quarta-feira, 19 de outubro de 2016

"MEUS PAIS NÃO CONFIAM EM MIM"

A S. me enviou este email:

Meu nome é S., tenho 20 anos. Venho de uma família extremamente conservadora, muito mesmo.
Aos 16 anos, como muitos jovens, fumei maconha por um tempo, logo meus pais descobriram. Foi horrível: pra eles eu era uma viciada. Minha mãe falou até em me internar.
Logo depois conheci meu primeiro namorados, minha primeira grande decepção. Ele era 12 anos mais velho que eu. Era uma namoro tradicional, ele veio na minha casa, falou com meus pais. Ficamos juntos por um ano. 
Mas já no primeiro mês eu não queria mais namorar ele. Fiquei junto por medo de decepcionar as expectativas dos meus pais. Um mês após terminar com ele descobri que estava com uma DST que me causava verrugas. Pensei que fosse morrer de tanto desespero e medo. Antes dele eu era virgem, eu não tinha tido outro homem, mas meu ex falou que eu não tinha pegado dele. Não contei isso pros meus pais, contei apenas que tinha contraído a doença. Eles não julgaram, mas também não ajudaram. Corri atrás de tudo sozinha.
Isso passou. Conheci um rapaz legal. me envolvi com ele, falei que tinha contraído a doença e que tinha me tratado, e alertei dos riscos que ele corria. Ele falou que isso não era problema, que estava apaixonado por mim. Tudo ia bem até que resolvi apresentá-lo a minha família. Meu pai não o aceitou de jeito nenhum porque o rapaz tem piercing e tatoo. Meu pai falou que meu namorado não tinha futuro e que ele devia fumar maconha. Meu pai me atormentou tanto que terminamos. Eu já tinha 19 anos, já estava no segundo ano da faculdade, que eu pagava, porque trabalho desde que fiz 18 anos.
Agora estou com 20 anos. Não me envolvi com mais ninguém, não consigo gostar nem confiar, gosto de sair à noite, gosto de baladas, mas não saio muito, não tenho muitas amigas. Quando não vou sozinha, vou com uma amiga que agora está namorando. A convivência com meu pai é cada vez pior. Ele não é agressivo, mas me ignora toda vez que saio. Eu gosto muito da cultura afro, das músicas, do cabelo, fiz tranças e meu pai ficou muito nervoso, falou que isso era coisa de gente largada, que filha dele não ia andar assim.
Pensando nisso decidi ir morar sozinha. Tenho minha própria renda, estou no quinto ano da faculdade, sou fluente em duas línguas. Fui falar com meu pai e ele veio com uma conversa para me deixar culpada pela minha decisão, falou que tenho de tudo em casa, que ele sempre me deu de tudo, que deixou de viver a vida ele. Depois começou a falar que eu quero ter minha própria casa para poder fumar maconha e levar quem eu quiser para minha cama. Ele disse que eu deveria parar e ver que só tenho 20 anos e que já tive muitos homens e já fiz coisas abomináveis.
Eu não trago minha amiga em casa porque minha casa não tem privacidade, então meu pai falou que ninguém conhece minhas amigas, "deve ser tudo puta, não deve prestar uma porque você não traz aqui".
Tudo isso me magoa tanto. Hoje me sinto um lixo. É horrível ver a decepção dos meus pais. Por mais que eu estude, trabalhe, e seja independente, para eles sou puta e uso drogas.
Eu sou muito diferente deles. Não acho que ter transado com dois homem na minha vida me faça puta. Acho que nós mulheres temos direito de sair e nos divertir. Não quero me casar, muito menos tão cedo. Quero poder usar a roupa que eu quiser, o cabelo que quiser, mas para isso tenho que sair da casa dos meus pais. Não sei o que fazer. Me ajuda!

Minha resposta: Se você tem renda, saia da casa dos seus pais. Seja independente e não se deixe afetar pelo que eles falam ou pensam de você. A distância vai fazer bem pro relacionamento que vocês têm. Quando eles virem que não conseguem te afetar com pré-julgamentos, que você pode ser independente e madura e feliz, talvez eles parem de ser tão críticos com você. Recomece uma nova vida sem eles, sem culpa e sem drogas! Se você pode, por que não?
Espero que dê tudo certo, e que você consiga manter seu emprego e seus estudos. Porque, se tiver que voltar a morar com seus pais, lamento dizer que a sua situação com eles só vai piorar. 
Você conhece o seu valor. Eles pelo jeito não conhecem. Viva a sua vida e logo eles verão que você está no caminho certo e aprenderão a te respeitar. 

58 comentários:

Leonardo Neves disse...

1 - Não adianta discutir com quem já tem conceitos tão formados, uma pena que os pais da menina pensem isso dela. O melhor mesmo, se tem grana, é ir construir sua vida longe de um lugar e de pessoas que (ao contrário do que deveria ser) só te fazem mal. Cada cabeça uma sentença, mas fosse minha filha eu teria orgulho. É muito fácil para os velhos julgar a biografia dos mais novos, sem refletir sobre a deles mesmos.

2 - Cunha caiu!!! Porra, PF!! Vai Brasil!!! Dá até pra arriscar começar a sentir orgulho desse país.

Anônimo disse...

Maconha e natural, não vicia não, tem muito pré conceito, faz três anos que eu fumo quase todos os dias e ate hoje não viciei.

Anônimo disse...

"Ele era 12 anos mais velho que eu. Era uma namoro tradicional, ele veio na minha casa, falou com meus pais. Ficamos juntos por um ano."

Os pais dela ficaram de cara porque ela experimentou uma erva mas não por ela estar se relacionando com um cara 12 ANOS MAIS VELHO? isto sim e um absurdo,compactuar que a filha sirva de joguete para um cara velho nojento transmissor de doenças(E todo não são, penetração só traz desvantagens para as mulheres só não vê quem não quer)

Anônimo disse...

Se você tem sua própria renda, esta estudando e correndo atras de seus sonhos saia de casa sim, se liberte e se eu fosse você nunca mais olharia na cara deste pai machista escroto, prove para ele que você não ´precisa dele para nada.

Anônimo disse...

20 anos e ja está no quinto ano da faculdade? Começou o curso com 15?

Anônimo disse...

Tem mais é que ir morar sozinha mesmo e ver como o mundo real é. Se tá ruim na sua casa, pq vc tem que dar o mínimo de satisfação para os seus pais (que te dão tudo e que se preocupam contigo), qnd vc sair vai ser muito pior.

Uma irmã adotiva minha fez a mesma coisa... saiu de casa aos 21 anos. Mais ou menos pelos mesmos motivos teus (exceto que ela nunca fumou maconha nem teve uma DST, algo que, com razão, tira bastante da sua credibilidade perante seus pais). Muitos anos depois encontrei com ela e ela me disse: passei fome, nunca consegui terminar a faculdade, me arrependi amargamente, mas fui orgulhosa demais pra voltar.

enfim... pra mim, tu tá sendo mimada e ingrata. E seus pais só estão tentando poupar você de mto sofrimento. Mas acho que eles tinham mais é que te deixar sair mesmo.

Anônimo disse...

Affs, homens dão nojo sejam pais, namorados ou o que for.

Fabianaaaa disse...

A DST não tira a credibilidade dela, tira é do paquiderme que transmitiu a ela, o pai dela que é trouxa e não vê isso. Duas vezes trouxa por achar que adolescente não vai experimentar coisas "proibidas". Ainda mais quando a educação é rigida assim. Meus pais nunca se importaram muito com o que eu fizesse, lembro que quando era pequena eles deixavam eu e meus irmãos beberem a espuma da cerveja. Acabou que eu cresci sem o mínimo interesse em drogas, sejam as lícitas ou ilícitas.

Anônimo disse...

Faz o teste, sai de casa e encara o mundo. O máximo que pode acontecer é você não dar conta do recado e se obrigar a voltar pra casa, e aguentar seus pais do jeito que são. Se você conseguir se manter e viver sozinha, melhor, mas se não der conta, também não é o fim do mundo.

obs.: E o Cunha bailou na curva! Aleluia!!! Agora tô só pela delação dele, tem que entregar todo mundo mesmo!

Próximo alvo: Lula (Moluscão Nine Fingers)
E se tudo der certo, Renan Calheiros depois! Vamos lá PF, vamos fazer a limpa!!!

Anônimo disse...

Credo gente, mas que falta de empatia é essa ?!?

A menina experimentou maconha, mas e daí ? Eu experimentei vários cigarros. Minha amiga experimentou cocaína. Um carinha que conheço já provou LSD.

Mas percebam: experimentamos. Não somos viciados em algo. E a reação dos pais dessa menina me revelou um profundo preconceito com quem experimenta uma única vez - como ela fez - e por um azar foi descoberta.

Vocês nunca passaram pela adolescência ?! Não sabem que os jovens estão prontos a desejar e realizar o que eles desejam ? Mas esses desejos são mutáveis, e logo eles se cansam. O que desejam, o desejam com extremo ardor, porém logo se desinteressam como a fome e a sede do doente. Eles são apaixonados, de temperamento quente, levados por impulso, incapazes de controlar sua paixão e sua vontade movida pela curiosidade.

Vocês não eram assim ? Então, sinto muito, não foram adolescentes, pularam essa fase.

E em relação ao namoro com o cara mais velho, bem... Também já fiquei com pessoas mais velhas. Me amigo gay, de 19 já ficou com cara de 37 ! Claro que, para os recatados e do lar, é chocante. Destrói os conceitinhos de família deles. Mas nem tanto, já que eles achavam certo casar aos 14 e ter filhos aos 18...

Porém, é óbvio que, para uma menina, ao se relacionar com um cara mais velho há uma série de perigos, já que provavelmente o cara tem outras intenções (abusador, aproveita da inocência e inexperiência) - mas esses são outros quinhentos - e não quero me aprofundar tanto.

Autora do post, minha querida, siga o conselho da Lola e saia o mais rápido possível da casa dos seus pais. Pessoas retrógradas nunca mudam de opinião (principalmente nossos pais, incrível isso). Então não perca tempo, não se aprisione para agradar a eles. Se liberte e viva !

Acredite em mim, eu fiz isso e estou mil vezes melhor do que quando eu estava nas mãos controladoras dos meus pais. Tive que aprender a me virar, foi complicado no começo, mas depois que a gente se acostuma, isso é uma vantagem gigantesca ! Não ligue pros comentários que dizem que "você não dá valor", "você não vai conseguir"...

Claro que vai ! Mas não vou mentir, será muito complicado, principalmente se você tiver sido muito controlada (o que, pelo que percebi, foi) - mas a gente acaba percebendo as infinitas possibilidades vantajosas de ficar longe dos pais ! Porque partir é mais do que abandonar as origens, é se originar em outro canto e eu me reinvento todos os dias.

A notícia ruim é que, para chegar lá (independência), é um longo e difícil caminho a percorrer.


A boa é que isso vai te preparar pra outras coisas, coisas incríveis e inacreditáveis vão acontecer. Tenha fé.

Anônimo disse...

Sério, querida radfem ?

Leia o desabafo do A. no post anterior.

Ele é homem. E feminista. Mas de acordo com você, todos os homens são desprezíveis.

E os homens feministas ? Não são feministas o suficientemente para você ?

E as mulheres heterossexuais ? São retardadas por não sentirem nojo de homens como você ?

Tudo bem ter essa opinião, desde que não afete alguém, o problema é seu.

Mas a sua ignorância vêm de querer generalizar e achar que isso é um ponto final.

Anônimo disse...

|O que faço?
minha filha ce tá com a faca e o queijo na mão.
sai de casa e vai viver a vida e ser feliz. para de esperar aprovação, pq isso vc nunca vai ter.

Kaique Rodrigues disse...

Bobagem, eu sou absurdamente dos meus país e familiares, eu sou um Ateu Liberal Conservative, e na minha Família oque mais tem é pastor, até politico pastor, são extremamente religiosos, mas eu sou completamente diferente deles, e não quero mudar o modo que eles vêem o mundo porque acho fofo serem tão inocentes e até bom, mas eles tem voz ativa na minha vida e tentam me converter e alienar do modo deles, isso é completamente impossível, quando o tentaram pela 1° vez eu ri e eles acharam desrespeito, logo eu expliquei e discuti tudo que eles acreditavam, em pouco tempo quase "converti" eles ao Ateísmo e ao liberalismo, mas essa não é minha vontade, n quero q eles se pareçam comigo só que me entendam e respeitem, então eu falo e respondo a todos sempre com lógica e paciência, nesse seu caso tem que saber argumentar com seu pai não brigar, brigas não levam a nada só discórdia, espernear e achar q ele vai mudar magicamente não vai rolar, você só se rebela no seu mundinho mas não o expõe pra fora, só foge cada vez mais da realidade, não acho que devia recomendar uma bobagem dessa, "talvez eles parem de ser tão críticos com você " é pra rir, seus país querem que vc seja o melhor, eles vão te criticar para te melhorar não importa o quão independente você seja, minha irmã tem casa, marido e filho e é independente, mas vivem criticando para que sempre melhore, não seja fraca, aceite a critica e a resolva pra provar que pode supera-la, não fugindo delas.

Anônimo disse...

Tá, até concordo contigo em determinado ponto...

Mas você leu as críticas dos pais delas à ela ?!

"Vagabunda", "puta", "piranha", "drogada" e outros adjetivos não são críticas visando o crescimento ou a melhora da filha... Ou são ? Chamar ela de xingamentos machistas estão querendo o que ? Que ela aguente palavreados contra a sua pessoa ? Desculpa, mas eu não acho que um pai - ao amar verdadeiramente - chegaria a tal ponto.

Me pareceu que eles só querem controlar ela a todo custo. Os parceiros que ela tem, as roupas... Tudo !

Anônimo disse...

Querem cagar regras aqui até para a adolescência alheia, se vc não pertence a determinados critérios: ''vc não é/nunca foi adolescente de verdade''; triste ver isso :(

Anônimo disse...

É incrível ver tanta gente independente financeiramente, com sua própria renda, mas não quer sair de casa esperando um casamento pra isso acontecer, enquanto eu estou desempregada e sempre quis ter minha própria casa solteira. Se pelo menos tivessem satisfeitas/os morando com os pais tudo bem, mas não, estão infelizes com isso, tem o próprio dinheiro, mas não querem sair de casa assim mesmo. Devem achar que as tais ''vantagens'' valem a pena. Então tá.

Anônimo disse...

A pessoa manda um email para um blog que vai dar a resposta que ela quer ouvir.
Que lindo.

Ok.

O meu conselho (já que foi solicitado), é para você não fazer nada sem pensar nas consequências.

Que bom que você fala duas línguas (graças aos seus pais) e está terminando a faculdade, mas nem sempre isso é suficiente para enfrentar sozinha o mundo real sabe?

Você tacha seus pais de machistas e conservadores de acordo com os seus valores mas não quer receber rótulo nenhum, não é mesmo?!
Bem vinda ao mundo deles.

Pelo seu relato nem acredito que eles sejam tão rígidos assim. Eu, com 16 anos, não tinha nem acesso a bebida alcoolica, não saia a noite sem avisar meus pais para onde ia, com quem e quando voltaria. Isso não é nada além de cuidado. O mundo está cheio de perigos, minha cara.

Na minha opinião o conselho da lola é completamente equivocado e irresponsável. Todas as pessoas que conheço que sairam de casa em busca de liberdade antes da hora se arrependeram. A vida é muito mais difícil quando se usa o dinheiro para sustentar uma casa.

Alícia

titia disse...

S. saia da casa dos seus pais imediatamente. Eles são preconceituosos e arrogantes e a última coisa com que eles se preocupam é o seu bem; gente assim só quer ter um controle doentio sobre os outros. Não tenha medo de sair da casa deles, isso só vai lhe fazer bem, e se seu pai chorar que te deu tudo nem ligue, ele não fez mais que a obrigação e se for preciso jogue isso na cara dele sem dó. A função da boa mãe e do bom pai é se tornarem desnecessários, e se seus pais não querem fazer isso, se querem te manter dependente e na coleira, eles não são bons pais. O que o Kaique e o 13:37 disseram aí em cima é pura lorota, os seus pais não querem que você melhore, querem que você fique pra baixo e seja mais manipulável. Fuja desse ambiente tóxico.

Anônimo disse...

Achei estranha a história por ela ter 20 anos e estar no quinto ano de faculdade...

Anônimo disse...

S., Cresci num lar cristão e opressor. Somente a perfeição era aceita. Até hj tenho problemas relacionados à minha criação. Tenho diversas paixões, mas tenho medo de tentar qualquer coisa. Acho sempre que tenho que ser a melhor, a perfeita. Assim, o medo de falhar me impede de fazer o que amo. Sem contar o pavor que sentia quando duvidava de qualquer coisa que fosse relacionada a igreja. A sensação de que Deus não deixaria barato minha dúvida, de que eu seria imediatamente castigada. Minha vida so melhorou quando saí de casa, quando tive a oportunidade de ser EU. Assim, meu conselho: se vc consegue se sustentar, sair de casa, saia. Não deixe seu pai utilizar a culpa pra te manter em casa. Saí de casa com 21 anos, agora já tenho 30. Tenho uma vida estavel, faço terapia para conseguir superar o medo de falhar... Força pra você!

Anônimo disse...

atrás de todo maconheiro vagabundo tem um pai dando duro para dar uma vida digna para o filho e isso é o que você aconselha? Nojo desse blog imoral.

Anônimo disse...

Para pessoas altamente misóginas, não importa se você é celibatária ou fez sexo com 100 - mulher = puta.
A minha mãe já mudou muuuuuuuuuuuuuuito, mas era mais ou menos assim que as coisas funcionavam pra mim... ela me vigiava e me seguia feito um cão de guarda. Ela revirava o lixo do meu banheiro pra saber se eu estava menstruando e não estava grávida. Se eu estivesse na frente dela e alguém ligasse pra ela e dissesse que eu estava participando de uma orgia naquele momento em praça pública, era capaz de ela me quebrar os dentes - por que né, eu sou mulher e mulher = puta.

Ah e os discursos de "moça de família" e de como mulher = puta e que toda puta tem um único objetivo na vida - dar golpe no "pobri omi" e trazer vergonha para a família...

Sair de casa foi um alívio...

Eles podem vir mudar um pouco em alguns anos... ou não
O problema é que pra gente assim, você pode ganhar um Nobel, ser "bela, recatada do lar", fazer caridade, ser a melhor pessoa do mundo... mas você ainda é mulher. E mulher = puta.

A verdade é que não são poucos os pais que não merecem os filhos que tem...


Jane Doe

Kasturba disse...

Eu me tornei independente dos meus pais bem cedo. Assim que fiz 18, passei em uma faculdade em outro estado, que além dos estudos, ainda me dava alimentação, alojamento e salário (pequeno, mas eu não tinha contas, então me sustentava sozinha).
Minha irmã (um ano mais nova que eu) continuou morando na casa dos meus pais. Eles pagavam tudo pra ela, inclusive a faculdade. A diferença era gritante. Bem rápido eles aprenderam a respeitar minhas escolhas e opiniões, e me verem como "adulta", enquanto minha irmã devia satisfação pra eles de tudo, desde com quem anda, aonde vai, porque sai tanto... Ela fazia duas faculdades concomitantemente (direito em uma particular, porque meus pais exigiam, e fez dois cursos na federal durante um período, mas meus pais não consideravam os cursos "bons o suficiente", então criticavam sempre que possível). Além disso, ela fazia estágio, e sempre se destacava. Passou em concursos públicos de nível médio antes de se formar, e inclusive passou no exame da ordem antes de se formar também. Além disso tudo, ainda fazia trabalhos voluntários (ia em hospital vestida de palhaço, e outros). Mas para os meus pais, eu era a filha modelo, e tudo o que ela fazia, parecia que não tinha relevância... Se eu me chateava com isso, imagino o que ela passava. Com o passar do tempo começou a ter brigas frequentes com eles.
O conselho que dei a ela, e é o que te dou agora: Saia de casa. Se tiver como se sustentar, alugue um lugar seu, e vá viver sua vida. Meus pais também faziam chantagem emocional com ela ("mas aqui você tem tudo, seus pais nunca te negaram nada, parece que está sendo maltratada, que ingratidão, etc..."). isso é normal. Eles não queriam perder o controle como ela, assim como os seus não querem perder o controle sobre você. Mas depois de um tempo, tudo melhora. Quando eles virem que você se vira sozinha, vão começar a te enxergar como uma adulta independente, e não como prolongamento da própria vida deles. Vão entender que você tem uma vida, e não é um anexo da vida deles.
Hoje minha irmã visita meus pais com bastante frequência (eles moram na mesma cidade, diferente de mim), e o relacionamento deles evoluiu substancialmente!

Prof. Ane Santos disse...

Olha, planeje direitinho sua vida e sua nova casa, para em hipótese alguma ter que voltar para a casa deles, senão vai mostrar que é imatura, que precisa de proteção. É natural que os pais se preocupem, mas pelo seu texto, parece que não é bem preocupação que seu pai sente, e sim necessidade de controlar outra pessoa, cada passo, cada decisão, pois entende que a sociedade julgará a ele através das atitudes da filha. Não se deixe abater. Se gosta de alguém, seja feliz, mas sem se deixar levar por sentimentos de forma inconsequente. Reflita sobre suas decisões, seja crítica em relação aos comentários dele. Afinal, ter filho é para ser cúmplice, não para controlar. Seja feliz.

Anônimo disse...

Flor
Não precisa provar nada pra ninguém.
Ficar ou partir é vc que decide. Vc tem bagagem de vida e parece estar indo bem pq vc estuda e trabalha.
O q posso dizer como exemplo é q aceitei conviver com quem não tenho afinidade e acolhimento, mesmo sendo d família, e que isso já me tirou muita energia e vida...
Vá viver. Cuide-se. Seja feliz.

Anônimo disse...

"Mundo real", "seus pais só querem te proteger" "mimada ingrata" "minha irmã passou fome" zzzzzz Faça um orçamento de quanto custa morar numa república na sua cidade (não só a casa; você precisa levar em conta supermercado, traslado pra faculdade/trabalho, um dinheiro extra pra poder gastar com entretenimento, outro pra imprevistos) e assim que tiver ctz que tem a grana, sai de casa e vai ser feliz. Não tente "se vingar" dos seus pais, mas vc não tem obrigação nenhuma de amar quem te despreza. Esse papinho mole de "aiiin, vc vai se dar mal" é de quem não quis estudar nem trabalhar enquanto morava com os pais e depois que saiu de casa, não conseguiu se acostumar com o horário do emprego. Vai na fé, linda!

Unknown disse...

Querida S.; nunca é fácil discordar da família, mas quando o relacionamento não faz bem, não tem jeito. É melhor ir embora.

Seu pai não tem o direito lhe chantagear. Não é saudável usar de chantagem emocional para impedir alguém de viver sua vida. Sério, a próxima vez que seu pai lhe dizer: abri mão de coisas por você, responda: não pedi para nascer. Me criar era sua responsabilidade, viver de acordo com meus valores, é a minha responsabilidade. Não vou mudar de personalidade, vou mudar de casa. Ainda te amo e respeito, mas vou viver minha vida nos meus termos.

Será um choque, mas no futuro a relação de vocês será mais respeitosa, exatamente, por que mais verdadeira. Tive que fazer o mesmo com o meu pai, hoje com os 34 anos, eu tenho um bom relacionamento com ele. Me impor e fazer minhas escolhas foi essencial para isso.

Imagina se você passa os próximos 10 anos frustrada morando com seus pais, como poderá amá-los e auxilia-los na velhice, se você não tem qualquer carinho para oferecer? Fará por obrigação? Pessoas sentem a falta de amor, não tem como ter relacionamento saudável com alguém, quando o que se sente por essa pessoa é ira e decepção.

Preserve-se, cuide de você, o momento de agir de boa forma com seus pais vai chegar, o justo para com pessoas da família é ser capaz de cuidar das pessoas quando elas precisam, deixar que elas decidam nossa vida por nós, não é amor, não é respeito, é medo.

Leonardo Vieira disse...

Acredito que a moça do post, tem mesmo e que sair de casa e viver sua vida como bem quiser. Se ela acha que esse tipo de comportamento e correto que vá fazer isso na sua própria residência financiada pelo seus recursos.

Os pais dela só querem o melhor, e se ela fala 2 idiomas e tem um nível de formação que permita que a garota tenha um bom trabalho, foi graças aos esforços e trabalho dos seus progenitores, e agora simplesmente que se livra deles so porque os mesmos se preocupam. Qual e o pai que quer ver a filha se drogando, andando com um e com outra e adquirindo doenças(( teve uma que postou que a culpa foi do cara que transmitiu, mais eu discordo a culpa e dela também que não protegeu, pois pelo texto da para perceber que ela é bem instruída).

eles so querem o seu bem mais se você discorda, vá ganhar o mundo e prove seu ponto de vista.

Anônimo disse...

Oi S,

Coloque tudo na balança. Eu, particularmente, sempre tive um relacionamento difícil com meu pai, que é muito controlador. Essa liberdade que você relata, de sair para baladas, namorar adolescente etc eu não tive nem em pensamentos...

Sou um pouco mais velha que você e justamente agora que me formei e tenho um trabalho estável, o comportamental dele melhorou muito, por isso não estou desesperada em sair de casa, embora esteja me planejando e organizando as coisas para isso acontecer.

Acho que infelizmente a maioria das meninas convive com pais machistas e controladores em algum nível. Pelo menos é o que percebo... Cada um contorna a situação como pode e até onde consegue. Mas uma coisa que a Lola disse é importante: se sair de casa pra depois voltar, será muito pior! Então pense bem, pois existe essa possibilidade. Boa sorte

gabss

Anônimo disse...

Também n entendi

James disse...

Quando ela diz segundo ano e quinto ano ela quer dizer segundo periodo e quinto periodo, correto?

aiaiai disse...

S.

saia de casa logo. você já é madura, estuda e trabalha, tem 20 anos. Seus pais não confiam em vc porque ainda te vêem como uma criança e uma criança dos anos 50, né?
a cada dia q vc passar sozinha, tiver q cuidar de tudo e conseguir (porque eu sei q vc vai conseguir) você vai ganhar ainda mais auto confiança. Seus pais um dia, quem sabe, entenderão.

e, um dia, vc vai cuidar deles. mantenha o amor e o carinho, visite e telefone de vez em quando. mas não deixe q eles controlem a sua vida. a vida é sua.

muita sorte e força!

Bruxinha disse...

Ás vezes a gente só entende os pais qd nos tornamos...
Via de regra tem aquele conflito básico de gerações. Eu mesma penei por divergir da minha mãe, que era bastante tolhedora.
Mas hoje, olhando pra trás, eu vejo que era muito de cuidado e que ela não sabia me passar a ideia satisfatoriamente, então tome briga!
E ainda assim fiz certas coisas à revelia dela que penso "putz, podia dar errado! putz, me pus em risco a toa por rebeldia entre aspas!" Por sorte nada de pior me aconteceu

Mikaela T. disse...

Você não deve nada a eles. Tbm falo dois idiomas e não foi por causa dos meus pais (inglês aprendi na escola pública [sim, é possível afinal do fundamental ao médio temos a mesma carga horaria de um curso de línguas particular e graças ao governo petista tinhamos direito a material didatico gratuito e de qualidade igual ao de cursos particulares composto de livro + cd] e alemão comecei a fazer um curso quando sai de casa). Sai de casa aos 18 anos (hoje tenho 21) ganhando 400 reais (dividia apartamento com duas gurias e o namorado de uma delas que não pagava NADA e o aluguel era R$ 300), tinha conseguindo uma vaga em um IF de outra cidade, mais tarde comecei a ganhar mais uns 400 por meio de uma bolsa, depois no mesmo ano me tornei servidora pública ( parei de dividir apartamento e comecei com um salario de R$ 945 + R$ 200 de vale alimentação, hoje está em R$ 1200 + R$ 250 de vale alimentação, pago cerca de R$ 650 de aluguel, e acabo de passar dentro das vagas para mais um cargo publico de R$ 1700). Sim, sai de casa em busca de liberdade e consegui. Não passei fome, não me afundei em drogas, não transei com meio mundo (por falta de oportunidade mesmo), não precisei me prostituir ou virar aviãozinho.
Faculdade é um custo alto então recomendo pra ti para poder sair de casa procurar apartamentos ou republicas de estudantes ou pedir transferência para uma pública (informe - se a respeito do aproveitamento de cadeiras), pois assim você pode desfrutar de alguns benefícios estudantis como casa de estudante e restaurante universitário a R$ 1,50 o almoço.

OBS: citei muitos valores porque: 1º minha renda não é segredo pra ninguém. Qualquer um com acesso ao edital do meu concurso ou ao portal da transparencia de onde trabalho pode ver quanto ganho. 2º pra quem quer sair de casa ter noção real de valores é muito importante para fins de orçamento e planejamento

Anônimo disse...

Olá A.S.! Tua carta parece muito com minha história de vida.
Eu com 20 anos também era - na visão da minha mãe - puta, vagabunda, drogada, embora eu trabalhasse o dia inteiro e fizesse faculdade à noite. Tudo o que eu fazia era "por causa dos machos". Então eu não ia ao cinema, não namorava, não passeava em shopping. Nem calcinha nova eu podia comprar. Eu não queria dar motivos para ela brigar comigo. Mas enfim, tudo era motivo de briga, todos os dias. Ela revistava meus armários, minhas bolsas. Enquanto eu tomava banho ela entrava que nem uma louca dentro do banheiro e abria o box, ficava examinando meu corpo para ver se eu tinha alguma marca, algum chupão, sei lá. Ela pegava minha agenda telefônica, ligava para as pessoas, ficava fazendo interrogatório para saber se eu estava transando ou não, se eu usava droga, onde eu saía, etc. Um dia, para me humilhar (coisa que ela amava fazer), ela me expulsou de casa no meio da noite, achando que eu iria chorar, gritar e me humilhar. Mas como eu já estava de saco cheio e tinha renda suficiente, fui morar com uma amiga. Eu tinha um dinheiro guardado e comprei algumas coisas para meu início de vida e também deixei uma poupança como garantia caso eu precisasse de algo para não ter que pedir dinheiro para ela. Eu tinha 20 anos e sabia pouca coisa da vida. Foi simplesmente uma das melhores decisões da minha vida!!! Cresci, amadureci, trabalhei duro, guardei dinheiro, mas também saí nas baladas, transei, namorei um monte. Fiz também terapia para me ajudar a não me sentir culpada pelas minhas decisões. Minha mãe era uma pessoa muito difícil, conservadora, opressiva, onipresente, agressiva com as palavras, nunca deu amor, nem carinho, muito menos diálogo. Tinha que ser tudo do jeito dela, na hora que ela quisesse. Ela comandava a casa toda através do medo, do assédio moral, da tortura psicológica. Cortei o contato com ela durante anos.
Hoje passaram-se 20 anos e vejo que realmente foi muito bom ter saído de casa aos 20 anos. Em outros países é perfeitamente normal uma jovem de 20 anos ir morar sozinha, com todo apoio dos pais. No Brasil, infelizmente, temos esta cultura machista, onde "menina" nao pode morar sozinha e, se mora sozinha, é pra se drogar e se prostituir.
Balela! Nós damos conta! Nós conseguimos sim, morar sozinhas, fazer nossa comida, continuar trabalhando e pagando nossas próprias contas! Não entre na chantagem emocional do teu pai, ele é machista e vai fazer de tudo para te desempoderar. Não entra na ladainha dele não, se empodere, se ame, acredite em você! Te desejo tudo de bom!!!! Grande beijo!!!!

Anônimo disse...

Querida A.S., só mais uma coisa: minha mãe achava que eu era puta, vagabunda e hoje em dia ela teve que engolir tudo o que falou de mim. Ela dizia que sem ela eu iria acabar na zona, que eu iria acabar na sarjeta... Enfim... Ela viveu para me ver sendo exatamente o contrário.
Até hoje ela não consegue ficar feliz com minhas conquistas. Por exemplo: Cada vez que troco de carro, compro um imóvel ou consigo uma promoção no trabalho, ela não consegue me parabenizar. Até mesmo quanto tive filhos ela não conseguia ficar feliz, ela tinha que me criticar tipo "mais um?" - embora eu e meu marido tenhamos condição de sustentá-los sem pedir ajuda para a família. Até no meu casamento ela veio me falar que eu "não estava honrando o branco que vestia". Então eu simplesmente desencanei da opinião dela (depois de alguns anos de terapia!) e fui viver minha vida sem precisar ficar buscando obstinadamente a aprovação dela. Alguns pais/mães são manipuladores. Se ame, se empodere, acredite em você, faça uma boa reserva de dinheiro e saia de casa!
Beijos e tudo de bom!!!

A mãe dos gato tudo disse...

Tenho uma amiga que está amargando em uma vida parecida.
Ela tem TDAH, entre outros problemas de saúde e os pais sabotam cada tentativa dela de ser feliz. Quando a conheci, uns 3 anos atrás, ela me falava de querer fazer faculdade, tirar carta, namorar...mas não pode nada. Quando passei a conhecê-la melhor, frequentar sua casa, fui entendendo como é a "dinâmica" lá.
A mãe dela quer que elas façam faculdade juntas (oi?) e o pai doou os animais dela de estimação sem seu prévio consentimento. Ele também estragou um aniversário dela porque ela queria convidar rapazes.
Ela já se interessou, nesse meio tempo em que a conheço (3 anos) por uns 2 caras, mas a família sempre dá um jeito de fazer lavagem cerebral nela, pra que ela desista deles.
Ela já tem 25 anos.
Não consigo ajudá-la. Já tentei, mas não sei se pelo TDAH ou pela lavagem cerebral ela tem muita resistência em se impor. E para o bem da minha saúde emocional, desisti. Uma pena.

André disse...

Será que algum físico já conseguiu criar um buraco negro em forma de supositório? Já pensou que irado dar um desses para o Leonardo Vieira e ver o cidadão ser sugado pra dentro do próprio rabo?

Anônimo disse...

Bem, migue...

Provavelmente vc deve estar fazendo referência a fala do anon das 14:55...

Mas o que ele disse, bem... É a mais pura verdade ! Não é cagar regra, os jovens são assim, em sua maioria ! Anseiam por experimentar coisas, viver livremente e de maneira plena. Eles tem desejos fervorosos, amores platônicos, paixões passageiras, hobbies excêntricos, gênio indomável...

Isso qualquer um. Mas claro, não é o padrão vigente, existem outros com outras características, isso e fato. Cada ser humano tem suas próprias particularidades.

Mas pelo que eu entendi daquele comentário das 14:55, ele quis dizer exatamente isso: é normal os jovens serem assim. Não é regra para todos, mas alguns são.

E por serem assim a sociedade os condena... Tipo os pais da moça do relato.

Anônimo disse...

Só que não... Ganhei meu dinheiro desde os 13. Trabalhei como modelo, trabalhei como atendente na cantina do colégio, trabalhei no posto de gasolina e depois fiz estágio. Os dois últimos, trabalhei durante a faculdade fazendo um curso integral.
Meus pais eram um saco. Super protetores. Aos 20 quis sair de casa, mas minha mãe não 'deixou'. Eu queria sair, mas não queria magoa-los, então fiquei.
Aos 22 me formei e fui trabalhar/ morar sozinha. Mesmo com um pouco de ajuda deles, foi barra. Nesse período eu reconheci muita coisa que antes eu não dava valor. E trocando experiência com amigos e amigas, foi assim com todos.
Quando reencontrei minha irmã adotiva, eu já adulta e morando fora, contei pra ela que eu tb quis sair. Foi qnd ela me falou da versão dela dos fatos ( passar fome, arrependimento, etc)
E contrair dst mostra falta de maturidade, sim... Como não? Tanta informação. É responsabilidade de cada um se proteger. E se ao invés de dst fosse uma gravidez na adolescência? Vcs iam achar maduro? Iam achar que o cara que é um fdp? Pela mor, gente...

Anônimo disse...

200% de acordo Alícia.

Anônimo disse...

Blog imoral ? Então porque você está aqui ? Pra cagar regra ? Não precisamos de pessoas assim, grata pela presença, mas já pode vazar daqui...

Olha, você nem sabe se o maconheiro tem pai e já tá glorificando o cara ! Você sabia que, como a psicologia explica, todo vício tem uma razão de existir ? Não ? Então estuda antes de vir pagar mico...

Ninguém tá te obrigando a vir aqui pra falar sua opinião, querid@ !!! Faça um favor pra nós e pra vc msm - saia e não volte novamente, esqueça-nos e vá viver sua vidinha com seus valores "morais super mega corretos" !

Anônimo disse...

"Eles só querem seu bem"

Nossa, como esse povo não percebe que os pais da garota não se preocupavam com ela: queriam controlar tudo sobre ela ?!

Ela apenas experimentou uma maconha, isso não faz dela uma drogada.

Sim, graças aos pais ela teve base pra ter uma boa qualificação, mas a qualificação dela é graças à ela ! Ela que se esforçou para chegar onde está ! Óbvio que teve apoio, mas só isso não basta - não desmereçam os estudos dela por causa disso...

E deixa a menina ser feliz ! Ela pode dormir com quem ela quiser ! Sabe, órgão genital não gasta com o uso, segredinho nosso...

Anh, você discorda que a culpa era do cara ? A culpa era dela ? Claro né ? O cara que era 12 anos mais velho que ela era um santo, perfeito cavalheiro, não passou doença nenhuma para ela... E ele era o primeiro namorado dela, logo, ela devia ser inexperiente... Mas, óbvio, a culpa é dela !

O seu foi um comentário bem podrinho, mas pelo menos você concordou que ela deve sair da casa dos pais.

Anônimo disse...

Galera, cai na real... Qnt custa pagar uma faculdade particular? Depois tem que sobrar pro aluguel, transporte, alimentação, higiene, limpeza, roupa, calcado, lazer???

Ela reclama pq o pai 'nao olha na cara dela qnd ela sai pra balada'... E daí?? Não dá pra aguentar isso por mais 3 anos? Viver de acordo com as regras de quem paga suas contas? E no fim, a gente se livra do pai e tem que aguentar chefe...

Vai acontecer que depois ela não vai poder sair pq nao tem grana, pq tá morta de cansada, pq... um monte de porquês, que vem no pacote de ser livre e independe.
Se hj é difícil trabalhar e estudar, adiciona aí fazer sua comida, lavar e passar sua roupa, arrumar a casa é não sobrar dinheiro pra nada.

Tudo bem ela sair de casa com 20 anos. Nada de absurdo. Mas Simplesmente não é esse mar e rosa todo não.

Rodrigo Almeida disse...

Tirando a parte do namorado muito mais velho, q eu não entendo pq os pais permitiram isso, o resto, dá pra entender pq a superproteção deles. Acredito q depois de se tonar maior de idade, aí cada um é dono de sua própria vida. Entretanto, não acredito em educação liberal com filhos menores de idade.

Anônimo disse...

(Viviane)
Alicia, eu me segurei muito para escrever o que vou agora, mas lá vai:
Se você quer vir aqui porque pediram "sua opinião" (tem gente que se acha o último biscoito do pacote!) e deixar esse tipo de comentário, por favor, não me venha de mimimi caso alguém faça o mesmo quando você vier se lamuriar sobre seu ex e seu atual namorado. Sério, da primeira vez, a trouxa aqui teve peninha, mas, por essa e outras postagens suas, começo a duvidar seriamente de você.
#nojo

Anônimo disse...

Hm, superproteção ou supercontrole ? Seus conceitos de proteção e controle são diferentes dos meus...

Mas pq vc não acredita em educação liberal com menores ?! É juntamente nessa época que precisamos ensinar os valores liberais, igualitários, fraternos... Só assim, futuramente, teremos adultos mais compreensíveis e melhores...

titia disse...

Atrás de cada comentário como o das 18:06 tem um vagabundo que não estuda nem trabalha, é sustentado pela mãe, passa o dia inteiro vendo pornografia no computador e gastando a mesada em prostituta e cerveja.

Na verdade, 13:24, sim o cara seria um fdp porque ele tem que usar camisinha, já que é ele quem tem pau - e se ele sabia que tinha uma DST e mesmo assim transou sem camisinha e sem contar à parceira que tinha uma DST, ele é também um criminoso na verdade. Me diz, você é o/a mascu que transmitiu DST?

Huahuahuahaua André haja buraco negro pra tanto mascu e troll nesse blog! Mas que seria legal seria.

E mais uma vez, vou repetir: deu tudo pro seu filho tudo? Não fez mais que a sua obrigação. Seus filhos não te devem NADA porque você deu tudo pra eles. Na hora em que você decidiu ter filho, é sua OBRIGAÇÃO dar tudo pra ele, nada mais que sua obrigação. Seus filhos não te devem nada por isso. Seus filhos não são suas bonecas nem seus ursinhos de pelúcia pra ficarem à sua disposição quando você quiser brincar de casinha. Eles são GENTE e não brinquedo. Cresçam, fedelhos envelhecidos, cresçam.

Fabianaaaa disse...

É claro que ela devia ter se protegido, mas tira é a credibilidade dele, sim. Se ele tinha uma dst, o mínimo que ele devia ter feito era ter avisado ela como ela avisou o segundo namorado que ela teve. Não muda minha opiniã.

Anônimo disse...

E cabe aos pais cuidar pra que ela não caia na conversa de um cara 12 anos mais velho e que vai transmitir dst pra ela. Vc mesmo tá escrevendo que ela era inexperiente , jovem, aventureira... Ou seja=não era madura suficiente pra ser tratada como adulta (e nem deveria, apesar dela querer isso - como todo adolescente, diga-se de passagem)

Anônimo disse...

Vida de todo mundo na internet é linda e inspiradora, né? Pela minha experiência, pessoal que chora demais a mágoa que "aiin, mercado de trabalho cruel, contas pra pagar no mundo real!" é quem passou a faculdade inteira matando aula no bar da esquina e ganhando mesada. E não adianta insistir, não acredito em nenhuma vírgula da "árdua história de vida" de anônimo moralista da internet.

Anônimo disse...

Acho que deve ponderar, colocar na balança os prós e contras, as possibilidade reais financeiras (quanto custa aluguel, despesas com luz, agua e alimentação, transporte, etc), para ver se realmente teria condições de bancar tudo sozinha, além do que já paga para faculdade.Mesmo se for mudar, aconselho a tentar nao sair de casa brigada com seus pais (pois nunca se sabe o dia de amanhã). Eu a adolescência toda falei que o meu sonho era ir embora...Passei na federal, longe de casa e fui. Com respaldo financeiro dos meus pais. Tive depressão e o que mais queria era voltar. Mas me recuperei e terminei a faculdade lá mesmo, já bem. Então, nem tudo são flores e nunca cuspa pra cima, porque pode cair na testa. Não quero dizer com isso que vc não deva sair de casa e nem ser independente, mas sim que pondere sempre as coisas.

Anônimo disse...

Quinto semestre....

Anônimo disse...

Eu morro de rir quando vejo essas reclamações de "nossa sou maior de idade e meus pais não me deixam viver", toma vergonha nesta cara minha filha. Quer comidinha na mesa, roupinha lavada, o teto pago, as contas pagas e a aceitação incondicional do papaizinho e da mamãezinha, fritas acompanham?

A vida é dura pra quem é mole e você é uma geléia que nem a desculpa de não trabalhar, tem.

Anônimo disse...

Ela faz faculdade e ganha dinheiro, invejos@...

Anônimo disse...

Existe uma grande diferença entre querer o seu bem e controlar sua vida. Falo por experiência própria. Muitos não querem ver que pais também erram e fazem muita merda com a vida do filho, mesmo que ajudem financeiramente. Minha relação com meus pais só melhorou quando eles pararam de querer me controlar e passaram a apenas se preocupar e cuidar.
Então nao me venham com esse papo que pai que xinga e faz chantagem emocional ta querendo o bem por que não está. Ta querendo controlar.
E quando a pessoa é imatura, o pai tem que preparar ela pra vida com conselhos e exemplos e não com obstáculos e chantagens.

Anônimo disse...

Os pais nao fizeram mais que a obrigação. Quem quis ter filho foram eles. E não é por que ela vive com eles que ela tem que ser prisioneira não. Só o que me faltava. Deve ser bem alguém que não sabe como a vida funciona e acha que é fácil sair de casa ou que enquanto está com os pais, tudo que eles falam é certo e você deve aceitar de cabeça baixa. Não, não é assim. Pais também erram e às vezes erram feio. E repito, ELES quiseram filhos, não o contrário.

Denise disse...

Querida A.S., tome coragem e saia da casa dos seus pais. Eu sei que é difícil (também saí de casa quando tinha menos de 25 anos) e que a chantagem emocional dos seus pais é nefasta, mas só vai te fazer bem ter a sua independência. Ter saído de casa só melhorou a minha relação com minha mãe, e com o passar dos anos e a maturidade fui entendendo (e aceitando) as limitações dos meus pais e aprendendo a conviver com eles sem sacrificar quem eu sou. Boa sorte na sua jornada!