quarta-feira, 26 de novembro de 2014

"FIZ CIRURGIA BARIÁTRICA E NÃO ESTOU BEM"

Relato da A.:

Primeiramente, gostaria de dizer o quanto admiro a sua luta no feminismo. E admiro mais ainda a sua humildade em rever seus conceitos e práticas e admitir que errou, como todos erramos muitas vezes, como vc fez no post "Praticamos nossos preconceitos contra quem?"
Vou deixar o meu relato, porque acredito que possa ajudar as pessoas que passaram ou pensam em passar pelo mesmo que eu passei.
Hoje eu tenho 23 anos e, há 8 meses, passei por uma cirurgia bariátrica.
Sempre fui gordinha. Venho de família italiana com mulheres muito obesas. Tenho só duas primas magras, consideradas as mais maravilhosas do mundo pela família, e sempre fui marginalizada e discriminada dentro da minha própria casa, comparada com essas primas e ridicularizada. Só os meus pais não tinham esse comportamento comigo e, por medo de me magoar, hoje vejo que foram até displicentes com a questão da minha obesidade.
Fato é que, aos 22 anos, depois de uma depressão severa e passando pela fase do TCC, cheguei aos 107 quilos. Para os meus 1,62m, estava MUITO acima do peso. Depois dos 17 anos, quando passei a viver sozinha em São Paulo, a obesidade deixou de ser uma grande questão pra mim, talvez por isso eu tenha engordado tanto. Hoje eu percebo que ainda era uma grande questão, mas que eu fazia questão de negar. Vivia bem, me aceitava bem, fingia não ouvir os xingamentos, não sentir o preconceito, mas isso só na superfície. Quando contei às minhas amigas que faria a cirurgia, elas ficaram chocadas e me dizem isso até hoje, porque elas me achavam a gordinha mais incrível do mundo, com a autoestima lá em cima, pegando os caras e etc. 
Bom, fiz a cirurgia e já eliminei 35 quilos, estou quase magra. Minha cirurgia correu muito bem, até os médicos ficaram impressionados. E eu estava muito ciente da minha decisão (demorei 2 anos pra decidir, de fato), então a cabeça estava boa. Passava bem, comia muito pouco e tranquilamente e não tinha grandes problemas. 
Fato é que, de dois meses pra cá, as coisas não estão tão tranquilas assim. Por fatores que ainda não sabemos se físicos ou psicológicos (grandes chances de que sejam psicológicos) passei a ter fortes dores sempre que como, nunca mais tive prazer em sentar pra comer, eliminei quase tudo do meu cardápio. Atualmente, a única coisa que me faz bem é sopa. Passei duas semanas sem comer praticamente nada. Andava emagrecendo 2 quilos por semana, desenvolvi uma anemia fortíssima e tenho que tomar remédio na veia por sete semanas, no hospital, mais injeções muito doloridas para tentar controlar. 
Na semana passada, por causa dos medicamentos, descobri que tinha ganhado 200 gramas, quase morri. Aí sim não queria comer. Sempre que alguém chega pra me fazer um elogio, respondo dizendo que "Não, imagina, ainda faltam 20 quilos". Dez extremamente desnecessários, segundo o meu médico. Meu maior medo é não atingir essa meta que eu mesma me impus, ser tachada como um fracasso por todo mundo, depois de ter feito tudo isso. Mas essa foi a única decisão na minha vida que eu tomei por mim, sem pensar em ninguém. Nesses últimos dias, tenho andado deprimida, a falta de comida faz abaixar as taxas de serotonina e todos os hormônios responsáveis por fazer com que a gente se sinta bem e feliz. Tenho um corpo ótimo, posso comprar todas as roupas que eu sempre quis e isso me deixa feliz.
Mas me entristece não poder apreciar um hambúrguer com os meus amigos no final de semana, me entristece vomitar no meio da rua por comer quatro macarrões e largar o prato todo na mesa, me entristecem as dores e a distorção que eu vejo no espelho. Meus amigos do interior vieram me visitar no final de semana e disseram que nunca me viram tão pra baixo. Isso é muito triste. Me entristece, principalmente, por ser feminista. Por passar a vida lutando contra o discurso machista dominante e no fim me ver tragada por ele. Me entristece continuar sendo tratada como lixo por homens machistas e por essa sociedade misógina.
No fim, o que eu queria dizer é que eu não me arrependo de ter tomado essa decisão por mim. Mas que nem tudo é mar de rosas. Queria dizer pra quem se sente bem com o seu corpo, sendo gordinha ou magrinha, que siga assim. Aos poucos, nós vamos quebrar esse paradigma. Nenhum direito de minoria é conquistado senão com muita luta e com muita lágrima, mas um dia vem.

Meus comentários: Querida A., acho que entendo o que você está sentindo. E creio que não é incomum com quem faz cirurgia de redução do estômago. Por um lado, é realmente muito tentador pra quem sempre foi gordx, pra quem já fez de tudo pra emagrecer, se submeter a uma cirurgia dessas e conseguir realmente perder peso. Por outro, toda a sua relação com a comida muda, e há riscos de óbito (entre 0,5% e 1%). Sem falar que há muitos casos em que a pessoa reganha o peso.
A última vez que fui ver minha gastro (que é muito boazinha, ao contrário da minha ginecologista; a gastro nunca me dá bronca ou faz previsões alarmistas), ela perguntou se eu gostaria de colocar uma banda gástrica (anel) durante uns seis meses. Eu respondi que não, que preferiria tentar emagrecer adotando hábitos mais saudáveis. Tenho o dobro da sua idade, A., e, infelizmente, agora a obesidade começou a pesar. Depois de décadas sem qualquer problema, agora estou com gordura no fígado, princípio de diabetes, e alguma restrição de mobilidade (subir e descer degraus de ônibus, por exemplo, é um sufoco). Esteticamente, já me acostumei a ser gorda. Mas tenho que emagrecer por causa da saúde. Sem neuroses, sem pressa. 
Tô tentando. Desde agosto, incorporei o tal suco verde a minha dieta. Todo dia eu faço um suco muito bom (maridão adora) no liquidificador, com montes de frutas e verduras. Não coo nem coloco açúcar ou adoçante. Pra quem não tomava café da manhã (meu caso), o suco está mudando meu pique. É uma refeição e me passa uma sensação de saciedade. Às vezes tenho uma recaída com chocolate (tipo essas duas últimas semanas), e ainda não estou me exercitando. Mas certamente me alimento melhor. 
Como não me peso, não tenho ideia se já emagreci ou não. O que me interessa é ver se minha taxa de glicose (que tinha passado pra 120 pela primeira vez na vida) baixou. Vou fazer novos exames de sangue em breve, e ficarei revoltadíssima se os índices não tiverem baixado. Putz, todo o chocolate que deixei de comer não causa alteração?
Enfim, euestou revoltada. Porque fui super saudável, apesar de gorda, durante grande parte da minha vida. E foi só ficar mais velhinha que, puf, surgiram vários problemas. O que eu queria era poder continuar comendo o que eu gosto, ser saudável como sempre fui, e viver até os 150 anos. Só! É pedir demais?
Boa sorte, A.! Não fique obcecada com seu peso. Ignore os homens machistas, e preocupe-se apenas com a sua saúde.

120 comentários:

FeministBlackGirl disse...

Tenho 1,75 de altura, cheguei na casa dos 120 kg. É estranho. Não me sinto feia, na verdade, tem quem goste e me ache um mulherão, mas basta um olhar torto para toda a confiança ir embora. É foda. Sou saudável, meus exames estão ótimos, mas o julgamento de pessoas que nem conheço pesa demais. Já me sugeriram fazer a redução de estômago algumas vezes, mas admito que tenho medo, até por ter acompanhado o drama de duas conhecidas que morreram (uma ainda no pós-cirúrgico e a outra poucos anos depois) em decorrência da cirurgia. De certa forma, parece que esse tipo de intervenção foi banalizada. É algo a se pensar. Sei que tenho a tendência genética para desenvolver hipertensão, pois meu pai toma remédio contínuo para controlar a dele desde os 40 anos. Mas a gente sempre espera conseguir chegar ao equilibro necessário com a mudança de hábitos, alimentação e atividade física. Prefiro acreditar (e buscar) essa reeducação, acho que ainda não sou um caso perdido...

Anônimo disse...

Tenho uma tia, médica! Que resolveu fazer a bariátrica e remover parte do intestino. Hoje em dia parece que os médicos têm várias restrições quanto a esse tipo de cirurgia, não sei.

Hoje ela tem comportamento compulsivo exatamente como antes, só não engorda porque, sem parte do intestino, ela não consegue absorver nada. E aí vem a parte escrota: ela não absorve nada, o que presta e o que não presta da mesma forma. Perdeu cabelo, ficou debilitada, e hoje precisa tomar vitamina injetável o tempo todo, mesmo tendo voltado a comer igualzinho ela comia quando era obesa. A saúde dela ficou uma porcaria.

Esse é um preço bom a se pagar? Eu não acredito nisso. É uma mutilação.


Ao mesmo tempo, sendo portadora de transtorno alimentar, se algum médico me oferecesse a bariátrica, eu juro que faria. Faça o que eu digo e não faça o que eu faço, pelo visto.

Anônimo disse...

Duas primas minhas (mãe e filha) fizeram "bariátrica". Coloquei entre aspas pois não sei se ambos os procedimentos são chamados de bariátrica.
Uma removeu parte do intestino e até hoje quando come açúcar ela passa mal, transpira muito. A outra (filha dela), colocou um anel que estrangula parte do estômago. Ela não podia comer vegetais folhosos porque corria risco deles agarrarem no espaço que for criado na porção "estrangulada".
Uma outra prima resolveu colocar um balão dentro do estômago. Passou muito mal, quase morreu, e teve que retirar às pressas.
Sempre que algum amigo gordinho me fala que vai fazer, eu já pergunto se não há outra alternativa com menos risco.
Morro de medo mesmo.

Danilo disse...

Quem tem força de vontade emagrece. Existem milhares de relatos à mostra na internet e em redes sociais como(Instagram) e próprias dicas de quem emagreceu drasticamente sem intervenção cirúrgica.


"Ignore-o os homens machistas"

Nunca reparou que nenhum homem "feminista" namora gordas? Eles ficam naquele lenga-lenga deles de ajudar no argumento feminista contra o padrão de beleza masculino opressor mas estes mesmos só querem as feministas "bonitinhas e magrinhas".

Anônimo disse...

(Perdão, não tem a ver com o relato, mas

"Enfim, eu já estou revoltada. Porque fui super saudável, apesar de gorda, durante grande parte da minha vida. E foi só ficar mais velhinha que, puf, surgiram vários problemas."

Ai meu deus, Lola! Vontade de te apertar! Que fofura! <3 <3)

Arnold Sincero disse...

Danilo mitou agora! kkkkk

Cadêem os feminstos nessas horas!? kkkkkkk


Lutam pelo fin da opresção do padrãun de beleza mas não pegan gordenhas!


kkkkkkkk

Alô alôooooooooo

Sawl aways the hysterica cadêem voce!?


Alô alôoooooo

Dolores!

Anônimo disse...

Minha mulher está acima do peso, e se constrange com isso, curiosamente meu desejo por ela é enorme, mas é difícil fazé-la acreditar, evita que eu a veja nua, fica encanada com algumas posições, é incrível essa pressão sobre as mulheres, nunca podem ser felizes, sempre tem um porém a incomodá-las.

Anônimo disse...

Eu sempre fui gorda e consequentemente vivo numa briga de autoestima com o espelho. Na maioria dos dias me acho linda, em outros me acho um desastre. Tenho 1,70 e peso 105kg. Meus seios são enormes e talvez isso seja o que mais me incomoda. De qualquer forma, tô me preparando para fazer o bypass intestinal agora em janeiro. Nele, parte do intestino é "desviada", criando um caminho mais curto pra comida passar, mas o intestino todo continua lá e é mantido saudável. Com isso a absorção de vitaminas continua. Vou fazer pq tenho 27 anos e tomo remédio contra hipertensão há 3 e não quero tomar pelo resto da minha vida. Além da diabetes ser sempre um enorme medo. Antes eu conseguia me exercitar, mesmo com o excesso de peso. Hoje meus tornozelos reclamam e tornam tudo impossível. E sim, com feminista minha maior chateação é em ser considerada "traidora" por emagrecer ao invés de aceitar o corpo que eu tenho. Mas ao mesmo tempo, não deveria o feminismo me incentivar a ter o corpo que eu quiser? Enfim, conflitos. Terapia para sempre. E só pra rebater outro comentário aí, meu namorado é pró-feminista (inclusive me acompanhando às marchas e eventos) me adora assim mesmo, gorda. Ama meu corpo, mas entende que a decisão é minha e vai me apoiar seja ela qual for. Isso de que homem feminista só namora magra é uma mentira sem tamanho. Beijos de amor pra vocês.

Anônimo disse...

Eu jamais diria para alguém fazer ou não a cirurgia. Falo apenas por mim.
Perdi 30 kg, com reeducação alimentar e exercícios. Demorou mais de um ano: em alguns meses, não perdi nada, mas nem por isso desisti. Tive paciência. E também um pouco de sorte por ter me adaptado à dieta da minha nutri.
Preciso perder mais uns 15 ou 20 kg, mas não sei se quero. Gosto de mim cheinha: sempre fui assim, acho que magra fico estranha.
Conheço pessoas que fizeram a bariátrica e estão ótimas; outras péssimas e algumas voltaram a engordar. Mas eu não julgo. Só quem passa pelo problema sabe o quanto é difícil perder peso.

Carol F. disse...

Teve uma época em que eu era super a favor dessa cirurgia porque li que a taxa de obesos que emagrece por conta própria e fica magro é baixíssima. Aí pensei: Então melhor operar, aí emagrece de qualquer jeito."
Tempos depois saíram outros estudos mostrando que depois a cirurgia as pessoas precisam de grupos de apoio, tipo AA ou vigilantes do peso. Primeiro porque muitos re-ganham peso, depois porque sem poder comer compulsivamente, muitos desenvolvem outros tipos de compulsão. Ainda, é comum que fiquem com problemas de saúde por falta de vitaminas. E nos últimos anos conheci pessoas que tinham feito a cirurgia e elas não conseguem ingerir comida e álcool normalmente, tem que comer super devagar para não regurgitar e ficam bêbadas com um gole de chopp. E fiquei um pouco abalada porque uma vez eu estava no trabalho e uma colega recebeu o telefonema de uma amiga cujo pai tinha acabado de morrer fazendo essa cirurgia. Bom, depois disso não sei se acho uma ideia muito boa. Acho que depende do caso. Mas recomendo a você fazer igual os americanos adoram, e encontrar um grupo de apoio. Mal não faz, e você vai poder conversar com pessoas que passaram por isso e melhoraram. E vai poder ajudar outras pessoas.

Jonas Klein disse...

O Lola, não leva a mal eu fugi do assunto post (nem li o texto), e que aqui tem um negocio que acho que vale apena você ler

http://noticias.terra.com.br/brasil/estatuto-da-familia-proibe-casais-gays-de-adotar-filhos,a4fcad3b1ece9410VgnVCM20000099cceb0aRCRD.html

Esse assunto acho que valeria um artigo a respeito, qualquer coisa a pode conta com o meu comentário.

Thomas disse...

O povo adora tentar pegar atalho, né. Esse tipo de cirurgia deveria ser restrita a pessoas com obesidade mórbida que precisam perder peso com urgência pra salvar a própria vida. Pra qualquer outra pessoa, ainda mais uma mina jovem como a do post, o correto é ir pra uma boa nutricionista, se matricular numa boa academia e ralar. Até porque você perde o peso de uma maneira menos drástica, então você não vai ficar com pelanca sobrando, você vai modelando seu corpo aos poucos.

E que bom que a Lola anda falando sobre os problemas de saúde que vem tendo. Que isso sirva de exemplo pra quem fica pregando o "saúde em qualquer peso". Uma hora seus hábitos escrotos vão te pegar e eu duvido que você não vá se arrepender do que fez quando isso acontecer.

Eu ia dar o exemplo da minha mãe, que é um pouco mais velha que a Lola e é atleta, corre várias vezes por semana, ganha algumas provas na faixa etária dela e nunca precisa se privar de comer os doces que ela adora (mas sem compulsão, ela não precisa comer chocolate todo santo dia), mas como tô de mau humor hoje serei mais chato e citarei um exemplo ainda mais drástico: minha vó.

A minha vó já tá lá depois dos 70 anos, é atleta também, corre toda semana, é magrinha, não aparenta a idade que tem e vai lá perguntar pra ela se degrau de ônibus ou de escada configuram algum desafio pra ela. Minha vó sobre degrau de ônibus num pulo só.

Pois é, minha família, no geral, é bem atlética. E eu posso dizer pra vocês que ninguém aqui se priva de comer nada. Comida saudável pode ser tão gostosa e prazerosa de se consumir quanto as lixarias que o povo geralmente consome. E quando a gente tem vontade de comer algo lixoso, podemos fazer isso sem problema algum porque a nossa rotina é saudável (apesar que eu, como ovo-lacto-vegetariano, naturalmente como menos besteira que o resto da minha família).

Carolina disse...

Sou nutricionista e trabalhei com uma equipe multidisciplinar. Trabalhávamos somente com obesidade.
Precisoooooo falar!!!
Quem pensa em fazer bariátrica, assista a esse documentário: https://www.youtube.com/watch?v=8o0pSnp0Xs8

É a forma + saudável, rápida e desintoxicante de emagrecer. Seria a mesma "idéia" da bariátrica (dar um impulso inicial de emagrecimento, obrigando a pessoa a escolher melhor o q ingere). Porém com uma VASTA, ABUNDANTE E À VONTADE de micronutrientes. Nao é preciso fazer este jejum por 60 dias como no documentário, se fizer 10 dias por mes, ou 2 vezes por semana, vc emagrecerá e mto!
Não tem porque o organismo continuar a manter a "reserva- gordura" quando se há abund^ncia de nutrientes.
Assistam! Um abraço

Kittsu disse...

"Quem tem força de vontade emagrece" é o caralho. É a maior mentira que já contada no que diz respeito a saúde e nutrição. Transfere aos indivíduos a culpa e responsabilidade por terem seguido protocolos médicos, nutricionais e até governamentais que são completamente incorretos, falidos e anti-científicos.
É IMPOSSIVEL ser saudável se entupindo de carboidratos todos os dias, ainda que você sobreviva de porçõezinhas famélicas. Quer emagrecer e ser saudável? corte da sua vida essa caralhada de pão, bolo, arroz, trigo, açucar. Não canso de falar das vantagens da dieta paleolítica de baixo carboidrato, coloquei até a minha mãe pra fazer essa dieta depois que o cardiologista veio prescrever MAIS um remédio, dessa vez por causa dos triglicérides a mais de 200. Os meus indicadores melhoraram, os do meu namorado, cunhada e todos os que conheço que vieram a seguir essa dieta.

Não morra de gastroplastia, dê uma chance à páleo! S2 S2 S2 =P
http://www.lowcarb-paleo.com.br
http://www.paleodiario.com/
http://paleoforwomen.com/

Mery disse...

O problema da moça só requer um bom tratamento psicológico e talvez psiquiátrico. Sorte dela que conseguiu eliminar tanto peso e agora terá uma vida mais saudável. O que eu acho engraçado é pessoa obesa se referir a si mesma como "gordinha". Gordinha é uma criança com bochechas fofinhas. Uma mulher acima do peso é gorda (sem diminutivo) ou obesa, quando está com um IMC muito alto.

rafa disse...

Off topic, mas gostaria de saber opnioes. Sou adolescente e, n sei se é só aqui na região, tem os rocks, que são festas geralmente na casa de alguem, cheios de bebidas e funk. Bom, eu nunca fui em muitos, por n motivos, mas sou uma pessoa mente aberta (senao n seria feminista), especialmente com relação a sexo e tudo mais. Mas n me sinto bem com a situaçao q vejo nesses rocks. Pq é basicamente assim, principalmente quando tem poucas pessoas: as meninas bebem muito, muito mesmo, bem antes da festa começar e ficam dançando sensualmente numa rodinha olhando pros caras, q nem ficam muito bebados, do outro lado do lugar. Aí alguma hora eles começam a se pegar e transam. Sabe, isso dos caras ficarem em volta das meninas esperando elas ficarem bebadas o suficiente n parece nem um pouco empoderador. Tem umas q nunca transaram sóbrias e acham sexo oral nelas nojento (?). Eu n sou as meninas santas e castas q consideram as outras putas q merecem o q acontece com elas, como também conheço várias, mas fico achando q pensando assin estou sendo conservadora e machista. Mas é q acho tão nojento os caras brincando com as meninas bêbadas como se fosse umas bonecas...

Dri Caldeira disse...

Sabem que ontem eu tive uma conversa com meu namorado muito séria? Ele tem farmácia e pedi pra ele me arrumar remédio pra emagrecer. Simplesmente pq ele tá doente, fazendo um tratamento brabo e emagreceu bastante. Eu pareço gigante perto dele. Aí ele me diz:
-Você tá ótima pra mim, mas se quer, vou te dar o remédio
- Eu tô muito gorda.
- Tá nada
- É mas vc não me compra roupas
- Mas eu gosto de vc pelada, amor.
A gordura tá na nossa cabeça. E a gostosura tb. Nunca deixei a gordura vencer, só a gostosura
:p

Taís disse...

Eu li esse texto há muito tempo e lembrei dele quando vi o depoimento da A.

http://www.mindbodygreen.com/0-15726/why-i-wasnt-happy-after-losing-more-than-150-pounds.html

Anônimo disse...

Vida fútil essa que somos obrigadas a viver, escravas de um padrão de aparência.

pra quem tiver estômago, a notícia do dia:
"a depilação vencida das famosas".

falta muito pra gente não precisar mais do feminismo.

Anônimo disse...

esqueci o link:
http://gente.ig.com.br/2014-11-05/grazi-massafera-exibe-depilacao-vencida-em-evento.html

Anônimo disse...

Eu estou abaixo do peso, eu não busquei isso, sempre fui assim, é genético. Eu sou razoavelmente saudável, sou bem nutrida, faço bastante exercício físico e me alimento bem (acho que o meu erro é comer muito chocolate). Mesmo assim me preocupo um pouco, acho que eu deveria engordar e procuro isso. Quando eu ganho peso tento ficar feliz. Quando alguém diz que eu engordei eu agradeço o elogio. Mas no fundo eu gosto de ser magra, eu gosto de receber os elogios por seguir o padrão. Eu tento, eu realmente me esforço, mas não fico feliz quando pessoas vêm me dizer que engordei. Conclusão: eu racionalmente quero engordar, mas emocionalmente não.

Paola disse...

Transfere aos indivíduos a culpa e responsabilidade por terem seguido protocolos médicos, nutricionais e até governamentais que são completamente incorretos, falidos e anti-científicos


kkkk Vitimismo até na hora de comer,puta merda kkkkkk
A sociedade oferece porcarias e come quem quer e também oferece as coisas saudáveis que todo mundo sabe quais são e mais uma vez ,come quem quer.

E essa dieta paleolítica,é só mais uma moda que garante salvar a vida de todos.
Não estou dizendo que n seja boa para algumas pessoas mas é sempre a mesma ladainha,se todos fizeram isso ficaram saudáveis,essa é a dieta que o ser humano deve seguir,como se todo mundo fosse igual.

Isso não serviria para mim,não gosto tanto de carne assim,acho absurdo excluirem até arroz,eu tenho alergia a alguns alimentos mas n sei se o problema é o gluten porque tem coisas que os celíacos podem comer,como batata e eu tenho alergia,mas tem gente que come coisas com gluten e não acontece nada.

Teve uma epóca que virei vegetariana,fiquei 5 meses sem carne nenhuma,ainda comendo porcarias como doces,bolos,sorvete,cheetos,raramente comia frutas e não sei como consegui comer legumes e verduras e meus exames de sangue nunca estiveram tão bons,falei ao médico que não comia carne,ele debochou mesmo vendo os resultados,voltei a comer carne e os exames voltaram a dar alterações.

Eu sempre comi besteiras porque quis,não porque me obrigaram,mimimi a sociedade cruel.
E quando eu consegui emagrecer,foi força de vontade sim,já que controlei a quantidade e as coisas que eu comia,tb comia porcaria mas era 1 vez por semana,agora não tenho controle nenhum e muito menos força de vontade e engordei,n sei para que negar a realidade.

Anônimo disse...

rafa

vcs feministas n tem mente aberta coisa nenhuma,pois basta ver uma mulher sendo liberal e servindo de objeto por livre e espontânea vontade para começarem com a choradeira de que ela provelmente está sendo abusada de algum jeito,manipulado pelo machismo,é uma pobre vítima.

Anônimo disse...

Vou falar uma coisa péssima. Mas com meu 1,60m e 78kg sou gorda demais para o que eu gostaria de ser e não o suficiente para que um médico topasse me fazer uma bariátrica. Como eu queria fazer uma cirurgia dessas, viu?

Verô! disse...

Gente, isso tudo é preocupante. Minha prima fez a cirurgia bariátrica também e está perdendo peso demais! Ela era obesa, mas depois da cirurgia perdeu peso muito rapidamente. Não come mais quase nada, o pouco que come faz mal à ela e desde quando ela fez a cirurgia se sente doente. Eu conheço mais duas pessoas que fizeram a cirurgia, elas comem tudo normalmente, mas não perderam muito peso, continuam gordinhas. Imagino que os métodos tenham sido diferentes no caso da minha prima e das outras mulheres. De todo modo, acho estranho que os médicos considerem legal uma cirurgia que mutila, isso é realmente saudável e seguro? Não sei... não sou médica, mas acho isso estranho.

Enfim, continuo achando que reeducação alimentar e exercícios físicos sejam o melhor jeito de perder peso. Uma outra conhecida minha está seguindo esse método, faz uns meses, ela visivelmente está perdendo peso, está mais leve, saudável e confiante. Mas é muito, muito disciplinada e segue a risca a recomendação dos médicos e nutricionistas. Não é fácil, ela diz que luta contra a vontade de fugir da dieta, mas está forte e continua firme na dieta. Acho bacana, um exemplo de determinação e que está tendo resultados positivos para ela. Emagrecimento saudável, gradual e com exercícios físicos. Me soa muito bem.

Anônimo disse...

Oi Lolla
vc já ouviu falar sobre síndrome metabólica? Acho que seria interessante vc incluir um endocrinologista na sua rotina médica. Assim....pelo q vc relatou no post vc se enquadra em dois critérios, circunferência abdominal e glicose alta, não faço a mínima ideia de como estão os seus outros exames, mas é possível que mesmo dentro da faixa dá normalidade eles sejam suficientes para te enquadrar com síndrome metabólica (os marcadores para a síndrome são mais baixos do que pra doença isolada).
Assim sem querer fazer terrorismo... Só dando o toquei pra vc se cuidar... Pq caso vc feche esses critérios vc já é diabética e tem que começar a se tratar seriamente. Não to desmerecendo suas médicas tb, mas as vezes o clínico deixa passar esses detalhes que um endocrinologista perceberia.

Anônimo disse...

Esse Arnold Sincero é trol com certeza.Dá pra ver que os erros de português são muito forçados.

Anônimo disse...

Haha. Conhecem meia dúzia de gatos pingados e acham que estão muito por dentro da vida dos homens feministas, só rindo mesmo.

Anônimo disse...

Arnold, adoro sua fotchênha!!

Anônimo disse...

Concordo com o Thomas. Achei ela muito jovem e com "pouco" peso pra enfrentar um procedimento desses tão invasivo. Uma boa reeducação alimentar feita com acompanhamento médico aliado com exercícios físicos e talvez natação, dariam um resultado satisfatório, e com o adendo dela se ver livre dessas consequências que está carregando no pós. ):

Verô! disse...

Tem outra coisa. Eu estou no norte da Itália agora. Quando eu estava para me transferir para cá o povo dizia que eu ia engordar comendo um monte de pasta e pizza. Sabem o que está acontecendo? Estou emagrecendo. Os italianos têm uma das maiores expectativas de vida do mundo muito por causa da dieta. Sim, tem muita pasta e pizza, mas vemos poucos obesos pelas ruas, muito menos do que no Brasil. Por que? Eu aprendi algumas coisas aqui e vou compartilhar, não para ser chata, mas acho que são dicas úteis.

1. Aqui se come muitas verduras e legumes. É sim, e os italianos conseguem fazer milagres com esses ingredientes “menos nobres”. Tenho uma namorada aqui e ela adora cozinhar para mim e nunca falta esses ingredientes na mesa. Antes eu comia com pouca vontade no Brasil, mas ela faz de um jeito tão gostoso que eu como com prazer, mas acho que o grande trunfo é o sal, aqui se compra sal de alta qualidade e um bom sal faz a diferença no sabor. No Brasil um sal bom custa mais, mas acho que quem tá querendo emagrecer pode investir num bom sal para comer com mais prazer legumes e verduras.

2. Os doces italianos são deliciosos, mas as pessoas comem doces mais quando estão na rua. Nas casas a sobremesa comum é fruta.

3. primo, secondo, contorno - italianos, ao contrário dos brasileiros, não misturam todas as comidas num único prato. Aqui se come separado. O primeiro prato, o segundo prato e um contorno. Percebi que assim eu como menos. Depois de comer o primeiro prato, que pode ser uma pasta ou um rizzoto, eu me sinto saciada e como uma porção menor do segundo prato (geralmente uma carne). Comendo em partes você acaba consumindo porções menores e percebe que está saciada com menos comida do que pensava que precisava. Essa é simples e dá para fazer em qualquer lugar do mundo. Para quem está de dieta no Brasil, uma salada antes do prato principal pode ser uma boa opção.

4. Italianos amam a cozinha italiana, é orgulho nacional mesmo. Por isso eles comem poucas coisas industrializadas e consomem pouco fast food. Na cidade onde estou tem um McDonalds perto da estação de trem, ele é frequentado principalmente por turistas. Quando estou com minha namorada na rua e estamos com fome eu brinco com ela para comermos no Mc e ela fica irritada…rsrs italianos cozinham em casa, e gostam de cozinhar. Minha namorada adora preparar a comida, eu fico com o trabalho de limpar os pratos. Ingredientes frescos e da estação não faltam.

5. Italianos bebem pouco refrigerante. Aqui em casa - moro com 3 italianos e uma alemã - só tem refrigerante quando eu compro, é que as vezes sinto saudade de coca-cola… mas como não se bebe muito eu reduzi o consumo. É comum comer bebendo água ou água com gás. Eu adquiri esse hábito.

6. Isso não vale para quem mora nas grandes cidades brasileiras hostis à bikes, mas eu estou numa cidade onde as pessoas usam muito a bicicleta como meio de transporte. Comprei uma, vira um exercício rotineiro. Quando não estou de bike prefiro me locomover a pé, a cidade é bonita e é gostoso caminhar. Isso é ótimo porque no Brasil eu estava em São Paulo, uma cidade hostil para caminhadas e giros de bike, e como eu ODEIO academia estava sem fazer exercício e estava engordando. Eu já vi que exercício para mim tem que ser ao ar livre, andando ou de bicicleta.

7. Aqui não se come carne todos os dias, não sei se tem relação, mas carne eu ando comendo 2 ou 3 vezes por semana. Nem sinto falta =)

E sim, eu como pasta e pizza aqui, mas não todos os dias, nem os italianos comem todos os dias. Agora está frio, mas no calor eu tomava o famoso sorvete mais de uma vez por semana, uma bola só já me bastava. Bom demais! Como as coisas mais pesadas aqui sim, mas como quotidianamente adotei hábitos mais saudáveis estou perdendo peso e nem estou de dieta. É simples, não é sacrifício nenhum para mim porque como com muito prazer as comidas daqui.

Anônimo disse...

Eu realmente não consigo entender como as pessoas não ligam para o que comem, se for gostoso... Ta dentro. Não ligam para açúcares, massas, refrigerante, corantes etc etc. Comida saudável e bem preparada também é deliciosa e claro, não ferrará você no futuro. Eu fico MUITO agoniada quando saio e vejo de relance as pessoas se alimentando, não gosto de comer fora por isso, fico em uma guerra mental comigo mesma reprovando o que estão comendo e ao mesmo tempo querendo ajudar. Mas óbvio que não vou lá encher o saco de ninguém, só fico pasma de como as pessoas não dão a mínima para manter o corpo saudável. É... Sinistro.

Barbara disse...

Acho legal o tanto de médico que aparece nessa hora, dizendo que a menina era nova demais para fazer a cirurgia e nem tinha peso suficiente. Se está gorda, criticam, se toma o caminho entendido como "fácil", criticam. É impossível vencer. Ou talvez seja - a pessoa tem que sofrer! Pagar por cada pecado açucarado que cometeu suando na academia! Não deixo de me espantar em como as pessoas são rápidas em julgar. A mulher escreve um texto falando que está mal e não se vê apoio, empatia, só "fulano morreu disso", "para quê essa mutilação", "ela devia fazer exercício como a minha vovozinha, a minha mamãe e eu mesmo, olha como minha família é perfeita, vou na ONU dar exemplo para o mundo".

Mais da metade do país está acima do peso, e uma porcentagem ínfima das pessoas que emagrecem vão conseguir manter o peso. Essa é a realidade. Não é questão de força de vontade. O mundo não está dividido entre magros focados e gordos preguiçosos. Apenas parem com isso.

nadiaschenker disse...

Um tanto de gente aki fica falando : "é só questão de força de vontade". Pois bem. Minha alimentação é mto saudável e meu peso totalmente Ok! Quantas pessoas no Brasil podem gastar o que eu gasto com comida??? O tempo que eu gasto fazendo a comida??? Blueberry, Goldenberry, já viram o preço? Uma família com 2 crianças, pode levar mesmo essa "vida de princesa fit"??? Resposta: não!!! A maioria das pessoas do mundo não tem tempo/dinheiro para alimentação saudável. E o trabalho que essas pessoas exercem as impede perder peso. O dia inteiro, sem hora de almoço, férias. Sem ânimo pra academia. Deixa de hipocrisia, povo.

Ana disse...

Carolina, adorei o documentário que você indicou. Eu não tenho problemas com peso, mas tenho uma doença auto-imune extremamente debilitante. Você (ou alguém) saberia dizer os ingredientes desse suco?
Muito obrigada, se puder ajudar.

Alessandro disse...

Lola,

Nas poucas vezes que participei do blog sempre deixei claro a minha concordância com a maioria dos assuntos feministas.

Mas sobre obesidade, acho que é algo a ser combatido. Não acho que seja body shaming. No meu entendimento é tipo cigarro, anorexia ou alcoolismo: faz mal, e ponto.

Já tive amizades estremecidas por ter essa opinião, mas não consigo esconder a visão que a obesidade é a causa dos seus problemas de saúde atuais, independente das boas taxas que você tenha tinha em uma época em que o seu metabolismo lidava de forma diferente com o problema.

Uma pessoa com um cigarro na boca não necessariamente tem problemas de saúde. Pode ser o início do vício. Com o tempo, é certeza dos sintomas aparecerem e a saúde degradar. Como um exemplo: que exame mede o desgaste das articulações inferiores das pessoas obesas? Mas garanto que elas se desgastam mais por suportar um peso maior do que foram projetadas, causando danos à mobilidade.

Sou contra radicalismos. Sou contra a banalização da cirurgia pelos efeitos danosos que ela causa. Sou contra dietas malucas. E totalmente a favor de alimentação saudável e atividade física. É algo que não tem mistério, está aí há décadas para todo mundo ler e se informar.

Desculpe caso tenha ofendido alguém, mas é que sou contra o pensamento de liberdade inconsequente que já vitimou tantos amigos e familiares.

Barbara Dalalana disse...

Lola e convidada deste post, o que voces precisam eh de uma dieta vegana. Sem restricoes caloricas, muitos carboidratos e acucares de frutas, pra dar um up na serotonina e emagrecer (sim, comendo pra caramba).

Funcionou comigo. Pesquisem Raw till 4, com a mente aberta.

Beijos e sorte.

Anônimo disse...

Thomas, me explica por favor como toddynho faz parte de uma dieta saudável.

Eli disse...

Esse post tá me gritando anorexia, principalmente qndo você fala em distorção no espelho. As dores provavelmente já são a anorexia arranjando uma desculpa pra você não comer e o fato de que a sua relação com comida já era ruim antes quando você era obesa (digo por causa dos traumas de infância, as piadinhas e tal), agora então piorou. Você precisa de tratamento psiquiátrico urgente, antes que isso se torne algo muito pior. Btw fui diagnosticada com transtorno alimentar ontem, força pra todo mundo que precisa melhorar a relação com a comida, porque eu sei que não é nada fácil.

Ana disse...

Gente, por favor: sejam a favor ou contra, julguem, condenem ou absolvam atitudes para VOCÊS. O corpo de cada um é um assunto privado, não cabe julgamentos, por favor, CHEGA de se alçarem a posição de Zeus!Cada um tem o corpo que pode, dentro dos limites das possibilidades, escolhas e genética pessoais. É tão difícil entender isso?

Anônimo disse...

Oi, Verô. Apreciei muito o seu post. Evidencia ainda mais que ter hábitos e alimentação saudáveis não é um sacrifício, ao contrário do que alguns veículos tentam pregar.

Anônimo disse...

Minha briga com a balança é inversa a da maioria. Preciso engordar estou anoréxíca, desnutrida e anêmica.
Tenho a sindrome de Fotherguill ou neuralgia do trigêmeo. Uma doença rara que causa uma das maiores dores jà catalogada na medicina, é pior que cálculo renal, o apelido da dor é doença do suicida já que alguns se matam na crise.
A dor afeta a face e dentes e me impede de comer, sorrir, chorar, mastigar, beijar. Até um vento na face já me deixa em choque.
Tenho medo de comer e entrar em crise então emagreci muito e as pessoas me cobram melhora.
Não entendem a imensidão da dor e fazem piada de que sou modelo ou vou entrar na boca da garrafa.
A ditadura da beleza não perdoa ninguêm. Se estamos gordas exijem a magreza das passarelas, se estamos magras exigem pernão, bundão, corpão.
Diante disso eu me aceitei com minhas limitações e jamais me obriguei ou me forcei a comer para chegar ao padrão corpão violão.
Somos donas de nõs mesmas e cada uma se aceite da maneira que se sentir bem e da maneira que seja saudável.
Emagrecer ou engordar para manter a saúde é válido, mas para agradar uma sociedade preconceituosa, machista e sexista jamais.
Uma vez engordei devido aos remédios engordei pouco, mas o suficiente para ser notado e aí vieram as críticas. Agora que estou em crise e magérrima novamente as críticas só inverteram.

"ESSE É O NOSSO MUNDO O QUE É DEMAIS NUNCA É O BASTANTE." (Legião Urbana)

Anônimo disse...

Exatamente. Sou nutricionista e tenho formação adicional na área de transtornos alimentares. A cirurgia bariátrica em si não é ruim, varia de caso a caso, mas já vi alguns casos de anorexia/bulimia nervosa pós-bariátrica. Procure uma equipe especializada em transtornos alimentares, se possível. De qualquer forma, não fique sem tratamento.

Anônimo disse...

Acho que tem gente que ainda não entendeu que o feminismo não "estimula" a obesidade mas critica duramente e combate a gordofobia!!! Acúmulo de gordura visceral é sim perigoso para a saúde. Gordura subcutânea é inerte.
Mas usar isso pra humilhar, perseguir e discriminar pessoas é coisa de gente escrota, imbecil e desocupada que sofreu extrema lavagem cerebral via Photoshop.

Também passei por fases em que emagreci horrores devido a um problema no estômago (por 6 meses não consegui me alimentar corretamente) somado a um momento difícil da minha vida. Acha que alguém se importou? Eu fui insultada de tudo o que vocês podem imaginar. Voltei ao peso normal. Agora também não tá bom por que "sobra" aqui e ali.
Se não for o peso é a cor da pele, o cabelo, a mancha no rosto, o formato da orelha, o tamanho do pé, a sobrancelha, o formato dos dedos...

O triste fato é que isso nunca para... nunca acaba...

O que falta pra esses fiscais da vida alheia é uma enxada e alguns hectares de terra pra capinar!!!

Jane Doe

Anônimo disse...

"O mundo não está dividido entre magros focados e gordos preguiçosos. Apenas parem com isso".


Está mais para magros focados, gordos esforçados e gordos preguiçosos.

Anônimo disse...

Tava lendo o relato e os comentários e só pensei numa coisas: sou magra, bem magra e também vivo escutando que ta feio, que "mulher tem que ter carne", que eu devia malhar muito pra ficar forte, etc. Ou seja, aparentemente não importa o seu peso, vc sempre vai ouvir mil criticas, nada nunca vai estar bom!


Outra coisa: há um tempo atrás minha saúde não ia muito bem (mesmo sendo magra. Ou seja, peso significa muito pouco quando falamos de saúde). Tive que ir numa nutricionista e fazer uma reeducação alimentar. E, olha, minha vida mudou pra muito melhor!

Estou nessa há 2 meses, o que ainda é bem pouco, mas muito feliz! Minha qualidade de vida é outra! Sofri por anos com uma dor de cabeça crônica, e nesses dois meses minha cabeça so doeu uma vez! Me sinto mais disposta, mais tranquila e não esta sendo um bicho de 7 cabeças! Eu era chocólatra e encontrei (junto com a nutricionista) outros alimentos que saciam a minha vontade de doce.

Enfim, não importa o nosso peso, sempre seremos cobradas. E, se eu puder dar um conselho para quem come mal, mudem agora. Não precisa ser nada radical, mas comece. Minha qualidade de vida melhorou demais!

Beijos,
Melissa

Anônimo disse...

Um parênteses: Lola, dê seu parecer sobre a novela Império.
O comendador acha que manda no útero da nora dele de cabelo vermelho.
E um pilantra lá quer trocar diamante por "sexo forçado" com a Cora (drika moraes)...
Gente, que isso???

Anônimo disse...

Ana e Nádia ameiiii vcs <3
Cara sinceramente tenho os 2 pés atrás quando as pessoas tentam enfiar goela baixo essa ditadura fit e vegana para os outros...
Eu não acho que se entupir de frango, batata doce, whey, ovo (albumina) ou então se privar de proteína vá deixar alguém mais saudável! Se funciona e atende as suas necessidades beleza campeão, mas tentar doutrinar os outros com isso dizendo que só assim a vida dele vai melhorar... pera lá né?!
Cada corpo tem um ritmo metabólico diferente e necessitam de alimentos diferentes e em quantidades diferentes, e essa histórinha de que não emagrece porque não se esforça é típico de gente arrogante e egocêntrica que só olha pro próprio umbigo e é incapaz de ver que a pessoa já está com a estima lá embaixo, e vem alguém cheio de si pra vomitar mais besteiras ainda (o velho preconceito de que gordo é preguiçoso).
Antes de vir vomitar asneiras desse tipo, procure ver como está a outra pessoa (principalmente o psicológico), e uma pessoa considerada gorda, pode ser SIM muito mais saudável que muito magro por aí, as pessoas que podem atestar se alguém é saudável ou não, são médicos (endócrinos, cardios e até psicólogos) baseados nos exames completos de uma pessoa e um nutricionista.
Então, parem de colocar essa ditadura fitness e vegana a goela baixo como se fosse a única forma de ser saudável na vida!

Luara disse...

Em inglês. Poderia nos passar a receita? Agradeço muito. Obrigada! :)

Sara Marinho disse...

Não tenho o menor saco para esse povo que critica falta de esforço dos outros em emagrecer...
mesmo quando a pessoa tem condições físicas de emagrecer somente com o esforço dela, sabemos muito bem que o preconceito da sociedade com pessoas obesas é enorme e muitas entram em depressão por isso, e que é comum comportamentos compulsivos que tenham levado a obesidade terem surgido por causa de depressão, e depressão não é frescura, é doença.

E vou contar o exemplo do meu pai. Meu pai era obeso porque tinha uma doença chamada apneia do sono, que muita gente tem mas não sabe, pois não se diagnostica em exames simples (quando fiz esse exame, 5 anos atrás, tive que dormir na clínica para meu sono ser monitorado, e somente existia a época uma clínica que fazia esse exame na cidade - uma capital).
Por muitos anos meu pai seguia de médico em médico, sem ninguém responder porque ele era tão gordo, ele não se alimentava tão bem, mas nada que justificasse mais de 100 quilos para um homem de 1,68. Ele comia muito arroz, muito pão, mas não ficava comendo o dia inteiro, e nunca foi de comer muito doce.
Enfim, diagnosticaram que devido a apneia o sono dele não aproveitado, portanto o metabolismo dele era muito lento (o que causava sonolência, falta de concentração, ganho de peso desproporcional,etc). Toda uma vida pós 25 anos de obesidade, pressão alta , e inúmeros problemas de saúde não eram majoritariamente responsabilidade dele, era genética.
Aos 20 anos de idade meu pai era seco de tão magro, ao ver as fotos do casamento dele, aos 26 anos, é perceptível que ele deve ter ganho pelo menos uns 20 quilos depois dos 20, e ao ver fotos dele com minha irmã velha bebê, lá pelos 28, 29 anos, ele já devia ter ganho mais uns 15 quilos.
E não é uma história de descoberta da doença e melhora de vida posterior. Descobrimos tarde de mais, a saúde do meu pai já estava muito comprometida, hoje, em decorrência de alguns avc's, ele não anda, praticamente não fala e é completamente dependente da família para tudo ( Está assim desde os 49 anos, tem 54). E sim, ele podia ter se cuidado um pouco melhor quando era mais jovem, mas não é exigir de mais? Cara pobre, trabalhava de mais, tinha três filhos para cuidar e sustentar (junto com a minha mãe, que sempre trabalhou), vivia em médico e não entendia (até descobrir a apneia do sono) porque comportamentos levemente errados dele tinham resultados tão desproporcionais em comparação a outras pessoas. E bem, a capacidade de esforço físico e mental dele era reduzida, porque o corpo dele estava sempre cansado devido a apneia.
Meus irmãos e eu fazemos o exame para saber se temos apneia do sono de anos em anos, pode aparecer em qualquer momento das nossas vidas, já que é genético, ou pode não aparecer nunca.

Tentemos enfrentar nossos problemas de saúde da melhor maneira possível, mas economizem as pedras antes de taca-las nos telhados que nem conhecem.

Kittsu disse...

Alessandro, eu tenho uma visão parecida com a sua...
Mas a obesidade não é a causa de nenhum problema. É uma consequência de a pessoa estar doente.
Eu comecei a ter minhas dúvidas quanto a se uma pessoa obesa (obesa, não "cheínha") pode realmente ser saudável, ainda que os indicadores padrão estejam ok.
Não significa que pessoas magras sejam saudáveis, mas obesidade é sim um sintoma.

Anônimo disse...

Miga das 08:53
Acho q vc não sabe o q é ser vegano, não tem nada a ver com essa dieta desequilibrada de quem faz academia e quer mais massa muscular. Mas concordo plenamente q é super nada a ver dizer "vc precisa dessa dieta" "só esse hábito alimentar emagrece c saúde" etc

B disse...

"A mulher escreve um texto falando que está mal e não se vê apoio, empatia"

Falou tudo, Barbara! Incrível como a guria escreve um texto pra cá desabafando e não vemos empatia, compreensão!
É comentário de mascu com filosofia "no pain, no gain", é a outra que vigia e julga o que os outros comem (odeio fiscal!) e gente sugerindo dieta!

B disse...

"A maioria das pessoas do mundo não tem tempo/dinheiro para alimentação saudável."

Só essa frase da nadiaschenker merecia um post...É fácil falar "sigam a dieta macrobiótica" "sejam assim ", mas e a questão do tempo e dinheiro? Certas pessoas de determinados grupos não tem tempo de ficar tirando turno livre pra cozinhar vegetais! Outras pessoas não terão dinheiro pra ficar comprando coisa orgânica, blueberry, gojiberry.

Anônimo disse...

Anon 10:18
Desculpe, me expressei mal. Sei que há veganos que tem uma filosofia e etc sobre a alimentação (tbm sei que é saudável)... o que eu acho errado é impor isto aos outros como se fosse a única maneira de ser saudável na vida sabe?
A mesma coisa que disse da ditadura fitness, vc tem que eliminar glutem, lactose, carboidrato e etc; para ser saudável e não é bem por aí, as pessoas estão fazendo uma espécie de alimentação terrorismo, tudo virou vilão. Que só há uma (ou poucas) formas de ser saudável e isso é quase uma histeria coletiva pelo corpo perfeito.

Eva disse...

Nossa, quanta abobrinha tô lendo aqui. Ou antes fossem abobrinhas, porque, pelo menos, daria pra cozinhar e comer. Mas vamos lá:

- Gente, mais empatia, menos julgamento. A moça precisa de apoio, não de lição de moral.

- Moça do post, procura ajuda, amparo psicológico. Você parece que continua fazendo acompanhamento médico, então são maiores as chances de que, se tiver algum problema físico, seja encontrado. Entretanto, cuidar da própria mente é muito importante. Não deixa essa distorção corporal que você aparenta ter ganhar força. Mesmo. Torço para que você consiga apoio e suporte. Tente conversar com as pessoas que te amam incondicionalmente, mas converse também com alguém da área de psicologia.

- Para a pessoa sem noção que comparou dieta vegana com dieta paleo e outras dietas da moda: uma coisa não tem nada a ver com a outra. A dieta vegana, quando emagrece (e nem sempre emagrece! Cada pessoa tem um metabolismo diferente) é uma opção ética pelo fim do assassinato e exploração dos animais, o reconhecimento de que animais não são coisas de que podemos dispor. Não é pensada para emagrecer. Os estudos que geralmente são feitos servem apenas para embasar, cientificamente, que nós, pessoas veganas, não somos doentes, não carecemos de nutrientes e que ninguém precisa de carne, leite e ovos pra viver, e bem. Vá estudar, por favor.

Eva disse...

Ai, gente. Veganismo não é sobre "ser saudável". É sobre não termos o direito de dispor livremente do corpo dos outros animais como se tivéssemos o direito de fazer isso.

Anônimo disse...

Nossa... minha mãe era muito gordofóbica na minha infância. Melhorou um pouco hj em dia, mas ela quase espumava de ódio de gordos e sempre dizia "Todo gordo é mentiroso! Fala que não come e se entope de comida!"... Lembro de estar chorando no provador de uma loja pq estava gordinha e nada ficava bonito em mim e da minha mãe reclamando muito. Lembro dela falando e gritando comigo pq eu tinha engordado e eu respondendo que um dia ela teria que me obrigar a comer pq eu seria magra de doente. Imagina uma criança respondendo isso? Eu nem sabia o q era transtorno alimentar e essas coisas. Ainda bem que nunca tive nada nesse sentido pq gosto muito de comer hehe Acho que foi realmente sorte, pq todo o ambiente da minha casa foi direcionado pra isso! Aos 18 anos eu ganhei uma lipoescultura de aniversário pq tinha emagrecido 15kg! E achei o máximo na época... Olha o tamanho do absurdo! Uma médica, qd fui fazer exames para a cirurgia, tentou me convencer do contrário e eu ainda fui grossa e respondi que tava fazendo pq queria e pronto. Hj em dia, quase 10 anos depois, eu não entendo como meus pais pensaram que isso era razoável! Hj em dia tenho 1,71 e a última vez que me pesei estava com 85kg. Só que qd estava magra nunca me sentia magra. Nunca olhei pra mim e me senti 100% satisfeita com meu corpo. Ngn deixava, era sempre "se perder mais uns 3 kg vai ficar ótima". Hj em dia com mais peso tomei essa consciência e não me sinto tão mal qt me sentia magra! Óbvio que sinto que poderia emagrecer atualmente, mas não estou tão neurótica e acho que acabei passando isso pra minha mãe, que melhorou bastante. Eu sempre procuro elogiá-la e não falar nada de ruim sobre o corpo dela, pq ela transferia a frustração dela pra mim na infância e, o pior, ela sempre foi magra!Não quero ser igual a ela... fiscal do corpo e do prato da família toda. Enfim... acabei falando demais.
Dee

Anônimo disse...

Oi Lola, me ajuda. Estou namorando quero perder a minha virgindade, mas estou com medo pq meu namorado disse que vai "me arrebentar", dai eu falei que isso não era legal, mas daí ele falou que se não sangrar é pq não foi de verdade. Que eu faço? Me ajuda.


PS: não sou troll, não me xinga por favor.

Paola disse...

Resumindo tudo,a pessoa come mal ou come demais mas a culpa é dos outros,viver assim é fácil,basta culpas os outros pela nossa atitude.
E falar isso não é julgar a moça,é falar a verdade,eu também engordei por comer mal e comer porcarias,só não fico culpando a sociedade por isso,é ridículo demais.
E se ela fez a cirurgia é problema dela,eu não condeno,eu não faria por que tenho medo.

Eu não comparei nada,simplesmente disse que a dieta paleolítica não serve para todos e não disse que era vegana e sim vegetariana e não disse que emagreci por causa dela e sim que os meus exames de sangue nunca estiveram tão bons nessa epóca.

"Vá estudar, por favor.", "argumento" batido.

Pelo jeito que estão na defensiva,sabem que é verdade a questão da força de vontade,não sei o que tem de tão absurdo nisso,a pessoa está acostumada a comer algo,de repente para e diminui a comida,para fazer isso tem quer ter força,senão,n consegue.
E as inúmeras desculpas,que todo gordo dá para não comer melhor,não tenho tempo,trabalho,é caro(desde quando fruta e legume é mais caro que as porcarias eu não sei).
Eu também dou a mesma desculpa e por isso ainda não emagreci.

Quando eu consegui emagrecer,eu não era vegetariana e mal comia alface,só diminui a comida,então,o resto é desculpa que a gente dá.

lola aronovich disse...

Anon das 12:22, tem certeza que quer fazer sexo pela primeira vez com um namorado que diz que vai "te arrebentar" e que se não sangrar "é pq não foi de verdade"? Pense bem. Um cara que diz essas coisas, mesmo que de brincadeira, não parece ser boa gente. Só faça sexo com alguém legal e que te trate com carinho, não com quem use palavras violentas como "arrebentar" e exija sangramento. Não tenha pressa, ok? Só faça o que vc quiser, com quem quiser, com quem vc se sentir segura.

Anônimo disse...

Só fala que para emagrecer só precisa de vontade quem nunca tentou uma dieta.

Fazer dieta demanda ESFORÇO, é CARÍSSIMO, e suga TEMPO.

Anônimo disse...

Eu não sei nem como meu corpo é (sou gorda? sou magra? sou "mais ou menos"?), tampouco sei o que é uma quantidade normal ou muita ou pouca de comida.

Por isso estou indo pra uma endócrino, pra ela passar dietas e me ajudar a aprender o que é normal e o que não é. Eu fui anoréxica por dez anos, hoje em dia a cabeça continua desregulada. Cheguei lá na médica e me descobri desnutrida e com o metabolismo ferrado de tanto comer pouco (e só doce, confesso - eu almoço doces), embora eu estivesse lá porque minha família disse que eu estava tão gorda que eu ia machucar meu joelho com o peso (que era médio pra minha altura, descobri. meio quilo acima da média da média.) e eu acreditei porque não sabia o que era ser gorda ou não ser.

Meus amigos dizem que é "punitivismo" e "falta de empoderamento", que o certo era eu fazer como tivesse vontade e me amasse e tralalá. Mas porra! Eu não tô me fodendo pra ser gata dentro do padrão de beleza e blábláblá, eu tô é tentando descobrir o que é certo pra mim. Não é crime, eu não tô lá pra virar a Kate Moss, e sim pra virar eu mesma.

Queria até entender o que o povo do empoderamento teria a dizer sobre meu caso.

Sérgio Carneiro disse...

Mens sana in corpore sano.

Na antiguidade clássica a arte e a cultura dos gregos e dos romanos, subsequentemente, considerava-se que o ideal humano seria: a relação estreita de um corpo perfeito com uma mente perfeita. Em outras palavras, se um corpo humano não tivesse a forma perfeita a sua mente também não seria e vice-versa.

HÁ época era preciso ter soldados fortes que suportassem longas marchas e o rigor da batalha e desta forma desenhou-se o corpo perfeito. Um exemplo clássico são o evento das olimpíadas e escultura do Discóbolo, no mundo grego, e as legiões e os gladiadores no mundo romano.

O poeta romano Juvenal, famoso por suas sátiras, escreveu: "Um corpo sã num corpo são" satirizando esse conceito dos romanos. No final da Sátira X ele afirma: "Certamente, o único caminho de uma vida tranquila passa pela virtude."

A virtude é o equilíbrio. Ela fica em uma zona cinzenta entre a covardia e a temeridade, entre a avareza e a delapidação, gula e inapetência.

Atualmente a mensagem de "Corpo sã, mente sã" foi deturpada, mas defendo o seu sentido original. Levo-o para peso e bem estar mental, ou seja, o equilíbrio entre ambos. O seu peso corporal - avaliado pelo atual conceito narcisista - pode ser medido por uma balança, mas o seu bem estar é subjetivo, não pode ser medido e nem pesado pelo outros.

Não levei o centro da sua questão com relatos pessoais ou de terceiros, pois acredito que isso seja de foro íntimo, a minha ousadia e ter levar as pessoas procurarem buscar o equilíbrio.

Se levarmos a questão do peso para a saúde, iremos cair no mesmo conceito de equilíbrio, afinal a sua definição é: "Um estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não apenas a ausência de doenças."

Anônimo disse...

Concordo com o Alessandro.
A obesidade por si só já causa problemas de saúde. Mesmo se os exames de sangue (colesterol, glicose, triglicérides, etc). Não existe isso de estar saudável somente por seus exames etarem normais.

Como ele disse, ar articulações vão se desgastando mais por causa do peso. Também o coração faz mais esforço para bombear o sangue, vai aumentando a resistência à insuklina aos poucos, até culminar no desenvolvimento de intolerância à glicose e por fim, diabetes, como está ocorrendo com a Lola. Vai acumulando gordura no fígado, etc. As coisas vão ococrrendo aos poucos e muita coisa não é medida à medida que ocorre. Só aparece o resultado depois de anos de obesidade, mas já havia algo ocorrendo antes.

Eu sei que é difícil emagrecer. tanto que sou gorda. Não teria coragem de fazer a cirurgia bariátrica, pois acho muito arriscada e eu mudaria meu estômago, e não a minha cab~ça. Eu tenho compulsão alimentar, deveria fazer uma cirurgia no cérebro.

Já vi alguns casos de cirurgia que deram problemas. Mortes, 3 dentro os meus conhecidos. E depressão e trasntorno de ansiedade em outros. A pessoa tentou fazer dieta por muitos anos e não conseguiu, e de repente se vê OBRIGADA a fazer dieta. Esse emagrecimento não é sem sofrimento. Eu só faria a cirurgia se meu risco de morrer em decorreência da obesidade estivesse muito alto.

A facildade de acesso à cirurgia está aumentando o tipo dessas complicações. Antes, durante o tempo em que a pessoa ficava na fila eram feito acompanhamento psicológico. Hj, particular ou nos convênios, basta um laudo do psiquiatra atestado que a pessoa está apta ao procedimento, do ponto de vista mental.

Anta

Anônimo disse...

Para a autora do tópico, sugiro acompanhamento psiquiátrico e psicológico. Para sempre.

Anta

Anônimo disse...

Oi Lola, sou eu de novo.

Eu gosto muito dele, estamos dois meses juntos mas nunca transamos pq tenho medo, dai agora ele disse que não dá mais pra esperar, ai eu disse que ia tentar.

Mas ele realmente me chateia um pouco quando fala assim desse jeito, mas tenho medo de perde-lo, ele falou que não sou tudo isso e que tirando ele ninguém vai me querer =/

pior é que é verdade mesmo, na escola quase ninguém pede pra ficar comigo, pq me acham sem graça e nerdona

=/

PS:mas obrigada por responder, desculpa atrapalhar o tópico

PS2: mandei de novo pq não sei se foi da primeira vez.

Kittsu disse...

Paola, você sabe o que é dieta paleolítica?
Da primeira vez que eu ouvi falar disso foi quando estavam noticiando aquele cara que passou a só consumir carne crua, achei a coisa mais mobral do mundo. vários anos depois tive um contato mais legítimo e de uma fonte muito mais honesta do que aquela abordagem sensacionalista.
Trata-se apenas da exclusão de produtos industrializados e um modo de vida que tenta imitar os hábitos e alimentação dos povos caçadores-coletores. o termo "paleolítico" é porquê este seria o período pré-agricultura, quando os grãos tornaram-se a base da alimentação das comunidades modernas.
Não é sinônimo de carnivorismo absoluto (plenamente possível paleo vegan), nem de restrição alimentar radical (depois que você pára de basear sua alimentação no trigo, aí é que você tem diversidade na sua alimentação).

Já a questão do baixo carboidrato tem outro viés, e não é sinônimo de paleo. Dietas de baixo carboidrato têm sua eficácia comprovada em vários estudos quando comparadas a de alto carboidrato, tanto com relação a perda de peso quanto na manutenção da saúde. Mas pra ver isso realmente precisa "ir estudar", e não é no sentido pejorativo de querer frisar a ignorância do outro. É porquê realmente os mecanismos e caminhos metabólicos são de fato complexos, e uma leitura desinteressada e leviana não vão permitir a compreensão necessária pra quem quer saber a respeito - seja pra falar a favor, seja pra criticar.

Anônimo disse...

Uau, parou de comer, emagreceu e ficou deprimida... volta a ser gorda, filha, é tão melhor, né...

Bizzys disse...

"E as inúmeras desculpas,que todo gordo dá para não comer melhor,não tenho tempo,trabalho,é caro(desde quando fruta e legume é mais caro que as porcarias eu não sei)."

Pão de fôrma branco comum: R$ 2,85
Pão de fôrma integral mais barato: R$ 4,00

Eu não sou gorda nem magra, tenho um corpo "médio", felizmente nunca precisei fazer dietas. Até gostaria de comer coisas mais saudáveis, mas essas comidas são as mais caras SIM, não é "desculpa de gordo". O preço do pão é só um exemplo que vejo na minha vida (inclusive eu gosto de pão integral, não compro justamente porque é mais caro). Quando você precisa economizar até na comida, o que é a situação de uma grande parte das pessoas, não dá para ficar comprando iogurte desnatado, manteiga sem sal, produtos light, etc etc.

Outra coisa: tenho uma amiga vegana que vive reclamando que muitas receitas vegans que são divulgadas por aí necessitam de muito tempo para serem feitas, e de ingredientes que são caros e/ou difíceis de encontrar para comprar.

Eu acho que são coisas assim que acabam impedindo as pessoas de tentarem comer melhor. Afinal, se um dia você sai do trabalho morta de cansada às 20h, você vai chegar em casa e cozinhar ou vai dar uma passadinha no McDonald's? De novo, eu sei que isso não se aplica a todo mundo, mas pode ser verdadeiro para uma parte. Para mim é, e para outras pessoas que conheço também.

Anônimo disse...

Não sou a Lola, mas vou te dar uma ajuda: LARGA ESSE CANALHA. Ele diz que vai te arrebentar e você ta se preocupando com hímen?
Cresça e se valorize.
Algumas mulheres não sangram ao romper o hímen isso é fato verídico e ele já disse que vai te arrebentar.
Ele vai te surrar? Te estuprar? É um monstro esse teu namorado.
Não se submeta a tal ignorancia para não ter traumas que vão doer a vida toda.

lola aronovich disse...

Anon das 12:22, agora das 14:53, estou com a anon aí de cima, das 16:16 (custa muito vcs colocarem algum tipo de nome?): LARGA ESSE CANALHA. Termina já com ele. Sério mesmo. Já tinha ficado com o pé atrás ao ler seu primeiro comentário, mas depois de ler o segundo, pelamor. Alguém que diz que "não dá mais pra esperar" (quem tem que decidir se dá ou não pra esperar é VOCÊ), e que vc não é tudo isso e que ninguém vai te querer... Olha, isso aí é um manipulador de primeira. Esse cara tá te treinando pra te abusar emocional, física, sexualmente. Leia relatos de mulheres que foram abusadas, e o discurso é sempre o mesmo: minar a autoestima, fazer com que a mulher dependa dele. Muito cuidado com esse cara. É bem capaz de, quando vc terminar, ele te perseguir, te stalkear, te ameaçar. O comportamento dele é PADRÃO de homem abusador. Talvez, com sorte, por vcs não terem um relacionamento muito longo, ele te deixe em paz. Mas termine de vez (e em público, ou por email, não fique sozinha com ele), delete qualquer tipo de contato, e esqueça o traste. Não se preocupe que cedo ou tarde vc vai conhecer algum cara legal. Este que vc está agora DEFINITIVAMENTE NÃO É UM.

Raven Deschain disse...

Eva, obrigada. Seu post é um oásis num deserto de ignorância. Nadia e Ana tb.

http://juromano.com/moda/por-que-palavra-gorda-e-ofensa

Melhor blog de moda ever. Recomendo esse post especialmente. ^^

Verô! disse...

Pessoal, talvez eu não tenha me expressado bem. Não gostaria de condenar a autora do post, não condeno quem opta pela cirurgia, mas acho que as pessoas que optam pela cirurgia muitas vezes não são bem informadas sobre os eventuais riscos e isso é muito perigoso!

Autora do guestpost - eu espero sinceramente que você se recupere bem! Você tentou um caminho para perder peso e entrar no padrão "saudável" e teve justamente o resultado contrário. Isso é terrível... eu sinto muito... sou solidária ao seu sofrimento.

Sobre o que eu escrevi da alimentação, não quis dar uma de fiscal da vida alheia. Só quis compartilhar o quanto mudanças de hábitos simples impactaram no meu peso, mesmo que eu não estivesse realmente preocupada em perder peso. Aconteceu naturalmente. Mas não posso mentir, eu me sinto mais saudável e disposta sim, acho que foi positivo.

Sim, há pessoas que não perdem peso por questões que vão além da vontade.

Enfim, o tema da obesidade é muito complexo e não permite generalizações.

Abraços à quem é de abraço: todo mundo =) (exceto mascus)

Thays disse...

Várias mulheres da minha família fizeram a bariátrica, inclusive a minha mãe. Ela sempre teve hábitos muito saudáveis, praticava exercício, fazia academia, comia super bem, mas não conseguia emagrecer. O médico sugeriu a cirurgia quando o sobrepeso começou a ser um problema - pressão alta, problemas na coluna e nas pernas. Em nenhum momento, ela fez a cirurgia pela estética, e até chorou quando teve que se desfazer de suas roupas antigas.

Isso já faz mais de oito anos, e ela hoje está super bem. Ainda tem momentos em que ela come apenas um pedaço de algo e 'trava', não consegue mais. Mas isso é bem raro - e acontecia bastante nos primeiros meses.

A., querida, não se preocupe. Dê tempo ao seu corpo se adaptar às mudanças. Vai ter dias que você vai emagrecer muito, vai ter semanas que você vai engordar, mas se você manter-se às orientações do gastro e do nutricionista, tudo vai dar certo no final.

E não se deixe enganar por comentários maldosos: você é linda. Cuide de sua saúde, e o resto vem naturalmente.

Anônimo disse...

Anon das 12:22, e das 14:53

Ele também provavelmente quer controlar você mediante a "posse" da sua virgindade. Se você ceder, aposto tudo o que eu tenho e mais um pouco que ele vai usar isso contra você, pra te manipular.

Se você tem controle dessa parte da sua vida agora, NÃO ABRA MÃO. Perder a virgindade antes da hora, por pressão, pode causar efeitos psicológicos que só vão piorar o que está acontecendo.

(PS: Eu sempre fui a nerdona da classe. Pela minha cara, ninguém desconfia que eu sou a maior pegadora. Se ninguém dá em cima de ti, pode ser porque você não está solteira, ué. Fica livre e cai na vida, guria, a juventude é curta demais pra você se prender a um idiota. Não compensa, e você PRECISA PRECISA PRECISA cair fora antes que seja tarde. POR FAVOR.)

Anônimo disse...

Anônima do namorado estuprador.

CAI FORA DESSA ZICA.

Porra, foi pra isso que tua mãe te pariu no mundo, pra um bosta desses te falar essas coisas?

E outra, tu tá na escola? DUAS CRIANÇONAS. Ele é um machinho que já aprendeu os privilégios que tem. E você aprendeu a ser capacho.

Larga esse porra e vai se formar que tu ganha mais, caralho.

Anônimo disse...

Oi Lola, me ajuda. Estou namorando quero perder a minha virgindade, mas estou com medo pq meu namorado disse que vai "me arrebentar", dai eu falei que isso não era legal, mas daí ele falou que se não sangrar é pq não foi de verdade. Que eu faço? Me ajuda.


Além de babaca seu namorado é um ignorante. Se quiser ficar com ele ainda, o mande estudar porque ele está precisando.

Anônimo disse...

27 de novembro de 2014 12:22

Teu namorado tem tudo para ser um mascu (se já não for). Dá muita importância para tua virgindade, é completamente desinformado e sem noção. Não perderia minha virgindade com ele não. Abra os olhos moça.

Fernanda disse...

Anon das 12:22, e das 14:53
Querida, por favor, analise seu relacionamento. Como alguém que diz gostar de você pode ao mesmo tempo dizer que ninguém mais vai te querer? Você acha que ele realmente se preocupa com você? Fica claro pelo que tu falaste que não. Você pode querer transar, mas não ache que ele será a única oportunidade que você vai ter, melhor esperar um pouco mais do que ter uma experiência ruim. Quanto a achar que ninguém te quer, balela miga. Pode ser que tu demore pra encontrar alguém legal, mas sabe aquele ditado "antes só do que mal-acompanhada"? ele está certíssimo, relacionamento nenhum vale o teu amor próprio e se ele não existe ainda, mais um motivo pra você cuidar de você, foda-se o que os outros carinhas acham. Você não precisa estar namorando para ser feliz e só vale a pena namorar alguém que você confie e não tema.
Esse rapaz tem todos os sinais de querer impor um relacionamento doentio, atacando a tua auto-estima pra você achar que não encontrará ninguém melhor do que ele, mas quer saber? Ele é o problema. Ele que não sabe respeitar mulheres/meninas e acha que o desejo dele está acima de todos, infelizmente, continuando com ele você estará a mercê de vários tipos de violência. Imagino que deva ser difícil se livrar desse cara, mas quanto antes você fizer isso, melhor. Vou deixar alguns links sobre o assunto e se você quiser conversar mais a respeito, por favor volte aqui. Toda a força pra você e se cuida moça.

http://escrevalolaescreva.blogspot.com.br/2013/02/voce-esta-numa-situacao-de-abuso.html

http://www.cartacapital.com.br/blogs/escritorio-feminista/como-reconhecer-a-armadilha-de-um-relacionamento-abusivo-1323.html

http://blogueirasfeministas.com/2013/09/violencia-contra-as-mulheres-jovens/

http://escrevalolaescreva.blogspot.com.br/2014/11/o-feminismo-e-os-relacionamentos.html

Eva disse...

Anônima da Anon das 12:22, e das 14:53:

Eu era a nerdona da turma. E ainda sou - daquele tipo de nerdona clássico, que joga RPG, é fã de Tolkien, Star Wars, ama ler, ama computadores, sabe? Isso já faz um bom tempo, mas era o conceito do que era ser nerd naquela época. Passando certa fase escolar terrível, fui aprendendo a gostar de mim e de quem gostava de mim. Namorei aqui e ali e estou prestes a ir morar com alguém que realmente amo - e que conheci em uma atividade nerd. Que gosta das mesmas coisas que eu, me respeita e gosta de mim como eu sou, e vice-versa.
Não deixa esse manipulador fazer isso com a sua vida. Você não é obrigada a fazer sexo porque outra pessoa quer. A vida é muito longa, e cada ano, cada mês, coisas diferentes acontecem. Sinceramente, você quer estar ao lado de um cara que diz que vai te "arrebentar"? Um cara que diz que te ama, mas "quer te ver sangrar"? Quem é que ama e diz uma coisa dessas a quem ama? Ele só quer te manipular, acabar com a sua auto-estima. Tenha fé em si mesma. Apesar de todos os prognósticos, existem sim caras legais por ai. Dê tempo ao tempo, faça as coisas de que você gosta, de divirta. Não deixe alguém assim brincar com a sua vida e ameaçar seu corpo.

Rodrigo disse...

Não iria nem comentar neste post por que sinto exatamente o que a anônima das 20:47 descreveu. Não, não é legal e também não sou sem noção ao ponto de ir falar com ninguém que está se matando aos poucos, mas é como eu me sinto. Me sinto assim também com relação à bebidas e cigarros. Enfim.

Mas essa anônima do namorado possível abusador foi demais.

27 de novembro de 2014 12:22

Garota, você é tão nova e já está se submetendo a um cara sem noção? Esse cara está sambando na tua cara, mostrando todos as características de que é um verdadeiro merda e você diz "ah, mimimi porque amo ele". Por favor né. Apenas PARE, pense e dê um chute nesse lunático aprendiz de mascu. Aprenda a pensar racionalmente desde bem jovem, isso te poupará de muito sofrimento e arrependimento. Com o tempo, sendo nerd ou não, tu encontra um cara bacana que te respeite, namora de novo e perde a virgindade na hora que quiser, e não por que está sendo pressionada. E isso não é nem um pouco difícil de acontecer. Apenas tenha paciência e coloque a cabeça para funcionar. ;)

Anônimo disse...

Oi gente, sou eu a anon de ontem que falou do namorado. Me chamo Carolina :)

Antes de tudo, queria agradecer a todos os comentários.

Bom, eu realmente sou uma pessoa insegura, fui muito zoada na infância, inclusive por pessoas da minha família, confesso que auto estima não é o meu forte =/

Esse meu namorado foi o primeiro (pelo menos no início) que me deu algum tipo de apoio, quando começamos ele parecia realmente interessado em me entender.

Eu fico meio confusa pq as vezes ele me trata super bem e do nada ele muda o jeito dele, e eu tenho a tendencia de achar que o problema sou eu =/

Realmente não é fácil de terminar com ele,já pensei nisso, mas toda vez que eu vou tentar ele começa a fazer drama e eu fico com dó, cheguei a duas vezes realmente querer terminar mas ele ficou no meu pé tanto mas tanto, que eu voltei vencida pelo cansaço (ele ficava o dia inteiro, no face, twitter, whats e até no instagram, fora os zilhões de presente que ele mandou - que eu recusei todos)

Queria agradecer em especial a Fernanda pelos links, eu li todos e pensei muito neles e para Eva.

Eu também sou a nerd do tipo "clássica", gosto muito de Tolkien, RPG, Star Wars e video games, gosto de línguas, estou estudando alemão e pretendo sei lá, trabalhar traduzindo livros dessa língua para o português.

Também queria agradece a você Lola, pelo espaço.

lola aronovich disse...

Carolina, querida, tudo isso que vc descreve nele são indícios batidos de um cara manipulador e, desculpe dizer, perigoso. Todos os abusadores começam sendo caras legais, gente fina, que se interessam pela mulher. Se não fossem assim, as mulheres não ficariam com eles logo no começo, porque não é todo mundo que tem vocação pra masoquista. É muito normal nos relatos de abuso ouvir da mulher que "ele foi o único que me tratou bem, que me elogiou, que me fez sentir especial". Isso é ótimo. O problema é que alguns caras usam isso pra isolar a mulher do convívio com outros, e depois começa a minar sua autoestima. O "vc é tão especial" vira "ninguém vai te querer". Isso de mudar o jeito de repente muitas vezes é proposital. É um teste pra ver até onde vc aguenta, quais são os seus limites. Típico de manipuladores. Sinceramente, eu acho que, por tudo que vc narrou aqui, é melhor terminar com ele JÁ. Como eu disse -- e vc comprovou -- ele vira stalker ao ser recusado. Isso pode ser muito perigoso. Quanto mais tempo vc ficar com ele, mais perigoso será. Parte pra outra, Carol. Pode acreditar que vai surgir um carinha bacana.

Anônimo disse...

interessante mas vai irritar os veganos e afins:

http://www.nutrinforma.com.br/caldo-de-osso-vira-fast-food/#more-1166

Anônimo disse...

"Mas me entristece não poder apreciar um hambúrguer com os meus amigos no final de semana,"

Ainda se fosse um baba ao rum, um strogonoff de fillet mignon com batatas dorê no capricho, uns camarões empanados, vá lá. Mas se entristecer por causa de pão com carne???

Anônimo disse...

Estou vendo que em geral os comentários recaem sobre a decisão individual de fazer ou não a cirurgia. Mesmo quando mencionam a pressão da sociedade, sempre remetem à capacidade do indivíduo resistir ou não a tal pressão...
Estava aqui pensando no papel da Medicina nisso tudo... Acho que a Medicina precisa rever severamente os protocolos. Não entendo porque a cirurgia precisa ser tão drástica, tão irreversível. Porque o protocolo não inclui os seis meses com balão gástrico preliminarmente, para ver como a pessoa reage? É como se a Medicina quisesse recriar pessoas do zero.

Anônimo disse...

Estou vendo que em geral os comentários recaem sobre a decisão individual de fazer ou não a cirurgia. Mesmo quando mencionam a pressão da sociedade, sempre remetem à capacidade do indivíduo resistir ou não a tal pressão...
Estava aqui pensando no papel da Medicina nisso tudo... Acho que a Medicina precisa rever severamente os protocolos. Não entendo porque a cirurgia precisa ser tão drástica, tão irreversível. Porque o protocolo não inclui os seis meses com balão gástrico preliminarmente, para ver como a pessoa reage? É como se a Medicina quisesse recriar pessoas do zero.

Fernanda disse...

"Apenas tenha paciência e coloque a cabeça para funcionar."

Só podia ser um homem pra achar que reconhecer um relacionamento abusivo é questão de inteligência ou racionalidade. Reveja a sua linguagem antes de aconselhar como uma mulher deve agir frente a uma violência machista, você ignora todos os fatores sociais envolvidos no caso e põe toda a responsabilidade sobre os ombros de uma menina. Não é assim que se muda alguma coisa, ninguém lê "larga esse cara pra ontem" e faz isso, primeiro a pessoa precisa reconhecer sua situação e se empoderar a ponto de conseguir romper o relacionamento. Então, novamente, antes de falar pelas mulheres... não, apenas não fale pelas mulheres.

Anônimo disse...

Estes protocolos de cirurgia bariátrica são criminosos. Só o Min. da Saúde não sabe. Remoção de estòmago, por exemplo, é causa de INVALIDEZ PERMANENTE. Estamos produzindo uma população de inválidos e levando a óbito outros tantos graças ao tripé formado pela indústria alimentícia, indústria farmacêutica e pela medicina da mutilação.

Eva disse...

Oi Carolina :) Prazer!

Eu sei que às vezes é difícil. Mas você vai conhecer muitos caras de todas as idades e jeitos tão nerds quanto você e que vão curtir as mesmas coisas - e que não vão te pressionar e nem te fazer se sentir triste. O mundo é grande, e hoje temos o benefício da Internet. Na minha época, o ápice social dos nerds de SP eram os eventos de RPG e convenções como a JediCon para conhecer gente diferente. Hoje a gente se tromba com pessoas com os mesmos gostos em vários lugares online, então tente não ficar triste e nem achando que ele é o único na sua vida.

Eu entendo a sua vontade. Eu tinha a mesma, e hoje, depois de muitos problemas (inclusive ex-namorado manipulador como é esse seu), hoje eu trabalho com tradução e revisão de coisas nerds para o português. E tenho muitos amigos e o namorido que curtem as mesmas coisas que eu.

Não se isole dos seus amigos, e nunca desista de fazer novas amizades. Não deixa esse cara te isolar do mundo, tá? Ele vai te fazer acreditar em coisas que não são verdade. Tenha fé em si mesma, e nunca faça nada que você não queira muito fazer. Não tenha pena de quem não tem pena de você. Ele está te manipulando para que fique com ele e faça o que ele quer. Se não quer estar com ele, termina e não recebe os presentes. Bloqueia nas redes sociais e vira a página, que ele só quer te usar, te manipular e te fazer acreditar em coisas que não são verdade.

Que a Força esteja com você ;)

Denise Marinho disse...

Vou falar do meu ponto de vista, uma pessoa que AMA cozinhar e comer e que também já teve problemas por má alimentação e stress, fiquei internada e talz. E aí, como conciliar?

Acho razoável procurar uma nutricionista. A minha me ajudou a encontrar um justo meio entre a manteiga e os queijos (que a comida de qualidade exige), o álcool (que eu não abro mão) e o saudável não neurótico.

Para ter resultado tem que ter disciplina... 30 min p fazer uma caminhada todo mundo tem, se não tem, arranja, tira do facebook, sei lá, pq sem atividade o corpo apodrece.

Comida saudável e de qualidade tem de ser cara? Não! INFORMAÇÃO, povo! Pra que serve a internet?
Em são paulo temos uma coisa chamada "zona cerealista". É uma zona, no final do ano é um inferno... vá de semana! Algumas lojas de lá tem site.

Falta de tempo?
Pré-preparo: há coisas que se consegue deixar pré-prontas e porcionadas para fazer um prato completo, por exemplo: molho de tomate, carnes já temperadas (e não compradas prontas), macarrão cozido, legumes já braqueados, purês, sopas, etc.

Aparência é uma coisa que a gente muda, mas saúde não pode ser negligenciada em nome de absolutamente nada. Não vacila, Lola!

Mordred Paganini disse...

http://www.lowcarb-paleo.com.br/

Neste blog tem excelentes informações sobre alimentação low carb.
Pra mim o principal não é nem o quanto a dieta emagrece, mas o quanto ela pode ser prazerosa e saudável.

Uma das coisas mais legais é que você deixa de experimentar o ato de comer com ansiedade e a outra coisa, os inúmeros ganhos secundários.

Alergias, problemas gástricos, fadiga...Tudo isso termina após a fase de adaptação.

Low carb é amor <3

Cris disse...

Vc já tentou usar maconha medicinal? É extremamente eficaz contra dores crônicas e vem sendo usada com sucesso em muitos países. No Brasil, por enquanto, ainda é ilegal, mas tem gente que usa mesmo assim. Se quiser saber mais, sugiro que procure no youtube os vídeos da camanhã Repense, especialmente um chamado Dor. Eu não uso, planto, nada disso. Mas pesquisei bastante a respeito, pro meu trabalho e tb pq tenho fibromialgia.

Anônimo disse...

Eu não concordo que classe social seja justificativa para uma alimentação ruim. Ter uma alimentação ruim também custa muito caro, consumismo alimentar também custa um preço alto na feira do mercado, nos restaurantes, churrascarias, barzinhos e lanchonetes. O alto consumo de refrigerantes, chocolates industrializados que quase não tem cacau, muitos sacos com kgs de açúcar branco e consumo excessivo de carnes também custam muito caro. Se consumissem menos essas coisas e menos refrigerantes, frituras/bigmacs em lanchonetes poderia sobrar dinheiro para um pouco de açúcar demerara, pão integral, arroz integral e ate macarrão integral. Mas não querem fazer esta troca, querem tudo de vez. Carnes preparadas com muita gordura também tomam o tempo das pessoas, ate mais do que cozinhar legumes e verduras. Mas querem tudo e depois reclamam que só rico pode ter uma alimentação melhor o que não é verdade. Eu não sou uma pessoa rica e moro na Bahia, a renda do mês na minha casa não chega a 2.000 reais, tenho responsabilidades e muitas contas para pagar. Inclusive nem como carne e tem muita gente preconceituosa e ignorante que acha que só ricos podem ser vegetarianos. Eu também não tenho dinheiro e nem tempo para frequentar uma academia, mas faco um esforço para fazer pelo menos 20 min de caminhada pelo menos 3x por semana, quando só posso 2x tento fazer 30 min. Tento ir a pé para lugares próximos como supermercado, padaria em horários que não sejam tarde. Inclusive na Bahia existe muita pressão para se ter uma alimentação com muita gordura e de seguir o padrão de mulheres popozudas/bombadas. Muitas dessas feministas que reclamam que não tem dinheiro tem uma renda mais alta que a minha. Eu também não gosto de bebida alcoólica, o que já me ajuda bastante, tanto na minha saúde, quanto no meu orçamento. Convivo com duas mulheres obesas viciadas em refrigerantes que inclusive odeiam mulheres magras e elas nem se quer são feministas, na verdade são bem machistas. Para elas mulheres magras são todas anoréxicas, "tuberculosas" e "aidéticas". Elas também odeiam vegetarianos que para elas são todos anêmicos. Para elas quem não consome refrigerante deve ser considerado alguém "anormal"Eu que ate sempre tive simpatias pelo feminismo fico cada vez mais desiludidas sempre quando vejo ataques de feministas a mulheres magras enquanto vejo tantas mulheres gordas que odeiam feministas, e essas inclusive mesmo odiando feministas são amadas pelas feministas apenas por serem gordas. Enquanto tem mulheres que são agredidas gratuitamente por feministas apenas por não serem nem gordas. Homens machistas que falam que mulher de verdade precisam ter fartura de carnes, popozudas. As feministas se fingem de surdas e cegas quando se deparam com situações como essas.

Anônimo disse...

Depois que uma pessoa passa por uma cirurgia bariátrica passa por um período de adaptação alimentar a principio se alimentando apenas de caldos. Muitas pessoas fazem cirurgia bariátrica por motivos médicos e de saúde, mas não por estarem interessadas a mudar os hábitos, para elas comer bem é comer muito e pronto e ainda muita comida com excesso de gordura e açúcar branco, por isso não suportam o período de adaptação. Essas pessoas também não costumam gostar de fazer atividade física.
Mas existem pessoas que fazem a bariátrica com muita vontade de mudar os hábitos e inclusive veem a "necessidade" de se entupirem de comida e de péssima qualidade como uma escravidão vinda de uma compulsão incontrolável e não como um prazer, são pessoas que já percebem o quanto isso faz mal e que é possível se satisfazer com pratos mais saudades e sem tanto excesso.
Existe a doença fat-rexia/gordorexia, quando uma pessoa mesmo obesa mórbida e com riscos de saúde se acha magérrima e que se emagrecer um pouco acha que vai virar uma caveira, feia, doente. Tem muitas pessoas com essa doença no Brasil e mesmo assim ainda é pouco divulgada, não precisa nem se surpreender que as feministas não percebam e não divulguem.
Ao mesmo tempo que se critica pessoas gordas esteticamente, também existe a pressão para consumir comida de péssima qualidade, bebidas alcoólicas, refrigerantes. Por incrível que seja a maioria das feministas sem perceber são alvo desse consumismo alimentar capitalista e industrializado em excesso desenfreado de álcool, refrigerante, bigmacs, carnes e massas em excesso e que fazem parte do capitalismo selvagem. Em dizer que só é possível se movimentar gastando em academias caras para justificar sedentarismo a qualquer custo.
Passou da hora das feministas saírem da mesmice, da limitação do discurso pronto, dos preconceitos que adquiriram. Procurar conhecer mais pessoas e mais informações.

Maria Valéria disse...

Existe SIM, cirurgia bariatrica mal indicada e realizada sem o mínimo preparo de uma equipe multiprofissional ( nutricionista e psicólogo, no mínimo ) - resultado : a pessoa sai da cirurgia insatisfeita porque NÃO curou a compulsão alimentar . ( não sei se a autora do post recebeu esses cuidados; mas pelo peso e altura me parece que ela tinha sim, a indicação de cirurgia ).
E para perder peso é preciso SIM ter força de vontade. Não desmerecendo quem não conseguiu, evidentemente.
Mas emagrecer é um saco. E haja autocontrole . eu perdi 6 quilos em 2011 e no ano seguinte engordei tudo de novo.
Agora estou voltando a emagrecer, fazendo uma dieta mais variada e mais equilibrada . ( a dieta que eu estava seguindo era muito insossa e monótona, uma hora eu ou qualquer pessoa ia enjoar mesmo).
Haja autocontrole,haja saco para: escutar besteira , ver cara feia dos outros quando você recusa um doce, quando você não entra na festa de aniversário que fizeram pro seu colega de trabalho pra se entupir de bolo e salgadinhos, para não comprar as trufas que vem vender no seu serviço, os salgadinhos feitos em casa por colega de trabalho, e por aí vai : " como você e fresca, come só um pedacinho você não precisa emagrecer, você ta ótima,você ta gostosa,seu namorado não reclama !" Mimimi, e por aí vai.
Haja saco pra não sair de casa toda semana,em happy hour e se for comer azeitona em vez de coxinha, pastel, .por aí vai, pra não ir em churrasco, festa, pizzaria e o escambau e se for ter se alimentado antes em casa pra não pisar na jaca,
Precisa de força de vontade SIM, porque o mundo aí fora, seus amigos, namorado, e as vezes até sua família não estão nem aí se você quer perder peso,me ficam te criticando e até empurrando coisas pra vc comer, se sentido ofendidos se vc recusa.
Bem, quanto a comida saudável eu discordo de quem falou que e caro, eu tive a experiência contraria, só comia porcarias , junk food, comida congelada, delivery, a partir do momento que comecei a cozinhar minha própria comida meus gastos não só diminuíram como passei a me sentir melhor e a não ficar mais passando mal do estômago toda hora, como acontecia quando eu me entupia de porcaria. Não consigo mais comer coisa cheia de molho, de manteiga, de creme,de óleo, porque me faz mal. Cozinho somente para mim, moro sozinha e isso facilita, imagino que pra quem tem família e um pouco mais difícil acostumar a família toda a comer a mesma coisa, minha comida e bem sem sal e com pouco tempero, mas eu gosto assim. Não perco tanto tempo ao cozinhar não, faço pratos simples . Não freqüento academia, mas caminho 40 min na praça em frente a minha casa, 3x / semana, ou mais .
No começo do ano eu estava com sobrepeso,(69 kg pra 1.66 m), agora estou em torno de 67, sai do sobrepeso e daqui a alguns meses espero voltar pros meus sonhados 60 kg,
Não e fácil, mas pra mim o esforço compensa.
Abraços .
Ps : até há pouco tempo atrás eu tava em um relacionamento , agora estou sozinha. Ele nunca havia reclamado, nem quando eu estava no sobrepeso. ,as a decisão de emagrecer foi minha, to nem aí se pro outro eu to ' gostosa,' quem tem que se sentir bem sou eu, e não sou carne exposta no mercado nem to aqui nesse mundo com a única missão de ser gostosa pra agradar marmanjo.

Anônimo disse...

Não recomendo a cirurgia bariátrica nem para meu pior inimigo.
Meu pai fez e se tornou alcoólatra depois disso.
A cirurgia resolve um problema físico reduzindo o tamanho do estômago, mas não resolve o problema psicológico que é a compulsão alimentar.
Meu pai é emocionalmente desequilibrado e descontava na comida. Como agora ele não pode mais comer, desconta na bebida, porque ela tapeia a sensação de fome que ele reclama ser uma constante em sua vida após a cirurgia.

Anônimo disse...

A moça toma fôlego para pedir ajuda e pessoas oferecem receitas de dietas e exemplos de "como a vida é feliz sendo saudável do meu jeito!"? Como é? Tão confundindo o assunto com religião, é?! Peso maior ou menor não é sinônimo de felicidade! Nem de saúde!
Grupos de apoio, psicólogos e saúde para vc flor! Saúde, não estética, viu?! Sou gordinha (?)(1,64m e 63kg), tenho visão dismórfica de mim (sempre me vejo obesa independentemente da balança), já fui anoréxica (pesei 49kg), e luto pelo meu empoderamento! Sei que meu peso tem estrita ligação com minha cabeça... Emoções! Lidar com elas é mais difícil que só fazer dieta!
Nenhuma relação com preguiça, sedentarismo, dinheiro ou tempo! Mas quero saúde! Paz e bem!

Anônimo disse...

Sejamos sinceros. Não existe gordx saudável. O que existe são pessoas que ainda não desenvolveram nenhuma doença relacionada a obesidade.
Eu sou obesa mórbida, meu IMC é 45. E eu posso dizer NÃO É FÁCIL EMAGRECER. Eu sou viciada em comida, eu não consigo parar de comer.
Antes da cirurgia bariátrica é feito um acompanhamento multidiciplinar com psicologo, endocrino, gastro, cardio, nutricionistas e nutrólogos. A ANS tem um protocolo bem rígido para indicação cirúrgica. E existem dois tipos de bariátrica a bypass (que diminui o estômago e desvia o intestino) e a sleev (que apenas diminui o estômago).

A taxa de mortalidade da cirurgia bariátrica é entre 0,5 e 1%. Mas a taxa de mortalidade por comorbidades é de 13%!!!!!
Eu vou fazer a cirurgia porque eu não consigo andar, não consigo subir escadas, tenho dificuldades até para me limpar no banheiro.
Pensem muito bem antes de demonizar uma cirurgia que salva vidas.

Algumas pessoas apontam o fato de tomar vitaminas para o resto da vida como um contra.
Entre tomar remédio para tireoide, diabetes, colesterol, pressão entre outros eu prefiro me entupir de vitamina para o resto da vida.

E a mocinha do post precisa procurar um cirurgião dela, porque não é normal vomitar assim. Provavelmente ela precise aprender a mastigar ou dilatar um pouco o estômago.

FABRICIO372 disse...

ADORO MULHERES GORDINHAS!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

O que acontece é o seguinte. A porra da mente nossa é muito confusa eu com 19 anos e 150 kg fiz a bariatrica sim e estou pouco me importando com os magrinhos ou não de plantão que dizem: Tao nova deveria ir p academia hahaha. Eu sempre fui gorda até quando pequena, nunca vesti a porra de um jeans, nunca fui feminina mas sempre fui bem tratada por ser legal... Parecer aquela que não liga pro peso.. Q ri que brinca hahaha mas e no fundo? Vcs acham que eu não gostaria de ir p academia? Estar lá ver meu corpo mudar me sentir bem, saudavel e feliz? Eu li tanta merda no comentario que por um momento não acreditei que voces não conseguiriam enxergar alem disso. A pressão psicológica que sofremos voces nao sabem de nada. E o pior? O mais forte que seja a sua superfície não adianta porra nenhuma. Quem faz bariatrica tem que ter peso. Tem que ter doenças. Nao tem que ter mais saídas, ngm vê isso? É claro que muita gente morre, ue!!?! Estava bem psicológicamente? Tratou a maldita da depressão? Ta se hidratando? E os gordinhos que fazem a bariatrica e não emagrecem mais, procura saber se eles estão bem psicologicamente se mudaram a rotina.... Se fizeram exercicios depois de 6 meses. Vai ver lá a vida da pessoa. Pois vou te falar no meu caso, um corte de 12cm não é pouca coisa. Eu não sinto dor, eu não sinto fome eu sei que o tempo é essencial... mas e se eu não cuidar? E se eu amanhã quiser ir na geladeira e morder um pedacinho de um frios que esteja lá? Sabe o que acontece? Com 5 dias somente de bariatrica sendo 20 de dieta liquida eu simplesmente morro. Não vou mentir sempre aparentei ser forte, bonita, com postura o suficiente p defender Deus e o mundo mas em casa tudo caia. Ja perdi AMIGOS por dizerem que me amam que me aceitam como sou e que querer namorar comigo mas e o psicológico deixa acreditar? Eu abri mão de tudo com muito orgulho meus queridos. Eu sei que em uma noite de sábado nunca vou poder sair e comer aquele lanche com meus amigos... Sei tb que de um dia pro outro eu poderia ter um infarte.. Opçoes de exercicios no meu caso? Somente nataçao. Vcs sabem como é vestir um maiô numa aula de nataçao com adolescentes? ?? A crueldade que certas pessoas tem é deprimente. Eu fiz a minha escolha, morrer ou morrer estava nas duas opçoes. Escolhi aquela que tive certeza que se morresse eu iria morrer feliz. Agora, sei que muitos vão ler e pensar no seu caso é aceitavel fazer a bariátrica.. Mas não se esqueçam queridos, no fim todos temos medo e inseguranças quase iguais. Sem contar os problemas por engordar. Preste atenção. Quem olha p mim não sabe o que quando criança eu já passei. E pra terminar feminismo e machismo complicam tudo. Queria é que fosse a liberdade de escolha do que te faz FELIZ.

Anônimo disse...

Vou fazer em breve e sinceramente não acho q seja um atalho ou a forma mais fácil. Pelo contrário, acho q è preciso coragem, muita coragem mesmo.

E quem fala que è falta de força de vontade não entende q obesidade è uma doença. Comer è um vício, só q diferente dos outros não se pode parar de comer. Então imagina como è complicado?
E sempre fui gorda, quando criança tinha q usar roupas de 1 número acima do meu, com 3 anos minha mãe não me pegava no colo, de tão "gordinha" .
Tenho 28 anos e estou com pressão alta e cheia de problemas, já fiz todas as dietas, já fiz exercícios,nutricionista e endocrinologistas. Praticava vários esportes.E daí? Nunca fiquei mais de 1 ano em um peso aceitável.

E ainda tem gente q fala q è a opção mais fácil, só que não è. È a última!

Leticia Melo Santos disse...

A sua primeira frase foi medíocre.. Tomara que você tenha que engolir suas limitações e preconceitos um dia pra sentir na pele o quão ridículo foi seu comentário 👍🏻

Anônimo disse...

Tb me sinto assim com vergonha do meu marido , parececq estou pesando toneladas

Bruna Ferraz disse...

Só li verdades! Amei seu comentário. Vivi esse drama antes de decidir a bypass, ainda estou no processo (acredito) e para Sempre estarei mesmo depois de ter feito a cirurgia. A gente sempre se pergunta mil vezes: - Pra que porra de verdade eu estou fazendo isso? Será que é só por mim? Acho que a resposta é um NÃO bem grande e perturbador. Mas, sigamos.

Eduardo Conesa disse...

Fiz a cirurgia há exatos 21 dias...
O maior medo é exatamente o que você teve, o da nova falha, mesmo depois de uma decisão tão drástica.
Tinha 160 kg, a perda em uma semana foi de 10 kg, isso nos anima, mas o olhar e a relação com a comida ja passou a ser de tristeza, por que mesmo quando houver a liberação dos alimentos, o velho prazer de degustar um hambúrguer por exemplo, como você mesma mencionou, não creio que existirá mais.
O maior desafio para um obeso, é descobrir outros prazeres na vida, além da comida, pois apesar de parecer severo dizer, um gordo sempre atrela a comida a suas atividades de lazer, assim sendo a vida como um todo tem que mudar.
Minha decisão foi um pouco por mim, pois sei que o fim do caminho que trilhava não seria bom, mas principalmente pela minha filha. Não posso ser alguém a se imitar, sendo um homem de 160 quilos, não quero isso principalmente para ela.
No final das contas, muita coisa se ganha, mas obviamente, nada é feito apenas de ganhos, não se pode esquecer de colocar na balança as perdas que vem com essa decisão...

Boa sorte...

um beijo

Edu

Anônimo disse...

Pra quem condena a cirurgia, ela não é o mal, pelo contrário, ela muitas vezes representa a última saída depois de anos de tentativas frustradas pra perder peso. O mal somos nós mesmos, tudo na vida tem um preço, não dá pra pensar que mantendo os mesmos pensamentos e hábitos iremos ter uma vida maravilhosa, como se a cirurgia fosse a solução de todos os nossos problemas. Primeiro, todo compulsivo alimentar tem fortes problemas emocionais, muitas vezes também tem depressão, ele sente fome, ele sente um vazio e tenta preencher esse vazio com a comida. E nos resta a pergunta: do que vc sente fome? O que te faltou ou falta? Não adianta tratar o corpo e esquecer de tratar a mente, o autoconhecimento é o alicerce de qualquer tratamento. Mente saudável, corpo são. Esse é o maior problema de pessoas que voltam a engordar ou que substituem a compulsão por comida por outro tipo de vício. E a depressão vem mesmo, depois de enxergarem que o problema não estava no peso, que a sua vida não se tornou melhor porque emagreceu, que ela continua sendo a mesma pessoa, com as mesmas questões e problemas, só que agora mais magra. E muitas vezes daí tb surge a não aceitação, a não aceitação da vida, a não aceitação das pessoas e a não aceitação de si próprio. Na verdade é muito fácil julgar a sociedade quando nós mesmos não nos aceitamos. Eu fiz a cirurgia à 6 anos, na época emagreci 50 kg, achei que daí em diante minha vida seria como sempre sonhei, ledo engano! Fiz pq queria ser aceita, admirada, cobrava dos outros coisas que nem eu mesma me dava! E de fato o fui, mas eu não me aceitava, essa era a questão que eu não entendia, foi preciso passar pela experiência pra entender, da qual não me arrependo, faria de novo se fosse preciso, além do mais, por causa da cirurgia adquiri além do autoconhecimento, hábitos mais saudáveis, hoje sou vegetariana, me alimento apenas para nutrir o meu corpo, não para sentir prazer! Comer demais causa doenças, comer bem menos que o necessário, enfraquece o corpo, há que se encontrar o equilíbrio!

Rita Mota disse...

Prezada,

Fiz um perfil no site abaixo para arrecadar fundos para o pagamento da minha cirurgia bariátrica, pois o plano de saúde não liberou.
A participação é livre, o valor é livre, o compartilhamento é livre.
Por favor contribua e divulgue entre seus amigos.
https://www.vakinha.com.br/vaquinha/cirurgia-sleeve
Muito obrigada!
Rita Mota

Erick disse...

Então, li o relato, eu não ia comentar nada aqui porque dezenas de pessoas já comentaram, mas acabei por querer deixar como está sendo minha experiencia.
Bom eu tenho 1,85m e pesava 161 Kilos. Isso no começo do processo para a cirurgia, eu emagreci 18 kilos antes da cirurgia em um mês, eu fiz a cirurgia a 10 dias atras... Eu sou um homem sempre muito bem humorado, sempre de bem com a vida e com um sorriso no rosto.
Eu tava determinado a fazer a cirurgia, mas antes mesmo de fazer ela, alguns dias antes eu fiquei meio que desnorteado, eu comia aquela sopa batida da dieta pré cirúrgica e pensava: Eu gosto tanto de culinária, de cozinhar, de comer coisas gostosas... E agora to comendo isso aqui?
Pois bem, ainda assim, fiz a cirurgia, já tinha gasto muito dinheiro com exames, consultas e afins para desistir agora... Não sei ainda se fiz o certo. Não sei se estou arrependido, mas desde o dia da cirurgia eu não mais sorrio, não mais sinto alegria pela vida.
Poxa eu só tenho 22 anos eu deveria estar feliz por que daqui uns meses eu finalmente vou poder usar roupas que eu sempre quis, mas o preço que paguei é alto demais para isso.

Assim, a cirurgia ajuda muito na saúde, mas oque tenho pensado é, do que adianta viver saudável e triste?
Enfim, espero que as pessoas que irão passar por isso, tomem cuidado e boa sorte.
As que se sentem bem com o próprio corpo, continue assim. Você é feliz

Elis disse...

Eu fiz a cirurgia tem pouco mais de um mês e acho que estou me encaminhando para transtornos alimentares. Não porque eu me veja mais gorda do que estou ou tenha medo de não emagrecer.

Eu simplesmente passei mal demais. Não me adapto à alimentação. A comida se tornou fonte de angústia e sofrimento. Tudo me entala, me enjoa. Forcei vômito tantas vezes pra aliviar enjôo... deixei de comer tantas vezes por medo de passar mal...

Eu falei sobre isso com o cirurgião, a nutricionista e o psiquiatra. Todos só dizem que é normal, depois que eu me adaptar a alimentação vai passar, mas não tenho vontade de comer nem de fazer nada, só de ficar deitada. Até cheiro de certas coisas me enjoam. Tive desidratação e voltei pro hospital. Estou perdendo peso mais rápido do que deveria. Me sinto exausta, sem forças.

A única profissional que tem me escutado sobre isso é a psicóloga, que tem buscado fazer um trabalho nas causas disso, e buscar as raízes disso nos meus comportamentos anteriores à cirurgia.

Minha esperança é que, realmente, seja uma fase, eu comece a tolerar melhor a comida é consiga manter o mínimo para uma alimentação saudável, e possa criar novos e bons hábitos.

Ela vai fazer cirurgia? Sim!!! disse...

Tenho 30 anos, há dez anos venho engordando taxativamente, tentei e SIM tentei vários tratamentos para perda de peso, com remédios, dietas, passando fome, academia, todos em vão. Em meses.perdi no máximo 12 kilos. Hoje me encontro com hérnia de disco, problemas no joelho, já tive trombose pós parto. Escutei de alguns médicos:Cirurgia para que? Assim como escutei de outros: Vc precisa de cirurgia, enfim, dúvidas tenho muitas, medos, insegurança. Mas o pior que esses sentimentos é o fato de não poder ser uma pessoa saudável, ativa,como um dia já fui. As pessoas que falam que só não emagrece quem ñ quer não tem noção do que dizem, cada metabolismo é diferente, todos somos diferentes, se são magros por conseguir se manter magros meus mais sinceros parabéns, mas eu não sou...e exijo respeito pelo simples fato de dar o respeito que todos merecem.
Estou no aguardo do retorno de meu plano de saúde para a liberação da cirurgia e espero que seja um retorno positivo. Ñ vou pensar nos relatos negativos, não vou me fixar aos positivos, vou apenas fazer oque estiver ao meu alcance para a minha realização pessoal, se der certo e eu ñ passar mal como duas conhecidas que fiZeram a bariátrica, show de bola, parabéns para mim, se passar mal e tiver restrições, pois agora, terei de encarar, serão os efeitos de algo que fiz e caberá a mim tratar disso da melhor maneira e continuar vivendo da melhor forma possível.
Pois como diz aquela música: Vida...é bonita e é bonita!!!!

Helena Nissental disse...

Uma M - fiz e me arrependo - não tecomendo pra ninguém , ninguém mesmo !

Anônimo disse...

pq se arrepende? teve complicações?

Edu Condsa disse...


Fiz um comentário aqui há 10 meses...
Estava sob os efeitos iniciais da cirurgia, o período de adaptação...
Hoje minha relação com a cirurgia é outra.
Veja bem, não estou aqui para fazer apologia, ou incentivar alguém, estou aqui para relatar o meu caso, que pode servir de referência.
O início de fato foi ruim, mas com o tempo, de forma gradativa a vida vai se adaptando, sempre para melhor...
Até agora eliminei 57 quilos e até a forma como vejo a vida melhorou... Portanto no meu caso o balanço é muito positivo e sei que isso vai de caso a caso.

Anônimo disse...

Eu, tenho 21 anos e pesava 97kg com 1,55m, tenho uma semana de operada e já perdi 7kg, eu estou muito feliz e realizada com a minha decisão, porém confesso que é difícil, manter no caminho e não cair em tentação, mas tenho certeza q futuramente será minha maior alegria possível

Anônimo disse...

Meu Deus o mundo esta rotulando as mulheres "magras sim e gordas não" só quando jesus voltar que isso vai acabar

Sara Ribeiro Sandroni disse...

Bom a primeira coisa que devemos fazer é entender como a cirurgia funciona. Existem várias técnicas mas nenhuma delas faz milagres por ninguém.

No meu caso a cirurgia foi só o começo, tenho 30 anos, 1,58 e estava com 96 kgs, IMC de 40 que já indica obesidade morbida, apesar de fisicamente ninguém imaginar isso.

A cirurgia não te emagrece e não é o caminho mais fácil como li em vários posts aí acima.
Gostaria muito de ter conseguido a força de vontade que tenho hoje para manter minha dieta e meus treinos sem nenhuma operação.
Acredito que o mais importante é a participação da família, precisamos de pessoas perto da gente que ao menor sinal de alterações de humor nos encaminhe para ajuda especializada.

Já perdi 18 kgs em menos de 3 meses, mas não acredito que tenha sido só a cirurgia, treino 5 x por semana, sigo uma alimentação balanceada e isso mudou minha vida e de toda minha família.

Bom, no meu caso só tenho a agradecer a decisão que tomei! Tenho certeza que vou poder ver meus filhotes crescerem e poderei acompanhar as brincadeiras sem sofrer, rsrs.. Tenho dois meninos um de 2 anos e um de 8 anos, quem tem filhos sabe que precisamos de muito pique pra acompanhá-los...

Boa sorte pra você!!

Anônimo disse...

Dumpig passa mau com açúcar e gorduras justamente para não comer e engordar .. anel ta menos usado hoje em dia as técnicas mais usadas slleven e baypass.sem anel.depende a saúde da pessoa ela ou faz ou morre.entao qdo se da pra tentar outras alternativas perfeito ..e não é a Saída de muitas comodidades(doenças da obesidade segui grupo bariatrica sem censura face

Anônimo disse...

Olá. Vendo os posts aki resolvi comentar. Fiz redução há exatamente 1 ano e 8 meses, fiz bypass. E sua perg sobre " se é um bom preço a se pagar"... longe de mim desanimar ninguém. Mais miinha vida melhorou e piorou depois disso. Sempre fui gorda obesa. Sempre me exclui d tudo e todos mimha vida era um inferno devido a gordura. Nao podia sentar em qw lugar um inferno. Depois q operei os primeiros meses foram de lua de mel. Depois de 7 a 8 meses começaram. ..entrei em depre ao ver q meus cabelos ja eram. E isso foi vindo ate aki com 1 ano e 8 meses. Minha vida continua a msm pq nao consigo me ver magra e eliminei 80kg juntos com os 80 kgs foi a minha saúde. Hj saiu sorrio mais la dentro sei q estou em pedaços. Meu estomago doi s tants remedio. Meus cabelos ja era...tenho dentes quebrando pela falta d vitamina. Nao ha o q fazer mais. Nao me vejo magra. Murchei perdi a saude mes dentes estao ruins. Tenho dores q com a obesidade nunca tive. Fraqueza. Levanto d qq lugar minhas vistas escurecem. To mal por isso. Odeio isso e nao sei se amo mais. Pq ganhei coisas q posso considerar supérfluas pq comlra roupas e namorar em troca d vc poder dormir sem dores ou olha p espelho e ver q seus dentes estao bons. Nao sei o q pensa. Quem kiser me add p conversar 16.992202977