sábado, 27 de julho de 2013

GUEST POST: ESCOLA DE PRINCESAS, AS MENINAS DE HOJE E AS MULHERES DE AMANHÃ

Em janeiro publiquei um guest post do Robson sobre uma escola que ensina meninas a serem princesas. Mas o assunto não morre. 
Este não é um tema que interessa apenas feministas, mas também pessoas e grupos que são contra crianças serem transformadas em consumidoras vorazes (que é, infelizmente, o que vem acontecendo há anos, como mostra este documentário). Um dos grupos que mais se mobiliza contra a propaganda infantil é o Alana, e faz tempo que venho querendo publicar um guest post deles. Este texto é da Laís Fontenelle, psicóloga da Alana.

Todo sonho de menina é tornar-se princesa. Essa premissa (um tanto equivocada) é o slogan de um espaço “supostamente educativo” criado por uma empresária mineira para atender meninas entre 4 a 15 anos com aulas de etiqueta, moda, beleza e culinária. 
A missão desse espaço, segundo o site, é oferecer serviços que propiciem experiências de natureza intelectual, comportamental e cotidiana da realeza e que resgatem a dita “essência” feminina. Pergunto-me: o que será que eles entendem pela essência feminina? O que de fato é ensinado a essas crianças, que estão numa fase essencial de construção de identidade e formação de valores? Que é preciso ter desde joias, tiaras, vestidos rosa, saltos, até atitudes de princesas, para serem aceitas e amadas? 
Vivemos numa sociedade em que tudo parece ter sido mercantilizado, inclusive o universo infantil. Então, quando vejo um espaço de verdade, em forma de castelo, criado para atender meninas cujos produtos e serviços oferecidos não são somente tiaras de pedras ou longos vestidos de princesas, mas valores e princípios que vão supostamente ajudar meninas a se tornar princesas de verdade e a ter confiança em si mesmas, me preocupo. Primeiro porque isso é propaganda enganosa, já que dificilmente essas meninas vão se tornar princesas; segundo porque é algo completamente distante da realidade vivida pela maioria das meninas nos dias de hoje. 
Vale destacar que ninguém aqui está dizendo que não se deve sonhar ou propiciar que as crianças experimentem o faz-de-conta, mas vender sonhos e fazer com que meninas acreditem que eles se realizarão é outra história. Pior ainda quando esse tal sonho é posto como uma possibilidade única de felicidade e plenitude.
Desde sempre os contos de fada fazem sucesso entre a criançada porque ajudam as meninas a fantasiar e também elaborar conflito. No entanto, de uns anos para cá, com o licenciamento das princesas, esse virou um foco de mercado bem aquecido e lucrativo.
Muito desse movimento de mercado está representado no site da Mattel Escola de Princesas  (homônimo a escola de Minas), lançado com o filme da Barbie em 2011. Embora o grande objetivo deste site fosse promocional, para vender os produtos da marca, é preciso prestar atenção nas mensagens que também transmitem valores -– valores não tão diferentes assim da escolinha no interior de Minas. 
Com o site, a Mattel vende o mundo cor de rosa da princesa Barbie, reforçando um modelo sexista, atrasado e muitas vezes inatingível.  Um bom exemplo disso são os jogos do site, como uma atividade em que as crianças devem escolher roupas adequadas para determinadas ocasiões ou manter a postura ereta, equilibrando um livro no topo da cabeça. Essa brincadeira esgota a capacidade criativa e imaginativa das meninas se representarem. 
Mas por que cito aqui essa grande marca de brinquedos? Para ilustrar que essa indústria acaba inspirando a criação de outras “escolas de princesas”, como a do interior de Minas, que talvez nem existissem se não encontrassem eco nas produções de massa. 
A escola de Minas é concreta e o mundo da Mattel está no virtual, mas, no fundo, vendem uma ideia bastante similar: a de que o mundo cor de rosa é atingido desde que você tenha acessórios e atitudes de princesa. Ambos vendem uma ilusão.
Não posso deixar de destacar que as brincadeiras servem, muitas vezes, como exercício para comportamentos da vida adulta. Não por acaso, quando o papel da mulher na sociedade se limitava à maternidade e aos cuidados da casa, as brincadeiras mais comuns entre as meninas eram de “mamãe ou de casinha”. Conforme a mulher foi conquistando novos espaços e representações sociais, outros brinquedos e brincadeiras surgiram, refletindo essas transformações. 
O que será então que essas meninas, que vão a essa Escola de Princesas ou brincam no site da Mattel, experimentam através de atividades “lúdicas” em que aprendem a fazer a cama, a se maquiar, a colocar uma mesa de chá e a como se comportar na mesa, sorrindo, à espera do príncipe encantado? O que é vendido é um estilo de vida a ser almejado e um modelo idealizado de beleza, família e comportamento para essas aspirantes a princesas. 
Mas será que essas meninas de hoje serão mulheres felizes amanhã? E escola não deveria ser espaço de exercício de cidadania e socialização? O que ensina de fato uma escola de princesas? Deixo aqui essa reflexão.
P.S.: Eu, Lolinha, não posso me furtar a terminar este post sem um cartum que me foi enviado esses dias. Menção especial para a pichação na parede sobre o tamanho do cetro dos monarcas. 

80 comentários:

Ana Carolina disse...

Sobre o tema "princesas", apesar de não ter muito a ver com o texto, deixo esse link:

http://noticias.r7.com/blogs/o-provocador/2013/07/23/cesariana-e-coisa-de-plebeu/

Achei muito legal que uma pessoa pública como ela tenha optado pelo parto normal, aparecido em público no dia seguinte de barriga inchada e mostrado que não é "coisa de pobre" ou outras bobajadas que escutamos por aí.

Edit: isso na nossa realidade brasileira, claro, na Europa o parto normal é a regra.

Jane Doe disse...

Ser princesa nada mais é do que ser tudo o que se espera de uma mulher - matriz reprodutora e enfeite - talvez um pouco mais "chique".
É lamentável que ainda se cultive e venda esse ideal para as meninas!!

Mari disse...

Essa escola de princesas de Minas tem mais um "agravante" que não sai na mídia. Eu sei disso pq sou amiga de uma prima da dona da escola e essa família é evangélica...
Então tem algo mto mais profundo por trás desses "ensinamentos", os valores que são doutrinados lá são os mesmos da igreja, ou seja, valores patriarcais e machistas, de submissão e obediência das mulheres, disfarçados com plumas e tiaras e muito rosa.

Julia disse...

Esse cartum é genial.

Patty Kirsche disse...

Ser princesa: Casar com um homem que nunca viu para selar a união entre dois reinos... ugh...

Pablito Matraga disse...

Feministas não se contentam em interferir intelectualmente, comportamentalmente, psicologicamente nos próprios filhos(as), familiares e amigos, acerca de sua visão de mundo e do que elas imaginam ser um "mundo melhor". Não. Elas sentem uma necessidade incontrolável de também interferir na criação dos filhos dos outros, no comportamento das mulheres dos outros e dos maridos das outras.

Depois, quando alguém reclama de algum comportamento seu, o que mais se escuta em resposta é o bordão "o mundo seria muito melhor se cada cada um cuidasse da sua própria vida".

Anônimo disse...

E o que vc tá fazendo aqui que não tá cuidando da sua vida, Pablito?

Carlos disse...

Já tinha comentado isso aqui, e acho que foi deletado.

Como vocês não notam quão absurdo é usar "pau pequeno" como um xingamento?
É o mesmo que xingar por qualquer característica genética (como se fez para justificar o nazismo ou a escravidão).
É semelhante ao tal "slutshaming".

Interessante essa maneira de usar opressão como forma de combater a "sociedade opressora".

Cláudia Dans disse...

Lola,
quando comecei a ler este texto sobre a escola de princesas, juro fiquei com uma raaaaaaaaaaaaiva! Que coisa mais louca!!!! (para não dizer absurda, né?) Será que nesta escola ensinam as meninas a dizerem não aos namorados abusados que forçam o sexo? Hummmmm por que será que a resposta será não?

beijos :D

PS: adorei o cartum! ahahahahahahaha

Anônimo disse...

quando eu vi a materia sobre essa escola eu fiquei refletindo e tive uma ideia: se eu tivesse um filho do sexo masculino eu tentaria matriculá-lo nessa escola. Claro que eu explicaria tudo antes pra ele, e só tentaria fazer se ele estivesse de acordo. Se é ensinado a arrumar uma casa e pregar botões (a materia disse que era esse o objetivo da escola) por que um menino não pode fazer? Tava discutindo sobre isso com meu namorado dentro do metrô, e eu percebi o desconforto de uma mulher que estava na minha frente ao ouvir minha história.

Thaís B disse...

Uau, não sabia que ser a favor da criança escolher o que ela quer, independente do que a mídia diz ser considerado ou não para o gênero dela, e simplesmente deixa-la ser feliz com sua escolha era interferir na criação dos outros.
E que não achar perigoso mandar sua criança a uma escola que a influenciará a ter pensamentos retrógrados e enganosos, limitando-a a ter uma única visão de felicidade, era cuidar da própria vida.
Obrigada pelas palavras esclarecedoras, Pablito. Só que não.

afrolesbofeminista disse...

hahahah.. ele está cuidando da vida das feministas pq não deve ter nada melhor pra fazer.

afrolesbofeminista disse...

Estão preocupados com o despertar das mulheres, independência econômica, social, psicológica. E essa é a forma que criaram para resgatar mulheres submissas, conservadoras e dependentes de uma figura masculina para serem aceitas na sociedade, porque é claro que uma princesa precisa de um príncipe, caso contrário não haveria razão de existir. E com essa alienação infantil eles pensam em trazer de volta a idade média.

Anônimo disse...

Interessante saber que você acredita em determinismo, Lola. Sinto te informar que passei a adolescência inteira brincando de tiro no Counter Strike ou com arminhas de pressão e jogando futebol. Não virei serial killer, sequer sei mexer numa arma. Também não virei jogador de futebol.

Eu também assistia cavaleiros do zodíaco e caverna do dragão. Apesar de já ter tentado fazer a cólera do dragão no chuveiro, nunca obtive sucesso.

Você possui algum fato objetivo para justificar que essas meninas que brincam de princesas se tornarão "objetos dos machistas estupradores da classe média"?

Você insistentemente falou que brincadeiras infantis influenciam comportamentos. Já li diversos artigos sobre psicologia evolutiva, e até onde sei nossos comportamentos "podem" ser atrelados a memórias infantis, como também "podem" ser totalmente aleatórios, ou até mesmo (pasme) proveniente de escolhas racionais ponderadas por nós mesmos.

Então continuo a perguntar: a menina que tinha barbies não pode ser CEO, líder, ou presidente se ela escolher? A durona que disputava a bola a tapa com os colegas não pode virar uma tradicional católica "dona de casa"?

Lays, mãe e tudo o mais. disse...

"Princesa o ca&€÷lho, eu sou uma khaleesi!"

Rafael disse...

Alguém viu a marcha das vadias hoje no Rio?

Uma imensa falta de respeito e um excelente modo de desacreditar TODO um movimento.

Muito triste.

MonaLisa disse...

Fodam-se as princesas. Eu sempre preferi Xena.

paula disse...

Lays, é isso mesmo! Eu também! Hahaha

Julia disse...

Rafael, eu vi e fiquei indignada.

http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2013/07/27/peregrino-cospe-no-rosto-de-manifestante-da-marcha-das-vadias.htm

Um peregrino cuspiu no rosto de uma manifestante!
Realmente não tem como não desacreditar uma merda dessa. Tem gente que ainda respeita mas eu quero essas merdas de religiões TODAS bem longe de mim.

Anônimo disse...

Oi. Eu sou homem, hetero, classe média, ateu, branco, tenho bom emprego. Não sonho em virar "presidente da empresa". Sonho em me casar com uma mulher que eu ame (e que me ame e me respeite) e, mais importante do que agradar chefias e expectativas do mercado, criar meus futuros filhos. Não, não precisa ser uma princesa submissa de vestido rosa. Quero que seja honesta, educada, e inteligente (ou seja, nunca a encontrarei em bares ou festas, vai ser lance do destino mesmo).

Não me leve a mal, acho importante realização profissional e tal. Mas entre a frieza do serviço e a realização de ter uma família, desculpem, mas fico com família. Acham que essa idéia foi incutida na minha mente? Tenho um irmão gêmeo que já me disse planejar morrer solteiro, com dinheiro, amantes e carrões. Tivemos criações idênticas.

O problema é comigo ou com ele?

Anônimo disse...

Pablito, alguém aqui tá inferindo diretamente na criação de alguma criação? O texto falou sobre isso? Não, foi apenas uma reflexão. Ou vc concorda ou não. Por favor, não seja tão burro. Tá faltando mais leitura na sua vida, hein. Aprender a interpretar faz bem.

Anônimo disse...

Eu não entendo essas pessoas que vivem no próprio mundo e comentam "eu fiz isso e não aconteceu y,z e x comigo ". Olha, parabéns. Acontece que tem um mundo enorme fora da sua zona de conforto, anônimo da Counter Strike e blá blá blá. E as pessoas são diferentes, são criadas de maneira diferentes e influenciadas de maneira diferente. Você vir aqui e comentar que não é uma pessoa influenciável não muda a realidade em nada, sorry.

Luisa disse...

Sobre o cartoon:

Outro dia reassisti cinderela e sinto em informar que quem queria casa o príncipe era seu pai, o rei, que queria netinhos a qualquer custo. O príncipe não queria casar até se apaixonar. E a cinderela não queria ir ao bar pra casar com ele, mas pra se arrumar toda bonita e participar da festa.

e em contraponto, esse videozinho lindo: 'more than a princess, yes we are the champions... of the world' https://www.youtube.com/watch?v=eyTQDX-ItiM

Leandro disse...

"E escola não deveria ser espaço de exercício de cidadania e socialização?"

Kit gay que é exercício de cidadania, né? Ensinar sexo anal às crianças que é exercício de cidadania e com o NOSSO DINHEIRO)que é cidadania, né?

Kit gay pode, mas fantasias de contos de fada não. Genial, vcs não?

Kika disse...

sou contra o bodyshaming apresentado na figura que encerra o seu texto. Sou contra bodyshaming de uma maneira geral. como mulher nunca achei legal as inúmeras sugestões que recebi para aumentar meus seios (que são muito, muito pequenos) e também de um ex que sugeriu que, além de aumentar os seios, eu deveria tentar diminuir meus pequenos lábios vaginais, que são bem grandes. De forma que eu me sinto pessoalmente ofendida quando se utilizam de bodyshaming, ainda que seja em uma figura feminista. leio o seu blog há muito tempo e entendo que contradições são parte da natureza humana, mas me desculpe, lola, vc me decepcionou nessa. não vou deixar de ler o seu blog, nem serei infantil a ponto de dizer que perdi o respeito por vc, mas hj senti uma tristesa imensa de saber que nem aqui nesse blog eu posso ter a certeza que o corpo humano não será alvo de chacota, ainda que seja uma chacota "com boas intenções". será válido fazer o mesmo tipo de argumentação que os opressores vem utilizando a tanto tempo para nos silenciar? essa ilustração é depimente, pra dizer o minimo.

lola aronovich disse...

Kika (e outrxs que reclamaram), vcs acham que "monarcas têm pau pequeno", algo super genérico, sem citar ninguém, dentro do contexto do príncipe encantado dos contos de fada, é bodyshaming? Eu não acho. Não acho nem que as personagens fictícias que picharam aquele muro acham realmente que monarcas têm pau pequeno. Porque, que eu saiba, não há nada histórico relacionando monarcas (que têm todo o poder, todo o privilégio, então é bom a gente não cair em falsas simetrias) ao tamanho do pênis. É bem diferente, por exemplo, de dizer "feministas são todas gordas". Porque feministas SÃO constantemente acusadas de ser gordas, e porque "fat is a feminist issue". Agora, "small penis size is a royal issue"? Acho que não.

Kika disse...

Sinceramente, não vejo como falsa simetria. Bodyshaming independe de contexto. Eu entendo que as mulheres, feministas ou não, são historicamente as maiores vítimas de abusos de toda sorte por causa da aparência física. Porém, não há como negar que historicamente o falo grande está sim relacionado ao poder e há uma ironização de homens que são sedentos por poder, que "deve ter esse carrão pra compensar o pau pequeno". A cultura patriarcal é danosa para todos. Eu já presenciei em uma rodinha de mães o escárnio encima de um bebê de uma amiga que tinha o pinto muito pequeno. E os exemplos são vários. Sinceramente, não há desculpa para se engajar em piadinhas de cunho machista para atingir homens, nem que tais piadinhas sejam para enaltecer mulheres. Essa ilustração não se resume a seu contexto. Há todo um mito, toda uma bagagem cultural que cobra masculinidade, uma masculinidade que está atrelada ao tamanho do penis. A indústria pornográfica está aí para provar isso. E, não sei se vc viu, mas recentemente saiu essa reflexão, muito interessante na jezebel: http://jezebel.com/things-i-learned-at-the-smallest-penis-in-brooklyn-page-883742650

Abraços, Lola, por favor não fique com raiva de mim, pois eu adoro o seu blog. Só fiquei bem triste mesmo com essa foto, rs.

Paula disse...

Lola, o problema não é monarca ter ou não fama de ter pau pequeno e sim usar pau pequeno como xingamento.
Que nem a Kika, tambem tenho peitos minúsculos, hoje desencanei, mas quando era mais nova sempre me sentia mal pra cacete quando eu via alguém usando peito pequeno como xingamento, porque, bom, eu também tenho, e se é ruim nos outros, é ruim em mim também, né?. Quando se usa alguma característica física como xingamento de certa forma você está criando uma pressão em todos um pouco mais inseguros que tenham essa carqacterística, mesmo que você não dirija esse xingamento diretamente a eles. E sim, todo mundo sabe que tem muito homem complexado por causa do tamanho do pau e não tem que ser assim.
Por isso discordo mortalmente de você,

Carlos disse...

Não se trata de "monarcas terem pau pequeno",se trata de usar "pau pequeno" como xingamento. Isso é ofensivo aos portadores de tal característica, sejam monarcas ou não.

A sua argumentação para o "pau pequeno" seria simétrica a dizer que xingar alguém de forma racista só afeta a pessoa diretamente atingida, não todo o grupo étnico.

Anônimo disse...

Olá gente, meu nome é Brenda, pouco comento aqui, mas leio sempre o blog, ele foi um verdadeiro divisor de águas na minha vida.

Se possível pediria pra Lola fazer um post sobre como as mulheres que se assumem feministas sofrem exclusão de seu meio. Isso tem acontecido comigo de forma brusca.

Muitos beijos!

Anônimo disse...

Oi, Lola, meu nome é Juliana, só publiquei como anônima pq não tenho conta google e ainda não entendi direito como publicar com meu e-mail, pura ignorância virtual, releve...rs
Eu adoro seu blog, me abre muito os olhos! Muitas vezes muda minha opinião, ou me dá mais argumentos, às vezes eu simplesmente discordo e tenho que reconstruir minahs próprias ideias para manter uma posição, mas é sempre enriquecedor pra debate de ideias, pra gente repensar opiniões.
Nesse espírito, quero concordar com a Kika e trazer um argumento a mais. Bodyshaming acontece quando vc identifica uma característica do corpo como negativa. Mesmo que esteja se referindo a uma categoria abstrata, a ninguém em especial ou a alguém que vc quer mesmo confrontar, o que acontece é que a característica corporal em si fica estigmatizada, e todos que têm essa característica - e que nem tem nada a ver com o que estava sendo criticado inicialmente - vão se sentir incomodados, fora do padrão, passíveis de serem criticados por outras pessoas que simplesmente entenderam que pau pequeno é um defeito horrível, que serve pra xingar desafetos, sejam pessoas específicas ou características gerais. A mensagem é: pinto pequeno é uma ofensa, pq é horrível.
Espero ter contribuído.
Beijos, Lola, repito que adoro seu blog.

lola aronovich disse...

Obrigada, gente, vcs me convenceram com este argumento, que é basicamente o mesmo: "o problema não é monarca ter ou não fama de ter pau pequeno e sim usar pau pequeno como xingamento" (Paula) e "Bodyshaming acontece quando vc identifica uma característica do corpo como negativa. [...] A mensagem é: pinto pequeno é uma ofensa, pq é horrível".
Vcs têm razão. Embora eu nunca tenha usado tamanho do pênis como insulto pra ofender alguém, entendo que não é legal rir desse tipo de insulto. Mas continuo adorando o cartum, ok?
(e imagina, Kika, claro que não vou ficar com raiva de vc. Sua crítica é válida, e vc a fez de uma maneira super educada. Só posso te agradecer!).

Patty Kirsche disse...

Eu acho que o lance do pau pequeno acaba sendo meio que uma aceitação de falo como símbolo de poder. Então na verdade o monarca não teria o poder que acredita ter fica sendo a mensagem implícita aí.

O problema é que o falocentrismo é um sintoma de uma sociedade patriarcal. O pênis é adorado por ser uma parte do corpo masculino. Mas devo admitir que ter o pênis pequeno realmente afeta vários homens psicologicamente devido a todo entendimento social acerca disso.

CHEFONA disse...

Anónimo 19:48

Eu tinha barbies, era o meu brinquedo favorito, casinhas cor de rosas, princesas, adorava e ainda adoro assistir os desenhos de princesas Disney.... E me transformei em CEO sim de uma empresa internacional bem importante.

Entao nao, nao tem contradição alguma em brincar de princesas e de adulta ser chefa.

AGORA BEM, desde muito pequena os meus pais sempre me inculcaram valores de que independente do meu sexo eu podia ser o que eu quisesse mas para isso eu tinha que estudar muito e lutar para isso e nao ficar de mimimi e me fazendo de vitima NUNCA. eles nunca me permitiram achar que o mundo era injusto. Eles ficavam MUITO BRAVOS comigo se alguma vez eu falasse que tinha sido injusticada por qq motivo, mesmo que fosse verdade. Nada de fraqueza e olhar pra frente. E isso é o que me formou como pessoa independente e hoje chefe. Nunca me senti menos por ser mulher.

AGORA BEM também nunca me casei nem tive filhos porque nunca encontrei um homem que me apoiasse nas minhas escolhas profissionais como os meus pais fizeram. Para os meus pais eu nao era menina nem menino, era um ser humano cheio de capacidades, mas para os namorados que eu tive sempre chegava um momento em que eles me pediam para renunciar ao meu emprego.............. (?!)

Anônimo 00:55
Por que vc acha que uma menina seria vc nao encontraria em uma festa? Vc nao acha que uma pessoa seria as vezes tb nao poderia sair a noite para se descontrair um pouco?

De todas formas eu tampouco saio mais de festa porque nunca achei homem serio em festas. Tb acho que será o acaso que poderá me proporcionar um.

Anônimo disse...

Essa mesma tirinha foi postada numa página feminista do facebook, não me lembro qual, e um pessoal mostrou porque não era legal essa associação, mesmo não tendo a mesma "carga" que um bodyshaming direcionado a uma mulher teria, é preconceituoso. Aí a página repostou a tirinha sem aquela frase na parede (:

Anônimo disse...

Existe uma grande diferença quando ensinamos algo como uma brincadeira ou como valores que devem ser seguidos por toda vida. Você não se tornou um serial killer porque certamente foi ensinado que matar pessoas na vida real é errado, e que podia fazer isso no jogo por se tratar apenas de um jogo, uma brincadeira. A escola de princesas não é tratada como uma brincadeira, as meninas são ensinadas sobre como uma mulher deve ser, são valores para a vida inteira, não é uma brincadeira, é algo sério. A criança não tem noção do que é certo e errado, do que é pra ser levado a sério ou não, os pais são os responsáveis por dar essa noção a ela, então é claro que influencia sim. Mas eu considero essa escola insignificante, nada preocupante que exija nossa atenção.

Mirian Rash disse...

Lola

Você é o exemplo da princesa na sua vida.

Heterossexual, casada, monogâmica, cuida da sua casa, tem um salário elevado, viaja por todo o país, vai para a praia.

Isso é o que qualquer mãe deseja para sua filha, encontrar uma vida matrimonial estável e feliz. Isso é ser princesa do seu lar.

Como você é.

Feminista capitalista disse...

Pra começar eu tbm achei o termo ''pau pequeno'' machista e puro body shaming (apesar de ter adorado a tirinha tbm,confesso)

Pois atrás desse 'xingamento' está implicita a idéia de que ter pinto pequeno é necessariamente feio ou indesejável,coisa que não concordo.

É o velho valor machista de que o homem precisa ter um 'pintão' pra poder ser bom,desejável ou poderoso, enfim uma idéia perigosa

Anônimo disse...

Entrei no site da "Escola de princesas". Tive vontade de chorar/vomitar. Sério que isso é real? Um dos "módulos" do curso se chama "De princesa a Rainha" e é composto por coisas como: "Esperando o príncipe - como se preservar" e "Ser a passageira ou a eterna?". O que é essa merda???? Questionar esse tipo de coisa não tem nada de "se meter na educação dos filhos dos outros" como alguém disse aqui. O negócio é muito mais complicado que isso, é uma aberração social recebendo o nome de "educação". Zelar pela integridade de uma criança é dever de toda sociedade, é o que está na lei.

Li a discussão sobre o cartum que ilustra o post. Queria dizer que também detestei,há todo um histórico de inferiorização de homens que supostamente tenham o "pau pequeno", rir desse tipo de coisa é totalmente absurdo. Não consigo achar graça em coisas como essa, acho de extremo mau gosto.

Feminista capitalista disse...

''E o que vc tá fazendo aqui que não tá cuidando da sua vida, Pablito?''


[2]
---------------------------
Anônimo 19:03

Concordo com você,o machismo já começa no fato da escola ser exclusiva para meninas, pois supostamente aprender a lavar louças,fazer cupcakes, e arrumar a cama são 'coisas de mulher' na cabeça atrrapalhada da diretora dessa escola, mas é melhor não reclamar,se não logo ela cria a 'escola de super hérois' pros meninos aprenderem a ser violentos kkkkk.

------

Rapaz do counter strike e cavaleiros do zodíaco

Por favor não dê uma de analfabeto funcional, o texto em momento algum critica as brincadeiras de criança rotuladas essencialmente como femininas, se fosse isso eu seria a primeira a contestar; visto que na infância eu adorava brincar de barbie e mais ainda de casinha.
SÓ QUE caso vc não tenha percebido as garotinhas não vão lá todos os dias ''pra brincar'',elas vão lá pra serem supostamente 'educadas' e receberem uma série de valores que a sociedade patriarcal vai tentar reforçar como 'importantes' na cabeça delas.

SÓ QUE ESSES VALORES estão ultrapassados e combinam mais com 1913 do que 2013, pois caso não saiba elas aprendem uma série de machismos nessa nada inocente escolinha; como :

*Se maquiar da maneira certa
*como saber se sentar
*como JAMAIS ser vulgar (¬¬)
*como nunca usar batom vermelho até a idade adulta (???)

OU SEJA, longe de ser uma brincadeira de criança, por trás do pressuposto de 'fantasia',existe na proposta pedagógica dessa escolinha uma propagação enorme dos ideiais e valores tradicionalistas machistas em pleno séc. XXI.

BEM DIFERENTE de você ter liberdade pra brincar do que voc~e quiser, sem interferência de um adulto, no conforto de sua casa.

---------

Ao anônimo 00:55

Se vc acha que a realização familiar conta muito mais pra satisfação pessoal do que a realização profissional, legal, ninguém aqui tem nada a ver com isso.
E se você acha que essa realização familiar é muito conflitante e impossível de coexistir plenamente junto com a realização profissional

Então você tem a opção de poder desistir da sua vida profissional em nome da valorização que você dá a família; o que é inadimissível é você querer determinar o que a mulher deve fazer com a carreira profissional e vida dela, em nome das suas vontades, enquanto vc se dá ao luxo de ter uma carreira bem sucedida, conforme você sugeriu.

OUTRO DETALHE

Não dê uma de louco, você e seu irmão apenas tem o mesmo DNA, mas não são,nem nunca foram a mesma pessoa.
Você não assistiu todos os filmes que ele assistiu, ele não necessariamente leu todos os livros que você leu, não ouviram as mesmas músicas, ele não conheceu todas as pessoas que você já conheceu na vida e muito menos teve todos os pensamentos e reflexões que você já teve.
Vidas diferentes.

Já no caso dessas garotas é bem diferente,pois o nosso machismo não depende exclusivamente de criação, ele vem da sociedade,por todas as partes.

Por mais feminista que seja a nossa criação, ainda sim, tamanha a força da misoginia, o machismo dá um jeito dechegar até nós, de nos ser apresentado em alguma momento da vida, geralmente ainda na infância, já o contrário, infelizmente não é verdade; pelo menos não na mesma proporção.

Feminista capitalista disse...

Leandro mascutroll

Só pela falta de consistência e de conteúdo do comentário a gente já mede o quanto você é vazio.

------

No mais o que o kit contra a homofobia tem a ver com o sexo anal?
Elucide por favor, pois eu não entendi a correlação entre as duas coisas.

--------

Fora que a sua inversão de valores me faz rir, pois ensinar as crianças e adolescentes do nosso país a terem respeito e consideração pelos LGBTT e seus direitos, visto que eles são tão humanos como você e qualquer um aqui,isso não pode,agora forçar valores patriarcais na cabeça de crianças que sequer podem se defender, e ainda não desenvolveram a capacidade de questionar criticamente e
ensiná-las que elas tem a obrigação de ser princesas, e saber cozinhar e limpar, porque a sociedade machista DEMANDA isso delas, sem liberdade de escolha, Aí tudo bem né?
Aí sim, é uma educação perfeita?

Pff,faz-me rir.

------------

No mais, crianças já aprendem sobre sexo anal na escola, chama-se educação sexual, e eu acho ótimo que entre o fim da infância e início da pré-adolescência (10-12) as crianças que estão entrando na puberdade tenham suas primeira conversar e noções de sexualidade,visto que sexo é algo básico da vida e não deve ser tabu, é melhor o sexo anal (dentre várias outras manifestações da sexualidade humana) ser explicado e tratado com naturalidade, do que achar que depois as pessoas crescem e se viram,sem dúvidas, como não passe de mágica.

NO MAIS, engraçado saber que para os mascus o sexo anal é feio e não pode ser debatido e encarado com a devida naturalidade,mas em contrapartida vcs podem querer obrigar as namoradas de vcs a fazerem ou então enfiarem objetos fálicos dentro do ** quando ninguém tá olhando.

Hipocrisia pouca é bobagem né?

------

No mais que dinheiro é esse seu que supostamente financiou o kit pela educação anti-homofóbica e quão caro pode ter sido a impressão de alguns milhões de folhetos?

Que eu saiba o dinheiro veio de todos, e isso inclui os LGBTT que são cidadãos também, quer você queira ou não,detalhe, eles também pagam impostos.

Feminista capitalista disse...

Mirian Rash

Acontece que no caso da Lola, isso foi o que aconteceu e o que elas quis que acontecesse na vida dela, e não o que a MÃE DELA MANDOU,como vc sugere.

NO MAIS, vale lembrar que a dona da vida da Lola é ela própria,e não a mãe dela, nunca foi.

Casada e Monogâminca?

Que bom,daqui a 10 anos ela poderia muito bem ser mãe solteira, poligâmica,divorciada...
Basta ela querer,por acaso ela valeria menos por isso, ou seria uma pessoa 'pior'?

----------

De volta ao Anônimo do irmão gêmeo, baladas são frequentadas por pessoas comuns sabe? do dia a dia, que você encontra por aí na rua?

Eu por exemplo já fui em muitas, minha melhor amiga vai toda a semana nelas, e gostaria de saber porque uma uma MULHER honesta, inteligente e educada não poderia estar nesse ambiente, ou ser encontrada numa balada?

Baladas são só para pessoas de caráter duvidoso é?

Sendo assim, se qualquer dia eu te encontrar por aí numa dessas festas regadas a alcool que 99% das pessoas jovens vão, posso imediatamente concluir que você é desonesto e burro? (suas próprias palavras)


Ah e cuidado, pois quando encontrar sua futura cinderela,supostamente como você imaginou será bem provável que ela já tenho ido a baladinhas vez ou outra.

Anônimo disse...

"small penis size is a royal issue"?

Neither royal, nor real.

Mas acho que a idéia de que mulheres gostam de "documentos" grandes um tanto machista.

Afinal, como diz uma amiga minha, lésbica, "o problema dos homens é que pensam que só pq têm um pênis, estão dispensados de usar a imaginação. E os dedos, a língua, o nariz, os cotovelos, as coxas, e..."

Anônimo disse...

Gente estou CHOCADA!!Aqui na minha cidade- interior de MG - há uma dessas e quando ouvi no rádio a propaganda achei q fosse curso para formar pequenas misses, ensinar a desfilar, essas coisas. Seria péssimo já, mas a função real n é só péssima...é rídicula!!!!Para que afinal uma mãe matricula a filha pequena numa "escola de princesas"????pq se é pra fantasiar dá pra ela boneca, fantasia e deixa a imaginação, agora matricular em algo pra ensinar a se portar como a realeza é revoltante e cômico ao mesmo tempo...pq é mto idiota!!!!Afinal alguém tem q avisar os desavisados q princesa n é profissão q dá pra tirar diploma e plimmm vira da monarquia.Fico pensando nas coitadas das crianças que nascem na realeza o quanto gostariam de brincar livremente como plebéias...tenho ctz que NUNCA entenderiam pq raios de motivo alguma criança ia querer aprender etiqueta e não ser livre pra lambuzar com um picolé!!!Lívia

Larissa Domingos disse...

Vocês ja assistiram a série Once Upon a Time? E sobre contos de fadas, mas os personagens sao todos destemidos, corajosos, leais... e todos os personagens sao assim, todos sao fortes, sejam eles personagens masculinos ou femininos. E quando os personagens formam um casal eles sem complementam, nenhum sobressai o outro. Alem disso, todos tem uma historia complexa, ninguem é apenas bom ou mal( sempre que mostram a história de algum vilão a gente fica torcendo pra recuperação dele).
A história principal é da Branca de Neve e do Principe encantado, e nao é so o principe que a salva. Ela tambem o salva fe varios apuros, varias vezes.
Ai gente, to apaixonada pela serie. Gostaria muito que as crianças tivessem mais contato com esse tipo de princesas

Roseane Viana disse...

Adorei o cartoon. Lembrei como a história da Cinderal tem sido usada para ensinar direitos humanos. Li isso em artigo. Uma escola Britânica tem ensinado a convenção dos direitos da criança por meio do conto de fadas da Cinderela.

Leandro disse...

Feminist socialista. Digo feminista socialista, porque se fosse capitalista notaria a enorme diferença: a Escola de Princesas da Mattel e a de Minas, até o que eu sei, são escolas PRIVADAS, ou seja, são de CAPITAL PRIVADO. A Escola de Princesas de Minas foi montada por uma empresária mineira, enquanto a Mattel é só uma empresa privada. Você coloca seus filhos em uma destas escolas se quiser. Você não é obrigado a colocar. Enquanto o kit-gay é feito com o NOSSO DINHEIRO.

E sim. O kit gay ensina sexo anal às crianças. Já distribuiram gibis ensinando às crianças como fazer sexo anal seguro. O material era de conteúdo pornográfico. Ou seja, o pai de família pága impostos e ainda é obrigado a colocar seu filho numa escola para ver o filho aprender a ser gay. Isso é combater a tal "homofobia"? Aliás, o que é homofobia? É a liberdade religiosa do pastor falar o que tá na Bíblia? É afirmar o óbvio: que homossexuais não cumprem a função biológica de se reproduzir? relação gay se reproduz? Até fazer uma piada é homofobia? E questionar isso também é homofobia?

Vocês são contra a liberdade de expressão e a liberdade religiosa?

Leandro disse...

Aliás, a homofobia mesmo vcs não combatem. Homofobia é quando os gays são agredidos ou roubados. Por exemplo, os gays pagarem o preço pela irresponsabilidade dos héteros. Os gays serem extorquidos para cuidar de filhos de héteros. Isso é homofobia. Mas vocês no combatem essa homofobia. Pelo apóiam apóiam. Vocês querem a sociedade em geral (e isso inclui gays que nem procriam) pague pela irresponsabilidade.

Anônimo disse...

Leandro, seus comentários me deixam com vergonha alheia. você é tão patético que chega a dar pena. Sua ideia do que seja a vida em sociedade é ridícula. Todo mundo paga imposto Leandro, todos, sem exceção. Os impostos são usados para as necessidades de toda a sociedade, não para necessidades individuais. Vc parece achar que se uma pessoa não pode ter filhos e o dinheiro de seus impostos é usado para qualquer coisa relacionada a reprodução humana ou a educação de crianças, então essa pessoa está sendo roubada. Vc é burro assim mesmo ou finge ser? Não consegue entender que evitar DSTs e gravidez indesejada é útil para toda a sociedade? Sério que você realmente acredita que quando milhares de adolescentes engravidam sem planejamento as únicas prejudicadas são elas mesmas? Não acredita mesmo que isso seja um problema social? Jura que a sua visão é assim tão limitada?
Aprenda Leandro, você paga impostos hoje, vai continuar pagando enquanto viver e - graças aos céus!!! - não é vc quem decide como esse dinheiro será usado. Aprenda a conviver com isso para você ter uma vida melhor, com menos amargura e mimimi. Eu poderia sugerir que vc estudasse um pouco, tentasse entender o que é ser um "contribuinte" e o que significa "viver em sociedade", mas você definitivamente é incapaz de entender essas coisas. O seu "raciocínio" sobre a homofobia prova que você é possui um nível raro de burrice, do tipo que não dá para vencer em uma única encarnação.

Leandro disse...

"Aprenda Leandro, você paga impostos hoje, vai continuar pagando enquanto viver e - graças aos céus!!! - não é vc quem decide como esse dinheiro será usado."

- Graças aos céus, não. Deus nao criou impostos. Isso é criação do governo secular. liás, Deus não apóia essa farra.

E vc admitiu que o impostos é um assalto contra os cidadãos. Pois se o taxpayer paga e não decide como o seu dinheiro será usado... o que é isso senão ROUBO OFICIALIZADO?

Leandro disse...

Patético é você anônimo.

" Sua ideia do que seja a vida em sociedade é ridícula."

Sua idéia que é ridícula. Achr que os outros tem a obrigação de achar que os assumir que sociedade toda tem que assumir as responsabilidades pelas ações de indivíduos. VocÊ não o que é responsabilidade?


"Todo mundo paga imposto Leandro, todos, sem exceção."

Todo o mundo é assaltado. Ou seja, a sociedade é quem pága a conta.


"Os impostos são usados para as necessidades de toda a sociedade, não para necessidades individuais."

Não serve a interesses individuais? Claro que os nossos impostos sempre são usados para atender a necessidades ou desejos de indivíduos ou grupos. Seja usado para o dólar na cueca, ou para distribuir preservativos e anticoncepcionais ou pro kit gay. Se é usdo para distribuir preservativos, está atentendo às necessidades individuais de que usar preservativos. Negar isso é idiotice.


"Não consegue entender que evitar DSTs e gravidez indesejada é útil para toda a sociedade?"

Cabe aos indivíduos evitar DSTs e gravidez indefesada. As farmácias estão aí. Preservativos e anticoncepcionais não são caros.

Anônimo disse...

Contos de fadas são um desserviço à sociedade, ensinam as mulheres a serem nada mais nada menos que paspalhas. É inacreditável que o subterfúgio do "contos de fadas estimulam a criatividade" tenha colado para algumas pessoas, como muitas outras estultícies colam. Ocorre que existem milhares de outros meios de se estimular a criatividade sem colocar a mulher em uma posição babaca e risível. Parem de repetir "entendo a importância porque estimula a criatividade" porque essa falácia já deu tudo o que tinha que dar. Reitero: contos de fadas definitivamente não estimulam a criatividade!!

Anônimo disse...

Leandro, você sabe o que significa DEMOCRACIA REPRESENTATIVA? Então, pessoas são eleitas para representar a população (você escolhe elas quando vota, lembra disso?), e essas pessoas decidem o destino dos impostos. Os impostos são necessários, ou você acha que o governo funcionaria somente com doações? É assim que funciona no Brasil. Você não está contente com o destino dos impostos? Bem, felizmente sua utilização leva em conta o bem-estar da sociedade, e não de mimadinhos como você! Entenda que o que é bom para a sociedade nem sempre é bom para mimadinhos como você. Está com raivinha? Não sabe viver em sociedade? Vá viver na selva!

Leandro disse...

Caramba, esse meu comentário tem tanto erro de digitação...

No primeiro parágrafo tá inintelígivel aos olhos do leitor:

"Sua idéia que é ridícula. Achr que os outros tem a obrigação de achar que os assumir que sociedade toda tem que assumir as responsabilidades pelas ações de indivíduos. VocÊ não o que é responsabilidade?"

Vou reelborar a frase:

"Sua idéia que é ridícula. Achar que a sociedade toda tem que assumir as responsabilidades pelas ações de indivíduos. Você não sabe o que é responsabilidade?"

Anônimo disse...

"Cabe aos indivíduos evitar DSTs e gravidez indefesada. As farmácias estão aí. Preservativos e anticoncepcionais não são caros."

Cara, você é burro mesmo, puta que pariu!!

ENTENDA: é mais custoso para o Estado cuidar de milhares de pessoas com DSTs e mulheres grávidas do que distribuir preservativos e anticoncepcionais, entendeu, anencéfalo??? ISSO É MELHOR PARA O ESTADO, pode não ser para um demente como você, MAS O SEU BEM-ESTAR NÃO É MAIS IMPORTANTE QUE O BEM-ESTAR DA SOCIEDADE.

aquarela surrealista disse...

Tem tanta coisa aqui nos coments que já falaram,que nem vou comentar mais...Queria agradecer a Lola,pelo blog com conteúdos tão esclarecedores,e afirmar que,já a algum tempo venho lendo,e aprendendo bastante,tanto com os posts dela quanto com os coments ou os guest posts...

quase não comento por aqui,mas hoje decidi escrever...sim,creio um absurdo mesmo que possa existir uma escolinha pronta a fazer lavagem cerebral nas meninas e em suas mamães(que as colocam nela com todo o gosto pela coisa!),pois está claro,pelo menos para mim,que isso é machismo disfarçado!

Também não concordo com os xingamentos,nem de leve,sobre as partes do corpo,pode ser de homem ou de mulher,devemos nos policiar todo o dia para não nos pegar fazendo o que não gostaríamos que fizessem com a gente,né?

E,finalmente,sim,eu acredito no lance das influencias externas,pois tudo o que fazemos pode ou não interferir nas nossas atitudes,mas o mais certo é que pode sim!Pois tudo o que fazemos nos educa;se ficarmos por muito tempo em meio a pessoas sem modos,aprenderemos a agir em sociedade com elas,pegaremos seus trejeitos,e,bem...isso pode não ser necessáriamente bom para nós ou para a vida em sociedade...

aquarela surrealista disse...

Não sou a favor de ninguém fazendo lavagem cerebral em mim ou em minhas crianças.por isso,abomino a ideia dessa escolinha de princesas,que ensina mulheres a gostarem da opressão.Se formos prestar atenção melhor à nossa volta,veremos que há muitas outras coisas,propagandas,etc,que ofendem a infancia de meninas e meninos...também não sou a favor do xingamento referendando o corpo,pois isso seria mais do mesmo,e devemos nos policiar para não agirmos igual ao comportamento que tememos e repudiamos em outros.
Conquanto a influencias do meio externo,eu acredito que acontece sim,em quase cem por cento das vezes,em tudo que fazemos;as propagandas e os modos de vida,estilos que diferenciam,etc,estão aí para provar...mesmo aquele ou aquela que se diz privilegiado por ter brincado de arminha e não ter virado um bandido,está ele mesmo atestando fala contra seu próprio argumento...entendamos que a propaganda não quer que você se transforme num bandido,ela quer que você goste de armas e...consuma!Ela quer incutir em você,caro leigo,a cultura do medo!Simples assim...você teve sorte de não virar bandido(ugh!)
Conquanto a kits gays,e outros,eu dou aulas para ensino fundamental,e não os vejo como necessários...tenho acompanhado o escárnio e o abandono geral do ensino público aqui na capital paulista,e,sinceramente,tenho que concordar com uma pessoa aí atrás que disse que muito dos nossos impostos arrecadados são usados para servir a interesses,digamos,não tão sociais assim...não,não vou ficar pormenorizando,que isso dá muito pano pra manga e esse post já está muito enfadonho...

quase não comento por aqui,queria agradecer a Lola,pois desde que comecei a ler o seu blog,tenho aprendido muito,com a sua fala e a de outros e outras também...

Leandro disse...

Pra princípio de conversa, a democracia não é bem assim como você falou. O governo faz plebiscito sobre o destino das verbas públicas?

Outro exemplo, vocês perguntam aos pais dos alunos se eles concordam com o kit gay pros filhos deles? Vocês nem perguntam, pelo contrário, os pais que se opõem ao kit gay vcs logo o rotulam de homofóbico. Pior: acham ainda que tem que aprovar uma PL 122 para prender o pai que se opõe a ver seu filho sendo doutrinado pelo kit gay. Este é o modelo de cidadania e "direitos humanos" que vocês defendem.

Mas respondendo à sua pergunta:

"Leandro, você sabe o que significa DEMOCRACIA REPRESENTATIVA?"

Claro que eu sei o que significa "democracia representativa".

Vejamos como ela funciona:

Suponhamos que três ladrões entram na sua casa e estão levando o seu computador. Você e seu marido os flagra e os interpela: "Ei, vocês estão roubando o nosso computador". Os ladrões, mesmo armados, decidem então dialogar com vocês:
— Tem razão, isto não é certo. Vamos então fazer uma votação. Quem aqui é a favor de devolvermos o computador?
Você e o seu marido, os donos do computador, levantam a mão.
— Agora, quem aqui é a favor de levarmos o computador?
Os três ladrões levantem a mão.
— Viu só, agora é uma decisão democrática. Vamos levar seu computador.

É assim que funciona democracia. A maioria espolindo a minoria pra atender a seus desejos e caprichos. Isto significa que a se a maioria dos eleitorado é composto por brancos racistas, eles elegem um supremacista branco extremista, e este racista aplicaria algo como uma Lei Jim Crows, obrigando os negros a ficar no fundão do ônibus, afinal está representando a maioria da população que tem anseios racistas..

Sério que você não consegue enxergar que um crime é crime, mesmo que seja apoiado pela maioria?


"Os impostos são necessários, ou você acha que o governo funcionaria somente com doações?"

A máquina estatal funciona só à base do roubo e da coerção. Os impostos não sao doações voluntárias.


"Bem, felizmente sua utilização leva em conta o bem-estar da sociedade, e não de mimadinhos como você!"

Eu não quero nada do governo. Só quero que ele pare de pilhar a sociedade.

Quem se comporta como mimadinhos são vocês. Querem que a sociedade lhes provenha tudo. Querem que taxpayers paguem até para praticar a tal "liberdde sexual". Você que querem criar uma geração de mimadinhos, consumistas, desocupados.

No mais, veja o que conteceu com Grécia, Portugal e Itália com as políticas de welfare state.


"ENTENDA: é mais custoso para o Estado cuidar de milhares de pessoas com DSTs e mulheres grávidas do que distribuir preservativos e anticoncepcionais, entendeu, anencéfalo??? ISSO É MELHOR PARA O ESTADO, pode não ser para um demente como você, MAS O SEU BEM-ESTAR NÃO É MAIS IMPORTANTE QUE O BEM-ESTAR DA SOCIEDADE."

É melhor as pessoas previnir do que estado prover. Não tem desculpas. Anticoncepcionais e preservativos são tão baratos que qualquer trabalhador que recebe metade um salário mínimo tem dinheiro pra comprar. Ainda mais num ambiente de livre mercado e livre concorência, onde os preços cairiam.

Anônimo disse...

Leandro, o governo não faz plebiscito sobre o destino das verbas públicas porque no Brasil não temos uma democracia direta, entendeu? é uma democracia representativa, em que representantes escolhidos pela população são responsáveis pela tomada de decisões, eles tomam as decisões em noma da população, entendeu?

E de onde você tirou que eu não consigo enxergar que um crime é crime? Será que o que você considera ser crime é um crime mesmo? Ou é crime somente em sua mente deturpada? Eu acho um crime usar recursos públicos para receber um papa, mas aposto que muitas pessoas não acham. Como você decide quem está certo?

Sim, os impostos não são doações, o governo simplesmente não funcionaria somente com doações, entendeu?

Leandrinho, sim, é melhor prevenir, aliás, é o que o Estado faz distribuindo preservativos e anticoncepcionais, uma prevenção! Ele evita que pessoas sejam contaminadas por DSTs e fiquem grávidas, diminuindo assim gastos com a saúde pública, entendeu? Porque isso é um dever do Estado.

"Art. 196. A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e
econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e
igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação."









Lanny Serejo disse...

SENSACIONAL ESSE CARTUM!! Que @#$% de baile, q nadaa hahaha vai se lascar, príncipe boboca!! hahaha

Leandro disse...

"sim, é melhor prevenir, aliás, é o que o Estado faz distribuindo preservativos e anticoncepcionais, uma prevenção! Ele evita que pessoas sejam contaminadas por DSTs e fiquem grávidas, diminuindo assim gastos com a saúde pública, entendeu? Porque isso é um dever do Estado."

Não pode comprar nas farmácias? Pílula é muito cara? Camisinha é muito cara? Por que o governo tem que prover tudo? Até pra ter um sexo seguro precisam do governo? Não acha isso ridículo?

Feminista capitalista disse...

Putz o Leandrinho mascu não cansa de passar vergonha né?
rindo demais por aqui com os ''argumentos'' do cara.


-----

Primeiro, é bom consultar um dicionário,ou melhor a enciclopédia Barsa, pois sua definição de socialista está bem defasada.

Segundo, que uma pessoa defender o capitalismo não implica em abrir mão das responsabilidades sociais, pois essa é uma questão que interessa a TODOS, inclusive você, embora você seja ceguinho demais pra ver.


Terceiro, o que tem a ver a escola ser privada com o texto do blog?
Só porque é particular não está sujeita a críticas então? não pode ser questionada?
Ah tá, então quer dizer que eu posso abrir uma escola chamada K.K.K onde só serão aceitos alunos caucasianos e aprenderão valores racistas, e ninguém poderá me criticar ou discursar contra a minha escola,porque ela é particular?
É isso produção?

Esse seu capitalismo mascu do 'dinheiro manda' e portanto justifica absolutamente tudo já está mais inviável e ultrapassado que o séc. XIX ; que é aliás de onde vc deve ter vindo.


No mais, ninguém aqui está pedindo a cabeça da diretora ou o fechamento da 'escola',estamos apenas constatando o óbvio,que essa escolinha tem uma proposta pedagógica rídicula,pouco educativa,ultrapassada e carregada de machismo até os dentes, não precisa ser nenhuma feminista pra ver isso, basta ter um pouco de bom senso poruqe TÁ NA CARA,quais os valores por trás dessa
pseudo-escola. Tá dificil entender ou também é proibido falar sobre isso?

-------------

O Kit anti-homofobia ensina a importância dos preservativos no sexo anal?

ÓTIMO, que maravilha,dou mais apoio ainda pra ele então ,visto que discursar sobre sexualidade é importante pra grade curricular, visto que é UMA QUESTÃO DE CIÊNCIA, e se já no ínicio da puberdade as crianças puderem entender a importância do sexo seguro (seja ele anal ou não) MELHOR.

SÓ QUE PRA ISSO ESSE ASSUNTO TEM QUE SER DISCUTIDO, abertamente, não pode ser considerado 'feio' (visto que faz parte da vida) e muito menos ''assunto de família''

Visto que essencialmente a 'família' brasileira é muito hipócrita, não discute sexo, primeiro porque esse assunto ainda É TABU, e segundo porque os próprios pais das crianças e adolescentes costumam não saber muito sobre sexo eles próprios,além de terem visões muito inocentes e até mesmo infantis sobre sexualidade, portanto cabe muito mais a escola, e algum educador especializado na área de sexualidade pra educar as crianças sobre essa questão,visto é sim UM ASSUSNTO PRA LÁ DE NECESSÁRIO, questão de biologia e existência humana.

Na minha escola foi assim,durante o ensino fundamental,e não me arrependo,pelo contrário, agradeço muito vendo todas as questões idiotas sobre sexo por aí,e acho que deveria ser um DIREITO DE TODOS aprender sobre sexo, inclusive dos alunos da escola pública.

ALIÁS sua hipocrisia me espanta, porque você faz questão que as pessoas (mulheres mais especificamente) saibam como absolutamente evitar um gravidez indesejada, PORÉM acha que é feio e inadequado ensinarem crianças a praticarem sexo seguro antes delas entrarem na idade em que começarão a ter atividade sexual (por volta dos 14 anos)

O QUE VC QUER AFINAL? SE DECIDA MEU FILHO, pois saber como evitar gravidez fora de hora,sem antes saber muito bem sobre sexo e relações sexuais NÃO DÁ, ou aprende ou não,mamar na vaca você não quer né?

Feminista capitalista disse...

Aliás,sua hipocrisia não tem limite né?

Pois vc fala que é absurdo sustentar com o 'seu' dinheiro (OI? e os impostos de todos os lgbtt e favoráveis a causa
anti-homofobia,não existe?)
Panfletos para educação e cidadania das crianças,e que acha absurdo seus impostos terem que ser destinados a educação dos filhos dos outros, mas é só discursar a favor do kit anti-homofobia, que você muda na hora e fala em ''NOSSAS CRIANÇAS''

KKKKKKKK

Quantos filhos vc tem afinal?

Como pode vc que não quer pagar imposto pro filho ''dos outros'' ir a escola de graça,de repente se preocupar tanto com a educação que as ''suas'' crianças vão receber na escola????
Contraditório demais né,meu caro?


-----

E não tem nada de injusto as pessoas sem filhos terem que pagar impostos pelo filho dos outros, afinal dinheiro não é milagre que cai do céu, e o ser humano tem direito ao acesso livre e gratuito a educação, SENDO ASSIM, é óbvio que as todas as escolas públicas tem que ser sustentadas pelo governo,que não faz mais que sua obrigação, o dinheiro do imposto DE TODOS (incluindo aí os muitos que tem filhos) serve pra pagar professores e quaisquer servidores públicos, serve também pra manter funcionando o SUS e todos os pronto-socorros e hospitais públicos, serve pra sustentar também a policia que faz a sua segurança,os onibus que são comprados e adicionados as frotas de transporte público das cidades, serve pra construir e reformar estradas,rodovias,tapar buracos no asfalto da rua....


OU SEJA, vc sozinho não está SUSTENTANDO nada nem ninguém,está apenas cumprindo com sua obrigação cidadã,vsito que você vive em sociedade e se beneficia disso, ou você acha que a sua energia elétrica chega até você de graça, sem o esforço de ninguém pra isso? simplesmente 'acontece'?

Portanto pague os seus impostos e não se sinta nenhum rei por isso, visto que é o que todos fazem.


----------

E por favor, não seja tão rídiculo,se é que isso é possível.

Vc mascutroll não vai querer ensinar a mim, que me considero feminista há cerca de seis anos e que sempre abominei a discriminação homofóbica o que é ou deixa de ser homofobia né?
PELAMOR, isso é rídiculo.

HOMOFOBIA é o que vcs mascus adoram propagar, é qualquer inferiorização ou hostilização da homossexualidade.

Quando vcs fazem discursos sugerindo ou afirmando explicitamente, que a homossexualidade é inferior,negativa,errada ou ilegítima por não gerar filhos, VOCÊS ESTÃO SIM SENDO HOMOFÓBICOS.

Agora, retorno a perguntar, se a homossexualidade é desnecessária pela impossibilidade de reprodução, QUANTOS FILHOS VC TEM MESMO LEANDRO?


Outro detalhe, não tenha dúvidas de que quando vc (e 99% dos machistas babacas e hipócritas) reduz a homossexualidade a sexo anal,vc está sim sendo homofóbico mais uma vez.

Quando vcs mascus dizem que dois homens na cama é ''excesso de obscenidade'' (kkkkk, essa é minha favorita)

Isso também é homofobia, pois é a condenação e demonização de qualquer sexualidade dissidente da heterossexualidade.

Pode inclusive acontecer com héteros, coisa que já vi, uma vez que uma conhecida minha,já foi chamada de 'sapatão' 'sapata' 'machona'
'mulher macho' dentre outros ''elogios'' uma vez que ela cortou o cabelo curtinho,no estilo joãozinho.
Detalhe, ela não é nem nunca foi lésbica, e tudo isso em ambiente escolar....
Por isso mesmo o debate
anti-homofobia é super necessário e urgente,visto que de norte a sul ,milhares de crianças e adolescentes estão sofrendo com o bullying homofóbico quase que diariamente.

E SIM, o discurso do seu pastor também é homofóbico,visto que ele fomenta injsutiças e ódio contra as pessoas homoafetivas,além de diminuí-las perante as demais.
Muitos já foram abandonados pela família ou apanharam em casa por conta desses discursos reliogiosos, É HOMOFOBIA EXPLÍCITA.

Feminista capitalista disse...

E só pra finalizar Leandro, em que mundo vc vive em que os
anti-concepcionais são baratinhos??

Muitos deles custam bem mais que
20 ou 30 reais, num país onde muitos tem que fazer malabarismo pra sobreviver com menos de 1000 reais,ou seja, podem ser baratinhos pra mim, mas não são viáveis a todos.

E qual o problema do governo distribuir camisinhas de graça???

NÃO ENTENDI, vc quer ou não quer que as pessoas evitem as venéreas?

QUANTO MAIS FÁCIL evitá-las melhor não? qual a sua objeção então?

-------------

Quanto a professora que acha o kit anti-homofobia desnecessário,sinto em discordar.

Pois muitas vezes já testemunhei alunos serem provocados e insultados de maneira homofóbica sem que os professores nem se tocassem ou soubessem como agir, muitas vezes faziam vista grossa ou nem viam o que estava acontecendo, eram negligentes e despreparados com a questão.

Isso quando o próprio professor não parecia ser o homofóbico.

Portanto,ao meu ver, é um problema social relevante sim, que tem ser combatido, principalmente na escola, que deveria ser ambiente de respeito e onde o ser huamno recebe suas primeiras noções de cidadania.

Leandro disse...

Prezada Feminista Socialista. Se diz capitalista, mas é socialista até a medula. E vou te mostrar porque.

"uma pessoa defender o capitalismo não implica em abrir mão das responsabilidades sociais, pois essa é uma questão que interessa a TODOS, inclusive você, embora você seja ceguinho demais pra ver."

Essa tal "responsabilidade social" implica que a sociedade tem a "resonsbilidade" de pagar até para alguém transar? Isso é responsabilidade dos indivíduos. Preservativo e anticoncepcional não são cros, é só ir até a farmácia e comprar.


"o que tem a ver a escola ser privada com o texto do blog?
Só porque é particular não está sujeita a críticas então? não pode ser questionada?"


Eu não disse isso. O que eu disse é que há uma enorme diferença entre o kit gay e essas escolas de princesa. E a enorme diferença é que o kit gay é pago pelo taxpayer, enquanto estas escolas, até o que eu sei, é capital privado.

Você não só tem o direito de criticar tais escolas, como também você tem o direito de boicotar e convencer os outros a boicotar, etc. Como eu disse, você não é obrigada a colocar suas filhas nestas escolas.


"No mais, ninguém aqui está pedindo a cabeça da diretora ou o fechamento da 'escola'"

Não coloque palavras nos meus comentários. Eu não disse que vocês estavam pedindo a cabeça da diretora ou o fechamento da escola. Apenas disse que vocês não são obrigadas a colocar suas filhas lá.


“SÓ QUE PRA ISSO ESSE ASSUNTO TEM QUE SER DISCUTIDO, abertamente, não pode ser considerado 'feio' (visto que faz parte da vida) e muito menos ''assunto de família''”

Falar de sexo para — ou perto de — CRIANÇAS é FEIO, sim.

O sexo é uma coisa prazerosa sim, mas também é uma coisa muito ÍNTIMA.


“Visto que essencialmente a 'família' brasileira é muito hipócrita, não discute sexo, primeiro porque esse assunto ainda É TABU”

Acabar com todos os tabús sexuais? Querem falar de sexo anal, oral, e mostrar pornografia para CRIANÇAS? É esta a sua "cidadania" e sua "responsabilidae social"?

No mais, acabe com os chamados tabús e a civilização se desintegra. Sempre foi assim em toda a História. A família é o núcleo da sociedade, destrua a família e a sociedade se desintegra.

No mais, na atualidade, se fala muito sobre sexo no Brasil. Tudo o que há tem alguma conotação sexual: programas de TV (Amor e Sexo), "musicas" (funk).


“você muda na hora e fala em ''NOSSAS CRIANÇAS''

KKKKKKKK

Quantos filhos vc tem afinal?

Como pode vc que não quer pagar imposto pro filho ''dos outros'' ir a escola de graça,de repente se preocupar tanto com a educação que as ''suas'' crianças vão receber na escola????
Contraditório demais né,meu caro?”


Não há contradição nenhuma. Se eu pago os meus impostos, eu tenho que me preocupar. É a minha "responsabilidade social".

Leandro disse...

"E não tem nada de injusto as pessoas sem filhos terem que pagar impostos pelo filho dos outros, afinal dinheiro não é milagre que cai do céu, e o ser humano tem direito ao acesso livre e gratuito a educação, SENDO ASSIM, é óbvio que as todas as escolas públicas tem que ser sustentadas pelo governo,que não faz mais que sua obrigação, o dinheiro do imposto DE TODOS (incluindo aí os muitos que tem filhos) serve pra pagar professores e quaisquer servidores públicos, serve também pra manter funcionando o SUS e todos os pronto-socorros e hospitais públicos, serve pra sustentar também a policia que faz a sua segurança,os onibus que são comprados e adicionados as frotas de transporte público das cidades, serve pra construir e reformar estradas,rodovias,tapar buracos no asfalto da rua...."

Isso é entitlement mentality. Ou seja, achar que o estado tem que prover tudo. Essas coisas não são direito.

Se você quer um estado provendo "acesso livre e gratuito a educação", tendo "todas as escolas públicas sustentadas pelo governo", que "serve pra pagar professores e quaisquer servidores públicos, serve também pra manter funcionando o SUS e todos os pronto-socorros e hospitais públicos, serve pra sustentar também a policia que faz a sua segurança,os onibus que são comprados e adicionados as frotas de transporte público das cidades, serve pra construir e reformar estradas,rodovias,tapar buracos no asfalto da rua....", beleza. Queira isso à vontade. Mas então não reclame que as pessoas não têm dinheiro farto para comprar produtos básicos.

O que você quer é uma impossibilidade econômica: um estado gigante cuidando de tudo e, ao mesmo tempo, pessoas com poder aquisitivo, como se estas vivessem em uma dimensão paralela, sem ter de arcar em nada com o financiamento deste ente obeso que a todos deve prover. Ou você defende um estado provedor e regulador ou você defende pessoas com dinheiro no bolso. Ter as duas coisas ao mesmo tempo é uma impossibilidade econômica.

Entendeu por que você é SOCIALISTA? Você não mrxista só no âmbito cultural. Você é marxista econômica, tb. Você é marxista em todos os ambitos.

Anônimo 2, a missão disse...

...e o curso ensina 'orientação sexual'...

Leandro disse...

Espero, Feminista SOCIALISTA, lendo novamente seu comentário, eu percebí uma aenorme contradição:

"Terceiro, o que tem a ver a escola ser privada com o texto do blog?
Só porque é particular não está sujeita a críticas então? não pode ser questionada?
Ah tá, então quer dizer que eu posso abrir uma escola chamada K.K.K onde só serão aceitos alunos caucasianos e aprenderão valores racistas, e ninguém poderá me criticar ou discursar contra a minha escola,porque ela é particular?
É isso produção?



No mais, ninguém aqui está pedindo a cabeça da diretora ou o fechamento da 'escola',estamos apenas constatando o óbvio,que essa escolinha tem uma proposta pedagógica rídicula,pouco educativa,ultrapassada e carregada de machismo até os dentes, não precisa ser nenhuma feminista pra ver isso, basta ter um pouco de bom senso poruqe TÁ NA CARA,quais os valores por trás dessa
pseudo-escola. Tá dificil entender ou também é proibido falar sobre isso?"


K.K.K é uma organização criminosa. Uma escola que visa formar agressores e assassinos de negros, deveria sim ser fechada, e quem formou deve ser preso ou até mesmo condenado à morte. Pois incitar a violência contra qualquer indivíduo ou grupo (seja ele negro, branco, gay, judeu, cristão, pobre, burguês, etc.) como o K.K.K faz é CRIME.

Por isso, eu notei uma contradição no seu comentário. Pois você diz que não está pedindo cabeça da diretora ou o fechamento da escola, mas compara a escola a um grupo de assassinos... Se você compara a escola a um grupo de asassinos, você está criminalizando a escola, e quer sim a cabeça da diretora da escola, pois pra você, ela como um criminoso do K.K.K.


"Muitos deles custam bem mais que
20 ou 30 reais, num país onde muitos tem que fazer malabarismo pra sobreviver com menos de 1000 reais,ou seja, podem ser baratinhos pra mim, mas não são viáveis a todos."


- Para não restar 20 ou 30 reais de 1000, e o indivíduo é solteiro, só se o indivíduo é muito perdulário. Claro que 20, 30 ou até 50 reais é barato. Num país onde pobres compram até tênis de R$ 900 (sendo que pirata é R$ 90,00). Então, é claro que 50 reais é barato, já que gastam quase o dobro disso em um tênis de marca. Aliás, o que já ví de mulher pobre que vai a festas com roupa cara e homens pobres que ostentam... Quer dizer que os têm até 90 reais para ostentar e para a vaidade, mas não têm 20 ou 30 reais para se prevenir de DSTs e gravidez indesejada?

Feminista capitalista disse...

Sorry Leandro,vai ter que comer muito feijão com arroz ainda,pra me convencer de que sou uma coisa que não sou: Socialista.

Até porque isso quem decide sou EU e não você.

Além do que sua definição de capitalista é a mais louca,estereotipada e equivocada o possível,mas vamos por partes.

------

Pra começo de conversa falar sobre a importância de fazer sexo seguro, incluindo aí sexo anal e ORAL também é feio porque?
Quem é que decide se isso é feio ou não?

Você? seu moralismo? uma sociedade hipócrita?

Essas crianças no ínicio da puberdade,em plena
pré-adolescência dentro de poucos anos se iniciarão na atividade sexual,que é o que acontece quando adolescentes começam a namorar, isso há décadas.

SÓ QUE ELAS NÃO VÃO saber fazer sexo seguro,usar camisinha e se proteger,se isso não estiver bem claro pra elas, incluindo aí a importância de usar preservativo,se ninguém falar ABERTAMENTE de sexo com elas.

ALIÁS, elas nunca vão aprender a encarar o sexo com a devida naturalidade se esse assunto nunca for debatido francamente com elas, se for encarado como TABU, que é edcação hipócrita que muitos adultos acima dos 45 anos receberam, modelo de educação pra lá de ultrapassado.


PORTANTO, estou pouco me fudendo se isso é feio ou bonito, a questão é que importante, mais que isso É NECESSÁRIO, falar sobre sexo com elas.

E no mais o que programas como amor e sexo e as letras de funk tem a ver com o assunto?
Não seja retardado,isso é de interesse dos adultos, não tem nada de educação sexual aí, e isso sim é que tem que ser dado aos estudantes : EDUCAÇÃO SEXUAL.

-------

Quanto ao anônimo doido aí em cima que disse que o curso ensina 'orientação sexual' ,esse termo significa outra coisa, o importante é as crianças aprenderem EDUCAÇÃO sexual,até porque oirnteção sexual ninguém aprende.

Feminina capitalista disse...

Leandro,essa sua idéia do pagador de imposto como coitadinho e o estado como um saqueador do ''cidadão de bem'',além de infantil é ridicula e nada tem a ver com o capitalismo.

Porque se você diz que o estado não nos deve ônibus,asfaltos, escolas, nem porra nenhuma, por isso não deviamos pagar impostos ,o que você propõe é um estado nulo, sem propósito, sem eira nem beira e sem razão de existir.
Por mais capitalista que seja um país, o papel do estado é SEMPRE zelar pelo bem dos cidadãos e condições dignas de vivência, um estado tem que representar o seu povo e dar conta dele , É POR ISSO QUE ELE EXISTE,caso contrário não faria sentido.


O ESTADO NÃO NOS DEVE NADA?

Ah tah, bom saber, quer dizer que pode demitir e desfazer toda a polícia e os habitantes que se virem e contratem seguranças particulares? sem regras a seguir?

Pode então desfazer os bombeiros e se sua casa pegar fogo você que se vire com o seu dinheiro pra apagar, afinal o governo nada tem a ver com isso?

Já que o governo não nos deve onibus,hospitais e nem nada, então eu posso pedir pro governo desligar Itaipu e as demais hidrelétricas e você que se vire pra produzir a sua própria energia?

Capitalismo significa a possibilidade de crescer e se empoderar através do próprio dinheiro sem o controle TOTAL do estado, o que não significa de maneira alguma que o estado não tem participação nenhuma nisso ou que ele é nulo, isso não é nem nunca foi capitalismo Leandro mascu, ele PRECISA do estado pra poder existir.


Fora que o seu dinheiro não é 100% seu, nunca foi, isso é ilusão, ele pertence ao estado também visto que cada país tem o seu padrão monetário e o valor dele varia conforme as fronteiras.Se os estados decidissem abolir o dinheiro, você não teria NENHUM, simples assim.

Você quer um exemplo prático?

No Canadá, cada vez que as pessoas recebem seu pagamento , 48% dele vai direto pro estado, e NINGUÉM faz cara feia, em troca recebem segurança,educação de alta qualidade,ruas limpas e um excelente sistema de saúde, TUDO DE GRAÇA.

Nem por isso as pessoas deixam de ter poder de consumo no Canadá, pelo contrário, o poder de consumo delas é bem maior que o dos brasileiros.

Nem por isso o Canadá deixa de ser capitalista.

QUER MAIS?

Na Dinamarca o governo fica com 60% dos salários e garante ao povo o que ele precisa,sem ninguém achar ruim e o IDH é um dos maiores do mundo.


OU SEJA, isso que eu defendo não SÓ é possível, como é a realidade de MILHÕES ao redor do mundo, ao contrário das suas crendices e suas pobres noções de economia.

Feminista capitalista disse...

Leandro, saia do país das maravilhas, venha pra realidade, onde que uma pessoa pobre vai comprar tênis de 900 reais?

Até a classe média fica com o pé atrás de comprar algo nesse valor, quanto mais que vive com um salário desses.

Compra no máximo um tênis de 80 reais com muita dificuldade e olhe lá.
Fora que tênis a pessoa pode parcelar, dividir em várias vezes, anticoncepcional não.

Quantos anos você tem? 15?

É o que parece, se acha que todo mundo pode tirar MAIS de 20 ou 30 reais da carteira pra comprar anticoncepcionais.
Aluguel custa caro sabia?
conta de gás,luz,água,telefone também.

Acha que sobra trinta, quarente,cinquenta reais brincando?

ENTÃO ACORDA MEU FILHO; tenho uma colega que faz as compras dela da semana com menos de 20 reais, e acha CARO almoçar em restaurante de cinco reais todo dia, não tem dinheiro.

Você acha que ela vai ter dinehiro pra comprar anticoncepcional tranquilamente? acorda!

Fora que anticoncepcional não é balinha que você pode sair comprando qualquer um sem problemas, eles podem apresentar uma série de efeitos colaterais desagrádaveis e a pessoa ir precisar mudando de marca, até achar uma que se adeque a ela.

-----

E sim,se camisinha é baratinho,logo o governo deveria SIM distribuir bilhões delas de graça todos os anos, visto que é uma questão DE SAÚDE PÚBLICA, já que elas evitam a proliferação de venéreas, logo é assunto de interesse do GOVERNO SIM; visto que é mais fácil previnir do que remediar.

Os índices de venéreas como clamídia e gonorréia diminuiram consideravelmente nas últimas duas décadas e meias desde que o povo adquiriu o hábito de usar camisinha.


E SUA HIPOCRISIA É MESMO SEM FIM, visto que você quer que não aconteçam gravidezes indesejadas,mas também não quer que o governo ofereça educação sexual, não quer que se distribua gratuitamente camisinhas, não quer anticoncepcionais gratuitos e não quer que liberem o aborto,todas medidas que ajudam a diminuir consideravelmente essas gravidezes.


OU SEJA, você não quer coisa nenhuma, só quer dar palpite cricri na vida dos outros, e condenar as mulheres não importa o que elas façam, como todo bom misógino.

VÁ LÁ ficar grávido indesejadamente no lugar delas então,pois julgar é muito fácil.

Feminista capitalista disse...

E force menos a barra, pois eu não vi conttradição nenhuma em meu comentário.

Não considero a diretora dessa rídicula escola uma criminosa, nem quero a prisão dela, em nenhuma parte de meus comentários afirmei isso.

APENAS tracei um paralelo com o
K K K, pra que pessoas que usam argumentações falhas como sua e tem dificuldade de interpretação pudessem TALVEZ entender de onde vem o meu ponto de vista, mas com certas pessoas nem desenhando adianta.
Embora as crianças não estejam indo a escola pra aprender nenhum crime ou doutrina do ódio,elas estão indo lá sim, pra aprenderem machismos,papéis de gênero, a SUBMISSÃO DA MULHER NA SOCIEDADE E PERANTE AO HOMEM, vão sair delá com uma mentalidade de inferiorização,acreditando que os homens são os líderes naturais dessa vida e elas meras coajuvantes.

Todas coisas absurdas pro
séc. XXI, em pleno ano de 2013 e coisas que merecem sim,pelo próprio rídiculo da situação, a nossa atenção e são todas passíveis de crítica.


Ao contrário de seu primeiro comentário que acaha tudo muito bonito numa escola PODRE DE MACHISTA dessas e sugere que estamos erradas em criticá-la e que pior, deveriamos criticar o kit anti-homofobia,que presta um favor a sociedade ao tentar incutir melhor as lições de cidadania, pros adultos do futuro, que tomara, não sejam tão hipócritas quanto os do presente; ao contrário dessa escola que quer a inferiorização das mulheres,uma péssima lição.


FAZ-ME RIR mascutroll,pode continuar a sua papagaida, pois seus argumentos defasados pra mim servem como fonte de humor, humor e lamentação pela sua inteligência que já morreu, se é que ela já existiu

aquarela surrealista disse...

Feminista Capitalista,

Não adentrarei em motivos pessoais aqui,mas devo dizer que tudo o que se espera de um governo,seria redundante de se dizer que ele "faz nas coxas",né?(mas tem muita gente que nem a isto dá valor,e desperdiça de tudo!)

Bom,não cheguei a ter em mãos um kit anti homofóbico,mas ouvi dizer coisas sobre o mesmo que foram horrores(creio que as pessoas não estão ,de fato,preparadas para simplesmente ir adentrando uma discussão nova destas sem informação necessária,pois o assunto é delicado sim...não dá para engolir qualquer cartilha!),e devo dizer que,como mãe que tem filhos em escola pública,eu não gostaria que a educação sexual dos meus filhos começasse sem o meu consentimento...sim,há pessoas na área educacional,como em outras,tanto hétero como homo(tenho visto exemplos perto)que não estão preparadas para educar ,mas querem doutrinar aluno,puxar sardinha...só jogar um kit nas mãos desse povo pode ser um grande erro!
O Estado já manda por demais na nossa vida...ele já manda nos filhos desde o ventre...agora também vai querer determinar qual a ração educacional que a família dá para os rebentos??

Conquanto ao que o governo faz:distribui uma única marca de pílula,e suas camisinhas são grossas,feitas de látex(pessoas são diferentes,quer dizer,acaba dando no mesmo,é pra inglês ver,pois quem é alérgico a látex ou não pode ingerir a CIclo 21,que se dane,e,se não tem condi$$ões,engravide e aborte,uai!)apesar que tem meios de entrar no Planejamento Familiar,demora mas resolve,para quem quer,a esterilização definitiva...

...é muita hipocrisia,mas por outro também não dá pra fechar os olhos sobre este fato:sim,tem gente que está na linha ou abaixo da miséria,mas tem tablets á mão,tênis de marca no pé(nem quero saber como fazem para isto)mas o caderno e o lápis que o governo lhes dá não lhes bastam,ainda dizem que não presta...

para resumo de conversa;educação tem que vir junta a informação e vigilância da família,pois qualquer estabelecimento educacional terá doutrinamento:mas ,nas públicas eu tenho obrigação de matricular o filho(e estar muito,mas muito vigilante),porém,ninguém pode por uma arma na minha cabeça e me obrigar a matricular filho em estabelecimento particular,quanto mais com estas ideologias machistas!mesmo o melhor dos colégios particulares aqui na nossa realidade não passa de treineiro de vestibular...e as públicas,onde o ensino teria tudo para dar certo virou excessivamente assistencialista em detrimento de suas reais funções de educar(tudo o que se vê nos papéis e revistas,na teoria é lindo,mas precisa estar lá todo dia,os 200 dias letivos,para ver o que é que há!)

então,tem muita coisa,na área educacional que,se for pra discutir,vai virar uma polêmica danada!E quem está certo?Quem errado?Difícil...eu tenho certeza duma coisa;o que tenho real interesse não me virá gratuitamente...e não quero viver de rações alheias nem lavagens cerebrais excessivas(porque um tanto a gente sofre mesmo).{}s,!

Leandro disse...

Prezada Feminista SOCIALISTA.

"Sorry Leandro,vai ter que comer muito feijão com arroz ainda,pra me convencer de que sou uma coisa que não sou: Socialista."

Não. Vc que quanto mais escreve, mais me convence de que és socialista.

Mas vamos lá.

Em primeiro lugar, quem é que proíbe — ou, no mínimo, dificulta enormemente — que os pobres tenham renda suficiente para comprar determinados bens e serviços? Quem é que confisca 40% da renda do brasileiro, redirecionando os espólios deste assalto para seus compadres e comparsas? Quem é que cobra 15% de IRPJ + uma sobretaxa de 10% sobre o lucro que ultrapassa determinado valor + CSLL de 12% + PIS de 1,65% + COFINS de 7,6%, fazendo com que a alíquota efetiva do IRPJ no Brasil chega a 46,25% e, consequentemente, impedindo que as empresas possam algum dia pagar salários bons aos seus empregados?

Se você defende este assalto aos taxpayers, e acredita que o governo deve prover "ônibus,asfaltos, escolas", então não reclame que as pessoas não têm dinheiro farto para adquirir produtos e serviços básicos. Como eu falei, isso é uma impossibilidade econômica: um estado gigantesco provendo tudo e, ao mesmo tempo, pessoas com alto poder aquisitivo, como se estas vivessem em uma dimensão paralela, sem ter de arcar em nada com o financiamento deste ente gigantesco que a todos deve prover. Ou você defende um estado provedor, regulador e tributador ou você defende pessoas com dinheiro no bolso. Ter as duas coisas ao mesmo tempo é uma impossibilidade econômica.


"No Canadá, cada vez que as pessoas recebem seu pagamento , 48% dele vai direto pro estado, e NINGUÉM faz cara feia, em troca recebem segurança,educação de alta qualidade,ruas limpas e um excelente sistema de saúde"

Como vc sabe se ninguém faz cara feia. Vc já perguntou pros canadenses? Porque, por exemplo, há fuga de cérebros pros EUA?

Excelente sistema de saúde no Canadá? Tão excelente que os canadenses, quando estão doentes, atravessam a fronteira para buscar tratamento nos EUA:

http://dailycaller.com/2013/07/08/report-thousands-fled-canadian-health-system-in-2012/

E olhe que o sistema de saúde americano não é muito bom. O que prova o quão "excelente" é o sistema de saúde no Canadá. Muito pelo contrário, no Canadá, a socialização da saúde criou inúmeros problemas, como o aumento das filas e muito tempo de espera para atendimentos, escassez de pessoal qualificado, burocracia galopante e a fuga de canadenses que atravessam a fronteira para buscar tratamento nos EUA.

Leandro disse...

Você também cita a Dinamarca. Quer dizer então que, se o Brasil elevar a sua carga tributária (já muito alta) para 60% do PIB, seremos rapidamente uma Dinamarca? Se imposto enriquecesse país, o Brasil já seria um dos países mais ricos do mundo.

Ademais, saiba que na Dinamarca há muito mais liberdade econômica do que no Brasil, Argentina e outros países de Terceiro Mundo:
1) Você demora no máximo 6 dias para abrir um negócio na Dinamarca (aqui no Brasil, mais de 150);
2) as tarifas de importação estão na casa de 1,2%, na média (7,9% no Brasil);
3) o imposto de renda de pessoa jurídica é de 25% (34% no Brasil);
4) o investimento estrangeiro é liberado (no Brasil, é cheio de restrições);
5) os direitos de propriedade absolutos (no Brasil, o MST invade fazendas, rouba gado, depreda plantações e a justiça os convida para um cafezinho);
6) não há nenhum banco estatal;
7) e o horror dos horrores: o mercado de trabalho da Dinamarca é extremamente desregulamentado. Não tem nenhuma lei de salário mínimo. Encargos trabalhistas de 5,5% (aqui no Brasil, os encargos sociais e trabalhistas podem chegar a quase 102% do salário). Pode-se contratar sem burocracias, e é possível demitir sem qualquer justificativa e sem qualquer custo. E tudo com o apoio dos sindicatos, pois eles sabem que tal política reduz o desemprego. Estrovengas como a CLT (inventada por Mussolini e rapidamente copiada por Getúlio Vargas, e vocês amam isso, depois nós somos os rotulados de "fascistas") nunca seriam levadas a sério por ali.

Num ambiente assim, a eficiência e o dinamismo econômico são altos, o que resulta em uma economia rica, capaz de sustentar seu enorme welfare state. Não fosse pela economia desregulamentada e a riqueza por ela gerada, o welfare state dinamarquês não duraria uma semana.

O Brasil, com seu atual nível de riqueza acumulada per capita não tem a menor chance de adotar um welfare state escandinavo. Primeiro um país precisa enriquecer (acumular capital); só então ele pode se dar ao luxo de consumir esse capital (criar um welfare state). E, mesmo assim, o consumo desse capital só vai perdurar se continuar havendo poupança e investimento, que é exatamente o que permite o acúmulo de capital que vai financiar o consumo.
Os escandinavos fizeram isso no período 1800-1945. O Brasil, não.

Leandro disse...

"Fora que o seu dinheiro não é 100% seu, nunca foi, isso é ilusão, ele pertence ao estado também visto que cada país tem o seu padrão monetário e o valor dele varia conforme as fronteiras.Se os estados decidissem abolir o dinheiro, você não teria NENHUM, simples assim."

Em primeiro lugar, o dinheiro é meu sim porque é fruto do meu trabalho. O governo só extorque aquilo que é fruto de meu trabalho.

Em segundo lugar, o governo não tem nada a ver com a origem do dinheiro. O dinheiro foi criado naturalmente no livre mercado. Leituras recomendáveis:

http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1502

http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1505

Em terceiro lugar, é esse padrão monetário que corrói o poder de compra das pessoas. Pois é, vc tão preocupada com os mais pobres e defende um padrão monetário inerentemente inflacionário.


"Leandro, saia do país das maravilhas, venha pra realidade, onde que uma pessoa pobre vai comprar tênis de 900 reais?"

Não estou no país das maravilhas. É a realidade. Taí a notícia da Folha: tem favelado comprando tênis de 900 reais (que pirateado, é 90).


"É o que parece, se acha que todo mundo pode tirar MAIS de 20 ou 30 reais da carteira pra comprar anticoncepcionais.
Aluguel custa caro sabia?
conta de gás,luz,água,telefone também.

Acha que sobra trinta, quarente,cinquenta reais brincando?"


Claro que sobra. Tá na cara que vc nunca viu uma favela. Pra começar, eles não pagam aluguel. Pois como surgem as favelas? Eles ocupam um grupo de famílias ocupa um terreno vazio, sem dono e constrói suas casinhas. Estas casinhas, constrúidas com muito trabalho, são deles. Eles se fixam no terreno, e o terreno é deles. Então, eles nao pagam aluguel. Mas o que muitas vezes acontece? O governo, este ente que vocês tanto idolatram, remove as favelas, expulsa os moradores e derruba as casinhas construídas com muito sacrifício e suor por aquela gente, para "fins de utilidade pública", para favorecer grandes empresários compadrinhos como o Eike Batista. Taí mais um exemplo de como o estado fode com a vida dos mais pobres. Mas não adianta, vocês acredita que o governo ajuda os mais pobres. Acham que o governo ajuda mais aos pobres do que o livre mercado.

Sei que este não é o país das mravilhas, mas se ver as casinhas dos pobres, vai ver que todas elas são equipadas com geladeira, TV, DVD, rádio, celular, antena parabólica, etc. Sem falar que ostentam. Já ví favelada ndando com sapatos de salto caro. Então, se eles tem dinheiro pra ter, por exemplo, uma TV, porque não vai ter dinheiro pra comprar um anticoncepcional? Anticoncepcional é mais barato.

Ademais, se a alimentação, gás, luz, água, telefone, etc. encarecerm, é culpa do aviltamente monetário provocado pelo padrão monetário estatal que VC defende.

Leandro disse...

"Compra no máximo um tênis de 80 reais com muita dificuldade e olhe lá."

Confissão aterradora e extremamente incoerente. Pois se pode gastar 80 reais num tênis, 20 ou 30 reais não é nem metade disso. E se o invidíduo parcela o tênis em 3 vezes, pága mais ou menos o preço do anticoncepcional ao mês.

O que isso mostra, e o caso de sua amiga também mostra, é que as pessoas preferem pagar mais caro por algo que você pode se abster de consumir (como no caso, um tênis de marca), do que gastar menos para satisfazer às necessidade fisiológicas e vitais e cuidar da própria saúde (se alimentar ou comprar preservativos). Eu conheço muitos pobres favelados que ostentam muito mais que eu que sou classe média baixa . Conheço mulheres pobres, faveladas, vaidosas quem usam sapatos de salto caro. E vc ainda vem me dizer que pobre não tem dinheiro para comprar anticoncepcional de 20 ou 30 reais? Quem tem dinheiro pra comprar tênis ou sapato de salto de R$ 70,00, pode sim comprar anticoncepcional de R$ 40,00. É só se abster de comprar o sapato de salto. Até porque (já que o assunto aqui é saúde e prevenção) sapato de salto é até prejudicial à saúde da mulher, pois machuca os pés e prejudica a coluna. Aí, vemos mulheres pobres vaidosas consumindo sapatos de salto caros, dando mais valor à vaidade do que à própria saúde, e aí vcs ainda querem que os taxpayers paguem a conta...

Leandro disse...

"E sim,se camisinha é baratinho,logo o governo deveria SIM distribuir bilhões delas de graça"

Quer dizer que mesmo que uma camisinha seja baratinha, o governo tem que distribuir? A sociedade toda tem que pagar para alguém transar? Isso além de tudo é ridículo.

Ademais, caso não saiba, aí vai uma lei econômica básica: se há um aumento da demanda por X, o preço de X sobe. É a velha lei da oferta e da procura. O preço de X aumenta, principalmente se a demanda é gerada pelo governo. Quando o governo distribui camisinhas, há um aumento na demanda de camisinhas, demanda gerada pelo estado. Aumentando a demanda, sem um aumento na produtividade de camisinhas (você fála em distribuir bilhões de camisinhas, agora te pergunto: há bilhões de camisinhas no mercado brasileiro?), o produto encarece. Lei básica da economia. Entao, se o governo distribuir camisinha, o produto encarece e óbvio que o pobre não terá dinheiro para pagar. Sem falar que se não houver uma aumento na produtividade, haverá escassez deste produto no mercado. Óbvio. Acho mais fácil o Tiririca entender a Relatividade do Einstein do que você entender o básico de economia.

Leandro disse...

"PORTANTO, estou pouco me fudendo se isso é feio ou bonito, a questão é que importante, mais que isso É NECESSÁRIO, falar sobre sexo com elas."

Falar de sexo para (ou perto de) crianças é feio, sim. Isso é uma perversão. Sexo é assunto de adulto. Mas como vc não se importa...


"E no mais o que programas como amor e sexo e as letras de funk tem a ver com o assunto?
Não seja retardado,isso é de interesse dos adultos,"


Então você concorda que sexo é assunto de adulto?


"e isso sim é que tem que ser dado aos estudantes : EDUCAÇÃO SEXUAL."

Quanta contradição. Como pode uma pessoa se contradizer num só parágrafo? Primeiro disse que era assunto de adulto, agora fala que tem que ser dado aos estudantes....

No mais, educação sexual não é tarefa do estado, mas um assunto de família.

"Embora as crianças não estejam indo a escola pra aprender nenhum crime ou doutrina do ódio,elas estão indo lá sim, pra aprenderem machismos,papéis de gênero, a SUBMISSÃO DA MULHER NA SOCIEDADE E PERANTE AO HOMEM, vão sair delá com uma mentalidade de inferiorização,acreditando que os homens são os líderes naturais dessa vida e elas meras coajuvantes."

Depende da visão que vc tiver. O que para vc representa a "inferiorização da mulher", para outros (os "mascus") representa uma pedestalização. Afinal,o termo "princesa" pedestaliza a mulher.


"Ao contrário de seu primeiro comentário que acaha tudo muito bonito numa escola PODRE DE MACHISTA dessas e sugere que estamos erradas em criticá-la e que pior, deveriamos criticar o kit anti-homofobia,que presta um favor a sociedade ao tentar incutir melhor as lições de cidadania, pros adultos do futuro, que tomara, não sejam tão hipócritas quanto os do presente; ao contrário dessa escola que quer a inferiorização das mulheres,uma péssima lição."

Eu não cho bonito nada. Mas prefiro uma escola como esta do que o kit gay. Até porque o kit gay é com o dinheiro dos taxpayers. Até o que eu sei, esta escola é capital privado. E se você não gosta, você não obrigada colocar sua filha lá. Ao contrário do kit gay que é com o dinheiro dos taxpayers, e um pai de família é obrigado a ver seu filho sendo ensinado a fazer sexo anal e oral, e caso se oponha, é logo rotulado de "homofóbico", e se depender de vocês, este pai vai até preso por não querer ver seu filho sendo induzido a ser gay. Esta é a noção de "direitos humanos" de vocês.

Anônimo disse...

Homens são oprimidos por terem pinto pequeno? Kkkkk, exagerou, no máximo isso é bullying!