quinta-feira, 22 de outubro de 2015

MUITO MAIS SOBRE A POLÍTICA DO FILHO ÚNICO

O post sobre a política do filho único na China gerou comentários incríveis, que levaram o debate para outro nível. Destaco alguns:

"Lola, só para complementar. Em várias dessas sociedades agrárias do extremo oriente, o casamento é patrilocal (a noiva vai para a casa do marido) e é responsabilidade do filho mais velho cuidar dos pais idosos. Por causa disso é que foi aberta exceção para as famílias camponesas. Tentar de novo e, no caso da China, há uma pensão para o casal idoso camponês sem filhos homens. Há vários ditos chineses, indianos e de outros povos da região fazendo alusão ao fato de quem tem uma menina engorda o gado do vizinho, afinal, quando ela estiver na sua fase mais produtiva, irá embora, a família formaria mão de obra para outrem.
Pior ainda, no caso indiano, é a prevalência do dote. Ter uma filha é prejuízo, econômico e mesmo espiritual, pois certos rituais fúnebres só podem ser feitos pelo filho homem. Enfim, a situação é muito dramática:
'Na China, em Taiwan, na Coréia do Sul, a ausência de herdeiro do sexo masculino significa a extinção da linhagem da família e do culto aos ancestrais. Na religião hinduísta, ela condena os pais à errância eterna, pois é o filho que, tradicionalmente, encarrega-se dos ritos funerários de seus pais. Na Índia e na China, uma menina está com seus pais apenas de passagem. Quando se casa, ela parte para se devotar à família de seu marido e, a partir de então, não deve mais nada a seus próprios pais. Os camponeses chineses sabem que é preciso 'ter um filho para prepara-se para a velhice'. 'Ter uma menina', diz um ditado chinês, é 'cultivar o campo de outros'; para os indianos, é 'cuidar do jardim do vizinho'.' 
Aborto seletivo gera escassez de 96 milhões de meninas na Ásia.
Índia, onde meninas nem sempre são bem-vindas.
Pais pagam cirurgia para transformar filhas em filhos na Índia.
Procuram-se mulheres: Num mundo com 7 bilhões de habitantes faltam mulheres em alguns países." (Valéria)

"Oi, Lola! Estou adorando os posts sobre a China e aprendendo muitas coisas interessantes. Gostaria que comentasse um pouco mais sobre a atuação das chinesas no mercado de trabalho, pois, nesse ponto, a China parece estar a passos largos do Japão.
Morei no Japão e fiquei estarrecida com a situação das mulheres, já que a maioria deixa o trabalho logo após o casamento. As leis de trabalho japonesas desestimulam a participação feminina no mercado de trabalho a partir de ações como licença-maternidade muita curta/ sem remuneração adequada ou dedução de impostos para famílias em que apenas um dos membros trabalhe (geralmente são os homens que trabalham)." (Anônima) [Compare com os EUA, anon].

"A princípio, planejamento familiar tem tudo a ver com feminismo.
Eu não consigo vislumbrar algo mais eficiente e mais definitivo para manter uma mulher no seu 'devido lugar' do que a maternidade (por isso acho comédia esse negócio de fim do capitalismo = fim da miséria feminina; ha, tolinhos). Mas até mesmo dentro do feminismo esse fato é ignorado.
Eu sou 100% a favor, e também não consigo imaginar um caminho diferente sem ferir os direitos humanos básicos, da conscientização das pessoas sobre as responsabilidades de se ter filhos. E antes que me queimem na fogueira -- nem estou falando aqui sobre condições financeiras -- mas sim sobre o impacto pessoal, social e ambiental que isso traz.
Porém sou 100% contra a interferência estatal direta, como foi feito na China. Vejam, a política do filho único foi uma medida brutal pela falta de vontade de resolver um problema antes que chegasse ao ponto que chegou.
Se houvesse conscientização, educação, oportunidades igualitárias e acesso ilimitado à contracepção, esterilização voluntária e aborto, muito raramente a situação escalaria e sairia do controle." (Jane Doe)

"Achei na net e é interessante:
Em uma entrevista Bill Moyers perguntou a Isaac Asimov: O que acontecerá à ideia de dignidade da espécie humana se o crescimento populacional continuar na sua atual proporção?
Asimov respondeu: Ela será completamente destruída. Eu gosto de usar o que eu chamo minha 'metáfora do banheiro': se duas pessoas vivem em um apartamento e existem dois banheiros, eles podem ambos ter a liberdade do banheiro. Você pode ir ao banheiro quando quiser e ficar lá quanto tempo você preferir ficar. E todos acreditam na liberdade do banheiro; ela deveria estar na constituição.
Mas se você tem vinte pessoas no apartamento e dois banheiros, não importa o quanto cada pessoa acredita na liberdade do banheiro, porque isto não mais existe. Você tem de definir horários para cada pessoa, você tem de bater na porta, 'Você ainda não acabou?' e por aí vai.
Asimov concluiu com a profunda observação: Da mesma forma, democracia não pode sobreviver à superpopulação. Dignidade humana não pode sobreviver à superpopulação. Conveniência e decência não podem sobreviver. 
À medida que você coloca mais e mais pessoas no mundo, o valor da vida não apenas declina, mas desaparece. Não importa se alguém morre, quanto mais pessoas existirem, menos cada pessoa importa.
A China e a Índia mostram muito bem que esse último trecho é verdade. Intervenção estatal é ruim? Com certeza. Queremos isso? Não. Mas se a situação atingir um ponto crítico, é o que vai acontecer. Então só nos resta decidir se queremos fazer isso numa boa ou na marra. Se não puder ser numa boa agora, será na marra futuramente." (Mallagueta Pepper)

"Moro na China há dois anos e sou casada com um sul-africano de origem chinesa.
O que tenho a dizer sobre planejamento familiar por aqui é que tudo se dá sem que ninguém fale sobre sexo. A repressão do governo sobre qualquer coisa de cunho sexual (lembra quando você disse que pornografia era proibida por aqui?) impede que exista qualquer tipo de educação sexual nas escolas. 
Os alunos aprendem na aula de biologia, por exemplo, que o espermatozoide fecunda o óvulo, mas ninguém comenta sobre como ele foi parar lá. A maioria esmagadora das famílias ainda faz de conta que sexo não existe, e as pessoas chegam aos 20, 25 anos sem ter muita ideia de como sexo funciona.
Sou professora de inglês em uma faculdade na Mongólia Interior, região autônoma no norte da China, e quero primeiro deixar claro que o que vou dizer é baseado somente nas experiências e conversas que tive por aqui, e que talvez algumas coisas sejam diferentes em outras regiões.
Uma vez estava conversando com algumas alunas (tendo 27 anos, não sou muito mais velha do que elas), e perguntei, casualmente, como acontecia a contracepção por aqui. A princípio elas não entenderam, provavelmente devido ao inglês, mas quando eu traduzi a palavra 'camisinha' para o chinês, elas coraram e deram risadinhas. Uma delas arregalou os olhos e disse 'Não, não, não! Não usa iso, não!'. Perguntei, então, como mulheres casadas -- já que nenhuma delas iria admitir ter feito sexo -- faziam para evitar terem filhos antes da hora. Elas ficaram confusas e disseram que não faziam ideia.
Há a ideia disseminada de que casais não fazem sexo antes do casamento por aqui -- o que, obviamente, não passa da mais pura balela. Embora seja verdade que a maioria chegue virgem aos 20, 22 anos de idade, eles não se casam virgens. E fazem sexo sem saber como se prevenir contra uma gravidez. 
O resultado disso é que dentro das caixinhas de testes de farmácia é comum vir cartão de desconto para clínicas de aborto. Assim que você conquista a confiança de alguma moça chinesa, elas logo confessam que já fizeram ou conhecem alguém próximo que tenha feito um aborto.
Entenda que, embora eu apoie a possibilidade de uma mulher poder descontinuar uma gravidez indesejada, não acho -- e ninguém acha -- que abortos devam ser usados como método primário de contracepção.
Outra questão, agora sobre filhos, é que crianças nascidas de pais não casados não podem ser registradas. Isto é devido à própria política do filho único, já que se os pais não forem casados fica difícil monitorar se há mesmo apenas um filho por casal, mas a ideia de que alguém não tenha direito a uma certidão de nascimento -- e consequentemente não podem frequentar escolas, ter emprego formal, comprar casa, etc -- simplesmente porque seus pais não são casados não deixa de ser revoltante." (Tatiana)


"Tive a oportunidade de conhecer alguns chineses na França, onde estudei por um período. Quanto à política do filho único, achei que você deixou de abordar um aspecto interessante. Fiquei sabendo por intermédio de meus colegas que os chineses endinheirados costumam ter um segundo filho nos Estados Unidos. São os chamados American Born Chinese (ABC). 
Essa estratégia é comum na elite chinesa, que se orgulha de garantir a dupla nacionalidade às suas crianças (embora seja dito que o segundo passaporte fica escondido, pois esta prática, além de não ser bem vista pelo governo, é proibida na China). É isso. Neste planeta, dinheiro resolve tudo!" (CN)

Update no final de outubro: Após 30 anos, governo chinês permite que casais tenham 2 filhos.

81 comentários:

Anônimo disse...

Com tudo isso, ainda não entendo como a Lola defendeu tanto a China em sua visita pra lá. Será que foi só porque é um país "Comunista"?

Odara disse...

Essa de pais não casados não poderem registrar me indignou completamente desde o post original. ...
E não é pelo controle do filho único não (essa é a desculpa! ) pois seria fácil relacionar esse controle a mãe (ainda não inventaram outra forma de nascimento que não seja através da mãe).
É controle de comportamento mesmo e levado as últimas consequências: não é cidadão quem for gerado fora do casamento :(

Anônimo disse...

A china é uma ditadura, fato
Ass: Sincero

Anônimo disse...

A situação já é difícil pra mulheres e pra minorias aqui no ocidente, imagina então do outro lado do mundo

Queria mudar de planeta, pra um outro bem distante desse, tipo aquele q descobriram recentemente, e começar tudo do zero, pq pelo q eu ando vendo, esse planetinha azul aqui não vai ter jeito nunca.

O comunismo e o fim do machismo/patriarcado e de todas as opressões como sempre sonhei são (de fato) apenas uma utopia e nunca se realizarão nesse mundo, não pq é impossível de acontecer, mas q jamais permitirão :(

Anônimo disse...

"Com tudo isso, ainda não entendo como a Lola defendeu tanto a China em sua visita pra lá. Será que foi só porque é um país "Comunista"?"

No meu ponto de vista, a Lola ~"defendeu"~ a China por um ponto de vista turístico, além dela ter só conhecido pontos turísticos legais do país, a China não é o inferno na Terra, assim como no Brasil, tem coisas legais e coisas ruins, a Lola como turista (e não cidadã chinesa) óbvio q falaria das coisas legais e belas, e a críticas, se é pelo o q vc estava esperando estão aqui, olha só, não precisa mais de mimimi

E a China não é comunista, pelo amor de deus.

Anônimo disse...

Anom. das 12:05

E a China não é comunista, pelo amor de deus.


Por isso eu coloquei entre aspas. E o fato é que ela, como feminista e divulgadora do feminismo, deveria ter mais cuidado ao comprar a versão do governo de um país que apresenta e procurar saber a realidade das mulheres.

Anônimo disse...

Se a China não é comunista eu não sou homem.

fernanda melo disse...

Sempre vejo chineses aqui no brasil tendo dois três filhos. Por que será né

Anônimo disse...

Ter filhos é a forma mais fácil de desempoderar mulheres.

Anônimo disse...

"e ninguém acha -- que abortos devam ser usados como método primário de contracepção."

Falar que aborto é método CONTRACEPTIVO representa não entender os fundamentos do que é o fenômeno da concepção na gravidez.

fernanda melo disse...

Eu sou mae de duas meninas e não me sinto nem um pouquinho desempoderada nao

Anônimo disse...

eu nao vejo com tao maus olhos a politica do filho unico (até pq existe exceções)


Mas fico indignada aqui no Brasil (vou falar só daqui pq nao tenho conhecimento suficiente pra falar de outros países) de ver crianças nascendo e crescendo em lares totalmente desajustados...

Uma vez vi uma notícia de mães usuárias de drogas (pesadas) e que estavam grávidas, e algumas poderiam perder a guarda de seus bebês porque nao tinham condições de cria-los...Daí, nos comentarios, as pessoas defendendo essas maes, falando que a vida delas já estava desgraçada e que o bebê seria o estímulo pra mae sair do vício. Ahhhhhhhhhhhhhh..para, né ? Entao a função da criança é essa ? A criança tem direito a um lar, amor, carinho, educação, comida, higiene, escola, saúde... E deveria ter muito mais fiscalização pra que isso aconteça de fato!!! Porque vejo muitas familias criando crianças em ambientes completamente desestruturados...

Quantos casos a gente nao fica sabendo de pai alcoolatra que bate na mulher e nos filhos !(sabendo depois que os filhos sao adultos e relatam sua infancia). será que essas casos pararam ? e será que ninguuém sabia de nada ? nenhum familiar, nenhum vizinho desconfiou e quis acionar as autoridades responsáveis ???


Eu sei (1, 2, 3....)que já vao falar sobre o aborto. Mas é mais que isso !!! Muitas dessas crianças podem ter sido desejadas !!! e aí, faz o que ?

Acho que dao muitos direitos aos pais e muito pouco direito (ao menos na prática) para as crianças.

Sara Marinho disse...

Eu entendo que a política do filho único foi necessária. Foi o negócio da marra citado numa parte do texto. A população chinesa é absurdamente grande, algo radical tinha que ser feito para barrar seu crescimento. Acabei de ler aqui que essa política impediu o nascimento de 400 milhões de crianças, mais do que a população brasileira inteira.
É difícil imaginar uma maneira humanizada e rápida de barrar o crescimento populacional, talvez exista, não sou nenhuma especialista em nada minimamente relacionado ao assunto. Mas de todo modo, as medidas que a política do filho único implantou no pais são muito cruéis... E não há necessidade desse tabu em relação a sexo, se existisse educação sexual as pessoas poderiam ter um único filho sem precisar abortar

Anônimo disse...

Anon 13:18
Finalmente alguém que tocou nesse ponto. É necessário haver uma política séria de planejamento familiar no Brasil urgentemente. Não precisa também ser como na China, mas é necessária uma mudança.

Estagiei em uma Vara da Infância e da Juventude, e na minha cidade, pelo menos metade dos infratores não tem o nome do pai na certidão de nascimento (obs: NÃO ESTOU FALANDO QUE TODO MUNDO QUE NÃO CONHECE O PAI É BANDIDO, PFVR, SEI QUE ESSA NÃO É A REGRA), uns tem o nome do pai lá, mas nunca o conheceram, e uma grande parte tb mal conhece a mãe direito tb, foram criados pela avó, esta que muitas vezes não tá em condições de cuidar nem de si mesma direito, quanto mais de outra pessoa.

Todo mundo coloca a culpa da criminalidade entre os jovens em falta de escolas, na irresponsabilisade da polícia, na droga etc etc, e esquecem da falta de planejamento familiar. Não que todo mundo que venha a nascer em lares desestruturados ou sem pai/mãe venha a virar bandido, mas convenhamos, a maioria das crianças nessa situação está sob um risco maior ainda.

O mesmo problema se dá com os ricos: o casal não tem uma gota de juízo, só joga o filho no mundo e deixa o dia todo para ser criado em creche e em frente a TV, não fiscaliza porcaria nenhuma do que tá acontecendo, nem disciplina. Aí, quando o guri cresce e vira aquele pitboy escroto que não segue regra nenhuma, matando gente no trânsito e colocando "boa noite, Cinderela" em bebidas com o pessoal da faculdade, ficam se perguntando o que fizeram de errado.

Não é sair permitindo que todo mundo aborte adoidado, isso é escrotisse. É simplesmente dar uma educação em que o casal possa ter consciência de que filho não é boneco, que você pode jogar em qualquer lugar quando não está sendo mais tão divertido ficar ao lado dele.

Anônimo disse...

China? Precisamos falar do Brasil e desse esquema de compra de votos que é o Bolsa Família

Anônimo disse...

Anon 14:23

Qual é a diferença dos que vendem seu voto por bolsa-familia pros que vendem por um cargo de confiança?

Anônimo disse...

O bolsa família é importante pra muita gente, mais que 50% dos usuários trabalham.E mais torna obrigação os pais colocarem as crianças na escola .Se pra vc nunca faltou comida ou não precisou trabalhar desde os 6 anos e por isso abandonou a escola, sorte sua, ainda é uma realidade que precisa ser modificada.Seu hipócrita egoísta.

Anônimo disse...

Anon 13:53
Vc que trabalhou em uma vara de infância conhece bem essa realidade, é preciso haver sim um planejamento familiar, O que mais nós vemos são crianças criadas em lares sem nenhuma estrutura, oriundas de mães solteiras , crianças sem o mínimo futuro, basta ver um dia do casos de família no SBT e vc verá o que são lares desequilibrados.
P.s . Esse papo de criminalidade aliada a pobreza pode até existir, mas a MAIORIA dos bandidos jovens nunca passaram fome, nunca trabalharam e levam uma vida superior a condição financeira de seus pais, roubam para luxar e ostentar, vide o caso daquele menor que foi preso no arrastão nov rio e disse que roubava por prazer.
P.s 2: esse papo de aiiinn eu era pobre e sem orientação e por isso engravidei não cola, qualquer adulto, pode morar em Nova York ou em uma tribo no Pacífico Sul sabe que fazer sexo faz filhos

Anônimo disse...

Concordo que a mulher tem que cuidar para não engravidar, mas o problema é que a sociedade dá essa responsabilidade SÓ para a ela. Ninguém faz filho com sozinha, camisinha é de graça, e quem sofre mais quando o pai não assume a paternidade é o filho, não a mãe. A mãe sofre preconceitos, mas muitas conseguem tocar a vida, enquanto que o filho vai ter que passar o resto da vida com o estigma de não ter conhecido o que era para ter sido o homem mais importante na sua história. Não se importar com o isso é um atestado de psicopatia dos homens que abandonam.

A sorte é que hoje pensão alimentícia dá cadeia, só assim houve conscientização maior por parte dos homens (principalmente os mais ricos) que camisinha é algo necessário. Menos filhos não-planejados.

Ainda assim, não resolveu o problema, já que tem muito "pai" que só paga a pensão e trata o filho como uma "coisa", um monstrengo que a mãe fez para arrancar dinheiro. Agora, existe o projeto de lei para que abandono afetivo se torne crime e dê cadeia, com certeza. Talvez assim os homens passem a pensar 20 vezes antes de dizer que não querem camisinha tb.

Anônimo disse...

#primeiroassedio
tá rolando essa tag no twitter quem quiser vai lá.

Rafael Cherem disse...

Mais um tema tratado com amadorismo no Brasil, sem nenhuma politica de Estado capaz de dar conta, planejamento familiar aqui é questão que se empurra com a barriga, entra governo, sai governo, e só vemos discurso quando muito.

Alana disse...

Quanta merda num comentário só, Danilo.

E da sua filha hipotética cuidará sua esposa hipotética, né? Cê vai ficar mesmo é com o ku no sofá vendo futebol, uh? Sem coragem nem pra lavar uma colher... machinhos de bosta acham que mulheres devem ser seus capachos.

Pai também tem responsabilidades com os filhos, fugindo delas ou não. Mulher não tem filho por partenogênese.

Zero disse...

sim, essa tag tá rolando, já foi criada uma de "contra-argumento" falando em "meu primeiro fora", porque claro, tomar toco e assedio sexual é a mesma coisa... ¬¬

já aproveitei e ironizei os panacas via twitter (até agora ninguém me encheu o saco) XD

Zero disse...

claro, toda feminista protesta por um pão com mortadela, nenhuma é tão esperta quanto os coxinhas que fazem micareta CBF de graça mesmo. esses são os caras.. XD

Zero disse...

engraçado isso, esses mesmos caras adoram falar em "histeria feminina", mas tão sempre chorando por tudo.

não quero desvirtuar o post, só quis relatar isso, que é no mínimo curioso....

Alana disse...

Zero, você não havia dado adeus ao blog? Fiquei sem vir aqui por uns dias e agora me deparo com comentários seus. O que o fez mudar de decisão? :)

Anônimo disse...

O Zero é legal.

Mila disse...

Concordo com cada palavra sua, Sara. Entendo que a política do filho único foi necessária para conter o boom populacional e planejar melhor os recursos, o que não isenta essa política de críticas em relação ao aborto seletivo. Porém, na Índia, onde não existe a política do filho único, meninas continuam sendo abortadas. A meu ver, nos dois prevalece uma questão cultural que já foi explicada no post.
Há interpretações equivocadas (inclusive aqui no Brasil) que evitar falar de educação sexual fará automaticamente com que as pessoas tenham menos interesse, coisa que só os conservadores acreditam. Quando a ignorância impera, não é raro vermos casos de crianças criadas com negligência.

Anônimo disse...

Uma coisa me chama atenção quando se fala da política do filho único - todo mundo se arranca os cabelos por causa dela. Há pressões internacionais para erradica-la. Fala-se no direito humano básico de se constituir família. Como falei anteriormente, e foi publicado nesse post de hoje - foi algo horrendo?Foi!!! Foi incompetência ter deixado chegar ao ponto que chegou?? Sem dúvida...
Mas eu sonho com o dia que gravidezes compulsórias e o mito do amor materno seja tratado com a mesma ojeriza, que causa tanta repulsa quanto essa política.

Quando se trata de ter filhos, mesmo que você não tem competência nem pra criar um musgo, a casa cai. Quando a maternidade é empurrada goela abaixo e mães são praticamente escravizadas pela família e sociedade (as vezes até pelo feminismo), todo mundo faz cara de paisagem...


Jane Doe

Zero disse...

aviso de antemão, não descarto a possibilidade desses comentários em meu favor serem trollagem, pra depois vir com "não é sobre vc"... (talvez até da mesma pessoa ou tentar com que me xinguem de novo).

só responderei uma vez. aparecerei esporadicamente quando tiver algo relativamente interessante pra opinar ou compartilhar. só. não desvirtuarei o post. obrigado.

Leh disse...

OFF

Gente, viram aquele caso da Valentina? Que nojo que nojo que nojo

Anônimo disse...

eu sou a Anon das 13:18...

eu, em momento algum, incluí mae solteiras como lares desestruturados. Pelo contrário, todas as pessoas que eu conheço que foram criadas por maes solteiras são pessoas de bem e equilibradas. Porque essas mães foram pessoas estruturadas e equilibradas.

Alias, eu nao entendo (e me desculpem a ignorancia, se alguem souber, me explique) porque toda vez que se fala em lares desestruturados citam "mães solteiras" ou "crianças criadas pelos avós".

Entao...uma mulher nao pode adotar sozinha ? ou fazer uma inseminação artificial utilizando banco de esperma ? e nao poderia ficar viúva ?

Como já disse, todos os casos (do meu meio) que as maes criaram seus filhos sozinhos, elas colheram otimos frutos. E nao sei pq esse paga-pau pra homem "ainnn..o filho precisa de um pai".... Se um dia eu engravidar e o omi sumir, mas nao vou mover um dedo pra procura-lo...pq é sinal que nao merece estar perto do meu filho mesmo.

Quanto aos avós, eu entendo que muitas crianças são deixadas com avós pq sao vistas como estorvos, ou pq o pai ou a mae parte pra um segundo casamento e nao quer levar filho de casamento anterior, etc... Mas tem filhos criados por avos pq os pais morreram, ou pq os pais se envolveram com drogas e os avós tomaram as providencias da criação antes da situação ficar pior, etc... conheci algumas crianças criadas por avós, e muitos avós deram um lar estruturada e muito amor aos seus netos, que sao gratos disso e sao pessoas boas.


Quando falo de lar desestruturado, muitos estao na tal "familia tradicional", que por tras das portas, batem nos filhos, pai alcoolatra bate na mulher na frente dos filhos, ou mãe alcoolatra ou drogada que bate nas crianças...
Ou lares que os pais vao pra trabalhar e deixam uma criança mais velha tomando conta de varios irmaos menores. (ainda que o pai ou mae seja sozinho. Sim, eu sinto pena. Mas mais pena ainda tenho da criança...ela deveria ter sido retirada e colocada em adoção ou familia substituta ou em abrigo pra ter uma infancia o mais parecida da normal, na minha opiniao).

E isso ocorre em todas as classes. Vide o caso do menino Bernardo... o menino foi procurar ajuda !!! e tentaram dar um chance pro pai ?! como é que pode ?! claro que todo mundo merece segunda chance...Mas qd se trata de criança. A prioridade tem que ser a criança. Naquele caso nao era caso de segunda chance nao (na minha opiniao)...era pra priorizar o menino.


Daí as pessoas chegam criticando meritocracia e falando em oportunidades iguais...
que oportunidade igual vai ter uma criança que é espancada diariamente dentro de casa ?
que oportunidade igual vai ter uma criança que tem que cuidar da mae alcoolatra ?
que oportunidade igual tem uma criança que vive num inferno tendo que intervir em agressoes do pai contra a mae ?
que oportunidade igual tem a criança que tem que cuidar de 3, 4, 5 irmaos menores ?
que oportunidade igual tem a criança que é tratada como um estorvo pelos seus pais ?
que oportunidade igual tem a criança que nao recebe carinho, saúde, educação, higiene...por seus pais estao imerso em vícios ?

Claro que existe uma crítica a meritocracia ! Mas qd tentam criar medidas pra diminuir a desigualdade...que medidas chegam até essas crianças ?
Pq mais dinheiro que tenha os pais, nada vai compensar essa falta de amor. E eu nao vejo grandes mudanças nisso nao.

E o que será feito pra que essas crianças tenham oportunidades igual ?
E mais uma vez, por favor, nao falem que a resposta simplista seja o aborto, pq muitas dessas crianças podem ter sido desejadas.

Anônimo disse...

Em relação ao bolsa família, é claro que muitas pessoas realmente precisam do programa, principalmente em cidades pobres do interior, porém o que não falta é marmanjo forte que nem um rinoceronte em fila da caixa econômica.
Mês passado eu discuti com um casal de jovens estilo rolezinho que ficou revoltadinho porque um portador de necessidade especial foi atendido na frente deles conforme a lei, detalhe o deficiente estava pagando sua conta de luz no seu horário de almoço, e estava com um uniforme de mercadinho local ele trabalha.
Não seremos ingênuos em não aceitar que o programa é usado para fins eleitorais, apesar de muitas pessoas realmente precisarem

Anônimo disse...

Resumindo,50% dos jovens que entram no crime são filhos de mães solteiras....

Anônimo disse...

Na década de 50 milhares de pessoas morriam de fome na China e em Changai caminhões da prefeitura recolhiam os cadáveres como se fossem lixo.Os Est.Unidos e seus aliados europeus não foram lá emprestar dinheiro porque não tinham como ter de volta com juros .A revolução maoísta estabeleceu regras duras a todas as pessoas como passar um mês por ano no campo para plantar alimentos independente de que profissão tivesse.Na década de 60 os americanos lideraram um bloqueio à China igual ao que fizeram com Cuba. Ninguém podia vender nada aos chineses sem pedir permissão aos americanos.As pessoas ou comiam vegetais ou morriam de fome.Eles não tinham rebanhos de gado e frango era pouco para todos dai a pratica cada vez maior do consumo de escorpiões.cachorros.gatos.ratos....isto é sobrevivencia. Mas frequentemente vejo criticas a China por isto.Chamam os chineses de porcos etc.O governo de Mao estabeleceu um único modelo de roupa para todos.Era uma calca tipo capri e uma blusa que maio parecia um saco com um buraco.Todos usavam o mesmo traje inclusive os governantes.Assim eles conseguiram com disciplina se educarem e com a ajuda da União Soviética que transferiu tecnologia de aviões.foguetes e bom as atômicas eles tornaram-se uma potencia amedrontando o ocidente.A partir da década de 80 começou uma pressão americana para eles abrirem as portas ao capitalismo ocidental.Na verdade estavam de olho na mao de obra de boa qualidade e barata.Os chineses abriram as portas .as o premiê. chines advertiu que a China não se deixaria usar apenas eles copiariam e reproduziriam tudo o que o ocidente fabricasse lá...estão errados?Olha...comunismo...capitalismo....esquerda....direita....isto não existe....mas existem apenas jogo de interesses.É como machismo e feminismo.Se VC escreve algo que as mulheres não gostam a Lola apaga. Ass.Homem60

Anônimo disse...

"Eu não consigo vislumbrar algo mais eficiente e mais definitivo para manter uma mulher no seu 'devido lugar' do que a maternidade"

Perfeita, eu sempre disse que esta besteirada de instinto materno e o maior calcanhar de Aquiles do feminismo. Desconstruir isto e essencial para uma sociedade melhor para as mulheres.

Anônimo disse...

Gente,viram aquela MULHER presa em santa fé do sul que abusava e enviava fotos da filha de 12 anos e da neta de 5 para uma rede de pedofilia??? Inclusive vendeu a virgindade da própria filha? Que nojo,que nojo,que nojo a própria mãe que é mulher fazer isso!!!

Anônimo disse...

Lá em cima li alguem questionar que na China se aprende biologia nas escolas mas não se fala de sexo...acho certo.Fui certa vez numa reunião da escola de minha filha e a diretora falou que as meninas e os meninos estavam transando nos banheiros e nas dependências da escola.Um dos focos dos movimentos feministas brasileiros das décadas de 70 e 80 era a liberação sexual.A globo na década de 90 fazia propaganda estimulando sexo seguro com o uso de camisinha.Hoje moro numa "comunidade" leia-se favela de tijolos...onde todas as semanas tem baile funk..onde o PCC dissemina o consumo de drogas .Meninas e meninos fumam maconha abertamente durante o dia.A conversa e o sonho dos meninos é assaltar e derrubar um helicóptero da policia.Ai o governo obriga todas as crianças freqüentarem a mesma escola e na mesma sala de aula onde uma criança criada dentro de regras "antigas" tem que conviver com a presença e influência de outros que com 8 anos já entram no supermercados próximo para furtar coisas.Alem de menores andarem de moto pra. cima e pra baixo treinando direção perigosa para futuros assaltos.Por coisas assim que não acredito em democracia e preferiria o regime militar. Ah! Vcs perguntaram por que não chamamos a policia....outra madrugada liguei dez vezes para a policia não veio uma viatura e não fui o únicos ligar.O prefeito de São Paulo e Guarulhos....ambos do Pt são tolerantes com o funk que consideram "cultural"mas na verdade o Pt da cobertura a pratica do trafico quando não o com ate comprando assim o voto do pobre deixando-o fazer o que não presta desde que tenha o voto dele. As.Homem60

Anônimo disse...

Pessoas , vocês virão que a Finlândia vai abrir um programa parecido com o bolsa família, mas que vai ser para TODA a população. Tipo um salário que o governo vai repassar para toda nação.
Muito interessante.

Voltando a questão da Valentina. Pelo que li, pelo menos os pais estão a protegendo deste tipo de contanto. Mas é realmente assustador. Outra coisa, muitos estão alegando que nem é pedofilia, que pelo fato dela já ter 12 anos, é algo completamente " natural".

Estamos em sociedade sem empatia e doente. Que venha o meteoro.

André disse...

16:34,

Concordo. Muita feminista e pouca saúde, os males do Brasil são.

Anônimo disse...


Jinx

Poha Anônimo tinha que vir com sua babaquice, ignorância e misoginia demonizar as mães solteiras?! PQP!!!
Onde vc viu esta estatística? No seu cérebro de merda que deu esses dados?

E os(as) filhos(as) de PAIS solteiros? Onde que entram? Ou é aquela ladainha nojenta "pai solteiro herói, mãe solteira vadia?!

Que eu saiba não há estatística sobre famílias de onde criminosos saíram, mas o que mais vemos são filhos de famílias tradicionais, com pai, mãe, irmãos e cachorros, cometendo tudo que é tipo de crime, boa parte crimes hediondos.
Enfia seu preconceito contra mães solteiras no teu rabo!

Anônimo disse...

São as feministas que estupram, as feministas que batem nas esposas, as feministas que abandonam os filhos pra caçar mulher. As feministas também que tem O MAIOR número de abusos de crianças e adolescentes.
Fora quando estas feministas ficam cuidando do corpo do homem, impondo condições sobre ele.

Aw van plantar batata por favor... Os melhores países para se viver, tem no como uma das características um caminho de igualdade dos sexos MUITO maior que a nossa.

Quer viver no Sudão, vai sozinho.

Anônimo disse...

Meu povo, meu texto foi todo para criticar pais que abandonam os filhos, e não para demonizar mães solteiras. Parem de procurar cabelo em ovo, eu mesma disse no texto que a maioria das pessoas criadas em lares assim não viram criminosas. Leiam novamente.
E eu trabalhei em uma Vara da Infância e da Juventude, falo pelos B.O.s que EU VI, eu via os RGs/certidões de nascimento dos infratores. Não estou dizendo que isso é um dado oficial, eu mesma disse que foi segundo o que eu vi, larguem de ver coisa que não existe.
Olhem, eu simpatizo muitas ideias do Feminismo, mas às vezes eu não entendo vocês. Eu fiz um texto criticando pais que largam seus filhos (SIM, O SENTIDO FOI ESSE, E NÃO É A SUA PARANÓIA OU SUA FALTA DE VONTADE DE RELER O TEXTO QUE VAI FAZER ISSO SER DIFERENTE), e vocês não gostam, mas se eu fizesse um que amenizasse essa situação, vocês iam dizer que eu estava sendo machista também, contribuindo para uma cultura que diz que só a mãe é quem tem dever de cuidar do filho, e o pai pode sair curtindo a vida. Decidam-se.

Anônimo disse...

Anon das 17:10

eu entendi que vc nao demonizou as mais solteiras, e sim os pais que abandonam os filhos.

Mas eu nao entendi o resto do que vc quis dizer...
vc acha que faltou um "pai" na vida desses jovens ? que isso evitaria o crime ? ou vc só quis comentar o quanto tem gente que nao tem um pai na certidao ?

Pq eu nao consigo entender a relação da falta de um dos genitores com a criminalidade. Entendo a relação de um lar sem amor, um lar abusivo, com maltratos, abusos, etc...

Mas acho que um dos genitores dá conta do recado.

É spo achismo (e baseado nas pessoas que eu conheço), nao tem nada de cientifico nisso.

E, a nao ser que eu precisasse do dinheiro da pensao, eu J-A-M-A-I-S iria correr atras da pessoa pra registrar o meu filho. Voce ter que brigar na justiça pro cara reconhecer o filho, ou pro cara pagar a pensao, etc... pra mim, já indica que esse tipo de homem nao merece conviver com o meu filho.

E, quanto mais falam "mimimi o pai sumiu" , "mimimi coitadinha da criança sem pai", isso é dar mais lenha pros "apoiadores da familia tradicional"

Anônimo disse...

Acontece que esse argumento de que infratores são filhos de mães solteiras serve pra culpabilizar mulheres, porque como sempre jogam a falta de responsabilidade dos pais nas costas das mulheres. Ou você é ingênuo ou tá se fazendo de sonso.

E não podemos esquecer que a maioria dos infratores são meninos também.

É mais do mesmo. Culpabilização das mulheres pelas merdas que homens fazem desde Eva.

Anônimo disse...

Aham...pq casar meninas de 10 anos, com caras de 60. É muito saudável e faz bem a população. Veja o AFEGANISTÃO que exemplo de país desenvolvido. Vocês são tão ridículos que dá pena.Ainda bem que só uma parte e bem pequena dos homens não involuiu, pq se todos fossem iguais a vocês, estariamos na idade da pedra.

Anônimo disse...

Olha a generalização babaca das 18:56!!

NUNCA me indicar envolvi com bandido(no máximo com um machista do qual já larguei!) e se me envolvesse sem saber com um, fugiria pra bem longe dele!
Mas já que quer generalizar, me conte como sua mãe engravidou do marginal do seu pai gerar um traste como você.

Vicky_ disse...

Quanto a Finlândia, na verdade, já havia algo semelhante ao bolsa família, toda criança, desde o nascimento, recebia certa quantia do governo(outros países da Europa aplicam benefício semelhante). Mas sabe, né, lá é "país desenvolvimento", aqui é "armadilha do PT", "mulherada que só quer parir", "moleques vagabundos".

Aos inúteis, façam vasectomia, e usem papel higiênico ao invés de lenços, por que vocês falam muita merda.

Anônimo disse...

Gente, se a gente questiona a lógica capitalista, porque aceita como natural a afirmação de que ter filho desempodera as mulheres? Isso só acontece nessa lógica.

Jay

Anônimo disse...

Ah, antes que falem sobre a China, isso está longe de ser comunismo, é um capitalismo de estado. E não, não sou comunista, apenas questiono que o valor de uma pessoa seja medido em termos do dinheiro que pode ganhar. Independência financeira é importante, mas empoderamento vai muito além disso.

Jay

Anônimo disse...

Levanta a mão quem aqui vai desistir do feminosmo porque o bebêzão mascu das 19:28 fez birra.



......................




...................


Cri cri cri cri


É, foi exatamente o que eu pensei (posicionando o galão de male tears).

fernanda melo disse...

E filhos de paid irresponsaveis e criminosos ima vez que a Mae solteira nao fez o filho sozinha. Quer dizer por culpa se Homens que abandonam os filhos.

fernanda melo disse...

Isso mesmo. Homens que abandonam os proprios filhos so podem ser psicopatas. E ainda querem dar licao de moral nas Mulheres que fazem a parts deles e a delas criando os filhos sozinha. E outra tem muito filho de mae solteira que vai muito bem na escola. E na vida

J.M. disse...

Ui, o menininho está sendo vítima de ad hominem. Vem aqui com a "teoria" incrível de que mulheres tem "raciocínio lento" e reclama de ad hominem. Que coisa linda. Vai procurar tratamento psiquiátrico, mascuzão lixo. Quem sabe você ainda tem recuperação.

fernanda melo disse...

Sem desvirtuar o post mas essa historia da Valentina me fez lebrar o post da lola sobre o livro Lolita. Tem uma hora que ela fala que há algo errado na masculinidade quando se normaliza esse desejo por meninas tão jovens. E eu super concordo. É mais uma forma de garantir a submissão esse desejo doente por meninas inocentes e virgens. Todas nos sabemos que ais dizer anos a maioria não estava ne ai pra homem barbado

fernanda melo disse...

*aos doze anos

Daiane Moreira disse...

Hahaha! Olha só o que temos aqui gente, um anônimo com raciocínio acelerado que tem o domínio do saber sobre o sentido da vida. Ooooh! Será possível que ele ainda não ganhou um nobel? Só nos resta abaixar a cabeça e servirmos a ele, claro. Afinal, olhem só os comentários dele, tão embasados, tão cheios de sabedoria... Afinal anônimo, quais são mesmo os estudos indexados em revistas científicas, que comprovam esses teus comentários mesmo? Porque não vi você citando nenhum. Ou será que você não fez isso porque... Não existem?

J.M. disse...

Não, Sr. Mascu de Respeito. Não é a vida pessoal das comentaristas que interessa aqui. Apresente os estudos de instituições renomadas pelos quais você fundamenta seus comentários de tamanha sapiência. Isso sim seria interessante. Vai lá, grande mestre!

Anônimo disse...

será que a esposa desse cara sabe o que ele pensa das mulheres ? e como continua com ele assim ???


quanto ao raciocinio lento.... ahhhhhhhh meu querido...só pra rir mesmo !!! eu sempre fui super inteligente !!! assim como varias mulheres da minha familia ! você é do mensa??? pois se nao é, há váriasssss mulheres lá.... todas na sua frenteee....

Anônimo disse...

Lola, voltando ao assunto da menina valentina, algumas meninas fizeram um twitter #meu primeiro abuso, realmente estarrecedor.Lembrei do meu abuso e chorei muito, muitas declarações assustadoras. Porém o assunto que queria debater é a questão que os caras colocaram #meu primeiro fora, e algumas sub celebridades fizeram chacotas delas..muito horrivel.

Anônimo disse...

A hash é #meuprimeiroassédio
E a Lola já está ciente, vi comentários no twitter dela.

Anônimo disse...

Eu não saquei o comentário do anon como culpabilização das mães solteiras. Na boa, por mais que o pai seja um fdp, saber que foi abandonado pelo pai mexe muito com a autoestima de uma criança, que por vezes não tem discernimento para entender a situação.
Sobre os irmãos maiores cuidando dos menores, a maior parte das vezes é responsabilidade da menina. É triste, mas não é culpa dos pais. Se tivéssemos mais escolas de período integral e creches, não teríamos tantas mães recentes desempregadas ou pagando alguém "para olhar o filho".

fernanda melo disse...

Mexe mesmo essa coisa do abandono. É uma rejeição e existem estudos que dizem que a rejeição doi como uma dor física. Minha filha mais velha ha anos não vê o pai. Ela sente muito. Eu penso que talvez leva la onde ele mora pode ser uma decepção bem maior. Ele sabe onde encontra la mas não tem interesse então não posso forcar. Mas é barra

Sófia disse...

Concordo com vc Fernanda Melo, rejeição é barra mesmo. Tenho uma amiga que conhecia o pai, ele morava na mesma rua que ela, todo mundo sabia quem ele era, mas ele não reconhecia ela como filha. Foram anos sem ele trocar uma palavra sequer com ela, sem nem ao menos ir la e dar um parabéns pelo aniversário, ou preocupar pq ela estava doente, e eles passavam um do lado do outro o tempo todo....Depois de muito tempo, hoje com ela mais velha ele esta tentando reconciliar, mas ela não quer nem saber mais...Ela trata o avô como pai e pronto, e diz não ter outro. Pai nem sempre é o biológico, a relação entre pais, filhos, família é mais uma coisa afetiva mesmo, e tem a ver com o vínculo de amor, de cuidado que foi construído entre as pessoas.



Anônimo disse...

A questão é a figura da autoridade,que muitas vezes fica com o pai e é o colocador de limites.Muitas mães são permissivas demais e isso é prejudicial aos filho(a),que acaba por não querer seguir ordens e muito menos as autoridades e não sabem ter limites.

Anônimo disse...

Muitos garotos que não tem pai e foram só criados por mãe e avó,procuram sim um homem para se espelhar,sentem muita falta e muitos não sabem lidar com abandono/rejeição.

Anônimo disse...

Falar sobre alienação parental e as mulheres cque dificultam o contato dos filhos com os pais, ninguém quer né?

fernanda melo disse...

Os caras tem essa mania de procurar os filhos depois de adultos por que ai já se livraram da pensão. Alienancao parental existe sim mas abandono por parte do pai é muito mais frequente. A sociedade tanto apoia isso que o que mais tem é homem que some devendo pensão ou vira autonomo com muitas aspas pra poder pagar so o minimo

Carol Pirlo disse...

Oi Lola, vc escreveu ou tem guardado um guest post sobre a proibição da pílula do dia seguinte pela CCJ? Já que ultimamente temos falado bastante sobre políticas de controle de natalidade, aborto etc, seria interessante comentarmos (e vermos como podemos combater) esse mais recente retrocesso, essa tomada de direitos duramente adquiridos pelas mulheres.

Anônimo disse...

Fala aí, anônimo das 10:16. A Lola sempre deixa a caixa de comentários livre para as pessoas terem as discussões e ideias que quiserem, desde, claro, que elas conversem como adultas e não fiquem de birrinha e xingamentos à toa.

Vc sabe que alienação parental não é só da mãe que quer se vingar do pai? Há muitos casos que o pai, inconformado com o fim do relacionamento, usa o filho (cuja guarda normalmente fica com a mãe) para atazanar a vida da ex-companheira, principalmente se ela estiver em um relacionamento novo.

Anônimo disse...

(Viviane)
Pior, Fernanda, muitas vezes contando com a conivência dos patrões, que fazem "acordo" para continuar pagando o salário e dão baixa "fictícia" na CTPS para o empregado poder "provar" ao juiz que esta desempregado...

fernanda melo disse...

Af isso são seres de péssima qualidade

Anônimo disse...

"Eu sou mae de duas meninas e não me sinto nem um pouquinho desempoderada nao"

Se você é uma mulher com filhos e trabalha fora como empregada, patrão já pensa 2x antes de contratar alguém porque "mulher falta, mulher leva filho ao médico" (pai não né) e mulher engravida e fica de licença-maternidade depois.

Então entre contratar um homem e uma mulher nas mesmas capacidades, o homem leva vantagem na contratação por esse motivo.

Se você tem filhos e vive em uma relação abusiva, é muito mais difícil sair dela do que nulípara. Seja por questões financeiras, seja porque pai da criança é pra sempre então você vai acabar tendo algum nível de envolvimento com a criatura pelo resto da vida, seja pela sociedade te falando que tudo bem não ser um bom marido desde que não "deixe faltar nada em casa" (e isso por si só já é considerado um bom pai, a exigência para as mulheres são infinitamente maiores). E nem vou entrar aqui na história da pensão alimentícia.

"Pai solteiro" é herói, "mãe solteira" é......... sabemos o que.

É muito mais comum uma mulher assumir os filhos que um homem teve de outro relacionamento que o contrário.

Dei só uns exemplos mais simples mas poderia alongar e aprofundar bem mais.

Se você não se sente desempoderada, que bom. Entretanto, dentro de uma sociedade machista, patriarcal, que usa qualquer argumento para diminuir mulheres apenas por terem nascido do sexo feminino independente de suas capacidades como indivíduo, ter filho geralmente é um péssimo negócio para a mulher e sua maior fonte de desempoderamento.

Anônimo disse...

Nas mulheres é incutida uma verdadeira neurose procriativa desde cedo, nos homens não. Ninguém fica enfiando na cabeça de menino que o objetivo da vida dele é ser pai. Se o desempoderamento feminino ao ter filhos não ficou claro até agora, deixo mais essa contribuição.

Anônimo disse...

"É muito mais comum uma mulher assumir os filhos que um homem teve de outro relacionamento que o contrário."

Claro que é, os filhos do outro relacionamento nem moram com ele.

Anônimo disse...

Claro que uma criança que perdeu o pai vai sentir falta dele (principalmente se ele foi um bom pai), ou uma criança que teve um bom pai até o divorcio (daí o pai fez outra familia e esqueceu do filho do primeiro casamento) tb vai sentir falta. Isso é bem lógico.

Mas estou falando de crianças que NUNCA tiveram ou NUNCA conheceram seus pais. Como sentir falta de algo que nunca tivemos ?

E nesse exemplo, cito filhos de mulheres que adotaram sozinha, ou fizeram produção independente, ou mulheres que o pai da criança sumiu antes mesmo da criança nascer. Se a mae da conta do recado ( e nao fica reclamando do pai que sumiu) ...como que a criança vai sentir falta ?


Minha "amostragem" é pequena, mas todas as crianças que conheci nessa situação (e que hj sao adolescentes ou adultos da minha idade) me parecem pessoas bem resolvidas e nunca reclamaram dessa ausencia, pelo menos nao pra mim. Algumas, eu percebi, tiveram um vô, um tio ou um namorado da mae como referencia masculina. Mas outras cresceram sem esse referencial, e me parecem adultos bem resolvidos.

Pra mim, uma pessoa só dá conta de criar os filhos, a outra se torna dispensável. Claro que é útil na parte financeira e logistica (levar na escola, revezar quem vai levar nas atividades, preparar comida , etc) e tb é uma garantia, caso um morra. Mas nao é algo vital nao. Nem perto disso.

fernanda melo disse...

Eu sou a mãe solteira que é exatamente aquilo que dizem. Mas consegui provar atravez do meu bom trabalho que sou muito produtiva sim. Existe muita injustiça com relação as tarefas e sim a mulher sempre trabalha mais independente de ser casada ou não. O que penso disso é que é possível ser mae e mae solteira de duas filhas como eu e ainda ser dona de si. Claro que tenho que me impor. Mas tenho conseguido progressos. O que mais me irrita de tudo é quando a sociedade quer me dizer que sou infeliz por não ter marido. Eu tento me esquivar dessas neuras. Mas posso garantir que nos mulheres somos capazes de coisas inimaginaveis em relação a esses homens preguicosos

Anônimo disse...

Quer dizer então que por ser mais difícil lidar com algumas situações ou ser mais comum sofrer algum tipo de preconceito tendo filhos,isso é desempoderador?

Ok, então vamos assumir que o branqueamento do Michael Jackson foi empoderador e recomendar a todos os negros em vez de lutar por uma sociedade mais justa. Vamos chamá-los desempoderados.

Em vez de lutar contra os privilégios, ou a favor de uma democratização deles, vamos diminuir as mulheres que têm filhos. Lógica, cadê?

Como feminista, eu desejo que as mulheres que não desejam filhos sejam respeitadas em suas decisões e tenham acesso a métodos contraceptivos e aborto legal e seguro em um sistema de saúde decente, apoio para sair de situações abusivas e todo o resto. Como feminista, eu desejo que as mulheres que desejam filhos também tenham acesso a um sistema de saúde decente, licença maternidade adequada, creches e escolas, apoio para sair de situações abusivas tanto quanto as outras, e sejam respeitadas em suas decisões.

Desconstruir o mito do amor materno, muitas vezes, descamba em dizer que estão todas as mães iludidas quando pensam que amam os filhos, são umas coitadas iludidas pela ação dos hormônios do pós parto. Sério mesmo, gente? Pra desconstruir algo que causa sofrimento a tanta gente é necessário vitimar outras mulheres?

Deixa contar um segredinho: muitas mulheres se sentem empoderadas pela maternidade. Não pelo ato de parir, mas por aprenderem a dizer não e a protagonizarem suas vidas e tomarem suas decisões. Fui uma dessas. Antes, podia estar em relação abusiva ou sofrer preconceito no trabalho e não lutava pra mudar isso. Depois dos filhos isso mudou. Muita coisa pode ser difícil com filhos, mas essa consciência e esse empoderamento estão aí.

O tipo de feminismo que exclui as mulheres mães (ou as não mães) não me representa.

Jay

Anônimo disse...

Aliás, fiquei bem triste quando vi que o post de dia das crianças foi sobre animais. Eu adoro animais, mas poxa, tem o ECA, crianças são minoria quando se trata de direitos humanos, tem tanta coisa pra se falar sobre, mesmo sem ter filhos, não precisa nem achar crianças fofinhas ou por fotinhas. Muita gente faria um bom guest se o problema foi falta de tempo.

Jay

fernanda melo disse...

Ser mae é dez. Eu amo

Náy disse...

Assino embaixo a tudo que a Jay disse!Parabéns,você é muito guerreira!E o que mais vejo é mulher se empoderando através da maternidade SIM.Ela torna muitas mulheres fortes,principalmente quando se trata de mães solteiras.