quarta-feira, 26 de outubro de 2016

ESTUDANTES IDEALISTAS EXISTEM E RESISTEM

Ontem a PEC 241, conhecida como PEC do Teto por quem é a favor, e como PEC do Fim do Mundo e PEC da Morte pra quem é contra, foi aprovada em segundo turno na Câmara. Agora ela segue para votação no Senado.
A PEC é uma tragédia anunciada e altamente impopular -- tanto que ela não faz parte de um projeto de governo aprovado nas urnas. Quero ver alguém defender abertamente congelamento de "gastos" (eu prefiro a palavra "investimentos") em educação e saúde e ser eleito. Só pra ter uma ideia, um dos deputados mais asquerosos do Ceará, Moroni (DEM), que é candidato a vice-prefeito na chapa de Roberto Claudio (PDT), não foi a Brasília aprovar a PEC, pois ele sabe que isso faria sua coligação perder votos agora no segundo turno. E já falei que até parte dos seguidores de Bolsonaro o criticaram por votar a favor da PEC.
Se antes a PEC 241 era uma ameaça, agora ela é uma realidade. E uma realidade medonha, que não só não vai combater os gastos realmente escandalosos do Brasil (R$ 454 bilhões foram pagos -- a quem, poucos sabem -- em juros da dívida só nos últimos doze meses), como vai representar enormes cortes em programas sociais (calcula-se que, se a PEC estivesse em vigor desde 2006, o orçamento da saúde hoje seria de R$ 65 bilhões, e não os 103 deste ano).
Pro funcionalismo público -- que, vale lembrar, inclui professores, médicos, enfermeiros etc -- a PEC será particularmente nefasta. Faltará dinheiro para pagar reajustes salariais ou progressões funcionais. Além do mais, uma das punições previstas para os órgãos que não cumprirem um teto impossível de cumprir é o fim de concursos. Desta forma, se um professor de uma universidade federal se aposentar ou morrer (algo que acontece todos os anos em todo lugar), ele não será substituído. A vaga será extinta.
O fechamento de uma vaga não afeta apenas os professores daquele departamento, mas todos os alunos do curso. Com cada vez menos recursos, existe o risco real de campi serem fechados. Expansão universitária? Esqueça. Só se for das particulares.
Mas pode ter certeza que a PEC afetará muito mais que o funcionalismo público. Afetará toda uma geração. Imagina como estarão saúde, educação, segurança, enfim, como estará o país em 2036, com investimentos congelados. Com o salário mínimo de volta aos valores dos anos FHC, quando era uma merreca. E a dívida pública, pelo menos, terá sido paga? Que nada, pois a PEC garante o pagamento de juros.
É bastante ingênuo pensar que servidores vão aceitar essa aberração sem resistência. Várias universidades começam a entrar em greve por tempo indeterminado. A tendência é que o povão, que já se dá conta da gravidade da situação, junte-se aos protestos quando os outros pacotes de maldades de Temer forem aprovados por um Congresso hiper conservador que aprovará qualquer coisa. As próximas "reformas" (leia-se retirada de direitos) serão a da Previdência e a trabalhista. Mais uma vez, a vida da população será diretamente afetada.
Os jovens sabem que o futuro deles está comprometido. Eu já disse, mas digo de novo: a minha vida, com quase 50 anos, não vai mudar muito. Eu me aposento daqui a alguns anos, talvez antes do colapso total dos serviços públicos. Mas, pra quem é jovem, essas "reformas" todas causarão grandes estragos em suas vidas.
E é por isso que vários resistem. A ocupação de mil escolas em todo o país, principalmente no Paraná, contra a PEC e a reforma do ensino médio, me enche de orgulho e esperança. Desde o ano passado, quando cerca de trezentas escolas em SP foram ocupadas para barrar a reforma planejada por Alckmin, vimos que há várixs jovens valentes e com vontade de mudar o mundo. E, com um bônus: grande parte das lideranças das ocupações são meninas. Meninas feministas, de esquerda, repletas de sonhos e ideais.
A direita já identificou que essas e esses jovens são perigosos porque, em muitos casos, representam uma resistência maior e mais espontânea que a de vários sindicatos. Está na moda reaças patrocinados (ou você não sabia que o MBL recebe dinheiro para promover suas ações?) irem a escolas ocupadas importunar estudantes.
A estratégia, sempre, é a de provocar, filmar tudo, fazer uma edição altamente parcial, e jogar nas redes, com a intenção de "provar" como aqueles jovens (não os do MBL, os outros) são burros e criminosos. Sim, criminosos. O objetivo final é criminalizar os movimentos sociais. Reaças ganham pontos se conseguirem filmar qualquer ato que se pareça com uma agressão física. É a glória!
No momento reaças estão nas nuvens com o assassinato de um jovem morto, na segunda-feira, por outro jovem numa das 800 escolas ocupadas do Paraná. A notícia serve para criminalizar as ocupações, mesmo que a polícia tenha dito que os dois rapazes brigaram por "motivos pessoais", sem relação com as ocupações. Os dois eram amigos de infância, consumiram uma droga sintética chamada "balinha" (uns dizem que a droga foi tomada fora da escola; outros, no banheiro), se desentenderam, e um rapaz usou uma faca de cozinha para esfaquear o outro (tido como um ótimo aluno por todos que o conheciam). 
Reaças culpando estudantes até por
assalto a escolas ocupadas
A narrativa não é perfeita para os planos reaças de criminalizar movimentos sociais. Seria melhor se os dois rapazes tivessem fumado maconha (afinal, para a direita, todo mundo que é de esquerda é "maconheiro". Outro dia vi uma resposta fofa a essa ridícula alcunha: "E vocês de direita, qual a droga que usam? Cocaína?"). 
Seria melhor ainda se os rapazes tivessem fumado abertamente, em meio aos pátios e salas de aula, sem os cartazes inconvenientes presentes nas escolas ocupadas proibindo o uso de "substâncias ilícitas". E, pra melhorar, só mesmo se o assassino fosse um líder do movimento secundarista, segurando um cartaz de "Fora Temer" com uma mão e uma faca na outra.
Não preciso apontar que reaças não estão nem aí para a morte de um jovem de 16 anos. Talvez eu precise lembrar que mortes em escolas não ocupadas não são exatamente inéditas. Porém, para reaças, o que importa é que eles já eram contra todo e qualquer movimento estudantil, e se puderem atrelar a UNE ou a UBES a uma morte, melhor ainda. A verdade é que reaças odeiam jovens, pois os veem como idealistas ou (se são de periferia) bandidos. Por isso é tão importante pra direita a bandeira da redução da maioridade penal. Se dependesse da vontade reaça, jovens, feministas, pessoas de esquerda estariam todas presas. Ou até pior, já que reaças defendem a pena de morte.
Menos Freire, mais Frota
E óbvio que o conceito que reaças têm da educação é o modelo "Menos Freire, mais Frota". É uma noção conteudista que vê alunos como receptáculos vazios prontos pra serem preenchidos com contas e fórmulas -- nada de conteúdo de humanas, pelamor, que só servem para doutriná-los. Reaças chamam os jovens das escolas ocupadas de "massa de manobra", como se estudantes fossem incapazes de pensar por si próprios, de lutar pela sua própria causa. É até divertido ver reaça chamar de "idiotas úteis" quem luta por ideais. Talvez um espelho fosse apropriado: idiota útil, pra mim, é classe média defender interesses de banqueiros e bilionários.
E claro que reaças não só odeiam jovens, como detestam escolas públicas. Vários textos reaças falando da morte do estudante acabam assim:
Estudantes que lutam por sua convicções, que têm o sonho de mudar o mundo, existem e resistem. Vamos todos nos juntar a essa luta. 
UPDATE: Ana Júlia, estudante paranaense de apenas 16 anos, faz discurso maravilhoso na Assembleia Legislativa do PR. Espero que você se candidate assim que completar a maioridade, Ana! Vc é um exemplo para todxs.

81 comentários:

SECRET FACE disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Belle disse...

Lola, hoje acordei com um vídeo muito triste e revoltante no Facebook sobre isso, queria não ter assistido... Era um "jornalista" entrevistando uma garota que parecia ser líder do movimento em uma das escolas do Paraná. Ela respondeu várias perguntas sobre a PEC 241 até que ele começou de má fé fazer várias perguntas específicas sobre a escola dela (acho que um instituto federal), tipo qual tinha sido o orçamento anterior e quanto iria ter de corte com a PEC... Ela disse que estava se sentindo constrangida com as perguntas e ele continua, até que ela pede pelo fim da entrevista. Fiquei triste especialmente por ser uma menina, e pelos reaças estarem compartilhando como se ela fosse "burra", essa mesma imagem que você descreve que eles estão inventando. Sendo que o cara nitidamente pediu a entrevista para fazer perguntas que a constrangessem... Que gente perversa! Ela sabia tudo sobre a PEC na ponta da língua, mas claro que naquele momento era improvável saber o orçamento exato da escola e qual seria o corte!

Sobre o livro golpe 16 quero muito adquirir, ainda mais com sua dedicatória, estou esperando o salário no dia primeiro ok? hehehe... semana que vem te passo um e-mail.

Abraços, exista e resista assim como nossas bravas estudantes!

Anônimo disse...

Oi Lolinha ! Sou o A.

Na minha cidade (é bem pequena - do interior) tem duas escolas ocupadas já. Estou tentado a convocar minhas amigas e combinarmos com todo o pessoal de fechar a escola que estudamos também. Vamos nos reunir na sexta para ver essa possibilidade.

Mas, numa reunião nós discutimos essa possibilidade com alguns pais e com professores para ver se eles nos apoiariam caso isso acontecesse - pois os ânimos estão muito exaltados na minha escola, já tem uns grupos a favor da ocupação sendo formados.

E a maioria foi contra a gente fazer isso ! Sério ! Achei um enorme absurdo, me pus a falar dos riscos da PEC (para os professores e para a nossa geração), falei sobre a reforma do ensino médio e seus pontos negativos (convenhamos, não tem nenhum positivo nisso)... Mesmo assim eles não cederam ou deram indícios de apoio futuro.

Ao invés disso, tentaram nos desencorajar. Falaram que ia atrapalhar todo mundo numa época em que estamos próximo a vestibulares (e ENEM) e que também tem muito estudante que não quer nada da vida - e vai participar só por causa da "treta"... Óbvio que falaram outras coisitas, mas nem vale a pena reproduzir o que eles falaram. Foi muito desgastante tentar convencê-los... Minhas colegas e outras pessoas (inclusive alguns dos professores e país presentes) também discursaram a favor, porém... Vamos ver como a história vai se desenrolar.

Seu post me deu uma certa esperança. Vou me reunir com minhas amigas (vou falar pra elas lerem tbm; vai que acabam "sendo contagiadas" também !!!) e depois te mando um e-mail contando como foi a ocupação rsrsrs ! Já é quase certo que vai acontecer, só temos que nos organizar...

Obrigado pelo apoio Lola ! Como eu já falei, seu blog é muito importante !!!

Abração !

Anônimo disse...

Hahahahaha

Pec do fim do mundo!!! Muito criativo!

Fim do mundo é gastar o que não tem! O Brasil já tá quebrado gente, acabou a mamatinha!

Anônimo disse...

Já vi gente revoltadíssima por que ser de esquerda ainda não é crime. Depois nós que somos a favor de ditadura né? A hipocrisia corre solta e os da direita acaban caindo em contradições.
Vou só esperar pelos próximos capítulos e torcer pra que tenha um final digno, por que feliz acho difícil.
Como pode ter gente a favor de diminuir a liberdade e o direito dos brasileiros apenas por que não vai de encontro com seus ideais? Como eu queria que as pessoas aprendessem a viver no novo milênio.

Leonardo Vieira disse...

EU fico me perguntando qual e a definição de jovem idealista? Tudo o que a autora do blog escreveu, se via nos jovens que foram as ruas pedir o fim do governo Dilma e conta a corrupção, mais lendo os post daquela época, ela se referia a eles como coximhas, reaças que çutavam pelo fim da democracia, que não tinham ideias próprias pois estavam sendo feitos de massa de manobra. Detalhe tinham muitas mulheres também, sera que so idealista quem usa um boina e uma camisa vermelha com a cara Ernesto Guevara brandando ideias de esquerda.

E outras, esse estudantes que ocupararm as escolas, me pergunto onde eles estavam quando sucessivos escandolos de corrupção eram revelados, pois se tem duas areas que corruptos adoram tirar dinheiro e da saúde e educação. Porque não ocuparam as escolas, porque não revidicaram melhorias nesses 14 anos de governo de esquerda. Ou vai me dizer que ate ano passado estava tudo muito bem funcionando as mil maravilhas?


E AUTORA DO BLOG, calculasse que se o governo do pt tivesse sido ético, responsável com as contas publicas e não criado um esquema de corrupção para se manter no poder essa pec não seria nescessaria.

Anônimo disse...

Por mim, podem ocupar tudo. Podem ficar por lá uns dois anos. Não deve haver nenhuma repressão, nenhuma tentativa de desocupação.
Quem eles acham que estão prejudicando? Eu já fiz ensino médio, vestibular, graduação, pós... a porra toda. Já trabalho a anos com boa remuneração. Quanto menos gente pra concorrer, melhor.

Anônimo disse...

E os aparelhos do PT e PCdoB a todo vapor... Faz de conta que ninguém no Brasil sabe (coisa que já tá mais que manjada)

Charle Coimbra disse...

Não é PEC do fim do mundo, mas do fim do Brasil, do brasileiro. Banqueiros agradecem.

Anônimo disse...

Lola, tem certeza que vc se aposenta mesmo daqui a alguns (poucos) anos? Já conhece o teor da reforma da previdência?

Anônimo disse...

Qual mamata? Nao leu que a MBL ta recendo dinheiro?

Anônimo disse...

Leonardo, procura algo pra fazer porra. Meio triste impor sua presença aonde vc não é bem vindo.

Anônimo disse...

Deveria ter aprendido a usar "há" então pra se referir a um tempo passado. São esses jovens que vão trabalhar pra pagar sua aposentadoria. Imbecil. Se o Temer nao cortá-la também, claro.

Anônimo disse...

Exatamente Leonardo, tocaste na ferida agora. Essa questão de ressaltar as virtudes dos ocupantes das escolas, virtudes essas encontradas também nos jovens que foram as ruas pedir "fora dilma".

Acusavam tanto a direita de ter indignação seletiva, e agem exatamente da mesma forma. No fim das contas cada lado luta apenas pelos próprios interesses, e massa de manobra segue cegamente seus líderes.

natalia disse...

Olha, eu estaria disposta a fazer muito sacrifício por justiça social. Mas congelar gastos com saúde e educação para pagar juros? Ninguém me convence que isso é para o bem do Brasil. E engraçado que sempre que se fala em bem do Brasil, quem tem que pagar o pato é sempre o usuário de serviços públicos.

Rodrigo Almeida disse...

Agora só estão qrendo tirar a responsabilidade da reta pela morte do garoto, pq o motivo até pode não ter sido por conta da ocupação, mas deixaram os menores consumirem drogas, deixaram gente estranha entrar, não havia segurança, tanto q em outras escolas ocupadas, bandidos assaltaram estudantes e levaram equipamentos de lá.

Se não pode entrar professores q querem dar aula, não permitem seguranças e policiais, então quem mais seria responsável pela vida desses adolescentes?

A verdade é q a esquerda já esperava por essa morte, mas adorariam q fosse pela arma de um policial, porém foi um menor a procura de drogas q matou o próprio amigo. Daqui a um ano já sai com ficha limpa. E parabéns a todos os movimentos estudantis por até agora ficarem calados.

Anônimo disse...

a) Lola te desejo sorte e luz.

b) Lola estamos vivendo tempos sombrios agora a morte de um adolescente vai entrar nesta polarização política.

c) A grande verdade Lola é que os conservadores não ligam para os adolescentes e para as escolas eles querem constranger as esquerdas

Anônimo disse...

Estou tentando ao máximo me informar acerca das consequências da aprovação e da não aprovação da PEC 241 e juro pra vocês que ainda não consegui chegar a uma opinião definitiva.

Eu sou servidora pública federal do Ministério Público Federal. O que vejo aqui - e sei que acontece em outros órgãos em maior ou menor grau (geralmente maior) - é um completo descaso com o dinheiro público. Por exemplo, nos é reservado uma quantia X para ser gasta durante o ano em despesas em geral. No final do ano, geralmente não vemos que ainda tem dinheiro sobrando, o que fazemos? Gastamos tudo até 31/12 com livros ou no que quer que seja porque se não, orçamento vem menor no ano seguinte. Ou seja: gastamos sem precisar.
E isso pq estamos falando do MPF. Imagina o que não acontece nas universidades e outros órgãos ainda menos conscientizados.
É uma farra, uma irresponsabilidade e uma total incompetência na gestão do dinheiro.

Vejo colegas lamentando que vamos perder o garçom que vem diariamente nos trazer chá e café em mãos, ou que temos agora que comprar nosso próprio detergente para lavar a louça que sujamos na copa que temos anexa na assessoria, e ainda temos que lavar...

O serviço público no brasil não é nenhum pouco probo e econômico, eu sinto vergonha disso. Gastamos mais, mal.

O que sei é que o orçamento para inúmeros setores vai cair, com ou sem PEC. A PEC talvez ajude fazendo essa redução inevitável de forma mais planejada e previsível.

A bondade da esquerda é infinita. Querem garantir vacina, transplante, saúde da mulher, pré natal, tratamento de câncer. Querem uma educação de qualidade para crianças, jovens e adultos. O dinheiro, porém, ao contrário da empatia de vocês, tem fim. Não leva desaforo.

É claro que sei que a saúde pública está sucateada e que não é o café que vai sofrer impacto ali. Mas talvez o motivo seja não o orçamento, mas sim o modelo ineficiente que adotamos.

Quanto às ocupações, sequer tenho o que dizer, só sinto vergonha alheia sem fim. De pensar que já tive meus momentos... Ainda bem que passa. Infelizmente quem dá aula pras nossas crianças são essas pessoas de humanas....................

Depois que eu vi um requerimento de estudantes para garantir uma nota minima para jovens ativistas, para que eles tivessem mais tempo para militar, eu desisti.

Alicia

Anônimo disse...

Que jovens que foram as ruas pedir fora Dilma? O perfil dos batedores de panela não eram de jovens. Era tipo o pessoal que votou pra Gra bretanha sair da União Europeia.. Eles estão ferrando com um futuro que eles não vão viver.

Anônimo disse...

Vc ta sabendo que a polícia matou uma dessas ocupantes alguns meses atrás, né? Nas nesse caso a direita achou que a morte foi merecida já que nao tinha como torcer a historia pra culpar os movimentos sociais.

Anônimo disse...

A mamata de todos os servidores públicos que tem emprego e salários garantidos pra sempre só por ter passado em uma prova e nem precisam provar que produzem, ou seja trabalham o mínimo necessário pra não serem demitidos, fazem corpo mole serviço nas coxas e tem salário e reajuste garantido.

Anônimo disse...

A PEC não seria necessária se o congresso soubesse controlar os gastos. Agora nos ultimos anos o pib vem sendo negativo e os gastos publicos crescendo, não da pra gastar o que não tem. E sobre a dívida tem q pagar já está feita, aliás a dívida está alta justamente por causa dos gastos elevados. A sugestão da Lola pra conter os gastos é dar calote na dívida pública. Kkkkkkkkkk

Anônimo disse...

Uma pessoa responsável economiza dinheiro pra se aposentar ou faz uma previdencia privada, só um idiota pra ficar dependo de inss mesmo

Anônimo disse...

Obrigado pela honestidade. Realmente, o ideal seria não precisar de PEC e que os órgãos gastassem só o que fosse realmente necessário e que vá surtir efeito. Mas não é assim que funciona todo mundo quer sempre mais, e essa PEC congela os gastos "na marra"

Belle disse...

Olá Alicia,

Acredito que uma alternativa, além da melhor gestão do gasto público, seja a auditoria cidadã da dívida pública. Se os gastos do MP são mal gerenciados, imagina os juros bilionários dessa dívida que ninguém sabe para onde vão? Se a intenção fosse realmente melhorar a gestão pública, existiriam outras saídas que não o corte de investimentos em saúde e educação e a subserviência total ao capitalismo financeiro...

Anônimo disse...


Querida Lola eu gostaria de sugerir dois posts para vc.

a) Sobre o estupro em São Gonçalo.

b) A escola de princesa que está vindo para São Paulo

Anônimo disse...

Puxa Alicia

Eu ate concordaria com você, mas ver congelados investimentos em educação e saude pra que outros setores, inclusive o seu, mantenham seus privilégios, me faz ver isso tudo como uma palhaçada.

Eu sou filha de militar. Patente baixa. Daquela gente que entra na vida militar pra escapar da pobreza. Daquela época cujas filhas vão receber pensão até o final da vida. No meu caso, mesmo eu tendo me esforçado pra ter minha profissão e meu próprio dinheiro. Porque sempre achei injusto e porque vi ao longo da vida pessoas criticando essa pensão. Sempre pensei: Um dia vão dar um jeito de cortar isso, preciso me precaver.

Pois bem. Um dia, conversando com uma das minhas amigas mais conservadoras, mencionei essa pensão, como tudo anda mudando e etc, achando que ela ia seguir a cartilha de que quem recebe isso é privilégio injusto que devia acabar. Ledo engano: Ela citou um velho argumento "ah mas foi paga uma taxa pra que você receba essa pensão, ela é válida e justa" e tudo bem.

Admito que não sei se essa taxa paga é suficiente para que uma pensão se estenda uma vida toda, mas veja se não é pelo menos estranho: Imagine numa hipótese, uma pessoa que entra na vida militar, depois de muitos anos tem uma filha e começa a pagar essa taxa por uns 20 anos, até seu óbito; Digamos que se estenda uns 30 anos pra viuva até seu óbito; e imagine que aos 50 anos alguém pode receber uma pensão que pode se estender pelo menos por mais 30 anos, numa expectativa de vida média para os padrões atuais.

Diga o que quiser: chego a conclusão que neste país vale isso mesmo: dois pesos e duas medidas. Os privilégios dos mais ricos são protegidos e benefícios ou direitos dos pobres são sempre relativizados, tornados invisíveis, viram esmola, bondade de rico. E só às vezes, com muito medo, muitos poréns, muitas dúvidas.

Evidente que não sou rica e imagino que você também não, apesar de termos um padrão de vida considerado médio e bom.

Evidente que por mérito próprio você conquistou a sua vaga e a merece. Assim como meus genitores buscaram conquistar colocações e boas condições na vida.

Outras pessoas, um número muito pequeno mesmo, concentra imensas e grandes fortunas. Há muito tempo vejo que se fala o quanto são beneficiados com insenções fiscais diretas e indiretas. O quanto se vê as grandes empresas dessas pessoas, sempre tratando de redução de custos, de empregos e salários. E exigindo cada vez mais qualificação. Essa redução, essa eficiência, vai pra onde? Beneficia quem mesmo?

Mas se o estado faz conta pra manter pessoas como nós e intocados os que tem muito; e deixam milhões sem acesso a condições mínimas para viver... que pensar?

Tem horas que penso em renunciar a essa pensão. E outras em que penso que ninguém vai ligar mesmo. Porque afinal, hoje a população mostra sua face mais conservadora, aplaudindo e pedindo volta de ditadura militar. E se eu não ficar com esse dinheiro, ele vai pro bolso de quem mesmo? Não sei se vai pra saúde e educação sabe? Pode ir pra pagar uma divida do estado com algum banco (ao final um mega investidor) ou simplesmente pro cafezinho de quem está nos píncaros da administração pública.

Porque reforma da maneira com a qual a administração publica acontece, bem como seus atores, não vejo mudar.

Só vi um ou outro, que resolveu gastar com pobre, mesmo sendo "assistencialista", além de manter gastos e benefícios dos ricos intocado; Mas virou bandido, gastador, quebrou o país. Mas quem sou eu. Não estudei economia ou política o suficiente. Mas ando na rua, vejo as pessoas e a vida como ela é. Lembro de histórias na minha família de quem já passou fome. Sei lá, tudo me parece um teatro e um jogo estranho, com partes tenebrosas.

Mas como disse minha amiga conservadora, está tudo bem.

Eu que nasci com "privilégios", só acho tudo estranho e levo comigo um sentimento enviesado de vergonha e tristeza.

Rosa disse...

Tenho que aprender a só ler os posts e ignorar os comentários deste blog. O que tem de direitoso desocupado postando merda aqui é de dar náuseas.

Marcia disse...

Pois é Rosa, imagine se o feminismo fosse uma causa 'importante', como é que não se comportariam esses detratores que vivem nos dizendo que não importamos, mas oh: são mais assíduos que a maioria das feministas.

Anônimo disse...

É a Alícia mesmo ou alguém se fazendo passar por ela? Porque a Alícia que eu lembro, por mais que eu discordasse dela, era mais esperta. "Esse pessoal de humanas dando aula" Direito é o quê agora? Saúde? E eis que você, que também é "esse pessoal de humanas", tem uma posição política bem diferente do que tenta fazer crer hegemônica no grupo. E também quero saber em que curso de humanas o núcleo de matemática, física, química e biologia dessas escolas tirou o diploma.
Ainda bem que você reconheceu o absurdo de comparar o MP com um hospital ou uma escola pública. Se eu parasse pra cobrar o dinheiro que já gastei com giz e papel pra escola, estojo de geometria e lápis de cor pros alunos, eu ganhava até décimo quinto esse ano. Vai congelar gastos com educação? Sendo que a tendência é entrar mais aluno na rede? Congelar salário por 10 anos, provavelmente 20? Diminuir o salário e benesse de senador e juiz ninguém quer, né? Eu concordo que é preciso enxugar o serviço público. A questão é colocar, como sempre, a classe C pra pagar a conta.

Leonardo Vieira disse...

Meus amigos de esquerda, ja que vocês acham essa Pec tão nociva assim ao nosso país então qual e a proposta de vocês para tirar nossa economia do buraco?

Certamente não o modelo econômico adotado pelo pt, pois foi ele que levou o brasil a essa situação. Com certeza, não podemos ficar sentados e esperando tudo melhorar, pois como os esquerdistas sempre falam" desde de 2008 vivemos uma crise internacional", pois não sei se vocês estão acompanhado os jornais(talvez não pois são todos golpistas) o resto do mundo ja esta se recuperando ou ja se recuperou faz tempo da crise, aquela mesma que lula chamou de marolinha, e que pior do que nos só mesmo a Venezuela pais que vocês tanto admiram.



ficar criticando e não propor nada também não ajudar, e so reforça a quão inúteis vocês são.

Anônimo disse...

Alícia, parabéns pelo comentário.

Sou funcionário público também, e já trabalhei em Procuradoria de Secretaria Estadual de Saúde e Educação e depois em Universidade Federal, no mesmo cargo.
Tenho irmão no Judiciário e outro em Ministério Público Estadual.

E a situação é exatamente como você disse em TODOS os órgãos por que passei e em que meus irmãos estão.

Já vi comprarem material hospitalar redundante, que acabou estragando depois, só para cumprir o piso mínimo obrigatório na Saúde. Na Federal, compra de material de laboratório inútil e troca de carro do reitor e alguns outros desnecessariamente, só para gastar a verba.

Na Secretaria Estadual de Educação, tinha secção que, se fossem todos trabalhar ao mesmo tempo, não cabia todo mundo. Lado outro, material de informática que, licitado,já chegava defasado (centenas de computadores) por pura incompetência do setor de licitação, era rotina...

Em todos os orgãos, mais funcionários que o necessário. As vezes têm 4 fazendo o serviço que 2 dariam conta, com certa folga até.

Meus irmãos no Judiciário e no MPE dizem que lá é a mesmíssima coisa. Funcionários em excesso, ganhando muito acima do que receberiam em cargo equivalente na iniciativa privada.

**** Gente, vamos acordar!! Piso em educação e saúde não é garantia de nada. Se fosse, não teríamos os problemas que temos. ***

O dinheiro público escoa pelo ralo, em atividades meio, funcionários em excesso e excessivamente remunerados pelo que fazem.

Vivi e vivo isso na prática. E a culpa não é só da Dilma não. Era a mesma coisa no FHC, Lula e Dilma I.

Tristeza.

Se a PEC é a solução, eu não sei. Mas continuar do jeito que está, não tem como.

Valéria Fernandes disse...

Ainda bem que passa. Infelizmente quem dá aula pras nossas crianças são essas pessoas de humanas"

Isso aqui é piada, não é? Vou comentar com meus colegas da Física, da Química, da Matemática, da Biologia que, bem, todo mundo que dá aulas é de Humanas. A piadista, entretanto, deve ter esquecido que a área do Direito, da Administração e outras, também são de Humanas. Sei que houve um momento que a pessoa deveria saber, mas tudo passa, pelo jeito, pelo menos, para algumas pessoas.

Agora, não sei se alguém ouviu, mas na BandNews FM, ontem, à tarde, estavam discutindo a sucessão de Temer. Sim, a sucessão. Há temor de que a delação da Odebrecht queime de vez o governo Temer. Daí, para não termos novas eleições diretas (*essa parte é meu raciocínio em cima da notícia*), segurariam até virar o ano e teríamos o fim do governo golpista para colocar no lugar um governante eleito indiretamente pelo congresso. O rádio falou em dois nomes, FHC e Nelson Jobim. Enfim, a conspiração não termina, porque derrubar a presidenta, entregar o Pré-Sal e a Pec 241 não são suficientes.

Anônimo disse...

Anônimo Anônimo disse...
A mamata de todos os servidores públicos que tem emprego e salários garantidos pra sempre só por ter passado em uma prova e nem precisam provar que produzem, ou seja trabalham o mínimo necessário pra não serem demitidos, fazem corpo mole serviço nas coxas e tem salário e reajuste garantido.

26 de outubro de 2016 18:12

Fale por vc amigo, eu sou funcionário público e tenho orgulho de dizer que presto um serviço de qualidade. Faço isso por lembrar das vezes em que precisei ser atendido em repartições e fui tratado com grosseria, por isso faço questão de ser simpático, atencioso e eficiente com todos que passam no meu setor. E tem muita gente boa aqui também, não sou só eu, a geração come/dorme está se aposentando e deixando o serviço público aos poucos, graças a Deus!

Anônimo disse...

Quanto a funcionários públicos tb já vi repartição e funcionários precarizados. Salários baixos tb. Acho que é a maioria da realidade do funcionalismo. Alguns que falam aqui são de estratos mais altos, fora que há muita terceirização e generalização também.
Só sei que altos funcionários, políticos e grandes fortunas tem benefícios demais...

Marcia. disse...

Hoje eu fui dar aula de ônibus, com o meu crachá, que é grande, escrito: professora, direito constitucional. Uma senhora negra, emprega doméstica, me abordou e disse se eu entendia da tal lei nova que vai cortar a previdência social.

Respondi que sim, não sou uma especialista em economia, mas sabia sobre o que significa a nova lei - PEC. Mas na verdade, ela não queria debater a Pec, queria contar a sua história e saber como sua vida financeira será nos próximos anos, já que ela é diarista autônoma (ou seja, não tem nenhum direito assegurado pela pec dos trabalhadores domésticos).

Ela me perguntou o que seria do salário mínimo e dos benefícios previdenciários. Ela tem um filho de 24 anos, analfabeto, com demência média e autismo. Ela nunca conseguiu matricular o filho numa escola especial (na minha cidade, a melhor, é privada. 6.000 reais de mensalidade) e na escola pública, o menino - hoje um homem - não aprendeu nem a ler nem a escrever. Ou seja, não é candidato hábil a nenhum emprego para pessoas com deficiência mental.

A um ano atrás, ela teve câncer de mama, foi demitida da maioria das casas onde trabalhava (e aqui é de cair o cu da bunda, como uma mulher tira o emprego de outra, justo quando ela se submeter a tratamento de câncer?), fez a amputação da mama, quimioterapia (no SUS) e, embora não tenha conseguido o auxílio doença (não era contribuinte autônoma o tempo suficiente), consegui o benefício do LOAS para seu filho, pois a renda diminuiu drasticamente.

Marcia. disse...

Cont.
Ela se curou do câncer, mas não sem consequências - perdeu parte dos movimentos do braço - efeito comum, quando se tem tumores localizados na região da axila, e embora possa trabalhar, já não é mais tão 'rápida' quanto antes.

Na sua última ida ao INSS, para continuar pagando a previdência como autônoma, lhe foi avisado que o filho dela poderá perder o LOAS, já que ela é contribuinte autônoma no valor de um salário mínimo. Se ela continuar pagando, haverá uma comprovação no sistema, de que a renda familiar dela é superior há necessária para a concessão do LOAS. Como autônoma, há meses em que ela tira um salário mínimo, há meses em que não. Mas ela gostaria de continuar contribuindo, pois sente que precisará se aposentar um dia, pois o trabalho doméstico já está ficando pesado para ela, e se ela adoecer novamente, precisará do auxílio doença. Me disse com lágrimas nos olhos, que trabalhar depois da quimio era muito ruim, não parava de vomitar, as 'patroas' não gostavam.

Feita a história, as perguntas foram: a nova lei vai tirar o benefício do meu filho? Eu vou poder pedir aumento no valor da minha faxina, como faço todos os anos, quando mínimo aumenta? Eu vou poder me aposentar?

Expliquei a senhora que ainda não sabíamos com certeza, mas que há pessoas preocupadas com o fato de que tudo isso que a senhora precisa ficar bem mais difícil de conseguir. Que sim, possivelmente o mínimo vai ser congelado, reajustado apenas de acordo com a inflação do ano anterior. Ainda não estamos decidindo sobre a previdência, mas que novas ordem para cortar ao máximo os benefícios previdenciários. Ela me pergunta: de quem? Do presidente? A resposta é uma só: sim, do presidente.

Expliquei que a PEC provavelmente irá impactar os gastos com saúde e educação, o que no caso dela significa que, se alguém não desocupar uma vaga já existente em escola especial, o filho dela não terá atendimento público. Ela me disse que já estava conformada, havia tentado três vezes na justiça conseguir escola especial para o filho, nunca conseguiu.

Sobre a saúde, eu disse que os futuros exames que ela precisará fazer para acompanhar a cura do câncer (não consegui falar remissão... dá tanto medo) continuaram a ser direito dela, porém podem atrasar, se a demanda por exames preventivo aumentar, pois os hospitais terão exatamente os mesmos recursos do outro anos para tratar de todos os pacientes. Se vai acontecer? Não sabemos com certeza, mas é de se esperar que mais gente vá precisar dos hospitais, pois nossa população envelhece. E é isso que preocupa as pessoas que são contra a medida.

Ela me olhou preocupada, agradeceu e disse que tentaria então, novamente, arrumar um emprego fixo o quanto antes, mas que depois do câncer, isso ficou difícil para ela. Também me contou que ela cuida sozinha do pai do menina, que foi embora quando ele tinha dois meses, e se descobriu que ele era deficiente. Por causa do filho, nunca pode arrumar um emprego fixo, pois ele precisa ser olhado todo o tempo.

Fiquei com o coração apertado... Sei que é dever do Estado cuidar para que essa senhora tenha todas as condições para levar a vida, e aqui está ela, outra brasileira com renda mensal máxima de 880 reais + os trabalhos provisórios que ela arrumar, que vai pagar a conta para manter os gastos do Estado 'sob controle'.

Anônimo disse...

Concordo com o Ciro Gomes, quando ele afirma que o Temer vai ser usado até onde der, praticar todas as maldades possíveis, e depois vai ser tirado do cargo.

Teremos então um novo governo que a imprensa apoiará completamente, desligando-se completamente de Temer, que sairá como um maldito no meio político (condição que perdurará pelo menos por alguns anos).

E esses tontos que defendem o Temer hoje novamente vão acatar o mesmo discurso da imprensa, aceitando um novo salvador da pátria, qualquer que seja, porque pelo visto aceitam tudo.

Nesse cenário a juventude que se revolta é um alento, mas esses adolescentes estão sozinhos! Os poderes instituídos não irão os proteger, o Judiciário aderiu ao golpe incondicionalmente, vive numa realidade paralela há tempos mas agora a coisa se tornou declarada - não existe mais ordem constitucional. Tenho medo por eles.

Anônimo disse...

E os estudantes que não concordam com ocupação se que lasquem, não é?

Anônimo disse...

Pra mim, ocupar escola não é manifestação social. É querer empurrar sua posição política goela abaixo de todos.

E tem outra, quem disse que esses estudantes que ocupam as escolas são representantes de todos os outros? A Lei? A UNE?

A UNE representa todos os estudantes? A UNE status legal de sindicato?

Esses que ocupam são representantes votados ou simplesmente resolveram tomar a representatividade de todos os estudantes pra si?

Pra fazer manifestação sobre segurança pública, quero ver quem vai lá ocupar a delegacia ou o quartel da PM. Tá lançado o desafio.

Anônimo disse...

Anônimo disse...
Quanto a funcionários públicos tb já vi repartição e funcionários precarizados. Salários baixos tb. Acho que é a maioria da realidade do funcionalismo. Alguns que falam aqui são de estratos mais altos, fora que há muita terceirização e generalização também.
Só sei que altos funcionários, políticos e grandes fortunas tem benefícios demais...

27 de outubro de 2016 08:16

O grande problema nem são os funcionários, são os tais CC's, os cargos em comissão. No meu município posso afirmar tranquilamente que 90% dos CC's são parasitas que ganharam a vaga por serem cabos eleitorais. Gente inútil, sem vontade nenhuma de realmente ajudar a população e criar projetos. Tem um em especial que é daqueles que gostam de dizer "mas eu sou diretor", ou a clássica "e se eu mandar fazer?". E esse traste recebe em torno de R$ 10.000,00 mensal... é de chorar.

O sistema político no Brasil é uma piada, enquanto não derem um jeito de exterminar o apadrinhamento, vamos continuar na fossa. Trocam as moscas, mas a merda segue a mesma!

Anônimo disse...

Márcia

Por seu relato cada vez mais acredito que as pessoas que tem privilégios não tem coração, alma, humanidade, estão cegas e engessadas.

Eu tb me incluo aí.

Mas apoiar um governo desse é intragável. Sem condições. É absurdo e desumano

Anônimo disse...

Ok gente, desculpa. a frase sobre o pessoal de humanas foi totalmente infeliz.
Mas nao retiro o que disse sobre o absurdo que é a quantidade de gente com cargo publico eterno que não faria falta alguma se deixasse de trabalhar. A quantidade de dinheiro que vai pelo ralo.

É muito absurdo gente. Isso tem que ter fim.

Eu sei que não é a PEC que vai acabar com isso, mas a irresponsabilidade tá demais.

Quem perpetua tudo isso é, como sempre, o próprio Estado. O capitalismo independente, sem lobbys no congresso nacional, sem tantos incentivos e privilégios...

Já falei sobre tudo isso aqui e posso falar muito mais. Não acho que o Estado tenha que ser responsável por tudo. Os impostos deveriam ser menor, teríamos mais dinheiro em mãos, ecolheríamos como gastar. O capitalismo não gosta de ngm na miséria. Ele gosta de gente que tem dinheiro pra consumir. Se vc só tem dinheiro pra consumir uma escola de 300 reais e não de 6000, o capitalismo vai dar um jeito de vender pra vc.

Alícia

Anônimo disse...

Na verdade, eles não precisam ocupar - só os que realmente quiserem participar serão bem vindos...

E como vivemos numa sociedade democrática, fazemos uma votação e decidimos o que (e como) faremos.

O direito da maioria não retira o da minoria, óbvio. Mas pelo menos eles precisam respeitar a nossa forma de manifestação (apenas alguns dias ! Depois os professores irão repor as aulas, não irá prejudicar alguém !) - assim como os respeitamos quando eles estavam se manifestando contra a Dilma e tals... Não acha ?

Ou a regra só vale pra quem concorda com você ?

Marcia disse...

Alícia, eu tenho sérias dúvidas históricas se o capitalismo não gosta mesmo de pobreza.

Financeiramente, o sistema não depende do consumo de todos os habitantes do planeta, pode muito bem se manter com menos de 10 % da população de um território com renda fixa. Era assim no Brasil colônia e grande parte do império, antes da leva de imigrantes europeus no final do XIX e início do XX, e o Capitalismo sobreviveu muito bem obrigada por alguns séculos.

África tem, historicamente, países com péssima distribuição de renda, mas uma única constante: sistema capitalista de pé, desde a colonização. Inclusão de todos, como consumidores com renda própria, é uma concessão que o liberalismo econômico do século XX fez ao debate com a social democracia. Do lado esquerdo, falharam miseravelmente todas as tentativas de controle total do estado na economia e mesmo nos países socialistas, o capitalismo se reinventou. Com menos exclusão do mercado de consumo? Sim. Com bem menos liberdades políticas? Infelizmente, também.

Não consigo ser otimista em relação a capacidade de humanização do mercado. Sobre impostos, se for para diminuir os impostos de quem recebe menos, apoio totalmente. Uma beneficiária do bolsa família que recebe hoje, 175 reais, irá pagar 55 reais de impostos na compra de itens da cesta básica. Isso é um absurdo! Outra coisa que não consigo entender como justa é como que alguém que recebe até 15.000 reais por mês, precisa pagar a mesma percentagem de quem recebe 1.000.000. Taxar grandes fortunas é uma medida necessária para desonerar a classe média e as classes baixas. Mas esse governo? Nem será discutida tal proposta.

Por fim, eu concordo com a sua avaliação do mal uso de recursos públicos pela alta burocracia, é um absurdo, especialmente dentro do judiciário. O

ntem, numa nota no valor econômico, uma economista gaúcha apresentou uma comparação de corte de custos que achei pertinente.

Ela analisava a mais nova diretriz do ministério (ou secretaria, não me lembro a denominação) da seguridade social que cortou benefícios assistências - Loas - de beneficiários cadastrados sem CPF (uma forma pragmática e fácil de controle do Estado, mas que pode ser bastante injusta com populações que não tem acesso pleno a documentos), a economia anual da medida será de 125 milhões de reais.

Comparou então a economista: se o auxílio moradia dos juízes federais das cortes recursais fosse cortado (estou falando de juízes que moram em Capitais dos Estados), a economia seria de 300 milhões de reais mensalmente.

Não preciso dizer que não há um único projeto sendo votado no parlamento agora para cortar o auxílio moradia de juízes no valor de 4 mil reais mensais, para funcionários públicos com salário líquido em torno de 16 mil mensais, preciso?

A mim esse projeto de PEC 241 não engana. Não são os gastos exacerbados do governo o alvo, é a expansão de políticas sociais que está na mira.

Anônimo disse...

Anônimo Anônimo disse...
Na verdade, eles não precisam ocupar - só os que realmente quiserem participar serão bem vindos...

E como vivemos numa sociedade democrática, fazemos uma votação e decidimos o que (e como) faremos.

O direito da maioria não retira o da minoria, óbvio. Mas pelo menos eles precisam respeitar a nossa forma de manifestação (apenas alguns dias ! Depois os professores irão repor as aulas, não irá prejudicar alguém !) - assim como os respeitamos quando eles estavam se manifestando contra a Dilma e tals... Não acha ?

Ou a regra só vale pra quem concorda com você ?

Detalhe: a ocupação está atrapalhando o rendimento escolar de quem QUER estudar, não são só "alguns dias", já estão lá há um tempão e não tão fazendo nada de produtivo.

Quanto as manifestações contra a Dilma, elas aconteciam nos DOMINGOS, de modo que o prejuízo fosse o menor possível pra quem tem compromissos (trabalho/estudo e afins).

O problema não é manifestar a opinião, o problema é paralisar a vida dos outros pra expressar sua opinião.

E quanto a repor aulas... faz me rir colega...sabe de nada inocente!

Amanda Berti disse...

Olá
Gostaria de te dar uma sugestão. Conheço uma pessoa que tem o pensamento bem parecido com o seu, tb recebe uma pensão (relativamente alta) do governo, que ela mesma acha indevida. Ha uns 6 anos ela ajuda, com esse dinheiro, uma senhora que mora perto da casa da mãe dela, pois ela trabalha e ganha super bem e tal. Ela paga o convenio da senhorinha, que é bem doente e "não tem familia" (abandonaram), e tambem ajuda uma instituição de defesa dos animais. Acho a atitude dela extremamente nobre e humana. Lembrei disso quando li o relato da Marcia abaixo falando da sra com câncer. Talvez vc pudesse ajudar alguém nessa situação ou ate mesmo essa sra se a Marcia tiver o contato. É bom pros dois lados. Abraço

Anônimo disse...

Quem gosta de pobreza são os políticos, não os capitalistas. Capitalista gosta de vender e, para isso, é preciso que haja quem compre. Quanto mais melhor. Miseráveis não consomem. Eles apenas votam. E votam em quem promete coisas que eles carecem.

Vamos lá. Estamos vivendo um período histórico, enquanto raça humana, em que as pessoas vivem mais e melhor. Mesmo uma pessoa da classe C hoje é mais rica que um Rei de dois séculos atrás. Uma pessoa da classe C hoje, tem banheiro em casa. Cozinha. Energia elétrica. Acesso à informação e, por pior que seja, à saúde e noções básicas de higiene. A riqueza de qualquer um de nós que participam desse debate, por mais pobre que seja, é muito superior a de qualquer aristocrata de séculos atrás.

As tecnologias desenvolvidas no último século, em várias frentes, propiciaram tudo isso. E por mais que o ser humano seja uma criatura admirável, por mais que tenhamos vários exemplos de pessoas altruístas, não é bem essa a motivação de quem busca desenvolver algo que seja útil para alguém. Estamos falando de qualquer coisa. Do moço que vende cachorro quente na esquina da sua rua ao Bill Gates. Ambos querem ganhar dinheiro e, para isso, fazem algo que acha que as pessoas irão querer adquirir. Quanto mais gente quiser e puder comprar, melhor.

Então não. Os donos do capital - que nada mais são que os capitalistas - ele não estão interessados em gente pobre. Disseram pra gente que, para alguém ser rico, alguém precisa ser pobre, mas isso é mentira. Quanto mais riqueza no mundo, melhor.

A quem interessa a pobreza, então? Por que ainda existe tanta miséria no mundo?
Respondo: ao estado interessa. E quanto maior ele é, maior a pobreza de um país.

Nós já vimos que o ser humano é movido pelo egoísmo. Não o egoísmo mesquinho. Mas o egoísmo que faz pensar em nós primeiro (preciso de dinheiro para viver). Não é errado isso.
O estado, porém, vai no caminho oposto. Quem faz parte dele, o faz para servir. Uma pessoa pública deve ser altruísta. Mas não é isso que acontece, não é mesmo? As pessoas não se tornam mais altruístas porque passam em um concurso ou são eleitas. Continuam pensando em si, em primeiro lugar. E como não podemos mudar a natureza humana, devemos fazer o que se pode: diminuir o Estado até o tamanho máximo q ele é essencial. Não mais que isso. Assim, menos dinheiro passará por ele através dos impostos (que deverão ser menores, por óbvio). Menos burocracia e regulamentação também são bem vindas.

Um estado menos burocrático, em que parlamentares não tem poderes de votar leis e mais leis que muitas vezes só servem para regular e regular serviços até tornar impossível alguém abrir uma empresa regularmente no país, só servem para minar a concorrência. E a quem interessa isso?! Aos grandes capitalistas que só estão desse tamanho porque não temos a opção de falar "não, obrigada, o seu serviço tá caro demais, vou no concorrente". Em resumo: é o estado hoje quem faz o capitalista gigante se tornar maior, monopolista. Um estado menor que deixa o mercado mais livre possibilita mais concorrentes para nós, consumidores, escolhermos. Isso faz o preço cair.

Mas isso só é possível com menos leis inúteis, menos impostos (você decide o que fazer com o seu dinheiro, se quer doar todo para a caridade. Porque vc se sente confortável em delegar ao estado a tarefa de gerir o que vc suou para ganhar? Estima-se que, no Brasil, desde a emissão do dinheiro pelo BC até esse mesmo dinheiro retornar aos cofres públicos em forma de imposto, o dinheiro passou na mão de, no máximo, 3 pessoas. Em lugares como os EUA o dinheiro passa, pelo menos, na mão de 9 pessoas antes de se esvair em tributo). Isso gera falta de estímulo para as pessoas criarem.

As causas da pobreza não são os capitalistas. É o estado. E quanto menor ele for, melhor pra gente.

Alicia

Anônimo disse...

(Viviane)
Eu avisei, em vários sites de esquerda, que essa história de manifestação aos domingos não daria certo... Ninguém quis me ouvir, agora a direita usa isso como argumento.
Manifestação que não incomoda não é manifestação, é festa.

Anônimo disse...

E antes que alguém me acuse de ser só mais uma reaça, eu quero esclarecer que eu sou a favor do casal gay ter porte de arma pra proteger sua plantação de maconha.
Ou seja: sou a favor da liberdade.

Todos aqui queremos o mesmo. Q todos tenham uma vida digna. Apenas o modo de se alcançar isso é que muda. Eu não acho que é o estado quem tem q resolver isso, até pq pra mim, é ele o responsável por tudo isso, ainda mais qdo nos dá a ilusão de que está ajudando os pobres (bolsas, direitos trabalhistas, etc).

Eu acho que o estado é o entrave para o nosso desenvolvimento e gostaria que não fôssemos obrigados a delegar pra ele todas as tarefas, pois já está mais q provado que ele não tem competência para desempenhá-las.

alícia

Anônimo disse...

Alícia de deus, sabe quem manda no Estado? Faz alguma ideia de quem define política públicas????

Pasme, os capitalistas! Sem Estado e sem a divisão do mundo da forma como está, não haveria capitalismo. Isso é um fato histórico.

Desculpe te decepcionar, mas o Estado só faz o que a sociedade quer, e a sociedade agora está convencida (assim como vc) de que o melhor mesmo é deixar os pobres por própria conta, mas claro, mantendo o cabresto com o aparato policial. Porque do cabresto sobre os seus escravos, disso os capitalistas não abrem mão.

Tem um estudo recente que demonstra isso: que as democracias hoje representam os interesses dos mais ricos, isso nos EUA:
https://scholar.princeton.edu/sites/default/files/mgilens/files/gilens_and_page_2014_-testing_theories_of_american_politics.doc.pdf

Se oriente, pessoa.

De nada



nete disse...

#exoneraalicia (2)

Anônimo disse...

Se informa, pamonha. As escolas e universidades ocupadas da minha cidade só fizeram ocupação dps de assembléia estudantil e a maioria decidir pela ocupação. Não foi na assembléia, não falou contra, responda pela omissão em vez de ficar de mimimi que "ain movimento não representa todos os estudantes"

Anônimo disse...

Eu acho tão lindo esse argumento do "prejudica o pessoal que quer estudar". Olha o rendimento acadêmico dos alunos que estão fazendo as ocupações. Maioria bom aluno. Falando pela minha faculdade, o pessoal mimizento do "atrapalha quem quer estudar" é justamente quem faz faculdade pra papai ver, tem rendimento acadêmico baixo e já tomou pau em algumas disciplinas. Além de quê, quer mesmo estudar? Monta um grupo de estudo. Vai na biblioteca municipal. Propõe a professores e alunos voluntários que dêem aulas durante a ocupação. Se a vontade de estudar desses alunos é tanta, eles podem perfeitamente continuar estudando por alguns meses sem aula tradicional. Mas aí é admitir a hipocrisia, né?

Anônimo disse...

Parei de ler no "quanto maior o Estado, maior a pobreza". Deve ser por isso que todo mundo quer se mudar pra Europa. Imagino como os operários do início da revolução industrial se sentiam felizes por saber que mesmo trabalhando 14 horas por dia, "eram mais ricos que os reis de x anos atrás". Alícia, achar que mercado se regula sozinho pro bem de todos é tão utópico quanfo achar que um Estado comunista não vai ser autoritário.

Anônimo disse...

Viviane, vc pedir p eu me exonerar eh o mesmo q pedir p uma pessoa q defende o socialismo não consumir.

Ademais a Márcia não explicou nada, apenas jogou um achismo dela que não tem qualquer conexão com a realidade.

Quanto ao estado ser hoje comandado por capitalistas eh só ler meu comentário p perceber q eu tb disse isso. Os grandes monopólios acham mais fácil controlar Brasília do que sobreviver a um mercado sem mtas intervenções,onde a concorrência iria pipocar. Então eles tem lobistas profissionais. Mas isso só eh possível pq o estado realmente pode intervir a favor deles por meio de leis favoráveis aos interesses deles. Se nós, povo, q somos os reais detentores do poder, não delegassemos isso aos políticos quebrariamos o ciclo vicioso. P isso, basta o estado ser menor e se ater ao essencial (jurisdição por exemplo).

Alicia

Anônimo disse...

(Viviane)
Não, não é. Consumo é anterior ao capitalismo e pode muito bem ser posterior a ele.
E sobre o comentário da Márcia ser "achismo sem conexão com a realidade", se você tivesse assistido às aulas de Filosofia e Sociologia da sua graduação entenderia o que ela quis dizer. Mas estamos formando gerações de concurseiros decoradores de apostila, dá nisso...

Anônimo disse...

Anônimo disse...
Se informa, pamonha. As escolas e universidades ocupadas da minha cidade só fizeram ocupação dps de assembléia estudantil e a maioria decidir pela ocupação. Não foi na assembléia, não falou contra, responda pela omissão em vez de ficar de mimimi que "ain movimento não representa todos os estudantes"


Sei, assembléia. Com voto secreto e contagem confiável. Só que não.

Vai lá na assembléia dos esquerdistas da UNE se manifestar contra. Constrangimento é o mínimo que vc passa.

Sabendo disso, que estudante vai se enfiar lá pra se manifestar contra e ser vaiado.
Bullying é apelido do que a pessoa vai passar.

Pra uma dessas é que serve o voto secreto.

Aliás, não só os estudantes que tem que votar. Já que a maioria são menores, os pais também tem esse direito. Convidaram eles?

Anônimo disse...

Eu ia responder o Anônimo de 27 de outubro de 2016 (14:36)...

Mas você, migue das 22:28 respondeu lindamente ! Obg !

Anônimo disse...

(Viviane)
Eu avisei, em vários sites de esquerda, que essa história de manifestação aos domingos não daria certo... Ninguém quis me ouvir, agora a direita usa isso como argumento.
Manifestação que não incomoda não é manifestação, é festa.

27 de outubro de 2016 17:52

Manifestação que impede as outras pessoas de cumprirem seus compromissos não é manifestação, é BADERNA!!!

Anônimo disse...

Anônimo Anônimo disse...
(Viviane)
Eu avisei, em vários sites de esquerda, que essa história de manifestação aos domingos não daria certo... Ninguém quis me ouvir, agora a direita usa isso como argumento.
Manifestação que não incomoda não é manifestação, é festa.

27 de outubro de 2016 17:52

Claro que deu certo, conseguimos tirar a Dilma! TOMA TROUXA!!!

O que não dá certo são as de vocês, que até agora não fez nem cócegas na tranquilidade da classe dominante! Comecem a sair fazer passeata nos domingos também, quem sabe vocês conseguem tirar o Vampirão! Boa sorte!

Anônimo disse...

"Conseguimos tirar a Dilma". A ignorância de achar que articularam o impeachment da Dilma por pressão popular é inacreditável.

Anônimo disse...

E ae Lola, não vai falar nada sobre a menina que discursou das escolas ser FILHA DE MILITANTE PETISTA??? Caiu a máscara né! Tudo armadinho!!! Se não quiser publicar vou entender.....KKKKKKK

Anônimo disse...

Trabalho mal completado, diga-se de passagem. Mas nao poderia esperar menos da direita, afinal ela se contenta com migalhas. Nao esperaria menos dessa massa de manobra que foi a favor do impeachment da dilma e preferiu deixar o temer ao invés de tirar os dois.
E a esauerda incomoda sim amigo, tanto que a midia se da todo um trabalho pra vilanizar os estudantes que estao ocupando as escolas e pessoas como voce se dao o trabalho de vir em blogs como o da lola pra se reafirmar que estao por cima. Se nao incomodassemos, nao precisariam se dar ao trabalho, nao e mesmo?

Anônimo disse...

A assembléia não foi da UNE, cada escola e universidade ocupada que conheço convocou a própria assembléia. Repito: se na hora de tomar a decisão fica quieto, lide com as consequências da omissão dps. Ou então monta oposição, convoca professores e alunos contra as ocupações pra dar aula no meio da rua. Mas reitero: os alunos que vejo reclamando que "querem estudar", a maioria vai na faculdade pra passear e só quer agradar papai com esse papo.
Além disso, se pai quer impedir filho de participar da ocupação, corta mesada, tranca a casa. O fato de ainda ter tantos jovens nas ocupações só prova que a) os pais não são contrários ou simplesmente não se importam b) a juventude tem muito mais coragem do que tentam dar crédito a ela e não vai ser pai ameaçando expulsar de casa que vai impedi-la de lutar.

Anônimo disse...

Anônimo Anônimo disse...
Anônimo Anônimo disse...
(Viviane)
Eu avisei, em vários sites de esquerda, que essa história de manifestação aos domingos não daria certo... Ninguém quis me ouvir, agora a direita usa isso como argumento.
Manifestação que não incomoda não é manifestação, é festa.

27 de outubro de 2016 17:52

Claro que deu certo, conseguimos tirar a Dilma! TOMA TROUXA!!!

O que não dá certo são as de vocês, que até agora não fez nem cócegas na tranquilidade da classe dominante! Comecem a sair fazer passeata nos domingos também, quem sabe vocês conseguem tirar o Vampirão! Boa sorte!

28 de outubro de 2016 13:47

O que a esquerda reluta em admitir, é que nunca conseguirão mobilizar tanta gente quanto foi pra tirar a Dilma. E sabem disso, aí o que fazem é tentar incomodar pra se fazer ouvir. Sabe quando está calor, e você se cobre até a cabeça com o lençol, pra escapar dos mosquitos, mas sempre tem um que fica zunindo próximo a sua cabeça? Pois é, a esquerda é este mosquito. Sabe que não vai conseguir te picar, mas fica ali incomodando, querendo tirar seu sono.

Até levar uma chinelada!

Anônimo disse...

Anônimo Anônimo disse...
"Conseguimos tirar a Dilma". A ignorância de achar que articularam o impeachment da Dilma por pressão popular é inacreditável.

28 de outubro de 2016 14:03

A ordem dos tratores não altera o viaduto!

lola aronovich disse...

Isso é o melhor que vcs podem fazer, ô anon das 14:08? Dizer que o pai da Ana Júlia é advogado e participou de um debate do PT sobre Energia e Recursos?! E se o cara for mesmo militante petista, é proibido, por acaso? É tipo dizer que Aécio é neto de Tancredo, daí ele não pode fazer um discurso político! Todo mundo é filho de alguém. O que importa é que Ana Júlia veja quem é ela) fez um belo discurso que vcs estão desesperados pra desqualificar, porque sabem que o discurso foi eficiente. Já vi reaça dizendo que ela não sabe falar (sério?! Ha ha), que ela é um papagaio repetindo ideias dos outros, que sofreu lavagem cerebral, que não pensa por si mesma... Incrível como vcs reaças não botam fé nos jovens, né? Já parou pra pensar que talvez os que sofreram lavagem cerebral e só repetem besteiras são VOCÊS, reaças, não esses jovens revolucionários? Idiotas úteis são vcs, que defendem interesses de banqueiros! Não jovens que lutam pra mudar o mundo!

Anônimo disse...

Anônimo Anônimo disse...
A assembléia não foi da UNE, cada escola e universidade ocupada que conheço convocou a própria assembléia. Repito: se na hora de tomar a decisão fica quieto, lide com as consequências da omissão dps. Ou então monta oposição, convoca professores e alunos contra as ocupações pra dar aula no meio da rua. Mas reitero: os alunos que vejo reclamando que "querem estudar", a maioria vai na faculdade pra passear e só quer agradar papai com esse papo.
Além disso, se pai quer impedir filho de participar da ocupação, corta mesada, tranca a casa. O fato de ainda ter tantos jovens nas ocupações só prova que a) os pais não são contrários ou simplesmente não se importam b) a juventude tem muito mais coragem do que tentam dar crédito a ela e não vai ser pai ameaçando expulsar de casa que vai impedi-la de lutar.

28 de outubro de 2016 14:13

Tu vê pouco aluno então, na minha cidade já tem muita gente se organizando em grupos de estudo e salas alternativas pra continuar estudando. Mas assim como a escola é dos que ocupam agora, ela também é dos que são impedidos de usá-la. Está sendo cerceado o direito de ir e vir em local público.

E outra, menores de idade não respondem por si, os pais são responsáveis. Se os mesmos estão sendo omissos quanto as essas ocupações, devem responder civil e penalmente pelos delitos dos filhos!

Anônimo disse...

Ué, mas o movimento não era apartidário??? Se tem gente hasteando bandeirinha lá dentro, deixou de ser não é?

Não tem problema nenhum ter um partido por trás, aliás, sempre tem. Em tudo. Envolveu interesses e sociedade, envolve política e partidos querendo tirar vantagem. Só não tentem pintar então que "alunos estão batalhando por um futuro melhor para todos", por que não estão não. Estão batalhando por um futuro melhor para sua facção. Assumam como as coisas são na realidade.

Quanto a defender interesses de banqueiros, só pra te lembrar, o período em que eles mais lucraram foi durante o governo dos reaças Lula e Dilma. Quem é amigo de banqueiros mesmo???

lola aronovich disse...

E o pai de alguém ser filiado a algum partido (se é que é mesmo, até agora só vi que o cara participou de um debate -- e se ele for petista, é proibido, por acaso? Vcs ainda não conseguiram criminalizar o PT e outros partidos de esquerda! Sei que estamos vivendo tempos de CCC -- Comando de Caça aos Comunistas -- mas essa criminalização é ridícula) faz da filha partidária? É genético? Assim que vc nasce, se seu pai é do PT, o bebê vira petista também? O que o pai de alguém tem a ver com um movimento nas escolas? É óbvio que esses jovens têm ideias de esquerda. Senão nem teriam ocupado escolas.
E cara, vai pastar! Vc realmente acha que os banqueiros vão ter preju agora com o governo Temer?

Anônimo disse...

É assim que eu gosto, esquerda e direita babando e uivando como lobos, se degladiando, enquanto nós políticos enchemos os bolsos!

DANCEM MARIONETES, DANCEM!!!

Anônimo disse...

É óbvio que esses jovens têm ideias de esquerda. Senão nem teriam ocupado escolas.

SER DE ESQUERDA = EMPATAR A VIDA DOS OUTROS EM PROL DE "UM MUNDO MELHOR".

E cara, vai pastar! Vc realmente acha que os banqueiros vão ter preju agora com o governo Temer?

QUEM FALOU DE BANQUEIROS FOI VOCÊ! APRENDA UMA COISA QUERIDA, OS GOVERNOS PRECISAM DOS BANQUEIROS, SEJA ESQUERDA OU DIREITA, E ELES NUNCA ENTRAM NA JOGADA PRA PERDER!

Anônimo disse...

"Tu vê pouco aluno então, na minha cidade já tem muita gente se organizando em grupos de estudo e salas alternativas pra continuar estudando." Mas é exatamente meu ponto. O aluno que quer estudar vai continuar estudando; na escola ocupada da minha cidade os alunos tão montando grupos na própria escola. Isso de que "atrapalha quem quer estudar" é desculpa pra tentar pintar os ocupadores de "vagabundos sem compromisso" - sendo que muitos que estão lá são excelentes estudantes.

"Mas assim como a escola é dos que ocupam agora, ela também é dos que são impedidos de usá-la. Está sendo cerceado o direito de ir e vir em local público.
E outra, menores de idade não respondem por si, os pais são responsáveis. Se os mesmos estão sendo omissos quanto as essas ocupações, devem responder civil e penalmente pelos delitos dos filhos!" Aqui entramos na esfera jurídica e eu admito que não tenho formação alguma em Direito pra poder te responder. Mas creio que se as ocupações fossem atentados flagrantes ao "direito de ir e vir" (entendo o que você quis dizer aqui, mas provavelmente o termo correto para as escolas seria outro. Não é porque a escola é pública que qualquer um que bem entender possa entrar lá), polícia já teria sido acionada - como de fato, o foi em algumas escolas. Sei que o Donádio, a Márcia e a Alícia poderiam falar muito melhor sobre isso.

Anônimo disse...

Como as assembléias não são da UNE. Foi a UNE que convocou as ocupações, ou vão negar agora?

Minha oposição já está formada. Quando a emissão do meu histórico escolar atrasar e eu perder minha vaga no ensino superior, eu e mais outros alunos entraremos com ações individuais e coletivas para responsabilizar a UNE.

Muito melhor do que estudar na rua. Que, diga se de passagem, não é lugar pra isso, o lugar certo é a escola.

Anônimo disse...

Cara, tu é formando de alguma escola ocupada msm? Porque se fosse, entenderia das assembléias. UNE pode ter sugerido (e se bem me lembro, na verdade, ela mostrou apoio às ocupações quando elas já estavam acontecendo), mas na minha cidade, pelo menos (pode ter tido alguma escola num canto do Brasil que não tenha sido assim mas duvido mto), as escolas e as faculdades ocupadas decidiram em assembléia estudantil aberta se a ocupação seria feita ou não. Tanto é que não aderiram às manifestações de cara.
Claro que rua não é o lugar ideal de uma aula. Mas seria uma oposição mto mais forte e simbólica às ocupações do que reclamar no facebook que "e os alunos que querem estudar" enquanto coça saco o dia inteiro - que é o que os estudantes contra a manifestação que eu conheço estão fazendo.
E se seu ingresso no ensino superior for realmente prejudicado pelas ocupações, CLARO que é todo direito seu entrar com uma ação (provavelmente contra a escola que você estudou ou a universidade que vc quer ingressar. A UNE não tá coordenando as ocupações, caramba). E acho difícil você não ganhar. Mas A) o enem ainda nem aconteceu. B) pelo calendário normal das universidades públicas, pelo menos, a matrícula é feita só em fevereiro. Ainda tem MUITO tempo pra vc tirar o histórico. C) tem mta reitoria de universidade ocupada também, o que provavelmente vai significar reajuste no calendário. Mais tempo. D) Converse com os alunos manifestantes e a coordenação da sua escola, nenhum deles quer te prejudicar. Assim como foi combinado com os alunos daki que aa ocupações não prejudicariam as provas do enem (porque as duas escolas ocupadas e a universidade são locais de prova), provavelmente eles aceitariam abrir a secretaria pra todos os alunos terem a documentação necessária em mãos.

donadio disse...

16:36, você não entendeu a posição do 19:45. Ele/a quer apenas uma boa desculpa para não passar no vestibular.

Anônimo disse...

Um centro de aulas da minha faculdade,ufg, foi ocupada durante o período noturno quando a maior parte dos alunos não estavam. Não fizeram uma assembleia com todos os alunos,não conversaram com os institutos, simplesmente ocuparam as escondidas. Muitos alunos são contrários a PEC mas querem sim continuar estudando, um direito que está sendo negado por justamente quem diz "lutar pela educação". Pergunto: Porque gerar tantos problemas ocupando as universidades que os políticos pouco vão dar atenção e que os alunos vão sofrer no final ao invés de fazer logo uma manifestação na rua,e no caso de Goiânia,manifestar na praça cívica em conjunto com toda a população e não apenas estudantes e que geraria uma comoção bem maior?

Anônimo disse...

donadio, as pessoas possuem direito de fazerem a prova do ENEM na data em que foi marcada. É estranho ver que, em vez dos estudantes manifestarem nas avenidas de suas cidades em conjunto com a população acabem prejudicando a vida de outros estudantes. Porque não ocupam os jardins dos nossos políticos? Eles que estão diretamente ligados a PEC, e não a população.

Anônimo disse...

Sabe o que ocorreu na UFG? Ocuparam os institutos quando vários professores estavam dando aula e prova, eles tiveram que sair e os que queriam ficar ainda foram zombados pelos manifestantes. Um total desrespeito com os professores, uma verdadeira vergonha. Sou contra a PEC mas também sou contra a toda essa bagunça que estão fazendo.

Anônimo disse...

Querem chamar atenção? Porque não ocupam as prefeituras municipais, onde os políticos trabalham?