terça-feira, 15 de março de 2011

MULHER MORTA VENDE?

Tenho os anúncios deste post salvos faz um tempão, sempre aguardando um momento pra fazer um texto coeso e coerente sobre eles, mas o momento nunca chega. Agora, como euzinha mesma estou mais pra lá do que pra cá, e como comecei o curso de crítica da mídia na sexta, e talvez eu use algumas dessas imagens, decidi arriscar. Mas nem sei bem o que dizer. Primeiro que peguei esses anúncios (e ainda outros vintage) de vários lugares. Segundo que fico sem palavras mesmo. Talvez eu os tenha guardado pra mostrá-los pra próxima pessoa que me diga que hoje em dia a mídia trata bem as mulheres, com muito carinho, respeito e admiração.
Que a mídia inteira vive glamurizando a violência, isso todo mundo sabe. Mas por que ela investe tanto nessa glamurização da violência contra a mulher? E por que passar a mensagem de que mulher boa é mulher morta? Eu até poderia entender se esses anúncios fossem usados em blogs, sites e revistas abertamente misóginos, com produtos direcionados ao consumidor masculino. Afinal, assim como existe público para o snuff film (o filme pornô em que os produtores encomendam o estupro e morte de uma mulher na vida real, e filmam os atos), certamente deve haver fetichistas que ficam felizes ao verem imagens dessas. Mas os produtos dos anúncios deste post são todos para o público feminino de alta classe. E quem compra uma coisa dessas?
Que glamour! Que finesse, não é? O anúncio acima é quase institucional. Nem dá pra ver a marca (Marc Jacob) direito. É mais pra conneisseurs. As pernas abertas, com sapatos femininos, são ou um convite sexual, ou uma imagem postmortum. Como os saltos estão desalinhados, o que fica é a segunda hipótese. A alça da bolsa, sugerindo um sorriso, diz que está tudo bem usar a moça -- ela não vai se opor mesmo.
O slogan diz: "Nós somos animais".
E... isso que dizer que as pessoas são necrófilas? Ou que homens matam mulheres? Ou que meus gatinhos (felinos) também adorariam ver o anúncio de uma gata morta vestindo jeans?
Eu não acredito que o anúncio seja dirigido às mulheres. Você consegue imaginar uma moça olhando pra isso e pensando “Uau, que legal! Vou correndo comprar uma calça! Eu quero estar bonita assim quando eu for assassinada!”.
A modelo parece morta, mas na verdade não há nada que diga que está. Quer dizer, quantos cadáveres você já viu na vida real? Eu, felizmente, pouquíssimos (dois, ambos relacionados com drogas). Mas a gente certamente já viu inúmeras imagens de pessoas mortas em filmes e na TV. E os cadáveres de mulheres retirados dos rios se parecem exatamente com este: manchas na pele, hiper pálidos.
Como isso está conectado com violência? Bom, digamos que não é frequente uma moça fazer topless num pântano e de repente sofrer uma morte natural, um ataque cardíaco, por exemplo. Geralmente ela é morta (não por outras mulheres), e depositada lá. O fato de estar sem camisa aponta pra violência sexual.
Já esta imagem é mais andrógina, na minha opinião. Pode ser de homem ou de mulher. Mas, por estar veiculada com a mesma campanha do anúncio acima, nosso cérebro diz que são pernas femininas que estamos vendo. Porém, de um jeito ou de outro, continuo sem entender como isso faria alguma consumidora sair correndo pra comprar uma calça jeans dessa marca. Este último ao menos traz o benefício da dúvida: de repente esta mulher morreu sozinha, simplesmente tropeçando na escada ao usar sapatos e roupas desconfortáveis que certamente não foram feitos para alguém se mexer. Ou alguém pode tê-la empurrado, lógico. Em comum, todos os anúncios trazem mulheres em poses sexualmente passivas, que não oferecem resistência. Não há o menor indício de vida nessas poses, muito menos de desejo ou autonomia. A ação fica toda pra quem vê o anúncio. Existem séries de anúncios e comerciais com a temática do estupro, da humilhação diante do homem, da ejaculação no rosto da mulher, etc etc. O que me chama a atenção nesses que selecionei é que neles, além da conotação sexual, as mulheres parecem estar mortas. Mas com que propósito: mulher morta vende? E a que tipo de consumidor@? Porque eu, que não sou consumidora de nada, muito menos de produtos de grife, ao ver essas peças não penso em sacar meu cartão de crédito para comprar. Pelo contrário, fico mais apta a boicotar marcas que usam mulheres mortas para vender.

61 comentários:

Carol Passuello disse...

surreal

Susbsolo Underground disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Experiência Diluída disse...

Lola vc é um fenômeno! Adorei o texto, brilhante, fiquei com calafrios de ver as fotos, principalmente da menina morta com respingos de sangue, que coisa horrivel!

leituraescrita disse...

Não tem comentário possível, estou enojada. (e o pior deles é o da menina morta no pântano, mas até eleger o pior fica difícil)

(e descobri que minha conta google não funciona, êêêê)

Sandro disse...

Eu não curti nenhum dos anúncios. Acho de mau gosto. Mas não vejo como eu vá gostar, já que eles não foram feitos pra mim mesmo. O que não entendi foi o mimimi da Lola no fim do texto que diz se sentir tentada a boicotar um produto do qual não passa nem perto de ser consumidora, já que é uma quebrada como eu. É cada uma...

Lord Anderson disse...

Eu ja viu outros blogs feministas comentando esse tipo de anuncio.

E sempre fico pasmo com o mal gosto dessas propagandas.

Não vejo glamour nenhum, beleza, atrativo, etc.

Simplesmente não entendo como publicitarios podem criar algo assim.

Existe alguma pesquisa mostrando que isso vende?

Alguma comprovação de que misogenia e violencia dá lucro?

Ou eles são guiados por seu "senso comum"?

Bruno Stern disse...

Eu fico com a ideia de que o objetivo das fotos é chocar, chamar atenção para a marca.

Mas a regularidade do uso de figuras de mulheres mortas me parece um fetiche bem esquisito.

Thiago Pinheiro disse...

Medonho. Creio eu que não vise o público, mas trate-se de uma concessão aos artistas misóginos. Talvez queiram frisar o quanto são modernihos e ousados em suas campanhas.

Lord Anderson disse...

Tiago.

Verdade, tem muita gente que se acha moderninha e corajosa por demonstrar preconceitos.

Só p/ provar que não tem "medo" do politicamente correto.

Mix Martins disse...

Incrível! Somos sempre bombardeados pela publicidade, e quase nunca paramos pra analisar os critérios usados pelas empresas pra tentar vender alguma coisa... incrível mesmo!

Eduardo Marques disse...

Sinceramente não entendi a propaganda nem o seu protesto. Não faço idéia do apelo que mulher morta tem para vender roupa. O que tem de errado nisso, então? Não podiam ser homens mortos também? É uma referência à violência contra a mulher? Pq vc não explicitou um pouco mais no texto?

Por favor, explicite melhor o que tem de errado com a campanha.

"Em comum, todos os anúncios trazem mulheres em poses sexualmente passivas, que não oferecem resistência."

"Existem séries de anúncios e comerciais com a temática do estupro, da humilhação diante do homem, da ejaculação no rosto da mulher, etc etc."

Certo, pq vc não mostra algum DESSES anúncios? Se for realmente como vc descreveu aí, eu apóio. Esse aí eu só achei ridículo msm. Tenho a impressão de que vc está é de saco cheio dessas propagandas ofensivas e postou essa q não tem nada a ver, só de raiva.

Acho que quem fez a propaganda deve achar 'mara' a estética da figura feminina com aparência desacordada e fez essa campanha com mulheres mortas só por isso, sem nenhum motivo oculto. Só bobeira mesmo. Corrija-me se eu estiver errado, por favor.

Carol disse...

A idéia é exatamente gerar buzz, assim todo mundo passa a conhecer a marca. E convenhamos, funcionou.

Agora a idéia que a foto quer passar é a de um glamour "decadente" e a morte, no caso, faz parte dessa "decadência", essa coisa meio junkie que a Kate Moss incorpora em carne e osso.

Isso choca, pois é a mistura do glamour com o escatológico. Não sei necessariamente se é misógino ou se as propagandas têm mais mulheres porque são voltadas mais para mulheres (então não faria sentido colocar um homem, pois as roupas masculinas não são o produto). No caso da Wrangler, a segunda foto provavelmente é de um homem, visto que a marca é unissex e forte para homens e mulheres.

E tudo começou com a Benetton lá no começo da década de 90 colocando um cara que tinha Aids, à beira da morte, como símbolo da marca. Depois foram várias outras fotos polêmicas. E funcionou, porque a Benetton, que era só mais uma C&A da vida, ficou com uma áurea de "cool", jovem, audaciosa.

Mas concordo que é de mal gosto.

Amana disse...

É muito esquisito, posar de "cool" por fazer algo que choque.
Quer dizer, chocar não é exatamente o termo, porque as pessoas se chocam por muitas coisas diferentes (há quem fique chocado ao ver mulheres se beijando, por exemplo). Mas nesse caso, o que choca mesmo é a associação entre o consumo feminino e a passividade da mulher ao extremo - até sua morte, no caso. É o típico "nem precisa ler nas entrelinhas"...

Lola, como vocês estão? conheço algumas pessoas aqui no rio que arriaram mesmo com a dengue, coisa muito braba. E alguns casos evoluem para hemorrágica. Não descuidem! Bebam água até não aguentarem - é banal, mas ajuda muito...
Melhoras!

Esqueci quem sou. disse...

Eu concordo totalmente contigo, Lola, e adoro os comentários que fazes no teu blog, mas no caso da foto que retrata uma mulher em um vestido nada bonito, para a grife Versace, ela pode ter morrido porque mordeu a maçã, como a Branca de Neve.

No mais, podes até não saber mas eu sou teu fã <3

Carina Prates disse...

Eduardo: "Não podiam ser homens mortos também?"

Mas NÃO são homens. São mulheres.

Você pode dizer que é pq as marcas citadas são voltadas para mulheres. Ok. Então pq não é glamouroso fazer isso em propagandas voltadas para os homens? Cínico, esse seu comentário.

aiaiai disse...

Puxa Lola,

Assim você vai atrair a ira dos defensores da liberdade de expressão!

Mulher morta, mulher sofrendo, mulher gritando de horror, mulher gemendo de dor, mulher sendo estuprada...tudo isso vende, é claro, em sociedades patriarcais e machistas como a nossa. Infelizmente, ainda é assim.

Sandro,

a lola não fez mimimi nenhum...ela tá questionando que tipo de gente se sente atraida por um produto/marca que se vende dessa forma;

Quem falou ai dos moderninhos ousados,

Me lembrou o movimento dos SIVA (Síndrome da Incrível Vontade de Aparecer), que conheci por meio do Idevasco;

Eduardo marques,

Ou vc não sabe ler ou leu outro post...Lê de novo, querido!

Rubens disse...

Eu ja trabalhei em agencia de publicidade e sei como é essa coisa da construção de signos "de poder" através da violência, é muito comum apelar pra isso.

Uma vez um Diretor de Arte chegou a justificar o uso do tema violencia como uma forma de mostrar que é a roupa é resistente!

"Olha, a mulher pode até estar detonada mas a calça 'X' super descolada, vai estar lá quando a perícia chegar"

perguntei se meu ouvido era um penico...

Aline disse...

Outro dia, estava escutando umas músicas, e encontrei essa banda, os seminovos, e essa música em especial, fala sobre como a mídia tenta convencer as pessoas de que atitude é algo comprável em um supermercado ou em lojas de shopping...

http://www.alineabreu.com/home/index.php?/Para-Pensar/atitude.html

Mas chegar ao ponto de mostrar pessoas mortas isso é triste demais...

Beijos

Aline

Leticia disse...

Me lembrou de um texto que li ontem da Marjorie Rodrigues, sobre a publicidade para a mulher e os produtos de limpeza:

videos: http://twurl.nl/mbqkwx e o post: http://twurl.nl/z5hf88

Eduardo Marques disse...

Carina e Aiaiai,

Meu comentário não tem nada de cínico. Acontece que a Lola estava com vontade de criticar as campanhas publicitárias e escolheu o anúncio errado para isso. Mulheres mortas. Agora qualquer referência a mulheres em situação difícil é machismo? Mulher tropeçando, pisando em chiclete, perseguida por um cahorro brabo é machismo também? E o motivo da morte, tem, necessariamente, alguma coisa a ver com homem? Ela não pode ter sido assassinada por outra mulher? Machismo é acreditar que mulheres são seres frágeis que não podem cometer crimes também. (--Meol Deols, vc agora está botando a culpa nas mulheres, dizendo que elas cometem crimes? Shame on you porco machista! -- Ah, vá!) Achar que elas só podem sofrer por causa de homens é paranóia.

Pili disse...

a mensagem é clara.
não precisa ser inteligente, não precisa ser original, não precisa ser boa no que faz, não precisa nem fazer alguma coisa, aliás, não precisa nem estar viva!
Basta estar sexy.

é, eu sou da opinião triste que mulher morta vende sim.
Vende porque tem aceitação. E tem aceitação porque é a consumação virtual da cultura de violência contra mulher.
Tanto no sentido de agressão quanto de objetificação.

Principalmente de objetificação, afinal, não há mais um sujeito capaz de atos ali. Ela não vai resitir, negar, reclamar, nem nada que atrapalhe o uso de seu corpo. Ela já nem é mais ela, é apenas um corpo. Absolutamente despersonificado e sexualizado. Com alguns efeitos visuais apenas sugerindo a violência, mas nada que a denuncie realmente pra não tirar o glamour, pra não gerar uma culpa desagradável.
É o objeto ideal!
E agressão, claro, devido a historinha que essa foto "conta". O que se passou com a moça pra chegar àquele resultado.
Mas as "falas" dessa foto não param por aí. São também todos os pensamentos machistas que ela permite.
Acho que todos já ouviram:
"também, quem mandou a moça se meter num lugar desses?" ou com uma atividade dessas, ou ter uma aparência dessas, ou coisa parecida.
Como se a mulher que ousa transitar por cenários x ou y causasse irremediavelmente seu proprio abuso.
Sem falar de frases como as cantadas/ameaças, como:
"Essa eu comeria até quebrar."

Dentro de uma lógica muito perversa há quem espera fazer um elogio assim. Achando que a maior felicidade de uma mulher seja simplesmente ser desejada, há quem diga:
"Vocês são detentoras de algo que transforma os outros, que desperta desejos tão fortes a ponto de serem incontroláveis."
Não só esperam que fiquemos lisonjeadas com isso (ou que compremos o produto anunciado pra passarmos a ter o tal je ne sais quoi) como também usam pra desvalidar a luta por direitos iguais. É o velho papinho:
"vcs mulheres já tem o enorme poder de controlar os homens pelo desejo, basta saber usar".
Esquecem de dizer que o desejo que mulheres causam em homens não é suficiente pra homens atacarem mulheres. Mas viver num mundo que diz que isso é natural, é suficiente e ainda induz a tal ato.
Homens não atacam mulheres porque não podem se conter, mas sim porque os ensinaram que não é preciso se conter. Que eles podem.
E se (atenção ao SE) se tentarem condená-los por isso eles sabem que dividirão boa parte da sua culpa com a vítima.

aiaiai disse...

Bom, se alguém ainda não tinha entendido o lance, Pili explicou tudo! Valeu! Belíssimo comentário.

Oliveira disse...

A resposta pra isso é: "MULHER, ATÉ MORTA VENDE"

lamayeshe disse...

Lola,

Gostaria que você respondesse aqui nos comentários ou fizesse um post sobre o meu questionamento: Num post antigo você defendeu a atitude de uma mulher que esbofeteou um homem que tentou beijá-la. Se uma mulher tentar beijar um homem à força, ele teria o direito de esbofeteá-la?

Se ja respondeu me perdoe mas é que o site é muito atualizado e não dá pra ler todos os commentarios

leituraescrita disse...

Para o Eduardo Marques, que pediu os seguinttes anúncios "Existem séries de anúncios e comerciais com a temática do estupro, da humilhação diante do homem, da ejaculação no rosto da mulher, etc etc." , vê se esse aqui, o exemplo mais recente, tá bom o bastante:
http://www.youtube.com/watch?v=wNXZTn6tnv4
Nojo supremo.

Mariane disse...

Pois é...e a Betty Milan acaba de postar um tweet dizendo que as reivindicaçoes feministas ficaram obsoletas.Será mesmo ?

Adriana Rodrigues disse...

Caro Eduardo Marques e demais:

Pessoal, o problema não é só o fato de termos mulheres mortas. Até aí, a morte de homens, mulheres, crianças e animais em propagandas é algo de muito mau gosto (a menos, sei lá, que você seja de uma firma que prepara cadáveres para o enterro). Mas o fato é que as mulheres não estão simplesmente mortas. Estão mortas, em poses provocantes (ou com nudez sugerida, como no caso da propaganda da calça jeans), isso quando o causador da morte não está em pose triunfante (como no caso do cara do primeiro anúncio. Homem, aliás), como o grande vencedor da história.

Uma "mulher em situação difícil" (após ter tomado um bom tropeção ou ter sido vítima de estupro seguido de morte) não tem NADA de glamourosa e dificilmente seria retratada em uma propaganda. Não. Pra ter glamour, tem que ter a pose sensual, tem que estar limpinha, composta e na moda. "Porque vejam, mulheres, se vocês morrerem bem vestidas, sua morte valeu mais a pena que uma que morreu toda esgadanhada."

Isso SERIA paranoia de feminista se homens e mulheres mortos nessas mesmas condições fossem espalhadas por aí, mas não é o que acontece. São MULHERES mortas E humilhadas para vender produtos... para outras mulheres. ._. É ou não é degradante, pra dizer o mínimo?

Claudia disse...

Oi Lolinha!
Embora nunca deixe de ler seu blog, não comento há algum tempo.
Chegou-me nas mãos ontem um blog sobre uma mulher lutando contra o ex-marido, que a está acusando injustamente de pedofilia e tirou-lhe a guarda do filho. Dá uma olhada e se achar pertinente, divulga?

http://elainecesar.blogspot.com/

Não conheço a autora do blog acima, mas me chegou por outro blog e acho importante divulgarmos.

Bjos

Larissa disse...

Lola, acho o assunto muito pertinente, já que hoje é "dia do consumidor". Acho que no Brasil temos muitos outros exemplos, inclusive de propagandas de TV que insistem em colocar a mulher como público alvo de eletrodomésticos e o homem como público alvo de cervejas, como se o inverso fosse impossível. Não sei se v. esqueceu ounão ouviu falar de uma polêmica que teve há um tempo, com a MAC Cosmetics.. fizeram uma linha inspirada na ciudad Juarez, que todo mundo cansou de saber qual a história.. mas o assustador foram as fotos, com mulheres que pareciam mortas, e os nomes dos batons, esmaltes, etc. Foi algo assustador, e acabaram não lançando a pedido de feministas do mundo inteiro - menos do Brasil, porque aqui só quem comentou o assunto foram as blogueiras que estavam ansiosas pra comprarem seus it-cosméticos.
Acho que as pessoas deveriam rever muito seus conceitos sobre consumo, pois quem compra está financiando certos comportamentos, e isso vale pra muitas marcas brasileiras inclusive - depois que ouvi falar que a C&A e Marisa contratavam pessoas em condições análogas à escravidão, nunca mais coloquei os pés numa loja deles.
Só achei que v. passou demais da conta com o anúncio do Marc Jacobs.. não acho que a alça da sacola é um sorriso e nem que a posição tem a ver com morte ou sexo.. há outras imagens da campanha com pessoas dentro da sacola, pra mim essa é até legal, parece q a pessoa caiu dentro da sacola, uma coisa meio desajeitada, por isso até o salto parece ter "virado".
Desculpa, mas podia ter passado sem essa..

Má. disse...

Olá Lola! é a primeira vez que comento no seu blog, sou uma 'leitora fantasma' haha.
Bom, adorei o post, você não acreditaria quantos fashionistas de plantão acham esse tipo de propaganda o máximo...
Sabe o filme Direito de amar, com o Colin Firth ? o diretor é o estilista Tom Ford, e os anúncios publicitários de sua marca são o cúmulo da objetificação e passividade da mulher.
Teve também uma marca de maquiagem (MAC)que produziu uma coleção inteira em parceria com uma grife que faz alusão ao feminicídio que acontece na cidade de Juarez no México.
Mas pelo menos os consumidores protestaram e fizeram com que a coleção fosse cancelada.
Bom, mas o que teve de gente lamentando o cancelamento da coleção...

Robbie disse...

Duvido que isso seja para chocar.Eu e pessoa da minha idade estamos acostumadas a imagens violentas desde crianças.Então acho que essas propagandas tem como objetivo a dominação.Sinceramente,violencia hoje em dia se tornou algo tão batido na midia que duvido que um publicitario,que estudou pra isso,usaria algo tão "normal"nas suas propagandas.Esses caras são como o Chapolin,todos os movimentos deles são friamente calculados :) Não da pra alegar ignorancia.

ela disse...

A Wangler fez referência às gaivotas mortas por petróleo num vazamento de um navio.

Natália disse...

a ela está certa, creio. o "we're all animals" era um protesto, o q faz mais sentido. vende pq identifica a marca como consciente.

agora os outros nao dá pra justificar meesmo. teve essa valorizacao da necrofilia num clip do kanye west tb. a feministfrequency comentou aqui http://www.youtube.com/watch?v=QpzEjjn3w4U

ela disse...

No final do clipe You Only Live Once, dos Strokes, também fazem essa alusão.

Paola disse...

De fato, comecei a ler e nao acreditei. Que absurdo!
Beijos, adorei o bloge vou voltar

Iseedeadpeople disse...

Teve uma marca (Benetton?) que em plena comoção do assassinato da Daniela Perez, fez um anúncio que retratava uma mulher morta num matagal na mesma posição em q a jovem atriz fôra encontrada... alguém se lembra disso???

Nina Caetano disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nina Caetano disse...

todos os dias, nas ruas da cidade, mulheres são construídas. mulheres de cama e mesa. mulheres sobremesa. mulheres fruta. mulher melancia. pera. mulher princesa mulher noiva. bonecas domesticadas pela tv. dócil. muda. morta.
"chega de fruta, homem gosta é de comer carne" (mulher-filé: frase do seu lançamento no "mercado das frutas")

Nina Caetano disse...

ah, fiquei horrorizada com o vídeo do qual a leituraescrita falou. é simplesmente aterrador.

Juliano Berquó disse...

Fiquei sem saber o que pensar da vida quando vi a expressão snuff film e o que ela significa. Não conhecia. Fui ao google. Acho que agora precisarei de terapia.

Nós, humanos, somos tristes.. mas nós, homens, somos um horror a ser desconstruído!

Donner disse...

Bem, não posso afirmar nada com certeza por não ser conhecedora do assunto, mas eu pessoalmente gosto desse tipo de campanha que trata pessoas como objetos pois eu acho que é exatamente isso que as marcas fazem com elas. Tornam objetos. Coisas irracionais. E sou especialmente simpática às campanhas da PETA que retratam seres humanos como 'pedaços de carne'. Pra mim, essa campanha mais ou menos grita que as pessoas não são nada comparadas aos sapatos, que elas morreriam por isso. Acho que é uma coisa meio duvidosa, eu pelo menos vejo como uma campanha negativa às marcas feita pelas próprias, acho que alguém deveria ser meio alienado pra se sentir atraído pelo objeto com essa propaganda... mas o jogo de marketing me parece ser que as pessoas sempre tem uma pontinha de curiosidade e atração pelo mórbido. Apesar de ser algo que pode parecer repulsivo, sempre desperta curiosidade.
Agora, sobre o fato de serem mulheres... não sei. Sinceramente não sei. Pode ser preconceito, misoginia, pode ser apenas porque a indústria de moda gira em torno das mulheres, em sua maioria. Só sei que já cansei de ver, também, campanhas de moda que tratam os homens como objetos... sendo pisados, usando coleiras... Acho que é uma coisa meio democrática, apesar de invariavelmente dividir opiniões.

Barbara O. disse...

Basta fazer um simples exercicio e passar a veicular campanhas com homens esfaqueados mais muito elegantes, vitimas maasculinas de radiotividade, morrendo nas guerras americanas mundo afora. Pode por umas mulheres olhando satisfeitas para eles nas fotos. Qual seria a repercussao?

(Pili disse tudo)

Lord Anderson disse...

Donner, sobre o PETA, vc reparou que a maioria das propagandas que mostram pessoas como pedaços de carne, tb usam mulheres?

Isso inclusive ja foi tema de polemicas e protestos.

samya disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
samya disse...

Oi, tudo bem? As propagandas são de extremo mau gosto sim, mas algumas estão foram de contexto no teu post. Essas da wrangler na verdade fomra feitas depois de um derramamento de petroleo no mar. Foi uma critica e não vontade de apresentar mulher morta. Inclusive não so a imagem mas a frase abaixo do comercial me parece bastante obvia. Eu não gosto de nenhum tipo de propaganda que incite a violência mas gosto do que choca, gostada propaganda que leva a reflexão. So acho que as vezes você se informa pouco antes de postar.

MARIA, L.P. disse...

Oi Lola!

Acompanho tuas postagens e, confesso, me divirto com os comentários.

Leio o blog por ele ter uma orientação feminista muito bem definida, com textos e críticas interessantes. Me divirto porque não precisou muito para perceber isso e, ainda assim, tem algumas figuras que insistem em acompanhar o blog e criticar sem fundamento algum!
Justificam o machismo há seculos. A nossa sociedade defende isso. Mas é desnecessário defender essa postura criticando os textos - muito bem fundamentados - de uma mulher, só para se auto afirmar.


O tema do post é cruel e sujo, lamentável, sem dúvidas. E sim, vende. Mas as tuas críticas, são ótimas! Parabéns!

Pat Ferret disse...

Lola, postei um comentário que "sumiu". Tinha até um link que encontrei que iria te interessar, e que não guardei. O blog está moderado ou foi erro do Google? ;-)

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Chocada com isso.
Se a intenção fosse denigrir as marcas, não fariam melhor. Mas quem consome esse tipo de produto está preocupado é com o nome da marca, então nem sei se chegam a reparar nos anúncios.

Interessante é que como você apontou, são roupas voltadas pra mulheres de classes mais altas. Anúncios voltados pra mulheres de classes média costumam ser com figuras pop como Gisele e Beyoncé, dançando, desfilando, etc.

Não consigo compreender essa ligação de marcas femininas que interessam à classe alta serem tão ligadas à violência... Não entendo mesmo.

nanachan290 disse...

Olá Lola, eu sempre tento acompanhar o seu blog mas nunca comentei.
Machismo, violência (de todos os tipos) contra indefesos (mulheres, crianças, idosos, etc) me deixam fisicamente doente, sério mesmo! Começo a ter dores abdominais quando sou exposta a essa realidade, é algo q me incomoda até o fundo da alma. Várias vezes parei de ler pela metade guests posts e até mesmo suas críticas sobre esses comportamentos por conta disso. Me encho de ódio dessas pessoas e ao mesmo tempo de tristeza, desanimo e frustração. Como posso mudar o modo de pensar deles? Será q eles são capazes de perceber q estão errados?

Agora mesmo fui ver no youtube um comercial (feminista ?) da Bombril, muito bem humorado por sinal (confira: http://www.youtube.com/watch?v=evuY4mV0gYk), mas não sei porque cargas d’água fui ler os comentários (Ministério da saúde adverte: ler comentários no youtube faz mal a saúde). O q tem de homem defecando pelos dedos lá né brinquedo não! O pior é q é a maioria! Um deles até ta sugerindo boicotar a Bombril.
Eles simplesmente ignoram as toneladas de comerciais de cerveja (só pra dar um exemplo) q são tão machistas e vem acusar o comercial da bombril de ser sexista. >:( Já ta mais do q na hora de haver algo na tv q defenda as mulheres! E mesmo assim eles insistem em serem... pensei em tantos nomes mas é melhor usar o mais leve: cabeça-dura.
Ai ai ai Lola do meu coração, será q esse mundo ainda tem jeito?
Já vou me indo pq já to começando a sentir dores.
Adoro o seu blog Lola!

Larissa disse...

sério mesmo que alguém achou boas as propagandas novas da bombril? eu estou pasma.. só vi a da Marisa Orth até agora, e ela diz que se o marido lavar a louça, vc tem que dar banho nele (???) e se não lavar, tem que bater com um jornal.. sei lá, acho que perderam a grande chance de inovar e fazer propagandas que mostram que serviço doméstico não é obrigação feminina.. pra mim ficou pior ainda.

Jéssica disse...

Sobre a defesa de uma das propagandas, porque era uma crítica a um derramamento de petróleo que aconteceu:

Quer dizer que, sob o argumento de ser uma "crítica", pode tudo?

A mulher não está morta de um jeito nojento e repugnante, está morta de um jeito sexy! Precisava mesmo a mulher estar sem a parte de cima da roupa e com parte das nádegas aparecendo? Essa sexualização ajuda em algo na crítica?

Não, não ajuda. Ser uma crítica nada tem a ver com isso, é pura objetificação da mulher mesmo.

Mariana disse...

impressionante! E definitivamente, a wrangler que procurasse um jeito de "protestar" diferente, pois se precisa de tanta explicação pra entender que foi sobre derramamento de óleo é pq não funciona...

samya disse...

Jessica,
a propaganda da wrangler não foi feita so com mulher não, tinha homem sujo de oleo e jogado também. Acho pertinente sim, acho que quando se trata de denuncia ambiental essas propagandas fazem as pessoas realmente pensarem.
Mariana,
Quando a propaganda saiu não precisava de explicação nenhuma. Alias se você colocar as propagandas que sairam, acho que três ou quatro na época, você entenderia rapidinho o contexto em que estava inserida a critica.

Marilia disse...

Concordo com a Jéssica. Não precisa sexualizar a propaganda para criar uma crítica. Desnecessário.

Até criou-se um movimento pela diminuição do apelo sexual em propaganda. Acho que foi um movimento europeu, mas não lembro em que época foi (vão alguns bons anos já).

Olha, sendo homem, sendo mulher, o apelo constante ao sexo na nossa sociedade não está muito saudável, não.

Jéssica disse...

Samya, leia o meu post novamente, em nenhum lugar eu reclamei do morto ser mulher, eu reclamei dela ser uma mulher morta E sexy.

Vivien Morgato : disse...

Não consigo imaginar como seria uma reuniãode pauta para uma merda dessas. E o ar blasé de quem defende (!!!) esse tipo de obra (???) é repulsivo.

bbza disse...

Gostei do texto, mas amei os comentários!
Sou mto alienada, não conhecia nenhuma dessas propagandas...
Mas se for pra falar de apelo à violência e à erotização, basta passar em frente a uma banca de jornal e ver dezenas de pessoas se espremendo pra ler notícias de tragédias ou alguma foto de mulher em pose sexy (vulgar) pelada (ou quase).
Mesmo que seja uma proáganda, acho que não precisa estimular a violência e a erotização excessiva (no caso das críticas).

Mas uma coisa é certa e lamentável: sexo e violência vendem.

denise disse...

Pili
Vc sacou exatamente o lance , dessas campanhas, e tb as tematicas dos filmes policiais, e sempre uma variação em torno do mesmo tema.

Isadora Linhares disse...

Lola, só acho que aquela imagem da mulher caída na escada faz referência à morte por envenenamento (peça maçã que ela tem na mão direita), igual ao conto de fadas A Branca de Neve e os Sete Anões...e não que ela tenha simplesmente caído da escada por a roupa ser desconfortável ou alguém tê-la empurrado. De resto, entendo que os anúncios tem algum objetivo ao mostrar essas fotos "chocantes", e não entendi o seu protesto também...

Selene Skandanávia disse...

Gosto é gosto!
Eu amei as fotos! Algumas são muito bizarras, mas outras são lindas!

Anônimo disse...

Interessante... gostei da foto da garota "afogada".

Gosto muito de fotos e pinturas de "gente morta", e, confesso, sempre achei que mulheres são modelos bem mais bonitos e delicados do que homens.

Mas não não compraria nenhum produto. Aliás, acho esses anúncios perturbadores não só pela violência que sugerem, como também por associarem um produto à morte. Realmente, desde quando você busca a morte comprando algo?

Acho lindo como acho uma pintura semelhante, mas isso não vende pra mim.