terça-feira, 24 de janeiro de 2012

GUEST POST: MEU DIA DE LOLA

Antes de mais nada, estou de volta das férias! Pretendo falar nelas, mas também preciso escrever sobre os indicados ao Oscar 2012 e o glorioso bolão, o aniversário de quatro anos do bloguinho, algo mais pensado sobre o estupro no BBB12... Enfim, mil coisas! Como não vou ter tempo pra nada disso hoje, publico esta graça de guest post que já estava agendado.
Foi a Bárbara que me mandou este email fofo. Me chamando de barraqueira, eu acho. Brincadeira! Se "ser Lola" é reagir, eu fico feliz com o elogio. E até parece que eu aprendi a reagir faz tanto tempo assim! (menos de quatro anos; contei aqui). Parabéns e muitíssimo obrigada, querida!

Eu sou Bárbara e acompanho seu blog há alguns meses, leio diariamente. Antes de tudo quero te parabenizar pelos textos e pela sua posição em relação a nós, mulheres.
Outro dia me perguntaram quem eu gostaria de ser se não fosse eu. Nunca tive resposta pra essa pergunta, porque realmente nunca tive vontade de ser outra pessoa. Claro que sempre tive desejos de "outras vidas", mas gosto de ser eu. Mas à pergunta feita recentemente, a resposta que veio na minha cabeça foi "ah, queria ser a Lola!" Ha ha! Só pela sua inteligência, garota!
Então, ontem eu estava no ponto de ônibus esperando um amigo e sentou um cara do meu lado, um pouco mais velho que eu (tenho 21 anos, ele devia ter uns 35), o que não importa muito. Ele me perguntou onde parava um determinado ônibus e me chamou de princesa. Só respondi porque quando ele falou "princesa" eu já tava dando a informação. Foi o ódio número um.
Passado algum tempo ele falou alguma coisa, mas foi tão baixinho que nem deu pra confirmar minha suspeita de que era alguma coisa comigo. Depois ele falou novamente, mas num tom igualmente baixo e eu comecei a acreditar que ele realmente tava me falando aquelas cantadas bem nojentas e machistas, mas, como não ouvi direito, deixei passar. Pensei em ir sentar em outro lugar, mas eu tava ali antes dele, oras. Não ia sair mesmo.
Na terceira vez que ele falou entendi bem as grosserias que esses homens juram que gostamos de ouvir; meus ouvidos estavam preparados pra me dar provas do desrespeito. Foi aí que percebi que ele tava falando baixo pra que as muitas outras pessoas ali não ouvissem, somente eu. Fiz o cara passar vergonha falando bem alto: "Por que você não fala alto essas palhaçadas? Tá pensando que mulher é carne na feira, seu covarde? Fale para as pessoas ouvirem como você é canalha e machista!" Precisa nem dizer que o mané saiu de lá na hora né? Me senti tão satisfeita que não consegui esconder o sorriso, mesmo todo mundo olhando pra mim e eu estando sozinha.
Ontem tive meu dia de Lola! Que orgulho!

38 comentários:

Pandora disse...

kkkkkkkk Desde que leio seu blog eu sempre tive certeza que a partir daqui muitas pessoas iam mudar, ia aprender a colocar para fora suas revoltas internas, a organizarem seus pensamentos a colocar a sua criticidade para funcionar!!! Sim, vc é uma educadora e tanto Lola, quando eu crescer quero ser um pouco como vc também!

Cecy disse...

Adorei seu dia de Lola, ela também já mudou muito a minha vida.
Obrigada Lolinha....

Natália disse...

hahahaahahah óóóóóótima! parabéns para a guest author!

Dani Cavalheiro disse...

Eu admiro quem consegue reagir assim, eu morro de medo.

oscar wildcat disse...

as mulheres precisam começar a agir assim mesmo (claro, dentro dos limites de segurança - um louco desses podia atacá-la, caso eles estivessem sozinhos no ponto)! lola fazendo sua parte e guiando pelo exemplo :)

Paola disse...

Parabéns!
Se as mulheres agisse assim mais vezes, esse canalhas iam se sentir mais intimidados, eu acredito.

Blanca disse...

2 votos no comentário da Pandora! kkkkk

desde que comecei a ler o blog da Lola me revolto bem mais, rs

Maíra disse...

Muito bom!!! :D

Eu disse...

Quando um cara desses aparecer na minha frente (vai ser difícil, mas não impossível) vou simplesmente chamá-lo de psicopata bem alto...

PS.: Duvido que a Lola reagisse como a guest poster reagiu. Enfim, ela se defendeu bem...

Ju Lemos disse...

Costumo ler sempre o seu blog, mas infelizmente não tem um link para visitantes e blogueiros que venham de outros lugares sem ser os disponiveis, mas dessa vez vou comentar assim mesmo. Bom... conheci seu blog por indicação de uma amiga que assim como eu coloca pra fora a maioria das coisas que sente, acho que precisamos de mais pessoas que sintam e tentam fazer a diferença no mundo! Parabéns por ter conseguido mais uma blogueira pra ser "barraqueira"!

Bjus
http://pagandopraver.com/

Bruno S disse...

Típico da covardia é o cara que causava constrangimento à moça é fugir quando colocado numa posição constrangedora.

aiaiai disse...

taí, a gente devia começar um movimento das barraqueiras! kkkk Ou melhor, acho que já começamos. Quanto mais a gente aprontar barraco, mais os homens idiotas como este vão ficar com medo, sim, porque além de machistas são covardes. Daí, em um futuro que espero próximo, estaremos livres dessas "gracinhas"!!!

disse...

liiiiinda! valeu, garota!

Verô! disse...

Boa!!! Essa é a prática, assim esses palhaços vão pensar duas vezes antes de nos desrespeitar!

Uma vez estava com uma prima minha no carnaval de uma pequena cidade da Bahia. Um cara veio e começou a falar barbaridades para ela. Primeiro ela pediu para ele parar e nos deixar em paz, e ele começou a falar palavrões, nos xingar de tudo o que é nome. Ela aumentou o tom e exigiu que ele nos deixasse. Ele se aproximou dela e adotou uma postura agressiva, como se fosse agredi-la, ele ficou bem perto dela (eu era bem novinha, fiquei paralisada e tremendo de medo). Mas minha prima é porreta, não se intimidou, pegou o tamanco e disse que se ele desse mais um passo ia acertar o tamanco (era de madeira e pesado) na cara dele. Acho que ele não esperava essa reação e foi embora. O detalhe é que estávamos numa praça cheia de gente e NINGUÉM nos socorreu.

Bruxinha disse...

Eu detesto essas gracinhas. Já revidei algumas vezes, mas como esses machistas ridículos são muito rasos de córtex na maioria dos episódios prefiro nem argumentar. No máximo lanço um furioso olhar ou faço de conta que eles sequer existem e passo reto. Detesto essa denominação de "princesa". Nojo eterno de quem a usa!

Beatriz disse...

Parabéns amiga, arrasou!

Passei por coisas assim no onibus, varias vezes. Fui pagar a passagem e o cobrador, ao pegar o dinheiro da minha mão, ficou segurando e falou "oi moça bonita". Minha reação foi fechar a cara e responder "solta a minha mãe e me dá o troco". Ele insistiu querendo rir e fazendo piadinha. Tive que mandar um "não tô achando graça, paspalho, solta logo minha mão senão desço daqui direto pra delegacia".
O segredo é falar alto sempre. Os caras vão reclamar, te chamar de mal humorada, baranga, dizer q não queriam mesmo. Mas se vc falar alto, sempre algumas pessoas vão desaprovar a atitude e deixar o fulano sem graça. Se estiver em lugar público, vc fica menos vulnerável a um ataque ou reação se chamar a atenção para si do q se se esconder.

Beatriz disse...

E qto a quem disse q pode ser um louco e tal: sim, é um risco, e é importante saber identificar uma situação em q se está vulnerável e td. Mas na grande maioria dos casos, visivelmente é um sujeito qlqr e folgado q canta a mulher em um lugar publico de grande circulação. E aí esse medo é só uma forma de manter o absurdo acontecendo. Muito cômodo para os homens

Carol disse...

É sempre o mesmo padrão. Mulheres são educadas para ser quietinhas e não criar confusão, então qd reagimos esse tipo de cretino toma um susto daqueles.
Quanto mais reações negativas mais fica marcado que esse tipo de atitude é inadmissível.

SARAIVA13 disse...

Lola,
Você precisa de mais férias.
Já não começou bem com :"Antes de mais nada", que na verdade é NADA. Não seria melhor "Antes de qualquer coisa"?
Abraços,
Saraiva

lola aronovich disse...

Quequié, Saraivinha? Que eu preciso de mais férias eu concordo, mas eu gosto de "antes de mais nada".


Gente, tô com uma preguiça de escrever...

darkgabi disse...

e ainda por cima uma reacao muito phyna! achei digníssima! se fosse eu teria logo mandado ele tomar no cu, mas sei q nao é a melhor reacao... é q eu sou grossa msm. mas respostas assim, certeiras e sem apelar, sao ainda piores q xingamentos. parabéns!

yulia2 disse...

boa!!!

yulia2 disse...

uma vez um vagabundo desses ai, passou a mão na minha perna no onibus....
eu levantei da cadeira e sai chutando a perna dele e olhei com uma cara tão feia pro mané... ele não me olhou de volta , baixou a cabeça. como todo covarde faz.

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Adorei!
Já cheguei a conclusão de que mulheres reagirem a certos tipos de comportamento é mais eficaz que ficar só no discurso, na argumentação.
A cultura machista ainda é muito forte. Pouco adianta a gente soltar uma frase feminista, se o cara vai receber um milhão de mensagens machistas na sequência. Vc diz pra certo cara respeitar mulher, mas em toda parte ele já ouviu e aprendeu várias pérolas que a gente ouve por aí, "mulher gosta", "homem é assim mesmo e mulher tem que aceitar", blablabla. Na hora que o cara tem um choque de realidade, uma mulher reage, se impõe, acho que tem mais chances de ele passar a rever seus conceitos ou no mínimo começa a pensar duas vezes antes de voltar a fazer a mesma coisa, ainda que seja por medo de passar vergonha.

Faye Gabriela Maciel Cardoso disse...

No Velho Oeste Catarinense em Chapecó, não se pode estar na rua após ás 9 horas da noite porque ou os carros buzinam ou os mais sem escrúpulos param o carro e perguntam se querem carona, a gente até tenta ser educada com o cidadão, respondendo que só está indo para casa no final dum dia de trabalho ou faculdade, e se comentamos com as pessoas ainda falam "Mas porque fica na rua a noite?", dá para entender? Não se pode mais sair de casa para não sermos atormentadas por homens inescupulosos que não entendem que isso chateia. Quando eu fui morar lá estranhei nos primeiros dias, pensei, será que estou vestida vulgarmente de um modo que chame a atenção, outro dia outra roupa bem mais recatada mochila, livros embaixo do braço e a mesma coisa.
Será que eu não tenho o direito de andar uma quadra até o meu trabalho, ou do ponto até a minha casa?

Neli Rodrigues disse...

Que blog fantástico!
Como não cheguei aqui antes?
Tenho 40 anos e "sofri" na minha infância por não ter heroínas nos filmes e desenhos, mesmo sendo uma menina já tinha bronca dos personagens femininos serem sempre coadjuvantes.
Outro dia falei pro meu marido:
"Há 30 anos nos comerciais de carro só aparecia o motorista homem, há 20 anos a mulher começou a aparecer como a esposa que escolhe a cor do carro e finalmente hoje em dia a mulher assina o cheque pra comprar o carro!!"
Não ergo bandeira, nem faço muitos discursos (mas já fiz,rsrs)com pequenos gestos e atitudes vou semeando o feminismo.
Se vc ver no google/analytics as estatísticas de hoje, vai constatar que sua taxa de rejeição diminui, culpa minha, que li inúmeros post aqui e se não fosse tão tarde leria muitos outros.
Bjs♥

LisAnaHD disse...

uma vez um rapaz bateu à porta de casa procurando meu irmão... meu irmão não estava e conversa vai conversa vem, o cara me deu uma cantada... "conversa vai, conversa bem" foi o rapaz dizendo que não sabia que meu irmão tinha essa irmã e isso e aquilo sem nada a ser censurado, qdo ele deu a cantada... eu perguntei se ele era casado ou solteiro e ele me disse solteiro... então eu falei que saio apenas com homem casado, que eu gosto mesmo é de homem casado e por gostar taaaaanto de homem casado me casei pra ter um casado todinho pra mim... é, não uso aliança... nem meu marido usa.

no caso acima, não precisei levantar a voz, mas qdo eu tive de gritar, gritei a todo pulmão !!! o resultado foi que estava certo o homem que uma vez me disse que com o grito de uma mulher ninguém pode, o cara tinha razão!

antes de mais nada e depois de tudo... meus parabéns pra quem teve seu dia de LoLa.

TWO OF US disse...

Ahahahahahahahahahaha...Sempre escrevia aqui que a Lola ajuda muita gente! Homens e mulheres. Muitos homens foram educados no machismo e não sabiam que era feio e errado ser assim. E muitas mulheres foram educadas de várias formas, dentre elas, silenciarem frente ao opressor.
Sempre digo que um machista pode mudar pela educação( sim, eu acredito no valor da informação, da educação. Vejam o exemplo de países como a Suécia, onde a questão de gênero é trabalhada desde a creche- as meninas brincam de carrinho e meninos brincam de bonecas. Quer saber mais? Visitem o blog MINHA AQUARELA, um blog materno onde uma mãe, a Cíntia, escreve sobre sua vida em Estocolmo). Porém, um misógino jamais mudará, porque este tipo de doença se combate com prisão mesmo ( sim, acredito que todo misógino é um psicopata, assim como todo estuprador e pedófilo- sem essa de que foram abusados na infância, esta falácia já caiu na psicologia, na psiquiatria.)
Amei a atitude da Bárbara!

aiaiai disse...

lola, vc é muito boazinha...mas eu não.
Saraiva: de onde vc tirou que "antes de mais nada" está errado?
Se tem preguiça de procurar uma gramática ou ler clássicos da língua portuguesa, dê um google antes de vir cobrar correção dos outros:

http://migre.me/7FyV0

Cristina Tonon disse...

Amei o post, muito divertido e corajoso. Devemos mesmo seguir esse exemplo. Sempre que me chamam de princesa viro a cara e penso "-eu não falo com plebeus"
Normalmente é alguém da rua quando estou passadno então nem vale a pena responder ...

Vocês tem alguma tática para esses casos?

LisAnaHD disse...

isso mesmo... Nada de SILÊNCIO.

Silencio
http://es.wikipedia.org/wiki/Silencio

página em espanhol, estou enviando pela foto-símbolo.

ps- pra quem gosta de literatura, o livro de Shusaku Endo eu já li e recomendo... na época, li que Scorsese estava rodando o filme baseado no enredo do livro...

EuPrefiroKlimt disse...

arrgght uma vez adicionei um colega de curso, mas de outra cidade que veio com mil cantadas idiotas, depois de muitos avisos e de ser chamada de grossa mil vezes fui perguntada no twitter sobre "por que me excluiu?" respondi curta e grossa "porque vocÊ estava me desrespeitando na internet" e deixei pra lá rs ele disse "também não precisava falar isso pra todos" aff que falta de noção. Tenho um nojo desses caras metidos a sei lá o que, acham que somos obrigadas a suportar tudo, pior ainda alguns que só nos respeitam como "propriedade alheia" e não como pessoa, que é o caso do mascú que mexe com você na rua e se desculpa pela aliança! é por isso que nem uso aliança. Quero respeito por ser uma pessoa e não apenas por ser comprometida. Se fosse solteira teria que aguentar tudo? santa paciência.

Nina Caetano disse...

lola, não sei se você vai comentar sobre a ação policial em pinheirinhos, mas gostaria de sugerir isso... você está sabendo do absurdo que aconteceu lá? veja:
http://blogueirasfeministas.com/2012/01/e-preciso-escolher/
e também: http://www.blogcidadania.com.br/2012/01/midia-domesticada-aceita-censura-no-pinheirinho-sem-reclamar/

Pri Viana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pri Viana disse...

Leio seu blog às vezes, mas vendo este abuso, lembrei de uma situação revoltante que aconteceu no ônibus.

Eu estava sentada na janela e um idiota sentou do meu lado, passou a mão na minha coxa e veio fazer a seguinte pergunta:
- Quanto você cobra, gatinha?
Detalhe, eu estava com uma camiseta do Slayer, calça jeans preta e coturno. Levantei do lugar, levantei os braços e berrei:
- Ogum adjo, ê mariô! Okunlakaiê!
O cara se afastou, olhou a minha camiseta e berrou:
- Macumbeira do diabo! Queima no inferno.
Retruquei na hora:
- Sabia que o senhor acabou de cometer um crime de ódio religioso contra mim? E caso o senhor tenha se esqueçido, mão na coxa sem o conscentimento alheio é estupro e, se eu quiser, posso até processar o senhor por calúnia e difamação? Então, o senhor ainda quer saber o meu preço? Pois foi isso, gente, que esse canalha susurrou no meu ouvido enquanto ele estava sentando do meu lado!!!
Nunca vi um cara sair correndo tão rápido do ônibus.

Babi disse...

Mas que surpresa boa ver meu texto publicado aqui!! Obrigada, foi uma honra Lola. Tô vendo pelos comentários que se depender do pessoal daqui do blog as coisas vão mudar em relação a esses caras sem noção... É isso mesmo meninas!

cabanadeinverno disse...

Boa, só faltou mandar ele tomar no cu.

Bruxinha disse...

Gente, e essa música-chiclete do Michel Teló fala exatamente disso, né, Lola?
Todo mundo canta, faz a dancinha coreografada e ninguém questiona se a tal "menina mais linda" que passou na balada de sábado se sentiu lisonjeada ou ofendida com o "delícia".
Afffffffff