos fatos. Ensinar a pensar é muito mais importante.

Bruxa, não irei mais te responder. vc claramente me odeia (acho que ou é a viviane ou uma discípula dela). Apresento argumentos sólidos aqui, nao rasos. A realidade é que a vida de trabalhadores em países menos burocratizados é essencialmente melhor que os daqui. Empregadores dão calote e isso é errado, tanto quanto a carga tributária a que são submetidos para sustentar um estado falido e ineficaz. Cuide vc mesma do seu próprio dinheiro, é tão simples.

Alícia

Anônimo disse...

Não sou "de direita", tenho opiniões sobre a família Bolsonaro que se aproximam muito da injúria e da difamação, acredito sim que a escola deve ser um ambiente seguro para expressão de ideias porém o que essa professora fez foi claramente inadequado.

Anônimo disse...

Fanfic ou cinismo?

Anônimo disse...

"mas uma garantia que o mais fraco vai ter uma maneira de lutar contra o mais forte."

Nem todo empregador é dono de multinacional. Dependendo do porte da empresa, o lado mais forte no caso de uma demanda judicial acaba sendo o funcionário que nem sempre processa pelos motivos certos.

Tem muito abuso ainda na justiça trabalhista graças a uma legislação datada e advogados sem nenhum escrúpulo com clientes idem.

Anônimo disse...

Os direitopatas estão tão descarados.

Anônimo disse...

O problema desse projeto é dar margem para censura em sala de aula. Sempre tive professores doutrinadores e não me transformei em um zumbi. Acho engraçado que fulano é contra intervenção do Estado na vida privada, mas defende quando a intervenção é a favor de seus receios particulares. Ou vocês que essa lei não está tramitando nas estruturas de Estado? Será que acham que são os elfos rss

Anônimo disse...

Tive um professor que falava mal de Lula e Dilma o tempo todo.
Poderia tê-lo denunciado?

Anônimo disse...

Sim, dá mesmo margem para censura. Foi exatamente o que disse sobre o projeto: temerário por não ter critérios objetivos e o fato de eu ser contra esse PL não me faz defender o que essa professora disse em sala de aula.

O estado não tem que regulamentar tudo e isso poderia ser resolvido em vários âmbitos que não o estado. É a esquerda que quer fazer que um paraíso brote de uma folha aprovada pelo congresso, não eu.

Eu não sou a favor do que o estado intervenha, sou a favor de que professores não falem merda. Se meu filho estudasse em uma escola privada e o ensino não me satisfizesse porque professores emitem opiniões das quais eu divirjo, eu não iria processar ngm (as pessoas tem o direito de pensar como quiserem), eu ia procurar uma escola que atenda as minhas necessidades.

Sendo escola pública, sinto-me no direito de opinar quando quiser, vez que é o dinheiro dos nossos impostos que a mantém.


alícia

Anônimo disse...

Tive um professor que falava mal de Lula e Dilma o tempo todo.
Poderia tê-lo denunciado?

**********************

meu arroz com feijão, sério, eu queria MESMOOOOOOOOOOOOOOOO q o e.s.p. passasse só pra calar a boca dessa reaçada do caralho que me dá aula, parece que tombaram uma carga de coxinhas, queria transferir mas lá na área 51 não tem muita opção kkkkkk (to rindo mas to nervosa)

e fora que são uns caras meios que donos da cidade, aí que ninguém fala nada mesmo e se eu quiser ouvir falar mal da Dilma é só entrar no facebook, não preciso ir à escola pra isso neahhhhh

e as horas-aula correndo e aula mesmo que é bom, a gente que se vira pra procurar as coisas no youtube depois pra passar na uni

até sei que essa é uma iniciativa conservadora blablablabla mas sendo honesta e falando da minha vivência, se vale pra um lado vai ter que valer pros dois e na moral, é foda sim

discurpa us erru di portugueiz mas fui doutrinada pelos memes

titia disse...

Aos direitistas burros preocupados com as pobres criancinhas:

Crianças não são idiotas. Vocês são. Não é porque vocês precisam desesperadamente ser poupados de qualquer processo cerebral mais complexo que repetir "Hurrdurr, morram seus viados, pretos e vadias, Bolsonaro presidente" que as crianças tem a mesma pseudonecessidade. Ao contrário de vocês, crianças gostam de usar o cérebro. Crianças amam aprender coisas novas, são como pequenas esponjas dispostas a se encharcar de conhecimento. Crianças exercitam o cérebro o tempo todo, crianças cultivam a inteligência. Admitam que o que vocês tem é medo das pessoas que ainda pensam perceberem que vocês são umas bestas acéfalas com menos capacidade cerebral que um porífero e mais imbecis que uma porta.


Agora, ao post: *facepalm* Aí está, a ditadura direitista mequetrefe que não quer se assumir como tal. Uma das maiores prioridades da ditadura. E a mesma palhaçada "Mimimi doutrinação esquerdista!", engraçado que se a doutrinação for de direita nenhum desses pináculos de integridade e imparcialidade se indigna. Ser canalha aparentemente é um requisito fundamental pra se ser de direita. Coisinha boa é a tal da direita, né?

Alícia, o fascismo da juventude hitlerista é o mesmo dos bolsominions. Só não há militarização porque esse é um país de gente folgada e covarde, e os direitistas são os mais covardes e folgados de todos.

Anônimo disse...

direitebas só conseguem comentar com fanfics e mentiras

Anônimo disse...

(Viviane)
Hahahahah, agora eu sou a "Bruxa da noite" ou ela é minha discípula (gente, mas eu estou muito chique, já tenho discípulas!)? Fia, não sou só eu quem discorda de você, aceita que dói menos!

Mas, se eu fosse a Bruxa, o Donadio ou qualquer outrx comentarista sérix deste blog, não perdia tempo em responder a vc #dontfeedthetrolls

Anônimo disse...

Não tenho problema nenhum em gente discordando de mim, amor, isso é com vcs da esquerda. Se sentir ofendido com a opinião de alguém uma vez por semana é sinal que seu país é livre, beijão!

Alícia

Anônimo disse...

(Viviane)
Eu gostaria de saber, sinceramente, dos defensores da lei da mordaça, ops, escola sem partido, a opinião sobre doutrinação religiosa nas escolas públicas. Ex: orações durante as aulas, pregação em reuniões de pais, comemorações de festas religiosas...

titia disse...

Errata: uma das maiores prioridades das ditaduras é controlar a educação, pra garantir zumbis amestrados que não questionam e não pensam desde cedo. É só voltar ao golpe de 64 e à ditadura militar: controle total sobre a educação, principalmente estatal, pra garantir outros cabecinhas-ocas que achassem "Legal huehue" ter os milicos no poder ferrando com o país pra agradar o exploradores norte-americanos.

Anônimo disse...

Doutrinar crianças em uma religião é o exato oposto de doutrinar em uma ideologia político-partidária, e ambos são igualmente errados.

Já ouvi falar de muitos professores de filosofia sem a menor formação para tal falando de jesus em sala de aula e ofuscando completamente a história da filosofia, isso é inadmissível e tem que ser combatido. Acontece de a criança se recusar a orar também e ser repreendida.


Alícia

Anônimo disse...

13:22 política se debate em escolas desde a origem das escolas, é a razão principal de uma escola existir, discutir política, seu bosta

13:26 essa "cartilha" não existe, idiota, típico bolçominion de mente sequelada repetir sempre a mesma merda mentirosa

e sobre o post: achei q o bolçomerda fosse a favor da "~liberdadji de espressaum~"

Anônimo disse...

Eu já acho que ideologia política é tudo religião. Seja Socialismo, Liberalismo, Nazismo, etc. Ninguém garante que funciona, já que os experimentos fracassaram e hoje cada país tem sua mistura de políticas que incluem de tudo (até mesmo EUA têm algumas políticas "socialistas", até mesmo os poucos países socialistas tem políticas "de Capital", e todos os países têm sua parcela de Nazismo que escondem debaixo do tapete).

Acho que assumir que essas escolhas não são diferentes de escolhas religiosas não vai mudar a realidade, mas ajuda a reduzir o estresse em discussões.

Anônimo disse...

18:56 vc acha errado

religião é uma coisa, política é outra, seu burro

Anônimo disse...

a direita só tem asnos

Anônimo disse...

Deve ser o mesmo tipo de professora que agora esta no centro de SP participando da "Craco resiste"

Anônimo disse...

Esse delírio de capitalismo com pouco estado é impraticável, é impossível, não se sustenta, não vai acontecer, desistam, isso é uma tolice extremamente infantil de pura ignorância e total desconhecimento de como funcionam o sistema. Estado e Capitalismo trabalham em uma relação de completa simbiose. Sem o estado atuando na função no qual mais se ocupa que é regular as relações econômicas, o capitalismo quebra, se destrói, e sem o capital alimentando o governo ele desmorona inteiramente. Entenderam agora criancinhas ancapistas? Essa ideologia de vocês é altamente absurda, totalmente irreal e irrealizável, só serve pra vocês provarem como são tolinhos deslumbrados com uma fantasia estilo terra-do-nunca que só pode existir na mente delirante de vocês.

Anônimo disse...

Não resisto!
Sendo hospital público, sinto-me no dever de opinar como quiser, pois são meus impostos que o sustentam...

Menos neam?
Participação como cidadão é uma coisa; adentrar expertise de profissionais específicos com anos de estudo e querer mandar de galo não dá mesmo!!

Quer opinar na escola? Começa lendo LDB, depois PCNs de EI, EF e EM. Depois leia e intere-se das discussões da BNCC, que é inclusive onde sua opinião de cidadão tem espaço (ou melhor, tinha, né...)
Depois volta aqui pra falar que como cidadão tem direito a "opinar"(que antes fosse, pq a vontade mesmo deve ser de mandar na escola; escola dos outros, escola dos "pobres" que provavelmente seu filho nem lá estuda)

maxwellman disse...

Violência, falta de estrutura adequada para professores e alunos, baixos salários? Nada disso eles veem.
Só querem fomentar um discurso de doutrinação para mascarar a incompetência deles para legislar e para resolver os problemas da população.

Política se discute em sala de aula, sim. Vão cortar a Rev. Francesa, Independência do Brasil, Revoltas no Império, II Guerra entre tantos assuntos.

Para quem pensa que isso só mexe com história, coloque aí as disciplinas de Biologia, Química, Geografia, até física.

Anônimo disse...

Bolsonaro não tem nada de Hitler ele é pelos bons princípios. A esquerda ensinou ideologia nas escolas.Moro numa favela em Guarulhos. Meninas de 12 anos transam até dez vezes numa noite na rua nos bailes funks.Quando a polícia vem a esquerda defende os bailes como cultural e os bailes são patrocinados por traficantes para vender drogas.As feministas defendem liberdade sexual da mulher e o que estou vendo é aumento de aideticos entre jovens.Política não é como jogo de futebol quando torcemos por um time ganhe ou perca.Política mexe com nossas vidas.Prestem atenção so que escrevem aqui porque o que plantamos voltemos.As mulheres sao maioria nas universidades nas os homens estão no PCC e comando vermelho assaltando essas mulheres nas esquinas.Não importa Lei Ma.da Penha, Feminicidio ou delegacias da mulher a violência ctra.vocês aumenta e tudo começa no que vcs. falam ou escrevem nas mídias.As esquerdas querem as massas birras para serem fáceis de manipular.O comunismo acabou na União Soviética e o Lula com o foto de SaoPaulo em 1990 trouxe esse lixo para cá. Aqui na favela os jovens chegam da escola jogam os livros de lado e vão para a rua trocar ideias com bandidos.Não é a escola pública que é ruim é o jovem que não estuda.Na TV os partidos chamam as mulheres para a política quando os políticos de esquerda são responsáveis pelos 14 milhões de desempregados deste país.Dilma representa vocês mulheres?Porque o Lula não me representa.Parâmetro para mim é Einstein,Von Braun o pai dos foguetes e outros homens que inventaram o. Computador o automóvel o rádio a TV a matemática etc a lista é enorme.Marie Curie é um exemplo de mulher.Vou votar no Bolsonaro e se ele fizer o que não presta voto noutro para substitui-lo isto é que é democracia.Os partidos de esquerda enchem os ônibus de pessoas desocupadas e trazem para invadir São Paulo fazer favelas e invadir prédios.Sou nordestino vim para São Paulo pago aluguel numa favela em Guarulhos estou me mudando para um bairro melhor em SP. Fiz concurso público.O dono da casa em que moro tem duas casas no Ceará e vive de invadir terrenos e construir casas para alugar.Defende o Pt com a vida...isto é a esquerda comunista.Quer algo invada e time...rouba...corrompa. ..estupre faça o que quiser pois somos um país sem regras.Tivesse condições iria embora desde lixo de País.

Anônimo disse...

alguém tem o link do audio? queria saber o que ela falou afinal de contas

Anônimo disse...

Se essa mesma professora tivesse dito em sala de aula que quem defende o PT, o Lula, Dilma etc. era isso e aquilo, teríamos essa mobilização na defesa do direito de seu livre expressar ou seriam os alunos que ela ofendeu os defendidos?

Não tá certo isso aí não, eu acho o Bolsonaro um [várias coisas que dão processo] mas o que ela fez tá errado, simples. Nem em uma faculdade isso seria aceitável, que dirá então no ensino médio.

E o que o aluno fez, de gravar a aula em que ele participava, não é crime e nem depende de autorização judicial para tanto. E também não precisa ouvir a aula inteira para entender o nível das ofensas que ela, usando do seu poder em sala de aula, da sua hierarquia lá dentro, fez.

Acho que respeito é a base de tudo. É desrespeitoso sim, não com o Bolsonaro que nem tava lá e que se favorece com todas essas polêmicas, mas é falta de respeito com o livre pensar das pessoas, o que me parece inadmissível pra quem gosta de jogar na cara que defende tanto assim a democracia.

Falta de educação vinda de uma educadora é uma coisa pra se analisar.

É por situações assim que o Escola Sem Partido vai acabar, infelizmente, prevalecendo.

Anônimo disse...

toda pessoa que faz merda invariavelmente fala em liberdade de expressão depois que o mar de bosta vem

o rafinha bostas foi assim
o danilo gentinha foi assim
o roger "eu tenho um q.i de 200 pontos mas não é bem verdade" também

se você tá pronto pra falar uma coisa em público, seja ela qual for, vc também tem que estar pronto pra segurar o rojão depois

a liberdade de expressão não vale só pra vc, não é só vc que tem o direito de se expressar e o resto que fique quietinho

não sou bolsonarista, fui pra rua defender a dilma e acho que a profe fez cagada sim, acabei de achar o arquivo no youtube

agora seja mulher e assuma o que fez, com todas as consequências

aposto que se ela falasse "eu falei mesmo isso e isso e aquilo, o bolsonaro é um merda e foda-se", o povo respeitaria mais

Anônimo disse...

É muito simples, se você é contra o Escola Sem Partido, não pode ficar dando motivos pra ele existir.

donadio disse...

"Donadio, querido, eu sei isso que vc falou sobre a juventude hitlerista, tá? só quis resumir e me ater ao essencial."

Não, Alícia. Você omitiu elementos essenciais para entender a Juventude Hitlerista, e portanto, para avaliar se existe ou não um paralelo entre a JH e o movimento pró-Bolsonaro no Brasil de hoje.

Chama-se, nas suas palavras, "desonestidade intelectual".

"Não importa o que se fale, comparar a juventude hitlerista aos eleteitores do bolsonaro é errado e injusto"

Não vejo por que. São dois movimentos totalitários, anti-socialistas e anti-operários. Há diferenças (acima apontei uma: a JH era nacionalista, o bolsonarismo não é), e talvez o melhor paralelo para a JH no Brasil não seja o bolsonarismo, mas esses movimentos tipo MBL, VPR e RoL, que são bem mais organizados, se dispõem a ter uma intervenção de massa. E a agir como substitutos da polícia, como se viu nas suas tentativas de desocupar escolas à força - bem típicas de um movimento policialesco como é o fascismo. De novo, falta um elemento fundamental, o nacionalismo (aliás esse movimentos são ainda menos nacionalistas do que o bolsonarismo).

"e o melhor seria que os professores emitissem menos opiniões e se atessem aos fatos."

Ah, os fatos. É um fato, que qualquer um pode observar, que o Sol gira em torno da Terra. Sem pensamento crítico, esse "fato" vai continuar a ser um fato pela eternidade.

Seria bom se os professores se ativessem a ajudar as crianças a desenvolver o raciocínio e a capacidade crítica, e não se arvorassem a decidir o que é "fato" e o que não é.

Anônimo disse...

Aconteceu igual comigo. Fui doutrinado lindamente.

Foram anos de estudos e reflexões para entender que aquilo era um panfleto político.

Anônimo disse...

Fanfic braba.

Nunca ouvi ninguém defender PSDB na minha vida. O único povo que defende partido político no Brasil é petista.

Bruxa da noite disse...

(Viviane), descobriram nosso plano :( chuif...

Anônimo disse...

Tem muita gente que defende psdb/dem com unhas e dentes, não é só pq vc não viu que não exista, inclusive tem gente que ainda defende o aécio.

titia disse...

"Bolsonaro não tem nada de Hitler ele é pelos bons princípios" Porque dizer fodam-se todos os trabalhadores que vão perder a aposentadoria desde que os militares continuem mamando nas tetas públicas é ter bons princípios.

"Meninas de 12 anos transam até dez vezes numa noite na rua nos bailes funks" Porque nunca que em boates e salões desta cheios de coxinhas uma menina de 12 anos foi estuprada antes. Aliás, direitistas não cometem estupros.

"Quando a polícia vem a esquerda defende os bailes como cultural e os bailes são patrocinados por traficantes para vender drogas" Porque direitistas não consomem nem alimentam o mercado de droga. Aquilo na casa do Aécio era açúcar refinado.

"As feministas defendem liberdade sexual da mulher e o que estou vendo é aumento de aideticos entre jovens" Porque obviamente a culpa é das feministas se os homens não querem usar camisinha. Embora todos saibam que camisinha é fundamental pra evitar DST desde antes do governo FHC a culpa do aumento de HIV positivos é das feministas, já que elas não pegam os homens pela mãozinha, explicam pra eles que tem que usar, que transmitir HIV pra parceira/parceiro não é legal e não colocam a camisinha do cara, nem trocam as fraldinhas nem dão comida na boquinha dos pobres ominhos que não podem fazer nada se uma mulher não segurar a mãozinha.

"As mulheres sao maioria nas universidades nas os homens estão no PCC e comando vermelho assaltando essas mulheres nas esquinas" Porque embora eles tenham escolhido ir pro caminho do crime, a culpa de algum jeito tem que ser das mulheres. Sempre.

"Não importa Lei Ma.da Penha, Feminicidio ou delegacias da mulher a violência ctra" Porque os machos só espernearam contra essas leis pra fazer pirraça.


"As esquerdas querem as massas birras para serem fáceis de manipular" Porque é visível pelo português correto e pela eloquência do comentarista que a educação sob o comando da direita foi ótima.

"Aqui na favela os jovens chegam da escola jogam os livros de lado e vão para a rua trocar ideias com bandidos" Porque a culpa é obviamente da esquerda, não dos pais irresponsáveis que não cuidam dos filhos - filhos que, aliás, os direitistas fazem questão que nasçam pra punir a vadia da mãe que fez sexo.

"Não é a escola pública que é ruim é o jovem que não estuda" De novo, cadê os pais deles? Pais que, na maioria, são de direita e nem ao menos pagar pensão querem?

"Na TV os partidos chamam as mulheres para a política quando os políticos de esquerda são responsáveis pelos 14 milhões de desempregados deste país" Porque o desemprego aumentou depois que Temer chegou ao poder, mas como ele é de direita obviamente a culpa não pode ser dele.

"Parâmetro para mim é Einstein,Von Braun o pai dos foguetes e outros homens que inventaram o. Computador o automóvel o rádio a TV a matemática etc a lista é enorme.Marie Curie é um exemplo de mulher" Porque mulher tem que ser genial, mas não pode ir pra universidade. E isso vindo de um sujeito que, ao invés de estar inventando algo ou fazendo uma grande descoberta científica, está como os próprios direitistas dizem mamando nas tetas do Estado.

"Defende o Pt com a vida...isto é a esquerda comunista.Quer algo invada e time...rouba...corrompa. ..estupre faça o que quiser pois somos um país sem regras" Porque a direita nunca estuprou, roubou nem matou nem nunca tomou nada à força... é só perguntar aos povos indígenas.

Bom, ainda é melhor ler essas merdas que ser cega.

Anônimo disse...

"São dois movimentos totalitários, anti-socialistas e anti-operários"

gente, de onde, por deus, vc tirou isso?!

Eu sou a última pessoa da face da terra disposta a votar (muito menos ainda no bolsonaro), mas nem forçando muito a barra consigo classificar ambos os movimentos assim.
Já que vc gosta tanto de wikipédia para desqualificar e desabonar o comentário alheio (coisa que, aliás, está longe de conseguir), pois fui eu quem primeiro disse que professores devem fomentar o pensamento crítico (o que não significa fazer elucubrações absurdas como essa), vamos lá:

totalitarismo: Totalitarismo (ou regime totalitário) é um sistema político no qual o Estado, normalmente sob o controle de uma única pessoa, político, facção ou classe social, não reconhece limites à sua autoridade e se esforça para regulamentar todos os aspectos da vida pública e privada, sempre que possível.

--- os bolsominions são parte de um movimento desarticulado e espontâneo, um movimento de internet. Não é um programa estatal de doutrinação ideológica.
É um lixo, mas não é totalitário.

--- anti-socialista. Provavelmente, porque até pessoas burras sabem que o capitalismo foi o responsável por ela estar podendo falar merda na internet, pra começar. Mas essa não é e nunca foi a principal bandeira do bolsonaro e nem dos idiotas que votam nele. Na verdade essa discussão deveria ser obsoleta pra quem tem maturidade pra superar o século XX. Ser a favor da natureza humana (criativa, inventiva) é ser anti-socialista. Não sei nada sobre as bandeiras da juventude hitlerista, acredito que era só um instrumento de doutrinação do partido nazista, que era quem de fato contrário ao socialismo.

--- anti operário. Eu desisti de tentar demonstrar que nem sempre alguém ser contra sei lá, sindicatos esbulhadores, significa ser contra operários. Direitos trabalhistas podem ser conquistados por outros meios além da lei. Ainda sim, não me lembro do bolsonaro sendo a favor da terceirização, embora eu concorde que seus seguidores, na maioria, o sejam (e não por interesses nobres). Eu sou a favor, mas porque acredito que isso será melhor pra todos, de verdade (na minha vida não vai fazer diferença alguma).

Alícia

Anônimo disse...

Bruxa da noite, não é Alice, a que foi para o país das maravilhas, é mais americanizado e caricato, é ALICIA, de troll aliciador, que está sempre aqui na caixa de comentários do blog da Lola tentando de maneira bem deprimente aliciar as pessoas para sua ideologia ridícula ancapista / ancapitalista / ancapetalista... logo em um espaço esquerdista kkkkkkkk é muita falta de noção ou vontade extrema de trollar, mais provavelmente uma mistura das duas coisas

titia disse...

Alicia, filha, você acabou de perceber que defendeu a precarização das condições de trabalho de uns 80% da população brasileira e logo depois admitiu que isso não vai afetar nada na sua vida? Por favo, releia essa frase e pense bem no que você acabou de confessar indiretamente.

Com licença, vou ali morrer de vergonha alheia um pouco, depois vou gritar EU SABIA! pela janela e já volto.

Anônimo disse...

Então releia o que eu escrevi. vou colar aqui:

" Eu sou a favor (da terceirização), mas porque acredito que isso será melhor pra todos, de verdade (na minha vida não vai fazer diferença alguma)".

Não vai afetar minha vida porque sou servidora pública, afetaria se eu fosse empresária ou contratada de alguma empresa privada.

Porém, eu realmente acredito que esse impacto causado pela terceirização será positivo para todos os que serão afetados por ela (empresários e empregados). Eu não acho que vá haver uma "precarização das condições de trabalho de uns 80% da população", pelo contrário! O que tenho defendido aqui desde sempre (não porque é do meu interesse ou do meu desinteresse), é que tal mudança será positiva para todos, porque acredito que uma menor regulamentação estatal tem essa consequência (baseio isso em várias experiencias de outros países).

Não quis dizer que não sou da classe trabalhadora, porque sou, mas por estar no setor público essa lei vai ter zero impacto na minha vida financeira. Eu não a defendo porque não me importo com trabalhadores, eu defendo porque acredito que ela é a melhor opção que temos hoje.

Espero que agora eu tenha me feito entender.

Alícia

Bruxa da noite disse...

Alicia, minha querida, eu estive a pouco tempo na grécia, onde as "medidas" que vc defende estão sendo implementadas a uns dois anos, mais ou menos. Nunca em um país da europa eu vi tanto mendigo e sub-empregado. no chile, onde retiraram o estado da previdência no goveno pinochet (lembre-se que o chile foi laboratório da escola de chicago) , a situação é tão calamitosa para os aposentados que estão acontecendo protestos para que ela retorne à administração pública, porque os dinheiro da aposentadoria em vez de ir para os aposentados está indo para o bolso dos donos das empresas (ah, o capitalismo...). O problema, gatosa, é que vc faz suas análises baseada no que vc acredita, não em dados e fatos. Agora, eu vou fazer a (Viviane) e prometo que nunca mais tento debater com você. só uma última perguntinha, e não precisa responder se vc não quiser: sério que vc é ancap?

Valéria Fernandes disse...

Ouvi o trecho curtíssimo da aula da colega que, por acaso, tem o mesmo nome que eu. Enfim, considerando somente o trecho, não vi doutrinação, ou sabe-se lá o quê o vereador esteja tentando argumentar neste sentido. Agora, há o deboche que termina por suplantar, neste pequeno trecho, a mensagem que a professora queria passar: seguidores de Bolsonaro seguem Bolsonaro, não partidos, se espelham nele. Agora, esta fascinação pode ter fontes múltiplas, chamá-los de execráveis é, sim, uma ofensa e, bem, qual a idade dos alunos e alunas? Esses meninos e meninas que admiram Bolsonaro podem, sim, sentir-se ofendidos, podem, também, tornar-se alvo de chacota de seus colegas. Eu, a outra Valéria, não seguiria esse percurso em uma aula, ainda que eu saiba que muitos professores e professoras o façam. Doutrinação? Repito, não percebi. Deboche desnecessário, sim.

Como foi um trecho, não temos como saber quais pontes a professora fez com o nazismo, como aquele trecho, que eu considero infeliz, se articula com a aula como um todo. Há discussões atuais que consideram uma aula, uma palestra, como propriedade intelectual, logo, é de bom tom que se peça a quem está falando que permita a gravação. Um professor pode negar e deve, sim, ser respeitado. Afinal, a maioria das escolas não permite o uso de celulares em sala. O aluno planejou a gravação, talvez tenha existido um embate anterior, enfim, e editou a fala, deslocou do contexto, que seria a aula sobre nazismo.

É sabido que o pessoal do Escola Sem Partido e outros grupos de Direita, porque, sim, eles têm lado, estão estimulando esse tipo de prática, querem que alunos gravem professores “doutrinadores”, que os denunciem. Como a professora bem colocou no post, não aos órgãos competentes, direção, secretaria de educação, mas aos políticos que lideram o movimento. O intuito qual seria? Ano passado, logo no início do ano, sem ter nenhum motivo, afinal, estava falando de República Velha, acho eu, um aluno me perguntou “Professora, a senhora votaria em Bolsonaro?”. Disse que aguardasse que eu terminasse as anotações do início da aula que eu iria responder. Turma nova, aluno novo, qual a razão de uma pergunta como essa? Assim, no vazio? Enfim, terminei o que eu estava fazendo e perguntei “Foi você quem me perguntou se votaria em Bolsonaro? Não, não votaria. Não votaria em ninguém que acredita que eu devo ganhar um salário menor por ser mulher.”. Burburinho na sala, uns rindo, outros perplexos, algumas meninas (*bolsonaretes, talvez*) de olhos esbugalhados, e eu completei “Entrevista dada para o Jornal Zero Hora de Porto Alegre. Busquem na internet, se não encontrarem, passo o link. Voltemos para a nossa aula.”. (cont.)

Valéria Fernandes disse...

(cont.)

É raro que me perguntem alguma coisa de política partidária. Se me perguntam, eu tenho que pensar duas, três vezes no que responder. Não considero correta a chacota, o deboche, o uso equivocado de conceitos. Eu tenho uma responsabilidade com os meus alunos e alunas, com o conhecimento histórico e com o desenvolvimento do senso crítico deles e delas. Se eu os torno peça de deboche, dificilmente, eles vão parar para refletir. Vivemos um momento de forte polarização política. Os anarco capitalistas de internet e os conservadores-liberais do grande guia Kitagiri parecem determinar para muitos meninos e meninas o que é liberalismo, capitalismo, enfim, tudo que não é do jeito estreito e delirante deles, não é, ou é esquerda. Daí, um aluno inteligentíssimo, hoje, menino que eu sei que é de direita, que está na Olimpíada de História do Brasil e é orientado por mim, vem me perguntar (*estávamos falando de Tenentismo e Intentona Comunista*) se o Rio Grande do Norte sempre teve tendências esquerdistas, afinal, participaram da Intentona, foram os primeiros a aprovar o voto feminino... O interrompi, ele ficou com vergonha, disse “não pensem que eu sou machista”, eu o corrigi “Desde quando bandeiras como o voto das mulheres são exclusivas da esquerda?” e fiz a ponte com essas porcarias todas que circulam na internet sem submetê-lo ao ridículo, porque sei a fonte do problema. A cada dia o estrago que esses sujeitos fazem me causa mais medo, desespero mesmo. E há professores que repetem essas merdas, desculpem a palavra, e ninguém os persegue. Daí, temos que tentar consertar as tolices que eles e a internet falam. Está aí o moço da Carta Del Lavoro de Stálin para comprovar minha tese.

Resumindo, se eu tivesse que julgar a minha chará por esses 2 minutos e 44 segundos, eu certamente colocaria em questão a aula dada. Independente da aula, é o tipo de encaminhamento que não me parece adequado. Me desculpe, mas tenho que escrever isso, fosse eu a coordenadora, iria conversar com você. De resto, Escola Sem Partido, MBL e políticos oportunistas não estão nenhum pouco preocupados com educação, desenvolvimento do senso crítico, querem é enfiar na cabeças dos jovens suas próprias ideais e só elas partindo de ideias equivocadas a respeito do que seja educação.

Anônimo disse...

Não sou anarcocapitalista e já disse isso aqui.
"ANCAP" querem a ausência total do estado, não restando qualquer atribuição a este.

Eu não acredito que isso possa dar certo. Creio que o estado deva se concentrar em suprir as necessidades fundamentais: nossas defesas externas e internas (segurança pública), prestação jurisdicional, educação básica e saúde da família.

O estado não tem que gerir estradas, empresas de telefonia, aviação (ou mesmo fiscalizar). O estado não tem como bancar universidades públicas, hospitais de alta complexidade. Tudo isso demanda dinheiro; dinheiro demanda impostos e impostos freiam o estímulo para empreender ou consumir e é isso que tem que ser evitado a todo custo. Quando o setor privado se encarrega desses serviços faz melhor que o estado. "mas nem todo mundo tem dinheiro para pagar!", pois teria se: 1) impostos fossem menores e sobrasse mais dinheiro na mão das pessoas 2) a concorrência fosse maior (o que só é possível com menos impostos - e, de novo, só se baixa impostos se o estado tiver menos obrigações).

Sobre o chile: http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=2425

Posso citar inúmeros exemplos aqui de países como hong kong e de como a liberdade economica se reverteu em melhores condições de vida para todos.

Espero ter respondido a sua pergunta e, de uma vez por todas, eu não sou troll e não quero nada diferente do que vcs querem, apenas nossos meios não coincidem.

Alícia

Cecília Novaes disse...

Eu ouvi bastante na minha escola

Cecília Novaes disse...

Tanto ouvi falar sobre as gulags que sei que elas são anteriores ao governo stalinista. Vc tbm deveria saber disso

Cecília Novaes disse...

Porque nosso currículo de história geral é mais limitado, não há tempo pra falar sobre tudo. Isso acontece em qualquer lugar do mundo, não só aqui.
Mas tudo bem, eu estudei história do Egito antigo e sei que egípcios escravizaram hebreus. Sei também que romanos escravizaram prisioneiros de guerra.
Mas sei onde vc quer chegar: vc tá querendo, com essa provocação, desmerecer a luta dos negros porque na história mundial não só povos africanos foram escravizados. Acertei?
Pois é, só que existe uma coisa chamada contexto. Aqui no Brasil o negro ainda sofre reflexos do passado escravista.
Assim como judeus sofrem na Palestina, etc.

Cecília Novaes disse...

Porque a Carta del Lavoro foi do governo do Benedito Mussolini, não do Stalin! Hahahahah E essa inspiração não é nada comprovada, são apenas conspirações.
De qualquer forma, a CLT foi sancionada pelo Getúlio Vargas, abertamente anticomunista.

Aiai, o cara vem pagar de espertão mas comete uma gafe dessas! Hahaha só rindo

Cecília Novaes disse...

Ah, tá tendo ensino de ciências humanas na Cracolândia? Não tô sabendo não ...

Cecília Novaes disse...

O ser humano também precisa ser estudado. Ciencias humanas são chamadas assim por serem justamente ciência. Não é mero achismo!
Uma faculdade de história, ao contrário do que vc deve pensar, não é feita por um professor marxista comunista comedor de criancinha doutrinando hippies barbudos maconheiros e feministas peludas.
Nao.
Faculdade de História (assim como de qualquer outra ciência humana - aliás, vc sabia que Direito é ciência humana? E administração? Sabia tbm?) é feita com base em MUITA leitura e análise de DOCUMENTOS.

Cecília Novaes disse...

Que é doutrinação pra vc?
O que eles te falavam que vc entende como doutrinação?

Cecília Novaes disse...

Como que reduzir direitos trabalhistas melhoram a condição do trabalhador? Isso não faz sentido nenhum

Cecília Novaes disse...

Eu queria saber em que escola ou que livro didático vcs viram dizer que Cuba é um paraíso

Zrs disse...

Tem gente CONCURSADA defendendo menos Estado e menos direitos trabalhistas?! É o fim mesmo.

Anônimo disse...

(Viviane)
"Alicia", já chega, você não engana mais ninguém aqui, desista!
1) "Servidora pública" defendendo estado mínimo (pedir exoneração e espalhar seu currículo não quer, né?);
2) "Bacharel em Direito" defendendo pena de trabalhos forçados (cuja proibição é cláusula pétrea da CF/1988);
3) "Feminista" chamando radfems de "feminazi" (nem eu, que discordo de 90% da pauta rad seria capaz disso!);
4) "Pessoa com curso superior" escrevendo "atesse" em vez de "ativesse" (obrigada, Donadio, por ter notado!).

Só vou pedir licença à Titia para correr na frente e gritar "Eu já sabia!" antes, pois não é de hoje que eu canto essa pedra aqui...

Anônimo disse...

Desculpa pelo erro de português gente! Acontece e provavelmente vai acontecer de novo! (Obrigada donadio! Agora que vi a correção!)

Do resto, valeu pelo resumo vivi! Eh isso mesmo. Defendo um estado menos intervencionista e vou continuar sendo servidora pública.
Nao gosto muito do rótulo Feminista mas ok. E já me desculpei pelo feminazi.

Acho que presos tem que trabalhar p se manter assim como nós temos. A cf não eh uma Bíblia e pode ser melhorada em muita coisa!
Alicia

Rafael Cherem disse...

É para ser debatida sim.Escola não é um sistema fechado e nem o aluno é impedido de pensar.

Rafael Cherem disse...

Dá medo de pensar que esse ser é do serviço público...

Rafael Cherem disse...

Por tanto medo da esquerda? Se realmente houvesse doutrina esquerdista nas escolas seria um acréscimo só estudo.O que se vê é total desconhecimento das correntes e autores socialistas.

Anônimo disse...

Ela não xingou Bolsonaro, apenas disse que a juventude que o segue assemelha-se a juventude hitlerista. Não é mentira.
Veja os.fatos; ele quer a volta de um regime de força com supressão de liberdades individuais; ele quer legitimar o uso da tortura entre outras coisas.
A professora está errada??

titia disse...

Por favor, (Viviane) *dá a vez*

Anônimo disse...

Quando a escola era sem partido,os alunos eram mais educados, eram corrigidos na hora certa, aprendiam muito mais, porque focavam o que era importante e necessario para o aprendizado e respeitavam mais os pais e professores, que saudade destes tempos de escola!!

Anônimo disse...

De onde você tirou esse monte de bobagens que acaba de reproduzir aqui? Foi a tal "professora" de história quem te disse? Onde você ouviu falar que qualquer que seja o candidato tenha poder para suprimir a liberdade de quem quer que seja através de um regime democrático? Desde quando um presidente eleito pelo povo (seja ele quem for) tem o poder de legitimar tortira? Será que você não estaria confundindo com os regimes comunistas/socialistas de Países como Venezuela, Cuba, Coréia do Norte etc.?
Se antes ainda havia em mim alguma dúvida sobre a possibilidade de doutrinação da esquerda nas escolas, agora não há mais.
Triste constatar a ignorância destes jovens.

Anônimo disse...

Meu professor tb falou sobre as explorações dos regimes socialistas. Do povo passando fome, as perseguições da KGB, as fugas para outros países. Nem por isso deixou de demonstrar as incoerências do capitalismo tb. Acho super justo reclamar de professor que fala coisa do nível "Bolsonaro lixo" em sala de aula (e ainda assim, é questão de no máximo demissão, não de cadeia). Agr, essa histeria pública de "doutrinação esquerdista em massa", sendo que a maioria dos alunos sabe nem diferenciar comunismo de socialismo, e falha miseravelmente em identificar outros momentos históricos semelhantes ao presente (concordo piamente com as semelhanças dessa juventude de direita e a juventude hitlerista (assim como há semelhanças entre a juventude militante de esquerda e a juventude q apoiou o socialismo na China)

Anônimo disse...

Uma coisa é ser demitida. Outra é ser presa. Entende a diferença?

Anônimo disse...

Além de Economia. Me dá um sono desse pessoal q nunca leu um artigo sobre pesquisa em ciências humanas e vem falar que é tudo achismo...

Anônimo disse...

Ah, ter tem. Tem professor falando Bolsonaro lixo em sala de aula? Tem. Tem professor falando petista burro também. Não sejam hipócritas.

Anônimo disse...

Professor tem férias 2 vezes ao ano, qualquer feriado é motivo para engolir a semana, sempre estao faltando e quando fazem greves nao repoem as aulas perdidas pelos alunos. A grande maioria é sim de esquerda e faz uso disso o tempo todo em salas de aulas. Quem teve aulas de filosofia e historia pode contar as milhares de abobrinhas ditas por pseudos mestres querendo angariar mais um tolo para o seu lado. A escola sem partido é bem isso ai, sem partido, seja de direita ou de esquerda. Nossos filhos nao tem que ser levados por viés que nós os pais nao queremos. A escola ta ai para ensinar portugues, matematica..., nao para dizer que Lula era o cara ( o que sabemos ser uma mentira). Tirem as maos de nossas criancas, tirem suas ideologias de nossos filhos. Nao estao satisfeitos? Sempre é tempo de aprender uma nova profissao!!