sábado, 28 de novembro de 2009

O CHEIRO RUIM QUE EXALA DA MÍDIA

Ah, gente, eu não ia escrever nada sobre o último ataque da grande mídia ao Lula, mas, como estou vendo essa história ser reproduzida nos blogs de direita como se fosse uma verdade incontestável (o que é uma tática nazista, repetir uma mentira até que ela se torne verdade), vou tratar disso só um tiquinho. Vocês sabem do que estou falando, né? Ontem li enojada um artigo de Cesar Benjamin, ex-militante de esquerda que ajudou a fundar o PT, que saiu do partido em 1995, e foi candidato a vice da Heloísa Helena em 2006. Ele relata como, num almoço em 1994, Lula contou que, quando esteve preso pelo regime militar, em 1979, teria tentado “subjugar” um “menino do MEP” (Movimento de Emancipação do Proletariado), mas o rapaz não deixou. Quer dizer, segundo Cesar, Lula disse que não aguentaria anos na cadeia, porque não vive sem b*ceta. E, na frase seguinte, o atual presidente diz como tentou estuprar um rapaz! (da última vez que chequei, homens não tinham vagina. Era o principal diferencial).
O depoimento de Cesar, agora, quinze anos depois da conversa, já seria bastante chocante. Um jornalista e blogueiro escreveu: “Este blogueiro conhece pessoalmente César Benjamin. [...] Há duas considerações a serem feitas sobre Benjamin: primeiro, o autor deste blog não conhece nenhuma outra pessoa, nem mesmo Diogo Mainardi ou Reinaldo Azevedo, que tenha pelo presidente Lula o mesmo ódio professador por Cesinha. O que ele diz em privado sobre Lula supera em muito o que escreveu para a Folha de S. Paulo nesta sexta-feira [...]”.
Mas o mais chocante, lógico, não é o que Cesar disse, mas que a Folha de SP tenha publicado algo assim. Algo sem nenhuma prova, sem ouvir o outro lado, sem procurar testemunhas. É uma piada que agora a Folha esteja publicando cartas de leitores (escolhidas a dedo, imagino), louvando a atitude do jornal. Uma delas afirma que a Folha deu “uma lição de jornalismo”. Vamos supor que eu hoje queira contar pro mundo que, 15 anos atrás, eu e amigas, uma das quais não falava português, encontramos FHC pela manhã nas ruas de Higienópolis (fomos vizinhos, posso provar), e ele nos contou, às gargalhadas, como transou com sua empregada, apesar d'ela não querer. A Folha me dá espaço pra escrever sobre essa divertida anedota? E, lógico, não vamos perder tempo procurando FHC, a empregada, as outras amigas que escutaram a conversa. E aí, posso? Eu tenho uma mente fértil e adoraria ajudar a Folha a dar mais lições de jornalismo!
Não, né? Porque FHC pode ter um filho com uma jornalista da Globo e todo mundo saber disso há dezoito anos sem que a grande mídia não dê um pio sobre o caso. A vida pessoal não é importante... quando a gente é aliada política do sujeito.
Todos os envolvidos já desmentiram o artigo. O Planalto diz que não vai processar a Folha pra não descer ao seu nível. A Veja foi atrás do próprio “menino do MEP”, que se recusou a falar com essa imprensa e disse que é tudo um mar de lama. Um político do PSOL, opositor ferrenho do governo e também ex-preso político, jura que Cesar “viajou na maionese”. O delegado do DOPs na época, nosso velho conhecido Romeu Tuma, nega, e diz que algo do gênero seria impossível, até vários presos dividiam as celas. Os publicitários que estavam na mesa durante o almoço de 1994 não se recordam nem da presença de Cesar, mas têm memórias divergentes. Paulo de Tarso não lembra de uma conversa assim, enquanto o documentarista Silvio Tendler afirma que Lula estava contando uma piada pra sacanear o marqueteiro americano. Se foi isso, é uma piada ruim, daquelas que só os homens gostam de contar (mulheres não costumam achar estupro engraçado). E o próprio tom da negativa de Tendler é um festival de besteiras, como chamar Cesar de "débil mental " (pega mal usar isso como ofensa), e usar o infalível “é a loura da vez” (porque não entendeu a piada, sacam?). Eu adoraria que pessoas de esquerda refletissem mais antes de falar asneiras, mas até parece que essas “piadas de homem” são monopólio de um partido político.
Seria até engraçado, se não fosse trágico, ler gente hiper preconceituosa como Reinaldo Azevedo reclamando de tal piada! Tio Rei está nas nuvens e já escreveu uns cinco posts sobre a "denúncia" de Cesar. O mais hilário é um que inclui esta frase: “A política, no ritmo em que vai, está palmilhando todos os caminhos da sordidez, da abjeção, da absoluta falta de limites”. Pois é, a sordidez não é dar destaque pra mentira e demais baixarias, é a política brasileira. Como diz um dos blogueiros que o copiam: “A revelação, independente de sua veracidade ou falsidade, mas o simples fato de ser aventada resume um estado da psique coletiva nacional sob a égide do lulismo” (sic, ninguém falou que eles sabiam escrever).
Mas há quem diga que esse carnaval não é pra esconder o mensalão recém descoberto em Brasília, responsabilidade do único governador do DEM, um partido que vem se extinguindo e já teria sido varrido do mapa se não fosse a parceria com os tucanos. Não, parece que é pra encobrir um novo escândalo, um que não interessa à mídia: as doações da Camargo Corrêa ao Serra. A gente sempre deve pensar nos interesses por trás das notícias.
A Folha é um jornal que vem derrapando feio faz tempo. Ultimamente, ela tem optado por uma saída preferencial pela direita, o que contraria um pouco seus leitores, que estão menos à direita que os da Veja ou do Estadão. Outro dia o jornal publicou um editorial dizendo que a nossa ditadura militar foi uma ditabranda. Depois publicou uma ficha falsa da Dilma. Deu enorme destaque à farsa de Lina Vieira. Etc etc, os exemplos são muitos (pra protestar, o blogueiro Eduardo Guimarães organiza um protesto contra a Folha no dia 5 de dezembro, sábado, às 10 horas, em frente ao jornal).
A escritora Marcia Denser (cujos contos estão presentes em várias antologias de melhores contos brasileiros, e que tive o orgulho de ter como professora de redação literária) escreveu ontem, antes desse novo escândalo, que a Folha está longe de ser o jornal influente que já foi. Em 1996, a Folha vendia quase 500 mil exemplares avulsos em banca (não assinaturas) num domingo. Hoje sabem quanto vende? 21 mil exemplares. Os três principais jornais brasileiros (Folha, Estadão, Globo), não vendem, juntos, cem mil exemplares avulsos por dia. É uma triste queda. Claro que a imprensa escrita de todo o mundo vem encolhendo por conta da internet, mas vocês não conhecem pessoas que deixaram de ler jornais e revistas brasileiras por motivos políticos? Tipo, porque o país não tá tão mal quanto elas pintam, e porque, num regime democrático, aceita-se a vitória de políticos que combatemos? A nossa imprensa não engoliu a vitória de Lula em 2002 e é por isso que, na blogosfera, ela ganhou o apelido de PIG – Partido da Imprensa Golpista. Ela ainda não foi tão longe quanto a da Venezuela, que promoveu abertamente um golpe militar contra Chávez. Mas, pelo jeito, é só uma questão de tempo.
E também, não sejamos tão críticos. Vamos nos por no lugar dela. Ela publica todo dia editoriais contra o governo, escolhe fotos degradantes, manipula notícias (essa ao lado é da Folha de ontem ― diz que os institutos de ensino superior diminuíram, como se fosse uma péssima notícia, sem explicar que as vagas aumentaram, e que instuições foram compradas por outras. Essa outra é do Globo: o consumo no país aumentou, e isso não é apenas terrível como também culpa do Lula), bate no PT desde a fundação do partido, em 1980. E ainda assim Lula é eleito, reeleito, e tem 80% de aprovação?! Como é que pode? Pô, deve doer não ser mais formador de opinião!
O que dói mais, na realidade, é saber que este é só um trailer do que será o nível da mídia nas eleições do ano que vem.

41 comentários:

Anônimo disse...

Oi Lola
Então, sou de esquerda, mas não morro de amores pelo Lula (mas ai do tucano/pefelista que fale mal do governo perto de mim), e, não me leve a mal, às vezes vejo um pouco de exagero dos petistas em defendê-lo.
Mas desta vez foi de lascar, para não usar um palavrão.
O nível é baixo demais.
Leah

Marcos Vinicius Gomes disse...

Olha Lola,

Lembro-me de quando comprava a Folha aos domingos, era um jornal respeitável, até certo ponto plural (digo no sentido de dar espaço para diversas tendencias ideológicas...hoje me dá vergonha dizer que leio a Folha (às vezes o faço, por dever de ofício). Sua tiragem ridícula é prova de que o leitor não é bobo, que sabe quando o manipulam. Jogar a culpa na net é a desculpa mais fiada, pois quem tem acesso a internet, pode comprar um jornal. Eu não espero mais nada do eixo do mal (Folha, Veja, Globo, não digo Estadão porque ele está tomando o caminho da roça). Isso é uma pequenina amostra do que virá, os próximos rounds serão insuportavelmente fétidos!

Bárbara Reis disse...

Eu parei de ler jornal por motivos politicos tbm.

Eu não confio na mídia, não confio na veracidade das informações.

Somos humanos, e só conseguimos captar 70% das informações que nos são passadas de um ser para outro, logo ao fim da edição de um jornal uma unica informação já foi quase totalmente deturpada. ;]

E acho que falamos mais ou menos as mesmas coisas que eu comentei no post anterior.

Beijão.

Merinha disse...

Oi Lola.Pois é "O Cheiro Ruim" vai rolar pelas mídias.O que me aborrece mais ainda é ver que aqui na minha terra não é diferente.Com políticos medíocres e um que até teve que renunciar por causa de um acidente automobilístico onde morreram 2 jovens e este Ex-deputado agora vai a juri popular.Mas,como se não bastasse o atual prefeito agora quer "empurrar" p/ o eleitorado seu segundo filho como candidato a deputado.Um jovem que segundo dizem não sabe nada de política e dos problemas da cidade.Pois é Lola,nossa política vai mal,mto mal das pernas.E a "velha imprensa"tbem.Já fui leitora da Folha,hoje busco outras fontes.Abraços.Merinha.

Leandro Monteiro disse...

Lola,

toda a mídia, assim como toda pesquisa, todo documentário, enfim, toda a informação que você lê (a não ser que venha de uma fonte primária) terá o interesse de alguém em jogo. Todos os posts que você escreve no seu blog você puxa mais para a esquerda, para o PT, para como o governo Lula é maravilhoso e tudo mais. Não adianta você ficar tentando correr atrás de uma utopia de "jornalismo ético e justo", quando nem nas coisas que você escreve você é imparcial (não é uma crítica, é apenas um comentário.) Da mesma forma, reclamar da Folha, do Estadão e afins é nada mais do que falar por falar. Vamos lá, se a Folha tivesse falando bem do Lula você nunca que estaria escrevendo esses posts (por exemplo, eu nunca vi você reclamando da CartaCapital por ela estar falando bem demais do governo). Ah, e outra: sobre a matéria da Folha a respeito das instituições de ensino superior, eles comentaram, sim, que embora o número de IES tenha diminuido, as vagas aumentaram.

Leandro.

Má disse...

Leandro,tenho certeza que a Lola, como sempre é discutido aqui no blog sabe desta impossibilidade de uma neutralidade.
O que vc não percebeu, é que no Brasil, a grande mídia é quase que unânime nas opiniões e ideologia política.Só há quase que "um" viés.
Não há pluralidade, debate para maior parte da população.Não é nem porque não querem, para um cidadão médio brasileiro simplesmente não chega nada que se pareça a uma pluralidade.Esta é a critica!
Não precisa nem ser de esquerda nem petista para saber isso. Compare o Brasil com outros países europeus, ou qq outro e podemos perceber o monopólio de opiniões e dos meios de comunicações em apenas algumas famílias. Isto é um fato.

Abraços!

Luciana disse...

Lola, não é por nada não, adoro o seu blog, acho vc super inteligente e tals mas... está ficando meio ridículo toda essa sua defesa ferrenha ao governo.
Eu concordo com o Leandro. Como que vc quer matérias imparciais se vc é uma pessoa que jamais escreve com imparcialidade sobre o governo.
Na época do mensalão, vc chegou a escrever algo sobre?

Poxa, essa sua defesa está beirando o fanatismo partidário.
Vc está sempre citando matérias e se revoltando de uma forma extrema, onde falam mal do governo ou de algo que está ruim no Brasil; mas e as matérias onde enchem a bola do governo, que pendem bem mais pro Lula vc não diz nada. Imagino que deva achar que é mais do que a obrigação.
A emprensa é isso mesmo, faz o papel de fiscalizar e de falar mal também e apontar o que precisa melhorar. Mas, lógico que quase nunca de forma imparcial, como vc mesmo faz.

Vc está sempre reclamando de jornais e do Jornal da Globo que passam matérias contra o governo, mas não fala nada das inúmeras matérias que falam bem (e eu acho que eles pendem muito mais pro lado do governo Lula pq sempre quando mostram alguma matéria dizendo que o Brasil ainda está ruim em tal setor, logo em seguida vem 2 ou 3 matérias dizendo como o Brasil está maravilhoso).

Mas não, vc prefere revestir todo o governo Lula de um manto de honestidade (o que é uma ridículo) e de coitadinhos perseguidos.

Nem curto discutir política em blogs, mas como venho ler o seu todos os dias vou te dar esse toque. Está ficando ridículo esse seu partidarismo exacerbado radical.

Má disse...

Lolinha, voltando ao post anterior.
Pensando bem, estas contradições de opiniões que vc citou, acho que não ocorre só com os mais de "direita" não.
Acho que temos que ter o cuidado de saber o que o Governo (que não é o Lula) faz em certa medida mais p o "social" e reconhecer. Mas como uma opinião de esquerda, não podemos nos igualar ao elogio de direita tb. Exemplo do Economist, que os elogios deles é o lado que eu por exemplo critico do Governo Lula, entende?
Daí que devemos criticar muitas coisas ao meu ver, particularmente, por exemplo, o apoio ao agronegocios é algo elogiado do Governo, mas nem por isso eu acho que beneficiou o trabalhador...
Entende? Acho que existe dois tipos de elogios ao Governo, o lado social, e o lado super neoliberal. Nisso, acho que devemos fazer uma critica correta, no que se deve elogiar, mas sem elogiar o que não benefecia o social se for uma critica de esquerda.
Nem elogiar tudo , nem desmerecer tudo é ser de esquerda nem de direita ao meu ver.
Lola, não estou dizendo que vc disse isso, é que estava pensando no post anterior, e é verdade as criticas todas são contraditórias mesmo! Uma pessoa realmente de direita deveria estar contente com a matéria do The Economist, pois é real aquilo tudo.
Mas as criticas que vc citou, parece muito mesmo o preconceito de origem do Lula, muito enraizado em países com esta desigualdade não?

Beijo !

Claudia disse...

Lola faz um tempinho que leio seu blog(mas nunca postei aqui antes) para conseguir boas dicas de filmes.No post sobre crepusculo vc citou o filme "O Colecinador" na qual eu busquei na internet assisti e gostei do tema.Vc pode me sugerir mais filmes sobre Stalking?
Sem ser "Atração Fatal" e "Louca obsessão"?

lola aronovich disse...

Eu fui publicar um comentário com uma resposta ao Leandro e a Luciana, mas ficou grande demais. Vai virar post. Acho que amanhã. Tenham paciência.



Má, concordo contigo, mas neste caso (e no post anterior), eu não estou nem elogiando nem criticando o governo, estou? O foco dos posts é outro. Este post critica a Folha ter descido tão baixo (e eu acharia o cúmulo se o jornal falasse a mesma coisa contra alguém do PSDB, ainda mais sem provas, sem ouvir testemunhas etc). O post anterior fala das contradições da oposição. Eu nem falo sobre a matéria do The Economist! O post não é sobre o que diz a matéria do Economist. Eu só pus a capa como uma das imagens porque ilustra melhor que as dezenas de outras matérias como a imprensa internacional vem falando do Brasil.

laura disse...

leandro e luciana, não se trata de ser imparcial. se trata do mínimo dentro do jornalismo: checar a veracidade das informações, ouvir pessoas, apurar. nada disso foi feito.

e há uma grande diferença entre blog e imprensa. o blog, por definição, é um espaço pessoal. lola, como qlqr outro blogueiro, não tem qualquer obrigação de ser imparcial (nem de tentar ser).

e apesar disso, ngm pode sair por aí inventando informações ou acusando, mesmo a partir de fatos verídicos, se não tiver como provar. todo mundo tem direito à preservação da sua honra, da sua imagem. e isso é mais que um valor moral: é um direito constitucional.

há uma grande diferença entre ser parcial (e se assumir como tal) e fazer um jornalismo completamente irresponsável - e que de jornalismo não tem nada.

Shoujofan disse...

Soube deste artigo hoje pela manhã, quando abri a Folha e via resposta do governo. Eu deliberadamente tinha deixado passar o artigo sobre o filme que não era do filme.

Não sou, enfim, fã do Lula presidente, do Lula pessoa pública, embora tenha votado nele em todas as eleições, nem que somente no segundo turno. Aliás, continuarei votando ano que vem no PT dentro da lógica é o melhor entre o pior. Mas este não é o ponto.

Tive nojo quando li o que esse Cesar sei-lá-das-quantas escreveu. Não conhecia sua trajetória política, nunca tinha atentado para a sua pessoa, mas o artigo foi repulsivo em qualquer grau. Sem provas, sem testemunhas, lançar 15 anos depois uma informação dessa e ela ser publicada por um jornal do porte da Folha é absurdo. Mas como você bem lembrou em seu texto, a Folha vem decendo pelo ralo faz tempo, a ditabranda e agora essa acusação de estupro ou tentativa de é somente mais um tijolinho no muro...

Falando em abandonar jornal e revista. Eu abandonei a Veja anos atrás e bati boca com um cara do telemarketing que tentou me vender a assinatura, não aceitou "não" como resposta, e disse que como professora eu deveria ler a Veja, pois somente assim seria "bem informada".

Para fechar: Arruda é ruim, mas seu imepedimento (e o do vice, e o do presidente da câmara, etc.) nos lançará nos braços de Roriz. O coronel está somente esperando. Como é do PMDB, muito provavelmente será apoiado pelo governo do PT. Que, aliás, por motivos políticos, abandonou seu próprio candidato na última eleição. Houve fraude, tod@s sabiam disso, mas pelo apoio do PMDB venderam o DF. Eu posso estar sendo muito pessimista, mas prevejo cenário semelhante. Deve ser culpa minha, pois no Rio era a mesma coisa, seja com Garotinho ou com Cabral.

Antes que eu me perca. Lola concordo com sua indignação e partilho dela. Não acredito que seja verdade a informação que este senhor lançou, acho que a Folha precisa ser boicotada. Mas não compartilho da simpatia pelo governo, embora não negue a perseguição da mídia ou os indicativos sociais favoráveis.

Flávia disse...

Haja paciência...

Não é só porque eu sou parcial que eu vou faltar com a ética!!

Pelamodeus, o jornal colocou um texto acusando lula de ter tentado Estuprar um cara na cadeia!!! Sem provas, sem nada!

Um jornal que deveria ser de respeito fazer algo assim??

O povo perdeu a noção mesmo!!
Não é porque a pessoa é de direita que vai publicar mentiras e acusações graves deste tipo!!!

Não mera questão de 'imparcialidade'!

Acordem!!

Larissa disse...

Bom, talvez esteja um pouco fora de local meu comentário, mas vá lá: há menos de um mês conheci seu blog, desde então me viciei nele (cheguei aqui através do link na Cynthia Semiramis). Posso me dizer sortuda (e nao me sinto feliz ao usar essa palavra) por não ter sido vitima de nenhuma história de horror que quase todas as mulheres tem p contar. E isso graças a mulheres como vc, que lutam p q isso nao aconteça. Não sou feminista desde pequena, mas tenho dois furos nas orelhas que espero já terem fechado quando concretizar meus ideiais, souber defender, contra-argumentar e apoiar ao máximo o feminismo. Dai em diante não mais me sentirei um "enfeite", como aconteceu nesses 18 anos. Talvez vc nao seja mãe no sentido completamente maternal da palavra, mas pode ter certeza que seus textos tiveram papel crucial, comparável a algumas coisas que minha própria mãe disse. Não é com sentimentalismo que espero que veja essa declaração, gostaria q encarasse como extremo apreço que tenho ao seu trabalho aqui (se é q se pode chamar assim, já q faz isso praticamente d graça). Talvez nem TODOS meus pontos de vista sejam compativeis com os seus, e acho imprescindível que haja divergencia, que geram discussoes, que geram evolução.Mas é por isso que estou aqui acompanhando seu blog e qd posso seus comentaristas. Todo esse bla-bla-bla é para dizer: continue fazendo o q faz, talvez msmo q aos poucos, vc alcança as pessoas (3 amigas ja viraram fãs). Espero poder descobrir também aki outras formas de militar. um abraço grande e meus parabéns

Má disse...

É verdade Lola, sei que vc falava das contradições da "oposição".
Só achei que em alguns casos o que vc citou eu até concordo com a critica ao Governo, mas não pelas mesmas razões da oposição (como citei, da classe média, e do Brasil decolar, o caso dos "comunas" nem acho que é verdade).A contradição que vc citou achei super verdade, mas só não achei que só porque o argumento da oposição é contraditório e seja da oposição que acho que o Governo está certo, entende?
Vc nem disse isso, só mostrou a oposição, mas como vc tb não citou se concorda com isso (ex: todos são classe média?, o Brasil decolou e isto é um elogio?), não sabia a sua posição..Vc concorda?
Não sei se fui clara, e sei que nem foi isso a discussão, mas ao dizer que o "Brasil está decolando é mentira", é uma contradição, pois economicamente (capitalisticamente falando) parece estar estável.
Por outro lado tb não acho que esse decolar esteja certo (do ponto de vista social), ao meu ver. A mesma coisa a classe média, embora seja nojento os que não querem aceitar a classe C como classe média por não querer se igualar a eles (ex:"eu? igual ao que ganha 1500? Eu que sempre ganhei muito mais?"), acho que igualar como classe média o que ganha 1100 não é justo. Pois dá a impressão que todos são iguais, lindo e resolvido.
Tb acho difícil alguém que ganha 1100 ter casa própria hj em dia, quem consegue?
Bom, com isso queria dizer que se ao contrário da oposição, eu afirmar que o Brasil então de fato é uma país com a maioria de classe média tb seria injusto ao meu ver.
Por isto que para mim seria nem a oposiçaõ , nem o Governo em certos casos.

Bom, é isso Lolinha,sei sim do que estava falando, é que me deu a impressão de vc negar a oposição e tb não mencionar se vc concorda com o contrário em alguns casos. Meio que fiquei na dúvida p falar a verdade.


Beijão!

Oliveira disse...

Se fosse outra pessoa, você teria razão em exigir provas.
Como se trata do Lula basta o indício. O que o tal do Cesar falou deve ser verdade, afinal e Lula é isso aí, um desclassificado. Lembra do que o mesmo Lula falou em Pelotas sobre ser todos daquela cidade, viados? Isso é próprio da educação nordestina degenerada desse pé rapado. O povo daquela região acha isso normal. '
Lembra do cordel famoso no nordeste?
"ai pobre do Firmino, com tanta mulher no mundo comeram c" do menino.

Me estranha você, Lola, a favor desse estrupício. O que seria do tal menino da tal monstruosidade viesse a acontecer.

A mídia precisar esconder as coisas que ofendem esse reizinho só porque tem duvidosos 80% de aprovação?


PS. Sobre a materia do Globo, o desabastecimento realmente está acontecentdo pelo alto consumo e falta de infra-estrutura, como já ocorreu no plano cruzado do compadre do Lula, o Sarney.

Má disse...

Ahhhi Lola, de novo, nem sei se estou sendo clara.Só mais uma coisinha.
Mas quando vc citou a contradição da oposição (totalmente válida!) e desconstruiu isso, alguns argumentos que vc usou p desconstruir (ex:critério salarial p classe média) é o argumento válido pelo Governo certo? Como vc usou estes argumentos p descontruir e a sua critica parou aí, pode dar a entender que então a oposição é contraditória (correto) e o argumento que vc usou (tb do Governo) está correto, certo?
É mais ou menos isso que queria dizer.
Pois será que é válido descontruir a contradição da oposição por estes argumentos? Concordamos com estes argumentos (do Economist e de 52% classe média?).
É mais ou menos por aí que estava pensando.
Desculpe prolongar e tal, só não deu p saber muito qual era sua posição Lola..

Beijão de novo!!

. disse...

Sinceramente, acho essa história de filme sobre o Lula ridícula (não tanto quanto acharia se fosse um filme sobre a história do FHC), mas às vezes acho que uma demonstração de solidariedade para com o sujeito é bem merecida.

Isso de imparcialidade é balela, porque a neutralidade é um conceito utópico. Não podemos deixar que opiniões políticas nos ceguem quanto às "verdades sobre a natureza humana", contudo. Mas por que ninguém diz que a fábula surreal do sr. Benjamim não é uma defesa subjetiva dos partidos de direita?

Laura disse...

Muito bom texto: http://tijolaco.com/?p=6379

Naná Monteiro disse...

Olha a unica coisa que tenho a dizer é que eu nao faria texto melhor afinal, concordo com todas as letras que "infelizmente isso é só um trailer do que serao as eleições no ano que vem"!
Apoiada e vamos comparecer dia 5 acho que o pais precisa de um pouco mais de atividade mental! E nao desatividade.

Nana Monteiro

lola aronovich disse...

Leah, é isso: o nível é baixo demais. Não precisa gostar do Lula pra se indignar com esse jornalismo de esgoto.


Marcos, eu também comprava a Folha aos domingos! Aliás, eu e o maridão assinamos a Folha praticamente toda a nossa vida, antes de nos conhecermos, e tb um tempo juntos. Quando viemos pra Joinville ficou mais complicado, às vezes o jornal só chegava em casa ao meio dia (e quem quer ler jornal ao meio dia?). Mudamos pro Estadão, que tb lemos a vida toda (e ambos são de direita, nenhum representava a minha opinião). E, ao mesmo tempo, assinávamos o jornal de Joinville, pra saber o que acontece por aqui. Teve uma época em que assinávamos os 3! Mas, principalmente em 2002, nos revoltamos muito. Não dava pra ler o jornal sem ficar morrendo de raiva. Não sei quando cortamos os jornais de vez (só vemos pela internet, mas gastamos muito mais tempo em blogs que com os colunistas de jornais), acho que foi em 2006. E não sentimos nenhuma falta. A gente vive recebendo telefonema e cartas e propostas pra que voltemos a assinar, mas não dá. Agora faz uns 3 anos que não compramos um exemplar. De vez em quando a gente recebe a Veja de graça, mas nem a pau. Minha saúde vale mais. Leio tudo que me cai nas mãos, mas realmente me sinto melhor sem ter que ler essas coisas. O que mais me incomodava era a arrogância com que os jornais nos tratavam. Como se fossemos tábulas rasas precisando muito de gente pra nos dizer o que pensar! Sem falar que toda vez que a gente lia um artigo sobre algum assunto que conhecemos víamos como o troço tava cheio de erros...

lola aronovich disse...

Barb, nem sei se é questão de não ler, mas de ler os jornais com um espírito muito crítico, filtrando bem as informações. Só que dá muito trabalho... Ah, sorry, confundi vc com uma outra moça que me mandou um email ontem! Mil desculpas. É que estava correndo e vi Michelle e pensei em Barbara. Quase igual, mesmo número de sílabas... E aí, já tá boa da saúde?


Merinha, qual é a sua terra? Pois é, eu tb já fui leitora da Folha e de outros jornais... Minha vida toda, praticamente. (falei sobre isso na minha resposta ao Marcos). Abração!

lola aronovich disse...

Leandro, amanhã te respondo, ok? Sobre a Carta Capital, eu não leio. Compro alguns números avulsos muuuuuito de vez em quando. Então nem sei o que ela está falando do governo. E a matéria da Folha não dizia que as vagas aumentaram nem na manchete nem no lead. Dava apenas como uma péssima notícia: menos instituições superiores, ohhhhh! O Estadão dizia de cara que isso se deve a fusões e aquisições.


Má, obrigada por responder. É isso: essa ausência de pluralidade na grande mídia é que é de lascar. Tem apenas um pensamento único.

lola aronovich disse...

Luciana, amanhã respondo, mas, sinceramente, qualquer pessoa, independente do posicionamento político, deveria ficar indignada com o comportamento da Folha. Não dá pra publicar um artigo acusando alguém de tentar estuprar outra pessoa sem provas, testemunhas, sem procurar os envolvidos. Isso tá no manual mais básico do jornalismo. É triste. Eu fico pensando como devem estar se sentindo alguns colunistas e jornalistas da Folha. Morrendo de vergonha, suponho.


Má, claro que tem muita coisa pra ser criticada no governo, mas o meu post não era sobre isso. E sim, tenho certeza que muito do ódio ao Lula se deve a sua origem (pobre, nordestino, alguém que “não merece”, preconceito de classe, mesmo), e também a sua origem sindical. Se ele fosse um pobre do tipo Silvio Santos, que subiu na vida, haveria admiração por ele. Mas aí não seria o Lula, né? Não seria um político do PT. Seria do PSDB/DEM. Lembra quando o Silvio Santos foi candidato a presidente? Era pelo PFL. Tinha um monte de gente que ia votar nele porque ele era rico e se fez sozinho, aquele pensamento que, se sabe cuidar de uma empresa, saberia cuidar de um país (igualzinho!). Mas o Lula, cruzes! Foi metalúrgico, que nojo! E sindicalista, o oposto do SS. Acho que tem uma grande contradição da direita aí tb, porque eles defendem que qualquer um pode “subir na vida”, que as oportunidades são iguais pra todos. E aí quando um nordestino miserável vira presidente, ah, nesse caso não foi merecido! Foi sorte, foi porque o povo é burro, não foi por esforço, já que (uma das coisas que adoram dizer é que) Lula cortou um dos dedos de propósito pra não ter que trabalhar! É horroroso esse pensamento.

lola aronovich disse...

Claudia, o Colecionador é ótimo mesmo, né! Outros filmes sobre stalking? Não estou muito lembrada agora. Bom, Taxi Driver, definitivamente (o personagem do Robert de Niro é um stalker de DUAS mulheres), e também O Rei da Comédia (de novo com o De Niro). Olha só, este site dá os top 10 stalker films. Tem tb muitos filmes policiais em que o protagonista é o detetive, e o assassino é o stalker. Quase dá pra ver Seven por esse ângulo, não acha? O Kevin Spacey stalking o Brad Pitt? Ah, tb tem um mezzo clássico dos anos 70, do Clint Eastwood, Play Misty for Me (Perversa Paixão), muito bom, em que ele faz um radialista perseguido por uma fã. Ah, e um dos meus preferidos: A Morte Pede Carona, o original de 86, com o Rutger Hauer stalking o C. Thomas Howell. Quer dizer, o filme é mais que isso, mas acho que pode ser lido como um stalker film.


Laura, examente. Muito obrigada por responder. Boa parte do que vc disse eu já havia escrito no meu estilo verborrágico de sempre. Publico o post amanhã. Vc foi sucinta, direto ao ponto!

lola aronovich disse...

Valéria Shoujo, tudo bem? Faz tempo que não te vejo por aqui! Então, perfeita a sua colocação. Imagino que muita gente de direita que odeia o Lula deve ter ficado muito incomodada com um artigo desses. Quero dizer, torço pra que haja pessoas assim, porque elas não se manifestaram! Sinceramente, políticos do DEM e do PSDB deveriam se posicionar contra a atitude da Folha. Mas claro que não vão se indispor com que os apoia de jeito nenhum... Ah, eu tb já bati boca com pessoas do telemarketing. Dá muita raiva que a gente seja considerada uma besta quadrada por não assinar uma revista ou jornal tão “precioso”... Como se pode dar aula sem ler a Veja, meu deus?! Como vc consegue, Valéria?!
Olha, sobre Brasilia eu não sei muito não. Roriz, Arruda, pra mim dá na mesma, todos parecem tenebrosos. Não tem chance do Cristóvão Buarque voltar a ser governador? Espero que o PT não apoie Roriz e tenha candidato próprio. Isso de abandonar candidato próprio pra fazer coaligação nos estados nunca dá certo. Lembro bem do Rio. Até hoje o PT não tem força lá. Deu um tiro no pé. Aliás, dois bons lugares pra não ser eleitora: Rio e Brasília. Eu teria que anular o voto.


Flávia, pois é, fico feliz em saber que vc compartilha da minha revolta com a postura da Folha.

Marcelo Delfino disse...

O pessoal se estressa à toa quando a amiga Lola dá uma derrapada dessas. Deixem ela. É apenas mais uma blogueira chapa-branca, nada mais.

Aliás, o que é pior: o PIG (Globo, Abril, Folha, etc) ou a mídia chapa branca (Record/IURD, Carta Capital, Caros Amigos, etc)?

Não existe melhor nem pior. Estão apenas defendendo seus pontos de vista, assim como os governantes fazem. O que importa é separar o que é notícia do que é propaganda ideológica. Como eu faço diariamente em meu blog, que acompanha desde o ultra-esquerdista Tsavkko até o pessoal do Mídia Sem Máscara, que são tão assumidamente direitistas (isso é um ponto positivo: não se esconder) que dizem que todos os demais são esquerditas, do DEM (que imita os partidos Democrata americano e o Trabalhista britânico), passando por PSDB, até Adolf Hitler (Partido do Nacional-Socialismo dos Trabalhadores Alemães), ex-aliado de Stalin.

Se tomarmos apenas um tipo de fonte, jamais chegaremos a algo que seja sequer perto da verdade.

Bárbara Reis disse...

To sim Lolinha, eu acho. Algumas coisas ainda atacam o meu figado e me deixam enjoada, mas ta tudo bem... a Pneumonia eu não fui no médico ver se curou, por falta de tempo... só a rinite que está sempre atacada, porque não consigo ficar longe do meu gato, Nando é irresistivel...

Obrigada por perguntar! :]

Olha, Michelle foi nova pra mim... as pessoas me confudem muito com Débora ou Gabriela, mas Michelle foi inédito. hahaha...
Sem problemas ! haha...

E sim, filtrar informações é muito dificil. Dá preguiça. hahaha... e mesmo filtrando ainda assim, não dá pra confiar 100%. A informação pode ser passada de forma a ser tendenciosa, como por exemplo, quando a Globo faz edições de video... como os do BBB, favorecendo ou não, um candidato, ou até mesmo, usando um exemplo bem tosco, os do Video Show.

Beijão

lola aronovich disse...

Larissa, ah, que amor! Ok, estou respondendo só um pouquinho maternalmente. Muito obrigada pelos elogios. Isso sempre dá um gás pra gente que escreve, faz a gente saber que está fazendo algo de bom. Olha, sinceramente, não sei se o que falo é importante ou se influi alguém, e de jeito nenhum falo em nome de um movimento. Acho o meu blog bem pessoal, tem até meu nome (real) na frente. Mas claro que é bom ouvir coisas como “vc me fez ver isso por outro ângulo”, “agora eu não sou mais assim”, etc. Eu quero militar mais, de verdade, fisicamente, não apenas num blog, e tentarei fazer isso em Fortaleza, vamos ver se dá. Obrigada mesmo pelo carinho!

Oliveira, o que vc diz é sempre tão hediondo. Vc sabe disso! Não tem como ser tão preconceituoso em relação aos nordestinos e não saber disso. Eu quero que as pessoas leiam o seu comentário e vejam bem como é o pensamento de alguém de direita. E ha ha, vc acha que foram os nordestinos que inventaram esse negócio de Pelotas (e Campinas) serem “terra de viado”? Acho que os nordestinos estão mais preocupados com Campina Grande que com Campinas, e nem imaginam onde fica Pelotas! (aliás, em SP ninguém tem a menor ideia de onde fica Pelotas. Desconfiam que é no RS. Onde, só deus sabe).

lola aronovich disse...

Pontinho, não entendi bem o que vc quer dizer. Talvez seja o horário... Passou da meia noite, tô exausta.


Naná, legal, obrigada! Eu iria protestar na frente da Folha se morasse em SP. Como não moro, vou só assistir. Me conta como foi!

lola aronovich disse...

Mázinha, tá um pouquinho confuso... Mas vou responder. Vc quer saber a minha opinião? Bom, o artigo da Economist é apenas um entre vários que vem pipocando na mídia internacional já faz uns dois anos. É só elogio após elogio. Minha mãe lê vários jornais em espanhol e diz que o El País, por exemplo, é praticamente um fã clube do Lula. Então todo mundo tem uma admiração muito grande por ele. Quando o Obama disse que o Lula “é o cara”, ele não tava falando só por ele, não. O Lula é pop. E é uma estupidez muito grande da direita brasileira fechar os olhos pra isso. Quer dizer, fechar os olhos ainda vai. Mas negar? É muito escancarado!
Mas uma coisa é o desempenho do Lula (por quem tenho muito orgulho e admiração), e outra é a melhora do país. Não tem como negar que o país tem melhorado muito. TODOS os indicadores sociais e econômicos mostram isso. A imprensa internacional se guia por esses índices, não pelo carisma do Lula. Todos os grandes países emergentes (Brasil, Rússia, China) prometem. E o povo brasileiro, em geral, sente isso de que agora é a vez do Brasil. Nessa última pesquisa eleitoral em que o Serra despencou, uma das perguntas foi se o país estava melhor ou pior que com o governo FHC. E acho que 76% responderam melhor. Não é um ou outro, é a imensa maioria. A expectativas pro ano que vem são enormes. Dizem que o PIB vai crescer 5%, que é muito. Que a crise vai ficar pra trás. Vamos ver, tomara mesmo que sim. E que esse crescimento não será apenas no ano que vem, mas nos próximos dez anos. Quero muito acreditar que o caminho do Brasil tá pavimentado pra crescer por uma década! E é essa percepção geral de que o Brasil tá melhorando que prejudica muito a oposição no ano que vem. Sabe aquilo de “time que tá ganhando não se mexe”? Então. E tb, a oposição não oferece propostas. Não diz o que faria diferente. Já decidiu que não vai falar mal do Lula. E ainda por cima vai ter que esconder FHC. Fica beeem difícil.

lola aronovich disse...

Má, parte 2: Sobre 52% ser classe média, bom, esse é um dado da Fundação Getúlio Vargas, não do governo. Por isso que até a Veja comemorou (discretamente, em matéria de uma página apenas) isso no ano passado. Porque é importantíssimo prum país atingir um patamar de maioria classe média. Aqui na internet a maior parte NÃO É classe C. É A e B, que é considerada elite mesmo. Isso porque só 20% do Brasil tem internet. Portanto, a classe C ainda não invadiu a net. Mas vai, logo logo. Sobre as faixas salariais, acho que a maior parte das pessoas, no fundo, não têm a menor ideia do quanto os outros ganham. Aqui é um tabu enorme falar de salário. Eu tenho um amigo com dois filhos, mulher dona de casa, não trabalha. Eu tinha certeza, pela casa (própria) onde eles moravam, pelo “nível educacional” dele, que a renda mensal da família fosse de uns 3 mil reais. Até que falamos de dinheiro abertamente, e sabe quanto ele ganhava? 1,500! Metade do que eu imaginava! Enfim, pra estatística da FGV, não faz diferença se esse meu amigo ganha 1,500 ou 3,000. Ele é classe C de qualquer jeito. Mas ele vivia muito bem com 1,500, viu? (agora tudo na vida dele mudou, ele se separou, mudou de cidade etc). Pra minha supresa!
EU vivo bem com 1,500! Mas eu sempre me considerei mais classe B que C. A minha renda e a do maridão variam muito. Tem vezes que somos C, tem vezes que somos B. Mas, em geral, quando temos que responder alguma pesquisa pra nos enquadrar numa classe social, dá B. Pra mim não importa: tenho plena consicência que sou classe média. Só que, ao contário de muitos amigos meus na mesma situação, eu considero um PRIVILÉGIO ser classe média. Não um sacrifício!
E pra mim tem outra diferença. Por ser classe média, sempre dependi muito pouco do governo (qualquer governo). Acho que o governo não deve governar pra mim, que já tenho tudo que preciso, mas pros mais necessitados. Minha vida era boa no governo FHC e continuou boa com o Lula. Só que os anos Lula calharam de ser os que eu mais precisei do governo. Porque fiz mestrado e doutorado numa federal durante o governo dele. E agora vou ser professora numa federal. Pra quem tá no ensino superior, seja estudando ou trabalhando, a situação tá muuuuuito melhor hoje que em 2002. Incomparavelmente melhor.
Meu, deu um livro essa minha resposta, né? Acho que vou ter que dividi-la em 3...Será que cabe em 2?

lola aronovich disse...

Marcelo, ah sim, foi a “amiga” Lola que deu uma derrapada, não a Folha! E nem sei o que é ser uma blogueira chapa-branca. Espero que vc não esteja insinuando que eu recebo dinheiro do governo pra falar bem dele. Quanto a sua pergunta, quem é pior, o PIG ou a “mídia chapa branca”, como vc diz, eu acho que é o PIG, lógico. Porque querer derrubar um governo democraticamente eleito não é lá muito democrático, entende? Mas concordo que deve-se ler várias fontes, e que é um ponto positivo se assumir. Nem o tio Rei se assume de direita! Ele veio do Mídia sem Máscara, né? Eu leio o Mídia quando quero saber o que a TFP está pensando. Agora, vc é muito ingênuo se acredita na verdade, menino. Qual verdade? A sua ou a minha?


Ô Barb, vai ao médico ver a pneumonia, que isso é perigoso. E ficar longe de gato é impossível pra quem ama gato. Dá umas cócegas na barriga do Nando por mim! Sobre a confusão que eu fiz, é que eu olhei os emails muito por cima, sem abrir, e como vc tinha dito que “se eu quisesse, mandaria montes de análises com spoilers sobre Lua Nova”, fiquei com a impressão que vc tinha mandado. Ah, bom exemplo esse do BBB. Imagino que as pessoas PERCEBAM quando a edição do programa tá favorecendo um concorrente ou não. Mas, no caso de cobertura polícia da mídia, o pessoal acredita em neutralidade?

Bárbara Reis disse...

Se acredita, eu não sei. Mas a Revista Época, concorrente direta da Veja. Se diz imparcial. Como já comentei contigo. Eu fui numa palestra do editor chefe da Época. E ele enalteceu bastante este ponto da imparcialidade. Eu, sinceramente não achei e não acho imparcial. Principalmente porque a revista é da Editora Globo, que pertece às Organizações Globo, que não é imparcial, finge que... por ter a maior audiência, e maior confiabilidade, se for tendenciosa, passa batido, ou se tem como verdade. A Veja deixa bem claro ser uma revista com um teor mais politico, e com opnião formada. Tipo 'Sigam-me os bons'.

Eu estou longe do meu gatinho hoje, estou na casa do meu pai. :/ Mas amanhã farei. Prometo colocar algumas fotos dele num post pra você ver como ele é lindo. *-*
Eu fico indgnada ainda de ver como ele é maleável. Lola, eu faço o que eu quiser com ele... o coloco na posição que eu quiser que ele fica... hahaha... acho demais... esses dias eu e minha mãe estavamos fazendo inspeção de pulgas, o colocamos de barriga pra cima, e as duas mexendo nele, e ele nem se mexia, nem reclamava, com cara de quem tava gostando ainda... hahaha...

Quanto a ir ao médico, preciso marcar com especialista, eu cheguei a ir ao pronto-socorro, porque mesmo depois do anti-biótico e outrs remédios que eu tomei, eu continuava tossindo, e com dor no peito. Mas não tive paciência de esperar os exames... ia demorar muito, e eu precisava ir pra faculdade. hahaha... peguei e fugi... mas passaram os sintomas mais fortes, por isso não me preocupei. :] Eu vou, prometo.

E sobre oe-mail, relaxa, Lolinha, não tem problema. hahaha... eu te mando um e-mail pra você se sentir menos culpada, ok? hahaha...

Beijo!

PS: To assistindo 'Requiem para um Sonho', e claro que já li sua ctítica sobre. :]

SARAIVA13 disse...

Lola,
Excelente texto, não tendo nada de parcial. Sua análise está mais do que perfeita.
Apesar de ser Juiz de Direito já Aposentado, fui Juiz Eleitoral e agora tenho liberdade para estudar e acompanhar o comportamento da mídia hegemônica nacional. Não foi por outra razão que fiz um curso de jornalismo no ano passado, conforme consta do perfil no meu Blog.
Antes mesmo de você começar a falar sobre coisas de política, o seu Blog já estava em destaque no meu em Minhas "Últimas Notícias".
Parcial é o meu Blog, porque de natureza política e de combate a mídia golpista apoia declaradamente Lula, seu governo e DILMA 2010.
O seu não, e você além de professora e entender de cinema, literatura e outras coisas mais, demostra o seu grau de cultura e inteligência falando sobre outros assuntos, tudo depois de uma análise crítica perfeita.
Neste momento já são 34 comentários e poucos deles é que não conseguiram alcaçar o sentido e a importância da matéria.
Nota 10 para você e 95 para os leitores.
Tenha um ótimo domingo.
Abraços,
Saraiva

Anônimo disse...

Olá Lola. tudo bem? É a primeira vez que faço um comentário no seu blog, embora o acompanha há mais de um ano. Tomei conhecimento do seu blog em uma aula da disciplina Critica Feminista e geografias do poder através de uma mestranda da PGI que fazia essa disciplina que era ministrada pela professora Cláudia de Lima Costa na PGLB. Desde então todos os dias umas das primeiras coisas que faço é ler a sua preciosa opinião. Para mim é muito alentador ler o que vc escreve! Parabéns. Continue mostrando sua opinião, demonstrando as fissuras desses discursos altamente conservadores que querem retomar o país e continuar oprimindos as minorias, inferiorizando aqueles que nunca tiveram. Vamos, sim, continuar apoiando a esquerda e opinando a favor do governo Lula. Nunca gays, mulheres, negros e minorias em geral receberam tanto incentivo em suas políticas como nesse governo!
E aguardemos que muito mais baixaria virá através da mídia, pois não interesse deles, obviamente manter um governo assim!!! Espero que não nos deixemos iludir nem confundir. Acredito que seu blog contribui muito para que mantenhamos nos espírito crítico, por isso o recomendo demais aos meus amigos, familiares e alunos.
Abraços,

Marcelo Spitzner

Má disse...

Oi Lolinha,,deixei tudo confuso mesmo.
Uma coisa só que estava querendo saber era sua posição se vc achava justo classe C (que é maioria)que ganha 1100, ou alguém até 2000 ou um pouco mais por aí ser considerado de classe média.
Os dados sei que são estes, mas não concordo com estes critérios e os considerarem como classe média, só.
(minha família atualmente é da classe C, meus pais perderam muito dinheiro (faliram! ;)), e embora a renda total seja de classe C, eles passam bastante dificuldade em algumas coisas,claro que comida não falta, temos casa própria, mais o resto é difícil. ex:saúde e tudo que seja extra etc..)

Era isso..desculpe um monte de coisas.
Vixe Lola, mas eu não são tão otimista como vc não. Estudo , pesquiso a precarização do Trabalho, e vejo esta tendência cada vez mais... (nem é o Lula o culpado não :), é a conjuntura econômica mesmo..)

beijão e não vou prolongar mais..
Bom fim de semana p vc!

Mariana. disse...

Lolíssima, essa história toda foi lamentável, de um baixo nível horrendo, mesmo, por todos os motivos que você citou.

claro que tudo isso pode ter acontecido (eu duvido, DUVIDO!), mas felizmente pra gente e infelizmente pro pessoal da folha, vivemos num estado democrático de direito e ninguém vai ser nem ao menos processado sem um indício mínimo que evidencie um crime e a autoria. (que aliás, já estaria prescrito).

Mas sobre o que você disse sobre 'estuprar rapazes', vai aí uma dica: já vi você citando aqui a mudanças da legilação no tocante aos crimes sexuais, e, hoje, PODE SIM acontecer estupro contra pessoas do sexo masculino (e mulheres podem estuprar também). Isso porque, 'estupro' abrange qualquer tipo de abuso (passar a mão nos seios da garota, por exemplo), e pode ser cometido por qualquer um contra qualquer um. Claro que, na época do suposto crime, 'estupro' não poderia ter ocorrido, e sim uma outra forma de abuso sexual: atentado violento ao pudor. Enfim, só isso.

Mas, pelo menos, ninguém deu bola pra Folha, a não ser a blogosfera de direita, boba boba.A globo não tocou no assunto, nem ninguém mais da mesma importância. E devemos ficar felizes por isso, parece evolução. Em outros tempos, teriam se utilizado da tática nazista que você mencionou.

AH! mais uma coisinha: SE o LULA tivesse decidido processar a folha e cézar por calúnia, não poderíamos dizer que o LULA se rebaixou ao nível deles. Seria uma reação justa, um meio jurídico válido. Por favor, não vamos ridicularizar essas conquistas no âmbito jurídico que tivemos tanta dificuldade em popularizar...

beijo, Lola. Adorei!

PS: não me decepcione dizendo que você apóia o Chavez. Por favor! Este sim distorce as vias democráticas de acesso ao poder pra se instalar lá, como um parasita, sob a máscara de uma eleição que, sabemos, é guiada por um populismo e pela triste ignorância de uma população iludida (até hoje a galera diz por aí que Getúlio Vargas foi um grande presidente).

roberta disse...

Lola, vc viu quanto a Folha dedicou ao horrível caso do mensalão do PFL (esse papo de dem...) no domingo? Menos que meia página, se comprimirmos o texto, espremido por uma enorme publicidade. Essa história é tão revoltante e horripilante!

Anônimo disse...

Oi,
Nenhuma loira vai se levantar pra xingar esse Tembler (cineasta?) que chamou o outro de loira, querendo dizer que o outro é burro?????
Sou loira natural, passei em quarto lugar no meu vestibular, em quinto no concurso público (sem estudar, porque eu não tinha tempo, já trabalhava).
Quero que esse Temblar venha aqui discutir geopolítica, literatura, história ou física quântica comigo.
Babaca.

Pronto. Desabafei.

Marcelo Delfino disse...

Mídia chapa-branca sempre protege o Governo, por mais que esteja errado. E governos legitimamente eleitos e democráticos (?) também aprontam as suas. Senão, não haveria greve de servidores públicos federais durante o Governo Lula.

Numa hora dessas, a mídia chapa-branca procura jogar a população a favor do Governo (o patrão) e contra os servidores públicos.