quarta-feira, 24 de julho de 2013

"DEIXEI MINHA VIRGINDADE EM BERLIM"

Perdi minha virgindade, mas ainda tenho a caixa em que ela veio 

A T. me enviou este relato.

Sei que vc é muito ocupada e não sei se terá tempo de ler este e-mail, mas mesmo assim resolvi mandá-lo, pois preciso desabafar com alguém. É sobre como deixei a virgindade com um estranho (digo "deixei" pois não gosto muito do termo "perder"). Enfim.
Tenho 19 anos. No momento estou fazendo um intercâmbio na Alemanha. 
Mês passado eu estava em Berlim e em meu penúltimo dia lá resolvi sair com uns amigos.
Eu e mais dois amigos, homens pelo menos dez anos mais velhos que eu, fomos a um bar, bebemos algumas cervejas e resolvemos ir a um outro bar. Nesse outro conhecemos alguns alemães, dessa vez acho que uns cinco anos mais velhos que eu. Me diverti bastante. Um desses alemães chegou junto, e começamos a nos beijar. Nisso, meus dois amigos foram embora e me deixaram com ele apenas. Então fiquei sem ter como voltar pra casa, pois não sabia direito os horários do metrô. Ele perguntou se eu queria ir pra casa dele.
Fomos pra casa dele, não me lembro direito como tudo aconteceu, eu tinha bebido bastante, e eu estava a fim. Mas lembro que ele foi super gentil comigo, sempre me perguntando se eu estava confortável, se estava tudo bem. Eu não falei que era minha primeira vez, não sei se ele percebeu... Não precisei falar nada em relação à camisinha, ele logo arrumou uma. Doeu um pouco. Não me senti culpada por ter tido minha primeira vez com um estranho, alguém que provavelmente nunca mais verei. Passei o resto da noite na casa dele, e pela manhã nos despedimos. 
Eu não era assim tão apegada ao meu hímen, sentia que já estava na hora. No momento foi bom. O cara era experiente, me passou segurança. 
Apesar de ele ter usado camisinha, fiquei quase louca em relação à gravidez. Não tomo pílula, na verdade nunca fui ao ginecologista. Não me sinto muito confortável falando disso com minha mãe, pois temos uma relação meio complicada. Mas quando voltar ao Brasil, procurarei um. Uma semana depois veio minha menstruação, alguns dias antes do ciclo normal. Nunca antes fiquei tão feliz com meu período. 
E agora sinto que não há ninguém com quem eu possa compartilhar minha experiência. Sinto que todos irão me julgar. Ainda existe todo esse negócio de que tem que ser com alguém especial, alguém com quem você tem um relacionamento. Ainda há todo esse simbolismo envolvendo a virgindade, ainda mais de uma garota. Isso me incomoda demais. Pra minha mãe não há como contar. Não sou uma pessoa de muitos amigos, grande parte dos que tenho são homens. Há uma amiga para quem eu poderia contar, mas ultimamente não temos nos falado muito.
E no Brasil tenho um "pseudo-relacionamento", e não sei se devo ou não contar pro cara. Pseudo pois não sei direito como chamar o tal relacionamento. Já tem alguns anos, gosto dele, ele gosta de mim, conversamos sobre um futuro juntos, e nesses anos de convivência apenas nos encontramos em três ocasiões. Entretanto, conversando com ele nos últimos dias, parece-me que a coisa vai engatar em algo mais sério. 
Então Lola, agora faz um mês que aconteceu e eu precisava mesmo contar pra alguém. Queria agradecê-la pelo seu blog. Leio-o há uns dois anos, quando conheci o feminismo, e me ajudou bastante a entender e a crescer como pessoa.  

Minha resposta: Fico feliz que vc "desabafou" comigo, que sua primeira vez foi boa, que vc vai procurar um ginecologista assim que voltar pro Brasil.
E ninguém tem nada que te julgar mesmo! O corpo é seu, vc esperou até achar que estava pronta, vc ficou a fim de um cara, ele ficou a fim de vc, vocês transaram, foram responsáveis, usaram camisinha. Certo, foi a primeira vez, e existe todo esse simbolismo em torno da primeira vez -- só pra meninas! Pros meninos, eles já crescem aprendendo a dizer que não lembram quando nem com quem foi, já que foram tantas...
A única coisa que eu acho que vc deve pensar é sobre esse seu "pseudo-relacionamento". Apesar de vcs só terem se encontrado três vezes, pelo jeito você não cogitou ter sua primeira vez com ele. Creio que a reação dele, se vc contar, não será das melhores. Tem certeza que quer esse relacionamento?
Se tem uma coisa que realmente mudou da minha adolescência nos anos 80 pra cá é a queda do tabu da virgindade. Na minha época ainda havia muita pressão pra casar virgem. Hoje só pessoas muito conservadoras e/ou religiosas dão tanta importância a um hímen. Pra mim é uma regra boa: se um cara invocar com a sua experiência sexual, com o número de parceiros que vc teve, este não é um cara pra ficar, muito menos pra namorar. É um jeito fácil de reconhecer -- e despachar rapidinho -- um machista.
Não estou falando desse seu "pseudo-relacionamento", que pode vir a fazer a pergunta "Mas por que não eu?", tadinho. Tô falando de todos os homens que vc tiver daqui pra frente. Se já é um bom sinal de alerta não se relacionar com cara ciumento e possessivo, o que dizer de cara que tem ciúmes do seu passado? Pior é que tem muito homem que tem ciúme retroativo, que acha que a mulher deveria ter uma bola de cristal pra ter se "guardado" (olha que termo ridículo) pra quando o bambambam aparecesse.
Quero muito acreditar que hoje esses sujeitos que ainda exigem virgindade sejam a minoria. E que a maior parte dos rapazes quer mais é aproveitar uma maior liberdade sexual. 
Parabéns pela sua primeira vez, T. E é muito chique ter a primeira vez num outro país!

119 comentários:

Anônimo disse...

Hm.. também acho que o menino pode ficar tristuxo pq vcs já tinham um rolinho e não rolou com ele pra rolar com outra pessoa um pouco mais aleatória.

Eu entendo o que a Lola fala sobre detectar machistas, mas as vezes o cara aceita racionalmente que a mulher tem uma sexualidade mais livre, mas por dentro ainda rola um ciuminho.
Eu não gosto de expor meu passado pra ninguém (quem, qnd, onde, pq)...
Tento deixar claro minha postura sem entrar em detalhes pessoais.

Mariana. disse...

hahaahahahaha eu também achei muito chique!

nossa, acho ótimo você encarar isso com naturalidade, tranquilidade.
Relaxa, meu bem.

Eu tinha várias neuras e perdi a virgindade com meu então namorado, aos 18 anos, e fiquei com ele por seis, terminei há 2 meses.

Bom, eu não me lembro sinceramente dele ter sido tão gentil e atencioso comigo como o seu desconhecido foi com você.

Ele também tinha ciúme retroativo dos caras que beijei.

Enfim, assim que terminei o namoro - aos 24, numa época que meu feminismo estava muito mais amadurecido - eu decidi que ele tinha que deixar de ser o único cara com quem eu já tinha transado.
Assim, sem neura. Se eu tivesse a fim, iria rolar.

2 semanas depois do fim do namoro, conheci um cara, amigo de uns amigos. Não aconteceu já na primeira noite não porque não queríamos, mas simplesmente não deu. Marcamos de nos ver no outro sábado, saímos com nossos amigos, bebemos (meu ex nos viu juntos no bar e armou um escândalo na internet depois, fez chantagem emocional) e rolou. Eu não gosto dele, ele não gosta de mim, não vamos nos apaixonar. Apenas é bom e isso é o que me importa no momento.

Nunca falaria isso pros meus pais, com essas palavras. Mas eu gosto de sentir que agora eu não apenas penso assim - com essa liberdade. Eu ajo assim. Porque antes eu já era feminista, mas eu só tinha feito sexo com um cara, queria me casar com ele, namorava sério.

Hoje, nesse momento da minha vida, estou dando valor para outras coisas, exercendo minha sexualidade, fazendo tatuagens. Meu ex disse que não me reconhece mais e isso me deixa muito feliz na vdd.

Anônimo disse...

kkk.. típico. Mulherada vai pra esses intercâmbios, chega no exterior e libera geral. Por isso jamais namoraria ou casaria com uma mulher que teve essas "experiências" no exterior. Pra pegar até que vai. Depois ainda tem a cara de pau de dizer que não, que não é nada disso, que vão pra estudar, etc. Ahan.. sei.

raquel link disse...

eu nasci em 1987 e tendo a minha adolescência nos anos 2000 sei bem o tabu da virgindade, até por ter uma mãe que casou virgem( apesar de ter casado em 1980). eu vi de tudo desde de quem queria esperar até o casamento até quem é desapegado. não acho que tenha regra, mto menos hoje. cada um deve fazer o melhor, como voce fez. mas podia dar um conselho, não fale ainda pro pseudonamoro, pelo menos não até virar de fato um namoro. hoje sou casada e contei pro meu marido meu passado amoroso, mas qdo o relacionamento estava sério.

não tem porque alguém saber de seu passado , ele pertence a voce, e mesmo que fique mais serio , vc nao precisa falar.

Gustavo disse...

Um cara gentil, clima bom, pouca dor e você gostou. Pra mim, parece a descrição de uma primeira vez perfeita. Agora é só aproveitar a descoberta :)

Anônimo disse...

Parabéns por ter consciência do seu corpo, de você! Se foi bom pra você, foi uma primeira vez feliz, apesar da dor!
E pense sobre os conselhos da Lola sobre o rapaz. Evitará você sentir dores emocionais e acumular feridas desnecessárias. Excelente dica, Lola! Mais uma vez, o blog faz um ótimo trabalho com a questão da mulher!!!
Comigo foi diferente, pois foi com uma mulher. Sim, uma mulher pode fazer isso. Sangrei e me livrei de uma vez. Digo me livrei não com desdém, porque era parte do meu corpo, de mim, sabe. Mas porque mudou até na hora dos exames ginecológicos. Antes disto, era um super desconforto: tinha que explicar sempre, tinha que ser usado um outro tipo de "ferramenta" para fazer os exames. Eu penso que este foi o maior ganho!
Nunca me relacionei com homens e não gosto de brinquedinhos para fazer amor, embora, claro, acho super natural mulheres que são lésbicas e gostam de penetração com tais brinquedinhos. Não é o pênis, é apenas sentir prazer em penetração, que pode ser até com uma cenoura ( dizem, mas nunca vi )

Agora, Lola, faço aqui um alerta, já que você é lida por muitas mulheres jovens, muitas ainda devem ser virgens: ginecologistas, exames ginecológicos, não são apenas para mulheres que não são mais virgens. É preciso acabar com esta ideia! Acredito que após a primeira menstruação, as meninas devem ir a um profissional para, inclusive, falar sobre higienização, cuidados, calcinhas apropriadas, o útero, o que usar para não acarretar problemas ( roupas apertadas não são saudáveis) e, sim, métodos contraceptivos, inclusive camisinha feminina ( poucas mulheres sabem sobre o assunto da camisinha feminina).

Eu fui a um ginecologista depois da minha primeira menstruação. Apesar da timidez, acredito que a minha mãe foi muito consciente. Mas hoje em dia já tem bastante mádico preparado para receber meninas adolescentes. Na minha época não era muito comum. O médico não sabia falar direito comigo ( ele já se aposentou, só para ver como era dos antigos). Minhas sobrinhas foram desde que menstruaram a primeira vez e muita coisa mudou.

E já que escrevi sobre lesbianismo, mesma coisa, muitas mulheres não vão ao gineco, exatamente pela crença que gineco é para quem faz amor com um homem, como se o útero não existisse. Por outro lado, tem a ver com muitos profissionais da área não saberem lidar com lésbicas. Eu demorei a encontrar um gente boa e bem capacitado.

Um outro alerta que faço, não é sobre não poder transar com um desconhecido, mas sobre a mulher pensar melhor em ir para uma casa de um desconhecido para namorar (seja virgem ou não). Sério, eu me preocupo, uma vez que a gente nunca sabe o misógino que pode ter naquele carinha legal. Eu me refiro a estupros e assassinatos, gente. Nada mais. Penso que a sua leitora arriscou-se por isso. É bom alertar para as mulheres mais jovens que tendem a confiar mais nas pessoas. Por favor, Lola e demais leitoras, espero que entendam minha colocação: prevenção para nós, mulheres.

Anônimo disse...

Por alguma razão meus comentários não têm aparecido, mas mesmo assim vou expressar minha opinião.
T., acho importante cada um respeitar seu tempo. Estar bem consigo mesma.
Eu tive minha primeira relação tardiamente em referência aos padrões de hoje, foi com 18 anos. E de certa forma havia também uma pressão da sociedade para que eu "deixasse" minha virgindade precocemente. Mas isso não me atingia muito. Sim, eu queria que fosse com alguém especial, que tivesse algum sentimento e assim foi. Hoje não me arrependo mas vejo também que isso não faz muita diferença. Foi uma relação como qualquer outra, gostosa, tranquila e assim que tem que ser. É importante nos respeitarmos e respeitar a pessoa que está conosco. Espero que consiga se libertar disso. Acho que não é necessário você falar sobre isso com sua mãe, pelo fato de vocês não terem uma boa relação. Isso é subjetivo, é seu!
Por outro lado, sempre criamos grandes quimeras em nossa mente e a realidade não é tão cruel.

Felipe

Liana hc disse...

Mas Anôn das 11 e 42,

transar com pessoas de outro país também é uma experiência social valiosa. Na minha opinião conta como estudo. Ela voltou mais sábia e mais experiente, até onde eu sei esses são objetivos do intercâmbio, então a viagem dela foi um sucesso total.

-

Agora, para não dizer que não falei de espinhos...

também acho que é preciso uma atenção redobrada quando se trata de ir sozinha para a casa de um completo estranho, mesmo quando este parece ser gentil.

E a minha primeira vez também foi com alguém que não era especial nem nada na minha vida. Não senti dor, não sangrei na hora... Foi tranquilo.. Depois eu descobri que ele era um sujeitinho super babaca, então eu acho que transar e ir embora para outro país tem as suas vantagens... mantém o clima de mistério e magia no ar... :-)

Anônimo disse...

Puxa lola e autora do post isso ai me lembra em algumas coisas a minha primeira vez, mas a autora foi mais inteligente, eu ainda era muito ligada a convicções sociais,

Bom eu tinha chegado aos 22 anos virgem e claro, como qq pessoa dessa idade, curiosa e me sentindo meio "diferente". Claro que eu queria experimentar mas com que cara ia olhar pra cara dos meus pais no dia seguinte? Eu que era a boa menina obediente? E tb esperava a que a minha primeira vez fosse nao so perfeita mas principalmente com um cara que fosse o meu namorado, coisa que parecia longe de acontecer (o de ter namorado). Os caras nao se interessavam por mim e os que se interessavam eram muito machistas e eu nao queria (tipo de falar que mulher nao deve trabalhar fora, isso é coisa de homem)

Era o ano de 2000 e eu tb fiz um desses intercâmbios. Intercâmbio é legal porque vc esta longe de ter que se comportar como a sociedade espera de vc, nao conhece ninguém, etc, o meu intercâmbio era de um ano e eu conheci um rapaz. Uma semana ou duas depois de conhecer esse rapaz e ficar de rolinho com ele, perdi a minha virgindade. Mas foi uma bosta, o rapaz nao foi atencioso como esse alemão do post , tinha umas ideias bem machistas e preconceituosas em relacao as brasileiras. Mesmo nao gostando da atitude dele e dele, achei que tinha a OBRIGAÇÃO de namora-lo, afinal eu tinha perdido a virgindade com ele (!)

E namorei com ele todo aquele ano que estive no outro pais (!) so porque ele tinha tirado a minha virgindade(!)

Além do mais qd eu fui embora e conheci outro rapaz ainda fiquei com !dor de consciencia(!) porque mal a gente terminou fiquei aliviada e me senti culpada porque se supunha que eu tinha que ficar sempre apaixonada pelo cara que tirou a minha virgindade (!)

Eu agora sei que tudo isso é loucura mesmo que eu nao tinha que ter namorado aquele cara so porque foi o meu primeiro e que nao tem nada de errado ter me livrado da virgindade com alguém que nao era o meu namorado, afinal o importante é VC se sentir preparada. Se vc for esperar o grande amor da sua vida, um namorado pode que vc fique virgem ate mais de 30 anos e vai ficar se sentindo que alguma coisa ta errada com vc, como homem que fica virgem ate essa idade ou mais, sentem que tem alguma coisa errada com eles (tenho um amigo que tem 39 anos e é virgem. O cara tem a maior raiva das mulheres (!)

Bruxinha disse...

http://oglobo.globo.com/pais/noblat/posts/2013/07/22/aborto-silencio-rito-sumario-por-carlos-alberto-di-franco-504289.asp

Lola, vc viu isso?

Anônimo disse...

Ah, foi bom, nem precisa falar nada pra ninguém.

As pessoas são sem noção, julgam, na verdade, elas preferem a mentira.

Guarde sua experiência, seja feliz com seu rolinho, falar nisso só vai transformar algo trilegal em um dramalhão mexicano.

Bjs

Felix disse...

Mulher que faz sexo casual é só para pegar, não para ter relacionamento sério. Isso também é válido para os cafajestes, pois eles provavelmente irão trair a companheira. A não ser que mudem e casem com garotas novas, mas daí vão ser ciumentos e possessivos para sempre.

Então, garota que perdeu a virgindade em Berlim, não conte para seu parceiro, e nem para os próximos SÉRIOS. Respeito, confiança e senso de reciprocidade são qualidades raras numa relação. Se eu fosse o homem desse pseudo relacionamento e soubesse dessa história, como iria aceitar um novo intercâmbio seu ou uma saída sozinha para uma balada? Vc não gostaria de repetir isso algum dia?

Lola, como um rapaz aproveita a liberdade sexual atual? Acho descobri: fazendo sexo casual, sem se envolver emocionalmente e sentimentalmente com a garota. Nem que para isso tenhamos que ser "gentil" antes. Azar para ela se ela se apaixonar.

vivian disse...

guria, que estranho tu considerar contar para esse cara.

primeiro que vocês não tem nada.

segundo que ele nunca perguntou - e mesmo que perguntasse, você não precisa responder.

terceiro que com certeza ele já transou com várias, então na base da comparação você está aquém.

não entendo mesmo por que contar, se um dia ele perguntar se você é virgem limite-se a dizer que não é. se um dia, quando vocês namorarem e tiverem muita intimidade e você ver que ele não vai te julgar, você pode querer contar como foi sua primeira vez. mas absolutamente não é o caso de entrar nesse assunto agora.

é estranho essa sua apreensão em dar satisfação a um cara que nem perguntou. só não acho mais estranho pq sei que o machismo faz as mulheres se sentirem mal nessa sua situação.

mas fica tranquila =)

p.s. muito legal sua história, adorei *.*

Claudia disse...

Gente, eu morei nos EUA, Inglaterra e Alemanha e achei bem estranho essa coisa de ir pra casa um do outro sem se conhecer direito pra transar. Mas isto eh muito comum por la. No inicio eu ficava com pe atras, mas depois me acostumei. Na verdade eu preferia que eles fossem pra minha casa, achava mais seguro. Mas todos os meus amigos, principalmente na Alemanha faziam isto e achavam super normal. Ninguem teve problema com violencia ou qualquer outra coisa. Agora aqui no Brasil eu morro de medo de fazer isso.

Elen disse...

Li uma materia uma vez de uma garota .acho q era britanica,q tirou a própria virgindade e se me lembro bem foi com uma cenoura.
N vi nada demais,a virgindade era dela ela perde como quiser,mas os comentário foram bem machistas,tipo n falta homem,so homem pode dar prazer.

E n podia faltar um comentário como o do mascu babaca hipocrita q deve ser bastante "rodado" mas quer mulher virgem.

Tb n gosto de ficar falando com quem transei,com quem perdi virgindade,ninguem tem nada com isso,nem marido .nem namorado.

Anônimo disse...

Mas é um problema tão grande transar com um cara só na vida, ou com poucos? Eu não sei se vou transar com mais de uma pessoa, porque amo muito meu namorado, minha primeira vez aconteceu tarde, ele é mais velho, e enfim, não tenho vontade! Isso quer dizer que "exerço menos" minha sexualidade? Às vezes penso que rola um preconceito por aqui com quem não faz sexo casual ou coisa parecida. Não tenho tabus na hora de transar, faço o que me dá vontade, mas com um cara só. Não entendo por que isso é um problema!

Anônimo disse...

Que lindo, moça. Porém, melhor do que ter a primeira vez, é fazer sexo sempre como se fosse a primeira vez. Beijokas.

Anônimo disse...

OI, guria, tudo bem! Que bacana sua história! Eu me identifico muito com ela pois tive uma primeira vez parecida com a sua! Foi com 24 anos de idade... Sim, bastante tarde para os padrões, mas foi quando eu me senti pronta. A vida toda tive sonhos românticos de encontrar alguém especial pra ter a tão esperada primeira vez. Só que o tempo passou e nunca chegava esta pessoa tão especial. Com o passar do tempo, fui amadurecendo e dissociando esta ideia de sexo e romantismo. Um dia eu cansei e decidi que queria experimentar uma transa. Afinal, já era bem grandinha, né? E foi quando encontrei um ficante meu numa festa. Um cara muito bacana e decidi: vai ser hoje! Fomos pra casa dele e eu avisei que era minha primeira vez. Ele foi maravilhoso, como me parece que seu parceiro foi: delicado, gentil, preocupado. Me tratou bem do início ao fim. Nos despedimos e nunca mais tivemos contato. Mas foi tudo tão bem resolvido que pela primeira vez eu não fiquei me lamentando por não receber um telefonema e nem me sentindo rejeitada. Foi como tinha que ser. E este fato mudou completamente o rumo da minha vida sexual,fazendo que ela passasse de romântica e cheia de tabus para livre. Parabéns pra você por ter se dado a oportunidade de vivenciar isso. E vai n o ginecologista o quanto antes, menina! Beijos

Marcos disse...

Em meados do ano passado, minha filha adolescente começou com essa história de querer fazer intercâmbio, e naturalmente, pediu que eu pagasse a viagem e demais despesas. Disse que iria pensar. Pesquisei na internet sobre o que geralmente acontece nesses intercâmbios. Como não sou bobo, fui procurar em fóruns e blogs sobre o assunto, e relatos de experiências de quem já foi. No meu caso, como se tratava da minha filha, procurei predominantemente por experiências de outras garotas. Na internet pude perceber que o que acontece nesses locais não é só estudo ou trabalho. O texto dessa moça do post apenas confirma que minha decisão foi bastante acertada: NADA DE INTERCÂMBIO, não com o meu dinheiro!! Vou pagar pra mandar minha filha pra um abatedouro? Pagar com meu dinheiro pra algum gringo idiota traçar minha filha? Sem chance. Se isso vai acontecer mesmo, que seja por aqui mesmo, e de preferência que não saia do meu bolso.

Anônimo disse...

Não entendi?
A garota deu pro alemão por que quis.Não houve violência,foi tudo na boa.Por que essa neura?Que necessidade é essa de ouvir dos outros que não houve problema nisso?
Falta de opinião própria.
Se não tem coragem de contar nem pra própria mãe,é sinal de que não está tão certa de que foi bom.

Juliana disse...

Sou católica, namoro há seis anos e perdi minha virgindade aos três meses de relacionamento c/ esse meu namorado (em breve, marido pela lei, pois já nos consideramos casados...). Como já era de se esperar meu namorado já havia tido relações sexuais antes de se relacionar comigo.
Não, eu não acho que isso nos fará ir p/ o inferno!
Gostei muito de ler um depoimento assim em que uma mulher sabe e faz o que quer c/ seu corpo!
Lola, sempre busco uma resposta para a seguinte pergunta: Porque a importância da virgindade/hímen é tão disseminada para as meninas como algo que deva ser 'guardado' e para os meninos algo do qual eles tenham que se livrar rapidamente (já que não é nada...p/ eles)...???...

Anônimo disse...

Eu não ficaria "dando satisfações" sobre sua virgindade/não virgindade para o pseudo namorado nem para ninguém. O assunto é de foro íntimo e só diz respeito a vc. Te considero virgem ainda porque 1x/experiência é muito pouco!!!! Muitas águas vão rolar, vc vai ver. Tenho 41 anos e até hoje aprendo coisas novas. Cada casal rola de um jeito. Culpa é uma palavra que não cabe meeeesmo. Vc é jovem e tem mais é que curtir.

Anônimo disse...

Eu nunca contei minha primeira vez para ninguém. Acho dispensável. Falar de outros relacionamentos só da briga. É daqui pra frente minha gente e o que passou passou.

Hamanndah disse...

Nossa Marcos, sua filha nao e sua esposa para vc ficar morrendo de ciume. vc tem tesao nela? Parece
Agora falando serio. Sua filha nao e comida para ser tracada, ela e gente tem direito de colocar a cabecinha para fora do ninho. Ela nao e sua, nao lhe pertence. Ela pode perder a virgindade la ou embaixo das suas barbas. Deixa de decidir a vida dela , seu Uga Uga!

Vitória disse...

Sabe pq sexo casual incomoda? Pq tudo o que uma mulher faça que não seja esperando pelo príncipe encantado, e que seja em busca do próprio prazer, incomoda. E é isso que o sexo casual significa.

Os homens acham que ainda são essenciais em nossas vidas. Que é impossível uma mulher não querer casar, não querer ser "levada a sério" (adoro esse termo!) por um deles. Eles ainda acham que são troféus e que estamos brigando entre nós para sermos merecedoras do título de "namoradas" ou "esposas", como se não existisse nada melhor do que isso.

Ah queridos, não "levam a sério" mulher que faz/fez sexo casual? E quem disse que as mulheres levam vcs a sério?

Anônimo disse...

-Anônima 13:04

Eu também fiz só fiz sexo nessa vida com uma pessoa e não tenho interesse, pelo menos não agora, de fazer com outras. Também observo que às vezes acontece um certo olhar negativo por parte de quem defende uma sexualidade livre (embora livre devesse significar fazer oq quiser, mesmo que seja sexo com uma pessoa para sempre, ou com nenhuma), mas temos de ver que somos privilegiadas, pois estamos fazendo oq a sociedade patriarcal prega, mesmo que não o façamos por esse motivo, é normal que quem tem interesses diversos dos considerados tradicionais tenha um certo receio deles.
Tod@s temos que buscar abrir a mente e entender que fazer sexo com vári@s, com um/a ou nenhum é natural.

-Senhor pai que não pagará intercâmbio:

Se a sua filha vai fazer o que bem quiser da vida sexual dela lá ou aqui, a diferença é que lá ela também estará aprendendo com a cultura do outro país, portanto não entendi seu ponto...

Anônimo disse...

Essa Lola é uma iludida, está se enganando se pensa que os homens não se importam.
9 em cada 10 se importam, e muito, com o passado sexual da parceira.
Os que dizem não se importam só o fazem da boca para fora para não serem taxados de machistas e na esperança de conseguir uma foda com a garota.
Mas essa mentalidade de mulher para casar e mulher para se divertir continua pulsante como sempre.

lola aronovich disse...

Então nosso plano feminazi de acabar com a família tradicional e consequentemente com a civilização está indo de vento em popa, hein, mascu das 14:19? Celebrate! Mascu, acredite: se tem uma coisa que feministas apoiam os mascus em 100% é com a campanha de marriage strike (greve de casamento) de vcs. Não queremos que vcs se casem ou reproduzam. Então continuem exatamente assim: longe das mulheres.


Marcos, "se isso vai acontecer mesmo" refere-se a... sua filha fazer sexo?! Nossa! Desculpe falar isso assim com todas as letras, e sem trigger warning! Imagina só, sua filha transar! Que horror! Onde é que esse mundo vai parar?!

Anônimo disse...

Anônimo 14:19
Eu estou entre os supostos 9 que gosta de saber do passado da parceira, na verdade gosto de saber o que a minha esposa fez antes de casar comigo, as loucuras que ela já viveu me dão o maior tesão.

Portanto fale só por vc, não em nome de todos os homens e usando estatística que tirou debaixo do braço.

Anônimo disse...

Looser das 11:42
TENHO PLENA CERTEZA QUE NENHUMA DE NÓS "PEGARIA" UMA BABACA IGUAL A VC QUE ACHA QUE HOMEM PODE SAIR DO BRASIL (OU QUALQUER LUGAR) E FAZER FESTA E MULHER NÃO!
BRONCOSAUROS DEVEM VOLTAR PARA AS CAVERNAS AO INVÉS DE FICAR PALPITANDO SOBRE O CORPO ALHEIO!!

LILA

Luiza Original disse...

Repito a pergunta ali de cima:

Marcos, você tem tesão pela sua própria filha? Porque esse ciúme e agressividade todos?

Coitadinho, vai ser daqueles que nem imaginam que a filhinha não é virgem ou vai deixar de ser logo, logo. No Brasil, em outro país, em qualquer lugar.

Luiza Original disse...

Super comum na Alemanha! E ninguém deixa de casar por causa disso. Pelo contrário, as famílias são super saudáveis. Adoro.

Julia disse...

Marcos, o pai do ano, quer dizer que vc não vai pagar (esperava que ela pagasse, é?) um intercâmbio para a sua filha praticar outro idioma, conhecer outra cultura, aprender a se virar sozinha, amadurecer, enfim, porque ele pode transar com alguém na gringolândia?

Tenho pena da sua filha por ter uma BOSTA de pai machista como você.

Abatedouro? Tua filha é uma vaca, imbecil?

Lucas disse...

"Parabéns pela sua primeira vez, T. E é muito chique ter a primeira vez num outro país!"
adorei haha

Vivian disse...

"Essa Lola é uma iludida, está se enganando se pensa que os homens não se importam.
9 em cada 10 se importam, e muito, com o passado sexual da parceira."


E quem disse que nós nos importamos que vcs se importam? Acorda pra vida, rapaz!

Anônimo disse...

A Vitória deu um banho em todos os machistas/conservadores/hipócritas e o caralho a quatro que seja. Eu acho tão engraçado como AINDA EXISTAM homens que pensam assim, hahahahahahaha. É para morrer de rir mesmo.

Anônimo disse...

Por favor, não me interpretem mal.
Eu NÃO SOU masculinista, eu sou machista mesmo.
Não me confundam com esse bando de bundinhas que são os masculinistas.

Anônimo disse...

@ Vivian:

Não importa o que a minoria pensa.
Podem espernear o quanto quiserem, mas a maioria das mulheres, assim como a maioria dos homens, ainda vive em torno e pensa no casamento como um projeto de vida.

CarolE disse...

Eu também só tive um parceiro até hoje: meu atual marido.

E não, não casei virgem! Mas começamos a namorar cedo (18 aninhos!). Não rolou ainda por um tempo, porque eu admito que era muito cismada com gravidez. Só quando eu vi que se engravidasse, poderia sustentar a criança (23 anos! e 5 de namoro!).

Não me sinto menos liberada sexualmente por isso. Fiz o que quis, com quem quis, quando quis. E ainda faço. Não tenho vontade de fazer com outro, pelo menos por enquanto. Se isso mudar mais pra frente, rediscutimos nosso relacionamento e vemos como fazer. Ele, que eu saiba, teve pelo menos uma parceira antes de mim. Não perguntei detalhes porque... não me interessa!

Por que eu tenho que saber com quem, quando e onde foi a primeira vez dele? Me interessam, apenas, as vezes dele comigo. E vice-versa.

Anônimo disse...

Anônima das 14:04:
Fui eu a Anônima que falou de transar só com um cara.
Não me considero privilegiada nem nada, considero só que pra mim é assim. Mas sinto de verdade um preconceito, como se para ser livre, feliz, realizada sexualmente, FEMINISTA, eu tivesse que transar com vários caras. Sinto até da Lola essa imposição. Tipo "você perdeu a virgindade, agora pode transar com vários caras", como se isso fosse um pré-requisito. É só ver o que a Mariana falou também, que ela era feminista "mas só tinha transado com um cara" e que "agora está exercendo sua sexualidade". Eu só transei com um homem e exerço minha sexualidade SIM e não sou menos feminista por isso!! Mas é o que fica de muitos posts daqui da Lola e de muitos comentários que leio por aqui.

aiaiai disse...

T, parabéns! teve uma primeira vez ótima pelo jeito. A minha primeira vez foi com um cara que eu conhecia já há algum tempo, mas não tinha nada com ele. Então, foi legal porque não ficou aquela ideia de que a gente tinha que começar a namorar e casar, sabe? na época ainda se falava isso...
para vc, melhor ainda. O cara nem sabe q foi a sua primeira vez e nem precisa saber.
qt às outras pessoas, ignore. o importante mesmo é que vc fez quando quis, com quem quis e ainda usando camisinha. ADOREI!
vá em frente assim, transe sempre que quiser, com quem quiser. você é dona do seu corpo e da sua sexualidade!!! (a gente nem devia ter que falar isso, né?)

aiaiai disse...

Vitória,

mandou muito bem:

"Sabe pq sexo casual incomoda? Pq tudo o que uma mulher faça que não seja esperando pelo príncipe encantado, e que seja em busca do próprio prazer, incomoda. E é isso que o sexo casual significa. "

perfeito!

aiaiai disse...

Marcos,

de boa, chamar tua filha de animal que vai p abatedouro foi um pouco demais, né não?

torcendo aqui p essa menina não te ouvir nunca e dar para todo mundo que ela quiser, muitas vezes e gostoso!!!

lola aronovich disse...

Querida anônima das 15:43, eu não te discrimino de maneira nenhuma por só transar com um cara, ou por ser virgem (aliás, leia o post em que respondo à leitora que é virgem aos 22 anos, e veja se há algum tipo de condenação, por mim ou pelas leitorxs). Embora eu já tenha feito sexo com muitos caras quando eu era jovem e solteira, faz quase 23 anos que sou monogâmica. E não me considero menos (nem mais) feminista que ninguém por causa disso. O feminismo é justamente lutar contra as imposições. Se vc se sente bem tendo apenas um parceiro durante toda a vida ("como os católicos e os pombos", como diz o Woody Allen, brincando), ótimo pra vc. Ninguém aqui quer te forçar a ter um montão de parceiros, ok? Vc não precisa provar nada pra ninguém! O que eu não me canso de repetir é que não é o número de parceirxs sexuais (de zero a cem mil) que determina o caráter de uma mulher... ou de um homem!

Anônimo disse...

Marcos babaca ,já pensou na possibilidade da sua filha n ser mais virgem? Kkkkkkkkk

Anônimo disse...

Pq mulher acha q tem q contar pra alguém quando transa?

Anônimo disse...

Flinstone das 14:19 - 1º só pq vc é um machista babaca nao quer dizer que 90% dos homens do planeta também o sejam.
E se por um problema (de fabricação em massa) 9 de 10 homens eu me relacionaria com esses "uns" que não me julgam quanto à quanto e com quem me relacionei anteriormente.
Ao Super pai Marcos, é bem típico de trogloditas metidos a machoes, que se vangloriavam na juventude (talvez até hj) de chamar suas casas de "abatedores" e que "comia todas" e falava que "melher é td vadia" e foi """agraciado""" com uma filha mulher e agora quer impor à todo modo a castidade à ela. Grandississimo doente, tenho dó desta garota por ter um neandertal como pai.
E as moças que estão se sentindo oprimidas pq só fizeram sexo c/ uma pessoa, parem com isso; o que queremos é a mesma liberdade sexual de homens e mulheres, vc quis fazer sexo só com um ótimo! Agora não me julgue por querer mais de 1 parceirx.
É a mesma estória que o aborto, nao queremos que todas abortem, mas sim o direito de abortar pra quem queira...
Daqui a pouco vai vir um/uma carola da legião moral e bons costumes dizendo que estamos desvirtuando as mulheres aff...

Anônimo disse...

Oi T.!

Quando acabei ler o seu guest post pensei: Pre-ci-so responder! Sua história é parecidissima com a minha, quase igual.

Tenho 20 anos. Ano passado passei 6 meses nos EUA (tinha 19 anos tambem), e durante uma viagem a NY conheci um rapaz alguns anos mais velho que eu, e sabe quando rola AQUELA quimica? Trocamos contato e uma semana depois voltei a NY (nao morava na cidade), fui pro apê dele e transamos. Foi minha primeira vez e foi uma delicia! Me senti muito segura, ele foi muito amavél e a leve dor que eu senti foi praticamente insignificante. Nos vimos mais algumas veses e voltei pro Brasil, nao o vi mais.

Se pudesse voltar atrás faria tudo exatamente da mesma forma. Mas eu sei como é isso de ter medo que as pessoas te julguem. Contei pra pouquissimxs amigxs que tem a mente aberta (importante ter amigxs assim). Pra minha familia nao contei, eles sao religiosos. É uma pena nao poder pedir conselhos a propria mae sobre sexualidade, mas nao deixe de procurar umx medicx.

Compartilhei minha historia pra voce saber que nao é a unica que tem a primeira vez com um desconhecido e nao se arrepende disso. Temos que acabar com esse tabu de virgindade e primeira vez. Estar segura e com desejo é o suficiente (pegar homens nao machistas é bom tambem).

J.

Roxy Carmichael disse...

autora do guest post arrasou! gosto dos gringos.

eu tô achando que marcos não é pai. tem mais alguém aqui achando isso?

anônimo das 15h30
"Não importa o que a minoria pensa.
Podem espernear o quanto quiserem, mas a maioria das mulheres, assim como a maioria dos homens, ainda vive em torno e pensa no casamento como um projeto de vida."

não entendi! importa ou não importa o que a maioria pensa????

"9 em cada 10 se importam, e muito, com o passado sexual da parceira." = desespero escrito em letras garrafais e piscando em neon vermelho. consegue nem disfarçar, hein amigo? pobrezinho, fica se agarrando no último fiapinho falido de machismo... chame chapolim colorado porque meu jovem eu tenho uma péssima notícia pra vc: tem mais isso não, filho. ou melhor, até tem. mas assim, se há justiça divina nesse mundo ela se expressa da seguinte forma: homens medíocres que se importam com isso conseguirão mulheres medíocres que se importam com o que homens medíocres se importam...logo, um homem desse jamais conseguirá uma mulher segura, gata, gênia, divertida e bafuda. essa mulher segura, bafuda, gata, esse mulherão, jamais vai aceitar menos que um homem completamente feminista - e por isso mesmo seguro, inteligente, interessante, fodão. então assim, tá tudo resolvido! meus pêsames pra você, macho medíocre que tenta se agarrar a um machismo em estágio terminal...beijo na sua alma condenada!

Mariana. disse...

anônima das 15:43, tudo bem?

Acho que me expressei mal, me desculpe. Eu entendo totalmente você se incomodar com o meu comentário, porque até dois meses atrás eu também só tinha ficado com um cara, meu namorado, com quem fiquei por seis anos. E quando eu falava que ele tinha sido o único, as pessoas também me julgavam, falavam que eu tinha pouca experiência, que se eu me casasse com ele só teria visto isso, etc.

Quando eu o amava, isso pra mim me bastava. Eu não tinha curiosidades e nem lamentava isso. E nosso sexo foi melhorando com o tempo, eu me sentia livre, fui perdendo as neuras. Era bem legal, na vdd.

Na vdd, quem sou eu pra me achar a experiente? Afinal, DOIS caras não são muito mais do que um né? hahahahaah

Bom, me desculpe pelo modo como falei. Não me acho mais feminista que você por isso. Nem que ninguém. O que quis dizer realmente é que talvez, se eu não fosse feminista, eu teria forçado continuar em um relacionamento que já estava ruim só pq ele foi o meu primeiro, que nem a leitora que se sentiu obrigada a namorar um babaca só pq "perdeu" a virgindade com ele.

:)

Gabriela V. disse...

Eu também perdi minha virgindade com 19 anos e com um ''desconhecido''. Foi com um carinha que conheci na internet, no primeiro encontro fomos ao cinema e no segundo já partimos logo pro motel, diferente da leitora, eu disse a ele que era virgem e ele ficou meio desconfiado, haha. Antes de fazer eu estava muiiiito apreensiva, porque eu sonhava com um conto de fadas mesmo, perder com o namorado, com rosas e tudo o mais, mas com o tempo vi como era a realidade e mudei de ideia, bom, passava muitas coisas pela minha cabeça, que ele poderia me bater, querer me obrigar a praticar qualquer ato sexual que eu não gosto, sei lá, que ele poderia me machucar, mas fui e arrisquei e foi a MELHOR coisa do mundo, ele foi MUITO carinhoso, colocou o tipo de música que eu gosto, deixou as luzes meio apagadas, perguntou se eu tinha alguma preferencia de posição, me deixou bem a vontade, foi mó delícia, heuaheuaheua, não sangrou, não doeu, quase gozei ;D, não me arrependo. Antes disso, eu havia tentado fazer com meu ex namorado aos 17 anos, e foi uma tentativa ridícula, o cara não entendia de nada, colocou o penis pra fora, pos camisinha e queria meter, assim sem nada, sem me acariciar, sem me beijar, sem tocar meu clitoris e num colchão no chão da sala, os pais dele passando vez ou outra por ali e eu pedindo o tempo todo pra gente ir pro quarto pra ficar mais a vontade e ele nada, conclusão: minha vagina se contraiu de tal maneira que o penis não entrou heuahuehauehaueh. Meninas, as vezes transar com estranhos compensa mais, é só tomar alguns cuidados né, ter sempre uma camisinha na bolsa, se tiver carro leve VC MESMA ele pro motel ou leve pra sua casa se puder, acho mais arriscado entrar num carro de um desconhecido ou ir pra casa do desconhecido, mas tbm nao devemos deixar de viver por causa de medo, enfim... tenham experiencias!

Gabriela V. disse...

Ah, um conselho pra leitora aí que minha mãe já me deu também, NÃO conte nada para o rapaz, não tem por que fazer isso, você não deve satisfações a ele e mesmo que estivesse namorando, isso só caberia a você contar. Como minha mãe sempre diz: conte apenas o necessário para um homem. Pode ter certeza q ele já transou com várias por aí, os homens são assim, não ficam mais de 2/3 meses sem beijar/transar

Anônimo disse...

Que besteira a sua. Sua filha já é sustentada por você, qual a diferença se ela transar ou não? Aliás, não a conheço e nem você, mas esse seu pensamento me dá até um medo de quando você descobrir que sua filha pode ter vida sexualmente ativa. Intercâmbio deve ser algo maravilhoso por todas as experiências de vida. Pelo aprendizado e etc. Espero poder oferecer esta oportunidade aos meus filhos, se um dia os tiver.
Evelyn.

Sara disse...

Assino em baixo tudinho q a Lola falou, até a parte de ser chic perder a virgindade fora do pais kkkkk, vc fez tudo certinho, como até eu gostaria de ter feito, se fosse jovem como vc hje.
Tb penso q caras que exigem esse tipo de coisa tem que ser descartado como lixo de primeira, sempre falei isso pra minhas filhas, alias até nisso concordo com a Lola, é um bom jeito de selecionar um cara pra se relacionar, espero que vc continue usufruindo da sua sexualidade com muita saúde e prazer, e derivando dela muita felicidade, pq pra mim é pra isso que sexo serve...

Anônimo disse...

Eu achei a história ótima!
Sem neuras nada.
Só acho que autora não precisa dar justificativa (tirando o rolinho) nem contar pra ninguém oras! É sobre sua vida, sua escolha, vc já é adulta!

Sério que virgindade ainda tem simbolismo galera?
Com estou longe da adolescência não sei. Se tem, vamos nós tirar este simbolismo machista. Não dar satisfação pra ninguém com quem fazemos sexo, isso só diz respeito a pessoa.

Bizzys disse...

Minha história é um pouco parecida com a da autora do post, apesar de ter sido aqui no Brasil mesmo. XD

Eu perdia a virgindade esse ano (com 22 anos), com um cara bem mais velho que eu (35) e que eu não conhecia muito bem. Na verdade, eu fazia uma matéria na faculdade na mesma sala que ele. Na segunda vez que saímos juntos, já transamos. Eu disse pra ele que eu era virgem e ele me tratou muito bem, e apesar de ter doído bastante e saído sangue - eu estava nervosa, confesso - considero que a minha primeira vez foi muito boa. Eu fiz porque estava com vontade, com alguém que eu escolhi. Depois dos 20 anos, eu sabia que não esperaria estar apaixonada/namorando para transar, só queria achar alguém interessante, e foi isso.

Esse cara e eu ainda mantemos contato e saímos às vezes, mas não namoramos nem nada, e eu estou bem com isso. É legal ver que mais pessoas aqui passaram por experiências parecidas e com resultados positivos. :P

Vivian disse...

"Não importa o que a minoria pensa.
Podem espernear o quanto quiserem, mas a maioria das mulheres, assim como a maioria dos homens, ainda vive em torno e pensa no casamento como um projeto de vida."

É por isso que a maioria das mulheres mente sobre o número de parceiros. Ou pensa que vão deixar de fazer sexo esperando por vc, ó príncipe encantado?

Feminismo Sem Demagogia disse...

"feministas apoiam os mascus em 100% é com a campanha de marriage strike (greve de casamento) de vcs. Não queremos que vcs se casem ou reproduzam. Então continuem exatamente assim: longe das mulheres."

Muito amor pela Lola <3

Anônimo disse...

Qual a utilidade de namorar tanto tempo sem transar? Ter mais uma pessoa pra ter que dar satisfação da vida?

Anônimo disse...

Parabéns T.,vc não sabe o poder que vc deu ao gringo.
Imagina a moral dele agora que pode se gabar de ter comido uma brasileira,e comeu uma brasileira virgem.os amigos devem estar roxos de inveja.Com a fama que as mulheres do nosso país tem lá fora.Seu hímem virou um troféu.O cara virou um herói.
cada babaquice que leio aqui.

André disse...

kkkk.. é sério gente, nao pretendo dar minha opinião, pois sei que não seria bem vinda. Mas a conclusão que eu tiro é que REALMENTE o casamento, relacionamento sério, acabou! Não existe mais. Casamento é uma instituição completamente fadada ao fracasso nos dias de hoje. Falo isso pois sou homem e me enquadro entre os 9 em cada 10 que se importam com o passado sexual da mulher. E me desculpem, mas não tem como casar mais hoje em dia. Esse blog só confirma o que eu penso mesmo. Hoje em dia não dá mais pra ter relacionamento sério. Gosto de mulheres, gosto de sexo, de namorar, etc, até sou um cara bacana, de boa aparência, mas me recuso completamente a casar, por absoluta impossibilidade de acreditar que valha a pena casar com essa mulherada com a mentalidade de hoje em dia. Sério, não falo isso lamentando, ou com tristeza... é apenas uma constatação mesmo. Isso é um fato do mundo, é a realidade, e infelizmente náo há nada que possa ser feito.

Ana disse...

Só um pequeno comentário: meninas, que tal abolir a expressão "perder a virgindade"??? Acho tão horrivel, mas tão horrível! Não "perdemos" nada, nem "deixamos", só ganhamos! Que tal dizer apenas "a primeira vez que transei? Assim como fazem os garotos?

Caio disse...

Também faço parte dos homens que se importam com o passado sexual. Namoro há 6 anos, mas nunca quis saber o passado sexual da minha namorada. Já até falei com ela que prefiro não saber, prefiro que ela não mencione nada sobre isso, pois tenho certeza que isso poderia ser problemático. No entanto, tenho sim curiosidade em saber. É aquele negócio.. por um lado eu gostaria de saber, mas por outro lado não acho que conseguiria aceitar, dependendo do que ela me falar. Sei que ela não era virgem, mas não sei quantos foram. Se foi 1 ou 2, até que dá pra aceitar... mas se passar disso, aí já complica né. Podem me criticar, mas acho que cada um pode ter suas preferências, então vcs não podem me julgar.

paula disse...

legal,tá certa,se estava com vontade qual o problema?
vi duas mulheres aqui dizendo q n sangraram na primeira vez e eu tb n,mas ainda existe homem ignorante q n sabe q isso pode acontecer.
transei com um ficante,n sangrei e ele ficou de mimimi dizendo q eu tinha enganado ele,q n era virgem porra nenhuma pq n saiu sangue...
liguei o foda-se e nunca mais vi o imbecil.

ignorante demais,homens mascus,machistas retardados,aprendam de uma vez,nem todas sangram e nem todas sentem dor.

Thomas disse...

Realmente, não entendo o motivo dos homens sequer quererem saber do passado sexual de uma mulher. Toda vez que um cara pensar em encanar por causa disso, ele deveria se questionar o seguinte: "Melhor bater punheta ou transar de verdade?". Dependendo da resposta, é mais sábio não incomodar a mulher com esse tipo de questionamento.

Esse lance de cara que gosta de mulher virgem ou que teve poucas experiências sexuais é uma das atitudes mais contraditórias masculinas. Inclusive, aí eu sou obrigado, infelizmente, a concordar com a Lola, é um machismo do caralho. Porque todo homem que já foi pro mundo sabe que mulher boa, é mulher rodada. Isso a menos que você seja um cara simplório, sem um grande apego pelas artes sexuais, que prefere um papai e mamãe burocrático e rápido.

A mulher pra casar tem que ser rodada. Por que alguém gostaria de casar com uma pessoa que mal sabe fazer um boquete sem rasgar seu pênis com os dentes? Não, meu amigo. Quero casar com uma mulher que goste de sexo e saiba o que está fazendo. Vida sexual feliz e satisfatória é meio caminho andado pra um bom relacionamento.

Agora, para a moça do post. Pra quem não tinha ninguém pra contar a "deixada" de virgindade por medo de ser julgada, agora você tem algumas dezenas de milhares de leitores. Parabéns.

MonaLisa disse...

'Anônimo disse...
kkk.. típico. Mulherada vai pra esses intercâmbios, chega no exterior e libera geral. Por isso jamais namoraria ou casaria com uma mulher que teve essas "experiências" no exterior. '

Isso mesmo. Continue pensando assim.

Eu também 'deixei' a minha com um cara que conheci na net na primeira vez que conheci ele, só uns 15 minutos de conversa, foi só sexo mesmo. Várias amigas minhas foram com ficantes, sem contar que eram virgens.

Alguns homens, como vc quem sabe, nunca vão poder experimentar a sensação de deixar uma mulher a vontade pra ela transar.

Anônimo disse...

Tomara que ela dê é muito com o seu dinheiro só pra ofender seu conservadorismo! Aliás, ela pode muito bem ter feito isso há muito tempo e vc não vai saber, afinal não é da sua conta. Ser pai não dá o direito de mandar na genitália dos filhos não, tá?

Anônimo disse...

Parabéns, T., pela coragem e maturidade. Lembra minha esposa quando começamos a namorar, com idade parecida com a sua. Eu era virgem e ela não. Não se preocupe com estigmas de suas experiências sexuais, seja uma mulher livre e namore bastante. Faça mais intercâmbios e mais sexo, com conhecidos ou desconhecidos.

Concordo com a Lola: namorar alguém que ligue para essas coisas é fria. É um bom critério para se livrar de mal relacionamentos. Ignore os comentários machistas e seja feliz. Bjos

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Não acho que tem porquê ficar contando do passado pra atual. Acho que essa cobrança que muitas mulheres se fazem é resquício do machismo, aí colocam na cabeça da mulher que se ela não conta tudo, em detalhes, está escondendo algo, não está sendo sincera.
Homem quando começa relacionamento com a gente não se sente nessa obrigação de revelar tudo o que já fez, muito menos em detalhes.
Sem falar que esses assuntos, por machismo, por romantismo, por ciúme, seja pelo que for, muitas vezes acabam é em confusão.
Não quero saber com quantas mulheres meu namorado já foi pra cama, com quem foi bom, com quem foi ruim, com quem foi a primeira, com quem foi a última vez, se teve sentimento, se não teve. Não vejo nada de útil nisso.

Nina disse...

Perdi minha virgindade com o meu marido. Estou casada aos vinte e um anos de idade.
Posso parecer antiquada, mas uma das melhores coisas do meu casamento foi ter conhecido o feminismo.
Eu não sou adepta ao "eu escolhi esperara", meu relacionamento foi plantado em meu caminho por obra do acaso. Acho que minha virgindade se deu com a pessoa certa.
A. T.: felicidades para você e sua nova descoberta. Espero que consiga solucionar teu rolo com o "pseudo". O importante é ser feliz.
Abraços.

Anônimo disse...

Sempre comento com meu nome, mas dessa vez, vou comentar como anônimo.

Perdi minha virgindade sonhando com aquela pessoa especial, e perdi com a pessoa errada, com meu primeiro namorado, que foi um grosso, no sentido de , após a penetração, ele te dito algo como " agora deixa eu terminar o que tenho pra fazer"
Assim,xoxo, sem graça, a ponto de eu ter estranhado porque achei que sexo nao era tudo aquilo que falavam.
Transei poucas vezes com esse namorado, e logo depois terminei.
So encontrei prazer em sexo uns seis meses depois,quando comecei a namorar outro, que nao foi perfeito nisso. Mas pelo menos esse começou a me mostrar um pouquinho o que era prazer( um pouquinho, prazer de verdade mesmo de perder o rumo e ver estrelas e passar mal so com uma pessoa que conheci em 2007) , o resto nao fez nem cócegas,
Lola, publiquei com anônima,mas se por acaso meu nome aparecer por algum erro do blogger,deleta esse comentario!!! Risos

Anônimo disse...

O pai do ano lá que negou o intercâmbio pra filha por acaso acha que ela não ta dando pra quem quiser por aqui mesmo?
Se ela não dá por aqui, não vai dar em outro país. Não é regra.
Eu quero morar em outro país pra aprender um novo idioma, estudar, trabalhar, conhecer outra cultura e exercer a minha sexualidade é só mais uma parte. Vou dar o mesmo tanto que eu daria se ficasse na minha cidade.

Esses mascus acham que a gente ta preocupada com os "9 em cada 10" homens que se importam com o passado sexual da parceira? A gente não quer esses 9. A gente quer o 1. Mascus e machistas nos fazem um favor não nos querendo por sermos sexualmente livres!

Cereja disse...

Que invejinha da sua primeira vez!

A minha foi com um ficante, one night stand, foi a única vez que ficamos (eu já conhecia ele fazia tempo, mas nao éramos amigos nem nada). Eu também não contei que era a minha primeira vez e ele me tratou bem na hora, só depois parou de olhar na minha cara, o que eu achei super babaca, mas não me afetou, pois eu nem queria ficar com ele de novo.
Mas eu já tinha decidido dar de uma vez já fazia tempo, já me sentia pronta, mas também não queria ficar esperando arrumar um namorado. Até porque às vezes namorado se mostra um babacão machista.
Eu tinha decidido perder a virgindade com um cara de fora, que eu sabia que eu nunca mais ia ver, mas acabou não dando certo.
Teria sido melhor do que o babaca lá que de certo não olhou mais na minha cara pra eu "não pensar que eu tinha chance de namorar com ele".

Ah, sinto falta da minha adolescência.

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Engraçado. Lendo uns comentários fiquei pensando em como muitos homens vêem o sexo como algo que faz mal pra mulheres, como se fosse uma espécie de punição, não uma coisa boa.
Um se dizendo pai e falando que a filha está indo pro abatedouro, outro falando que vai começar a fazer sexo casual como se isso fosse uma espécie de castigo pras mulheres.
Não é à toa que tem tanta mulher por aí que nunca gozou uma vez na vida, é tanta homem machista querendo transformar sexo em uma coisa pesada, ruim, pecaminosa, que só é boa mesmo pra homens, pra mulheres só se for uma forma de agradar um homem ou de expressar seu amor. Credo.

MonaLisa disse...

"Mas essa mentalidade de mulher para casar e mulher para se divertir continua pulsante como sempre."

Grande vantagem pra mulher hoje é casar né? Veja a tal Samantha que foi trocada pela Bruna Surfistinha, não que a Bruna seja menos mulher que isso.

Acorda pra vida. As mulheres já se tocaram que virgindade ou pouca 'quilometragem' não é garantia de nada. Afinal, os puteiros sobrevivem até hoje e são criados pra homens CASADOS que não precisam ser discretos pra chifruda não se sentir tão humilhada. rsrsrs

Leandro disse...

Ela foi com o dinheiro dos pais pra intercâmbio e foi fornicar? Deveria ir trabalhar para ter seu dinheiro. 19 anos, dependendo dos pais e sem nenhuma experiência de trabalho ou qualilicação para emprego? Tá na hora dessa moça se focar mais no seu desenvolvimento, senão vai ser só mais uma que vai precisar de um provedor.

Quanto ao guest post, é a velha estória do desafio, emoções, testar o seu poder de sedução. Mulheres sentem avidez por homens desconhecidos e estranhos. Os conhecidos e "amigos", são desinteressantes e não trazem emoções. Isso está bem claro nesse post.

Só dou um conselho: não dê falsas ilusões a esse coitado. Se vc quisesse algo com ele, já teria perdido a virgindde com ele, entao não dê falss ilusões... De agora em diante, esqueça namoro, relacionamento e vá se focar na carreira...

Huan Icaro Piran disse...

T. bacana seu relato, fico feliz que sua primeira vez tenha sito tão bacana, normalmente primeiras vezes são uma droga porque conta das pessoas que escolhemos e das ilusões que nutrimos. Se você esta bem com sua sexualidade, tudo esta bem, é o que sempre digo quando abordo o assunto. Particularmente pelos meus traumas nunca estou bem com minha sexualidade e sei bem o quão chato é não estar de boa com isso.

Se seu atual problema é administrar a situação com a pessoa aqui no brasil que quer seguir em relacionamento, bem, ai vem uma série de questões.

Ele sabe que você era virgem? Vocês conversavam sobre isso? Alguma coisa foi combinada entre as partes sobre sexualidade e relacionamento?

Se for um sim sequencial, bem, ai recomendo uma conversa, pois tudo que fazemos alem do combinado em um relacionamento é uma traição. Caso seja um não, então não faz diferença nenhuma, você é livre de qualquer comprometimento.

Alem de que, se ele não gostar do fato de você ter optado por ter uma primeira vez como teve, temo que por mais chato que seja, o melhor é não ficar com ele. Afinal se ele ainda não conseguiu amadurecer enquanto pessoa para compreender que quem decide sobre sua sexualidade é você, então não vale a pena.

De qualquer forma espero que dê tudo certo para você de uma forma ou de outra :D

Huan Icaro Piran disse...

Alias, não vejo o que estes homens machistas vem graça em virgindade. O negócio é alcançar algum grau de santidade ou fazer sexo?

Vamos lá rapazes, tudo isso é insegurança? Eu sei bem que para nós homens a preocupação de que não estejamos sendo sexualmente satisfatórios é algo largamente imposto pela cultura patriarcal e a necessidade de auto afirmação constante é alimentado por isso, mas acho que passar menos tempo na internet falando besteira puritana e mais tempo tentando aprender sobre a pessoa que divide a cama com a gente tem mais efeito para estes fins sabe...

Anônimo disse...

O pai da menina que queria fazer intercâmbio por acaso pensa que ela não ta dando porque quer?

Tenho um nojo desses caras que dizem que os outros comem, traçam, pegam as mulheres, como se nós fossemos todas passivas, como se o sexo fosse algo que fizessem contra a gente, como se a gente não tivesse ali curtindo também, como se isso não fosse bom pra gente, como se não buscássemos sozinhas esse tipo de experiência.

Sinto muito pela filha desse cara por ter um pai tão machista e escroto.

Hamanndah disse...

Ela escolheu fornicar, Leandro. Quanto ao rapaz,ela so o viu 3 vezes(leia o texto todo) e nunca foram namorados. Se nunca namoraram, nao houve traicao, Ze Ruela! Quanto ela ter "fornicado"( transado sem amor), discordo: ela transou com amor, sim, amor a si mesma. Quer controlar a b* dela? Sorry, mas isto nao e possivel. Nao somos uma republica mulcumana. Por que nao se muda, vc e todos os seus amiguinhos machistas, para uma? Seria otimo, inclusive para nos.

Anônimo disse...

Leandro,
ela se sentiu livre para experimentar sexo em outro país porque aqui não é possível, como você e seus amigos mascus deixaram bem claro. Em outros países não tem ninguém julgando, se achando, pensando que ganhou troféu, igual vocês pensam. Os "amigos" que ela "despreza (na sua imaginação)com certeza teriam contado a todos, ela ganharia o apelido de vadia e assim vai...
Agora, você que é defensor de que as pessoas trabalhem e conquistem suas coisas, os pais dela têm dinheiro e investem na educação dela. Na universidade, as pessoas chegam aos 22 anos sem ganhar dinheiro próprio porque os pais deles têm condições de pagar para que seus filhos estudem, tenham boa educação, falem diversas línguas. Isso garante a ela não depender de ninguém quando estiver formada. Quem não tem condições tem que ralar. E não ficar ressentido igual a você, se mordendo de inveja.

Nati disse...

Ai que linda a Lola dizer que é muito chique transar a primeira vez em outro país..., rsss,

Chique mesmo menina, relaxa, sua primeira vez foi ótima, chique, internacional, responsável, tudo de bom! Vc não precisa se preocupar com nada, muito menos com o que vão pensar de vc por não ter sido com um "príncipe encantado", que aliás, nem existe.

Esse cara foi perfeito pelo jeito, preocupado se vc estava bem e confortável, como qualquer homem deveria ser, ele foi atento e correto neste momento.

Menina, relaxa! Está tudo ótimo, e concordo com a Lola, se vc tem certeza que esse cara que vc se relaciona no Brasil vai se importar tanto assim com isso, esquece esse cara, porque tem homens maravilhosos por aí que não vão se importar e nem fazer o menor caso se vc é ou não virgem, se transou com um, dois, 10, 100 ou com ninguém antes dele.

Relaxe mesmo e procure um homem não machista, que eles são tudo de bom e não são assim tão raros, como os trogloditas adoram alardear, no melhor estilo: "É melhor vcs nos amarem, porque nós dominamos o mundo todo!"

Eles dominam muito mesmo, ainda, infelizmente, mas sem dúvida nenhuma nós podemos ajudar a diminuir o poder desses cretinos, por ex, vc agora pode escolher um cara bacana para ficar ao seu lado, ao invés de um babaca de plantão, preocupado com o que vc viveu na Alemanha,ora essa!

Fica tranquila, porque sua primeira vez foi ótima e chiquérrima mesmo! Beijos em vc menina!



Camylle disse...

Eu não comento muito aqui no teu Blog Lola, pois acho que as pessoas que comentam já fazem o suficiente com as palavras rsrs, mas posso acrescentar algo hoje: com relação ao que você disse, sobre o tabu estar acabando em relação a virgindade, pode até estar acontecendo mesmo, porém MUITO DEVAGAR, digo isso pq quando contei para minha mãe que havia perdido a virgindade ela quase pirou. Até hoje me culpa, joga na minha cara que deveria ter esperado. Devia ter ficado calada, sofro muito com isso, tenho que sair escondida com o bofe... Tá foda! Quando isso vai acabar, ein?!

Anônima da saia disse...

Camylle é engraçado sabe, eu estou com 34 anos. Perdi minha virgindade com o meu primeiro namorado que me tratava mal mas so por isso os meus pais tiveram um choque qd terminamos (se supunha que eu tinha que me casar com ele, ue, afinal tinha transado com ele.........)

Aos meus 27 anos tive o meu segundo namorado. Lógico que transei com ele..... E qd minha mãe soube (comentei naturalmente nao me lembro por que) ela quase teve outro treco porque outra vez eu tinha "dado" prum cara que tinha me "desvalorizado ainda mais outra vez".... Ou seja vc é virgem custa 1,5 milhões (pegando a cifra que conseguiu ate agora a tal da Catarina que leiloou a virgindade) vc transou com uma pessoa, e foi serio tipo primeiro namorado, vc custa 100.000.... Vc transou segunda vez com segundo namorado, vc custa 20.000 vc transou com um amigo ou desconhecido, seu valor custa 1 real negativo,,,, rsrsrsrs..... Ridiculo

Passava por aqui... disse...

Leandro INVEJOSOOOOO
eu tb fiz intercâmbio foi tudo de bom, agora sou executiva bilingüe e tenho muitos homens que me desejam porque sou culta e querida......
E tenho minha própria casa e condições. Agradeço aos meus pais todos os dias essa oportunidade que eles me deram que mudou a minha vida.

Sara disse...

André meu amor, que lindo que vc pense assim, não case mesmo, não se reproduza, melhore a humanidade, vc esta fazendo sua parte de bem para a evolução do nosso planeta, espero que outros homens com sua mentalidade façam o mesmo, MUITO OBRIGADA.....

Jaqueline disse...

Oi Lola, acho que ainda hoje a iniciação sexual das meninas ainda é tabu. Hoje uma pessoa comentou comigo que a filha pediu para ir ao gineco. A filha tem 14 anos e iniciou a vida sexual. E ela me falou o quanto estava chateada, que queria que a filha tivesse esperado mais, que não queria ter que lidar com esta situação agora e que tem um filho e que ele esperou até os dezoito anos. Eu conversei, tentei falar o quanto era bom que a filha a tivesse procurado para conversar, que a filha iria iniciar a vida sexual com mais informações, evitando uma gravidez na adolescência, DSTs.
Para as meninas são tantas cobranças, exigências, tem o momento certo, a idade certa, o cara ideal. É muita pressão. Já com os meninos a primeira vez é motivo de celebração, "meu filho é homem".
E concordo com a Ana, devemos evitar usar estas expressões como "perder a virgindade". O hímen não é um lacre rsrs, os homens não tiram nada de nós. Tb prefiro expressões como primeira vez, iniciação sexual. Estes vídeos da Laci Green são ótimos. Ela usa a expressão sexual debut, adoro. http://www.youtube.com/watch?v=kdYtYveJI1Y
http://www.youtube.com/watch?v=9qFojO8WkpA&feature=player_
Bjs

renata santos disse...

Comigo foi assim: com medo dar dor, da reação da minha família, criada por pais muito religiosos, mantive-me virgem até os 21 anos. Depois, eu mesma tirei meu hímem, sem dor, sem sangramentos e acho que foi o melhor pra mim, enquanto ser humano. Cometi a burrice de comentar com minhas futuras mulheres meu passado e isso foi transtornante. Não recomendo a vc contar p seus próximos parceiros o que se passou. O que aconteceu, morreu em Berlin, o corpo é seu, meus parabéns pelo despreendimento, por ter usado camisinha e por ter compartilhado com tanta gente sua primeira experiência sexual de forma tão descolada. Eu sou da geraçao nascida em meados de 70, que não teve muita escolha, ainda mais quando se nascia numa família burguesa e religiosa. Espero que vc continue plena e tranquila, de boa e leia meu relato. Um beijo!

Carol NLG disse...

Pro "papai do ano" que não deixa a filha fazer intercâmbio pra ela "se manter pura":

Há uns anos decidi viajar com meu então namorado pra outro país. Na verdade, ele estava lá a trabalho, decidi aproveitar e ir também, até porque tínhamos grandes amigos lá.

Minha mãe veio com uma de "vai viajar pra fazer coisas, né?"

Minha resposta: se eu quiser transar, transo aqui mesmo, perto de casa. É mais fácil e prático. Não preciso ir a outro país pra isso.

A mesma lógica vale pra sua filha, tá?

Maria Valéria disse...

Bem, aqueles que se preocupam com o passado sexual da mulher e consideram isso com pre requisito para casamento ( como se isso fosse o sonho de conto de fadas, oh, de toda mulher romântica brasileira) , so posso concluir que nao sabem transar direito,
Se soubessem, aproveitariam o maximo com aquela mulher que ficou com um , com dois, com trocentos e mesmo assim escolheu você.Mas nao, preferem ficar com comparações ridículas e estatísticas bestas, e, vez de fazer o que tem que fazer, e bem feito.
No minimo na hora do vamos ver devem pensar " será o que o *** do ex era maior que o meu" e outras coisas desse tipo,em vez de fazer.
So pode!!!

Mellissa disse...

Incrível como ninguém está contente com a própria vida.
Passei dos 30,continuo virgem.Nunca tive um relacionamento,nunca chamei a atenção dos homens.Fui e continuo sendo feia e sem atrativos.Nunca fui vista como mulher,não me considero mulher.
Pare de besteira menina,jogue essas neuras frescas na lata do lixo.Viva por você,pra você.

Julia disse...

Morrendo com o comentário da Sara pro André. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Eu sei que foi do fundo do coração, Sara. Também desejo o mesmo pra ele.

Força, André!

B. disse...

Lola, seus comentários são sempre muito pertinentes e, claro, muito bem-intencionados. Contudo, há algo que me incomoda demais: o modo como você trata o tal do ciúme retroativo. Vê-lo apenas como fruto de machismo é ignorar boa parte do problema.

Não estou falando, é óbvio, dos babacões misóginos que não querem se relacionar com mulheres que eles consideram, argh, "rodadas". Esses são, simplesmente... bem, babacões misóginos.

O ciúme retroativo, ainda pouco discutido no Brasil, mas, felizmente, largamente discutido no exterior -- e foi o que me salvou desse problema --, é uma espécie de TOC reconhecido pela psiquiatria e que afeta tanto a homens quanto a mulheres.

É triste, penoso, angustiante. E a pessoa fica encalacrada num beco sem saída.

Tem a ver com inseguranças em geral. Dessa forma, quanto mais você fala sobre isso de maneira a rebaixar aqueles que sentem isso como simples machistas, você está, ainda que bem-intencionada, estimulando a baixa autoestima dessas pessoas e agravando o problema.

Logicamente, existem machistas que têm esse TOC, mas nem todos que o têm são machistas. Eu, por exemplo, considero-me feminista -- ainda que enxergue meus próprios defeitos provenientes de uma criação extremamente machista -- e sofri demais com ciúme retroativo.

Assim, peço para que você veja com um pouco mais de carinho essas pessoas.

Débora Accioly disse...

Então, concordo com a LOLA: que chique!!! :)
Creio (ou preciso crer) que a virgindade é mesmo um tabu que está sendo superado. Dei minha virgindade com 18 anos e nunca quis reencontrá-la. Desde então sei o quanto isso é perfeito!!!! *_______* E quanto mais conheço meu corpo e minhas possibilidades são tremendas. Bem vinda ao mundo das sexualmente ativas. APROVEITE!!!!!!

MonaLisa disse...

Fico muito feliz em ver os pega-ninguém tendo úlceras ao ver as mulheres exercendo sua sexualidade.

Seria melhor ainda se as mulheres falassem na cara deles o que falam aqui.

Discordo desse papo de não contar o passado, não acho que a mulher deva satisfação, mas deve sim afastar machistas, mesmo que seja mentindo que tem a vida sexual ativa qdo não tem. Não tem pq com medo de julgamentos ou medo de não arrumar um marido.

Vamos afastar essas tranqueiras, mesmo pq eles são covardes demais pra nos chamar de vadias na cara, só pelas costas mesmo. Eles se gabam de contar (ou inventar) as aventuras deles, pq nós não podemos fazer o mesmo? Isso não é crime.

Maria Valéria disse...

Para B, que postou as 15:50

Se existe a doença " ciúme retroativo" , se isso traz sofrimento inclusive para quem sofre dela, nao seria mais sensato simplesmente nao falar e muito menos um nao ficar perguntando do passado do outro??
Cansei de ser interrogada por um ex( blergghhh ), e de tanto ele encher o saco , contei o que tanto ele queria saber sobre meu passado.
Adivinha, ele nunca mais me deixou em paz com esse assunto,e por essas e outras eu larguei dele,porque ninguem agüenta essa enchecao de saco muito tempo.(vcs sofrem, e a gente tambem, as vezes em dobro!!)
Entao, se vcs mesmos sabem que sofrem,que e desnecessário,POR QUE PERGUNTAM sobre passado, e por que nao aceitam se o outro acha melhor nao responder??por que insistem no assunto??
Falando serio, eu nao me incomodo nem um pouco se um namorado atual tiver feito acrobacia erótica, fantasia, ou tiver ficado 4 horas numa hidromassagem com uma ex.Mas eu preciso saber que ele ficou fazendo isso no passado, e ficar sofrendo imaginando ele agarrando a outra mulher, ou e melhor eu aproveitar o que ele quer fazer comigo no presente???
Nao entendo a lógica nesses casos.
Eu prefiro desencanar e viver meu presente.
Beijos e fique bem, procure ver o presente e as coisas boas que vc tem,
-:)

Unknown disse...

Lendo estes depoimentos é engraçado pensar nos relacionamentos que tive. Perdi a virgindade com meu primeiro namorado, aos 19 anos, planejava ficar com ele para o resto da vida, mas depois de quatro anos ele conheceu outra mulher. Os outros dois relacionamentos foram assim, três anos, seis anos, quando vi estava sozinha de novo.
Eu queria que fosse especial e durasse, mas não dura. E conforme passa o tempo dura menos ainda. O último namoro durou seis anos por insistência minha.
Acho que sexo casual não funciona para mim, acho importante ter um relacionamento para ter intimidade. Mas, como pode ver, não faz a menor diferença. Eles sempre vão te deixar, ou eles se cansam e te trocam por outra, ou tu envelhece e perde a graça. C'est la vie

Maria Valéria disse...

Fico muito feliz em ver os pega-ninguém tendo úlceras ao ver as mulheres exercendo sua sexualidade.

ADOREI , Monalisa!! Especialmente porque com esses dai, uma mulher NUNCA vai exerce- la ...kkkkkk!!!!! Vao passar a vida morrendo de inveja dos que conseguem ter esse prazer conosco!!!

Eu so discordo da parte de contar do passado.Eu acho desnecessário.Vc começa um relacionamento, e meio óbvio que se o(a) outro(a) namorou alguem antes de vc, que tiveram relações sexuais, ( existem exceções, ta bom)
Se vc sabe disso nao acho necessário nem gostoso ficar perguntando " mas vc fez sexo aonde com a ex? Na praia? Na banheira ? " e por ai vai....meuuuu , nao curto esses papos nao.
E acho que vice - versa pro outro lado,nao acho que deva ser gostoso.

E durante o relacionamento , algumas informações do que a pessoa ja fez ou deixou de fazer antes vem com o tempo, conhecendo o que ela gosta de fazer nessas horas.

Ok, tem casais que vêem nisso um fetiche" vou contar todas as minhas aventuras pro outro pra deixar ele doidinho e com vontade de fazer comigo", mas nao acho que essa e a regra.

Eu prefiro nao ficar interrogando, nem que o outro fique me contando isso de graça,
Se eu quiser saber, pergunto.

Mas quem perguntar,que tenham peito pra agüentar a resposta depois e nao ficar enchendo o saco do outro, jogando na cara, que nao queria saber,por que vc fez isso comigo , se eu estava ali o tempo todo te esperando e pronto pra vc...?Ahhfff!!!

Assunto complexo mesmo -:)



Cereja disse...

Eu sou a única aqui que gosto de saber do passado sexual dos meus parceiros?
Se eles me perguntam eu até conto, na medida que me sinto à vontade pra isso. Se o cara pressiona pra saber, boa coisa não vem. Uma coisa é você perguntar de boa, outra é ficar insistindo, querendo saber todos os detalhes.
Tem coisa que eu prefiro guardar pra mim e acho bom deixar claro que tem coisa que é só minha. Se o cara acha ruim por não contar, é indício de cara ciumento, controlador e eu prefiro cair fora.
Se não vai gostar de saber, então faça o favor de não perguntar, oras.

MonaLisa disse...

Maria Valéria disse...

"Eu so discordo da parte de contar do passado.Eu acho desnecessário.Vc começa um relacionamento, e meio óbvio que se o(a) outro(a) namorou alguem antes de vc, que tiveram relações sexuais"

Eu penso que um cara que quer saber do seu passado, com exceção dos fetichistas, é machista. E a mulher que tem vergonha ou medo de ser julgada é tão machista quanto ele.

Se as próprias mulheres tem medo ou vergonha de falar de sexo abertamente, como se fosse pecaminoso ou vergonhoso, como podemos esperar que os homens vejam como natural???

Ai aparecem aqueles cretinos, como aqui no post pra dizer que servimos pra isso, ou que mulher é lanchinho ou sexo é punição pra mulher. tsc

Pq não naturalizar o sexo pras mulheres também? Pq temos que ficar com medo de julgamento?

Medo de estupro? O estuprador vai estuprar seja a mulher 'vadia' ou não.

Medo de gracinhas ou insinuações? É só responder: - Com vc não faria nem com um litro de pinga na cabeça! - Ou eu faço com HOMENS e não desesperados como vc...

Enfim, eu penso e ajo assim...

antonio disse...

MonaLisa, vc acha mesmo que existe algum homem "pega-ninguém" hoje em dia? rsrsrs.. acho muito difícil!!

Tirando casos excepcionais de pessoas realmente problemáticas, hoje em dia a coisa mais fácil do mundo é pegar mulher. Sou machista, e ainda assim pego muita mulher. Hoje em dia qualquer lugar que vc vai, a mulherada tá liberando fácil.. principalmente as novinhas. Qualquer boate que vc vá, tendo grana, carro, pega fácil. PRa quem não gosta de balada, vai pra internet, marca encontro, pega fácil também. Então, achar que existe algum homem normal que náo pega mulher hoje em dia é ser sem noção. O cara está certíssimo quando disse que casamento não existe mais. Hoje em dia a mulherada tá liberando muito fácil, não dá mais pra confiar que serão fiéis. O jeito é se divertir mesmo.

Maria Valéria disse...

Monalisa,

Ai eu concordo com vc.

Mas nao gosto de homem que pergunta do meu passado , nao.Os que perguntaram foram esses machistas babacas que vc descreveu ai no seu texto.
Eu nao pergunto, e nao gosto que o cara pergunte, quanto mais que fique insistindo no assunto.
E nao e medo de ser julgada, nao,Se o cara me julgar, dou ate graças a deus de saber logo e ficar livre de um babaca!!
E falta de paciencia, falta de saco mesmo, pra discutir com um cara assim,..

Falar de passado nao e pra mim um assunto gostoso, nao leva a nada, enfim. Eu não acho gostoso saber do que o outro fez antes de mim...saber que ele teve alguem antes, ok, mas nao vou ficar perguntando detalhes,...natural que pro cara seja a mesma coisa,mas entao que ele nao pergunte e fique quieto!!!
E se perguntar nao reclame....
Mas ha 7 anos nenhum me pergunta essas coisas nao,
Se bem que nesses últimos anos so tive mais uma pessoa, e ele nao era do tipo que ficava fazendo essas perguntas.a gente tinha coisa melhor pra fazer...kkkkk;))
Rsrsrsr !!!!!!

-:)

Bjs

Aninha disse...

Cereja, eu gosto de saber do passado sexual dos meus parceiros (há muitos anos parceiro único).

Mas na boa, sem ciúmes, só conversa mesmo.

E falo o meu numa boa também, não tenho nada a esconder.

Julia disse...

O jeito é "pegar" se nenhuma mulher consegue passar mais de algumas horas do teu lado, né, toninho?

Luci Mendes disse...

Eu fiz intercâmbio com 17 anos. Já tinha feito sexo antes de viajar e meus pais não foram informados. Lá em casa, eles nunca me avisaram que tinham feito sexo, por que eu deveria avisar a eles?

Fui pro intercâmbio e meus pais nunca quiseram saber se fiz sexo lá, assim como eu continuei ignorante sobre a frequência sexual deles. Nunca me interessei em saber disso. Talvez porque minha criação foi assim, eu acho super esquisito pais terem curiosidade em saber sobre a vida sexual dos filhos...pra quê?

Acho ótimo que a experiência da moça foi legal, mas acho que ela deveria relaxar...com quem, onde e quantas vezes ela faz sexo só diz respeito a ela. E se o rolo com o carinha no Brasil é um rolo, não é um namoro sério, então pra que se preocupar?

Da resposta da Lola, só não entendi o que tem de chique fazer sexo com estrangeiro, ou fora do país. Não vejo nada de especial nisso...

Luci

antonio disse...

Pra que eu vou perder meu tempo passando horas ou anos ao lado de uma mulher que do nada pode resolver livremente, como dizem vocês "fazer sexo" com o primeiro que vê na frente, achando isso super normal e correto? Pq afinal, ela é livre e exerce sua sexualidade, doa a quem doer. Casar com esse tipo de mulher? Sem chance. O negócio é só pegar mesmo. O mundo é assim, gostemos ou não.

loupgarou999 disse...

T., a conta não fechou: qual é a graça de um possível relacionamento sério com um cara morno se você acabou de descobrir que existem encontros mais interessantes por aí?

É engraçado você tentando escapar do julgamento santa-ou-puta ao mesmo tempo em que delibera sobre que tipo de cara você só quer uma vez, e que tipo de cara você quer namorar.

"E é muito chique ter a primeira vez num outro país!"

Esse comentário de vira-lata deixa claro o problema em não existir uma pegada acadêmica do feminismo no Brasil, e sim miscelânea de rant e deboches. Talvez seja uma estratégica para aliviar a dor: vender libertação sexual como quem vende uma moda qualquer.

Julia disse...

Mas nós adoramos viver num mundo em que vc não queira casar.

Amana disse...

hahaha a Lola é ótima!

Moça, vc mandou bem demais :D
fica leve, fica tranquila, daqui pra frente só melhora ;)

MonaLisa disse...

"antonio disse...
MonaLisa, vc acha mesmo que existe algum homem "pega-ninguém" hoje em dia?"

Sim, quem convive com muitos homens sabem bem que não pegam.

" Hoje em dia a mulherada tá liberando muito fácil, não dá mais pra confiar que serão fiéis. "

E os homens, qual a garantia que serão fiéis?

Ah esqueci, homem não precisa ser fiel, só trabalhador e bonzinho né??? rsrsrs

A diferença entre machistas e mulheres é que enquanto vcs selecionam umas que servem pra 'comer', pra essas vcs não servem pra nada, é isso que frusta vcs, por não poder 'comerem' as 'fáceis' saem por ai com slut-shumming.

Pra uma mulher, experiente ou "rodada", como eu, esse seu papinho cretino que homem não namora com elas, não cola. Nunca me faltou homem pra namorar, mesmo sabendo que sou 'rodada' e nunca vai faltar, desde a adolescência. As machistas ou virgens podem até acreditar nessa lorota, mas mulheres bem resolvidas sabem escolher bem o HOMEM, mesmo que seja apenas pra 'comer', e sabem que tem muito mais conteúdo que um hímen ou pouca quilometragem.

Enquanto vc ta ai com chantagenzinha dizendo pras mulheres que vão se arrepender, eu to dizendo do outro lado pra elas: - Vai fundo, garota. O que tu não fizer nessa vida, não vai fazer na outra. - O que provoca ataques de panico em vcs machistas asquerosos que cada vez limita-se mais o numero de mulheres que fazem o que vcs querem.

MonaLisa disse...

Maria Valéria disse...

Não existe coisa melhor no mundo do que saber que gato que vc tá não é machista.

:)

Anônimo disse...

esse negocio de primeira vez é superestimado mesmo. a bem da verdade, se não for horrivel, no maximo vai ser mediano. maravilhoso é quase impossível pq vc geralmente nao tá desenvolta o suficiente, desencanada o suficiente, experiente o suficiente, etc. poucas meninas gozam na primeira vez, eh mais facil gozar quando ainda estao na fase das dedadas e putaria sem penetracao. a primeira vez (considerada socialmente como rompimento do himen) só eh "memoravel" mesmo porque tem todos esses tabus em volta. APOSTO que a transa mais memoravel da mulher acontece quando ela tá madura e com autoestima boa, e sabe pedir pro cara fazer isso ou aquilo. e isso geralmente requer algum tempo... ass: clarice

Anônimo disse...

Sou a anônima das 21:23 de 24 de julho e to rolando de rir dos comentários dos machistas aqui,

Serio mesmo, que a mulher nao pode fazer intercâmbio solteira, sem dever nada pra ninguem, e transar com quem bem entender?????isso significa na cabeça retardada de vcs que ela vai fazer sexo no exterior com o primeiro que encontrar quando estiver casada??? Haahahahah fala serio, entao o mesmo raciocínio e valido pra vcs, pegadores,se pegam qqer uma solteiros, vao pegar qqer uma casados, ou nao??? Hahahahahahaha rolando de rir

E lamento informar que vcs nao estao se divertindo.
Estao no maximo satisfazendo uma necessidade fisiológica!!! Eu duvido que essas meninas que vcs pegam gostem da transa que tem com vcs, duvido muito que queiram repetir....to imaginando aqui como deve ser xoxo, sem sal..


O homem que mais valeu a pena na minha vida nao foi namorado, nem casei,
Foi sexo casual durante 5 anos.
Esse, ao contrario de babacas que tem por ai, quando eu dizia que tinha desejos, fantasias , ficava doido pra vir realizar aqui comigo,se sentia desejado, e a gente nao queria mais parar desde que começava.
Ele nunca ficou me perguntando com quantos fui ou deixe de ir antes dele, o que interessava pra ele era que ele sabia que era o melhor sexo que tive na vida, ( e acho que eu na dele tambem)!!!!e por que ficar perdendo tempo com interrogatórios, se tinha coisa melhor que fazer quando nos encontrávamos?? Kkkkk
Esse sim, era macho,e nao um babaca desesperado, que nao consegue transar direito com ninguem e que acha que toda mulher que ele leva pra cama quer casar com ele....
Morrendo de rir, se os homens soubessem....kkkkkkk!!!!
....
Hoje esse meu parceiro e eu estamos meio brigados, mas foi o ÚNICO que valeu a pena.
Os que dizem que pegam, mas estao sempre sozinhos,devem morrer de inveja de quem faz bem feito,

Paulo disse...

Não sou machista e nem masculinista, sou homem e devo dizer umas verdades:

1) Para o sexo casual, pro homem tanto faz se a mulher é ou não é promíscua, pelo contrário, quanto mais rodada for a mulher melhor e mais fácil será;

2) Para o compromisso (namoro ou casamento) a grande maioria dos homens se preocupam sim com o histórico sexual de suas mulheres, pelos seguintes motivos: o relacionamento exige muito mais investimento (psicológico, emocional e financeiro) do homem, e nenhum homem quer investir numa mulher que já passou na mão da galera; a mulher rodada, por ter passado na mão de dezenas de homens, perdeu o respeito por si mesma e portanto tem muito mais chance de trair o namorado/marido, e nenhum homem em sã consciência correrá esse risco.

3) Já é hora das mulheres pararem com o mimimi e chororô e assumirem as responsabilidades e as consequências por seus atos e suas escolhas: se elas querem viver "la vida loka", transando com inúmeros parceiros, que assim seja, mas depois de anos na promiscuidade não venham reclamar que "não existem homens legais", "ninguém quer nada sério", e etc...

Anônimo disse...

"Eu não era assim tão apegada ao meu hímen"...
Não gosto dessa fala, por mais figurativa que seja, que associa virgindade/fim da virgindade ao mero rompimento de uma película. A virgindade não tem que ser sacrossanta, mas quando transamos não são apenas "pedacinhos" do nosso corpo que estão em jogo.

Anônimo disse...

Paulo

Não é machista? Então me diga se um homem não "passa na mão da mulher" toda vez que vai pra cama com uma...

Então o homem pode ser legal ou não de acordo com o histórico sexual da mulher?

Ai, ai, tem gente que não é ladrão não, apenas rouba porque não tem ninguém vendo...

Ângela

Anônimo disse...

Para o " Paulo"

Sou a anônima de 28 de julho 14:09


Cuidado ao afirmar o que você nao sabe.
Meu relacionamento de sexo casual, exceto pelos ex namorados, assim como ele teve as ex dele, nunca soube com quantos eu fui ou deixei de ir pra cama.

Ele nunca me perguntou. E nem teria como ele saber, porque nao moramos na mesma cidade.Alias, acho que isso nao interessava a ele, ne? Interessava outra coisa, que pelo jeito pra machistas nao interessa muito...haahahahah!!!

Entao essa sua teoria de ser " rodada" e o cara gostar pra sexo casual porque e " rodada e mais experiente" cai por terra.

E se o homem for " rodado" tambem e passou pela mão de varias???

Me poupe, ne!!!!!!!





Karol disse...

Oi. Achei legal a tua primeira vez. A minha tb não foi com namorado. Tinha um rapaz que eu gostava e ficamos uma vez e fomos pra casa dele, eu tinha 18 anos e ele 18 ou 19. Pintou o clima, eu estava louca pra ter minha primeira vez e transei com ele. Diferente de você a minha doeu muito, não foi legal, mas eu quis, usamos proteção e nunca me arrependi. Infelizmente há esse tabu que a primeira vez tem que ser "assim e assado", acho que a primeira vez e todas as outras, tem é que ser quando a gente quer, quando temos vontade.

Samantha disse...

É engraçado uma experiência que, aparentemente, foi muito bacana para T. por algum motivo fez com que ela precisasse desabafar aqui, por não poder contar pra ninguém... Chata essa moral machista e cristã, né? Que impede a gente de aproveitar plenamente até as melhores experiências... E uma primeira vez segura, com um cara que foi bacana, com pouca dor, é uma experiência boa pra caramba! rs

Olha só, minha primeira vez foi com um amigo, que eu conhecia médio, a gente viajou, acabou ficando junto e rolou no outro dia...
Eu NUNCA encanei por ter transado logo de cara e nunca encanei por não ter perdido a virgindade com o amor da minha vida... E daí que esse cara é meu marido agora! rsrsrs...
A gente acabou namorando, casando e tudo mais... Só que, quando eu o conheci ele era pouco mais do que um cara bacana com quem eu me sentia confortável... O nosso relacionamento surgiu um bom tempo depois da primeira vez que ficamos juntos...
E a gente sempre dá risada quando ouve algum comentário do tipo: "Você não namora uma mulher que vai pra cama no primeiro encontro...".