sábado, 9 de abril de 2016

PELA CRIAÇÃO DE CRECHES EM TODAS AS UNIVERSIDADES

Esta semana recebi um texto do coletivo Iniciativa Mulheres Unidas RS, que exigem a criação de creches universitárias.
No mesmo dia vi duas notícias que provam que a pauta do coletivo está mais do que certa. Um foi da estudante de Letras da UFRGS que levou sua filha de 5 anos à aula e quase foi expulsa pela professora. 
A outra notícia é referente ao Crusp (Conjunto Residencial da USP). 
Depois de mais de 50 casos de violência contra as mulheres nos prédios, manifestantes ocuparam uma superintendência para demandar que os agressores -- e não as vítimas -- sejam punidos com afastamento. Para piorar a situação, o Crusp nega vagas às mães. 
E, ao ilustrar este post, encontrei mais uma notícia recente sobre (a falta de) creches: esta se refere à luta de um coletivo da UFRRJ (Federal Rural).  
A falta de creches nas universidades brasileiras é uma realidade cruel que causa evasão. E é uma reivindicação antiga tanto dos movimentos estudantis quanto das feministas. Fiquem com o texto do coletivo feminista gaúcho. E vamos divulgar a tag #CrecheUniversitariaJa

A proposta legislativa para criação de creches em universidades foi lançada na terça-feira, e em menos de 24 horas alcançou quase 2 mil assinaturas, chegando na terceira posição das ideias legislativas do Senado Federal, mostrando que a pauta é urgente e deve ser abraçada pelos movimentos sociais e sociedade.
A luta por Creches Universitárias é uma reivindicação antiga. O recente caso de Mariana (Nina) Bitencourt, que foi impedida de permanecer na sala de aula com a sua filha na UFRGS, trouxe mais força ao debate sobre a necessidade de espaços que acolham mães nas instituições de ensino.
Segundo pesquisa da ANDIFES (2011), as mulheres representam 57,5% das vagas ocupadas nas instituições de ensino superior federais. A maior taxa de evasão ocorre entre as mulheres, sendo 68% dos trancamentos de matrícula por parte de mulheres decorrentes da licença maternidade.
A ausência de políticas afirmativas de assistência para as estudantes mais necessitadas interfere diretamente no desempenho dessas. É ainda mais grave a situação das mães estudantes, que não conseguem conciliar seus estudos com os cuidados da criança.
Embora existam universidades com creches, o número de vagas não é suficiente para a demanda. As vagas deveriam atender tanto universitárias quanto funcionárias das instituições.
Os governos estaduais e federais e instituições privadas de ensino não se sensibilizam com as necessidades das mães, não providenciam qualquer condição dessas jovens exercerem seu direito à maternidade, trabalho e educação. Os filhos das estudantes são na maioria das universidades impedidos de entrar nos RUs  (restaurantes universitários), ao constatar a gestação são expulsas dos alojamentos estudantis, o direito à licença maternidade é desrespeitado, mães que levam os filhos são expulsas das salas de aulas. 
No geral, não existe um exercício de empatia pelo corpo docente.
A proposta lançada no portal da cidadania alerta para as dificuldades enfrentadas por quem trabalha o dia inteiro e depois vai para a universidade estudar sem ter com quem deixar o filho ou filha. Não basta criar mecanismos para facilitar o acesso nas universidades. É preciso que se criem propostas para a continuidade dos que ingressam.
O forte engajamento das pessoas na proposta apresentada mostra como essa é uma demanda fundamental e urgente. A sociedade solicita a criação de dispositivos que orientem universidades e faculdades, públicas e privadas, a desenvolver espaços para crianças enquanto os pais estudam ou trabalham nas instituições.
Em muito a educação no nosso país pode avançar com essas medidas. Além de aumentar a qualidade de cursos como pedagogia, psicologia, odontologia, medicina, enfermagem, administração, nutrição e tantos outros que podem ser envolvidos na administração e cuidado dessas unidades universitárias.

185 comentários:

Anônimo disse...

Existem poucas creches no país, deveria ter creches gratuitas pelo menos para mulher que tiver só um filho, seria até incentivo para redução de natalidade nas classes mais pobres.

Anônimo disse...

O patriarcado faz parte da mitologia feminista?

Anônimo disse...

"das melhores mentes da nossa sociedade"

UAAAAAAAAL, vc tem certeza disso mesmo?

http://mundoestranho.abril.com.br/materia/os-trotes-maiscrueis-do-brasil

isso é só a pontinha do iceberg, vcs sabem bem disso

"melhores mentes da nossa sociedade"

kkkkkkk meu deus, a gadaiada/coxinhada, se superam cada vez mais, kkkkkkkkkkkkkk

"melhores mentes"
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Anônimo disse...

12:56

E a friendzone, é da fanfiction de quinta mascu?

Anônimo disse...

mas é vc quem é o idiota quando vomita uma coisa dessa, será q só vc não se dá conta?

"das melhores mentes da nossa sociedade"

UAAAAAAAAL, vc tem certeza disso mesmo?

http://mundoestranho.abril.com.br/materia/os-trotes-maiscrueis-do-brasil

isso é só a pontinha do iceberg, vcs sabem bem disso

"melhores mentes da nossa sociedade"

kkkkkkk meu deus, a gadaiada/coxinhada, se superam cada vez mais, kkkkkkkkkkkkkk

"melhores mentes"
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Anônimo disse...

13:42

A frase diz claramente que a faculdade "deve ser o lugar de especialização das melhores mentes", e não que é assim atualmente.

Valéria Fernandes disse...

Ótimo post, Lola. A discussão é muito oportuna e sempre que casos como o da moça do RS vêem à tona, um monte de outros aparece. Quando eu lecionava na rede pública do Rio de Janeiro, era comum que crianças pequenas estivessem conosco em sala. Pais e mães trabalhavam durante o dia, a criança ficava com alguém (vizinha cuidadora, avó, creche), mas à noite era responsabilidade da mãe. Sim, mesmo quando o pai era estudante, a criança ficava com a mãe. Em todo o meu tempo como professora, nunca tive problema com crianças em sala, elas brincavam e dormiam, sempre na delas. No entanto, era comum que professores/as reclamassem, pedissem que se baixasse ordem para que não houvesse crianças e bebês no colégio. Quer forma mais direta de excluir aquela mulher da sala de aula?

Sou defensora da disseminação das creches em todo o lugar possível. Públicas de preferência, mas, também, em empresas privadas. Com seus filhos perto, as mães trabalham melhor, com mais tranquilidade. Eu abriria mão de parte da minha licença maternidade (*minha filha tem 2 anos e 5 meses) se pudesse tê-la por perto, amamentá-la e dar as minhas aulas. Em um colégio como o meu, com tantas mulheres trabalhando, seria muito melhor para todos/as.

Curiosamente, um caso que minha avó sempre conta, é que lá em Sergipe, na década de 1930, a fábrica onde minha avó trabalhava tinha uma creche. No Rio, quando ela mesma foi operária nos anos 1950, também. Quando foi que a idéia da creche em ambiente de trabalho foi abandonada? Em que momento algumas feministas até (*porque eu já testemunhei isso*) começaram a falar que deveríamos discutir outra coisa, que falar de creche era trazer para o centro das nossas discussões a maternidade compulsória. Não! Discutir creche, seja em local de trabalho, colégios ou universidades, é reconhecer que isso é importante para muitas mulheres, que é fator de exclusão, e que acolher as crianças em um ambiente sadio e seguro é ajudar a formar uma nova geração mais feliz e, sim, produtiva.

Minha filha está na creche desde os sete meses, o auxílio creche que o governo me assegura (*sou funcionária federal*) não cobre nem 1/5 do valor da mensalidade. Eu posso arcar com os custos, mas mulheres pobres, muitas vezes jovens ainda em processo de qualificação, muitas vezes precisam escolher entre trabalhar e/ou estudar e cuidar de sua criança, pois colocando na ponta do lápis sai a conta pela receita, ou ainda pior, arrumar uma creche. As públicas, quando existem, estão lotadas, com longa fila de espera. É uma triste realidade. Não é por nada que há mais mulheres na geração Nem-Nem do que homens. Se há criança, se ela fica doente, é a mãe ou avó que ficará para cuidar. Sem estudo, sem salário e, claro, como se a maioria pensasse nisso, sem direito à lazer ou descanso.

Anônimo disse...

Se desesperam com a baixa taxa de natalidade, mas não movem uma vírgula pra realmente mudar o quadro....

donadio disse...

"Como disse o Paulo Francis "universidade é pra formar elites e não pra educar a ralé"

Mas aí, meu, é para formar uma elite intelectual a serviço de toda a população. Médico para curar pereba de garimpeiro, não médico para fazer cirurgia estética; advogado para defender o trabalhador demitido, não advogado para ensinar patrão a lesar empregada doméstica, professor para ensinar a "ralé" a ler, escrever, contar, cantar o hino nacional, não professor para ensinar obediência cega e piada machista/racista.

Não uma elite patife como a que nós temos, que só cuida de seus próprios interesses exclusivos, e considera a população do país como o inimigo a ser derrotado.

Ana disse...

Muito relevante a questão que traz o post e ótimo comentário da Valéria.

Me formei na UFSC, e sei que lá há muito tempo existe creche gratuita (e até onde sei, muito boa!) no campus, disponível pra filhos e filhas de alunos, professores e servidores. Lá os alunos podem levar os filhos para comer no RU. Além disso, no campus fica o Colégio de Aplicação da UFSC, uma das melhores escolas públicas do Estado, onde filhos de servidores e professores têm preferência na matrícula. Ainda há muito que pode ser melhorado, mas me surpreende que esses benefícios que temos na universidade em que estudei não existam em outras faculdades públicas do Brasil.

Não deveria, mas vou responder ao troll dos comentários: quanta carga de preconceito em suas afirmações! Toda a sociedade sai ganhando quando país e mães batalhadores podem trabalhar e estudar sabendo que seus filhos estão se desenvolvendo em um ambiente seguro. Creche não deve ser privilégio só de quem pode pagar!

Valéria Fernandes disse...

Só corrigindo, nos anos 1930, a operária era minha bisavó e minha avó é que ficava na creche com as irmãs.

donadio disse...

"Pq fizeram filhos se não tinham condições de criar?"

Para evitar a invasão islâmica, né?

Anônimo disse...

Qual o custo para manter uma creche? Provavelmente este é o principal motivo para elas terem desaparecido

Anônimo disse...

Não seria um incentivo maior não ter creche nenhuma, imbecil?

Ana Carla disse...

Eu sei que é dever do Estado disponibilizar creche, educação, saúde, moradia etc para todos, mas infelizmente isso não acontece e as pessoas insistem em continuar pondo filhos no mundo, sofrendo e fazendo uma criança inocente sofrer.
Quem não tem condições de oferecer uma vida confortável pra uma criança, futuro adolescente não deveria ter filhos. Simples. Ninguém é obrigado.
Acho um crime submeter uma criança a uma vida de privações, necessidades e falta de oportunidades. Honestamente não sei como alguns pais conseguem dormir a noite.
O Estado brasileiro é falho na garantia dos direitos, mas os pais também tem que se responsabilizar por por um filho no mundo sem poder.

Mokk disse...

Oi Lola, tudo bem?

Bem, em primeiro lugar, quero dizer que sou seu fã. Faz uns dois anos que acompanho seu blog, mas nunca comentei suas postagens. Recentemente criei um blog para falar sobre o mundo dos jogos e recentemente teve um caso envolvendo machismo e eu resolvi que ia escrever sobre o caso e o machismo nos jogos. Até então não tinha divulgado o blog, estava guardando ele mais para mim, mas depois desta postagem vou começar a divulgá-lo (e me preparar psicologicamente para a enxurrada de comentários machistas que virão).

Queria lhe pedir, se não for pedir muito, que você desse uma olhada. O endereço se encontra abaixo: http://jornadasgamer.blogspot.com.br/2016/04/a-primeira-grande-batalha-da-tracer.html

De antemão, muito obrigado e perdão se por acaso não for permitido fazer essa solicitação via comentários.

Anônimo disse...

Tinha creche no serviço caminha mãe até a década de 1990.
Era uma repartição pública federal.
Depois fecharam pq não queriam mais ceder o local.

Me digam, qual o maior custo/benefício pro capital:
1- bancar uma creche e o trabalho que a mulher produz vale mais do que esse gasto;
2- não ter creche nem mulher trabalhando e produzindo?

Tem muita gente que tá nos 30 ou chegando aos que decidiu não ter filho por causa dos custos, sociais, econômicos, pessoais etc.
Isso é bom pra quem?

titia disse...

Mais uma maneira da sociedade machista forçar a mulher a ficar no seu "devido lugar". Triste, mas não é nenhuma surpresa. Privar mulheres de educação é a técnica mais antiga que existe pra impedir que elas ascendam socialmente e se tornem independentes, donas das próprias vidas, emponderadas, agentes de mudança social. Pessoas sem alguma educação não questionam nem mudam o mundo. Podre, mas é exatamente isso o que estão fazendo com as mães universitárias.

Ao pessoal que comentou de boa fé: concordo que pessoas sem condições não deviam ter filhos, ou não terem mais filhos do que tem condições de criar. Mas as pessoas não sabem como ou não conseguem evitar gravidez indesejada! Nesse país hipócrita e falso moralista não se pode ensinar educação sexual nas escolas, e também não há educação sexual disponível pros adultos. Muitas pessoas literalmente NÃO SABEM como usar um anticoncepcional ou uma camisinha. Várias profissionais de saúde já contaram casos assim aqui no blog mesmo: um homem tomava o anticoncepcional da mulher porque eles não sabiam que ela é quem tinha que tomar; um rapaz botava os testículos dentro da camisinha; uma mulher jogava as pílulas no filtro de água e bebia todo dia um galão bem cheio; e uma profissional da saúde contou que ensinou uma mulher como colocar a camisinha no parceiro usando um cabo de vassoura e sabe o que aconteceu? Toda vez que a mulher ia transar botava a camisinha no cabo da vassoura ao invés de no homem. Claro que ela apareceu no posto de saúde grávida. As pessoas não sabem e ninguém está disposto a ensinar. Quem se dispõe a ensinar não consegue porque o moralismo hipócrita impede, pra não "estimular a safadeza". Que merda é essa, mano?

E ainda tem o machismo: homens não querem usar camisinha, fazem chantagem, ameaçam, pressionam, intimidam a mulher pra que ela não cobre a camisinha. E as mulheres, que são treinadas desde pequenas pra nunca se impor e se preocupar com o prazer do homem mais do que com a própria vida e saúde, acabam cedendo e pegando AIDS. E os coxinhas babacóides que mais dizem que pobre não tem que fazer filho são os que não querem educação sexual, nem distribuição gratuita de contraceptivos, nem liberação da esterilização voluntária. Os macus são os primeiros a fazer chororô, porque ao invés de distribuir camisinha, contraceptivo e pagar educação sexual pra jovens e adultos o governo tem mais é que dar bolsa panicat e camaros de graça pra eles. E os pobres que se virem pra não ter filho porque eles não querem pagar impostos pra sustentar "vagabundo" (e nem são eles que pagam).

17:00 então a próxima vez que você sofrer um acidente porque bebeu e dirigiu nem pense em chamar uma ambulância, que é do SUS. Ah, também nem pense em pegar ônibus. Desligue imediatamente a energia elétrica da sua casa, vá cavar um poço artesiano, corte imediatamente a linha do seu telefone, nada de fazer concurso público pra arrumar emprego e NEM SE ATREVA a tentar entrar numa universidade pública, seu merda. As benesses do Estado você quer, né, mas contribuir não quer né? Então vá morar no meio do mato, seu bostinha, pra não sugar os impostos de todos nós que trabalhamos e pagamos pra vagabundo como você aproveitar.

E quem você está tentando enganar? Só quem paga os impostos são seus pais mesmo, que tem que sustentar mascu parasita que não compra nem um pão na esquina pra reclamar de pagar imposto. Até suas cuecas são seus pais que pagam! Em que, EM QUE você paga imposto do que quer que seja, seu mascu de bosta? Vá carpir um lote, vagabundo inútil.

titia disse...

17:51 os mesmos bebês que quando nascem vocês querem que morra de fome pra não terem que pagar bolsa família? Que vocês querem que morram de doenças pra não ter que pagar impostos pra construir, contratar funcionários e equipar hospitais públicos? Os que vocês querem que passem a vida sem educação nem oportunidades? Os que viram os "trombadinhas" que vocês querem que a polícia mate? Os que vocês dizem que "mereceu", "provocou" ou "tava pedindo" se sofrerem abusos físicos ou sexuais? Vocês não fedem só a sujeira de mil anos nem a podridões que não tomam banho nunca. Vocês fedem a hipocrisia também. Deviam morrer de uma vez pra tornar esse mundo um lugar melhor.

titia disse...

Os michês que engravidam mulheres e depois fogem deviam aprender a manter o pinto sujo dentro da cueca, as mulheres não tem que criar filhos de homens que não valem a merda que cagam.

Anônimo disse...

pra tua informação... é dever do município fornecer creches pra TODAS crianças, independente se ela tem 0, 1 ou 25 irmãos.

Anônimo disse...

Titia, achei seu comentário meio que preconceituoso.

Se for levar ao pé da letra, eu seria isso o que você pejorativamente chama de michê: tenho filho com 4 mulheres diferentes e não convivo com nenhuma delas.

Mas o que eu devo fazer se elas preferem ter a guarda total da criança, inclusive não exigindo qualquer tipo de pensão de minha parte? Nem eu nem elas veem qualquer problema nisso, não estamos prejudicando ninguém.

Anônimo disse...

O estado tem o dever de zelar por seus cidadãos, pois são eles, os cidadãos que formam o estado. Na hora de garantir condições dignas de vida para todos os cidadãos, independente da idade, acha muito. Mas quando precisa do sacrifício desse mesmo cidadão, apela para sentimentalismos de pertencimento, amor à pátria e o escambau.

Homem e estado (que é masculino), abominam mulheres, gestações e crianças. Mas adoram a mão de obra, especialmente a mão de obra feminina, sempre nas tarefas não remuneradas mas que são essenciais para a vida e a prosperidade de qualquer estado.

E, se o estado "cria" filho de alguém, cria filho de homem irresponsável, que faz filhos que não deseja e que não é capaz de sustentar. A mãe está lá, presente junto com o filho, cumprindo como pode e com os recursos que dispõe, a tarefa de criar e educar o filho. Quem some e deixa a responsabilidade com terceiros é o homem. Quem está cagando para filho, mulher, sociedade, estado e tudo o mais, é o homem. Mas, como as sociedades são misóginas (e não é acidental que sejam misóginas), mesmo a mulher ficando com todo o ônus da reprodução, não só o ônus biológico (o investimento pessoal e biológico feminino na reprodução é imensamente superior ao investimento pessoal e biológico masculino), mas também o ônus social, econômico e moral, essas bostas que chamamos homem, ainda se acha no direito de bostejar por aí, em blogs feministas, nas famílias, nas escolas e universidades, no congresso, no mundo.

A única coisa que homem faz bem feito é bostejar. Minto, bostejar e odiar mulheres e crianças.

Anônimo disse...

Putz, o cara está se gabando de nenhuma das mulheres que têm filho com ele quererem ele por perto. Esse é o homem. Bostejando, como sempre.

Anônimo disse...

19:04, sou o Naon das 19:07 e concordo com você.

Anônimo disse...

Sexo é gostoso, mesmo quando envolve um homem, embora a maioria esmagadora seja sofrível até neste quesito.

Querer estar com um homem para sexo, é uma coisa. Desejar que ela faça parte da sua vida, outra muito diferente. Para a mulher, o filho é dela e apenas dela. O homem é apenas o meio disponível para o objetivo final. Homem, mesmo o que permanece junto com a mulher, em geral está cagando para ela e para os filhos. O que manda é apenas a conveniência.

Claro que você não quer responsabilidades com filhos. Isso é coisa de idiota. O que você quer é só minar qualquer possibilidade da mulher se sustentar a si e ao filho de maneira digna. Você quer o prêmio biológico, o filho, mas não quer responsabilidade e comprometimento e nem que as mulheres possam fazer tudo sozinhas com dignidade. Como eu disse, homem. Homem fazendo o que faz de melhor, bostejar e atrapalhar a vida das mulheres.

Anônimo disse...

Garanto que foi esse bostejador que chamou as mulheres que cuidam sozinhas dos filhos de vadias.

Anônimo disse...

Eu acho muito nobre uma mulher cuidar sozinha dos filhos, inclusive acho que não é pra qualquer um.

Anônimo disse...

Então porque esse discurso contra mecanismos sociais que possibilitem às mulheres cuidarem sozinhas de seus filhos?

E espero que não se encoste em nenhuma coitada para que cuide de você na velhice. Fique longe sempre.

Anônimo disse...

Você foge. Foge do comprometimento, da responsabilidade. Mas você não é o único. A maioria dos homens faz a mesma coisa. Você é normal. Não se preocupe. E acho que deve ser assim mesmo. Liberar a mulher de precisar se anular de todas as maneiras para manter um estorvo chifrador ao seu lado.

Mas você poderia ser menos egoísta e, já que foge, apoiar as políticas públicas que pretenden dar condições dignas para que a mulher trabalhe e sustente a si e aos filhos com mais dignidade e menos sacrifício. É facinho reclamar de tudo enquanto as mulheres cuidam da base da sociedade sozinhas e no sacrifício.

Você não precisa ser tão folgado.

Anônimo disse...

19:38, to terminando de jantar e já te respondo.

Anônimo disse...

Então você disse. Se concorda, é a mesma coisa que ter dito.

O filho existe. A mulher precisa trabalhar. O estado precisa de pessoas. O homem, embora não queira cuidar, quer ter filhos. A mulher não pode arcar com tudo sozinha e no sacrifício. Criar uma criança dá um trabalho imenso e exige tempo e dinheiro. Garantias trabalhistas para que a mulher possa trabalhar e criar seus filhos é o básico de qualquer sociedade que preze por seus membros. Isso não é dizer que o estado cria. Quem cria é a mãe. O estado, ou melhor, a sociedade apenas deixa de impor obstáculos para que isso possa acontecer.

É fácil pra você concordar com as falas misóginas aqui. Tem quatro filhos e não contribui em nada com nenhum. O prêmio biológico está aí, sendo cuidado e criado, sem que você contribua com nada. Cômodo não dispender tempo, energia, dinheiro com seus próprios filhos, mas defender que a sociedade interponha obstáculos para que as mulheres façam isso sozinhas. É egoísmo demais, até para um bostejador, ops, homem.

E sim, você irá, certamente, se encostar em alguma mulher. Todo homem faz isso. Chega uma hora em que cansa da brincadeira de achar que vive sem os cuidados de uma mulher e querem apenas uma idiota para cuidar de si, limpar sua sujeira, garantir sua alimentação e os cuidados na doença. Vejo acontecer direto. E não, a mulher não encostará em você. Você será cuidado até a morte e quando ela precisar, estará sozinha, como sempre esteve a vida toda, até quando pensou ter a sua companhia. Mundo mostra isso pra gente TODOS OS DIAS.

Maria Carolina Francese disse...

Achei muito interessante o comentário da Valéria. Já trabalhei em uma empresa de TI muito grande e em uma época surgiu a ideia de ter uma creche, e fizeram uma pesquisa entre os funcionários para ver se havia interesse. Como a maioria era homem e a responsabilidade pelos filhos era toda da mulher (a maioria das esposas trabalhavam fora também), não houve pessoas interessadas suficientes.

titia disse...

18:59 então você se gaba de ter feito quatro filhos com quatro mulheres e de não pagar nem um centavo pra que eles não morram de fome, além de nunca visita-los, não cuidar deles e provavelmente nem ligar de vez em quando pra saber se seus filhos estão vivos. Além disso, como você não usa camisinha, provavelmente passou alguma DST pra elas e graças aos céus não foi AIDS. Essas 4 mulheres vão trabalhar oito horas por dia todo dia pra sustentar o filho sozinhas, já que papai não paga pensão; precisam se preocupar com o que o filho vai comer, vestir, pagar contas, pagar aluguel, pagar escola, pagar o plano de saúde. O chefe sempre faz cara feia e ameaça de demissão quando elas tem que sair no meio do expediente pra socorrer o filho. Tem que educar e ensinar a se comportar, tem que lidar com as birras, tem que explicar que a criança não tem pai em casa porque o pai era um michê que saiu correndo assim que ela contou que estava grávida e ela não admite tal escória lixosa na casa dela, dando mau exemplo pro filho e ensinando o coitado a ser outro misógino de merda. Ah, lembra do chefe ameaçando demitir? Se ela perder o emprego adeus casa, roupa, remédio, plano de saúde e comida pro filho. E a mãe vive com essa angústia do que vai ser dela e do filho se perder o emprego porque ela sabe que não pode contar com o doador de esperma.

Aí o vagabundo deixa 4 mulheres sozinhas pra cuidar dos filhos e diz que não tem que pagar pro Estado cuidar das crianças. Sendo que ele não paga nada pros próprios filhos.

Diz que não tem dinheiro pra nada por causa do governo Dilma, mas estranhamente nunca falta grana pra cervejinha e pra garota de programa. E pra pagar um provedor de internet pra discutir com feministas e ver pornografia.

Se você fosse um homem minimamente consciente, se você fosse gente e não esse pedaço de lixo que você é, pagaria pensão pros seus filhos mesmo sem as mães pedirem. Porque saberia que as pessoas tem RESPONSABILIDADES, e se você não tem a responsabilidade de se prevenir tem que ter a responsabilidade não só de prover necessidades materiais e fisiológicas, mas também de ser o melhor pai ou mãe possível pro seu filho. Isso é o que gente minimamente consciente faz.

Só de dizer que quem faz o filho é quem tem que sustentar enquanto não compra nem leite pros seus próprios filhos você já está errado, seu merda. E se você não consegue ver nada de errado no que disse então se mate que você não tem nada a contribuir pra esse mundo. Se mate e faça desse mundo um lugar melhor com sua ausência.

Anônimo disse...

Você foge. Tanto que nenhuma delas te quer por perto. Você tem a percepção masculina dessa situação. Acha que está sendo muito esperto. Eu tenho a exata dimensão feminina. Sei porque elas te mantém longe. Conheço muitas situações iguais. Não quero colocar minhoca na cabeça de ninguém. Especialmente delas. Elas sabem que é melhor manter você afastado. Muitas mães acabam suportando casamentos lamentáveis com sujeitos horríveis, por conta do vínculo que O FILHO tem com o pai. Não estabelecer esse vínculo é essencial para que elas possam criar os filhos com segurança e tranquilidade, para que a criança não sofra com o sumiço ou a indiferença masculina.

Creche é como escola, assistência médica e seguridade social. Direitos de um estado de bem-estar social que preza o saudável desenvolvimento da população. Achar que creche/escola cria filho é coisa de homem, que não tem qualquer ideia do que é criar e educar uma criança.

Repito: fácil para o homem que tem os filhos criados por mulheres, homem que não precisa perder dez segundos de sono ou investir um quintilionésimo de segundo se preocupando com o futuro ou a saúde ou a educação ou a alimentação ou a segurança de suas crianças, gastar o tempo advogando contra direitos trabalhistas para mulheres. Facinho, facinho.

Não são políticas assistencialistas. São investimentos sociais nas gerações futuras. Crianças seguras para adultos seguros. Estigmatizar mães e crianças, defender menores salários para mulheres, a perda de direitos trabalhistas e a interposição de obstáculos diversos para que mulheres possam trabalhar e criar sozinhas seus filhos é o egoísmo mais puro. Fácil pra quem não tem que se preocupar com nada, já que é tão inexpressivo, que as mães nem fazem questão da sua presença junto aos filhos. Meu, elas não querem vínculo NENHUM com você, nem econômico!! Putz...

Porque você não sustenta seus filhos? Mesmo que as mães não queiram, faça a sua parte. Mas não, é conveniente demais pra você. Melhor fugir e ficar nas internets chamando mãe de vadia e defendo a perda de direitos trabalhistas.

Bostejar na net é muito mais divertido que se comprometer com a educação e a criação de uma pessoa, né?

Anônimo disse...

Uma mulher investiu recursos biológicos imensos na geração, alimentação e criação desses bostejadores. Meu, a espécie humana é uma experiência que não deu certo, mesmo. Quanto mais as mulheres conhecerem os homens, mais independentes destes bostas elas serão.

Homem, quanto mais conheço, mais nojo sinto.

Serve pra sexo e olhe lá. Muitos, nem pra isso servem.

Anônimo disse...

Se matar, titia? Esse bostejador é tão inútil, que nem pra adubo presta.

Anônimo disse...

Meu, cê nem entende o sentido de fugir. É um bosta, mesmo.

Você NÃO tem filho.

Fecundar uma mulher NÃO é ter filho.

A sociedade que quer cuidar dos seus cidadãos o faz. A que não quer, faz como o Brasil. Infelizmente é preciso reconhecer que o Brasil jamais deixará de ser o lamaçal que sempre foi e é.

Você é o típico brasileiro, frouxo e covarde. Não precisa dizer mais nada, né?

Cansei de bater palmas pra bostejador dançar.

titia disse...

20:54 fazer filhos e pedir pra sociedade cuidar é exatamente o que você está fazendo, mula acéfala. Nós estamos pagando transporte, creche, hospital, saneamento e telefone pros seus filhos sem reclamar porque sabemos que a sociedade precisa que as futuras gerações sejam cuidadas, e você que nem sustenta seus próprios filhos está querendo reclamar de ter que pagar impostos pros filhos dos outros - repetindo, enquanto não cuida nem dos seus. É, você tem que se matar logo sim, porque se nem pra educar seus próprios filhos você serve não há nada de bom que você possa fazer pelo mundo. Se mate e suma daqui logo.

Anônimo disse...

titia, o bostejador tá aí mô orgulhoso de ser um completo inútil e você dizendo pra ele se matar? que jeito, se não consegue fazer nada de útil?

Anônimo disse...

Quando esses bostas ficam doentes, caem todos no SUS. Quero ver recusar atendimento.

Anônimo disse...

dna de mascu? Argh! É ruim hein :/

Anônimo disse...

é claro q o estado tem a obrigação de construir creches, escolas, universidades, etc.
até pq, se não fosse por isso, não haveria estado
A essência do estado, sem contar ser o palanque dos assuntos burgueses, é de prover sustento para as necessidades básicas de sua população: educação, saúde, moradia e segurança

Se não conseguirem prover nem isso, é pq é um estado falido



Anônimo disse...

Esses caras são nojentos demais, dá vontade de vomitar ao ler as asneiras defecam pelos dedos.

Anônimo disse...

Esses misóginos costumam criticar os islâmicos, mas são mais parecidos com eles do que a pouca inteligência deles consegue perceber.

Anônimo disse...

"Esses caras são nojentos demais, dá vontade de vomitar ao ler as asneiras defecam pelos dedos."

são omens minha filha, vc esperava o quê? o nojo é a essência dessas imundícias portadoras de XY, anomalias cromossômicas, nada mais

Anônimo disse...

Não é o blog da Lola que é esgoto. Esgoto é no que homens transformaram o Brasil, desde a sua fundação. A história do Brasil é a história de bostejadores acabando com qualquer possibilidade disso aqui se tornar um país.

Anônimo disse...

As mulheres não podem conhecer os homens como os homens são. Se o fizerem, jamais se relacionariam com um deles.

Não pensem que existam exceções. Não existem. Mais cedo ou mais tarde, todos deixam a máscara cair e mostram a carantonha medonha.

Anônimo disse...

21:21

primeiro q isso é só mais uma das fan fics de mascu, algo pelo qual essas imundícias são especialistas em criar, feito vc

segundo, vamos supor q esse conto seja verdade, a única explicação plausível é q vc não passa de boneco inflável, ela continua te achando um merda e inútil (como qualquer homem)

Agora, independente de verdade todas as mulheres são, pelo menos essas tiveram a sorte de descobrirem isso sobre si mesmas

Anônimo disse...

Esse mascu 'reprodutor' é puro fake.

Anônimo disse...

"é claro q o estado tem a obrigação de construir creches, escolas, universidades, etc.
até pq, se não fosse por isso, não haveria estado
A essência do estado, sem contar ser o palanque dos assuntos burgueses, é de prover sustento para as necessidades básicas de sua população: educação, saúde, moradia e segurança

Se não conseguirem prover nem isso, é pq é um estado falido"

Reitero

Anônimo disse...

Você pode pensar o que quiser. Mulher que não quer nenhum contato (NENHUM) com o pai dos seus filhos tem motivo, e não é amor.

Sexo é sexo. Como eu disse, sexo é gostoso, mesmo quando envolve um bostejador. Mas daí a fazer parte da vida da família...

Só o fato de você "comer" já mostra o limite da sua serventia.

Vai aí mais umas palminhas. Gosto de ver você dançando.

Anônimo disse...

Essa mulher é muito pouco exigente para ainda continuar marmitando esse mascu das 21:21, se é que isso seja verdade. O que duvido muito.

Anônimo disse...

Esses omens (lixos q só eles) q vem comentar no blog da lola sempre vêm com um lero lero duvidoso, estória pra boi dormir, dia desses era o corno q fazia a mulher de boneca inflável pra satisfazer suas taras, agora o cara q tem 4 filhos com 4 mulheres diferentes

É piada né.

Mas não passa do mesmo mascu retardado, imundícia nojenta

titia disse...

Não, cara, seu DNA não vai se perpetuar. Nenhum DNA é perpétuo - se duvida, me traga um descendente de D. Pedro I que tenha o DNA IGUAL ao dele, sem tirar nem pôr um só cromossomo. Não existe. Lá pela sexta geração não vai existir mais nada de seu nas pessoas. O que vai ser muito bom, na verdade, porque você não tem nada de bom pra passar adiante.

O Brasil está bom assim do jeito que está? Então por que vocês mascus estão reclamando tanto que o Brasil tá na merda? Simples: porque você é só mais um macho merda hipócrita que acha que o mundo deve se adequar às suas vontades e todos devem existir pra fazer o que você quer.

Anônimo disse...

Claro que é fake, mas é divertido. A melhor fantasia deles.

Anônimo disse...

21:29

fantasia de macho.

Anônimo disse...

21:30

titia vc é ótima, mas não dê crédito pra essa estórinha de merda, pq não passa de fan fic de mascu

"porque você é só mais um macho de merda e hipócrita"

é pq são omens né amada, o q mais vc poderia esperar de umas anomalias cromossômicas dessa? A imundície é a essência do sexo masculino, nem me surpreendo mais

titia disse...

21:35 é verdade. E essa fanfic ficou bem melhor agora que o mascu admitiu que não presta e se colocou como vilão.

Anônimo disse...

Não sei quem é pior, os mascus ou 'essas' que só fazem odiar homem e falar mal de homem.

Anônimo disse...

"genes deles são os mais perfeitos do mundo"

genes vindos de uns anómalos cromossômicos feito o XY? Um equívoco evolutivo?

Só pode ser piada, e se já não bastasse a imundície q é o maxo humano, ainda é mascu, é pedir pra ser escória duas vezes, a única coisa q esses "genes" podem trazer é a miséria, a pobreza a doença e a degeneração

Anônimo disse...

Cade o fofis que tava dançando tão bonitinho? Será que a mamãe já mandou desligar o computador e ir dormir?

Anônimo disse...

21:36, 21:41 - não precisa ficar do lado deles flor

Até pq é ótimo esculachar omen, é tão fácil, o ego q eles alimentam é mais frágil até do q os carocinhos q eles carregam naquela sacolinha escrota, (q por ser escrota, tem esse nome mesmo: ESCROTO)

Samantha disse...

Tá difícil moderar o blog esses dias, vou falar pra vcs.

Não basta comentários dos boçais de sempre, deu pra surgir uma penca de anônimos postando 23920390293 comentários falando mal de homens. Não sei se é um, se são vários, se é troll, se é mina enfurecida...

Não é de hoje e a Lola tem deixado os comentários, mas eu sinceramente acho que passou dos limites hoje. Foram vários, em sequência. Deletei alguns, deixei outros, mas oh: to tentada a deletar tudo até a Lola voltar, então pessoa anônima, se você não está mal intencionada, manera um pouco. Tá difícil de ler e acompanhar a temática do post.

titia disse...

Ah, tá com raivinha de mim, mascu? Tira as calças pela cabeça e rasga o cu com a unha.

Anônimo disse...

[Off]
Alguém me responde por que uma mulher usando roupa social recebe comentários do tipo "Parece uma secretaria/recepcionista" enquanto qualquer homem que use roupa social já é visto como executivo ou empresario. Eu nunca vi falarem que uma mulher parece ser empresária, é sempre "Tem cara de secretaria de filme porno". Não sei se é coisa da minha cabeça...

Anônimo disse...

Por que se pegarmos todas as mulheres bem vestidas e tirarmos uma porcentagem de quantas são secretarias e quantas são empresárias, verá que a maioria é secretária.

Já os homens a maioria é executivo ou empresário.

Anônimo disse...

Samantha, esses comentários só falando mal de homem são mal intencionados sim e a intenção é trollar, uma verdadeira praga que não acrescenta em nada, desvia do assunto e só polui o blog. São comentários tão desnecessários e idiotas quanto os dos mascus.

Anônimo disse...

Ser pai é ser pai biologico sim. Isso de "ser pai é quem cuida", é uma falácia que vocês usam para que seus maridos aceitem as crianças de outro relacionamento.

Eu tento ser o melhor pai, claro.. mesmo estando mais distante, como acontece com meus quatro filhos, agora querer dizer que eu não sou o pai deles é dose, né... Mesmo com meus filhos estando com suas mães em outro relacionamento, com uma espécie de "padrastro", eu me considero muito mais do que eles, e acredito que até elas me consideram, se brincar.

Agora, essa de meus cromossomos desaparecerem na sexta geração, vcs tão de brinqueixon with me, né? bem que dizem que biologia é a matéria inimiga das feministas. Vc tem idéia de quantos cromossomos uma pessoa tem? Divida esse número por dois, e verá quanto do meu DNA estará na próxima geração.. depois divida novamente por dois para ver os netos.. depois divida por 2 e temos os bisnetos, e assim por diante... além disso, o meu código genético não vai sumir, vai apenas se espalhar. Biologia manda lembranças.

Anônimo disse...

Você esta correto em dizer que essa história de pai é quem cria é uma desculpa das mãe solteiras pro otário aceitar bancar filho de outro. Mas quando você adota uma criança a história é outra, acredito que se torne realmente o pai da criança justamente porque o pai biológico não estará presente, e também porque você terá tanta autoridade pra mandar no filho quanto a mãe. Já se vc é só padastro a última palavra sempre é da mãe.

Pergunta séria: Você não se sente culpado de meter 4 filhos no mundo com 4 piriguetes diferentes e não ser capaz de dar uma educação decente pra nenhum. Obrigando-os a serem criados por uma piriguete e um corno manso?

Geovana Alves disse...

Esse é um ótimo assunto para se discutir, realmente a criação de creches nas universidades ajudaria muitas mães a seguirem com os estudos, pois o principal motivo das evasões dessas mulheres é não ter com quem deixar os filhos. Muitas vezes, as mães desistem de seus sonhos, no caso, prosseguir com os estudos no Ensino Superior por esse motivo. O grande problema é que as Instituições não pensam em investir em programas como esse, pois geraria muito custo, e infelizmente a maioria visa os custos e não o acesso à aprendizagem.

Anônimo disse...

Porque você não paga pela sua creche?
Parece que você também visa os custos e não acesso a aprendizagem, sua hipócrita.

Ieda Cavalcante disse...

Bom dia a todos!

Achei essa matéria incrível, pois tive que parar meus estudos na época que tive meus filhos.
As mulheres sempre tiveram desvantagem de direitos em relação ao homen.
Isso pode mudar basta lutarmos para que isso aconteça.

Sofia disse...

Achei uma ótima proposta! Apoiei lá no site!

MrDissidiaFan disse...

Anon das 21:29, usar retardado como ofensa é capacitismo, não se usa deficiência como ofensa.

Não se combate uma opressão com outra.

Anônimo disse...

12:46

o retardado do mascu q inventa história como essa de "quatro filhos" voltou, e com ele um outro mascu débil mental das 13:17, só q não, é o mesmo mascu comedor de bosta. Bela tentativa de teatrinho seu esquizofrênico, ng se convence das suas baboseiras mais não

TENTA OUTRA

Anônimo disse...

"dizem que biologia é a matéria inimiga"

Não seu idiota, biologia é a sua inimiga, vc é o equívoco da evolução, vc é o portador da anomalia y.

Só babacas se importam com sangue/genes, pq até parece q alguém teria orgulho de carregar a porcaria dos seus genes degenerativos, já q nenhuma dessas personagens inventadas da sua estorinha ligam pra vc, seu merda

Anônimo disse...

13:46

É uma universidade pública seu babaca




Anônimo disse...

Pai não existe. Isso é uma concessão da mulher pro homem justificar sua permanência junto da mulher, usufruindo do trabalho feminino. Só existe mãe e os filhos são apenas dela. O homem só permanece com uma mulher (com ou sem filhos, não importa) para ser cuidado por ela. Todo mundo tá cansado de saber que namorado/marido é muito semelhante a filho. Pouca diferença há. Acontece que filho, pelo menos, é investimento feminino, já namorado/marido é só encosto mesmo. Suga a energia vital feminina sem dar qualquer coisa em troca. O homem se alimenta da energia e da vitalidade feminina. Por isso as mulheres sentem um alívio imenso ao ficarem viúvas, depois de um longo casamento. É como se tirassem um peso enorme do peito, que as impedia de respirar. Podem conversar com mulheres idosas. Todas dirão coisas muito semelhantes. O homem exaure física e emocionalmente a mulher. E não dá coisa alguma em troca.

Anônimo disse...

E daí, babaca?
Se pra ela a aprendizagem fosse mais importante que os custos, ela bancava os custos de uma creche privada e ia estudar.

Mas não, a aprendizagem só é mais importante que os custos se for a universidade que esta pagando...

Anônimo disse...

As mulheres devem pensar na biologia, sim. Se pensassem e entendessem o tamanho do investimento biológico feminino na reprodução JAMAIS teriam filhos com bostejadores. Eu defendo firmemente que esse tipo de coisa seja disseminado entre as mulheres. Assim, elas terão condições de assumir plenamente o papel feminino na biologia: SELECIONAR. Nada de mulher dar a bostejadores o privilégio de se reproduzirem.

Anônimo disse...

Na natureza, machos se matam pelo privilégio de se reproduzir. O homem sabe disso, por isso criou mecanismos para tirar o poder de selecionar da mulher, interpondo milhares de obstáculos à vida feminina. Porque é isso. O homem torna a vida da mulher um inferno e aí oferece "proteção". Já passou da hora da mulher retomar as rédeas da reprodução.

Anônimo disse...

E, como vocês sabem, a mão que balança o berço é a mão que governa o mundo.

Tá na hora da mulher acordar do hipnotismo cultural e perceber o poder que tem.

Daniela Casagrande disse...

Todos tem direito a educação, é um assunto importante, tive uma amiga que teve que parar os estudos porque engravidou. Com certeza se tivesse a creche universitária ela poderia ter continuado os seus estudos.

Anônimo disse...

Enquanto bostejadores, ops, homens aparecerem por aqui tentando intimidar mulheres eu marcarei presença expondo o que eles são de verdade e o que representam de fato para o feminino. O homem já passou tempo demais agredindo a mulher e o feminino. A mulher já passou tempo demais acreditando ser possível dialogar com homem. Não é, será que ainda não ficou claro?

Chega desses bostejadores.

Anônimo disse...

Eu ainda não tenho filho, mas quando quiser ter, escolherei o macho menos babaca do meu círculo social e jamais, em hipótese alguma, ele saberá que doou esperma.

Anônimo disse...

A escolha foi dela que preferiu cuidar do filho e não continuar estudando

Anônimo disse...

Macho só existe com um propósito: doar esperma, já que a reprodução sexuada aumenta a variabilidade da espécie.

Macho não escolhe, é escolhido.

Anônimo disse...

E é exatamente isso que as mulheres têm que fazer melhor: selecionar. Chega de dar a bostejadores o privilégio da reprodução.

Ragnar disse...

E desde quando mulher não seleciona? Mulher precisa apenas se produzir, ficar bonita e escolher qual macho lhe agrada. Não há dificuldade nenhuma. Por que o chororô?

Anônimo disse...

Você esqueceu que ela tem que decidir quanto vai cobrar tambem

Anônimo disse...

E coisa que macho mais quer fazer é sexo sem camisinha, na esperança de engravidar uma coitada. Por isso a educação feminina sempre foi impedida. Quando a mulher têm consciência do que representa a reprodução, ela não dá chance nenhuma pra bostejador. Tanto é assim, que nos países mais misóginos, a reprodução é imposta para a mulher. Se o homem não inferniza a vida feminina, diminui muito a chance de bostejadores se reproduzirem. Só na base da violência, tanto moral, quanto social, econômica e, claro, a preferida dos bostejadores, física.

Pode ficar aí se esforçando, na tentativa vã de me ofender. Eu seleciono. Eu escolho o macho com o qual transo e escolherei a dedo o que me doará o esperma.

Anônimo disse...

E o que tu queria que ela fizesse, ignorar a existência do filho e larga-lo a própria sorte como os machos fazem?

Anônimo disse...

Qual a diferença entre um mascu e um machista comum?

Anônimo disse...

O chororô é de macho. Mulher seleciona. Deve, no entanto, selecionar ainda melhor o macho reprodutor. É só esse o meu ponto. Tem muito bostejador tendo o supremo privilégio de se reproduzir. E isso ainda acontece por falta de compreensão feminina do que representa o investimento da mulher na reprodução. A cultura masculina faz parecer que gestação é problema. Faz a mulher ter vergonha de estar grávida. Milênios de infernização masculina. Mas a mulher está despertando do hipnotismo. No Brasil, ainda demora um pouco, país de ignorantes que fomos e somos, mas não está longe. A fecundidade brasileira já está em níveis de país desenvolvido.

Anônimo disse...

Que tivesse pensado nisso antes de engravidar

Anônimo disse...

Pois é. Além de selecionar, ainda cobra do homem pelo privilégio dele ter sido escolhido.

Anônimo disse...

Repetindo: o chororô que estou vendo aqui é de macho. O seu inclusive, incomodadinho que está.

Anônimo disse...

17:24

Nenhuma.

Macho, homem, mascu, machista, misógino têm tudo o mesmo significado.

Anônimo disse...

A conversa aqui é sobre filhos e crianças, educação, futuro da sociedade e projeto de país. Recolha-se à sua insignificância. Você não tem qualquer capacidade pra participar da conversa.

Anônimo disse...

Além disso, a conversa é com outras mulheres. Você pode fechar a página. Nada te obriga a frequentar o espaço, ler os comentários e ainda comentar.

Não gostou? Vaza.

Anônimo disse...

Desviaram o assunto novamente, uma pena que um tema tão interessante e importante vire uma bagunça justamente em um espaço em que deveria ser mais discutido de forma séria. Os comentários machistas vem quase sempre das mesmas pessoas que fazem comentários de ódio contra homens. Apenas trolls tomando conta. Lamentável.

Anônimo disse...

17:51
e tu acha mesmo que mulher sai revelando a vida sexual pro mundo inteiro? acha que vem escrito na testa com quantos ela já trepou?
Aceita que dói menos. Não devemos satisfação sobre nossas escolhas. Chora mais, mascu

Anônimo disse...

A sociedade é feita de pessoas. Homens e mulheres, crianças, adultos e idosos. Para que todos possam compartilhar o espaço e o projeto comum de país, todos devem contribuir para o bom andamento da sociedade. O homem não quer arcar com filhos. Quer transar e só. A mulher não quer ter um encosto do lado dela. Quer cuidar da família sem que tenha que aguentar um homem dragando sua energia vital. Ambos, homens e mulheres concordam nisso. Ótimo. Por enquanto sem conflitos.

A mulher trabalha e participa da manutenção da sociedade, não apenas contribuindo com recursos econômicos através dos impostos, com o trabalho que movimenta a economia e com o trabalho fundamental e não remunerado de cuidadora da família (crianças, adolescentes e idosos), mas também FAZENDO pessoas.

Assim, mulheres contribuem de uma maneira muito mais efetiva e essencial para a manutenção e o progresso da sociedade.

Garantir que a mulher tenha meios para que possa cumprir todos os papéis sociais que possui (trabalhadora, cuidadora, mãe, educadora, mantenedora financeira da família) é dever da sociedade.

O homem precisa perceber que não é o único ser vivente do mundo e que o mundo não gira ao redor do seu umbigo.

O homem tem apenas um único papel, de trabalhador (já que despreza e não quer nenhum dos outros), e ainda assim reclama e chora sem parar.

É muito mimimi.

E pensar que esses bostas foram, são e serão cuidados por mulheres.

Homem, além de misógino, ainda é um tremendo de um mal-agradecido.

Anônimo disse...

Vai, mimizento. Chora mais. Esses clichês de macho são manjados demais. Tem que se esforçar mais.

Umas palminhas pra você continuar dançando. Tá tão bonitinho. Muito melhor que ontem.

Anônimo disse...

"Pai não existe. Isso é uma concessão da mulher pro homem justificar sua permanência junto da mulher, usufruindo do trabalho feminino. Só existe mãe e os filhos são apenas dela. O homem só permanece com uma mulher (com ou sem filhos, não importa) para ser cuidado por ela. Todo mundo tá cansado de saber que namorado/marido é muito semelhante a filho. Pouca diferença há. Acontece que filho, pelo menos, é investimento feminino, já namorado/marido é só encosto mesmo. Suga a energia vital feminina sem dar qualquer coisa em troca. O homem se alimenta da energia e da vitalidade feminina. Por isso as mulheres sentem um alívio imenso ao ficarem viúvas, depois de um longo casamento. É como se tirassem um peso enorme do peito, que as impedia de respirar. Podem conversar com mulheres idosas. Todas dirão coisas muito semelhantes. O homem exaure física e emocionalmente a mulher. E não dá coisa alguma em troca."

Reitero

Anônimo disse...

Coitado do 18:21.

Se não fosse homem, eu ficava com dó. Mas como é homem... só dou risada.

Anônimo disse...

16:16

Seu idiota, e vc quer o quê? Q a mãe abandone a criança na sarjeta? Ou pior, q ela entregue pro pai cuidar? Mas se isso acontecer, o pai se livra do filho (q pra ele é uma coisa) do mesmo jeito, dá-no mesmo

Então a não ser q vc estimule o abandono parental, uma universidade pública sim tem a obrigação de auxiliar a mulher e a futura(o) cidadã(ão) q ela carrega e alimenta. É o mínimo q o estado pode fazer por ela

Anônimo disse...

Uma vez uma moça me disse que o homem não suporta ser tratado pela mulher da mesma forma como trata a mulher. E é verdade. Homem não suporta por alguns minutos o que mulheres suportam desde sempre, já que misoginia é tão tradicional quanto andar pra frente.

Anônimo disse...

Gravidez e crianças não são erros. Se sua argumentação parte de uma premissa absurda, o que não é racional é ela, a sua argumentação.

Quando você aprender a usar argumentos racionais, volte. Do contrário, vaza. A conversa aqui é séria e entre adultos.

E, sim, a misoginia será respondida na mesma moeda. Sempre.

Anônimo disse...

Mais uma demostração de que com macho não há qualquer possibilidade de diálogo. Macho só enxerga outros machos. Mulheres e crianças não seres humanos para esses bostejadores.

Quanto mais conheço sobre os homens, mais nojo sinto.

Anônimo disse...

Sua idiota, eu quero que mulher deixe de botar filho no mundo sem ter condição de criar. O filho é seu responsabilidade é sua e não da universidade. Da pra entender ou ta dificil?

Anônimo disse...

Nojo e desprezo.

Anônimo disse...

E pensar que uma mulher cuidou (e cuida) dessa bosta. Coitada.

Anônimo disse...

18:41

para de ser idiota, oferecer auxílio é o mínimo q o estado pode fazer pela mulher e seus cidadãos, vc fala como se não vivesse num país q custeia hospitais, colégios, segurança e etc.

Tá achando ruim? vai fundar o seu próprio país no ancapistão q te parta, q essa sua baboseira não convence ninguém q viva em uma democracia séria

E não, ng vai quadruplicar a jornada, é bem mais simples deixar a criança na sarjeta mesmo, jogar toda a responsabilidade pro pai ou abortar, pq não?

Quero ver q estado intervencionista vai impedir isso

Anônimo disse...

Homem bostejando. Sempre.

Anônimo disse...

Homem é o atraso da sociedade, especialmente de países subdesenvolvidos como o Brasil.

Anônimo disse...

As mulheres já estão deixando de ter filhos. Quando elas têm escolhas, escolhem não ter filhos.

Mas o estado, esse mesmo que não tem nada a ver com os filhos que as mulheres têm, fica assustadíssimo quando a taxa de fecundidade cai. Eu rio. Só rio do desespero do estado, fazendo campanhas para que as mulheres tenham filhos.

Anônimo disse...

E rirei ainda mais quando as mulheres passarem a se recurar também a cuidar dos bostejadores envelhecidos e caquéticos.

Anônimo disse...

O estado só podia ser uma instituição masculina, mesmo. Não quer garantir condições dignas de vida para as mulheres, mas quer que os filhos dessas mulheres "sirvam à pátria". A espécie humana é um erro da natureza. Como pode existir uma espécie em que os machos desprezem com tanto ardor as fêmeas e os filhotes, e ainda planejem instituições que tornarão esse desprezo um projeto coletivo?

Até os machos de chimpanzés, que dentre os primatas são um dos mais odientos, se relacionam bem com os filhotes das fêmeas do bando. O macho humano consegue ser ainda mais desprezível. Um recorde, sem dúvida.

Anônimo disse...

18:46, certo! Sem abortos então.

Anônimo disse...

O que isso tem a ver com o que eu disse?

Com aborto legal ou sem aborto legal, gravidez e criança não são erros. São gravidez e criança (e como eu sei que você será capcioso, a criança em questão é a pessoa que usufruirá da creche).

Achar que a gestante e a criança não têm direito de serem cuidadas e amparadas pela sociedade é a mesma coisa que achar que pessoas doentes e idosos não têm direito de serem cuidados e amparados pela sociedade. O bostejador defende que doentes e idosos sejam deixados sem assistência?

Anônimo disse...

Crianças são responsabilidade de TODA a sociedade, não só da mãe.
Então se a mãe não tiver condições a criança deve ser largada sem assistência, sem comida, sem creche, sem educação? Pra que eu pago meus impostos?

PARA QUE EU PAGO IMPOSTO ENTÃO?


Tinha que ser homem pra vir com esse argumento.

Anônimo disse...

Caso não tenha ficado claro CRIANÇAS SÃO RESPONSABILIDADE DA SOCIEDADE INTEIRA E NÃO SÓ DA MÃE.

Claro que a parte masculina vai contribuir PAGANDO IMPOSTO, já que cuidar mesmo, o trabalho duro que é criar crianças eles não fazem. O mínimo que tem que fazer é PAGAR IMPOSTO QUE SERÃO USADOS PARA BENEFICIAR CRIANÇAS.

Era só o que faltava reclamarem disso. Como se macho não fosse folgado o suficiente.

Anônimo disse...

Gente, os homens já deixaram mais do que claro que não consideram mulheres e crianças como fazendo parte da sociedade. O bostejador aí já disse que só considera homens como cidadãos e partícipes da sociedade. Ele é como os bostejadores gregos, misóginos que influenciaram nossa sociedade e cultura, que excluíam mulheres e crianças da categoria de cidadãos.

Não há, espero que as mulheres tenham finalmente percebido isso, qualquer possibilidade de diálogo com homens. Eles simplesmente não consideram mulheres e crianças como seres humanos. Alguns ainda disfarçam, mas pensam exatamente como os bostejadores que frequentam o blog, basta dar corda que a carantonha medonha aparece.

Mulher precisa se organizar politicamente e participar diretamente das decisões da sociedade. Contar com o diálogo com machos legisladores é perder tempo e energia. Homens não entendem o que mulheres dizem porque sequer as consideram seres humanos como eles. Isso já deveria estar mais do que claro, tamanha a tradição misógina da humanidade. Não adianta insistir num diálogo impossível.

Anônimo disse...

Na natureza, ou melhor, na biologia e na ecologia não é raro que jovens femeas abandonem os filhotes. A natureza não segue os padrões ditados pelo "patriarcado ". Abortar não É PECADO. Acha uma atitude irresponsavel ragnar? Rsrsrs, tem especies de insetos que os machos são devorados pelas femeas depois do acasalamento. Nesse caso o macho acaba ajudando a femea sendo o seu alimento e não apenas sendo um mero reprodutor rsrsrs. Ah, apenas um idiota diria que as mulheres são as mais irresponsaveis, não consegue enxergar o proprio mundo.

Anônimo disse...

Sendo racional, a violencia poderia diminuir se o aborto for legalizado. Não existiria tantos criminosos e estupradores porque muitos nem teriam nascido.

Anônimo disse...

Falácia emocional seu cu. Foi exatamente o que você disse. Gravidez (ou seja, mulheres gestantes) e crianças como erros, como se não fossem seres humanos ou não fizessem parte da sociedade.

E o bostejador se mostra por inteiro, finalmente, em toda a sua inteireza bostial e bestial. Como eu disse, basta dar corda e a carantonha medonha se mostra completamente. Ainda bem que não demorou muito, porque isso aqui já estava me provocando engulho.

Até parece que equipamentos sociais são indevidos ou são usados apenas pela população mais pobre (como se não bastasse a misoginia, ainda tem o preconceito e o ódio aos mais pobres) Equipamentos sociais são direito de toda a população e não restritos a uma classe social, aliás, como ocorre em países desenvolvidos, que prezam e cuidam dos seus cidadãos, coisa que o Brasil jamais será e fará por conta desses bostejadores.

Equipamentos sociais são investimentos da sociedade para que floresça um agrupamento humano minimamente saudável.

*

Reforço a necessidade das mulheres criarem seus filhos o mais longe possível de bostejadores. Reforço a necessidade de educação, especialmente educação biológica, pra que todas as mulheres compreendam o que significa dar a um bostejador o privilégio supremo de se reproduzir. Reforço a necessidade de educação política para que as mulheres assumam cargos legislativos e possam atuar diretamente no direcionamento da sociedade num sentido mais saudável e cooperativo.

As mulheres precisam conhecer os homens em sua inteireza. Não é mais possível ver nos bostejadores aquela criança da qual a mulher cuidou um dia. Não dá. O homem adulto é misógino e egoísta por natureza. Abram os olhos, mulherada. Não dá pra ser condescendente com macho, especialmente com macho brasileiro. A traição e a punhalada pelas costas é a única certeza. Abram os olhos. Eles não escondem o que são. A face é feia, mas é real. Não dá mais pra gente fingir que não é assim.

Anônimo disse...

Quero só ver a taxa de natalidade brasileira cair ainda mais. AI o estado vai ofecerer até dinheiro para as mulheres terem filhos, iguais aos paises da Europa.

Anônimo disse...

Isso não é problema, os muçulmanos tão aí pra preencher esse vazio de crianças.

Anônimo disse...

O bostejador fala como se o estado fosse uma entidade separada da sociedade. Não é. O estado É a sociedade organizada para garantir o saudável desenvolvimento daquele agrupamento humano.

Se não é assim, então o agrupamento humano tem um problema, e um problema dos mais graves. Tem um estado abusador e totalitário, precisando se organizar para reparar o problema.

O estado é a sociedade. É o agrupamento humano que faz. O estado brasileiro é e sempre foi uma bosta, porque a sociedade brasileira é e sempre foi uma bosta, fundada a afundada por bostejadores que estupraram, escravizaram, corromperam e mataram, sem que fossem capazes de edificar nada que prestasse. Todos que tentaram melhorar essa bosta foram derrubados e silenciados.

E agora, a imbecil população brasileira está batendo panela, seguindo Bolsonaro, Cunha e Malafaia, rezando ajoelhada diante de quartel militar.

O Brasil morreu e esqueceu de deitar. Infelizmente. País misógino tá sempre mergulhado ma merda. Podem reparar.

Anônimo disse...

Pois é, como todos os misóginos, tornam a vida da mulher um inferno, se apresentam como "proteção" e impõem a maternidade. Exatamente o que eu tenho dito desde o começo. Mas tem quem ainda queira edulcorar a misoginia desse povo.

Anônimo disse...

Boa é a Dilma, né?
ahahahahha

Anônimo disse...

Ah, mas as muçulmanas tão dominadinhas, não tem perigo.

Anônimo disse...

E olha que nem sempre tem uma massa imigrante para repor. Veja o caso japones por exemplo.

Anônimo disse...

Como se os bostejadores brasileiros fossem melhores que os bostejadores muçulmanos. Bostejador é bostejador. Se a retaliação masculina não fosse implacável, se não houvesse violência, duvido que a mulher muçulmana "optasse" por se vestir como se veste. Faz isso, porque a violência moral, simbólica, verbal, física decorrente do não uso é imensa e a truculência, exaustiva. Em nome de alguma paz, se cobrem. Num cenário de completa liberdade, de liberdade real, de respeito real, de ausência completa da violência masculina, duvido que se cobrissem como se cobrem. DU-VI-DO.

Anônimo disse...

E claro, pra tirar o seu da reta, os bostejadores brasileiros já apelaram para os muçulmanos. Não basta ser um bosta, tem que ser covarde também. Um bosta covarde. Perfeito.

Anônimo disse...

Dominadinhas só até terem contato com o feminismo ou até mesmo com a globalização. E as meninas muçulmanas que estudarem nas escolas europeias quando crescerem vão aprender tudo e se revoltarem com a situação de violencia que as Mães passam.

Anônimo disse...

Não adianta. Os homens sempre desejaram que as mulheres não tivessem filhos. Esse dia está chegando. Muçulmana ou não, a mulher que tem possibilidade está escolhendo e está escolhendo não engravidar. Vamos ver até quando o mundo suporta o envelhecimento sem reposição populacional.

Anônimo disse...

Mas aí a chibata vai piar.

Anônimo disse...

"As mulheres precisam conhecer os omens em sua inteireza. Não é mais possível ver nos bostejadores aquela criança da qual a mulher cuidou um dia. Não dá. O omen adulto é misógino e egoísta por natureza. Abram os olhos, mulherada. Não dá pra ser condescendente com maxo, especialmente com maxo brasileiro. A traição e a punhalada pelas costas é a única certeza. Abram os olhos. Eles não escondem o que são. A face é feia, mas é real. Não dá mais pra gente fingir que não é assim."

Reitero, corroboro e reafirmo

Anônimo disse...

Violência: o único argumento masculino.

São ou não são um erro da natureza?

Anônimo disse...

21:47

é o próprio quem está comentando essas merdas, ficou sem argumento aí seu cara de pau?

Anônimo disse...

"Os homens não queriam o comprometimento do casamento. A mulher mostrou que sempre cagou pra isso e a partir do momento em que a imposição social caiu, mandou o homem pastar. Consequência? mimimi de macho.

Os homens queriam sexo sem resistência feminina. Mulheres livres, que escolhem quando, com quem e com que frequência farão sexo. Consequência? mimimi de macho.

Os homens não querem filhos. A mulher mostrou que prefere criar os filhos sozinha e que escolhe quando e se os terá ou não. Consequência? mimimi de macho.

Os homens sempre pressionaram a mulher a abortar. Quando a mulher decide pelo aborto, qual é a consequência? mimimi de macho.

Enfim, mimimi de macho antes das liberdades femininas. Mimimi de macho depois das liberdades femininas.

Macho, bostejando e mimizando desde Adão."

Mas o q esperar vindo dessas anomalias cromossômicas, o "y" além de INFERIOR é o tumor da sociedade humana

Anônimo disse...

É o próprio.

Mas gente, bostejador bosteja. Não tem jeito.

Anônimo disse...

A verdade nua e crua foi demais pra ele. Se não fosse homem, eu ficaria com dó... mas é homem, então, só rio.

Anônimo disse...

Aê galera, isso aqui tá divertido pra caramba, mas tenho que sair. Amanhã eu volto pra bater mais palminha pra bostejador dançar até mostrar a carantonha medonha em sua inteireza.

Boa noite!!

Anônimo disse...

"eu quero que mulher deixe de botar filho no mundo sem ter condição de criar"

Pra isso só tem um jeito: aborto legal
Descriminalização da interrupção da gravidez JÁAAAAA

Anônimo disse...

"como vcs conseguem ser tão mimizentas assim??"

Os mascus? Sim, eles mesmos, desde q nasceram, coitada da mãe desses estorvos

Anônimo disse...

"quero que mulher deixe de botar filho no mundo sem ter condição de criar"

Primeiro q vc não tem q querer ou deixar de querer nada, se enxerga

Segundo q a solução pra essa vontade da mulher existe, chama-se aborto
Bora legalizar isso já

Anônimo disse...

22:04 errado, a solução se chama métodos contraceptivos, já ouviu falar?

Anônimo disse...

22:16

fazer o quê se os caras não sabem por uma camisinha, e depois jogam tudo pra cima da mulher

Aborto é a melhor solução, se não isso, só se jogar o filho fora ou dar pro pai, mais aí o pai joga fora tb, quer dizer, dá no mesmo

Anônimo disse...

22:20 faz me rir. Em 2016 quem é que não sabe botar uma camisinha? A obrigação de tomar cuidados pra evitar uma gravidez indesejada é de ambos, se não encapou a piroca, toma a pílula do dia seguinte, simples.

Anônimo disse...

22:38

Seus sonhos, mas na prática quem vai abortar é a riquinha, esposa de governador do PSDB, eita nóis

titia disse...

Mascu Ragnar favor voltar algumas casas acima e ler o que eu escrevi pro mascu da fanfic, principalmente a parte sobre RESPONSABILIDADES. Eu sei que mascus começam a se coçar e passar mal cada vez que ouvem essa palavra, mas leia ate o final. Se você tiver um choque anafilático é só pegar uma faca na cozinha e enfiar na traqueia.

E se não querem ter filhos encampem seus malditos pintos sujos, seus bostas; ou façam vasectomia ou transem só com outros homens.

Anônimo disse...

22:42

é mesmo mascu? então fala isso pra esse vegetal aqui ó: 22:38

fala isso pra ele, ele é quem tá muito interessado em métodos contraceptivos

titia disse...

22:42 muita gente que não teve acesso a educação sexual por causa de tipinhos hipócritas e falsos moralistas como você, que não quer educação sexual pra não "estimular safadeza", não quer distribuição gratuita de contraceptivo porque seus impostos não são pra "patrocinar safadeza", mas ao mesmo tempo quer que nenhum pobre tenha filhos pra seus impostos não "sustentarem vagabundo". Ou seja, só mais ignorância de mascu que sabe como as coisas funcionam, mas finge que não só pra poder bancar o intelectual superior. Vai aprender a ser gente, lixo.

Anônimo disse...

mas ela não é mascu pra ter q tomar rivotril, gardenal e nem nada do tipo (e nem tem o cromossoma y)

sai daqui

Anônimo disse...

22:59

"A sociedade é feita de pessoas. Homens e mulheres, crianças, adultos e idosos. Para que todos possam compartilhar o espaço e o projeto comum de país, todos devem contribuir para o bom andamento da sociedade. O homem não quer arcar com filhos. Quer transar e só. A mulher não quer ter um encosto do lado dela. Quer cuidar da família sem que tenha que aguentar um homem dragando sua energia vital. Ambos, homens e mulheres concordam nisso. Ótimo. Por enquanto sem conflitos.

A mulher trabalha e participa da manutenção da sociedade, não apenas contribuindo com recursos econômicos através dos impostos, com o trabalho que movimenta a economia e com o trabalho fundamental e não remunerado de cuidadora da família (crianças, adolescentes e idosos), mas também FAZENDO pessoas.

Assim, mulheres contribuem de uma maneira muito mais efetiva e essencial para a manutenção e o progresso da sociedade.

Garantir que a mulher tenha meios para que possa cumprir todos os papéis sociais que possui (trabalhadora, cuidadora, mãe, educadora, mantenedora financeira da família) é dever da sociedade.

O homem precisa perceber que não é o único ser vivente do mundo e que o mundo não gira ao redor do seu umbigo.

O homem tem apenas um único papel, de trabalhador (já que despreza e não quer nenhum dos outros), e ainda assim reclama e chora sem parar.

É muito mimimi.

E pensar que esses bostas foram, são e serão cuidados por mulheres.

Homem, além de misógino, ainda é um tremendo de um mal-agradecido."

Toma seu escambau

titia disse...

22:57 eu estou muito bem, não preciso de remédios tarja preta; ao contrario de vocês mascus eu tenho vida. Vocês que precisam de rivotril, gardenal, vergonha na cara e uma dose cavalar de realidade. Ah, e talvez uma cirurgia pra remoção do egoísmo e da falta de humanidade. Depois fisioterapia especial pra aprender a ser gente.

22:59 me diga, gênio da lâmpada apagada, como as mulheres vão trabalhar e produzir os impostos que pagam sua energia elétrica, sua agua potável, seu sistema de esgoto, sua linha de telefone, seu ônibus, a ambulância que te socorre quando você causa um acidente por beber e dirigir, os medicamentos pra asma, hipertensão e diabetes que você pode pegar de graça na farmácia popular, as vacinas que você toma de graça no posto de saúde quando tem um surto epidêmico ou um cão de rua te morde, a universidade publica que você cursa (suposição somente, eu sei que mascu não estuda) e o emprego publico que você quer arranjar se não tiverem onde deixar os filhos enquanto trabalha, caro porífero? Ah, e esse sistema se sustentaria perfeitamente (Suécia, Dinamarca e outros países escandinavos tão ai pra provar) se os políticos (de todos os partidos, inclusivo do que você votou) não tivessem salários absurdos nem desviassem verba publica. De novo, Suécia e Dinamarca tão ai pra provar. Mas fingir que a culpa é só das mulheres e que elas não devem ter mais filhos (obs: sem nunca ter tido acesso a educação sexual decente) é mais fácil que admitir que o sistema é falho, né?

Anônimo disse...

Vc não manda na vida de ng não seu bosta

"Sua vida é ficar nessa página de comentários"

Olha quem fala, vc faz o mesmo e até pior seu babaca hipócrita, demorou pra vazar daqui

titia disse...

Oh, 23:20, acho que vou chorar...

HUAHUAHUAHUAHUAHA a mascuzada se revoltou hoje! Não disse? Só falar em RESPONSABILIDADE (contador de mascus caindo duros já passou de 600) que a trupe de losers sobe nas tamancas e começa a chorar. E ainda chegam aqui querendo que a gente dialogue com esses bebezões barbados alérgicos à palavra RESPONDABILIDADE e a quaisquer tipos de RESPONSABILIDADE, inclusive a RESPONSABILIDADE reprodutiva (IT'S OVER 9000!!) como se eles fossem adultos e capazes de entender um argumento de verdade.

Julia disse...

Gente, eu amo essa minas que comentam aqui.
Amo a Titia. Amo as anônimas.
Vocês podiam fazer um perfil pra gente saber quem é quem. Ou então só criar um nick.

Por favor. Quero que minha ídolas tenham um nominho <3

Anônimo disse...

Saudades de quando a panelinha Jonas, Raven (e seus 1289381739 de fakes), Rê Bordosa e Thomas Toddy comentavam aqui. A cada dia que passa esse blog atrai mais revoltadinhxs sociais/petistas com o c* na mão com a queda certeira da presidanta deles.

Anônimo disse...

23:27

Amore que raivinha é essa, relaxa que daqui a pouco aparece o mascu pra dividir o rivotril/gardenal dele contigo.

Anônimo disse...

Lola, vamos divulgar?

http://extra.globo.com/noticias/brasil/jovem-trans-relata-agressao-quando-chegava-em-casa-vai-voltar-ser-mulher-19044407.html

Vamos tirar os HOMENS TRANS da invisibilidade e lembrar que eles também existem?

Anônimo disse...

23:30

Pisar nos omens é bom, né? concordo,
quanto a criar um nick, vou pensar nesse caso

Anônimo disse...

Acho que essa opressão é recente. MInha mãe fez faculdade depois dos 40 e me levou inúmeras vezes às aulas, uma vez fiz até uma prova de mentirinha que um dos professores deu. Todo mundo me conhecia e nunca fui barrada.

Quando você acha que a sociedade tá evoluindo com o tempo, vem a realidade e VRÁÁÁÁÁÁ na sua cara, triste isso.

Anônimo disse...

Gostaria de saber o que a sociedade ganha em você excluir mães e pais do acesso a educação e emprego.

"Ain mimimi bolsa não sei o que pobre mimimi merito"

Mas quando você quer sair da merda as estruturas sociais não permitem, e aí comofas

TALVEZ o ensino a distância seja uma alternativa (ou um arremedo, depende de como se olha).

Para mim, TODAS as instituições de ensino, públicas ou particulares e empresas deveriam oferecer creche. Acho que é o mínimo. A exclusão, principalmente de mães, é um fato real, concreto e que deveria receber foco.

Anônimo disse...

Quem não tem condições de oferecer uma vida confortável pra uma criança, futuro adolescente não deveria ter filhos. Simples. Ninguém é obrigado.



====================================

Eu também acho. É uma bela bosta botar filho no mundo sem a mais ínfima condição de criar e já ter que depender de governo pra tudo.

Só que uma vez nascida, alguma coisa tem que ser feita pela criança e sua família sob pena de problemas ainda maiores. Dar condições para essas famílias saírem da linha dos auxílios é uma medida bem óbvia, que passa pela creches nas universidades.

Anônimo disse...

E mais: passa pela legalização do aborto também, bem como pela descomplicação absoluta na hora de uma mulher decidir não ter filhos (ou mais filhos, se for o caso).

Mulher sem filho não consegue fazer laqueadura não, mesmo com mais de 25 anos, do jeitinho que a lei manda. E aquelas com mais de 18, não raro inventam que precisa ter três filhos, ser casada etc. Engraçado que pra homem é só falar que não quer que fazem, nem perguntam se é ou não casado. Tudo errado isso aí e a lei, por si só, não foi capaz de resolver porque o que de fato vai resolver isso é uma nova mentalidade cultural do brasileiro (esse, que um dia vai ser méRdico e vai tirar requisito DO RABO pra negar laqueadura a uma mulher com total direito de fazê-lo).

Anônimo disse...

Gente, olha esses argumentos!! É dever do estado, sim, garantir equipamentos públicos para o bem estar da população!! Cuidado para não corroborarem argumentos de bostejadores. Todas as mães e crianças, independente da classe social têm esse direito. É o mínimo que o estado deve fazer por seus cidadãos, especialmente pelas cidadãs que são as responsáveis diretas pela renovação populacional. O Brasil é a bosta que é, justamente porque bostejadores existem e ainda tem, apesar de tudo o que esses bostejadores fazem, mulheres que os apioam.

Náy disse...

Sou estudante de uma universidade federal.Era para eu me formar ao final deste ano, mas isso não vai acontecer pois, como não tinha com quem deixar a minha filha para assistir as aulas,tive que trancar a faculdade por 3 semestres.Só retornei quando consegui uma vaga pra ela em uma creche(CMEI) da rede municipal.Mas ainda assim é complicado. POr conta das greves do ano passado, em julho teremos aula na universidade, enquanto no CMEI estarão em recesso. Terei que trazê-la para a faculdade comigo durante todo o mês de julho, levantando de madrugada, pegando Ônibus lotados onde poucos seguem o banco para mulheres com crianças pequenas no colo. Se contar que o meu rendimento acadêmico será baixíssimo, pois a todo momento tenho que sair da sala de aula para distrair ela.E também tenho que torcer para que os professores permitam que eu a traga, pois caso o contrário, posso perder o semestre letivo.
Por fim, eu não passaria por nada disso se houvesse uma creche com vagas suficientes em minha universidade, já que a que ela possui, oferece pouquíssimas vagas e a maioria das crianças inscritas não são beneficiadas.

Lua

Náy disse...

Além do mais, chego com 1 hora de atraso as aulas, pois tenho que deixá-la no CMEI,do outro lado da cidade antes ir a faculdade, para qual me dirigo através de ônibus coletivo.


Lua

Rafael Cherem disse...

Ok, mas quem vai pagar essa conta?

Anônimo disse...

Rafael Cherem: o governo paga. Somos a sétima economia do mundo.

Rafael Cherem disse...

Rafael Cherem: o governo paga. Somos a sétima economia do mundo.

É claro que o governo paga, mas não é melhor pagar creche que beneficia toda a comunidade e não apenas universitárias?

Mila disse...

Complicada a questão. Algumas colegas minhas já levaram suas crianças para a sala de aula, todas ficaram bem quietas e na delas. Faculdade não é bem um local para crianças ficarem, especialmente se a criança for mais agitada e por isso mesmo, eu creio que as mães levam as crianças por necessidade. Nem precisa falar que, pelos relatos, a atitude da professora foi exagerada, sem cabimento e sem o mínimo de senso de solidariedade.
Uma pessoa falou no fb e não custa lembrar que todo mundo crucificando a mãe, mas tb é responsabilidade do homem (pai) cuidar de sua prole.

Anônimo disse...

"Ok, mas quem vai pagar essa conta?"

Se deixassem de roubar um pouquinho, um pouquinho que seja já daria para abrir uma porrada de creche.

"É claro que o governo paga, mas não é melhor pagar creche que beneficia toda a comunidade e não apenas universitárias?"

Sim, mas colocar creches perto das universidades seria uma boa. O comentário da Náy explica bem essa questão. Imagina estudar num ponto da cidade e só conseguir vaga no outro rumo do campus?

Anônimo disse...

Mas gente, pq estudantes de universidades públicas deveriam ter regalias em relação aos cuidados com os filhos?
Não consigo me conformar com esse protecionismo. Ou as creches são pra todos ou não são pra ninguém.
Quer dizer que aluno de universidade particular não merece o beneficio das creches públicas pra terminar os estudos? Mesmo que tenha FIES, mesmo que trabalhe 10 horas por dia pra pagar o curso?
Eu hein, tratar igual ou os iguais... lembremos!

Anônimo disse...

É bem mais fácil cobrar isso de universidades particulares porque antes de tudo, os alunos são CLIENTES.

Questão do povo se organizar e criar essa demanda no mercado.

Nas públicas a coisa complica um bocadim e aí precisa da santa canetada da Lei

Anônimo disse...

""É claro que o governo paga, mas não é melhor pagar creche que beneficia toda a comunidade e não apenas universitárias?""

Aí, de novo, as universitárias vão ficar sem creche para os filhos.

Gente que tá na linha das necessidades precisa de toda força do mundo pra sair delas. Isso não é gasto, é investimento.

Anônimo disse...

"Uma pessoa falou no fb e não custa lembrar que todo mundo crucificando a mãe, mas tb é responsabilidade do homem (pai) cuidar de sua prole."

E cabe às mulheres exigirem essa responsabilidade dos homens porque vindo deles naturalmente não só é raro como também socialmente desestimulado.

Anônimo disse...

Creches não são necessárias em universidades.
Universidade é lugar de estudar, e não de ficar brincando.

Ponto final.

Anônimo disse...

17:51 Acredito eu que o aluno da particular tenha mais flexibilidade de horários e matérias que o estudante da faculdade pública.