quinta-feira, 14 de outubro de 2010

EU NÃO MUDO DE LADO

Boatos estão correndo soltos nesta campanha todo santo dia, mas ontem, pelo jeito, foi um dia especial. O clima de indignação contra a Dilma era geral. Parecia que ela tinha vendido a alma ao diabo. E lendo essa notícia do Globo, em que ela se comprometia perante pastores a não só não submeter projetos para legalizar o aborto ou aprovar o casamento gay como também vetar qualquer lei, parecia que tinha mesmo. Quer dizer, não vendido a alma ao diabo, mas vendido aos religiosos. Que, pra mim, dá no mesmo. Aliás, vender a alma pros religiosos me parece muito pior, porque não acredito em diabo nem inferno. Mas esses fanáticos que insistem em invadir o meu Estado laico são bem reais.
Um leitor no blog, e outros no Twitter, fizeram a mesma pergunta: “E agora, Lola? Sério, já tinha decidido passar por cima disso e manter meu voto na Dilma e no PT, mas tá ficando complicado votar praticamente contra mim e contra o que acredito!
Eu escrevi o que se segue antes da notícia ser desmentida. A gente (e eu digo isso pensando em mim) precisa tomar cuidado com os boatos. Esperar sempre uma confirmação, porque a gente sabe que existe toda uma oposição que quer desestabilizar o nosso lado. Mais tarde, saiu outra notícia, em que Dilma diz que nem ela nem ninguém pode interferir na união civil entre homossexuais, pois esta não é uma questão religiosa. A Folha também mudou parte da notícia que tinha veiculado. Aparentemente, Dilma não falou nada sobre veto a coisa alguma. Os pastores é que espalharam isso, ou os jornais. Ela só fez aquela concessão que já tinha feito, de não apresentar projetos. O que não é uma concessão tão enorme, pois o executivo não faz isso. Quem faz é o legislativo.
Sabem, eu também fico frustradíssima. Gostaria que o PT lutasse de frente contra os reaças da sociedade. Mas a verdade é que nem no PT existe consenso acerca da legalização do aborto ou de direitos gays. O partido sempre defendeu essas causas, mas, como em qualquer outro assunto em se tratando de um partido de esquerda, não há unanimidade. Enfim, temos que ser pragmáticos nessas horas: quem está mais próximo dos nossos ideais, alguém que nunca deu a mínima pros direitos das minorias (muito pelo contrário), ou alguém que sempre foi a favor, mas, chegando num momento decisivo, precisa se comprometer com grupos retrógrados para não sair de cena? E sim, eu sou 100% a favor da legalização do aborto e do casamento gay, mas não são apenas essas bandeiras que são importantes na minha vida. Minha vida é privilegiada, e eu não voto pensando em mim. Ficarei bem com qualquer governo, assim como sobrevivi numa boa aos oito anos de FHC. A classe média, que adora se fazer de sacrificada, gosta também de fingir que um governo a afeta, mas não é o que acontece. Seja lá quem ganhar, quem é de classe média continuará tendo plano de saúde, pagando escola particular pros filhos, contando com segurança privada no condomínio fechado, andando de carro, e fazendo mil e uma coisas que não dependem do Estado. Porque a gente pode, e a gente já enraizou tanto que o que vem do Estado não presta, que não vai fazer diferente. Mas tem gente que depende integralmente do governo, e nem estou falando no Bolsa-Família (que, milagrosamente em época de eleição, virou unanimidade nacional. Os reaças, que passaram os últimos sete anos falando mal do programa, agora são tão a favor que até disputam sua paternidade, e juram dobrá-lo!). Sei que é difícil a gente sair um pouquinho da nossa zona de conforto e pensar nos outros, mas vamos fazer o esforço de lembrar do pessoal que tem uma vida muito, muito mais dura que a nossa. E que seriam novamente varridos pra debaixo do tapete num governo do PSDB/DEM, um governo que notoriamente não dá a mínima pros pobres.
O
país melhorou muito nesses últimos anos. Sei que quem é jovem não tem muito como comparar. Mas acredite então na imprensa internacional, que finalmente pôs o Brasil no mapa e diz que o futuro chegou, que o gigante adormecido acordou. Os reaças juram que todas essas matérias são pagas, que o Le Monde, por exemplo, é um jornal francês estatal, puxando o nosso saco pra nos vender helicópteros. E a sensação geral aqui no Brasil de quanto o país está melhor é pura desilusão coletiva. Os 80% de popularidade do Lula é só porque a gente gosta da barba dele. Pois é, eles acham que o país está no fundo do poço e nos chama de bananas (pra não mencionar os nomes piores), e somos nós é que não temos noção?
Há todo um pro
jeto que está em jogo. Talvez as lindas tabelas do Ilustre Bob ajudem a comparar melhor dois governos muito diferentes.
Não avançou tanto quanto a gente queria? Claro que não! Mas voltar atrás neste momento é entregar todas as conquistas nas mãos deles, e permitir que acabem com elas. Olha, pra mim muda pouco. Nunca mais terei um reajuste salarial, óbvio, e a verba pra universidade onde trabalho praticamente desaparecerá. Mas eu sobrevivo. Vai ser chato ver minhas amigas quase doutoras ou recém-doutoras, que estudaram tanto pra algum dia poderem lecionar, não terem chance de emprego, porque não haverá mais concursos, e as faculdades particulares não contratam doutores, pra não ter que pagar mais. Tenho algumas amigas enfermeiras também, que querem trabalhar no serviço público. Será péssimo pra elas. E pros filhos das minhas amigas, então? Não haverá novas universidades construídas. Como que eu sei de tudo isso? Ah, deve ser premonição, ou um sexto sentido. Isso ou lembrar como foram os dois mandatos do FHC, nos quais Serra foi ministro. Ou ver o que os dezesseis anos de PSDB estão fazendo com SP. Mas o pior não vai sobrar pra mim ou pras minhas amigas. Vai sobrar pra quem mais precisa. O governo demotucano certamente não é um que está ligado a qualquer movimento popular. Só tem conexões com a elite mesmo. E vai sobrar pra minha região, o Nordeste, que virou um outro lugar. Tá irreconhecível mesmo. A última vez que tinha vindo pra cá foi em 99. Quanta diferença! Sei que é pedir demais pra que se olhe pra região mais pobre do país, mas sabe, é o mesmo país. É um só. Ainda não nos separaram, apesar dos gritos histéricos do “Sul é meu país” e de “quem sustenta os vagabundos do nordeste é São Paulo”. Só quem vota no Serra fala essas atrocidades, mas eles querem nos convencer que sim, são muito sensíveis e se preocupam com os pobres.
Então temos muitas outras coisas pra preservar do que projetos de lei que, como a Nathália já explicou, não dependem do presidente. Mesmo que o presidente vete um projeto que o Congresso vier a aprovar, o Congresso tem o poder de passar por cima desse veto. Ou seja, a opinião do presidente vale muito pouco. Mas ainda dói ver Dilma tendo que brigar contra o que acredita. E quer apostar? Deve doer mais ainda pra ela. Mas fazer o quê? Entregar o governo nas mãos deles por causa de um ponto menor? Porque é, gente, um ponto menor. Infelizmente é, ainda que não deveria ser. Por enquanto é.
Mesmo que Dilma não assine coisa alguma, alguém em sã consciência imagina que, nos próximos anos, qualquer projeto pró-legalização do aborto ou casamento gay passe no Congresso? Não, né? Esse segundo turno, com todo esse terrorismo religioso, nos fez retroceder vinte anos. Tô falando sério. Duas décadas de atraso em um mês! Quero acreditar que o pessoal menos conservador que votou na Marina teria votado diferente se soubesse como seria este segundo turno. Quero acreditar também que vai chegar uma hora em que a maior parte dos brasileiros entenda que este climão de idade média não combina com nosso país, que deveria ser laico. E que os brasileiros que estão acompanhando este retrocesso (e imagino que não sejam só os eleitores da Dilma, mas da Marina e até mesmo do Serra, que estejam estupefatos) saibam quem o trouxe à pauta. Espero, ainda, que Serra perca votos por pagar capangas pra mandar emails-spam da maior baixaria. Que perca votos por fazer a mulher falar nas ruas que Dilma mata criancinhas. Porque isso é um golpe muito, muito baixo, até pro nível de um Serra.
Não importam os acordos absurdos que teremos de fezer com os obscurantistas. Ainda somos amplamente melhores que a direita. Ou você consegue imaginar um Dilmaboy do lado de lá? Consegue imaginar alguém da Tradição, Família e Propriedade ou da Opus Dei apoiando o PT? Os reaças nunca vão mudar de lado. Por que nós mudaríamos?

83 comentários:

Ana_VitaminaC disse...

Lola que ótimo post, votei na Dilma e continuarei votando sem qualquer dúvida, mas fiquei triste com que vi na tv. Seu post foi esclarecedor pelo pelo menos para mim.

Abração


Ana

Amanda disse...

Esse post é sua obra-prima da eleição, Lola!

Gabriela disse...

Vendo ontem as estatisticas da votação, agora estou com medo da Dilma perder...

Acho que tu é sonhadora em relação a um Estado laico... é só ler os comentarios de pessoas no terra ou qq outro site quando o assunto é aborto ou casamento gay... e não só essas pessoas já que falando com gente "estudada" elas tb acreditam q isso é errado por razoes estupidas e nao importantes... O Brasil esta muiiiiiiiiiito longe de ser um país "a frente" pq tem mta gente ignorante quanto assuntos importantes como estes.

Mariana. disse...

Lola, queria que o PT fosse mais combativo, mas entendo que não seja. E já dedici meu voto: no menos pior. E é a dilma.

Infelizmente não pude ler seu texto todo (tempo! mas a tarde leio) mas cheguei até a parte da CLASSE MÉDIA. Vou colar aqui o mesmo comentário que fiz ao post brilhante do blog Liberal Libertário Libertino. Porque pra mim, quem vive em condomínio de luxo cercado de cerca elétrica, não é classe média como eu. Minha vida é sim afetada pelo governo, mesmo eu estando entre os 5% por cento mais rico. Lá vai o comentário:

"Eu também voto na candidata do lula.

Veja bem, eu sou a favor de mudanças, desde que sejam para melhor. O progresso pelo progresso não deve ser estimulado. Progresso entre aspas, frisa-se.

Na presente situação, só mudariamos para pior. Não reconhece isso apenas aqueles que insistem em argumentar que não votam no PT porque o presidente é o lula, e eles 'odeiam o Lula corrupto analfabeto e o PT, e o bolsa-esmola'. E eles querem realmente nos convencer, rs...

Mas sabe, eu sou classe média. Branca, estudei em boas escolas, curso uma universidade federal, direito, e devo dizer que o meu nível de vida caiu. Muito. Eu nunca vivi no luxo (claro que aos olhos dos miseráveis ex-miseráveis, eu vivia no luxo), meu pai pagava a escola com dificuldade, nunca freqüentávamos restaurantes nos fins de semana e nem viajávamos no verão. O apartamento relativamente bom era financiado pela caixa (perdemos porque ele não conseguiu continuar a pagar as prestações). Meu pai sempre priorizou a educação: não vamos a restaurantes e nem fazemos viagens, mas estudamos nas melhores escolas. Sempre.

Agora minha irmã está formada e ganha seis mil por mês. E eu estou para formar e sou estagiária, me viro com as minhas coisas, embora a maior parte dos meus gastos meu pai ainda cuida. Mas era de se espera que, com apenas um filho pequeno agora (leia-se em época escolar), a nossa vida tivesse melhorado. Mas piorou. Atribuo isso ao governo lula (e a algumas más escolhas do meu pai). Pra mim, ele não trouxe benefícios. Entendo que foi legal tirar tanta gente da miséria (tanto que voto nele, e esse sim é um voto altruísta, pode acreditar), mas ele deveria ter tirado dos RICOS e não da classe média.
A classe média sofre. Não é rica o bastante pra viver tranquila e nem pobre o bastante para receber benefícios.
Tudo o que eu conquistei e vou conquistar foi com muito suor. Passei muita vontade na vida quando via os coleguinhas ricos voltarem bronzeados das férias de janeiro, ou com um potinho de neve de bariloche em julho, ou simplesmente contando do almoço de domingo no shopping. Ou do intercâmbio, das festas de quinze anos, do carro aos 18 (eu tive que juntar a grana do estágio que era mais mal remunerado no inicio da faculdade para tirar carta, rs).

O fato é que o governo não tem muito mais para tira de mim e dar aos pobres, porque eu sou quase uma. Pode parecer dramático, porque tem gente que não tem o que comer, mas olha... Tá difícil pra mim também. Nunca fui rica, mas agora estou mais classe média ainda. E faço parte dos 5 por cento mais ricos, pela renda lá de casa.

Talvez a dilma pudesse focar no 0,5 por cento mais rico e dar aos pobres. Será que ela tem coragem? Vou dar um voto de confiança. "

Mariana. disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Lord Anderson disse...

É Lola, esse segundo turno ta sendo uma experiencia bem dolorosa.

(e no meu caso digo isso no mau sentido)

Por um lado intristece muito ver o nivel de comprometimento que o PT esta sendo obrigado a fazer (não só os religiosos, mas com alianças politicas tb, mas por outro toda essa baixaria e histeria só tornam mais necessario evitar a vitoria do "lado sombrio da Força".

Pq se o PSDB vence, ai sim, essas facções terão ainda mais peso no governo.

Continuo votando e fazendo campannha p/ Dilma/PT, mas me preocupa o backslash dos proximos anos.

Borboletas nos Olhos disse...

Lola, creio que o trabalho de dirimir dúvidas e desmentir boatos é muito importante neste período de ânimos acirrados. Nesse sentido, seu post é excelente, esclarece e aponta as limitações de argumentações tendenciosas que a direita insiste em difundir. Já vou divulgar. Bjs

Carolina disse...

é verdade... gostei muito do post.

Clara Gurgel disse...

É por isso que eu venho sempre aqui! Ótimo post,Lola!!!

Well Bernard disse...

Lola, eu votava na Dilma e ajudei a eleger deputados acreditando sim que eles fossem fazer algo em pró da população LGBT durante os próximos quatro anos. A causa é pequena porque estão colocando na mesa números, justo o PT que diz se preocupar não com eles mas com as pessoas.

Eu não vou servir de bode expiatório para manter o status quo a respeito dos meus direitos civis, negado por um Estado que eu financio e legitimo algumas de suas medidas. O motivo para isso é porque para grande massa o meu problema é realmente pequeno, mas para mim ele faz toda diferença.

Estou esperando essa Carta ao Povo de Deus, mas o que é bem certo é que ela infelizmente será o tiro de misericórdia para que eu boicote as eleições.

Eu acho muito positivo os avanços do Governo Lula e acho a volta do PSDB um grande retrocesso, que afeta realmente o que eu acho importante para todos, não só para mim. Mas o PT e a Dilma fizeram suas escolhas, não politizaram o debate e endossoram o discurso fundamentalista para justamente ganhar os votos dele, jogou nós, LGBT's, para escanteio, demonstrando que nós não somos importantes.

Lola, não dá. Um homossexual não tem porque defender votos para esses dois candidatos do segundo turno, porque isso sim é uma imoralidade. Já somos assassinados, agredidos e tratado a todo momento como pessoas de segunda classe, a sociedade nos colocou a incumbência de sermos exemplares e eficientes em tudo para ver se ela, talvez, quem sabe, sim ou não, pode ser, ver que não somos inferiores, logo para mim a grande aberração é depois disso tudo, ainda querer ser o Messias crucificado para o todo de uma sociedade que tem um poder de modo geral muito maior que o nosso, LGBT.

Bem, é isso Lola.

Peixos, me twitta.

hellomotta disse...

Perfeito!

Reparou uma coisa curiosa? O Serra conta "bonequinhos" na campanha por ter sido ministro da saúde, mas a contagem da Dilma (que foi ministra e conselheira por ANOS) continua no zero.

Tô começando a achar que a educação no Brasil tá mesmo uma merda, porque o Serra não aprendeu a contar.
Taí, vou votar nele. Ele é ambientalista, evangélico, pobre, gay, negro e, também, "analfabeto".

Parabéns pelo post.
h'[m]

James Figueiredo disse...

Lola, me desculpe, mas DETESTEI esse post. Quer dizer, quando é conveniente, o "partido da ética" (e seus representantes)pode comprometer seus próprios princípios e jogar uma parte do eleitorado que sempre confiou nele aos lobos? Então, tá.

E, especificamente em relação a isso aqui:

"Sei que é difícil a gente sair um pouquinho da nossa zona de conforto e pensar nos outros, mas vamos fazer o esforço de lembrar do pessoal que tem uma vida muito, muito mais dura que a nossa."

Quer sair da zona de conforto e pensar nos outros?

Muito bem. Pense que o Brasil é um dos países onde mais se matam homossexuais por dia em crimes de ódio, penque que nós, homossexuais, temos mais de 70 direitos civis negados por que não podemos nos casar legalmente (direitos que são automáticos para casais heterossexuais, inclusive que não sejam oficialmente casados), pense que essa parcela da população (nós) está sendo usada de forma NOJENTA como rifa, como moeda de troca por votos, pense que esse clima de terrorismo religioso, ao qual a Dilma está se curvando, é o responsável por manter a nós (homossexuais) como eterno bicho-papão pra assustar crente ignorante, pense que qualquer Silas Malafaia ou Marcelo Crivella nos usa pra avançar um pouquinho mais a ruína do Estado laico no Brasil. Pense que essa minoria é a única, A ÚNICA, que ainda pode ser aberta e fartamente discriminada no Brasil sem maiores consequencias. Pense que as famílias homossexuais não têm a proteção da Lei, salvo as que dão a sorte de encontrarem juízes simpatizantes, e portanto estão em constante estado de perigo em relação aos seus bens e à guarda de seus filhos.

Com licença, mas não vou deixar de pensar nisso, como se fossem problemas menores por que, né, são só bichas e sapatas.

Muito, MUITO nojo da Dilma e do PT por entrarem nesse jogo. PEnsando seriamente em anular o voto no 2º turno.

Um abraço,
J.

James Figueiredo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
James Figueiredo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vanessa disse...

As pessoas votam na Dilma achando que é o Lula que vai continuar mandando, mas ngm sabe quem é Dilma, ngm sabe que foi por causa dela (principalmente) que a Marina se desligou do PT. A Dilma vai dar um pé na bunda do Lula qdo for eleita eu eu vou rir dos "estudados" e dos pobres que vão se lascar que votaram nela. Como vc mesma disse, a classe média nào é tão afetada pela escolha de um presidente ou outro, mas cada povo merece o governante que tem. Povo burro tem Lula, povo mais burro ainda tem Dilma.

Mariana. disse...

E lola, a promessa antiga da dilma, de não apresentar projetos sobre o casamento gay, é relevante sim.

Tenho visto muitos pseudo-juristas dando pareceres, interpretando leis, a maioria comete gafes...

Vejam bem: uma coisa e FAZER LEIS. Isso é com o legislativo, em tese. É a função típica desse poder.

Apresentar PROJETOS DE LEI, é outra coisa. Qualquer um pode fazer isso... Tá escrito no art. 61 da constituição. No parágrafo 2º, fala sobre a propositura de lei pelos cidadãos (1% do eleitorado nacional, distribuídos em cinco estados, etc.) No parágrafo 1º, fala sobre as atribuições privativas do presidente, no que concerne a apresentação de projetos de lei.


MAS para permitir o casamento gay, precisa-se de mais que uma simples lei. É preciso alterar a constituição. E para alterar a constituição, só por meio de Emenda. E quem pode PROPOR emenda? Tá lá no art. 60 da constituição. Dentre eles, o PRESIDENTE DA REPÚBLICA.

Então, a Dilma (E O LULA PODERIA TER FEITO TAMBÈM), poderia ao menos ter apresentado o projeto de E.C. Aprová-lo, é com o congresso nacional, eles que se virem.

Então, a partir de agora, paremos de falar besteira que 'não faz diferença a dilma dizer que não vai apresentar projetos'. Claro que faz, caramba.

To votando nela, mas tá entalado isso aí.

Lord Anderson disse...

Claro Vanessa.

Povo inteligente é o do meu estado São Paulo, que moto no PSDB a quase 20 anos...

Sò um povo burro p/ votar num governo que melhorou a destribuição de renda, que aperfeiçou a economia, que fez otimos programas sociais, que melhorou nossa imagem internacional, que ajudou o pais a passar sem grandes traumas pela crise, e que principalmente, elevou a auto-estima dos brasileiros...

Tem razão, o povo é burro, ao contrario de uma ou outra pessoa iluminada que se sente tão a vontade p/ xingar o governo.

Pedro Monção disse...

Primeiro post que eu comento aqui!

Ainda estou começando a entender sobre política, mas pra mim está muito claro o modo como o PSDB está agindo neste segundo turno. Esse terrorismo religioso que o partido anda fazendo tá sendo uma verdadeira desgraça para os eleitores de mente fraca. Eu fico chocado quando vejo amigos meus acreditando nesse papo de vice da Dilma satanista, Dilma nazista... Eu noto que o brasileiro tem uma preguiça de pensar muito grande.

Acho que todos que comentaram disseram coisas que eu concordo e eu prefiro não repetir, então vou me limitar somente a dizer que não podemos ficar parados! Precisamos divulgar as boa snotícias de Dilma e PT via twitter, orkut, facebook e bate papo com familiares e amigos! Vamos combater esse terrorismo religioso e tentar reverter esse retrocesso ridículo que o Brasileiro está vivendo!

aiaiai disse...

puxa, lolinha, postei há pouco no tuiter exatamente isso em 140 toques:

tb ñ gosto disso, mas acho que garantir os direitos conquistados pela maioria c governo do PT é + importante neste momento

caso encerrado! agora é fazer campanha para trazer o pessoal da marina para o nosso lado. eu sei que eles querem o melhor para o brasil e devem estar assustados com o que está acontecendo. Hoje, eu já ganhei dois!

Renata de Oliveira disse...

Lola,
lembrei de vc hj (lembro direto, prá ser sincera...) quando fui levar minha tia a um laboratório, para buscar o resultado de alguns exames da sogra dela.
A d. Carmelita, sogra de minha tia, tem 82 anos, e está com uma doença grave. Eles (os filhos) pagam um plano de saúde razoável para ela, mas, adivinha? Quando vieram os exames caros e procedimentos? Aham! Negaram a cobertura!
Enquanto a pendenga segue na justiça (imagino que os bisnetos dela receberão algo), ela se voltou para o SUS. Está tendo atendimento de 1ª no Hospital das Clínicas, da UFMG.
O mesmo hospital que, nas gestões tucanas-FHC, esteve fechado por tanta "fartura": "farta de remédios", "farta" de equipamentos, "farta" de pessoal. Só sobravam os doentes. E estes, usando o termo no sentido da gíria, sobravam mesmo, igual jiló na janta.
Pois é, e alguns dos filhos da D. Carmelita ainda votam no Serra. Votavam, espero, porque fiz um retrospecto do governo tucano e da importância da saúde e eles deram uma balançada, até pela situação familiar que estão vivendo.
Na vida, infelizmente, temos que fazer concessões.
Concordo com você, a Dilma deve estar sofrendo muito por ter que ceder e aceitar acordos (o Temer mesmo é um desses...), mas democracia, entre tantas outras coisas, significa não só o governo da maioria, mas a busca pela igualdade real, e não simplesmente jurídica.
É muito simples dizer que todos são iguais perante a lei, quando na verdade, sabemos que a igualdade é tratar igualmente os iguais, e desigualmente aos desiguais, na medida de suas desigualdades.

O Tom Morello, não se se vc sabe quem é, é o guitarrista de uma banda estadunidense, chamada Rage Against the Machine (estiveram no Brasil no final de semana, no festival SWU - WTF!), a qual tem um discurso furioso contra o sistema. Eles foram entrevistados pelo Fantástico, no dia 3/10.
Assisti ao vídeo no youtube (Fantástico = depressão fim do fds!) e no final, o reporter, não lembro quem, pergunta para ele se não é incoerência eles pregarem contra o sistema (capitalismo) e viajarem de primeira classe.
E o guitarrista responde que sim, não deixa de ser, e que ele desejaria viver em um mundo sem primeira classe, mas que os privilégios são os mais difíceis de serem renunciados.
Achei o máximo, pq o repórter quis desacreditar a atitude da banda, e, pelo menos, consciência crítica e autocrítica, os integrantes já tem. É um primeiro passo.
Abração!

aiaiai disse...

Pro pessoal que tá pegando na questão de apresentar projetos...um pensamento:

projetos sobre união homoafetiva e descriminalização do aborto já estão no congresso há muito tempo...eles não perdem a validade.

É só todo mundo ser ativo politicamente depois das eleições que a gente consegue levar esses projetos para a pauta.

Lembrem-se: TEREMOS MAIORIA NO CONGRESSO - ISSO NUNCA ACONTECEU ANTES!!!!!

Debora Helena disse...

Sou uma petista paranoica.
Mas olha só como o site do JN mostra:
"Serra defende um governo de união"
"Dilma se enCONTRA com evangélicos"
Juro que de relance parece "Dilma contra os evangélicos", e é justamente isso que eles querem, né? Ganhar esta população evangélica que se prolifera assustadoramente rápido.
Medinho. :)

Renata de Oliveira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
aiaiai disse...

Well Bernardi,

e se você boicoitar as eleições e o psdb/dem ganhar? o que vc achar q vai acontecer? Eles vão aprovar todas as leis de garantia de direitos individuais?

Não acredito que você pense assim. Pensa de novo, valorize o seu voto. A esquerda tem maioria no congresso e com uma presidenta comprometida com direitos humanos, vamos ter muito mais chances de lutar pelos nossos direitos individuais.

E não esqueça, dos direitos coletivos - de ter comida, educação, saúde, emprego. Acho legal vc lutar pelos seus direitos, mas abandonar assim a causa da distribuição de renda seria egoismo. Vc não é egoista, senão não estaria do lado da Lola.

Fernanda disse...

Well e demais defensores do voto nulo,

Você anulando seu voto está justamente se calando, se omitindo e não fazendo nada. Você realmente prefere deixar os outros decidirem por você?

Não escolher um lado é se omitir, não diz nada para ninguém. Ninguém está nem aí pros votos nulos e brancos. É a ilusão de quem votou no Tiririca como protesto, esperando que um ser superior vá enxergar o ridículo e mudar as regras do jogo, quando o tal ser superior na verdade é o congresso, e quem tá no congresso é o Tiririca. Você acha que votos omissos vão sensibilizar quem? Sério... Quem vai olhar para olhar para o seu voto e pensar: "Unh... Muita gente votou nulo. Vou mudar."

Por mais que você não queria, um dos dois vai ganhar. E vai ter sido a campanha que deu certo. E me dá ânsia imaginar que alguma minoria se omita e deixe um partido contra movimentos sociais e diminuição da desigualdade chegar ao poder. Lembrando ainda que, se isso acontecer, qual vai ser a mensagem que vai ficar: "A campanha religiosa deu certo. Viva!".

Dessa eleição vai sair um ganhador, por mais que você se omita. E o ganhador não vai estar nem aí para quem votou nulo como protesto. Nem o perdedor.

Não vou deixar um candidato provocar o conservadorismo e sair vitorioso.

Vou usar a minha voz. Vou fazer o meu papel. Eu não preciso que ninguém vote em mim e posso assumir minha posição polêmica. Posso explicar, conversar e até mandar a merda quem é conservador ao extremo. Estou usando minha voz aqui, mesmo quando suspeito que possa estar desperdiçando-a, porque cada hora o argumento para não votar na Dilma é um e, quando ele se desmancha, aparece outro e assim por diante.

Não vou ficar esperando, me omitindo e sacundindo a cabeça falando que tudo está perdido sem fazer nada.

Renata de Oliveira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fernanda disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Giovanni Gouveia disse...

Cynthia Semiramis também bota os pingos nos is:

http://cynthiasemiramis.org/2010/10/14/boato-pt-religiao-direitos-das-mulheres-e-homossexuais/

P.S. Eu sempre mudo de lado, quando durmo, senão acordo com torcicolo. Na política a última vez que mudei alguma coisa foi quando eu entrei no PT, há 27 anos (tinha 15)

aiaiai disse...

eu não sou jurista, então peço a ajuda da grande Cynthia Semiramis, que além de entender do babado, é ativista de todos os movimentos pelos direitos das minorias:

http://cynthiasemiramis.org/2010/10/14/boato-pt-religiao-direitos-das-mulheres-e-homossexuais/

Fernanda disse...

Saiu duplicado meu comentário. Sorry.

Renata de Oliveira disse...

Publiquei o mesmo comentário várias vezes. Desculpem. #pcfail

patrix disse...

Obrigada pelo post Lola, me ajudou a esclarecer algumas coisas, como sempre. Mas sabe o que é foda? Pô, eu passo o tempo inteiro falando pras pessoas pra Dilma. Uma parte considerável dos meus amigos e conhecidos - é uma vergonha, eu sei, mas fazer o que? Sou de São Paulo e tenho um monte de amigo meio classe media babaca, um monte dos meus amigos e conhecidos vai votar no Serra. Daí eu fico desmitificando a Dilma, fico fazendo propaganda mesmo, mostrando seu blog, rs, porque eu acredito nisso. Daí vem uma merda de notícia dessa que, embora esteja cercada de boataria, tem alguma coisa de verdade.

Tudo bem que partidos de esquerda tradicionalmente são unânimes em quase nada. Mas pô, algumas coisas como o aborto e o casamento gay era o mínimo né? Eu não mudo de lado, até na minha cama eu durmo no lado esquerdo, mas poderia ter ido dormir sem essa hoje.

Dai disse...

Mariana,

Eu compreendo o seu post. É um post escrito com a ansiedade de alguém que está começanco a vida, que deseja ser independente.
E concordo que, sim, permanece um absurdo que os ricos não sejam tão afligidos pela distribuição de riquezas. Mesmo assim acho que eles não são tão intocáveis quanto em governos anteriores, basta observar o declínio de antigos herdeiros e o desespero dos grandes empresários face à eleição de Dilma.

Eu também venho de uma família de classe média que não ficou mais 'rica' no Governo Lula. Entretanto, o que entendo bem, pelos meus parcos conhecimentos de economia, é que num país capitalista, manter-se na linha de equilíbrio é a maior característica da classe média. E também não ficamos mais pobres.
Minha família perdeu bastante dinheiro com o plano Collor, foram anos dificílimos, nosso padrão de vida caiu, perdemos nosso carro, estudamos em escola pública - hoje sou grata pela experiência.
Depois, no governo FHC, entrei na faculdade. Queria fazer pesquisa, ter acesso à iniciação científica, entrar no Mestrado, mas não havia base, não havia pesquisa em minha universidade. Na época, não tinhamos sequer um doutor em nosso curso e grande parte dos professores eram remanescentes do período biônico da ditadura, ocupando postos que lhes foram concedidos em troca de favores políticos.Mesmo assim, fiz faculdade, coisa que a grande maioria dos meus colegas do ensino público não fez. Só não pude fazer pesquisa, como gostaria. Graduei em 2001, mas só consegui ingressar no mestrado em 2004, num programa de pós de um estado vizinho, era o início da consolidação de uma série de novos programas de pós-graduação. Era o governo Lula. Continuei dura por algum tempo na vida, ralei muito! Hoje, estou no primeiro ano de doutorado e sou uma professora recém aprovada em concurso. Continuo classe média, assim como minha família. Meu salário não me possibilitará viajar, não agora, pelo menos, terei de poupar bastante para isso. Mas, a despeito de dinheiro, bens, minha vida foi transformada. E não só a minha. Hoje eu tenho a alegria de ver a filha da minha ex-faxineira fazendo faculdade, numa universidade criada após a política do Reuni. Eu acho que se olhamos a nossa volta, os impactos e as perspectivas são evidentes. É bom lembrar que a classificação por classe não inclui só renda e bens, o acesso a uma faculdade também são indicativos de mudança de classe. Acredito que a perspectiva de viver numa economia estável é já um grande começo.
Eu tenho milhões de críticas ao governo Lula, mas não promover a distribuição de renda não é uma delas. Me irrita a pouca preocupação com a sustentabilidade e essa resignação que agora demonstram diante do seu compromisso histórico com os Direitos Humanos. Boato ou não, é triste ver o PT, um partido de origem socialista e humanista, que tanto lutou pela democracia, engajado com esses fundamentalismos de quinta.
Lola, como vc, eu não fechar os olhos para as transformações que assisti ao longo do governo Lula agora. Não vou permitir que um fascínora como Serra se eleja, impondo o tipo de disputa que deseja. Foi ele quem arquitetou e orquestrou esse cenário medieval -
se Dilma ao menos fala em acolhimento, ele vem tascar em minha cara aquelas grávidas ridículas. Lamento muito, muito mesmo que o PT tenha aderido, com medo de não se reeleger. E até acho que, logicamente, há machismo também dentro do partido. Se Dilma se resigna e abaixa a cabeça para a decisão partidária de ceder ao conservadorismo, sei que Serra, por sua vinculação direta e genuína ao DEM, tem tudo para encampar um dos mais retrógados governos latinoamericanos no que concerne aos DH. E este é o meu lado, acima de qualquer outro. Eu luto pelos Direitos Humanos, que são direitos universais. Estão, inclusive, acima do governo.
Estou triste, desapontada e com raiva das concessões religiosas. Mas eu sei exatamente com qual governo terei a possibilidade de dialogar. E em qual governo, precisarei temer pelo meu direito à voz.

SergioRDG disse...

Acho ruim ter que fazer concessões. Mas pior mesmo é abandonar todo um projeto de tirar o Brasil da miséria - inclusive educacional - pra entregar de novo aos entreguistas do Serra/FHC. Porque eles não têm medo de assinar o que vier, e tenham certeza de que vão implantar sem dó. Agora por que a Dilma teria que ficar quieta deixando o Serra vencer apoiando o obscurantismo? O próprio Lula foi obrigado a escrever a tal carta ao povo brasileiro para convencer o povo a votar nele. Infelizmente nossa sociedade é por demais conservadora e mal-agradecida. Se esquivar agora é concordar com o retrocesso! Agora é Dilma, não tem jeito, pessoal. Depois não vão vir reclamando...

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Lindo texto, Lola. Ontem também li essas notícias na folha, no Estadão, mas percebia que a notícia dizia uma coisa e a fala dela que estava entre aspas dizia outra.
Acho que como perceberam que o PT está conseguindo "acalmar" os líderes religiosos com esses jogos de palavras, já que o presidente não tem mesmo como legalizar o aborto sozinho, a nova tática parece ser a de fazer quem votou nela antes, desanimar, pra mudar de lado ou votar nulo.
Eu também não mudo de lado e também já alertei algumas pessoas que votam Dilma e estavam desanimadas com as notícias de ontem.
Vamos fazer a nossa parte.

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Ah, e só um adendo, falaram que Lula fez muito pelos pobres e nada pela classe média.

Eu sou classe média. Estudo em uma federal com ótimos professores doutores concursados. Meus outros colegas e eu que somos classe média e não baixa, não passamos necessidade, mas ficamos melhor se tivermos um empurrãozinho, trabalhamos em projeto de pesquisa em meio expediente ganhando bolsa do governo e já tendo experiência profissional, ganhamos auxílio transporte e auxílio alimentação, muitos conseguem moradias de baixo custo pra morarem mais próximos à UFMG.

Não somos classe baixa, somos classe média, estudantes da classe média ou da classe média alta que podem se virar melhor graças a esses programas.
Então não acho justo falarem que só a classe baixa foi auxiliada.
Se o último governo tivesse sido do PSDB não teria sido assim.

aiaiai disse...

Outra questão que o pessoal coloca como impedimento para votar no projeto que está tirando milhões da miséria é a necessidade de fazer alianças.

Sobre isso recomendo a leitura desse texto sobre as "más companhias" de Dilma

http://tiny.cc/yowma

Flovi disse...

Nem li os comentários, mas sabe, chorei muito lendo este post. É muito entristecedor ver que meu país está envolvido em tamanho retrocesso. Pelo menos eu aprendi uma lição: não vou nunca mais chamar os indianos de retrógrados. Porque eles, pelo menos, têm uma presidenta.

Queria ver se fossem dois homens disputando... o aborto não estaria em pauta NUNCA.

Marina disse...

Lolaaaaaaaaaaaaaaaaa,

Pesquisa sensus acaba de dar empate tecnico entre Serra e Dilma!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

http://g1.globo.com/especiais/eleicoes-2010/noticia/2010/10/pesquisa-sensus-mostra-dilma-com-523-e-serra-com-477.html


E agora, Lola??????????????????????

Marussia de Andrade Guedes disse...

Lola
concordo totalmente com você. Não podemos desistir. Quando ouvi a reporter falar em veto, nem percebi que a Dilma não tinha falado nisso. Simplesmente chorei de tristeza e pensei em desistir de brigar com reaças. Mas hoje, mudei de idéia e até escrevi um texto no meu humlide bloguinho: www.marussiaguedes.blogspot.com. Agora vejo que ela não falou em veto, foi um alívio. Mas mesmo que ela tivesse falado em veto, teríamos que tentar entender. Ela está sendo vítima de ataques vís.

Borboletas nos Olhos disse...

Dai, seu comentário é bem escrito e muito verdadeiro e coerente. Posso transcrevê-lo no meu blog (com referências, claro)?

Marcos Vinicius Gomes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marcos Vinicius Gomes disse...

Eu acredito que o discurso 'não penso em mim, penso nos mais necessitados' é um paralogismo que destrói qualquer coerência de argumento. Isso é auto-atestar um certificado de confiança numa doutrina neoliberal de que não necessitamos do estado por ter condições (sic) de adquirir serviços ou produtos essenciais que seriam de obrigação estatal fornecer a qualquer cidadão. Se ficarmos nesse pensamento, estaremos de acordo com o que Umberto Eco afirmou em um de seus textos, que estaríamos vivendo uma nova idade média - encastelados em condomínios, vivendo violência sem precedentes, compactuando com um direcionamento místico da vida político-social e acreditando que a 'paz vem de cima'.

Marcos Vinicius Gomes disse...

E também parece que tem muito 'esquerdista Channel' que apenas conhece a pobreza pelos relatos 'da ex-faxineira que tem filha universitária' e em outros referenciais que só a maçante e alienada classe média (incluo aí os esclarecidos) possuem.

aiaiai disse...

Gente, vamos para as ruas fazer a nossa campanha sem derrotismo e medo de ser feliz, como sempre disse o Lula. Vejam que delícia esse comentário no tuiter da Hildegard Angel:

"Em qq eleição no mundo quem tem 5ptos à frente é vencedor. Aqui, oposição se anima toda pq está 8 atrás.É q estão acostumados a perder de 20"


Quem votou na Marina não vai querer o retrocesso do Brasil.

Hoje eu já convenci mais 4 pessoas, duas de manhã e duas agora a tarde. To achando legal isso.
E olha que eu ainda estou fechando 5 projetos imensos kkkkkkkkkkkk

Vamos a luta com a força de um governo que tem 96% de aprovação!

Dai disse...

Borboletas nos olhos,

Será um prazer! :)
Obrigada,

Borboletas nos Olhos disse...

Dai, obrigada, quando publicar coloco o link aqui, viu.

aiaiai, isso mesmo. Também eu estou dialogando muito com jovens que votaram na Marina e eles t~em se mostrado abertos para as propostas da Dilma e estarrecidos com a campanha fundamentalista do Serra. Além de, claro, desconhecerem por completo como era a gestão PSDB - que eu tive prazer de esclarecer por testemunho.

Caro Marcos, um voto pela continuidade de um projeto de inclusão e distribuição de renda é mais do que discurso, é uma opção por um modelo de sociedade. E, também, solidariedade, o que eu admiro, qualquer que seja a origem, mesmo que conhecimento fragmentado e indireto da realidade (que eu nem acho que seja o caso citado).

Dai disse...

Marcus Vinícius,

Eu acho mau caratismo seu pinçar uma única frase num comentário gigantesco e vir me chamar de esquerdista chanel. Eu estava dialogando com a Mariana e discutindo nos mesmos parâmetros que ela propôs.
Meu comentário é inteiramente factual, é um depoimento, não conceituo em momento algum, pois não era a minha proposta. No caso de um comentário num blog, é bom vc avaliar em que campo se deu essa discussão antes de ofender gratuitamente.
Eu sou uma militante feminista e de esquerda - sinto muito, mas não é vc quem vai limitar a minha autoidentificação nem me dizer o que é esquerda ou não é, seja lá qual for sua tendência ou facção, vc não detem o monopólio da voz da esquerda.

Logicamente, quando vou situar minha experiência de vida, meu universo é o da classe média burguesa e é esse o meu eixo de ação pq é essa a minha identidade. Eu não seria hipócrita de vir aqui pagar de operária ou negra pq isso não faz parte de minha experiência.
Eu acho muito injusto da sua parte vir desqualificar o meu comentário e o que ele significa pq eu não me tenho a autonomia do discurso dos pobres e pq eu distingo essas experiências. Eu compreendo a alteridade e a dimensão dos privilégios - e das distâncias que eles promovem - e fico feliz, SIM, em perceber que eles esgarçam, diante de um outro projeto político - que é problemático, mas certamente o melhor em questão.
Agora, vc critica a burguesia de esquerda pq? Acaso é um operário?
Trabalha em fábrica? É empregado doméstico? Vc não é burguês, é? Ou simplesmente quer colocar palavras na boca deles? Fazer ventriloquismo?
Não posso falar pela filha da minha ex-faxineira, só ela pode dizer sobre sua experiência. Mas posso contar da minha visão a partir de um contexto em que percebo uma maior inclusão.
Odeio hipocrisia de todos os tipos...

Marcos Vinicius Gomes disse...

Borboletas,

Eu estou fazendo campanha para Dilma, com colegas professores, familiares. Visitei o nordeste janeiro último (Sergipe) e vi que está havendo dinamismo econômico e social devido aos programas sociais e pela administração local que é petista. Eu apenas critico uma aura de 'intocabilidade' que certos setores da esquerda arrogam a si, criando uma visão burguesa anti-burguesa que seria um atestado de isenção inquestionável. Isso me faz lembrar o 'socialista' Plínio que declarou na eleição ter dois milhões num banco suíço.

Marcos Vinicius Gomes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marcos Vinicius Gomes disse...

Dai, confesso que não tive a intenção de fazer de seu comentário um outro comentário. Mas se faz questão.
Eu sou um ordinário professor, filho de um metalúrgico, etc, trabalhei em serviços ordinários nos quais a classe média nunca irá fazer (tanto a conservadora quanto a progressista, pelo menos aqui no Brasil, no Tio Sam talvez, pois lá é primeiro mundo) , como empacotador de supermercado e repositor. Tenho problema no nervo ciático por excesso de repetição. Mas aqui não é uma novela mexicana cafona e não quero repartir meus insignificantes infortúnios com alguém tão qualificada como você. E obrigado por ter me chamado de mau caráter, eu tento a cada dia que passa moldar o meu, não busco a perfeição mas tento. Eu conheço as dois lados da ponte, mas não arroguei a mim o direito de ser defensor de classes, como você deve ter notado. E espero nunca o fazer, apenas difundir o conhecimento, aprender cada vez mais (por isso que venho sempre aqui, ler os comentários e os posts) e lutar por meus ideais. Apenas isso.

Flovi disse...

Eu acredito que o discurso 'não penso em mim, penso nos mais necessitados' é um paralogismo que destrói qualquer coerência de argumento. Isso é auto-atestar um certificado de confiança numa doutrina neoliberal...

Que seja. Fico feliz se meu discurso conseguir eleger a Dilma, ou qualquer outra liderança que se proponha a manter o foco nas políticas sociais. Coerente ou não, neoliberal ou não, trata-se de um argumento que deixa entrever a luta para que os menos favorecidos tenham sim acesso a uma série de privilégios que eu cá tenho.

Dai disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Loy disse...

UH
O que ele pretende?
http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,serra-defende-uniao-civil-de-homossexuais,624742,0.htm

Dai disse...

Marcus,

Eu não deveria ter usado mau caratismo. Leviandade seria suficiente. Entretanto, não é sintoma de bom caratismo e humildade (desconfio de quem a atesta passivamente, sobretudo quando se esquiva após ser acusado de rotular alguém) descontextualizar e desqualificar a fala das pessoas.
E quando eu digo 'desqualificar' não me refiro aos meus atributos humanos, técnicos e teóricos, que em NENHUM momento foram ressaltados por mim - quem sou eu? - mas à necessidade que algumas pessoas têm de dinamitar os atributos pessoais de quem emite um discurso destoante como forma de enaltecer o seu.
Sim, vc não tem legitimidade de falar em nome de uma classe a qual não pertence, assim como eu não tenho - independente dos serviços que tenhamos prestado e certamente minha biografia, perrengues e aflições não interessam aqui, né, já que vc trata a vida de alguém como uma novela mexicana, apesar de falar tão emotivamente da sua, desqualificando mais uma vez a experiência de cada um.
Eu também sou um ser em aprendizado, que fique claro que a ofensa partiu de vc, mas algo que aprendi e não abro mão foi responder à altura daqueles que me rotulam, pode ter certeza.

maiacat disse...

Lola, concordo com o q vc disse, e tô mesmo é chateada com o modo como as pessoas vêm tratando o tema do aborto. Não deveria ser surpresa, mas é sempre ruim qdo vemos o quão conservadora a sociedade ainda é. Aiaiai! Mas mudando de assunto, sinto falta dos seus posts sobre feminismo também (exclusivamente feminista, melhor dizendo, pq ultimamente discutir política é discutir feminismo). E só eu acho q a gente tinha q bolar uma represália pra esse site? http://testosterona.blog.br/ Ele faz mto sucesso entre mulheres e homens, e eu não acho q ngm lá esteja achando nada de errado nas "piadas" deles...

Mariana. disse...

Olha, Dai, eu sei.

Eu sei que pode parecer que eu reclamo de barriga cheia, porque, bem ela está cheia mesmo. Essa é uma certeza que eu tenho na vida (a não ser que as coisas mudem absurdamente, caia um meteoro na terra, sei lá): eu não vou passar fome. A lola mesmo disse isso uma vez aqui e é verdade. E isso é um privilégio num país como o nosso.

Sei que a maioria das pessoas não ganham 700 reais de bolsa por mês, estagiando meio período, e não precisam ajudar em casa (só uso para gastos pessoais).

Sei que, num país como o nosso, não é comum ter as certezas que eu sempre tive, como por exemplo, SABER, desde sempre, que eu iria cursar uma universidade, que seria o mínimo. Para a maioria das pessoas, isso - o diploma universitário - é uma vitória inimaginável.

Eu sei.

Mas esses privilégios não me garantem o futuro. E me revolta o fato de existir uma classe de 'imexíveis', os ricos. Aqueles que não importa o que acontecer, vão continuar bem.

Eu não concordo quando a Lola diz que a classe média não será afetada, mas adora reclamar. Desculpe, mas eu sou classe média, faço parte dos cinco por cento mais rico, e sou diretamente afetada sim. O dinheiro não tá sobrando. As contas são pagas com dificuldade, muita.

A classe média é algo mmmmmmmmmmuuuuuuuuuuiiiitttooooo abrangente. Não dá pra generalizar assim.

lilisp_22 disse...

Tenho que confessar que fiquei mto feliz em ver o trecho do meu comentário no post anterior como parte do seu texto lola!!
E tb que concordo com tudo que vc disse, tanto que já tinha dito algo parecido em um outro comentário, em um outro post, sobre o mesmo assunto(já que só se fala disso ultimamente).
É que nesse caso me sinto de verdade sendo deixada de lado por uma candidata e um partido que tanto defendi nessa eleição e em outras, com essa união com quem sempre me subjugou, ofendeu e agrediu, já que além de mulher e pró-legalização do aborto, eu quero casar e p/ isso só se a união civil homossexual for finalmente legalizada!
Votarei em Dilma, não abandonarei o PT agora na reta final, até pq jamais conseguiria conviver com a culpa caso o serra ganhasse. Mas que é triste p/ mim é e mto!
Só espero, com um restinho de esperança, que esses 20 anos de atraso passem logo e eu possa finalmente ter os direitos que eu sempre quis que sempre lutei e que todo mundo sempre teve!

Vitor Ferreira disse...

Olha Marcos, você vendo a Dai pessoalmente, e constatando a vibe Aquarius/Let the Sunshine In, jamé de la fé que a chamaria de socialista Channel.
Abs.

lola aronovich disse...

Mariana, mas se vc mesmo diz que faz parte dos 5% mais ricos, então essa definição de classe média não é tão abrangente assim. 5% é 5%, ué. Vc certamente não é classe média baixa, sendo 5%. Aliás, não é nem classe média média. 5% tá mais pra classe média alta, já que vivemos num país aonde ricos não existem (eu pelo menos nunca vi alguém se declarar rico. Nem o Eike Batista se diz rico).
Mas desde seu primeiro comentário eu venho morrendo de curiosidade: vc pode me dizer como sua vida foi afetada, como vc e sua família estão com mais dificuldades do que antes? E, se possível, onde entra a responsabilidade do governo Lula nisso? Não tô perguntando com hostilidade. Fiquei mesmo curiosa pra saber, se vc puder falar.
Abração a tod@s vcs. Tô aqui na maior correria, pra variar.

lola aronovich disse...

Vitor, as pessoas imaginam as coisas mais absurdas de quem não conhecem. Outro dia leitores do jornal escreveram cartas reclamando contra a minha pessoinha, dizendo que eu provavelmente era uma socialite consumista que não saía de dentro do shopping. Ahn, tipo, EU, a Miss Pão Dura Anti-Consumista do universo. E pra outros eu sou comunista...

Shiryu de Dragão disse...

A Lola é comunista sim!!
Ela come comida chinesa, se veste de vermelho, já visitou a Russia e ainda prega uma melhor ditribuiçaao de renda.
Pra ela, o premio da mega sena deveria ser ditriuido entre 50 pessoas.

lola aronovich disse...

50 pessoas não, Shyriu, tá mais pra 500! Como sou a favor da distribuição de renda, contra a concentração de renda, não acho que prêmios devem incentivar essa concentração. Por mim, prêmio máximo de loteria seria 100 mil, 200 mil reais.
E se vcs acham que eu sou comunista porque fui pra Rússia (não mais comunista em 2004) pra jogar xadrez, esperem quando eu visitar Cuba... Ah, quero muito conhecer Cuba!
Shyriu, o povo quer saber: vc é o Asnalfa? A gente acha que é!

Shiryu de Dragão disse...

Claro que não!!
Que comparação maluca Lola. Nem sei de quem vc ta falando.

Drixz disse...

Lola, eu entendo muito vc. Desde o começo da eleição eu disse que não tinha candidato, e isso era verdade. Sou muito exigente com política e sempre fui contra votar sem convicção. Agora, porém, eu decidi votar na Dilma. Além do fato dela ser mulher, acho indignante e muito baixo o que andam fazendo com ela. Pegando boa parte dos discursos que usam para deslegitimar as mulheres inteligentes e usando contra ela. Até dizer que ela é sapatão eu ouvi. Só quem sofre na pele o fato de não ter voz pode imaginar o que a Dilma deve estar passando. E eu não posso ficar quieta diante de um discurso machista e tradicionalista como o religioso crescendo nessa eleição. Pelo meu país laico, é Dilma!

eva mooer disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Koppe disse...

Muito interessante o comentário da Fernanda. Sempre tive um pé atrás com pessoas que tentam se mostrar revoltadas e/ou politizadas bradando aos quatro ventos "eu voto nulo!". Como vi comentarem em um fórum, "votar nulo é deixar a eleição nas mãos dos eleitores de Tiriricas".

maiacat disse...

Lola! Desculpa mesmo por insistir nisso, mas olhem só esse post como um exemplo: http://testosterona.blog.br/2010/10/15/iraniana-perfeita-pra-casar/#comments. Atentem para os comentários. É revoltante demais. No post anterior a este, em que classificam os tipos de "amizades" entre as mulheres, foram criticar o post e mandaram a pessoa (que não se identificou) ir lavar a louça pra acalmar. Nem tenho ânimo pra comentar lá, só queria dividir com vocês. Desculpa fugir do tema do post.

Niemi Hyyrynen disse...

Koppe:

Se vc acha que nenhum candidato merece seu voto, pq vc votaria em algum? O nulo não seria sua opção lógica?

Niemi

Koppe disse...

Opção lógica como último recurso. Não digo que não se deva votar nulo nunca. Mas acho que essa atitude tem que ser bem pensada antes, e deveria ser rara. É algo a ser evitado, até lamentado, não levantado como bandeira como muita gente faz (e não estou dizendo que alguém aqui faça isso).

Samira disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Samira disse...

Pedro Monção - Me adiciona no facebook, sou samira branco. Vamos fazer uma corrente do bem ( e não do DEM ) por lá?? Estava conversando com a Clara a este respeito, que tal? Te procurei, mas não te achei...

Andrea disse...

oi, Lola!

Entro no seu blog todos os dias e até já fiz alguns comentários, mas como nunca os vi publicados, apesar de nunca serem ofensivos, parei. Mas hoje vou tentar outra vez, pois se você mantem um blog com tanta dedicação, deve saber que procura reação em seus leitores e contribuir para uma discussão. Admiro a sua visão de mundo, apesar de não concordar em alguns pontos. Mas tenho a mania de procurar pessoas que discordem de mim, pois assim posso evoluir e pensar sempre de outra forma. Por isso, ai vai minha contribuição: da onde vem sua certeza que a santa Dilma e o santo PT, que hoje representa o poder, não faria de tudo para mantê-lo? A sua defesa, incontestável sob a sua ótica, que tudo o que o PT faz é certo e quando não está é culpa dos reaças como você chama, é no mínimo ingênua. a Dilma não está ganhando somente por causa dos belos olhos do Lula, muito desta vitória é que o velho usurpador do poder, o PMDB, está junto com eles. O PMDB tem base eleitoral, porque eles tem uma estrategia para ter maioria do legislativo sempre. Eles não querem cargos do executivo, eles querem que o executivo fique refem deste poder de mobilização. Desta forma, SEMPRE ESTARÃO NO PODER. Nesta conta vem Sarney, Temer, e muitos outros, como o Collor... e vem mensalão, corrupção, e tudo o mais que vimos. Então o PT também não é santo.
Outra ingenuidade é pensar que a Marina arrematou 20% do eleitorado. Não tenho dados científicos, mas tenha a nítida impressão que grande parte dos votos dela foram de pessoas que não queriam votar nem no Serra e nem na Dilma. Por isso pouca coisa vai mudar se ela disser se vai apoiar um ou outro. Foram mais votos de protesto do que simpatizantes das propostas do PV. Como eu por exemplo. Nada do que você argumenta aqui para provar a santidade do PT vai me fazer mudar de ideia, de que ela é a pessoa certa para o nosso país. Provavelmente votarei nulo e, se não votar, não sei sinceramente qual escolherei. Daí você vai dizer que não tem nada com isso e sugerir que eu va ler outra coisa em outro lugar. Pode ser que eu faça isso, mas gostaria de contribuir dizendo que o seu discurso está muito tendencioso e que, faltando com a realidade que vemos, você não conseguirá convencer ninguem que já não esta convencido. Falará apenas para quem já é da religião do PT e como tal, se nega a ver que o mesmo não é perfeito.às vezes sinto inveja da convicção de vocês, pois estou que nem a capa do jornal clarin da argentina anunciando a final da copa do mundo entre o Brasil e a França: um fundo negro representando o luto por falta de opções com letras brancas garrafais: QUE PERCAM OS DOIS!!!!

vivi disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
vivi disse...

Lola querida,
Adorei esse post.
Um alento!
Beijo,
Viviane

Tatiana disse...

Ótimo post, Lola!

Indico o link abaixo para vc(caso ainda não tenha lido) e para os demais comentaristas deste blog. "O levante das amélias pitbull!"

http://www.cartacapital.com.br/politica/o-levante-das-amelias-pitbull

lola aronovich disse...

Andrea, não tenho tempo de responder seu email (já passa da meia noite, amanhã acordo às seis, e ainda tenho um monte de coisas pra fazer antes de dormir), mas só queria dizer que nunca censurei nenhum comentário seu. Aliás, não censuro comentários. Este blog não tem moderação. Os únicos comentários que corto foram talvez meia dúzia de um troll que já se foi, que deus o tenha, e isso pq eles passavam mesmo da conta (eram do tipo "pena que sua mãe não fez um aborto quando estava grávida de vc"). E de leitores que insistem em copiar posts e artigos inteiros de outros blogs/sites aqui na caixa de comentários, o que acho um desrespeito, primeiro pq aí não são comentários deles, mas de outras pessoas, e depois porque são longos demais.
Os avisos de "este comentário foi removido pela administração do blog" (EU!) são para comentários que saíram repetidos. Aliás, peço encarecidamente a tod@s que não enviem comentários repetidos! E, caso os enviem, favor deletar os extras.
Sei que o sistema blogspot não é grande coisa (ontem eu escrevi um comentário e, na hora de publicá-lo, o blogspot comeu o troço e eu perdi o comentário), mas é o que tenho. Recomendo a quem escrever comentários mais longos de sempre fazê-lo num Word, e apertar copy and paste antes de mandar publicá-lo. Assim, se acontecer alguma coisa, é só colá-lo de novo.

joshua disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Iseedeadpeople disse...

Lola, no primeiro turno votei em Marina, agora no segundo eu penso em votar em Serra, mas tá me dando tanto nojo essa campanha dele, q tô quase anulando meu voto!!!

Tô enojada de tanto discurso reacionário e hipócrita condenando o aborto e a união civil homossexual!!!

Pra piorar,não aguento mais tanto ódio aos Nordestinos, como alguns eleitores de Serra propagam!

Aqui vos fala uma nordestina que não gosta do PT mas tbm tá de saco cheio de tanto preconceito vindo do PSDB.

João disse...

Teste.

João disse...

Faço questão de cumprimentar pessoas como o Joshua!

É uma pena quando as pessoas defendem pontos de vista e se esquecem de todas as coisas negativas que suas ideias envolvem. Fazem as defesas como se seus temas fossem imaculados.

É uma pena quando consideram a sua ideia a única certa e achincalham a dos outros, como se fossem desprezíveis só por ser diferentes.

Parabéns mais uma vez, Joshua!

Andrea disse...

Lola,

Criei uma conta no google para fazer este comentário. Das outras vezes eu usava só meu nome e agora não tem esta opção. E agora parece ter dado certo. Desculpe-me então por atribuir a você a não postagem de meus comentários anteriores e grata pelo retorno.

Laetitia disse...

Lola, já disse em outros comentários que não sou petista, mas assino embaixo desse seu post. Nem me fale nos 8 anos 'negros' de governo FHC... além de tudo, moro em SP, e nesses 16 anos (agora extendidos pra 20, infelizmente) tudo que é estadual foi amplamente sucateado, nisso incluído a universidade onde estudo e a maior agência de fomento de pesquisa, que se tornou basicamente uma oligarquia - ganha bolsa quem é apadrinhado de alguém importante, quem tem nome em revista internacional... curioso como eles costumam atribuir essas 'qualidades' ao PT, não?

Esse negócio de 'classe média' cagar e andar (com o perdão da expressão) para os menos favorecidos é um fato triste, principalmente aqui em SP. Aliás, é difícil definir classe média, não é? Eu sou de classe média? Tenho casa própria, isso me faz privilegiada? Com certeza. Ainda assim, não tive condições de estudar em escola particular e, se não entrasse na Unicamp, certamente não estaria em curso superior. A renda da família vem toda de órgãos públicos, nos quais os tucanos estão loucos pra pôr as mãos. Em caso de privatização, não tenho dúvidas de que acabaríamos no olho da rua...
É horrível pensar que alguém vota pensando apenas no hoje e em si mesmo!