sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

"COMO PASSO POR ISSO E SIGO A MINHA VIDA?"

J. me enviou este email:

Querida Lola, queria começar esse email lhe agradecendo pelo excelente blog e por ser uma pessoa fantástica. Também gostaria de me desculpar por gastar seu precioso tempo com a minha história.
Tenho 21 anos e comecei a namorar com 13, mas era um namoro infantil (ele tinha 15 anos na época), com tentativas frustradas e beijos, e não passou daí. Apesar de ter namorado cedo, eu sempre fui muito inocente, minha família não teve nenhuma conversa sobre sexo comigo. Dá pra imaginar que a minha cabeça era cheia de dúvidas que eu não tinha coragem de perguntar pra ninguém, e por isso fui aprendendo as coisas "na marra", o que resultou nessa jovem ainda muito insegura em relação a sexo.
Outro fato importante é que eu sempre fui gorda (não gosto que falem “gordinha”, parece que estão amenizando um defeito. Sou gorda e pronto) e agora, por causa de problemas de saúde, estou precisando emagrecer, felizmente estou conseguindo e ficando mais saudável, mas a minha autoestima só foi melhorando quando conheci o seu blog há uns dois anos (muito obrigada). Ainda é difícil me sentir sexy “o suficiente”.
A história em si aconteceu quando eu tinha 14 e tinha terminado com o meu primeiro namorado. Eu estava triste e com raiva porque ele estava namorando outra menina, e o namoro deles fluía mais que o nosso. Foi nesse momento que surgiu um conhecido meu que tinha 18 na época e pediu pra ficar comigo. Eu aceitei por estar chateada, o que já não é um bom motivo. Nos beijamos por um tempo e pronto, pra mim acabou ali, mas para ele não.
Quando nos encontramos de novo, dias depois sem nenhum contato, em um lugar onde eu, ele e vários outros amigos se reuniam para jogar fliperama, ele já veio me beijando, sem dizer nem um “oi”. Fiquei sem saber o que fazer, apenas o beijei de volta. Só que aí que a história se complica, porque sem me dizer nada ele colocou a mão no meu peito por baixo do sutiã, na frente de todo mundo. 
Eu fiquei apavorada, só pensava “ele vai perceber que eu não quero, ele vai parar”, mas ele não parou. Então meus pensamentos mudaram para “isso deve ser normal, todo mundo deve fazer, eu não tenho que ficar desse jeito”. Eu ainda tinha a mentalidade de que sexo era para agradar os homens e não as mulheres. Só que o desconforto não passou.
Depois disso evitei esse rapaz de todas as formas e continuo evitando, tentei bloquear essas lembranças e deixar isso de lado, nunca contei para ninguém. Eu estava conseguindo viver uma vida normal.  Até que -– talvez por essa perspectiva de estar emagrecendo -– eu tive um pesadelo em que eu estava magra, dentro dos padrões, e ele aparecia e me estuprava em um local público. Ele me dizia: “fiquei com você feia, tenho o direito de ficar com você bonita”. Eu chorei a noite toda e estou com dificuldades para dormir há uma semana.
Foi assim que decidi que não ia me fazer bem guardar essa história, que eu precisava assumir que fui abusada sexualmente, que ele errou em me tocar. Mas ao mesmo tempo vem a culpa, a ideia de que eu poderia ter falado e não falei, o pensamento de que talvez, se ele soubesse, não teria feito. Então, Lola, preciso da sua ajuda: será que estou fazendo tempestade num copo d’água, ou meu sofrimento é legitimo? Como eu passo por isso e sigo a minha vida?

Minha resposta: É muito comum que pessoas com autoestima baixa permitam que gente mal-intencionada faça com elas o que outras pessoas não permitiriam. Infelizmente, acontece com frequência.
E também é comum que, quando a gente tá emagrecendo ou engordando, ainda mais quando se é jovem, isso mexa muito com a nossa identidade. Por isso que é tão importante, antes e depois das cirurgias de redução de estômago, um acompanhamento psicológico. Porque como deve ser pra uma pessoa que sempre se viu (e foi vista) como gorda de repente estar magra? Claro que isso mexe com a gente. Está mexendo contigo, o que explica seu pesadelo.
Se alguma coisa te faz mal, tira seu sono, te faz chorar, então seu sofrimento é legítimo. Quem decide se seu sofrimento é legítimo ou não, aliás, é você, mais ninguém. Não sei se seu pesadelo está mais ligado ao abuso sexual que você sofreu ou com sua ansiedade em ser uma pessoa diferente, magra. Se realmente estiver relacionado com o abuso sexual, saiba que, se o cara que te fez isso chegar pra você, você pode reagir. Prepare-se para reagir. Ele não tinha nenhum direito de fazer aquilo com você quando você era gorda, e não terá direito algum quando você ficar magra. 
Portanto, em vez de reviver esse abuso na sua cabeça, por que você não muda o roteiro (você tem esse poder dentro da sua cabeça) e reconstrói a lembrança? Pense nele tentando fazer o que fez e você não se calando. Pense numa reação diferente, você empurrando o idiota, por exemplo, e saindo de lá de cabeça erguida. Pense num cenário empoderador. 
Agora -- já que esse é o seu pesadelo -- pense no sujeito chegando pra beijar e agarrar você magra. Pense nele dizendo "fiquei com vc feia, tenho o direito de ficar com vc bonita". E pense numa reação diferente sua. Agora você não se cala mais. Agora você dá uma joelhada entre as pernas dele (legítima defesa) e, enquanto ele está no chão curvado de dor, você diz pra ele "Eu não era feia antes, só tinha autoestima baixa, e você não tem o direito de ficar com ninguém sem consentimento". Ou pense o que você diria com suas próprias palavras. E então você vai embora do fliperama pra nunca mais vê-lo, enquanto os amigos aplaudem sua atitude.
E aí, qual cenário você prefere?
Claro, isso é tudo no campo das fantasias. O mais sensato é nunca mais ver o cara. Mas, se esse é o seu medo -- ser estuprada por ele quando você ficar magra --, sinta que esta não é sua única escolha. Você pode, e deve, reagir.
Pense nesses cenários de vingança até que você possa colocar no lugar sonhos e fantasias mais bacanas. Você precisa se sentir poderosa... porque você é poderosa. 

50 comentários:

Caroles disse...

J., é claro que teu sofrimento é legítimo! Como disse a Lola, qualquer coisa que te faz sentir medo, te faz chorar, te faz sentir mal é absolutamente legítimo. E eu acredito que tu deva fazer um trabalho interno de controlar essa lembrança, de lembrar a ti mesma que tu tem o direito e o poder de dizer não, que tu não vai te calar se esse ou qualquer cara vier ser nojento contigo. É claro que é mais fácil falar do que fazer, mas acho que é por aí que começa!

O feminismo me ajudou em muita coisa, mas uma das coisas que pra mim continua meio que na mesma é a questão da autoestima. Minhas amigas dizem que eu tenho uma ideia ~idealizada~ de como é a vida de mulheres magras, porque infelizmente na minha cabeça ainda existe a ideia de que todos os meus problemas de autoestima e com relacionamentos acabariam se eu emagrecesse. Só que não sei se é idealizado, eu acho que até por tu te sentir melhor contigo mesma (se o que tu quer é emagrecer) as coisas mudam... Mas também muda o jeito que as outras pessoas te veem, o que é uma grande coisa. Só que sei lá, toda vez que eu emagreci bastante eu continuei me vendo gorda/feia. Na real não adianta nada só emagrecer, sem uma mudança da cabeça também...

Anônimo disse...

Sou gorda, mas para mim isso não é o pior. O pior é ter estrias na barriga. Eu nem tenho a barriga tão grande, minha médica diz que as estriar apareceram por uma questão hormonal... Mas são as coisas mais feias que alguém pode ter. Eu me considero deformada. Não tenho nenhuma coragem de tirar a roupa na frente das pessoas, nem das minhas amigas, nem da minha MÃE, quanto menos de uma pessoa com quem eu fosse transar (sou bi e o problema acontece com mulheres e homens... sinto que os dois julgariam). Me deixa muito triste o fato de que eu nunca vou poder ter uma relação normal com meu corpo, com minha barriga, nem agora que estou emagrecendo bastante pois comecei a correr. Nunca vou poder usar biquini, nunca vou poder usar modas em que a barriga apareça... Me dói muito.

Anônimo disse...

Dois pesos e duas medidas:

mulher passa a mão em homem sem permissão= nada demais

homem passa a mão em mulher sem permissão=abuso sexual

Paula disse...

Muita força pra moça do post! Reconhecer que o aconteceu com você foi um ato de abuso é um passo enorme, mesmo que não tenha havido penetração, foi abusivo emocional e psicologicamente. Quando um homem me acariciou na rua (após fingir ser deficiente, estar perdido e me pedir que o levasse pra casa, na época estava com 16 anos)a confiança e estrutura que eu sentia em relação a algumas coisas mudou drasticamente, muitas vezes sem que eu me desse conta ou quisesse lidar com isso. O blog da Lola também me ajudou a reconhecer aos poucos o que aconteceu, aceitar e a lidar com isso. Você pode se reerguer, acreditar em si mesma e ir adiante.
Boas energias para você!

Paula disse...

isso tudo por causa de uma mão-boba, colega?
acho que o seu problema é muito mais em relação a sua auto-estima do que um safado que não te respeitou...

jorge disse...

cara feministas estão cada vez mais frescas!
tenho certeza que se fosse o contrário n seria abuso sexual,eu mesmo já tive minha bunda apalpada sem meu consentimento na balada,n gostei mas nem por isso acho q a mulher me abusou sexualmente.

samira disse...

sou como a anon de 17:32,engordei e fiquei com muita estrias mesmo,n sei como n apareceu estrias na minha cara e as piores são na barriga,grandes e largas,parece que fui chicoteada.
odeio todas elas ,sou virgem ate hj com 27 anos,graças a timidez e as malditas estrias,n tenho coragem de tirar a roupa na frente de ninguém.

Anônimo disse...

Mão boba? Vocês não sabem ler?

Ela disse que o cara enfiou a mão POR DEBAIXO DO SUTIÃ. Se isso é mão boba pros jovens de hoje em dia estou pasma.

Anônimo disse...

Anônimo das 17:57, passar a mão?
Isso foi enfiar a mão por debaixo do sutiã e na frente de todo mundo. É como uma mulher enfiando a mão dentro da sua cueca sem vc pedir. Se uma mulher enfiar a mão dentro da sua calça/cueca na frente de todo mundo, vc vai achar que isso foi nada demais? Tipo, é super normal vc ir num bar com os amigos e uma mulher te cumprimentar enfiando a mão na sua calça/cueca enquanto tá todo mundo vendo.

Anônimo disse...

Pra quem acha que enfiar a mão por debaixo do sutiã, na frente de todo mundo, não foi nada demais: esqueçam por um momento que foi nos seios. Imagine agora que o cara enfiou a mão dentro da calcinha dela e na frente dos amigos. A sensação para uma menina de 14 anos é a mesma.

Anônimo disse...

Mais uma vez estão deslegitimizando o sofrimento da vítima?

Só pode ser troll, né?

Anônimo disse...

E infelizmente a questão não é só emagrecer. Magra vc fica "aceitável", mas os caras continuam escrotos. Um bom exemplo disso é quando um cara te passa uma cantada, ou te pede em namoro, e vc rejeita. Pq vc não ta a fim de namorar no momento, pq vc já tem namorado, pq vc já sabe que aquele relacionamento não irá adiante pcausa da incompatibilidade de ideais/personalidades ou simplesmente pq vc não gostou dele.

Eles acham um absurdo. Eles podem rejeitar todas as gordas, as feias (que eles consideram feias), tratar todo mundo mal, mas eles, os reis, não podem ser rejeitados.

Eles se acham no direito de fazer essas coisas pq como uma mulher rejeita o imenso privilégio de ter um macho do lado?

kkkkkkkkkkkkkk

Dá vontade de rir, mas é assim que a cabeça deles funciona...

Então a mulher emagrecer ajuda, pois ela se torna "desejável", mas vai continuar atraindo babaca - quem sabe até mais do que antes, por estar "aceitável".

Amiga, procura uma terapia, alguém de confiança pra desabafar... e fique bem, ok?

Juliana disse...

Falando em toques inapropriados, hj no Programa da Fatima Bernardes o assunto era ética,honestidade e tals. Um professor de ética explicava sobre comportamente e moral e bla,bla,bla, e dá um belo exemplo: "Eu por exemplo, dou aula há X anos e minhas alunas sempre foram novas, naquela faixa de 19, 20, aí já viu né? Mas a minha moral não permite que eu faça nada, agora se eu fosse INVISIVEL, aí a abordagem com elas seria outra" e todomundo ri...
Morri de nojo...porque nunca é machismo, assédio, ou abuso, é apenas falta de moral, educação, ou uma "mão boba".Aliás os mesmos caras que reclamam que feministas acusam todo homem de ser um estuprador em potencial, são os mesmos que dizem que é difícil resistir e se controlar diante de uma fêmea.

Mari R disse...

Se as mulheres não tivessem a sexualidade reprimidas há séculos e não fossem tratadas como objetos talvez uma "mão boba" fosse só uma " mão boba". Só que no contexto feminino, junto com o toque indesejado vem o constrangimento e o medo.

Qual a necessidade de enfiar a mão por baixo da blusa da menina na frente de todo mundo? O objetivo era mostrar posse, sem nenhuma preocupação com o consentimento dela.

lola aronovich disse...

Ish, que absurdo! Eu perguntei no Twitter se alguém tinha mais informações, e uma leitora me enviou o vídeo. É antes do 3,5 minuto. Não sei quem é esse Clovis, mas falou a estupidez de que "avançaria" sobre suas alunas se não fosse pego. Acho que não pegou bem. A Fatima Bernardes riu por educação, mas a cara das convidadas não parecia estar muito contente com a asneira que o prof falou.


E gente comparando o que aconteceu com a J com "passar a mão" (que também pode ser traumático)... Tem toda uma sensação de poder envolvida aí -- o que prova, mais uma vez, que abuso sexual tem mais a ver com poder que com sexo. O cara foi na J, na frente de todo mundo, e a agarrou e pos a mão por baixo da camisa dela. Ele não estava nem aí com o que ela sentia ou queria. Ele queria mostrar pros amigos, pra quem estava ali, que ele era tão fodão que podia chegar numa menina e boliná-la, sem dizer nada. É um sentimento de posse, como disse a Mari. Fliperama, abuso, bando de idiotas assistindo... me lembrou ACUSADOS, ótimo filme com a Jodie Foster.

Julia disse...

Juliana, será que esse professor foi um que foi no Jô e fez o maior sucesso? O cara falou um monte de machismo na entrevista e o povo lascando o bico. Achando engraçadão.

Julia disse...

É ele mesmo. O professor Clóvis. Lola, a entrevista que ele deu no Jô bombou. Todo mundo dizendo que queria ter um professor desses. Eu não consegui ver 5 minutos da entrevista. Eu tenho certeza que a Fátima é feminista, não sei pq ela convida esse povo. Tem um psicólogo mascu que vive no programa. Quando começa a falar mal de mulher ela rebate com toda a delicadeza, mas ele continua indo lá. Esse tbm foi no Jô e disse q mulher não gosta de ser bem tratada...

Julia disse...

Juliana, ela falou o mesmo no Jô, por isso parei de ver a entrevista. No dia seguinte a entrevista dele tava bombando no youtube e eu sem entender o motivo. O povo achando o máximo a "sinceridade" dele. Riem porque concordam. Mas cultura do estupro, não existe, imagina..

Julia disse...

A mesma coisa esse professor Clóvis, Lola. Não tá nem aí com constragimento de alunA em rede nacional. Ele já é o herói dos alunOs.

Anônimo disse...

J. dexe-me ver se entendi sua história.
Você está com 21 anos, teve um namorado com 13 e este evento com o sujeito abusado aconteceu quando você tinha 14 anos, ou seja, há 7 anos atrás? Pelo seu relato, tenho certeza de que você é uma pessoa interessante, caso contrário estes rapazes não teriam se interessado por você.
Agora, vamos separar os acontecimentos.
1) Você foi abusada, achou que ele fosse perceber que você não queria mas ele não parou. Você foi pega de surpresa, não se sinta culpada, seria, e foi, difícil reagir porque não é uma coisa que se espera que as pessoas façam, e por mais que digam você deveria ter feito isto ou aquilo, reagir numa situação destas, principalmente na idade e experiência de vida que você tinha, seria realmente excepcional. Dê de ombros e livre-se desta culpa porque ela não te pertence! Por outro lado, você não precisa achar que poderia ter falado que ele não deveria te tocar naquela situação, acredite, ele sabe disto muito bem, ou você já viu isto acontecendo normalmente por aí? Sim, ele sabia!!! Livre-se desta culpa e da vergonha, ele não teria pedido para ficar com você se não achasse você interessante e, sim, você tem algum poder sobre ele ou ele seria motivo de chacotas por fazer o que fez em público. Não poderia, mas arriscou. Dê de ombros e deixe isto para trás.
2) Menina, você misturou as coisas, o que aconteceu não tem nenhuma relação com você ser gorda! Ser gorda não é defeito e nem é ser feia (já conheci gordos lindos), se sentir bem consigo mesma está na cabeça e não no corpo. Repito, você é uma pessoa interessante! Você deve estar preocupada pelo fato de estar perdendo peso se tornar uma pessoa mais atraente e, se uma pessoa já abusou de você quando você não se sentia atraente, imagine agora que você vai estar no tipo físico valorizado pela mídia. É isto que está se refletindo no seu sonho.
Se é pela sua saúde, fique magra sem culpa, procure se sentir bem consigo mesma e guarde a dica da Lola, esteja preparada para reagir em situções em que você se sinta ameaçada.

Anônimo disse...

Bom, eu sou o tipo de mulher que sofre abusos ha muitos anos, de todos os tipos, em todos os lugares: rua, metro, onibus, biblioteca, local de trabalho. Tenho quase 40 anos e vivo as mesmas situaçoes que vivia aos 20, ou talvez pior.

Ja nem sei mais se fico traumatizada ou nao. Nunca fui estuprada, mas passada de mao, encoxada, assedio sexual de varios tipos (olhares, cantadas, stalkers, psiu, bilhetes convidando pra sair), tudo isso faz parte do meu cotidiano (ainda e apesar da minha idade).

No dia em que acontece alguma baixaria, as vezes eu transfiro o trauma pro sonho, penso no que aconteceu durante alguns dias, fico com muito odio, até esperar acontecer de novo.

Ja nem conto mais pra ninguem sobre as agressoes que me acontecem, porque tem gente que nao acredita, diz que o problema sou eu (!!!!!). Inclusive mulheres me dizem isso.

Quando acontece de algum babaca desconhecido se aproximar pra me cantar, em geral mostro o dedo do meio e resolve.

Mas quando a agressao é além do que posso suportar, chamo segurança, policia, o que der.

Acho que nunca mais vou me relacionar com homens. Lola, sei que vou parecer misandrica, mas é a minha realidade: odeio homens.

Leticia.

Anônimo disse...

tocar numa pessoa sem sua permissao = abuso.

simples assim.

Leticia.

Anônimo disse...

Lola porque você não fala mais de cinema?

Juliana disse...

Julia eu tbm detesto akele psicologo! Só fala merda, tenho raiva dele! Faz tempo que não vejo o Jô, afinal quase não vejo tv e quando vejo sempre me aborreço.
Só que agora nas férias, com avó doente e a casa cheia de parentes não tenho muitas opções.
A última pérola machista que eu me lembro foi de um doutor no Bem Estar respondendo a uma pergunta online sobre seios. Não me lembro da pergunta, mas o doutor falou algo como :"fulano, mas é normal vc desejar mulheres com seios maiores, é biologico. Durante a evoluçãozzzzzzzzzzzzz". Só faltou falar das frutinhas vermelhas!

carol disse...

Vi que algumas mulheres falaram de marca de estrias e só queria dizer pra elas nao deixarem de aproveitar a vida por isso.
Tenho muitas marcas de estria na bunda que vão ate a perna. Fiz de tudo pra tirar... Desde cremes ate tratamentos caríssimos com laser. Nada adiantou.
E dai, depois de muito choro, eu resolvi que nao ia deixar isso me afetar.
Coloco biquíni, vou a praia, faço sexo de luz acesa. Tenho um namorado querido e lindo que nem liga pras estrias.
Nao deixem de viver a vida por causa do que os outros vão pensar. A gente nao tem tanto tempo assim pra desperdiçar!

Maria disse...

Bom dia, passei por acaso mas fiquei presa nos seus posts...gostei muito e vou voltar por isso fiquei a seguir!
Bjs
Maria

Anônimo disse...

Pra carol que falou que tem estria na perna:
Fui eu que falei das estrias na barriga. Eu não acho feio em nenhum outro lugar. Tenho nos seios da época da puberdade, na parte interna da coxa, e nem ligo. Mas aos 22 anis ter estrias na barriga, sem nem ter tido filhos (penso em nem engravidar nunca pq elas só vão piorar) é mt humilhante!! Estria em td lugar é normal, na bunda então, td mundo tem... mas na barriga é a coisa mais feia do universo. Td dia eu me olho e penso que meu corpo está destruído. É mt triste, mas é verdade.

Anônimo disse...

Lolinha, viu a nova do mascu Cris? Ele falou que converteu uma fã sua ao antifeminismo. Hahahahahaha

Esses caras não se emendam.

capitao nascimento disse...

realmente a cara de pau dessas feministas não tem limites, não faz muito tempo vi um post nesse mesmo blog sobre o topless fail que aconteceu no RJ e as meninas caindo de pau encima do jargão "são só peitos, não devem ser sexualizados".
Segundo a ótica feminista a atitude do cara não foi abuso sexual afinal peitos nao devem ser sexualizados. (deixando claro que sobre a minha ótica foi sim abuso sexual e uma tremenda falta de respeito), mas eu sou só um careta retrogrado e machista que tem a mente fechada.

samira disse...

anon de 10:21 está certa,na barriga é muito pior,são horríveis,tento n ligar mas n consigo.

Amelinda. disse...

Amiga não se sinta assim. Sou magra, magrela, magêrrima esqueleta e tenho estrias. Sou totalmente lésbica e me sentia feia por isso, mas me analisei bem e vi que eu, você e todas as mulheres são belas, cada uma a seu modo. Tenho estrias também por questão hormonal, mas vejo como algo normal. E não é só mulher homem também engorda,emagrece,tem estria, celulite, em fim, não é o fim do mundo. Concentre-se em suas qualidades . Um abraço.

LOVE GOTIC. disse...

Mas você é imbecil. Não é o ato de passar a mão que qualifica um abuso, é o constrangimento, a vergonha de ser invadida e o nojo de ter as patas dum tarado tocando a intimidade. Quando não há repulsa, foi conscentido e a mulher ou homem gosta da mão boba tudo bem, mas quando não foi permitido tanto eu como um homem tem o direito de se ofender e denunciar. Entendeu?

Anônimo disse...

Para quem não ta na situação pensa tosco que nem você "colega". O cara era apenas um paquera que ela mal conhecia. Poucas mulher se entregam de bandeja no segundo ou terceiro encontro. Mas se você é de graça assim? Que pena.

Anônimo disse...

Esse sentimento depende da sensibilidade da pessoa dm da intensidade do ato. Eu também já fui apalpada na balada não gostei, também não me senti violentada. Mas teve uma vez que um cara colocou a mão dentro da minha calcinha por baixo da saia, tava com pouca luz me senti violentada. Apertar o bumbum é ofensivo e ir além disso é sim abuso. E se fosse um cara que apertasse seu bumbum e colocasse a mão dentro da sua cueca? São situações diferentes que desperta sentimentos diferentes.

Anônimo disse...

Meninas. Sou a magra nata. Nasci com peso de bebê prematuro. Sempre magra dietas de engorda nada adiantaram. Aos 28 anos cheguei aos 33 quilos. Hoje aos 30 estou com 42. E o mundo das magras não é tão diferente:
É dificil encontrar roupa para magras, a maioria tenho que apertar,estreitar e diminuir.
Tenho vergonha de usar biquini,sou magrinha peito quase nada.
Me pesar ? Sô quando não tem ninguém olhando. O importante é se aceitar. Hoje parei de neura. Me alimento do geito que bem entendo. Dieta de engorda não sigo mais.

LOVE GOTIC disse...

Esre post é polêmico. Estrias, engordar/emagrecer, autoestima e abuso. Todas, mas todas nós passamos por isso. Tem as magras que querem engordar, as gordas que querem emagrecer, as gordas/magras que foram violentadas, as estrias que nos perseguem. É a realidade feminina. E ainda tem otário, babaca, mulher cérebro de amendoim que diz:
NÃO FOI ABUSO. Para mim até o tal beijo roubado já é abuso, pois eu não conscenti, não gostei, me constrangeu. Sou magra? Sim, daquelas que tem uma costureira como melhor amiga, porque tudo cai,tudo é largo. Estrias? Tenho aqui ó, bem aqui no meu bumbum magro . E daí gente? Sou assim e sou amada,sou mulher, feminista trilouca. Se você é gorda e te incomoda emagreça uns quilos,mas não se tranque num quarto. Saia, dar uma volta,pedala,caminha,corre na pista. E viva a vida.

Anônimo disse...

Então tudo bem se um cara metesse as mãos nos peitos das mulheres que estavam fazendo topless, afinal elas estavam defendendo que peitos não devem ser sexualizados? A sociedade sexualiza peitos femininos atualmente. Por isso a menina se sentiu abusada assim como o cara sabia que estava abusando dela quando meteu a mão nos seus peitos.

Anônimo disse...

Já tive todos os pesos possíveis, só não fui obesa mórbida nem magra desnutrida, mas fui magra na infância, de peso normal na adolescência, gorda no início da idade adulta e agora que dei uma emagrecida, sou a chamada "gordinha", nem obesa nem magra, mas "cheinha", a que usa tamanho 44.

Sou o mesmo ser humano, o que me mudou muito mais foram circunstâncias da vida e não como meu corpo é ou deixa de ser. E no entanto as pessoas me trataram muito, muito diferente quando eu estava mais gorda.

Anônimo disse...

Eu voto na tempestade em copo d'água. Muito do que a gente chama de trauma é, na verdade, orgulho ferido traumatizado. A pessoa não teve como reagir na hora em uma determinada situação e fica revivendo aquilo na cabeça anos e anos, como se fosse resolver alguma coisa. Então um milhão de anos atrás, um pivete bolinou outra pivete e ninguém fez nada. Aposto que só ela lembra disso e que ele deve ter seguido a vida. O fato de ser gorda (ou magra) tem pouca relevância nesse fato, passado, que não tem mais volta.

Engole o orgulho e segue a vida porque nem todo homem é molestador e nem toda mulher precisa ser vítima pra angariar atenção e afeto.

Sorte e sucesso.

LOVE GOTIC disse...

Ha taa! E se fosse a sua filha? Manda ela engolir o orgulho ferido e seguir.
Se derem uns amassos na sua filha na frente de todos? É tempestade em copo dágua. Engula filhinha e siga.
Leio cada coisa aqui que não dar para engolir o meu orgulho ferido e seguir. Por quê será?
Serà que é porque porque sou mulher e me enoja o tal macho dominante que trata mulher que nem fruta de feira?

Anônimo disse...

"Leio cada coisa aqui que não dar para engolir o meu orgulho ferido e seguir. Por quê será?
Serà que é porque porque sou mulher e me enoja o tal macho dominante que trata mulher que nem fruta de feira?"

Tá mas faz 150 anos que isso aconteceu e a vida da moça parou por conta disso.

Tem necessidade pra tanto? É óbvio que não.

O que o pivete fez não pode ser anulado e ela vai dar corda pra isso até quando, usando isso de desculpa até quando para não ter uma vida plena, crescer, alcançar metas etc?

Pensa um pouco.

Anônimo disse...

daqui a pouco o homem olhar para uma mulher vai ser estupro.

Anônimo disse...

"Aposto que só ela lembra disso e que ele deve ter seguido a vida." Não me diga! Tu é um gêniO. Porque só pode ser homem pra escrever uma perola dessa. E eu que pensava q todo molestador ficasse remoendo arrependido do que fez.. Que ingênua eu sou.

Anônimo disse...

Pobres homens! Hoje em dia não podem nem pegar nos peitos sem consentimento, daqui uns dias não vão poder nem olhar! Nosso Deus patriarcal que nos livre desse triste futuro.

Anônimo disse...

Provavelmente o rapaz era um inseguro,agiu mal,mas nao é um. monstro.

Anônimo disse...

Sem querer desmerecer a pessoa do relato mas ela própria vislumbra a possibilidade de estar havendo um exagero aí nisso tudo. Se por um lado ela, "piveta", foi abusada por outro "pivete" (que, como apontaram, provavelmente não é um monstro), esse ato que deve ter durado segundos na vida real já está durando sete anos na vida da cabeça dessa moça. Tá na hora de seguir em frente, não é? Que leve um tempo para perceber que na vida não existe "redo" nem checkpoint pra voltar depois e fazer melhor, mas já é muito tempo e muita energia gasta nisso. Não vejo como manter isso em si possa ser positivo.

Kittsu disse...

Estupradores não são monstros. são pessoas bem próximas e justamente pela proximidade com o agressor, muitas pessoas minimizam a importância do crime.
É muito fácil falar "ah, siga em frente!" quando é com os outros. Cicatriz emocional é uma coisa muito engraçada, porquê como ninguém vê, tem gente que acha quenão existe. Ela nao disse que isso é positivo. É óbvio que não é, mas ela não consegue deixar de vivenciar isso. E não vai ser um desconhecido (e nem um conhecido) dizendo coisas (bobinhas) do tipo "seja feliz! desapegue! bola pra frente!" que vai mudar isso.

Anônimo disse...

"Aliás os mesmos caras que reclamam que feministas acusam todo homem de ser um estuprador em potencial, são os mesmos que dizem que é difícil resistir e se controlar diante de uma fêmea."

Quanto generalismo!!! Pra mim uma pessoa que fala que "TODO HOMEM É UM ESTUPRADOR EM POTENCIAL" só pode ser louca... é a mesma coisa que dizer que toda pessoa (homem ou mulher) é um assassino em potencial pois a qualquer momento qualquer um de nós pode pegar uma arma e matar alguem. Mais eu não acho legal ser chamado de assassino (mesmo que seja em potencial) sem ter matado alguem. Ou vcs acham?

Quer dizer então que vcs namoram com estupradores, dormem com estupradores, jantam com estupradores!!!

Por isso q a idéia que eu tenho do feminismo é a que a leitora Letícia expressou: "Odeio homens"

Ah e eu consigo SIM me segurar na frente de uma fêmea.

JW

Daniela disse...

Samira, não faça isso com vc mesma! Eu engravidei e fiquei com estrias horríveis na barriga, no começo fiquei bem chocada, mas não vou deixar de viver por causa de uns riscos na barriga. Hoje por ironia minha filha de 3 anos, ama minha barriga assim do jeitinho que ela é!
Tente se aceitar, tenho certeza que vc tem muitas outras qualidades que isso se torna só um detalhe.. um abraço!

Anônimo disse...

Sempre aparece um defendendo 'o pobre rapaz'. Pq não tem empatia pela vítima ô boca aberta??
Daniela.