sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

QUANDO A GENTE DESCOBRE QUE FOI MANIPULADA

A Aline me mandou um email que me deixou tão feliz que pedi a ela licença pra reproduzi-lo. Então lá vai:

Tudo bem? Sou a Aline, do blog Na Boca do Forno, e ando sumida por causa do meu bebê que nasceu, mas sempre encontro tempo para ler os blogs que gosto através do Reader...
Leio sempre o seu blog e como sei que você é a favor do governo Lula, gostaria de saber se não poderia ler o texto a seguir [que fala mal do Lula e do filme sobre o Lula. Começa assim: “A exemplo da Alemanha dos anos 30, está sendo aqui desenvolvida a imagem de um mito, a ser venerado pelo povo, que o elevará à presidência perpétua, com amplos poderes ditatoriais”] e fazer, se for possível, um comentário no blog. Não me entenda mal, eu não sou 100% a favor do Lula, mas ler o seu blog me fez ver que vários pontos que eu era contra são afinal, legais. Eu votei no Lula na primeira vez (na segunda, votei na Heloísa). Enfim, recebi esse texto de uma amiga e achei uma palhaçada! Só que não sei como contra-atacar...
Essa mesma amiga me repassou um e-mail esculhambando a Dilma, tachando-a de terrorista com ficha criminal e tudo. Gostaria muito de ter uma resposta para esses ataques, mas eu não sou muito politizada e não tenho como rebater com achismos. Posso dizer que eu tendo a acreditar no que as pessoas dizem se elas tiverem bons argumentos. Até pouco tempo atrás eu era contra as "bolsas" do governo, mas você me fez ver o contrário. Isso porque eu lia Veja, olha só, achando que era uma boa revista, imparcial (ha, ha) e informativa. O único contra o governo Lula, ao meu ver, era o Diogo Mainardi. Que tolice! Eu achava, realmente, que estava bem informada e concordava com muitas das matérias da Veja, porque tinham argumentos que se afinavam com o que eu pensava até então. Hoje eu sinto que essas publicações fazem meio que uma lavagem cerebral em pessoas como eu, mas é difícil perceber quando o normal é só esse tipo de impresso. Praticamente toda a mídia segue a mesma linha e o que é contra é meio "nicho" ou estigmatizado. O leitor comum, como eu, vai ler o que é de fácil acesso e consagrado. E aí que está o problema, pois só vai ver os mesmos argumentos, as mesmas linhas de pensamento, e não vai ter um contraponto para poder julgar se está certo ou não.
No começo fui contra várias coisas que você expunha, mas com o tempo e com a ajuda de seus artigos e de suas comentaristas, fui percebendo como fui cegada! Tudo por não ter acesso a contra-argumentos pontuais. Então, gostaria de aproveitar e agradecer por você e seu blog existirem! Obrigada!

Eu me empolguei e respondi com um livro em vários volumes. Não sei se vocês vão ter tempo ou vontade de ler:

Querida Aline,
Em primeiro lugar, parabéns pelo bebê recém-chegado! Ah, vc deve estar nas nuvens e sem tempo pra nada, não é assim que funciona?
Fico muito feliz que vc tenha mudado um pouco de mentalidade com a leitura do meu blog. Isso de achar que a Veja era neutra, só o Mainardi seria contra o Lula, é tão comum... Porque é exatamente isso que vc aponta: se a mídia toda fala a mesma coisa, e a gente já foi acostumada desde criança a acreditar nesse pensamento único (e de achar que tudo que sai em jornais, revistas e noticiários é a pura e imparcial verdade), como pensar diferente? Existem pouquíssimas publicações impressas que sejam contra o sistema, até porque é caro imprimir. Mas aí que entram os blogs, e é por isso que tanta gente considera a internet uma grande revolução, porque a comunicação fica dispersa, não concentrada. Passamos a conhecer outros pontos de vista. Aquela moça negra e lésbica que jamais teria uma coluna num jornal, de repente passa a escrever um blog. É óbvio que seus argumentos e sua visão de mundo serão bem diferentes daqueles do colunista homem, branco e hetero que escreve pro jornal (cujos argumentos, não por coincidência, se alinham com os do dono do jornal branco e hetero). Ainda que boa parte dos blogs seja perda de tempo e só reproduza o status quo (afinal, são escritos por gente do dia a dia ― e quantas pessoas que a gente conhece pensam, analisam, discutem, ao invés de repetir o que lhes é dito?), existem vários que fazem pensar. Fico muito contente, comovida até, que o meu modesto bloguinho seja visto como parte desta categoria por algumas leitoras.
Não dá pra contra-argumentar um email coletivo cheio de preconceito como este da sua amiga. Aprendizagem política é algo que leva bastante tempo. Eu recomendo que vc passe a ler diariamente blogs políticos, como o do Luiz Carlos Azenha, Paulo Henrique Amorim, Emir Sader, e Eduardo Guimarães. O do Nassif eu acho chatinho que dói, mas tente dar uma olhada também. O que eu faço é ir neste site agregador aqui, As Últimas (o meu blog consta neste site agregador, mas na categoria cinema). Vou lendo o que me interessa. Muitas vezes leio até o Reinaldo Azevedo. É bom ler vários pontos de vista, mesmo alguns asquerosos, como o do tio Rei. Tudo isso que sua amiga mandou no email saiu no blog dele e na Veja.
Mas lendo mais análises políticas a gente vai acompanhando o que acontece, e não é pega de surpresa. Por exemplo, isso que dizem da Dilma ser terrorista vai se intensificar muito neste ano eleitoral. Isso revela uma total falta de conhecimento da história do Brasil, e também um posicionamento ideológico. Quem chama a Dilma de terrorista apaga o contexto histórico, que era: havia uma ditadura militar que matava e torturava gente e censurava informação. Essa ditadura durou de 1964 a 1985. 21 anos! O momento mais duro foi a partir de 1968, com o AI-5, que acabou com todas as liberdades individuais mesmo. Nessa época, alguns poucos jovens mais idealistas protestaram. Havia vários movimentos políticos, todos clandestinos, porque era proibido se manifestar contra o regime. Mas eles agrupavam pouca gente. A maior parte da população seguia com sua vidinha, fingindo esquecer que estava numa ditadura. A classe média, que na época era bem minoria mesmo (e não podemos nos esquecer que nos anos 60 o Brasil ainda era um país rural, com a maior parte das pessoas vivendo no campo, não nas cidades), apoiou o golpe de 64. A mídia também. Alguns dos grupos que lutavam contra a ditadura eram mais radicais, outros menos. Teve aquele que sequestrou o embaixador americano no Brasil pra trocá-lo por vários companheiros que estavam presos, como retrata o filme O Que é Isso, Companheiro? Teve o grupo do Marighella. Quase todos foram assassinados pelos militares. E isso não estava acontecendo só no Brasil, mas em toda a América Latina: na Argentina, no Uruguai, no Chile... Todos esses países tiveram golpes militares patrocinados pelo governo americano (um filme interessante é Desaparecido - Missing: O Grande Mistério). Nossos comandantes militares foram treinados pela CIA para acabar com a resistência e torturar melhor.
A Globo exibiu uma excelente minissérie em 89, Anos Rebeldes. Se essa minissérie fosse exibida hoje, reverteria o que muita gente acha da Dilma e dos demais “terroristas” (veja a excelente cena da morte da personagem Heloisa aqui). Pra mim, pessoalmente, quem lutou contra a ditadura foi herói. Seria bem mais fácil seguir vivendo a vida, sem se envolver, mas esses idealistas largaram sua confortável vidinha de classe média e foram lutar. Acho estranho que hoje as pessoas de direita acusem o Lula de ditador e censor (o que é uma enorme besteira ― onde mais uma revista pode estampar mentiras semanais contra o governo na capa, e o governo continua anunciando na publicação? Em que outro país do mundo um jornal pode publicar, sem provas, sem testemunhas, a acusação de que o presidente tentou estuprar um companheiro de cela?), e fechem os olhos pra ditadura militar. É esse pessoal que chama o golpe de 64 de “revolução de 64”, que chama o golpe em Honduras de revolução. Eles inventam que o golpe, opa, revolução, foi apenas uma resposta aos verdadeiros golpistas, os comunistas. Que, ahn, não estavam no poder. Em 64 quem governava era o Jango, vice de Jânio, eleito pelo voto popular.
Dilma não fez parte de uma organização extremista. Mas, e se tivesse feito parte? Não dá pra descontextualizar. Assaltar banco durante a ditadura militar é bem diferente de assaltar banco num sistema democrático como o de hoje. Essa ficha criminal da Dilma é falsa. Sabe quem fez? Um blog de extrema direita chamado Coturno Norturno. O cara é um militar que, obviamente, acha que a ditadura militar prestou um grande serviço ao país. Só que aí a Folha de SP publicou essa ficha falsa no jornal como se fosse verdadeira. E até agora nem pediu desculpas ou admitiu o erro.
Esse pessoal de direita sempre odiou PT, MST, CUT, UNE, e qualquer movimento popular. Eles não vão mudar de ideia agora. O que os assusta é que o povo, que sempre votou nos candidatos deles, em 2002 elegeu o mal encarnado, o Lula. E aí reelegeram o cara em 2006. Mas como? Com toda a mídia falando mal do governo todo santo dia, e o povo ainda o reelege? E o presidente tem 80% de aprovação? E ele ainda tem a chance de fazer sua sucessora? Esse é um pesadelo muito grande pra direita, que vai fazer de tudo pra reverter essa situação.
Sobre o filme Lula, o Filho do Brasil, fico pasma porque todas essas críticas vem de gente que não viu (nem vai ver) o filme. Eu, que sempre votei no Lula, fiquei com uma impressão ruim dele após ver o filme, só pra vc ter uma ideia. O filme não é político. Se Lula fosse um ditador como a direita diz que ele é, ele teria mudado a constituição para permitir uma nova reeleição (como fez o FHC).
Quanto a “quem pagou pelo filme?”, o pessoal tá revoltado que o filme não teve financiamento público. Praticamente todo filme nacional tem financiamento público, através da Lei de Incentivos Fiscais. Quase sempre o dinheiro vem de empresas públicas, como a Petrobrás e o Banco do Brasil. Com Filho, o patrocínio veio todo de empresas privadas. Aí a Veja faz uma lista de como essas grandes empresas recebem empréstimos do governo. Ora, TODA grande empresa brasileira recebe empréstimo. Inclusive a Abril, a Globo, e qualquer outra que eles mencionarem... A direita simplesmente se revolta que um filme assim tenha sido feito. Por ela, não seria. Haveria censura mesmo. Ué, são esses os freedom fighters, os lutadores pela liberdade? Os que querem proibir um cineasta de fazer um filme?
Mas Aline, essas pessoas que repassam emails assim não estão interessadas em argumentos. Querem apenas repetir a mesma mentira mil vezes até que ela se transforme em verdade. Essa sim uma estratégia nazista, sabe? Aliás, viu como a direita anda espalhando que o nazismo foi um movimento socialista? Que o símbolo máximo da direita, o nazismo, no fundo era de esquerda? Eles não têm argumentos pra uma bobagem dessas. Mas vão repeti-la sempre pra ver se alguém acredita.
Ufa! Escrevi um livro. Espero que vc passe a acompanhar mais análises políticas, para poder rebater vc mesma as besteiras que ouvimos todos os dias.
Abração da Lola

41 comentários:

Rita disse...

Lola e Aline,

infelizmente essa baboseira dessa tal "ficha criminal" vai encher o saco durante a campanha para as eleições presidenciais este ano e, não duvidem, vai, sim, evitar que muita gente vote na Dilma. Eu adoraria pensar diferente e tomara que outras discussões mais relevantes venham à tona ao longo do ano, mas quando penso na imensa massa de eleitores com hábitos mais conservadores (não "hábitos eleitorais", falo dos vínculos religiosos, por exemplo), não consigo achar que a Dilma não vai ser prejudicada com essa balela. Mas quem sabe... Lula deu conta do recado duas vezes. É esperar para ver.

Beijos
Rita

Lord Anderson disse...

Lola, não sei se ja disse aqui, mas eu não votei no Lula, nem concordo com muitas de suas decisões, mas isso não afeta o respeito que tenho por sua trajetoria de vida e de politica, nem me impede de reconhecer o grande carisma que ele tem junto a população.

Alem disso entendo que há ENORME diferença entre fazer oposição ao um governo (oq numa democracia é necessario e fundamental)e simplesmente despejar odio e preconceito puro contra alguem.

O veiculos como a veja e a folha estão fazendo ultrapassa qualquer limite de critica ou denuncio.

Entrou na area de crime de calunia e difamação pura e simples.
Do tipo que deveria ser denunciado e levado a justiça.

Ainda não sei em quem vou votar esse ano, mas está facil saber em quem eu não votarei. É só ver quem a maior parte da midia vai apoiar.

Bau disse...

Lola, concordo com Aline que ler seu blog, among others, é uma lição de reflexão. Principalmente porque, se a gente se der conta, você tem seu ponto de vista, mas incita leitores e leitoras a pensarem por si próprios, buscando outras fontes, conhecendo outros pontos de vista. Beijos! Obrigada pelo comentário! Beijos, com muita saudade!!! Ainda bem que te leio quase todos os dias também!!!!

Bau disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mariana. disse...

Pois é, Lola, muita gente gosta de afirmar que a história tem vários pontos de vista. Eu concordo, mas isso não significa dize que existam várias verdades. Os fatos devem ser contados, reproduzidos, dentro do que é razoável, aceitável...

Eu concordo com muitos dos seus pontos de vista, como por exemplo, o de que é um absurdo tratar o golpe de 64 como sendo uma revolução, ou tratar aqueles que combateram o regime como terroristas. O triste é que muitos livros didáticos de história, feitos pra crianças do ensino fundamental e médio estudarem, reproduzem justo esse ponto de vista. Aí as crianças chegam em casa e só tem a veja como opção de leitura... E aí, um dia, elas mandam emails como esses, da amiga da Aline. É duro combater isso tudo.

Concordo quando você diz também que o nazismo era um regime de direita, e não de esquerda, socialista, como muitos historiadores gostam de afirmar. Mas, convenhamos, não é orgulho nenhum para a esquerda ter um regime como o da URSS durante a gerra fria ou como o regime de Cuba, ou é? Esses dois 'governos', especialmente o primeiro, assassinaram opositores e sempre passaram por cima da democracia, enquanto os EUA, apesar de não gostarmos de admitir, teve todos os seus presidentes eleitos, mesmo em tempos tão difíceis como o da Guerra Fria (claro que aconteceram absurdos, espionagens, um certo clima de terror por lá tb. nada diferente do que ocorre desde 11/09/01).

Absurdo também é dizer que o Lula é um ditador, um projeto de totalitarista. Como poderia, tendo sido eleito democraticamente? Escândalos, corrupção, jogos de poder existiram e existem em seu governo (assim como em todos os outros), mas isso não descaracteriza o processo democrático. Além disso, temos a incrível taxa de aprovação da população, que obviamente pode ser manipulada, mas não tanto: o lula é popular (não populista, isso eu combato sempre). Mas tem uma coisa que eu me admiro em você, e é negativo: você gosta do Hugo Chavez. Ele sim perverteu o sistema democrático (você citou FHC, mas também poderia ter citado ele, que é o exemplar mais notório desse tipo de comportamento), e que é um populista de mão cheia (detestável).

(CONTINUA)

aiaiai disse...

Valeu, lola...eu tava pensando em escrever algo para mandar para amigos que ficam me repassando esses e-mails, nem vou me dar ao trabalho. Vou mandar o link do seu post de hoje. OK? Posso?

Mariana. disse...

Devo dizer ainda que eu entendo o medo que a classe média nutre contra governos de esquerda, a ponto de aceitar uma ditadura militar de direita no lugar da possibilidade de votar, especialmente no tempo da guerra fria. Ora, é compreensível, lola, mesmo a esquerda não estando no poder ainda, como você bem lembrou.

Digo isso porque, se hoje as pessoas sofrem lavagem cerebral e tem acesso apenas a informações distorcidas, imagine só naquela época, como a esquerda era apresentada ao grande 'publico'? Nós sabemos que a imagem não devia ser nada boa...

E, pra completar, olha só o que temos: no único país latino americano em que os militares fantoches dos eua não conseguiram triunfar e instaurar uma ditadura que combatia a esquerda.... a resistência socialista instaurou logo um regime ditador! Que dura até hoje! Algo até muito mais totalitário, que idolatra seus idolos como se fossem semi-deuses.

Não sei o que seria pior, definitivamente. E você, Lola, o que acha?

----

Eu sei o que você quis dizer com o assalto ao banco hoje e na época do regime militar. Não sei se penso como você, acho que não... Entendo que você pensa que, naquela época, seria por 'um bem maior'... dos males o menor... Mas quem disse que é justo com o dono do banco? com as pessoas que estavam lá, trabalhando ou usando os serviços? Eram, provavelmente, cidadãos de bem alienados demais pra lutar, mas não mereciam isso. E se a maioria não concordava com o regime, será que concordariam com uma atitude dessas? sequestro, roubo? A intenção era boa, mas assim também o foi em todos os outros regimes de esquerda sonhadores: pena que sempre tinham os manda chuvas políticos que em nome da esquerda, faziam tudo aquilo que combateram, ou diziam ter combatido.

Ana Luiza disse...

Poxa, Lola, de boa... Dou nota 10 no seu post! Foi uma aula de política e história para mim em muitos aspectos e para MUITA gente em todos os aspectos. Detesto radicalismo e você soube ser bem imparcial e lógica. Adorei! Um dos melhores posts que já li no seu blog.
Achei que o filme "Lula - O filho do Brasil" foi apelativo demais. Como você mesma disse não tem nada de política no filme e o mesmo colocou Lula como um mito.
A mídia me irrita demais. É muita sujeira, muita lama...

Beijão, Lola! Tô sempre acompanhando seus posts de pertinho :)

Liana disse...

Não vou comentar seu post, pq já disse q não admiro Lula (assim como não admiro a ditadura, nem FHC, nem mais um monte de políticos... e quanto mais leio menos admiro todos eles). E não aconselho ler Veja a ninguém (a não ser q o intuito seja rir), e muito menos aconselho blogs escritos por jornalistas como fonte de informação (ex-jornalista como eu sabe bem q jornalista tá na frente da fila pra entrar no inferno junto com os advogados).

Leiam livros!!! Os do Hobsbawn (Era do Capital, Era das Revoluções, Era dos Impérios e Era dos Extremos) são uma boa visão de história mundial. Os do Marx (O Capital e O Manifesto Comunista) são ótimos pra apagar o senso comum q passam pras pessoas sobre o socialismo. O do Weber (Ética Protestante e o espírito do Capitalismo). O do Amado Cervo, apesar de bastante Lulista tem infos importantes (História da Política Exterior do Brasil). O do Mancur Olson (Power and Prosperity). E mais 300 mil livros...

Pena q brasileiro não lê né... e aí lê essas merdas de Vejas da vida e fica aí com a visão distorcida sobre as coisas.

E de novo, eu não posso admirar um presidente q já teve todo tempo e recursos a disposição e já podia ter estudado... e não fez isso. E ainda num país de deseducados declara publicamente q prefere ver tv (ótimo exemplo pra população né). Óbvio q tb não posso admirar uma cara q tem uma obra ótima como o FHC e uma vez no poder, esqueceu tudo q ele mesmo escreveu.

Ana Luiza disse...

Bom, continuando rapidinho porque eu acabei de ler sua resenha sobre o filme "Lula". Eu acho sim que houve uma apelação enorme - pra levar genet ao cinema e ganhar dinheiro, sim, talvez (bem provável). Mas concordo que o filme foi TOTAL e completamente apolítico.

Eu tava esperando que ao menos eles retratassem da trajetória política do Lula. Não sou de esquerda ferrenha, gosto de olhar por diversos primas até porque aquele ideal esquerdista do PT, por exemplo, meio que se dissipou. Até porque ser PT ou não ser PT não significa muita coisa hoje em dia - como o partido está na presidência e ganhou repercussão é óbvio que existem políticos que entram simplesmente pelo poder, sem escrúpulos nenhum. Hoje, vejo o PT como uma esquerda extremamente branda. Mas como é impossível ser totalmente imparcial para qualquer ser humano eu me identifico muito mais com os ideais da esquerda do que com o neoliberalismo e seu capitalismo selvagem e sem limites!

Para assumir o governo e fazer alguma coisa é fato que Lula teve que não ir de encontro a muita gente de direita - muitos interesses estavam na jogada e imagine só o medo que a elite teve quando Lula assumiu em 2002? :/

Anônimo disse...

aguardando ansiosamente os comentários da lola aos nossos comentários.

Adri.

Amanda disse...

Lolinha, seu blog deveria ser divulgado aos quatro ventos! Que bom que ele esta crescendo cada vez mais. Me lembro que eu fui sua seguidora numero 169 e agora ja tem quase 500! Olha que nao faz tanto tempo assim que entrei.

Acredito que durante esses anos de blog vc tenha mudado as ideias de muita gente, inclusive a minha, eu que nao acreditava que o Brasil era um pais racista e era contra as cotas. A corrente é muito forte, é dificil nadar contra sem uma base, um apoio e seu bloguinho, apesar de AINDA pequeno, cumpre esse papel muito bem.

Mas é isso mesmo, cada um fazendo sua parte, com as armas que tem.

(eu disse que seu blog é pequeno, é pq tenho grandes ambiçoes pra vc!)

Beijos!!

André Gonçalves disse...

No Farinhada, o segundo post sobre Lula, o FIlho do Brasil. Já, já comento o SEU post, esse aqui. Beijo.

Fer disse...

Oi, Lola...tô na pauleira aqui mas encontrei um tempinho para ler seu ótimo texto, querida.

Você disse algo muito importante sobre o poder do discurso, pois Foucault lembra que um discurso dito repetidas vezes tende a tornar-se verdadedeiro, simplesmente por causa da repetição.

Quanto ao Lula não ter estudado e não mais estudar, creio que isso é de pouca relevância sim. O mais importante para um ator político são suas ações, não suas palavras. Sabemos, claro, que as palavras constituem um tipo de arma humana sim, pois elas podem muito bem manipular a tod@s. Acontece que o Lula teve uma aprendizagem da arte da política na prática (quem estudou ou leu sobre sindicalismo sabe).

O fato de associarmos um bom presidente com a educação que ele teve é ainda uma herança colonial, na qual o letrado se diferenciava do "matuto", e atingia patamares sociais elevados.

Ele, Lula, não precisa falar outras línguas para ser compreendido e admirado no mundo. Esse é o ponto fundamental pra política. Alguém aqui citou Weber, e ele faz uma análise bem bacana sobre a política num livrinho curto e fácil de ler ("Ciência e Política: duas vocações").

Não sou partidária do Lula, mas devemos reconhecer que não é necessário ser letrado para se sobressair na política, basta apenas viver para a política e não da política.

Beijos, Lola
(fui)

Vitor Ferreira disse...

Eu sempre adorei aulas de história e geografia, e todos os meus professores dessas disciplinas eram de esquerda. Acho que a maioria deles deveriam ser ateus também. Dava pra notar claramente pelos discursos deles. A sua resposta me lembrou demais essas aulas, Lola, tirando os mapas e as argüições... Isso de certa forma desagradava à maioria dos alunos, porque em grandes colégios particulares no nordeste, com filhos de usineiros e fazendeiros, tudo que eles diziam soava como uma grande ofensa pro modo de vida deles. O que também não deixava de ser. Não sei exatamente como é no resto do país, mas no nordeste, ser professor é "profissão de pobre". Minha mãe virou professora de geografia não exatamente porque ela gostaria de ser professora, mas porque o caminho que se seguia era esse. Pobre estuda pra fazer o magistério. E ela até hoje sempre deu aulas em escolas públicas, e esse ano se aposenta.
Como deu pra perceber, eu vim de uma família com a mentalidade diferente. Mas ainda assim alguns alunos pareciam se render aos argumentos dos professores. Mas só isso não basta. Só com a devida propagação de todos os pontos de vista e visões políticas, teremos de fato uma sociedade democrática, longe da alienação do que só o jornal nacional, que passava receita de bolo na ditadura, diz.

NAVEGADORES DA RAZÃO disse...

Oiiii, Lola copiei o site agregador, como facilita a vida da gente, nossa!!!Chamei de site bombril. Se bem q o bombril tem risca as panelas e entra fiapinhos embaixo da unha, é por esse lado não facilita tanto... Mas não é o caso do site, ok? Preciso rever essa comparação, enfim...
Lola, a maneira carinhosa que vc responde o povo, continua sendo um ponto fundamental, não q as pessoas que não possam demonstrar isso não sejam também carinhosas, mas a sua maneira mostra que não é pela chatisse ou pelo grito que sempre a gente ganha uma questão. Bj, Rosa Lopes

Aline, parabéns pela cria e pela humildade, grande abraço.

Márcia disse...

Onde trabalho tem uma pessoa importantíssima e bem influente que participou desse assalto de que acusam Dilma. Mas o cara é super ético, super trabalhador, não usufrui das regalias que certos colegas de seu escalão, e, claro, tem um prestígio daqueles. Posso advinhar em quem ele vai votar esse ano. E vcs, advinham?

Márcia disse...

Uma coisa interessante, é que algumas pessoas fazem um imagem bem negativa dele por isso (pessoas de direita, claro), mas quem conhece afirma que é uma figura fora de série.

Liana disse...

ser letrado ou não realmente não diz nada sobre a capacidade de governar do indivíduo (vide FHC). Mas é irresponsável e leviano, num país de deseducados, o presidente q serve de modelo pro povão declarar publicamente q tem preguiça de ler e prefere tv. Alguém q serve de modelo deveria dar o exemplo e instigar as pessoas a buscar conhecimento, não o contrário.

INFORMAÇÃO É PODER.

Drixz disse...

Lola, de verdade não consegui ler até o final do post. Mas já passei por muitos perrengues por ter outro ponto de vista. A maior parte dos brasileiros segue a mesma linha de pensamento, que bem da verdade, lhes é praticamente imposta pelos grandes meios e comunicação. Essas mesmas pessoas acreditam que um ponto de vista se trata da verdade e não se questiona qual pensamento parece mais lógico, correto ou até mesmo condizente com seus valores e crenças. É muito difícil fugir dessa ciranda e eu tenho mais é que te elogiar por expor meticulosamente sua opinião. Ao colocar os artigos e os links de outros sites vc proporciona que o leitor vá atraz de coisas que nada convencionais que possam fazer que ele se questione sobre aquilo que vê e lê. Pena que muita gente prefere continuar alienada.

Carolina Pombo disse...

Oi Lola, e companheiros leitores. Ótimo post, e ótimas dicas de blogs e leituras.

Só quero me manifestar no seguinte ponto: o Lula e o PT foram sim símbolos da esquerda por um bom tempo (qd meus pais, eu e minhas irmãs e irmãos emprestados batalhávamos nos diretórios e íamos aos comícios, balançando uma bandeira vermelha enorme e cantando "Lula-lá!"). Qd ele foi eleito, nossa! Choramos e tudo! Meus pais nem eram mais membros do partido, mas ainda votavam nele disciplinadamente (assim como eu), por acreditar intensamente na verdadeira revolução que o PT poderia motivar. Hoje, não diria que a Direita está tão triste com a popularidade do Lula não. Porque ele deixou de representar a esquerda, a mudança, a esperança por uma revolução social. Os analistas podem estar bem certos de que ele foi sim o melhor presidente que tivemos desde a redemocratização. Mas, ao invés de romper e assumir a difícil postura por um sólido projeto de igualdade social e econômica, o PT adotou a lógica arraigada no nosso sistema: o presidencialismo de coalisão. Aí... bom, PMDB, PL, e até PSDB aproveitaram a "boa onda" do governo petista, cresceram juntos e mantiveram grande parte da "banda podre" no poder. A Direita não tá tão interessada em um projeto político, ela é formada principalmente por "coronéis", que continuam mandando em suas "republiquetas", alguns até com apoio do Lula (vide Sarney!).

Mas, apesar de desiludidos, nós, apaixonados pela utopia de um país mais justo, podemos ver algumas conquistas, ainda que muito pequenas diante das tragédias que ainda nos acompanham.

Eu, sinceramente, não sei em quem votar... talvez a Heloísa seja uma boa pedida...

Abçs a todos!

Mary Goes disse...

Lola, parabéns!!!
Comecei a ler o seu blog por indicação de uma amiga blogueira chamada Vivien, do blog Casa da Mãe Joana.
Sou professora de história e passo várias vezes por essa mesma situação e gostaria de dizer que a sua resposta a Aline, o seu "livro" rsrs é uma verdadeira aula de história contemporânea brasileira!!!
Que delícia de leitura!!!
Obrigada,
Mara Goes

Adriana Karnal disse...

Lola,
como admiro vc pela escrita...que facilidade didática vc tem! Tomara que possa ler muito das suas inquietações em 2010!

Masegui disse...

CLAP, CLAP, CLAP, CLAP!

(Este post vou copiar e guardar!)

Além dos aplausos quero dizer que eu também aprendi muito por aqui. Talvez de uma forma um pouco diferente da Aline, como por exemplo com respeito à Veja, que eu já odeio a mais de 20 anos!

Do golpe de 64 (eu tinha 7 anos) guardo uma lembrança muito forte: meu pai ficou 4 dias sem trabalhar, em casa, com medo até de chegar na janela, só porque era amigo de um sujeito que foi considerado comunista e estava sendo procurado. Eu não entendia nada nesta época, mas o rosto do meu velho e a expressão de medo eu jamais esquecerei.

É muito difícil ser totalmente politizado, ainda mais vivendo longe dos grandes centros, mas o pouco que me envolvi com movimentos sindicais foram o bastante pra me abrir os olhos e ver um pouco da realidade em que vivemos, bastante diferente do que é dito na grande mídia.

A luta pela sobrevivência aliada a um exagerado comodismo nos torna um pouco covarde. A gente acaba se contentando com algumas migalhas... é f#*@!

Também fui criado num mundo machista e sempre fui um pouco assim, embora o meu senso de justiça tenha feito com que eu fosse um pouco diferente dos meus pares. Com a maturidade fui ficando cada vez mais certo de que eu estava certo. Os escritos da Lolinha me deram a certeza que faltava e eu só tenho a agradecer.

Bem, não sei se me fiz entender, acho que misturei um pouco as coisas... mas foram essas coisas que passaram pela minha cabeça agora... então é isso. Beijão.

=draupadi= disse...

a propósito, veja isso, que nojo:
http://oglobo.globo.com/pais/noblat/posts/2010/01/08/dilma-emagrece-em-spa-no-rio-grande-do-sul-255969.asp

eles passam um trote na ministra e ainda acham isso publicável. e pra falar sobre o peso dela. affff

Iseedeadpeople disse...

Lola, sou "órfã" da Marjorie e conheci teu blog recentemente. Sou tua fã número 1 e vou te linkar =)

beijo!

=draupadi= disse...

ainda sobre a publicação do Noblat, eu retruquei falando sobre a futilidade da publicação, e veja as respostas dele:

Que bobagem. Se fosse no Serra vc reclamaria?
http://twitter.com/BlogdoNoblat/status/7534055796
Minhas respostas:
1) O @blogdonoblat escreve sobre a dieta de Dilma. Daí eu reclamo da futilidade e do #machismo, e ele: "Se fosse sobre o Serra vc reclamaria?"
2)A lógica do @blogdonoblat p/ justificar seu #machismo parte da "culpabilidade". Ele supõe q se fosse c/ Serra eu ñ reclamaria e tá tudo ok.
3) O fato é q ninguém vai pegar no pé de um políticO por causa da barriga ou das calças que usa. Se é mulher, isso merece post.

E ele:
Que bobagem. Se Serra tivesse sumido com gripe suína e se descobrisse ele em um spa, a notícia não valeria?
http://twitter.com/BlogdoNoblat/status/7534843004
.
Eu:
Isso ñ vamos saber pq vc nunca publicará escrotices sobre Serra RT @BlogdoNoblat "Vc não reclamaria. Só reclama pq é Dilma, e vc gosta dela."

Pq ñ falou da gripe na chamada?
.
Ele:
Porque, pelo jeito, não teve gripe. Dia 22 ela estava em Brasília em público. Chegou no spa antes de 1 de janeiro.
http://twitter.com/BlogdoNoblat/status/7535647671
.
Daí eu perguntei qual a relevância de se falar da aparência e ele não respondeu.
...
ai ai...


.
http://twitter.com/BlogdoNoblat/status/7534906662
.

Camila disse...

Ei, lola!
Qero tentar fazer o selo deste próximo concurso!! E um texto, mas pode demorar um pouco, teremos tempo?

Mari Moscou disse...

Adorei. Queria até publicar no meu blog, o "Política, substantivo feminino". Pode? :) Tanto o primeiro quanto a sua resposta... ou editar e linkar o texto integral aqui. Gamei. :)

Hoje, adicionando, rolou mais um ataque. A mídia inteira indo contra o Estatuto dos Direitos Humanos! CONTRA! O argumento é a "liberdade de expressão". Então se o Boris Casoy quiser dizer em público que os presos têm que morrer, é pra deixar? Se algum jornalista idiota (perdoem-me os joralistas mas poderia fazer uma lista quilométrica aqui) resolve dizer algo que vai contra os direitos humanos é pra deixar?

Experiência Diluída disse...

Lola,post perfeito!
Realmente o pessoal menos esclarecido pensa que os meios de comunicação falam apenas a verdade. Mas a gente que trabalha com jornalismo sabe o que é manipulação e como se faz. Na verdade, não existe imparcialidade, isso é um mito. Toda vez que escrevemos partimos de um contexto, de uma idéia, nossos valores são colocados ali, nossa olhar já é delimitado a partir desses mesmos valores.
Tem uma revista muito boa, que fala sobre política, chamada Caros Amigos, indico até a Aline que leia, pois é uma revista socialista que cada vez mais me impressiona. Ela dá voz áqueles que a gente nunca vê na midia principal. Outro dia, li uma matéria muito legal sobre os presídios , falando de como os homens podiam ter visitas intimas, e só agora esse direito foi dado as mulheeres.
Eles mostram um outro lado do gorveno, criticam também o governo quando deve ser criticado, claro, mas não como a globo ou esses jornais que inventam coisas para poder falar mal mesmo. Lá não, tudo é esclarecido. Não sei se você conhece, mas eu estou virando fã da CAros Amigos...
Ei Lola, eu acho legal eses tópicos sobre politica, parabéns, são bem esclarecedores...
!
Um beijo!
Feliz 2010!

Arslem disse...

no único país latino americano em que os militares fantoches dos eua não conseguiram triunfar e instaurar uma ditadura que combatia a esquerda.... a resistência socialista instaurou logo um regime ditador! Que dura até hoje! Algo até muito mais totalitário, que idolatra seus idolos como se fossem semi-deuses.

.
.
.
Você tá se referindo aquele país latino americano que tem um excelente sistema universal de saúde, uma boa educação (incluindo a superior) que é prioridade no governo e que é oferecida a todos e que manda profissionais com diploma universitário para países americanos pobres...?
Me poupe de comparar aos Eua... Eles já eram uma nação rica (que enriqueceu explorando outros - principalmente o México) enquanto Cuba estava completamente acabada antes de Fidel tomar o poder... O governo estava arruinando Cuba com o financiamento dos EUA!
Além do mais, o governo americano vive de manipular seu povo.
.
Se quer falar de Cuba, fale direito. Pesquise antes.
Cuba consegue fazer maravilhas que o Brasil não faz e sem apoio ou com o de nações ricas (aliás, algumas até sabotam o país).

Gaúcho disse...

Aqui tem um livro que fala sobre muitos dos absurdos que a Mariana falou, que aconteceram nos EUA na época da guerra fria: http://rapidshare.com/files/300800421/Caca_As_Bruxas_-_Lillian_Hellman.rar

Esse livro mostra bem como nos EUA também acontecem coisas que muita gente acha que só acontecem em países com governos autoritários. Pessoas sendo perseguidas injustamente e tendo suas vidas destruídas por causa de uma simples suspeita... pois é, lá também aconteceu.

Anônimo disse...

Lola é sempre bom vir no seu fórum permanente. Ainda que não digite opiniões saio com a sensação de que há muita vida por aqui. Sempre aprendo de mim através de seus textos e de todos que aqui deixam seus recados. Bj da Fatima/Laguna

mente aberta disse...

É muito difícil saber a verdade pois existe tentativa de manipulação de todos os lados. Num blog oficioso, http://dilma13.blogspot.com/2008/11/o-blog-dilma-presidente-13-busca.html , reproduz-se matéria que teria sido publicada na Isto é, na qual se diz que a Dilma foi contra a luta armada. Acho uma incoerência isso pois ela fazia parte dos grupos radicais, independente de ter ou não atuado diretamente nas operações. Frisar sua posição interna parece um conveniente oportunismo, para suavizar o passado radical da ministra.
Quanto ao Lula, seu governo claramente optou pelo direitista agrobusiness, em detrimento das importantes questões ambientais, embora na superfície, provalmente a conselho de marketeiros, ele e a Ministra Dilma tenham começado a demonstrar simpatia por estas questões. Mas não acompanhada de ações práticas.

Fátima Campilho disse...

Oi, Lola!
Admiro sua coragem.
Atualmente,continuo colocando a "boca no trombone", mas não escrevo.
Tenho as minhas razões.
Fiz a minha parte, isto é, divulguei seu post por e-mail, com o link para leitura, para amigos que não têm o saudável hábito de possuírem blog.
Abraços

Mariana. disse...

pena que a Lola não veio responder aqui...

Lu Biondo disse...

Olá Lola!
Essa é a primeira vez que comento no seu blog. Tenho lido sempre mas desta vez resolvi escrever.
Realmente é um absurdo o que a Folha de SP fez e faz. Ela é parcial como a maioria dos jornais e revistas (ou todos, nem sei!).
Realmente, como foi postado pela Mariana, não é orgulho para esquerda o que ocorre em Cuba e na URSS, mas vamos pensar novamente no contexto, ambos os países sofreram com a pressão internacional e boicote, fora as propagandas ao estilo "comunista come criancinha".
E há outras questões, o comunismo foi associado ao nazismo e assim chamados de totalitários - como se fossem a mesma coisa. Com o fim da Segunda Guerra, os EUA e outros países de ideologia liberal começaram a ocupar espaços com sua propaganda e se posicionaram, através de uma falácia, a favor do multiculturalismo. Então ocorreu o seguinte, muita gente tem aquela imagem que no comunismo todos se vestem iguais, comem as mesmas coisas, não há respeito a individualidade e que no liberalismo temos o respeito pelas pessoas e as diferenças. E isso é uma grande mentira, somos cada vez mais padronizados dentro da ideologia capitalista. Sou totalmente a favor do respeito as diferenças e espaços, mas daí a falar que todos são iguais no sistema capitalista me deixa perplexa.
Até!

Lu Biondo disse...

Esqueci de um detalhe, é verdade, o governo sempre libera dinheiro para empresa, inclusive a Globo conseguiu um empréstimo há alguns anos no BNDES...Mas isso ela não comenta, né?

Marcia Søvik disse...

Lola,
Lembrei também do filme do Costa Gavras, Estado de Sítio. Esse filme relata muito bem como o governo americano financiou a ditadura na América Latina e disseminou o terror.

Anônimo disse...

baboseira de ficha criminal?

então uma candidata a ocupar o cargo maior do executivo supostamente participou de ataques terroristas, matando inocentes - mais uma vez suposta - e alguns acham baboseira?

aonde estamos?

Vitor Ferreira disse...

Lola, Anos Rebeldes é de 92, e não de 89. Muito fácil a Globo se passar por patriota e exibir essa série num ano de impeachment, tentando apagar o seu passado omisso e descomprometido com o povo brasileiro.