segunda-feira, 9 de setembro de 2013

GAROTA DE 16 ANOS SENTE-SE CULPADA POR TER SIDO ESTUPRADA PELO CHEFE

Este será um longo e doloroso post. Começa no final de junho, quando S., uma garota de 16 anos, me enviou este email:

Sou filha única de mãe solteira (que me teve com 17 anos, meu pai não quis me assumir). Éramos classe média até que minha mãe terminou o relacionamento com meu padrasto. Sem emprego e só com o Ensino Médio, minha mãe foi ser manicure, ganhando um salário de menos de mil reais. Isso tudo aconteceu quando eu recém havia completado dezesseis, ou seja, já tinha idade pra trabalhar. Já um ano atrasada na escola, iniciei então o supletivo e comecei a trabalhar numa loja perto da escola. Recebia R$ 950. Fazia bastante diferença. 
Como não pagávamos aluguel porque minha mãe havia vendido a casa em que morávamos e comprado um pequeno apartamento, me sobrava algum dinheiro pra comprar minhas próprias roupas, maquiagens etc (sempre fui extremamente vaidosa e praticava um bullying absurdo com quem não seguia o padrão). Também sempre fui o que pode ser chamado de "gostosa". Cintura fina, bumbum grande, peitos médios. Cresci achando que meu corpo era algum mérito, que as gordas eram gordas porque não se cuidavam. Eu sou gostosa. Em função disso passei um bom tempo me culpando pelo que aconteceu a seguir.
Sempre sofri assédio por parte do meu chefe. Dono da loja, ele devia ter por volta de cinquenta anos, não era casado. Vivia elogiando meu corpo e fazendo comparações desnecessárias com o das outras duas funcionárias (mais velhas e meio fora do padrão). Aquilo começou a aumentar, até que um dia ele me abraçou quando eu estava de costas. Eu o empurrei, disse que era menor de idade, e (pasme) acabei dizendo que minha mãe não me deixava ter contato com homens. Foi a primeira coisa que me veio à cabeça. Estava sozinha com ele, sempre me senti muito intimidada, achei que funcionaria. E funcionou. Ele se desculpou, elogiou "minha criação", e eu fui embora. Os assédios pararam definitivamente e por um bom tempo me senti aliviada. 
Uns dois meses depois, comecei a namorar um colega do supletivo. Ele tinha 23 anos e era técnico em informática, trabalhava no shopping do lado da minha loja. Passávamos as aulas juntos e ele me acompanhava até em casa depois do expediente. Sempre dormiu na minha casa nos fins de semana, minha mãe nunca se opôs (ela sabia que eu usava camisinha e tomava anticoncepcional). 
Como ele saía mais cedo que eu, um dia comprou um lanche pra gente e veio me encontrar diretamente na porta da loja. Peguei meu lanche e o agradeci com um beijo na boca. Foi quando meu chefe apareceu. Cumprimentou meu namorado e quando saiu bufou algo do tipo "Como as ideias mudam rápido". Senti um pouco de medo e desabafei com meu namorado, que me disse que meu chefe estava com dor de cotovelo, mas me garantiu que nada aconteceria. E assim eu acreditei.
No outro dia, assim que pisei na loja, a triste coincidência: uma das funcionárias não havia vindo. Senti um calafrio, mas espantei o medo porque pensei que era paranoia minha, imagina. Até as 20h tudo se seguiu normalmente, exceto por um clima estranho: eu percebia que, da sala dele, ele me olhava no balcão. Fechei o toldo e me dirigi ao banheiro. Troquei a blusa, arrumei a maquiagem, abri a porta e lá estava ele me olhando. "Quem é aquele garoto que você beijou? Sua mãe sabe?", perguntou ele. Eu respondi: "Sabe, sim. Tô namorando faz dois meses, ele vai na minha casa, conheço a família dele." E ele: "Ah, você conhece a família... mas me diz uma coisa, já anda f*dendo?" 
Eu fiquei completamente sem reação. Instintivamente olhei pra direita em direção à saída dos fundos e dei um passo, quando ele me puxou pelo rabo de cavalo. "Não terminei de falar com você! Além de mentirosa é mal educada?" Eu gritei, ele tapou minha boca e encostou um garfo de churrasco na minha cintura dizendo "Você vai ficar quietinha ou eu vou fazer duas marcas de inço nesse lombo".
Depois me arrastou até a sala dele, fechou a porta e me estuprou. Com força, com direito a tapas, puxões de cabelo, xingamentos. O mais absurdo é que lembro de ter ficado aliviadíssima quando ele parou pra colocar um preservativo -- esse era meu nível de apatia e conformismo. Quando terminou, abriu a porta, saiu e me deixou tremendo e chorando. Nem se preocupou se eu ia denunciar ou não. Simplesmente entrou no banheiro. Eu não sabia se eu podia me mexer, se ele ia voltar, só corri até a porta dos fundos e fui embora. Ao chegar na esquina encontrei meu namorado e desabei nos braços dele. Contei tudo.
Ele queria ir atrás do meu chefe, mas eu não deixei. Fomos até a delegacia, de lá ligamos para a minha mãe. Ela pegou um ônibus até lá na mesma hora. Quando chegou me abraçou, disse que aquele homem era um nojento, que ia pagar pelo que fez -- mas que eu não deveria denunciar. Eu precisava do emprego. Ela sugeriu então mandar meus dois tios darem uma surra no meu chefe e ameaçá-lo. Meu namorado concordou. Eu não. Não que achasse que ele não merecesse, mas não queria mais qualquer tipo de contato nem com ele. 
No meio de tanta discussão, acabei desistindo de fazer o B.O. -- talvez por falta de apoio, talvez por certeza de que não daria em nada. Liguei no outro dia para a loja avisando que estava pedindo as contas, disse que havia encontrado outro emprego. Algumas horas depois da ligação, recebi uma mensagem no celular de uma das minhas colegas de trabalho: o chefe avisou que eu esqueci lá uma borrachinha de cabelo. A borrachinha que ele arrancou de mim durante o estupro.
Um dia depois chegou um cartão na minha casa, me desejando boa sorte e dizendo que sentiriam saudades minhas. Assinado pelas funcionárias. E, no canto, uma mensagem de "As portas daqui sempre estarão abertas pra você" de caneta preta... assinada pelo meu estuprador. 
Não sei o que fazer. Fez um mês ontem. Eu não saio de casa desde então, só chego no portão pra receber meu namorado, que junto com minha mãe está preocupado comigo. Tenho medo da rua, medo dele estar por perto, medo de ter contado pra alguém e de eu acabar sendo humilhada. Medo que me culpem. Não consigo mais fazer sexo. Não consigo mais me excitar, sexo me lembra aquele olhar de "bem feito", me lembra os gritos, a dor. 
Minha mãe tem um dinheiro guardado da diferença da venda da casa, mas a ideia era pagar minha faculdade com ele -- faculdade que também não sinto mais vontade de fazer. Não vou à aula, estou providenciando a troca de colégio (não consigo suportar a ideia de transitar por aquela área nunca mais). Estou vendo meu namoro perder a cor, a vida se tornou uma sucessão de noites de 16 horas horas dormidas e alguns minutos pra ir ao banheiro, comer e chorar. Tendo lido bastante seus textos, encontrei pelo Google. Estou QUASE me considerando uma feminista, talvez algo de bom isso tudo tenha me trazido, afinal. 
Enfim, todo o guest post que leio, acabo me identificando um pouco. Vim aqui contar minha história e pedir alento. Perguntar se minhas neuras estão certas, se eu realmente fui estúpida de ter ficado sozinha com ele sabendo tudo que poderia acontecer ou por ter beijado meu namorado na frente dele aquele dia. Se não tivesse feito isso, nada teria acontecido, certo? Ou teria? Já não sei mais. 

Minha resposta: Como vc está agora, passado quase um mês? Estou morrendo de ódio do seu chefe. E também com um pouquinho de raiva da sua mãe e do seu namorado. Por mais que não desse em nada, vc deveria ter denunciado. Mas vc ainda pode denunciar agora. Você tem como testemunhas o seu namorado e a sua mãe. Vocês chegaram a ir até a delegacia. A essa altura vc não tem mais como fazer exame de corpo de delito, então ficará sua palavra contra a do estuprador. Mas, ainda assim, acho que vc deve denunciar. Vc acha justo que ele saia impune, sem nenhuma dor de cabeça pra se preocupar? 
Isso de mandar alguém bater nele é contra a lei e pode causar grandes problemas. Sei que é revoltante, sei que a vontade de fazer justiça com as próprias mãos (ou com as mãos alheias) é grande, sei que a ineficiência do Estado é enorme, mas não denunciar é tornar a vida desses criminosos muito fácil. 
A culpa não é sua de jeito nenhum. Me espanto ao ver que, mesmo depois de toda essa narração, vc ainda tenha dúvida. Provavelmente vc não foi a primeira vítima do seu chefe, e não será a última. Ele pode ter feito isso com outras meninas que, assim como vc, não o denunciaram. Ou o denunciaram e não deu em nada. O que ele fez foi totalmente premeditado. Assim como vc passou horas com receio quando viu que a outra funcionária não veio, e que teria que fechar a loja sozinha com ele, ele também passou horas pensando nisso. 
Isso é machismo em estado puro. Primeiro ele, se valendo da posição hierárquica, te agarrou. E só aceitou -- temporariamente -- a sua recusa não porque vc tem todo o direito de escolher se quer algo com um cara 35 anos mais velho que vc, mas porque vc inventou a história de que sua mãe não permitia. Note como seu desejo nem entrou em consideração! E ele, conservador hipócrita que é, elogiou a sua criação. Mas assim que te viu com outro homem, ainda mais um meio que da sua faixa etária, um que você escolheu, seu chefe pensou: se dá pra um, pode dar pra qualquer um. E se não der, vai na marra. 
Seu chefe fantasiou fazer sexo com vc desde o primeiro momento que te viu, pode ter certeza. Como vc não demonstrou qualquer interesse, ele te atacou uma vez. Não foi nada que vc fez. Foi porque ele é um machista estuprador. Ele aceitou -- temporariamente, repito -- a sua desculpa. O primeiro ataque já era a hora de sair daquele emprego. E de denunciá-lo! Mas você continuou, porque precisava do salário. Mesmo que vc não tivesse beijado seu namorado, pode apostar que seu chefe teria exatamente o mesmo diálogo contigo, o mesmo "já anda f*dendo". Acredite, não foi nada que vc fez.
Seu chefe sabe que te estuprou. O cartão de despedida foi um jeito de te testar. Ele deve ter ficado bem preocupado por vc não não aparecer no dia seguinte. 
S, um estupro é altamente traumático. É um dos crimes mais hediondos possíveis. É claro que vai mexer contigo. Vc vai precisar de terapia pra sair dessa. E vc vai ter que superar. Mas uma das formas de superar é sabendo que ele será punido. E eu acho que vc ainda pode denunciá-lo. Além do mais, vc é menor de idade. Ele não estuprou apenas uma mulher. Estuprou uma menina de 16 anos. E ele vai se safar assim?

Resposta da S, um mês depois: Tava de mudança, aí fiquei bastante tempo sem internet! Sim, me mudei. A tia do meu namorado nos emprestou um apartamento bem longe do centro, e ele acabou tendo que trancar o supletivo e agora tá trabalhando como técnico numa empresa aqui perto; eu continuo fazendo, mas troquei de sede. Nos dias em que estava pegando minhas coisas em casa tive que caminhar até o shopping e passei pela loja, cruzei a rua. Tenho certeza de que nunca mais fui vista pelo meu ex-chefe, nem o vi.
Depois que te escrevi, passei mais uns dias trancada em casa sem conseguir pensar numa solução, aí meu namorado, que não aguentava me ver mais naquela situação, foi embora. Meu namoro, apesar de estarmos morando juntos, não anda lá muito bem. Não tenho conseguido fazer sexo com ele desde então, aliás, meus banhos estão sendo bem curtos, porque não consigo lidar com meu corpo, não consigo me enxergar, não quero me sentir. Tenho nojo. Pavor. 
Tenho pesadelos com o que meu ex-chefe me disse, sonho várias vezes que voltei pra aquele dia e às vezes consigo sair, meu maior desejo era poder voltar no tempo e não ter ficado sozinha com ele, agora parece tão óbvio. Pra todo mundo parece óbvio, na verdade. Não que meu namorado e minha mãe me acusem diretamente, mas eu sinto nos olhares e a pergunta sempre vem: POR QUE você ficou sozinha com ele? COMO não percebeu? Os vocativos carinhosos que eles usam depois não amenizam a culpa que me fazem sentir. "Mas como você não saiu correndo, meu amor?" -- como? Eu SEMPRE tive medo. Terminei de ler alguns posts do seu blog e me pegou muito aquele sobre a intuição: eu tive intuição. Eu tinha. Eu sentia. POR QUE eu não fiz nada? Será que um dia vou achar uma explicação pra isso?!
A gente foi até a delegacia, mas não tive coragem de denunciar. Todo mundo ia ficar sabendo. Como eu ia lidar com as pessoas? Ninguém ia vê-lo como estuprador, eu tenho certeza. Inclusive minha ex-colega com quem eu conversava mais me ligou e perguntou se era verdade que eu tinha "dado" pro chefe. Dar. Sim, eu dei. Eu dei porque ele tinha uma arma branca encostando em mim e tava puxando o meu cabelo. Dei por medo, porque ele me ameaçou e era mais forte.
Desliguei o telefone e aquele telefone tem permanecido desligado desde então.
Concordo com a sua interpretação sobre o que aconteceu, mas ainda assim acho que eu não precisava ter ficado com meu namorado na frente do meu chefe ou ter ido tão arrumada pro trabalho. Minha mãe com muito custo me convenceu: era desnecessário e agora quem arca com as consequências disso sou eu. Não dá pra entrar numa vila perigosa à noite e dizer "não tem o direito de me assaltar", eu me arrisquei muito e esse monstro se aproveitou. 
Queria muito visitar um psicólogo, mas não tenho plano de saúde e é muito caro. Me sinto culpada por não ter me resolvido, porque parece que não tenho vontade. Quer dizer, é claro que eu quero me curar, melhorar, me sentir viva de novo, mas ao mesmo tempo fico criando desculpas mentais inconscientes pra ficar deitada na cama escondida do mundo querendo morrer. Qualquer ação é um sacrifício, falto muito à escola, levantar e colocar uma roupa é um martírio: eu não quero mais viver. Quero cancelar a vida. Só consigo dormir, durmo às vezes 18h, e quando sonho bem sonho com um mundo onde nada aconteceu. 
Aparentemente ele vai se safar, porque eu não tenho forças. Minha mãe quer esquecer, meu namorado quer vingança -- mas não pelas mãos da lei, e também não acha bom que todo mundo fique sabendo. Ele fala todos os dias em bater no meu ex-chefe, mas me prometeu que não vai fazer enquanto eu não concordar. Tô com raiva, medo, tô estressada porque simplesmente não quero nada. Não sei o que eu quero a partir de agora, tô completamente confusa e perdida.
MUITO obrigada por ler, escutar e opinar sobre minha história. De verdade. Seu apoio tá sendo muito importante. Reli o email várias vezes e cada vez me sinto um tiquinho mais forte. Mil abraços e mais mil agradecimentos!

Minha resposta: Querida S., não quero te forçar à nada, porque vc já está passando por muita pressão. E não quero que vc se sinta culpada por nada, inclusive por não denunciar o estuprador. Entendo que isso tudo é muito recente, e que vc ainda vai ter que superar. Um dia, espero que em breve, talvez vc acredite no que eu te digo: vc não teve culpa alguma. Sim, vc teve a intuição de que algo ruim iria acontecer, e não seguiu a sua intuição -- assim como a maioria das mulheres. É exatamente sobre isso que Becker fala no livro, de como deveríamos seguir nossa intuição. Mas não é culpa sua não ter seguido uma intuição que quase todas nós descartamos. 
E sobre o porquê de vc não ter feito nada, a que momento vc se refere? Por que vc não largou o emprego no primeiro ataque? Porque vc precisava do emprego e achava que não iria acontecer novamente. Por que vc não foi embora naquele dia em que a outra funcionária faltou? Porque vc estava trabalhando, ué. E por mais que vc teve a intuição, vc não a respeitou, que é o que acontece sempre. Imagina alguém que, antes de embarcar num voo, tem a intuição de que o avião vai cair. Quantas pessoas vc acha que deixam de embarcar de fato? Só em filme mesmo. Aí vc pode se perguntar: por que vc não fez nada quando foi ameaçada com um garfo de churrasco por alguém fisicamente mais forte que você? (acho que a própria pergunta já contém a resposta). 
Susan Brownmiller escreveu um ótimo livro em que explica que, assim como homens estupram em nome da sua masculinidade, mulheres são estupradas em nome da sua feminilidade. Somos todos personagens de uma cultura de estupro. Você, eu, e tantas outras mulheres fomos ensinadas a temer e a não reagir. Brownmiller diz com todas as letras: "mulheres são treinadas para serem vítimas de estupro". Não foi na noite do seu estupro que você aprendeu a não fazer nada, S. Foi bem, bem antes.
Não teve nada a ver com andar maquiada e arrumada, não teve nada a ver com beijar seu namorado. Infelizmente, não teve muito a ver com você. Teve a ver com seu chefe, que é um estuprador. Simples assim. Se não fosse vc, seria outra. Provavelmente, houve outra. E haverá outra. Porque é muito fácil pra ele, porque ele se safa sempre.
E não venha com essa comparação de entrar numa vila perigosa à noite e ser assaltada. Primeiro que, sim, vc tem o direito de entrar numa vila e não ser assaltada. O crime ainda é de quem te assalta, não de quem é assaltado. Segundo que, sabe, vc não estava entrando em nenhum lugar perigoso. Vc estava trabalhando! Quer dizer que vc não pode trabalhar por ser bonita? Por ser mulher? 
Compare como está a sua vida com a vida daquele biltre. Ele está solto, impune, cuidando do seu negócio, pensando na próxima vítima. E vc está dormindo 18 horas por dia, sem vontade pra nada. A vingança que seu namorado sugere não é um bom caminho. E, desculpe, mas sua mãe anda te dando péssimos conselhos. Ela disse pra não denunciar o estuprador, e te convenceu que o beijo no seu namorado foi um catalizador (não foi!). 
Dá pra fazer terapia pelo SUS, demora, mas é possível. E eu ainda insisto na denúncia. Algumas poucas pessoas vão saber, mas é sigiloso, ainda mais porque vc é menor de idade. Mas acho que vc se sentirá melhor. Imagine a cara do seu ex-chefe ao perceber que ele não se safou? E que ele não destruiu sua vida? Sim, porque o estupro, premeditado, foi uma vingança por vc fazer sexo com seu namorado, e não com ele. Ele queria te destruir. Todas as palavras horríveis que ele te disse mostram isso. Então não permita. Mostre pra ele o quanto vc é forte. E mostre pra vc mesma.

E por falar em estupro e impunidade: ajude a levar duzentas mulheres para protestar no julgamento da banda New Hit, que foi adiado para 17 de setembro. Mexeu com uma, mexeu com todas!

110 comentários:

Anônimo disse...

Sawl - The Rebel


Menina, não faço idéia do quanto vc está sofrendo, mas, desculpa, eu sou radical, denuncia este safado!!!
Não posso me conformar com um canalha que violenta uma menina de 16 anos e NADA acontece com ele!
Sei que vc vai ser recriminada por isso, mas, seja forte.
Esta sociedade machista e escrota em que a gente vive espera que a mulher tenha um comportamento passivo e conformista.
Vou deixar claro pra vc NADA JUSTIFICA O QUE SEU EX-CHEFE FEZ!!!!!!!!
Ele é um criminoso, um estuprador, o lugar dele é na CADEIA!!
Não interessa que ele seja um "marido, pai de família" e outros mimimi que ele possa alegar seja pra vc ou pra outras pessoas, eu repito, ele é um COVARDE, CRIMINOSO e o lugar dele é na CADEIA!!
Sei que terão pessoas que irão discordar de vc, desculpa, fodam-se elas!!! Você é que tá sofrendo, com medo, pavor e tendo sua vida íntima com teu namorado afetada.
Além disso vc tem sua mãe, seu namorado e seus amigos(as) e conhecidos que vão estar do teu lado!
Garota, o cara que te violentou é um verme, um covarde da pior espécie.
Ele não merece ficar livre, enquanto vc tá presa sofrendo.
Pode me chamar de radical, mas, vou confirmar pra vc ter CERTEZA, nada vai te fazer esquecer o horror que vc sofreu, mas, vc vai se sentir bem mais leve e livre quando vc denunciar o seu chefe.
Lugar de estuprador covarde é na CADEIAAAAAAAAAAA!!

Força pra vc menina, bj.

Sawl - The Rebel

Ana Carolina disse...

Essa foi uma das piores histórias que li no blog, Lola.

E S., na sua cidade tem algum grupo de mulheres, de atendimento à mulher? Porque esses grupos costumam dar algum apoio para pessoas em sua situação. E tudo o que vc precisa agora é de apoio pra superar o trauma.

Anônimo disse...

Você não está inventando "desculpas mentais inconscientes". Você está sofrendo ( o que é PERFEITAMENTE NORMAL depois de ter sido vítima de um crime hediondo como o estupro)e você precisa de ajuda. Procure um psicólogo pelo SUS.

Não quero ser pessimista mas, este tipo de sofrimento não vai simplesmente se dissipar com o tempo. E claro, você vai continuar vivendo (ou sobrevivendo)e um dia você vai parar de dormir 16 horas, ter pesadelos e tal. Mas se você não receber nenhum tipo de ajudar psicológica estes minutos (ou horas, não sei) vão continuar dominando o resto da sua vida. O medo, a tristeza, a auto-depreciação, a repulsa ao sexo, podem continuar estragando a sua vida durante muito anos. Você só tem 16 anos, você merece aproveitar da sua juventude.

Sua mãe e seu namorado com certeza te amam e se preocupam com você, mas acredite, os conselhos que eles dão e as palavras que eles tem usado não são as mais adequadas. Você precisa de ajuda psicológica, de um profiossional qualificado, não esqueça disso.

Você não ouviu a sua intuição no dia do crime mas a ouviu quando teve vontade de escrever para a Lola. Você o fez e agora poderá ser ajudada e acalentada por muitos de seus leitores. Escute o que está sendo dito aqui. Tome conta da sua saúde mental, procure um psicólogo pelo SUS ou um estudante que faça sessões gratuitas, tenho certeza que você poderá achar alguma coisa.

Não deixe este criminoso acabar com o resto da sua vida.

Um grande abraço.

Anônimo disse...

A despeito de toda essa tristeza, tente ter, POR FAVOR, forças para denunciar. Lembre que seu chefe foi quem avacalhou e tá numa boa agora enquanto você, QUE NÃO ESTUPROU NINGUÉM, está levando uma vida miserável e desgraçada. Não sei se a frase cabe para você, no seu caso especial, mas já me ajudou bastante e depois que a incorporei, com MUITA força, em mim, nunca mais levei chicotada, de graça, da vida "Aquele que aceita as chicotadas, merece leva-las". Claro que essa frase não muda o fato de que quem dá a chicotada é quem age errado. Por outro lado, medidas de ações positivas (denúncia) são essenciais e por isso deixo essa frase para você. Em algum momento da minha vida miserável, ela me encheu de forças enquanto eu refletia sobre o seu conteúdo, talvez (não sei) sirva para você também e para tantxs outrxs. Denuncie! Força! As coisas vão melhorar, pode ter certeza!!

Lord Anderson disse...

Sei que é facil pra quem ta de fora falar, mas de maneira nenhuma vc deve se sentir culpada.

Não importa oq digam ,até pq infelizmente, mesmo que vc fize-se diferente tb seria criticada.

Caso não tivesse ficado sozinha com ele, seria criticada por não levar a serio seu trabalho, e por "ofender" um homem, ensinuando que ele poderia te fazer mal...

E vc não fez nada de errado ao beijar seu namorado, afinal ele é SEU namorado... oq faz com ele não é da conta do canalha do seu ex-chefe.

Acredite, o maldito iria procurar outra oportunidade.

Vc é a vitima, e precisa de apoio e força pra superar isso.

Toda torcida e pensamento posito pra vc nesses momentos.

Anônimo disse...

e ainda tem gente q acredita q esses lixos estupradores n sabem o q fazem,tem mais é q morrer!

vc n tem culpa de nada,ele q e um lixo,filho da puta! com certeza já deve ter feito isso com outras mulheres.

Anônimo disse...

Lola, não sei se vc já acessou estes comerciais:

http://www.youtube.com/watch?v=AtC0WS68XJo

Anônimo disse...

Gente ela é só uma menina, e ela é uma mulher no sentido de que estava apenas vivendo a vida dela, namorando com quem ela queria, como alguém pode pensar que tem qualquer direito sobre outra pessoa? eu estou com ÓDIO desse homem, e muuuito muito triste por vc, espero que vc leia os comentários, e vou falar, vc tem o direito de viver pelo amor de Deus (se vc acreditar) ou de qualquer coisa em que vc acreditar, não permita que ele roube tudo de vc, porque é isso que esses canalhas querem, mais do que sexo (e estupro não é sexo) eles querem sentir o gostinho de intervir na vida de alguém.
Vc pode ser feliz, não se culpe tanto, esse momento que vc está vivendo é natural é um luto, uma dor, se permita não se martirize, depois vc vai se reerguer.

Um forte abraço.

Izabel

Anônimo disse...

Menina!

A CULPA NÃO FOI SUA

A CULPA NÃO FOI SUA

A CULPA NÃO FOI SUA

A CULPA NÃO FOI SUA

A CULPA NÃO FOI SUA

A CULPA NÃO FOI SUA

A CULPA NÃO FOI SUA

Vontade de olhar nos seus olhos agora, te abraçar e te dizer isso ao vivo, te consolar, te ajudar a encontrar forças, te levar pra uma terapia e ir ao seu lado, denunciar esse criminoso, esse imbecil, esse...sem palavras!

A culpa não foi sua!!!

Vc merece se recuperar, viver, ficar em paz com seu corpo e com sua cabeça e esse cara merece um processo, merece cadeia!

Anônimo disse...

Você pode procurar apoio psicológico em universidades públicas.
Mts delas costumam oferecer esse serviço de graça a população.
Procure se informar.

Anônimo disse...

S. faça a denúncia, procure a delegacia da mulher, leve isso adiante, faça algo para que esse cara escroto e nojento não faça isso com outra menina da sua idade (ou pior).

Ele merece pagar pelo que fez! Ele é o que merece sofrer e não você!

Anônimo disse...

Vários posts da Lola já me deixaram mal, mas este foi de lascar, viu.

Tá tudo errado, gente!

Como um velho asqueroso se sente no direito de fazer com uma menina!?

Como a sua mãe te aconselhou a não denunciar?! E ainda queria que você continuasse no emprego!? Que isso?!

Você precisa de ajuda psicológica urgentemente, pois você não cometeu erro algum. A culpa não é sua! Quando a gente sofre algum tipo de abuso sexual (o seu com certeza foi o mais grave de todos), a gente fica pensando no que poderia ter feito pra evitar aquela situação. Mas, a sociedade nos ensina a jogar nossa intuição no lixo e sempre ser submissa. Você só seguiu as regras do jogo, como toda mulher deveria. A culpa do estupro não é sua e nunca será, não importa se você denuncie ou não (eu realmente acredito que você deve denunciar mesmo).

Bom, não importa o que você decida, você precisa de um acompanhamento médico pra você não dar o gosto de estar derrota por aquele canalha. Você não merece isso, de verdade, você não merece.

Anônimo disse...

Nem li a resposta da Lola, só o início. Tremenda burrada não ter denunciado! Vou falar mais nada pq não quero falar da família de ninguém.

Anônimo disse...

E sobre o "serial rapist" amigo da ministra Gleisi?!!

Nada?!!!

Mariana disse...

Lola, não sei se vc já chegou a ler essa reportagem... mas mostra claramente como o machismo afeta os homens de forma tão violenta quanto afeta as mulheres.
Está todo em inglês, mas vale a pena ler, apesar de ser infinitamente triste.
http://www.theguardian.com/society/2011/jul/17/the-rape-of-men

Anônimo disse...

Moça, vc tem muita força dentro de vc acredite, a vida é bela apesar de ter varios seres humanos q são um traste, procure observar a natureza, reflita sobre o grande presente q é a vida, n se culpe pois pessoas ruins existe de montão e muitos sofrem nas mãos desses sujeitos mas dentro de nós existe algo especial chamado RESILIÊNCIA o q faz sempre resurgimos das cinzas e nos impulsiona para frente.Apesar de ser um jeito horrivel, mas agora vc percebeu o porque a Lola escreve esse blog e o porque estamos aqui, o motivo é a nossa luta contra a hipocrisia do machismo, da qual todos somos vitimas em algum momento na vida,juntesse a nós lute contra esse mal da sociedade, comece quando puder e quiser .

Laís disse...

S., fiquei muito abalada com o seu relato. Vou repetir o que todxs estão dizendo: não foi culpa sua, apesar do seu chefe ter "aceitado" sua desculpa, tenho certeza que ele só tava esperando uma oportunidade. Foi premeditado, como a Lola disse. Pense seriamente em denunciar, se ele já tiver feito isso ou fizer novamente (muito provável), as denúncias terão mais credibilidade. Se várias mulheres denunciam a mesma pessoa, pelo mesmo crime, tem que ter uma razão não é?

Mas o que eu queria dizer mesmo é que passei por uma depressão e pelo que li, é o que você está passando agora: apatia, não ter forças pra nada, tudo ser um esforço enorme, até as tarefas mais simples...
E eu também já passei por uma situação de abuso, que não foi estupro mas foi quase. Senti exatamente o que você disse; "por que eu não corri? por que fiquei ali?" Apesar de fazer tempo, penso nisso até hoje. Então, se quiser conversar com alguém... me contate: laisevero@hotmail.com (:

Anônimo disse...

Dá pra acreditar,está com a faca e o queijo na mão e não quer fazer justiça?
Quanto mais demorar pra denunciá-lo,pior.Depois as pessoas vão realmente que a culpa foi sua.
Mesmo que esse animal não vá preso,vai manchar o nome dele.

Manu disse...

Querida, que vontade que você fosse uma das mulheres/ meninas que às vezes eu encontro nas ruas ou em meu gabinete... A gente é ensinada a ter culpa de ser quem é, né? Culpa pela saia, culpa pelo decote, culpa por agradecer ao namorado, culpa pela colega ter faltado!! Querida, o único culpado nessa história toda é esse homem asqueroso que te estuprou e que se tu não denunciares fará outra sentir isso tudo de novo.... E quantas outras ele já não fez sentir o mesmo? Os outros vão saber o que tu passaste? Meu Deus! Os outros?!? E algum outro está agora passando por tua dor? Não minha querida..... Apenas tu! Reconstrói a tua vida, querida. Mas não deixa esse bandido sem a dor de cabeça pelo que fez contigo e com outras no passado e fará, certamente, no futuro.
Não tens culpa de ser gostosa. Tu não tens culpa de precisar trabalhar, de ser bonita ou de namorar. O único culpado, minha querida, nessa história, é teu estuprador.

Manuela d'Ávila
Dep. Federal

Joana disse...

Nossa, aceite os conselhos da Lola, e denuncie!! Tente buscar forças de onde for possível e denuncie!! Não existe como voltar no tempo e acreditar na sua intuição que passsou, mas acredite na sua intuição de agora e denuncie!! Se você está procurando ajuda da Lola, acredito que já está disposta a denunciar, só está buscando forças para isso. Vá em frente!

WICKED WOMAN disse...

Menina, como eu queria poder te abraçar agora...
Definitivamente, a culpa não foi sua! Desejo que você consiga superar tudo isso logo, dê uma olhada no posto de saúde do seu bairro, ao menos aqui em BH tem ajuda psicológica pelo SUS e onde você mora deve ter também. Seja forte e assim que achar que consegue, denuncie esse nojento, ou ele continuará estuprando.

SUZANA disse...

A culpa não é sua! Eu sei que é difícil de aceitar porque sendo mulher vc tem dentro de si a culpa de ser um atrativo não uma pessoa,quando acontece casos assim de qualquer abuso por uma pessoa que tem mais poder que vc acontece isso porque a sociedade toda acha que é culpa da mulher mais não é e não foi acidente ele fez premeditado, tem coisas na vida que não dá para fugir, e intuição a gente tem mas não dá para usar o tempo todo, até quando acontece uma morte por exemplo quem é mais próximo fica pensando em que poderia ter feito para ajudar para vc ver, como é um mecanismo da nossa mente ficar achando culpa em coisas sem explicação,ESTUPRO É UMA VIOLÊNCIA E NÃO É CULPA DO ESTUPRADO.espero que ela receba ajuda que é a unica coisa no momento, e sua mãe precisa acordar um pouco tb.

Andréa Ilha disse...

Não é porque o homem é mais velho que a S. que sua atitude foi nojenta. Foi nojenta independente da idade dele. Independente de qualquer coisa, ele é uma pessoa problemática, um criminoso. Quando eu passei por uma situação similar, muito ouvi dizer que a culpa foi minha, porque eu entrei na casa do meu amigo. "O que tu esperava", diziam, "ficando sozinha com um homem?". Eu tinha 15 anos. E eu esperava o óbvio ficando sozinha com ele: que nos respeitássemos adequadamente.

Sabem, não passando por isso fica complicado entender que a culpa é uma das primeiras coisas que sentimos. Nos culpamos, porque assim fomos treinadas: ser mulher, até religiosamente, é incitar o desejo/pecado - apenas por ser.

Eu lamento muito por tudo isso. Será preciso pedir atendimento pelo SUS, ou ir logo a uma emergência psiquiátrica. Alguém tem de ouvir a menina. Será que está ela por aqui, acompanhando essas postagens? Tomara que sim. Tomara que, por aqui, ela entenda que não teve culpa nenhuma. O outro tocou em seu corpo sem sua autorização! O outro! Não foi ela que o ameaçou para que fizesse isso! Ela não o agrediu, ela estava feliz, vivendo, namorando. Ainda bem que há esse rapaz - e que pena que talvez ele também não dê conta de tudo isso - porque não foi com ele, então quererá que ela se esqueça disso logo. É normal a ansiedade de quem está ao lado. Como também é normal que essas pessoas não saibam o que dizer. Não é preciso ouvir mãe e namorado! É preciso ouvir somente a única verdade possível: não foi sua culpa! O outro é criminoso!

Tenho muito a dizer sobre isso, mas o espaço não é meu. Lamento tanto que eu não esteja ao lado dessa menina para abraçá-la...

Nat Muniz disse...

Para a menina do guest post: você pode, como a Lola mencionou, fazer terapia pelo SUS (em algum serviço de saúde, como as unidades básicas de saúde, que tenha AMBULATÓRIO DE PSICOLOGIA. você precisa perguntar)

você poder também fazer em algum SERVIÇO DE PSICOLOGIA APLICADA (SPA) de universidades de psicologia, que oferecem atendimento psicológico ou gratuito ou a um preço que a pessoa possa pagar (há quem pague um real por sessão, dependendo das possibildades de cada um mesmo).

Se você puder me avisar sua cidade eu consigo te indicar os locais no SUS.

Beijos, e força.

OBS: a culpa não foi sua, em momento nenhum. nem pelo estupro, nem por não denunciar, nem pela sua 'gostosura', nem pelas suas roupas. nem por ter um namorado. por nada. força. estamos aqui.

:**

Anônimo disse...

Eu acho que a ideia da surra deve ser levada adiante. Você conhece os horários dele. Ele não vai denunciar. Tenha certeza de que seu namorado e seus tios sabem o que estão fazendo: nada de chutar a cabeça dele quando estiver caído. Surra serve para intimidar, humilhar e se vingar, não para matar. Se algum deles souber jiu jitsu ou algo do gênero, melhor: podem quebrar facilmente pernas e braços do infeliz. Soquem o nariz: dói. Batam na cara de forma que ela fique deformada, mas não a ponto de causar algum dano cerebral. Atingir as genitálias é recomendável.
A verdade é que ele dificilmente irá preso. E se for, sofrerá coisa pior na cadeia. Uma surra assim seria um favor para a humanidade.
Enfim, força, menina. Você é uma boa pessoa e não fez nada de errado. Sei que vai conseguir superar.

Rose disse...

Não é culpa sua, guria e nem de tua mãe ou namorado (meio machistinha, mas enfim) A culpa é do estuprador, mas antes, a culpa é de todo o sistema que prioriza, sempre, a versão do acusado. Se vivêssemos uma igualdade real de direitos, se cada estuprador, denunciado recebe, na lei, a punição merecida, você, sua família, seu namorado, etc não pensaria duas vezes e o denunciaria. mas nós sabemos que a vítima é a primeira pessoa a ser julgada, ainda que inocente. Veja, muitos estão te julgando aqui por não ter feito a denuncia e poucos, muito poucos, estão se perguntando por que o teu chefe se sentiu seguro para cometer um crime tão hediondo. Ele sabe que a sociedade pensa o estuprador como um monstro desajustado. Ele sabe também que a maioria iria buscar desesperadamente uma desculpa para o que ele te fez, certamente ele faz parte daquele percentual (cada vez maior) dos chamados " homem de bem", um cidadão acima de qualquer suspeita, bom filho, bom pai etc etc etc. Enfim, somos nós, todos nós os culpados, menos você, não se culpe.

PS.: Lola, talvez esteja aqui a explicação para o início dessa crescente onda de impunidade, violência e naturalização do estupro.

http://thinkolga.com/2013/09/09/chega-de-fiu-fiu-resultado-da-pesquisa/

Anônimo disse...

Moça, por favor, seja forte! O que aconteceu com você foi terrível, chorei lendo seu relato. Mas tenha certeza que não foi culpa sua. Não tinha nada que você podia fazer para ter evitado. Não deixe que as outras pessoas te façam sentir mais culpada por algo que nada teve a ver com suas atitudes, com o seu corpo, nada. O único culpado desse crime terrível é o estuprador, e ele deveria mesmo ir para a cadeia. Você merece ser feliz, S. Tente procurar um psicólogo, ou pelo SUS ou em alguma universidade que tenha atendimentos gratuitos. Não desista de você mesma, não foi culpa sua. Agora tente fazer o seu melhor para ir se recuperando, aos poucos. Vai ser difícil, mas eu tenho certeza que você consegue!

Elaine Pinto disse...

Por favor, S., por favor: denuncie este canalha. Entendo perfeitamente que você não queira se expor, não queira levar adiante, não queira nem tocar no assunto para ver se ele morre. Espero que você encontre forças para fazer a denúncia, porque talvez uma denúncia sua possa desencavar outros casos (olha, pelo modus operandi, diria que esse sujeito fez muitas outras vítimas). Um beijão, querida, muita força.


P.S.: Meu Deus. A mãe não só desestimula a filha a denunciar um calhorda desse como ainda acha que ela deveria voltar ao trabalho e conviver cotidianamente com seu estuprador! Que absurdo, viu.

Mariana disse...

S., minha impressão é que vc escreveu pra Lola porque, no fundo, vc sabe que os conselhos da sua mãe e do seu namorado estão errados (desculpa, mas tb estou com raiva deles). Vc precisa da opinião e da solidariedade de outras pessoas (solidariedade que me parece que vc não está tendo em casa) pra processar toda essa violência e saber o que fazer pra seguir em frente.

Todos já disseram o que eu acho, mas como vc está precisando de mais e mais apoio, aí vai: seu chefe é um desgraçado, filho da puta, abominável, um verme criminoso que não merece seguir com a vida como se nada tivesse acontecido enquanto vc afunda na depressão (sim, o que vc descreve me parece depressão, já convivi com alguns casos). Pra um estuprador asqueroso e hipócrita desse naipe, que achou que tinha o direito de tomar seu corpo sem considerar sua escolha e que não admitia que vc vivesse sua vida e namorasse quem vc quisesse, não tem outro lugar além da cadeia. Então, S., a opinião da Lola, da maioria dos comentaristas e tb minha é que vc deve denunciar. Não queremos te obrigar a fazer nada, mas apenas pense: se ele faz isso (aposto que não foi a primeira vez e nem vai ser a última) e nada acontece e a reputação de comerciante e pai de família (foda-se) dele nem se abala, é questão de tempo até ele fazer uma nova vítima. E vc não deseja esse sofrimento seu pra ninguém.

Sobre culpa, vou repetir pela enésima vez: VC NÃO TEM CULPA.

- "Me arrumei demais pra trabalhar". Foda-se, vc tem o direito de se vestir e se maquiar como quiser, isso não é da conta dele.

- "Não segui minha intuição, não saí do emprego e fiquei sozinha com ele". Vc precisava do emprego e estava trabalhando! Que espécie de ambiente de trabalho é esse que ameaça a integridade das empregadas? E, se vc fosse embora, provavelmente sua mãe ia reclamar por não contar mais com seu salário...

- "Beijei meu namorado". QUE MUNDO É ESSE em que a gente não pode escolher namorar com quem quer porque algum diabo não vai admitir e vai nos estuprar por isso???

Vc pode enumerar outras coisas que te fazem sentir culpa, mas nos vamos insistir em mostrar qque VC NÃO TEM CULPA DO QUE ACONTECEU, SÓ O DEMÔNIO DESGRAÇADO DO SEU CHEFE! ELE É QUE TEM QUE TER A VIDA DESTRUÍDA PELO QUE FEZ! NÃO VOCÊ!

Por favor, denuncie e procure tratamento. Quando estava na UFRJ, lembro que tinha um serviço de terapia com estudantes de psicologia, o paciente pagava o quanto podia/queria. Espero que tenha alguma faculdade pública de psicologia na sua cidade ou perto.

CADEIA pra esse infeliz e que vc consiga voltar a viver!

Anônimo disse...

Nem dá pra dizer muita coisa com essa história terrível, Lola e algumas comentaristas já dizem o que todo mundo quer dizer.
Só queria comentar essa coisa de 'seguir (ou não seguir) a intuição', que há até um livro citado pela Lola e tal.
Isso é (em muitas vezes) a maior bobagem, é fácil achar que não seguimos a intuição quando alguma coisa acontece. Porém esse sentimento, ou intuição, está sempre presente e nas maioria das vezes não se concretiza. Mas nós só lembramos das vezes em que se concretiza. Bobagem, não caia nessa armadilha de que você não seguiu sua intuição, isso só te faz sentir culpada.
Normalmente, um desconhecido atencioso e sedutor pode ser tanto um estuprador como uma paquera bem legal, só dá pra saber depois, e aí se por azar o cara é um estuprador a vítima fica se culpando porque 'não viu o óbvio', só que não era nada óbvio.
Não se culpe nem se repreenda por não ter visto o que você não poderia mesmo ter visto.

Mariana disse...

O comentário anterior tava meio grande, mas nem falei tudo o que esse caso me fez pensar... Fiquei pensando, depois que li esse post, como tantas pessoas são reféns de trabalhos precários, dependentes de salários (baixos) pagos por ambientes perigosos... A mãe da S. tê-la convencido a não denunciar e ainda dizer que ela precisava do emprego é sintomático e bizarro, difícil de engolir... Que merda de país desigual é esse onde as pessoas não têm segurança financeira pra fugir de certas situações porque precisam se sustentar???? Ainda mais nesse caso, uma menina de 16 anos não deveria estar em supletivo e trabalhando pra ajudar na renda! Por essas e outras, sou a favor de auxílio financeiro governamental pra famílias em situação vulnerável.

Dayane disse...

S, sinto muito pelo que aconteceu com você, algumas faculdades do Brasil tem clinicas escolas com futuros psicologos, geralmente no 9º/10º período e muito bem treinados, busque saber se não há um na sua cidade. É extremamente sigiloso e pode te ajudar a sair da depressão que você está sentindo agora e ajudar a tomar decisões sobre denunciar ou não.
O seu namorado e sua mãe querem o melhor pra você, mas eles não sabem como é estar na sua pele, isso é uma decisão sua.

Léty Hyuuga disse...

Fiquei mal com essa postagem. Queria sinceramente poder abraçar essa menina. :(

Querida, acredite, a culpa não foi sua. Seu chefe é um monstro asqueroso e merece pagar pelo que fez, então denuncie. Mesmo que não dê em nada, já vai gerar burburinho e manchar o nome dele, como outra pessoa comentou. E só pelo susto que ele vai levar, quando souber que você não ficou calada, já vale a pena.

Agora, com todo o respeito, o que sua mãe tem na cabeça para, além de te convencer a não denunciar, sugerir que você continuasse no emprego? Por mais que vocês precisem do salário, isso seria uma loucura! Ainda bem que esse conselho você não seguiu...

Força, menina. Estou torcendo por você.

Amana disse...

Muito ruim tudo isso!!!
Nossa, inacreditável e extremamente comum essa situação.
Eu concordo que o melhor é denunciar, mas entendo perfeitamente que você esteja com medo de se expor, de falar, de sofrer mais repreensões de seus familiares e namorado.

Vivemos numa sociedade muito machista, fato. E no seu caso, o machismo pode te favorecer em um aspecto: o fato dele ser um homem muito mais velho e vc ser menor de idade - além de configurar um caso de estupro mais grave - pode fazer com que seu caso não seja desconsiderado pela polícia. É um cálculo extremamente escroto, eu sei, pq leva em conta algo que queremos abolir de nossa sociedade, o patriarcalismo cotidiano. Mas acho que é possível que nesse caso vc consiga justiça.
Beijos e boa sorte!

PS: ah, existe alguma faculdade de psicologia na sua cidade? Caso exista, os cursos de graduação costumam ter Serviços de Psicologia Aplicada, que atendem pessoas por preços simbólicos. O q Lola falou sobre o SUS tbm é verdade, vc pode procurar se informar se existe algum Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) em sua cidade.

Sara disse...

S. por quanta injustiça mais vc vai passar??
Assim como a Lola falou não quero te imputar mais uma culpa, além dessas que vc já carrega inutilmente pq a CULPA NÃO É SUA.
Mas alguém tem q deter esse canalha, ele justamente se aproveitou de sua juventude e inexperiência, e como foi tão fácil, é certeza que ira atacar outras meninas como vc.

L. (S.) disse...

Gente... li todos os comentários, continuarei lendo, e queria agradecer do fundo do coração. Ainda não tenho coragem o suficiente pra denunciá-lo. Eu tentei quinta feira, depois de conversar com uma prima que me encorajou. Fomos juntas, mas quando estava na fila de espera da delegacia minhas pernas paralisaram, senti um medo absurdo de imaginar meu chefe ali, me olhando, provavelmente negando as acusações. Não consegui e fui embora mais uma vez. Minha mãe disse que esse medo que eu sinto é "juízo" porque sei que não vai dar em nada e ele pode querer se vingar, que agora já foi... não sei se ela tá certa, só sei que quero morrer.

Também acho que nada justifica o que ele fez, mas de qualquer jeito acho que eu poderia ter evitado. Duvido que essa sensação vá passar um dia. Percebi que quando lembro do ocorrido sinto mais raiva de mim por não ter feito/percebido alguma coisa do que dele.

Minha depressão tá aumentando a cada dia, sair da cama é um esforço, minha mãe e meu namorado estão me perturbando por causa das minhas notas, nunca tive esse tipo de problema mas sinto uma espécie de fadiga bizarra toda a vez que eu penso em estudar, comer, tomar banho, pagar as contas e demais atividades que antes eu fazia no piloto automático. Eles acham que eu to levando isso a sério demais, pedem pra eu parar de pensar no que aconteceu e minha mãe diz que já foi assediada (aparentemente o padrasto fez ela tocar no pênis dele) e que superou, e eu sou mais forte, logo, vou superar também.

Não sei o que eu quero, to completamente perdida (ou seja, na mesma situação em que eu estava quando escrevi o último e-mail pra Lola). Quando não to dormindo to na internet lendo sobre feminismo, to com vergonha da minha burrice porque ainda tinha muitos pensamentos machistas e não consegui me livrar do básico (a culpa por ter sido estuprada). Isso me deixa ainda mais pra baixo.

Mais uma vez MUITO obrigada a você, Lola, pela atenção, mobilização e preocupação e axs (tá certo?) comentaristas lindxs. Tenho medo que o crime prescreva e eu não denuncie, ao mesmo tempo uma voz dentro de mim grita NÃO DENUNCIE, NÃO VAI ADIANTA, é mais confusão, todos vão falar sobre isso de novo... Tento levar em consideração que ele sair impune é injusto, mas meu medo ainda é maior. Sobre a surra, não se passa um mísero dia sem que meu namorado diga que essa é a solução, não tenho mais argumentos contra, acho que provavelmente é o que vai acabar acontecendo (com ou sem meu consentimento).

Vou continuar acompanhando. <3

Erica disse...

S, em muitas cidades a Defensoria Pública proporciona atendimento especial para mulheres. Lá você terá orientação jurídica e psicológica, as duas áreas trabalham juntas.
Você poderia ver se na sua cidade existe defensoria.
Contudo, muitas cidades ainda não são atendidas pela defensoria e o atendimento jurídico é feito por advogados, sem qualquer acompanhamento psicológico e sem qualquer cuidado em procurar a melhor solução para a pessoa que procura pelo serviço. Dai não acho legal.
Um defensor tem sensibilidade de te aconselhar sobre a denúncia e todos os desdobramentos que isso vai trazer na sua vida.
Se você tiver dúvida se a sua cidade é atendida por Defensoria ou por advogado, entre em contato comigo que eu te ajudarei. Geralmente tem a informação nos sites das defensorias de cada estado... mas pode ser que não seja claro (meu email: ericcamag@gmail.com)

Anônimo disse...

A mudança acontecerá qdo tod(x,y,?)s DENUNCIAREM.

Samantha Pistor disse...

S,

Queria muito, muito mesmo poder lhe dar um abraço.

Vou repetir, como um mantra, aquilo que todas as comentaristas disseram antes de você: NÃO É CULPA SUA. NÃO É CULPA SUA. NÃO É CULPA SUA. Por favor, querida, entenda isso. Mesmo que você fosse a mais casta das pessoas, mesmo que você andasse coberta dos pés a cabeça e mesmo que não tivesse namorado e mantivesse a desculpa, cedo ou tarde teu chefe faria o que fez.

A culpa, pelo seu estupro, é unicamente dele, O ESTUPRADOR. Por favor, tenha isso em mente. E entenda que se você tivesse, lá atrás, comunicado a sua mãe ou a terceiros que pediria as contas porque estava sendo assediada pelo chefe, muito provavelmente ouviria que estava sendo fresca, que não daria em nada, que seu chefe era apenas um galanteador. Você acabaria sendo pressionada a se manter no emprego. A sociedade é conivente com determinados comportamentos e não entende que o assédio indevido de hoje é o estupro de amanhã.

Então, querida, de novo: A CULPA NÃO É SUA. A culpa é unicamente dele, mais ninguém.

Com relação a você, eu proponho uma reflexão ao invés de endossar o coro para que você denuncie. Primeiro, veja se você tem estrutura para passar por tudo isso. A denúncia é uma boa forma de lutar contra o estuprador, de assumir um papel ativo no que te aconteceu e pode ser um bom catalisador para você se reerguer. Mas o denuncie apenas se você achar que deve. Você terá tempo para refletir sobre isso. E poderá fazer a denuncia num momento em que parará de se importar, de verdade, com o que as pessoas pensam ou vão pensar de você. Aos 16 anos, eu sei como isso é um problema mas isso passa. Sério.

No mais, lamento que você esteja cercada de pessoas que embora te amem, estejam tão equivocadas. Busque alguns coletivos feministas, te cerque de pessoas que podem te ajudar. Seu namorado e sua mãe te amam e te querem bem, mas não estão sabendo lidar com isso. E você tem apenas 16 anos, eu não espero que você saiba lidar com isso. Busque por pessoas que te ajudem, que te apoiem, que te lembrem que a culpa não é sua. Procure apoio num coletivo. Você não está sozinha.

Te desejo tudo de bom e saiba que seu relato me levou as lagrimas. Estou torcendo por você, moça. Tente ficar bem.

Anônimo disse...

IT'S NOT YOUR FAULT!

Anônimo disse...

Ainda dá tempo de denunciar.

Anônimo disse...

Lola, passei por um estupro aos 16 como a menina do post...Lendo esse texto hoje posso dizer que muito do que ela está sentindo eu também senti...medo de andar na rua, nojo de mim mesma, pesadelos, vontade de dormir pra sempre...Fazem 20 anos que tudo aconteceu, o processo de recuperação foi lento e doloroso, penso que fui no fundo do poço e voltei. Procurar ajuda é muito importante, o afeto e o não julgamento das pessoas queridas também ajuda muito a amenizar a revolta e o sentimento de ter contribuído de alguma forma para que a violência acontecesse.Queria dizer a ela que é possível sim se recuperar, não desista da vida ela ainda pode ser muito boa, cuide de você,procure ajuda, existe terapia no SUS e nas faculdades de psicologia também existe a possibilidade desse serviço.Não se cobre nenhuma atitude, claro que denunciar seria importante, mas se não for possível pra você siga em frente!

Anônimo disse...

Gente, é muito dificil fazer justiça nesse país se as pessoas não denunciam. Tem que denunciar, não só fazendo boletim de ocorrência mas ligando para o 100 - e fazer uma denuncia de assédio sexual. Se for preciso, denuncie a autoridades jurídicas de sua cidade, tenho certeza de que eles vão querer fazer justiça.

O que não dá é ficar parada sem denunciar.

Anônimo disse...

Ela sugeriu então mandar meus dois tios darem uma surra no meu chefe e ameaçá-lo.

Concordo com a sugestão, peçam para darem uma surra épica no chefe, mas SEM AMEAÇAS. Só coisa do tipo eles chegarem de surpresa, fazerem miséria com ele, deixar uma marca de "lembrança" e pronto.
E depois denuncia.

lica disse...

S. querida, você tem toda nossa força e apoio!!!

Leia muitos posts feministas, pra você reforçar sempre na sua cabeça que você não teve culpa em NADA, em nenhuma escolha ou ação.

Infelizmente a maioria das pessoas vão agir de modo diferente, a te culpar de alguma forma ou te desencorajar, pq elas não são esclarecidas e repetem o senso comum. Mas sempre que duvidar de si mesma, volte aqui no blog da Lola.

Se você conseguir, selecione alguns posts e de pra sua mãe e pro seu namorado ler. Diga que se eles entenderam a cultura do estupro e te apoiaram dessa forma, você vai conseguir superar isso mais rapidamente.

Acredite, eles também SE CULPAM. Principalmente sua mãe deve se culpar...

Agora tente conseguir forças, peça ajuda pro seu namorado e façam uma mini investigação. Esse FDP já estuprou outras pessoas, ou ao menos assediou sexualmente. Descubram essas pessoas, entre em contato com suas ex-colegas, elas devem ter notado que ele te assediava. Acredito que mesmo sem o corpo de delito, você conseguirá formar um bom caso contra ele.
É possível que vc consiga uma câmera de segurança que mostra você chorando, desesperada... E a sua colega deve ter sido dispensada sem motivo do trabalho aquele dia, como a Lola disse, mostra a premeditação dele.

Um abraço querida, estamos com você.

Anônimo disse...

Tão novinha!
Que ódio. Faço coro, denuncie, faça um esforço. Não deixe esse homem impune e pronto pra repetir isso. Força, querida, dias melhores virão, acredite, eu já sofri muito nessa vida, principalmente por ser mulher.

Anônimo disse...

Que história terrivel e que terrivel é a menina achar que a culpa foi dela.
Eu sei como é, eu senti a mesma culpa. Mas de alguém que passou anos trancada no quarto por causa de um "date rape", não vale a pena jogar fora a SUA vida por causa de um covarde, um pedaço de merda que tem coragem de fazer uma coisa do gênero.
Não pense nele como um monstro, pois assim ele parece forte e ameaçador. Ele é um fraco. É um homem que não sabe lidar com "mulheres do tamanho dele" e recorre a vulnerabilidade de uma adolescente que precisa do emprego.
Me lembrou meu ex chefe (que eu suponho que não seria capaz de algo TÃO violento, mas era um porco), dava em cima de todas as funcionárias e fazia comentários inapropriados - como dizer pra uma menina de 17 anos que ele achava que ela tinha transado na noite anterior. Na minha última semana no emprego (tava cumprindo aviso prévio) ele veio com escrotisse eu respondi. Chamei ele de nojento e sem noção e mais um monte de coisas, nem me importei se tinha cliente na loja (acho que não, mas ia ser bonito pra ele se tivesse).
Fiquei pensando nas outras meninas, as que não podiam largar o emprego como eu fiz, as que dependiam daquele salário pra pagar suas contas.

Eu entendo a vítima de estupro não querer denunciar porque isso é difícil. Eu levei nove anos pra conseguir pronunciar em voz alta as palavras "eu fui estuprada", mas eu não entendo alguém desencorajar a vítima de estupro a fazer a denúncia.
Esse homem deve sim ser denunciado e eu aposto que se você fizer a denúncia, grandes chances de outras vítimas dele virem a público também. Se a preocupação era que você precisava do emprego, agora não tem mais emprego. Não tem motivo nenhum pra não denunciar. Eu encorajo e muitas pessoas também encorajam. É difícil, mas esse cara não pode continuar achando que ele pode fazer isso sem que isso fique impune. Mesmo que um processo não dê em nada, isso vai revelar quem ele é pras pessoas que souberem da denúncia.
Não deixe ele se esconder atras de uma máscara de homem de bem, trabalhador.

Cris disse...

Só uma dica pra autora: não fique com medo de "todo mundo ficar sabendo" na hora que você denunciar. Primeiro porque você é menor de idade e as autoridades NÃO PODEM revelar seu nome nem particularidades suas pra imprensa e afins.

Segundo porque, adivinhe, MUITA gente já sabe. eu sei que pode parecer meio rude da minha parte, mas você parou pra pensar que a essa altura o seu estuprador (eu ia dizer "seu ex-chefe", mas vamos ressaltar aqui a verdadeira face dele) já espalhou pra meio mundo que você "deu" pra ele? pode apostar que sim.

Pode apostar que ele está por aí se gabando que você QUIS algo com ele, que a "novinha safada" era você, que vocês fizeram e aconteceram, que o seu namorado é um corno que mal saiu das fraldas e ele é um grande garanhão experiente. pode crer, muito mais gente do que você imagina sabe o que aconteceu. ou melhor, PENSA que sabe - apenas ouviu o lado dele, as mentiras dele, as gabolices machistas dele, e não sabe o seu lado. não sabe o que você realmente sofreu. e não sabe o monstro que ele é.

DENUNCIE esse homem, pra que as pessoas saibam da TUA verdade. e para que você possa conseguir ajuda. porque claramente sua mãe e seu namorado não estão ajudando nem um pouco.

Anônimo disse...

S.,

Me parece que você precisa procurar um médico, alguém que te encaminhe para um psiquiatra. Pelos sintomas que descreve, imagino que esteja precisando de medicação para sair desse estado de prostração que a provável depressão causa. Você precisa ser cuidada; você merece ser cuidada.

Não é culpa sua, em hipótese nenhuma. Está difícil de enxergar porque esse estado que você descreve embaralha os pesamentos, a gente fica remoendo sem parar, buscando explicações. Um bom profissional pode te receitar algo que ajude a começar a sair desse estado. Se for o caso, a maioria dos medicamentos (genéricos) é de baixo custo. Peça para a sua mãe te levar ao médico. Não desista de si mesma, você é a vitima.

Anônimo disse...

Por favor procure um CAPS - Centro de Atenção Psicossocial
Pra te trazer ao menos algum conforto psicológico!

Anônimo disse...

Sinto muito, mas muito pela sua dor. MAs Denuncia esse monstro. Ou ao menso deixa seu namorado fazer oque ele quer. Uma coisa dessa me enche de odio. Sei que e' dificil, mas olha, a nao denuncia vai deixar ele tranquilo para cometer esse crime com outras meninas. Seja forte e denuncie. Mesmo que nao de em nada. Na minah opiniao ele fez isso com outra mulher e se ela tivesse denunciado, ele teria pensado duas vezes antes de te atacar.

Anônimo disse...

S.

Fiquei tão nervosa com o relato que terminei comentando no post errado... Algumas faculdades e universidades tem um serviço de atendimento ao público. É muito mais barato que uma terapia feita em consultório. Também existem grupos de apoio para vítimas de violência sexual em alguns lugares.

Não desista de procurar ajuda pq não é justo que isso prejudique seu futuro. Muita gente já disse, mas vou repetir: A culpa não foi sua!

Anônimo disse...

S., eu te indicaria denunciar, indicaria que procure ajuda psicológica, indicaria muitas coisas que já foram escritas aqui antes e que acho muito importantes, mas o fato é que o principal, que eu acho que vale mesmo a pena repetir é: não se culpe.
O receito que tenho é que, com tantos estímulos para que você denuncie, isso se transforme em mais uma culpa que você irá carregar. A culpa por não denunciá-lo.
Não tenha essa culpa, considere que você está doente e precisa de ajuda. Ajuda para seguir em frente, ajuda para enfrentar, ajuda para entender.
A recuperação de um evento desses na vida de uma pessoa pode ser lenta, pode ser difícil, mas é um passinho de cada vez.
Estar deprimida é uma situação pela qual você está passando, mas que pode melhorar.
Você teve a força para escrever o relato, apenas um mês após o estupro. Você pode não ter denunciado, mas foi até a delegacia. Você saiu da situação de risco. Você contou para algumas pessoas e elas te apoiaram, mesmo que de um jeito meio tosco.
São várias pequenas vitórias. Lembre delas sempre e espero que você veja a luzinha no fim do túnel, fraquinha, fraquinha, pode ser, mas está lá.
Que tal um dia de cada vez?
Abraços, querida!
MC

Cyberia disse...

Que relato triste... Li no intervalo do trabalho e fiquei transtornada pelo resto do dia. Que mundo de merda é esse....

S., querida, a culpa não é sua (pela milésima vez). Não importa como você agisse, entende? Se não fosse o beijo no seu namorado, seria uma roupa qualquer, seria um olhar, seria uma mexida no cabelo, seria um rebolado que você nem deu, mas ele te acusaria de ter dado e faria essa perguntinha CRETINA. Poderia ser até um mero sorriso. Ele QUERIA uma desculpa pra justificar fazer a monstruosidade que fez, e simplesmente ESCOLHEU uma qualquer. Lendo o cenário que você descreveu, sinceramente... Não acho que você poderia evitar. Ele PREMEDITOU o estupro. Arrumou uma desculpa pra ser capaz, na mente perversa dele, de não SE considerar um estuprador (coisa que ele É, ponto).

Entendo que seja muito, muito difícil denunciar. E entendo que você acredite que não vai dar em nada, e talvez até esteja certa, MAS mesmo assim eu acredito que seria BOM pra você. Tomar as rédeas da vida. Fazer SUA parte para colocar esse merda no lugar dele. Sei que é muito difícil, que dói muito... Mas se nós mulheres não nos erguermos, continuaremos prisioneiras e o estupradores continuarão livres sem SEQUER ter a reputação manchada... Sem SEQUER tomar um susto?! Isso não pode ser. Ainda que não dê cadeia, minha opinião é que pode valer a pena. Por você. Por suas possíveis filhas no futuro.

Laurinha (Mulher modernex) disse...

O cara é tão escroto que com certeza falou com as funcionárias que ela fez sexo com ele e não que o que ocorreu foi um estupro. Ou pra se gabar ou talvez achando que ela ia denunciar e já preparando o terreno pra se passar por inocente.

Querida, tente fazer o que vai fazer você se sentir melhor. Busque ajuda, como muitas já disseram, procure um psicólogo do SUS, quem sabe algum serviço social da sua cidade, enfim.
Força pra você.

Anônimo disse...

Menina, denuncia.
Busca uma terapia. Para te ajudar e também para servir de prova, já que não tem mais como fazer exame de corpo de delito.

Anônimo disse...

Pôxa garota,se não consegue agir por sua causa,aja pelas outras vítimas em potencial.Pense que o cara está livre,e seu silêncio dá a ele confiança pra estuprar outras.Não se torne cúmplice desse calhorda.
Denuncie, e deixe sim que ele tome um surra,é pouco pra quem comete esse tipo de ato asqueroso.

Cristiane Lima disse...

Querida S,

Não deixe de procurar ajuda psicológica, há muitas universidades que oferecem serviço de terapia de graça (aqui na Bahia é assim). Você tem que conversar com um profissional especializado, vai te fazer bem!

Não jogue a culpa para si mesma, sobre não seguir sua intuição. Você só tem 16 anos! É uma menina, não cobre a si mesma uma malícia que só vem com o passar dos anos.

Você estava trabalhando! Deve ser muito difícil lidar com um chefe assediador, ainda mais para uma menina da sua idade!

Tente se unir a algum grupo de mulheres que tenham passado pela mesma situação, sobretudo se for denunciar esse monstro. Acho importante não estar só numa hora dessas como forma de proteção.

Espero do fundo do coração que você supere essa dor e siga em frente!

Diana caçadora disse...

Não é uma questão de reputação ou de justiça.

Chega de sermos tratadas que nem lixo por um bando de porcos.

Mulheres, está na hora dos homens terem medo de nós.

Anônimo disse...

Me irritou muito esta história mas pelo motivo oposto de vocês. Sei que serei minoria, mas não me contenho: é muita passividade. "Não vou deixar meu namorado bater nele, não vou denunciar, não vou falar pra ninguém..."

Obviamente não estou falando que a culpa pelo ocorrido é da garota, mas a maneira como ela lidou com a situação foi terrível e você divulgar isso em seu blog faz parecer para as outras mulheres/meninas na mesma situação que isso é o "normal" a se esperar. Passividade e conformismo.

Espero que pelo menos, em um futuro próximo, siga-se uma outra história em que o oposto aconteceu. A menina lutou contra o abuso e venceu.

Do jeito que está fica parecendo que o blog incentiva o machismo e estupro, ao dizer: você estuprador, está vendo o que acontecerá com você? Nada, pois o medo, a vergonha e a falta de reação de sua vítima será maior que o que você faz.

Só minha opinião, sintam-se livres para discordar.

Anônimo disse...

Sabe, não digo bater, mas bem que alguém podia pichar um 'ESTUPRADOR' na loja dele.

Anônimo disse...

DENUNCIE! Coragem! Você é mais forte do que imagina. Denunciando você vai ajudar a si mesma (não deixando esse crime impune) e outras meninas que possam passar por isso. Tenha força e procure ajuda, não permita que esse desgraçado destrua sua vida. Ele é o responsável por isso, só ele.

Anônimo disse...

Esse foi um dos posts mais terríveis que eu já li nesse blog. Acho que foi um dos que mais me chocou.
A culpa de maneira alguma é sua. Que culpa você tem por ser mulher e ter corpo de mulher? Isso justifica alguém te estuprar? Você tem alguma culpa por ter peito, bunda e ser bonita? Moça, você tem o direito de se arrumar se você se sente bem assim. Se alguém te desrespeita por causa disso a culpa é dessa pessoa e SOMENTE dela. Mas eu acho difícil seu ex-chefe ter feito a merda que fez porque você é bonita. Pessoas assim não escolhem muito a vitima, para eles tanto faz a aparência, eles se divertem com o sádico prazer de causar sofrimento nos outros.
E não é sua culpa você ter ficado sozinha com ele ou porque beijou seu namorado na frente dele. Você ia ficar sozinha com ele de qualquer jeito, se você não tivesse beijado seu namorado ele ia fazer o que fez do mesmo jeito. Você tem apenas 16 anos, você não tem culpa, voce estava trabalhando inocentemente, como você ia saber o que te esperava?
Quanto a sua auto estima e seu desejo sexual ter sido afetado, eu lamento muito, muito mesmo e espero que você consiga logo dinheiro para fazer acompanhamento psicológico.
Seu ex-chefe é um monstro, é um monte de bosta, é um lixo, espero que você crie forças para denuncia-lo, mas entendo que é difícil.
Bom, te desejo o melhor de tudo, queria poder te dar um abraço muito apertado.

Anônimo disse...

Que sociedade nos vivemos onde meninas jovens se sentem culpadas por terem sido violentas :/ e ainda conheço gente que diria "ela foi burra, mereceu". E quando dizemos que temos nojinho das pessoas, somos radicais. Menina, força! Você ainda tem uma vida pela frente, não deixe que ela seja estragada por um estuprador machista escroto. Eu sei que é difícil, mas força! Sabia que há muitas do seu lado :)

A.A disse...

Eu também fui estuprada pelo meu chefe, como relatei em um post aqui Aqui e sei como você se sente. Hoje, passados 10 anos eu ainda sofro com isso.
Eu sei o quanto é difícil não se culpar.
Não sei de onde vc é, mas se for de campinas ou região ou próxima, peça para a Lola o meu contato, tenho amigas psicologas e feministas que podem te ajudar.
bjs

Anônimo disse...

"A menina lutou contra o abuso e venceu."

Nossa, quantos casos maravilhosos desse existem por ai? Aqui na minha cidade, uma menina de 14 anos foi estrupada por QUATRO homens da marinha. Ela denunciou. Sabe o que aconteceu? Um monte de gente falando que ela era uma puta por ter ficado sozinha com quatro homens e, pior, tinha merecido ser estrupada. Muuuitas mulheres falaram isso.

E outra, vc tá precisando de mais aulas de interpretação. Ninguém tá incentivo o conformismo. Acorda! A menina tem 16 anos! Você é da turma que acha que adolescentes sabem tudo ou estão em pleno controle emocional? É de se esperar que ela tenha essa reação. Ela está confusa e assustada. Nunca sofreu um trauma tão grande e as pessoas mais próximas dela não agem da forma esperada. Todo mundo está encorajando ela a denunciar...

Que tal ter um pouco mais de empatia? Não é difícil, juro.

Felix disse...

"Quando chegou me abraçou, disse que aquele homem era um nojento, que ia pagar pelo que fez -- mas que eu não deveria denunciar. Eu precisava do emprego."

Parei de ler aqui. Não faz sentido, não tem lógica.

Podem me chamar de machista, mas que falta que faz um bom Pai.

Era para sair do emprego, sim!! Na primeira investida do chefe! E o velho deveria ter sido denunciado à polícia!

Vcs, feministas, tem de ser mais pragmáticas. Colocam seus ideais acima da segurança das próprias mulheres!

Quem aqui não olha para os dois lados quando passa numa faixa de pedestre que não tem sinaleiro? Todo mundo olha, né? Porque sabem que há motoristas que não respeitam a faixa. Querer viver numa cidade onde todos os motoristas dão preferência aos pedestres não assegura ninguém a atravessar a faixa sem olhar se vem carro.

UMA MARIANA ESCREVEU, NOS COMENTÁRIOS ACIMA, UMA DAS MAIORES ASNEIRA QUE EU JÁ LI NESSE BLOG (ATÉ PIOR QUE AQUELES CARAS DA REAL):

"Não segui minha intuição, não saí do emprego e fiquei sozinha com ele". Vc precisava do emprego e estava trabalhando! Que espécie de ambiente de trabalho é esse que ameaça a integridade das empregadas? E, se vc fosse embora, provavelmente sua mãe ia reclamar por não contar mais com seu salário..."
_______

Que espécie de mulher aceita que uma jovem conviva num ambiente de trabalho que pode ser estuprada(velho de 50 anos abraçando novinha? Rá, óbvio que haveria reincidência)?
E ai Mariana, se fosse sua filha? Vc teria feito o mesmo, então?

MonaLisa disse...

Eu já teria recorrido a um traficante e pedido a cabeça desse maldito.

Estuprador bom, é estuprador morto.

Anônimo disse...

"Na primeira noite eles se aproximam e roubam uma flor do nosso jardim. E não dizemos nada. Na segunda noite, já não se escondem: pisam as flores, matam nosso cão, e não dizemos nada. Até que um dia, o mais frágil deles entra sozinho em nossa casa, rouba-nos a luz, e, conhecendo nosso medo, arranca-nos a voz da garganta. E já não podemos dizer nada" Trecho do poema de Eduardo Alves da Costa

Anônimo disse...

Lolinha,
não seria melhor apagar o comentário do anônimo das 14:32?

Anônimo disse...

Sinto a mais profunda raiva dessas criaturas que estupram, mas sinto muito mais raiva quando acontece com menores. O nome disso é PEDOFILIA.

Desejo toda a força p vc que passou por isso, menina. Não posso imaginar sua dor mas te desejo muita força e que vc encontre paz, planos e sonhos p seguir em frente. Que você possa reconstruir sua vida ao lado das pessoas q te amam e se importam com vc.

Que vc receba dentro e fora do blog todas as palavras de apoio e carinho,q vc se sinta se acolhida. E se por acaso vc ouvir alguma coisa q vc não merece, deixe isso sair pelo outro ouvido, retenha apenas as boas palavras p vc.


Anônimo disse...

Juro que eu queria vir aqui ler que esse fdp pagou por esse crime, nem que seja com essa surra que o namorado quer dar (quer, vamos ver na hora h). Eu passei muitos anos com um sentimento de vingança entalado, sonhava até...passei tantos anos pensando se seria possível voltar atrás. Hoje acho que resolvi parte dos problemas com o feminismo e com terapia.
Espero muito que esse cara pague pelo que fez até para evitar que se repita. Boa sorte na sua vida, você é muito jovem e sua mãe é um tanto despreparada, mas dá pra perceber que você tem fibra sim, esse momento vai passar, resolva como puder, por experiência eu aconselho sim a denúncia, pode ser difícil hoje, mas vai fazer bem pra você e pra sociedade.

Malvina Concórdia disse...

Minha ideia é que na cabeça doente do estuprador ao perceber que você não seria "mocinha" virgem, isso lhe daria todas as oportunidades com você, já que respeito seria uma palavra morta no seu vocabulário. Ao ouvir toda a história, penso eu que você deveria registrar a ocorrência contra ele. http://pt.wikipedia.org/wiki/Estupro_na_legislação. Observe que no seu caso a pena pode ser de 8 a 12 anos. Não se cale. Não é porque você não era mais virgem, que o ato sexual pode ser sem consentimento. O que ele fez é crime, e os criminosos devem ser punidos, pois não estamos numa terra sem leis. Há limites. Bom processo!

Anônimo disse...

S. a data da prescrição começa a contar depois que vc fizer 18 anos...A lei mudou depois do caso da nadadora que depois de anos juntou coragem e denunciou o treinador, mas o crime estava prescrito. Portanto preocupe-se primeiro com vc neste momento.Peça ajuda para sua mãe seu namorado para procurarem uma psicóloga que atenda gratuitamente: há nos CAPS, nas Unidades básicas de saúde, nas universidades públicas e em ONGS de apoio à vítima de violência sexual. Dependendo da cidade que vc more talvez tenha algum psico que aceite atender voluntariamente tb...N sei se seria possivel mas a Lola poderia falar a cidade (caso n seja cidade pequena pq ai mta gente se conhece E logicamente a S. aceitando) e aí alguma psicologa seguidora do blog poderia se dispor a te atender voluntariamente...Abraços!Lívia

Anônimo disse...

Que revolta ler esse relato. Que revolta dessa mãe convencer a menina a não fazer a denúncia. Que revolta!!
Eu comecei a trabalhar com 16 anos em um supermercado, todas as meninas do caixa tinham entre 16 e 18 anos, a gente vivia sendo assediada pelos donos, seus filhos, gerentes,seguranças. Não era a toa essa preferência por meninas. Éramos obrigadas a aguentar todo tipo de cantada e variados tipos de assédio, era nojento. E claro, nenhuma das meninas sabia lidar com isso direito, reclamávamos umas com as outras e só.

Lola, entendo que o que o seu blog pode fazer é orientar com o que está disponível (delegacia da mulher, disque 100), mas não há como mobilizar uma rede de apoio de advogadas, psicólogas etc pelo país para que deixem seus telefones disponíveis para ouvir e orientar e quem sabe até acompanhar uma menina/mulher nessa situação?

Jana

Dunga Cardoso disse...

Bem, realmente menina, você deveria ter denunciado o seu ex-chefe, pois vc já não tinha nada a perder, eu sei que como vc passou por uma agressão vinda dele, acaba existindo um certo medo de fazer uma denuncia e não dar em nada e isso acabar revoltando ele, se fosse eu ficaria com medo tambem de denunciar, talvez nem denunciaria tmb por medo, mas como é fácil aconselhar quando não está na situação, eu acredito que seria melhor vc fazer uma denuncia, hoje foi você, amanha será outras meninas, e eu sei que vc não quer que ninguem passe o que vc passou, e quanto a culpa eu entendo o porque vc se sente culpada, vc pensa que de certa forma vc tentou seduzir o seu chefe ou até mesmo desafia-lo, mas não se sinta culpada, quem fez errou foi ele, não é porque as mulheres andam na rua com um short de 4 dedos que os homens vão estrupa-las, vc não ia andar mal vestida ou mal arrumada pra afastar os homens, isso não existe, quanto ao psicologico, é muito dificil, sua vida parece que perde o sentido, o medo toma conta, o desanimo, mas o tempo é o melhor remédio, e eu sugiro a você que procure amigos, faça um esforço pra sair, tentar se divertir, quando mais feliz você ficar, mais você vai esquecer isso, e vai voltando ao normal, mais você precisa ter determinação.

Boa Sorte!

Anônimo disse...

S.

A gente quando lê um relato como o seu se sente impotente e a vontade é fazer qualquer coisa para que o bandido do seu ex chefe não saia impune. Mas por favor, não se sinta julgada. Denunciar não é fácil, principalmente sem apoio da família e amigos.

Talvez nem eu, do alto dos meus 30 anos, conseguisse lidar com homem mais velho, agressivo, em posição de poder e disposto a cometer um crime. Imagina você com 16 ... A culpa não é sua e isso precisa ficar bem claro! Também não existe a obrigação de superar logo ou de fazer qualquer coisa. Só vc sabe o tamanho da sua dor e toda a confusão e medo que enfrentou.

Anônimo disse...

Menina do post, a culpa não foi sua.

Não foi a sua roupa curta. Se só andasse com roupa comprida ele ia dizer que estava ensinando a se comportar como mulher de verdade.
Não foi o beijo no namorado. Se vc nunca tivesse namorado ele ia dizer que estava na hora de ter.
Não foi porque você ficou na loja naquele dia. Em outro ele ia dizer pra vc ficar até mais tarde pra trabalhar, em outro a outra funcionária podia sair mais cedo pra ir no médico.

O culpado foi ele porque ele é um estuprador. Ele pegou um garfo e te ameaçou e te violentou. Você não teve culpa. Quando vc lê os outros posts aqui no blog da Lola eu acredito que vc vê que a culpa também não foi das pessoas estupradas. A culpa sempre é do estuprador.

Você agora pode não estar encontrando forças para denunciar, o que seria muito bom. mas tem tempo: vc tem dezesseis anos pra denunciar o cara, depois de vc completar dezoito anos (de acordo com o artigo 109 do código penal).

Acho que vc deveria focar em ficar mais forte agora. Procure uma psicóloga com as dicas que o pessoal daqui já deu; vá no médico geral e explique que você está com sintomas de depressão e peça para ser encaminhada a um psiquiatra; anote um dia antes aquilo que vc precisa fazer no dia seguinte e se esforce para fazer (caminhar na rua com seu namorado, tomar sol, tomar banho, ler tantas horas sobre tal assunto; estudar por 1 hora...).

Anônimo disse...

Fica uma sugestão, não para a coitada da vítima, mas para esses coletivos feministas, vão até a loja do cara, acampem,pichem a porta da loja com a palavra ESTUPRADOR, COMECEM A PERSEGUIR O SUJEITO AONDE ELE FOR, POR UM BOM TEMPO, DIVULGUE NA INTERNET, NÃO O DEIXE EM PAZ.

Anônimo disse...

"Concordo com a sugestão, peçam para darem uma surra épica no chefe, mas SEM AMEAÇAS. Só coisa do tipo eles chegarem de surpresa, fazerem miséria com ele, deixar uma marca de "lembrança" e pronto.
E depois denuncia."
(Anônimo das 17:55)

De jeito nenhum. Uma coisa ou outra. Fazer as duas é uma evidente burrice, vai levar direto à identificação dos responsáveis pela surra. Queremos que o estuprador vá para a cadeia, não os tios/namorado/amigos da vítima.

E, se é para tomar uma atitude à margem da lei (o que é em si mesmo uma péssima idéia, e fica ainda pior depois de discutida aqui), a surra com certeza não é a melhor opção, nem a mais segura (ele não é um garoto novo, vai que ele morre da surra?) Ele sofrerá mais se a loja for depredada, ou pichada com os epítetos que ele merece ("estuprador" sendo o melhor e mais direto deles).

Mas, moça do post, esse cara está parasitando sua vergonha. Para que você realmente consiga enfrentar a situação, é preciso que você ligue o "dane-se": dane-se que os vizinhos saibam, dane-se que a família saiba, dane-se que a torcida do Flamengo saiba. Só quando você não se importar mais que todo mundo saiba - quando, na verdade, você quiser que todo mundo saiba, é que você estará realmente em condições de denunciar e não se culpar novamente, desta vez por ter denunciado (e pelas consequências que isso traz, polícia, fofoca, talvez imprensa... sendo otimista, advogados e tribunal).

Acho que você deve tentar construir essa postura. Você foi. Mas construa essa postura antes de denunciar; não se machuque mais só por que os outros (eles de novo) estão dizendo o que você deve fazer. Como alguém já disse, os outros, ora, os outros não foram estuprados. E o seu ex-patrão é um estuprador; se ele estuprar outra pessoa, é culpa dele de novo, não sua por não ter denunciado.

Você é a vítima; é você que está deprimida, não os outros. Todo mundo mais é forte o suficiente para denunciar, dar uma surra, sei lá que mais. Mas é você que pode denunciar, e só deve fazer se você se sentir forte para isso. E é em você que a corda vai arrebentar se algo der errado, não em quem está aqui te dando conselho. Terapia ajuda, como muitos já disseram, inclusive para você ser capaz de avaliar se está forte o suficiente para tomar atitudes, e lúcida o suficiente para decidir quais atitudes tomar.

Agora, uma coisa. Ele quis te matar. Se não fisicamente, moralmente, simbolicamente. Não deixe que ele consiga. Não dê a ele essa vitória. Não dê a ele esse prazer.

Boa sorte pra você, tudo de bom pra você, um mundo melhor pra você. Isso vai passar. Quando passar, não quando sua mãe, namorado, psicólogo, a Lola, eu, ou outro comentarista aqui acharmos que tem de passar.

Nem, na verdade, quando você achar que deve passar. Quando passar, simplesmente.

Anônimo disse...

é uma bosta a gente criar mulher pra ser dócil, pra não bater, pra ser pacífica. se criássemos meninas direito, da primeira vez que esse velho nojento tivesse dado uma encarada ela já teria crescido pra cima dele e, percebendo qualquer reação que não a de desculpa, teria saído do emprego. mas não, criamos meninas pra serem medrosas, inseguras, pra perdoar, pra desculpar o que de cara (antes do estupro) é já uma violência inaceitável. a gente tem que mudar o jeito de criar mulheres e temos mudar o jeito de criar homens. e temos que empoderar mulheres já criadas e punir homens mal-criados.

Anônimo disse...

Gente é facil falar pra garota denunciar, mas quantas de nós fomos assediadas no trabalho e mesmo diante disso, não denunciamos pra polícia, diretoria, presidência ou whatever...
O medo, a vergonha, as caraminholas machistas que nos colocam na cabeça desde que nos entendemos por gente paralisam!
Eu mesma já fui assediada por um colega de trabalho, que na saída tentou forçar pra entrar no meu carro, mesmo depois de meses me assediando no escritório (obrigada tecnologia pelas travas elétricas!), fiquei paralisada de medo, eu faço muai thay na academia!!!! Como pude ficar desse jeito, mesmo sabendo derrubar um cara com o dobro do meu tamanho e peso, não consegui me desvencilhar daquele idiota?? Fico com ódio de mim mesma quando lembro disso.
Não denunciei, não quebrei a cara dele em pedacinhos, não fiz nada, fiquei em choque. É muito facil falar a uma pessoa como agir, mas na verdade, vc não se comportaria muito diferente caso tivesse acontecido contigo.
É quase como um psicopata, ele sabe dar o bote certeiro e envolver a vitima, para que ela fique presa psicologicamente a ele.

Anônimo disse...

Não querendo colocar a culpa na garota, mas pelo jeito que escreve, essa garota se acha demais, e com certeza, tinha a postura de quem se acha demais.
Ela faz questão de citar quão bonita, gostosa ela é, num texto que atributos fisicos não fariam a menos diferença, afinal, não só pessoas dentro dos padroes de beleza atual é que é estupradx, isso tudo me parece mais um ''Olha só, sou linda, porque isso foi me acontecer, chorem por mim que sou bela.'' Por favor, parece que ela escreveu só metade da historia, A DELA, não estou dizendo que comportamento provocante merece estupro, nem posso afirmar que ela agiu dessa forma, só que está historia, parece aquelas historias de briga de irmãos, quando você conta o que aconteceu para a sua mãe, só conta o seu lado.

Hamanndah disse...

Ora, Anônimo das 12:40. Uma mulher ser bonita ou estar fora dos padrões de beleza, violência sexual é violência sexual, é violência, é poder, não sexo.

Se duas mulheres são estupradas, não existe outra menos vítima que a outra

Não se justifica estupro sendo a pessoa mais atraente ou menos atraente

Vá catar coquinho, seu mascu anônimo cultura de estupro.

Hamanndah

Anônimo disse...

Hamanndah, tenho total entendimento da realidade que vivemos,e SEI que a cultura de estupro existe e é vigente.
Estou apenas questionando que essa garota, que eu sinto muito que tenha passado por essa situação e espero que esteja recebendo todo apoio, está contando a historia de modo a favorecer o vitima style dela, baseando-se na beleza, e em quão jovem e atraente ela é.
Exitem pessoas vitimas, e pessoas vitimas que quere confetes em cima dela, e geralmente essas pessoas apenas citam os fatos que lhe convém, o cara é um escroto, e deveria ser preso, não estou questionando isso, nem o defendendo, estou dizendo que historinhas de sôsofredora, me cansam.
Gostaria de ver uma pessoa que cita tanto seus atributos, não tenha usado eles.

Anônimo disse...

Também é possivel fazer acompanhamentos psicológicos a preços negociaveis nos SPA´s/ DPA´s das faculdades de psicologia

Anônimo disse...

Vou mandar a real, pq sou advogado criminalista:
Agora não adianta mais denunciar.
Se tivesse denunciado logo após acontecer, vc teria sido levada ao IML para fazer perícia e seria constatada a violência sexual, pq sexo consentido é diferente de sexo forçado (tem a ver com lubrificação vaginal, violência da penetração etc.), seriam constatadas lesões na vagina e também lesões corporais dos tapas, de te segurar com muita força e te deixar marcada etc.
E, à vista de tais elementos, ele seria condenado com certeza.

Mas agora, passado mais de um mês do fato, todos os vestígios desapareceram. Isso facilita demais a defesa, vão alegar que é despeito por não ter dado certo no emprego, vão alegar que está tentando cavar uma indenização etc. e você, inclusive, corre o risco de ser processada por calúnia e denunciação caluniosa.

Então, já te digo que não compensa, vc terá mais dor de cabeça do que ele.

Hoje, o que compensa é o que sua mãe e namorado disseram mesmo, arruma dois patolas para dar uma surra no cara e sodomizá-lo com um cabo de enxada. Pq legalmente não vai dar nada.

Mariana disse...

Félix, vc me entendeu mal. A menina estava se culpando por não ter saído do emprego, como se o fato de ela ter permanecido no trabalho fosse a razão pra ela ter sido estuprada. O que eu quis dizer é que ela, infelizmente, não teve escolha porque precisava desse emprego infeliz pra ajudar em casa. Foi nesse sentido que mencionei a mãe, essa mãe me parece ser do tipo que ia reclamar se ela saísse do emprego por suspeitar o chefe. Ela DE FATO falou, EM PLENA DELEGACIA, DEPOIS DO ESTUPRO CONSUMADO, que a filha precisava do emprego. Ou seja, mesmo com todo o terror que a filha passou, a mãe ainda queria que ela voltasse pro emprego! Se ela tivesse saído depois da primeira investida, aposto que a mãe ia reclamar e culpá-la por ter perdido parte da renda.

Tanto não concordo com a atitude dessa mãe que logo depois comentei sobre como a situação de desigualdade social no Brasil obriga pessoas em situação de vulnerabilidade econômica a ficarem em empregos horríveis. Deixei bem claro que acho HORRÍVEL existirem garotas de 16 anos que têm que fazer supletivo porque precisam trabalhar e ajudar na renda de casa. Por favor, NÃO PENSE EM NENHUM MOMENTO que eu achei que ela tinha que permanecer no emprego. Concordo com você, fosse por mim, ela teria saído depois da primeira investida. Mas, infelizmente, na situação econômica em que se encontrava e com uma mãe dessas, a coitada não teve escolha. E agora está se sentindo péssima, justamente por não ter confiado na intuição e permanecido nesse emprego arriscado com esse chefe lixo humano. Só que é fácil pra gente, que não precisou ajudar em casa aos 16 anos, falar que ela errou em ter permanecido.

lica disse...

Anônimo das 14h11

Você deve ter tomado umas pingas pra escrever isso, né? Não é possível que você tenha mesmo tanta consciência de feminismo e cultura de estupro.

A menina é nova, descobrindo o feminismo agora, ela mesma diz o quanto se sente tola hoje porque julgava mal as pessoas pela estética e etc...

Ela assim, como tantas outras vítimas de estupro, se sente culpada por ter o corpo que tem, pq chama atenção, pq ela era vaidosa e hoje pensa que isso contribuiu pra ela ser estuprada...

Pelo amor de Deus... uma menina de 16 anos sofreu essa violência há um mês e tudo que vc tem a dizer é que ela 'se acha'e que 'historinha de sofredora' te cansa?

Desgraça pouca é bobagem, né? Você devia ir pra Índia, já que lá sim tem 'estupro de verdade' e você poderia ter compaixão.

Realmente, vai catar coquinho...

Anônimo disse...

Mulher nenhuma merece ser estuprada. Ela só tem 16 anos, é uma menina.

Alves Milene disse...

Lola, que bom que continua por aqui. ...que angústia, mas voce conduz S. ao pensamento racional.
S. há muitos serviços que oferecem atendimento, se quiser pode me mandar um email . A Lola tem meu contato.
Estou tão triste, indignada com esse relato, mas grata pelo compartilhamento. Tenho uma filha jovem, indo para o mercado de trabalho e isso me atordoa. Meninas, entusiastas da labuta. S por favor denuncie. Não acredite que seu tratamento está em Marte, há bons atendimentos gratuitos, basta saber onde ir. Não sei se
está em SP, acredite que esse horror vai diminuir, não desista de sua vida. Essa maldita cultura de estupro, acua todos, e "culpar" a vitima, demonstra outra atitude vil.
Espero que nossas palavras possam fortalecer e trazê-la de volta pra vida, não será fácil, mas é possível.
abraços, força, fé naquilo que acredita.
Milene

Anônimo disse...

Nesse filme o estuprador teve o castigo merecido. So acho que a tatuagem deveria ter sido na testa. http://www.filmesonlinegratis.net/assistir-millennium-os-homens-que-nao-amavam-as-mulheres-legendado-online.html

Carolina Corrêa disse...

Queria deixar um abraço pra Lola - que deve receber muitos depoimentos como esse, e ficar quebrada por dentro. E um muito, muito especial pra S., cuja história me deixou arrasada.

Moça, a culpa não é sua!

No mais, muitos bons conselhos já foram dados. Espero que você consiga ajuda pra superar essa coisa horrível que te aconteceu. Eu estou aqui torcendo, mandando boas energias.

Força!

Anônimo disse...

Menina pelo amor de Deus arranque força de dentro de você; DENUNCIE esse homem, e avise para suas ex colegas de trabalho. Não sinta vergonha de se expor Levanta Levanta.

Anônimo disse...

Se vc tiver cartas, emails, ou até mesmo mensagens de celular e outras provas, vc pode denunciar o patrão por assédio sexual no ministério do trabalho. Converse com um advogado a respeito se se informe.

Fique bem!

Lari Gam disse...

S., queria muito poder te dar um abraço e te confortar de alguma forma com as suas dores. Mas eu sei que não tem palavra, nem abraço que possa fazer isso agora.

Então desejo, do fundo do coração, que vc perceba q não é culpada pelo que aconteceu, que o único culpado nessa história é o imbecil, escroto, merda que te estuprou.

Sinto muito muito muito mesmo por você. E por favor, S. querida, tente procurar um grupo de auxílio para mulheres e busque apoio, você precisa muito disso, precisa muito que outras mulheres te ouçam, te abracem, que façam por você uma rede de apoio, de segurança, que te confortem para tomar de volta a sua vida, que é sua, que te pertence. Peça ajuda ao seu namorado, não se envergonhe.

Namorado da S., leia o relato dela, leia os comentários, moço, apoie a S., abrace-a, faça com que ela se sinta segura, seja generoso com ela, seja paciente, busque o grupo de apoio que ela precisa e esteja presente pra ela.

S., sei que não posso te abraçar nem dimensionar a sua dor, mas acredite, a sua dor dói em todas nós e você não está sozinha. Sinta-se abraçada.

Lola, foi difícil ler isso, foi pesado, ainda estou com lágrimas nos olhos e passarei dias assim. Mas obrigada por ter o coração aberto para apoiar e ouvir, e que bom que a S. pode contar com vc e que você pode, de alguma forma, acolhê-la.

Anônimo disse...

A culpa nunca é da vítima.

Como a Lola disse procure ajuda no SUS. Se vc é de SP, procure a casa do adolescente em Pinheiros. http://www.cursinhodapoli.org.br/htmls/vox/2008/maio/2.htm

Repense em denunciar, pois, um cara com esse perfil deve ou vai abusar de mais pessoas. Ele provavelmente deve ser uma ameaça para sobrinhas, filhas de amigos, de vizinhos, etc. Ele é uma ameaça...

Procure alguma delegacia da mulher, para maiores orientações.

Anônimo disse...

Ah, o fato de você ter um cartão assinado por ele dizendo que você seria sempre bem vinda na loja, refuta uma possível 'desculpa' que ele poderia dar, dizendo que você estaria inventando uma mentira pra se vingar por ele ter te mandado embora.

Anônimo disse...

Procure a delegacia da mulher, se informe, insista, procure ajuda.

Sobre a denuncia nao dar em nada, acho que vale a pena vc ser informar.. me parece impossivel colar essa de que foi despeito do emprego nao ter dado certo ou que quer cavar indenizacao.

Voce que abandonou o emprego, de uma hora para outra, suas notas na escola diminuiram, sua mae e namorada que nao deixaram vc denunciar na hora, vc soh tem 16 anos, e vc nao quer ele preso, nao indenizacao.

talvez na ficha criminal dele tenha outras denuncias... tem as outras meninas que trabalhavam com vc, va se informar na delegacia da mulher ou no CAPS da sua regiao.. eles vao tentar orientar no que eh melhor fazer..

força! vc ñ teve culpa nenhuma, nada que vc fizesse justificaria.. ele é um criminoso, covarde, nojento... que se aproveitou da posição de chefe, de homem mais velho, e de uma arma branca.. pra cometer um crime hediondo contra menor de idade.


Maria disse...

Nem precisa ser pelo SUS! Muit@s terapeutas negociam outras formas de pagamento que não o dinheiro. Eu, por exemplo, trabalhei de secretária por 1 ano na clínica onde eu fazia terapia porque não tinha dinheiro para pagar. Pergunte por aí a pessoas que você conhece que fazem terapia, peça indicação de profissionais. Muit@s, MUIT@S mesmo negociam em prol de uma paciente como você.

Anônimo disse...

Sou leitora do blog e este é o meu primeiro comentário, isto porque a sua história foi além do que "estou acostumada" a ouvir.
Insisto-assim como os outros leitores, para que você o denuncie. Não se culpe pelo que aconteceu.

Colega, aqui vão os meus sinceros sentimentos; sinta-se abraçada.

Sabrina

Ana Cristina Oliveira disse...

S. querida. Imagino que sua situação deva ser bem cruel. Imagino que também não deva ser fácil encarar essa situação. Mas, como a Lola disse, e muitos dos comentários sugerem, acredito, que a melhor coisa a fazer e ir a uma delegacia da mulher, ou a uma defensoria publica e contar seu caso. Eles irão ajuda-la a encontrar um local onde possa realizar um tratamento psicológico-psiquiátrico (se for o caso) e irão auxilia-la em toda parte processual do que deve ser feito para que o responsável por essa violência possa pagar por ela.

Você vive em uma sociedade ainda muito machista, e nós todas sabemos disso. E é difícil mesmo entender as vezes que tudo não é culpa sua - como realmente não é. Mas, se tem dúvidas, receios e etc, procure ajuda nesse locais, que eu e tantos outros indicamos. Ligue para o 180, para o 100 (é gratuito). Visite o site: http://www.spm.gov.br/. e siga em frente.

Nós mulheres e feministas estaremos do seu lado - Mexeu com uma mexeu com todas

Força S.

Ana Cristina Oliveira disse...

Lola só uma dica de um caso bem cruel e bizarro que tá rolando na Bolivia faz um tempão e eu li numa revista esses dias - de arrepiar.

De repente vale umhttp://www.vice.com/pt_br/read/os-estupros-fantasma-da-bolivia?Contentpage=1 post, talvez:

Aline disse...

Sobre o apoio psicológico:

Fazer terapia pelo SUS é complicado sim, mas existem centros de ONGs por exemplo que dão suporte psicológico gratuito a vítimas de estupro. Aqui em Salvador, por exemplo, existem o Centro de Referência Loreta Valadares, e o Projeto Viver. Além dos centros, toda faculdade de psicologia tem uma clínica-escola, que atende a preços simbólicos ou mesmo totalmente de graça. Procure um profissional , pois a situação pela qual você passou é mesmo uma barra para qualquer pessoa de qualquer idade. Estamos do seu lado. :)

Anônimo disse...

Olha so,e um absurdo a sua Mae se preoculpa com emprego.em vez de ter denunciado ele.que tipo de Mae é essa.

F.B disse...

Sei bem o que é isso. Tamb3m fui estuprada. Ou melhor currada. Eram tres animais e sou magrinha. Idade de mulher e corpo de menina. Me trancaram. Estupupada, humilhada, surrada,sangrando, nua me escondendo em baixo duma mesa. Me cuspiram e puxaram debaixo da mesa. Pensei que fosse morrer. Com o peso dos corpos fiquei toda dolorida e e marcada. Minha familia nem percebeu que me isolei, que pedi demissão, que choro o tempo todo. E o medo me silencia. Me sinto suja, culpada por não ter força para tirá-los de mim.

Tinúviel disse...

S, se tu tinha dezesseis anos à época, ainda dá tempo de denunciar!!!! Tu tem seis meses depois de fazer dezoito anos. Por favor, não deixa esse cara sair impune dessa, denuncia ele! Força pra ti.

Anônimo disse...

Oi Lola! Você tem notícias da S.? Adoraria saber como ela está...

S., ao ler seu relato, enquanto lágrimas rolavam de meu rosto, minha única vontade era de lhe dar um afetuoso e carinhoso abraço, olhar bem em seus olhos e lhe dizer: a culpa NÃO É SUA!!!

Fui vítima de estupro dos 7 aos 10 anos de idade por um primo. E, ainda assim, não sei o que você sente, porque nossa dor é só nossa. Só você sabe a dor que sente e só eu sei a dor que sinto. Também me culpei muito e volta e meia, o que acontece raramente, quando me lembro desse fato triste em minha história, ainda me culpo. Dá pra acreditar?! Uma criança de 7 anos se culpar? Pois é, sei que você dirá que não foi minha culpa e eu lhe digo também não foi sua culpa. Acho que, no fundo, a gente faz isso porque queria poder voltar no tempo e fazer diferente, mas a gente não pode e, adivinha só, isso também não é nossa culpa. Não tínhamos como prever o que aconteceria antes de acontecer. É muito fácil agora saber que aconteceria, porque aconteceu, mas na época não tínhamos como saber. Os únicos culpados são os covardes que fizeram isso conosco. Sim, COVARDE! Seu ex-chefe não é monstro, é um covarde! Um homem sem capacidade para conquistar uma mulher e, por ser COVARDE, faz isso contigo. Para tirar seu poder e tentar tirar sua dignidade. Mas ele não tem esse poder! Não dê esse poder à ele!! Eu espero muito que você recupere sua vida e vontade de viver!! <3 Já tive depressão e cheguei muito perto de me matar, mas procurei ajuda e hoje estou bem melhor. Não digo que nunca penso no que ocorreu, volta e meia me lembro e sinto nojo e vergonha, mas vejo quanto tempo passou (hoje tenho 24 anos), tudo que já conquistei e ainda posso conquistar. Sou formada já, tenho um namorado maravilhoso, que me respeita como ninguém e com quem, finalmente, me senti à vontade para compartilhar o sexo e que me fez reaprender a gostar do meu corpo e a me dar prazer. Isso é muito bom! De certa forma tira todo o poder de seu estuprador, porque ele quer lhe podar, ser dono do seu prazer e quando você volta a ter controle sobre ele e resolver compartilhar com alguém de sua escolha, o estuprador volta para seu lugar de covarde, de lixo, de escória da humanidade. Mas só consegui isso após muuuita terapia. Antes eu vivia trancada em casa e não tinha vontade de nada. Foi preciso eu pensar em tirar minha própria vida pra ver como era grave a situação e que eu precisava fazer algo. Não deixe chegar nesse ponto contigo!!! Procure ajuda! Vá ao SUS, ou, como já falaram, procure o curso de psicologia de alguma universidade. Na minha cidade até universidade particular realiza consultas de graça para quem precisa. E sobre denunciar, não se sinta obrigada a fazer isso! Nem se sinta culpada por ainda não ter feito ou se desejar não fazer! Você não é culpada de nada! É um direito seu lidar com essa monstruosidade da maneira que achar melhor para sua recuperação! Não vai ser você denunciando que ele deixará de estuprar outra menina. O estuprador é ELE! Se ele quiser, não será uma denúncia que irá o impedir! Só você sabe se é capaz de lidar com isso! O principal é procurar uma terapia e lá, com o tempo, discutir isso. Ressalto que a culpa jamais será sua, por qualquer coisa! Um abraço apertado e muita força pra ti! Beijos da B.

jose silva disse...

Não esqueça moça e tão real quanto seus vêem esses humildes palavras

jose silva disse...

Estamos vivendo um tempo que é TD normal,inclusive essas abominação e por isto q Jesus entrego sua vida, para todos q entregar a vida a Ele encontrar descanso e paz abundantemente, e uma nova história escrever. Já está muito próximo e por isto q o mundo está ainda mais cruel, fazendo presas. Conheça-o moça. Um abraço de um filho e Deus