quinta-feira, 12 de julho de 2012

A REFEIÇÃO MAIS CARA DA NOSSA VIDA

No post sobre o carinha que quis impressionar uma moça e a levou ao Fasano e acabou tendo de pagar uma conta de (glupt) 8 mil reais, apareceram inúmeros comentários interessantes. O Bruno deixou o link pro melhor restaurante do mundo, que fica na Dinamarca. O preço é uma pechincha, se comparado ao que nosso amigo pagou no restaurante mais caro de SP: apenas cerca de 400 dólares por pessoa. Achou muito? Tem 26 mil pessoas aguardando na fila de espera!
Isso me fez pensar em quanto é aceitável pagar num jantar a dois. Como eu disse, ultimamente temos ido bastante ao Spettus, que fica no lindo shopping Salinas, em Fortaleza (eu nunca acho shopping bonito, mas o Salinas é lindo; é vertical, tudo a céu aberto, como se fosse uma praça com lojas. Bom, nem sei se é considerado um shopping: além de uns poucos restaurantes, tem várias lojas de móveis e decoração). Pelo nome já deu pra sacar que é um rodízio (desculpem, veganos!). O preço fica por R$ 22,90 por pessoa, só que somando tudo (couvert artístico, duas águas, sobremesa que dividimos, 10%), a conta vem em R$ 76. 
Eu acho caro. É raro pagarmos mais de 40 nos lugares que costumamos ir. É que nem saímos muito. Geralmente compramos comida e a trazemos pra casa. Sinto saudade de Detroit, onde um prato inesgotável de comida chinesa pra duas pessoas saía por menos de 9 dólares.
Acho que o jantar mais caro que eu e o maridão já pagamos na vida foi em Moscou, em 2004. Foi uma situação horrível, porque a gente realmente passou fome lá antes de descobrir o supermercado mais próximo. Nossa diária não incluía café da manhã (a gente só descobriu isso lá, lógico). Tava 25 graus negativos. E quando a rodada do torneio de xadrez acabava já era tarde. Resumindo: comíamos apenas uma refeição por dia, no almoço, quase sempre no McDonald's. 
Estávamos com fome mesmo. Uma noite decidimos ir a um restaurante do hotel. Não era O restaurante do hotel, que ficava no solo e era todo chique e parecia caro pacas. Era um dos restaurantes do hotel. O hotel era imenso, o maior da Europa, herança da burocracia comunista (já foi demolido), e tinha um restaurante por piso. Ok, nem era restaurante, era mais uma lanchonete mesmo. Só que o cardápio estava em russo, sem tradução pra qualquer outra língua, e a garçonete só falava russo. 
Sofremos, mas finalmente conseguimos pedir alguma coisa: um bife pra mim, um peito de frango pro maridão. Quando a comida chegou, foi decepcionante. Arroz, batata, salada, macarrão, qualquer coisa de acompanhamento? Não trabalhamos. Era só aquilo mesmo. O bife era pequeno, e o frango, puro osso. Mas estávamos famintos, e devoramos tudo. Na hora da conta, quase caímos pra trás: 50 DÓLARES! 
A gente tentou entender a explicação da garçonete em russo, e acho que o preço que tava no cardápio se referia a 100 gramas de frango, e vieram 200 ou 300 -- quase tudo osso! Enfim, assim foi nossa estadia de dez dias em Moscou: a gente não sabia o que estava comendo nem quanto estava pagando.
A vida só melhorou (muito) quando uma guia nos explicou como se chegava ao supermercado. Enquanto isso, em Buenos Aires (fomos e voltamos por lá) estava 30 graus (positivos) e tinha um buffet poderoso perto do hotel por 6 pesos por pessoa, com bebida inclusa... Tudo que a gente queria era voltar pra Buenos Aires o mais rápido possível.
Aquela refeição em Moscou foi a mais cara, e talvez a pior, da nossa longa vida. Qual foi a sua?

67 comentários:

Clara disse...

Eu acho que vc tem esse parâmetro de caro/barato pq mora em Fortaleza, Lola.

Aqui em São Paulo qualquer refeição meia boca pra 2 não sai por menos de 60 reais. Churrascaria que custe menos de 50 por cabeça não existe.

Está impossível comer fora por aqui...

Pedro Marques disse...

A mais cara não me lembro mas... com toda certeza a pior foi em Istambul.

Eu e meu namorado íamos passar o réveillon por lá. Chegamos umas 23h do dia 31 (sim, nosos voo atrasou e, por muito pouco não passamos a virada voando ou passando pela imigração). Quando encontramos o hotel, pedimos uma sugestão de jantar ao homem que estava na recepção. Não queríamos comer nada muito pesado como kebap ou comida tuuurca mesmo. Daí o sr. perguntou se gostaríamos de tomar uma sopa turca. Aceitamos de prontidão, afinal, depois de algumas muitas horas de voo, casados, com frio... tudo que queríamos era uma sopinha!

Fomos ao restaurante (ficava a alguns metros do hotel) e pedimos a tal sopa. Quando chegou, MEU DEUS DO CEU, era a pior coisa que ja comi na vida! Imagina água + pimenta (muita) + peles e sobras de animais e pronto. Só. Achei que fosse pegadinha com turista... mas olhei as mesas todo mundo comia aquilo.

Quando fomos pagar, dei uma olhada no caldeirão da sopa e vi - juro - uma cabeça de cordeiro lá.. olhando pra mim... um horror, um horror! rss

Nunca mais voltamos a esse lugar... procuramos outros restaurantes e, no fim, adoramos vários. Talvez não estivéssemos preparados para tal exotismo em forma de sopa. rss

Bjo,
Pedro Marques

Júlio Augusto disse...

lendo esse seu post de hoje eu lembrei da primeira vez que fui a são paulo, e na época eu devia ter uns 14 anos, morava numa cidade mineira muito pequena, e o novo namorado a minha irmã queria mostrar a grande são paulo, e fazer um pouco de "graça" pra ela. Bom, fomos a um restaurante francês, além de ser muito caro, e sempre vir pouco comida, ainda encontramos um grande fio de cabelo no prato. Claro que hoje nós damos risadas do que aconteceu, mas na época, ahh ficamos furiosos, comida ruim, pouca, e muito cara, e ainda com um fio de cabelo de alguém da cozinha. Nada melhor, quer dizer, pior pra se fazer em são paulo. É uma pena eu não lembrar do nome do restaurante. Mas a aventura de ir pra são paulo a primeira vez eu acho que a gente nunca esquece. rsrs

Pokerol disse...

A minha foi uns 400 reais... Aniversario de namoro, eu não vi preço de nada em lugar nenhum... Mas não passamos aperto hehe

Nunca mais volto lá, a comida era ótima, mas cobrar 8 reais pq meu namorado pediu UMA MUSICA pro pianista foi demais pra mim hahaha

Anônimo disse...

Lola, sempre entro aqui, gosto demais do seu blog (que descobri há pouco tempo, diga-se), às vezes dou risada dos trolls, às vezes me irrito e, em regra, adoro seus comentaristas. Meu comentário de hoje nada tem a ver com o post (desculpe por isso), mas li no globo.com que uma menina estadunidense (eu acho), que faz vídeos sobre sexualidade e posta no youtube, estaria sendo perseguida e ameaçada e acabou decidindo parar de postar os vídeos. O nome dela é Laci Green e eu não a conhecia, mas assisti a alguns vídeos dela, por conta dessa matéria, e achei tão interessante que trouxe para você. Olha aqui um exemplo: http://www.youtube.com/watch?v=_BwuASx8yT8&feature=watch_response

Enfim, é isso. Continuarei sempre por aqui.

Beijo,
Paula

Oxe Mainha disse...

Na linha de "o boy convida para jantar para impressionar", caí numa furada. Saía, na época com um homem bem mais abastado que eu, álias eu não sou abastada. Meu comportamento com a conta oscilava dependendo do meu bolso no dia, Ora eu fazia questão de rachar a conta, ora sutilmente enrolava o cabelo quando a conta chegava. Eis que fui convidada para um jantar, num restaurante que já frequentava, não era barato, mas eu podia rachar a conta, no ato do convite, disse logo: vou mas só se vc aceitar que eu rache a conta. Pois bem, minha imposição foi aceita, o que eu não sabia era que: O tar jantar era lançamento do foie gras do chef fulano dos grude, mil reais o casal... Óbvio que precisei cochichar com meu pretendente, e dar meus módicos R$100,00 em dinheiro, e R$50,00 no débito, e o restante ele completou! Mas mesmo pagando R$150,00 dos R$500,00 que era minha parte, foi minha refeição mais cara.(E até hoje não me conformo com um acompanhamento, que era tipo uma "farofa de pipoca", eu hein?)

Priscila Boltão disse...

Por isso continuo solteira e vivendo de miojo. BRINKS.

Carol NLG disse...

Em termos de mais cara, eu realmente não sei dizer. Mas a pior, digo fácil.

Em um restaurante badalado e considerado "in" em Brasília. Todos os "intelectuais" e "gente bacana" ia lá. Certa vez, fomos a família toda: eu, meus pais e 2 irmãs. A comida DEMOROU a chegar, muito. Era pouca, muito pouca. E era cara. A conta deve ter saído mais de 400 reais pros 5 (isso foi há uns 15 anos, 400 reais eram uns 2 salários mínimos na época!). E acabamos passando no mc Donalds no caminho de casa.

Outra refeição "memorável" foi em uma churrascaria brasileira em Washington, DC. Não sei o preço, porque estava lá fazendo um curso e a refeição estava inclusa. Mas é uma churrascaria cara (Fogo de Chão), então sei que foi caro.

Eu ADORO churrasco. Mas lá a carne era... insossa. Não sei se é porque o churrasco é feito no gás, não na lenha ou carvão, mas a carne não era boa. Os acompanhamentos, muito gordurosos também não foram fantásticos. Saindo da churrascaria, acabei parando num stand de pretzel :(

Lord Anderson disse...

Lola, eu raramente pago mais de 35 reais numa refeição e nunca deixei de comer bem por isso.

Sei que qualidade tem preço, mas chega um limite em que nem o sabor da comida, nem o ambiente compensam o absurdo cobrado.

E essas coisas de "nome", "grife" e marcna nunca me impressionaram.

Nesse ponto tb sou economicamente responsavel. heehheeh

Bruno S disse...

To pensando aqui e não lembro de algum susto que tenha levado com preço de refeição.

Eventualmente vou com minha namorada em restaurantes onde gastamos mais de 100 reais p/ cabeça. Só que geralmente são eventos já planejados e em ocasiões especiais. E sabemos que estamos pagando não só pela comida, mas pela localização, pela grife do local, pelo ambiente.

E nesses locais tento aplicar uma regra, nunca pedir um prato simples que poderíamos comer em restaurante mais modesto. Está na chuva é para se molhar.

E se eu fizer uma comparação com os tempos de estudante, me parecia muito mais caro gastar 30 reais numa refeição do que gastar 100 hoje. Nessas horas, a situação financeira influencia muito.

Mas, com certeza, as piores relações custo/benefício estão em restaurantes de estrada tipo Rede Graal e lanchonetes de aeroporto.

Anônimo disse...

Ouvi dizer que em Buenos Aires também é assim, vc pede uma carne no restaurante e vem somente a carne, nenhum acompanhamento...
Mas essa de Moscou superou tudo, eu hein?
Eu acho que essa discussão sobre "até quanto vc paga num jantar" é bem relativa, depende da renda do casal. Tem gente que acha absurdo pagar 100 reais pelo casal, tem gente que acha normal.
Mas concordo que tem valores que nem se eu fosse muito rica pagaria, porque é desaforo.

Anônimo disse...

Pedro Marques

Imaginei a cabeça de cordeiro te olhando na sopa, horror horror ! kkkk
E não sou vegetariana adoro carne, mas a imagem é forte e engraçada (claro que pra vc não deve ter sido na hora mas lendo agora eu ri)

Bom dia Lolinha, adoro rodízio :)

Lana

Anônimo disse...

Em torno de R$ 200 por casal para dividir uma paella com mais outros dois casais, em Manaus. Lembro ter tomado um susto com a conta. Alias, todo mundo se assustou porque veio apenas uma panela média "comunitária" para as seis pessoas. O preço estava desproporcional. Acho que deve ser caro transportar frutos do mar até lá, pq uma paella daquela não tem como custar R$ 600 reais....

Rachel

Gabriele Albuquerque Silva disse...

Ai Lola, que situação agoniante essa história de Moscou o.O
Acredito que nunca gastei mais do que 25 por pessoa XD
O buffet do shopping aqui da cidade que eu gosto de ir, que é uma mistura de comida chinesa com tortas de chocolate e batata frita, é meu favorito, e eu já acho o maior dos luxos comer lá, sendo o buffet livre 16,90 \o\

Sara disse...

Lola sou muito pão dura, ainda mais com comida, não tenho paladar apurado nem sou metida a gourmet nem apreciadora da “haute cuisine” kkkk.
Portanto meus restaurantes favoritos são os tipo comida a kilo, mas recentemente no Eldorado, um shopping aqui de São Paulo, descobri um desses restaurantes de Pça de Alimentação, que serve pratos bem semelhantes aos do Outback de comida australiana.
Adorei a comida de la e alem de satisfazer meu paladar nada apurado de quebra satisfaz meu bolso com escorpião embutido.
Mas o fato de eu ser pão dura não significa que não tenha ido a restaurantes bem caros, eu ja fui em varios , mas não pago a conta , quem paga é o meu perdulário marido que adora pagar de milionário, a única coisa que faço quando vou a esse tipo de restaurante é comer, reclamar da comida rrrss, e ficar enchendo o saco dele falando que ele ainda vai acabar debaixo de uma ponte gastando com abobrinhas.
Talvez por essas manias ele não me chame muito pra sair só com ele kkkk.
Mas ja vi acontecer muita coisa engraçada quando pedimos comida fora do Brasil, uma vez em um grupo de uns seis amigos , em um restaurante especializado em frango um desses amigos, no seu péssimo ingles pediu oito porções de frango, não sei se por sacanagem mas o atendente mandou dezoito, afinal eight ou eighteen é quase igual não é, duro foi embrulhar tudo o que sobrou.
Engraçado tb foi um amigo que la em Miami que nessa época estava gelada, resolveu pedir um café bem quente para aquecer a garganta, e lhe deram um balde de coca cola cheia de gelo rrrss, poverello, depois disso ele pegou trauma e não pedia mais nada sozinho, só com nossa ajuda.

Roxy Carmichael disse...

anônimo das 11:46
em buenos aires quando você pede carne vem acompanhamento, que no geral é batata ou salada. só vem carne quando você pede a parrilla, que é uma espécie de churrasco que vem vários tipos de carne. buenos aires atualmente é uma cidade bem cara, você entra no taxi e o taximetro já marca 8.70 pesos,uma promo do mcdonalds não sai por menos de 40 pesos, portanto buffet por 6 pesos é algo que não existe mais pelas bandas do rio da prata. a época em que você foi pra buenos aires merece o título de belle epoque, lola!

Anônimo disse...

Já pedi um bife em Buenos Aires que veio só o bife (com molha madeira) e pão. Estava gostoso, mas sem um arroz juntos não desce.

Agora minha refeição mais cara foi no Rio de Janeiro no restaurante Aprazível. Mas também pedi entrada, suco artesanal, prata principal e sobremesa! Comida deliciosa, voltaria lá se tivesse uma situação financeira mais estável, mas só em uma ocasião especial!

MCarolina disse...

Eu nunca comi nada caro e ruim, e nunca fui surpreendida por uma conta, sempre calculo antes e nunca pediria nada sem saber o preço.
Como moro em São Paulo, pagar mais de 100 reais em um restaurante do tipo "bom&caro" não me assusta, embora não gaste assim com frequência. Uma vez em família gastamos uns 600 reais, mas quem pagou foi meu pai.
Duas coisas que comi e não gostei foram sashimi de galinha e cartilagem de galinha empanada, mas, coincidentemente, nos dois casos outras pessoas pagaram para mim.

Anônimo disse...

Nossa,aqui onde eu moro,saio pra almoçar com meu marido e minhas duas filhas e pagamos geralmente 40 reais ou menos e comemos super bem.Na minha cidade a média de preços é assim.
Claro,há os restaurantes super chiques que são caros,mas os normais não são,e a comida é ótima.

Anônimo disse...

Olha,que me chamem de pobre,mas não troco meu arroz e feijão diário,por aquelas comidas chiques com nomes estranhos e aparência duvidosa haha.

Anônimo disse...

A melhor refeição da minha vida: fondue no RS.Excelente,porém caro.Acho que era quase 50 por pessoa,mas valeu cada centavo,porque era muito bom!

Anônimo disse...

Rachel, frutos do mar em Manaus realmente é muito caro (exceto os peixes da região, claro). Fico abismada como lá vc só encontra atum e peixe branco frescos em restaurantes japoneses top (até hoje só vi em um). Em restaurantes japoneses normais, só salmão, kani, no máximo polvo. Se quer atum, é em conserva (juro). Atum e peixe branco a gente vê em qualquer restaurante japonês meia boca em outras cidades.

Grão da Noite disse...

Minha refeição mais cara foi em Canoa Quebrada, no Costa Brava, restaurante de comida espanhola. Mas foi cara apenas nos números, porque a relação custo benefício desse restaurante é ótima. Pedimos uma paella de mariscos tamanho "G". Veio muita, mas muita comida. Estávamos com fome então resolvemos pedir a paella grande (rs). Eu comi tanto que fiquei com dificuldade pra respirar. Toda vez que eu expirava o ar e meu tórax descontraia meu estômago doía (rs). A refeição pra dois saiu por R$150,00, por causa das taças de sangria. Só a paella acho que custou uns R$80,00, não me lembro mais do valor exato. Já tínhamos ido ao Costa Brava outra vez, mas então pedimos a paella média. Vem comida suficiente pra 3 pessoas (na paella média). Mas, como o prato é maravilhoso (o arroz é simplesmente divino), uma paella média alimenta bem 2 pessoas que comem por 3. A grande dá pra umas 4 pessoas que comem bem. Aqui em Fortaleza a comida até que é realmente barata, quando comparada com a de outras cidades. Mas, não sei se de propósito, os reataurantes capricham no preço das bebidas. Se os comensais beberem demais, principalmente alcoólicos, facilmente acabam pagando muito mais pela bebida do que pela comida. A dica é comer e ficar só na água mesmo. Fazendo assim o valor final fica mais interessante.

Carol NLG disse...

Bom, vamos lá: hoje em dia eu pago pra almoçar/jantar fora uma média de 10.000 ouguiyas por casal. Dá uns 35 dólares, incluindo bebida (não alcóolica).

No Brasil, dava mais ou menos a mesma coisa. Não acho absurdo PORQUE minha situação financeira, hoje, me permite isso. Quando comecei no emprego atual, minhas refeições não podiam passar dos 6 reais, ou eu não chegava ao fim do mês!

De igual forma, quando estou viajando raramente economizo na comida. Considero que essa é uma das melhores formas de conhecer uma cultura. Isso não significa enlouquecer e ir em qualquer lugar. Em geral, prefiro os restaurantes que tem cardápio na porta, ou então eu verifico pelo celular mesmo no site do restaurante, pra ter uma noção.

Lembro de um restaurante no Marrocos, em Marraquesh, ma-ra-vi-lho-so, que provavelmente foi um dos mais caros que já fomos.Mas em termos de culinária local, foi sem dúvidas o melhor, então eu não me arrependo :-)

Sara disse...

Tenho uma amiga muito pheena que gasta verdadeiras fortunas indo a restaurantes exoticos, embora eu goste muito dela, ela nem tenta me chamar para essas "roubadas".
Ha pouco tempo ela foi a um restaurante comer um tal de bife de KOBE, e pagou a bagatela de $300,00 pelo tal bife, imagino q com essa grana de pra comprar uma vaca inteira.
Ela me conta sobre os pratos estranhos que come, como olhos de cabra, carnes de jacaré e coisas do tipo e acha maravilhoso, meu olhos e estomago ficam revirando, mas o que é que não se faz pelos amigos não é?
Mas outro dia ela se superou, me disse que foi tomar um café carissimo de JACÚ, pra quem não sabe é um café, um dos mais caros q tem, que é feito dos grãos que passam pelo trato intestinal do passaro JACÚ, em outras palavras café de Coco.
Fico pensando o ser humano é realmente diverso, e realmente ha gosto pra tudo nessa vida.

Mariana. disse...

A minha cidade costuma cobrar caro por comida, e você corre sério risco de ser mal atendido se resolver ir nos restaurantes da moda.

O restaurante mais chique da cidade, o mahalo (cozinha experimental), eu já fui duas vezes, em ocasiões especiais e somente para almoçar (sai bem mais barato que durante a noite, mesmo assim pagamos 60 reais por pessoa fora a bebida.. deve ter dado uns 70 por pessoa) mas a comida é mais do que maravilhosa e o atendimento idem.
Tem um restaurante aqui muito bom e bem arrumado que serve bacalhau. É o DiParma. Cada dia eles colocam um prato na promoção (geralmente é 80 reais, e sai por 40). Serve bem 3 pessoas. Aí a gente sempre pede o prato do dia e a conta toda (com uns pasteizinhos de entrada, bebida e sobremesa para duas pessoas, além do bacalhau, sai por 80 reais).

Ja fui também no Adriano, restaurante italiano maravilhoso, mas que cobrou de mim e do meu namorado 220 reais. Aí aprendemos a ir lá e pedir só um prato, que eles dizem ser individual mas serve muito bem 2 pessoas. Aliás, até 3. Uma delícia tbm, mas só em ocasiões especiais. Aqui em MT também tem o melhor restaurante árabe do brasil. Esqueci o nome agora, mas o rodízio é uns 150 reais e você sai lá sem conseguir achar posição de conforto. O lugar é bem simples e eu só fui uma vez (custava 100 por pessoa na época), mas vale a pena pra conhecer, se você gosta de comida árabe como eu.

Comida japonesa aqui, os rodízios saem por volta de 50 reais. É caro, mas os ingredientes são caros. Eu não curto muito, então tá valendo.

Agora aqui, se você decide ir em 'praça popular (praça com vários restaurantes caríssimos em volta, modinha), você vai ser mal atendido, assaltado pelo garçon e comer mal. Uma porção de filé acebolado mínima sai por mais de 40 reais. Uma água 3,50. Não vou mesmo. A porção vem fria e a cerveja quente.


Tem alguns bares tradicionais antiguissimos também, como o choppão. Bom atendimento e se você quiser comer um escaldado famoso pra qualquer um que vem aqui, paga 10 reais. Na verdade o escaldado da minha mãe é muito melhor, mas enfim, é bom e barato. As porçoes lá não são tão baratas, mas vem bastante. Recomendo provolone a milanesa e pintado a palito. Enfim, tou fazendo um guia turístico culinário de cbá hahaha

Churrascaria aqui é caro igual. 60 reais por pessoa no almoço (na janta esse é o valor do casal. sempre vamos só jantar hahahaa). E peixaria, que é tipo o que a gente tem de melhor mesmo, também é o olho da cara. a lelis (a mais chique), cobra 90 reais o rodízio. Mas você acha muitas por 50, no mínimo. Muito bom...

Restaurantes por quilo de shopping chegam a cobrar 44 o quilo, e no min 35 reais. Tudo bem que tem salmão e tudo mais, mas é caro.

Os mais populares fora do shopping cobram 20 reais o kilo. Comida ruim, sou fresca pra comer mesmo. Como de tudo mas tem que ser bem feito.

lala disse...

A comida mais cara que já paguei até agora foi no aniversário do meu marido esse ano (ok, não foi no meu cartão, mas no fim das contas dá no msm, oq entra na conta dele é meu tb e vice-versa). Foi um big churrasco na Bovinu's, em São Paulo. Tudo tava perfeito, a carne, o buffet super variado (do sushi e saladas às massas e demais acompanhamentos, foi difícil escolher!), até chegar a sobremesa, peguei uma torta de limão que adora, mas que tava um horror!!! Parecia aqueles docinhos de leite ninho que se faz na escola qnd se é criança. E ainda passei muito mal depois. (o fato de ter comido horrores ajudou, confesso)
Os dois são mão-fechada, então a conta saiu por R$77,00 (viu?! tá pra comer um belo churrasco em SP sem precisar pagar mais de 100!).
Já a pior comida da minha vida... de longe foi uma cocada. Gente... foi um horror!!!
Estava voltando da faculdade a noite, brocada e vi uma moça vendendo cocadas no terminal de ônibus. Todas branquinhas, salpicadas de açúcar, com uma cara deliciosa! Mas... na primeira mordida... aff!!! Parecia que tinha sido frita com salgadinhos, alho e afins. Tava horrível!!! Meodesu! Só que fiquei com uma pena enorme de jogar fora, então fiquei com cara de c* comendo a tal cocada, até que passou um menino "em situação de risco" e me levou a cocada da mão falando alguma coisa sobre eu estar sem gosto pra comer aquilo... será que ele se arrependeu?! rs
Vcs não imaginam a felicidade que eu fiquei desse menino ter me livrado dessa cocada!

Lilian Soares do Nascimento disse...

O jantar mais caro que paguei foi em 2010 em Buenos Aires, mas foi justo. Era uma casa de espetáculo de tango e valeu cada centavo.

A pior foi num hotel de Salvador, no Carnaval de 2011. Voltando cansadíssima da folia cerca de 4h da manhã, eu resolvi pedir um prato simples lá do cardápio, batata frita, bife e salada. Acho que desagradei alguém. Capricharam bastante. hehehehe

Flavio Moreira disse...

Já comi em restaurantes caros, mas acho que nunca paguei mais de 70 reais em um prato. Quando quero comer bem sem me importar em pagar mais caro por isso, como no Rascal aqui de Sampa, que tem um ótimo buffet de saladas, frios e petiscos, além ser possível aproveitar as massas e pedir um grelhado.
Não sou metido a gourmet, mas gosto de comida boa. Como em restaurante por quilo todos os dias por causa do trabalho e já conheço quase todos os restaurantes do Bom Retiro, onde trabalho. Aliás, é um bairro que merece um bom roteiro gastronômico, pois tem de tudo, desde judaicos tradicionais (caros para o dia a dia), bistrôs, salgados especiais como burekas, um falafel maravilhoso escondido em uma galeria horrível da Zé Paulino, entre outras coisas.
Não me incomodo de pagar mais caro se a comida for boa, mas não suporto restaurante metido a besta com comida mediana, que é o que mais tem em São Paulo.

Ari disse...

Não se é válido discutir qual é o valor "aceitável" para gastar em uma refeição, porque isso depende de muitos fatores não? Primeiro a localização. Não tenha dúvidas que restaurantes em fortaleza são mais baratos do que os de brasília. Depois, vai um pouco do grau de exigência de cada um. Se é pouco, realmente qualquer 40 ou 60 reais é caríssimo, para quem acha ótimo comer miojo ou cachorro quente e refri de R$2,50. Eu sou muito exigente. Eu tinha talento para ser nutricionista, pq até no self service fico pensando nas combinações mais nutritivas. ligo muito para os alimentos orgânicos que são mais caros sim e prezo muito pelo sabor natural, sem temperinhos prontos e tals. Então pago por isso, mas nao por requinte ou status ou sofisticação. Talvez esses critérios sejam sim criticáveis, já que podem traduzir a valorização da futilidade ou consumismo. Quem já não pagou uma fortuna em um restaurante pela "classe" do lugar e a comida era horrível?
caro pra mim é pagar em qualquer restaurante pela carne que os outros vão consumir, porque sempre dispenso, mas acabo pagando. Mesmo em restaurante fast food, como o Giraffas (aí tem giraffas), peço para trocar a carne por um acompanhamento, tipo purê de batata ou batata frita e ainda me cobram.

Luiza disse...

Eu sou muito nojenta pra comida. Tipo, MUITO nojenta. MUITO MESMO.

Eu não como em restaurante. Me dá nojo só de pensar. Fiz um esforço supremo pra comer na casa dos meus sogros e ainda assim meu namorado teve que avisar que eu ficaria muito satisfeita só com carne e batatas.

Só vou em lanchonetes. Aí gasto um pouco mais no The Fifties, essas coisas.

Gastar um dinheirão pra comer nojeiras do tipo que se vê em restaurante "chique", de jeito nenhum.

Camila Fernandes disse...

Lolinha, eu ainda não "engoli" os 8000. Juro! Ah, e que saudade de comentar por aqui.

Bom, eu estou naquela categoria de estudante universitário morando fora, e vocês sabem que a gente acaba gastando mais com "entretenimento" do que com comida. Tem gente que gasta com calourada e bebida, eu costumo gastar com shows, viagens, espetáculos e outros eventos. O que significa que me disponho a pagar caro para ver uma banda que eu curto em outro estado, mas não consigo me imaginar gastando 400 dólares (nem reais) em restaurante. Só não sou da turma do miojo com misto quente, haha. Trabalho numa área mais cara da cidade e mesmo assim tem restaurante self-service bom e com preço razoável. Pelo menos uma vez por semana vou em um restaurante oriental, mas nem sempre dos muito caros.

Agora, o que eu considero "extravagância" com comida são meus alimentos vegetarianos que, assim como os orgânicos, são bem mais caros que. Ema caixa de hamburger de soja (aqui) custa quase o dobro do hamburger bovino, e ainda vem um terço a menos. Outro dia comprei um salame vegetal, pequeno comparado aos equivalentes "com carne", por quinze reais.

A refeição mais cara que eu fiz, se bem me lembro, foi num dia das mães. A gente saiu para almoçar fora e não tinha feito reserva. Como a maioria dos lugares estavam cheios, fomos parar em um restaurante que tinha os preços bem altos. Já faz alguns anos e eu nem lembro o que foi pedido, só que tinha um molho de camarão. Devia ter salada e uma massa para mim, separado, porque eu já era vegetariana. Aliás, só lembro do camarão porque eu adorava, mas não comi. Para você ver, a refeição mais cara da minha vida e eu nem aproveitei, mesmo.

Camila Fernandes disse...

Ai, sobre comida japonesa, a minha dó de ir num rodízio é que eu não como o peixe, daí pago caro e não disponho de tanta variedade. Sei que vão dizer que japa sem o peixe não tem graça, mas eu adoro mesmo assim. Adoro comida chinesa também (viu gente, dá para ser vegetariano e feliz, haha). Então eu gosto de ir nos lugares japonês em que eu já conheço, e posso pedir para o pessoal fazer os sushis com "alternativas" como rutas, cream cheese ou palmito, para mim.

Rosa disse...

Lolinha,

Quero morar em Fortal...
Como faço ??

Bjs, Rosa

Augusto disse...

O mais caro que eu paguei numa refeição só para mim foi 80 reais. E para nunca mais. Eu como bem por 20 reais por refeição. Acho exagero gastar mais de 100 reais em comida para uma pessoa.

Anônimo disse...

MEU DEUS! 8.000 reais numa conta de restaurante para apenas duas pessoas doi demais. Tudo bem que eh o FASANO, mas msm assim tenha dó!

Se vc for jantar no topo da torre eiffel vc pagará bem menos que isso! Pelo menos o set menu basico no ano passado (com entrada, prato principal e sobremesa) custava menos que 200 euros por pessoa (em torno de 600 reais..).

Sendo assim, o cara que queria impressionar a tal moca talvez tivesse pago mais barato se tivesse comprado duas passagens ida e volta pra Paris na classe economica e jantado no topo da torre! Eh, talvez ainda sobrasse trocado para o champagne!!

Moro em Londres, mas a ultima vez que passei por sao paulo fiquei chocada com o preco das coisas! Como comer fora ta caroooo por ai! Nesse ultimo final de semana por exemplo, jantei num restaurante frances... set menu 20 libras - 60 reais, com 5 pratos inclusos (incluindo a lagosta mara que comi de prato princial *________*). Dai eu penso. Nunca que gastaria somente 60 reais num restaurante chiquerrimo em Sao Paulo!

Eu nunca cheguei realmente a ir nesses mega restaurantes super balados, mas meu noivo ja foi em alguns quando foi pra Dubai acompanhar o pai que tv fechando negocios por la. Os empresarios levavam eles para comer em varios restaurantes surreais e pagavam a conta da familia dele inteira - 900 reais um prato! Mas tb eram restaurantes unicos! Um era debaixo do mar, e eles tinham que pegar uma especie de submarino para ir para la. Outro tinham vacas que haviam recebido massagem durante toda vida delas... etc etc... E mesmo com isso tudo, ainda acho que a conta que esse moco ai pagou no FASANO mais cara do desses outros restaurantes. Ainda mais se vc para pra comprar o tipo de experiencia que vc tem nos dois ambientes. Talvez a culpa da conta ridicula tenha sido da bebida q ele escolheu (que isso sim, as vezes pode chegar a custar mais caro que muito diamante por ai!).

O jantar mais caro da minha vida? 60 libras por pessoa num jantar de natal. Isso com 6 pratos por pessoa e bebidas inclusas - do champgne ao cafezinho no final! =)

Bruno disse...

Um recado a este cidadão que levou a mulher num restaurante "chique"... mulher quando realmente está interessada NO HOMEM, ela aceita comer cachorro quente na carrocinha da esquina.

Anônimo disse...

Ri muito da mina que não come em restaurante porque tem nojo, mas come em lanchonete na boa. Lógica?

Livia Ferreira disse...

Nem me imagino tentando entender um cardápio escrito em russo... Que medo!

Sara disse...

Luiza eu tb sou da turma "Nojenta", mas acho q no meu caso é TOC mesmo, eu tb não consigo comer em restaurantes pequenos ou barracas de rua, e esses tipo bistrô eu passo a kilometros, na verdade tenho um defeito q alguns consideram grave, mas quem me conhece ja sabe e me aceita, eu não como na casa de ninguem, talvez pq, me vem o pensamento recorrente de que um restaurante pode ser interditado pela saúde publica, ja cozinhas nas casa das pessoas não rrrsss.

Raphael disse...

A ANVISA proibiu a Salvia Divinorum, pois o cultivo e venda legal dela por parte de hippies estava destruindo a paz brasileira.
Agora só as facções criminosas poderão ter o direito de vender e revender.

Seria interessante um post sobre drogas.


PS: Não que essa proibição vá me impedir de usar. :3

Rose disse...

A minha refeição inesquecível não foi quando, pela primeira vez em muitos anos, eu pude comer um miojo feito por mim mesma (tinha saido do hospital e podia ficar em pé, fazendo minha própria comida..ok, miojo não é fazer comida..rsrs)
PS. Mudando um pouco de assunto (mas não muito) vocês viram esse texto? (eu vi através do blog da letícia, mas é de cair o *** da ***)é sobre a marcha das vadias
Gambás e alcatras
http://www.gazetadopovo.com.br/colunistas/conteudo.phtml?tl=1&id=1274416&tit=Gambas-e-alcatras

Raphael disse...

Rose,

O Marianismo é uma coisa linda, né?

Luiza disse...

Sara, pois é, eu também não como. Todos já se acostumaram. Não suporto nem o cheiro de comida que não seja a que eu ou meus pais fazem.
Se for pra comer fora, mil vezes o Lanchonete da Cidade e o 210 Diner.

Raphael disse...

Sobre comida cara... A uns anos uma e-namorada veio passar o reveillon comigo, mas ela não queria ficar na minha casa, ficamos em hotel, motel, etc. Ela gosta de andar por ai e cada dia ficar num lugar.
Acabou que na noite do ano novo estávamos com fome e não havia UM lugar aberto. Ela por ser de São Paulo estranhou e tudo. No final, fomos para a Rodoviária, pois lanchonete de rodoviária fica sempre aberta. Ela pagou cerca de R$40 em duas latas de suco e uns sacos de salgado frito. o_o

Luca disse...

Concordo que essa questão do quanto pagamos por refeição é muito relativa.Depende de vários fatores, principalmente o financeiro. Eu e meu marido,por exemplo, temos uma renda total de R$ 2.000, ou seja, de forma alguma pagaremos R$ 500 em uma refeição, valor que, inclusive, é o meu salário líquido.A refeição mais cara que costumamos pagar é um rodízio em uma churrascaria excelente aqui em Goiânia.Custa R$ 45,OO o casal e com as bebidas a conta costuma ficar uns R$ 60,oo, o que consideramos muito caro e por isso só frequentamos esse ambiente umas três vezes ao ano.Mas, nem eu e nem ele sentimos a menor falta de frequentarmos restaurantes caros.Gostamos mesmo da comida do povão: arroz, feijão, carne, batata frita e etc, etc.Felizmente não nascemos com o tal paladar apurado.

Anônimo disse...

Nao lembro de qual foi o pior restaurante onde ja fui (ainda bem!), mas o mais caro foi inesquecivel porque a comida era MUITO boa!!

Moro nos EUA e o jantar (entrada, prato principal, sobremesa e meia garrafa de vinho) foi $100 por pessoa. Mas foi a melhor comida da minha vida (tirando a da minha mae, ne).

Levei 8 anos para ir a esse restaurante porque sabia que era carissimo (ainda mais para o padrao dos EUA, onde comer fora e infinitamente mais barato do que no Brasil) e porque no final das contas os $100 iam sair pela privada... Mas o que valeu foi a experiencia porque o restaurante e lindo, servico excelente e era aniversario do maridao.

Rose disse...

Em tempo: Por absoluta falta de prestar atenção e corrigir ante de postar, meu comentário saiu incompleto: A minha refeição inesquecível não foi em um restaurante caro, foi na minha casa...blabla bla...

bruna disse...

Lolinha, Adorei o post e acho que ele pode ser um serviço de utilidade pública do tipo: se for a tal lugar nunca coma em....
Pois bem, estávamos eu e o maridón na Argentina. Primeira vez por lá, encantados com o tango do caminito e mortos de fome após caminhar o dia inteiro percorrendo a feira de San Telmo. Quando sentamos no restaurante do bairro boêmio vi o garçom passando com uma chapa de carne e senti o cheiro de carne assada. Logo disse: Amor, que cheiro bom, vamos pedir aquilo daquela mesa. E, distraídos com a dança, pedimos assim a um garçom argentino (FDP)o prato igual ao da mesa. Lolinha, qdo chegou, meu estômago embrulhou: Eram "colhões" de boi, uma linguiça que quando partida o sangue escorria coagulado e um pedaço de gordura dura fumegante. Passei mal só de ver e saí de lá morrendo de fome. O maridón deu a explicação. Assim que chegamos eu vi uma imagem de maradona pintada na parede. Então pedi para o garçom tirar uma foto minha ao lado do ícone argentino fingindo que estava atirando nele. Quando meu marido saiu do banheiro disse que viu os garçons com cara de quem não gostou. Moral da História:Sendo um brasileiro, nunca brinque com Maradona se vc estiver na Argentina!

Anônimo disse...

Paguei 15 dólares por um prato de raviolis de cogumelo, em Boston. O prato tinha 6 raviolis de tamanho médio. Ah, e umas ervilhas, umas vinte.
Que saudades do Brasil!

Rose disse...

Não Raphael, foi teimosia mesmo rsrs

Sara disse...

Luiza eu não consigo comer em restaurantes pequenos ou barracas de rua, pq penso que em barraquinhas é dificil manter a higiene dos alimentos e utensilios, pois não ha agua corrente.
Ja os restaurantes menores, com clientela muito restrita, acho que o risco de comer um alimento estragado aumenta.
Por isso dou preferencia a restaurantes de muito movimento e grandes com muitos lugares, pois esse tipo de estabelecimento sofre mais fiscalização dos orgãos de saúde.
E embora eu seja péssima cozinheira, a única comida caseira que como é a q eu mesma preparo.

Anônimo disse...

Vou discordar um pouco da maioria dos comentaristas. Eu já paguei bem caro em jantAres, uns dos meus prazeres eh experimentar comidas novas e diferentes. Encaro como uma experiência, não como comer só pra matar a fome. E pra mim esse tipo.de coisa não tem preço. Sendo o limite, obviamente, aquilo que a pessoa pode e quer pagar. O preço pra mim,nesse contexto, eh o de menos, como tanto em lugares baratissimos como caros, se forem me proporcionar a experiência q eu busco.
Letícia.

Liris Tribuzzi disse...

Lola, no meu maior perrengue gastronômico você estava junto! E nem era tanto pelo preço, era pelo lugar não aceitar cartão!
Aliás, o Sujinnhos foi assaltado essa semana justamente por não aceitar cartão: http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/1117697-assaltantes-roubam-r-2500-do-restaurante-sujinho-em-sp.shtml.

No mais, quando saímos eu e o Lucas, como dois bons pão-duros, pagamos, no máximo, uns 70 reais pros dois. E não me lembro de ter gasto mais que isso só a gente, ou mais de 30 reais por pessoa em turmas grandes. E a gente come bem!

Lays, mãe e tudo o mais. disse...

Minha pior refeição - se é que dá pra chamar aquilo de refeição - foi no Playcenter. Caramba, aquele lanche conseguia ser pior do que o refugo do Mc Donalds!!! E nesse caso foi caríssimo, porque não consegui comer mais do que uma mordida!!!

Lays, mãe e tudo o mais. disse...

Lembrei de uma agorinha:


Fui com meus amigos no extinto Olympia ver um show de música acapella. Lá dentro nos deparamos com os preço absurdos de tudo e decidimos ficar com fome até o show acabar.

Só que um amigo telefona para os pais que estavam vindo se encontrar com a gente. "Pai, é melhor vocês comerem no Habib´s antes de entrarem, porque os preços aqui dentro são um roubo."

Pois bem, não só os pais dele comeram, como contrabandearam um monte de esfihas pra dentro do Olympia!!! O mais engraçado era a gente enfiando a mão na bolsa da mãe desse amigo, tirando uma esfiha amassada e enfiando ela inteira na boca, na maior cara de inocente...

Luiza disse...

Entendi, Sara. Você se preocupa com a higiene. E tem mesmo.

Anônimo disse...

bendito seja o cardápio do McDonald's nos EUA onde a gente compra no drivethrou, leva pra casa, come o sanduba com uma taça de vinho e fim de conversa. sobremesa? apple pie. duas por um dólar.

Verô! disse...

A pior da minha vida não foi a mais cara... estávamos eu e minha namorada linda em Montevidéu, os pratos lá são bem servidos, não tão baratos como em Buenos Aires, mas as porções são imensas e logo na primeira refeição percebemos que um único prato era mais do que suficiente para nós duas.

No último dia da viagem fomos jantar com um monte de gente (ela estava num congresso e eu de acompanhante, o jantar reuniu o pessoal que participou). Naquela confusão de um monte de gente na mesa o garçom entendeu nosso pedido errado e em vez de trazer apenas um franco trouxe dois. Gente, era um galeto inteiro para cada uma! E estava mal assado e sem tempero, um horror. Não conseguimos comer nem a metade. Sentimos que jogamos dinheiro fora mesmo, pagar por algo que você não consegue comer é péssimo... se ao menos o garçom tivesse entendido certo e trazido apenas um galeto, menos mal. Eu até quis corrigir o erro, mas a minha gatinha ficou com dó do garçom que era um senhor de idade avançada e pediu para deixar quieto. Tudo bem... ao menos o resto da noite foi divertida.

Jaque Balas disse...

A minha refeição mais cara, ocorreu no ano passado. Moro em Jlle-Sc e, meu "amore" e eu fomos a um restaurante de frutos do mar e, olhamos em cima de outra mesa um carangueijo "enorme" do Alasca. Pensamos: carangueijo é bom, imagine em tamanho família! Mas, não o pedimos. Assim, durante a semana, conversa vai, conversa vem, meu amore convida meus pais e irmãs para comer o dito carangueijo, isso já totalizava 6 pessoas. Chegando lá, o restaurante estava fechado, decepção total. Mas, no outro dia fomos só nós dois, pedimos o bichinho e, era horrível!!! Não comemos nem uma patinha cada! E, o pior é que não sabíamos o preço, pois, só o tinha visto em outra mesa e pedimos. Meu amor ficou indignado quando chegou a conta R$ 450,00 só o carangueijo, fora a bebida. Só não ficou mais bravo porque quase correu o risco de pedir alguns, um dia antes, para toda a família. Nunca mais pediremos algo, sem antes saber o valor!

Lorena disse...

A refeição mais cara da minha vida, e também foi a pior, por incrível que pareça foi um cachorro quente e uma lata de refrigerante. Paguei mais de 10 reais nessa combinação, sendo 7 reais só no cachorro quente... que se fosse caprichado, até valeria o dinheiro, eu nem reclamaria. Mas não, era pão e salsicha APENAS! E o fato de terem feito uma propaganda enganosa do negócio me indignou mais ainda... Na relação custo/benefício, acho que saí perdendo demais!
Enfim, isso foi no Instituto Inhotim, aqui em BH, que é um misto de Jardim Botânico e Museu a céu aberto. Lá a comida é muito cara (pro meu bolso) e eu resolvi ir de cachorro quente por ser mais barato... Me arrependi.

Agora a refeição mais cara ignorando o custo/benefício foi um jantar de Ano Novo, num restaurante não tão caro aqui de BH, mas eu e a namorada queríamos inovar. A comida era bem gostosa, pagamos uns R$80,00 a refeição para duas pessoas. Foi o mais caro que já paguei, mas não acho absurdamente caro. E a comida era boa! Não lembro o nome do restaurante, mas comemos um filé ao molho de queijo com batatas souté, arroz temperado e salada.

Laura disse...

Oi Lola, acho q a grande maioria das pessoas ja passou susto com conta em restaurante e comida que nem sempre vale o quanto custa.

Eu moro na França, e uma diferença muito grande que eu percebi com os restaurantes no Brasil (ao menos na cidade onde eu morava) é que aqui a grande maioria dos restaurantes colocam um cardapio aberto na entrada, ou ao lado. Assim podemos olhar se o menu nos agrada e se os preços são para nosso bolso.

Abraços

Anônimo disse...

Moro em Jlle-Sc 09:44

Joinville, SC, Brasil

Rafaela disse...

Lolinha,
Acho que a refeição mais cara que comi foi num restaurante em SP, nem era dos mais chiques, e foi tipo 400 reais por casal. Mas não foi um susto, porque sabíamos que seria caro mesmo. E em viagem estamos sempre dispostos a pagar mais caro. Mas no dia-a-dia, tipo aquele domingo que você resolve comer fora, nunca chego nesses absurdos. Como eu e meu marido gostamos muito de cozinhar, quando é pra gastar, preferimos comprar algum ingrediente mais caro e experimentarmos uma receita nova. Assim temos a certeza de que o gasto vai ser compensado por momentos muito prazerosos.

garotinha disse...

Acho que as comidas (e bebidas) mais caras que já comi na vida, foi hamburguer (Hot pocket Sadia, só pão carne e queijo) a 8 reais e água (copo 300ml) a 4 reais num show no Joquei em SP. E duas tortinhas de chocolate (pouco maiores que um biscoito "Tortinha" Adria) moles e sem graça, a 10 reais (+ 1 real do serviço) no Citibank Hall no RJ. Suspiro só de lembrar.

Erres Errantes disse...

A refeição mais cara da minha vida eu fiz quando fui fazer uma pesquisa na Assembleia Legislativa do meu estado. A comida era a quilo e eu achei caríssima para meus bolsos humildes. Foi só ir para a Assembleia legislativa para ser roubada rsrsr. Parece até piada.

Mariana disse...

wowww! claro que achei muito!
eu não tenho experiencia em refeições caras porque sempre vou a restaurantes em sao paulo que não são caros.