terça-feira, 8 de abril de 2008

CLÁSSICOS ADOLESCENTES: AS PATRICINHAS DE BEVERLY HILLS / Meu voto vai pra Clueless... eu acho

Talvez As Patricinhas de Beverly Hills (tradução muito, muito ruim pra Clueless, ou “sem noção”) seja o meu favorito da lista da enquete. Pelo menos a cada vez que revejo a comédia, mais ela me agrada (também não foram tantas, acho que vi três ou quatro vezes apenas). É um fime muito terno, sem maldade, sem o gostinho amargo que corre por baixo dos outros clássicos adolescentes. E é também, na minha opinião, uma das melhores adaptações “livres” já feita de um clássico literário (no caso, Emma, da Jane Austen. Compare Clueless com Emma, um filminho de época lançado em 96, com a Gwyneth Paltrow, e me diga se Clueless não é muito superior). Aqui as meninas populares da escola não são cruéis, e sim completamente alienadas, sem simancol. Eu adoro todas as atuações e os diálogos. Vai aí uma amostra grátis (infelizmente, a tradução é pobre, porque é minha) pra você se divertir:

- Como as meninas odeiam aula de ginástica, uma diz pra professora: “Meu cirurgião plástico não quer que eu participe de qualquer atividade em que bolas voem no meu nariz”. Outra mocinha passa e comenta: “Bom, lá se vai a sua vida social”.

- Cher (Alicia Silverstone no melhor papel de sua carreira – e mesmo que ela volte a fazer filmes ainda será o melhor, porque ela tá incrível) diz pro afilhado de seu pai: “Quero fazer algo de bom pela humanidade”. E Josh, interpretado pelo lindo e maravilhoso Paul Rudd, retruca: “Que tal esterilização?”.

- Cher quer que um carinha (Jeremy Sisto, de A Sete Palmos) preste atenção numa menina (Brittany Murphy) que ela tá ajudando a se enturmar. Portanto, quando a amiga leva uma pancada na cabeça (ela é meio tontinha), Cher pede pro rapaz mantê-la consciente, fazendo-lhe perguntas. O cara: “Quanto é sete vezes sete?”. Cher interrompe: “Coisas que ela saiba!”.

- No único momento em que o filme ameaça entrar em areia movediça, Cher tá sozinha num carro com um rapaz que não aceita “não” como resposta. Cher diz: “Tô tendo uma experiência Twin Peaks!”. E sai do carro.

- Cher, explicando pras suas amigas porque, aos quase 16 anos, mantém-se virgem, “guardando-se” até conhecer alguém mais especial: “Vocês sabem como sou exigente com meus sapatos, e eles só vão nos meus pés”.

- O pai de Cher, ao conhecer Christian, o único menino por quem ela tá interessada: “O que há de errado com você? Você acha que a morte do Sammy Davis Jr. deixou uma vaga aberta no Rat Pack?”. E antes dos dois pombinhos saírem: “Se alguma coisa acontecer com a minha filha, eu tenho um revólver calibre 45 e uma pá. Duvido que alguém sinta sua falta”.

- Mais ou menos no primeiro diálogo entre eles, Christian pergunta: “Você gosta de Billie Holiday?”. E Cher: “Adoro ele!”.

- Cher pra Christian: “Olha só, o Josh tá dançando com a minha amiga. Ele nunca dança!”. Christian: “Posso entender porquê”.

- Cher convence Josh a ficar um pouco mais em sua casa. Josh: “Não acredito que estou aceitando conselhos de alguém que assiste desenho animado”.

Cher: “Isso é Ren & Stimpy [nunca ouvi falar]. Eles são muito existenciais”.

Josh: “Você tem alguma idéia do que tá falando?”

Cher: “Não, por quê? Parece que eu tenho?”

- O namorado de sua melhor amiga conta que Christian é gay. Não sei traduzir sua intuição: “He's a disco-dancing, Oscar Wilde-reading, Streissand ticket-holding friend of Dorothy, know what I'm saying?”. [Mas repare que não há no filme a menor reprovação ao fato de Christian ser gay. Pelo contrário: no instante em que Cher se convence disso, ela diz: “É, ele se veste melhor do que eu. O que eu iria trazer pra relação?”].

- E quando ela finalmente beija Josh, a narração em off diz “Você sabe o que aconteceu depois”, e as imagens mostram um casamento. Ela continua: “As if! [marca registrada do filme, que não sei como traduzir: “Não mesmo!”?]. Eu só tenho 16 anos, e aqui é Califórnia, não Kentucky”.

Ah, que terno! É ou não é uma gracinha? Você pode ler o roteiro inteiro aqui. Só uma queixa: Clueless ajudou a popularizar a expressão “Whatever!” (“tanto faz”), usada até hoje.

18 comentários:

Renata disse...

Adoro este filme! assisti quando era adolescente ainda, e amei. Mas ainda voto no 10 coisas q eu odeio em vc. Super me identifico com a personagem da Julia Stiles...
abraço,

Pedro disse...

Minha irmã te apoiaria com todas as forças nessa, heuehaueahua ela tira qualquer do caminho se estiver passando esse filme. Ela idolotra, mas ela não é sua leitora... pronto hj foi uma rapidinha, uma passagem rapidinha :P
abr

lola aronovich disse...

Oi, Re! Vou falar (muito brevemente) sobre 10 Coisas amanha.
Pedrinho, por que minha irma nao eh minha leitora? Vc falou mal de mim pra ela? Veio com aquela sua teoria fajuta que eu me vendi quando me recusei a falar mal de Awake?

Anônimo disse...

nao se entregue. desconhecer ren and stimpy é simplesmente deprimente. eu hein? google serve pra que? andre

lola aronovich disse...

Andre, nao vou procurar no google toda santa referencia cultural que passar pelo meu caminho. Nao tenho tempo. Entendi a piada do Clueless mesmo sem conhecer o desenho...

Paula disse...

Eu vi Patricinhas $%&* umas muitas vezes. Clássico da Sessão da Tarde anos 90, sacomoqé. Adoro. E sempre que eu via aqueles clips do Aerosmith com a Alicia não conseguia não pensar "Olha a Cher!".

Silvio Cunha Pereira disse...

Depois de ler a Lolinha fazer a maior propaganda do "Patricinhas"deu até vontade de mudar meu voto.

Anônimo disse...

mas tem tempo pra ficar respondendo cada comentario? e pra mendigar comentarios? vai fazer sua tese que é melhor.

Alexxs disse...

Eu assisti esses filmes milhoes de vezes quando era mais novo, era um clássico da sessão da tarde. Eu acho a Britany Murphy ótima tb nesse filme... eu acho que ela tem um estilo cômido tão bom, mas só faz filmes ruins ultimamente. O último que eu vi com ela e gostei foi "Blackbook", acho que algo assim... Ah, Sin City claro.

lola aronovich disse...

É, Paula, é difícil desvencilhar a Alicia da Cher. Tadinha. Será que ela será conhecida como a atriz de um só papel? A maior comoção que vi sobre ela ultimamente foi quando ela fez um comercial nua pra PETA.
O maridão escreveu um comentário! Ele não diz, mas votou em Clube dos Cinco.
Concordo, Alex. A Britany Murphy é uma ótima atriz cômica. Mas lembra dela em 8 Mile? Se eu lembro, é porque ela tava bastante bem.

lola aronovich disse...

André/Anônimo, não entendo bem essa sua birra comigo. Primeiro vc se revolta por eu admitir que "nunca ouvi falar" num desenho animado, porque tudo que a gente não ouviu falar deve procurar no google. Aí vc reclama porque eu respondi seu comentário? Ué, não gosto de blogs/sites cujos autores ignoram os comentários que recebem. Talvez, se algum dia o fluxo for grande, não dê pra responder um por um. Mas sim, eu dedico uma parte imensa do meu dia ao blog, o que me impede de visitar vários outros blogs que eu gostaria de visitar, e de procurar informações sobre todo item de cultura pop que eu encontrar. Acho que meu orientador no doutorado poderia ralhar com isso, por eu não estar dando toda minha atenção à tese, mas vc não. Vc é o beneficiado de eu dedicar tanto tempo ao blog. Agora, não entendo porque você continua vindo aqui, se fica tão revoltado com TUDO que escrevo. Há tantos blogs por aí... Ache um em que vc não vá com raiva pré-concebida da autora. Aliás, por que a razão de tanto mau-humor? É por eu ser feminista? Ou por ter falado mal de Senhor dos Anéis? Hein? Hein?

Suzana Elvas disse...

Eu sempre que assisto a esse filme fico bege em como a Britany Murphy mudou...

E o cara gay dá mesmo todas as pistas - gosta da Barbra Streisand, é leitor do Oscar Wilde (mais gay, impossível), gosta de música disco, se veste superbem e ainda fica amigo de uma Cher!

lola aronovich disse...

É mesmo, Su. Aliás, outra linha muito boa do filme é que tanto a Cher quanto sua melhor amiga (acho que Dione) receberam nomes de cantoras que foram famosas no passado e que hoje só fazem comerciais. Algo assim...
Eu gosto do Oscar Wilde e não sou gay!

vb disse...

Lola,

Ren & Stimpy é um dos primeiros desenhos para adultos. Era bem divertido e com um humor negro bem legal.

Sobre a parte abaixo:
“He's a disco-dancing, Oscar Wilde-reading, Streissand ticket-holding friend of Dorothy, know what I'm saying?”.

disco-dancing : gosta de música estilo Bee Gees.
Lê Oscar Wilde
Vai nos shows da Barbra Streissand e é amigo da Dorothy do mágico de Oz... rs

lola aronovich disse...

É uma boa tentativa de tradução, Vb. Mas fica melhor em inglês. O gerúndio é a chave, eu acho... Quer dizer que Ren & Stimpy nem existe mais?

Suzana disse...

Eu adoro também o início do filme, quando aparece todo mundo feliz em um clube e ela diz algo como: "parece propaganda de hidratante, mas é a minha vida!". muito fofo.

Loy disse...

lola, esse post é antigo, vim parar aqui graças a uma de suas teias para impedir que as pessoas escapem do seu texto pegajosamente bom e interligado com outros igualmente otimos...
só pra dizer: eu sempre gostei desse filme, achava ele simpático, mas sabe? acho que eu tinha vergonhazinha de admitir.
agora ja era.

Luz! disse...

post antigo...

(faço minhas as palavras de quem comentou logo acima)

só precisava vir dizer que AMO esse filme.. e alicia e a brithany (que morreu, tadinha) e tudo mais..

:)

ótimo matar a saudade desses diálogos que eu sei de cor.. rs