sábado, 14 de dezembro de 2019

OS MORADORES DO VIVENDAS DA BARRA TÊM MUITO EM COMUM

Esta história é saborosa! Um humilde carioca ganhou R$ 100 milhões na Mega-sena em 2017.
Primeiro o pastor da sua igreja se encarregou de administrar a fortuna e o roubou. Mais tarde, um homem chamado André se aproximou do ganhador e conseguiu convencê-lo a administrar a grana.
Sem querer, o ganhador descobriu que André estava construindo uma mansão (um pinto que trabalhava nas duas casas ingenuamente comentou com ele). O carinha consultou um advogado que constatou que, dos R$ 35 milhões investidos, restavam só 16 milhões. 
Além do mais, André, que recebia salário de 12 mil mensais, andava ostentando coleção de Rolex e roupas caras. Quando o escândalo estourou, André passou a ameaçar testemunhas. Estava pronto pra fugir do Brasil hoje. Foi preso na quinta.
Imagino que esse não seria um caso tão incomum se não fosse por uma pequena coincidência. Adivinha onde André mora? No Vivendas da Barra Pesada, o mesmo condomínio onde vivem seu Jair (aquele da casa 58), Carluxo, e outros envolvidos na execução de Marielle, como Ronnie Lessa. Sem dúvida um lugar muito bem frequentado!

sexta-feira, 13 de dezembro de 2019

A MENTIRA DE QUE BOLSO E WEINTROLL CRIARAM 5 NOVAS UNIVERSIDADES FEDERAIS

Esta semana, ao ser convocado para explicar as absurdas declarações que deu sobre universidades públicas plantarem maconha nos campi 
e produzirem drogas sintéticas em laboratórios, o sinistro do MEC Abraham Weintroll mentiu que a educação na sua gestão vive uma revolução
Sua maior realização? Acabar com o kit gay (algo que jamais existiu). Fiquei perplexa que ele não elencou entre seus feitos o fim da ideologia de gênero também.
Aí no mesmo dia foram encontradas plantação e distribuição de maconha onde? Numa faculdade pública? Não, numa igreja evangélica! Mas foram só 15 quilos, menos da metade da cocaína encontrada no avião presidencial!
Na audiência na Câmara, um deputado federal disse ser contra as drogas e, portanto, contra Weintraub no ministério. Idilvan disse que o sinistro deveria aproveitar o Natal e "pegar o beco. Lá no Ceará, isso significa ir embora". 
Mas ontem de fato saiu uma notícia de que Weintroll, que entrou de férias de novo (ele foi empossado em abril deste ano, tirou férias em julho, e agora novamente -- este trabalha!), não voltaria para o ministério. Os indícios são que houve várias exonerações de nomes ligados a ele nos últimos dias. Fora que o forte candidato a Rei dos Ressentidos é um dos ministros mais criticados, um incompetente total que só foi escolhido para polemizar. 
Se ele não voltar, maravilha! Mas não podemos subestimar a capacidade do desgoverno para sempre encontrar um substituto pior. Saudades, Vélez! Mesmo assim, Dudu Bolso desmentiu o boato, acrescentando sua dose de fake news, ao declaram que Weintroll faz uma ótima gestão. 
Mas nada comparado a enorme, gigantesca mentira que a Jovem Klan estampou numa manchete ontem: que o desgoverno Bolso e o sinistro Weintroll criaram cinco novas universidades federais!
A manchete é mais asquerosa ainda porque tenta justificar as férias do sinistro. É como se ele estivesse exausto, tadinho, depois de trabalhar tanto e, num passe de mágica, cortando o orçamento de toda a educação federal, ter criado cinco novas universidades! 
É muita cara de pau. A matéria diz: "Para Weintraub a criação de tantas novas universidades em um ano é um marco que só é possível porque o Brasil está saindo da crise". 
Quer dizer, o cara cria e embarca na fake news sem nem piscar. E lógico que essas mentiras estão sendo espalhadas pelas milícias virtuais, como o bombado que conseguiu ser eleito deputado federal quebrando placa de Marielle e que hoje cospe em ativistas.
Eu fui ver que milagre é esse das cinco universidades novas, e encontrei toda a informação necessária numa busca rápida na Wikipedia. Vejam a realidade de cada uma das cinco "universidades novas":
Que maravilha, 5 novas univer-
sidades federais! Parabéns,
Weintroll! Só que... a notícia
é de 2018. O senhor já era
ministro e a gente não
reparou?
Universidade Federal de Jataí (UFJ) - foi criada em março de 2018 por desmembramento da Universidade Federal de Goiás.
Universidade Federal de Catalão (UFCat) - ao lado da UFJ, foi criada em março de 2018 por desmembramento da UFG.
Universidade Federal de Rondonópolis (UFR) - foi criada em março de 2018 por desmembramento da Federal de Mato Grosso.
Universidade Federal do Agreste de Pernambuco (UFAPE) - ainda em fase de implantação, foi criada em abril de 2018 através do desmembramento da Unidade Acadêmica de Garanhuns e da Universidade Federal Rural de PE. 
Universidade Federal do Delta do Parnaíba (UFDPar) - O projeto de criação foi enviado por Dilma em maio de 2016 e aprovada em dezembro de 2017 pela Câmara. A nova universidade foi criada em abril de 2018 a partir do desmembramento da Universidade Federal do Piauí. 
Há ainda um detalhe perverso que a notícia da Jovem Klan não menciona, mas que está em cada verbete sobre essas universidades na Wikipedia: "Foi uma das cinco universidades federais a ter todos os seus cargos e funções gratificadas eliminados em 2019 pelo presidente Jair Bolsonaro". Ou seja, não só essas cinco universidades não foram criadas em 2019, como Bolso decretou que todas as funções gratificadas nessas cinco universidades fossem extintas. 
Sim, um decreto de março deste ano do miliciano cortou 13,7 mil cargos em universidades públicas. Das 21 mil vagas eliminadas pelo governo, quase 14 mil vieram das instituições de ensino (65% do total do corte). Isso sucateia totalmente as universidades! Por exemplo, quando um professor faz o sacrifício de ser chefe de departamento (e é um sacrifício mesmo, até porque ele pode sofrer processos por tudo que acontece durante sua gestão), ele ganha a merreca de gratificação de R$ 500 mensais líquidos. Ninguém faz isso pelo dinheiro! 
A grande maioria dos professores não é gestor e quer mais é dar aula, fazer pesquisa e extensão. Mas a gente precisa assumir por que não quer que gestores externos entrem pra mandar. O fim das gratificações é um ataque à autonomia universitária.
Cortar gratificações faz com que professores tenham ainda menos vontade de ter outros cargos nas suas universidades. E vários núcleos de línguas que ajudam diretamente os estudantes deixam de existir. 
Quantas mentiras e omissões passadas em apenas uma única notícia da Jovem Pan! 
Estou assistindo à ótima série The Loudest Voice, que fala de Roger Ailes, o criador da emissora ulta-reaça Fox News (financiada pelo bilionário Rupert Murdoch), de suas conexões com os governos da direita dos EUA, e de como manipula as notícias.
A Jovem Klan definitivamente é uma de nossas mais fiéis Fox News.

quinta-feira, 12 de dezembro de 2019

POR QUE NINGUÉM COMBATEU O ATIRADOR NO MASSACRE DE MONTREAL?

Um carinha chamado M. H. Murray fez uma thread curta em inglês na semana passada. Teve grande repercussão, e tomei a liberdade de traduzi-la. Vocês sabem de qual massacre ele está falando? Volto no final pra dizer. 

30 anos atrás, um homem entrou numa universidade em Montreal e matou 14 mulheres no que ele chamou de "uma guerra contra o feminismo". Ele entrou numa sala de aula e mandou os estudantes homens pra fora para que ele pudesse matar as mulheres. Em vez de se juntarem e combater o atirador, todos os homens saíram.
É fácil criticar quando você não está no cenário, mas... de acordo com os registros, nessa aula havia aproximadamente 50 homens (incluindo o professor) e só 9 mulheres. CINQUENTA. E nenhum desses homens decidiu lutar por aquelas mulheres.
Ainda que o massacre aponte para os perigos da misoginia, ele também fala da passividade geral da nossa cultura, da vida urbana... Há um sentido de "desde que não seja eu" que permite que humanos não tenham empatia nos momentos em que mais precisamos dela.
Num mundo em que as pessoas podem tirar vidas com um toque do dedo, não é suficiente só cuidar de si mesmo. Somos uma COMUNIDADE de humanos e se não conseguimos nos juntar e lutar uns pelos outros em momentos como esses... então quem somos nós?
As vítimas do massacre
Minhas menções estão cheias de gente (na maioria homens) interpretando de forma completamente errada o ponto deste tópico, ou me acusando de inventar essa história. Tudo que eu disse você encontra facilmente no Google. Isso não é sobre culpar homens. É sobre empatia. Pare de ser deliberadamente obtuso.
Também há muita gente me acusando de só tuitar sobre isso pra ganhar pontos com as moças... desculpe desapontá-los, mas eu sou gay. 

Lola aqui: 
Para quem não sabe, Murray está falando do massacre de Montreal, que agora completa três décadas, em que Marc Lepine, indignado por não ser capaz de ser aceito numa faculdade de engenharia, decidiu matar alunas mulheres que "roubaram" a vaga dele (notem que o sentimento de "merecimento": ele achava que a vaga era dele). 
Há um filme bastante bom sobre o massacre. Chama-se Polytechnique e é dirigido pelo conceituado Dennis Villeneuve (veja o trailer aqui; as fotos em preto e branco que ilustram este post são do filme). Assim como há um filme instigante (22 de Julho) sobre o maior massacre da história da Noruega, também realizado por um mascu nazista. 
Quanto ao comentário de Murray, 
não é verdade que o assassino disse que iria matar as mulheres ao expulsar os homens da sala. Se ele tivesse dito, será que as 60 pessoas presentes teriam tentado agir coletivamente para evitar o massacre?
Homenagem às vítimas
Pra mim, o mais chocante deste massacre (um dos primeiros do tipo misógino) não foi que os homens deixaram a sala sem lutar, mas que mesmo um país progressista como o Canadá levou anos para classificar a carnificina como um crime de ódio, não como um "incidente" ou uma "tragédia". Lepine gritava "Odeio feministas!" enquanto atirava nas alunas. O que mais alguém precisa fazer pra ser acusado de cometer um crime de ódio contra mulheres?

quarta-feira, 11 de dezembro de 2019

NA CARA DO BOLSONARO NÃO, GRETA!

Ontem o miliciano que alguns chamam de presidente envergonhou o Brasil mais uma vez.
Ele chamou a ativista ambiental Greta Thunberg, uma adolescente sueca de 16 anos, de "pirralha". Numa fala, Bolso resmungou: "É impressionante a imprensa dar espaço para uma pirralha dessa aí". Greta havia dado seu apoio aos povos indígenas do Brasil que estão sendo assassinados por proteger as florestas. Ela não inventou isso. Segundo a Pastoral da Terra, o número de mortes de lideranças indígenas em 2019 é o maior dos últimos onze anos. 
O tratamento de seu Jair a uma jovem líder pegou mal em todo o mundo, pra variar. Ontem mesmo, o porta-voz da Presidência da República (que tarefa inglória ter que passar pano pras mil e uma barbaridades que o miliciano dispara por dia!) disse: "Sob o ponto de vista gramatical, o presidente não foi inadequado ou descortês com Greta. Ela é uma pirralha: é uma pessoa de pequena estatura". Por esse prisma, não é nada deselegante chamar seu Jair de pirralho, já que sua estatura moral é rastejante.
Greta mais uma vez foi brilhante. Sutilmente, sem estardalhaço, ela trocou a descrição do seu perfil no Twitter para "pirralha". 
Bolso sentiu. Tanto que suas milícias virtuais reciclaram inúmeras fake news contra ela, com destaque para uma engenheira sueca com uma arma na mão. 
Fake news compartilhada por Milton
Neves e deputada do PSL
Não foi a primeira vez que Greta foi verbalmente agredida por presidentes. Putin e Trump fizeram isso antes do miliciano. Jornalistas perguntaram pra Greta: "Por que você acha que homens adultos em posição de poder têm tanto medo de você?" Ela respondeu: "Eles devem achar que a visão de mundo deles, seus interesses, é ameaçada por nós. Nos tornamos barulhentos demais para sermos manejados, então eles tentam nos silenciar".
Eu, só de brincadeira, fiz uma enquete no meu Twitter: 
"em quem você confia mais?" As opções eram "presidente" ou "pirralha". Obviamente é uma "pesquisa" sem valor científico algum. Acho que eu já havia feito a mesma pergunta quando Bolso acusou Leonardo Di Caprio de financiar as queimadas na Amazônia. E nem lembro do resultado.
Pois bem, a enquete ficou sei lá quantas horas no ar dando 99% ou 98% para Greta. Havia 2.200 votos. E, de repente, à noite, os votos dobraram e o resultado começou a mudar. Bolsominions mandaram bolsobots votarem. Houve uma enxame deles. Bloqueei montes. No final, foram mais de 49 mil votos, quase tudo robô da parte deles, é é incrível que eles tenham ganhado por apenas 52% a 48%. 
Mais incrível ainda é que eles considerem essa uma pesquisa séria e se gabem de que robôs prefiram o pirralho a uma menina de 16 anos. 
Aí hoje saiu a capa da revista Time com a pessoa do ano. E não é que não foi a chacota internacional cujo nome começa com Bolso e termina com naro?
Que timing! E que surra da Greta no fascista! 
Mas como o presidente dos ignorantes não se cansa de passar vergonha, hoje ele repetiu o "pirralha", pelo jeito sem saber que Greta foi escolhida a pessoa do ano pela revista, e ele não, ele nunca. Ele reclamou que a "nossa imprensa" dá um destaque enorme a tudo que ela fala. Mas a Time não faz parte da "nossa imprensa". 
Por mais Gretas e menos Bolsos no mundo! 
Não é uma capa de verdade. Mas que ele merece, ah, merece!

terça-feira, 10 de dezembro de 2019

O FUNDAMENTALISMO RELIGIOSO É UMA AMEAÇA À DEMOCRACIA

Cada vez mais nos convencemos que a entrada da religião na política é um golpe contra a democracia, como tão bem ilustra a arte acima. 
No Brasil, os evangélicos apoiaram em massa (e ainda apoiam, apesar das exceções) o candidato que pior representa o cristianismo, um miliciano que defende torturadores, porte de armas até para crianças, genocídios, e todo tipo de violência. Jesus teria vergonha do "Messias". 
Na Bolívia, um dos golpistas que derrubou Evo Morales em novembro, o fascista Luis Fernando Camacho, disse com uma bíblia numa mão e a bandeira nacional na outra: "A Bolívia pertence a Cristo". 
O fundamentalismo religioso cresce a todo vapor em Cuba, trazendo com ele todo seu conservadorismo, como a campanha que evangélicos promoveram contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo. 
As igrejas se popularizaram em Cuba a partir dos anos 1990, num fenômeno chamado "ensaboamento". Numa das piores crises da história cubana, no período que a União Soviética acabou e, com isso, o auxílio à ilha (levando cubanos a realmente passar fome), líderes evangélicos vindos dos EUA distribuíram entre os mais carentes artigos básicos como sabonetes e óleo de cozinha. 
Não é preciso ser bidu para saber o que os religiosos americanos que investem alto para conquistar corações e mentes pensam da revolução cubana. 
Como disse o jornalista José Ospina-Valencia num artigo de fevereiro do ano passado chamado "Igrejas neopentecostais ameaçam democracia na América Latina":
"A luta das igrejas neopentecostais na América Latina é uma luta pelos pobres: por sua consciência, por suas carteiras e por seus votos. Seu êxito se deve também ao fracasso da Igreja católica em atender às necessidades de milhões que buscam apoio num mundo cada vez mais frustrante e sem aparente futuro. [...] 
Assim, os mais necessitados são recrutados por pastores protestantes que se autodenominam 'cristãos' e que, com frequência, têm mais espírito comercial que religioso.
Apesar de o movimento pentecostal ter sido criado em 1906 nos Estados Unidos, são as novas seitas e igrejas fundadas na mesma América Latina as responsáveis pelo auge que ameaça não somente a supremacia da Igreja católica como os princípios democráticos".
Ele continua o artigo (que você pode ler aqui) dando vários exemplos de como pastores se meteram na política, sempre do lado do autoritarismo. Nesses quase dois anos desde a publicação do artigo, há muitos outros exemplos a incluir. E,infelizmente, eles não param de surgir.