sexta-feira, 27 de maio de 2016

DEZ FORMAS COMO O PRIVILÉGIO MASCULINO APARECE NA IGREJA

Pastores e membros

Faz pouco tempo publiquei um excelente guest post de uma leitora que é cristã e feminista, e não vê conflito algum nisso. 
Quando fui ilustrar o post, descobri que a teologia feminista não tem nada de novo. Muitas mulheres religiosas são feministas e combatem o machismo dentro de suas igrejas. Encontrei este belo texto da cristã (acho que batista) Gail Wallace e pedi para a maravilhosa Elis traduzi-lo. Sei que o texto está longe da realidade da maior parte dos leitorxs aqui do blog, mas acho que vale a pena mostrar que existem pessoas que discutem gênero dentro das igrejas.

Realize seus sonhos, diz mãe ao filho.
Realizes nossos sonhos, diz pai à
filha
“Você é um homem branco americano com formação superior. O mundo está à sua disposição -- nunca se esqueça disso!”
Andei pensando muito no privilégio masculino ultimamente. Bem, não só ultimamente. Eu ouvi esse diálogo em um Starbucks em Washington, D.C. há mais de um ano e ele ainda me persegue. O dicionário Oxford define privilégio como “um direito, vantagem ou imunidade especial concedido ou disponibilizado apenas para uma pessoa ou grupo”. Falando de forma simples, privilégio tem a ver com como os grupos na sociedade acomodam e tratam você.
"Qual o problema?" pergunta o homem.
"É a mesma distância!"
Acredito que muitos cristãos estão se conscientizando mais quanto aos privilégios raciais e de classe, mas não vejo o mesmo nível de conscientização com relação ao privilégio masculino.
Nos últimos meses, tive muitas conversas com amigos que não concordam que eles são “privilegiados” em suas comunidades de fé e que as mulheres, como resultado, estão em desvantagem. Eu vinha orando e refletindo profundamente sobre como superar esse impasse quando me deparei com a Lista de identificação do privilégio masculino. Há muitas dessas listas por aí, mas essa tinha muitos exemplos que eu acredito que se aplicam também ao contexto das igrejas. Eu reescrevi alguns através do meu ponto de vista como uma mulher na igreja evangélica conservadora.
1. O privilégio masculino é refletido no momento em que um homem se pergunta por que as pessoas ainda discutem gênero.
E é refletido ainda mais se ele se sentir ofendido ou impaciente quando outra pessoa chamar atenção para o privilégio e questioná-lo. “Devemos olhar além do gênero” é uma frase dita frequentemente por pessoas para quem o gênero não é uma questão ou uma negociação diária.
Privilégio masculino não existe
2. Privilégio masculino significa nunca ter sua inteligência ou suas qualificações questionadas por causa do seu gênero.
Provavelmente, as pessoas não irão presumir que você não sabe lidar com dinheiro, que você é enganado com mais facilidade ou que sua capacidade de tomar decisões importantes depende do período do mês,
3. Se quiser se candidatar a uma posição na equipe pastoral, você pode ter certeza de que seu gênero não será um problema.
Na realidade, a menos que se trate de um ministério voltado para crianças ou mulheres, as circunstâncias estão a seu favor. Quanto mais prestigiado o cargo (pense em algo como "pastor presidente"), mais as chances estão a seu favor. A decisão de contratá-lo não será influenciada por pressuposições sobre você ter ou não filhos pequenos em casa ou sobre você poder querer começar uma família em breve.
4. Se você fizer o mesmo trabalho que uma mulher, provavelmente as pessoas vão achar que você fez um trabalho melhor mesmo que os resultados tenham sido iguais.
E se fizer um sermão de domingo, você pode ter certeza de que todas as pessoas do seu gênero não passarão por um julgamento (e você não precisará se preocupar quanto a onde colocar o equipamento de microfone ou qual mensagem suas roupas passam).
Todo mundo aqui? Ok, vamos votar!
5. Os grupos de dirigentes da sua igreja e sua denominação serão compostos em sua maioria por pessoas do seu gênero.
As chances são de 10:1 de que o pastor presidente, pastor auxiliar e evangelista também sejam homens. Sempre que participar de um culto, você verá pessoas de seu próprio gênero representadas amplamente à frente.
6. Como homem, é mais provável que as pessoas lhe confiem responsabilidades, ainda que você seja novo na igreja.
Provavelmente, pedirão sua opinião sobre questões importantes da igreja. As pessoas vão ouvir o que você tem a dizer e sua opinião será levada a sério. (Se você for casado, é mais provável que peçam que sua esposa participe dos ministérios para crianças ou traga lanches.)
7. Quando participar de reuniões na igreja, você pode ser emotivo ou assertivo sem ser visto de forma negativa.
É mais provável que os homens do grupo façam contato visual com você e, em média, você não será interrompido por mulheres que participam da reunião tanto quanto as mulheres são interrompidas pelos homens. Provavelmente, você não se preocupará se precisar ir até seu carro no estacionamento da igreja sozinho tarde da noite.
8. Personagens bíblicos masculinos serão retratados como personagens principais e exemplos positivos 90% das vezes no currículo educacional.
Personagens masculinos terão destaque na maioria das aulas dos currículos das crianças, dos currículos dos grupos de jovens, no sermão de domingo, nos pequenos grupos de estudo... vocês entenderam.
C. S. Lewis: de todos os homens
maus, homens maus religiosos
são os piores
9. Você pode ter certeza de que a linguagem usada em todos os aspectos da adoração coletiva o incluirão de forma clara.
Isso vale para qualquer parte das escrituras que for lida (independentemente da tradução usada), das citações mencionadas e das canções de adoração escolhidas. Não será esperado que você traduza ou interprete quando os pronomes de gênero se aplicam ou não a você.
A representação errada de Deus
como masculino têm ferido
mulheres em todas as áreas de
suas vidas
10. Deus será representado como homem e descrito em termos masculinos 90% das vezes.
Eu sei que há situações na vida em que os homens também ficam em desvantagem, e sei que o fato de o privilégio masculino existir não significa que a vida dos homens é livre de problemas. Mas a realidade é que, quando um grupo é privilegiado em detrimento do outro, o outro grupo sofre e nós não estamos vivendo completamente a mensagem do evangelho. 
Embora seja um incentivo ver cada vez mais homens defendendo a inclusão total das mulheres na igreja, ainda temos um longo caminho pela frente. Eu acredito que, na maior parte, os homens têm boas intenções com relação a suas irmãs em Cristo.
Mas, irmãos, até que vocês reconheçam seus privilégios masculinos e o impacto que ele tem sobre nós, é difícil ter um diálogo produtivo sobre o que podemos fazer para que o Reino aqui na terra seja mais parecido com o Reino dos Céus.

57 comentários:

Anônimo disse...

Em igrejas cristãs, é comum que todos os serviços de apoio sejam realizados por mulheres. Falo só delas porque é do que eu conheço, em outras religiões eu já não sei como funciona. Seria bom se as mulheres começassem, por vontade própria, a retirarem esse apoio e se organizarem em instituições femininas.

Anônimo disse...

11:57

Não, mas é lá q crianças são abusadas, e com direito a vista grossa dos sacerdotes

Fabiano disse...

Eu acredito existir uma contradição básica no texto da autora: Ser membro de uma igreja evangélica tradicionalista, e buscar igualdade de gênero.

A interpretação da Bíblia por esse grupo religioso pressupõe que o homem e a mulher têm papeis distintos na sociedade (incluindo aí a comunidade religiosa), e a não aceitação da homossexualidade. Ou seja, existe uma incompatibilidade entre a igualdade de gênero e a doutrina religiosa dessas instituições religiosas.

Existem igrejas cristãs mais abertas para a questão de gênero, e religiões não cristãs que seriam mais adequadas para as pessoas que acham a questão da igualdade importante.

Anônimo disse...

Posições de destaque, de liderança são mais facilmente ocupadas por homens e em determinados locais de religião isso não é diferente.

Fruto também de toda uma cultura que coloca o homem nessa posição privilegiada e que para a mulher não é educada a tomar decisões com um grau de liderança tão forte como alguns homens. Infelizmente.

B. disse...

Na boa, acho meio incongruente ser evangélica e feminista. Católica eu entendo, tem muito católico mente aberta, mas evangélico é brabo!

Anônimo disse...

Católico mente aberta é algo atual apesar de ser uma minoria, mas antigamente não era bem assim não. Não acho nada demais uma mulher ser cristã e feminista. Assim como tbm é perfeitamente normal ser fanqueira e feminista.

Anônimo disse...

Off topic) Alguém soube do caso da esposa de Johnny Depp a atriz Amber Heard que parece que pediu o divórcio pq foi agredida por ele? E parece que não foi um caso isolado. Até o Johnny está decepcionando, ele é alcoólatra, mas nunca imaginei que chegaria a este ponto de agredir a esposa.

B. disse...

Não consigo engolir evangélico, me crucifiquem se quiserem, mas não engulo, tenho pavor mesmo. Tive o desprazer de ir em cultos e só ouvi merda, homens mandando, mulheres obedecendo, fazendo curso pra ser Amélia submissa. Não tenho um PINGO de pena e muito menos saco com igreja evangélica e seus PA$$$$$tores e esposas sanguessugas.

Anônimo disse...

Concordo contigo B., podem crucificar, mas não a cultura evangélica é algo muito anacrônico. Dos evangélicos que conheci, me incomoda muito o materialismo, a submissão e o fanatismo exacerbado. Fora que os representantes midiáticos também não são flor que se cheire: é gente falando contra negro, contra gay, cantoras ricas enfatizando o lugar da mulher na cozinha, pastores estupradores e que lucram milhões. Pode ser que tenha exceções, mas é realmente curioso que esse povo não se deixe representar pelo que há de pior.

Anônimo disse...

Crentelhos deveria serem mandados para uma realidade paralela. Não vejo outra forma de combater o machismo e a misoginia na sociedade sem passar por desconstruir totalmente as religiões patriarcais como o cristianismo.Me digam uma unica coisa que a religião cristã trouxe de bom para as mulheres, uma unica?
E Não não dá para ser feminista e crente ao mesmo tempo, e como ser judeu e da juventude hitlerista. Não faz sentido, minha opinião.

Anônimo disse...

Sua opinião é uma merda

Anônimo disse...

Há dois mil anos quando mulheres valiam menos que cabras, Jesus Cristo interveio em um apedrejamento, e com as palavras sagradas: "Quem não tiver pecado, atire a primeira pedra" fez com que todas as pedras fossem ao chão.
Hoje e considerado inimigo pelas feministas.

Anônimo disse...

Lola, estou aberta a refletir e aprender.
Mas acredito que se uma pessoa “se propõe” a “participar” de uma religião que em sua maioria separa papeis para homens e mulheres, e fala de um Deus no masculino que posteriormente veio a criar a mulher, ou seja, que deixa claro que seu Deus é desde o princípio uma figura masculina, enfim, está pessoa não deveria reclamar destas coisas.
Sabe Lola, eu mesma, sou evangélica. Em muitas coisas eu concordo com relação as pautas feministas mas sinceramente tem algumas coisas...
Tipo, reivindicar que Deus seja retratado como mulher. Acho meio nonsense e entre outras coisas ai desse texto.

Não poderia concordar mais com o comentarista Fabiano 27 de maio de 2016 13:16. É como entrar numa loja que é famosa por vender macarons, que se firmou no mercado por vender macarons, e processar o proprietário por não ter seu pedido por nuggets atendido.

Sandra

Anônimo disse...

Crentelhos deveria serem mandados para uma realidade paralela. Não vejo outra forma de combater o machismo e a misoginia na sociedade sem passar por desconstruir totalmente as religiões patriarcais como o cristianismo.Me digam uma unica coisa que a religião cristã trouxe de bom para as mulheres, uma unica?

Proteção contra estupros, por exemplo.

Anônimo disse...

"Me digam uma unica coisa que a religião cristã trouxe de bom para as mulheres, uma unica?"

Se hoje vc não esta usando burca ou um véu cobrindo a cabeça,sendo obrigada a esfregar a testa três vezes por dia no chão e não foi obrigada a se casar com um velho de 50 anos tendo vc 14, deva isto ao cristianismo e seus martirizes.

B. disse...

"Não poderia concordar mais com o comentarista Fabiano 27 de maio de 2016 13:16. É como entrar numa loja que é famosa por vender macarons, que se firmou no mercado por vender macarons, e processar o proprietário por não ter seu pedido por nuggets atendido."

Bem isso! Igrejas evangélicas (a maioria) são podres, 90% dos comentários lixos que leio no meu Face hoje sobre o estupro da menina do Rio são de evangélicos. Não é coincidência, tão pouco se lixando. Fazem um escarcéu com casal gay em novela, mas não tão nem aí pra estupro...(e a grande parte dos crentes que conheço amam um pornô gay, sei bem...)

Fabianaaaa disse...

Todo post sempre tem um analfabeto funcional nos comentários. Não fazem nem questão de ler o texto e se acham no direito de comentar. Eu tenho é pena.

Anônimo disse...

Enquanto isso crentes que dizem amar o próximo vão em páginas atéias dizer que ateus vão queimar no inferno, ofendem LGBT's e se forem ofendidos falam que é "heterofobia", acham bom quando uma trans é esfaqueada só porque fez uma representação de Jesus, boicotam empresas que não compactuem com seus pensamentos retrógrados.

Anônimo disse...

Se mulher islâmica pode formar grupos feministas à maneira delas por que as cristãs não podem? machismo está em qualquer lugar. Nos ambientes mais promíscuos, cheios de pornografias e traficantes tem muito machismo como os bailes fanques e nem por isso as feministas se revoltam quando alguém que adora esse meio se diz feminista. Nem toda mulher é adepta da superioridade especista.

Eli disse...

Povo fala mal de evangélico, mas católico é a mesma merda. Tinha uma mulher q trabalhava comigo q fazia reuniões com mulheres da igreja (católica) e bla bla bla e um dia eu vi ela falando pra uma amiga da igreja dela q as mulheres tem q se submeter aos homens pq é essa a nossa natureza e pra isso q a gente foi criada. Nojo.

Anônimo disse...

É uma pena você achar isso. O movimento protestante tem muitas facetas. Pesquise e liberte-se do esteriótipos de que todo evangélico é igual aos da Universal ou da Deus é Amor

Anônimo disse...

Se fosse uma postagem contra os políticos da bancada, tudo bem. Mas contra a religião? Se você não gosta, siga a sua, mas pare de vomitar ódio, intolerância religiosa ou raiva de algum semiconhecido seu por aí

Anônimo disse...

(Viviane)
Pois é, B., eu também acho incongruente ser feminista e de direita; no entanto, já vimos mais de uma pessoa neste blog defender posições políticas de direita.
Incongruência por incongruência...

Marcia disse...

Olha gente, machismo tem n recortes. O que têm de ateu, de esquerda machista ao extremo também não é pouca coisa. Hoje mesmo tive que ouvir de um doutor em sociais, da esquerda marxista, que veja bem: é preciso coragem para entender que há atenuantes no ato dos 30 homens que estupraram a adolescente de 16 anos, que não se pode sair pedindo prisão preventiva ou temporária por 'qualquer motivo', já que a vítima se colocou numa propositalmente numa situação que a sujeitou ao crime. Seria aplicar o mesmo raciocínio É o mesmo raciocínio de quem ostenta um rolex e é furtado. Ostentou, numa sociedade desigual como a nossa, precisa saber que estará sujeito a ser furtado.

Eu passei algumas horas dizendo que ter uma vagina não se equivale a um rolex (justo eu, que não gosto de muitos raciocínios radicais...), por que veja bem, não escolho tirá-la do meu corpo. E reduzir o corpo de uma mulher a propriedade, na minha ingenuidade, era algo que a raiz marxista criticava com louvor, mas acho que estava enganada... Já que o meu corpo e um rolex guardam grande similaridade no esquema de desigualdade social...

Já que desabafei, vamos ao caso. Para mim é óbvio que há estruturas misóginas nas religiões cristãs. Me criei numa família católica e os anos de catequese foram horríveis... Não há espaço para liderança feminina (começa com essa frescura de que mulher não ser padre, e nem poder chegar a ser papa, francamente... como pode ser igualitário um treco desses?).

Hoje trabalho num instituição evangélica, e também percebo coisas que me arrepiam no discurso oficial. Mas vejo resistência de mulheres a minha volta nas duas religiões. Minha mãe é católica fervorosa, pró-aborto desde sempre, milita a mais de 30 anos em associações de mulheres (recreativas e pró-direitos sociais, reuniões de mulheres para mulheres). Na instituição onde trabalho, também vejo muitas funcionárias e praticantes da fé militando por pautas feministas. Hoje mesmo a caixa de e-mails estava lotada com comentários, textos e textões sobre o que aconteceu no RJ ontem, e da necessidade de nos reunirmos e debatermos com os homens sobre a cultura de estupro.

Como uma mulher dessas seria menos crítica ou sua atuação como militante de direitos das mulheres menos importante do que a minha, só por que eu não tenho religião? Em tempo: a maioria se diz feminista. Eu não tenho dúvidas que elas o são.

E para quem agradeceu ao cristianismo por não andarmos de burca, amiga... você se esqueceu das milhares de bruxas, todas mulheres, torturadas, sediciadas e queimadas?
E que foi o movimento ateísta e racionalista que eliminou essas práticas da lei oficial? Já fomos piores que o islã, não que isso sirva de consolo para as milhares de vítimas de machismo em sociedade islâmicas...

Anônimo disse...

Márcia

No meu entendimento é possível ser feminista e religiosa, porém sem participar ativamente dentro da estrutura da igreja. Outra coisa é querer atuar dentro da instituição religiosa e ao mesmo tempo militar pelo feminismo. Sempre vão existir conflitos incontornáveis. É o famoso "acender uma vela para Deus e outra para o diabo".

Anônimo disse...

É o famoso "acender uma vela para Deus e outra para o diabo".

Comunistas e politicos fazem isto, religiosos verdadeiros não Márcia.

Anônimo disse...

Tem um dos capítulos dos vídeos de O Poder do Mito com Joseph Campbell que explica muita coisa. Acho que é o 4 ou 5, mas a série toda vale a pena.
O problema são os homens, não as máscaras que eles usam pra se esconder.

Fabianaaaa disse...

"E para quem agradeceu ao cristianismo por não andarmos de burca, amiga... você se esqueceu das milhares de bruxas, todas mulheres, torturadas, sediciadas e queimadas?
E que foi o movimento ateísta e racionalista que eliminou essas práticas da lei oficial? Já fomos piores que o islã, não que isso sirva de consolo para as milhares de vítimas de machismo em sociedade islâmicas..."

[2]

Ana disse...

comentario off topic: entrevista na BBC inglesa http://www.bbc.com/news/entertainment-arts-36357903 sobre a sequencia do Alice no Pais das Maravilhas e só são entrevistados o diretor e o Ator Depp. O livro e o filme tem como titulo e personagen central do Filme a Alice. Mas os bilhoes rendidos da primeira sequencia dessa adaptacao parecem ser creditados somente aos atores homens!Alice é só uma mera figurante? No cinema hj todos se emocionaram com uma cena da garota que nao se continham"vai, vai Alice" depois que o desenredo foi positivo povo suspirou de alívio e aplaudiu

Anônimo disse...

Gente, HELP (offtopic)

Sobre esse caso do estupro coletivo, meu parceiro está com um discurso de "culpabilização parcial" da vítima. Preciso conversar com ele. Alguém tem links de fotos/textos/memes/etc que sirvam pra conscientizar um homem sobre a cultura do estupro e tudo relacionado a isso??? Eu realmente sinto que ele não faz isso por mal, é porque nunca teve contato com feminismo antes. Fiquei meio longe das redes sociais esses dias e acabei só curtindo os posts, não compartilhei/salvei nenhum, vcs poderiam me enviar algum material? Agradeceria muito, vai ajudar a fundamentar minha conversa com ele.

Anónimo disse...

Putz ,que jenia. A pessoa ali fala que Jesus ensinou que não devemos julgar e sim nos amar(sem esquecer dos seus ensinamentos) e solta uma dessa....TRISTE.

Anónimo disse...

Pena Vc ser tão tolinha, a única coisa que ele quis dizer eh:eh mulher,então tem buceta, bolsa, relógio,celular....cuidado não há a certos lugares, eh homem:tem o resto ,menos a buceta cuidado tbm.pronto que mulisse tah loco, todo mundo sabe que falta educação e direcionamento aqui no Brasil, então se resguarde ueh, vai ser burro e não entender uma coisa simples assim no inferno o Demônio kkkkkkkk

donadio disse...

"reduzir o corpo de uma mulher a propriedade, na minha ingenuidade, era algo que a raiz marxista criticava com louvor, mas acho que estava enganada..."

Assim como há cristãos marca-diabo, que falam em Cristo mas na prática adoram o deus-mercado, há também marxistas marca-diabo, que repetem fórmulas vazias mas não compreendem o conteúdo das posições que dizem defender.

Anônimo disse...

Seu argumento é do tipo: se vc quis entrar na política (engenharia, polícia, esporte, Bota aqui qq profissão majoritariamente masculina), vc deveria saber que era machista e não reclamar.

Se a gente for secretirar de todos os espaços machistas, e não reclamar, vms voltar pra dentro de casa.... ou melhor, vms ter que sumir do planeta.

Anônimo disse...

Anônimo de 1:18

Sugiro ler essa matéria pra ele. É um bom começo. Eu digo ler pra ele, pq é longa e normalmente desistem na metade. É bom tb pq é uma 'fonte neutra'. Pode diminuir a resistência dele em ouvir.

Outra coisa: coloque como exemplo a situação é uma prostituta que muda de ideia sobre um programa. O cara não pode nunca, sob qualquer desculpa, estupra-la. Quando discuti esse exemplo com alguns amigos, notei que deu um 'tilt' na cabeça deles... rsss ficaram pensativos e sem argumento, aceitando a realidade meio a contragosto... Acho que funcionou.

Anônimo disse...

Opa, faltou o link...

http://super.abril.com.br/comportamento/como-silenciamos-o-estupro

Anônimo disse...

Uma das coisas que não entendo nestas igrejas evangélicas/protestantes e que se dizem cristãs mas se você for ver a pregação deles e 90% velho testamento. São cristão ou judeus? Se o cristianismo e baseado no novo testamento, os ensinamentos de Cristo que veio para romper com o velho testamento e só pregou o amor e a tolerância, porque estes crentes só se apegam ao velho testamento que e só violência?
Me parece que os evangélicos não entenderam bem a proposta de Cristo não!

Anônimo disse...

Suas opiniões são um lixo.

Anônimo disse...

"Sobre esse caso do estupro coletivo, meu parceiro está com um discurso de "culpabilização parcial" da vítima. Preciso conversar com ele. Alguém tem links de fotos/textos/memes/etc que sirvam pra conscientizar um homem sobre a cultura do estupro e tudo relacionado a isso??? Eu realmente sinto que ele não faz isso por mal, é porque nunca teve contato com feminismo antes. Fiquei meio longe das redes sociais esses dias e acabei só curtindo os posts, não compartilhei/salvei nenhum, vcs poderiam me enviar algum material? Agradeceria muito, vai ajudar a fundamentar minha conversa com ele."

Moça, seu namorado é um merda, larga desse cara.

Anônimo disse...

"Pois é, B., eu também acho incongruente ser feminista e de direita; no entanto, já vimos mais de uma pessoa neste blog defender posições políticas de direita.
Incongruência por incongruência.."

O que não faz sentido é essa lambança entre compassos diferentes, o político, o social e o econômico.

Não existe o menor problema em ser feminista e de direita. O problema só existe porque no Brasil, ser de direita significa automaticamente um alinhamento com o pensamento conservador. O que não é verdade. Existe a direita liberal também não só para fins econômicos. Mas como bloco organizado, tem-se essa divisão escrota, absurda que, se avaliada, não se sustenta.

Dizer que você não pode querer apoiar causas sociais e ao mesmo tempo, ser de direita é o mesmo que dizer que causas envolvendo direitos humanos (que é basicamente isso, seja causa feminista, lgbt, causa negra, direito a moradia etc.) é um problema de esquerda. Ué? A coisa não deveria ser supraideológica?

Anônimo disse...

"Eu acredito existir uma contradição básica no texto da autora: Ser membro de uma igreja evangélica tradicionalista, e buscar igualdade de gênero."

Na sua vida íntima a pessoa até pode buscar isso mas quando falamos de uma coisa cuja estrutura básica é fundamentada em gênero por questões de poder, aí é basicamente lutar contra o vento.

Lembrando que ninguém precisa participar de igreja pra ter religião. Ainda mais se cristã. Um cabeludo aí falou certa vez que o templo de Deus estava dentro de cada um e que ninguém precisava de igreja pra chegar ao "pai" mas sei lá, nunca vi um crente gostar de ler a Bíblia por si próprio.

Anônimo disse...

Não sabe nem escrever, reproduz ideias absurdas de gente doente e ainda chama os outros de burro. Kkkkkkk! Temos de rir é de vc, anônimo.

Anônimo disse...

Moderação, acho que seria uma boa apagar todos os comentários deste tal troll "anónimo", não? Vejam o absurdo que ele diz às 02:04.

Anônimo disse...

Sou mulher, sou Batista e moro numa cidade pequena. Fui primeira vice-moderadora da Igreja, no ano 2015. Neste ano, temos uma nova primeira vice-moderadora, que é a pessoa que supre as funções do Pastor, em suas faltas eventuais. Destaco que há um segundo vice-moderador, reeleito. Homem, culto, inteligente. A Bíblia não diz que Deus é homem, diz que é Espírito e, como tal, importa que assim o adoremos. Não adoramos a Deus com nosso gênero, mas com nosso entendimento. A Bíblia não diz que Deus determinou que o homem dominasse sobre a mulher nem sobre qualquer outro ser humano. Deus disse ao homem e à mulher que dominassem sobre os animais (o que tem desempenhado muito mal). Jesus advertiu a Marta que escolhesse a melhor parte - estudar e aprender, em vez de limpar casa obsessivamente. Jesus demoveu uma multidão de apedrejar a mulher adúltera e não a condenou. Deu valor e atenção à mulher samaritana. Quando ressuscitou, apareceu primeiramente às mulheres. Deu todo valor às mães que levaram seus filhos a Ele, para serem abençoados. Jesus não pregou instituições, mas o Reino de Deus. Não determinou que não houvessem pastoras. Não disse em lugar algum que a mulher devia ser submissa a seu marido. Alguns apóstolos o fizeram, mas nosso exemplo de vida não é nenhum ser humano, é o Filho de Deus. As mulheres que viviam em Corinto eram aconselhadas a cobrir a cabeça porque naquele contexto, era necessário. Mas as hebréias raspavam a cabeça e isso era altamente honroso, era o voto do nazireado. Quanto a exemplos Bíblicos, não faltam, passando por todas as personagens possíveis. Desde a menina escrava de Naamã, à Juíza Débora, Rainha Ester, Profetisa Ana, Lídia, rica comerciante de púrpura, Dorcas, costureira caridosa, por quem o povo chorou. São tantas e tão maravilhosas! Penso ser injusto dizer que o cristianismo e o feminismo são incompatíveis, considerando que Jesus foi o primeiro grande feminista e revolucionário social. Por oportuno, meu nome é Helenilse Silveira de Souza, sou Técnico Judiciário, moro em Cardoso Moreira (interior do RJ), membro da PIB de Cardoso Moreira e feminista, sempre.

donadio disse...

"Milhares???
Onde você leu isto menina? Pelo que sei a inquisição(Ate a espanholam ais radical) em 100 anos não condenou nem 400 pessoas.Sobre as famosas “caças às bruxas”.
“Dos 125.000 processos de sua historia [tribunais eclesiásticos], a Inquisição espanhola condenou a morte 59 “bruxas”. Na Itália. 36 e em Portugal 4.”
"

De onde vcs tiram esses absurdos?

A inquisição não durou cem anos. Começou em Roma, em 1231, e só terminou no século XIX na Espanha (a última execução foi em 1826). E não matou 59 bruxas na Espanha, ou 99 somando Espanha, Itália e Portugal. Matou muitos milhares de "bruxas", protestantes, judeus, hereges, "sodomitas" (isto é, homossexuais), etc. E isso considerando exclusivamente aqueles que foram condenados à morte e executados; aqueles que morreram sob tortura, por exemplo, não estão incluídos nessa conta.

donadio disse...

Sobre coerência, eu prefiro que as pessoas sejam incoerentes (feministas de direita, machistas de esquerda, marxistas-cristãos, ateus neoliberais, o diabo a quatro) do que coerentes no reacionarismo.

Anônimo disse...

"Penso ser injusto dizer que o cristianismo e o feminismo são incompatíveis, considerando que Jesus foi o primeiro grande feminista e revolucionário social. "

se o "cristianismo" fosse somente aquilo que se reputa como a palavra de jesus de facto, talvez
mas tem o kit. Tem homem cabeça da família, tem mulher silenciada por ser mulher, deus mandando matar filho dos outros e falando que é pegadinha, aí complica demais.

religião, como sistema organizado, sempre tem um viés político na gênese da coisa. E esse sistema se baseia na opressão de gênero.

Anônimo disse...

Seria bom se as mulheres começassem, por vontade própria, a retirarem esse apoio e se organizarem em instituições femininas.

===========================

Parece bom

Sem obreira, sem freira, sem a tia da limpeza, essas seitas vão pro saco rapidinho

Masssssssssssssssss né, a socialização nunca falha

Anônimo disse...

TODA Igreja atua com base num sistema regido pela opressão de gênero? Se fosse assim, eu não estaria lá, pois acredito nos ensinos de Jesus, que pregou a igualdade, a não acepção de pessoas, a inclusão. Se fosse assim, eu, mulher divorciada, jamais poderia ser substituta imediata do Pastor. Só para constar, a Igreja não é o Templo. Não é a Instituição. É a reunião dos que abrem o coração para exercer o amor que Cristo ensinou. Sugiro que leia um pouco sobre as Missionárias da Junta de Missões Mundiais. Mulheres ousadas, atuando em locais de risco. Por que? Por amor ao próximo. Porque Jesus ama esse próximo. Sugiro que leia, também, sobre as Cristolândias e o trabalho realizado com as dependentes químicas. Há muitas mulheres dentro das Igrejas fazendo coisas que o mundo nem sonha. Porque não querem publicidade, preferem exercer a fé, por meio de suas atitudes. Sem ser impedidas ou silenciadas.

Anônimo disse...

(Viviane)
Pois é, anon de 10h56, eu também acho que direitos humanos deveriam estar acima de ideologias políticas. Agora tente convencer as "feministas" daqui do blog que defendem "direitos humanos para humanos direitos" e se declaram contra a esquerda (já nem sei mais se são direitistas ou apenas anti-PT)...
Sobre o meu comentário de ontem, eu estava justamente respondendo a uma dessas figurinhas, que ainda acha que tem moral para criticar quem se declara feminista e religiosa.

titia disse...

16:40 Jesus foi um cara legal, que passou uma mensagem de amor e sempre tratou todas as pessoas de forma igual. Ele não é inimigo das feministas; os fã-clubinhos de Jesus é que são inimigos das mulheres sejam elas feministas ou não feministas, dos não-religiosos, dos ateus, dos religiosos que não são da mesma denominação, dos religiosos que são de religiões diferentes, das crianças, dos homossexuais, dos pobres e até das pessoas negras.

Anônimo disse...

Não tenho o costume de comentar muito aqui, Lolinha. Porém, achei muito legal da sua parte publicar um post sobre feminismo cristão sendo você ateia.

Um dos motivos pelos quais eu não gosto muito da igreja evangélica no qual eu cresci (prefiro frequentar outras), a Assembléia de Deus, é que homens velhos, caquéticos e rabugentos decidem sem nem uma ÚNICA opinião feminina as malditas regras da igreja. Você acha que são regras relacionadas ao amor, boa convivência entre os irmãos, honestidade e outras coisas nas quais Jesus pregava? NÃAAO, claro que não ¬¬ As regras são especificamente sobre as roupas que as mulheres não podem usar, quais são os cortes de cabelo proibidos, adornos que devem ser evitados, maquiagens diabólicas e por ai vai.

Enfim, muito obrigada pelo seu blog. Não perca a força, estou torcendo por você.
Beijos.

Anônimo disse...

"TODA Igreja atua com base num sistema regido pela opressão de gênero? Se fosse assim, eu não estaria lá, pois acredito nos ensinos de Jesus, que pregou a igualdade, a não acepção de pessoas, a inclusão. Se fosse assim, eu, mulher divorciada, jamais poderia ser substituta imediata do Pastor. Só para constar, a Igreja não é o Templo. Não é a Instituição. É a reunião dos que abrem o coração para exercer o amor que Cristo ensinou. Sugiro que leia um pouco sobre as Missionárias da Junta de Missões Mundiais. Mulheres ousadas, atuando em locais de risco. Por que? Por amor ao próximo. Porque Jesus ama esse próximo. Sugiro que leia, também, sobre as Cristolândias e o trabalho realizado com as dependentes químicas. Há muitas mulheres dentro das Igrejas fazendo coisas que o mundo nem sonha. Porque não querem publicidade, preferem exercer a fé, por meio de suas atitudes. Sem ser impedidas ou silenciadas. "

Substituta.... auxiliar... ocupa o lugar de um homem quando ele não está lá.

Nunca cabeça, sempre braço.

Sério que você não vê problema nisso?

Sério que precisa de instituição religiosa para levar amparo aos dependentes de crack?

Sério que o ensinamento de Jesus sobre "igrejas" vai continuar a ser desconsiderado por quem diz que se apoia nas palavras dele?

A vida é sua, faça o que quiser (uma conquista feminista, aliás) mas não tenha medo de enxergar o óbvio.

Anônimo disse...

Falou TUDO que eu penso. É incrível como os "cristãos" não seguem só os ensinamentos de Jesus.
Se o próprio Jesus "desrespeitou" várias leis judaicas, pq essas pessoas ainda seguem essas leis.
Eu amo Jesus mas odeio o fã clube dele.

Anônimo disse...

Caríssimo Anônimo das 16:38, o seu comentário que é digno verdadeiramente de ser mandado ao aclamado orifício anal, com o perdão da palavra.

Na verdade, o comentário do Anônimo anterior, o das 16:23, foi muito contudente e concordo plenamente - porém não tenho nada contra quem consegue ser as duas coisas... Afinal, os conflitos existenciais diz respeito a tal pessoa - e não a mim. Para mim não faz muito sentido também, mas fui educado para respeitar as diversas religiões presentes na Terra - por mais bizarras que me pareçam... Afinal, cada um sabe o que quer ser, e qual religião seguir.

Passar bem.

black and white disse...

Deus nao so pode ser representado como homem como deve ser representado como homem pq se não for desse jeito o português fica errado imaginem "a deus" ou então "a deusa" o primeiro iria ficar incoerente, segundo iria ficar confuso ja que a milênios deus e encarado como homem ja que jesus foi o seu filho "ou encarnação na terra como preferirem" e também espírito santo, nao tem como colocar irro no feminino, mas de fato ele e um ser sem um sexo definido mas temos que ter uma escrita para ele, e vocês ficam falando em que querem o mesmo salari que um homem vcs tem que ber os benefícios que vcs ganham e prestar atenção que vcs em serviço braçal tem um rendimento um pouco mrnor que nos homens, eu nao estou falando que vcs sao piores qu nos mas tem que verem que nos ganhamos mais em alguns empregos pq o corpo masculino e mais adaptado pro serviço em pelo que entendi em algumas partes do texto vcs estao certas "eu olhei pelo ponto de vista das mulheres" seri que fugi muito do assunto mas minha vo me falou sobre o que era feminismo antigamente e o que e hoje e ela me falou que o feminismo de hoje virou uma pouca vergonha ela falou que antigamente elas lutavam pela real independência que era n precisar de ajuda para abrir a porta do carro ou pra sentar na cadeira segura o guarda chuva ou colocar o terno em uma poça de lama para nao precisar sugar o sapato mas agora estao querendo coisas desnecessárias mas tipo eu n to nem ai se vcs querem mostrar os peitos por aibou n quererem ser se depilar eu so acho um absurdo fazer um por causa de quem vai pagar a conta de um jantar

Anônimo disse...

Sua conversa n tem fundamentos ai vem aqui pedir uma colinh (que com certeza esta errada)