sexta-feira, 16 de outubro de 2015

"FIZ JURAMENTO PARA ME CASAR VIRGEM E ME ARREPENDO"

Acho que eles querem dizer relacionamento

Meninas em cerimônia de juramento
de pureza nos EUA
Já tem um tempinho que a Lígia me enviou o link de um texto que ela se ofereceu pra traduzir. Agora ela, que é professora de inglês em SP (ligets@gmail.commandou a tradução. Vale a leitura, até porque os "votos de pureza" estão se tornando populares também no Brasil.

“Na fé em que o amor verdadeiro espera, eu faço um compromisso com Deus, comigo mesma, com minha família, meus amigos, meu futuro companheiro, e meus futuros filhos a manter a abstinência sexual de hoje até o dia em que eu me casar perante Deus. Assim como prometo me abster de pensamentos sexuais, toques sexuais, pornografia, e atos que levam à excitação sexual.”
Aos dez anos de idade, eu fiz uma promessa, na minha igreja e junto a um grupo de meninas da minha idade, de permanecer virgem até o dia do meu casamento. Sim, você leu certo: eu tinha dez anos. 
Vamos dar uma olhada em quem eu era aos dez anos: eu estava na quarta série. Eu brincava com Barbies e tomava chá com amigos imaginários. Eu fingia ser uma sereia toda vez que eu tomava banho. Eu ainda achava que garotos eram nojentos e não tinha ideia que eu gostava de meninas também. Eu demorei mais quatro anos até ter minha primeira menstruação e, mais importante de tudo, eu não tinha a menor noção do que era sexo. 
De movimento brasileiro: livros para
eles e para elas
A igreja me ensinou que sexo era algo para pessoas casadas. Que sexo fora do casamento era algo sujo, pecaminoso, e que eu iria para o inferno se eu fizesse sexo. Eu aprendi que, como uma menina, eu tinha a responsabilidade de me manter pura para o meu futuro marido. Seria, no entanto, completamente possível que meu futuro marido não se mantivesse puro para mim porque, de acordo com a bíblia, ele não tinha a mesma responsabilidade. E, claro, por ser cristã, eu deveria perdoá-lo por seus pecados e me entregar a ele completamente, de corpo e alma.
Assim que eu me casasse, seria minha obrigação corresponder às necessidades sexuais do meu marido. Foi me dito, milhares de vezes, até que eu perdesse a conta, que se eu me mantivesse pura, meu casamento seria abençoado por Deus e nunca terminaria em divórcio. 
Eu acreditei em tudo isso. E por que não iria acreditar? Eu era muito nova, e essas eram pessoas em quem eu confiava. Todos sabiam que eu tinha feito voto de castidade. Meus pais eram muito orgulhosos pela filha ter feito uma decisão tão espiritual; toda a congregação aplaudia minha honradez. 
Por mais de uma década, minha virgindade foi como uma medalha de honra para mim. Minha igreja me encorajou a fazer isso, dizendo que meu testemunho iria inspirar outras meninas a seguir o mesmo caminho. A qualquer momento, se o assunto viesse à tona, eu ficava feliz em contar a todos que eu tinha feito um voto de pureza.
Comemoração de pureza em Presidente
Prudente, SP, agora em outubro
Assim que eu cheguei à adolescência, meu voto de pureza havia se tornado minha identidade. Quando eu conheci meu namorado (agora marido), eu disse a ele logo de cara que eu estava me guardando para o casamento. Ele levou tudo isso numa boa, afinal, meu corpo, minhas regras, e ele me amava.
Nós namoramos por seis anos antes de casar. Toda vez que nós fazíamos algo remotamente sexual uma grande culpa tomava conta de mim. Eu sempre me perguntava qual era o limite, pois eu morria de medo de ultrapassá-lo. Ele poderia tocar meus seios? A gente poderia se ver pelados? Eu não sabia o que poderia ser considerado sexual o suficiente para condenar meu futuro casamento e me mandar diretamente para o inferno. 
Uma mistura nada saudável de orgulho, medo e culpa me fez manter meu voto até o nosso casamento. Nas semanas anteriores ao casamento, eu recebi vários cumprimentos por ter mantido minha virgindade por tanto tempo. Os comentários iam dos curiosos (Como você conseguiu aguentar por tanto tempo?) até os mais nojentos (Aposto que sua lua de mel vai ser agitada!). Eu deixei que todos me colocassem num pedestal, como um mascote, uma garota cristã perfeita e virginal.
Eu perdi minha virgindade na noite do meu casamento, com meu marido, exatamente como eu tinha prometido naquele dia quando eu tinha 10 anos. Antes disso, eu me peguei no banheiro do hotel pensando “Eu consegui. Eu sou uma boa cristã.” Não houve coral de anjos, nem uma luz divina vindo do céu. Éramos só eu e meu marido num quarto escuro de hotel, atrapalhados com a camisinha e o lubrificante pela primeira vez.
Clique para ampliar
Sexo dói. Eu sabia que doeria. Todo mundo me disse que seria desconfortável na primeira vez. O que ninguém me disse é que eu estaria de volta no banheiro, momentos depois, chorando por razões que eu ainda não compreendia. Eles não me disseram que eu choraria na minha lua-de-mel, porque sexo parecia algo sujo, errado e pecaminoso, mesmo que agora fosse permitido, já que agora eu estava casada. 
Quando voltamos da lua-de-mel, eu não conseguia olhar nos olhos de ninguém. Todos sabiam que eu não era mais virgem. Meus pais, as pessoas da igreja, meus amigos, meus colegas de trabalho. Todos sabiam que eu estava suja e manchada. Eu não era mais especial. Minha virgindade tinha se transformado em um aspecto tão importante da minha identidade que eu não sabia quem eu era sem ela. 
E as coisas não melhoraram. Eu evitava me despir na frente do meu marido. Eu tentava não beijá-lo de maneira muito tentadora ou muito amorosa, para não parecer que eu estava iniciando alguma coisa. Eu morria de medo da hora de ir para a cama. Talvez ele fosse querer transar.
Quando isso acontecia, eu acabava aceitando. O que eu mais queria era fazê-lo feliz, tanto porque eu o amava quanto porque eu aprendi que era isso que eu devia fazer: era minha obrigação atender a todas as necessidades dele. Mas eu odiava sexo. Às vezes eu ia dormir chorando porque eu queria gostar de sexo, porque nada daquilo era justo comigo. Eu tinha feito tudo certo, eu tinha feito e mantido uma promessa. Onde estava o casamento abençoado que tinham me prometido?
Às coisas continuaram assim por dois anos, até que eu não aguentei mais. Eu contei tudo ao meu marido que, sendo feminista, ficou horrorizado que eu o deixei me tocar quando eu não queria. Ele me fez prometer que eu nunca mais faria algo que eu não quisesse. Nós paramos de transar e ele me convenceu a procurar um terapeuta, e eu fui. Esse foi o meu primeiro passo para me curar.
Garotas de dez anos querem acreditar em contos de fadas. “Faça esses votos para que Deus te ame e fique orgulhoso de você”, eles me disseram. “Se você esperar até o casamento para fazer sexo, Deus te dará um maravilhoso marido cristão, e vocês viverão felizes para sempre”. Ter esperado não garantiu que eu fosse feliz para sempre. Pelo contrário, controlou minha identidade por mais de uma década, me fez sentir uma estranha para mim mesma, e me fez precisar de terapia. Eu tinha tanta vergonha da minha sexualidade e do meu corpo que fazer sexo era uma experiência degradante para mim.
Eu não vou mais à igreja e nem sou religiosa. Conforme eu fui me curando, percebi que não sabia como ser religiosa e ter uma vida sexual saudável ao mesmo tempo. Então eu escolhi o sexo. Eu travo uma batalha diária para lembrar que o meu corpo pertence a mim e não à igreja da minha infância. Eu preciso lembrar que os votos que eu fiz com dez anos não definem quem eu sou hoje. 
Quando eu transo com meu marido, eu sempre me certifico de que estou fazendo isso por causa das minhas próprias necessidades sexuais, e não porque é o meu papel como esposa satisfazê-lo sempre. 
Hoje em dia eu tenho certeza de que o conceito de virgindade é utilizado para controlar a sexualidade feminina. Se eu pudesse voltar no tempo, eu não esperaria. Eu teria transado com meu então namorado, agora marido, e eu não teria ido para o inferno por isso. Nós teríamos nos casado com uma idade mais apropriada e eu teria me mantido sujeita da minha sexualidade. 
Infelizmente, eu não posso voltar no tempo, mas eu posso deixar minha mensagem. Se você for esperar pelo casamento para fazer sexo, tenha certeza de que está fazendo isso porque você quer. O corpo é seu, e pertence a você, não à igreja. Sua sexualidade é um assunto seu e de ninguém mais. 

137 comentários:

Anônimo disse...

Gente, que relato forte... Eu nunca fiz voto de castidade, mas minha mãe o fez por mim. Ela tinha um medo absurdo que eu transasse antes do casamento, de forma que me afetava tambem.. até um dia que eu decidi que era o que eu queria fazer. Não casei virgem, mas até hoje minha mãe acha que sim. Enfim, não é da conta de ninguem o que fazemos/deixamos de fazer entre 4 paredes.

moça, você tb tem um marido maravilhoso que te ama e respeita, isso tudo poderia ter dado muito errado. Força pra você :)

Anônimo disse...

É isso que espera as mulheres e meninas nas igrejas. Mentira, doença, sofrimento e angústia. Cada núncio desses que a Lola usou pra ilustrar o post tem uma grande e perversa mentira. Eu sei porque também fui vítima desses predadores cuja perversão é o controle do corpo alheio. Felizmente já pulei fora dessa barca furada e o primeiro que tentar me fazer voltar leva no mínimo um bombardeio de palavrões. Cara, esse post é meio trigger warning pra mim, porque o que aqueles monstros fizeram comigo e com tantas outras meninas, embora ninguém pense assim, foi uma violação sexual. Foi usar de violência verbal, psicológica e grave ameaça pra obter acesso e controle sobre o corpo de alguém-não raro, de menininhas que nem tem interesse em rapazes nem sabem o que estão cobrando delas. Esses pais pedófilos e incestuosos mereciam levar um tiro. Força pra você, moça, e que um dia todas nós sejamos livres desses estupradores enrustidos-homens e mulheres que usam Deus como desculpa pra exercer suas fantasias doentes sobre garotas ainda manipuláveis.

Sofia L.B. disse...

A relação entre religião cristã e o desprezo da mulher à própria sexualidade é pesada. E pode te afetar mesmo quando você não fez esse voto aos 10 anos, mesmo quando você não é religiosa. Pq é algo que está impregnado na nossa cultura.

É estranho ler esse texto qdo hj mesmo eu já tinha lido este: http://mirandacelestehale.net/2011/09/06/the-serious-consequences-of-childhood-religious-indoctrination/

Rafael Cherem disse...

O caso da moça é que a opção por não transar foi uma imposição, e não uma escolha consciente, que poderia ter sido trabalhada na adolescência, vejo com ressalvas a influência das religiões em crianças e adolescentes, em geral perniciosa, mas não podemos crucificar quem opta pela castidade até o casamento de modo sensato e opcional,é um modo de vida, nem pior e nem melhor que outros.Se fosse o contrário, se a opção fosse o sexo livre e com vários parceiros, poliamor, etc estariamos aplaudindo nesse espaço, a questão central que vejo é a imposição religiosa e o controle irrestrito da sexualidade feminina por uma fé específica, direcionada a crianças.

Boobjuggler_Thundercunt disse...

O deus dessa galera é um cara muito estranho. Ele cria asspessoatudo, cria o sexo, faz ele super gostoso hmmmmmmmmmmmmmm uma delícia, mas não pode. Não pode colocar a mão ali, não pode colocar ali na mão, porque vejam vcs, a criação divina tem pecado. Ela é má e deus está errado. E nós, humanos, filhos queridos, é que vamos colocar ordem nessaporra.

Um dia vai existir CID pra isso aí também.

Boobjuggler_Thundercunt disse...

"Gente, que relato forte... Eu nunca fiz voto de castidade, mas minha mãe o fez por mim"

Não sei se dou risada ou se choro.

Anônimo disse...

Interessante que Jesus Cristo jamais falou que era necessário manter-se virgem antes de casamento ou qualquer coisa do tipo. Isso foi dito por outros e é mantido como verdade absoluta. Se fosse algo realmente necessário Jesus teria falado isso.

Jonas Klein disse...

Olá Lola e colegas de combate.

Olha chegou a me da uma coisa ruim aqui lendo este texto, coitada da menina do relato, espero que ela tenha uma vida maravilhosa ao lado do marido dela.



E bom sei que vou ser politicamente incorreto aqui, e too nem ai, mas para mim mulher virgem tem quase que passe livre, e se eu to conhecendo uma mina e ela me diz que sexo com ela só depois do casamento, ela fica só na minha frende zone mesmo, prefiro casa com uma ex-prostituta do que com mulher que tem exte tipo de visão sobre sexo, que isso só pode depois do casamento, e sujo entre outras esquisitices.

Agora este relato ele e interessante, pois expõem uma das facetas, que eu acho mais grotescas do machismo estrutural que existe no mundo, que o lado fundamentalista religioso dele, pois esta forma de machismo com forte toque de moralismo tosco, e extremamente cruel com as mulheres, mas sem boazinha com os homens, e enfrenta este tipo de machismo e bem complicado, pois envolve enfrenta também fundamentalismo religioso que algo bem forte no Brasil.

Bom dia

Anônimo disse...

Eu não me casei virgem, mas graças à educação mega fundamentalista que recebi (família Testemunha de Jeová, que sorte a minha!) demorei alguns anos para conseguir transar sem culpa.

Pelo menos eu vi o mal que tudo isso me causou e criei meu único filho de maneira totalmente liberal e, melhor, com presença mínima de religião. E se tivesse uma filha, teria sido do mesmo jeito.

Mila disse...

Não fiz voto de castidade propriamente dito mas achava contato romântico sexual uma coisa meio estranha. Como as nerds não costumam atrair atenção eu meio q reprimi essas coisas e reprimi ainda mais qnd eu descobri q os meninos se interessavam apenas pelo meu corpo.
Não era religiosa, mas bem machista, então isso prova q não precisa ser religiosa para ser conservador. Eu achava "putas" e sujas as meninas q transavam antes dos 18 anos. Tive curiosidade sexual só com 18 ou 19 anos. Também tinha a minha mãe q dava escândalo a qualquer sinal de namoricos.
A questão da virgindade é muito delicada por causa dos dois extremos, se vc se manter virgem depois dos 20 é boba, frígida e virjona. Se não, é puta. Q bom seria um mundo q a gente pudesse viver a sexualidade de boa.

Anônimo disse...

Isso das religiões cristãs imporem a castidade/abstinência sexual aos fiéis (às mulheres principalmente) vem da influência pagã de Roma, do culto à Vesta (ou Héstia para os gregos). É impressionante o plágio escancarado q as denominações cristãs (e as evangélicas principalmente) fazem das cerimônias pagãs à Vesta/Héstia nesses ritos modernos de castidade. As vestais devem se contorcer nas catacumbas com o tamanho da "blasfêmia" q fizeram aos cultos delas, rsrs.

Mas enfim, isso nem me surpreende, afinal, o cristianismo nada mais é do q uma grande arca de todas as religiões antigas e esquecidas. E a pergunta q não quer calar: "Se não podem as moças fazerem sexo, mas os garotos sim eles podem, COM QUEM os garotos farão???"

Anônimo disse...

Todos os seguidores cristãos tem um estilo diferente de vida,e quanto a questão da sexualidade não pode ser diferente,como seguidores da Bíblia o sexo antes do casamento,é visto como fornicação.O erro dela foi ter feito um voto de castidade muito nova,sem entender realmente o que aquilo significava.O texto é tendencioso porque os homens também são cobrados para não fazer sexo antes do casamento,existem muitos rapazes cristãos virgens.
.Quem não é da religião e não crê no que nós cremos,não tem o direito de criticar e achar que o seu estilo de vida é o certo.
Vale lembrar que existem várias correntes religiosas,mas ninguém é obrigado fazer esses votos de castidade,isso acontece apenas em algumas comunidades específicas.
Taty

Anônimo disse...

As vezes a mulher espera tanto pra nada, as vezes é ruim e o marido trata ela mal na cama.
Por isso que é melhor fazer antes pra ter certeza se é isso que a pessoa que, sexo pode acabar com uma relação.

Donatien Alphonse François disse...

Quando se faz uma leitura critica da Bíblia, com embasamento teórico e ceticismo, sem viés ideológico pode-se aprender muitas coisas interessantes sobre a formação da sociedade, por exemplo sobre a questão da virgindade. Para os hebreus, mais do que para os povos circunvizinhos,a virgindade da mulher era um meio para se assegurar a legitima descendência e posterior transmissão de bens e heranças, a virgindade era portanto um selo de confiança. A mulher que se revelasse não virgem durante as núpcias poderia ser devolvida a seus pais e isso seria um vergonha para sua casa, uma quebra de confiança e ela poderia ser morta por isso, muitas vezes era mesmo. A mulher virgem era (e ainda é) em termos práticos uma mercadoria valiosa, veja por exemplo esse versículo: Exo. 22:16/17 “Se um homem seduzir uma virgem que não é noiva, e dormir com ela, pagará o seu dote e a desposará. Se o pai recusar ceder-lha, pagará em dinheiro o valor do dote das virgens." O tratamento dos cativos: Nm. 31:17/18 "Agora, pois, matai, dentre as crianças, todas as do sexo masculino; e matai toda mulher que coabitou com algum homem homem, deitando-se com ele. Porém todas as meninas, e as jovens que não coabitaram com algum homem, deitando-se com ele, deixai-as viver para vós outros." Esses versículos fazem referencia ao ataque dos hebreus ao povo midianita, é sabido por todos que estudam história da guerra, que quando um exército invasor pretende tomar um território, idosos, mulheres e crianças são os primeiros a morrer, os que sobrevivem são escravizados, seja para trabalhos forçados ou para serem estuprados, o que também ocorre com homens, pois é uma forma de humilhar os inimigos. Ter o controle sobre a sexualidade feminina era vital para a manutenção da sociedade e ainda é em países do oriente médio, no ocidente por mais que se tenha criticas á fazer (e pode-se fazer muitas) as mulheres ainda gozam de muito mais liberdades sexuais e reprodutivas, até bem pouco tempo os filhos de fora do casamento eram considerados ilegítimos e não tinham direitos de herança, mas isso mudou, o casamento era para vida todo e não podia-se separar, não se pode mais rejeitar uma mulher que não seja virgem, ao menos não é todo mundo que valoriza isso, somente os fundamentalistas religiosos e os masculinistas.
Enfim, lamento que a autora do post tenha passado por isso, ninguém merece ter sua sexualidade discutida publicamente, pois é algo que deveria ser totalmente particular, desejo-lhe tudo de bom! ^_ ^

Anônimo disse...

Historia parecida com a minha,
a diferença é que,
com quase 30 anos resolvi quebrar o pacto que eu havia feito pra mim mesma.
E... com o tempo...
percebi que ele nao me fazia feliz sexualmente.
Foi dificil saber que "eu nao era feliz sexualmente" quando voce nao tem outras experiencias pra comparar. E só cheguei nessa conclusao pq eu consegui me abrir pra outras pessoas.
Rompi o relacionamento, deixei pra tras o noivado.
E a vida se encarregou depois. Hoje estou bem feliz.

Depois disso, penso que as "mulheres" sao (ou eram ?) orientadas a casar virgem para, ao ter apenas 1 parceiro, nao teriam como julga-lo.
E, o fato de sexo ser um tabu (intencionalmente ou nao), limitava as pessoas conversarem sobre o assunto e trocarem esse tipo de informação... o que favorecia os homens.

Eu fico pensando.... quao ruim teria sido a minha vida se eu tivesse casado com aquele rapaz ?






Anônimo disse...

"Quem não é da religião e não crê no que nós cremos,não tem o direito de criticar e achar que o seu estilo de vida é o certo." Olha Taty, eu respeito a sua fé (mesmo q copiada da antiga religião romana e inspirada no culto a deusa Vesta), mas temos o direito de criticar sim, qualquer pessoa tem o direito de contestar, questionar e criticar ideologias, crenças, políticas etc. Ainda mais se tratando de uma fé q nos influencia diariamente, temos q debater sim minha flor, sendo nós da sua religião ou não.

E não, o texto não diz q o estilo de vida de alguém aqui (q estilo?) deva ser o certo, nem foi levantada essa questão de qual o estilo de vida o ideal (mais uma vez, q estilo de vida?)

E embora os homens tb recebam essa "cobrança" nas denominações cristãs, é óbvio q a expectativa gira em torno muito mais das mulheres, isso é evidente; mas não deixa de ser interessante um relato masculino da mesma situação aqui no blog, fica a dica

Vicky_ disse...

Isso, de forma alguma, podem ser chamados de bons pais, então mais pra uns tarados incestuosos. (E manipuladores)

Meu pai só namorou uma vez antes de casar, mesmo sendo uma menina da mesma igreja e virgem, ele foi excluído pelas outras pessoas que frequentavam, além de muita repreensão do meu avô, era um homem de 20 e poucos anos com baixa auto estima. Só transou com minha mãe.

Minha mãe namorou um traste escroto, felizmente descobriu o homem que era antes de casar, não sei se transou com ele.

Vendo por esse lado, é bem fácil entender porque são tão repreensívos comigo, são ambos evangélicos, coisa bem escrota.

Meu pai tinha tão pouca ideia sobre vida sexual, que teve que frequentar aulas de educação sexual básica, pois não sabia por uma camisinha, por isso minha mãe havia engravidado.

É esse tipo de história que os religiosos querem para a humanidade(principalmente mulheres)? Vão por cinto de castidade nas meninas?

Anônimo disse...

O que Jesus disse sobre homossexualidade: nada.
O que Jesus disse sobre sexo antes do casamento: nada.
O que Jesus disse sobre sacerdote não poder se casar: nada.

Até que algumas pessoas inventaram o Cristianismo e começaram a impor suas opiniões pessoais "em nome de Jesus".

Anônimo disse...

Muito homem se aproveita da mulher virgem pra tentar manipular, eu quase caí nessa.
Eu ficava sem respostas e ia pra internet sem sucesso também.
As pessoas acham que é frescura terminar relacionamento por causa de sexo, por isso muita mulher se deita com ogro e não termina.
Meu conselho é esse termina vc vai se livrar de uma cilada, da qual eu ia me meter e ia me arrepender amargamente, não me arrependo de ter terminado foi a melhor coisa que eu fiz.

Anônimo disse...

Jesus apesar de ser um ser mitológico, foi um grande homem.
Andava com prostitutas, não discriminava as pessoas,perdoava os inimigos.

Essa doutrina de homens onde se mandam fazer e não fazer, não presta pra nada só pras pessoas pirarem e fazer os outros ficarem doidos.

Anônimo disse...

Muito cristão jovem que conheci faz sexo, e mesmo convertidos.
Ou então casam com 18 anos pq não aguentam ficar sem sexo, eu acho um erro.

Anônimo disse...

So agora descobriu isso? Relaçoes a longo prazo so existem porque as mulheres no geral tem mais poder sexual do que os homens. Virgindade feminina é uma construçao machista, pois a virgindade masculina é um problema (que chamam de fimose), tanto o himem tanto a fimose sao proteçoes naturais dos humanos antes da puberdade contra infecçoes.

Zero disse...

um grande erro desses grupos de castidade é que sequer dão a oportunidade do "não".

quantos desses jovens podem ser de fatos assexuais e não quererem sexo ? nunca vão saber, porque já tem uma doutrina, e não há dialogo...

e como não fazer sexo é visto como demérito social (muitas vezes até dentro da família) eles se agarram nisso na esperança de "no final" ter o objetivo alcançado.

objetivo que eles nem sabem se realmente querem. esse tipo de reflexão tem que vir de dentro, sempre...

Anônimo disse...

Vesta é a tia solteirona dos deuses, bom exemplo para as meninas casarem virgens.

Vicky_ disse...

Anon 13:41, Eu sempre achei Hímen a coisa mais tosca do mundo, construção machista mesmo. Quando menor, lia livros de medicina da minha prima e, para mim, sempre foi uma proteção quando a mulher é criança, depois vai afinando e assim ela terá mais facilidade para se masturbar e para sexo vaginal.
Quando comecei a ter internet, fique nauseada sobre as "piadas" que homens faziam sobre himens. NOJO.

Tipo, a mulher pode recebeu oral consentido, mas isso não faz ela deixar de ser virgem aos olhos dos machistas... tipo, Wat?

Nas sociedades das nossas primas Bonobos não como haver conceito de virgindade, a sexualidade e o prazer sexual tão tidos como naturais e necessários desde tenra idade, comportamento homossexual e bissexual são aceitos. E nos vivemos numa sociedade de merda.

Até essa de que a primeira vez da mulher "sempre" dói é coisa de Patriarcado, afinal, a menos que a mulher tenha um problema quanto a lubrificação, não entendo por que doeria. Ou o cara está tentando PERFURAR ela ou de repente as paredes varginais dela são de vidro.

Vaginismo é uma doença fruto das repreensões que as mulheres sofrem a vida inteira. Misóginia é um dos grandes males.

Anônimo disse...

Nas sociedades das nossas primas Bonobos não como haver conceito de virgindade, a sexualidade e o prazer sexual tão tidos como naturais e necessários desde tenra idade, comportamento homossexual e bissexual são aceitos. E nos vivemos numa sociedade de merda.

Verdade, os bonobos tem complexos tratados sobre as sociedades humanas, nas universidades deles existem núcleos de pesquisa especialmente sobre sexualidade humana e a forma como é atrasada e conservadora.

Zero disse...

mesmo que Jesus fosse vivo hoje. ele é de Israel, e suas mensagens direcionadas ao povo de Israel, que convenhamos, não agradou...

aí chega o Brasil, um dos últimos a conhecer a historia, e age como se fosse "dele" e faz dela lei aqui. é uma piada mesmo...

Anônimo disse...

Tenho 36 anos e sou virgem, não por opção, mas porque nenhum relacionamento meu vai pra frente,moro com meus pais, não tenho carro e sou desempregado, nem preciso dizer que isso acaba com minha estima, leio texto e vejo gente virgem por opção me dá uma tristeza danada.

Graciema disse...

Taty,

Desculpa, mas não preciso ser da religião para criticar não. Como pessoas de nenhuma outra linha de pensamento/ideologia/identidade etc, só pode ser criticada por pessoas do mesmo grupo.

E pode existir essa cobrança também, mas cadê o baile da pureza para os homens?

Afora que de um modo geral, grupos religiosos costumam estar bem interessados em julgar, legislar sobre e criticar a vida alheia, mas requerem isenção disso. NÂO.

Rafael Cherem disse...

Zero,

Israel não existia no tempo de Jesus. A mensagem dele não agradou aos judeus na época, não a Israel.

Anônimo disse...

"Olha Taty, eu respeito a sua fé (mesmo q copiada da antiga religião romana e inspirada no culto a deusa Vesta)"

Beleza foi engraçado. Mas isso não é respeito não, passou longe. Melhor dizer: eu não acredito, e acabou.

Zero disse...

verdade Cherem, e o Brasil muito menos. as palavras e mensagens dele eram praquele povo, e não pra cá...

Zero disse...

o mais engraçado da vida é que se não fosse a colonização europeia, o deus cristão e suas regras "não existiriam", assim como não existiam antes dela...

brasileiros guiando sua vida conforme algo que foi trazido pra cá, e que também não pertencia a quem trouxe... que mundo bizarro...

André disse...

Taty,

Pode ter sido apenas um lapso seu, mas não foi um erro dela, ela tinha 10 anos. E os homens são cobrados também, mas os deslizes delas são perdoados da mesma forma que os deslizes deles? Na religião que eu fui criado não eram.

Anônimo disse...

Jesus prega só uma coisa Faça o bem !!!!!!!!!!!! Cultue a paz!!!!! Ame !!!!! Seja honesto !

A Bíblia moderna deveria ser somente isso ....

QD a igreja inventa que Homossexelismo é errado ... Baseado em q ? Errado amar ? São. Tantas incoerências q infelizmente as pessoas digerem tds essas regras dogmáticas e repetem como papagaios e saem perpetuando o mal (dps dzendo em nome de Jesus ...) Jesus deus .. .. O seu deus ... Só quer o bem .... O amor ... Paz ....

Esse bando de dogma ... Regra .... é pura invenção de domínio patriarcal às custas de dízimos !!!!!!!!!!!!!!!


Se a igreja abomina a riqueza ... PQ temos tanta riqueza nas instituições instalações religiosas ?

A igreja precisa urgentemente se atualizar em doutrinas mais humanas ...,

Marcella





André disse...

14:31,

Talvez você seja virgem por acreditar que morar com os pais, não ter carro e estar desempregado seja a causa de sua virgindade. Não é bom que um adulto more com os pais e esteja desempregado, mas isso não impossibilita ninguém de fazer sexo. Veja se você não está se boicotando, procure ajuda no posto de saúde mais próximo e nunca culpe as mulheres.

Jonas Klein disse...

Essa tal de Taty vem troll aqui, ai quando leva uma sarrafada acha ruim.


".Quem não é da religião e não crê no que nós cremos,não tem o direito de criticar e achar que o seu estilo de vida é o certo"


ERADOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO, pois vivemos em um pais laico e democrático, portanto toda religião e costume religioso pode SIM ser criticado, ainda mais se formos considerar que os religiosos em sua quase totalidade sequer respeitam quem não segue asa regras cagadas pelas religiões deles.


Agora não quer criticas por causa de religião, a saída e bem simples (religião e livre escolha seguir ou não) abandone religião e pronto, o que muito fácil fazer ainda mais depois que você descobre, a bíblia e um amontoado de incoerências, e não venha dizer que não, pois ate pastores e estudiosos da bíblia admitem que tem muita incoerência bíblia.

E se quiser conhecer as incoerências bíblicas, e só pesquisar no Google, mas va ler sobre isso em sites isentos não site de crentelho.

Rafael Cherem disse...

Zero,

Em verdade, Jesus como figura histórica é muito questionado, sua existência não é comprovada por nada.

Zero disse...

Cherem, concordo.

eu só não me estendi, porque existem mais motivos óbvios pra não seguir, do que pra seguir... mas, vivemos no Brasil, onde racionar e perguntar é quase crime...

mesmo que fosse nativo, já seria passível de questionamento, e nem sendo, muito mais...

fernanda melo disse...

Kkkk

Anônimo disse...

Vicky,

existem os 2 lados da moeda, assim como a virgindade feminina é algo artificial, exclusivamente humana e machista, o casamento tambem é artificial, exclusivamente humana e machista, pois determinados homens (leia-se a maioria) so querem relaçoes a longo, pra terem sexo com alguma frequencia. Ate hoje quero entender do porque as mulheres casarem.

Anônimo disse...

Taty - 12:47

"O erro dela foi ter feito um voto de castidade muito nova,sem entender realmente o que aquilo significava."


ahhhhhhhhh... VC ESTÁ DE BRINCADEIRA, NÉ ?
o erro foi de adultos permitirem que uma criança de 10 anos fizesse tal juramento.


agora mais essa... falar que o erro é da menina...que talvez nao soubesse nem o que era sexo, aos 10 anos... como eu nao sabia.

Mila disse...

Não fiz voto de castidade propriamente dito mas achava contato romântico sexual uma coisa meio estranha. Como as nerds não costumam atrair atenção eu meio q reprimi essas coisas e reprimi ainda mais qnd eu descobri q os meninos se interessavam apenas pelo meu corpo.
Não era religiosa, mas bem machista, então isso prova q não precisa ser religiosa para ser conservador. Eu achava "putas" e sujas as meninas q transavam antes dos 18 anos. Tive curiosidade sexual só com 18 ou 19 anos. Também tinha a minha mãe q dava escândalo a qualquer sinal de namoricos.
A questão da virgindade é muito delicada por causa dos dois extremos, se vc se manter virgem depois dos 20 é boba, frígida e virjona. Se não, é puta. Q bom seria um mundo q a gente pudesse viver a sexualidade de boa.

Mari disse...

Quero viver para ver o fim das religiões. Essas porcarias só serviram para fazer a humanidade sofrer, principalmente as mulheres.

Anônimo disse...

A liberdade de crítica religiosa vale pros muçulmanos também? Porque achava que aqui não podia, ninguém era Charlie Hebdo e tal.

Anônimo disse...

Ué, Zero voltou ao blog?

Rafael Cherem disse...

existem os 2 lados da moeda, assim como a virgindade feminina é algo artificial, exclusivamente humana e machista, o casamento tambem é artificial, exclusivamente humana e machista, pois determinados homens (leia-se a maioria) so querem relaçoes a longo, pra terem sexo com alguma frequencia. Ate hoje quero entender do porque as mulheres casarem.

Homem não precisa casar para ter sexo com frequência(nem mulher alias),em nenhuma fase da história arrumar parceiras para coito foi problema dos homens.Esse argumento não cola.Reveja.

Vicky_ disse...

Também faço parte das que defendem o argumento de que o casamento é uma instituição patriarcal.

Wellington Fernando disse...

Boa tarde.

Esse foi um dos relatos mais tocantes que li até hoje envolvendo sexualidade e religião. Apesar de saber que situações como essa ocorrem com certa regularidade, eu nunca tinha lido nada tão veraz.

Eu sei que o assunto sexualidade é um tabu mesmo para os mais secularistas, mas precisamos evidenciar que as religiões, especialmente as três grandes monoteístas, possuem uma base patriarcal muito forte. A história de Lilith (a primeira mulher de Adão), por exemplo, foi execrada por todas as correntes abraâmicas por ferir o machismo: restando para Lilith os evangelhos apócrifos e o rótulo de "demônio". Mas esse machismo não é exclusivo das religiões: ele é um reflexo de uma sociedade inteira que carrega um sexismo ancestral muito árduo de combater.

Enquanto as religiões não largarem o machismo e também essa mania de querer colocar culpa na cabeça das pessoas por causa da nossa sexualidade, teremos que continuar firmes na luta pela igualdade, pela liberdade e pela felicidade. Não é uma luta contra a religião: é uma luta para que a sociedade mude.

Paz para todos.

Vicky_ disse...

Seu raciocínio para interpretação é comparável ao de uma pedra. (Pardon, pedras)
Seu mal caratismo é nauseante.

Agora vai tomar banho, está infestando o lugar.

Anônimo disse...

Comigo foi ao contrário. Deixei de ser virgem aos 15 e tive vida sexual ativa até os 22. Nunca tive neuras....Acabei me tornando católica e eu e meu marido nos abstivemos de qq contato sexual até o casamento. Foi a melhor coisa que fizemos. Tivemos um namoro mais tranquilo, sem aquela 'necessidade' um do outro, que é fruto da paixão. Assim tivemos a cabeça no lugar pra escolher bem se queríamos casar um com o outro. Fomos nos conhecendo gradualmente, aprendendo a lidar com as diferenças. A intimidade e o amor crescendo sempre no seu tempo.

Claro que no começo do casamento foi um pouco estranho, mas com respeito e carinho as coisas foram se ajeitando. Nos outros namoros que tive, o sentimento sempre começou num máximo de paixão até morrer. Com meu marido foi diferente... A gente queria estar juntos quase que só pela razão , nós nos admiravamos e tínhamos ideais em comum, mas não tinha paixão. Agora no casamento, o amor nem cabe no peito e tenho certeza absoluta, que em partes e fruto da castidade e das orientações que tivemos de um excelente padre ao longo do namoro.

Cada um sabe seu caminho, o meu eu encontrei na igreja. Agora, eu super recomendo um período de abstinência sexual pra qualquer pessoa. É uma experiência interessantíssima. Já li vários relatos de pessoas que fizeram isso, sem motivos religiosos, e acharam a experiência mto rica.

Jonas Klein disse...

Anon 16:38


"Nos outros namoros que tive, o sentimento sempre começou num máximo de paixão até morrer. Com meu marido foi diferente... A gente queria estar juntos quase que só pela razão , nós nos admiravamos e tínhamos ideais em comum, mas não tinha paixão."

Fala serio você acha que alguém acredita nisso, se não for mentira sua acho que você não sabe e se expressar direito, ou não entende de sentimentos.

"que em partes e fruto da castidade e das orientações que tivemos de um excelente padre ao longo do namoro."

Que castidade? se você não era virgem e nem ele foi seu primeiro homem?

E ridícula falta de logica ou de verdade no que você afirma.


Desculpe o mal humor, mas e que hoje ou to sem paciência mesmo.

Rafael Cherem disse...

Wellington Fernando, isso sem falar de Asherat a esposa de Javé, também conhecida como a deusa proibida,as três grandes são a base cultural do machismo, das mais antigas, se as mulheres querem se libertar do machismo devem passar longe de igrejas,sinagogas e mesquitas.

Como é bom ler comentários de gente adulta!

Anônimo disse...

Catolica anonima,

sexo não se resume apenas ao pau na cepa. Duvido que na hora do desejo vocês não deram um jeitinho.

Anônimo disse...

1Co 7:1-2
"1 Ora, quanto às coisas que me escrevestes, bom seria que o homem não tocasse em mulher;
2 Mas, por causa da fornicação, cada um tenha a sua própria mulher, e cada uma tenha o seu próprio marido."

Essa história de que só a mulher tem a obrigação de casar virgem é mentira, e sinceramente, nunca vi ninguém dizendo que isso tem embasamento bíblico.
É triste você ter passado por isso, muito duro mesmo, mas existem mulheres que possuem uma vida plena e feliz no meio evangélico. Não estou jogando a culpa em você, mas talvez a culpa desse transtorno pode ter sido na forma como a igreja passou essa doutrina, e não do Cristianismo.
A Bíblia diz que o homem deve amar a mulher como Cristo amou a igreja, sendo capaz de dar até mesmo a sua vida por ela. Isso sem falar no mandamento universal de "ama ao próximo como a ti mesmo". Jesus nunca apoiou esse machismo assassino, que destroça as mulheres.
Sei que muita gente vai me xingar abaixo por já associarem automaticamente o Cristianismo a alguma pessoa louca da igrejinha do bairro, ou a algum deputado que solta algo como "bandido bom é bandido morto" (que não é nem um pingo cristão), ou a gente que pensa que o Antigo Testamento ainda vale (recomendem que elas leiam o livro de Romanos...). Não associem Deus a padrões sociais sem base bíblica.

E obrigada a autora do texto pelo relato.

Anônimo disse...

A Bíblia é imutável,não é porque VC quer que ela vai mudar,cabe a cada um decidir se vai segui- la ou não.
Taty

Rafael Cherem disse...

Taty,

A história da bíblia mostra que você está errada, cada texto lá foi escolhido a dedo ao longo dos anos, existem vários outros que não entraram.

Anônimo disse...

Jonas Klein
Com relação ao seu primeiro comentário, meu marido me contou que certa vez largou de uma menina assim que ela disse que tinha feito voto de castidade, ele é da mesma opinião que a sua rsrs

Agora, com reação ao relato, não é só religião que faz esse tipo de estrago. Eu nunca fiz voto de castidade, mas passo por um problema parecido. Eu sentia, e ainda sinto, muita vergonha de mim mesma por sentir prazer. Tive experiências com sexo que se tornaram muito conflituosas, pois conscientemente eu não tinha nenhum impedimento moral, mas ao mesmo tempo me sentia como uma pessoa muito suja e desprezível. Eu não conseguia entender de onde vinha esse sentimento, e isso foi se intensificando nos anos de relacionamento com meu atual companheiro.

Chegou em um ponto em meu marido começou a se sentir mal, pois achava que o problema estava nele, e a coisa foi virando uma bola de neve; eu sentia culpa, e ele sentia culpa, e coisas iam mal entre a gente.

Somado a isso tinha muitas crises de ansiedade relacionadas a outros problemas e não sabia controlá-las, era frustração em cima de frustração, e foi assim até procurar um psicólogo no ano passado.

Nesse período as coisas começaram a melhorar, eu comecei controlar melhor as crises, minha qualidade de vida melhorou. Mas eu continuava tendo problemas com sexo, e eu tinha muita vergonha de tocar no assunto. Quando tomei coragem e conversei com o terapeuta ele me disse que uma das possíveis causas para esse comportamento era de que quando criança me foi ensinado que tocar na vagina era algo sujo ou precioso demais para ser tocado, aquilo fez sentido pra mim, e foi quando comecei a perder o medo de falar sobre o assunto, e a lidar melhor com a minha sexualidade.

O fato que eu associo sexo e sujeira, e qualquer coisa faz com que eu desperte essa associação na hora do sexo, nem precisa ser coisa grande, mas até o fato de não saber se ele lavou as mãos para colocar em mim me deixa incomodada. Eu tenho a nítida sensação de que eu vou ficar doente se não estiver tudo limpo, ao mesmo tempo me sinto uma pessoa suja após o sexo... tenho uma dificuldade enorme com sexo anal, eu simplesmente travo todas as vezes que a gente tenta fazer alguma coisa...

Atualmente tenho redescoberto aos poucos o prazer no sexo, mas vai ser um processo longo, e sinceramente? Acho que a culpa de tudo que estou passando é por causa de convenção social maldita de que mulher não pode se tocar. Sinto como se tivesse sido castrada, foram anos da minha vida em que simplesmente fui impedida de sentir prazer. Pra minha sorte meu marido tem muita paciência. Peço desculpas pelo longo desabafo.

Anônimo disse...

Aí,ai, tenho pena de VC!!!VC ainda não percebeu que tem sempre alguém reclamando da sua presença nesse blog,suas opiniões na grande maioria das vezes não é levada a sério!Acho que VC não tem nenhum conhecimento bíblico e acha que sua mera opinião é verdade absoluta,kkkk para de stalkear o blog meu fi !!!

Anônimo disse...

Acho engraçado a gente aprender umas bobagens de criança e ficar levando a coisa pro resto da vida, é falta de maturidade mesmo. Quem faz isso nunca deixou de ser criança nesse aspecto e arca com todas as consequências.

- Puxa, minha mãe me xingava, me isso me aquilo.
- Poxa que barra, quantos anos você tem agora?
- 50

ah se fuder, sério.

Anônimo disse...

Tatytroll, minha flor: enquanto a sua religião me impedir de ter um aborto legal e seguro, mentir, me ameaçar e me constranger pra ferrar minha saúde sexual e psicológica, me impedir de conseguir uma laqueadura mesmo que eu não tenha filhos (aliás, eu quero a esterilização justamente pra NÃO ter filhos) e permitir que predadores sexuais/ pedófilos incestuosos exerçam suas fantasias doentias nas meninas usando Deus como desculpa então sua religião VAI SER DEBATIDA E CRITICADA SIM, e eu pessoalmente adoraria que vocês fossem isolados numa ilha e proibidos de ter qualquer contato com crianças e pessoas vulneráveis às suas manipulações.

fernanda melo disse...

É mesmo né. Por que a gente casa? Vou ficar me fazendo essa pergunta por que é engraçado mas sempre me ensinaram que eu precisava casar mas nunca me disseram o real por que.

Raven Deschain disse...

E disse Jesus:

"eu só não desço aí meter a mão na cara docêis tudo, porque eu não existo".

Obrigada, de nada.

Vicky_ disse...

Aplausos pelo comentário. u.u
Por que ninguém está mais aguentando Tatytroll.

Anônimo disse...

Pode ser que ela não seja troll e sim crente.

Anônimo disse...

@Anônimo das 13h41:
Virgindade feminina é uma construçao machista, pois a virgindade masculina é um problema (que chamam de fimose), tanto o himem tanto a fimose sao proteçoes naturais dos humanos antes da puberdade contra infecçoes.

Uh... Fimose, na verdade é uma doença, onde o prepúcio (aquela pelinha que cobre a cabeça do pênis) infecciona e "cola" no membro. É uma das ocasiões onde a circuncisão é recomendada. E, diferente do que acontece com o hímem, a retirada do prepúcio é feita cirurgicamente.


@graciema
E pode existir essa cobrança também, mas cadê o baile da pureza para os homens?

Aqui: http://www.gracajovem.com.br/noticias/ler/1036/multidao-de-homens-lota-culto-dos-principes.html

Pode até ser que seja exceção, mas culto da pureza para homens existe.

@Taty
A Bíblia é imutável,não é porque VC quer que ela vai mudar,cabe a cada um decidir se vai segui- la ou não.

Taty, fale isso para a Sociedade Bíblica do Brasil, que lançou recentemente uma tradução mais "amigável" da bíblia. Sem falar que a bíblia evangélica é diferente da católica, que é diferente da bíblia dos testemunhas de Jeová, que é diferente da bíblia dos mórmons...

Anônimo disse...

Anônimo das 14:31, o fato de você ser virgem e desempregado aos 36 anos "por falta de opção" fala muito mais sobre você do que sobre a sociedade em que você vive.

Existe uma palavra pra descrever você: PERDEDOR. Você apenas ocupa espaço e dá trabalho pros seus pais.

Anônimo disse...

Querida,acho que VC está com algum tipo de esquizofrenia mental.Somos contra incestos,perversões sexuais,e contra todo tipo de pedofilia,inclusive a pedofilia feminina que é assunto censurado no feminismo. Não estamos te impedindo de VC fazer laqueadura, esse procedimento é feito no SUS e existem apenas algumas regras para realizá-lo,justamente para evitar a banalização do procedimento. E sim,somos a favor da vida,da justiça,e da igualdade.
Aceita que dói menos.Beijos de luz pra vc
Taty.

Bizzys disse...

E sim,somos a favor da vida,da justiça,e da igualdade

A favor da vida, mas não da vida da mulher que morre fazendo um aborto inseguro.

A favor da igualdade, mas não da igualdade de direitos entre pessoas heterossexuais e homossexuais.

A favor da justiça, mas só para quem é da sua religião, o resto tem mais é que queimar no inferno.

Ninguém tem que aceitar uma religião que não é nossa sendo enfiada goela abaixo e retirando nossos direitos. Aceite você que religião pode e deve ser debatida e criticada, sim.

Vicky_ disse...

Não existe "baile da pureza masculina", o cara não está diretamente prometendo não transar, é um ritual grotesco onde um garoto ou adolescente promete ao pai religioso (e não a mãe) que não irá "deflorar"(nojo de palavra) nenhuma menina, pois "ela é filha de alguém".

Ou seja, ele não é sujo por transar, mas deve evitar para não tornar impura outras jovens. Chega de falsa simetria.

Anônimo disse...

Para aqueles desatualizados que ainda acham que Jesus não existiu de verdade, um alerta: a imensa maioria dos historiadores (mesmo os não cristãos) já admitem que ele é um personagem histórico, tão real como Júlio César ou Cleópatra, só não dá pra afirmar que ele é o Filho de Deus, isso depende da fé. Alguns links de sites não religiosos que falam sobre a historicidade dele:

https://maniadehistoria.wordpress.com/o-jesus-historico/

http://veja.abril.com.br/noticia/ciencia/jesus-historico-como-a-ciencia-pode-ajudar-a-entender-o-comeco-do-cristianismo/

http://www.terra.com.br/noticias/ciencia/infograficos/jesus-mitologico-jesus-historico/

http://hypescience.com/jesus-historico/

Anônimo disse...

Ah, Taty, quer dizer que eu não posso questionar crenças da idade do bronze? Xatiada! :(

Jonas Klein disse...

Essa tal de Taty e muito burra ou se faz de burra, faz mais de um ano que essa tosca frequenta esse espaço aqui e parece que não consegue aprender nada.


Veja só "inclusive a pedofilia feminina que é assunto censurado no feminismo"

A pedofilia feminina quase nem existe, pois a incidência disso e baixa em temos numéricos, além disso ate hoje eu não vi nenhum caso de mulher que estupro e mato uma criança de 5 anos.

além do mais ela parece não entender que o feminismo serve, para tratar dos problemas interesses das mulheres, por tanto este assunto não vem ao caso aqui.

Quanto questão da laqueadura então o argumento dela ridículo, pois quem iria fazer por a troco de nada um procedimento cirúrgico que vai lhe deixar infértil para sempre?

André disse...

19:50,

Seus links não demonstram que Jesus existiu.

Zero disse...

"links de sites não religiosos"

--> Veja.. até o site do próprio cristianismo não é tão religioso. XD

historiadores não-cristãos - pode não ser tua intenção, mas isso soa como um :

"tá vendo, os do 'teu lado' aceitam, então aceite também ".

mas as pessoas seguem jesus porque creem na sua existência não do passado, e sim como se ele estivesse vivo e atuante hoje...

Anônimo disse...

Anon das 15:50, faça me rir. Aqui há tanta liberdade de crítica sobre o Islam que ultimamente em quase todo post tem alguém falando mal do Islam na caixa de comentários.

Mas só porque alguém discorda, já começam o "mimimi estão tirando minha liberdade". Querido se fosse pra não ter liberdade a Lola já tinha apagado teus comentários há tempos. Sem choro, ok?

Anônimo disse...

18:05

Traumas e psicologia não te dizem nada, né

Anônimo disse...

"Até essa de que a primeira vez da mulher "sempre" dói é coisa de Patriarcado, afinal, a menos que a mulher tenha um problema quanto a lubrificação, não entendo por que doeria. Ou o cara está tentando PERFURAR ela ou de repente as paredes varginais dela são de vidro."

verdade pura

Vicky, adoro seus comentários. Vc não deixa passar nada.

Anônimo disse...

Tatytroll, flor de dedaleira do meu coração:

Vocês são contra perversões que envolvem fazer sexo livremente. Se a perversão for manter o controle sobre o corpo de alguém através de violência psicológica, verbal e ameaças vocês são totalmente a favor. Eu ESTIVE no meio de vocês, Tatytroll. EU já fui vítima das suas perversões e manipulações. Eu sei do que estou falando.

Vocês me impedem de fazer laqueadura sim porque é de vocês que vem essas ideias estpupidas de que um embrião vale mais que uma mulher, e que mulheres que transam devem ser punidas com a maternidade indesejada. São vocês que acham que toda mulher deve ser mãe e mulheres que não querem ser mães são monstros. Mas o que vocês querem mesmo é usar a maternidade pra punir mulheres por fazerem sexo.

Ridículo o argumento de que vocês são contra incesto e pedofilia: são os primeiros a calar uma criança vítima desses crimes pra não "Abalar a imagem da família tradicional"; são os primeiros a botar panos quentes e esconder se isso acontecer na própria família. Duvidam da palavra da vítima, fecham os olhos e se for menina dizem que "era vadia", "essas meninas já estão transando por aí, ela provocou" e todo esse lixo.

Ah, vocês também não são a favor da igualdade. Que o digam as mulheres, os homossexuais e os adeptos de religiões não-cristãs. Aliás, veja que ironia: um dos princípios que sua religião devia seguir é o de amar a verdade. Mas vocês são os primeiros a mentir e enganar pra controlar as pessoas, calar as vítimas e defender culpados pra manter a "boa imagem"-que, pra falar a verdade, vocês não tem faz tempo. Que tal calarem a boca e deixarem as pessoas viverem em paz?

Anônimo disse...

É só alguém criticar o cristianismo que chega esse povo do "e do islam, vcs não vão falar nada?? tá com medo é???"

poupe-nos

Anônimo disse...

Também adoro a anon que fala o nome das flores :)

A dedaleira é uma flor bem bonita, não conhecia.

Anônimo disse...

André Chevitare,pesquisador:
"As provas não precisam ser necessariamente físicas, como a descoberta de uma ossada ou túmulo. Se esse critério fosse adotado,95% dos personagens historicos não seriam reconhecidos!!!!
" Hoje o critério mais importante para atestar a existência de Jesus é o da múltipla confirmação: autores diferentes, que não nunca se conheceram afirmam fatos semelhantes sobre o personagem ".

Anônimo disse...

É, anon das 20:52, a flor de dedaleira é bonita, dá até pena de chamar a Tatytroll assim... também dá pena de chamar de louro-da-montanha, a flor é linda. Rosa do deserto é outra que dá pena de chamar. Mas se eu chamasse a Tatytroll por outras flores ficaria meio óbvio o que eu quero dizer dela...

André disse...

"apesar de não existirem indícios materiais diretos sobre o homem Jesus, arqueólogos e historiadores podem ao menos reconstituir um quadro surpreendente sobre o que teria sido a vida de um líder religioso judeu naquele tempo"

Vicky_ disse...

Com algumas pesquisas provando que boa parte das mulheres não sofreram no primeiro sexo vaginal, além de que muitas mulheres tem himens complacentes, essa tosquice de virgindade devia ir pra casa do caramba.

Sabia que em alguns povos, antes do dia do casamento para "provar" que a noiva era virgem, a mãe deveria inserir um pano na vagina da filha e o sangue no pano provaria que ainda havia o hímen? (MÃO, meu, tem músculos, vasos e uma camada fina lá na vagina, é vomo você esfregar a mão na boca de alguém até o pano ficar manchado!)?

Obrigadis. >.< (eu sou uma pessoa manhosa)

Anônimo disse...

A mãe natureza não é moralista. O hímen, de fato, existe pra proteger a fêmea imatura de infecções ginecológicas. Quando a fêmea é jovem, o hímen é uma membrana grossa e muito resistente; à medida que a dona cresce e cria defesas no organismo o hímen vai ficando mais fino e frágil. Fácil de romper numa relação consensual em que a dona dele esteja tranquila e relaxada.

Querem saber por que usei fêmea ao falar do hímen? É que porcas, lhamas, lêmures e chimpanzés (fêmeas, claro) também tem hímen. Olha o tamanho do mindblow...

Vicky_ disse...

Exato.
Enquanto isso, os caras de um real o tratam como "lacre" , e nos, consequentemente, como produto.

J.M. disse...

Tatytroll, façamos um acordo: você e sua turminha (lembrando que não me refiro aos religiosos sensatos) param de fiscalizar a vida sexual alheia, de querer impor seus dogmas fascistas a toda a população e a gente para de criticar sua religião, ok? Obrigado.

Anônimo disse...

E quando vão tirar o lacre do cérebro deles? Porque mais limitado que isso não tem.

Anônimo disse...

De muita má fé ou preguiça ela falou algo que não é verdade: homens e mulheres são cobrados ~eu prefiro dizer "orientados"~ a não se envolverem sexual e amorosamente com alguém pelo qual desejam compromisso sério.
Essa parte de que "ao homem pode tudo" não tem na Bíblia não. Favor, ler mais um pouco.
Com 10 anos eu até imagino que ela não tenha tido discernimento, mas ela cresceu então...esperava-se um pouco mais de sabedoria. Só acho. {para investigar mais a fundo no que ele acreditava e confrontar a si mesma sobre isso}

Esse é um grande favor, minha gente: não pensem que essa cerimônia de voto é uma coisa que acontece em todas as igrejas. Não. Não acontece. E SIM: no meio evangélico tem mais gente não concordando com isso do que apoiando.
Onde já se viu fazer cerimônia de voto de pureza? Se você quer fazer algum voto, faça no seu quarto sozinho e para você, não para os outros.
Pelo que entendi a autora virou referência pela virgindade. Me pareceu que quando essa palavra era pronunciada, logo apontavam para ela. Eu entendi que ela até aconselhava outras pessoas. Alguém entendeu assim? Realmente lamentável que tenham feito isso com ela e que quando tentou romper como esse ciclo já era tarde (aos olhos dela)

Rose

Anônimo disse...

Alguma coisa distorceu muito a cabeça dessa mulher: sentiu seu corpo sujo e manchado por ter feito sexo com o marido. Não se sentiu mais especial.
Mulher, não. Para com isso. Você é especial sim. Sempre será. Essa culpa é desnecessária.
Acho que ela foi erroneamente ensinada sobre sexo. Mas, desculpa, chega um momento em que precisamos ter poder de agência. Buscar mais informações.
Teria sido tudo tão leve se ela tivesse sido acolhida de forma diferente.
Os Estados Unidos têm grandes referências cristãs, mas tem muita coisa absurda (sem mais comentários). E algumas igrejas brasileiras copiam justo o que é esquisito. Não entendo.

Rose

Anônimo disse...

Meu alarme disparou mesmo quando ela disse que é obrigação atender a todas as necessidades.
Meu alarme explodiu quando ela disse não tinha o casamento abençoado dos sonhos.
Meu alarme destroçou quando ela disse não ter aprendido a ser religiosa.
Não sei, mas acho que a maioria das pessoas têm uma noção de que não se deve fazer tudo pelos outros. Ela foi bem adestrada nesse quesito.
Apesar de ser real eu ainda me recuso a acreditar que uma pessoa tenha expectativa de um relacionamento (amoroso ou não) perfeito.
Acho que ela gastou muito tempo e energia na igreja errada. Não aprendeu sobre cristianismo. Infelizmente a ensinaram conjunto de regras e não mais que isso.
É uma igreja muito estranha. Sem mais.

Rose

Anônimo disse...

Gente, sinto muito de verdade pelo que aconteceu com você. Mas não ache que todas as pessoas são podres na igreja porque não são.
Essas pessoas que usam o nome de Deus ou que qualquer outra entidade devem ser combatidas. Realmente nojento alguém se aproveitar da inocência e sinceridade de coração de outrem para praticar o mal.

Rose

Anônimo disse...

Concordo com você, Rafael.
Acho que as pessoas devem procurar saber mais no que acreditam e não aceitar tudo mastigado.
Também acho que precisa de mais feminismo dentro das igrejas. Antes que alguém esperneie: gente, o mundo não é ateu e nunca será porque as pessoas têm "n" motivos para acreditar no hindu, no candomblé, no Islã , no Hindu, no cristianismo, etc. acho melhor dialogar

Rose

Anônimo disse...

Sim, Rose, todas as pessoas da igreja são podres. Ficam fiscalizando o cu alheio, em vez de fiscalizar o enriquecimento ilícito do pastor, e depois vêm em espaços feministas vomitar "aihn, gente, não é assim, somos gente boa, estamos só esperando o arrebatamento, aihn". Por favor, nos poupe de sua hipocrisia, e se forem esperar o arrebatamento, façam isso calados, sem incomodar quem não tá a fim de papo sobre o amiguinho imaginário de vocês.

Anônimo disse...

O baile da pureza é ridículo para ambos.
Se o baile fosse para fazer votos de não mentir, maldizer, ser íntegro, honesto e bondoso, aí eu bateria palmas.
É mais importante ser puro de coração.

Anônimo disse...

A Bíblia é imutável, mas cada vertente do cristianismo interpreta do jeito que mais lhe convém. Dou minha cara a tapa que você não segue a maioria das regras contidas na Bíblia e muitas das regras seguidas por religiosos sequer estão na Bíblia, são invenções das igrejas.
Dessa jeito fica fácil né, falar que alguns trechos da Bíblia são verdades absolutas e outros são metáforas, tudo pra não reconhecer os absurdos contidos em um livro que foi escrito a mais de dois mil anos.

Anônimo disse...

Eu, particularmente, prefiro as mulheres inexperientes.

Mas apoio os que gostam de mulheres de outros tipos, e também acredito piamente no direito que elas tem de não serem puras.
Qualquer tipo de repressão/opressao, não leva a lugar algum.

André disse...

Rose,

A coisa que "distorceu muito a cabeça dessa mulher" foi a religião, do jeito que você escreveu ficou parecendo que ela teve alguma culpa. E fiquei com uma dúvida: alarme do que que disparou?

J.M. disse...

É sempre a mesma ladainha: a religião nunca é causa de nada. Mesmo que seus dogmas justifiquem grandes atrocidades e violação de direitos alheios, a culpa nunca é da religião. Sei...

Anônimo disse...

Em países já de pensamento utópico desenvolvido socialista, religião e algo considerado anacrônico de uma sociedade evoluída e suas populações de gritante maioria ateísta Finlândia por exemplo, nestes lugares as antigas igrejas são hoje bibliotecas, centro universitários de humanidades etc.
E possível evoluir sim, mas para isto o estado organizado em torno de um verdadeiro poder popular deve sim tomar mediadas para abolir estas religiões monoteístas que com suas mitologias oprimem e castram o povo em prol de um controle burguês.
A taxação de seus movimentações financeiras já seria um bom começo para iniciarmos este processo, seguido por medidas como criminalização de discurso de ódio disfarçado de religioso, limitação de famílias burguesas na elaboração da grade curricular de ensino, e a proibição de religiosos como padres e pastores na vida politica nacional.

Jonas Klein disse...

Anon 08:05

"religião e algo considerado anacrônico de uma sociedade evoluída e suas populações de gritante maioria ateísta Finlândia por exemplo, nestes lugares as antigas igrejas são hoje bibliotecas, centro universitários de humanidades etc."

Tava demorando para um comuna aparecer cagando aqui, quem te disse que Finlândia e socialista? Finlândia, Suécia, Noruega são países capitalistas, pois existe liberdade de mercado.

Pais socialista na verdade nem existe, o existe e alguns países onde impera o capitalismo de estado.

Anônimo disse...

Ps: balela achar que misógino trata mulher virgem melhor do que trataria mulher mais experiente).

Anônimo disse...

Ps: não te chamei de misógino é que pagaram meu comentário kkk

Eu tinha dito que meu primeiro marido era um misógino nojento e não adiantou eu ter casado virgem, não fui tratada melhor por isso.
Meu segundo marido que só teve duas mulheres antes de mim, e é um homem bem melhor.
Eu tb prefiro homens inexperientes

Anônimo disse...

Só por curiosidade, a moça do post é bissexual?

fernanda melo disse...

Pensei que só eu tinha notado esse detalhe

Vicky_ disse...

Nah, esta bem explícito no texto.
Ela acaba sofrendo em dobro, pois além de se sentir mal por ter prazer com homens, o ensino religioso torna inaceitável ela sentir prazer com mulheres.

Anônimo disse...

Anônima das 14:30, sou o anon da 1:55.
Concordo com vc, que também prefere um parceiro inexperiente.

No caso do seu primeiro casamento, eu lamento que o marido fosse um misógino. Se eu estivesse a fim de uma garota e ela a fim de mim, e ela fosse virgem, eu a trataria como uma semideusa, e não como uma mulher. Por isso acho que um cara que como o seu ex-marido mandou muito mal. Abraços...

Anônimo disse...

14:30

E Lamentável que você tenha casado com um misógino, mas felizmente você acho um bem melhor que ale traste misógino para casar.

Agora só uma perguntazinha, o que tem haver o numero de mulheres que ele teve antes de você com isso, quando cara e um traste faz diferença?


16:18

" e ela fosse virgem, eu a trataria como uma semideusa, e não como uma mulher."

A é, quer dizer que para você o que diferencia uma mulher que você trata como "semideusa" e uma que você vai tratar como se fosse uma espécie de "mulher de segunda" e o fato dela nunca ter transado com outro cara? foi o que eu entendi?

Não interessa o conjunto de características dela como ser humano, mas sim o fato de ser virgem?

Depois quando as mulheres desistem dos homens para viver sozinhas ou aquelas não são hetero se unem com outras mulheres, os machinhos tão achando ruim.

Quando você veio com aquele papo de "pureza' eu já vi que não podia esperar coisa boa de você.

Anônimo disse...

"Vesta é a tia solteirona dos deuses, bom exemplo para as meninas casarem virgens".
Hahahahahahaha, tadinha da Vesta. Ela era a deusa mais legal: não ligava pra aparência, não controlava a vida dos outros, não seguia as normas da deusaiada toda, não caçava encrenca com ninguém, não sacaneava os humanos e estava em paz com a sua própria sexualidade (era assexuada). Pensando assim, ela é um exemplo pra todo mundo.
Agora falando sério, quando ouço falar em voto de pureza, meu cinismo vai no teto. Não tenho respeito por religiões machistas, mas tenho pelas pessoas. Se eu sei que alguém próximo é religioso, evito o assunto justamente pra não ser desagradável. Acredito em Deus, mas não acho que Ele seja um ser castrador e vingativo.

Dan

Juliana Santos disse...

Uma dica sobre o assunto : o documentário "Give me sex jesus" está online pelo vimeo e de graça. Mas em inglês e sem legendas. O documentário fala sobre a relação entre sexo e religião para jovens cristãos. Tem um depoimento de um casal de lésbicas tocante.

Anônimo disse...

Existem pessoas que usam o feminismo para pregar "morte aos homens", existem pessoas que usam o marxismo para justificar as mortes causadas por governos totalitários como necessárias....

Se não der para separar a ideologia de um determinado grupo de 'seguidores' extremista, descartemos todas as ideologias então.

Anônimo disse...

Tratar uma mulher virgem como 'semideusa' é objetificação, viu babaca?

Mas com certeza vc não está preocupado em respeitar mulheres.

Isso dito por uma mulher virgem, não pense que todas são ingênuas só porque são inexperientes. Eu sei bem os trastes que se escondem atrás de adoradores de virgens como você

André disse...

00:18,

O feminismo não tem uma estrutura hierárquica nem um livro sagrado. As religiões tem, e a homofobia e misoginia estão presentes no discurso dos líderes da instituição e nos livros sagrados.

Anônimo disse...

Outra virgem falando aqui, pra mim um projeto de mascu como esse que trata mulheres de forma diferente só por causa da virgindade não serve nem pra lamber minhas botas. Quero distância.

Anônimo disse...

Afff tratar como semideusa = objetificar. Parei de ler aqui, é muita burrice pro meu gosto.

Anônimo disse...

Sem falar que eu jamais falei que trato as não virgens como mulheres de segunda. Poderiam indicar onde eu disse isso??

Ninguém pode mandar em nossos gostos pessoais. Se vc prefere um homem negro ou um homem ruivo como marido, quem sou eu para criticar seu gosto? Se vc gosta de homem bonzinho ou bandido, isso é problema unicamente seu.

Nós homens somos diversos. Vejam o próprio Jonas klein que disse aqui no blog que preferia se casar com uma ex prostituta, lembram? Eu entendo e apoio o gosto dele, quem sou eu para dizer com quem ele vai se relacionar? Eu prefiro mulheres castas, mas respeito quem gosta de garotas de programa. Já pensou se todos os homens tivessem os mesmos gostos? Achei os comentários acima muito intolerantes.

Anônimo disse...

Acho que todos temos direito de escolher o que fazemos na vida, se casamos virgem ou se optamos ter sexo antes do casamento,o fato é que no caso dessa moça houve um erro de se projetar a virgindade como uma garantia de felicidade, principalmente por ela ter feito isso aos 10 anos, assim ela foi induzida a acreditar que o valor dela estava somente nisso...Respeito quem quuer transar antes do casamento e com quantas pessoas quiserem seja homem ou mulher mas também acho que deve se haver um respeito por aqueles que pensam ao contrário e que também quem se sentem pressionados por uma sociedade que ver sexualidade em tudo, até num simples gesto de olhar....Então acho que tem pessoas que fizeram a opção de casar virgem por livre escolha e por saber que aquilo lhe faria feliz, assim como tem gente que pensa ao contrário..enfim, não me acho feminista mas gosto de escutar os dois lados da moeda, pois acho que tudo na vida pode ser olhado sob diferente aspectos...Espero que essa moça possa se curar desse trauma e seguir feliz sem imposição de nada para isso...

Anônimo disse...

Quem fala que gosta de mulher inexperiente na cama ou é uma pessoa horrivelmente incerta sobre as próprias qualidades ou quer submeter alguém. Se tem uma coisa que faz diferença positiva do sexo é justamente ter experiência prática. Prazer a gente aprende a sentir, não só dar, e a trepar também.

Em tempo, homem que acha que trepar resume-se a uma chupada 3 bombadas e uma gozada... coitado. É tipo ir a um restaurante, pedir um filé, jogar tudo fora e comer só as fritas. É a merda que o pornô ensina mas tá longe de ser sexo, de ser pleno e de ser gostoso.

Só do "homem" ter medo da comparação já mostra que deve ser um belo bosta. Um bom sinal para a garota sair fora o mais depressa possível.

Anônimo disse...

Gente, é assim mesmo. Fui criada em familia religiosa e meu pai dizia q me punha pra fora de casa se eu fizesse sexo sem ser casada.

Os anos se passaram, dei meu primeiro beijo aos 19 anos e me senti culpada, acreditem. Depois aos 24 comecei a namorar sério pela primeira vez e depois disso tive só relações abusivas com caras ruins. Tipo, todos mesmo, infelizmente.

O último era um "crente" do c* quente que se dizia da turma do "eu escolhi esperar", eu achava que ele era o melhor tipo de homem pq a minha familia me ensinou assim. Fui ver, o cara mentiu pra mim, tinha filho fora e caso com uma mulher, escondido da familia e da igreja, claro. Foi relação abusiva tbm, o cara perguntava o que eu usava, queria um relatório de tudo que eu fazia todos os dias. Depois que a relação terminou me tratou com desprezo, me difamou pra muita gente embora não citasse nomes, mas era óbvio que era eu. Tinha ódio de mulheres e de relações ditas amorosas. Achava que era pra "comer e sair fora" (nada contra casual, mas o cara ser escroto, difamar e fingir ser quem não é, tendo desprezo pela pessoa como se ela fosse um saco de p*rra e não gente, aí não né).

O mito do "cabaço de ouro" se desfez automaticamente na minha cabeça. Fui virgem por muitos anos e isso nunca me adiantou de nada. Pelo contrário, me ajudou a atrair caras bizarros e ruins, bitolados e com problemas sexuais.

No caso de religião, hoje sou politeísta, feiticeira iniciada. Me desculpem os cristãos, mas repudio totalmente o cristianismo e as religiões monoteístas. Há um caminho que estudo muito chamado Tantra, que busca o meio termo na relação do sexo, nem perversões sexuais, nem exagero de repressão e castidade. Mas mesmo assim ainda tenho dificuldade em me relacionar sexualmente, não só pela repressão mas pelos caras abusivos q passaram na minha vida.

Tive tbm uma amiga q casou virgem mas só conseguiu perder a virgindade após 6 meses de casada e MUITA terapia. Mexe com a cabeça da gente sim. Assinar um papel e vestir um vestido de noiva não te faz parar de pensar que sexo é sujo, errado e etc. Às vezes são anos tendo de superar isso.



Rafael Cherem disse...

J.M

É sempre a mesma ladainha: a religião nunca é causa de nada. Mesmo que seus dogmas justifiquem grandes atrocidades e violação de direitos alheios, a culpa nunca é da religião. Sei...

Exato, já reparou que nunca se responsabilizam por nada, terrorista explode sinagoga, silêncio dos mulçulmanos, judeu metralha palestino, silenêncio dos rabinos, deputado-pastor tem 5 contas de propinas, silêncio dos evangélicos e por ai vai.

Anônimo disse...

Digite no google o conceito de castidade pra igreja católica... Vivemos a castidade dentro do matrimônio, inclusive. Depois vc me conta o que entendeu e eu digo se ta certo ou não... Pode procurar no catecismo, é uma fonte segura. Beijos

Anônimo disse...

Anônimo das 17h19.
É realmente bem difícil... Tem dias que, como dizem, vc está subindo pelas paredes... Mas vai aprendendo a lidar. É justamente interessante porque, apesar de ser uma vontade intensa, descobri que não é uma necessidade como a fome, que vc vai morrer. Então aprender a segurar a vontade e o impulso sexual, foi mais como dominar a raiva... As vezes a gente tem vontade de dar um soco na cara de alguém, mas a gente se controla e não faz, apesar da conta intensa... Cada um vai ter seu jeito de canalizar. Gostei de mudar a relação que eu tinha com o sexo... Passou a ser uma opção, não uma necessidade (não foi sem esforço, é claro). Sobre a definição de sexo, a igreja concorda com vc. Além de penetracao, as outras coisas tb não se pode fazer. Mas acho um pouco intimo, mesmo postando como anônimo, relatar aqui como foi nossa luta para viver a castidade. É uma luta sim, como a luta para vencer a preguiça, o orgulho, a ganância, a gula... Não só vencer o vício, mas alcançar as virtudes. É difícil sim, e haverão quedas, mas é importante nao desistr nunca.

Anônimo disse...

Há uma duas semanas uma menina que era da minha faculdade, muito religiosa (católica fervorosa), casou. Novinha, no máximo 21 ou 22 anos. Dadas as circunstâncias, não pude deixar de pensar que casou pra dar.
Fiquei agoniada lendo o texto deste post. Pensei nessa ex colega, pensei em outras meninas que conheci que tinham pensamentos similares. Por essas e por outras tenho pra mim que quando eu tiver filhos não os doutrinarei em religião alguma; se quando mais velhos assim quiserem, vão em frente. Mas dependendo do lugar onde se vive é praticamente impossível. Por exemplo, quantas escolas particulares NÃO são regidas por padres ou freiras? Decido, então, que irá para a escola pública. Tem ainda a família que certamente cobrará um batismo que, no que depender de mim, não ocorrerá. Apenas citando...

Por outro lado, eu só perdi a virgindade aos 21, com um namorado, mas porque na minha cabeça só podia ser com namorado (ou seja, nada a ver com motivos religiosos). Outra amarra inútil da sociedade.

Kientzel Rayleigh disse...

Sou homem, estou as portas de 25 anos e nunca namorei, muito menos transei ou já beijei uma garota. E estou começando a achar que essa condição já faz parte da minha identidade. No dia que eu perder, perderei minha identidade. Chamem de fraco ou fracassado, está tudo bem. Sim, quem diria, há homens que valorizam a própria virgindade.

Anônimo disse...

Gente, mulher nasceu foi para dar.
Para com essa besteira de virgindade,
o único animal que possui virgindade é a mulher. VIRGINDADE só tem sentido para quem viveu no período das cavernas.
Quanta burrice......

susane disse...

Muito interesante, ao mesmo tempo estranho uma menina da igreja mudar tão derrepente, mas teve seus motivos quem soueu para julgar?, eu nunca fiz voto de castidade mas pretendo me casar virgem pelos principios da igreja, muitos dizem que é bobagem seguir esse roteiro mas ninguém está me obrigando a isso então prefiro continuar com esse pensamento até quando deus permitir.

Anônimo disse...

Nossa, meu Deus como eu queria ter lido isso aqui antes de me casar!! Tenho 30 anos, me casei ano passado, virgem, criada na igreja com todas as proibições possíveis!
Preciso confessar: o sexo no meu casamento é horrível! Ele sempre sente prazer o tempo inteiro e eu não. Existe uma coisa que se espalhou que diz é raro a mulher sentir prazer com a penetração. Então, ele tem que me masturbar pra eu ter prazer. Meu Deus, se eu soubesse que seria assim, teria continuado solteira e feito minha própria mão ter uso contínuo!
Crente virgem casa pra transar. É loucura, burrice? É, mas é a realidade. Gente, vocês não sabem os danos causados por esse excesso na cabeça da gente. É algo difícil demais. Sinto culpa, tristeza, raiva...vontade de divorciar! Estou muito infeliz. E até divorciar é pecado...
Dizem que quem não teve sexo antes não tem como saber que é ruim. Oras, tem sim!!
Me cansa ler que meninas tão novas decidem isso sem ao menos saber o que é, e tem de ficar lutando a vida inteira contra seus desejos sexuais que surgem na adolescência, sem ter com quem conversar, e ser orientado a ler a bíblia porque "tudo está explicado lá". Não está.
Tenho medo de procurar um psicólogo e me abrir com ele, porque tenho vergonha e medo de falar sobre isso, de forma que não seja anônima.

Anônimo disse...

Eu o meu marido casamos, virgens, nossa primeira vez foi maravilhosa, meio engraçada e atrapalhada kkkk. Mas estamos juntos a mais de um ano e sinto muito prazer no sexo.

Somos muito felizes e não em arrependo de ter casado virgem.

patricia rosa disse...

Na bíblia fala...

patricia rosa disse...

Cristianismo tem história,estude mais ......
Homem tem que ser virgem tb

patricia rosa disse...

Na boa pretendo casar. Transar por prazer mutuo....seu relato é triste...mas você não conversou com Deus ,preferiu seguir dogmas religiosa.casar virgem não é seguir religião e sim Deus... só por ele, você foi alienada..eu tomei a decisão sozinha, faço não para achar que sou cristã de verdade e sim sigo Deus...
Posso fazer antes do casório? Sim mas só irei fazer se eu tiver certeza que não vou searrepender.....quem garante que tu não estaria aqui falando que fez antes e se arrependeu?

patricia rosa disse...

Perca medo, Casou por sexo? Errado isso..tem liberdade com seu marido neh? Se não ,trate a ter...ele pode te excitar..pesquisa na net...infelz só pelo sexo ser ruim?

Anônimo disse...

História muito parecida com a minha!
A maior diferença é que a minha é mais drástica, digamos. Hoje tenho 32 anos, nunca tive um namorado (só rolos), sou virgem, não sou feia (não vou me identificar aqui, mandar fotos pois não acho muito adequado)!
Até tive oportunidades de perder a virgindade, mas o conceito de "eu escolhi esperar, Sarah Sheeva e cia ltda" estava tão limitado em minha mente que o meu próprio eu e o quem eles queriam que eu fosse já estava misturado o suficiente para eu mesma não saber quem eu era. Não sei se tinha medo de ir para o inferno, mas sim de me apegar e ser desprezada, pois esses ministérios pregam que, se vc transar sem ter compromisso mais sério (casamento), você vai se apegar, há laços muito fortes que envolvem sexo e que você vai se apegar e você vai sofrer! E quem gosta de sofrer?
Hoje sou uma mulher de 32 anos, solteira, gostosa (faço musculação há alguns anos...), engraçada, extrovertida, graduada, E QUE NÃO SABE O QUE É SER AMADA POR UM HOMEM! Valeu "Eu escolhi esperar, Sarah Sheeva e o caralho a 4"!

Anônimo disse...

Sou nova, e nunca fiz votos e nem vou, eu já fiz sexo e eu sinceramente, não queria ter feito, eu tenho meio que um trauma com sexo eu vou fazer "reconstrução de himem" se possível CUSTE OQUE CUSTAR, sei que não posso mudar o passado, nem apagar minha memórias mais menos meus traumas, mas eu sinto que fazendo isso, vou me sentir melhor.

Anônimo disse...

Nossa que sem noção uma católica feminista?isso não existe!lembrando que o femininos tem idéias marxistas, no livro diz que quer acabar com toda Religião. Só falta dizer que é abortista também! KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

patricia rosa disse...

Casar virgem é algo cristão, mas não devemos cobrar..a pessoa segue por amor a Deus e a si. Ou seja segue se quiser e com felicidade.

Pessoas que usam Deus para manipular não tem coração..