domingo, 23 de outubro de 2011

“MEU CASO VIROU MINHA CAUSA”, DIZ RHANNA


Muito boa a reportagem do Fantástico sobre o caso de Rhanna, a estudante de Direito que teve o braço quebrado numa boate em Natal. A matéria, que você pode ver aqui, diz claramente: a abordagem masculina tem se tornado cada vez mais violenta. É banal um rapaz chegar pra uma moça numa balada e pegar no seu cabelo, no seu braço, na sua cintura, e tentar beijá-la à força. Quem lhes deu esse direito?
Ontem à noite recebi por e-mail um texto que vem percorrendo o Facebook. Tentei entrar em contato com Dani, a moça que o escreveu, para pedir autorização para publicar seu relato aqui no blog, mas, como não obtive resposta, vou só descrever o que ela conta e colocar um trecho (o resto, pra quem tem Facebook, pode ser lido aqui). Ela foi a uma boate em Belo Horizonte ver o cover de uma banda. Um rapaz bombado tentou beijá-la à força, ela recusou, ele então apertou sua bunda, ela disse que iria chamar o segurança, ele a chamou de lésbica, apertou seu braço, pôs a mão por baixo de seu vestido e a tocou, jogou energético em cima dela. Enquanto ela foi atrás do segurança, ele sumiu. E reapareceu, dizendo que mulheres tatuadas são lésbicas ou p*tas (tá parecendo mascus, que em geral são misóginos, violentos, covardes, marombados, e chamam tatuagem de “carimbo de p*ta”). O segurança falou com os dois e decidiu não fazer nada. Apareceu outro que igualmente liberou o agressor. Ela foi falar com o dono da boate, que a aconselhou a se divertir, e ainda lhe desafiou: “pode chamar a polícia”.
Dani, revoltada, pergunta: “Até quando vai ser assim? Até quando as mulheres serão obrigadas a conviver com a violência? Até quando a nossa palavra não terá validade? O que sofri foi uma violência que me lesou em todos os aspectos! Fui desrespeitada por todos os homens que procurei para pedir ajuda. Sinal que todos são capazes da mesma atrocidade. Para eles, não foi nada de mais!” Dani diz que vai processar o estabelecimento.
E ela repete o que tantas moças, assustadas com essa violência, esse sentimento masculino de entitlement (merecimento), dizem: que é melhor ir a boates gays, porque lá são respeitadas. Lá os homens não dão em cima agarrando, ou “partindo pro abate”, no linguajar dos mascus.
Uma das leitoras que me mandou o e-mail disse que seu pai veio lhe perguntar o que era isso “da moça que teve o braço quebrado”. Ela contou, e o pai não conseguiu acreditar que um sujeito deu um golpe que quebrou o braço de uma menina só porque ela lhe disse não. Pra esse pai, devia ter mais coisa aí (assim como para o estudante de Direito e amigo da Hellen, que escreveu o guest post de ontem). Acho que a reação do pai da leitora é comum. Os homens parecem não fazer a menor ideia do mundo em que vivem as mulheres. Um mundo em que qualquer mulher sozinha é considerada à disposição e, portanto, não têm o privilégio de escolher, ou de negar, companhia. Um mundo em que uma mulher passa de objeto de desejo à p*ta (que merece ser agredida) em questão de segundos. Um mundo em que existe toda uma estrutura pra passar a mão na cabeça desses machinhos, que só estão agindo assim por instinto, e porque têm certeza que, no fundo, mulher gosta mesmo é de “pegada”.
Rhanna, a moça de Natal que será advogada, disse uma frase linda: “Meu caso virou minha causa”. Em outra ótima entrevista, esta à Tribuna do Norte, ela diz que não tem medo e que vai fazer a sua parte para combater a violência contra a mulher. Parabéns a ela e a Dani, que optaram por não se calar e a lutar contra seus agressores. O caso delas, e de tantas outras, reflete a velha história de sempre: homens lembrando mulheres que lugares públicos não são pra elas. Só pra eles. 

UPDATE: Boa notícia! Cinco anos depois, o agressor de Rhanna foi condenado a três anos! E Rhanna é pré-candidata à vereadora em Natal!

240 comentários:

1 – 200 de 240   Recentes›   Mais recentes»
Jac disse...

Também gostei da reportagem. Para padrões Globo de produção, até que foi excelente, não citaram roupa dela e não deram a entender que o cara quebrou o braço dela por ela ter jogado refrigerante na cara dele (isso, bom lembrar, depois de inúmeros NÃO).

Se todas as mulheres que sofreram por alguma atitude machista pensassem como ela (“MEU CASO VIROU MINHA CAUSA”) o mundo só teria feministas.

Allan Barbosa disse...

Parece que logo a única solução vai ser essa aqui:

http://www.youtube.com/watch?v=UYMfBc8umJ8

Seus posts são muito bons, venho acompanhando seu blog há um tempo, mas nunca comentei antes.

Sinceramente, acho que casos como esse são gerados pela mistura da nossa cultura machista com a falta de educação e respeito nas próprias pessoas, mas em uns bons casos, são homens inseguros que veem violência e comportamento agressivo como válvula de escape para seu inflado (e frágil) ego.

Não que eu tenha pena, quero mais é que se afoguem em seus complexos de inferioridade, mas tenho consciência de que o problema é bem maior que isso.

Bem, a saída mesmo são os bons e velhos valores de educação e respeito ao próximo, mas que nossa cultura insiste em menosprezar e formar indivíduos cada vez menos empáticos. Espero que não voltemos para as cavernas.

Luciana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luciana disse...

Na minha adolescência passei por situações horríveis. Além das "tradicionais" pegadas no braço, puxões de cabelo e passadas de mão em peito e bunda, já fui cercada por um grupo de rapazes no meio de uma pista de dança lotada; todos passando a mão em mim e falando grosserias, claro, e precisei bater em um deles para conseguir sair da rodinha. Foi a última vez que fui ao estabelecimento.
Reclamar com seguranças raramente dá em alguma coisa, pois acham que é exagero, que vc só está se vingando de algum cara que não quis ficar com vc etc.

Não assisti à matéria no Fantástico, mas gostei muito da outra entrevista que ela deu. Todas nós ganhamos um pouco mais de fôlego contra essas injustiças.

Lutemos!

lola aronovich disse...

Dois comentários que acabei de pegar num fórum mascu, que obviamente tá revoltadíssimo com a reportagem do Fantástico, mandando notas de repúdio e tal:

"Esses retardados dão motivos de sobra para essas vagabundas se fazerem de vitimas oprimidas e o c*ralho a 4. Eu so achei engraçado os 'pais' dessa p*ta dizendo que educam, ensinam e investem na filha para chegar um cara e fazer aquilo. Ora seus imbecis, vocês na verdade criaram uma vadia, se fosse uma mulher direita estaria em casa estudando ou ajudando a mãe a arrumar a casa e não em uma balada jogando copo de cerveja nos outros, procurando emoções fortes.
Teve o que procurou. Vagabunda."

Este escrito por um dos moderadores do fórum (sabe moderador, que deve moderar, pra que o nível não caia muito, para que o fórum não fique misógino demais? Esse aí): "
QUe deprimente, p*ta que pariu. Cadê a vergonha na cara desses pais dessa menina? Senti vergonha alheia quando o gordo do pai dela revelou que se sentia impotente, e não podia ajudar a filha. ORA SEU GORDO FILHO DA P*TA, á culpa dela ter sido agredida é sua! Vc permitiu que sua filha fosse vadiar numa balada! Tu é um bosta como pai, tu não tem Honra seu safado! Tu é uma merda de pai frouxo, que deixa a filha ir rebolar o C* na balada e arriscar a vida todas as noites! E aí ela é agredida e vc quer colocar a culpa em terceiros!
Esse Romulo é um fdp sim, mas piores são os pais omissos, frouxos que deixam a filha ir vadiar a noite e não dão educação! E não assumem os seus erros!
Isso me deixa puto!"

Julian disse...

90% das vítimas de homicídios são homens, mas isso não se fala.

Julian disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Julian disse...

Aliás, se boate é um ambiente tão hostil as mulheres, pq elas continuam a lotar tais locais ?

Helena disse...

Julian, ninguém (além de você) falou que 90% dos homicídios é sofrido por homens porque o post não tem nada a ver com isso, entende? E já que estamos no assunto qual a porcentagem exata de homicídios que é cometida por homens?

E nós frequentamos boates porque queremos. E temos todo o direito de frequentarmos o lugar que seja sem que nenhum cretino nos agrida.
Beijos.

Julian disse...

Citei o fato de 90% dos homicidios serem contra homens, para mostrar a grande mentira de dizerem que mulheres são as grandes vitimas da violencia.
Sobre ir a boates, sem problemas, só to me perguntando pq vão, já que relatam tanto horror.

Nina disse...

Também adorei a reportagem e, principalmente, a atitude da Rhanna.

Olha, se eu fosse contar todas as experiências ruins que já tive em abordagens masculinas... É assustador. Em 2008, após algumas experiências terríveis, resolvi aprender a me defender. Fiz defesa pessoal e depois comecei a fazer taekwondo. Fiz durante três anos, parei recentemente por falta de tempo. Eu evito sair à noite, porque é desagradável. Eu não aguento mais ser tratada como um objeto sem dono, que todos querem tomar posse. Mas outro dia eu saí com uma amiga. Não fomos a nenhuma boate, mas sim ao Baixo Gávea, no RJ. Eu odeio que me peguem ou que mexam no meu cabelo, mas não grito por isso, apenas me desvencilho e vou em frente. Só que nesse dia o cretino estúpido me segurou pelo braço e quando eu tentei me soltar ele veio me beijar e colocou a outra mão no meu seio, apertando. Eu segurei ele nos dois braços e dei uma joelhada fortíssima no saco dele, quando ele se curvou para frente (eles sempre se curvam para frente por causa da dor) eu o chutei forte na altura do peito e ele caiu no chão. Esse é um golpe que a gente aprende na defesa pessoal, é ótimo para vc conseguir fugir de um agressor, pq ele fica no chão com dor no saco e dá tempo da gente correr fora. Então eu fiz isso e, ao me afastar, sabem o que aconteceu? Todo mundo ficou contra mim. Porque acharam que eu exagerei na reação. Oi? E por acaso ele não me agrediu? Para mim aquilo era uma tentativa de estupro. Mas ameaçaram chamar a polícia PARA MIM. Eu disse que podiam e deviam chamar, pq aquele cretino tinha me tocado e eu só me defendi, que ele era um criminoso, um estuprador. Olha, foi uma confusão do inferno, em que a maioria dos homens morreu de dó do amiguinho. No final algumas pessoas me tiraram dali e eu não sei como a coisa terminou. Sei que me defendi. Que não aceito que me toquem sem meu consentimento. E que não aguento mais a estupidez masculina.

LisAnaHD disse...

Se as mulheres fizerem uma greve levada a sério a nível nacional e não frequentarem boates e baladas por um mês ou mais tempo se preciso for, acho que os seguranças e os donos dos estabelecimentos vão levar a sério o assunto de que trata o post.

Nina disse...

Julian, com todo o respeito, vc deve ser um machista babaca (desculpem a redundância), do tipo que acha que mulher se "ganha" na porrada. Aff...
As mulheres são as vítimas, sim. Aprenda a ler estatísticas. No Brasil a cada 2 minutos, 5 mulheres apanham. De homens. Por dia, 12 delas morrem. Assassinadas por homens.
Homens cometem a violência contra as mulheres, e, caso vc não tenha percebido, homens também são os agressores de homens, por isso morre tanto homem, porque os homens além de matarem as mulheres, também se matam. Entendeu? Ou a gente vai ter que desenhar?

Rosangela disse...

Nossa! Que revolta, que angústia e que medo eu senti com relação às atitudes do segurança e do dono da boate. Liberar o agressor e mandar a vítima "se divertir" indica que esses covardes certamente acharam que a moça estava fazendo tempestade em copo d'água por causa de uma simples cantada, que ela não tem senso de humor ou jogo de cintura. Que nojo desse tipo de atitude que, aliás, é muito comum em outras situações de abuso ou discriminação. Qual mulher, negra(o), lésbica, gay ou qualquer outra pessoa que tenha se ofendido ou indignado diante de uma agressão ou atitude discriminatória já não ouviu pelo menos uma vez: "ah, vai ser feliz! Pare de ficar procurando pelo em ovo! Deixa de mimimi!".

Julian disse...

Nina, tente ser mais educada, em momento algum eu ofendi ninguem. E sim, vc vai ter que desenhar, pq não entendo como as mulheres podem ser as maiores vítimas de violencia, sendo que 90% dos homicidios são praticados contra homens

Helena disse...

Eu só discordo de uma coisa, na verdade. Nem sempre em boate gay (como a menina do Facebook falou) as pessoas são tão educadas assim. Eu sou lésbica e tenho uma namorada. Quase toda vez que a gente sai, geralmente para boate gay, tem um cara que chega querendo entrar no meio. O ambiente ser predominantemente homossexual não inibe tanto quanto parece. Já teve cara literalmente entrando no meio do beijo (esse levou um belo tapa na cara) e outro que ficou cercando a noite inteira, mesmo a gente dando as costas, tentando chegar perto e colocar a mão nas nossas costas e ombros até que eu perdi a paciência e falei que ele estava numa boate gay e se não parasse eu apagaria meu cigarro nele.
Acho que a maior diferença entre a boate gay e a hétero é que na boate gay meu comportamento não foi condenado, já que os frequentadores sabem muito bem o que é ter que aturar desaforo aonde vão.

Robson Fernando de Souza disse...

Desculpem o off-topic, mas alguém mais aqui pensava que fosse Rihanna escrito errado?

Robson Fernando de Souza disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Robson Fernando de Souza disse...

Mascus e trogloditas afins, seres que se esqueceram de evoluir e resistem a sair da caverna.

Me dá temor vem um desses boçais se candidatando a algum cargo eletivo e sendo eleitos por conservadores e reaças em geral.

Nina disse...

Julian, querido. Não fique magoado, mas é bem difícil ver alguém dizendo que os homens são vítimas de violência sem dizer DE QUEM é a violência. Os homens que são vítimas de violência, são vítimas de homens violentos, entendeu?

Por favor, diz que vc tem neurônios, vai. Facilita.

Ok. Vou tentar desenhar. Vamos lá. Homens matam homens. Homens matam mulheres. Homens matam homossexuais. Ou seja, HOMENS MATAM. Entendeu?

E as mulheres são vítimas dos HOMENS. A vítima é a mulher. E os homossexuais e as crianças. Mas em maior quantidade, é a mulher. Porque homens matam mulheres. Bem, acho que agora, até uma criancinha entende, né? Faz favor...

Caroll disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pedro S. disse...

Julian, você comete um erro comum ao citar estatísticas. O fato de 90% dos homicídios serem sofridos por homens não tem relevância nenhuma ao analisarmos os casos de violência contra a mulher. Sua linha de pensamento equivale a, grosseiramente, dizer que pão causa câncer, afinal, 98% dos diagnosticados comem pão regularmente.
A análise da violência passa pela identificação da motivação do crime. Se ele foi cometido por um homem em situação de desigualdade de força ou posição (como em casos de assédio), é correto relatar o crime a um aspecto social muito mais amplo que o simples acaso. O machismo e a escolha de uma mulher, neste caso, partiram da atitude de recusa da aceitação de um flerte e, na cabeça do agressor, emasculação. Ameaçado em meio a diversas pessoas, partiu para o único argumento que um machista bêbado conhece: a violência.

Retornando às estatísticas, é preciso analisar com muito mais cuidado as razões dos homicídios. Dos 90% citados, procure saber qual a porcentagem de homens que sofrem violência doméstica, estupro seguido de morte e causas afins; é só com um grupo de análise muito menor que é possível usar dados como este em uma discussão.

Abraços,
@aboutpedro

Caroll disse...

Lola,
Sou de BH e fiquei horrorizada quando li o caso no facebook.
Espero que realmente ela processo o dono do estabelecimento, porque já que ele não preza pela "segurança" das mulheres que frenquentam, só sentindo no bolso que talvez ele tome consciência.
E quanto ao caso de Natal, o cara já foi denunciado pela ex-mulher, pela ex-namorada e também agrediu mais 2 mulheres que estão com medo.
O que esse mané ainda está fazendo solto?

Li disse...

Olá Lola! Conheci seu blog a um mês e desde então tenho o frequentado assiduamente. Tenho 25, diversos relatos iguais aos muitos que vi por aqui, o que é muito triste. Vi nas reportagens que esse agressor da Rhanna relatou que tudo foi um mal entendido. Lembrei de uma situação constrangedora pela qual passei, o homem dando a mesma desculpa: colega de classe da universidade, na faixa dos 40, casado, com dois filhos pequenos, sempre vinha emprestar caderno, pedir ajuda com exercícios das matérias. Entre esses pedidos, sempre tinha uma historinha de que ele traía a esposa dele, blablá. Um dia me abordou, dizendo que queria era casar comigo e bláblá, do nada. Cortei relações. Me senti desrespeitada, afinal sou noiva. Senti desrespeito pela esposa e filhos dele. Ele rapidamente tratou de espalhar a história de que era tudo "bincadeirinha, mal-entendido", que eu era muito séria. Todos os colegas acreditaram na versão dele, e eu tratei de ficar quieta. Ele saiu "por cima"da situacão. Sinal de que já está acostumado a lidar com ela.
De resto, gostaria de parabenizá-la, pelos textos, pelo blog. Abracão!

lola aronovich disse...

Julian, vir desvirtuar o tópico é coisa de troll, viu? Seguinte: a maior causa de morte violenta de mulheres é causada por parceiros ou ex-companheiros (namorados, maridos, ex etc). Isso se chama crime de ódio, ou crime de gênero, porque a pessoa é morta só por ser mulher. Quando um homem mata outro homem no tráfico de drogas, ele não mata por ser homem. Mas, quando um gay é morto espancado por andar de mãos dadas com o namorado, isso é um crime de ódio -- o cara foi morto por ser gay. Dá pra entender a diferença? Homens héteros (porém não brancos) e jovens são quem mais morre no Brasil e no mundo. Isso porque adotam comportamentos considerados "masculinos", esses comportamentos que nós feministas combatemos. Bebem, dirigem rápido, se envolvem no crime, resolvem problemas com violência. Se tivéssemos um movimento masculinista disposto a discutir esses graves problemas e a redefinir masculinidade, ao invés de chamar mulheres de vadias e eleger feministas como inimigas número 1, talvez o masculinismo pudesse ser um movimento sério.
E sobre mulheres irem a baladas, a sua sugestão ("Não vão") é absurda. As ruas também são um lugar hostil, sabia? Sua sugestão é que mulheres fiquem trancadas dentro de casa (também um lugar hostil, aliás)? Ou que façamos alguma coisa para que esses lugares deixem de ser hostis?

Nina disse...

Julian, como estou muito boazinha, vou tentar te explicar: Esses números abrangem todos os assassinatos. Homens que morrem nas guerras do tráfico, por exemplo. Ou em conflitos diversos ligados ao crime. E, sabe, não sei se você notou, mas pelas cadeias vc pode verificar que, apesar de existirem mulheres criminosas, a maioria esmagadora é de homens. Então vc não tem uma estatística dizendo que homens são vítimas das mulheres. Porque não são. Você tem uma estatística que abrange tudo. Mas eu tenho uma estatística oficial que já citei acima e vc não quis prestar atenção: No Brasil a cada 2 minutos, 5 mulheres são espancadas por homens. E 12 dessas mulheres morrem por dia. Assassinadas por homens.

yulia disse...

Aliás, se boate é um ambiente tão hostil as mulheres, pq elas continuam a lotar tais locais ?
________
conhece uma coisa que tem na constituição federal chamado direito de ir e vir?

yulia disse...

Citei o fato de 90% dos homicidios serem contra homens, para mostrar a grande mentira de dizerem que mulheres são as grandes vitimas da violencia.
_______
nossa, e esses 90% de homens morrem nas mãos de outros.. homens, puxa que coisa....descobriu a américa parabéns....

Lei disse...

Caro Julian,

peço que veja os dados abaixo:

"O risco de óbito por homicídio no Brasil em 2003 foi de 28 por 100 mil habitantes, sendo 12 vezes maior entre homens (53/100 mil) do que entre mulheres (4/100 mil)."(http://scielo.iec.pa.gov.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-49742007000100002&lng=pt&nrm=iss).

Resultados de uma pesquisa em BOs de Delegacias Gerais:
"-Resultou o levantamento de 623 ocorrências com 964 vítimas, das quais 669 mulheres e 294 homens (em um BO o sexo não estava identificado). Entre as 669 vítimas mulheres, 285 eram vítimas de homicídio e 384 de tentativa de homicídio."
"-A análise dos BOs mostrou que, na metade das ocorrências, o(a) agressor(a) é desconhecido. Entre os identificados, quando a vítima é mulher, 90% dos autores são homens."
"-Apesar das inúmeras lacunas que os BOs apresentam, observou-se que cinco em cada dez homicídios são cometidos pelo esposo, namorado, noivo, companheiro, "amante" (sic). Se incluirmos ex-parceiros, este número cresce: em sete de cada dez casos as mulheres são vítimas de homens com os quais tiveram algum tipo de relacionamento afetivo. É marcante a dificuldade com que homens aceitem que a mulher rompa um relacionamento (cerca de dois em cada dez crimes são cometidos por ex-parceiros)."
São dados de um estudo que pode ser lido aqui: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142003000300006

"Homens são responsáveis por 90% dos homicídios com arma de fogo."
(http://toquedeacolherbahia.blogspot.com/2011/05/homens-sao-responsaveis-por-90-dos.html)

Acho que você deveria elaborar um pouco mais o que você quer dizer com "90% das vítimas de homicídios são homens, mas isso não se fala."
Considerando que os homens são mais violentos(veja o que dizem os outros comentários) e que eles tem a maior responsabilidade sobre os supostos 10% das vítimas mulheres, não compreendo aonde você quer chegar. :)

denise disse...

É bem difícil entender o porquê de tanto ódio por parte dos homens, e como eles se apóiam em atitudes claramente injustas contra as mulheres, só por esse comentário estapafúrdio desse Julian, de que se as mulheres reclamam do que acontece na balada, que elas deveriam ficar em casa, da pra se ver claramente qual é a intenção por traz de toda essa violência contra mulher, é nos tolher a liberdade, é nos trancafiar em casa, é nos colocar numa burca com uma rede nos olhos, é nos tirar o direito à escolha, é nos tirar todos os direitos pelos quais lutamos.

Drixz disse...

Eu espero sinceramente que essas criaturas subdesenvolvidas sejam extintas. Estava pensando como a cultura é diferente. Aqui na Suécia as mulheres usam roupas curtíssimas e aí do cara que encostar nelas. Elas vão para balada para dançar e ponto.

crowley321 disse...

Braço quebrado desse jeito é coisa de profissional, isso se chama pit boy.

Balada é um ambiente muito imundo, nunca gostei disso,nem quando era adolescente.
E vou falar o que todo mundo sabe mas ninguem tem coragem de falar: também rola muita droga o tempo todo por ali

crowley321 disse...

1)E antes que falem que eu disse isso: droga não justifica, mas droga é um catalizador.

2)Vcs acham que tudo no mundo é o mascu, a reportagem mostrou bem que esse cara era um imbecil com todo mundo, inclusive com outros homens

denise disse...

Pelas estatísticas de violência contra a mulher e também contra os próprios homens partindo deles mesmos, Sopa de letrinhas vc não acha que ha imbecis demais entre os homens??? E que vcs em vez de ficar decendo o pau nas mulheres feministas e mesmo nas mulheres em geral, não estão contribuindo em nada.
Porque vcs não repensam a maneira como vêem o mundo, como se tratam entre si, e o tanto que são injustos no tratamento com as mulheres?

Lívia Pinheiro disse...

Às vezes eu tenho dó desses mascus. Porque o mundo perfeito para eles existe - e se chama Arábia Saudita, para ficar só com um dos inúmeros exemplos - mas eles têm uma necessidade tão grande de odiar tudo e todos que odeiam também os povos com quem têm grande afinidade de "pensamento" (entre aspas porque deveria haver uma palavra à parte para este tipo de esgoto que sai da cabeça desse povo).

Vinicius Siqueira disse...

"Aliás, se boate é um ambiente tão hostil as mulheres, pq elas continuam a lotar tais locais ?"

Neonazismo? Agora preciso ir embora e nunca peitar uma situação?

Liana disse...

São histórias comuns e é chocante ver como essa violência é bem aceita pela maior parte da população.

Se devemos evitar boates porque uma mulher pode ser agredida ali dentro, o que dizer da própria casa? A maior parte das agressões contra mulheres acontece no ambiente DOMÉSTICO e é praticado por alguém da convivência dela, se formos levar esse tipo de "lógica" a sério, é melhor que fiquemos na rua mesmo. Para uma mulher é mais seguro estar com um estranho do que com o próprio pai, marido, filho ou colega. Levando em consideração também que os BOs não refletem a realidade pois é mais fácil uma pessoa denunciar um desconhecido do que uma pessoa próxima. Há uma subnotificação muito grande nesses casos.



crow, esses homens são agressivos com mulheres E com outros homens que eles considerem "fracos".

Vinicius Siqueira disse...

"E vou falar o que todo mundo sabe mas ninguem tem coragem de falar: também rola muita droga o tempo todo por ali"

TODO MUNDO FALA FAZ TEMPO e todo mundo dá umas pitadas.

Paula disse...

Eu desisti de frequentar esses lugares já na adolescência, quando, com 16 anos, me agarraram e me "beijaram" (entre aspas porque minha boca estava fechada) a força, isso no ano 2000, imagina como deve estar a situação agora.. o problema é que as pessoas, todas, têm direito de ir a shows, micaretas, boates, se divertirem, e me revolta o argumento de que mulher que nao quer passar por isso não deve frequentar tais eventos.

Ingwen Deshoülières disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
denise disse...

Paula mas essa é a idéia por traz de todos os discursos contra o feminismo e de toda a truculencia com que a mulher tem sido tratada, que desistamos de tudo, de nos divertir, de nosso direito de ir e vir, de nossa cidadania.
É o recado implícito nessas atitudes de violencia, "VOLTE PRO SEU LUGAR" ou sofra as consequencias.

Francisca disse...

É odioso discutir violência no Brasil. Até aqui no blog, vem um acusar as mulheres de estarem com vitimismo. Sim, claro que os homens são as maiores vítimas de homicídio no Brasil. Por isso, é tão espantoso que muitos homens, que podem ser tão vítimas de uma violência gratuita como a Rhanna, estejam defendendo que contra as mulheres é normal.

Será que vocês acreditam mesmo que uma sociedade pode aceitar a violência contra metade da população?

Acordem! Se o Direito não punir homem que quebra o braço de uma mulher porque ela diz não, ele se desmoraliza e não serve para defender mais ninguém de nada. A coisa desmorona para todos. Qualquer idiota sabe que o primeiro sinal de que as leis morreram é o medo que as mulheres sentem de sai nas ruas. Larguem um pouco o fórum misógino e pesquisem como as mulheres se comportam nos países civilizados e naqueles que estão na iminência de uma guerra civil. Percebam a diferença! Claro que nos civilizados há menos violência contra todos e as mulheres se sentem seguras para sair de casa. Na guerra civil todos sofrem, mas os homens são mais assassinados que as mulheres, porque para o lado inimigo os homens são uma ameaça e as mulheres, bom são só mulheres, né?

Então, não sejam burros e parem de defender a violência contra quem quer que seja. Preservem o mínimo de Estado de Direito que nós ainda temos! Ou então, deixem de ser hipócritas e admitam que qualquer um tem o direito de espancar quem o contrarie. Basta ser mais forte. Não é assim que vocês querem?

Carina Prates disse...

Nós, mulheres, temos que lutar até as últimas consequências. Não podemos deixar que os nossos direitos retrocedam, ainda temos muito a conquistar.

Dayane Ok. disse...

Meu irmão disse "Eh,mas vai ver que ela era uma vagabunda!Vai ver que ela humilhou o cara!"

Cinthya disse...

Oi Lola,

off topic

http://cintiacosta.wordpress.com/2011/10/19/abuso-no-metro-engracado-pra-globo-fetiche-pra-playboy/

não pode-se esperar nada melhor vindo da Playboy ...

denise disse...

É isso ai Carina, eu como muitas mulheres, tenho muitos motivos p temer, pelo estilo de vida que eu levo, mas não vou retroceder, e embora nos mulheres que apoiamos a causa feminista sejamos muito diferentes em muitos aspectos, devemos nos unir nessa causa, e contar com nossa força coletiva.
Repudiar de todas as formas que pudermos cada atitude machista, e como a Lola disse num post passado.
"MEXEU COM UMA MEXEU COM TODAS"

aiaiai disse...

Acho q a ideia de boicotar todas as boates é um absurdo, porque vai contra a liberdade das mulheres. Mas um boicote à boate de BH onde aconteceu esse absurdo (e o dono mandou a menina curtir (?)) caberia, né?

Vamo embora mineiras. Boicotem a boate desse troglodita: o nome é Major Lock. Quero ver vocês fecharem as portas desse antro de mascu, a começar pelo dono.

Relicário disse...

É lamentável, ois dois casos são extremamente chocantes...
Sabe Lola, estou trabalhando num caso como assitente de acusação de uma menina que foi estuprada pelo seu patrão, e é revoltante demais perceber como a sociedade como um todo é machista.
A moça que sofreu a violência não conseguiu lutar com o brutamontes e por esse motivo as marcas no corpo dela foram mínimas.
Então vc imagina o que a mesma tem passado para comprovar que o ato sexual foi consumado contra a vontade dela.
A defesa já se pronunciou no sentido de estabelecer um romance entre ambos e inclusive a calcinha da moça foi motivo para deduzir que ela queria o ato sexual. Não basta dizer não...que homens são esses???
Eu não entendo, me preocupo com minha filha que só tem 08 anos, e ensino meus dois meninos o quanto o machismo prejudica homens e mulheres, o quanto ele não serve pra nada. É o que posso fazer de melhor, educar meus filhos para serem homens de verdade, além de tranformar todos os casos que conheço de violência contra mulheres em minhas causas pessoais também.

Angélica

Francisca disse...

Nina,

Você agiu super bem. Que cretino! Pior são os idiotas que acham normal o cara colocar a mão no teu seio. Fazer uma luta é sempre bom. Fiz caratê, porque se a gente grita por socorro ninguém ajuda. As pessoas são nojentas!

Helena,

Será que eles são piores com os casais? Tenho uma amiga que saiu no tapa com um sujeito que agarrou a namorada dela no estacionamento do shopping. Foi uma confusão. A namorada precisou intervir, porque minha amiga queria esganar o abusado. Pior é saber que ele não teria feito isso se minha amiga fosse um rapaz.

Shoujofan disse...

Hoje o Caderno Teen da Folha trouxe uma matéria relevante sobre a questão: Impunidade é motor de nova onda de agressões contra mulheres e homossexuais http://bit.ly/obXePT

Espero que não esqueçam o caso e que se torne vergonhoso que tais coisas ocorram.

E eu não frequento boate ou qualquer balada, mas engana-se quem acredita que mulheres estão sujeitas a violência somente em alguns espaços. A apropriação das mulheres é algo sancionado em uma sociedade patriarcal, às vezes, uma aliança pode te "salvar", mas não se engane, o "respeito" não é por você, mas por outro macho. A classe dos homens se protege.

lilsouto disse...

" Julian disse...
Aliás, se boate é um ambiente tão hostil as mulheres, pq elas continuam a lotar tais locais ? "

Simples, Julian. Ser mulher é complicado. Não existe UM DIA em que a gente possa sair na rua ou pegar um metrô com a plena certeza de que estamos seguras.

A rua é um ambiente hostil. Eu posso sair de camisetão e moleton, mas sei que vai ter homem lá fora mexendo comigo (acredite, é verdade). E não é porque eu sou bonita, é porque eu sou mulher.
Você acha que eu devo deixar de sair na rua?

As mulheres que são assediadas no metrô, pegam o metrô porque precisam (acho que ninguém pega metrô cheio por diversão, né?). Então, o que a gente faz? Pára de andar de metrô e se vira pra ir trabalhar?

Não é justo que a gente tenha que se privar das coisas só porque existe gente dominadora e sem noção que acha que somos obrigadas a (satis)fazer o que eles querem, só porque são homens. Se toca.

lilsouto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
André disse...

Discordo que uma boate é um local público e que o direito de ir e vir num local desses seja sagrado. É um estabelecimento comercial e deve seguir as regras sobre relações de consumo.
Em termo de reação informal, a mais eficiente é financeira, as mulheres deixarem de frequentar boates com histórico de agressão contra mulheres. Duas ou três noites com a casa só com homens e o dono vai ser bem mais receptivo às reclamações das mulheres.

Niemi Hyyrynen disse...

Ah já estou perdendo a paciência!

À partir do momento em que vc entra na puberdade pronto, seu mundo muda completamente! Agora seu corpo não te pertence mais, a gente passa a ser assediada constantemente e ainda vem fulano dizer pra nós o que devemos ou não fazer!?

Ah me faça o favor, tenta morder a guia da rua e vê se morre DIABO!

Mulheres morrem todos os dias por serem mulheres, pq são agredidas por esses babacas que tem medo, MEDO de vagina, essa é verdade, poxa sério mesmo? Eu não consigo entender um negócio desses, não tem um filho da puta desses que consegue vir aqui falar alguma coisa que se salva, eles não conseguem explicar o pq de tanta raiva! Só podem sentir ódio, pq se sentem ameaçados, inferiorizados, isso tudo é medo de vagina, vão crescer!!! Se aprendessem a lidar com mulheres, se aprendessem a nos tratar como gente, seria bom pra todo mundo, vc's mascus não ficariam nessa vida de masturbação trancados em casa querendo que a gente faça o mesmo!!

Eu quero ter o direito de ir e vir com segurança, eu quero curtir a minha vida e ser feliz, posso!?

Que se o lugar que eu vou rola droga, bebida o que for, não interess,a nada disso justifica a violência, consome droga quem quer, bebe quem quer, fuma quem quer, eu não tenho nada haver com a vida dos outros, pq os mascus, esses cretinos não podem fazer o msm? São uns infelizes, e querem que eu me torne infeliz tb? Ah! faz me rir...

¬¬

"Não gosto de balada desde que eu era adolescente"

PROBLEMA SEU AMIGO

Se vc não gosta de sair de casa, ótimo, viva sua vidinha enfurnado, mas não queria que as outras pessoas deixem de se divertir, queremos conhecer outras pessoas, MAS COM SEGURANÇA E RESPEITO, se é pra agir que nem doente, fique no conforto do teu lar.

Incrivel como vem esses trolls sempre despejar sua infelicdade aqui, vão procurar um psiquiatra.

Flávio Brito™ disse...

Eita...

Pequenas histórias cotidianas disse...

Olha, eu vou dar um exemplo, mas por favor, não entendam que eu acho que homens homossexuais agem assim, tá? Mas, pra essas criaturas entenderem o que a gente passa, talvez se um dias eles fossem numa boate gay e ficassem um monte de homens ticando neles contra a vontade. Diga-se de passagem que esse homens seriam bem maiores que eles em alguns casos. Novamente, não estou dizendo que é isso que acontece. Muito pelo contrário, boates gays são as minhas favoritas, eu me divirto horrores e amigos nunca soube de nenhuma história de homem ser atacado. Talvez abordado, mas com educação.

Åsa Heuser - Uma ateia de bom humor disse...

Excelente postagem. Divulguei em todos os canais que pude.

Bianca disse...

Sou de Natal, cidade cenário do episódio Rhanna. E se querem saber, cidade infestada de casos assim. Fico feliz que Rhanna esteja levando adiante, pois acredito que esse caso intimidará outros homens da cidade que são adeptos do "modo Rômulo" de agir.
Eu mesma já frequentei muitas boates na cidade e já fui vítima de muito desrespeito e violência.
Certa vez ao sair do banheiro de uma boate daqui, passei por um corredor apertado (que dava acesso do "dance" aos banheiros) e esbarrei meu braço no cigarro de aceso de um rapaz que não deveria estar fumando ali e que deveria ter cuidado com o cigarro aceso. Ao sentir a queimadura soltei um "ai" mais alto e o rapaz olhou pra mim, percebeu o que aconteceu, deu uma tragada e se virou. Sou o que costumam chamar de "arrebitada" por aqui (algo que pode significar ousada, intempestiva, brava...), e aí o chamei educadamente e expliquei a situação "ó, moço, você deveria tomar cuidado, machucou meu braço, tá vendo? e aqui não é área de fumantes" ao passo que ele resmungou e virou novamente e eu disse baixinho "podia ao menos pedir desculpas..." e segui meu caminho. Nesse momento o rapaz virou, puxou meu braço, me deu um empurrão e disse "não enche!". Achei aquilo um absurdo.
Deixei de frequentar boates regularmente em partes porque estou namorando um rapaz mais culto e caseiro, em partes porque me cansei do ambiente e principalmente porque os homens que frequentam esses ambientes não sabem respeitar as mulheres. Me cansei de sair com minhas amigas, ser abordada por caras que forçavam a barra e ironizavam quando eu dizia que "não, obrigada, já tenho namorado".
respostas como "ah é? e cadê ele?" ou "se ele não cuida da mulher que tem, não a merece". OI?
Acho que esses caras tem o mesmo pensamento desse Julian que veio postar aqui: acham que boate é self service, que eles podem se servir da mulheres como bem entendem e que mulher "comprometida" não tem nada que sair para se divertir. Mulher comprometida não deveria nem ter amigas, né? Pra que se ja tem namorado?
Um nojo, um ultraje, um absurdo.
Torço muito para ter filhos homens. Eu quero contribuir pessoalmente para a formação de um homem de verdade, provando a todos que ser homem nada tem a ver com ser machista, misógino e covarde.
Um beijo, Bia

bike disse...

Se sou o pai desta garota eu mando quebrar os 2 braços e as 2 pernas deste filho duma PUTA ! só isso !
ficava tetraplégico até morrer .

Ginger disse...

Eu tenho muito medo desse pensamento de empoderamento dos homens.

=/ vc diz um não e leva um torção, que presente!

Nossa e ainda culpam a menina por tudo, gente, aff vc ta na rua, apanha e é culpada, tá em casa tb...

Dai se um juiz bota um cara desses na cadeia ele ta levando tudo na "ideologia"

zuado!!!

Niemi Hyyrynen disse...

Viu Jullian? O que o seu amigo Bike disse?

"Se sou o pai desta garota eu mando quebrar os 2 braços e as 2 pernas deste filho duma PUTA ! só isso !
ficava tetraplégico até morrer ."

Isso resume muito bem a mentalidade machista, um homem resolve ser violento agindo sobre a mulher como objeto e o outro vai dar o troco agindo com violência como se fosse o dono.

No fim das contas um vai pra cadeia e o outro morre.

Depois vem vc dizer "coitadinhos dos homens, tb sofrem violência, mimimimi"

rizk disse...

Na entrevista que ela deu para um jornal local (http://www.youtube.com/watch?v=HKAb74lliA8&feature=player_embedded), ela descreveu o que aconteceu com mais detalhes.

Mas eu até gostei da reportagem do fantástico (exceção feita aos flashes das saias curtas das moças).

É muito corajoso da parte dela sair e dar assim a cara a tapa. Na entrevista dada ao Tribuna do Norte, ela dizia que muitas meninas sao vítimas de puxão de cabelo, tapa na cara, etc. E que ela estava se expondo não só pra que a Justiça fosse feita pra ela, mas que para as outras moças perdessem o medo de denunciar.
(perguntada se tem medo, ela até diz "se o senhor tá falando de morte, pelo menos se eu morrer mais cedo que seja por uma coisa útil", FODA hehe)

Muito dignos também os pais dela no Fantástico: a mãe falando da liberdade das mulheres em dizer "não quero você" e o pai dizendo que o homem tem que acatar.

Ontem estava deprimida com a classe dos estudantes de direito, mas agora minhas esperanças foram renovadas. =D

Julian disse...

Duas observações

1)O fato da maioria dos agressores serem homens, não muda o fato deles também serem as maiores vitimas.

2) Não to dizendo que mulheres não tem o direito de irem em boates, só me pergunto pq vão, afinal de contas só contam problemas que por lá passam. Essa comparação com as ruas não tem nexo, já que ir em boates não é uma necessidade.

bike disse...

cara niemi :
o que vc como pai ou mãe faria numa situação destas ? ficaria calma e tentaria escrever meia duzia de comentários indignados num blog , ou teria uma ação de verdade , esperar pela justiça ? vc tem filhos ?
minha reação não é de dono não !!! mas de revolta !!! um animal como aquele não tem NADA que vá corrigi lo ! nem justiça nem muito menos ,meia dúzia de comentárizinhos num blog feminista !!! ACORDA FILHA!!! É PAU NELE MESMO !

Arlequina disse...

Gente, queria chamar a atenção de vocês pros comentários da nota do facebook sobre a boate em BH.

Tem um monte de gente defendendo a coisa pelos motivos errados... e a maior parte coloca a culpa nas próprias mulheres.

É aquela história: "mulheres que deixam isso acontecer, 'putinhas de luxo', dão a impressão de que isso é normal e daí o brutamontes vai lá e tenta fazer isso numa mulher honrada, dá merda.".

É uma pena que o pessoal não enxergue mais amplamente. Quem eles acham que disse que a mulher queria? A mulher ou o fdp que abusou dela? Sei lá, nunca conheci uma mulher que deixou. Já conheci mulheres que ficaram sem reação - já conheci mulheres que não tinham tamanho pra reagir com o cara.

Janaina disse...

Lola, o pub em questão é na minha cidade e se chama MAJOR LOCK. Até agora, ninguém do estabelecimento se manifestou sobre o caso, que está correndo rápido pelo Facebook e gerando cada vez mais indignação - inclusive entre os homens (quer dizer, aqueles que SABEM se portar frente a um não de uma mulher).
Aqui também está muito perigoso para as mulheres sairem a noite. Eu mesma estou ficando com medo, porque não vou para a balada para pegar homem, logo, não tenho obrigação de dizer só "sim" para ninguém. Mas e agora, como é que a gente fala "não"? Sério, isso me assusta muito, especialmente porque venho de épocas em que eu mesma saía sozinha a noite e não tinha problemas - mas agora... é tão triste que nem sei dizer. =[

Lívia Martins disse...

Esse caso foi um absurdo. Mas, pior que isso, é saber que esse não é um caso isolado.

Mordechai disse...

Convenhamos, esses sujeitos só fazem esse tipo de abordagem violenta porque as mulheres gostam, elas próprias exigem que o cara tenha pegada, seja firme e seguro. Um só bombadinho desses que chega agarrando come mais mulher que todos os sujeitos educados e respeitadores do mundo juntos.

Lord Anderson disse...

Relicario

Tenho duas sobrinhas de 8 e 9 anos, e sinto o coração apertado cada vez que vejo uma noticia dessas, ou sobre violencia infantil ou quando vejo pessoas como os trolls que aparecem por aqui.

Que tipo de sociedade elas vão enfrentar, com pessoas com tanto odio, tanta incapacidade de ter empatia?

Só posso ensina-las a nunca acreditar em toda merda que esses odiadores de mulheres falam.

A não aceitar esse julgamento de duas medidas e á lutar por sua dignidade.

Mas dá um preocupação seria.

Lord Anderson disse...

Mordechai

estranho


não conheço nenhuma mulher que goste desse tipo de abordagem.

quem fala isso geralmente são homens tentando justificar e de alguma forma jogar responsabildiade nas mulheres;

M disse...

Fui na página do Facebook da tal Dani, mas dá até tristeza ler alguns comentários. Tem amigos dela dando "força" e dizendo que a culpa desse tipo de coisa acontecer é das mulheres que saem só para "dar" das "putinhas de luxo"... Até quando as pessoas vão achar que homens não têm qualquer controle do seu desejo sexual e que agem dessa pq foram provocados ?

Mordechai disse...

Sem contar que quando um homem é espancado numa boate até ficar todo quebrado, coisa que acontece diariamente, o Fantástico não vai fazer reportagem com o indivíduo, conversar com os pais. É considerado normal que um homem seja vítima de violência, que fosse mais forte pra revidar e não apanhar. Como as mulheres vivem a vida no "easy mode", qualquer coisinha vira esse escândalo, quebrou um braço e a sociedade inteira aparece pra amparar...

Lord Anderson disse...

Pronto

ja começou, o mimimi de que vida de mulher é "facil".

vó te contar,

e braço quebrado virou qualquer coisinha.

serio dá vergolha alheia.

Ingwen Deshoülières disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ingwen Deshoülières disse...

Mordechai, eu queria ver se vc conseguiria viver essa "easy life" das mulheres. E o fantástico fez sim reportagem sobre agressão de pityboys a homens em boates, mais de uma, vc q anda desinformado. Veja numa boate ou em qualquer lugar quem é que sofre mais desrespeito só por ser quem é, uma mulher ou um homem... Vc vê mts casos de homens estuprados/violentados? Pq de mulher...


Julian, vc tem ctz q tem qi suficiente pra dar palpite aqui? Por que será q os homens morrem mais? Pq eles são homens? NÃO! Porque eles se arriscam mais, reagem mais a assaltos, arranjam mais briga. Além do que, grande parte dessas mortes são de pessoas envolvidas com crimes como o tráfico, em que há vingança por não pagamento, disputas por área etc. A maioria dos crimes são cometidos por homens, então a maioria da mortes relacionadas a crimes como roubo, tráfico etc são de homens. Se um homem se machuca numa boate é, na maioria das vezes, pq arranjou uma briga. Já uma mulher não tá fazendo nada quando a abordam e ela geralmente só diz não ou tenta se desvencilhar. Ou vc tem dificuldades de aprendizado/ entendimento ou finge que tem.

Liana disse...

Pois é, Niemi. A gente ainda precisa explicar bem mastigadinho porque tem quem não entenda.

Muito dessa cultura de violência que nós vemos vem do patriarcalismo e do machismo, ideologias que veneram a violência como um ideal de masculinidade, fonte de auto afirmação para eles. Alguns acham que sua agressão é mais justificada que a dos outros, mas não muda o fato de que na maioria das vezes é perfeitamente evitável. Na mente da população ainda vigora a Lei de talião ou nem isso já que algumas reações são pura selvageria.

E que observação mais absurda (como sempre) desse Mord... até pouco tempo sequer se falava abertamente da violência contra mulheres, inclusive pela Lei. O mundo ainda é essencialmente masculino, a cultura machista permanece forte, as questões dos homens dominam os noticiários e a vida pública. Mesmo o espaço destinado às mulheres ainda reflete o modo como a sociedade machista gosta de representá-las. As mudanças que finalmente estão ocorrendo em benefício do respeito à mulher não são mérito desses preconceituosos de plantão e continuarão a despeito deles.

E que sociedade inteira é essa que aparece para amparar? A tal da sociedade "bucetista" ou coisa que o valha? Deve ser em outro planeta, né. Que coisa mais ridícula.

Relicário disse...

Bem nessa Lord Anderson, espero que meus filhos, os homens que eu crio tenham a mesma mentalidade que vc tem...

Angélica

Paola disse...

Sinceramente, ando mto preocupada com a inversão de valores do mundo em q estamos vivendo.

Ainda bem q a Rhanna não se calou e quer ver a punição desse marginal!

crowley321 disse...

' "Não gosto de balada desde que eu era adolescente"

PROBLEMA SEU AMIGO

Se vc não gosta de sair de casa, ótimo, '

Putz, e quem falou em sair de casa? No mundo não existe pizza, cinema ou teatro?

Realmente, existe um problema de interpretação de textos muito grande aqui.

LisAnaHD disse...

Drixz
Na Suécia não existe uma tal Rede Globo de Televisão promovendo a violência contra as mulheres... sim, as novelas da Globo são um exemplo maléfico de como a mulher é rebaixada, destratada... adjetivos como vagabunda, sem vergonha, vadia e afins se tornaram parte integrante das novelas da Globo. -- Aliás, de na Suécia a TV apresentasse isso a bel prazer como a Globo Brasil o faz, certamente as mulherres suecas escreveriam cartas à emissora e boicotariam o canal.

=======
aiaiai disse: - "Acho q a ideia de boicotar todas as boates é um absurdo, porque vai contra a liberdade das mulheres."

Não, não é um absurdo qdo se trata de defender direitos a que o post se refere e tb não vai contra a liberdade das mulheres, pois uma greve assim mostrará a força da mulher!

André disse: - "Duas ou três noites com a casa só com homens e o dono vai ser bem mais receptivo às reclamações das mulheres."

Pequenas Histórias Cotidianas disse: - "Deixei de frequentar boates regularmente em partes porque estou namorando um rapaz mais culto e caseiro, em partes porque me cansei do ambiente e principalmente porque os homens que frequentam esses ambientes não sabem respeitar as mulheres."

Verô! disse...

A Globo manda uma reportagem dessa no fantástico enquanto tem a pachorra de exibir aquele quadro infame no zorra total... isso é ultrajante, sério.

Verô! disse...

Em tempo! A televisão é uma concessão pública e deve, conforme a legislação brasileira, cumprir um papel social. É um absurdo que empresas televisivas usem esse espaço público para disseminar absurdos como CQC, Zorra Total, Pânico na TV e demais programas que perpetuam preconceitos. Devemos nos organizar para levarmos à cabo um sistema de controle social da Mídia, tal como existe na maioria dos países desenvolvidos.

crowley321 disse...

'Pelas estatísticas de violência contra a mulher e também contra os próprios homens partindo deles mesmos, Sopa de letrinhas vc não acha que ha imbecis demais entre os homens??? '

Acho, mas nem esse n é o único critério pra se identificar imbecis, nem todo criminoso é imbecil.

Niemi Hyyrynen disse...

G-zus!!!

Bike

Eu como mãe, processaria o sujeito e a boate, por mais que eu ficasse revoltada com a situação, eu manteria a civilidade, gosto de pensar que vivo numa sociedade minimamente organizada e para tal faço minha parte, agindo dentro dela conforme os preceitos legais.Ponto.

Segundo: MAIS RESPEITO COM OS ANIMAIS!

É muito foda da sua parte vir querer comparar este ser com algum animal, animais não saem atacando a torto e a direito só por capricho.

Terceiro: Vc agiria como se fosse dono da sua filha sim! Duvido muito que qualquer MULHER aprovaria uma vingança estúpida! Dá-se a entender que vc faria o que disse por orgulho de macho ferido, não para diminuir o sofrimento da sua filha (que filha em sã consciência sentiria sua dor diminuir ao ver seu agressor sofrer da mesma violência?)

Veja bem que eu frisei o MULHER, pq vc como HOMEM está dando palpites sobre como uma pessoa que não é vc, reagiria, é muita cara de pau msm essa de vc's acharem que sabem o que é melhor para a situação sempre.

Mordecaih

Olha, não é por nada não, mas isso já está bem desenhadinho aqui no blog da Lola tá?

Homens agridem outros homens, homens matam homens e mulheres.

Quem bate tb apanha sabia!?

Guarde seu mimimi pra vc, acha a sociedade "bucetista"?

Se tranque numa bolha anti-vagina então. E seja infeliz :)


Liana

Quando eu crescer quero ter a sua PACIÊNCIA

Raquel disse...

Olás,

Não sei se já comentaram, apesar da matéria ter sido boa, e a reportagem não ter responsabilizado as vítimas, fiquei incomodada com os closes nos decotes e formas das roupas, não precisavam nem dizer nada... tem vários momentos em que a câmera filma as pernas/decotes/saias das entrevistadas ou das moças na balada...
enfim, demonstra o disparate de um canal fazer essa reportagem mas ao mesmo tempo manter quadros como o zorra total ou as novelas ultra-machistas...

adorei o post Lola! como sempre!
beijos
Raquel

Mordechai disse...

"Mordechai, eu queria ver se vc conseguiria viver essa "easy life" das mulheres. "

Não deve ser tão difícil, afinal de contas, homens se matam 4 vezes mais do que mulheres, é óbvio quem tem a vida mais fácil.

Raquel disse...

Acho que não fui clara no comentário anterior, pode ficar dúvida.
Fiquei constrangida com os closes nos decotes, pois sugerem, indicam que nós mulheres seriamos culpadas pelos assédios... apesar da reportagem não dizer nada verbalmente...

enfim, é isso...
Raquel

Aoi Ito disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Priscila Boltão disse...

Tenho que vir quebrar o encanto....
Eu só ia em baladas gays, quando ia. Não gosto de balada, mas ia acompanhar um amigo, que é gay.
Pois bem.
Pra resumir uma longa ópera, um cara veio me beijando. Honestamente, eu não liguei na hora, eu estava afim. É bem comum vc encontrar montes de homens heteros em baladas gays por aqui, pq aparentemente eles descobriram q as mulheres acabam indo pra lá. Depois de um tempo, o sujeito começou a avançar o sinal, eu não gostei, ele continuou como se eu não tivesse dito pra parar.
Resultado:fomos OS DOIS expulsos pelos seguranças, que assumiram afinal q eu era uma puta. Depois ele se desculpou e eu ACREDITEI, e depois eu sofri abuso dessa pessoa.
Não, nem em balada gay a gente tá livre e eu sou a prova.

Nina disse...

crowley321
"e quem falou em sair de casa? No mundo não existe pizza, cinema ou teatro?"

Pois é, foi justamente quando fui comer uma pizza com uma amiga que um cretino tentou me beijar e colocou a mão no meu seio. O problema não é onde a mulher vai, o problema são os homens que nos atacam. O problema é o machismo, que tenta inclusive, na forma de "conselhos" como o seu, dizer onde podemos ou não ir, como podemos ou não nos vestir... Nós, mulheres, na sua opinião, devemos abaixar a cabeça, aceitar, nos resignar e obedecer. E os homens devem continuar agarrando a força, mostrando que vocês é que mandam e que as mulheres são esses seres inferiores feitos apenas para satisfazer os desejos masculinos. Ora, vai se tratar!

Aoi Ito disse...

LÓGICA DOS COMENTÁRIOS:

Problemática:

- Homens morrem mais que mulheres
- Homens matam homens, mulheres, crianças, lésbicas, gays, alienígenas, reptilianos e dinossauros

Solução adequada:

- Acabar com essa noção estúpida de masculinidade violenta que faz homens, mesmo sendo a classe dominante, se matar e matar outros pela dominação

Solução de acordo com os comentários:

- Fazer nada! ¯\(ツ)/¯ Afinal, se homens matam homens (E mulheres e crianças), mesmo sendo a classe dominante, isso significa que eles sofrem mais que as mulheres. Então as feministas não têm do que reclamar. E tentar acabar com o motivo para tanta violência vai diretamente contra minha masculinidade, que diz que homem bom é homem violento e dominador. Então vamos deixar como está e ninguém pode mais reclamar!
- O conceito de masculinidade é mais importante que a vida de homens (Que são tão importantes, mesmo que morram "mais" por sua própria idéia do que é ser homem) e de mulheres (Que são menos importantes, mesmo que sejam tratadas como cidadãs de segunda classe)

RESUMINDO:

¯\(ツ)/¯ ~ (Foda-se!)

Relicário disse...

Mordechai

Então o suicídio de homens também é culpa das mulheres???

Não seria culpa de vcs, que não possuem estrutura emocional para aguentar a sociedade machista que vcs tanto defendem???

Pense comigo, se os homens não precisassem provar sua masculinidade o tempo todo, não precisassem assumir todas as despesas, se vissem na mulher um ser igual, e não alguém para mandar ou ter, será que não reduziria o número de suicídios entre homens???

Eu tenho plena certeza que sim.

Teresa Silva disse...

Sobre situações de perigo em geral, não adiante pedir ajuda para os seguranças do estabelecimento por que eles estão ali para proteger o patrimônio da casa, não as pessoas. Se o cara que agarrou a Dani estivesse quebrando mesas e cadeiras ou tentando sair sem pagar a conta, aí a segurança interviria. Isso quando não pioram as coisas agredindo as pessoas por que não receberam um treinamento adequado.

.. disse...

Da forma como esses mascus falam, parece que eles não querem mulheres em baladas. Huummmm...

Ingwen Deshoülières disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ingwen Deshoülières disse...

Mordechai, os homens "se matam" mais porque cometem mais crimes e pq arranjam briga por tudo, são raros aqueles que sabem resolver as coisas sempre com calma, conversando, sem usar de violência ou agressões verbais.
Queria ver vc sofrer todos os dias os preconceitos e os desrespeitos que eu e todas as mulheres sofrem e já sofreram. A obrigação das mulheres é mt maior que a dos homens e, ainda por cima, os homens têm mais liberdade em tudo. Hoje as mulheres trabalham tanto quanto os homens, ganham menos, e quando chegam em casa são elas que têm a obrigação de cuidar dos filhos, fazer almoço, limpar a casa e ainda cuidar do marido como se ele fosse criança (segundo a sociedade essas obrigações são das mulheres, eu acho um absurdo, os dois deveriam ter as mesmas obrigações). Quem vc acha que tem mais liberdade de sair na rua e se divertir, homem ou mulher? Se vc tem uma irmã deve ter visto a difenrença com que seus pais a tratavam de vc, dando mt menos liberdade pra fazer e até dizer o que quisesse. Vc não aguentaria uma semana num corpo de uma mulher. Tente se pôr no nosso lugar e se vc tiver um mínimo de consciência vai enxergar isso, mas acho que vc n tem. Os homens sempre tiveram liberdade e respeito, a mulher ainda luta por esses direitos até hj, em pleno século XXI.

Ingwen Deshoülières disse...

Queria entender pq as mulheres são menos importantes que os homens. Sabia que se não fossem por mulheres nenhum de vcs teria nascido? E num futuro bem próximo as mulheres não precisarão nem do esperma dos homens para ter filhos, pq já foi realizada com sucesso a experiência de criar um outro ser humano com dois óvulos, sendo, porém, todas mulheres, pois só têm os cromossomos XX. hahaha

bike disse...

Niemi , vc tem filha ? porque se não tem , não sabe como agiria ok ... E é fácil falar em blá blá blá sobre civilidade quando se vive num lugar que leis são respeitadas , quando não está na pele de quem tem a filha com o braço quebrado por um motivo como este , e pensa que processar o vagabundo ou a boate vai resolver muita coisa ???
Ainda bem que tive pai e mãe que não pensavam como vc , to aqui inteirinho , lembro de minha mãe dando uns cascudos numa vizinha poresta ter batido em minha irmã que era bem pequena na época , acho que minha mãe tb tinha POSSE sobre os filhos , ou queria demonstrar seu MACHISMO ...

Niemi pare com o blá blá blá ...

.. disse...

Eu acho muito retardado alguns machinhos virem falar que "mimimi os homens são as maiores vítimas da violência e ngm fala nada" e não perceberem que a culpa disso é do próprio machismo que eles aprendem desde pequenos. É do próprio machismo que afirma que o homem tem que ser "macho alfa" e provar sua masculinidade (como se a mesma tivesse tanto valor assim) por meio da força e da violência. Os homens deveriam se envergonhar disso tb. São a maioria da população carcerária, são a maioria ligada ao tráfico e à guerra urbana, são os maiores acusados de violência doméstica e sexual, e se machinhos são vítimas de algo, é do próprio machismo que eles tanto perpetuam. Homens só vão parar de morrer pelas mãos de outros homens quando deixarem de lado essa busca incessante pela afirmação da masculinidade estúpida.

Lord Anderson disse...

Relicario

e eu espero que mais crianças com ideias humanistas e igualitarios.

denise disse...

Concordo com a Niemi, toda essa truculencia masculina com as mulheres é MEDO, medo da vagina como ela disse, parece que grande parte dos homens estão com uma sensação de perda enorme, por estarem sendo ameaçados na sua dominação, não conseguem de modo algum nos ver e aceitar como iguais em direitos, cheguei a ler em varios blogs machistas que a liberdade da mulher é imcompátivel com uma sociedade organizada.
A mulher e o feminismo viraram o grande bode expiatório desses homens covardes.
Talvez eles mesmos se sintam incompetentes diante da nova mulher.
Sei que é perda de tempo dizer pra eles que não representamos perigo algum, que nós queremos liberdade mas não só a nossa, a deles tambem, queremos ser parceiras em tudo, até na luta pela vida, precisamos deles pra amar.
Queremos que eles vivam, e por mais mal que eles nos causem, dificilmente uma mulher deseja ou efetivamente mata um homem, não é da nossa natureza.
Eles que se julgam tão fortes, não conseguem ver a covardia com que tem agido, não se recriminam, não procuram mudar a relação entre eles.

ju moraes disse...

Nossa muito bom a repercusão q este caso está tendo, já q esse tipo de violência é comum nas boates. tnho muita esperança q com a divulgação de histórias cm estas farão com q os homens acabem se conscientizando de q devem ACEITAR UM NÃO! Lola amoo seu blog, descobri ele há alguns meses e TÔ VIVIADA!! Leio tds os dias e tmb os posts + antigos.

crowley321 disse...

'O problema é o machismo, que tenta inclusive, na forma de "conselhos" como o seu, dizer onde podemos ou não ir...'

Eu tava falando de onde EU vou.

ju moraes disse...

Muito boa a divulgação q este caso está tendo, qm sabe assim os homens começem a ACEITAR UM NÃO. Vi a matéia no fantástico e confesso q cheguei a me espantar tmb q em nenhum momento tentaram justificar a agressão pela roupa q Rhanna usava, ou q n era um local para uma "mulher descente" freqntar. Lola amoo seu blog, já tem alguns meses q o leio tds os dias, e tmb os posts + antigos TÔ VICIADA!!

crowley321 disse...

'Concordo com a Niemi, toda essa truculencia masculina com as mulheres é MEDO, medo da vagina como ela disse'

Isso dai tem tanta base quanto a lorota da inveja do penis, não é apelando pra essas merdas pseudocientificas que vcs vao diminuir violencia nenhuma.

Niemi Hyyrynen disse...

Bike

Eu tenho filhas?Não mas eu poderei ter se quiser.

Vc é mulher?Não e nunca poderá ser uma ao menos que se torne um transexual (que para vc deve ser assim tipo, algo muito terrível).

Se sua mãe ou pai ou que seja, deu esse belo "exemplo" batendo em vizinhas, eu serei bem o contrário e veja pq:

Pq minha filha, meu filho, não será assim como vc, que vê na violência a justiça, que educação é essa que vc recebeu indiretamente através de atos de ignorância? A sua mãe sabe que seu filho pensa desse modo escroto?

Eu teria muita vergonha, teria me arrependido amargamente em ter dado exemplos tão violentos de como se resolver as coisas, taí o filho que não deixa mentir, vir defendendo o "olho por olho dente por dente" em pleno século XXI.

ntwsopadeletrinhas

Vc ainda teima na advinhação né?

Eu disse, se vc não gosta de sair de balada ótimo, viva assim, terei que especificar cada palavrinha?

Se vc tem liberdade de escolher o programa que vc quer fazer, eu como mulher tb quero ter esse direito e NÃO PRECISO DO SEU CONSENTIMENTO.

VLW?

Niemi Hyyrynen disse...

"'Concordo com a Niemi, toda essa truculencia masculina com as mulheres é MEDO, medo da vagina como ela disse'

Isso dai tem tanta base quanto a lorota da inveja do penis, não é apelando pra essas merdas pseudocientificas que vcs vao diminuir violencia nenhuma."

ntwsopadeletrinhas

Olha, vc não sabe interpretar texto, ok, mas tb não sabe quando uma pessoa está usando uma força de expressão?

Não tem nada de "pseudo cientifico" no medo de vagina, isso foi apenas uma forma de dizer que vc's homens estão sentindo que seus previlégios estão sendo ameaçados.

ok?

Arthur Malaspina disse...

Que coisa... como tem homem imbecil por aí... não só esses criminosos que agridem mulheres ( e não colocarei motivos, porque não existem motivos para se agredir NINGUÉM, muito menos uma mulher) mas também imbecis que simplesmente ignoram que isso acontece e que acham que a culpa é da mulher... sério, como essas pessoas se olham no espelho?

Julian disse...

Mulheres não são mortas por serem mulheres, e sim pq se relacionam com homens violentos

Pq será que todo presídio tem filas de mulheres ?

L. disse...

Lola, sou de Belo Horizonte e também fiquei sabendo do caso da Dani por Facebook. E, sinceramente, não me surpreendeu.
Eu já fui vítima de agressão nesse mesmo local, e jurei que NUNCA mais voltaria lá.
Fui a um show no Major Lock, show do meu namorado, e fui para acompanhar e curtir. No meio do show resolvi ir ao banheiro sozinha.
A fila para o banheiro masculino e feminino é a mesma. Enquanto eu esperava para entrar, vi 3 meninos ( sim, meninos, pq isso não é homem pra mim) cochichando e rindo. Ok, entrei no banheiro, fiz o que tinha de fazer e saí. Aí, aconteceu, os três passaram a mão na minha bunda, e quando eu olhei pra eles, sem reação, eles começaram a rir e saíram.
Acabaram com a minha noite. Mais tarde, na hora de pagar, vi que um deles falava inglês.
Ou seja, provavelmente os outros dois deveriam estar "ensinando" ao estrangeiro como é que se trata mulher aqui no Brasil.
Me arrependi muito de não ter reagido, já que, eu geralmente sempre dou no mínimo um tapa na cara. Mas fiquei sem reação, e com medo. Já que, eles eram três, e eu uma só. E quem faz isso, é capaz de fazer mais.

Liana disse...

"merdas pseudocientificas". já percebi que trolls tem verdadeiro horror a psicologia e afins. desqualificam tudo o que possa vir a colocar em xeque o comportamento bizarro de vocês. Olha, o mito da vagina dentada se aplica muito bem aos misóginos. admitir isso seria vergonhoso né :)



bike, por que não para você com o blablabla? quantas mulheres são agredidas, assediadas, estupradas e nem pai nem mãe saem por aí em busca de vingança ou fazendo "justiça" com as próprias mãos?



"Mulheres não são mortas por serem mulheres, e sim pq se relacionam com homens violentos".

(deboche) não, imagina. não existe crime de ódio, nem misoginia, homofobia. apartheid, por ex., não existiu. aquilo foi só porque os negros tapados se aproximaram de brancos violentos. depois eles tomaram vergonha na cara e se afastaram. simples assim. (fim do deboche)

bike disse...

Liana , se eu fosse uma mulher e feminista , aí sim poderia falar em quebrar o safado que fez aquilo com a garota , mas como sou homem , tenho de ficar calado ! ok entendi o seu recado , liberdade de expressão sempre desde que seja pra feminista ! então se contentem em reclamar no blog da lola .

Vinicius Siqueira disse...

"1)O fato da maioria dos agressores serem homens, não muda o fato deles também serem as maiores vitimas."

Qual a relação com o caso definido pela postagem da Lola?

Os homens são as maiores vítimas de agressão quando não querem beijar outros homens?

Vinicius Siqueira disse...

"Liana , se eu fosse uma mulher e feminista , aí sim poderia falar em quebrar o safado que fez aquilo com a garota , mas como sou homem , tenho de ficar calado ! ok entendi o seu recado , liberdade de expressão sempre desde que seja pra feminista ! então se contentem em reclamar no blog da lola ."

Não. Porém vc foi a expressão perfeita do que é o machismo. Parabéns por ajudar nosso debate.

Rubens disse...

Homens

"Hombridade" não é sair agredindo ninguém, acho que dignidade e respeito sim definem carater, poxa gente, é tão dificil tratar as mulheres com respeito, respeito este que elas merecem?

Olha, um homem reconhecer a mulher, como plena, digna de respeito não deveria ser nenhum "favor" nem um "ato solidário" é OBRIGAÇÃO

Que medo é esse? Quando a mulher conquista o seu espaço, ela não está necessariamente tirando o nosso, há liberdade e realização para todos de sobra.

Esses trolls não sabem o quanto eles prejudicam a si mesmos odiando as mulheres, ganhariam muito mais se preferissem conviver em paz!

Estou super no apoio dessas meninas corajosas, é preciso gritar para romper o silêncio!

bike disse...

niemi , minha mãe errou feio em defender minha irmã né ?! ela devia era ter corrido pra dentro de casa , direto pro computador e ter mostrado toda sua indignação escrevendo no blog da lola , aí sim teria resolvido todos os problemas kkkkkkkkk

Ahhh sim se existisse o blog da lola naquela época !

denise disse...

bike poxa vida o tempo inteiro estamos aqui querendo por fim a violencia contra os homens e mulheres, vc parou pra pensar em como vc esta propondo tratar esse caso de violencia????
Com mais violencia, tente pensar em outras soluções.
É isso o que nós feministas queremos um mundo sem violencia pra vc pra mim pra todos.

denise disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
yulia disse...

''O fato da maioria dos agressores serem homens, não muda o fato deles também serem as maiores vitimas.''

mas é de homem para homem certo?


''Não to dizendo que mulheres não tem o direito de irem em boates, só me pergunto pq vão.''

que tal porque ela tem o direito de escolher onde quer ir sem ser importunada
por animais de teta feito esse romulo? não somente em balada , nas ruas , nos metros
nos onibus.... não importa onde vamos, sempre vai ter um machista nos enchendo o saco
querendo nos tolher. se for pensar como vc, nunca mais sairemos de casa para nada,
ou tem que sair de burca. o fim da picada!

Essa comparação com as ruas não tem nexo,

tem nexo sim...é tolher a liberdade, se vc for na rua não pode ir com roupa
tal, ah não quer ser perturbada , não vá em baladas, ela foi para se divertir
e não para ser amolada por um boçal incapaz de lidar com mulher.

Liana disse...

Não, Bike. Nem mulher feminista nem homem. E também não me contento em só protestar em blogs, eu participo de projetos de conscientização de jovens e cidadania, e você? Essa proteção contra a violência eu quero para mim, para você, para esta moça que teve o braço quebrado e para o sujeito que a agrediu. Que ele seja julgado e receba a punição que a lei prevê, nem mais nem menos. E antes que alguém aí diga "ah, você só fala isso porque não foi com você", bem, eu já fui agredida, mais de uma vez diga-se de passagem, e continuei não desejando a morte de ninguém.

Temos que cobrar das instituições a proteção que nos é devida e trabalhar a conscientização da população acerca desses temas, começando por nós mesmos, já chega de violência, né.


É "engraçado", mulheres botam mais fé na melhoria dos homens do que os próprios machistas que são maioria e que se acham tão cheios de razão. Depois ainda dizem que somos cheias de mimimi.

yulia disse...

Pq será que todo presídio tem filas de mulheres ?

essas perguntinhas são de lascar...

porque? muitas delas são mães dos presos, irmãs, esposas que temem larga-los pois se fizer isso, podem ser mortas ou os seus filhos podem morrer.

Ana Vitória disse...

Violência só gera mais violência e não é disso que precisamos. Punição sim. A volta ao código de Hamurábi não. Temos é que fazer valer a nossa justiça e cobrar sempre melhorias nela para que o uso de força física na punição não seja nunca necessária.

Niemi Hyyrynen disse...

Bike

Sua mãe errou sim em ter reagido com violência, olha só pra vc, que belo ser humano vc se tornou...

Eu já me envolvi em confusão, isso é coisa de criança, mas minha mãe não bateu em ninguem, pelo contrário me fez ir na casa da outra criança pedir desculpas, pra ela e para os pais dela. Pedidos de desculpas feitos igualmente pela outra menina.

Acho mais digno, aprendi que quando erramos devemos ter humildade de pedir desculpas.

Não sair por ai quebrando braços e pernas para o outro morrer aleijado.

tsc tsc

Sim sou chata, MAS MUITO CHATA MESMO, para pessoas como vc.

do meu jeito eu ajudo as pessoas, já ajudei ongs, tanto com trabalho voluntário quando com dinheiro, não fico só em blogs "reclamando"

Aliás, é o que vc e tantos outros trolls fazem né?

Vc's adoram vir aqui todo dia ficar de mimimi. Siga seu próprio conselho, vá fazer qualquer outra coisa mais útil.

E como a Liana disse, eu ja fui agredida, sei como é, mas nem por isso desejei a morte de ninguêm.

E quero ter segurança, desejo isso igualmente para vc, desejo a todos, seja a pessoa homem ou mulher, não importa.

Ana Vitória disse...

"Pq será que todo presídio tem filas de mulheres?"

Pq enquanto alguns homens brincam de volta ao jardim de infância e todas as meninas são feias e más e bobas, as mulheres tão odiadas por eles não largam seus filhos, maridos e parentes pq estes foram presos. Elas conseguem perdoar, ser leais e humanas até mesmo com o que causa mais repulsa na sociedade. Pq ao contrário do que acontece com a população carcerária feminina, a população masculina sempre vai ter o feijão da mulher no domingo.

mypomb disse...

Poxa esse cara deveria tar no pan competindo carate

Partir dois ossos com uma porrada caramba manas
deu na sonia abrão que ele é ex e aí se confirma?

bike disse...

Quanta inocência !!! achar que um cara que quebra o braço de uma garota numa balada porque ela não deu um bj , tem solução !! é pior que acreditar em papai noel .


e dizer que vai processar ?

se um cafajeste deste tem dinheiro ele não fica um dia preso !!! Acordem !! Aqui é Brasil !!

Lembram do cara que num acidente matou uma mulher a pouco tempo , estava bebado a mais de 100km por hora , e eu pergunto tá preso ? pagou a fiança e priu ...

EdFurtado disse...

Vinicius Siqueira disse...

"1)O fato da maioria dos agressores serem homens, não muda o fato deles também serem as maiores vitimas."

Qual a relação com o caso definido pela postagem da Lola?

Os homens são as maiores vítimas de agressão quando não querem beijar outros homens?

Concordo com os dois, até serve de incentivo para nós, os homens normais. Pensem bem, o cara que agride a mulher também agride você.
Quem nunca viu o ódio de um cara desses quando você pega a guria que deu um fora nele? Uma vez um desses tipos ficou me provocando pra brigar, muito tosco.

Tomate Verde Frito disse...

Oi, Lola.
Sigo o seu blog já há algum tempo, mas só agora resolvi comentar. Isso porque essas duas histórias me lembraram de um caso que aconteceu comigo e com minhas primas. Estavamos em uma balada quando um garoto chegou agarrando minha prima pelo cabelo para beijá-la à força. Ela, muito rápida deu um soco nele, que caiu no chão e já foi levantando para bater nela. Por sorte, um segurança viu tudo e expulsou o garoto na hora.

É uma pena que a gente não possa mais sair para se divertir sem ter que se preocupar com essas coisas. E a atitude da minha prima pode até ter sido impulsiva, mas quem já passou por isso sabe o susto que é.

denise disse...

Ao ler os comentarios das mulheres e dos bikes, sopa de letrinhas e morde e cai da vida fico pensando sera que somos mesmo da mesma matéria, vejam a diferença de postura.
Quantas respostas realistas e boas pra uma pergunta imbecil.

denise disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
mypomb disse...

Se incluirmos ex-parceiros, este número cresce: em sete de cada dez casos as mulheres são vítimas de homens com os quais tiveram algum tipo de relacionamento afetivo.

É dos canalhas que elas ostam maaaaaais

Starsmore disse...

Gostei de ler esse post, não ví nenhuma das duas reportagens, mas fico muito feliz que a mensagem passada seja a de luta.

Aoi Ito disse...

Eu sou totalmente distante ao pacifismo. Sou uma pessoa péssima, mas o único moleque que me roubou um beijo (Eu tinha 12 anos na época) tomou-lhe uma bofetada na cara e nunca mais tentou.

Duvido que se eu não apresentasse perigo real a ele, ele iria parar por lá. D:

Liana disse...

"Pq será que todo presídio tem filas de mulheres?"

O sujeito escreve isso como se fosse algo negativo. Ainda bem que essas mulheres não abondonam seu parente, seu marido. Só gostaria que isso também fosse verdade para as detentAs. Estas quase nunca recebem visitas, nem da própria mãe. Até nisso o machismo impera. Quando um homem erra tem um monte de mulher para perdoar e para dar apoio, mas quando é uma mulher que erra isso não vai passar em branco.




Mypomp, se ainda gostassem, não teria se tornado ex, ainda estariam juntos. E a maioria que fica é por medo e/ou por dependência financeira. Pare de falar bobagens, isso é ridículo e só depõe contra você que acaba passando atestado de imbecil.



"Acordem !! Aqui é Brasil !!" Todo país que hoje é considerado civilizado, de 1º mundo, um dia já teve uma cultura baseada em desrespeito e injustiça. Cidadania é fruto de esforço consciente e contínuo e de muito trabalho de sua população. Enquanto tivermos uma maioria de pessoas como você, na contramão do progresso, vamos continuar sendo esse país do qual tanto se envergonham e pelo qual, contraditoriamente, não fazem grandes coisa.

Mordechai disse...

Se eu chegar e dizer que negros são a maioria da população carcerária e das vítimas de homício porque são mais violentos mesmo vão dizer (corretamente) que eu sou um imbecil. Mas o argumento de vocês é exatamente esse. Fantástico.

Nina disse...

Mordechai,
Claro que a gente vai dizer que vc é um imbecil. Porque aí o que vc deveria verificar é a classe social, e não a cor da pele. Imbecil.

Liana disse...

Mors..

Se você disser que negros são a maioria da população carcerária pois há um contexto histórico que viabiliza isso aí você não vai ser um imbecil. Se você disser que, culturalmente falando, um negro e pobre (maioria) que rouba é ladrão e um branco e bem de vida (minoria) só "desvia verba", você também não será um imbecil. Se você disser que no Brasil a Justiça dá pesos diferentes para cores diferentes, escapou de novo de ser taxado de imbecil. Podemos continuar com as comparações.

E isso seria fantástico, mas o seu argumento não é esse. Você só trolla. Sono. Vai Mordechai, se esforça, proporciona uma conversa mais interessante.

Ingwen Deshoülières disse...

Mordechai, errado mais uma vez. O porquê de a maioria da população carcerária ser negra é devido a grande parte dessa população viver na miséria, por diversos fatores, provindos inclusive da escravisão de décadas atrás. A diferença é que tanto homens quantos mulheres negros sofrem a mesma discriminação (as mulheres até mais), mas quem mais se envolve com o crime são os homens. Não depende de cor, depende das condições em que essas pessoas vivem. Homens e mulheres negros vivem sob quase as mesmas condições, mas os homens negros cometem muito mais crimes que as mulheres negras. Porém, se pegarmos um presídio feminino também constataremos que a maioria da população carcerária feminina é de presas negras, em sua grande parte composta de parceiras, de cúmplices, de homens. Os negros somente são carcerários em maior número pelas condições em que vivem e também pelo preconceito incultido até mesmo na mente de juízes e júris, que às vezes são mais propensos a julgar culpados negros que brancos, infelizmente.

Nina disse...

Olha, que trol de mente estreita! Mypomb, procure outras fontes que não programas sensacionalistas. Não, eles não eram namorados. Nem mesmo o advogado de defesa do energúmeno fala isso, porque não é verdade. Mas e se fosse, ele poderia quebrar o braço dela?

Nathalia Sa disse...

São uns verdadeiros "jumentlemans" esses rapazes de hombridade e civilidade limitada, não é verdade?!
Fico pasmada ao perceber que eles são bastante pretensiosos ao se considerarem capacitados para darem lições de educação e bom comportamento.
No fundo (ou mesmo no raso), a gente sabe que a limitação não fica só nessas questões, mas também invade o campo intelectual desses meninos. É fácil diagnosticar isso ao ler esses argumentos tão mal elaborados.
Às vezes penso que é um tipo de piadinha.

Relicário disse...

Nathalia Sa...eu sempre acho que são piadas...não é possível que sejam tão ignorantes, tão lesados e tapados.

Amanda disse...

Olha, Lola. Ontem, poucos minutos antes da reportagem, eu chamei pelo Facebook a todas as meninas do Coletivo Feminista Dandara (da Faculdade de Direito da USP) pra assistirem à reportagem e dei pra elas o desafio de ouvirem uma única vez na matéria a palavra MACHISMO.

Não ouvimos nenhuma vez.

Pelo contrário. A reportagem foi no sentido de mostrar um comportamento violento geral do rapaz, que também agrediria homens em diversas outras ocasiões. Pela reportagem, a violência contra a Rhanna foi mais uma dentre as tantas que ele costuma cometer. Esse tipo de análise não constrói em absoluto pra pauta feminista, inclusive acho que faz o inverso. Isso bloqueia nas pessoas a capacidade de identificar o machismo nas violências do dia-a-dia. Militando em espaços conservadores, como fazemos com o Dandara na faculdade, a gente percebe isso bastante... As pessoas se recusam a ver machismo nas violências (com o caso da mulher que foi queimada com ferro de passar pelo marido). A resposta padrão é a seguinte: "O cara não é machista, ele é louco só!". Isso impede reações, dificulta a disseminação da pauta e desprotege as mulheres da violência que sofrem por serem o que são.

A reportagem também pecou na entrevista com as meninas, quando perguntou a elas sobre a postura dos homens na balada. Antes de fazer as perguntas, focou nas roupas que usavam, nas barrigas de fora, nas saias curtas. A reação da minha mãe, e eu acredito que da maioria das famílias que assistiam, foi: "mas também, né? Olha a roupa que elas usam!"

Não gostei do enfoque o Fantástico. Não achei que foi positivo. Mas não que eu pudesse esperar muito da Globo, né?

Parabéns pela luta, Lola! Seu blog é lindo!

Liana disse...

crow.. siga seu próprio conselho e vá se informar, a idéia da vagina dentada não foi criada pela psicanálise. Isso é um mito bem antigo presente em várias culturas.


"a besteira do troll troll que é o único argumento que vc consegue."

Pressione ctrl + "F" e digite "Liana". Eu posso e faço muito mais, a parte do troll é só um aperitivo.

Roxy Carmichael disse...

eu gostaria de devolver a pergunta aos comentaristas homens: por que os homem vão às festas nas boates mesmo?
as mulheres eu sei que algumas vão para dançar, outras vão para dançar e conhecer homens, e dessas acredito que 100% delas quer conhecer um cara legal pra dar uns beijos ou até fazer um sexo por que não (consentido obviamente). elas vão a boate para desestressar depois de uma semana pesada de estudos ou trabalho, vão para comemorar aniversários ou qualquer outra data que peça comemoração, mas no fim das contas o que as mulheres buscam é diversão. acredito que boa parte dos homens também estão à procura de diversão
à diferença das mulheres, a impressão que eu tenho é que os homens vão às festas porque querem conhecer (beijar, fazer sexo) as mulheres, tendo em vista que na nossa sociedade não é lá muito bem visto essa historia de homem dançar (o que é uma tremenda duma estupidez). assim sendo, não consigo entender essa crítica dos homens em relação às mulheres que vão às festas porque acredito que nenhum (mas nenhum mesmo) homem gostaria de ir numa festa pra só encontrar homem lá. isso é tão verdade que existem milhões de casas noturnas que cobram um valor X para as mulheres e um valor 2X para os homens (o que é mais uma babaquice) porque os donos dos clubes acreditam que se o lugar for frequentado por muitas mulheres, será ainda mais frequentado por homens (e os últimos geralmente ainda consomem um número muito maior de alcool do que as primeiras)de forma que andré apresentou uma ótima solução: mocinhas, boicotem a boate que não ofereça a segurança adequada pra vocês. porque no fim das contas a boate não deixa de ser uma prestadora de serviços, do ramo do entretenimento, que propõe além do DJ, das instalações do lugar, dos shows, segurança para que seus clientes possam se divertir como se não houvesse amanhã.não estou negando a eficacia de conscientização por meio da educação, mas acho que agir a partir da dimensão economia também é uma forma de alcançar um resultado, ao menos a curto prazo. (se é que se pode dizer que aprendemos alguma coisa no caso rafinha bastos, foi isso)
agora me chamou muito a atenção um comentarista aqui que argumentou que diferentemente de boate, frequentar a rua (e o metrô) é uma questão de necessidade. esse é um argumento bem maldoso que visa endossar qualquer tipo punição à mulher que se permite ter prazer. quanto a mulheres na fila dos presídios, como já observaram aqui: algumas delas são mães, algumas são irmãs, algumas são namoradas por que não?assim como lá dentro da prisão existe uma boa variedade de pessoas com uma boa variedade de histórias, com uma boa variedade de crimes nas costas. reduzir às mulheres que sofrem violência a questão da proximidade delas com homens violentos é um argumentação bastante pobre e diria até ressentida (de homens que culpam sua falta de sucesso com as mulheres não a partir da sua propria incompetencia, mas preferem culpar as mulheres com o argumento de que as mulheres preferem os babacas bombados aos homens de bem. assim fica fácil né?o inferno são os outros...sei..)
beijinho

Mari disse...

Oi Lola, tudo bem? Acompanho seu blog desde 2009, mas essa é a primeira vez que comento... Também assisti a reportagem do Fantástico ontem e achei que, apesar de terem evoluído simplesmente pelo fato de não estarem culpando a menina pela agressão, eles falharam em alguns pontos. Primeiro, quando disseram que casos como esse são frequentes em baladas, privilegiaram os enquadramentos em partes do corpo (mais especificamente na barriga) de algumas meninas na fila. Pra mim isso sugere que a roupa delas pode influenciar na agressão, já que só mostraram meninas usando roupas que deixavam as barrigas em exibição. Além disso, fiquei com a sensação de que a reportagem poderia ter ido além e mostrado que essa situação não é nova. Não é que os homens estão ficando mais agressivos: eles sempre foram, mas dessa vez aconteceu com uma garota de classe média e que teve coragem de se expor. O fato de uma corajosa ter aparecido pra contar sua história não significa que outras mulheres, com menos poder aquisitivo ou menos sorte de ter sua causa abraçada pela rede Globo, também já não tenham sofrido agressão. O próprio relato da Danielle Fernandes no Facebook mostra isso. No mais, parabéns pelo seu ótimo blog!

Flasht disse...

Discutir com mulher é inútil
Elas não veem nunca a mínima culpa da parte delas
E não aceitam criticas por mais bem argumentadas que sejam

Então?
zé fi ni

Roxy Carmichael disse...

flasht obrigadão por ser o exemplo vivo da minha argumentação (sobre o ressentimento masculino) em tempo recorde!adorei!!!beijão pra você!!!

Liana disse...

Sobre a matéria na Globo, eu também não gostei nem um pouco dos closes nas roupas e do tanto que focaram no corpo, sem mostrar o rosto. Isso também é uma forma bem simbólica de objetificação. Ao se privilegiar a imagem de um corpo sem mostrar a cabeça, é como dizer que o que elas pensam e o que têm a dizer não importa muito quando se pode gastar mais tempo mostrando o corpo delas com foco no apelo sexual.

Quer dizer, a reportagem é para denunciar um caso de violência sexista contra uma mulher e nem assim param de focar em peito e bunda. Eles falam uma coisa e praticam outra. A Rede Bobo vive trollando as mulheres.

Julian disse...

Vejamos: Mulheres são as maiores vitimas da violencia de genero, e como prova, citam agressões de namorados, maridos, ex, etc.

Ou seja, a mulher escolheu se relacionar com tal homem. Ela não foi morta por ser mulher, e sim por ter escolhido ficar com um homem violento.

Cartas de amor que o goleiro Bruno, Maniaco do Parque, etc recebem, talvez explique essa escolha por homens violentos.

Flávio Brito™ disse...

Aqui vou eu fazer meu papel de reaça=troll=mascu(seja lá o que for mascu).

Vendo toda essa questão feminista de: Eu quero ir onde for, com a roupa que for a hora que for e ser respeitada e blá, blá, blá e mimi, mimi ninguém pode me olhar mimi, mimi.

Na boa sou homem moro na periferia do DF.
EU que sou homem branco e hétero (mas pobre, o cara branco, hetero e rico e culpado de tudo que há de errado no mundo na visão feminista né).

Continuando eu que sou homem acostumado com a periferia, não ando em qualquer lugar a qualquer hora e com qualquer roupa.

oh Feministas: eu ando com medo na rua 24 horas por dia.

Parem de se fazer de vitimas o mundo não é violento só para as mulheres não...

A sociedade é muito mais cruel com homens.

Flávio Brito™ disse...

Todo dia vou buscar minha irmã por volta das 00:00 no ponto de ônibus (Aqui nós chamamos de parada de ônibus). E já vou grilado, com medo de tudo que passa na rua, feito uma gazela na savana...

Com uma atitude dessas todo mundo que eu conheço afirma que é uma atitude bacana da minha parte, que estou cuidando dela.

Mas na visão das leitoras do blogue da Lola um homem indo buscar uma mulher no ponto de ônibus é porque ele quer dominar ela, controlar o corpo da mulher que pertença a ela, porque ele tem medo da vagina. E o patriarcado judia muito das mulheres, tadinhas das mulheres mimi, mimi....

A mulher deveria voltar pra casa sem ninguém mexer com ela, independente da roupa que ela estiver vestindo, ninguém pode mexer tá... feministas...

No mundo real é outra coisa. (Mas eu admiro vocês por quererem criar um mundo perfeito)

Magnólia disse...

Olá, Lola e meninas (e olá tb para os homens feministas aqui)!
No começo, eu somente lia o post, mas, agora, eu leio também os comentários. E eles são riquíssimos (tirando os trolls obviamente).

É sempre um prazer ler você e as meninas (e meninos feministas)!

abs

Priscila Boltão disse...

O comentário da Amanda levantou um ponto muito importante: colocar a situação como um ato isolado de um louco e não resultado de um sistema falho. Isso me lembra aquele caso do terrorista norueguês. Quando se fala em Bin Laden, a culpa cai sobre todo o sistema islâmico, mas quando foi um homem que era o exemplo perfeito do sistema ocidental, era "um caso isolado". São uns loucos, mas a gente nunca pode esquecer do background. As duas coisas são importantes.
Vou fazer algo que não costumo fazer e alimentar um cadinho os trolls:
Flávio, isso já foi discutido lá em cima: os homens sofrem violência cometida por homens e as mulheres também. Agora, dizer que a sociedade é pior pros homens, francamente. Me diga se algum dia vc já teve medo de sair com determinada roupa, medo de ser violentado ou de sofrer agressão só pq é homem. Vc nunca passou por uma situação de objetificação como todas as mulheres passam desde a infância. Eu posso não ser homem pra saber pelo q vc passa, mas sei bem q vc não precisa ter medo, em todos os momentos, de ter sua integridade física e/ou psicológica violada. Coloque-se no nosso lugar.
Flasht, que bom q vc desistiu! Alegrai-vos, gente!
Brinks, eu já vi o tipo da sua """argumentação""", então realmente, nada q vc diga me convence.
Lola, por gentileza, apague os comentários do mypomb pq ele foi ofensivo, chamando as comentaristas E a Rhanna de putas.
(Robson, eu tb li "rihanna" na primeira leitura :s)

No mais, acusaram a Niemmy de ficar só comentando aqui e não fazer nada, quando ela faz. Eu acho MARA q os trolls (sim, vcs os são, se não gostam, paciência) tem essa mania de ter todas as respostas, né não? É uma pena q pessoas tão iluminadas e cheias de respostas estejam aqui na internet quando poderiam estar revolucionando o mundo com suas mentes evoluídas (só que ao contrário).
Ah! Um comentário sobre as mulheres que curtem homens violentos: isso se chama complexo de "a bela e a fera": elas acreditam que o cara vai mudar por elas. Pena q é ingenuidade muitas vezes.

Off-topic: Alguém já ouviu falar de uma marcha chamada "walk a mile in her shoes"? Queria mais informações. Parece uma marcha feita por homens para conscientizar os homens contra o estupro e a violência contra a mulher :)

(Desculpem se o comentário já ficou obsoleto na conversa, tava escrevendo aos pedaços)

Priscila Boltão disse...

Flávio, eu sou feminista leitora desse blog e acho legal a sua atitude com sua irmã. Pq infelizmente o mundo q a gente vive é assim mesmo =/
De resto, seu comentário foi bobo.
E claro que a gente quer um mundo perfeito uai... todo mundo quer. E se a gente não lutar por isso, a coisa só vai morro abaixo né?

Starsmore disse...

Ah não tem nada a ver com o post, mas fica aí a verdade do partido vil e cruel que luta contra o direito dos gays porque é de direta:

http://noticias.uol.com.br/educacao/2011/10/24/professora-transexual-mineira-e-a-primeira-a-ter-nome-social-registrado-no-estado.jhtm

Importante agora é abraçar uma banderinha vermelha e xingar o FHC, pra ver se passa.

bike disse...

Flávio vc foi perfeito ! cuidar da irmã ou filha é patriarcado de reaça , mascu ou sei lá que mais na visão de muitas daqui .

Não querem sofrer o patriarcado "sic" , mas também não querem sofrer agressão , só que pergunto : em que mundo vivem ?

Mulher sozinha , a meia noite ? na periferia , ruas escuras , policiamento zero , que esperar ? tá errado ? tá mas enquanto não se tem outro mundo vc está certíssimo de buscar sua irmã , tenho certeza de que ela gosta de sua proteção !

crowley321 disse...

'a idéia da vagina dentada não foi criada pela psicanálise.Isso é um mito bem antigo presente em várias culturas.'

O que eu disse é que era tão sem base QUANTO.
Quanto à veracidade várias culturas também acreditavam em astrologia, isso n muda absolutamente nada.

Drica Leal disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Drica Leal disse...

É impressionante como muitos homens só enxergam a consequência e se recusam a admitir a causa, putz!

O que será preciso fazer para que eles entendam de uma vez por todas que o mundo é perigoso para mulheres e homens por causa da cultura machista que diz que homem tem que ser agressivo e que violência é um recurso válido para o homem conseguir o que quer ou descarregar suas frustrações? PQP, é cegueira ou má vontade vocês não admitirem isso?

Flávio Brito, você só tem que proteger tanto a sua irmã e se arriscar para fazer isso PORQUE OUTROS HOMENS ACHAM QUE TEM O DIREITO DE AGREDI-LA E DE TE AGREDIR TAMBÉM!

Fico chocada o quanto os homens se recusam a admitir que a culpa por tanta violência é desse modelo de masculinidade e continuem se agarrando a ele com os argumentos mais imbecis fazendo mil e um malabarismos de idéias toscas para culpar as mulheres e o feminismo por suas incoerências! Ficam procurando qualquer maneira de distorcer a realidade para não dar o braço a torcer mesmo quando alegam ser vítimas desse modelo tosco de masculinidade que eles tanto adoram e dessa sociedade machista e doente que quer aprisionar homens e mulheres nos seus papéis inventados a qualquer custo!

Acho que no fundo eles, os machistas reconhecem tudo isso (senão não reclamariam sobre as violências e injustiças que também sofrem toda vez que uma feminista levanta a questão da mulher na sociedade), mas por uma questão de orgulho besta ficam ressentidos pelo fato das mulheres terem mais CORAGEM de enfrentar essas camisas de força que são os papeis masculino/feminino na sociedade apesar de toda as dificuldades e riscos que corremos enquanto eles ainda tem medo de tentar ser outra coisa que não o macho pré-estabelecido e voltam todos os seus problemas contra nós só para não ter que repensar esse modelo de masculinidade do qual eles não abrem mão mesmo quando reclamam que também são vítimas.

lola aronovich disse...

É, queridonas, concordo que a Globo (e as demais emissoras de TV e veículos da mídia em geral) não é flor que se cheire. E concordo que é desnecessário dar close de barrigas descobertas de moças nas baladas. Mas isso foi muito rápido e não chegou a me incomodar, até porque a reportagem do Fantástico entrevistou várias dessas moças. E gente, discordo que a reportagem fez de um problema social um problema individual. Se esse fosse o foco da matéria, a Globo não teria falado das moças nas baladas, ou colocado lá duas modelos pra ver como elas eram abordadas. Acho que a pauta foi mesmo o que a reportagem citou mais de uma vez: que os rapazes estão ficando cada vez mais agressivos quando abordam as moças nas boates. O caso da Rhanna, eu achei, foi um gancho pra isso. Então eu gostei muito. Também achei interessante que eles foram atrás de outros antecedentes do Romulo. Ok, isso pode ser interpretado como “o cara é doente e é só ele”, mas também pode ser visto como “tem uns caras que são violentos e não estão acostumados a ser contrariados”. Claro que seria melhor se a reportagem tivesse falado de machismo, mas é Fantástico, né? Programa dominical de variedades pra toda família e tal. Gente, vejam por outro lado: se a matéria deixou os mascus tão revoltados, é porque alguma coisa certa ela deve ter feito!


Já falei que trolls são uns idiotas? Já. Então aviso que comentários do mypomb serão deletados sem ler. O repulsivo vem aqui nos chamar de putas e putinhas e quer liberdade de expressão! (acho que esse troll já trollou por aqui antes. Mas eles não se acham trolls! Não, chamar mulheres de putas é uma atitude louvável e sensata!

Liana disse...

Drica Leal, concordo plenamente. Essa insistência em desqualificar tudo o que falamos aqui é raiva, é medo, é egocentrismo porque estamos nos articulando e buscando mudanças enquanto a maioria não faz absolutamente nada, estão muito confortáveis nos seus lugares fazendo movimentos mínimos na melhor das hipóteses, então nos atacam. Muito mais numerosos do que machinho pitboy quebrador de braços são os que se escondem atrás de argumentos pretenciosos e tentam atrapalhar qualquer avanço por parte das mulheres. Não acrescentaram nada de substancial ao debate, só conversa oca, fórmulas batidas, distorções. Já receberam atenção demais.

Mordechai disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gaia disse...

Oi Lola,

faz tempo que não comento, mas continuo acompanhando os textos e os comentários. Que gracinhas seus novos trolls Lola!
Não se deixe abater, porque a proliferação de idiotas escrevendo b**** nos comentários é uma grande prova do seu sucesso.

Techos de comentários que me chamaram a atenção:

"Mas na visão das leitoras do blogue da Lola um homem indo buscar uma mulher no ponto de ônibus é porque ele quer dominar ela, controlar o corpo da mulher que pertença a ela, porque ele tem medo da vagina. E o patriarcado judia muito das mulheres, tadinhas das mulheres mimi, mimi...."

"Flávio vc foi perfeito ! cuidar da irmã ou filha é patriarcado de reaça , mascu ou sei lá que mais na visão de muitas daqui."


Sinceramente... Esses caras vêm aqui todo santo dia e ainda não entendem o que a gente escreve. Não é possível que isso seja um problema tão grave de interpretação de texto.
Este é só um dos vários posts em que eles distorcem o que está escrito pelas pessoas aqui. Pura má fé.

Gaia disse...

Mordechai, divida com a gente esse estudo que você leu...

Drica Leal disse...

Liana:

Os "argumentos" de muitos homens que criticam ferozmente as feministas e tentam distorcer a ralidade para não admitir que o machismo e seus modelos de masculinidade/feminilidade estão entre as principais causas que fazem a nossa sociedade doente e problemática me lembram sempre uma passagem que li na biografia de Gandhi.

De acordo com os costumes da Índia ele se casou no início da adolescência, e sua esposa também era uma criança e eles moravam na casa dos pais dele. A menina que se casou com ele gostava muito de sair, e sempre queria passear á noite, e ele, como marido, tinha o direito de proibi-la de fazer isso, e sempre proibia, o que a deixava muito irritada e magoada, mas ela não podia fazer nada porque eram os costumes. Um dia, depois de adulto, Gandhi explicou a um jornalista o motivo de proibir sua mulher de sair: ele disse que se sentia ofendido e humilhado pelo fato dela, uma mulher, não ter medo de sair na rua à noite enquanto ele, homem, morria de medo de fazer isso. E como ele ficava indignado com coragem e ousadia da sua esposa que o fazia confrontar a própria covardia, ele simplesmente a proibia de sair.

É assim que muitos homens se sentem quando veem as mulheres questionando e enfrentando as injustas regras sociais estabelecidas para colocar as mulheres na linha enquanto a maioria dos homens, mesmo quando se sentem injustiçados e prejudicados pelas regras da masculinidade, não tem coragem de fazer a mesma coisa.

Laurinha (Mulher modernex) disse...

O que me assusta, é que mesmo quando as pessoas se indignam com o machismo e a misoginia, muitos acabam é externando mais machismo e misoginia em sua indignação.

Li o texto da garota no Facebook, muita gente sendo solidária com ela, mas não é preciso ler muitos comentários pra chegar em comentários do tipo "estou do seu lado, mas também não podemos esquecer que muitas vezes essas coisas acontecem por causa de certas vadias, piriguetes por aí"

Ou seja, a velha divisão santa ou puta. Mulheres sendo culpadas por outras mulheres sofrerem alguma violência da parte de algum homem.
Muita gente que apoiou a menina, acredita que se a garota tiver um certo tipo de comportamento, a culpa vai ser dela se ocorrer o mesmo que ocorreu com essa moça.
É absurdo.

Roxy Carmichael disse...

julian você é tão previsível. confesso que demorou muito a dar o exemplo do bruno e do maníaco do parque. é um clássico do discurso ressentido recorrer a esses exemplos "mulher nunca tá com o bonzinho cientista que tá pesquisando a cura de doenças para o bem da humanidade, mas pro tosco assassino chove cartinhas de amor" o que quer dizer em outras palavras nenhuma gatinha me dá bola, por isso odeio as mulheres, por isso comemoro quando elas sofrem violência. como eu sabia que mais cedo ou mais tarde você ía recorrer a esse exemplo: é sabido que uma das características dos psicopatas, além de não possuir empatia, é a capacidade de sedução que eles exercem. portanto não só mulheres, mas homens também podem cair na sedução de um psicopata. ou o contrário, um homem e uma mulher podem cair na sedução de uma mulher psicopata. agora, o fato de que algumas mulheres enviam cartas pra ele na prisão, está longe, mas muito longe mesmo de significar que as mulheres todas se sentem atraídas por homens notoriamente (ou até disfarçadamente) violentos. reduzir todas as mulheres do mundo a algumas mulheres que cultuam psicopatas é tão absurdo quanto dizer que todos os homens são psicopatas, por favor sem reducionismos pobrinhos, não insulte a nossa inteligencia.
meu querido flavio, você deu o exemplo da sua irmã e você mesmo criou uma crítica que poderia vir de algumas leitoras do blog. absolutamente ninguém disse que você era uma machista babaca por dar uma força pra sua irmã. e imagino que vocês não leram os comentários (sim, eu sei, eles são muitos) mas a postura do mulheril aqui tá muito longe de ser postura de vítima que fica de mimi (quem tá adotando esse papel aqui são os homens "ai as mulheres não admitem nada, ai as mulheres são bobas feias e chatas")uma comentarista disse que foi aprender defesa pessoal pra se defender sozinha caso fosse vitima de uma alguma agressão ou mesmo de uma tentativa de agressão. parece que as aulinhas foram bem providenciais porque ela deu porrada no inconveniente do baixo gávea que tentou beijá-la sem o consentimento dela. no meu comentário anterior, atentei para a importância de as mulheres se unirem para boicotar qualquer tipo de estabelecimento que não oferece a devida segurança à integridade física delas (paga-se caro para respirar dentro de qualquer boatezinha então o mínimo que se espera é uma estrutura a altura que inclui aí, segurança).
acho que tá bem claro quem é que tá tendo uma postura ativa aqui nesse espaço e quem tá com a postura passiva, de não assumir qualquer responsabilidade e de ficar tentando responsabilizar os outros pelos seus problemas.
beeeeeeeeeijo

Luiz disse...

Eu acho que esse caso da violência contra mulheres em baladas e no cotidiano está inserido num contexto maior. Estamos formando uma geração de jovens que é completamente intolerante com frustrações. É uma geração que se acha e se considera boa demais para ser contrariada. Acham que tudo podem e não toleram a ideia de ouvir não, independente se é homem ou mulher. É a geração do "Eu Mereço". Sou professor universitário atualmente, mas durante minha graduação trabalhei como professor em escolas de ensino médio e vi de perto este monstro crescer. Sempre alertei para o risco de isso acontecer e hoje vejo estudantes com esse mesmo comportamento chegar às Universidades. Bons tempos aqueles que o vestibular selecionava.

Tudo isso começa quando as faculdades de Pedagogia introduzem na cabeça dos Coordenadores Pedagógicos a ideia de que reprovação era algo ruim para o aluno e que a reprovação frustrava e desestimulava. Dai os professores tiveram que começar a fazer malabarismos de todas as formas para garantir a aprovação de alunos que não estavam aptos para seguirem em frente. Primeiro introduziu as chamadas recuperações, depois as tais dependências e por fim aboliu de vez a reprovação nas escolas que introduziram a aprovação automática por meio da chamada Progressão Continuada (Eu a chamo de Progressão Retardada). É verdade que a reprovação desestimula num primeiro momento, mas viver é para os determinados e para aqueles que tem capacidade de fazerem autocrítica. Colocamos na cabeça dos nossos jovens que a felicidade é um direito a ser entregue em uma bandeja. Ser reprovado na escola é uma injustiça. Tomar um fora de uma mulher (ou de um homem) um fracasso. Ser demitido do emprego um caso de perseguição pessoal (Afinal eu sou bom demais! Como aquele meu chefe ordinário teve coragem de fazer isso comigo!). Por causa desse raciocínio sempre ouvi xingamentos de meus alunos que não estudavam e eram reprovados em matérias que eu leciono (Nunca me curvei perante o sistema). Esses jovens foram ensinados a pensar que tudo merecem, seja lá o que for que queiram. E quando isso não acontece sentem-se traídos, revoltam-se com a “injustiça”, boa parte se emburra e desiste. A outra parte recorre a agressões contra aqueles que não entregou aquilo que eles acham que tem direito. É neste contexto que entra a violência contra essa moça. O mimado achava que merecia estar com ela. No seu conceito pedagógico era um direito dele. Quando ela disse a ele que ele não podia estar com ela, ele se sentiu injustiçado. Nada diferente das agressões que sofro cotidianamente dentro das salas de aulas por esse bando de frustrados que não sabem ouvir não (Homens e mulheres, ambos agridem).

Essa é a geração que não sabe o valor do esforço para conseguir algo, pois para se formarem no ensino médio não tiveram que se esforçar e estudar para tirar boas notas, pois forçados pelos sistema, os professores tiveram que ser complacentes e darem de "mão beijada" essas boas notas. Maioria dos estudantes atuais nunca lutaram para conseguir as notas dez que foram escritas em seus boletins. Formamos uma geração que ganhou tudo e não teve que lutar por nada. Hoje nas faculdades acontece a mesma coisa. Professor ruim é aquele que cobra dos alunos conhecimento e exigem deles que estudem.

O caminho para mudar isso consiste numa recuperação de valores que deixamos para traz. O principal deles seja reintroduzir a reprovação para ensinar aos nossos jovens que eles não podem tudo e que para merecerem algo eles precisam ralar muito para conseguir e que tem coisas e que mesmo que você queira e rale muito para tentar conseguir pode acontecer de mesmo assim você não a tenha. Neste caso a única coisa que te resta é saber que aquilo é impossível e que não é para o seu bico. Daí talvez homens e mulheres aprenderão que não terão e não tem o direito de ter tudo que desejam.

Cristal disse...

Eu estava comentando com a minha mãe sobre esse caso da Rhanna, e me diverti um cadinho com as contradições de uma mãe "pacífica".

EU: mami, o mundo anda mto perigoso, quero fazer um curso de defesa pessoal, tipo krav maga.
ELA: ai, minha filha, melhor não, imagina você reagir e gerar mais violência?
EU: mas mãe, e se eu for atacada por algum louco, se eu disser "não" pra um homem na balada e ele me agarrar?
ELA: não adianta reagir com violência, minha filha. isso não leva a nada. não gosto dessas coisas, eu sou DA PAZ! :D
EU: mas mãe... não foi você que acertou um soco na fuça do seu ex-namorado e o jogou pra fora do carro? ._.
ELA: .............. esquece isso. ù.ú

kkkkkkkkkkkk

Nina disse...

Flavio e bike,
Não me digam que vocês andam na rua com medo de estupro. Porque caso vcs não tenham notado, ninguém aqui está dizendo que a violência contra a mulher é assalto. Porque medo de assalto todo mundo tem. Mas, se o que vcs querem é até mesmo comparar isso, mulheres são, sim, mais visadas para assaltos. Os bandidos preferem assaltar uma mulher desacompanhada do que um homem desacompanhado. Mesmo assim, não é dessa violência que estamos falando. Estamos falando que homens nos agarram, nos tocam, nos seguram e querem nos forçar a beijar, ficar, ou coisa parecida. Estamos falando de homens que estupram. Estamos falando de homens que batem nas mulheres por não suportarem uma negativa. É dessa violência que estamos falando.
Sobre vc esperar a sua irmã no ponto, se é um local perigoso, acho ótimo que vc a ajude. Louvável da sua parte. Mas vc achar que o mundo está legal enquanto ela corre risco de ser estuprada ao andar na rua ou achar que ela corre o mesmo risco que vc, eu não entendo. Será que vc não percebe que tem que ir buscá-la justamente por estarmos num mundo machista? Não percebe que vc tem que tratá-la como propriedade, mostrar que ela tem dono, para que então ela possa se locomover? Você não quer que isso mude? Acha que assim está legal?

Flasht disse...

http://vidaeestilo.terra.com.br/homem/interna/0,,OI4297208-EI14242,00-Mulheres+prefeririam+os+homens+falsos+e+narcisistas.html

LisAnaHD disse...

O vocabulário que algumas mulheres usaram aqui nos comentários é um vocabulário que iguala homem e mulher no baixo nível. E não foi pra isso que feministas americanas e inglesas tanto lutaram.

Esses homens violentos foram criados por mulheres... se alguém não os ensinou bem foi a mulher que os criou... e que exemplo muitas de vcs estão dando ao se expressarem de maneira vulgar? Não é exemplo que vai ajudar a mudar nada a favor da mulher.

Eu tenho idade pra ser mãe de algumas de vcs e se fossem minhas filhas eu estaria morrendo de vergonha da maneira como umas e outras se expressaram aqui. Ao menos que tivessem boas maneiras pra defender seu ponto de vista... Meu comentário não se aplica a todas... cada uma sabe de si.

Sarah de Souza disse...

Também aconteceu comigo, o que não surpreende, mas indigna!

Fui a um festival na esplanada dos ministérios quando tinha 16 anos, era aberto e dava todo tipo de gente. Um amigo do meu irmão, que sempre foi interessado em mim, logo de início fala pra mim e pra uma amiga "Cuidado aqui que é perigoso, qualquer coisa é só me chamar, vou ser o segurança de vocês essa noite".

Ok, bastou nós duas sairmos pra comprar um cachorro-quente que na volta um grupo de pit boys exibindo os músculos de fora em suas regatinhas cerca a gente. Um deles começa a me segurar e fala que quer me conhecer, eu dizia que não estava interessada e tentava sair. Minha amiga, que é bem mais baixa que eu e todos aqueles trogloditas, escapuliu deles e deu um jeito de me tirar de lá, mas na saída o cara não podia deixar passar, né? Apertou minha bunda com toda força depois passou o dedo do meio no meu c*. Foi uma merda! Me senti uma merda!

Procurei indignada o amigo do meu irmão e falei pra ele sobre os caras, ele só riu e eu fiquei mais irritada ainda eu disse "Você não vai fazer nada?" e ele "Eu não, cê viu quantos são?" eu fiz aquela cara de descrença na humanidade e ele ainda completou "Esquece isso, não é nada demais!"

Isso foi há 6 anos e eu estou longe de esquecer o que esses babacas fizeram.

Bob disse...

Oi Lola

Acompanho o site a alguns dias, e estou gostando bastante.
Muito assunto relevante e boas discussões.

Nina

Queria só dizer que você tem toda a razão, gostei muito da forma como colocou a assunto.

Daniela Rodrigues disse...

Desconfio que o Luiz e a LisAnaHD cursaram a mesma escola...

"Bons tempos aqueles que o vestibular selecionava".

"É verdade que a reprovação desestimula num primeiro momento, mas viver é para os determinados".

"e que exemplo muitas de vcs estão dando ao se expressarem de maneira vulgar? Não é exemplo que vai ajudar a mudar nada a favor da mulher".


Eita, mundão... rsrs.

Liana disse...

haha Flash t, eu normalmente ignoro seus links, mas como que queria dar risada e fui lá ver. A brilhante matéria desse maravilhoso site (alguém lembra da bengala-bambolê e da mulher rindo?) é do tal Satoshi Kanazawa. O mesmo que escreveu idéias estapafúrdias sobre a mulher negra, sobre o feminismo etc. Muito "coerente" a pesquisa dele. Vocês se merecem.




"Esses homens violentos foram criados por mulheres... se alguém não os ensinou bem foi a mulher que os criou..."

VERGONHA eu tenho é dessa gente tosca que arruma desculpas esfarrapadas até para uma violência ridiculamente óbvia como um braço quebrado e depois vem falar em vocabulário vulgar e baixo nível. VERGONHA TOTAL.

Ingwen Deshoülières disse...

mais um
http://www.techtudo.com.br/curiosidades/noticia/2011/10/rapaz-tortura-namorada-ate-ela-desmaiar-para-conseguir-sua-senha-do-facebook.html

Flasht disse...

vejam a sarah cobrando do amigo¬¬

é comum as mulheres cobrarem de pais, namorados, irmãos

Vcs viram no fantástico o pai da Rhanna se sentindo impotente, ele queria ser o protetor dela?

Mordechai disse...

"Procurei indignada o amigo do meu irmão e falei pra ele sobre os caras, ele só riu e eu fiquei mais irritada ainda eu disse "Você não vai fazer nada?" e ele "Eu não, cê viu quantos são?" eu fiz aquela cara de descrença na humanidade e ele ainda completou "Esquece isso, não é nada demais!"

Você queria que o sujeito fosse mais um espancado por um bando de pitboys, do tipo que não tem reportagem no Fantástico se indignando? É isso?

Gaia disse...

Os três pesquisadores da matéria são psicólogos evolucionistas. Por que não estou surpresa?
O Satoshi Kanasawa é, inclusive, um velho conhecido nosso:

http://www.guardian.co.uk/commentisfree/2011/may/18/satoshi-kanazawa-black-women-psychology-today

http://colorlines.com/archives/2011/05/fire_kanazawa.html

http://escrevalolaescreva.blogspot.com/2011/05/verao-como-somos-lindas.html

" ...autor de um estudo a respeitio do assunto, acredita que esses também sejam traços evolucionários e inerentes aos homens, por isso alguns caras não conseguem deixar de se comportar mal."

Aaaafffee!!!! E somos nós que inventamos desculpas? PQP!

TuTi disse...

Olá, querida Lola.
(Ps. preferia que você não publicasse, eu só precisava de um conforto e força, moça!)

Sou de BH e aqui, terra da TFM (tradicional família mineira) é terra também de muito desrespeito com as mulheres. Um colega de sala (de uma faucldade federal de direito) twitou sobre o acontecido no Major lock http://twitter.com/#!/guiavila_bh/status/128252219505123328 . Ele é do meu convívio, tinhamos nossos twitters adicionados e achei o seu comentário desrespeitoso. Twittei, em um tom normal, que ele deveria tratar todas as mulheres como ele gostaria que a irmã dele fosse tratada. A resposta: http://twitter.com/#!/guiavila_bh/status/128577064415674369 , além de um esculacho sem tamanho pelo facebook. O que eu quero dizer é, quase como um desabafo, que é isso mesmo que temos aos nosso lados todos os dias. Eu não vou me intimidar. Obrigada pela força.

Ingwen Deshoülières disse...

Mordechai, vc realmente é alheio ao mundo. o fantástico já fez várias reportagens sobre pityboys e homens agredidos em boates. coloca no google as palavras chaves pra ver... coloca "pityboys fantástico". dá pra ver o seu nível de informação ¬¬

Roxy Carmichael disse...

a gente sabe quando alguém perdeu a discussão quando coloca um link do TERRA para embasar seus argumentos,
HAHAHAHAHAHAHAHAHAHA, Flasht você me mata de rir, ahahahaAHAHAHAHAHAHA. Um link ainda que usa esse tempo verbal "prefeririam" HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH
AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH
Lisana (paladina da família e da propriedade) você tem razão todo machista tem uma mãe que não soube educá-lo, assim como um PAI que também falhou na educação.

yulia disse...

''Discutir com mulher é inútil.''

com mascu então... nem se fala.

''Ou seja, a mulher escolheu se relacionar com tal homem.''

julian, vc não sabe de nada....que argumentozinho
superficial.

o cara não vai se mostrar violento logo de cara.
ele vai se mostrar depois que vc já se envolveu com
ele , depois que casou e teve filhos. é muito mais dificil
se desvencilhar nessa situação pois se vc separa ele ameaça
matar seus pais, seus filhos, te matar....

''Ela não foi morta por ser mulher, e sim por ter escolhido...''

ela foi enganada. ninguém escolhe ficar com uma pessoa violenta
conscientemente.

''Cartas de amor que o goleiro Bruno, Maniaco do Parque''

uma meia dúzia de retardadas não representa a totalidade
de todas as mulheres, cada caso é um caso. fã por fã
suzane richtoffen também tem seus admiradores, criaram até
uma comunidade no orkut na época um monte de cara se oferecendo
para casar com ela se dizendo apaixonados. e não é por causa de meia dúzia de malucos
que vamos julgar todos os homens.

''recebem, talvez explique essa escolha por homens violentos.''

e o que explica o gosto dos caras pela suzane? nada explica nada...
que delírio.

Denise disse...

Eu acho que a análise do Luis é muito interessante. Estava justamente conversando sobre isso com meu marido e me lembrando que na minha época (a gente jovem agora vai subir pelas paredes...), uns 15 anos atrás isso não acontecia tão freqüentemente. Eu fui muito para balada, muito. Nos meus vinte e trinta. Nos quarenta, recentemente, tive filho e parei. Enfim, fui muito com um hiato entre os 26 e 35 quando casei e depois andei pelo mundo a trabalho. Achei uma diferença brutal na maneira como os caras tratam as mulheres nos bares e boates. Quando eu tinha vinte e poucos, não me lembro de ter passado por esse tipo de violência (exceto uma vez no carnaval e o cara levou um safanão e no ônibus e levou uma guarda chuvada). Mas quando voltei a sair lá pelos meu trinta e tantos, sofri isso demais. Caras pegando na minha mão e me puxando, segurando na cintura para me obrigar a dançar. Todas as vezes eu criei caso, mas não deu em nada. E todas as vezes os caras eram mais novos, pelo menos uns 10 anos. Então, eu acho que isso tem um pouco a ver com a geração sim. Não acho que seja necessariamente culpa das mães que não ensinaram. Minha mãe ensinou e meu irmão é um tremendo machista, embora não violento.
É óbvio que tudo isso é culpa dessa cultura machista, mas de onde vem essa cultura machista tão intensa de agora? Por que tanta diferença em 15 ou 20 anos?
Quanto a ter vergonha do que as mulheres escrevem aqui, ai ai, não é por aí , né ? Não é isso que causa esse machismo e a violência contra as mulheres.

Angelina Em. disse...

eu não sei como existe tanto homem babaca no mundo

Yohanna Cordeiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
nenhum disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
nenhum disse...

"Porque medo de assalto todo mundo tem. Mas, se o que vcs querem é até mesmo comparar isso, mulheres são, sim, mais visadas para assaltos"

Eu li que era o contrário, que os ladrões visavam homens porque estes não gritariam. Mas o que o Flávio está apontando é que nós, homens, somos obrigados a ter nossa liberdade restringida por medo da violência.

É fato, confesso, se eu fosse mulher não andaria por metade dos lugares que eu ando, mas como apontou a Yasmin Alibhai-Brown recentemente sobre a Slutwalk recomendar a uma adolescente que ela deve evitar de se vestir como uma prostituta não signfica culpar a vítima, mas uma medida de proteção.

Nina disse...

nenhum,

Você leu onde isso? Porque se vc fizer uma busca bem simples, verá que os assaltantes preferem as mulheres porque ela não reagem. Sabe por quê? Porque mulher tem medo de homem que a aborda na rua. Mulher tem medo de estupro. Mulher desde pequena é instruída a não reagir. Nunca reagir. A nada.
Mas vou novamente repetir: Não é sobre essa violência a discussão.

(Antes de repetir sua frase, deixa eu fazer umas observações:
Faltou um "também" na sua frase. Veja: "...nós, homens, TAMBÉM somos obrigados...". E faltou no final da frase uma vírgula: ... por medo da violência, apesar de sermos vítimas de menos tipos de violência que as mulheres.)
"Mas o que o Flávio está apontando é que nós, homens, somos obrigados a ter nossa liberdade restringida por medo da violência."

Não, não é não. O que ele disse foi:

"A sociedade é muito mais cruel com homens."

Oi? Como? Peraí, estão mesmo falando sério? Ou é trollagem?
O que tem de cruel para os homens, assim como para as mulheres, é o machismo. Os dois perdem. É injusto com os homens, que são cobrados para serem provedores e brutalizados. E atinge com muito mais crueldade as mulheres, que são vistas como seres inferiores, discriminadas, espancadas, humilhadas, assassinadas, estupradas...

"recomendar a uma adolescente que ela deve evitar de se vestir como uma prostituta não signfica culpar a vítima, mas uma medida de proteção."

Não, ao recomendar isso o que estão fazendo é culpar a vítima, sim. É dizer que depende da mulher ser ou não estuprada. Que ela está "procurando", "querendo", "provocando". É dizer que o errado não é o homem, ele apenas está caindo na tentação, a culpa é da mulher, essa oferecida que provoca o pobre coitado do estuprador.
E, sabe, não é verdade. Mulheres vestidas como santas são estupradas todos os dias. A roupa da mulher não evita nada. Isso é uma mentira machista. Homens estupram independente da roupa que a mulher está vestindo. A culpa é do estuprador, e qualquer tentativa de desvirtuar isso é abominável.

Angelina Em. disse...

Nina *palmas*

LetB disse...

Alguém comentou que há 10,15 anos esse tipo de coisa não era tão comum em baladas. Na verdade essa história de sair puxando e beijando se iniciou nas micaretas. Hoje elas não são mais tão populares quanto eram há uns 6,7 anos, mas foi a partir daí que se tornou "normal" beijar oito pessoas em uma mesma noite. E hoje muitos trogloditas acham que é assim que as coisas funcionam, e que se a menina não quer pegação nem devia estar alí.

Francisca disse...

Mordechai,

Você não está entendendo a estrutura da violência.

É verdade que a sociedade se choca mais quando ocorre uma violência dessas, como a do caso Rhanna, do que quando um rapaz espanca outro. Isso ocorre porque as pessoas pensam: "Os rapazes devem saber brigar. O outro devia saber se defender" e outros absurdos do tipo. Mas quando um homem dirige essa violência contra uma moça, ainda mais por motivos sexuais, as pessoas percebem como os rapazes estão usando a violência para resolver tudo!

Elas reagem porque acham mais inadmissível um cara bater numa moça para obter sexo do que bater em outro cara por rivalidade, mas não percebem como as duas coisas estão ligadas.

Muitos grupos defendem que a Justiça seja mais rígida ao reprimir essas brigas entre os rapazes, até como forma de romper com essa cultura de violência. Mas, infelizmente, existe a mentalidade machista de que brigar faz parte da identidade masculina.

Por isso, a luta das feministas, que brigam contra o machismo e suas ideias que promovem a violência como instrumento político, condena também a violência contra os homens.

Daniela Rodrigues disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Daniela Rodrigues disse...

Toda essa discussão sobre a presença da mulher nos espaços públicos me lembra o livro "Infiel", da ex-deputada holandesa de origem somali Ayaan Hirsi Ali. Ela conta como levou anos para ir compreendendo o status da mulher na sociedade, especificamente no islã. O país vivia um dilema por conta da invasão da temida "modernidade" em contraposição à antiga estrutura tribal. Ela mesma foi vítima de mutilação genital feita pela avó, mesmo sem a autorização de seus pais.

Ela diz que quando estava sendo obrigada a se casar com um primo distante e desconhecido pensava muito em fugir, abandonar a família. Mas não o fez (enquanto estava na Somália) porque desde criança via o que acontecia às mulheres que perdiam a proteção do clã. Eram violentadas, humilhadas, espacadas nas ruas sem nenhuma assistência, consideradas escravas, prostitutas por princípio. Afinal, se estavam sem a proteção da família (leia-se dos homens da família), nas ruas, não eram dignas e nada poderia livrá-las da "natureza" (selvageria) masculina.

É triste ver que apesar de todas as conquistas das mulheres ocidentais, ainda impera na mentalidade coletiva a idéia de que homens não podem controlar seu instinto predador, e que mulher sem a proteção de outro macho está pedindo para ser atacada.

Tudo isso evidencia que, contrário do que muita gente imagina, a modernidade capitalista não atenuou o patriarcado, mas o agravou, como bem mostra esse artigo: http://obeco.planetaclix.pt/rkurz42.htm. Os discursos médicos dos séculos 18 e 19 também esclarecem o processo de naturalização das desigualdades de gênero após a Revolução Francesa.

Se não encararmos o fato de que é impossível defender as causas feministas sem uma crítica radical da sociedade capitalista continuaremos apenas lutando pelo direito de sermos tão massacradas pelo sistema quantos os homens, com a diferença de que muitíssimo mais vulneráveis à ele. Seguiremos acumulando múltiplas jornadas de trabalho, perseguindo eternamente o ideal de "mulher maravilha": linda, sexy, mãe exemplar, dona-de-casa, profissional de sucesso etc, e nos sentindo eternamente um lixo por não alcançá-lo.

Homens, o espaço público nos pertence - também! Somos seres autônomos - também! Aprendam a gerenciar seu "instinto selvagem". A violência entra onde faltam palavras. Ampliem seus vocabulários, seus recursos cognitivos e emocionais para gerenciar os conflitos. Não vivemos mais nos tempos das cavernas, não precisamos mais de machos protetores. Evoluam! Vocês também merecem a oportunidade de desenvolver seu potencial humano.

Niemi Hyyrynen disse...

LisAna

Seguinte:

Estou defendendo um ponto que é pacifico aqui, todas nós concordamos em maior ou menor escala, só alguns seres aparecem para despejarem suas frustrações.

Dica: Não temos que ter uma eterna paciência para com esses "iluminados", quase nunca eles conduzem o diálogo para o mínimo de bom senso, não sou eu quem tem que agir com a obrigação de levar a educação por dois.

Ao dizer que uma outra comentarista está agindo de forma "vulgar" vc apenas repete o mesmo padrão de julgamento de um homem machista, não fique por ai dando chute no próprio joelho!

Quer mudar alguma coisa? Comece não fazendo igual o que os outros fazem.

Sobre a questão da criação pela mãe, não sei se vc reparou mas quem atribui o dever da educação somente à mãe são os trolls, não eu, não outra feminsita aqui presente.

Flávio Brito™ disse...

Drica Leal:

“Flávio Brito, você só tem que proteger tanto a sua irmã e se arriscar para fazer isso PORQUE OUTROS HOMENS ACHAM QUE TEM O DIREITO DE AGREDI-LA E DE TE AGREDIR TAMBÉM!”

Ah tah. As mulheres são boazinhas e os homens são malvados né?

Eu tenho que ir buscar minha irmã porque onde vivo há homens e mulheres vendendo drogas;
Homens e mulheres TAMBÉM, roubando agredindo e andando armados nas ruas...

Eu não sei que mundo é onde esse onde você vive em que homens são seres malvados e mulheres são seres inocentes, puros e sempre as vítimas.

Onde moro, mulheres (muitas delas adolescentes ainda) também traficam, assaltam, agridem outras mulheres pra tomar celular, bolsa, participam nas gangues...

Pesquise sobre o entorno do DF!

Flávio Brito™ disse...

Nina:

Não, eu não tenho medo de ser estuprado na rua...
Eu tenho medo é de levar um tiro na cara;
De ser espancando por traficantes;
De amanhecer em uma desova;
De ser agredido por não ter dinheiro pra eles levarem.

Ai você me disse: “Será que vc não percebe que tem que ir buscá-la justamente por estarmos num mundo machista?”

E quando são mulheres que agridem outras mulheres por aqui para tomar bolsa, celular e até para roubar a roupa que a outra pessoa veste como acontece com freqüência...
É machismo também?

Flávio Brito™ disse...

Nina:

Tudo que eu escrevo aqui é “trolagem”.
Quando eu digo que a sociedade é mais cruel com homens é baseado na seguinte “trolagem”:

No Brasil nascem mais meninos que meninas, fato comprovado!

Mas na fase adulta há mais mulheres vivas que homens (Porque será? Será que é porque a sociedade é misógina e odeia as mulheres? Ai, por conta desse ódio as mulheres morrem mais homens na sociedade né? Eu acho que não... )

Já parou pra pensar por que praticamente a massa carcerária é de homens? Será que é por que homens são malvados e mulheres são boazinhas?

E quanto aos moradores de rua que são em sua maioria gritante são homens? Porque será?

Mas eu sou um troll e vocês tem razão o mundo é misógino e odeia as mulheres é por isso que morrem mais homens sendo assassinados, espancados, torturados...

Lord Anderson disse...

O post é sobre um fato especifico (a agressão que a moça sofreu por parte de um imbecil), mas tem gente que tenta não ver o isso , apelando ou para a ofensa á vitima, ou trazendo outros casos de violencia a tona, só para tentar negar o machismo do caso.

mas foco no tema do post por favor.

«Mais antigas ‹Antigas   1 – 200 de 240   Recentes› Mais recentes»