sexta-feira, 25 de abril de 2008

CRÍTICA: MEU NOME É DRILBIT TAYLOR / Playground onde se fazem homens

Ser bullied na escola pode não só ser divertido como útil pro futuro

Sabe quando a gente critica as distribuidoras brasileiras por não manterem o título no original? Em Meu Nome é Taylor, Drillbit Taylor, considero isso um erro. Porque o título original não quer dizer absolutamente nada. É o nome de um desertor do exército que se tornou vagabundo profissional e é contratado para proteger dois garotos atormentados por bullies na escola. Esse sujeito, que nem é o personagem central, é interpretado pelo Owen Wilson (Penetras Bons de Bico). Na vida real, foi logo depois desta comédia sem graça que o Owen tentou se matar. Dá pra entender porquê. O maridão e eu concordamos que Drillbit foi um dos piores programas dos últimos tempos, e o maior desperdício de duas horas de que temos notícia.
O filme é ofensivo em tantos níveis que nem sei por onde começar. Tá, é ofensivo com os vagabundos, o pessoal que não faz nada ou que pede dinheiro, porque todos são pintados como ladrões. E se é pra ter pena de alguém, vamos ser solidários com uma mulher de rua com duas crianças de colo ou com um jovem homem branco de olhos azuis, bronzeado de sol? Ah, pobrezinhos dos homens brancos, esses discriminados. Se Drillbit fosse de outra cor ou falasse espanhol, poderia se integrar tão bem à escola? Poderia tirar dinheiro de criancinhas tão impunemente?
O filme é ofensivo com as mulheres. Imagina que você seja uma menina numa escola e constantemente alguns bullies maltratarem guris na sua frente. Você não vai falar nada? E se um deles te chamar de vadia na frente de todo mundo, você continua quietinha? Precisa mesmo que algum menino venha te defender pra abrir a boca? Tá, agora vamos supor que você esteja tomando sol de bíquini no seu quintal, e três garotos passam correndo e quase te pisoteiam. Você não apenas continua deitada, como também, quando os moleques voltam, posa de modo sexy pras câmeras de celular que eles têm, pra mostrar como você está disponível 24 horas por dia. Ok, agora suponhamos que você seja uma professora solteira, bonita e independente, apesar de burra como uma porta. Aparece um carinha do nada e você se envolve com ele. Mesmo depois de descobrir que o sujeito mentiu descaradamente, você continua apaixonada. Que homens desinteressantes se envolvam com lindas mulheres já se tornou padrão nas comédias com o toque do Judd Apatow - O Virgem de 40 Anos, Superbad, Ligeiramente Grávidos, e agora este. Queridos nerds, desempregados, e homens que não querem crescer: não se preocupem. Tá cheio de mulher deslumbrante pra te adorar do jeitinho que você é.
Drillbit é ofensivo com a escola e seus professores. Professores só existem pra tomar cafezinho. Se algum dia você precisar deles pra salvar a sua pele, desista. E nem pense em reclamar com o diretor sobre os bullies que vêm tornando a sua vida um inferno. Ele não só não vai fazer nada, como vai rir de você. Ah, e tem mais: qualquer vagabundo pode entrar na escola e fingir ser um professor substituto durante meses. Pode circular entre os alunos tranquilamente. Pode até trazer sua turma de amigos mendigos pra também dar aula e tomar cafezinho.
É ofensivo com os pais. Na realidade, os dois garotos são fracotes covardes pela falta da autoridade paterna. O pai do gordinho se separou da mãe e nunca o vê. O magrinho não tem pai - tem padrasto, que não lhe dá a menor bola. O padrasto, inclusive, revela que ele mesmo foi um pouco bully na sua época de escola, e que isso é bom e natural, e que provavelmente suas “vítimas” devem estar agradecidas até hoje. Não há ninguém para contestá-lo, porque o filme não tem nada contra os bullies, pelo contrário. Se não fossem eles, nossos teens fraquinhos não se tornariam homens (os dois atores-mirins foram escalados por lembrarem os adolescentes de Superbad. Conseguem ser os piores atores do universo).
Porém, não pense que Drillbit seja apenas contra todas as categorias mencionadas acima. Ele é favor de várias coisas. Por exemplo, tem fascínio pelo capitalismo e a iniciativa privada. Você tem que pagar pra ganhar o direito de não sofrer na escola, entende? É também extremamente militarista. O segredo pra parar de ser infernizado por bullies é faltar à escola durante o máximo de tempo possível, e ficar treinando. Violência, como os americanos sabem tão bem, só pode ser resolvida com violência. O treinamento militar é a resposta. E o filme defende uma punição mais severa para desertores do exército.
No início da década de 80, a gente teve Cuidado com meu Guarda-Costas (Adam Baldwin aparece brevemente em Drillbit como candidato). Em 93 Dazed and Confused (Jovens, Loucos e Rebeldes) fez enorme sucesso entre os críticos. Não é exatamente sobre guarda-costas, mas tem bullies atormentando guris, e toda a comunidade (inclusive as vítimas) encara isso como um rito de passagem. É aquele mantra de “a escola é um inferno”. Quem sobreviver virará uma pessoa de valor e nem perceberá quando tiver que participar de um outro inferno, como a guerra. A cada geração fazem um filme sobre bullies. A situação não muda. Depois acontece um Columbine e ninguém liga os pontinhos.
E o agressor não é um sistema que permite que esse tipo de atrocidade se repita em cada escola. Não. Nesses filmes todos o agressor é um indivíduo, com um problema individual. Em Drillbit, é um carinha desequilibrado que ainda por cima nem é muito americano e pode ser mandado embora do país. Porque os EUA não tem nada a ver com isso. Olha, mesmo sem conhecer nada sobre, sei lá, Hong Kong, sou capaz de apostar que bullying é um problema menor lá que nos EUA. Na Terra das Oportunidades, colégio é apenas o primeiro dos muitos treinamentos militares que virão.

16 comentários:

Aline disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
nita disse...

Que horror.
Altamente ofensivo com as mulheres. Ai de quem tentar me pisotear ou tentar me chamar de vadia na frente de muitas pessoas. A não ser que o querido tenha uma arma apontada para a minha cabeça ele vai levar seu troco.
E bullies é um problema sério por aí né? No Brasil também existe, mas acho que não é tanto.
Bullie é uma coisa natural? Será que as pessoas precisam ser humilhadas publicamente para aprenderem a encarar o mundo de frente? Absurdo.

Lolla Moon disse...

quase nunca eu vejo um filme cuja mulher burra, nerd, gordinha, feia ou desinteressante (ou tudo isso junto) conquista o afeto do herói gatão. a menos que antes disso aconteça o SUPER!ULTRA!MAKEOVER! e ela vire uma gatona, para comprovar que só mesmo quando se é anatomicamente perfeita a sorte e o amor nos sorriem.

pafúncias só encontram o amor se for com um pafúncio. fico me perguntando... Se o Shrek fosse uma ogra ranzinza, será que algum príncipe se apaixonaria por ela?

lola aronovich disse...

Nita, já escrevi outras coisinhas sobre bullies, e elas renderam comentários muito interessantes. Digite "bullies" no canto superior esquerdo no lugarzinho de busca que aparece. Teve gente que falou de bullies no Brasil e na Inglaterra (muitos acham que é pior que nos EUA). Minha experiência com isso é muito limitada, felizmente. Vc, que é muito nova, foi bullied?

lola aronovich disse...

Lolla, é verdade. O carinha do filme pode ser feio, nerd e burro ainda por cima, que ele vai terminar com uma moça maravilhosa. O oposto nunca é verdadeiro. Eu diria que isso acontece porque a maior parte dos filmes é escrita e dirigida por homens, e então eles podem realizar suas fantasias. Mas aí me lembro que isso também ocorre na vida real... É só que nós, mulheres, aprendemos desde pequenininhas a sermos menos exigentes, e a ser avaliadas pela nossa aparência o tempo todo. Como vem desde a infância, todo mundo tem a impressão que é algo "natural". Que a gente nasceu assim, que essa é uma das diferenças "naturais" e biológicas entre homens e mulheres. E o que é visto como natural não é discutido.
Ah, Lolla, ando lendo seus posts antigos, de 2003/04. E ainda que vc tava muito deprê na época, são bem gostosos de ler. Mas sinto que eu perdi alguma coisa. Por exemplo, vc tá falando de um namorado de 8 anos de relacionamento, e de repente vc tá casando com um carinha (bonitão) na Inglaterra?! Como vcs se conheceram? De onde surgiu a idéia de sair do Brasil? Fiquei curiosa. Desculpa perguntar tão abertamente sobre a sua vida pessoal, mas é que tá no blog...

nita disse...

Na verdade eu não fui bullied não. Felizmente. Nunca tive muito problema com isso. Nem conheço alguém que tenha sofrido muito com isso.

Igor Garcia disse...

Lolinha, não vi e nem perderei duas horas da minha vida em ver essa porcaria (tão significativo quando perdi 9 minutos da minha vida para ver a porra dum cachorro segurando um osso na boca, no final do final, do filme Piratas do Caribe - O Baú da Morte), mas não sei que tipo de fantasias, nem que tipo de homens tem essas fantasias para o filme ser o que é. Nerds mal amados, humilhados e punhetados eu presumo. A minha unica parcela de satisfação, q me desculpem os "fãs", é da tentativa de suicidio do Owen Wilson! Não existe um filme (TODOS comédia) que ele participe, de tão, mas tão sem graça, ou isento de senso de ridículo, que não me faça sentir o inverso do humor: vontade de matá-lo! ;-) Sinto muito!

Quanto ao post do "Coisa Ruim" (já que o Blogger está dando vários erros WSGHUBMDLRPQP-569877 no meu navegador), respondo por aqui:

Por mais q eu não goste de cachorro pequeno, seu Rot ainda não parece o cão do cão! ;-)

Eu vi a Profecia Original e concordo pela primorosidade da trilha sonora (apesar das terríveis continuações! Quer coisa mais óbvia do que o anti-cristo querer se tornar presidente americano? Que outra maneira de fonte de poder ele teria nas mãos? Sendo Papa? Huuummmmm...), e me lembrei até da musica Sadness, do Enigma. O grupo usou em sua base para compor, Canticos Gregorianos, rifs de guitarra, batida eletronica e o gemido da esposa do vocalista! O que confirma que Canticos Gregorianos são lindos, usados da maneira menos divina, ficam espetaculares! O q para vc não seria nenhum problema admirar com 666 no nascimento! ;-) É, já sei o que ouvir, e o que fazer, quando o mundo acabar!!

Bjs n'alma!

Ps: Faço 29 no dia 19! Tequila!

lola aronovich disse...

Igor, é mesmo, aqueles 9 minutos perdidos esperando pra ver a "cena extra" de Piratas é hors-concours! Tadinho do Owen Wilson. Não desejo a morte de ninguém, tirando a de alguns políticos, e de alguns dos meus vizinhos barulhentos. Até acho o Owen um bom ator cômico (pra drama ele realmente não ter o perfil), mas as comédias que ele faz são fracas. Não sei, muita gente adora "Penetras Bons de Bico", só que não é meu tipo de humor.
Sobre a fotinho que bati pra Profecia, minha lógica foi: mesmo o pessoal que não entende ironia vai sacar que o meu super lindo cãozinho Hamlet, mistura de Yorkshire e salsicha (morto em dezembro, de velhinho, com quase 16 anos) não se parece muito com um Rottweiler (raça que não gosto, por sinal - não gosto de raças de cães feitas pra defender propriedade e matar). Logo, talvez eu tb não seja o Coisa Ruim?... Mas tenho mesmo 666 na data de nascimento.
Sabe que eu até gosto das sequências de A Profecia? Elas são tão trash! E a trilha sonora é tudo!
29 aninhos, Igor. Vc ainda é uma criança. Aproveite!

Lolla Moon disse...

haha, sem problemas perguntar, querida. :) eu acho que falo sobre isso nos arquivos de 2004 (ano em que o conheci), mas é possível que tenha deletado. eu o conheci na internet, uns meses depois que o tal namoro de cinco anos (excluindo-se um ano de amizade apenas, e os dois anos de troca de cartas, já que ele é de MG) já havia expirado. ele veio ao Rio visitar uma amiga (que bão conseguiu ver, já que o marido DELA, o típico macho man latino, ESCONDEU a moça!) e aproveitamos pra nos conhecer; o resto é história. :)

lola aronovich disse...

Ah, que legal, Lolla! Não, essa parte eu não li não, talvez vc tenha deletado. Num outro post vc não diz que o conheceu no seu emprego? Que vc tava suada e tal? Eu só achei estranha a ausência de detalhes porque vc fala de tanta coisa e de repente tá lá: vc tá de mudança pra Inglaterra pra casar! Talk about a surprise ending! Se bem que não acabou nada ainda... A vida continua. Mas fico feliz que vc esteja feliz agora. Já estou nos posts de 2006 e não quero perder os próximos capítulos. Conseguiu levar a Chantilly? Vc voltou a estudar? Pô, esse negócio vicia! Enquanto isso, a minha tese segue abandonada...
Ah, ontem ou anteontem tive um rápido diálogo com o maridão baseado num dos seus posts. Depois coloco. Vc vai reconhecer na hora! (e claro que vou colocar um link).

Nome disse...

gente, por favor né? Olha o público alvo do filme...Vcs até aparecem no filme como os pais que ficavam debatendo sobre drogas e casos de pedofilia enquanto deviam prestar atenção no problema que o filho ta sofrendo PERGUNTANDO A ELE O QUE ESTÁ HAVENDO! O filme tem uns furos safados mesmo mas o Owen Wilson não ta la tão ruim... consigo citar atores muito pior e se vcs nao gostam dessa geração do judd apattow foi mal...e quanto ao machismo do filme não tem nada haver, a garota é maltratada pro cara tomar uma atitude e proteger ela, não pra ter uma reviravolta ela virar líder sindical e punir bullys com leis severas foi mal.

Anônimo disse...

Pelo amor de Deus pessoal...isso é soh um filme....naum queiram levar isso à risca....

Esse filme é para se distrair e se divertir.......Eu me diverti muito sim, e sou contra o bulling...nam é pq acho engraçado o jeito que o filme tratou essa situação que eu pratico esse "crime"

Para de ser pra trás......se naum gostou simplesmente naum assita....tem tantos filmes ruins por aí.....nem por isso vc vai ganhar alguma coisa criticando....


eeee povo nóia

Lucas disse...

Para com isso povo nóia....é soh um filme

Tainá disse...

BULLING é um crime....e acho quem o pratica um criminoso, assim sendo na vida real....

O filme trata de uma historia ficticia e a pessoa que o assiste com u minimo de onhecimento sabe se o tema que é tratado no filme é correto ou naum em ser praticado na vida fora das telas......

Se vc naum gosta naum assista........tem tantos filmes ruins por aí e agrada uns e naum agrada outros......tem filmes ganhadores de oscars que na minha opinião é um lixo

Mas mesmo assim eu naum saio metendo a boca em Deus e o mundo.....guarde a sua opinião somente a ti.....oq vai ganhar criticando........

Concordo com o LUCAS vc's são uns noias que acham que vive em um mundinho somente de vc's, cercado por barreiras....cresce pessoal....resce...por isso o mundo esta esse lixo.....

Italo ;P disse...

exagerados...
o filme é de classificação livre, acham mesmo que crianças vão assisti-lo com o pensamento no capitalismo, militarismo ou na ideia de violência na sociedade americana em relação à Hong Kong? Vocês procuram qualquer brecha para se expor e parecer um mais inteligente que o outro.

Aurelio Coelho disse...

Troll