terça-feira, 24 de maio de 2016

GUEST POST: STALKING, UM CRIME PERIGOSO

A modelo e apresentadora de TV Ana Hickmann foi vítima de um stalker, que invadiu seu quarto de hotel em BH e foi morto pelo cunhado de Ana, não sem antes atirar na cunhada da apresentadora. 
Várias mulheres no Twitter lembraram que stalking é muito comum e não ocorre só com celebridades. No meio de uma conversa, a advogada Regina me mandou seu TCC sobre stalking. Pedi para que ela escrevesse um guest post, e ei-lo:
Me chamo Regina Claudia Bortman Salvador, sou mãe, esposa, filha e como muitas, sou batalhadora. O meu primeiro canudo conquistado foi em Psicologia. Agora recém-formada, conquistei o segundo, em Direito. 
O tema stalking (perseguição) partiu da experiência pessoal. Fui vítima desta perseguição insidiosa. "Meu" Stalker ficou impune, assim como muitos por aí estão devido à fragilidade do nosso sistema. 
Apesar da dor emocional que fui submetida, resolvi que não me daria por vencida. Com a experiência adquirida, resolvi aliar Psicologia e Direito, ciências que se casam perfeitamente. 
No processo de pesquisa quase nada encontrava sobre o stalking aqui no Brasil, um tema ainda mítico, mas para a minha surpresa e alegria encontrei uma voz que gritava sobre os perigos deste fenômeno que já é tão conhecido em outros países, mas que aqui popularizou-se com os acessos à internet e as redes sociais.
Lola Aronovich publicou no seu blog alguns alertas, denúncias e matérias, inclusive sobre um stalker que estava na mídia por conta de um reality show
O termo nasceu como star stalking nos Estados Unidos da América, na década de 80, fruto da perseguição obsessiva às celebridades hollywoodianas por parte dos fãs e de jornalistas conhecidos como paparazzi. [Nota da Lola: Recomendo um ótimo filme do Scorsese, O Rei da Comédia]. 
Stalking é uma perseguição que invade a privacidade da vítima, tendo reflexos negativos à sua integridade psicológica e emocional. A conduta é direcionada a uma pessoa específica e que se caracteriza pela invasão da esfera de intimidade e privacidade, pela incerteza da segurança e por assolar completamente a vida de alguém.
A persistência e motivação são critérios base para tornar o comportamento em conduta de stalking, que pode desenvolver padrões de criminalidade anunciada.
O comportamento de um stalker pode parecer inofensivo ao primeiro olhar, sendo confundido com gentileza, admiração ou até mesmo paixão efêmera.
Qualquer indivíduo pode figurar como o sujeito ativo ou o sujeito passivo na perseguição insidiosa, independente de sexo ou idade, basta para o sujeito ativo ter a motivação e o sujeito passivo sentir-se vulnerável. Mas as vítimas preferenciais de stalking costumam ser mulheres. Os dados dos EUA confirmam que uma em cada seis mulheres e um em cada 19 homens já foi stalkeado em algum momento de sua vida. 
A conscientização do stalking como problema social despertou no final do século XX. Os americanos nos anos 90 apropriaram o termo para determinar um padrão de perseguição e de condutas que precedem crimes violentos, por vezes fatais, onde as vítimas deixam de ser apenas celebridades, transpondo para outros contextos e relações da população geral.
Com o advento da internet, com o fruto da evolução das relações sociais, da variedade e da quantidade de dados pessoais divulgados nas redes, a conduta adentrou para o campo virtual e o termo se expandiu, criando o cyberstalking, isto é, o stalking alcançado pela rede mundial de computadores, perpetrado através de meios informáticos com qualquer pessoa que desperte o interesse do agressor.
As vítimas desta violência virtual não são mais apenas as celebridades. Todos que usam as redes sociais, como Facebook, Twitter, Instagram, Snapchat ou WhatsApp podem ser molestados por recados injuriosos e passíveis de perseguição, visto que há pessoas que utilizam os aplicativos de geolocalização FourSquare e o Swarm, onde publicam sua localização com exatidão e tempo real, desta forma fornecendo ao stalker dados preciosos para que ele obtenha êxito em sua caçada.
Ainda não há em vigor no Brasil uma lei específica que proíba a prática do stalking. Os juízes buscam na Constituição Federal e no Código Civil o amparo devido à vítima, a solução para o caso e as consequências ao algoz. Desta forma sentenciam realizando adaptações com as leis existentes, porém não ultrapassando a contravenção penal. Sendo assim, a conduta de perseguição insidiosa não é criminalizada, o que provavelmente vem a se tornar um problema social devido a indisposição que a vítima sofre.
Atualmente no Brasil, quando a vítima é alvo de perseguição e toma a iniciativa de denunciar o responsável pela angústia, a situação segue de acordo com o artigo 69 da Lei Federal n.º 9.099/95, para iniciar o trâmite jurídico com o registro de um Termo Circunstanciado de Ocorrência.
A esperança para quem sofre de um assédio constante e persecutório em todas as esferas sociais reside no anteprojeto do novo Código Penal, criado pelo Requerimento nº 756, de 2011, de autoria Senador Pedro Taques, aditado pelo de nº 1.034, de 2011, com aprovação pelos senadores da República em 10 de agosto de 2011, como proposta para a real solução brasileira anti-stalking. 
O texto do anteprojeto foi entregue em solenidade no Senado Federal no dia 27 de junho de 2012. Para que o texto fosse preparado foi necessário reunir um grupo seleto de juristas, que discutiram e elaboraram o anteprojeto para reforma do Código Penal.
Neste grupo está incluído o renomado jurista Luiz Flávio Gomes, que sempre foi exímio defensor da criminalização do stalking, que juntamente com Damásio de Jesus, foram os pioneiros na seara jurídica a trazer o tema e proporcionar as discussões sobre a criminalização e como a perseguição insidiosa afeta a vítima, proporcionando aos acadêmicos de Direito o contato com esta modalidade desde o ano de 2006.
A Comissão de Reforma também oferece um nome juris a cada um dos tipos penais propostos. A necessidade de uma descrição típica é fundamental diante aos novos tipos penais propostos, em especial o stalking, conhecido através do termo jurídico de “perseguição insidiosa ou obsessiva”. O crime de stalking estará previsto no Capítulo V, Crimes Contra a Liberdade Pessoal. 
A Comissão de Reforma vislumbrou a criminalização do stalking não apenas para atender uma recomendação da ONU, mas também por identificar na sociedade contemporânea o anseio em obter uma resposta incisiva aos comportamentos que não eram considerados criminosos e acima de tudo, por considerar uma afronta à liberdade pessoal. 
Com isso, o Brasil busca equiparar-se aos demais países que já possuem a lei anti-stalking, editando normas civis e penais. Na proposta do anteprojeto do novo Código Penal, o novo artigo 147 assim está redigido:
“Perseguição obsessiva ou insidiosa 
Art. 147. Perseguir alguém, de forma reiterada ou continuada, ameaçando-lhe a integridade física ou psicológica, restringindo-lhe a capacidade de locomoção ou, de qualquer forma, invadindo ou perturbando sua esfera de liberdade ou privacidade:
Pena – prisão, de dois a seis anos.
Parágrafo único. Somente se procede mediante representação.”
Em minha pesquisa encontrei a divisão tipológica dos stalkers feita com base nos inúmeros casos atendidos por policiais estadunidenses durante décadas e com o apoio do National Center for Victims of Crime através do Stalking Resource Center, que criaram uma tipologia que inclui as seguintes categorias:
a) Obsessivos simples: o tipo mais comum, onde o sujeito ativo é do sexo masculino e o sujeito passivo é uma ex-esposa, ex-amante, ou antigo patrão/patroa. Por vezes a conduta persecutória deriva da ideia que o stalker tem de que a vítima o terá maltratado. 
b) Obsessivos amorosos: o stalker para o sujeito passivo é um estranho ou um conhecido casual, que inicia uma empreitada de assédio até fazer com que a vítima tome consciência da sua existência. 
c) Erotomaníacos: o sujeito ativo acredita que a vítima está romanticamente envolvida com ele e crê que eles deveriam estar juntos. É um tipo de stalker que pode colocar em risco as pessoas próximas da vítima. 
d) Síndrome de falsa vitimização: é alguém que conscientemente desempenha o papel de vítima através de idealização, criando um enredo complexo onde alega ser a vítima da perseguição obsessiva, transformando a verdadeira vítima em algoz.
Recentemente fomos todos surpreendidxs com o que aconteceu com a apresentadora Ana HickmannUm caso clássico de stalking!
Através do material que eu tive acesso, o agressor era um erotomaníaco, pois através de suas postagens no Twitter e Instagram ficou claro que o rapaz acreditava que ele e Ana mantinham um romance. 
Talvez a partir de agora, com o acontecido com Ana Hickmann, o Legislativo perceba a necessidade de leis incisivas que protejam as vítimas contra os avanços, até mesmo já na prevenção.
Eu não tenho disponibilizado o meu TCC pela web mas fico imensamente grata em compartilhar por e-mail (escrevam para reginabortman@gmail.com). Acredito que meu trabalho ultrapassa o conteúdo educativo, pois serve de alerta.
Diálogo gravado no quarto de hotel de Ana Hickmann entre Rodrigo e o cunhado de Ana
Descrição da mãe de Rodrigo sobre ele: parece um mascu (morava com os pais, não trabalhava, machista, anti-sociável, obcecado por academia
Mascus lamentam que Rodrigo não fez mais (clique para ampliar)

55 comentários:

Anônimo disse...

Um homem doente mental ameaços a vida de duas mulheres.

Um homem colocou a própria vida em risco para defender duas mulheres.

Qual destes dois segundo as feministas e padrão masculino?

Anônimo disse...

A gente pode dar mil dicas aqui sobre prevenção, sobre não ficar compartilhando sua vida no Facebook, no 4square, no Twitter, não dar check-in em tudo blablablabla.

Só que mesmo com todos os cuidados, a coisa acontece. A internet facilita mas mesmo sem ela, acontece.

E o GRANDE problema do stalking na minha opinião é que a polícia e o Judiciário não levam isso a sério até acontecer uma desgraça. Aí aparecem os sabidões: pq não fez b.o.? pq não isso pq não aquilo?

Você faz e não adianta, você entra com medida restritiva e, SE CONCEDIDA, não adianta porque vagabundo não respeita papel e geralmente, se for homem, a sociedade fica do lado do stalker e não da vítima.

Existe uma romantização na coisa que, na visão do mundo que tenho hoje, nem em filme é bonito. Que dirá na vida real. Quem passa por isso, sabe e às vezes a última saída da pessoa é acabar fazendo justiça com as próprias mãos, já que a Justiça lhe é falha quase todas as vezes.

É preciso não apenas endurecer a lei mas mudar a cultura para que esse tipo de comportamento não seja mais tolerado ou tido como demonstração de "amor". E a polícia e o judiciário precisam começar a levar mais a sério também.

Zrs disse...

Absurdo total.

É interessante notar a negação das mães, e pais, em situações assim (deve ser mesmo difícil lidar com o fato de que se gerou um monstro). Dia desses, um conhecido nosso foi pego em flagrante por stalkear várias mulheres, um cenário de terror para as vítimas! Ela, a mãe, ativista do direitos humanos, em negação da realidade, enviou o filho para algum lugar, evitando assim a prisão.



Anônimo disse...

Lola sem querer entrar em outro assunto, mas já entrando.
Ontem assisti ' BBQ Brasil - Churrasco na Brasa", 3 pessoas foram para a final, sendo 2 mulheres e 1 homem. Fiquei muito feliz, a mulher foi a vencedora.
Isso para as pessoas pararem de achar que churrasco é coisa de homem e que mulher não sabe de nada.

Anônimo disse...

Não é "normal" um cara de 30 anos não trabalhar, passar o dia inteiro em casa e no máximo só ir a academia, não ter amigos, só se relacionar com a mãe e viver para o computador. O stalker precisa de dedicação para fazer o que faz. Não se abre sei lá quantos perfis em redes sociais com sabe-se lá quantas centenas de fotos com um único tema sem um imenso tempo livre para isso. E se não trabalha, alguém está sustentando. Sem cortar esse laço de fantasia que facilita, viabiliza a ação de tais pessoas, pode tomar quantos "comprimidos" quiser que o problema sequer começará a ser resolvido. No máximo, vai deixar a pessoa mais dócil por um tempo. Só que, como dizem, uma hora os pais morrem e aí? E aí que a sociedade que se vire com um problema que antes de tudo deveria ter sido tratado dentro de casa, quando ainda dava tempo.

Anônimo disse...

Bom ... Separar obsessão por outrem de amor ... Amor é livre e não causa perseguições ...
Inclusive tal projeto deve ter cuidado. Pois pessoas q possuem problemas psicológicos (em q acham q estão sendo perseguidas a td tempo ) não venham a causar acusações infundadas qt ao acusado de perseguição .
Deve ser avaliado o passado psicológico comportamental do sujeito q imputa a outrem fato de ser vítima de perseguição

RAHU ARIES disse...

lola apaga meu ultimo comentario, eu acabei falando coisas pessoais demmais

o que eu queria dizer é o qeu vou falar agora, aceita esse. psicopata pode ser esquizofrenico sim, e isso é algo que a psiquiatria nao diz pois a mesma protege os psicopatas poderosos. mas psicopatas pode ser sim esquizofrenico, e a combinação das duas doenças leva o cara a cometer crimes desse tipo.

Anônimo disse...

Ratos de academia, melhor manter distância, não conheci um que não fosse repulsivo.

Anônimo disse...

Minha namorada acha que eu sou um stalker, mas é porque ela não me conhece ainda.

Cindy disse...

Talvez seja ignorância de minha parte, talvez também eu mude de opinião, mas não acredito na tipificação criminal do stalker. Talvez contravenção. Perturba demais, eu sei, mas vejo o Código Penal como última ratio de verdade. Temos encaminhado tudo para a esfera penal sem tentar reorganizar a coisa toda. O que essas pessoas stalkeadoras precisam é muito mais orientação psicológica do que penas punitivas privativas de liberdade (se bem que se eles privam a liberdade de alguém, me parece um pouco justo privá-los da própria..!).
Mas enfim, minha opinião, neste momento.

Anônimo disse...

Como se chama um filme sobre um bebê que te segue aonde você vá?

"Look who's stalking!"

:D

Eu não tenho vida.

Anônimo disse...

Polícia federal segue independente e atacando corruptos, inclusive do novo governo.

Mais uma pra pilha de péssimas previsões da Lola, que jurava que assim que a Dilma saísse do poder as operações desse tipo iam parar...

Mal posso esperar para que sua convicção de que Bolsonaro nunca chega nem perto da presidência também seja esmagada.

Anônimo disse...

Romantizar stalkers, como em Crepúsculo e 50 Tons de Cinza, também é parte do problema. Que tipo de mensagem essas obras estão passando para jovens leitoras?

Anônimo disse...

♪ Imagine me and you, I do
I think about you day and night, it's only right
To think about the girl you love and hold her tight
So happy together

If I should call you up, invest a dime
And say you belong to me and ease my mind
Imagine how the world could be, so very fine
So happy together

I can't see me lovin' nobody but you
For all my life
When you're with me, baby the skies'll be blue
For all my life

Me and you and you and me
No matter how they toss the dice, it had to be
The only one for me is you, and you for me
So happy together ♫

Liliane disse...

Não, o pior são as "teorias de conspiração", pessoas imbecis tentando bancar os detetives. E como sempre, culpabilizando a Ana pelo ocorrido. Algumas merdas que li:

"Isso é muito estranho. Eu acho que ele era amante dela"

"História muito mal contada. Ela provavelmente se envolveu com ele e se arrependeu depois"

"com certeza era amante, ficou desolado por não ser correspondido e fez uma loucura. Os homens fazem loucuras por mulheres"

Ou seja, basicamente tão dizendo: Ana é uma puta que deu mole pro cara, se arrependeu e deu um pé nele. Só pra começar, ela nem sabia da existencia desse ser imundo e grotesco. Era o psicótico quem pensava que eles tavam namorando, isso é "normal" em casos de stalking. Não é o caso, mas supondo que ela tenha dado "mole" pra ele: isso é motivo para perseguir alguém, abusar psicologicamente da pessoa e tentar matá-la? é, isso são homens doentes que não aceitam um "não". Machistas, pra variar, tipo, "como aquela vaca não me quer? eu sou um homem honrado". Sabe, em um encontro, a mulher pode não gostar do homem. E eles devem respeitar isso. agora as mulheres são obrigadas a gostar de babacas só porque ELES querem ficar com elas? Não somos obrigadas a nada.

Ah, dá licença! Mesmo que fosse esse o caso, Ana não teria culpa de nada, a culpa é inteiramente do doente que a perseguia.

Anônimo disse...

O pior são os homens (e mulheres) culpabilizando a Ana... Triste isso.

Anônimo disse...

Eu ainda estou absolutamente estarrecida com esse episódio.


Gostei muito do texto, em especial da parte que elenca os vários tipos de perfil de stalkers.
Além de um problema a ser amenizado com a tipificação penal da conduta, acho que a solução para isso vai muito além da esfera jurídica, pois o problema começa antes, com padrões de comportamento que dificilmente poderão ser criminalizados.
A identificação desses padrões deve ser tratada.

A família desse cara, por exemplo. Não entra na minha cabeça nos dias de hoje pais acharem OK sustentar marmanjo de 30 anos, pagar academia e wifi. Sério, é um fracasso total como pai e mãe um cenário desses pra mim.

Bom, tudo falhou nesse caso. a Educação recebida em casa, a atuação do estado.

Felizmente o cunhado da ana estava armado.

Alícia

RAHU ÁRIES disse...

existe muito mais psicótico do que as pessoas pensam. repara que esse cara aí nao tomava remedios, a familia nem suspeitava. no geral o ser humano comum nao consegue suportar a solidão sem enlouquecer, por isso voces tem esse estigma de solitario é criminoso, coisa que a psicologia americana divulga de forma extrema, mas ha exceções. a maior parte da humanidade tem potencial psicotico, porque o unico objetivo de vida deles é ser aceito socialmente, se eles nao conseguem isso eles perdem o contato com a realidade e cometem crimes. entao o fato de alguem ser solitario nao quer dizer que esse alguem será uma ilha, uma ilha é algo que apenas os sábios são, e esses sao uma minoria entre os humanos, nao fazem parte da humanidade como disse cioran no capitulo domingos da vida no livro silogismos da armagura. cioran exemplifica nesse capiitulo a tendencia psicotica do ser humano, basta que as tardes de domingo sejam eternas.

Anônimo disse...

Liliane, eles pensam em tudo, menos no óbvio. Não é incomum que as pessoas confundam a pessoa na TV com a pessoa na vida real (tenha vista os casos de vilões "apanhando" de velhinhas), e por vezes rola uma idolatria exagerada da pessoa. Ocorre em artistas ter fãs desesperados e alguns casos exagerados.
O caso do cidadão era de completa alienação da realidade. Como a autora colocou, ele acreditava que tinha a chance ou efetivamente tinha um relacionamento com a Ana.

Acredito que essas pessoas estejam delirando pela boa dose de machismo e pela romantização exagerada do stalker e outros criminosos. As pessoas ainda acham bonitinho que demonstrem amor batendo na coleguinha, ou stalkeando a moça, não é de se admirar que julguem o cara como a vítima.

Anônimo disse...

Lola, o que é um 'jorge de quarto'?

lola aronovich disse...

Olha, não tenho certeza, anon das 18:20. Mas é assim que alguns mascus, e muitos channers em geral (channers são membros de chans, fóruns anônimos e muito misóginos), se autodenominam: jorges de quarto. Eles falam de comportamento "autista" (palavra que eles usam, não eu), anti-sociável, solitário, que fica trancado no quarto (geralmente num quarto na casa da mamãe) xingando na internet, jogando videogame e se masturbando. Mas não sei por que tem esse nome, "jorge".

Anônimo disse...

Ainda não vi a palavra MISOGINIA sendo citada em nenhuma notícia. Não é óbvio que ele era misógino pelas mensagens que ele deixou no instagram dela e pelo que ele falou pra Ana enquanto estava no quarto? Sempre a xingando de puta, vagabunda, piranha. Espero que esse caso seja ligado aos dos mascus e eles sejam expostos para que todo o Brasil tenha consciência da existência deles.

Anônimo disse...

"Espero que esse caso seja ligado aos dos mascus" 18:30

Eu duvido muito que esse cara tenha ligação com mascus. Perder a vida ou ser preso "por causa de mulher" é algo inaceitável entre eles. Qualquer um que aparecesse com algo próximo desse discurso nos fóruns seria imediatamente execrado. Já em relação aos Sanctos duvido que eles tenham envolvimento também, uma vez que nos prints que o Lola colocou eles não aparentavam conhecer o cara. Mas a inegável a semelhança entre o estilo de vida do stalker e de muitos misóginos.

titia disse...

É importante criminalizar imediatamente o stalking e levar esse crime A SÉRIO, sem tratar como frescura de mulher - que é como tratam os crimes de que as mulheres são vítimas. Como a desgraça foi inevitável, espero que pelo menos esse caso sirva pra conscientizar as pessoas que stalking é real, é perigoso, faz vítimas e não, não é frescura que vadia que não quer dar uma chance pro carinha legal. Força pra Ana Hickman e sua família.

Quanto ao mascu morto, procurou a própria desgraça, como todo e qualquer mascu. Li a reportagem e é absolutamente ridículo o modo como o idiota achava que as coisas mais banais eram mensagens pra ele. Só um ser humano estúpido ao extremo e sem qualquer capacidade de entender comunicação acredita no que ele acreditava - e, veja só, essa é a perfeita descrição dos mascus. Pelo menos morreu sem se reproduzir assim a estupidez não passa adiante. E não, não tenho pena de mascu. Pode morrer um por dia que eu não ligo, o mundo seria um lugar melhor na verdade.

Anônimo disse...

Também me chamou a atenção uma entrevista da mãe do rapaz.
Ela falava que ele era muito tranquilo, que com certeza não invadiu pra matar, que foi coisa do destino...
Por mais triste que seja, não dá pra passar a mão na cabeça ou tentar minimizar...

Anônimo disse...

Atualmente numa novela reprisada a tarde, o personagem do José Wilker persegue uma colega de trabalho, duvida de sua competência pelo fato de ser mulher, a agarra e beija à força, arma situações pra que ela possa ficar sozinha e a mercê dele, já chegou a correr atrás dela e rir bastante quando ela acabou tropeçando e caindo, já rasgou as roupas dela...
Uma representação ficcional de um chefe abusando sexualmente de uma empregada? Não, uma "história de paixão" que já foi exibida em horário nobre na Rede Bobo. A desculpa do personagem é de que ela sente tesão por ele, mas não quer assumir, então tá liberado né... Um horror.
Infelizmente nossa cultura romantiza ou sensualiza demais esse tipo de coisa.

Anônimo disse...

Eu sou ex-stalker do blog do ex-mascu The Truth. Cadê você? Volta meu amado!



Assinado: Vice Presidente da Holanda.

Anônimo disse...

"Não é "normal" um cara de 30 anos não trabalhar"


É normal, e muito normal. Afinal de contas isso aqui é Brasil. O país mais imundo que existe.

Anônimo disse...

"parece um mascu (morava com os pais, não trabalhava, machista, anti-sociável, obcecado por academia"
Como assim? agora se o cara tá desempregado (milhões nessa situação atualmente) e mora com os pais quer dizer que automaticamente é um mascu/stalker/assassino em potencial???
ah faça me o favor

Anônimo disse...

Pior que tem mascus falando que foi o machismo que salvou a Ana. Esses mascus são loucos.

Anônimo disse...

Infelizmente muitas mulheres que estão com 30 anos ou mais e desempregadas tbm moram com os pais. E ainda sofrem preconceitos ainda mais em cidades do interior quando falam que querem morar sozinhas. Isso de só sair de casa para casar (as vezes nem quando casa) é muito comum na classe c do Brasil. Em cidade de interior mais ainda, pois tem gente que faz quartos no fundo ou faz casa em cima da outra.

Anônimo disse...

A maioria das feministas vivem e sempre viveram em uma realidade muito diferente do restante da população brasileira. Transformar uma pessoa que mesmo depois dos 30 anos mora com os pais e não tem emprego em potencial psicopata é muita ignorância, preconceito, desonestidade e falta de ética.

Anônimo disse...

Gente não tem a nada a ver com o post, mas vcs viram q já passou pela Câmera PLs q permitam a parcelamento do 13º salário, a redução do intervalo de trabalho, etc, graças ao nosso "querido" governo interino.
http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/politica/noticia/2016/05/flexibilizacao-das-leis-trabalhistas-entra-na-pauta-do-governo-interino-diz-jornal-5807170.html
Bora impedir isso?

RAHU ARIES disse...

''A maioria das feministas vivem e sempre viveram em uma realidade muito diferente do restante da população brasileira. Transformar uma pessoa que mesmo depois dos 30 anos mora com os pais e não tem emprego em potencial psicopata é muita ignorância, preconceito, desonestidade e falta de ética. ''

sim. é a obrigação de ser perfeito, um padrão divulgado pelo senso comum. ninguem pode cometer erros na vida, se nao deveria ir pro manicomio(campo de concentração).

eu mesmo demorei muitos anos pra saber o que queria cursar/estudar/fazer da vida.

Kittsu disse...

Eu só achei estranho a inconsistência das versões que foram divulgadas e o fato de que os "tiros defensivos" foram 3 tiros... 2 deles na nuca. E que a arma foi imediatamente entregue na recepção do hotel, sem titubeios.

Fabianaaaa disse...

Vocês ignoraram a parte em que ela diz "machista, anti-sociável, obcecado por academia" e só citaram a parte "morava com os pais, não trabalhava". Isso sim é "muita ignorância, preconceito, desonestidade e falta de ética". Me lembrou aquele termo em inglês "butthurt", a carapuça se encaixou legal hein? Mas ela está falando do stalker, não de vocês. Acordem! Quem procura alguém com uma arma na mão é psicopata sim. Ninguém dá a mínima se vcs moram com os pais sendo adultos e desempregados contanto que não façam merda.

Anônimo disse...

Galera, ter 30 anos e morar na casa dos pais não é o problema. Ter 30 anos, morar na casa dos pais porque fica o dia inteiro trancado no quarto, é.

RAHU ARIES disse...

'' "machista, anti-sociável, obcecado por academia" ''

eu poderia morar num mundo onde só eu existisse que eu estaria tranquilo. mesmo morando com os pais as vezes viajo sozinho fico uma semana inteira num apartamento sem internet sem falar com ninguem e mesmo asssim nao sinto a solidão depressiva, pelo contrario, eu sinto minha solitude, o que sou em essencia.

no caso desse cara, ele era obcecado por academmiaa, isso mostra que ele queria aprovaçõa das pessoas, queria exibir o corpo, é diferente de alguem cuja natureza é ser sozinho como eu.

de qualquer forma, eu entendo de academmia entoa vou explicar

caras tipo ele gostam do treino fisiculturista, gostam de exibir os musculos

mas uma minoria como eu, gosta do treino de força, pra ser forte, o povo do fisiculurismo/bodybuilder critica o treino de força pois pra eles o que importa é exibir musculos grandes e definidos, e nao o treino puramnete bruto, curto, em que se pega o maximo de peso com uma ou duas repetições, que é o que costumo treinar.

Anônimo disse...

Concordo com vc

Anônimo disse...

a) Lola sou sua fã admiro sua luta vc é uma guerreira.

b) Eu não acredito ser normal um homem de 30 anos não procurar emprego viver as custas dos pais e viver em academias e na internet deste quadro não vai sair nada de bom.

c) Também sinto que algumas pessoas machistas querem culpar a vítima pela loucura do cara.

titia disse...


RAHU ARIES, gostar de ir pra academia não é um problema; e se você tem gosto pra ser ermitão, também não é problema. O problema é ser um idiota que não entende o mínimo de comunicação e relacionamento entre seres humanos e entra num local pra matar a pessoa que ele acha que lhe devia um relacionamento, como fez o mascu que quase matou três pessoas inocentes.

Mila disse...

Aproveitando o caso, nesta semana um "fã" invadiu o condomínio de Anitta e um outro foi denunciado pela Ludmilla pelas ofensas racistas. A justificativa do sujeito era de que ele era fã da cantora e era constantemente ignorado por ela nas redes, por isso as ofensas racistas, sendo que o sujeito é negro (pareceu desculpinha esfarrapada pra mim, mas o último comentário do channer que disse q uma morte geraria lulz me deixa ciente de que há louco pra td no mundo).
Já falaram aqui e não custa bater na tecla: estamos numa geração de garotos extremamente mimados, que nunca passaram por dificuldades na vida, reclusos em quartos e isolados na Internet. 30 anos na cara e levando cursos improdutivos (quando estudam) e sendo sustentados pelos pais, porque ainda é "só um garoto". Talvez uma carteira de trabalho seja um bom repelente de mascu.

Anônimo disse...

Não sejam levianos. Existe uma abissal diferença entre não trabalhar por estar desempregado e não querer trabalhar por ter papai e mamãe sustentando. Quem quer arrumar emprego distribui currículo, dá seus corres e não fica em chan o dia inteiro tocando bronha e falando merda.

Anônimo disse...

O foda é como chamar um stalker que é mascu? Ta na cara que o ataque a ana foi coisa de mascu, sem contar um ontem contra a anitta, seria algo planejado?

Rafael Cherem disse...

Questiono se crminalizar é a solução, será que obrigar o sujeito a fazer um tratamento não seria melhor?As vezes o sujeito tem dificuldade de relacionamento, cria fantasias, mas não é um bandido, não existe o tal do MADA não seria interessante criar uma versão masculina dele, sem justificar atos extremos,





Anônimo disse...

Já repararam que esses ataques a pessoas famosas só acontecem com mulher? Falo dos ataques racistas também. Tais Araujo, Maju, Ludmilla.. não lembro de terem feito o mesmo com homens negros famosos.

Anônimo disse...

Rafael Cherem, concordo. O problema é que para ter instituições como essas, a sociedade precisa saber que o problema é real e existe. E infelizmente, a cultura masculina é alimentada com violência, as pessoas acham que obsessão é um problema feminino. Tem que ter uma mudança de mentalidade para isso.

Anônimo disse...

Queria parabenizar o HERÓI que salvou Ana hickmann! Quem dera se todos os homens fossem como você! As mulheres estariam realmente protegidas.

Anônimo disse...

Graças a esse herói, Ana hickmann poderá nos brindar todos os dias com sua beleza. #analinda

Anônimo disse...

Deve significar "guerreiro", algo como referência a São Jorge, que era um.

Anônimo disse...


Leiam isso

"Todas as evidências nos apontam que, por natureza, todos os homens são estupradores em potencial. É a nossa cultura, nossas leis, ética e crenças que nos impedem de sê-lo de fato."

http://veja.abril.com.br/noticia/mundo/a-intima-historia-do-estupro-e-da-guerra

e

O macho, arma de destruição em massa: http://brasil.elpais.com/brasil/2014/01/25/opinion/1390669671_059501.html
25 de maio de 2016 20:52
Anônimo disse...

O ser humano é a causa de todos os males. Um momento: “o ser humano”? Não exatamente. Na prática, a totalidade de todas essas mortes tem em comum um fato tão relevante como invisível no debate público: que foram homens que os cometeram.

http://brasil.elpais.com/brasil/2014/01/25/opinion/1390669671_059501.html

E depois ainda afirmam que os homens protegem as mulheres rsrsrs....se todos os homens morressem AI SIM as mulheres estariam protegidas.

ocupamincsc@gmail.com - contato Jucca Rodrigues disse...

Cara Lola Aramovich.
Na quinta feira dia 19 de maio, a sede do Minc SC foi ocupada. O ato pacífico, apartidário e articulado com as demais ocupações nacionais trouxe mais vida para o prédio do Largo da Alfândega. E trouxe também muita luta. O movimento se organizou em núcleos de trabalho e está se fortalecendo a cada dia. O núcleo de comunicação do Ocupa Minc SC preparou um informativo onde apresenta o movimento, sua organização e posicionamento político.
Gostaríamos de enviar o material da ocupação para conhecimento e divulgação. Para qual e-mail podemos enviar esse material?
Reiteramos que o Ocupa Minc SC integra um movimento articulado em âmbito nacional que ocupa até o momento 27 espaços e representações do Ministério da Cultura no Brasil inteiro. Se houver interesse, podemos repassar os contatos de outras ocupações.
Agradecemos a atenção e nos colocamos à disposição para quaisquer dúvidas, necessidades e/ou curiosidades.
Ocupa Minc SC.

Anônimo disse...

25 de maio de 2016 23:15, não vamos admitir mentiras. Ficar puxando saco de homem não vai impedir que um deles te estupre.

Quanto a serem melhores pra governar você quis dizer dar golpes e serem corruptos? Nisso são melhores mesmo.

RAHU 1ts house disse...

se tem uma coisa que odeio é ser louco. esqueçam tudo que postei nesse blog. olha como ser louco é ridiculo, o cara achava que tinha um caso com a modelo que ele nem sequer conhecia, isso é ridiculo, loucura é ridiculo.

falo por mim mesmo. eu nao queria ser louco, sou forçado a remedios. devido a violencia que vivi desda epoca da escola, bullying, passei a ter delírios. tive uma chance ano passado que meus pais me deram pra eu me livrar da medicação, mas como eu tenho inimizade com um lixo verme que mora aqui do lado, eu fiquei louco novamente, queria sair de casa, viajar sozinho, aí comecei a ter delírios, alucinações.

é ridiculo ser louco, voces nao tem ideia de como eu odeio ser assim. essa é minha ultima postagem. nao irei postar mais aqui, minha meta agora é continuar estudando o qeu estudo e tentar ser uma pessoa normal.

Anônimo disse...

Já conheci alguns rapazes com esse perfil e, embora não apresentassem quadros "obsessivos", eles tinham um convívio social restrito. Geralmente era só a família que tinha contato com eles (eu tive porque entrei para a família como nora).
Na maioria dos casos, só saia de casa, acompanhado da mãe (tendo mais de 30 anos). O que leva a supor que existe algum complexo de Édipo mal resolvido. Notava também que a própria mãe se preocupava em demasia, acompanhava o filho em vários locais, por medo da "violência da cidade". Também não trabalhava e, se trabalhava, era em algum emprego "quebra-galho", sem muitas ambições de crescer profissionalmente e de tornar-se independente.
Também possuía esse mesmo comportamento de viver em jogos online, além de nunca ter namorado...
Só posso afirmar que, tais comportamentos, afetam muito o convívio social que, como sabemos, nos ajuda a aprender a ter empatia, ampliar visões de mundo, experimentar diversos papeis, etc. É como a Alegoria da Caverna: se ficarmos enclausurados na caverna, o mundo se mostra através de sombras indefinidas, sem contorno, passiveis de serem moldadas por nossos preconceitos. Acredito que esses sujeitos estejam vulneráveis a isso.
É claro que existem pessoas que optam por viverem assim, e possuem um bom equilíbrio emocional, além de possuírem um pensamento crítico e ético. O problema é quando há sujeitos que vivem deste modo a vida inteira, sem nunca ter entrado em contato com outras visões de mundo, enxergando este ultimo como hostil.
Sim. São quadros familiares raros, mas existem, principalmente com o crescimento da "Geração Canguru".