domingo, 12 de abril de 2009

DIVAGAÇÕES SOBRE A MINHA PÁSCOA

Eu queria escrever sobre Páscoa, mas a verdade é que nem sei o que dizer. Como Páscoa pra mim nunca teve conotação religiosa, vou escrevê-la com letra minúscula. Então. Eu me lembro que, quando morava em São Paulo, não trabalhava na quinta. Quinta era tão feriado quanto sexta. Porque era semana santa, não dia santo. Aqui no Sul, não sei porquê, o pessoal insiste em trabalhar na quinta. Quando eu dava aula de inglês numa escola, a gente abria normalmente na quinta. E vinha um terço da turma, se tanto.
Não como peixe, e desconfio que bacalhau seja peixe. Nunca cheguei muito perto de um pra confirmar. Não passa pela minha cabeça não comer carne vermelha na sexta-feira santa. Quer dizer, ultimamente ando comendo pouquíssima carne, só quando como fora, porque aqui em casa ninguém prepara mais. Mas é por motivos ecológicos de consideração com os bichinhos, não por motivos religiosos. Aliás, acho que é mais por preguiça mesmo. E por total falta de inspiração na cozinha.
Páscoa sempre me lembra meu pai, porque ele era um grande entusiasta. Ele devia gastar fortunas com ovos de chocolate para seus três filhos. Acho que rolava um quilo de chocolate pra cada um durante os quatro dias de páscoa. Não lembro direito, mas imagino que cada filho recebia dois ovos de meio quilo. De minha parte, esse quilinho, que representa metade do consumo per capita brasileiro, era devorado nesses quatro dias (nunca entendi as pessoas que guardam o ovo durante meses, às vezes até a páscoa do ano seguinte). Como eu era jovem, meu fígado ainda estava nos trinques e eu raramente passava mal.
Mas aí meu pai morreu bem no domingo de páscoa e tudo isso acabou. Eu tinha 25 anos e ele teve um ataque cardíaco assim, na minha frente. Chegou morto no hospital; eles o ressuscitaram. Mas já havia a realidade de morte cerebral e de coma profundo. Felizmente, meu pai não ficou anos em coma irreversível. Morreu dois dias depois. Mas o que marca pra mim a sua morte é o domingo de páscoa. Faz 16 anos hoje.
Depois disso, minha páscoa ganhou um sabor bem menos doce. Não que eu deixe de comemorá-la no quesito chocolamental, mas devo ter ficado mais economicamente responsável, porque passei a dispensar os ovos. Acho que não foi algo imediato, de um ano pro outro, e sim um reconhecimento que chocolate é parecido, seja no formado redondo, seja em barra. E o preço pra estar na moda simplesmente não compensa. Li que os ovos este ano ficaram 8 a 12% mais caros que no ano passado. E isso que eles já estavam pela hora da morte. Suponho que, pra quem tem criança em casa, deve ser difícil escapar. Não dar ovo é meio como esquecer o presente no natal. Mas eu sou adulta. Ainda consigo comprar (até quando?) uma barra de chocolate de 170 gramas por três reais. O que fizeram com as barras foi um abuso, sem dúvida. Agora só a Garoto tem barra de 180 gramas, todas as outras ficaram com 170 pra baixo, e muitas caminham rapidamente pros 140. O preço, óbvio, continua o mesmo. Eu sou da época em que todas as barras de chocolate tinham 200 gramas, pô! Mas também sou da época em que rolo de papel higiênico tinha 60 metros.
Tá, mas vamos dizer que no supermercado que você frequenta o preço de uma barra esteja mais pra R$ 3,50. Seis barras de 170 gramas dá um total de 1 quilo e 20 gramas. Sai por 21 reais. Não exite nenhum ovo de um quilo no mercado que esteja por esse preço. Estou com um catálago aqui na minha frente. Um ovo Ferrero Rocher de 250 gramas custa 26 reais. Ou seja, 104 o quilo! Um Nestlé Alpino de 700 gramas está mais em conta: apenas 37 reais (já vi por quase 50). Legal, mas por esse preço dá pra comprar dez barras de chocolate de 170 gramas (1 quilo e 700 gramas no total). Ah, mas vamos comparar o mesmo peso. Um Garoto Baton de 180 gramas custa 14 reais. Uma barra da mesma marca sai por 3,50.
Não vou dizer que o gosto do chocolate é exatamente o mesmo numa barra e num ovo, porque não é. O ovo, pelo menos na pesagem que meu pai costumava comprar, era mais grosso, e dava a sensação de ser mais gostoso. Ou talvez fosse o fato de que chocolate eu comia sempre, e ovo de páscoa, só no feriado. Mas é bem parecido. Vale a pena gastar quatro vezes mais num produto por causa da sua embalagem? Uma embalagem muito anti-ecológica, diga-se de passagem. Sobra papel demais pra jogar fora (os potinhos de plástico eu sempre aproveitava pra dar de comer aos meus gatinhos). E lá nos EUA, que pra classe média brasileira é padrão de civilização absoluta, ovos de chocolate praticamente não existem. Há ovinhos minúsculos, coelhinhos e até cruzes de chocolate, mas nada que chegue perto dos nossos tetos de supermercado tomados por bolas brilhantes. Como que americano, que é o povo mais consumista do planeta, consegue ignorar esse potencial de comércio? Eles precisam vir fazer um estágio no Brasil.
Ano que vem não terei mais assunto pra páscoa.

24 comentários:

asnalfa disse...

Acho q tem uns 13 anos q nao compro mai ovo de pascoa. Barra ou caixa de bombon sai mais em conta. Além disso, era pra ser uma festa religiosa assim como natal, mas deturparam tudo... Fazer o quê? tb sou ateu e to nem ai. Vamos encher o cu de chocolate!!!
kkkkkkkkkkkkkkkkkk

Adriana Calábria disse...

Tb já fiz essa conta. Ovo de páscoa é muito caro. Mas as crianças não entendem isso.
Eu prefiro as barrinhas com certeza. Dá pra comer mais e pagar bem menos!

Mas eu tenho uma relação estranha com chocolates. Eu adoro! Mas, tem fases em que eu estou muito a fim e como aos montes, e as vezes passo meses sem comer e sem ter vontade...

Bjssss

Anônimo disse...

Lola no supermercado descobri que um peru de quase quatro kg (havia de 3 marcas) era em torno de vinte reais.Qualquer ovo de qualquer marca número 20 ou 21 era mais caro do que isto. Uma caixa de bombons e mais um peru custou menos do que um ovo. A nossa empregada tem tres filhos ela dev e estar almoçando aquele peru que lhe dei e a sobremesa serão os bombons. Nesta páscoa estou deprimida e pensar em crianças ou adultos sem comida é suficiente pra me deixar arriada.Ter perdido seu pai num dia assim deve ter sido um momento muito difícil.

babsiix disse...

Lola, sério q nos eua n tem essa procura por ovos? Nunca havia me ocorrido! Como as pessoas fazem lá, então? Fico imaginando de onde a gente pegou esse "costume" então. Fala mais sobre, lola!

Aqui em casa minha avó qm faz as compras de ovos. Eu fui comprar com ela e falei q n queria nenhum. Aí ontem ela estava toda sentida, falando q a mesa n ia ter quase nada, q eu n podia ficar sem ovo, q ela estava mt triste por isso e q era capaz de sair amanha (hj) cedinho p comprar um! heheh

É verdade q mesmo as barrinhas estão super caras. Eu tb lembro das barras de 200 g. E acho q a garoto foi a ultima a aderir, pois lembro de preferi-la pq vinha mais.

Aqui em casa a pascoa tb n tem nenhum significado religioso. O fato dela ser especial é comermos kinder ovo! É a unica vez do ano q eu e meu irmao comemos, por causa do preço. Barras comuns costumam marcar presença tds os dias do ano.

Como vc e o maridão fazem? Cd um dá uma barrinha p outro? Bjs!

Dai disse...

Lola, fiquei emocionada com a primeira parte do texto. Sempre penso que é difícil encarar a perda de entes queridos em datas comemorativas. Mas você conseguiu dar outro significado a tua páscoa e às tuas memórias. O sabor do chocalate adoçou o que seria simplesmente uma lembrança triste. Bonito de ler seu texto e seu jeito de tratar do tema. Eu também acho que não existem chocolates mais deliciosos que os dos ovos de páscoa da minha infância. Hoje, saborear aqueles pedaços de 'casca' dá até uma certa frustação. Parecem ser caros demais e nunca suficientemente gostosos para compensar o excesso. É, o paladar da nostalgia é incomparável. Esta páscoa fiquei sem chocolates, tive umas enxaquecas brabas e achei melhor evitar. Mas, semana que vem talvez passe nos supermercados para ver se há alguma promoção viável dos "ovos quebrados". Beijos e bons chocolates para vc!

ah, a foto é recente. foi tirada em janeiro. = *

queriatedizer disse...

Não sou muito fã de chocolate, e sinceramente, pra mim a Páscoa não tem muito significado. É só uma semana sem aulas (bendita faculdade!).

Pra quem gosto mesmo de ovo, porém, o negócio é procurar marcas menos convencionais, casas de chocolate. Tem uma lá em São Paulo, ótimo, cujo ovo de 200 gramas custa 8,50. Acho que o de meio quilo ou um quilo custa 24, coisa assim.

No meu caso, nunca gasto dinheiro nessa data. Mas como minha mãe recebe um crédito de 25 reais no trabalho para comprar um ovo, fui com ela ao supermercado para escolher um que eu e minha irmã gostássemos. Eu praticamente só gosto de chocolate da Ferrero (porque não parece chocolate convencional), então ia comprar o Kinder Ovo, apesar de caro. Na fila do caixa, vi aquelas caixinhas de Kinder Ovo em barra, sabe? (nem sei o nome "certo) Adoro! E era 3 reais 50 gramas (o que é caro para os padrões normais, mas é Kinder Ovo, afinal de contas). O ovo custava 24, 150 gramas. O chocolatinho, 24 reais 400 gramas.
Não tive dúvida e levei 8 caixinhas pra casa. E não gastei um centavo.
Pena que o crédito não servia para comprar outras coisas, senão teria comprado era muito sorvete. Aliás, taí: quem sabe não começo uma nova tradição ano que vem...

- Lívia F.

Lúcia Soares disse...

Eu estou chocada(combina com tanto ovo!) com o que li esta semana, em blogs, sobre a Páscoa. Ainda que as pessoas não sejam religiosas, não dá pra ignorar o que seja a Páscoa. O Brasil (falo daqui pq é aqui que vivo e só sei o que vejo, leio ou ouço aqui)é um país católico por excelência. São poucas as pessoas que não foram criadas na religião Católica,Apóstólica,Romana. Minoria, sim. Hoje se vê gente de todo credo, espíritas, budistas, mas em sua grande maioria nasceram em família católica e fizeram sua opção quando adultos. Então, a grande maioria de brasileiros adultos, pelo menos os acima de 30 anos de idade, teve aula de religião, um dia, e sabe o significado da Páscoa. Ou esqueceu, mas deve se lembrar vagamente...A Páscoa não é apenas a ressurreição de Cristo. Isso veio com o Novo Testamento. Já no antigo Testamento ela era comemorada como a festa da libertação dos judeus, pelos egípcios. Como entraram Ovo, Coelho, Chocolate na história,cada um procure saber por si. O que não se pode é ignorar que é uma festa religiosa, um dia pra se libertar, pra se pensar, embora todos os dias devam ser de aprendizado pra tudo e todos. Só estar vivo já é um aprendizado, pois todos os dias, momentos, são feitos de se aprender alguma coisa. Digamos, então, que seja um dia de Passagem, Renovação. De quê, cada um encontre seu motivo.
Com letra maiúscula. Páscoa. Por uma questão de respeito. Nem sempre nossas convicções conseguem derrubar as tradições.

Gustavo C. disse...

A páscoa tbm não tem nenhum significado pra mim. Se é para comer chocolate, não preciso de um feriado pra isso. Qualquer dia serve, e não precisa ser caro. Chocolate é chocolate, não precisa ser em forma de ovo em papel celofane (aliás, uma embalagem pouco prática).

Quando um supermercado oferece pagamento parcelado de ovos de páscoa, eu sinto que alguma coisa está errada. É igual pagar centenas de reais num etiqueta de calça jeans - pagar mais pela mesma coisa que vc podia ter por um preço menor.

Luma disse...

Esse ano eu nem ia comprar ovo de páscoa, mas acabei fazendo meu namorado me dar um do Kinder Ovo, porque... bem, é um Kinder Ovo gigante hahaha

Ana Paula disse...

Oi Lola

Tava sumida mas pq passei 2 semaninhas aí no Brasil. Fiquei um delas em Ctba e a outra em Floripa. Bom demais....

Fui num supermercado aí e me deliciei andando embaixo dos tetos forrados de ovos. Qdo a gente nao tem aqui é que sente falta. Mas mesmo que tivesse aqui, não ia ser a mesma coisa pq odeio chocolate americano...ruim demais!!

Babsiix, aqui nos EUA nao tem essa de ovos gigantes pq as crianças procuram os ovos no tal do egg hunt. É diferente da tradição do Brasil. Geralmente os pais, ou comunidades, fazendas, clubes, igrejas, etc..escondem varios ovos de plástico (quase do tamanho de ovos de verdade) no quintal com balinhas ou mini-chocolatinhos dentro e as crianças ganham uma cesta vazia e vao "caçar" (hunt) estes ovinhos. Sempre fico pensando como ficam as crianças menores ao verem as maiores encherem suas cestas com muito mais ovos.

Qdo era pequena, na minha casa nós ganhávamos cestas com um ovo gde, coelhos e muitas outras coisas, barrinhas, balas etc. Cada cesta vinha prontinha e era escondida com nossos nomes. Tínhamos que achar cada um a sua. Mas eram todas equivalentes em qtidade de doces então não dava briga.

Aqui nos supers tb tem cestas prontas pra vender, mas só com brinquedos. Aliás, qdo vc anda na seção de páscoa dos mercados, vc ve muito brinquedo com tema de páscoa, esses ovinhos de plástico pra encher dentro e tb tintas pra pintar ovos. Isso é outra tradição aqui. As crianças pintam ovos de galinha. Eu lembro de fazer isso na escola aí no Brasil. Tínhamos que levar só as casquinhas e cada ano era uma técnica diferente de pintura. Adorava fazer isso. Depois as professoras enchiam com aqueles amendoins com casquinha colorida, ou confeti, bala de goma e fechavam o buraquinho com forminha de docinho. Minha avó tb fazia isso com agente e nós amávamos.

bjo

anacris disse...

Caramba, esse post quebrou minhas pernas. Vou lembrar de cada detalhe dele na próxima páscoa, os motivos que você deu são bem razoáveis e combinam bem com o mal estar que passei durante a semana, pensando em como poderia fazer pra arranjar grana pra presentear todos que eu gostaria. beijo-beijo e feliz páscoa!

Jac. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Masegui disse...

Uai, nós estamos na páscoa?

Rebecca Leão disse...

Lola, sinto muito que você tenha perdido o seu pai. Eu ainda tenho o meu, que às vezes fica com a saúde debilitada e eu me preocupo muito com ele.

Gostei do post sobre a Páscoa. Gostei ainda mais da relação entre chocolate e papel higiênico (não consegui não lembrar da música da Rita Lee)...tá tudo encolhendo mesmo, Lola. Já viu um vídeo chamado "The Story of Stuff" (Youtube)? É sensacional. Você poderia usar nas suas aulas de inglês e é uma grande aula de marketing e logística.

Lola, sou sua admiradora. Acho que você faz conexões incríveis das coisas e fala sempre com muita propriedade. E é muito segura também. Eu não seguro a onda quando alguém entra no blog pra agredir...você, tira de letra, já vi.

Um grande e fraternal abraço,
Rebecca

Milla disse...

-.-
Lamento muito pelo seu pai, Lola...

Ina disse...

Oi Lola!
Acompanho seu blog já há um bom tempo, mas raramente comento, porque leio também os comentários e acabo achando que não tenho muito a acrescentar.
Fico muito tocada pela história que contou, deve ser realmente difícil relacionar uma data festiva (teoricamente) com a perda de alguém tão querido.
Também não sou religiosa e já passei da idade de fazer questão de ganhar um ovo, sou muito mais os bombons! hehe
Parabéns pelo blog, que está sempre ótimo!
Bjos,
Marina

Amanda Nogueira. disse...

Bem, diferente de você, eu não ligo nada nada pra chocolate! Tem meses que tenho uma barra de choc. suiço na gaveta (pq ganhei, eu não compro)e ele continua intacto.
Mas to escrevendo pra dizer que é mesmo um exagero de ovo de Páscoa no Brasil. Estou em Portugal e me espantei em saber que aqui não tem a quantidade absurda de ovos como no Brasil, o que fez aumentar minha percepção do quanto é realmente absurdo ter aqueles tetos de vários comércios forrados inteiramente de chocolate.

anália disse...

Oi, Lola!
Realmente os ovos são muito caros. Em parte, por ganância mesmo, mas tb pq quebram demais. As grandes redes de supermercados (cada vez menos redes, a concentração está demais) recebem os ovos em comodato e devolvem todos os que sobram/que quebram. Mas o que me irrita mesmo são os ovos de personagem: ovo do Homem Aranha, do Speedy Racer, do Ben 10, etc... Vc sabe como é que está essa história? Pensei que finalmente tinham proibido a vinculação de comida a personagens infantis! Pelo menos não tem mais sucrilhos do Shreck! Isso é realmente um abuso, e é muito difícil lutar contra quando vc é pai/mãe. Precisa de um respaldo do Governo!
Bjs,
Anália

Léo Lis disse...

Neste caso, estamos em plena concordância, a páscoa aqui em casa é feita com barras de chocolate, nada de ovos. O fato estranho é que os chocolates destinam-se a mim e minha mulher, pois, minhas duas guriazinhas não gostam de chocolate.

Chris disse...

Lola, que triste este marco na Páscoa... deve ser terrível associar uma tragédia com uma data supostamente festiva. (Vide o terremoto em L'Aquila).

Até a Ciça crescer um pouco, a Páscoa era de barras e bombons, mas agora não dá para escapar, todos entramos novamente na onda de comprar ovos.

Com filhos, tudo muda de perspectiva rsss


Beijos

Mari Biddle disse...

Lola,
vou falar baixinho: odeio chocolate. Hihihihi! A Pascoa nao faz sentido para mim ainda mais que moro nos EUA e estranhei horrores a primeira vez vendo que aqui nao tem o desespero por ovos de chocolate como no BR. Sinto muito pelo seu pai....bjim1

Isabella disse...

Acho que o nosso ovo de páscoa vem de uma tradição italiana porque aqui na área de DC é possível achar ovos Lacta, assim como os italianos. Os americanos gostam muito de pintar ovos de galinha que nem sei se são comidos depois...
Quanto ao preço, a desculpa é a diferenciação no produto. Ninguém pensa logicamente no assunto : )

bjs

Anônimo disse...

Outro dia morri de rir do meu marido que foi explicar para a nossa filha de um ano e dois meses que "a páscoa era do coelhinho". Do mesmo jeito que o natal era "do papai noel". Eu acho graça, apesar de ter minhas crenças. Por exemplo, desejei "feliz páscoa" a não sei quem e depois me senti estranha. Tipo, "feliz" como, né? Do ponto de vista religioso - pixão, morte, ressureição - (não acho nada feliz). Do ponto de vista "chocolatoso" - ovos de até R$ 66, gente se acotovelando, bacalhau caro, crise, meu salário no chinelo... Resultado: esse ano não teve ovo em casa. Fiz um pavê com 8 bombons, todo mundo comeu e ficou feliz.

Lolinha, um beijo.

Elisa

P/S: estou comentando como anônima agora pq mudei meu blog e estou escrevendo outro sobre cinema... como está no comecinho ainda estou com vergonha de mostrar... hihi. :)

FELIPE G2 disse...

Lola, meu pai também teve um infarto bem na minha frente ano passado, mas ainda bem ele sobreviveu (não gosto quando minha mãe fala graças a Deus, pq era Ele que "queria" que ele moresse se pensássemos na religião, afinal, seja feita VOSSA Vontade).
Sinto muito pelo seu pai...