segunda-feira, 25 de abril de 2016

GUEST POST: HOMENS, QUANTO VOCÊS GANHAM?

Este é um guest post da M., que preferiu não se identificar. Ela trata do tabu que é perguntar pra alguém -- principalmente um homem -- quanto ele ganha. 

Desde que passei a ganhar dinheiro (não faz muito tempo), descobri nas rodas entre amigos e no ambiente profissional que um dos maiores tabus do mercado de trabalho é: não pergunte a um colega quanto ele ganha. É considerado rude e totalmente mal-educado. É compreensível. O valor que estampa no contracheque do coleguinha concerne somente a ele, e a liberdade civil nos permite manter a privacidade. Isso se você não for um servidor público, de quem é cobrado transparência.
Somos criados neste mundo capitalista e supostamente meritocrático onde nos ensinam que o esforço nos dará mais dinheiro. É quase uma proporção ideal e perfeita: quanto mais você trabalha, se esforça e tem um cargo onde manda em mais pessoas, mais você ganha. Uma linda e ideal equação, que supostamente é aplicada em setores privados ou públicos do mercado. E eu passei a acreditar nesta fábula desde criança. 
Desde que me conheço por gente, eu vi minha mãe como um modelo de vida: uma ótima profissional, respeitada no meio. Eu queria apostar a minha satisfação pessoal no meu trabalho e na minha carreira, e por conta disso foquei nos estudos e na qualificação. Até hoje me lembro como minha professora estranhou ao ver o meu desenho na 5ª série do ensino fundamental, quando ela pediu para a sala projetar a vida ideal aos 30 anos. Eu não tinha colocado um marido, nem filhos, mas sim uma veste profissional. Estava determinada a ser viver do que produzo e sem dependências financeiras. “Você quer viver sozinha?”, questionou a professora. “Não, mas não quero me prender a ninguém para ser feliz”, respondi. 
Alguns anos depois eu me tornei jornalista. Passei a trabalhar e a estudar, e a sofrer com os primeiros baques da vida (como qualquer pessoa na vida). Apostei algumas das minhas fichas em mudanças profissionais, e os resultados estão sendo vagarosos (como normalmente são). Mas estou satisfeita até o momento. Passei a trabalhar em uma instituição pública, com cargos comissionados para determinadas áreas. Eu não estava no luxo de recusar. 
Estava tudo bem. Salário fixo, funções determinadas e trabalhando na minha área. Sem gratificação, ou extra. Não era pouco, mas não era muito. Não reclamei. Outro jornalista também foi contratado para quase as mesmas designações (até menos). Tem ele praticamente a minha idade (meio dos 20, início dos 30), sem família ou filhos, fazia menos atividades e contava apenas com graduação, como eu.
Em conversas de bar, contudo, passei a conviver mais tempo com colegas jornalistas do mesmo ambiente, que estipulavam salários mínimos às suas funções. A alta exigência deles me deixava intrigada. “Nossa, acho que eu devia ganhar mais”, pensei. Mas o salário era fixo. Quanto eles ganhavam mais que eu? Em um dia ensolarado, eu quis deixar minhas divagações pra trás. 
Fui lá eu a investigar os salários das pessoas com quem eu convivia, para ver se eu realmente estava encucada por besteiras. O primeiro absurdo: o meu colega jornalista ganhava o DOBRO do meu salário. O DOBRO. LÍQUIDO.
O segundo absurdo: busquei o salário líquido da chefa que coordena o setor específico. Meia idade, com mais funções, responsável pela coordenação da equipe. Ela ganhava LÍQUIDO um total de dois mil A MENOS que o menino jornalista, apesar de seu horário extra ser um pouco maior. Ou seja, caso aconteça que, em um mês, ambos não façam trabalho-extra (como é comum em meses de folga), o menino jornalista ganhará mais que a coordenadora de meia idade. 
Eu fiquei me questionando: que meritocracia de merda é essa? Quem foi aquela pessoa que colocou na minha cabecinha que o esforço e a dedicação independia de uma questão de gênero? Racial? Social? O CARAMBA!
E agora estou aqui, até este momento sem entender. Tentando ter explicações para essa desigualdade. Que sentido teria no século XXI, em que a mulher é tão apta quanto o homem ao mercado de trabalho e é dotada da mesma capacidade de ser provedora de uma família, os salários continuarem tão desiguais? O que me faz ganhar a METADE de um homem, considerando trabalhos com a mesma qualificação e a mesma função?
Sentir na pele a desigualdade salarial ajuda a interpretar pesquisas como a do IBGE, em que aponta a diferença de pelo menos 40,5% de recompensa monetária a depender do gênero aqui no Brasil. E sabe qual é o pior de tudo? Só depois de alguns anos que eu tive a curiosidade de saber qual é o salário dos meus colegas homens, e fazer as devidas comparações. Lembra-se de como é estranho e mal-educado você perguntar o quanto uma pessoa ganha por mês?
O mundo em que é “rude” uma mulher ou qualquer pessoa de qualquer gênero questionar o valor do contracheque de um homem é bom. Ele respeita a privacidade das pessoas e suas liberdades. Porém, ao mesmo tempo, silencia a luta de valorização salarial das mulheres. Ao passo que não conhecemos quanto nosso colega com as mesmas funções ganha, não sabemos se nosso salário é justo. E nossa luta enfraquece, pois parece que o grito pela igualdade salarial é soprado aos quatro ventos, pois não há provas. E pessoas não acreditam em pesquisas, acham que é mera estatística “doutrinária”. 
Lembrei das mensagens vazadas da Sony que revelaram a discrepante diferença salarial entre homens e mulheres no set de filmagens do filme americano Trapaça. Na falta de um comparativo, concordamos com determinado salário desvalorizado, e provavelmente foi isso que levou as atrizes Jennifer Lawrence e Amy Adams a aceitaram um cachê menor que os atores. Elas mereciam ganhar o mesmo! Uma faturou um Oscar, a outra já foi indicada mais de duas vezes ao mesmo prêmio. O que faria elas ganharem menos que Bradley Cooper, por exemplo? Porque ele fez Se Beber, Não Case? Acho que não. 
Estou fazendo uma campanha “Homens, mostrem seus salários!”? Não. Mas, no fundo do coração, eu realmente quero saber. Homens, quanto vocês ganham? Homem, sabe aquela mulher que trabalha o mesmo que você? Quanto ela ganha? Mais? Menos? Vamos desmascarar este tabu. Vamos questionar sem dó. O “não” sempre vai ser uma resposta válida, claro! Mas não quero deixar de perguntar. Eu quero saber o quanto homens ganham. Minha conclusão: há momentos em que é válido nos infiltrarmos no meio privado de alguns, para consertar desigualdades públicas de muitxs.  

162 comentários:

Anônimo disse...

Por que contratar homens?

Vamos supor que o mito da diferença salarial seja verdade e que mulheres ganham salários menores [em comparação aos homens] para fazer o mesmo serviço. Nesse caso, por que contratar um homem? Os empregadores não estariam se digladiando para contratar uma mulher, que pode fazer o mesmo tipo de serviço e estão dispostas a trabalhar por um salário menor? E se os empregadores estão tão ávidos pela contratação de mulheres, o que está atrapalhando as forças de mercado [da oferta e da demanda] que sempre aumentam os salários quando há um crescimento da demanda por uma oferta limitada de trabalho?

Anônimo disse...

Eu já ganhei mil reais a menos para desempenhar a mesma função de um colega homem e entramos na mesma data. Eu era super competente e a justificativa para o valor era porque era recém formada, enquanto o outro colega tinha dois anos a mais. O próprio colega não sabia que eu recebia a menos, só um dia depois de um bom tempo trabalhando e ambos pensando em pedir aumento descobrimos isso. Mas sempre fui muito bem tratada nesse trabalho, gostava bastante de trabalhar lá, ótimas pessoas e colegas. Hoje em dia fico pensando se realmente foi o fato de ser recém-formada, mas competente.

Anônimo disse...

Faltou completar: remunerar alguém com mil reais a menos do que outro colega que foi admitido na mesma data e para desempenhar as mesmas funções com a motivação que uma recém formada deve ganhar menos que um formado há dois anos será a verdadeira motivação?

Anônimo disse...

• Homens são mais propensos a se transferir para locais indesejáveis em troca de empregos que pagam mais.
• Homens são mais propensos a aceitar empregos que exigem viagens constantes.
• No mundo corporativo, homens são mais propensos a escolher áreas de salários mais altos, como finanças e vendas, ao passo que as mulheres são mais predominantes em áreas que pagam menos, como recursos humanos e relações públicas.
• Quando homens e mulheres possuem o mesmo cargo, as responsabilidades masculinas tendem a ser maiores.
• Homens são mais propensos a trabalhar por comissão; mulheres são mais propensas a procurar empregos que deem mais estabilidade. O primeiro apresenta maiores potenciais de ganho.
• Mulheres atribuem maior valor à flexibilidade, a um ambiente de trabalho mais humano e a ter mais tempo para os filhos e para a família.

Anônimo disse...

Anônimo das 11h46

Quando as comparações de salários são feitas 'na media' de todas as mulheres e todos os homens, os fatores que vc listou realmente afetam (e vale que sejam discutidos), mas no caso do post e em muitos outros, compara-se o salário de um homem é mulher com a mesma qualificação é no mesmo posto. Advinha quem ganha menos?

Vou deixar um link de maos um dos casos emblemáticos:
http://economia.terra.com.br/carros-motos/primeira-ceo-mulher-da-gm-ganha-metade-de-antecessor,668221c42d804410VgnVCM20000099cceb0aRCRD.html

Anônimo disse...

Mas é óbvio que, apesar de todas as evidências, vai chover comentário de homens dizendo que o mérito de eles ganharem a mais é TODO deles.

Me pergunto: pra que vir aqui todo dia e não absorver uma linha do que lê? Vai logo lá pro site da Veja!!

B. disse...

" Mulheres atribuem maior valor à flexibilidade, a um ambiente de trabalho mais humano e a ter mais tempo para os filhos e para a família."

Por que vocês, bostas de mascus, não ajudam. Simples.

Anônimo disse...

E porque diabos um mascu iria ajudar, oi? 90% sequer tem família/são casados, esses bostas. Tá usando a palavra errada, mascu não é sinônimo de homem aqui, e sim masculinista.

Anônimo disse...

O contratante não é obrigado a falar por o trabalho de um vale x e o de outro 2x.

Mas podem ter certeza que ele sabe.

Anônimo disse...

CORREÇÃO

O contratante não é obrigado a falar porque o trabalho de um vale x e o de outro 2x.

Mas podem ter certeza que ele sabe.

Bizzys disse...

Ao anônimo das 11:13:

Os empresários não estão brigando para contratar mulheres porque na visão da sociedade as mulheres são vistas como "incompetentes" e inábeis para qualquer serviço que não seja o doméstico. Só aqui no blog da Lola tem vários posts de mulheres relatando que fizeram cursos em áreas masculinas e, mesmo sendo as melhores da turma, não conseguiram emprego. As empresas preferem contratar homens medíocres a mulheres competentes, e mesmo quando contratam mulheres, nos pagam menos e não nos consideram tão boas de serviço quanto os homens.

Anônimo disse...

vejam um exemplo da violência contra mulher:

http://www.nytimes.com/2016/03/20/upshot/as-women-take-over-a-male-dominated-field-the-pay-drops.html?ref=topics

http://m.folha.uol.com.br/empregos/2016/04/1757715-quando-mulheres-dominam-profissao-masculina-o-salario-do-setor-cai.shtml?mobile

A tendência em geral é que as mulheres tenham um maior tempo de estudo em relação aos homens, mas mesmo assim o sistema patriarcal arruma um jeito.

Outro exemplo: A seleção feminina de futebol nos EUA, que ganharam muitos mais prêmios que a seleção masculina, e que as mesmas bateram o recorde de audiência nos EUA ganham um salário abaixo da linha de pobreza.

http://olimpiadas.uol.com.br/noticias/2016/03/31/time-feminino-dos-eua-entra-com-acao-exigindo-salario-igual-ao-dos-homens.htm

Anônimo disse...

Ainda mais levando em conta que é cargo público, o que aconteceu é simplesmente contra a lei. Tem que denunciar e colocar na cadeia que fica metendo a mão no dinheiro público para ganhar o dobro do valor justo!

Anônimo disse...

• Homens são mais propensos a se transferir para locais indesejáveis em troca de empregos que pagam mais.
• Homens são mais propensos a aceitar empregos que exigem viagens constantes.
• Mulheres atribuem maior valor à flexibilidade, a um ambiente de trabalho mais humano e a ter mais tempo para os filhos e para a família.


Não aconteceria se homens e mulheres tivessem as mesmas responsabilidades dentro de uma família, i.e., trabalhar, cuidar dos filhos, dos pais e da casa de modo igualitário. Não aconteceria se um gênero não fosse mais cobrado por isso do que o outro. Não aconteceria se a sociedade machista parasse de julgar como "vagabundo" um homem que se muda de cidade e fica desempregado só pra acompanhar a mulher. Não aconteceria se os homens, por culpa do machismo, não fossem inseguros quanto a ganhar menos que sua mulher.

• No mundo corporativo, homens são mais propensos a escolher áreas de salários mais altos, como finanças e vendas, ao passo que as mulheres são mais predominantes em áreas que pagam menos, como recursos humanos e relações públicas.

Na verdade ocorre o contrário, quando mulheres começam a dominar uma área o salário médio desse segmento tende a diminuir. http://m.folha.uol.com.br/empregos/2016/04/1757715-quando-mulheres-dominam-profissao-masculina-o-salario-do-setor-cai.shtml?mobile

• Quando homens e mulheres possuem o mesmo cargo, as responsabilidades masculinas tendem a ser maiores.
Então talvez você devesse se perguntar porque os chefes dessas pessoas julgam as mulheres como menos capazes a ponto de atribuir menos tarefas a elas, para um mesmo cargo.

• Homens são mais propensos a trabalhar por comissão; mulheres são mais propensas a procurar empregos que deem mais estabilidade. O primeiro apresenta maiores potenciais de ganho.
E quando mulher trabalha por comissão, adivinha? Ela também ganha menos que o homem.

Anônimo disse...

"Mas podem ter certeza que ele sabe."

Ele sabe mesmo, é que um nasceu com vagina e outro com pênis.

Anônimo disse...

A mão de obra feminina é sempre de risco. A qualquer momento a mulher pode aparecer grávida e deixar a empresa chupando dedo por 6 meses.

Será que vale a pena o risco para a empresa ? Para pensar.

Anônimo disse...

Eu gostaria de ver uma pesquisa sobre a renda mensal média de casais lésbicos e de casais gays masculinos. Seria interessante

Anônimo disse...

O que acontece é simplesmente uma forma de violência contra a mulher. As mulheres possuem em média maior tempo de estudo mas acabam ganhando menos. Na pesquisa da folha que citaram
"Novas pesquisas sugerem que o motivo pode estar em uma incômoda realidade: o trabalho realizado pelas mulheres simplesmente não é visto como tendo o mesmo valor.Isso pode parecer um truísmo, mas as pesquisas acadêmicas que embasam essa interpretação explicam a persistência na diferença de pagamentos ainda que os fatores considerados como historicamente responsáveis por ela tenham desaparecido.

Hoje, por exemplo, as mulheres têm grau de educação superior ao dos homens, e a probabilidade de que optem por carreiras de alta remuneração é idêntica à masculina.

O diferencial não pode mais ser explicado por observações banais como a de que há mais mulheres do que homens ocupando empregos de baixa remuneração como o ensino e a assistência social.

Um novo estudo por pesquisadores da Universidade Cornell aponta que a diferença entre as ocupações e setores nos quais homens e mulheres trabalham recentemente se tornou a maior causa isolada na disparidade de pagamento entre os sexos, respondendo por mais de metade dela.

Outro estudo demonstra, de fato, que quando mulheres ingressam em um campo de trabalho em maiores números, o salário declina —por exatamente o mesmo trabalho antes realizado por homens."

Anônimo disse...

continuação :
"E existem provas substanciais de que os empregadores conferem menos valor ao trabalho feito por mulheres. "Não é que as mulheres sempre escolham coisas menos sérias para fazer em termos de capacitação e importância", disse England. "Os empregadores simplesmente decidem lhes pagar menos".

Um exemplo notável pode ser encontrado no ramo da recreação —o trabalho em parques ou acampamentos— que no período entre 1950 e 2000 deixou de ser predominantemente masculino e passou a ser dominado pelas mulheres.

O pagamento médio por hora nesse campo caiu em 57%, levando em conta a variação do valor do dólar, de acordo com uma complexa fórmula usada por Levanon. O posto de bilheteiro é outro que era predominantemente masculino e veio a se tornar feminino no período, e os salários nessa profissão caíram em 43%.

A mesma coisa aconteceu quando grande número de mulheres começaram a trabalhar como designers (queda de 21%) e biólogas (queda de 18%).

Anônimo disse...

A mão de obra feminina é sempre de risco. A qualquer momento a mulher pode aparecer grávida e deixar a empresa chupando dedo por 6 meses.

Só é considerada "de risco", como vc falou, porque a licença maternidade/paternidade não é igual pros dois gêneros. E adivinha o motivo? Machismo, que diz que cuidar dos filhos é mais responsabilidade da mãe do que do pai. Inclusive quem criou essa Lei foram homens, e homens bem longe de serem feministas. Se as licenças fossem iguais pra homens e mulheres não faria diferença pra empresa.

Anônimo disse...

Acho que já foi falado aqui no blog, mesmo nas profissões 'tipicamente femininas', os homens dessas áreas têm mais reconhecimento e maiores salários.
Alguns exemplos são:
- Conheiras (mulheres) vs chefs de cozinhas (homens);
- Professores e profissionais da áreas de humanas, como de Letras e Pedagogia
- Cabeleireiros.

Anônimo disse...

"Não aconteceria se homens e mulheres tivessem as mesmas responsabilidades dentro de uma família, i.e., trabalhar, cuidar dos filhos, dos pais e da casa de modo igualitário. Não aconteceria se um gênero não fosse mais cobrado por isso do que o outro. Não aconteceria se a sociedade machista parasse de julgar como "vagabundo" um homem que se muda de cidade e fica desempregado só pra acompanhar a mulher. Não aconteceria se os homens, por culpa do machismo, não fossem inseguros quanto a ganhar menos que sua mulher."

ótimo, aí precisaríamos de igual direito à licença pelo nascimento do filho(a) por exemplo, de um homem poder tratar a saúde sem ver ameaçado o seu emprego, de homem deixar de ser considerado o "burro de carga", de a sociedade começar achar normal a mulher trabalhar e o homem ficar cuidando da casa(eu trocaria sem pestanejar!!!). Eu tenho esperança de ver o movimento feminista conseguir mudar estes paradigmas.

Anônimo disse...

13:13 muito bom, só faltou o exemplo mais "cruel" que é a área de Publicidade e Propaganda. Quem é mulher nesse ramo sabe bem do que estou falando.

Anônimo disse...

"ótimo, aí precisaríamos de igual direito à licença pelo nascimento do filho(a) por exemplo, de um homem poder tratar a saúde sem ver ameaçado o seu emprego, de homem deixar de ser considerado o "burro de carga", de a sociedade começar achar normal a mulher trabalhar e o homem ficar cuidando da casa(eu trocaria sem pestanejar!!!). Eu tenho esperança de ver o movimento feminista conseguir mudar estes paradigmas. "

Exato, direito a licença maternidade/paternidade de mesmo tempo é pauta feminista, e todos os outros problemas que vc citou são causados pelo machismo. Eu tenho esperança de ver os homens começarem a acordar e apoiarem o movimento feminista pelo bem deles também. Que bom que vc nos apoia :)

Anônimo disse...

A mão de obra feminina é sempre de risco. A qualquer momento a mulher pode aparecer grávida e deixar a empresa chupando dedo por 6 meses.

E adivinha só? mais de 50% das mulheres da Alemanha não querem ter filhos, mas ainda ganham menos. E pior, os homens culpam as mulheres pela queda da natalidade QUANDO JUSTAMENTE, SE A MULHER TIVER A PORRA DOS FILHOS JÁ É DESCULPA PARA ELA GANHAR MENOS.
FINAL DA HISTÓRIA: a tendência é realmente das mulheres terem menos filhos, para justamente terem maior tempo no trabalho, visto que os homens são inúteis. menos filhos, menos mão-de-obra. menos mão-de-obra, maior salário,envelhecimento da população, maior prejuízo para os empresários e o estado. Depois culpam as mulheres, mas quem começou todo o ciclo?

Anônimo disse...

Só é considerada "de risco", como vc falou, porque a licença maternidade/paternidade não é igual pros dois gêneros. E adivinha o motivo? Machismo, que diz que cuidar dos filhos é mais responsabilidade da mãe do que do pai. Inclusive quem criou essa Lei foram homens, e homens bem longe de serem feministas. Se as licenças fossem iguais pra homens e mulheres não faria diferença pra empresa.

----
Por isso muitas empresas aplicam um espécie de deságio a contratação de mão de obra feminina. É como uma forma de compensar o risco. Claro que não é nada oficial (nem poderia ser)


Anônimo disse...

ótimo, aí precisaríamos de igual direito à licença pelo nascimento do filho(a) por exemplo, de um homem poder tratar a saúde sem ver ameaçado o seu emprego, de homem deixar de ser considerado o "burro de carga", de a sociedade começar achar normal a mulher trabalhar e o homem ficar cuidando da casa(eu trocaria sem pestanejar!!!). Eu tenho esperança de ver o movimento feminista conseguir mudar estes paradigmas.

Os próprios homens se classificam como burros de carga e úteis ao estado apenas pela força de trabalho. E em relação a reprodução, sabe porque não existe alistamento obrigatório para as mulheres e para os homens sim? porque a vida dos homens não é tão útil quanto das mulheres. Homem pode fecundar milhares de mulheres, mas as mulheres tem um filho por vez. E isso acaba sendo ruim para os homens no sentido em que, podem morrer milhares de homens mas se sobrar um, a humanidade continua. A função do homem na natureza é fecundar a fêmea e morrer. Os homens, com inveja da fêmea, criaram uma nova função para os mesmos: serem "burros de carga",a mão-de-obra.

Anônimo disse...

Só pra ficar claro que o comentário misandrico das 13:26 não é nem de longe representativo do feminismo em geral.

Tava boa a discussão até começarem...

Anônimo disse...

Continuo com minha pergunta: por que contratar homens se posso pagar menos por um serviço melhor, contratando mulheres??

Anônimo disse...

Já te responderam, não sabe ler ou tá de trollagem? 12:51 procura aí

Anônimo disse...

12:52*

Anônimo disse...

Continuo com minha pergunta: por que contratar homens se posso pagar menos por um serviço melhor, contratando mulheres??

Mas é exatamente isso que está acontecendo em alguns setores da sociedade. Leia as reportagens
diminuir. http://m.folha.uol.com.br/empregos/2016/04/1757715-quando-mulheres-dominam-profissao-masculina-o-salario-do-setor-cai.shtml?mobile

Bizzys disse...

Já te respondi às 12:52.

Anônimo disse...

Tenho uma sugestão para as feministas: criem empresas de publicidade, montadoras de veículos, engenharia, criem bancos, empresas de softwares, times de futebol, produtoras de filmes e toda sorte de empresas possíveis e... contratem só MULHERES!! Estará resolvido o problema. E não me venham com conversa fiada por que mulheres hoje lideram em tudo, não é mesmo? São mais empreendedoras que homens, são a maioria na faculdade, são mais detalhistas, são mais inteligentes, são mais perspicazes, ou seja, acredito que já possuam know how suficiente para a criação destas empresas 100% feminina. Mas pelo amor de Deus, evitem chamar omi para resolver seus problemas, por que, pqp, o bicho que gosta de chamar omi pra carregar peso e resolver merda!

Anônimo disse...

Olá. Fiquei com uma dúvida (é sério, não estou de deboche nem nada assim): gostaria de saber qual a justificativa pra no serviço público uma pessoa ganhar mais que a outra desse jeito? Eu sei que quem tem mestrado, doutorado ganha um adicional. No serviço público os salários não são tabelados? Eu achava que eram. Abraços, K.

Anônimo disse...

Só pra ficar claro que o comentário misandrico das 13:26 não é nem de longe representativo do feminismo em geral.

Tava boa a discussão até começarem...

Fui eu que escrevi o comentário. E não vejo nada de misandrico,apenas citei os problemas que os homens criaram para si próprios mas culpam as mulheres. Não é representativo do feminismo, mas é representativo da história da humanidade: os homens proibiam as mulheres de trabalharem para terem poder econômico sobre elas e controlar sua sexualidade. Por outro, lado, eles transformaram a si mesmos como burros de carga. E ao invés de incentivarem a mulher a trabalhar, vemos a maioria defendendo a família tradicional em que o homem arca com tudo. Obviamente, porque trás mais vantagens a eles.

passar bem

Anônimo disse...

Mas explica aí então.Se o funcionário do sexo masculino sai mais caro pra empresa,por que não contratam mulheres que podem exercer as mesmas funções?Um mão de obra mais barata e igualmente qualificada?Se as qualificações e capacidade de exercer determinada função fosse realmente igual,claro que as mulheres seriam primeira opção do empregadores.Que empresa seria doida de gastar mais quando poderia economizar e aumentar os lucros?
Parem de chorar.
Se homens ganham mais,é por que fazem por onde,existe um diferencial.
Vitimismo chato.

Kittsu disse...

A ilusão da superioridade masculina

Anônimo disse...

Tenho uma sugestão para as feministas: criem empresas de publicidade, montadoras de veículos, engenharia, criem bancos, empresas de softwares, times de futebol, produtoras de filmes e toda sorte de empresas possíveis e... contratem só MULHERES!! Estará resolvido o problema. E não me venham com conversa fiada por que mulheres hoje lideram em tudo, não é mesmo? São mais empreendedoras que homens, são a maioria na faculdade, são mais detalhistas, são mais inteligentes, são mais perspicazes, ou seja, acredito que já possuam know how suficiente para a criação destas empresas 100% feminina. Mas pelo amor de Deus, evitem chamar omi para resolver seus problemas, por que, pqp, o bicho que gosta de chamar omi pra carregar peso e resolver merda!

Menos chororô e mais ação.

Anônimo disse...

Ué, porque vc tá perguntando aqui e não pro empresário? Tu quer uma resposta pra pergunta ou uma confirmação pras tuas opiniões?

Pra começar, se a empresa paga menos a mulheres é porque não considera que elas fazem o mesmo trabalho. Então vai lá perguntar pro empresário porque ele considera homens mais produtivos a ponto de pagar mais para eles pelo mesmo cargo.

Anônimo disse...

• Homens são mais propensos a se transferir para locais indesejáveis em troca de empregos que pagam mais.
• Homens são mais propensos a aceitar empregos que exigem viagens constantes.
• Mulheres atribuem maior valor à flexibilidade, a um ambiente de trabalho mais humano e a ter mais tempo para os filhos e para a família.
"Não aconteceria se homens e mulheres tivessem as mesmas responsabilidades dentro de uma família, i.e., trabalhar, cuidar dos filhos, dos pais e da casa de modo igualitário. Não aconteceria se um gênero não fosse mais cobrado por isso do que o outro. Não aconteceria se a sociedade machista parasse de julgar como "vagabundo" um homem que se muda de cidade e fica desempregado só pra acompanhar a mulher. Não aconteceria se os homens, por culpa do machismo, não fossem inseguros quanto a ganhar menos que sua mulher.

• No mundo corporativo, homens são mais propensos a escolher áreas de salários mais altos, como finanças e vendas, ao passo que as mulheres são mais predominantes em áreas que pagam menos, como recursos humanos e relações públicas.

Na verdade ocorre o contrário, quando mulheres começam a dominar uma área o salário médio desse segmento tende a diminuir. http://m.folha.uol.com.br/empregos/2016/04/1757715-quando-mulheres-dominam-profissao-masculina-o-salario-do-setor-cai.shtml?mobile

• Quando homens e mulheres possuem o mesmo cargo, as responsabilidades masculinas tendem a ser maiores.
Então talvez você devesse se perguntar porque os chefes dessas pessoas julgam as mulheres como menos capazes a ponto de atribuir menos tarefas a elas, para um mesmo cargo.

• Homens são mais propensos a trabalhar por comissão; mulheres são mais propensas a procurar empregos que deem mais estabilidade. O primeiro apresenta maiores potenciais de ganho.
E quando mulher trabalha por comissão, adivinha? Ela também ganha menos que o homem."

FALOU TUDO, reitero

Anônimo disse...

Sabe porque o empresário não contrata só mulheres? Porque ele pensa igual a você. Se vc fosse tivesse uma empresa contrataria só mulheres? Não.

Tá respondido, próximo.

Anônimo disse...

Mas explica aí então.Se o funcionário do sexo masculino sai mais caro pra empresa,por que não contratam mulheres que podem exercer as mesmas funções?Um mão de obra mais barata e igualmente qualificada?Se as qualificações e capacidade de exercer determinada função fosse realmente igual,claro que as mulheres seriam primeira opção do empregadores.Que empresa seria doida de gastar mais quando poderia economizar e aumentar os lucros?
Parem de chorar.
Se homens ganham mais,é por que fazem por onde,existe um diferencial
Vitimismo chato.

PORRA!!! postamos um montão de pesquisas que provam a diferença dos salários,tem na internet,revistas, a PRÓPIA ONU FEZ UMA PESQUISA SOBRE ISSO . Sabe as empresas de telefonia? só estão contratando mulher, 80% da mão-de-obra é feminina, exatamente por ser mais barata. Mas ao invés de simplesmente se informar você prefere ser um homem inútil vagabundo, exatamente como todos os machos cretinos da nossa espécie e colocar a culpa nas mulheres.
SE ESTÁ INFELIZ VAZA

Anônimo disse...

A pessoa que reclamou de misandria, olhe os comentários que os homens falam sobre as mulheres que você verá o porque.

Anônimo disse...

13:42

Isso já foi respondido, pô, como vc é chato, precisa repetir sempre a mesma coisa:
"Os empresários não estão brigando para contratar mulheres porque na visão da sociedade as mulheres são vistas como "incompetentes" e inábeis para qualquer serviço que não seja o doméstico. Só aqui no blog da Lola tem vários posts de mulheres relatando que fizeram cursos em áreas masculinas e, mesmo sendo as melhores da turma, não conseguiram emprego. As empresas preferem contratar homens medíocres a mulheres competentes, e mesmo quando contratam mulheres, nos pagam menos e não nos consideram tão boas de serviço quanto os homens."

13:44

Ah claro, pq aí nesse caso, a tão amada ~meritocracia~ q se foda

"Pra começar, se a empresa paga menos a mulheres é porque..."

É pq isso se chama DISCRIMINAÇÃO, SEXISMO e MACHISMO

Anônimo disse...

Anônimo Anônimo disse...

Sabe porque o empresário não contrata só mulheres? Porque ele pensa igual a você. Se vc fosse tivesse uma empresa contrataria só mulheres? Não.

Tá respondido, próximo.

25 de abril de 2016 13:48

O meu Jesus! Uma empresa visa LUCRO!! Por que diabos eu gastaria mais em contratações masculinas, mulher??

Anônimo disse...

• Homens são mais propensos a se transferir para locais indesejáveis em troca de empregos que pagam mais.
• Homens são mais propensos a aceitar empregos que exigem viagens constantes.
• Mulheres atribuem maior valor à flexibilidade, a um ambiente de trabalho mais humano e a ter mais tempo para os filhos e para a família.
"Não aconteceria se homens e mulheres tivessem as mesmas responsabilidades dentro de uma família, i.e., trabalhar, cuidar dos filhos, dos pais e da casa de modo igualitário. Não aconteceria se um gênero não fosse mais cobrado por isso do que o outro. Não aconteceria se a sociedade machista parasse de julgar como "vagabundo" um homem que se muda de cidade e fica desempregado só pra acompanhar a mulher. Não aconteceria se os homens, por culpa do machismo, não fossem inseguros quanto a ganhar menos que sua mulher.

• No mundo corporativo, homens são mais propensos a escolher áreas de salários mais altos, como finanças e vendas, ao passo que as mulheres são mais predominantes em áreas que pagam menos, como recursos humanos e relações públicas.

Na verdade ocorre o contrário, quando mulheres começam a dominar uma área o salário médio desse segmento tende a diminuir. http://m.folha.uol.com.br/empregos/2016/04/1757715-quando-mulheres-dominam-profissao-masculina-o-salario-do-setor-cai.shtml?mobile

• Quando homens e mulheres possuem o mesmo cargo, as responsabilidades masculinas tendem a ser maiores.
Então talvez você devesse se perguntar porque os chefes dessas pessoas julgam as mulheres como menos capazes a ponto de atribuir menos tarefas a elas, para um mesmo cargo.

• Homens são mais propensos a trabalhar por comissão; mulheres são mais propensas a procurar empregos que deem mais estabilidade. O primeiro apresenta maiores potenciais de ganho.
E quando mulher trabalha por comissão, adivinha? Ela também ganha menos que o homem."

FALOU TUDO, reitero (2)

Anônimo disse...

"Expliquem aí por que as mulheres ganham menos do que os homens"

Isso já foi e está sendo respondido, puto q fugiu, como é omem é trouxa

Anônimo disse...

13:52

"Que empresa seria doida de gastar mais quando poderia economizar e aumentar os lucros?"

A sua, cujo dono pensa "se homens ganham mais,é por que fazem por onde,existe um diferencial".

O cara se autoresponde e ainda fica de mimimi, chorar não abre empresa fica a dica

Anônimo disse...

O meu Jesus! Uma empresa visa LUCRO!! Por que diabos eu gastaria mais em contratações masculinas, mulher??

Pergunta para o empresário. Nosso sistema empresarial continua de certo modo tão arcaio que o trabalho das mulheres não são considerados.

Anônimo disse...

Interessante q ~meritocracia~ pros maxinhos, mascus e demais liberotários, agora não vale mais nada

só vale quando for pra chamar preto e pobre de vagabundo

mas quando é pra denunciar desigualdade e discriminação no mercado de trabalho, esquece meritocracia, pq se vc recebe menos mesmo sendo melhor qualificado com certeza é pq o patrãozinho bondoso e justo tem esse direito e não se fala mais nisso

LIXOS

Anônimo disse...

Nem as feministas sabem o que falam.
Qualquer empresa visa lucro,aí o empresário vai lá e contrata um homem que sai mais caro, no lugar de contratar uma mulher que faz um serviço igual ou melhor por bem menos.
E as empresas chefiadas por mulheres também preferem homens e aí?
Que delírio.

Anônimo disse...

• Homens são mais propensos a se transferir para locais indesejáveis em troca de empregos que pagam mais.
• Homens são mais propensos a aceitar empregos que exigem viagens constantes.
• Mulheres atribuem maior valor à flexibilidade, a um ambiente de trabalho mais humano e a ter mais tempo para os filhos e para a família.
"Não aconteceria se homens e mulheres tivessem as mesmas responsabilidades dentro de uma família, i.e., trabalhar, cuidar dos filhos, dos pais e da casa de modo igualitário. Não aconteceria se um gênero não fosse mais cobrado por isso do que o outro. Não aconteceria se a sociedade machista parasse de julgar como "vagabundo" um homem que se muda de cidade e fica desempregado só pra acompanhar a mulher. Não aconteceria se os homens, por culpa do machismo, não fossem inseguros quanto a ganhar menos que sua mulher.

• No mundo corporativo, homens são mais propensos a escolher áreas de salários mais altos, como finanças e vendas, ao passo que as mulheres são mais predominantes em áreas que pagam menos, como recursos humanos e relações públicas.

Na verdade ocorre o contrário, quando mulheres começam a dominar uma área o salário médio desse segmento tende a diminuir. http://m.folha.uol.com.br/empregos/2016/04/1757715-quando-mulheres-dominam-profissao-masculina-o-salario-do-setor-cai.shtml?mobile

• Quando homens e mulheres possuem o mesmo cargo, as responsabilidades masculinas tendem a ser maiores.
Então talvez você devesse se perguntar porque os chefes dessas pessoas julgam as mulheres como menos capazes a ponto de atribuir menos tarefas a elas, para um mesmo cargo.

• Homens são mais propensos a trabalhar por comissão; mulheres são mais propensas a procurar empregos que deem mais estabilidade. O primeiro apresenta maiores potenciais de ganho.
E quando mulher trabalha por comissão, adivinha? Ela também ganha menos que o homem."

FALOU TUDO, reitero (3)

Anônimo disse...

mascu chorando em posicao fetal

Julia disse...

Querido, não queremos que homens resolvem nossos problemas. Queremos que vocês PAREM DE NOS CAUSAR PROBLEMAS. Será que conseguem? Seria ótimo.

Anônimo disse...

Tá na hora da Lola dar uma moderada nesses arjumentos repetidos de mascu, depois não reclamem dos eternos ctrlc + ctrlv

Anônimo disse...

13:57 que delírio essa sociedade né?

Acreditam tanto que homem trabalha melhor que mulher que até as empresas deixam de ganhar $ por isso. Pois é, sociedade sexista é assim, sem lógica... Até porque se tivesse lógica sexismo seria correto, e não é.

Anônimo disse...

Nem as feministas sabem o que falam.
Qualquer empresa visa lucro,aí o empresário vai lá e contrata um homem que sai mais caro, no lugar de contratar uma mulher que faz um serviço igual ou melhor por bem menos.
E as empresas chefiadas por mulheres também preferem homens e aí?
Que delírio.

Delírio é você, um perfeito vagabundinho pau no cu que prefere culpar as mulheres do que simplesmente ler A PORRA da pesquisa.

http://economia.terra.com.br/carros-motos/primeira-ceo-mulher-da-gm-ganha-metade-de-antecessor,668221c42d804410VgnVCM20000099cceb0aRCRD.html
http://m.folha.uol.com.br/empregos/2016/04/1757715-quando-mulheres-dominam-profissao-masculina-o-salario-do-setor-cai.shtml?mobile
http://olimpiadas.uol.com.br/noticias/2016/03/31/time-feminino-dos-eua-entra-com-acao-exigindo-salario-igual-ao-dos-homens.htm

Me explique porque o time feminino de futebol dos EUA, que possuem maior numero de medalhas e maior AUDIÊNCIA ganha menos? todas as mulheres sabem o porque, menos os machos .

Anônimo disse...

As mulheres explicam tudo muito bem, todas as razões, e os caras repetem sempre a mesma ladainha, o mesmo choro, e depois vem acusar as feministas de serem "vitimistas" (qualquer um q responda seus arjumentos são "vitimistas"), tudo pq são incapazes de não serem redundantes

Tenha paciência

Anônimo disse...

Vamos lá mulheres poderosas desse mundo.Criem empresas e só contratem mulheres.
Estão esperando o que?

Anônimo disse...

Caralho, o cara defende que " homens ganham mais,é por que fazem por onde,existe um diferencial" e diz que as feministas ****inventam**** um "sistema machista". Tu deve ser inventado então, né?

Quer mais esquizofrenia que isso?

Julia disse...

Disse tudo,13:40.

Anônimo disse...

14:03

Calma amore, daqui a pouco os caras "mega-inteligentes" vem aqui repetir a mesma merda q já foi refutada

É difícil argumentar com papagaio feito esses mascus

Anônimo disse...

quando mulheres dominam um setor do mercado, o salário tende a cair
sim, tem estudos sobre isso, googlem aí
a coisa poderia começar a mudar daí

Anônimo disse...

"se homens ganham mais,é por que fazem por onde,existe um diferencial".É isso que as feministas coitadinhas não aceitam,se o homem ganha mais,ele ganha por mérito.
mas é mais fácil colocar a culpa no sistema machista injusto do que buscar qualificação igual.
Vamos conseguir nossas vagas no chororô e de quebra vamos jogar a culpa no lombo dos machos
Dá menos trabalho né crianças.

PUTA QUE PARIU. Mulheres possuem maior índice de estudo e mesmo assim ganham menos. O post inteiro falando sobre isso mas o macho vagabundo aqui não entende! Sério, eu acho que eles são analfabetos, não é possível isso porra. Os homens sofrem de uma terrível síndrome de desonestidade.

Anônimo disse...

"Vamos lá mulheres poderosas desse mundo.Criem empresas e só contratem mulheres.
Estão esperando o que?"

Imagino que você acabou de chegar da Sibéria e não tá sabendo de certas novidades...

Anônimo disse...

14:03

E onde fica a meritocracia, seu bosta?

Interessante q ~meritocracia~ pros maxinhos, mascus e demais liberotários, agora não vale mais nada

só vale quando for pra chamar preto e pobre de vagabundo

mas quando é pra denunciar desigualdade e discriminação no mercado de trabalho, esquece meritocracia, pq se vc recebe menos mesmo sendo melhor qualificado com certeza é pq o patrãozinho bondoso e justo tem esse direito e não se fala mais nisso

LIXOS

Anônimo disse...

"Delírio é você, um perfeito vagabundinho pau no cu que prefere culpar as mulheres do que simplesmente ler A PORRA da pesquisa."

Sua linda, aprende com a tia, não faz o trabalho de VAGABUNDO não.
Eles não querem saber de nada além de refutação.

Anônimo disse...

Mascus são papagaios, repetindo sempre a mesma merda

Anônimo disse...

FICAM HUMILHANDO O DEFICIENTE COGNITIVO AÍ QUE FEIO

Julia disse...

Eu não sabia que homem quando virava empresário deixava de ser machista. É instantâneo, é? E quando já na entrevista de emprego se oferece menos pra mulher? É capacidade de prever o futuro também? Aceite que homens tem a vida facilitada. Homem é a raça mais mimada que existe.

Anônimo disse...

• Homens são mais propensos a se transferir para locais indesejáveis em troca de empregos que pagam mais.
• Homens são mais propensos a aceitar empregos que exigem viagens constantes.
• Mulheres atribuem maior valor à flexibilidade, a um ambiente de trabalho mais humano e a ter mais tempo para os filhos e para a família.
"Não aconteceria se homens e mulheres tivessem as mesmas responsabilidades dentro de uma família, i.e., trabalhar, cuidar dos filhos, dos pais e da casa de modo igualitário. Não aconteceria se um gênero não fosse mais cobrado por isso do que o outro. Não aconteceria se a sociedade machista parasse de julgar como "vagabundo" um homem que se muda de cidade e fica desempregado só pra acompanhar a mulher. Não aconteceria se os homens, por culpa do machismo, não fossem inseguros quanto a ganhar menos que sua mulher.

• No mundo corporativo, homens são mais propensos a escolher áreas de salários mais altos, como finanças e vendas, ao passo que as mulheres são mais predominantes em áreas que pagam menos, como recursos humanos e relações públicas.

Na verdade ocorre o contrário, quando mulheres começam a dominar uma área o salário médio desse segmento tende a diminuir. http://m.folha.uol.com.br/empregos/2016/04/1757715-quando-mulheres-dominam-profissao-masculina-o-salario-do-setor-cai.shtml?mobile

• Quando homens e mulheres possuem o mesmo cargo, as responsabilidades masculinas tendem a ser maiores.
Então talvez você devesse se perguntar porque os chefes dessas pessoas julgam as mulheres como menos capazes a ponto de atribuir menos tarefas a elas, para um mesmo cargo.

• Homens são mais propensos a trabalhar por comissão; mulheres são mais propensas a procurar empregos que deem mais estabilidade. O primeiro apresenta maiores potenciais de ganho.
E quando mulher trabalha por comissão, adivinha? Ela também ganha menos que o homem."

FALOU TUDO, reitero (4)

Esse comentário já vale pra qualquer merda q os mascus venham aqui repetir, e como me recuso a argumentar com papagaio, eis aí então. Não me incomodo em só copiar e colar, já q os próprios mascus são meros repetidores, quem sabe não aprendem

Anônimo disse...


Sua linda, aprende com a tia, não faz o trabalho de VAGABUNDO não.
Eles não querem saber de nada além de refutação.

Sim, é melhor seguir o seu conselho. Estou cansada de conversar com uma pedra. Porque sempre é assim, as mulheres apresentam os fatos que os homens criaram mas os mesmos negam aqui no blog.... mas depois perpetuam!!! Um bando de hipócritas!!!

Anônimo disse...

O empresário homem é machista,e a empresária mulher quer prefere empregar homens mesmo sabendo do quanto poderia economizar contratando uma mulher?O que deve ser feito com uma criatura traidora dessas?
Vamos queimar em praça pública rsrsr

Anônimo disse...

Olha não sei vc mas a única vítima que to vendo aqui é o mascu humilhado, dilacerado e aniquilado. Podia ser vítima de suicidio também, fica a sugestão

Bizzys disse...

Eu não estou acreditando que vieram 1928301398203 homens fazer a mesma pegunta aqui. Ela já foi respondida centenas de vezes. Se vocês sabem usar o botão de scroll do mouse, não se façam de rogados e rolem a página para cima até acharem a resposta.

Julia disse...

Sabe porque o empresário não contrata só mulheres? Porque ele pensa igual a você. Se vc fosse tivesse uma empresa contrataria só mulheres? Não.

Tá respondido, próximo.(2)

Anônimo disse...

Coitadas,tão vítimas desse mundo cruel e desigual.

O machismo existe. fato. Temos a historia da humanidade de prova. Temos todos os índices de violência de prova. Temos todas as teses misóginas, de filósofos misóginos, de médicos misóginos, de artistas misóginos que falseiam a natureza e a realidade para denegrir a mulher. Temos o estupro. Pedofilia. Esses crimes feitos por homens, mas que em sociedades patriarcais, são relativizados. Porque o ódio contra as mulheres é vantajoso para os homens. Mas pelo menos, o ódio contra os homens também pode ser vantajoso...

Anônimo disse...

Ai ai. Essa fábula de que mulheres ganham menos que os homens de novo?

Já ficou mais que comprovado que é historinha pra boi dormir, se vc não consegue ver isso peça para um estatístico ou economista sério explicar pra voce.

Geralmente pegam a média geral dos salários de homense mulheres e dizem q a diferença é sexismo, mas existem n outros fatores que explicam essa diferença que são desconsiderados. E não tem como medir todos estes outros fatores oqhe implica que é IMPOSSÍVEL provar que a diferença de salários seja decorrente somente de sexismo e quanto dessa porcão pode seratribuída ao sexismo.

Quanto a moça do post. Você tem um processo ganho em suas mãos, entre em contato com um advogado, prove que vc ganha metade do seu coleguinha e receba uma indenização bem gorda, porque isso que voce descreveu aí é contra lei

Anônimo disse...

Ela não passou em concurso público e está trabalhando como comissionada.

Todos sabem que quem determinar o valor do salário dos comissionados é o Q.I (Quem Indica).

Pelo jeito o outro jornalista tem um Q.I muito bom. Isso é EXTREMAMENTE comum dentro do serviço público.

Mas cargos comissionados, vem e vão.

Se ela fosse concursada, tal situação me traria surpresa pois as leis que regem os concursos públicos e a contratação são bem claras quanto a isso.

Dito isso, ela tem 3 opções:

1- Encontrar um Q.I melhor para ela;
2- Parar de MIMIMI;
3- Pedir para sair.

Anônimo disse...

É tão "pra boi dormir" que até a ONU usa essas estatísticas nas suas campanhas. Melhor acreditar no comentarista anônimo sem fontes do que na ONU.

Anônimo disse...

"Olá. Fiquei com uma dúvida (é sério, não estou de deboche nem nada assim): gostaria de saber qual a justificativa pra no serviço público uma pessoa ganhar mais que a outra desse jeito? Eu sei que quem tem mestrado, doutorado ganha um adicional. No serviço público os salários não são tabelados? Eu achava que eram. Abraços, K."

Eu também tenho essa dúvida!!

Anônimo disse...

Porque quanto mais as mulheres mostram a realidade mais os homens relutam a ver? O sexo masculino é o um buraco de hipocrisia.

Anônimo disse...

Porque nenhum dos estupradorzinos aqui responderam porque que a seleção feminina de futebol ganha menos mesmo tendo mais medalhas e maior audiencia?

Anônimo disse...

Oi Lola!

Outro ponto importante em relação a diferença salarial entre homens e mulheres está na aposentadoria. Recentemente, foi lançado um estudo sobre o perfil dos beneficiários do Regime Geral da Previdência Social, onde as mulheres representam 56,7% do total dos beneficiários, enquanto os homens são 41,7%. Entretanto, o total dos benefícios destinados às mulheres é menor do que o total pago aos homens. A diferença no valor dos benefícios é o reflexo do mercado de trabalho, onde a mulher ganha menos, e consequentemente, irá receber um benefício inferior.

Anônimo disse...

Anônimo Anônimo disse...

Porque nenhum dos estupradorzinos aqui responderam porque que a seleção feminina de futebol ganha menos mesmo tendo mais medalhas e maior audiencia?

25 de abril de 2016 15:00

Minha cara, o futebol feminino é um modismo(só há destaque em copas do mundo). Não há como comparar o merchandising por trás do futebol masculino com o feminino. Simples constatação: existe algum clube milionário querendo contratar a Marta? em contrapartida, quantos clubes ricos querem ver o Messi em seus quadros? O merchandising por trás do nome" Messi" é muito mais forte que por trás do nome " Marta". Ohhh, capitalismo cruel, ohh machismo cruel. Outro exemplo: Quem ganha mais, a Gisele Bundchen ou um modelo masculino contratado pela mesma agência, mesma idade, mesmo currículo? Aí não é machismo, né?

Mila disse...

Essa desculpa de "não contrato mulher porque ela engravida e precisa faltar para acompanhar criança" só se justifica porque esperam que a responsabilidade da mãe é superior a do pai. Num comentário sobre a necessidade de creches, uma moça disse que no trabalho dela (T.I., maioria masculina), a ideia da creche foi negada pois os homens, mesmo os casados e com filhos, acreditam que este é um problema inerente às mães. Ou seja, se as responsabilidades com os filhos fossem divididas igualmente entre homem e mulher, não teríamos desculpas.

Ainda há, no comparativo salarial, os fatores de gênero e raça. Vale lembrar que as mulheres negras ganham ainda menos que as mulheres brancas. Não vi estatísticas em relação à raça e ocupação em cargos com formação equivalentes (visto que a maioria das pessoas pobres e com empregos com menor remuneração são pobres e negras, o que obviamente puxa a média salarial para baixo), mas não é um cenário impossível de ocorrer.

Anônimo disse...

"Porque nenhum dos estupradorzinos aqui responderam porque que a seleção feminina de futebol ganha menos mesmo tendo mais medalhas e maior audiencia?"

Comecem vcs mulheres a encher estádios de campeonatos de futebol feminino que isso muda.

Anônimo disse...

Eu pago menos pra mulher mesmo e pronto, se tão achando ruim fica em casa, não busquei ninguém la para fazer ficha na minha empresa.

Anônimo disse...

A Lola poderia dar exemplo e divulgar o salário dela e de seu marido

Anônimo disse...

A M. do post alega que vivia em conversas de bar e fustigando a vida alheia pra saber o quanto ganhavam. Até sua chefa ela foi fustigar. Neste ínterim, o homem estava TRABALHANDO. Enquanto ela fustigava, o homem produzia! E ainda pergunta por que certas pessoas irão ganhar menos. Se sou empregador, seja homem ou mulher, vive de futricas, demito!

Anônimo disse...

15:20 O mercado da moda, assim como prostituição e mercado pornô é um dos poucos que as mulheres recebem mais que os homens. Adivinha o que tem em comum? Padrão de beleza. Mulheres bonitas têm maior propensão a receber mais.

Claramente te falta muito conhecimento sobre o "modismo" futebol feminino e possivelmente sobre o futebol inteiro (normal, vcs são ensinados a demonstrar entender de futebol e se sentem semideuses perante a mulheres, mesmo que não entendam uma regra de impedimento).
Na dinastia Han, as mulheres já jogavam um antepassado do futebol e há ocorrências em outros períodos. Em 1892, houve o primeiro jogo (França vs Inglaterra, se não me engano).
"Mimimimi, o jogo dos homens é melhor". Segundo o padrão hegemônico (que é o masculino). Vale lembrar que os esportes femininos possuem um delay gigantesco para os masculinos. Não espere que um esporte se torne referência mundial quando suas praticantes passaram anos na clandestinidade. Aqui no Brasil, mulheres não podiam praticar o esporte até a década de 80 (coisa dos milicos né). Quer dizer, enquanto já havia um Campeonato Brasileiro e o Brasil já era tri campeão no esporte masculino, as mulheres estavam começando a ser autorizadas a buscar esse cenário. Nesta altura, futebol era um esporte "muito macho". Como a gente tem horror a tudo o que possa nos tirar da feminilidade, não é muito fácil arrumar adeptas. Nessas horas penso no tanto de meninas com talento que poderiam ser ótimas jogadoras se não lhes fosse ensinada a ojeriza à bola. Enquanto isso, pernas de pau com bons empresários prosperam.
Países como Alemanha, Eua e Suécia conseguiram outras formas de desenvolver o futebol feminino. Os ianques (e os chineses agora) perceberam o potencial financeiro e de marketing que o futebol proporciona e tornaram a MLS milionária e recheada de astros decadentes, mas com alguma fama. Na América, isso está sendo usado para convencer os meninos a irem para o futebol, embora culturalmente o soccer lá seja associado a meninas. Eles preferem o futebol americano, basquete ou beisebol.
E quando existem condições mínimas para o desenvolvimento do esporte, deixa de ter machismo? Claro que não. A Suécia (sempre ela) conta com estruturas estupendas para a prática do esporte. A seleção feminina é mais vitoriosa que a masculina. Mas aí o governo sueco decide homenagear uma capitã pela sua história e é vítima do chilique machista e egocêntrico do astro Ibrahimovic.
Pra completar, a aceitação de mulheres no esporte se dá mediante alguns casos. Primeiro, se for um esporte feminino (ginástica rítmica, vôlei, tênis), nada que "deforme" o corpo dos bibelôs do mundo ou que desfaça seus belos penteados. Natação, lutas, futebol, se pá até o handebol. Segundo, essa coisa de mulheres competindo, se batendo, tendo contato, isso homem só gosta se for as gostosonas como a Ronda Roussey. Atleta que dá mídia e atrai patrocinador são as que podem posar em trajes minúsculos. De vez em quando rola uma exceção (quando a atleta é muito superior a outras da categoria, tem que dar uma disfarçada). Aí voltamos ao ponto da primeira coisa que eu falei: as mulheres tem uma mínima chance de ganhar tão ou mais que homens quando coloca sua beleza no contrato.

Anônimo disse...

É, anon das 15:20, ainda bem que o Cristiano Ronaldo não atrai patrocinador pelo seu aspecto físico, né? Só mulher que tem sua imagem explorada. Deixa eu dizer uma coisa pra você que vive em outro planeta e não entende: o esporte, cinema, novela, etc, são apenas instrumentos. Ninguém está preocupado com o desempenho dos atletas ou de atores tão somente. eles estão ali pra vender, chuteira, tênis, camisas, aparelhos de barbear(Neymar e Cristiano Ronanldo), perfumes(David Beckham), lingeries(Gisele), Cuecas(Neymar, ohhhh, estou vendendo meu corpo, ohhhh, patriarcado ingrato), enfim, seu discurso enorme só confirmou o que tenho dito, a questão é o marketing por trás, tanto que Ronda Rousey ganha mais que muitos atletas homens no mesmo esporte ou em até outros. Aí você me diz que ela é bonita e por isso a exploram?? Algo que você também não conseguiu ver: o esporte que ela pratica modela o corpo, logo ela se torna atraente. Ela começou a lutar porque tem talento para o combate. A prova esta aí que não existe machismo, pois a mulher que quer ser atleta de MMA, pode!

Anônimo disse...

Lola, comece a bloquear comentários masculinos. Pelo menos os que não agregam em nada ao feminismo. É como enxugar gelo, eles não estão dispostos a mudar de opinião. É uma porta para discussões inúteis.
Beijos!

Stefani disse...

"A prova esta aí que não existe machismo, pois a mulher que quer ser atleta de MMA, pode!"

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

Anônimo disse...

"Isso se você não for um servidor público, de quem é cobrado transparência."

Vai no site!

Vocês querem ficar num ambiente climatizado, "logando" no "feice" durante o expediente e ganhar um super salário, pra poder comprar roupas e fazer aquela viagem inesquecível com as "migas", que sejam mais agressivas, peçam aumento, tragam mais lucros pra empresa. No funcionalismo público, ganha mais no mesmo cargo quem tem mais tempo de serviço, independente se é homem ou mulher.

Anônimo disse...

Caiam na real, leiam e tirem suas proprias conclusoes. Ninguem nega que a diferenca de salarios existe, e é retardado é assumir que toda a diferença é decorrente de machismo. Existem muitos fatores que influenciam o salário fora machismo. Dizer que mulher ganha menos por causa do machismo é tirar conclusões sem provas.

Anônimo disse...

Em Portugal uma mulher abriu uma empresa na qual tem preferência em contratar mulheres e com cotas para negras. A empresária foi chamada de misândrica e racista. Então os mascus mandam as mulheres tomarem iniciativa para contratar mulheres, quando o fazem são criticadas do mesmo jeito.

Anônimo disse...

os maxos não cansam de repetir as mesmas baboseiras, as mesmas falácias

Já tem respostas pra todas essas merdas, e o caras insistindo na mesma p$rra

Vcs são burros?

Anônimo disse...

No mundo da moda e do erotismo geralmente a mulheres ganham mais, só que nem todas as mulheres tem perfil estético/aptidão/interesse para trabalhar nessas áreas e aí? Vão continuar aceitando serem exploradas? Achei um argumento muito estúpido desse mascu.

Anônimo disse...

• Homens são mais propensos a se transferir para locais indesejáveis em troca de empregos que pagam mais.
• Homens são mais propensos a aceitar empregos que exigem viagens constantes.
• Mulheres atribuem maior valor à flexibilidade, a um ambiente de trabalho mais humano e a ter mais tempo para os filhos e para a família.
"Não aconteceria se homens e mulheres tivessem as mesmas responsabilidades dentro de uma família, i.e., trabalhar, cuidar dos filhos, dos pais e da casa de modo igualitário. Não aconteceria se um gênero não fosse mais cobrado por isso do que o outro. Não aconteceria se a sociedade machista parasse de julgar como "vagabundo" um homem que se muda de cidade e fica desempregado só pra acompanhar a mulher. Não aconteceria se os homens, por culpa do machismo, não fossem inseguros quanto a ganhar menos que sua mulher.

• No mundo corporativo, homens são mais propensos a escolher áreas de salários mais altos, como finanças e vendas, ao passo que as mulheres são mais predominantes em áreas que pagam menos, como recursos humanos e relações públicas.

Na verdade ocorre o contrário, quando mulheres começam a dominar uma área o salário médio desse segmento tende a diminuir. http://m.folha.uol.com.br/empregos/2016/04/1757715-quando-mulheres-dominam-profissao-masculina-o-salario-do-setor-cai.shtml?mobile

• Quando homens e mulheres possuem o mesmo cargo, as responsabilidades masculinas tendem a ser maiores.
Então talvez você devesse se perguntar porque os chefes dessas pessoas julgam as mulheres como menos capazes a ponto de atribuir menos tarefas a elas, para um mesmo cargo.

• Homens são mais propensos a trabalhar por comissão; mulheres são mais propensas a procurar empregos que deem mais estabilidade. O primeiro apresenta maiores potenciais de ganho.
E quando mulher trabalha por comissão, adivinha? Ela também ganha menos que o homem."

FALOU TUDO, reitero (5)

Isso aqui já responde toda baboseira de maxo vitimista, não apague, pq assim como eles, eu tb tenho o direito de dar a mesma resposta às mesmas perguntas

Anônimo disse...

Tem tanto homem que fica no na internet vendo pornografia e até pedofilia e mesmo assim ganham mais, gastam dinheiro com álcool, prostituição, várias futilidades e mesmo assim ganham mais.

Anônimo disse...

O machismo pode até não ser o único motivo para as diferenças salariais, mas é o principal.

Anônimo disse...

O futebol femino da Seleção Americana. Alguem pode me explicar como que nos EUA, memo elas tendo mais titulos e term quebrado o MAIOR RECORDE DE AUDIENCIA ainda ganham mal?

Anônimo disse...

Este tipo de assunto sempre desperta a ira dos mascus.

Anônimo disse...

17:46, porem ja existem muitas pesquisas serias tirando conclusões. Uma É da folha de São Paulo que foi colocada aqui varias vezes, mas coincidentemente não apareceu macho nenhum para refutar tsts. As mulheres estão sendo a maioria em profissões que eram masculinas, como administração, biólogo e design. O que aconteceu? O salario medio dessas profissões abaixou. Porque todo trabalho que as mulheres são maioria acabam sendo mal vistos. Leiam o resto do artigo.

Anônimo disse...

17:41 De quem você esta falando? Em geral as mulheres são mais responsaveis no ambiente de trabalho que os homens. A minoria das mulheres que não leva trabalho a serio são as dondocas futuras recatadas do lar. E são exatamente as que vocês querem como escravas....ops, esposas.

Anônimo disse...

Para quem perguntou sobre o serviço público.

Em tese, os salários são tabelados para quem é investido em cargo público de provimento efetivo (quem fez concurso). Neste ponto, o concurso é democrático. Não há discricionaridade para permitir a discriminação entre pessoas com o mesmo cargo e mesma posição na carreira.
O que acrescenta ao seu salário são gratificações (por escolaridade e qualificação) e outros benefícios como auxílio creche e salário família.
O que não significa q o serviço público não haja a discriminação. Assédio moral pode reduzir suas chances de ascender na carreira; bem como de conseguir funções gratificadas.

Anônimo disse...

Só lendo os comentários aqui de quem acha certo o cara ganhar mais com a mesma qualificação... depois vcs vêm aqui reclamar da falta de competitividade das empresas (esquecendo do excesso de indicações e da contratação sem critério técnico) ou da "vadia" promovida pq supostamente deu pro chefe.


Anna

Anônimo disse...

Lola, o monarquismo voltou a crescer. Por favor, converse com as representantes das grandes páginas monarquistas. Façamos algo contra, por favor. Sou eu, M, que te prestei o relato de perseguição.

http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/08/150816_salasocial_monarquia_protestos_rs

http://m.huffpost.com/br/entry/8056488

http://aimbra.blogspot.com/
http://2.bp.blogspot.com/-QdaXAeVlE-A/UjpDdPm7OCI/AAAAAAAAASg/ckYNr8G3wSs/s1600/PHS+-+Ala+Restauradora+-+campanha.jpg
http://surrealista.com.br/2016/04/entre-coxinhas-e-petralhas-monarquistas-querem-reestabelecer-o-imperio-no-brasil/

http://epoca.globo.com/tempo/expresso/noticia/2015/08/monarquistas-aproveitam-protesto-no-rio-para-cobrar-fim-do-presidencialismo.html

http://www1.folha.uol.com.br/poder/2016/04/1764271-familia-imperial-quer-usar-clima-de-divisao-para-restaurar-monarquia.shtml?cmpid=facefolha

aiaiai disse...

caro anonimo das 13:04
risco mesmo foi o q a humanidade passou com a gravidez da sua mãe. lamentável

Cah disse...

Não é bem assim que funciona no serviço público. Falo com conhecimento de causa. Há chefias e gratificações pagas a mais no salário. E uma mulher mulher que nunca faltou, sempre cumpriu com suas obrigações e possui maior qualificação técnica e acadêmica que um homem, fora mais tempo de casa, pode no final receber menos que tal homem, apesar deste já ter sido extremamente desregrado com assiduidade e pontualidade e jogar trabalho seu para cima de mulher...

Anônimo disse...

Pq a autora do guest post não comparou seu salário com o faxineiro, com o lixeiro, com o pedreiro ou com o carvoeiro?

Anônimo disse...

Trabalho em um órgão público e vejo que tem três perfis de trabalhadores: Os concursados, os comissionados (DAS) sem vínculo e os terceirizados.

Os três tipos exercem as mesmas atividades, trabalham a mesma quantia de horas, tem em média a mesma formação, mas seus salários são diferentes.

O concursado recebe o salário-base mais uma penca de penduricalhos. Isso faz o salário deles irem de 4 para 7 mil iniciais. Sem falar que eles tem todas as regalias previstas pela Lei 8.112.

Os terceirizados trabalham por um salário superior ao dos concursados, mas seu contrato de trabalho é regido pela CLT e o órgão fiscaliza. Já vi caso de terceirizado ganhando 15 mil por mês.

Já comissionado é aquele que os PIGs vivem dizendo que nadam no dinheiro. Só que não. O salário de um DAS 1 é de "imensos" R$ 2.200,00, DAS 2 ganha a "fortuna" de R$ 2.900 e DAS 3 - que já é chefe de coordenação - é de R$ 4.300. Tudo isso por 40 horas semanais. E comissionado não tem sequer direito a FGTS. Estabilidade? Livre exoneração, baby.

E no meu trabalho é relativamente comum ver alguém que é operacional ganhar mais que o seu chefe (visto que a chefia é obrigatoriamente DAS).

lica disse...

Certo Anônimo.... qualquer coisa explica a diferença salarial entre homens e mulheres (o alinhamento dos astros também??), exceto aquele fatorzinho básico, pouco importante, que quase não existe na sociedade... até esqueci o nome... Ahhh, é o Machismo!! Não, esse certamente não influencia.

É claro que nós mulheres é que tiramos conclusões sem provas... porque nós não entendemos nada de estatística (mesmo eu sendo professora disso), nem de sociologia, de antropologia, muito menos de machismo. Na verdade a gente nem deviria estar opinando.... deveríamos ficar em casa, sendo bela, recatadas e, de preferência, mudas!

Claro que vocês homens (ainda mais se forem brancos e de classe média/alta) conquistaram tudo por seus próprios méritos! O resto da humanidade (esses preguiçosos), se fossem tão esforçados e competentes quanto vocês, OBVIAMENTE conquistariam as mesmas coisas, certo??? É só querer!! Olha aí o Joaquim Barbosa pra provar, né!!

Anônimo disse...

Lola, se eu mandei uns 20 comentários iguais (ou quase), sorry!! não vi que a moderação tinha sido ativada e ao mesmo tempo meu pc começou a travar...

Anônimo disse...

Anônimo disse...
A M. do post alega que vivia em conversas de bar e fustigando a vida alheia pra saber o quanto ganhavam. Até sua chefa ela foi fustigar. Neste ínterim, o homem estava TRABALHANDO. Enquanto ela fustigava, o homem produzia! E ainda pergunta por que certas pessoas irão ganhar menos. Se sou empregador, seja homem ou mulher, vive de futricas, demito!

Depois do horário de trabalho? D-U-V-I-D-O. Ainda mais no serviço público, que praticamente ninguém que não seja das áreas de educação e saúde trabalha muito depois do horário. E a M deixou a entender que ela fez isso durante as confraternizações. Ou seja, FORA DO HORÁRIO DE TRABALHO.

E se você é meu chefe e me demite por não trabalhar fora do horário de expediente, processo!

Anônimo disse...

Os exemplos da jornalista são exceções, não a regra. Na pesquisa do IBGE não há nada que diga que mulher recebem 65% do salários dos homens no MESMO CARGO E FUNÇÃO, prova apenas que o salário das mulher como um todo é em média 65% do dos homens, e o homem negro ganham menos que a mulher branca. As profissões em que há predomínio de mulheres e homens ainda são muito diferentes, homens estão nos cargos e funções que pagam melhor, essa é a principal causa da diferença salarial. Mulheres estudam mais sim, a Lola é doutora em inglês, mas seguem carreiras públicas e que dão estabilidade, não carreiras em empresas privadas que dão pouca ou nenhuma segurança mas podem dar um retorno financeiro muito maior. Tudo tem um ônus. Se os empregados preferem contratar um homem e pagar mais eles são muito burros mesmo. Homens morrem 20 mais mais no trabalho também, o que prova que homens e mulheres não trabalham nos mesmos empregos e condições de trabalho. O IBGE também prova que a carga horária mensal dos homens é maior.
Alguém disse: "quando mulheres começam a dominar uma área o salário médio desse segmento tende a diminuir". É obvio, quanto maior a oferta de mãe de obra menos o empregador irá pagar, é lei da oferta e procura e mulheres são metade população. Os empresários dizem que o Brasil tem carência de engenheiros, o que é uma grande mentira, é carente de engenheiros que aceitem trabalhar por salário mínimo, só isso. Agora com esse monte de cursos a distância que estão abrindo, o salário vai cair e muito.
O interessante é que 80% dos recursos humanos das empresas, que são responsáveis por lidar com coisas como contratação de novos empregados, é constituído por mulheres. Então se estão preterindo as mulheres tem coisa errada.
No mais, pela CLT é ilegal diferenciar salário por gênero, então investiguem, denunciem e processem.

Anônimo disse...

Anon 20:33, escroto

Anônimo disse...

Se você é professora de estatística e ainda acredita nessa palhacada, é uma péssima professora. Porque não tem como você medir todos os fatores que influenciam o salário, descarta-los e concluir que a diferença é machismo.

Claro que machismo existe, ninguém nega isso, mas o que não está certo é você pegar a média dos salários de todas as mulheres comparar com a média dos homens e dizer que a diferença toda é machismo.

http://www.washingtonexaminer.com/harvard-prof.-takes-down-gender-wage-gap-myth/article/2580405

Quer saber mais que professor de Harvard?

Ana Kairalla disse...

Dados interessantes, Anonimo. É um estudo, uma pesquisa...?
Pode por favor citar a fonte, ou postar o link?
Agradecida.

Anônimo disse...

Que bom. E o que VOCE esta fazendo neste sentido?
Ou está esperando sentadinho o Movimento Feminista lutar pelas SUAS causas?

Anônimo disse...

19:19 a maioria dos monarquistas brasileiros são ignorantes, machistas, racistas, homofóbicos, fanáticos religiosos, são fanáticos pelo bostanaro e querem de volta o sec xix época na qual eles dizem que os negros e as mulheres ''viviam melhor e eram mais felizes''. Seriam uma piada de mau gosto se não fosse verdade. Não sou a monarquia constitucional, mas esses monarquistas brasileiros não querem que o Brasil esteja no nível dos países desenvolvidos que tenham monarquia. Querem que aqui volte ao sec xix como eu falei antes. Falam que foi os escravocratas que acabaram com a monarquia dos contos de fadas deles.

Este blog é bem interessante e desmistifica várias fábulas dos monarquistas: http://gustavoacmoreira.blogspot.com.br/search/label/monarquia

Anônimo disse...

Perdão, Lola, conversa com as representantes das grandes páginas feministas. O monarquismo abraça o conservadorismo e o integralismo, e bem sabe-se que são ameaçadores e basta uma crise para questionarem os direitos das mulheres. Precisamos fazer oposição!

Carinhosamente, M.

Anônimo disse...

• Homens são mais propensos a se transferir para locais indesejáveis em troca de empregos que pagam mais.
• Homens são mais propensos a aceitar empregos que exigem viagens constantes.
• Mulheres atribuem maior valor à flexibilidade, a um ambiente de trabalho mais humano e a ter mais tempo para os filhos e para a família.
"Não aconteceria se homens e mulheres tivessem as mesmas responsabilidades dentro de uma família, i.e., trabalhar, cuidar dos filhos, dos pais e da casa de modo igualitário. Não aconteceria se um gênero não fosse mais cobrado por isso do que o outro. Não aconteceria se a sociedade machista parasse de julgar como "vagabundo" um homem que se muda de cidade e fica desempregado só pra acompanhar a mulher. Não aconteceria se os homens, por culpa do machismo, não fossem inseguros quanto a ganhar menos que sua mulher.

• No mundo corporativo, homens são mais propensos a escolher áreas de salários mais altos, como finanças e vendas, ao passo que as mulheres são mais predominantes em áreas que pagam menos, como recursos humanos e relações públicas.

Na verdade ocorre o contrário, quando mulheres começam a dominar uma área o salário médio desse segmento tende a diminuir. http://m.folha.uol.com.br/empregos/2016/04/1757715-quando-mulheres-dominam-profissao-masculina-o-salario-do-setor-cai.shtml?mobile

• Quando homens e mulheres possuem o mesmo cargo, as responsabilidades masculinas tendem a ser maiores.
Então talvez você devesse se perguntar porque os chefes dessas pessoas julgam as mulheres como menos capazes a ponto de atribuir menos tarefas a elas, para um mesmo cargo.

• Homens são mais propensos a trabalhar por comissão; mulheres são mais propensas a procurar empregos que deem mais estabilidade. O primeiro apresenta maiores potenciais de ganho.
E quando mulher trabalha por comissão, adivinha? Ela também ganha menos que o homem."

FALOU TUDO, reitero (6)

Isso já responde tudo mesmo, mascus ficam CALADINHOS

Anônimo disse...

"a maioria dos monarquistas brasileiros são ignorantes, machistas, racistas, homofóbicos, fanáticos religiosos, são fanáticos pelo bostanaro e querem de volta o sec xix época na qual eles dizem que os negros e as mulheres ''viviam melhor e eram mais felizes''. Seriam uma piada de mau gosto se não fosse verdade. Não sou a monarquia constitucional, mas esses monarquistas brasileiros não querem que o Brasil esteja no nível dos países desenvolvidos que tenham monarquia. Querem que aqui volte ao sec xix como eu falei antes. Falam que foi os escravocratas que acabaram com a monarquia dos contos de fadas deles.

Este blog é bem interessante e desmistifica várias fábulas dos monarquistas: http://gustavoacmoreira.blogspot.com.br/search/label/monarquia"

Corroboro, quero mais é q a família de lixórleans e caralhança morra guilhotinada, como todos os reis já foram e devem ser, escórias da humanidade

Anônimo disse...

"quanto maior a oferta de mãe de obra menos o empregador irá pagar"

Não é o caso dos empregos q começam a ser dominado pelas mulheres, o setor possui a mesma quantidade de trabalhadores de sempre, só mundo o percentual de gênero

http://m.folha.uol.com.br/empregos/2016/04/1757715-quando-mulheres-dominam-profissao-masculina-o-salario-do-setor-cai.shtml?mobile

Anônimo disse...

a casa windsor do reino unido é uma família encostada, escorada e q vive de impostos, mas sem fazer merda nenhuma, a não ser gastar dinheiro público com casamentos de fachada

atualmente nem pra decoração a família windsor está servindo mais, assim como todas as outras famílias "reais" europeias

O restante das poucas nações em q o monarca tem alguma relevância são teocracias, vide o Vaticano e Arábia Saudita

Império do Brasil? Não, muito obrigado

Rodrigo Almeida disse...

Não ha nada de machismo ai, a não ser que os pesquisadores do IBGE sejam, pois na própria pesquisa consta que homens trabalhavam mais que mulheres. Em media , homens trabalhavam 43 horas semanais, comparadas a 39 horas das mulheres. Isso precisa ser levado em consideração.

Anônimo disse...

00:10

Vc ainda tá nessa? não se deu conta q o relato é sobre uma mulher q trabalha mais e ganha menos? É difícil isso entrar na cabeça de mascu?

"• Homens são mais propensos a se transferir para locais indesejáveis em troca de empregos que pagam mais.
• Homens são mais propensos a aceitar empregos que exigem viagens constantes.
• Mulheres atribuem maior valor à flexibilidade, a um ambiente de trabalho mais humano e a ter mais tempo para os filhos e para a família.
"Não aconteceria se homens e mulheres tivessem as mesmas responsabilidades dentro de uma família, i.e., trabalhar, cuidar dos filhos, dos pais e da casa de modo igualitário. Não aconteceria se um gênero não fosse mais cobrado por isso do que o outro. Não aconteceria se a sociedade machista parasse de julgar como "vagabundo" um homem que se muda de cidade e fica desempregado só pra acompanhar a mulher. Não aconteceria se os homens, por culpa do machismo, não fossem inseguros quanto a ganhar menos que sua mulher.

• No mundo corporativo, homens são mais propensos a escolher áreas de salários mais altos, como finanças e vendas, ao passo que as mulheres são mais predominantes em áreas que pagam menos, como recursos humanos e relações públicas.

Na verdade ocorre o contrário, quando mulheres começam a dominar uma área o salário médio desse segmento tende a diminuir. http://m.folha.uol.com.br/empregos/2016/04/1757715-quando-mulheres-dominam-profissao-masculina-o-salario-do-setor-cai.shtml?mobile

• Quando homens e mulheres possuem o mesmo cargo, as responsabilidades masculinas tendem a ser maiores.
Então talvez você devesse se perguntar porque os chefes dessas pessoas julgam as mulheres como menos capazes a ponto de atribuir menos tarefas a elas, para um mesmo cargo.

• Homens são mais propensos a trabalhar por comissão; mulheres são mais propensas a procurar empregos que deem mais estabilidade. O primeiro apresenta maiores potenciais de ganho.
E quando mulher trabalha por comissão, adivinha? Ela também ganha menos que o homem."

FALOU TUDO, reitero (7)"

Vou copiar e colar esse texto o quanto aparecer omen aqui pra papagaiar a mesma ladainha de sempre

Anônimo disse...

"a casa windsor do reino unido é uma família encostada, escorada e q vive de impostos, mas sem fazer merda nenhuma, a não ser gastar dinheiro público com casamentos de fachada

atualmente nem pra decoração a família windsor está servindo mais, assim como todas as outras famílias "reais" europeias

O restante das poucas nações em q o monarca tem alguma relevância são teocracias, vide o Vaticano e Arábia Saudita

Império do Brasil? Não, muito obrigado"

Reafirmo

Anônimo disse...

Realmente a qualidade de vida nestes países monárquicos deve ser horrível, Inglaterra, Suécia, Japão etc..

Anônimo disse...

Viver na arábia saudita, jordânia, omã, vaticano, etc. monarquias DE VERDADE, deve ser maravilhoso

não se compara à qualidade de vida dos países em q os reis são meros enfeites turísticos, e muito menos às repúblicas como suíça, frança, alemanha, etc.

Viver no reino da Namíbia é muito melhor sim

Anônimo disse...

É muito fácil pinçar países desenvolvidos pra tentar legitimar o monarquismo, sendo q a razão desses países serem desenvolvidos nem é por causa de monarquia, já q esses reis ainda são reis por pura simbologia

Agora pinçar as monarquias DE VERDADE: Arábia Saudita, Vaticano, Omã, etc. Ninguém quer, né?

O q vale é só o conto de fadas, brincar de castelinho, Cinderela e Branca de Neve, é o q importa mesmo pra monarquistas

Anônimo disse...

A pesquisa apresentada eh americana, mas chegou a um resultado similar a uma feita no sul do Brasil. Alguns trechos:

"As mulheres se transferiram a empregos historicamente masculinos mais no campo do trabalho intelectual do que no do trabalho braçal. Mas a disparidade de pagamento entre os sexos é mais alta nos empregos intelectuais mais bem remunerados, constataram Blau e Kahn. Um motivo para isso pode ser o fato de que esses postos requerem jornadas mais longas e oferecem menos flexibilidade de horários; o estudo demonstrou que os trabalhadores que procuram flexibilidade são penalizados de maneira desproporcional."
Eis o motivo dos acidentes, homens fazem mais trabalhos trabalho braçais.

"Dos 30 empregos mais bem pagos, entre os quais presidente-executivo, arquiteto e engenheiro de computação, 26 são dominados por homens, de acordo com dados do Departamento do Trabalho analisados por Emily Liner, autora do relatório da Third Way. Dos 30 empregos menos bem pagos, entre os quais faxina, cuidar de crianças e servir comida em refeitórios, 23 são dominados por mulheres."

"Depois de avaliar os dados, Blau e Kahn concluíram que a discriminação pura pode responder por 9% na disparidade salarial entre os sexos. A discriminação pode responder indiretamente por porção ainda maior da disparidade, eles afirmam, por exemplo ao desencorajar mulheres de buscar carreiras de alta remuneração e dominadas por homens."

http://m.folha.uol.com.br/empregos/2016/04/1757715-quando-mulheres-dominam-profissao-masculina-o-salario-do-setor-cai.shtml?mobile

Anônimo disse...

Uma das coisas engraçadas sobre os mascus é que a maioria dos ideais deles parecem auto-contraditórios - por exemplo - não querer competir com as mulheres no mercado de trabalho, mas, ao mesmo tempo, se irritarem com as mulheres que não trabalham fora (eu já ouvi argumentos deles ressentidos das mulheres terem a prostituição como uma alternativa à falta de moradia - ignorando totalmente a existência de homens que se prostituem - e argumentos que as mulheres ainda tomam dos homens empregos tradicionalmente femininos). Eles também tendem a gritar bem alto sobre seu ressentimento em relação ao papel masculino tradicional. Eles chamam as mulheres de puritanas, por um lado, e de vagabundas, por outro.

Parece que isso não faz qualquer sentido. Isso não é o que o seu avô machista tradicionalista conservador jamais diria; esse não é o sexismo com que estamos familiarizadas. Parece tão ridículo. Será que alguém realmente é tão burro assim??

Mais parece que eles estão defendendo alguma forma estranha de progressismo por um lado e um machismo tradicional por outro, e isso parece tão auto-contraditório...

O que estou percebendo é que não, esses caras não são realmente completamente burros. Muitas atitudes dos mascus são parte de uma visão de mundo auto-consistente. Vamos olhar para as coisas que muitos deles fazem parte: uma forma particularmente radicalizada de ateísmo (rejeição das religiões tradicionais). Seu avô machista era totalmente a favor de uma religião organizada. Eles parecem que querem um sistema em que eles são apenas elogiados e admirados e recebem gratificações e aplausos sem nunca merecerem nada disso. Seu avô machista era orgulhoso demais pra isso e ainda tinha um sentimento de satisfação no trabalho duro. E também há todo o Libertarianismo e Anti-Estatismo. Seu avô machista era um velho patriótico totalmente a favor do complexo militar-industrial estatal.

Em vez de olhar os mascus só nos termos da faceta misógina deles, por que não analisar a imagem inteira?

Eles querem ser aristocratas! Eles têm a impressão de que esse é o direito natural de todos os homens brancos. Eles não DIZEM isso, mas... é a única maneira que a visão de mundo deles faz sentido, porque a partir desse ponto de vista, as opiniões que pareciam contraditórias, realmente fazem sentido. As hierarquias "alfa/beta", o uso constante de símbolos e marcas aristocráticas ou até mesmo brasões reais (a linguagem aristocrática aparece um monte nos fóruns e sites deles), afinal eles não são chamados também de GUERREIROS DA REAL? Real vem de realeza, aristocracia ... é a única coisa que faz com que toda essa coisa deles faça sentido.

Essa é uma razão pela qual os argumentos contra eles não os desmontam totalmente, porque a maioria das pessoas não consegue descobrir qual é realmente a posição deles, e são pegas na vacilação. Elas escutam atentamente o que está sendo dito, mas perdem o que realmente NÃO É DITO.

Essa é a única maneira que seus pontos de vista superficialmente contraditórios fazem qualquer sentido... Se eles fossem aristocratas - não estariam competindo com as mulheres, nem com outros homens, exceto com homens de status muito elevados. Qualquer mulher que fizesse par com eles viria com sua própria riqueza e status *de nascença* (mas as mulheres de baixo status seriam usadas sexualmente e descartadas, é claro). Eles não teriam que lidar pessoalmente com o trabalho envolvido na gestão, funcionamento e provimento de uma casa e eles seriam elogiados, celebrados e pagos sem ter que trabalhar para isso.

Nessa perspectiva, o ponto de vista deles sobre as mulheres torna-se logicamente consistente, e se encaixa perfeitamente na visão de mundo que acomoda os outros pontos de vista deles...

Anônimo disse...

"uma forma particularmente radicalizada de ateísmo". E desde quando os mascus são ateus? Tem mascu que critica ateísmo, já vi em site mascu sandices como "portal do criacionismo", aff. Os caras falam em criacionismo em pleno século 20, devem acreditar em unicórnios. Mascus não são ateus porque as religiões são patriarcais, o ateísmo não convém pra eles.

Anônimo disse...

Nem todos os mascus são ateus, mas uma boa parte deles são ateus sim. Só que eles serem ateus ou não não faz diferença nenhuma na posição política deles, nessa visão de mundo deles nem no desejo frustrado que eles têm de serem aristocratas.

A constatação que muitos (não todos) mascus são ateus foi apenas pra ilustrar como eles parecem tão auto-contraditórios em uma análise não muito aprofundada das mentes misóginas e delirantes deles.

Anônimo disse...

Acho não a questão religiosa não define um mascu, existem mascus ateus e religiosos da mesma forma que na população, só que alguns mascus usam argumentos religiosos para repudiar o aborto, argumentos religiosos para dizer que a mulher deve ser submissa ao homem (vide Bíblia Sagrada), defender o ódio a homossexuais, defender o ódio a mulheres adulteras, entre outros. Você diz que os mascus são misóginos, mas o antigo testamento da bíblia é pura misoginia, então o cristianismo e islamismo os serve muito bem.

Anônimo disse...

Acho que você não entendeu o que eu quis dizer. Eu não disse em momento algum que a questão religiosa define um mascu, pelo contrário.

É evidente que mascus usam argumentos religiosos para se justificarem e justificarem suas ideias e posições, se e enquanto esses argumentos forem convenientes a eles.

Se os argumentos religiosos não forem convenientes, eles encontram outras motivações e justificativas dentro da ideologia deles pras ideias e atitudes que eles têm, independentemente da religião.

Anônimo disse...

As mulheres são a maioria no mercado de trabalho. Em relação ao meu salário, eu sou desempregado, alguma de vocês quer se juntar a mim?

Anônimo disse...

Conexão Reporter 24/04/2016 Bolsonaro x Jean Wyllys

Emerson e Marcelo são lembrados nessa reportagem e vários integrantes do grupo Homens Sanctos são entrevistados. Eles dizem abertamente que vão matar homens homossexuais e estuprar corretivamente mulheres homossexuais. A reportagem não identificou os mascus por ética de proteção a fonte de informação.

donadio disse...

Existem dois tipos de diferença salarial, e alguns comentaristas fazem confusão nesse aspecto.

Há diferenças de discriminação e diferenças de composição. Diferenças de discriminação são diretamente devidas ao sexo, raça, nacionalidade, religião, etc.: os empregadores não querem empregar mulheres, negros, bolivianos ou evangélicos, então a procura por mão-de-obra com essas características é menor, e os salários dessas pessoas caem em função da lei da oferta e da procura. Por que os empregadores não querem empregar mulheres, negros, bolivianos ou evangélicos? Boa pergunta, que demanda explicações que não cabe (fisicamente) aqui. Mas é um fato.

Diferenças de composição vêm, por assim dizer, "de fora" do ambiente de trabalho. Médicos ganham mais do que enfermeiros, enfermeiros ganham mais do que atendentes de enfermagem, atendentes de enfermagem ganham mais do que auxiliares operacionais. Em parte essas diferenças são relacionadas ao tempo de treinamento necessário para exercer a profissão (curso superior de seis anos mais dois anos de residência para médicos, curso superior de quatro anos para enfermeiros, curso de nível médio especializado para atendentes, qualquer coisa para auxiliares operacionais. Em parte, são convencionais: no Brasil, médico tem de ter apartamento próprio, amplo e bem localizado em áreas nobres das cidades; auxiliar operacional pode morar na favela. Os salários devem bancar essas convenções, e apartamento amplo e bem localizado é mais caro do que barraco na favela. A mão-de-obra das mulheres (como a dos negros, dos bolivianos e dos evangélicos) é historicamente menos treinada que a dos homens. E isso explica parte do "gender gap" nos salários: num hospital em que 90% por cento dos médicos, 50% dos enfermeiros, 30% dos atendentes de enfermagem, e 10% dos auxiliares operacionais são homens, o salário médio das mulheres será menor que o dos homens mesmo que o salário das médicas seja igual ao dos homens. Por que as mulheres, negros, bolivianos e evangélicos tradicionalmente tem menos escolaridade? De novo, boa pergunta, cuja resposta não cabe aqui.

Mas uma coisa é fundamental para entender o "gender gap": numa sociedade capitalista, o trabalho doméstico, que é tradicionalmente atribuição feminina, é, por definição, não remunerado, por que não produz valor. Se vivêssemos numa sociedade matriarcal, os patrões (ou, no caso, as patroas) pagariam diretamente às donas-de-casa pelo trabalho dos maridos - afinal são elas que produzem a mão-de-obra deles. Mas no mundo real, o trabalho doméstico "não conta" por que não produz mercadorias, e não conta a tal ponto que não é raro sequer ser considerado trabalho - quem nunca ouviu frases como "a fulana não trabalha", referindo-se a uma mulher que mantém a casa limpa, prepara a comida, e faz as compras?

E isso coloca para as mulheres as seguintes opções: ou não trabalham fora, e portanto não são remuneradas - o que puxa a média salarial para baixo em comparação à dos homens - ou têm de acumular o trabalho remunerado com as tarefas domésticas - e aí precisam de horários flexíveis ou reduzidos, o que também puxa os seus salários para baixo - ou tem de contratar empregados domésticos - que são em sua imensa maioria mulheres, e que tem de ganhar menos que a patroa, senão não é economicamente racional contratá-los - o que exige a existência de um vasto exército de reserva de trabalho feminino, o que não só puxa os salários para baixo, mas também só é possível por que a procura por mão-de-obra feminina é menor.

Anônimo disse...

Sim, é melhor seguir o seu conselho. Estou cansada de conversar com uma pedra. Porque sempre é assim, as mulheres apresentam os fatos que os homens criaram mas os mesmos negam aqui no blog.... mas depois perpetuam!!! Um bando de hipócritas!!!

Eu nem perco mais meu tempo e passei a ser bastante seletiva nesse caso. Se uma MULHER quiser conversar sobre feminismo comigo, estando inclinada a OUVIR no lugar de esperar a vez de refutar, posso ficar horas conversando com ela. Se for pra refutar, desconsidero, ela que desconstrua o machismo em si primeiro porque não é minha obrigação fazer isso por alguém. Se um HOMEM tiver as mesmas inclinações, indico o que ELE pode pesquisar no Google. Ele, não eu, meu dever de casa já fiz. Agora, se um MOLEQUE (de 10 ou 50 anos) sustentado pela mãe que não consegue fazer uma redação no ENEM sobre a persistência da violência contra a mulher na sociedade porque gasta mais tempo nos n-Chans punhetando entre outros moleques fracassados, simplesmente oculto o comentário do garotinho e sigo em frente. Não somos mães dessas pessoas, não temos o papel de educá-las, não devemos nada a elas, não temos que fazer o serviço sujo delas e "algo me diz" que a natureza já está se encarregando dessa gente.

Pela socialização que recebemos, estamos muito acostumadas a fazer o serviço desses imundos. Então você gasta um tempo de vida colocando 300 links e pesquisas reputáveis pra ele se apegar àquele blogzinho machista com dados tirados DO RABO de um outro machinho. Ignoro, desconsidero, não valido, não reconheço, faço de conta que não existe. Esse é meu jeito de ser feminista: não dando a menor corda pra esses caras e mantendo meu foco nas mulheres.

Anônimo disse...

Sobre a postagem, considero sim de suma importância que seja conhecido quanto as pessoas ganham, sem tabus. Lembrando que na seara do Direito Trabalhista você pode - e deve! - exigir a equiparação para pessoas que exercem a mesma função com as mesmas responsabilidades. Essa, inclusive, é uma ferramenta que as mulheres deveriam utilizar com mais frequência. Não vai por bem, então que vá pela lei. Façam valer seus direitos.

donadio disse...

"um economista sério"

Ao contrário. Um dos problemas que temos de enfrentar hoje em dia é a existência de imbecis diplomados que tem espaço na internet (e até na imprensa convencional) para dizer besteira e se passar por bem-informados. É o caso do seu "economista sério": não passa de um ignorantão com diploma; pega um problema complexo e o reduz a questões de "escolha individual". É o equivalente econômico dos "biólogos" criacionistas.

Anônimo disse...

Lembrando que para empresas, ações trabalhistas são bem mais onerosas que para as(os) trabalhadoras(es). Uma única ação bem colocada pode quebrar o negócio de alguém. Não hesitem em fazê-lo. Não hesitem em denunciar critérios machistas para contratação e condições machistas de trabalho. E não é no Facebook não, é na Delegacia do Trabalho. Não hesitem em gravar suas próprias conversas, o que é permitido por lei, para assegurar provas de assédio moral ou sexual no ambiente de trabalho, qualquer smartphone hoje em dia tem gravador de som nativo, fora a câmera. Deixa o celular "carregando" na mesa, com a câmera bem apontada pra você e vá salvando as provas, que são completamente válidas. Então quando aquele chefe ou colega engraçadinho fizer merda contigo, não vai ser mais a sua palavra contra a dele e sim UMA FILMAGEM contra a mentira que vai contar em juízo. Ah, ele te chamou em uma salinha pra conversar em particular? Leve o celular contigo e continue gravando o audio. Pergunte "que dia é hoje", faça-o falar. Lembrando que você pode comprar câmeras-espiãs disfarçadas em relógios, canetas, óculos e até mesmo anéis por menos de 100 reais. De posse de tudo isso, procure uma boa advogada e SENTA A PUA. Sendo você participante da conversa, a prova é válida.

Anônimo disse...

A maioria dos monarquistas brasileiros não querem que o Brasil seja uma Suécia gigante não, esse é o ponto e é esse o principal motivo pelo qual não os apoio. A maioria dos monarquistas brasileiros são misóginos, preconceituosos, homofóbicos, teocráticos e fazem chantagens para a população negra idolatrar a princesa isabel a qualquer custo. E se houvesse alguma chance de volta da monarquia no Brasil seria mais justo se houvesse a escolha de um novo rei para uma nova dinastia em vez desses orleans e bragança cheios de preconceitos e que pararam no sec xix. A qualidade de vida na Finlândia tbm é muito boa e lá não tem monarquia.

Anônimo disse...

Se esses malucos dos orleansbragança fossem como os windsor estaríamos até no lucro. São muito piores e bem mais ultrapassados. Não tem como levar a sério gente que diz que a população negra vivia melhor no sec XIX. Sem falar que a maioria desses monarquistas brasileiros apoiam bostanaro e isso é mais um motivo para não gostar deles.

Anônimo disse...

11:12, meu deus, vc mais parece uma metralhadora de bosta, quem é vc pra dizer o q eu devo ou não fazer no meu horário de madrugada? Vc sabe alguma coisa da minha vida por acaso seu lixo? Vc se acha tão trabalhador, mas precisou vir aqui pela manhã, selecionar um comentário espalhado, e tentar responder falando merda. Vc não faz nada da vida não seu bostinha? E mais, todo o chororô de macho já foi respondido aqui, inclusive essa falácia de oferta x demanda (qualquer coisa é só apelar pra isso, tá certo):

"Não é o caso dos empregos q começam a ser dominado pelas mulheres, o setor possui a mesma quantidade de trabalhadores de sempre, só mundo o percentual de gênero

http://m.folha.uol.com.br/empregos/2016/04/1757715-quando-mulheres-dominam-profissao-masculina-o-salario-do-setor-cai.shtml?mobile"

"• Homens são mais propensos a se transferir para locais indesejáveis em troca de empregos que pagam mais.
• Homens são mais propensos a aceitar empregos que exigem viagens constantes.
• Mulheres atribuem maior valor à flexibilidade, a um ambiente de trabalho mais humano e a ter mais tempo para os filhos e para a família.
"Não aconteceria se homens e mulheres tivessem as mesmas responsabilidades dentro de uma família, i.e., trabalhar, cuidar dos filhos, dos pais e da casa de modo igualitário. Não aconteceria se um gênero não fosse mais cobrado por isso do que o outro. Não aconteceria se a sociedade machista parasse de julgar como "vagabundo" um homem que se muda de cidade e fica desempregado só pra acompanhar a mulher. Não aconteceria se os homens, por culpa do machismo, não fossem inseguros quanto a ganhar menos que sua mulher.

• No mundo corporativo, homens são mais propensos a escolher áreas de salários mais altos, como finanças e vendas, ao passo que as mulheres são mais predominantes em áreas que pagam menos, como recursos humanos e relações públicas.

Na verdade ocorre o contrário, quando mulheres começam a dominar uma área o salário médio desse segmento tende a diminuir. http://m.folha.uol.com.br/empregos/2016/04/1757715-quando-mulheres-dominam-profissao-masculina-o-salario-do-setor-cai.shtml?mobile

• Quando homens e mulheres possuem o mesmo cargo, as responsabilidades masculinas tendem a ser maiores.
Então talvez você devesse se perguntar porque os chefes dessas pessoas julgam as mulheres como menos capazes a ponto de atribuir menos tarefas a elas, para um mesmo cargo.

• Homens são mais propensos a trabalhar por comissão; mulheres são mais propensas a procurar empregos que deem mais estabilidade. O primeiro apresenta maiores potenciais de ganho.
E quando mulher trabalha por comissão, adivinha? Ela também ganha menos que o homem."

FALOU TUDO, reitero (7)"

Pronto, toma aí, maxo não cansa de papagaiar, eu tb não canso de dar esse fatality q eles fingem ignorar

Anônimo disse...

"Se esses malucos dos orleansbragança fossem como os windsor estaríamos até no lucro. São muito piores e bem mais ultrapassados. Não tem como levar a sério gente que diz que a população negra vivia melhor no sec XIX. Sem falar que a maioria desses monarquistas brasileiros apoiam bostanaro e isso é mais um motivo para não gostar deles."

Ng liga pra esses lixórleans e caralhança

Anônimo disse...

13:06

é um favor q vc faz às mulheres e a qualquer pessoa, pq ng iria trabalhar na sua empresa de merda

Se é q vc tem alguma empresa mesmo, já q não deve passar de um mascu fudido q vive as custas da mãe, a segunda opção é mais provável

Anônimo disse...

Empresa é VASP
Vagabundos Anônimos Sustentados pelos Pais

Realmente, as mulheres não iriam trabalhar nesta empresa.

Anônimo disse...

Tava demorando o mascu chorador.

Se vc não conseguiu seu emprego é pq não merece, não se esforçou. Chora enquanto tem uma mulher concursada e ganhando o salário q vc queria ganhar.

Anônimo disse...

Pelo q conheço, se for concursado, as variações podem ser: Tempo de serviço (data que entrou)atrelado à classe/padrão (progressão funcional), se recebe auxílios (transporte, alimentação), etc...

donadio disse...

"Pelo q conheço, se for concursado, as variações podem ser: Tempo de serviço (data que entrou)atrelado à classe/padrão (progressão funcional), se recebe auxílios (transporte, alimentação), etc..."

A progressão funcional é definida por comissões específicas, que são na sua maioria compostas por homens, e que aplicam o seguinte "raciocínio" em caso de empate entre um homem e uma mulher: "ele é arrimo de família, há quatro ou cinco pessoas dependendo do salário dele; ela "trabalha" por que quer, para comprar seus alfinetes". Enquanto isso não mudar, haverá "gender gap" no serviço público brasileiro.

Valeska disse...

Empoderamento feminino é uma saída!
Li esta chamada e achei pertinente.
Que tal tentar?
"Estamos em busca de mulheres com projetos de financiamento coletivo que sejam ferramentas de empoderamento feminino (pessoal ou coletivo) e que resultem em um impacto em sua vida e/ou comunidade."
Receber propostas por meio do site
www.benfeitoria.com/canal/mulheresdeimpacto - Até o dia 6 de maio.

Evandne da Silva disse...

Futebol feminino é mal remunerado porque ninguém assiste. Modelos homens ganham uma merreca em comparação à modelos mulheres porque ninguém presta atenção neles.

Anônimo disse...

e a causa disso é apenas uma e a mesma: machismo (ou patriarcado ou sistema de dominação masculina ou supremacia masculina, como preferir chamar)

Anônimo disse...

Em seu brilhante estudo, Sexual Harassment of Working Women: a Case of Sex Discrimination, Catharine A. MacKinnon delineia a interseção entre economia e heterossexualidade compulsória. No capitalismo, as mulheres são segregadas horizontalmente por gênero e ocupam uma posição estrutural inferior no ambiente de trabalho. Não há nada de novo nisso, mas MacKinnon coloca a questão do porquê, ainda que o capitalismo “requeira algum recrutamento de indivíduos para ocupar posições malpagas e de baixo status [...] tais pessoas devem ser biologicamente mulheres”. Ela ainda nota “o fato de os empregadores homens frequentemente não contratarem mulheres qualificadas, mesmo quando eles podem pagá-las menos, o que vem a sugerir que há algum motivo a mais do que o lucro”. Ela cita material muito rico que documenta o fato de que as mulheres não sejam somente segregadas em empregos de serviço malpago (como secretárias, empregadas domésticas, datilógrafas, operadoras de telefone, babás, garçonetes), mas a própria “sexualização das mulheres” faz parte do trabalho. Central e intrínseca às realidades econômicas das vidas das mulheres é a exigência de que elas irão “comercializar atratividade sexual para os homens, que tendem a manter o poder e a posição econômica para garantir suas predileções”. MacKinnon registra que o “assédio sexual perpetua a estrutura por meio da qual as mulheres têm sido mantidas em servidão para os homens na base do mercado de trabalho”. Assim, as mulheres no mercado de trabalho ficam à mercê do sexo como poder em um círculo vicioso.

Heterossexualidade Compulsória e Existência Lésbica, Adrienne Rich

Anônimo disse...

A pessoa fala em meritocracia mas por outro lado exerce um cargo em comissão, que, regra geral é fruto de apadrinhamento. Chega a ser engraçado. Provavelmente nesse próprio órgão em que a do texto trabalha há homens e mulheres com uma qualificação maior que a dela, que estudaram, que sacrificaram seu tempo e dinheiro para estudar e ganham menos do que a pessoa do texto que, provavelmente, simplesmente "conhece alguém".

O motivo nesse caso, do outro rapaz receber mais do que ela não é machismo. Simplesmente o Quem Indica dele é mais forte.

Dinheiro disse...

Sobre a postagem, eu considero sim de suma importância que seja conhecido quanto as pessoas ganham, sem tabus. Lembrando que na seara do Direito Trabalhista você pode - e deve! - exigir a equiparação para pessoas que exercem a mesma função com as mesmas responsabilidades. Essa, inclusive, é uma ferramenta que as mulheres deveriam utilizar com mais frequência. Não vai por bem, então que vá pela lei. Façam valer seus direitos.