quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

GUEST POST: FUI ESTUPRADA POR SER FEMINISTA

Isso que a B., de 24 anos, relata neste guest post não aconteceu agora, mas alguns meses atrás.

Esta é a primeira vez que te escrevo, mas confesso que já li cerca de 90% do que vc já postou no blog, e acompanho diariamente. Te escrevo pois na última sexta fui estuprada por um suposto amigo, basicamente por ser feminista, e precisava contar para alguém. Me mudei de cidade há poucos meses, deixando família, amigos e namorado para fazer mestrado em uma universidade federal. Conheci poucas pessoas e posso dizer que fiz uns três amigos por aqui apenas, o mais antigo deles no caso foi o estuprador.
Na sexta meu pai me ligou dizendo que um dos meus cães tinha sido atropelado. Sou apaixonada por animais e fiquei muito abalada, mesmo, de chorar sem parar. Conversando com esse suposto amigo no Facebook, ele se ofereceu pra vir aqui pra casa me fazer companhia. Eu relutei um pouco por estar de luto, mas ele me convenceu.
Ele veio pra cá, trouxe cervejas, violão, conversamos, bebemos, ele tocou. Até aí tudo bem, eu já tinha chorado bastante, ele foi legal me consolou e me abraçou. Nós saímos para pegar mais algumas cervejas e na volta já estávamos bastante bêbados. Começamos a conversar sobre aborto e outras coisas, acabamos na esfera do feminismo, discutimos bastante. O papo mudou completamente de figura e ele se mostrou bem machista, no "melhor" estilo mascu mesmo.
E eu de alguma forma o ofendi (devo confessar que não me lembro de tudo, sempre tive a tal amnésia alcoólica, e hoje sou muito grata por isso). Ele partiu pra cima de mim, rasgou minha blusa e me estuprou. Não me lembro de muita coisa, só dele em cima de mim segurando meu rosto e me dizendo pra sorrir, pra fingir que tava gostando, e me chamando de feminista de m*rda. Lembro de sentir muito, muito medo, mas não querer demonstrar submissão.
No domingo ele esteve aqui em casa, me pediu pra conversar, eu desci e ele me pediu desculpas, disse que estava fora de si e que nós dois sabemos o que aconteceu. Só então eu tive certeza que tinha sido estuprada. Disse pra ele nunca mais me procurar, fingir que não me conhece, que eu ia tentar esquecer que um dia o conheci. Não tive coragem de denunciar, pois não sei direito o que aconteceu, e nem mesmo tenho 100% de certeza que fui estuprada, e tomei banho logo depois e coloquei minhas roupas para lavar.
Também tenho medo da represália caso denunciasse e ele quisesse me machucar (ele é faixa preta em alguma arte marcial), e eu moro só e conheço pouquíssimas pessoas. É difícil não poder contar para ninguém, não receber nenhum apoio. Hoje vou procurar uma ginecologista, fazer exames de DSTs, e torcer (pois como ateia, eu não rezo) pra estar tudo bem, embora eu esteja sentindo um pouco de dor.
Obrigada por me "ouvir", Lola, te acho uma ótima escritora, uma inspiração como mulher e feminista, acho que vc faz um trabalho absurdamente bom levantando questões e defendendo a causa, já aprendi muito e revi meus conceitos depois de conhecer teu blog. Sempre fui feminista, mas agora tenho muito mais embasamento e certeza, apesar de toda a merda que aconteceu comigo recentemente. Eu não me arrependo de ter defendido minhas ideologias, me arrependo de ter confiado na pessoa errada, mas sei que isso não é culpa minha.

217 comentários:

1 – 200 de 217   Recentes›   Mais recentes»
Anônimo disse...

Dá um desconto, o cara também estava bêbado. Gente embriagada faz coisa que nunca fariam em outra situação.

Anônimo disse...

hey anônimo das 11:03, estar bêbada ñ é desculpa para estuprar alguém!

Que coisa horrível que aconteceu a esta garota! Triste saber que todas nós corremos esse risco e muitas vezes com pessoas que "confiamos"

Anônimo disse...

So lendo esse texto não posso julgar ninguem, mas acredito do fato de ter sido estuprada nao tem nada a ver com ser feminista. Nada perdoa o incidente, se realmente aconteceu, mas acredito que poderia ter acontecido por outro assunto qualquer que tivesse aparecido. E infelizmente mulher tem que tomar mais cuidado ao beber, essa é a realidade.

deborah disse...

Anônimo, então se eu estiver bêbada e matar alguém, vale? Bebida está longe de ser justificativa para tudo. Se passa dos limites quando bebe, NÃO BEBA!
Fiquei triste em ler esse relato, mas ao mesmo tempo aliviada por saber que a autora pôde buscar apoio e conforto em algum local. E já adianto os meus votos de solidariedade e admiração pela força com que ela continua na nossa luta.=)

Anônimo disse...

tava bêbado o caralho. devia ser preso um desgraçado desses.

Mariana disse...

A gente faz bêbado o que pensa sóbrio. Apenas isso.

Daniela disse...

WTF??? Que tipo de pessoa faz um comentário como esse do anônimo das 11:03 e acha que é NORMAL pensar assim???

Estar bêbado NÃO retira de ninguém a responsabilidade pelos seus atos, inclusive os criminosos.

Depois ainda tem gente que afirma que a "cultura de estupro" é balela, coisa inventada por feministas.

Horror. É isso que senti ao ler esse comentário.

À guest writer, todo o meu pesar e as minhas boas energias a você, para que consiga superar todos os traumas que esse fato horrendo tenha causado.

Rê_Ayla disse...

caro anônimo e demais pessoas que pensam assim:

- faz o seguinte, se um bêbado der um tiro em você, dá um desconto, afinal ele estava bêbado;
- se abusar do seu filhinho pequeno, dá um desconto, afinal estava bêbado;
- se te atropelar ou bater feio no seu carro, dá um desconto, afinal estava bêbado;

....

Pq só mulher abusada/estuprada tem que dar um desconto? Ah, me poupe viu... Desde quando bebida é justificativa pra fazer merda?

Anônimo disse...

É comum os homens que estupram mulheres serem descritos como monstros. Isso é compreensível, o que eles fazem é, certamente, monstruoso.

Mas, na realidade, eles não são monstros. Pelo contrário, eles são homens comuns. Homens que estupram mulheres são o vizinho amável, sempre disposto a ajudar seus vizinhos idosos. Ou o colega de trabalho que sempre trabalha duro e é educado. Ou o amigo que sempre a apoiou e é bastante divertido. Ou o sogro que a acolheu na família. Ou o namorado que lhe deu muito apoio quando sua mãe morreu. Ou o marido, com quem teve três filhas.

A realidade é que os homens que estupram mulheres são homens comuns. E isso é muito mais assustador do que a idéia de que estes homens são monstros.

Raziel von Sophia Imbuzeiro disse...

Se no lugar do alcool fosse maconha, isso não teria acontecido.


Just Sayan.

Anônimo disse...

Anônimo, se a pessoa matar alguém porque estava bêbada ela teria um desconto?
Acredito que podemos ser mais grossos bebados, até mais briguentos, mas precisamos igualmente arcar com as consequências de nossos atos.

Eu acho isso simplesmente horrível, principalmente ver um guest post assim tão triste bem no aniversário de nascimento da Simone de Beauvoir. O que mostra que ainda precisamos avançar e muito no combate à violência contra a mulher. Sinto muito, espero que você supere isso e encontre forças no feminismo. Eu, por sinal, me afirmo feminista, mas parei de discutir com pessoas que não vejo possibilidades de mudança de opinião. É o tipo de discussão que só te deixa mal, e misóginos realmente não têm medo de mostrar todo seu ódio.

Mirella disse...

Vamos dar um desconto para quem dirige depois de beber também, né?

Melhor argumento ever #SQN



B., apenas descrente para o que você passou. Nojo completo por este tipo de pessoa. Entendo o porquê de não ter denunciado, mas é uma pena que tenha sido assim. É abominável que uma vítima tema por sua segurança justamente no momento em que mais precisa de amparo. Sinto muitíssimo. Cuide de sua saúde, física e mental, e torço enormemente para que você hoje esteja bem.

Nigel disse...

Coitado do cara, ainda pediu desculpas. Ele estava fora de si. Álcool bagunça a mente das pessoas.

Anônimo disse...

"A gente faz bêbado o que pensa sóbrio. Apenas isso."

Então se uma garota bêbada der para a metade do bar, quer dizer que ela já tinha isso em mente antes? Tenebroso.

Anônimo disse...

Nunca comentei mas senti necesidade de expressar minha revolta pelo acontecido. Apavorante e repulsivo! Não tem perdão para o rapaz, bebida não é desculpa.Para nada na vida ainda mais para estupro! Também acho que o estupro não foi decorrente do fato dela ser feminista, foi apenas o gatilho que detonou a "arma", a mente doente desse rapaz. Isso ocorreria por qualquer motivo. A moça precisa se conscientizar que ela não consegue se controlar com a bebida e tomar cuidado para q não fique bêbada e sem controle de seus atos. Todos nós podemos passar por isso se abusarmos da bebida e perder a "noção" das coisas. Deve ser pavoroso vc não se lembrar do ocorrido e não poder se defender de algum modo, bater, gritar, tentar fugir...e ficar sem poder denunciar esse monstro. Do mesmo jeito que ele a atacou, ele poderá atacar outra por outro motivo qualquer e se achar certo, usar como desculpa "bebi demais" e esse ataque pode chegar até mesmo a um assassinato. Para mim um homem assim é capaz de tudo....Perigoso e assustador...

Manu Ella disse...

Olá Bom Dia. Acabei de ler o post, assim como li vários.

Infelizmente nenhuma palavra minha confortará a menina que infelizmente sofreu agressão. Mas o que me leva a escrever é o fato de discordar desse primeiro comentário. Não acredito que a bebida tire o senso de certo e errado.
Acho que serve sim como um "incentivo" para que tiramos a máscara e mostremos o que realmente somos. Como realmente nos sentimos.

lola aronovich disse...

Anônimo das 11:45, vc está comparando estupro, um crime hediondo, com fazer sexo? É isso? Como os valores mascus são tão deturpados, só queria esclarecer: "garota bêbada 'dar' pra metade do bar" não é crime. Garota beber não é crime. Garota ir a bar não é crime. Garota transar com quem quer que seja, desde que consentido, não é crime. Estupro é crime.


Nigel, vc só pode ser outro mascu. Mais um idiota.


E isso que o primeiro comentário no post (não publicado) foi de um mascutroll anônimo, COMO SEMPRE. Dizia "o tratamento que uma feminista merece".
Mascus, se vcs realmente quiserem convencer alguém de que não são misóginos, precisarão se empenhar mais.

Dada disse...

Uma coisa que todas as pessoas tem que aprender, independente de serem mulheres ou não, feministas ou não, machistas ou não, homossexuais ou não, são os limites próprios e o extravasar saudável, além de um mínimo de bom senso.

Sério gente, dêem algum valor a si mesmos. É bastante claro neste caso que o rapaz era machista e não sabe lidar com gente lhe contrariando, mas isso não livra a garota de estar se expondo ao risco ao beber com um meio amigo, que ainda tem vantagens de poder (neste caso, era mais forte), num estado de fragilidade tal. Isso é se entregar à sorte, e a sorte não dá garantias...

Este é mais um triste caso que poderia ser evitado. Se ela estivesse com uma meia amiga que simplesmente fosse meio sacana, poderia ter lhe assaltado...

Falta nas pessoas hoje em dia um propósito de vida que lhes dê direção e fortaleza. Muitas vezes a tristeza inerente à falta de sentido nos leva à esse comportamento de bebida demasiada propositalmente, justamente para se ocupar e esquecer. Ela mesma bendiz sua amnésia, o que é muito triste.

Há muitos casos de exposição de risco parecido que está acomentando as mulheres e principalmente as feministas, que é este de fazer uso de seu direito de ser respeitada como se fosse garantido. Saem fantasiadas de provocação sexual excessiva quase como um desafio ao risco, com uma determinação de que serão respeitadas a qualquer custo, mas o custo é muito alto gente. O custo é o corpo, a alma, e às vezes a vida. Há um exagero nestes comportamentos, que é injustificável. Querem tanto a liberdade incondicional de serem respeitadas que confundem isso com liberação própria. Porque se arriscar? Pode vestir o decote que quiser, mas como bem sabem as prostitutas, isso é uma provocação sexual, e quem provoca não pode achar que está produzida só para uma pessoa, mesmo que esteja. Uma roupa provocativa passa uma mensagem. E vestir-se de forma provocativa sem ter garantia de que a provocação seja bem direcionada corre riscos.

E para que tudo isso afinal? Não há um excesso? Conheço mulheres que só saem na rua se estiverem sexy, e ter preferências não é um problema, o problema é quando esta preferência esconde traços de patologia. Se alguém fizesse questão de só usar vermelho não veríamos mal algum, porque só usar vermelho não causa nenhum problema, mas se uma pessoa só saísse na rua fantasiada de assassino do Pânico, acho que concordamos que ela tem uma mania estranha e prejudicial, o tipo de coisa que já não é mais saudável. Porque as mulheres hoje em diz, mesmo as feministas querem que as pessoas se relacionem com elas como se fossem putas? Porque se fantasiar de objeto sexual?

Este não era o caso da garota do post, até onde escreveu, mas porque também este descuido pessoal em se embebedar com alguém que não se confia direito?? Isso é exposição ao risco intencional. É não se amar!

No fim ela falou que aprendeu bastanet coisa com seu site e que sempre o lê, então, Lola, eu queria pedir que falasse sobre isso, mesmo que já tenha feito antes. Faça um post sobre a aceitação do risco fantasiado de ação emancipatória. Tudo tem limite e o limite é a realidade. As mulheres estão se expondo ao risco propositalmente usando a desculpa de que tem de ser respeitadas para justificar a exposição. Todos temos que ser respeitados, e nem por isso nos expomos à risco. Ninguém sai com uma nota de 100 reais na mão num bairro violento de noite, então porque as moças estão fazendo isso? Não reconhecem o valor da nota?

KALI, desesperadamente humana. disse...

"A moça precisa se conscientizar que ela não consegue se controlar com a bebida e tomar cuidado para q não fique bêbada e sem controle de seus atos."

Acontece que não foi ELA que perdeu controle dos seus atos. Não foi ela que estuprou.

Aliás, nem acho que o cara a estuprou por estar bêbado, acho que ele sabia bem o que estava fazendo.

A mensagem que é passada é que homens não são confiáveis, são todos estupradores em potencial, que não devemos beber com eles, ficar a sós com eles, confiar neles, a não ser que queiramos ser estupradas.

Só me pergunto se essa é uma imagem que agrada aos próprios homens: o estuprador só esperando uma oportunidade!

Se formos seguir os conselhos de pessoas que dizem sempre que é a vitima que tem que se cuidar, vamos ter que viver segregadas, ou nos tornar sempre em guarda e super-violentas com os homens (do tipo, sempre andar armada ao enfrentar a possibilidade de estar a sós com um exemplar dessa "raça" selvagem e descontrolada).

Mais uma vez pergunto: é isso que os homens desejam? Mesmo os mascus querem que os vejamos assim? Porque é isso que vai acntecer em breve se apostura com relação de se culpar a vítima não for mudada.

Beatriz G. disse...

Muito triste isso. É muito difícil ser feminista e se assumir, pior ainda tentar defender e influenciar alguém nisso.

No momento estou mostrando esse mundo para o meu namorado, não está sendo fácil, briguei com ele 2 vezes por causa disso.
É que a ignorância deles são maiores que a vontade de aprender, e é isso o que incomoda e torna tudo tão tenso.

Eu leio post com ele, explico, ele compreende (está compreendendo) aos poucos.
Mas de vez ou outra solta um comentário ridículo e em uma de nossas brigas ele usou um só para me deixar ainda mas brava.

Mas sabe Lola, não sou do tipo que desiste. E acredito que nenhuma feminista deve desistir de lutar, de levar isso para a frente. Porém tem um limite, claro. Se ver que realmente uma certa pessoa nunca vai entender, ou se alguém for agredido por causa disso, deve desistir. Da pessoa, não dos ideais.

Eu acredito num mundo melhor, e o feminismo até hoje, foi um dos meios mais eficientes que encontrei para que um dia cheguemos a uma certa 'paz'.

Na minha casa sou chamada de inconformada, louca, 'cabeça de miss', idealista demais.
Mas sabe, se não fosse o feminismo eu nem sei o que seria de mim. Tive depressão por uns 2 anos e meio e só me curei quando passei por algumas sessões de psicólogo e descobri o feminismo. Eu me libertei, sabe?

E todos deveriam se dar a essa chance, a chance de se libertar.

Bruno S disse...

"Falta nas pessoas hoje em dia um propósito de vida que lhes dê direção e fortaleza."

Nada de bom pode ser escrito por alguém que use expressão como essa.

A pessoa escreve parágrafos e mais parágrafos para dizer que receber um amigo em casa é igual a sair exibindo dinheiro num bairro perigoso?

Anônimo disse...

Quem disse que queremos convencer alguém que não somos misóginos? Isso está no passado.

Rose disse...

A verdade é que, esse é um tipo de crime cada vez mais comum e por quê? Porque, segundo a maioria, o agressor nunca é culpado o bastante, só a vítima. Chamam de sexo o que é só violência

Sati Sukalpa disse...

Gente, para de dar tanto ibope pro animo! Penso q a discussão perdeu o foco.
Quem escreveu o post esta precisando de acolhimento. Alguém sabe como ajuda-la a encaminhar essa queixa?

Mas por favor, vc precisa procurar ajuda! Querer esquecer não vai adiantar.
Precisa denunciar esse cara, vai saber se ele já nao fez isso outras vezes ou pode fazer. Te desejo força, coragem, para agir. Só de vc ter escrito aqui já demonstra sua força.
Busque ela, mesmo q vc não tenha mais provas, internamente vc sabe o que aconteceu. E não esta se sentindo bem com isso.
E vc deve agir de algum modo. Mesmo q primeiro seja pra procurar um psicologo, que vai te ajudar. Geralmente nas Univ, tem algum programa.

Força
Luz e paz

Dani Andrade disse...

"As mulheres estão se expondo ao risco propositalmente usando a desculpa de que tem de ser respeitadas para justificar a exposição."

Mulheres não têm que ser respeitadas né?

São sempre as mulheres as erradas, nunca os estupradores.

Quando assaltam a sua casa não dizem: ah mas vc não tinha alarme/um cão de guarda/grades nas janelas pra evitar o roubo? Ou: Se vc não tivesse viajado e deixado sua casa sozinha não teriam roubado!

Estupradores são homens, supostamente racionais. Porque eles não têm que se controlar?

Mirella disse...

"Este é mais um triste caso que poderia ser evitado."


Pela VÍTIMA, né. SEMPRE A VÍTIMA.
Absurdo confiar num amigo que quer ir a sua casa num momento de dor e tristeza. Pessoas, vamos ter consciência! Nada de agir como pessoas normais!

"Porque as mulheres hoje em diz, mesmo as feministas querem que as pessoas se relacionem com elas como se fossem putas?"

A moça foi estuprada, logo, se relacionou como se fosse puta. Well it's... it'ss BRILLIANT!

Será que o estuprador deixou o dinheiro no criado mudo? Pagou adiantado? Pediu para colocar na conta?

"Isso é exposição ao risco intencional."

É, quando você tem um amigo, é um risco que você está assumindo de que será estuprada. Não leu as entrelinhas?


Olha, parabéns pela estupidez. Imagine que absurdo uma mulher ter amigos? É CLARO que ela está fazendo isso com outros interesses, fingir que é independente, no caso. É ÓBVIO que, ao aceitar o consolo de quem ela pensou que fosse amigo, estava assumindo o risco de ser estuprada e mereceu, porque não tem que ficar provando que é independente e pode receber amigos em casa sozinha. Isso é comportamento de PUTA. Fica querendo se igualar no que há de pior dos homens, tendo amigos e coisa e tal. Seja feminina, se valorize. Não tenha amigos homens.

Parabéns, comentarista.


--

A lógica no comentário das 12:03 não pôde ser encontrada. Por favor, retorne novamente mais tarde. Mais sorte da próxima vez.

Mirella disse...

Beatriz G.,


Pera, será que mudei meu nome para Beatriz? Porque entendo totalmente o que você postou e passo pela mesma coisa com meu namorado. E isto só reforça a necessidade do meu feminismo. É osso, né?

Anônimo disse...

@Post
O que o amigo (da onça) fez é crime e devia ter sido denunciado e preso. Eu no lugar dela teria denunciado o cara.

@Beatriz G.
Interessante você querer compartilhar com seu companheiro a sua luta.

Mas eu acredito que isso vai ser muito mais difícil do que você imagina. Afinal, o feminismo é uma luta das mulheres para que as mulheres tenham uma vida melhor. E o propósito de desconstruir as relações de gênero é libertar as mulheres da opressão do patriarcado. Somente as mulheres.

Talvez ele lute. Mas se lutar será por você. Até porque essa batalha não é dele. Aliás, nunca foi e nunca vai ser. Pelo menos não no melhor caso.

Mas sabe, talvez seja bom que essa luta não seja dele. Até porque no dia que ele for obrigado a lutar por si, vocês estarão em lados opostos no front, tendo em vista que o homem é visto como o opressor pelo feminismo.

Anônimo disse...

" "garota bêbada 'dar' pra metade do bar" não é crime. Garota beber não é crime. Garota ir a bar não é crime. Garota transar com quem quer que seja, desde que consentido, não é crime. Estupro é crime."

Ai Lola, no Mundo Encantado dos Mimizentos, tudo isso seria crime sim. Capaz de só a mulher "honrada" poder colocar os pés pra fora de casa, obviamente só durante o dia, para comprar comida e material de limpeza, de preferência acompanhada por um homem. Estilo Afeganistão ou planeta Gor, sabe?

Espero que a B. denuncie. É o único jeito de parar esses criminosos.

Luci

Marina disse...

Ai gente, foda-se esse Anônimo das 11:03, não alimentem os trolls, kras!Enfim, em relação a moça do post...Sinceramente não sei o q faria na sua posição, mas se sentir mais confortável em não denunciar, afinal seria mais uma coisa bem pesadinha para se enfrentar, não denuncie e não se sinto culpada por isso. Se respeite acima de td. Agora, se decidir denunciar, te aconselharia a buscar grupos de apoio que te ajudem nessa empreitada!
E é sempre bom lembra, pois senti uma pontadinha de culpabilização na sua frase "pois não sei direito o que aconteceu, e nem mesmo tenho 100% de certeza que fui estuprada”...Vc NÃO é culpada de nada, não importa o quão louca vc estava!Vc foi vítima de um dos atos mais terríveis q um ser humanos pode cometer e nunca, em nenhum momento pense q a culpa foi sua, por qualquer motivo que seja.
Tente ser forte nesse momento e se concentrar nos objetivos q vc quer alcançar e em td q te fez mudar de cidade e talz. Força e, caso necessário, procure ajuda profissional, q sempre é bem vinda!

garotinha disse...

Bruno S. eu entendi o que Dada quis dizer, ela não comparou "Sair com uma nota de 100 nas mãos em um bairro violento a noite" com receber um amigo em casa para conversar e beber. Acho que a questão é o uso da liberdade em um mundo onde não temos 100% de garantias que poderemos gozar dessa liberdade. Uma mulher nunca será culpada pelo próprio estupro, uma roupa provocativa não justifica a ação do estuprador. Mas acredito que ela questionou as motivações que algumas mulheres tem para só usarem roupas provocantes, só se sentirem bem desta maneira. Eu particularmente desaprovo muitas destas roupas que a midia e a moda oferecem para as mulheres andarem por aí arrasando quarteirão (tem uma tal de hot pants - é uma calcinha - que eu não imagino em que tipo de local uma mulher é bem recebida vestindo o modelo) chamando atenção para o corpo. É um outro assunto, que seria legal ver um post específico falando disso (se já não houve um)

Lu_ud disse...

@Anônimo 12:58:

"O feminismo é uma luta das mulheres para que as mulheres tenham uma vida melhor. E o propósito de desconstruir as relações de gênero é libertar as mulheres da opressão do patriarcado. Somente as mulheres. (...) Essa batalha não é dele. Aliás, nunca foi e nunca vai ser."

OI???

Da onde você tirou isso? Desculpa aí, mas quem te ensinou sobre feminismo te ensinou errado. Feminismo não é a luta de libertação das mulheres, é a luta pela igualdade dos sexos. O que, necessariamente, passa pela libertação feminina, mas não se limita nela.

Os homens não são o bicho-papão comedor de moçoilas inocentes. Eles também são oprimidos pelo machismo. Também são forçados a se encaixar em papéis de gênero, se limitarem. Também sofrem com a violência do machismo. Claro, as mulheres sofrem mais, mas isso por causa das relações de poder, o poder está nas mãos masculinas há séculos, as mulheres estão em posição mais frágil e portanto mais vulnerável. Mas isso não quer dizer que os homens não sofram.

O feminismo é uma libertação PARA AMBOS OS SEXOS. Beatriz, continue a tentar converncer seu namorado a ser mais feminista. Mas não porque ele te ama e quer um mundo melhor pra você, mas porque ele quer um mundo melhor pra todo mundo, inclusive pra ele.

Maiê F. Rezende disse...

Que situação pesada! O estuprador (ñ há pq chamar de outro nome) deixou claro que a violência sexual é uma questão de poder. Merecia enfrentar a justiça e ser preso.

A decisão da autora do post é compreensível. Denunciar sem provas físicas ou testemunhas é muito difícil. E quando a mulher se encontra bêbada ou drogada é quase impossível provar o ocorrido... Espero que consiga superar tudo e não deixe os atos de um cretino covarde a prejudicar ainda mais.

Anônimo disse...

Qual a semelhança entre beber e descer uma montanha perigosa de ski ?


voce fica alto
voce fica feliz
voce corre riscos


Anônimo disse...

Lola, onde está escrito que o "Anônimo das 11:45" é um "mascu", como vc disse?
Onde está escrito, ao menos, que é um homem?
Parece que vc já está com uma espécie de visão de túnel que encherga tudo que vc acha errado como "mascu". Tá na hora de pisar um pouco no freio.

Lu_ud disse...

@garotinha:
"Uma mulher nunca será culpada pelo próprio estupro, uma roupa provocativa não justifica a ação do estuprador"

Olha, essa é a principal justificativa pra tirar a culpa do estuprador e colocar na vítima, e é usada sim, todos os dias, com praticamente todas as vítimas de estupro.

Você desaprovar um estilo de roupa, é opinião pessoal, senso de estilo pessoal, enfim, questão pessoal e problema seu. Agora achar que ninguém mais pode usar a roupa que você desaprova, que é perigoso usar esse ou aquele tipo de roupa, que é normal a mulher se sentir intimidada em receber um amigo em casa, isso é machismo. E dos brabos.

A questão é: NÃO INTERESSA a roupa que a mulher está usando; interessa menos ainda a motivação por trás da roupa; hell, a mulher poderia até andar pelada e rebolando na Avenida Brasil: o estupro continua não tendo justificativa. Ponto final, the end.

Dada diz que esse é mais um caso de estupro que podia ser evitado, se a moça tivesse tomado as precauções devidas. Olha, isso escoa tanto machismo que me enoja. Culpabilização da vítima manda um abraço.

Lu_ud disse...

Anônimo 13:41:

Diferença:

Se eu cair do ski a culpa é minha e não da montanha (montanha sujeito passivo).

Se eu for estuprada, a culpa é do estuprador e não minha (estuprador sujeito ativo).

Usar o cérebro não dói, juro.

Anônimo disse...

me acho tão sortuda, ja q eu não bebo, então não tenho como ficar bebada =)) e se o fizesse, jamais seria sozinha numa casa com um homem.
Agora eu queria também fazer uma denuncia, do tipo as que vocês fazem, a imagem da capa do blog ao lado do nome (de uma menininha deitada) está insitando pedofilia.

Fefa disse...

Achei triste, repulsivo, monstruoso.

Não sei o que dizer, não sei o que faria. Só posso desejar força e serenidade pra vc que sofreu isso.

Denunciar ou não é uma escolha sua, sempre será e nunca, nunca mesmo, se sinta culpada pq vc não é...nem mesmo se desejar ficar quieta. Isso não faz de vc menor que ng, é apenas uma escolha que só vc sabe qto custa.

Um abraço meu, bem apertado. Infelizmente o ser humano pode ser tão nojento que dá ânsia de vômito, sabe?

=(

MCarolina disse...

Te achei uma pessoa muito equilibrada. Eu tramaria uma vingança.

Anônimo disse...

garotinha, pesquise sobre o termo SLUTSHAMING. Dada tb, por favor.

Raíssa disse...

Anonimo das 13:49

mulheres também podem ser machistas, independente de ser mulher ou homem, foi um comentário bem machista.

gente to chocada com a historia e com o nivel dos comentários, pensem no absurdo que vcs falam!!!! ela estava triste e o "amigo" insistiu pra fazer companhia pra ela e faz um troço desses, o cara é um nojento, babaca, monstro mesmo! Estupro e sexo não são a mesma coisa, quem consegue confundir, por favor vá se tratar!

denunciar ou não é decisão dela, mas acho que ajudaria mais se as denuncias fossem mais levadas a sério e os dedos apontados fossem para o criminoso (estuprador, para quem não entendeu)

Anônimo disse...

Triste o caso mas essa frase"sempre tive a tal amnésia alcoólica" e "feminista de merda" me deixou um pouco desacreditado soa até clichê, tem que se cuidar ao se embebedar assim... fico um pouco desacreditado nessas historias, mas verdade ou mentira é uma historia que da ódio creio que até esses talz de mascus que só conheci isso a 2 semanas atrás ficariam furiosos se fosse com uma irmã rs. E a guria provavelmente se lembra de mais coisas se não lembra devia estar muito louca mesmo. Fico feliz por estar com meus 20 e nunca ter feito sexo com uma guria nesse estado ou prescisar forçar a barra. Sugestão não bebam até cair com "amigos" sem uma pessoa de confiança por perto. (podem te roubar também)mas é assim mesmo não da para esperar que merdas assim aconteçam conosco ou que convivamos com essa escória de pessoas.obs Primeira vez que comento gostei do blog fico receioso de comentar por ser homem rsrs até.

Anônimo disse...

Não é culpa sua confiar na pessoa errada, querida. Não havia como saber, em momento algum você sabia que isso aconteceria, senão nunca teria feito amizade com esse babaca.
Muita força, mesmo <3

Christian Barreto disse...

É muito triste esse tipo de situação. Discordo completamente da teoria dos estupradores em potencial, e acho mais absurdo ainda que se culpe as vítimas. Reforço o que já falaram aqui: você não fez nada de errado. Força! Estamos com você.

Marina disse...

Ai DaDa, francamente.A questão de roupas, decotes, provocações, é muito simples, na verdade. Se um homem pode sair sem camiseta na rua pq está calor, uma mulher também deveria poder, e ponto final. Só q não pode, pq é visto como provocação.Agora, pare e pensa, quem foi o senhor "todo poderoso" que instituiu que os peitos de um homem nus não são provocação e o de uma mulher são????Tchan Tchan Tchan Tchaaaaaaaaaaan..nossa sociedade machista, misógina e controladooraaaaa!!!Então vc precisa analisar essa questão tendo em vista que sua opinião sobre os fatos estão "contaminadas" com a ótica na nossa sociedade controladora, que é demonstrado claramente quando vc classifica um decote como provocativo..A questão é, PQ um decote é considerado provocativo e um homem sem camisa não...Ou ainda, mesmo que um homem sem camisa seja considerado provocativo em algumas situações, pq nunca, ninguém pensaria q eles está se arriscando de alguma forma?Um mulher sair de decote na rua não deveria ser uma "situação de risco", assim como, no caso do post, uma mulher chamar um amigo recente na sua casa para tomar cerveja, tbm não deve ser!É impossível viver de maneira saudável achando a todo instante que vc pode estar em uma situação de risco, dentro da sua própria casa, com seus amigos!E apontar o dedo dizendo que ela não percebeu o risco terrível que se encontrava é no mínimo covarde.
Ah, e outra coisa, pare de julgar que bebe!Não gosta blz, mas tem mta gente que bebe, gosta de ficar bêbada pelo simples prazer de ficar louca, eu por exemplo. É, pois é, tem gente que gosta da sensação e é só isso, então pode parando com preconceitinhos bestas!

Raziel von Sophia Imbuzeiro disse...

Esse papo de ter precauções devidas para evitar, nesse caso, me deixa confusa.
Acompanhemos o raciocínio:

> A guria tem um amiguinho
> Acontece um negócio e ela precisa de auxilio emocional
> O amiguinho vai na boa curtir um pouco e eles ficam lá bebendo(simplesmente cerveja) e falando merda.

Quem imaginaria que disso sairia um estupro do próprio amiguinho?

Sara disse...

http://g1.globo.com/videos/goias/t/todos-os-videos/v/inquerito-de-crime-sofrido-por-casal-em-anapolis-deve-ser-concluido-na-proxima-semana/2333744/

Mas uma mulher entre tantas, (a média são 12 p dia) q sofre a violência absurda do ex namorado canalha e inconformado com o final do relacionamento, esse monstro ainda por cima postou no FB, q ao q indica ta virando um reduto de marginais, q faria tamanha mosntruosidade e não bastasse isso gargalhou e teve varias 'curtidas', as vezes da desânimo Lola, o machismo esta cada dia mais presente e se fazendo sentir nas vidas das mulheres, da desespero e muito ódio de tudo isso.

Eva disse...

Toda a minha solidariedade à vítima. Que você possa sair disso fortalecida, manter em mente que a culpa não é sua. Eu sei como é difícil mudar de cidade, eu já tentei e não deu certo. Espero que você faça novxs amigxs em quem verdadeiramente possa confiar.

_____

Bom, eu confesso que parei de beber. Por mais que não seja crime beber, é assim que nos tratam. Então eu bebo muito pouquinho, o suficiente pra me divertir (porque eu de fato gosto muito de beber), sem no entanto perder plena consciência do que eu estou fazendo. É triste isso, mas nós não temos os mesmos direitos que os homens de jeito nenhum. A cultura do estupro tá ai, querendo mostrar pra gente qual é o nosso lugar.

Anônimo disse...

Alguém aqui sente alguma coisa, quando ve um homem sem camisa ?

Penny Lane disse...

Eu também entendi o ponto de vista da Dada.

Ser livre, usar a roupa que quiser, é sim um direito que toda mulher tem.Ninguém está falando o contrário.A moça ter confiado no rapaz, direito dela também.Ninguém está culpando ela pela pelo comportamento do monstro.

Mas nem por isso, vamos nos colocar em situação de risco, porque como a Dada falou, isto não é garantia de segurança.Uma menina em uma balada, que bebe até perder a consciência, não está fazendo nada de errado.Mas tem muita gente ruim neste mundo.Lobo em pele de cordeiro.SEMPRE vai ter alguém que vai querer levar vantagem sobre a condição dela.Não tem jeito, o mundo é cruel.Estamos nos fim dos tempos.Não adianta fingir que não está vendo.

De tanto que já li histórias como estas aqui, cheguei à conclusão que estamos aprisionadas.Lutamos, mas praticamente não saímos do lugar.A vítima " sempre é a culpada".A leis nunca são severas com estes criminosos.A cultura do estupro parece nunca regredir, só avança a cada dia.

Cuidado nunca é demais.Acho que o negócio é "confiar desconfiando".É horrível? É! Mas confiar completamente no ser humano,e carregar uma experiência dessas, está PARA MIM está fora questão.


Fernanda disse...

Lu_ud arrasou nos comentários. Minha gente, estupro acontece durante o dia, estupro acontece em países que a mulher só pode usar burca, estupro acontece até pelo marido ou companheiro, ou mesmo pai (sabe, aquelas pessoas que confiamos e acreditamos que nos ama). Vamos parar de achar que estar bêbada é postura de risco, postura de risco é ensinar aos homens que tem mulher pra casar e pra pegar, vagabunda e mulher de respeito, que mulher tem que ser submissa, etc e tal.Pelo que ela conta do amigo dela, ele faria isso bêbado ou sóbrio, com ela bêbada ou sóbria. Daqui há pouco vão dizer que não podemos nem ter amigos homens, que absurdo.

Priscila disse...

Anônimo disse...
Quem disse que queremos convencer alguém que não somos misóginos? Isso está no passado.

9 de janeiro de 2013 12:32

------

Lola, acho que está na hora de atualizar este post aqui:

http://escrevalolaescreva.blogspot.ch/2012/09/falta-quanto-pros-mascus-assumirem-sua.html

Anônimo disse...

bom, eu ja deixei um comentario aqui num outro post sobre estupro e vou repetir: NAO DA PRA TER AMIZADE COM HOMEM HETERO. sera que é tao dificil aceitar essa realidade? mais cedo ou mais tarde eles vao tentar alguma coisa. todos os meus amigos heteros me decepcionaram, sempre acabam avançando o sinal. fim de papo. faça amizade com mulheres ou gays e vc nao correra riscos.

klara sobral

Jonas M disse...

Sinto pelo ocorrido, é realmente nojento o que aconteceu, principalmente num momento em que você já estava frágil emocionalmente.
Agora um conselho: eu acho que você deveria sim denunciar, procurar ajuda para isso, como já falaram. Esse cara é um predador, pelo que tudo indica, já deve ter ido com intenções de violência, principalmente por se aproveitar de um momento oportuno e de ter insistido para ir.
O fato de você estar bêbada não desqualifica o ato, foi algo horrível e se aconteceu uma vez, pode acontecer com outra pessoa (sendo ou não premeditado).
Desejo força para lidar com isso!

Anônimo disse...

Todo cuidado é pouco, o cara era um amigo? Há quanto tempo eles se conheciam? Pega o primeiro maníaco , chama de amigo e coloca em casa... Na boa, feminismo nada tem com o ocorrido. Alguém duvida que mesmo sem discutir, ele não faria a mesma coisa? Mesmo se ela tivesse concordado com todas as opiniões dele, ele agiria do mesmo jeito. E essa moça tá muito errada em não denunciá-lo. Ela pode evitar que outras sejam vítimas deste marginal maníaco.

Suelen disse...

Estar bebado é conduta de risco sim,gente bebada tem muito mais chance de sofrer acidente de carro.
Se ela n estivesse bebada,talvez tivesse tido forças para escapar desse fdp.
Eu n estou dizendo q a culpa é dela mas estar bebada deixou ela mais vuneravel.
Tenho um primo q encheu a cara numa festa e quando acordou tinha 2 homens beijando ele.

Lisa disse...

"Graçado" como quem diz que as vítimas deviam saber o risco que correm são os mesmos que surtam com a ~misandria~ quando alguma radfem fala que "todo homem é um estuprador em potencial." A única coerência que eles têm é a convicção de que o problema está sempre na mulher, tanto na que confia quanto na que desconfia. Amiguxos, vocês não podem defender a prudência paranóica e se ofender quando alguém explicita as ideias que a embasam.

Raziel von Sophia Imbuzeiro disse...

Todo mundo falando que ele não tinha culpa por estar bêbado...
Não manjo muito das judiciarias, mas, me corrijam se eu estiver enganada:

A Jurisprudência atualmente vê o álcool como agravante de crimes e não como elemento de redução da pena.
Ou estou enganada?

Anônimo disse...

Ao Anônimo das 15:37

Eu sou hétero, cultivei algumas amigas durante minha vida e nunca avancei o sinal com nenhuma delas. É complicado generalizar assim.

Anônimo disse...

KALI, desesperadamente humana.

"A mensagem que é passada é que homens não são confiáveis, são todos estupradores em potencial, que não devemos beber com eles, ficar a sós com eles, confiar neles, a não ser que queiramos ser estupradas."

Cuidado com comentários misândricos!

Anônimo disse...

Anon das 15:58, a B.não fez absolutamente nada de errado. E o feminismo tem sim muito a ver com o ocorrido, é graças ao machismo que homens se acham no direito de abusar e saem impunes com a certeza que a vergonha da vítima será maior do que a vontade dela de denunciar. Tem muito a ver também com slutshaming, acusações sem pé nem cabeça como as suas, que sempre arrumam um jeito de transferir parte da culpa para a vítima.

Cansa e é contra produtivo.

Desejo a B. coragem nessa hora e apoio para denunciar. Eu passei por uma situação semelhante. É muito, muito difícil não se calar e não fazer de conta que nada aconteceu. Sem apoio e sem dar nome aos bois - foi um crime, ele é um criminoso - a vítima fica sem outra saída e ele sai impune.

Luci

Anônimo disse...

Eu não confio em homem nenhum, não me arrisco nunca e pra mim todos são estupradores em potencial, bastando uma oportunidade e a chance da impunidade.

Anônimo disse...

Anonimo das 14:42

Entendo sua boa vontade, mas antes defina "pessoa de confianca". Eu fui abusada sistematicamente pelo meu irmao dos meus 5 aos 7 anos. Ngm desconfia, todo mundo o acha um cara legal. Como vamos adivinhar quem eh de confianca?

Anônimo disse...

bom, eu ja deixei um comentario aqui num outro post sobre estupro e vou repetir: NAO DA PRA TER AMIZADE COM HOMEM HETERO. sera que é tao dificil aceitar essa realidade? mais cedo ou mais tarde eles vao tentar alguma coisa. todos os meus amigos heteros me decepcionaram, sempre acabam avançando o sinal. fim de papo. faça amizade com mulheres ou gays e vc nao correra riscos.

klara sobral

----
Tentar alguma coisa é diferente de estuprar.

Maíra disse...

Espero que, mesmo a distância, você se sinta acolhida pelos comentaristas solidários e empáticos do blog e isso, de alguma forma, possa te levar luz, força e coragem.

Não se culpe pela violência que você sofreu e não aceite que te culpem por ela, todxs nxs, pessoas pensantes, sabemos que a única causa de todos os estupros é o estuprador.

Continue sim na luta feminista e continue com todos os seus outros objetivos, interesses, hobbies... Não deixe que a violência faça de você outra pessoa porque esse é um dos objetivos dela.


@Lu_ud
Adoraria poder andar pelada e rebolando por qualquer lugar público com o calor que tem feito nessa cidade... Só não sei se a o tipo de roupa que gostamos é só condicionado pelo nosso gosto pessoal, acabei lembrando de posts passados sobre preconceito racial em que o tal "gosto pessoal" encobria o preconceito...

@Anônimo 15:05
E que diferença faz a pessoa estar ou não sem camisa? Se o ser tiver aquele órgão, sempre protegido das nossas vistas e desconhecido pelos mascus, popularmente conhecido como cérebro, as idéias serão tão arrebatadoras que ninguém vai perceber se elx tirar a camisa.
E já vi isso acontecer, com um ser do sexo feminino como oradora e com um ser do sexo masculino como orador. Mais de uma vez.

Rosanna Andrade disse...

Penny Lane, Dada e etc.

Por favor, primeiro postem dados que mostrem que mulheres que saem com roupas provocativas sofrem mais estupros do que as que evitam decotes e roupas curtas. Antes disso, eh soh senso comum e cultura de estupro mesmo.

Quanto a ficar bebada ate cair: eu gosto de beber de vez em qdo, mas n nego que ficar desacordada pode ser um risco p sermos vitimas d um crime. Mas n acho que isso seja negado pelas feministas. O problema eh o tratamento dado a vitima depois, como se ela tivesse merecido, ou pior, a ideia de "amigos" que uma mulher desacordada equivale a uma oportunidade de ter sexo.

Leila disse...

mas e aí, ela tá bem? fez os exames, buscou ajuda pra superar o trauma? queria saber o desfecho da história, se já teve algum, mtos abraços e beijos nela, toda minha solidariedade <3 <3 <3

Luiza disse...

"bom, eu ja deixei um comentario aqui num outro post sobre estupro e vou repetir: NAO DA PRA TER AMIZADE COM HOMEM HETERO. sera que é tao dificil aceitar essa realidade? mais cedo ou mais tarde eles vao tentar alguma coisa. todos os meus amigos heteros me decepcionaram, sempre acabam avançando o sinal. fim de papo. faça amizade com mulheres ou gays e vc nao correra riscos. "

Os meus, não.

---------
Moça do post, força pra você. Eu denunciaria, mas entendo seu silêncio e admiro sua força.

Lu_ud disse...

Fernanda, não precisa mais esperar, a Klara já disse logo abaixo: não podemos ter amigos homens!

Olha só né, a solução pra todos os problemas: é só excluir metade da população do planeta do seu círculo social, que você vai ser feliz e viver segura.

Klara, dizer que nenhum homem hétero é de confiança, e que amizade entre homens e mulheres não existe, além de ser muito deprimente, é uma generalização do pior tipo. Eu ia discutir com você, mas cheguei à conclusão que não vale à pena. Qualquer pessoa que ache que o sexo e a orientação sexual de uma pessoa são indicativos do caráter daquela pessoa tem sérios problemas, muito mais profundos do que um simples comentário pode resolver. Já que você deu o primeiro passo e está aqui na Lola, sugiro dar uma lida em mais artigos dela, pra ver se de repente abre sua cabeça. Se ninguém te avisou ainda, eu aviso: você está sendo machista.

Anônimo disse...

Eu, quando bebo, não faço nada. Vomito, às vezes. Durmo. Ronco. Peido. Mas eu não conto muito, eu acho. O fato é que os caras são muito estúpidos. Quando a gente diz para as garotas se cuidarem quando bebem, não está querendo dizer que bem feito, beberam tinham mais é que ser estupradas. Pelo contrário, saibam, garotas, que quando vocês bebem fica mais fácil os estúpidos cometerem crimes. Acho que vale a dica de, caso beber, tomar, além de cerveja, cuidado.

Lu_ud disse...

Anônimo 13:54:

Boa tentativa. Tenta de novo, dessa vez com mais afinco, de repente alguém te leva a sério e até acredita que você está falando a verdade.

A foto da capa é da própria Lola. Mas mesmo que não fosse... quer dizer agora que todas as fotos de rostos de criança induzem à pedofilia? Caramba, você deve ter uma mente realmente muito pedófila pra pensar uma coisa dessas...

Por vias das dúvidas, acho melhor proibirmos todas as fotos de criança, inclusive as 3X4 nos documentos de identidade, porque DEUSNOSLIVRE de alguém olhar pra uma foto de rosto de criança e ser incitado a ter pensamentos impuros, onde essa sociedade vai parar?

Anônimo disse...

Muita força pra você moça e qualquer coisa se quiser fazer ele amanhecer com a boca cheia de formiga só dar um alô aqui no blog da Lola que eu tenho ótimas conexões com excelentes assassinos de aluguel que adoram dar cabo de estupradores.

Elisa disse...

Klara Sobral,

como assim não dá pra ter amizade com homens heterossexuais? Assumir essa postura é admitir que mulheres e homens são seres antagônicos, incapazes de viver de forma harmônica. Essa ideia vai contra tudo que o feminismo busca, pois como alcançaremos a igualdade entre os gêneros e o fim da opressão machista tanto sobre umas quanto sobre outros se partimos do princípio logo de cara que homens são "o outro", "o inimigo"?

Fico triste de saber que você teve tantas decepções com amigos homens heterossexuais, mas não dá pra culpar todos as pessoas que se encaixam nessa descrição, ou seja, boa parte da população do país, pelos erros de indivíduos específicos. Eu imagino o perfil desses caras que te decepcionaram, todxs já nos deparamos com o tipo e sabemos que é realmente comum, mas garanto que há homens héteros que são excelentes pessoas. Alguns dos meus melhores amigos são héteros, aliás, mas, não por acaso, são pessoas que de alguma forma já superaram muitas das imposições machistas que a sociedade faz sobre os homens. Do meu ponto de vista, aliás, alguns deles são a prova de como o feminismo é benéfico pra todo mundo, independente do gênero.

Penny Lane disse...

Rosanna Andrade,

Aonde foi que escrevi que mulheres que usam roupas decotadas sofrem mais com este tipo de violência, do que as que não usam decote?

Eu quis dizer, isto é minha opinião,é que o mundo é de cão.hoje em dia,não dá pra confiar no que o outro pensa.Acho muita ingenuidade ou vista grossa mesmo,lidar com o mundo como se ele fosse cor de rosa, que não há maldade nele.

Quando se trata do ser humano, decepção é inevitável.Você quer ser livre, ótimo.Mas saibam que existe gente ruim nesse mundo.Há coisas que acontecem com ou sem oportunidade.Se há como eu evitar, EU vou evitar.

Bebida por exemplo, que é o que anda movimentando esta discussão, é uma coisa que eu não curto exagerar,justamente porque eu tenho medo de que alguém se aproveite de mim.Mas isto sou.É uma das formas como eu lido com o mundo a minha volta.Não estou pedindo que ninguém concorde ou pense como eu.

Mariana. disse...

gente, há um tempo atrás teve um guest post aqui na Lola de uma garota que, se não me engano, não sabia se tinha ou não sido estuprada. Ela contou que ambos estavam bêbados, algo assim... Não fui procurar o post mas é meio recente, lembro desses detalhes apenas.

Mas me lembro que nos comentários a maioria do pessoal concordou que NÃO foi estupro. Foi só uma atitude imbecil, mas não foi estupro. Entre as inúmeras justificativas estava "ambos tinham bebido".

O que mudou de lá pra cá? por que os dois casos são encarados de forma diferente?

São dúvidas sinceras, espero ter respostas educadas.

PS: nunca que eu concordo com "a gente faz bêbado aquilo que deseja fazer sóbrio". Não é verdade. E vocês sabem que isso não valeria pra garota que """decide""" ficar com todo mundo do bar depois de bêbada. Vamos chamar os caras de estupradores, não vamos?

PS2: não tem limite, não beba!! [2]

Priscila disse...

A todxs que acham "arriscado" uma mulher receber um amigo heterossexual em casa sozinha, acho que vale a pena partilhar umas experiências minhas.

Eu moro há três anos num país bem menos machista que o Brasil. Logo que cheguei e estava indo atrás de lugar para morar, eu não concebia a ideia de morar sozinha com um homem. No Brasil, isso meio que não existe. Uma mulher solteira morar com um homem solteiro - que não seja um parente ou o namorado - causa estranheza, levanta suspeitas e é o tipo de coisa que deixa as nossas mães preocupadas.

Com o tempo, fui observando que várias das minhas novas amigas moravam cada uma com dois, três ou quatro caras. E que muitos dos meus novos amigos também dividiam apartamento com moças. E que nunca acontecia nada (ao menos não sem consentimento :)). Também é considerado normal e socialmente aceitável que uma mulher e um homem saiam sozinhos apenas como amigos. E também é normal receber umx amigx do sexo oposto em casa, ver filme junto e beber até tarde da noite sem que aconteça nada além de ver filme junto e beber até tarde da noite.

Uma vez, precisei dar abrigo para um colega - que nem era tão amigo assim - que morava em outra cidade e tinha perdido o último trem para voltar. Ele dormiu no MEU QUARTO e em nenhum momento tive medo de ser estuprada.

Por quê? Porque aqui, pelo que notei, não existe essa noção de que a mulher está "pedindo" p*rra nenhuma. Não existe essa ideia de que é "perigoso" para uma moça solteira ficar sozinha com um homem. Como os homens são ensinados a respeitar as mulheres, as mulheres não precisam ser ensinadas a temê-los. E é maravilhoso poder baixar um pouco a guarda. Não se (des)iludam, galëre, amizade entre homem hetero e mulher hetero é possível sim.

Portanto parem de culpar a moça por ter confiado no amigo.

Nuba ofKau disse...

Aqueles que dizem que é ingenuidade de uma mulher receber visitas sozinha em casa ou beber demais perto de um homem são os mesmos que acusam as feministas de "misandria" por, segundo eles, olharem para homens como se todos fossem estupradores.



Ligia disse...

@Priscila Que país maravilhoso é esse? É a Suécia?

Anônimo disse...

Realmente este país que a Priscila mora parece ser bem melhor que aqui. Mas pelo menos não estamos na Índia, já é alguma coisa.

Anônimo disse...

A culpa nao e a bebida . Afinal , acho que um cara muito bêbado , que nao responde pelos seus atos , provavelmente nao tem uma erecao razoável para fazer sexo, certo ? Entao a culpa nao é da bebida , é do machismo mesmo .

lola aronovich disse...

Mariana, acho que vc está falando deste post aqui, certo? A diferença é que, no caso da moça que perguntou se havia sido estuprada, ela tinha dúvidas se esse realmente havia sido o caso. Mas eram (e são) amigos, não houve ameaças, não foi um clima de discussão. Neste caso agora, o clima mudou, de acordo com a leitora, quando os dois começaram a ter algumas discussões, e o cara revelou ter pensamentos machistas. Parece que o estupro foi uma represália por ela ser feminista. Ou seja, teve muito mais a ver com uma manifestação de poder e punição que com sexo e desejo.
E também, como eu disse, no outro post o tema era polêmico. Muita gente pode interpretar que aquilo foi estupro, sim. Neste post, só mascu mesmo pra dizer que não foi estupro...

Bruno disse...

Considerando que ela não deseja denunciar, e se o rapaz estava arrependido, pediu desculpas e provavelmente estava se sentindo muito culpado pelo que fez bêbado, o melhor seria o caminho do perdão e da compreensão, orientá-lo a procurar ajuda (psicológica ou mesmo psiquiátrica) para que isso não se repita mais.
Evidentemente esta é a solução que vejo de longe, não posso de modo algum exigir da autora do post, que sofreu uma violência, que reaja com tanta serenidade. Creio que esta solução seria a melhor, mas não sei se eu mesmo colocando-me na situação da autora do post seguiria por ela, ou se reagiria da mesma forma como ela reagiu - esquecendo e não querendo mais vê-lo nunca mais - ou mesmo se tentaria outra coisa.
O que me entristece é ver que a autora do post ainda convive com o medo (citando o fato do rapaz ser faixa-preta) e que o mesmo que aocnteceu com ela pode acontecer de novo com outra. Entendo que ela receia denunciar, mas pedir para que ele se trate fosse uma boa alternativa.
Por fim, só tenho a desejar força à autora do post para que consiga passar bem por qualquer dos caminhos que escolher em relação a isso.

Anônimo disse...

Merda acontece quando se bebe. Isso é uma coisa que se tem consciência antes mesmo do primeiro gole. A culpa não é da vítima, mas precaução é sempre bem vinda. TÔ ERRADO?

Inaie disse...

Uma história horrivel sem dúvidas. Mas eu não consigo entender uma mulhger que se auto entitula feminista, diz defender sua ideologia e não denuncia um estuprador. Que apesar de ter 100% de certeza de ter sido estuprada, toma banho e lava as roupas...
Essa atitude me parece bem machista, se me permite a opinião.

Maxwell disse...

"Dá um desconto, o cara também estava bêbado. Gente embriagada faz coisa que nunca fariam em outra situação." - Nenhum juiz acataria uma desculpa dessas.

Elaine disse...

Muitos comentários legais, e os anônimos não tem jeito eles não entendem o que estamos falando, eu nem sabia que era feminista. E o mundo é machista, meu pai, meus irmãos até minha mãe é machista, são acostumados a pensar que os homens tem certos privilégios e as mulheres tem certas obrigações, se cuidar, se comportar, não beber, não dar quando tem vontade, se valorizar, segurar o desejo. Mas acho que um dia a gente chega lá, teremos os mesmos direitos e ,
deveres .

Anônimo disse...

Prezada Lola, lamento, mas o argumento do Anônimo das 11:45 tem muito fundamento. Afinal, para vocês, se um homem faz sexo com uma mulher bêbada, é considerado estupro. Mas não deveria, já que estar bêbado(a) não tira a responsabilidade de ninguém, certo?

Anônimo disse...

Lola olhe esta matéria:

http://br.noticias.yahoo.com/grupo-feminista-protesta-frente-%C3%A0-casa-vidro-bbb-124446379.html

Anônimo disse...

elisa e outras pessoas que responderam ao meu comentario: sou feminista, luto pelos direitos das mulheres, pelo respeito as minorias e tudo mais, sou leitora assidua do blog da lola e de varios outros blogs feministas. se na visao de alguem eu sou misandrica, sinto muito. todos os meus "amigos" heteros, sem excecao, tentaram avançar o sinal, todos foram canalhas. confiei e fui traida, sem ter dado permissao ou abertura. eu cheguei a conclusao de que, pelo menos no meu caso, nao da pra ter amigo homem. e devo confessar que tenho sido muito mais feliz assim. nunca mais arrumei problema ou enchecao de saco pra mim. drogas, to fora!

klara sobral

Lu_ud disse...

Lendo alguns comentarios estou comecando a achar que eu devo ser muito ingenua e muito sortuda.

Porque eu nunca limitei o tamanho do meu decote por medo. Na verdade, nunca me passou pela cabeca ter medo de usar decote. Nossa, que falta de prudencia a minha... Tudo bem que eu evitaria certas cantadas e olhares que incomodam, mas nunca me deixei abalar por essas coisas, nao sabia o risco que estava correndo.

Mas fica pior ainda, tenho varios amigos homens heteros, o horror!!! Na verdade, parando pra pensar, a maioria absoluta dos meus amigos é homem, porque eles eram maioria na minha faculdade, e era com eles que eu andava. Andava, ia pra festas, ficava bebada. Nunca nenhum deles atravessou nenhuma linha. Rolava algumas paqueras com alguns, mas coisa normal da vida. Sera que sou feia, gente? Mas todo mundo me diz que sou tao bonita... Ja fiz ate alguns trabalhos como modelo na adolescencia, porque sou bem padraozinho da midia, com cara e altura de nordica. Vai ver esses meus amigos nao se sentiam atraidos por esse padrao ne...

E olha que a situacao fica pior, porque eu nao tinha ideia que nao podia ter amigo homem e nao me passava pela cabeca que nao podia confiar neles, entao ja chamei varios deles pra dormir na minha casa!! Eu moro sozinha, olha que perigo!! Meu apartamento ficava do lado da faculdade, entao toda vez que tinha festa pelo menos um amigo bebado caia no meu sofa, pra nao precisar dirigir ou pegar onibus de madrugada (isso sim muito perigoso). E sabe, nenhum deles nunca ultrapassou nenhum limite, nunca me senti intimidada, nunca tinha pensado que havia algo de errado nisso.

A maioria desses caras continua meus amigos. Alguns casaram, ja tem filhos. Outros continuam solteiros. Meu melhor amigo é hetero e homem. Tenho 28 anos e conheco a maioria desses caras a pelo menos 10. Ainda bem que li os comentarios daqui, se nao fossem essas pessoas tao brilhantes eu nunca ia imaginar o perigo que corri durante essa decada!! Vou correndo ja ligar pra todos os meus amigos e dizer pra eles que nao podemos mais ser amigos, que eles nao podem mais bater aqui em casa quando tiverem vontade, nao podem mais ir pro bar comigo beber ate cair, nao podem mais pedir pra dormir no meu sofa quando precisarem, nao podem vir aqui jogar cartas, nao podem ir pra minha casa na serra passar o fim de semana. Uma pena acabar com decadas de amizade, mas fazer o que, sao todos possiveis estupradores, preciso ficar longe deles!!

Obrigada pelas dicas incriveis pessoal, mudaram minha vida.

Anônimo disse...

Anônimo da 17:57
Talvez você nao esteja errado, porém e incrível como mulher tem que ter mais medo de beber... E como ninguém usa muito esse argumento quando roubam a carteira do bêbado, por exemplo...

luh disse...

Concordo com aqueles que disseram que nao devemos nos expor a riscos. Se há esturros freqüentes em um determinado bairro da cidade, acho bom evitar andar por lá sozinha a noite de minissaia por exemplo.

Porém nao foi o que ocorreu com a garota do post. Nao e arriscado receber um amigo em casa e beber junto com ele. A vitima nao tinha como adivinhar, esse caso foi uma fatalidade.

Mariana. disse...

Sim, Lola. Era deste post mesmo. :)
Eu reli ele agora, de fato os casos são iguais mas são diferentes, se é que você me entende.
Concordo com você. Mas você há de convir que as diferenças são sutis talvez não aos nossos olhos - principalmente aos seus olhos treinados - mas para um eventual julgamento judicial, talvez seja difícil delimitar onde termina um imbecil e começa um estuprador, entende? por isso sinto necessidade de colocar tudo preto no branco, e é difícil. Nesses dois casos, por exemplo, eu considero que o primeiro não foi estupro e o segundo sim, mas não consigo explicar satisfatoriamente se alguém me perguntar o que me fez ter exatatamente esta opinião.

Os dois casos envolvem um casal de amigos que bebeu umas a mais juntos. Talvez na primeira situação a quantidade de álcool ingerido pelo imbecil tenha sido alta a ponto de ele forçar a barra, e no segundo caso talvez o cara nem estivesse tal alterado assim e sabia muito bem o que estava fazendo. Mas isso tudo são só suposições e, além do mais, alcool não pode virar desculpa para se cometer crimes. Se alguém tiver informações mais específicas sobre como um alcóolico (diagnosticado) é tratado na justiça (imagino que do mesmo modo que algum dependente quimico), eu agradeceria, acho que enriquece o debate ir além do achismo. Esse cara do post, ainda que bebado, seria julgado comumente (não é dependente de álcool), acho eu e o agravante viria por conta de a vítima estar em estado vulnerável.

Shey disse...

Nossa, ou eu sou burra ou é esse povo q não sabe lê e fica vomitando "conselho bonitinho"

pessoas que falaram q ela devia se precaver:

Cês sabem ler? Cês tem problema? Ela foi estuprada por um porco que era supostamente AMIGO dela. A-M-I-G-O.

Sabe, aquele fulano que vc CONFIA? Que é meio q uma família que vc não escolhe?

Cês leram a parte em que ele ficou com raiva de alguma coisa que ela disse e POR ISSO A AGREDIU? Em que ele disse:" FALA QUE VC TÁ GOSTANDO, FEMINISTA DE M*"?

Agora leiam de novo, reflitam, pense com a cabeça e não com a bunda, sim?

Obrigada.

Jardel Marcos disse...

Credo, isso aqui está parecendo um desses programas de imprensa sensacionalista tipo Datena, ou desses tantos que só falam de morte, estupros e violência. Sempre que acesso esse blog são somente esses assuntos. Isso acaba involuntariamente prestando serviço à violência; acaba des-sensibilizando. Acho que falta à blogueira um comprometimento real com o combate à discriminação contra as mulheres contra certas minorias. Esse compromisso sempre alardeado aqui de que "todo dia tem um post" deveria ser revisto. Quantidade não é qualidade. Quando faltar assunto, fique sem postar. Evita esse excesso histriônico de martirização e jornalismo B.

Anônimo disse...

Eu não confio 100% em ninguém, muito menos em homem. Essa garota tinha que denunciar o ESTUPRO. Olha p comportamente desse cara, óbvio que ele já estuprou antes, caramba! ELE PREMEDITOU!

Depois vai na casa da mulher que estuprou pra "conversar", pedir desculpas??? Se NÃO vivéssemos numa cultura de estupro ele teria FUGIDO.

Se fosse eu teria deixado ele subir e jogado óleo fervendo em cima dele.

lola aronovich disse...

Jardel, vc está ditando o que meu blog deve ou não publicar? É melhor não falar de estupro, pra fingir que ele não existe? Parando de falar em estupro, o estupro deixará de existir? Creio que o enfoque que meu blog dá a um estupro ou a outros casos de violência é bem diferente daquele de programas sensacionalistas. Veja os posts dos últimos dias pra ver que os assuntos são bem variados: hoje foi um guest post sobre estupro, ontem foi um post levinho sobre gatos e capas de disco, segunda foi sobre um filme, Sentidos do Amor, domingo foi um guest post sobre gravidez, sábado outro guest post, este sobre uma discussão machista, sexta sobre homens feministas, quinta sobre como o Facebook permite páginas de ódio, quarta um guest post sobre roupas e feminismo, terça uma retrospectiva pessoal, segunda um post sobre o caso de estupro e morte na Índia (não era pra falar nisso também?). Eu faço o possível pra variar os guest posts e os temas dos meus posts o máximo possível. E acabei de te provar que consigo variar.
Mas vc não precisa acessar o meu blog. Há muitos outros por aí. Uma boa parte, inclusive, não tem atualizações diárias. São perfeitos pra vc.

Anônimo disse...

Masculinistas igualam sexo e estupro porque sexo é definido sob a ótica masculina (assim como quase tudo no mundo). E a ótica masculina não se importa com os outros (ou a outra nesse ponto, já que a grande maioria dos estupros são cometidos contra mulheres e meninas). Tudo o que importa é ter um buraco para enfiar o pinto. Para a ótica masculina forçar alguém a servir de buraco para um homem enfiar seu pinto não é estupro. Estupro é outra coisa. É quando esse "buraco para enfiar o pinto" pertence a outro homem e esse outro homem reivindica seus direitos de propriedade.

Anônimo disse...

O estupro é um castigo, uma punição à mulher. Nada tem de sexo...

rafa disse...

Muita, muita força querida, se possivel, converse com alguém, vá a um psicologo, tente da melhor maneira possivel, ficar bem.

Força

Joana disse...

Na boa?

Essa moça devia pagar uma grana pra alguns desocupados DESCEREM A PORRADA nesse vagabundo.

Sim, estou defendendo que ela deveria devolver a violência com violência.

Anônimo disse...

Para o anônimo das 16:24 -

Por favor, não tire as coisas do contexto para interpretá-las e tirar conclusões. Leia todo o comentário da Kali COM ATENÇÃO para perceber que o que você disse sobre os comentários dela nada tem a ver com o texto que ela escreveu e de onde você tirou esse trecho.

-Lúcia

Ju disse...

Lolinha, me permita manda esse Jardel À MERDA!!!!!!!!!
Queria escrever outras coisinhas de baixo calão mas não sei se vc aceitaria meu comentário. Obrigada.

Rosanna Andrade disse...

Penny

desculpe, relendo sua postagem vi que entendi errado, pq vc comecou com "Ser livre, usar a roupa que quiser, é sim um direito que toda mulher tem." e depois completou com "Mas nem por isso, vamos nos colocar em situação de risco" e eu juntei as duas coisas, mas depois vi q vc se referia a situacao de ficar alcoolizada.

-----------------------------------

Mesmo assim, fiquei curiosa. A gente sabe que esse tipo de caso acontece bastante (alem dos relatos no blog, tem a velha fase "Cu de bebado n tem dono"), mas seria interessante comparar os dados de estupro de vulneravel, estupro por parentes e conhecidos sem a vitima estar drogada/alcoolizada, e o classico estuprador-no-beco-escuro (q costuma ser o unico considerado "legitimo", argh!).

Eu entendo vcs que alegam nao concordar de maneira nenhuma com a cultura de estupro, mas pessoalmente lutam com as armas que tem p se defender (ex: nao ficando sozinhas com homens heteros que nao sejam de seu interesse, nao bebendo demais, etc). Mas assim como ha a ideia de que querer fazer esse tipo de coisa sem correr riscos eh romantizar em um mundo cruel, devo dizer que a ideia de que evitar certas atitudes tambem nao nos protegeria muito mais, talvez so um pouco.

Uma vez numa balada gay eu conheci varias pessoas, inclusive um rapaz. Vi ele beijando vaaarios caras ao longo da noite, e ele se disse gay. Mais tarde, quando eu dancava perto dele, o cara aproveitou para agarrar meu peito, sem que eu desse qqr tipo de liberdade. Fiquei com nojo o resto da noite. Vejam que ficar longe de homens heteros nao me protegeu nesse caso.

Eu nao vejo melhora a curto prazo. Neste caso, concordo com o q acredito ser a maior parte das feministas que postaram aqui: a coisa soh vai comecar a melhorar qdo comecarmos a modificar a cultura de estupro como um todo. (Minha esperanca vem de relatos como da comentarista que falou que eh normal pessoas de sexo diferentes morarem juntas sem gdes problemas em outros lugares). Abdicar da propria liberdade por uma suposta seguranca eh cruel com nos mesmas e nao resolve nada de fato.

Penkala disse...

um cara bêbado pode ultrapassar limites, isso se entende. embora a máxima deva ser aplicada: se faz bêbado o que sóbrio tu apenas segura. mas homens do bem até podem chegar a isso, dá pra dizer. mas entre passar dos limites (tipo insistir demais pra transar, querer fazer de qualquer jeito, essas merdas) e estuprar, existe um espaço bem grande. só que ele não estuprou simplesmente a moça. ela estuprou PRA DAR NELA UMA LIÇÃO. foi um ato de ódio DUPLO. ele foi PERVERSO, demonstrou algo que talvez ele tente esconder sóbrio o tempo todo. isso revela uma perversidade assustadora.

hoje ele bebe e faz isso. amanhã, igual. um dia, ele não vai mais conseguir segurar e vai fazer isso ou pior SÓBRIO. perversidades assim (e não tou falando de "perversão sexual". falo de PERVERSIDADE do conceito geral psicológico de perversidade) são assustadoras. e uma pessoa assim não precisa de muito pra revelar aquilo que realmente é.

Anônimo disse...

Sim, estupro é um castigo, uma punição à mulher, mas é uma punição sexualizada.

Anônimo disse...

É em momentos como esse que eu queria que realmente existisse a vagina dentada.

Anônimo disse...

Não tem essa desculpa "ah, mas ele estava bêbado", tenha a santa paciência! Isso é um absurdo. Ele estuprou essa moça apenas pq ela o desafiava de algum modo, pensava diferente dele e ele queria provar que era o "machão", que ele tinha mais poder só por ser homem. Estou enojada. A moça deveria denunciar esse cara pra ontem.

Loy disse...

http://www.ted.com/talks/lang/pt-br/tony_porter_a_call_to_men.html

ja viram?

Anônimo disse...

"FUI ESTUPRADA POR SER FEMINISTA"
Faz todo sentido, A descoberta dos homens que sua genitália poderia servir como arma pra gerar medo deve ser classificada como uma das descobertas mais impactantes dos tempos pré-históricos,a partir dai foi somente dar padrão a tal farto, e estava instalado o patriarcado, difundido através dos seculos, milênios, e eficiente para calar as mulheres ainda nos dias atuais, como os eventos recentes nai India comprovaram.
Compare os relatos de vítimas de estupro com o de relatos de sexo das mulheres. Eles se parecem muito....A maior distinção entre coito (normal) e estupro (anormal) é que o normal acontece tão freqüentemente que alguém não pode fazer os outros enxergarem que há algo de errado nisso, e não e apenas a violência, mas também a violência, guardadas as devidas proporções, que compõe o estupro, mas também as pressões e construções sociais.Uma das razões que as mulheres são mantidas em um estado de degradação( econômica, social,moral etc.) porque é assim que estão a maioria das mulheres, é porque isso é a melhor forma de manter as mulheres sexualmente disponíveis.
Todos os homens se beneficiam do estupro, porque todos os homens beneficiam-se do fato que as mulheres não são livres na sociedade; que as mulheres se encolhem;que as mulheres estão com medo; que as mulheres não podem fazer valer os direitos que nós temos, limitados que são, por causa da presença ubíqua do estupro.Heterossexualidade é um costume obstinado na qual as instituições supremacistas masculinas asseguram sua própria perpetuação e controle sobre nós. As mulheres são conservadas, mantidas e contidas através do terror.
Sob o patriarcalismo, nenhuma mulher está segura para viver sua vida, ou para amar, ou para criar suas filhas. Sob o patriarcalismo, toda mulher é uma vítima, passado, presente, e futuro. Sob o patriarcalismo, toda filha de uma mulher é uma passado, presente, e futuro. Sob o patriarcalismo, todo filho, pai, irmão, amigo de uma mulher é seu traidor em potencial e também um inevitável estuprador ou explorador de outra mulher.

Lua Negra.

Duda disse...

Queria saber de em que cidade a B. está morando, tem tanta gente boa espalhada, quem sabe você não faz amizades com as feministas daí.

Anônimo disse...

B. todo o apoio na sua decisão de não denunciar. Esse é o momento de cuidar de você, em primeiro lugar. Corpo e alma. Fazer justiça, lutar pelos nossos ideais é importante, mas infelizmente sabemos da realidade de culpabilização da vítima.
Se mudar de ideia e decidir denunciar, parabéns! Mas se cerque de todo o apoio.
Sei a dor que você está passando, mas é como a perda de um ente querido. Na hora é insuportável, mas depois acostuma, mesmo que ainda reste alguma cicatriz.
Força, viu, e não dê ouvidos aos críticos maldosos!!!

Rosanna Andrade disse...

Soh para compartilhar uma frase genial:

"Se falta de roupa representasse respeito, as índias seriam estupradas 24 h por dia e as mulheres do oriente médio seriam mais respeitadas do mundo, e o que se vê é justamente o contrario."

Anônimo disse...


Mariana. disse...
gente, há um tempo atrás teve um guest post aqui na Lola de uma garota que, se não me engano, não sabia se tinha ou não sido estuprada. Ela contou que ambos estavam bêbados, algo assim... Não fui procurar o post mas é meio recente, lembro desses detalhes apenas.

Mas me lembro que nos comentários a maioria do pessoal concordou que NÃO foi estupro. Foi só uma atitude imbecil, mas não foi estupro. Entre as inúmeras justificativas estava "ambos tinham bebido".

O que mudou de lá pra cá? por que os dois casos são encarados de forma diferente?

São dúvidas sinceras, espero ter respostas educadas.
-
Mariana serei educada, mas deixo claro que fico muito triste com sua declaração, e sua falta de empatia para com a moça. Se ele declarou que foi estupro, isto já deve bastar, você sabe muito bem o quanto o patriarcado nos oprime, e nos leva a nos calar, afinal devemos evitar o escândalo ( só que não) sabe bem que todo homem pode se tornar um estuprador opressor a qualquer momento,graças a esta bobagem tosca chamada "masculinidade" basta um empurãozinho.
Acompanho o blog e os comentários, não e a primeira vez que você questiona uma vitima de estupro, e demonstra empatia por opressores, acho que devia rever seus conceitos sobre feminismo, e ver de que lado esta.
Ana.

Anônimo disse...

se voce for nadar no mar lugar perigoso e um tubarao te morder a culpa é do tubarao.mas quem vai sentir dor é voce.

No mar existem varios tipos de peixes.alguns são perigosos outros não.Se cuide quando for nadar.

Anônimo disse...

Há muitos anos atrás. Ouvi sobre uma mulher com seus 40 e tantos anos. Ela saia de um bar acompanhada de um jovem. Ambos muito embriagados. Ele a levou para uma casa abandonada e ali com mais outros 3 amigos a estuprou.
Acredito que a única coisa que esta senhora poderia fazer pra evitar este tipo de situação é usar o senso comum de "confiar desconfiando."
O crime de estupro contra esta senhora, a moça do relato e tantos outros foram sim premeditados. A bebida foi um meio.
Da mesma forma como prostitutas atraem homens, fazendo-os dormir com drogas em suas bebidas e os roubam... Mas este último as feministas não comentam...
Bom senso e valores são as únicas armas neste mundo em que todos usam máscaras.

Anônimo disse...

Anonimo 23:55

Sim,o castigo é sexualizado porque o propósito é a vergonha, é o nojo e o roubo do prazer. Também é um tipo de castigo que em não havendo luta por parte da vítima, não deixa lesões, a menos que haja contaminação por doença, e não gera consequências, a não ser que a vítima engravide. O estupro é o abuso se uma função corporal, qual seja, a de reproduzir, assim como outros abusos de comportamentos normais.

Anônimo disse...

Lola, esse texto não parece verídico. Sinceramente. Estuprada por ser feminista? Não perceber o mascus, o cara só se revelar bêbado? Amigo carinhoso num momento, tocar violão, depois bêbado e chamar de feminista de merda? Não faz o menor sentido. Se ele a desprezava assim, não teria se aproximado. Teria ridicularizado ela. Além disso, bêbados falando de aborto e feminismo? Não estou dizendo que é culpa de ninguém, apenas que parece uma desculpa femista pra movimentar o feminismo. Uma tragédia.

Habib disse...

Luiza, não generalize! Como assim, mulher não pode ser amiga de Homem HETERO? Que merda é essa? Nada mais sexista e preconceituoso do que taxar todos os homens de estupradores!!!

Fefa disse...

Mariana,

Sobre a questão da diferenciação judicial discordo de vc, há um argumento crucial que diferencia os dois casos: dolo e posição da vítima. No primeiro caso, mesmo existindo nuances e dúvidas, o cara não tinha claramente a intenção de estuprar a amiga, que tb não se sentiu violada, tanto que restou a dúvida, ponto que eu me prenderia judicialmente.

Mas no post de hoje, houve (segundo a autora) claro dolo do cara...ele não teve conjunção carnal pq tava bêbado e deu vontade (mesmo assim eu consideraria estupro se a vítima não consentisse) mas ele o fez PORQUE ela era feminista, o que pra mim, ainda é um motivo torpe. O núcleo do tipo de estupro é claro - ato libidinoso - ou - conjunção carnal - SEM - consentimento - vítima.

Mas concordo com vc: no campo das teorias, com todos as descrições montadas, sem a defesa do monstro, realmente é fácil...na prática, o exame do dolo é muito difícil e sinceramente gostaria de pensar em algo que ajudasse mais na caracterização desse crime, pois vamos combinar, a maioria dos juízes são (isso está mudando) homens, machistas e existem muitas juízas machistas tb (infelizmente) então certas nuances passam despercebidas por não serem consideradas importantes ou nem serem notadas mesmo...triste.

Cyberia disse...

Nossa, de todos os posts do blog, acho que esse foi um dos que me deixou mais triste. Não só a história horrível da moça (história não so de estupro, mas de TRAIÇÃO total) mas também por causa os comentários.

Existe uma séria carência de lógica na situação em que se alguém diz que "todo homem é um estuprador potencial", está sendo misadrica, histérica, feminazi, boba chata e feia.... Mas que se uma mulher recebe um AMIGO em casa e bebe com ele (amigos bebem juntos, novidade!) e é estuprada, foi ELA de algum modo que se descuidou. Devia ter tido mais cautela. O que é isso?! Desculpa mas não dá pra ser as duas coisas ao mesmo tempo, vamos decidir?!?!

A propósito, os comentários anonimos, em especial, me lembram um amigo que ao se ver involuntariamente agrupado com "gente" do tipo desses anonimos, diz "Isso me ofende porque EU sou homem". Parei pra pensar e descobri que eu, no lugar dele, me ofenderia também. A escória não tem direito de agrupar todos os homens num mesmo pacote. É convenientissimo pra eles que todo homem seja lixo, "tudo igual", assim eles são até normais! Infelizmente pra eles, NÃO é assim.

Finalizando, sobre o caso da moça, eu realmente acho que ela devia ter denunciado. Não só por ela mesma, mas por todas as outras mulheres também, porque este "amigo" é PERIGOSO. Entendo a dificuldade de denuciar, entendo mesmo... Mas realmente acho que deveria ter feito.

Daniel disse...

Mestre Jardel, porta-voz da avestruzice classe-mediana brasileira... se não se fala de algo, ela não existe.
Parece que ele espera que um espaço que debate questões de gênero, preconceito, opressão etc. seja como o jornal nacional (que, imagino, pra ele deve ser jornalismo A), que compensa coisas ruins (caiu um avião, morreu o Niemeyer etc) com coisas boas (nova novela das oito, criança esperança, a "nova" reportagem do globo repórter). Amenidades de quem prefere enfiar a cabeça na areia mesmo e não olhar pros problemas do mundo e não olhar pra sua parcela de participação porca nesses problemas do mundo.

Continue no "modo Datena", Lola, feridas hão de cutucar-se sempre.

Anônimo disse...

Eu leio o blog com frequência e achei muito interessante comparar este post e os comentários com um post anterior, em que a Lola confortava uma garota que estuprou um amigo, dizendo que ela se arrependeu e pediu desculpas, que não representava perigo para a sociedade pois estava arrependida. Pois é, pelo jeito esse cara também se arrependeu, pediu desculpas e apesar da situação ser bem parecida os comentários aqui são bem mais condenatórios.

Anônimo disse...

B, ELE TE ESTUPROU POR FAVOR DENUNCIE ESTE CARA!!!!!!!!!!

BEIJOS
YRA

Sara disse...

http://www.facebook.com/#!/photo.php?fbid=536086736409171&set=a.505150662836112.117937.505144719503373&type=1&theater

Achei q isso tem muito a ver com esse post.
"Nada do q fizermos pra nos resguardar poderá nos proteger do machismo, a não ser lutar contra ele"

Thata disse...

Primeiro, a alteração psíquica promovida pela bebida alcóolica apenas diminui o controle de impulsos, e, obviamente, não transforma a personalidade de ninguém.
Ou seja, o sujeito nessas condições demonstra MAIS sua própria personalidade. Tive um namorado feminista (hoje somos amigos) que, quando tomava cerveja ou outra bebida alcóolica, fazia... declarações de amor. Muitas. Mesmo.

Segundo, na minha interpretação, o estuprador procurou a autora porque estava com medo de ser denunciado. Queria "conferir" a situação.

Terceiro, ele sabe muito bem que estuprou, que é um estuprador, e quis se livrar da responsabilidade pelos próprios atos quando falou à autora que ela "sabia" o que tinha acontecido - no intuito evidente de responsabilizá-la pela violência DELE.

Quarto, se ela está sozinha na cidade, se não pode recorrer a algum grupo de mulheres, feministas (além de apoio psicológico, claro), ou se não puder contar com a companhia de alguém de confiança MESMO por um período, é arriscado denunciar, porque este criminoso pode ser, além de estuprador, assassino. Além disso, talvez, por ser lutador, pode ocorrer de encontrar mais criminosos dispostos a agir em gangue (desculpe a frieza, mas é isso). A não ser que nos COMPROMETAMOS a realizar uma GRANDE mobilização pela internet e dar apoio, de todas as formas, à moça.
Não sei qual o tamanho da cidade, mas podemos prever que ele receberá bastante apoio (um adulto "normal" ser revelado estuprador ameaça a estabilidade psicológica, calcada na irrealidade, de muitxs).

Quinto, quanto aos moleques (isso não é homem nem aqui nem na Sibéria) criminosos que defendem o estupro nesta página, gostaria de fazer um apelo a você, Lola, apesar de ter total noção de que já tem muito trabalho com o blog: rastrear esses comentaristas anônimos e arquivar ou enviar denúncia a diversos órgãos estatais (nem vou detalhar...) - ou Anonymous, ou grupo afim. Isto já caracteriza intenção de cometer o crime, caso venham a realizá-lo. Bom, Lola, é possível que já faça algo semelhante; de qualquer forma antecipadamente me desculpo pela "sugestão" de "mais trabalho" (sei que é trabalho DEMAIS). Não me refiro, de antemão, aos conservadores/ tradicionalistas DEFENSORES DE estupradores que culpabilizam a pessoa estuprada, mas sim, precisamente, aos moleques delinquentes que defendem o cometimento do crime de estupro.

Anônimo disse...

Anônimo 23:56, não seja por isso - conheça o Rapex = http://goo.gl/gu2yt


Sou TÃO a favor disso... cêis num fazem ideia do estrago disso aí. Eu DUVIDO que alguém vá estuprar de novo depois de ser enganchado nisso (funciona como anzol, acredito que tenha que ir ao médico para retirar; se é comigo, faço questão de puxar até estraçalhar o estuprador)

Thata disse...


Fico feliz pelas experiências que Lu_ud relatou (9 de janeiro de 2013 19:32), mas discordo veementemente da ironização que promove sobre a postura de klara sobral.

Ambas experiências são possíveis em nosso contexto social, e uma não anula a outra.

É perfeitamente possível, embora excepcional, que Lu_ud tenha conhecido tantos Homens com os quais COMPROVOU, ela própria, não serem abusadores. Mas não dá para generalizar tal situação específica.

Também é perfeitamente possível, conforme o contexto social em que se viva, que Klara Sobral realmente nunca tenha conhecido um Homem - com H maiúsculo - isto é, uma pessoa confiável, que não esteja ao lado dela apenas esperando a "oportunidade" de arrumar mais um orifício para se masturbar. Infelizmente, acho que a experiência da Klara Sobral é mais provável, entretanto, não é fácil assumir tal realidade e lidar com ela. Klara lidou às claras (permita-me o trocadilho), sem idealizações.

Já afirmei neste blog certa vez: considero-me uma pessoa de *SORTE* por ter encontrado Homens em quem confio plenamente no sentido de não serem estupradores.("alguns" porque, independentemente de ser homem ou mulher, sou de "poucos amigos" - poucos e muito bons).

Clara Angeleas disse...

Desculpa, mas não consigo entender como tem gente duvidando que isso seja estupro. O cara, enquanto a VIOLENTAVA, ainda a chamava de "feminista de m*erda". Falava pra ela sorrir, fingir que gostava. EM QUE MUNDO isso não é estupro? Realmente, só no mundo dos mascus mesmo.

Ariane disse...

É muito triste mesmo isso... pra dar um exemplo do medo constante em que as mulheres vivem, meu namorado e eu passamos a virada em Buenos Aires e pensamos em passar o momento em um restaurante que ficava a duas quadras do hotel.

Buenos Aires já não é a mesma, está um pouco perigoso, eu acho. O hotel era na Corrientes, e lá está tudo bem sujo, com cheiro de xixi, e você vê alguns mendigos pedindo dinheiro de uma forma meio ameaçadora. Não estou falando que os mendigos são perigosos, mas é que eu acho que quando tem muitos mendigos em um local, algo não vai bem naquela sociedade, porque ninguém quer ser mendigo por livre vontade, né? (Lola que é argentina pode dizer com propriedade o que há com Buenos Aires).

Resumindo, fiquei com medo de andar aquelas duas quadras ali de madrugada, mesmo estando com o meu namorado. E meu medo nem era ser assaltada (claro que eu não queria, mas temia mesmo que acontecesse algo pior, como um estupro). Daí eu falei isso pra ele e falei que era melhor irmos num restaurante ainda mais perto. Ele disse que se eu não me sentia à vontade, podíamos fazer isso, mas pra vocês verem, ele nem pensou sobre estupro (pensou que podia ser perigoso, mas não pensou necessariamente em estupro, porque obviamente ele não precisa ter medo de ser estuprado).

Acabamos indo em um restaurante mais perto (na frente do hotel) pra nos sentirmos mais protegidos, principalmente eu. É um absurdo isso, né gente.

Acho que é a mesma coisa da autora do texto. Também duvidei um pouco de que o relato possa ser real, e achei um pouquinho sensacionalista a frase "estuprada por ser feminista" (acho que basicamente qualquer discussão que os dois tivessem naquela hora ia acabar nisso), mas, se for verdade, é muito chato você não poder colocar um amigo bêbado pra dentro de casa sob o risco de ser estuprada.

Não devia ser assim e a culpa jamais é da vítima, mas infelizmente nós precisamos tomar medidas cautelosas pra tentar evitar que essas coisas aconteçam. Às vezes vão acontecer mesmo com as medidas cautelosas, mas o fato é que precisamos ficar ligadas. Até chegar o dia em que não precisarmos mais ter medo, pois seguiremos lutando.

Mariana. disse...

Anonima que disse ter ficado triste com a minha resposta.

Eu questiono sim, mas não por duvidar da vítima. Questiono porque sei que fora daqui, longe de vocês, se eu relatar a história que li aqui, as pessoas vão fazer exatamente estes questionamentos bem pouco empáticos. Eu estou fazendo o papel destas pessoas, porque como eu disse, no mundo real machista, há muitas nuances, muitas questões são levadas em conta quando não deveriam ser (a roupa da vítima ou o fato de ela não ser virgem, ou ter bebido, por exemplo).

Enfim, desculpa se ofendi alguma vítima. Sei de que lado estou e vou continuar perguntando quando tiver dúvidas.

Anônimo disse...

A unica forma de combater isto de forma eficiente, e desconstruir a heteronormalidade, a masculinidade, e os atributos de gênero.

Anônimo disse...

teve um comentário dizendo para dar um desconto, pois o cara estava bêbado.
pô cara, na boa, eu já enchi a cara e nunca forcei nada com nenhuma amiga, nem lucido. Na verdade esse cara já tem um pré-disposição a esse tipo de comportamento, apenas esperou o momento para colocar para fora.

Anônimo disse...

teve um comentário dizendo para dar um desconto, pois o cara estava bêbado.
pô cara, na boa, eu já enchi a cara e nunca forcei nada com nenhuma amiga, nem lucido. Na verdade esse cara já tem um pré-disposição a esse tipo de comportamento, apenas esperou o momento para colocar para fora.

Anônimo disse...

Será que vai voltar a se relacionar e confiar de novo em homens ?

MonaLisa disse...

'Mas eu não consigo entender uma mulhger que se auto entitula feminista, diz defender sua ideologia e não denuncia um estuprador. Que apesar de ter 100% de certeza de ter sido estuprada, toma banho e lava as roupas...
Essa atitude me parece bem machista, se me permite a opinião. ' [2]

Eu pensei a mesma coisa.

Eu entendi perfeitamente o motivo pelo qual ela não quer denunciar. Mas isso não justifica. É assim que esses estupradores nojentos continuam por ai fazendo mais vitimas, criando o elo.

Dia 28 de dezembro meu irmão tentou me estuprar de novo. Na 1ª vez há uns anos, ele era menor, eu estava dormindo e ele veio colocando a mão por baixo da minha saia, parou qdo eu acordei e comecei a gritar, contei pra minha mãe e óbvio que a culpa foi minha por dormir na sala de saia. Nessa outra vez, eu estava de shortinho e ele veio apertando minha perna e qdo eu olhei pra ele, me intimidando me mandou fazer um boquete nele, eu não me intimei e mandei ele sair de perto de mim aos berros pras vizinhas escutarem.

Só que dessa vez, eu contei pro meu pai, espalhei pras vizinhas, fui na delegacia, contei pra minhas clientes (disse pra não deixar as filhas delas perto dele, pq ele pode conseguir), to espalhando geral. E minha mãe ficou puta né? Onde já se viu eu ficar 'provocando' ele com essas roupas curtas. Quando ela foi perguntar pra ele se era verdade isso, ele ficou quieto.

Simplesmente cansei dessa palhaçada, desse machismo nojento. Eu disse pra ela que se ele ta tentado, ela que leve ele em um puteiro.

Eu não vou passar a mão em cabeça de potencial estuprador independente de quem seja.

Bruno disse...

B. não tenho muito a dizer se não força e saiba que não está sozinha, somxs muitxs.

Renato Martins disse...

Concordo totalmente com a Cyberia, a Thata e a Clara Angeleas. Estupro não é sexo e não é justificável sob hipótese alguma. Discordo de quem disse que estupradores são homens normais, e não monstros.

Priscila disse...

Ligia e Anônimo das 17:36, é um país de nome parecido com a Suécia: Suíça. Existe sexismo e existe estupro aqui, sim, mas até onde sei não existe cultura de estupro.

----
Anônimo da 01:05, a culpa não é do tubarão não. Ao contrário de um ser humano, o tubarão 1- só sabe agir segundo os seus instintos; 2- não vai atacar se não for para arranjar comida ou defender os filhotes.

----
Anônimo das 08:35, a vítima é livre para fazer ou não uma denúncia em ambos os casos. Só que eu me reservo o direito de acreditar que, de fato, a moça do outro post não vai estuprar alguém de novo. Já neste caso sendo discutido aqui, eu tenho sérias dúvidas.

Lu_ud disse...

Thata, eu acredito que existam experiências como a da Klara. Tanto existem como eu conheço pessoas que já passaram por isso, e conheço caras (fora do meu círculo de amizades) que tem esse tipo de atitude. Geralmente são os mesmos que acreditam em friendzone e separam as mulheres por categorias de pegação. Não considero o depoimento da Klara falso, só não gosto da maneira que ela coloca (aliás, coloca não, ordena, verbo imperativo) que nenhuma mulher que se preze deve ter amigo hétero, porque nenhum deles presta. Também fiquei de boca aberta com o comentário da Priscila, descrevendo as experências que tem com homens em algum outro país, e todo mundo achando incrível, como se essas coisas só pudessem acontecer em algum outro lugar longínquo, algum outro país mais civilizado, e não aqui no bananal machista, não, aqui é impossível, inacreditável!

Bom, eu moro no Rio de Janeiro, e minhas experiências são as mesmas da Priscila. Não tenho nenhuma idealização quanto ao sexo masculino, na verdade nunca nem me passou pela cabeça que o que eu fazia com meus amigos fosse fora de qualquer padrão de "normalidade", ou do "esperado". Li todo o depoimento da B. achando o cara um monstro escroto e sem nem me passar pela cabeça a questão dela ter chamado o cara pra casa dela e que supostamente "isso não se faz". Porque eu faço isso o tempo todo, sem nunca me preocupar nem pensar "ah, vou dar um voto de confiança pra esse cara". Não. Pra mim, não estou dando voto de confiaça, estou apenas vivendo, entende? Eu simplesmente vivo minha vida e nunca tive motivo pra temer pela minha segurança, e faço o que faço porque pra mim é o normal. Só fui me dar conta de que talvez não seja pra outras pessoas quando li os comentários da postagem, com tantas pessoas dizendo que a B. não tinha nada que chamar um homem pra casa dela, era um risco que estava correndo porque, bem, é um homem!!

Não vivo num conto de fadas, nem numa realidade paralela onde só existem pessoas legais. Mas sempre me mantive longe de pessoas que tem comportamentos machistas, mesmo antes de me descobrir feminista, porque não me identifico com essas pessoas. Meus amigos todos são feministas, até os que não sabem ou admitem que são, e foi meu melhor amigo quem me mostrou o meu feminismo e me apresentou Simone de Beauvoir. Também sempre me posicionei de forma independente, tenho uma personalidade muito forte e uma língua afiada, então qualquer comportamento e comentário fora da minha zona de conforto recebem um belo coice, nunca permiti nenhuma duplicidade em nenhum dos meus amigos e sempre busquei me afastar de pessoas com quem não me identifico.

Teria alguma dessas coisas protegido a B. ou a Klara? Provavelmente não. Não sei. Talvez eu seja mesmo uma pessoa de muita sorte, e fui cair num meio realmente cheio de homens legais. Mas nunca, nunca, nunca mesmo na minha vida, estive numa situação em que senti medo de estar cercada de amigos homens, muito pelo contrário.

Eu não gosto de generalizações e tenho um problema sério com autoridade, então não aceito ordens, mesmo implícitas. Portanto o comentário da Klara me irritou em vários níveis. Não duvido que ela tenha tido experiências ruins com alguns homens. Mas daí a julgar todo o gênero por causa disso, é machista sim, e até um pouco misógino. E ela está perdendo uma parte muito legal da vida ao limitar as amizades dela a um único sexo. Até porque essa dicotomia homem-mulher já está meio datada né? Somos todos humanos, favor julgar o caráter do indivíduo pelo indivíduo em si, e não do suposto grupo a que o indivíduo pertence. Favor também não ter a pretensão de dizer aos outros com quem devem ou não fazer amizade, especialmente quando esses "conselhos" são baseados exclusivamente em preconceitos pessoais.

Lu_ud disse...

Anônimo 01:05,

Sugiro então que você nunca mais entre no mar. Vai lá saber se tem tubarão ou não, por via das dúvidas melhor nunca mais na vida pisar na praia.

Sugiro também não entrar em rios e cachoeiras, pode haver piranhas, cobras, e outros bichos peçonhentos.

Não entre em piscinas também, nunca se sabe que tipo de bactérias podem haver na água, algumas são resistentes até a cloro.

Aliás, sugiro que pare de beber água de uma vez, sabe quantas doenças são transmitidas através dela?

Um perigo realmente, você tem toda razão.

Anônimo disse...

Mas c* de bebado nao tem dono po... Se for assim ate eu, agora, a partir do momento que a mulher bebe ela perdeu a razao (isso vale para os homens tambem). Na boa, eu sou contra o estupro, mas pra mim isso ai nao foi estupro. Os dois estavam envolvidos... e como ela mesma disse, teve uma amnesia alcoolica, e pode ter alguma parte da historia que nao lembra. E quanto as coisas que o cara falava durante o ato, podia ser um fetiche dele isso ai, de querer se sentir o dominador, o malvado... Quem leu 50 tons de cinza sabe do que eu to falando.

Eva disse...

Lola, desculpa, mas eu tô chocada:

Adolescente foge de casa de prostituição em SP (caso de tráfico e escravidão de mulheres) http://www.band.uol.com.br/primeirojornal/videos.asp?id=14248629

Anônimo disse...

Nada é desculpa para estuprar ninguém. A menina bebeu? E daí? O cara também. Mas a culpa vai ser dela, porque ELA bebeu, e todos assumem que ela sabe que vai ficar vulnerável.
Vulnerável a alguém que vai se aproveitar disso pra fazer o que quiser?
Vamos continuar a ensinar às meninas a não serem estupradas, não aos caras a terem ***bom senso***.
Beber não é crime, usar isso como desculpa para dirigir e matar alguém é. O mesmo para estupro.

Entendo a dor e toda a confusão de sentimentos por dentro, mas devia ter denunciado. Infelizmente a grande maioria dos caras que 'estupram sem querer/quando estão bêbados/alterados/insira motivo aleatório aqui' continuam a vida sem saber o que é uma delegacia.

Anônimo disse...

A unica manira de nos protegermos, e encarar sim todo homem como um estuprador em potencial, sinto muito se isto parece um pouco radical, mas a realidade prova que e o único meio.

Anônimo disse...

Alguns dia atras, eu convidei uma amiga para assistir um filme no meu apartamento, e ela me disse que não iria por não confiar no " bicho homem"
Eu nunca senti nenhuma atração por ela, apesar de ela ser bonita, e lendo este depoimento fico me perguntando, será que e isto o que sou ? faço parte da escoria da raça humana so por ter nascido homem ?
triste¬¬

Anônimo disse...

Anônimo disse...
A unica manira de nos protegermos, e encarar sim todo homem como um estuprador em potencial, sinto muito se isto parece um pouco radical, mas a realidade prova que e o único meio.
-
Concordo com você, mas você deve entender que e muito difícil por em pratica tudo o que aprendemos com o feminismo, as construções sociais são muito fortes. veja que a autora do guest post, mesmo sendo uma ativista feminista ha algum tempo, ainda acreditou que poderia ter uma amizade de confiança com um homem.
Eu li um artigo feminista muito interessante, que dizia que "as mulheres são o único grupo oprimido do mundo,de que ainda se espera que tenha sentimentos de afeto pelo seus opressores, e como se esperasse que judeus confiassem e tivessem afeto por nazistas".
Eu concordo, mas sei que e muito difícil por isto em pratica, mas devemos fazer um exercício constante para melhorarmos.

Anônimo disse...

Para a maioria dos homens, estupro e um culto a masculinidade, uma demonstração de poder.

Jojobinha disse...

Olá Pessoas...

Só para sanar uma dúvida, alguém que comentou já sofreu um estupro?

Porque é fácil falar que é culpa da bebida...Ou que a garota não deveria beber...

Mas é difícil estar na pele dela...
Se sentir violada...Ter nojo do próprio corpo...

Não falar de estupro..Não muda a história....Porque o estrupo vem de anos luz atrás se formos pesquisar.

Eu sei o que é se sentir violada..
Eu sei que também tenho o direito de beber, perto de quantos homens estiverem presentes..

E sei que eles tem que me respeitar..

Pois antes de ser mulher( vagabunda ou não)...Tenho direitos humanos..



Anônimo disse...

"A unica manira de nos protegermos, e encarar sim todo homem como um estuprador em potencial, sinto muito se isto parece um pouco radical, mas a realidade prova que e o único meio."

Misandria, a gente se vê por aqui...

Elisa disse...

Lu_ud

Concordo plenamente com você! Palavra por palavra!

Também busco me relacionar com as pessoas partindo da premissa de que somos todos iguais, sem temer ou evitar ninguém e sem encarar isso como "dar um voto de confiança". Eu acredito no ser humano! E já precisei de ajuda, já me encontrei em situações "de risco" diversas vezes, já me coloquei em "situações de risco" outras tantas (não estou me referindo a convidar um amigo para beber na minha casa,ok..?), e em absolutamente todas eu recebi apoio e me surpreendi positivamente com alguém.

Acho muito triste imaginar que alguém possa viver temendo/odiando pessoas que nem conhece, simplesmente por elas serem diferentes.

Anônimo disse...

"Masculinistas igualam sexo e estupro porque sexo é definido sob a ótica masculina (assim como quase tudo no mundo). E a ótica masculina não se importa com os outros (ou a outra nesse ponto, já que a grande maioria dos estupros são cometidos contra mulheres e meninas). Tudo o que importa é ter um buraco para enfiar o pinto. Para a ótica masculina forçar alguém a servir de buraco para um homem enfiar seu pinto não é estupro. Estupro é outra coisa. É quando esse "buraco para enfiar o pinto" pertence a outro homem e esse outro homem reivindica seus direitos de propriedade."

Misandria, a gente se vê por aqui...2
kkkkkkk

Roxy Carmichael disse...

mirela e beatriz
não sei se ainda estão acompanhando. gostei muito do comentário de vocês, fiquei realmente muito interessada. acho que seria legal escrever algo sobre as dificuldades de se ter um namorado que é muito legal, mas que ao mesmo tempo, muitas vezes não larga o osso do machismo e da misoginia e, enfim, colocar algumas estratégicas sobre como lidar com essa situação: uma causa que é muito importante e que o companheiro não só não compartilha, como é muitas vezes ofensivo, mas ao mesmo tempo se mostra tb muitas vezes muito aberto, receptivo e compreensivo com esse contexto que é relatado pela namorada, em alguns casos, é a primeira vez que esse menino tem contato com essa realidade. como não pirar, como não perder as esperanças, como proceder, enfim...

gostei muito também do comentário da thata. acho que ela fez uma leitura bem importante sobre o comportamento do "amigo" da B. pós estupro. foi lá se certificar que ía ficar por isso mesmo. eu também acho que todas essas medidas restritivas não protegem ninguém. o que protege é lutar por direitos. pq direitos abrangem uma coletividade. pq direitos perduram por longo prazo. que eu não beba ou que não use saia, pode até me proteger, mas só a mim, e só nessa situação. não vai proteger todas as mulheres do mundo em todos os contextos. é conversar com as pessoas próximas, sejam elas do mesmo gênero, sejam do outro, sejam da sua geração, sejam de uma geração distinta. enfim, esse assunto tem que entrar na pauta, experiências devem ser trocadas e mulheres devem ter consciência da situação desigual em que vivem sim, mas sem nunca baixar a cabeça. devem tomar o respeito, porque ninguém vai dar o respeito pra você assim, na gentileza. ja falei sobre isso aqui, do filme do scorsese em que jack nicholson faz essa declaração que é essencial no mundo da política: ninguém vai te dar o respeito, vc tem que tomá-lo.

às vezes eu me debato entre o pensamento de que homens deveriam ser mais legais, e o pensamento de que mulheres devem ter uma postura mais afirmativa, mais assertiva, devem se impor. tenho realmente pensado sobre até que ponto se acaba entrando naquilo que o lipovetsky chama de: febre vitimária.

gostaria de terminar esse comentário com essa canção: http://www.youtube.com/watch?v=64Sp18mo3bc
boa semana pra todos e força B.!

Sara disse...

maravilhoso esse video Loy....

Anônimo disse...

Cadê o post de hoje, porra? Esse aqui já está tão cheio de comentários que nem vale a pena trollar!

Sara disse...

maravilhoso o video do link Loy, seria tão bom se todos os homens pusessem assisti-lo.

Ronaldo disse...

"A unica manira de nos protegermos, e encarar sim todo homem como um estuprador em potencial, sinto muito se isto parece um pouco radical, mas a realidade prova que e o único meio."
----------------------------------------
Comentários como o seu só servem para reforçar a idéia de que o feminismo é "contra os homens". Evite fazer isso.

Gregory Vieira disse...

Em resumo:
"Chamei um homem para vir à minha casa, tomamos todas, não lembro de nada, mas sei que fui estuprada porque sou atéia e feminista!"

Luiza disse...

"Habib disse...
Luiza, não generalize! Como assim, mulher não pode ser amiga de Homem HETERO? Que merda é essa? Nada mais sexista e preconceituoso do que taxar todos os homens de estupradores!!!"

Sai do boteco, seu Zé! Porque a birita tá afetando sua capacidade de raciocinar!

Você sabe o que são aspas, certo? E sabe qual o uso delas, não sabe?

Agora volta pro meu post e leia de novo.

Mas que caralho, parece criança, tem que explicar Português tudo de novo.

Nuba ofKau disse...

Tem um pessoal que tá falando que é misandria pensar em qualquer homem como potencial estuprador e que nenhuma mulher deve se arriscar com nenhum deles, que homens não são confiávieis e etc.

Bom, isso é misandria.

E quem tá falando isso é o pessoal machista, independente de ser homem ou mulher.
Quem conhece o feminismo tá se opondo a essa idéia de "jamais fique sozinha perto de um homem".



Perceberam: machistas misândricos! Pra falar a verdade, faz todo sentido.

Clara Angeleas disse...

eu sabia, eu sabia, eu SABIA que esse maldito desse 50 tons de mimimi voltaria to bite us all in the ass. argh. não li essa disgrama, mas, pelo que sei, eles tem um ACORDO. e isso faz TODA a diferença, querido anônimo das 11:46. é assim no mundo sadô masô também: os envolvidos combinam o que vale e o que não vale, assim como modos de se avisar caso passem dos limites. não ineterssa se a B. não lembra de tudo, eu acho que a parte que ela lembra já é mais que suficiente:

"E eu de alguma forma o ofendi (...). Ele partiu pra cima de mim, rasgou minha blusa e me estuprou. Não me lembro de muita coisa, só dele em cima de mim segurando meu rosto e me dizendo pra sorrir, pra fingir que tava gostando, e me chamando de feminista de m*rda. Lembro de sentir muito, muito medo, mas não querer demonstrar submissão".

Sério que resta alguma dúvida pra vocês? pra mim não resta nenhuma, e só a breve leitura desse guest post já me aterrorizou.

Ah, e Renato Martins, realmente, estupro não é sexo. é violência. é demonstração de poder. Mas não acho que todos os estupradores são monstros. Não são, são pessoas. São homens, maridos, ex namorados, pais, irmãos, primos, vizinhos. pouquíssimos dos casos de estupros são de "estupradores-que-pularam-detrás-da-moita" no meio da rua para te estuprar, a maioria são conhecidos, "pessoas de confiança". retirá-los da "sociedade dos normais" é ignorar que isso é PARTE DA NOSSA CULTURA. o estupro é parte da nossa cultura, a violência contra a mulher é parte da nossa cultura. não acho que todos os homens são estupradores, tenho fé nos homens, de verdade. mas daí pra dizer que estupradores são monstros, é outra história. Estupradores são homens ~normais~ que foram ensinados que mulheres são seres inferiores e que não possuem valor inerente - a mulher deve ~se dar o respeito~ seguindo um monte de regras arbitrárias ditadas pelo patriarcado (se vestir """decentemente""", não dar papo para estranhos, não ter muitos parceiros sexuais, entre VÁRIAS outras) para ter algum valor dentro da sociedade patriarcal. Entende? Não concordo que todos os homens são estupradores em potencial, mas também não acho que estupradores são monstros. Porque afirmar isso é só mais uma forma de ignorar a educação machista a que fomos todos submetidos.

Anônimo disse...

aliás, no próprio final do texto ela diz que não vai dar queixa na polícia porque NÃO TEM CERTEZA QUE FOI ESTUPRADA. além de que as imagens do texto passam a ideia de que um ogro de dois metros de altura pegou ela pelo pescoço e forçou a fazer sexo, quando na realidade não foi nada disso.

Clara Angeleas disse...

E sério, eu fico besta com os comentários mascus... Não é possível, será que eles tiveram sua empatia removida cirurgicamente?! As vezes dá até pra sentir o cheiro de ódio atravessando o monitor...

Brrrrr.

Anônimo disse...

Priscila eu entendo que em ambos casos a vítima é livre pra fazer a denúncia ou não, mas percebo facilmente que há sim muita parcialidade entre nós. Condenamos facilmente um estuprador homem, mas evitamos todos nosso argumentos de combate à cultura do estupro ao diminuir a gravidade do ato e de suas consequências quando se trata de uma mulher no papel de agressora. O cara que se aproveita de menina bêbada é asqueroso, e se ela diz não é claro que é estupro. A menina que se aproveita que um cara tá bêbado é estupradora também e merece ir para a cadeia sim,. O meu direito exercer a minha sexualidade livremente não anula o direito de um homem sobre o seu corpo. Assim como a ausência de consciência não anula o direito de uma mulher não transar. E aos que defendem o estuprador, em ambos os casos, acredito que pra esses abusar de pessoas em coma é tranquilito também.

Anônimo disse...

"Misandria, a gente se vê por aqui..."



Imbecilidade, a gente vê por aqui.


Comentar do meliante que cometeu estupro vc não comenta, né?

Daniel disse...

Tinha um amigo meu que dava um nome legal pros trolls: justiceiros do teclado. Aqueles que, atrás da máscara da anonimidade da Internet, xingavam, prometiam, ameaçavam, ofendiam, enfim, diziam o que queriam, sem a menor possibilidade de assumir responsabilidade ou de se preocupar realmente com o que se discute, ou com o efeito do que foi dito.

Esses justiceiros que escrevem anonimamente, mimimizando por "misandria" e outros mimimis, podiam pelo menos tentar mostrar que são pessoas de verdade (não vou nem dizer "homens de verdade" porque são "piá de bosta" como se diz em Curitiba) e colocar o nominho. Ou têm medo de que alguém da família, amigos, conhecidos, colegas de trabalho acabem esbarrando numa trollagem discriminatória feita por eles e tenham a máscara retirada?

O mais engraçado e ao mesmo tempo triste é que esses trolls tiram tempo do dia deles (que poderia ser usado em coisas mais úteis, como se olhar no espelho, ir na academia ou - LOL - ir pegar as tantas garotas que dizem que pegam) e ficam lendo comentário por comentário, post por post, DIARIAMENTE.

Lola, vc já cogitou que dentro do teu público mais assíduo inclui-se uma horda de fiéis mascutrolls? quase mais fiéis que os realmente interessados nas questões discutidas? :)

Anônimo disse...

Não concordo nem um pouco que todo homem hetero é estuprador em potencial, por que pra mim um cara que estupra é uma pessoa realmente má, com intenção de humilhar e ferir, pq não é simples desejo sexual (quem tem desejo em você vai tentar fazer você ficar com desejo também pra ver se rola) no estupro é necessário que a pessoa não esteja com vontade, não pode haver desejo da vitma. É desejo de fazer mal a alguem e não de fazer sexo, e como as vitmas de estupro ainda tem dificuldade de denunciar o cara acha que vai sair mais impune do que se ameaçasse ou batesse na pessoa.

Eu tenho amigos homens heteros e ficaria (e já fiquei) sozinha com qualquer um deles em casa por que eles nunca tentaram e nem vão tentar cometer uma brutalidade dessas comigo. Por que um cara ser homem e hetero não significa que você quer algo com ele ou ele com você, mais do que amizade. Nem significa que ele é o tipo de pessoa que tem prazer no sofrimento alheio, se ele não tem, mesmo que ele ache que rolou um clima e pergunte se você quer fazer alguma coisa (ficar, fazer sexo) depende de você acontecer ou não, ele não vai te obrigar. Num estupro não é assim, não depende da vitma, não é culpa da vitma. O cara é sim um criminoso perverso, ele deve ter premeditado e o pior, quem não notou isso?? ELE USOU PARA PUNIR A MENINA POR ELA SER FEMINISTA!!! não estava rolando um clima, estava rolando uma briga!!!!!!!

Anônimo disse...

Como a cidadã fala que foi estuprada se ela mesmo confessa que não se lembra de tudo?!

Lu_ud disse...

Clara Angeleas, eu ri com seu comentário. :) Toda vez que alguém vier com esse papinho de “ele não pode ter estuprado ela porque é um homem de bem, conheço ele, blablabla”, vou usar esse exemplo do estuprador-que-pula-de-trás-da-moita.

Um monte de gente aqui cagando regra que mulher não tem nada que ficar bêbada perto de homem porque é arriscado, ela fica vulnerável. Tem vários tons de caga-regrismo, desde os que acham que “cu de bêbado não tem dono” e portanto não foi estupro, até os que tem empatia pela menina mas acham que ela poderia ter evitado o estupro com um pouco mais de precaução (vide não confiando em homem nenhum, é feio mas é a realidade, ó vida, ó azar).

Tão bonitinhos. Fiquei até inspirada e vou cagar uma regra também: homens, sempre que vocês estiverem sozinhos com uma mulher, não bebam!! Muito arriscado, vai que vocês acabam estuprando ela? Melhor ainda, nunca fiquem sozinhos com uma mulher!! Extremamente arriscado. Se possível, evitem até ter amigas do sexo feminino, especialmente as atraentes. E nunca, nunca, exagerem na bebida. Afinal, bêbado não tem controle, vocês ficam vulneráveis pra estuprar alguém.

Faz todo o sentido, né?

Anônimo disse...

Parabéns Anonimo das 13:53 você é o milionésimo a duvidar da vitima de um estupro! Então tá, se vcoê estiver bêbado e for assaltado mas não lembrar direito como aconteceu, então você não foi assaltado, suas coisas evaporaram e você é mentiroso! (odeio ter que comprar estupro com assalto, mas a gente tenta pra ver se pessoal entende,pq tem um pessoal q só sente dor no bolso)

Anônimo disse...

Como continuar namorando um cara que fica soltando comentários machistas e misóginos? Temos que parar de sermos tão compreesivas e pacientes quando a reciprocidade não é a mesma. Quando o primeiro comentário dizendo pras mulheres desconfiarem é apontado como misandria. Todo mundo tem direito a defesa, seja ela qual for. Cadê a compreensão de que se acontecer algo conosco ainda vão apontar o dedo na nossa cara?
Temos que ter uma postura mais afirmativa e assertiva sim, exercitando o famoso pé na bunda. Sei que é difícil pois a maioria dos homens é machista mesmo, mas qualquer coisa é só pedir o contato dos amigos feministas da Lu_ud.

Anônimo disse...

10 de janeiro de 2013 13:31

Você tava lá pra saber? Não estava, mas não perde tempo em defender estuprador, né? Você sabe quanto custa pra uma pessoa ADMITIR que foi estuprada? Claro que não. Empatia mandou lembrança.

Lu_ud disse...

Bateu uma dúvida agora. Pessoas que acham que mulher não pode ter amigo homem, que deve evitar ficar bêbada, que precisa tomar cuidado com as roupas que usa, que nunca deve deixar um homem entrar em casa: vocês tem filhas? Ou pretendem ter um dia? Se sim, é isso que vocês pretendem ensinar a elas? É assim que vocês esperam que elas cresçam, cheias de ódio e medo, seguindo bonitinhas a cartilha de boa moça do patriarcado, para que possam (teoricamente) estar mais seguras?

E vocês ainda se dizem feministas?

Não pretendo ter filhos, mas se tivesse uma filha eu ensinaria a ela amor e respeito a todas as pessoas, a não ter preconceitos e a não julgar uma pessoa baseada exclusivamente em rótulos colocados naquela pessoa. Ensinaria a ser forte, falar o que pensa, não engolir insultos, não aceitar algo apenas porque é o esperado dela. Não a ensinaria a evitar um ataque, mas a se defender dele caso aconteça. Isso, pra mim, é ser feminista. Isso é dar a uma mulher todas as oportunidades possíveis. É criar um ser humano independente, livre e feliz.

O resto é só baboseira machista fingindo ser bom senso.

Lu_ud disse...

Anônimo 15:09, se quiser tenho dois amigos ótimos solteiros, selo de qualidade Lu_ud. São meio carentes demais, mas nunca soltariam um comentário machista pra você. Qualquer coisa é só me avisar que dou uns cascudos neles. ;D

Thata disse...

Lu_ud:

Tenho algumas experiências parecidas e outras diferentes da sua.
Eu também "sempre me mantive longe de pessoas que tem comportamentos machistas". Talvez por analisar diuturnamente a questão, acabo percebendo o machismo em atitudes que os machistas não conseguem esconder (refiro-me àqueles que desejam fazê-lo). Entretanto, é uma forma minha de "ser", as mulheres não são obrigadas a "descobrir" que o cara é um machista e potencial estuprador (não digo que vc afirmou isso).

"Porque eu faço isso o tempo todo, sem nunca me preocupar nem pensar "ah, vou dar um voto de confiança pra esse cara". Não. Pra mim, não estou dando voto de confiaça, estou apenas vivendo, entende?"
Entendo, mas me surpreende, porque, pensando num nível "geral" (sem uma pessoa/situação específica), eu (provavelmente) não me sentiria segura em fazer o mesmo.

"Eu simplesmente vivo minha vida e nunca tive motivo pra temer pela minha segurança".
Fico sinceramente feliz por sua experiência enquanto mulher (é sério, NÃO é ironia). Gostaria mesmo de estudar os fatores desse "fenômeno" - que não é só individual, é contextual etc...
Digo isto porque, desde que nasci, tenho todos os dias inumeráveis motivos para temer por minha própria segurança só por ser uma pessoa do sexo feminino (no caso, cis). E tomo TODAS as precauções possíveis e imagináveis (no details...), e não tenho "dó".

"Também sempre me posicionei de forma independente, tenho uma personalidade muito forte e uma língua afiada, então qualquer comportamento e comentário fora
da minha zona de conforto recebem um belo coice, nunca permiti nenhuma duplicidade em nenhum dos meus amigos e sempre busquei me afastar de pessoas com quem não me identifico. Teria alguma dessas coisas protegido a B. ou a Klara? Provavelmente não. Não sei."

Eu diria: provavelmente sim, não sei.
ENTRETANTO, NÃO é nada RAZOÁVEL EXIGIR que TODAS as mulheres tenham uma mesma PERSONALIDADE para evitar serem agredidas e estupradas; apesar de isso ser óbvio, os conservadores e tradicionalistas preferem cegar-se.

"Mas nunca, nunca, nunca mesmo na minha vida, estive numa situação em que senti medo de estar cercada de amigos homens, muito pelo contrário"
Eu também não, graças a Oxalá e a meus critérios bastante precisos para escolher as pessoas que me cercam.
Mas compreendo a situação contrária, por diversos motivos: depoimentos que li aqui no Blog da Lola, e também por ter convivido com mulheres que não agiam assim (o que NÃO é obrigação, aliás, pelo contrário: todos os discursos sociais majoritários ensinam-nos a "agradar", a ser "meiga" e a "não contrariar", desde bebês - lavagem cerebral).

"tenho um problema sério com autoridade" hahaha Adorei! Queria muuuito vc trabalhando comigo.

Thata disse...

Lu_uh, reafirmo isso convictamente TODOS OS DIAS para homens e mulheres: "essa dicotomia homem-mulher já está meio datada né?"
Só não sei se podemos afirmar isso
"ela está perdendo uma parte muito legal da vida ao limitar as amizades dela a um único sexo". Justamente porque DEPENDE da(s) pessoa(s) do sexo masculino em questão.

Então, entendo sua irritação; e tb entendo a posição da Klara, porque tem experiências de vida que deixam marcas muito profundas, e imagino que ela deve ter passado por várias assim, e deve ter sempre vivido em meio a ogros - maioria. Sim, MAIORIA. Lembro de um comentário que li aqui de uma jovem homossexual que decidiu se
afastar de amigOs hetero por não suportar mais a misoginia deles, a total desumanização das mulheres nos discursos e nos comportamentos deles. Já relatei em um comentário por aqui: conheci homens heterossexuais que disseram não suportar mais as conversas em grupinhos de homens, por abaixarem o nível total quando o assunto eram "mulheres". Um amigo meu disse, certa vez, numa conversa sobre violência sexual contra a mulher, sentir nojo de ser "homem"
quando se atina para a violência sexual que "homens" praticam contra mulheres (isto é, nojo de estar enquadrado na mesma categoria social: "pessoas do sexo
masculino").

Concluindo, compreendo a posição dessas mulheres que dizem não confiar em nenhum homem (no sentido de não ter garantia de que não vão atacá-las quando estiverem em qualquer situação de vulnerabilidade). O fato de eu, pessoalmente, NÃO ter essa mesma posição, isto é, não desacreditar da "categoria", se deve a (além de ter vivido em contextos nos quais foi possível conhecer homens não machistas/misóginos) uma característica de personalidade (logo, não generalizável) de preferir poucos amigos a grandes reuniões de colegas (que determinou experiências ao longo da vida), e de só me aproximar de homens (e mulheres) em quem confio MESMO (no nível pessoal, analiso muito, julgo muito etc.).
Isso me resguarda de apenas alguns tipos de abuso.

Por que?
Uns seis anos atrás, falei para um grupo de amigos enquanto discutíamos sobre gênero: nós, mulheres, vivemos em situação de guerra civil. Precisamos (maioria) nos preocupar todos os dias sobre não sermos atacadas simplesmente porque somos do sexo feminino; ataques de todos os tipos - desde as ocorrências "menores" até as violências mais extremas (todos os tipos já discutidos aqui no Blog da Lola). Isso não é "democracia", isso não é "paz", isso é GUERRA.

Thata disse...



Anônimo de 10 de janeiro de 2013 09:37,
Concordo muito com o "rapex" (soluçõe extremas...), mas, se eu tivesse, não o usaria ao receber um AMIGO em casa... Triste situação...

*******************************

Assombrada com manifestações de Inaie, 9 de janeiro de 2013 18:12 e MonaLisa 10 de janeiro de 2013 10:38

"Mas eu não consigo entender uma mulhger que se auto entitula (sic) feminista, diz defender sua ideologia e não denuncia um estuprador. Que apesar de ter

100% de certeza de ter sido estuprada, toma banho e lava as roupas... Essa atitude me parece bem machista, se me permite a opinião."

Ela é feminista, já estava numa situação fragilizada, foi estuprada (por ser feminista, também) por alguém em quem confiava, ficou sem saber o que fazer, e

fez algo, no meu entender, para aliviar sua dor. Não é de difícil compreensão.

A maioria das pessoas que não passou por uma situação de violência (ainda mais violência por pessoas em quem se confia) não tem certeza firme sobre qual

seria sua reação.

Estão "cagando regra" sobre como uma mulher DEVE reagir ao ser agredida desta forma hedionda. Empatia mandou abraço.

Informem quando enviarão as carteirinhas de "feminista de verdade", estou esperando a minha. Ah, também quero a Cartilha "Como reagir a um estupro por pessoa conhecida sem deixar de ser feminista" (substituí palavras de baixo calão por estas últimas frases).

Lu_ud disse...

Thata,

Eu entendo o que leva algumas pessoas a esses posicionamentos radicais, nao estou na pele delas pra saber o que aconteceu, mas posso imaginar. Meu contexto social é bom como voce disse, e meu "filtro" de amigos também é bem sintonizado. Mas os homens sao, sei la, 50% da populacao do planeta? Chutando por alto, isso da pelo menos uns 4 bilhoes de pessoas. Nao da pra dizer que 4 bilhoes de homens sao cafajestes que nao merecem confianca, baseado na experiencia que alguem teve com uma duzia deles. Nesse ponto nao consigo me identificar com a Klara, nao consigo imaginar uma situacao que justifique excluir um genero inteiro de suas relacoes pessoais, por pior que tenham sido as experiencias dela com essa duzia de homens. É muito surreal pra mim.

Nao tenho a pretensao de querer que todo mundo tenha a mesma personalidade que eu, ate porque o mundo seria um lugar muito chato, e possivelmente muito mais violento... rs. Entendo o que leva alguem a ser submisso, a nao denunciar, a nao reagir... É todo um contexto social e cultural que nos leva a agir assim.

Mas quando escrevi um dos meus comentarios, sobre a forma de educar filhas, depois fiquei pensando. Essas pessoas que dizem nao confiar em nenhum homem tambem se dizem feministas. Mas provavelmente foram educadas, e educam suas filhas assim, para temer homens, manter distancia deles, evitar locais, roupas e situacoes que possam causar "perigo" a essas supostas filhas. No entanto, essas filhas vao crescer pra serem vitimas, e vao acabar atraindo o perigo que tanto querem evitar. Porque predadores sexuais, especialmente aqueles que estao proximos de nos, buscam sempre o elo fragil: aquela mulher que sabem que nao vai denuncia-los porque ela vai achar que a culpa é dela (bem que minha mae falou pra nao beber), aquela que vai ter vergonha de contar pra familia por medo de ser julgada, aquela que nao vai gritar porque acha que nao vai adiantar nada e ninguem vai vir socorre-la, aquela que nao vai reagir com violencia porque nao sabe como. Essas mocas "recatadas" que vivem uma vida limitada por conta do medo sao as que correm o maior risco de serem agredidas.

Por outro lado, se uma mae que cria uma filha assim tiver tambem um filho homem, ela pode estar criando um potencial estuprador. Afinal, esse homem cresceu vendo sua irma sendo tratada de forma diferente, nao podendo ir nos mesmos lugares que ele, nao podendo beber como ele, nao podendo voltar tarde como ele, nao podendo ter os amigos que quiser como ele. Nenhuma mae acha que esta criando um estuprador, e se todos os estupradores tivessem pessimos pais, existiriam pouquissimos pais bons no mundo. Mas nao adianta fazer discurso feminista e falar com o garoto que mulheres sao iguais aos homens, se na pratica ele ve que sao diferentes. Um dia ele vai encontrar uma garota que fez todo o oposto do que sua irma fazia: estava bebada, sozinha tarde da noite, usando roupa curta... E na cabeca dele, ela nao se cuidou. Afinal, ele foi ensinado que o estupro é uma coisa normal, rotineira, e ate esperada em certas situacoes. Bem, obviamente aquela garota estava pedindo, ne? Se ela nao queria nada, porque nao tomou mais cuidado? Claro que ela queria sexo, so estava fazendo charme. Nao foi estupro, eu nao sou um estuprador, que absurdo!

E temos ai a maldita cultura do estupro, que criou um estuprador e uma vitima dentro do mesmo lar.

Claro que essa é uma situacao hipotetica, so pra ilustrar as possibilidades, existem muito mais coisas em jogo. Mas é por isso que esse tipo de discurso da Klara (e de diversas outras pessoas aqui) me irrita, aperta todos os botoes errados da minha acidez. Especialmente porque vem de uma pessoa que se diz feminista e bem informada.

Nao da pra ser feminsita e achar que a mulher precisa tomar cuidado pra nao ser atacada. É uma dicotomia muito grande. Ou se é feminista, ou se teme os homens, os dois conceitos nao podem andar juntos.

Nah. disse...

Nossa, que horrível :// Ainda bem que você se livrou da praga!

Thata disse...


Ariane: "achei um pouquinho sensacionalista a frase "estuprada por ser feminista" (10 de janeiro de 2013 10:09)

Ok, então repense tal qualificação ("um pouquinho sensacionalista")quando um estuprador, que se dizia seu amigo, PARTIR PRA CIMA DE VOCÊ PARA TE ESTUPRAR (após você dizer que é feminista e a favor do aborto, ele discordar e você dizer diretamente o que pensa dele), e, ao cometer o crime, TE CHAMAR DE FEMINISTA DE M****.

Thata disse...

Lu_ud,

Olha, quando entra a questão de filhxs na história, a situação adquire ainda maior complexidade.

Aí, a pessoa não está desabafando, trocando ideias e vivências com outros adultos, mas sim criando um novo ser humano o qual se encontra totalmente sob seus cuidados - situação completamente diversa.

Nem vou escrever sobre isso agora porque estou cada vez mais chocada com o que vejo pais/mães desequilibrados fazerem aos filhos.

Pessoalmente, não tenho e não pretendo ter filhos.
Num nível bem geral, a única coisa que entendo como RESPONSABILIDADE/DEVER de mães/pais traumatizados ou com visões rígidas é procurar tratamento psicológico, se possível antes de ter algum filhx.


"Nao da pra ser feminsita e achar que a mulher precisa tomar cuidado pra nao ser atacada. É uma dicotomia muito grande. Ou se é feminista, ou se teme os homens, os dois conceitos nao podem andar juntos"

A partir da reflexão proporcionada por nosso diálogo, concluí: é um RISCO REAL, a qualquer momento, romper-se a tênue linha entre:
(1) assumir SE precaver em relação ao comportamento de homens em geral (e aconselhar - num nível PESSOAL, ou seja, não como postura pública/política - outras mulheres a fazê-lo por questão de sobrevivência EM SITUAÇÃO DE GUERRA - no sentido que descrevi acima), assumir se afastar (auto-preservação) de pessoas de determinada categoria social por ter sofrido violência de muitas dessas pessoas (situações traumáticas de todo tipo), e
(2) JULGAR que as mulheres que não agem assim são CULPADAS por sofrer violência. Ou seja, defender e apoiar o discurso mchista/misógino predominante de culpabilizar a vítima.

Anônimo disse...

Cara B. infelizmente você agiu muito errado não o denunciando. Sabemos que hoje em dia com o avanço das leis no Brasil, você poderia denuncia lo e ter entrado com uma medida restritiva contra ele. Se o lixo(que uma merda dessa não tem o direito de ser tratado como ser humano) que te violentou chegar proximo de você,é só comunicar a Polícia que ele será convidado a passear no carro da Bolacha.
Graças a Deus (sei que a maioria das feministas não acreditam Nele,mas eu Creio apesar de ter uns pensamentos nada Cristãos), não me deparei com uma merda dessa, porque o faria gemer muito, mas o prazer seria meu e dor dele. Desde que li sobre Vlad o empalador; tive a ideia se eu me deparasse com um pedofilo ou estuprador ele teria o mesmo fim, que Vlad deu a seus opositores. Lamento muito por você não tê lo denunciado e também, por eu morar longe dai porque seria um prazer encontra lo pra você. Um abraço a todos
Erick

Mirella disse...

"Estão "cagando regra" sobre como uma mulher DEVE reagir ao ser agredida desta forma hedionda. Empatia mandou abraço."


Assino grandão embaixo.

Anônimo disse...

Bom, só para quem tá dizendo que mulher não pode ser amiga de homem hétero:

1ª situação - certa vez, muito deprimida e cansada de tudo, saí com meu amigo para beber e passei da conta. Sabe o que ele fez? Me levou para casa, trocou minha roupa, me botou um pijama e dormiu na mesma cama que eu. Ele não tentou ABSOLUTAMENTE nada comigo, nada mesmo. É uma questão de respeito acima de gênero, é uma questão de respeito como ser humano.

2ª situação - em uma festa de final de ano da academia que meu irmão frequenta, a recepcionista (muito, muito bonita mesmo) bebeu até cair. Sabe qual foi o comentário que surgiu como piada? De levá-la para um canto pq c* de bêbado não tem dono. Meu irmão pegou ela no colo, levou-a para um sofá que tinha em outra sala e não deixou ninguém chegar perto. De novo, respeito pelo ser humano.

O "amigo" da B. que é um canalha da pior espécie, do tipo que deposita moedas de bondade para receber sexo e, quando não recebe, toma à força.

Assim como tem homens péssimos, tem mulheres péssimas. Se for pensar por esse prisma, não saio mais de casa.

B., eu realmente sinto muito por vc, não consigo imaginar o quão solitária vc deve estar se sentindo (estar em outra cidade e ser traída dessa forma), mas verifique se há algum grupo de apoio próximo - geralmente em universidades públicas existem núcleos de violência contra a mulher (pode ser na área de Humanas e/ou na parte de Medicina etc). Entendo o seu medo, mas acredito que você deve sim denunciar, e, caso ele te ameace, ir realizando B.O.s e chamando a polícia. Não se cale. Hoje você foi a vítima, nunca se sabe o que vem depois.

Muita, muita força e coragem. Juntas somos muitas.

Anônimo disse...

Ahhhh, achei aqui o post MARAVILHOSO da Lola: http://escrevalolaescreva.blogspot.com.br/2012/05/guest-post-fui-estuprada-e-preciso-de.html

Anônimo disse...

"A acusação de odiar os homens e atacar os machos também desvia a atenção das mulheres para os homens de uma maneira simpática que reforça a centralidade masculina patriarcal ao colocar as mulheres na defensiva por criticá-las. No processo, isso retrata os homens como vítimas de um preconceito de gênero que na superfície parece comparável ao sexismo dirigido às mulheres. Como muitos desses paralelos falsos, este procedimento ignora o fato de que os preconceitos antifêmea e antimacho têm diferentes bases sociais e produzem conseqüências muito diferentes. Ressentimento e ódio às mulheres são fundamentados em uma cultura misógina que desvaloriza a fêmea em si como parte do privilégio masculino e da opressão feminina. Para as mulheres, no entanto, a cultura patriarcal dominante não oferece nenhuma ideologia antimacho comparável, e por isso, seu ressentimento é mais baseado na experiência como um grupo subordinado e na parte dos homens nisso."

— Allan G. Johnson

Vivian disse...

Nossa senhora.

Que depoimento TRISTE.

Guria, te desejo muita força e boas pessoas pra te amparar. Sozinha não dá pra superar isso, e, na falta de AMIGOS de verdade, procure grupos de apoio, procura nas comunidades grandes de feminismo do fb Machismo nosso de cada dia e Feminismo na Rede, a Marcha das Vadias da tua cidade, os blogs, fala com as adm q elas devem conhecer gente da tua cidade pra te ajudar.

Esse cara é um criminoso. Se afaste completamente dele, e se optar realmente não denunciar, demonstre MUITA imprevisibilidade quando o ver. Fale alto, faça escândalo, dê uma de louca com ele, seja imprevisível! É sério. Ele de alguma maneira viu em você a presa, alguém vulnerável, na qual ele podia passar dos limites e ter certeza que não sofreria represálias de nenhum tipo (a culpa não é sua, é dessa mente manipuladora que ele tem). Você vai precisar adotar um posicionamento bem marcado quando o ver (não o ameace, pode ser perigoso), pois estou cá com meus botões que ele possa tentar de novo. Não é incomum estupradores terem vítimas recorrentes.

Foi premeditado. Ele já queria sexo quando insistiu em ir a té tua casa, e achou que vc ia ceder. Vc estava bêbada e não vai lembrar o quanto ele bebeu, mas provavelmente ELE não estava tão bebado quanto você. Um cara desses sabe onde está pisando e sabe que não pode estar vulnerável como a vítima. Há uma grande chance de que ele tenha um rol de amigas a qual deu o mesmo tratamento.

Sem dúvida ele foi até a tua casa depois para dar a conferida, como li aqui anteriormente. Foi ver se vc lembrava, e se ia fazer algo contra ele. E de quebra se desculpou, o que o "exime" de culpa, na cabeça dele, e te faz desisir de denunciar, na tua cabeça. Conclusão: olha, esse cara te considera tão pouco uma ameaça que ainda arriscou te ver depois de ter te estuprado! Veja bem, que outro criminoso procura a vítima depois, para pedir desculpas? Só os que tem certeza que não sofrerão nada fazendo isso! ELE sabe que fez errado, ele pediu desculpas, jogou a culpa na bebida, e você, bêbada, realmente ficará confusa. Moral da história: VOCÊ fica aí confusa, cheia de medos e receios, incerta sobre os fatos. ELE usa a bebida como argumento e se desculpa, e está certo da impunidade.

Porém não te encorajo a denunciar. Não sei se medidas judiciais realmente funcionam, vc já foi suficientemente agredida, e esse cara além de tudo é lutador. Mas procure apoio para te fortalecer, e procure se comportar de outra forma com esse cara, de hoje em diante. Pelo jeito será inevitável vê-lo, vocês devem ter alguma coisa na rotina em comum, pois eram amigos. Você precisa mostrar pra ele que não é mais a pessoa vulnerável que ele identificou que fosse. Não sou radical, não estou dizendo que todos os homens são assim, de modo algum. Mas esse cara é, e do mesmo que eu atravesso a calçada correndo de alguém que me já cantou agressivamente na rua, eu atravessaria correndo se visse esse homem na minha direçao.

Desculpe se estou cagando regra também, já tem gente o suficiente aqui te dizendo o que fazer. Mas tenho pensado muito nesse assunto, eu nunca fui vítima de algo tão grave, mas todas as vítimas sentem a mesma culpa, e todos os criminosos agem da mesma forma. Esse cara me dá muito medo, e sequer o conheço, que dirá você, jogue contra ele, para que ele não queira mesmo mais te ver, e fique com receio do que você possa fazer.

Dada disse...

Desvirtuar o que eu disse não muda a realidade que descrevi e as consequências que traz.

Justificar o ocorrido sob o viés feminista é inútil porque se o que tivesse ocorrido não fosse um estupro, não tivesse um homem envolvido, e nem o assunto da discussão fosse feminismo, haveria justificava? Estou concordando quando dizem que esta coisa hedionda aconteceu não por ela ser mulher, nem pelo cara ser machista, e ela feminista. Se ela tivesse tropeçado e se afogado por estar bêbada, ninguém ia responsabilizar a bebida. Apontar esta falta de responsabilidade pessoal numa situação destas pode soar horrível, mas se faço isso é porque sei que alertando para isso poderia fazer com que este comportamento recebesse alguma atenção.

Tenho plena consciência que iria ser ofendida e me dispus a ser chamada de estúpida e machista por essas pessoas "tolerantes e equilibradas" porque meu compromisso é com o bem estar de toda e qualquer pessoa, inclusive minhas detratoras. E aqui está o melhor exemplo do que eu falo. A educação que recebi me ensinou a não agredir as pessoas e não me vejo atacando ninguém para ser tratada assim. E porque sou? Porque as pessoas não sabem se controlar, não veem motivo para fazê-lo e não veem mal nos próprios atos ATÉ que ele resulte em mal. O QUE FOI QUE EU FIZ PARA SER AGREDIDA? NADA. A CULPA NÃO É DE QUEM SOFRE AGRESSÃO. EXISTE AÇÃO E REAÇÃO SIM, MAS A CULPA DA AGRESSÃO VERBAL É DO DESEQUILÍBRIO DO DIFAMADOR. E SE EU ASSUMI O RISCO DE SER AGREDIDA VERBALMENTE AQUI É PORQUE O RESULTADO DA AÇÃO DE RISCO COMPENSA ASSUMI-LO. Assim como a culpa do estupro é inteiramente do estuprador.

Tenho muitas amigas bem liberadas, mas responsáveis, usam a roupa que querem e bebem onde for, mas são espertas, não se expõe a situações onde o descontrole pode acabar mal, onde o exagero é válvula de escape. Sou a favor de cirurgia estética, de sensualização, fio dental, lingerie, bebedeira, extravasar mágoas com amigos. Não se trata de nada disso. Sou uma mulher normal, com desejos normais, medos idens, e total noção de que as vítimas de estupro SÃO VÍTIMAS. NÃO HÁ INSINUAÇÃO NAS MINHAS PALAVRAS DE QUE A RESPONSÁVEL POR UMA AGRESSÃO SOFRIDA SEJA A PESSOA QUE FOI AGREDIDA. A ÚNICA AGRESSÃO JUSTA É A COMETIDA EM DEFESA DA VIDA.

As mulheres brasileiras estão saindo de uma situação de opressão para uma de liberação e isso ainda é muito ruim. Ser mulher e exercer sua feminiliadde de nada tem a ver com extravasar a opressão sentida ou a falta de sentido na vida. A gente critica bitolação religiosa porque oprime a mulher, mas nunca vai criticar a própria bitolação com a liberação porque não percebemos ou não queremos enxergar o mal destas "sutilezas". Precisamos todos nos cuidar de todo jeito e extravasar com responsabildiade sobre nossa própria vida. O que estou falando não é nenhuma novidade.

BEBER nos leva a uma condição de incapacidade. Ninguém deveria se embebedar na presença de estranhos, nem na de conhecidos, e às vezes nem mesmo na presença de parentes! Poxa vida, é mesmo difícil aceitar que tem que haver senso de auto-responsabilização, mas tem que haver, pelo bem das próprias pessoas.

Estamos propagando uma cultura de é OK não nos cuidar, e se acaso falo sobre roupas é porque também pode ser usada como comportamento de risco, proque estou num site feminista, e porque desejo fazer este alerta à mulheres. LOLA, sei que pode não ser o lugar certo para isso, mas gostaria de ver isso escrito aqui, por você.

Espero de todo o meu coração que esta garota possa ser justiçada pelo que lhe aconteceu, e também que possa ser mais bem acolhida, inclusive por si mesma desenvolvendo uma atitude mais recompensadora. Enfim, gostaria de ver este assunto merecidamente comentado no teu blog. Desculpe a longa postagem e os capslock, mas não estou com tempo para por negrito. Abraços.

Dada disse...

Resumindo:

Liberdade é exercer-se, liberação é extravasar cegamente. Não interessa roupa, ou mesmo a ausência de uma, interessa o que leva a comportamentos de risco, que podem acabar encontrando comportamentos agressivos. Não estou culpando a moça por ter sido estuprada (obviamente, um estupro se faz com dois, com a ação de um com domínio sobre outro, e se não fosse o agressor, não teria havido agressão). As pessoas não sabem se controlar, não veem motivo para fazê-lo e não veem mal nos próprios atos ATÉ que ele resulte em mal. Afogar-se no próprio vômito cai na mesma situação, é uma consequência ruim de um comportamento de risco, abusivo, e que mesmo sem agressor leva a danos. Fosse esta garota um mascu que tivesse o fígado retirado por beber com um "parça", ninguém ia ser tão sensível. Comportamento de risco, só porque é tão completamente aceito e praticado, não deixa de ser algo ruim e perigoso a quem pratica.

Dada disse...

Penny Lane, eu agradeço que tenha enxergado parte do meu ponto de vista, mas ainda está na sua cabeça que comportamento de risco é ok.

"Uma menina em uma balada, que bebe até perder a consciência, não está fazendo nada de errado."

É claro que está! Isso tem um nome em relação às drogas ilegais, chama-se overdose! É uma dose além da conta! E é errado sim. Qualquer psicólogo pode atestar isso.

Podemos beber muito sim, mas o limite saudável não é nossa vontade. E podemos beber além do limite saudável, o tanto quanto quisermos, que isso não vai mudar o fato de que não é um comportamento saudável.

Pode-se beber além da conta por acidente, e é por isso que tem estampado em todo lugar "beba com moderação". Beber é um risco, porque muita coisa pode nos levar a beber além da conta. Álcool vicia também. Ainda é uma droga. E isso é apenas um conjunto de fatos, não uma demonização do álcool.

Eu bebo, já passei da conta um sem número de vezes, mas nunca achei isso normal, sempre soube que assim como comer além da conta, minhas bebedeiras eram de fundo emocional. É simples assim.

Anônimo disse...

Nossa, é impressionante que sempre que o assunto é violência sexual, estupro, de uma forma ou de outra a vítima acaba também sendo julgada...
Até por nós, mulheres...
Todos sempre buscam no comportamento da vítima, o que poderia ter atiçado o agressor ou o que ela poderia ter feito para se defender... E aí, chovem pedradas, pré julgamentos, incompreesão!!
E olha, posso garantir que ngm de fora precisa fazer esse tipo de observação, pq a vítima, ela mesma vai passar ANOS fazendo esse mesmo tipo de perguntas...
Aos 19 anos eu fui vítima de um estupro em condições semelhantes... Fui a uma festa no sítio de um colega de faculdade que considerava um amigo... Bebi além da conta, dançei, flertei, fiquei com ele, mas, quando decidi que não queria ir para a cama com ele... Aí a coisa mudou de figura... Fui atacada, apanhei um bocado e quando vi que ele não iria parar, pedi para ele colocar um preservativo...
Hj tenho 30 anos e posso garantir que de vez em quando me pego pensando em que momento aquele cara ultrapassou a fronteira e achou que a minha vontade não tinha a menor importância... O que eu fiz ou disse para que ele agisse assim???
Claro que eu não deveria ter bebido tanto, mas quem, em uma festa de universitários nunca foi além da conta??? E é assim, realmente o de bêbado não tem dono?
Podem ter certeza que todos esses questionamentos vão povoar a cabeça da vítima por MUITO tempo, esse tipo de violência é difícil de esquecer...
Curioso quando até uma novela das 18h aborda um assunto espinhoso como um estupro, mostrando claramente a questão do CONSENTIMENTO, da autonmia da vontade... As pessoas só comentam a mesma coisa: Nossa, como ela deu mole! (Por sinal Lola, vc chegou a ver a cena da novela? Queria saber o que achou?)

Thata disse...

Vivian (11 de janeiro de 2013 10:57)

Assino embaixo de praticamente tudo o que você disse.

Você não está "cagando regra" - apenas deu conselhos pessoais, e em nenhum momento falou que a moça DEIXARÁ DE SER FEMINISTA SE não agir assim ou assado.

Ju disse...

Anon 12:59
As pessoas estão dizendo que a Laura deu mole???
Pra quem não acompanha ontem na novela com personagens feministas, Lado a Lado, Laura (a mais feminista) quase foi estuprada pelo senador que ofereceu emprego de secretária para ela.

Mas como as pessoas estão achando meios de responsabilizá-la por isso? Por ter aceitado o emprego? Por ter entrado na sala dele?

Eu espero MUITO que ela denuncie ou dê algum jeito de se vingar, por que não faço a menor ideia de qual seria o posicionamento da polícia se uma mulher 'divorciada' denunciasse uma violência dessas em 1910.

Anônimo disse...

a quem disse que nao da pra ser feminista e ao mesmo tempo temer os homens, sinto muito, mas vc nao conhece a minha experiencia de vida pra definir o que é ou nao ser feminista. se ha uma "caminho suave" do feminismo, por favor, me mande.

eu me considero sim feminista, ainda nao consegui superar certos traumas, e temo os homens sim, pois os que se fizeram de meus amigos, em quem eu confiei, pra quem eu contei coisas intimas, absolutamente todos os que eu jurava que eram meus amigos, em algum momento acabaram demonstrando a que vieram: sexo.

fim de amizade.

e pra quem disse que eu nao devia limitar minha vida por excluir os homens, na verdade eu passei mais de 30 anos tentando inclui-los. nao deu certo.

errar é humano, insistir no erro é burrice. homens, to fora. e to feliz

klara sobral

Thata disse...

Pelo que pude compreender, a opinião de Klara Sobral é algo que ela própria não generaliza, é uma posição PESSOAL. Sim, uma posição que muitas aqui gostariam de "reverter", de mostrar o "outro lado" (homens feministas), mas as pessoas têm limites que devem ser respeitados, e cada processo individual tem seu tempo adequado para acontecer - se acontecer).

Isto é, Klara Sobral, pelo que me pareceu, não extrapola para uma postura pública/política, estendendo a obrigação a todas de adotar a mesma postura dela. (situação "1" que descrevi acima).



Bastante diferente é a posição de Dada, esta sim, julga que algumas mulheres têm "comportamento de risco", ou seja, responsabiliza as mulheres estupradas pela estupro que "poderia evitar". Achei o discurso de Dada bastante contraditório, pois: ou se defende que a mulher tem alguma responsabilidade pelas agressões que lhe são feitas enquanto está em situação de vulnerabilidade, ou se defende que não têm.

Ressalto que o MEU comportamento PESSOAL assemelha-se quase em tudo o que Dada "idealiza"; mas isso tem a ver com TRAÇOS DE PERSONALIDADE, que NÃO SÃO GENERALIZÁVEIS! Quase não bebo, e sempre paro no MEU limite (nunca fiquei "bêbada"); sempre tive verdadeiro pavor de perder a consciência, e NUNCA perdi; sou extremamente desconfiada, isto é, sigo à risca o "não se expõe a situações onde o descontrole pode acabar mal" etc. Ainda assim, isso foi só um detalhe, acho que tive é sorte de não ter sofrido agressão sexual na vida!! Lembro-me de algumas situações em que "quase", mesmo tomando TODAS as precauções a meu alcance.

Um lembrete elementar: tudo que Dada comentou, a meu ver, em NADA se relaciona à autora do post.

Vivian disse...

Oi Thata!

Obrigada =)
A guria acabou de sofrer algo horrível na vida dela, ela precisa de resguardar e se proteger em primeiro lugar, juntar os cacos emocionais que ela deve estar sentindo agora. O resto é o resto e NINGUÉM tem o direito de dizer a ela o que ela deve "ser" nesse momento. Ninguém está no lugar dela.

Só isso. Ninguém vai pensar em salvar o mundo quando se corre risco de integridade física. Qualquer outra coisa foge do assunto nesse momento, e é completamente irrelevante. Ela precisa se curar, antes de tudo.

É muito injusto como as pessoas, além de tudo que a vítima passa, ainda cobram MUITO que ela faça outras coisas, por que é o "certo". E depois, se ela denunciar e for ameaçada, correr risco de vida, alguns desses detendores da verdade vai dar pouso pra ela, vai protegê-la? Estará lá por ela? É só isso que penso.

Eco Hábito disse...

Olá meninas, bebi uma boa parte da minha vida... hoje estou sem a 2 anos. E garanto a vcs bêbado faz xixi no pé rsrsrs o fato de chegar a cometer algum abuso contra a mulher é só uma maneira de se auto afirmar como homem...mas que na verdade estão querendo ir em cana e ser mulherzinha lá e com certeza vão adorar rsrs. Mulher gosta de carinho e amor. Eco abraços

Penny Lane disse...

Já notei que aqui eu tenho que escrever TUDO ao pé da letra.

Quando lá em cima eu disse que uma menina em uma balada ,quando bebe de perder a consciência não está fazendo nada de errado, eu não quis dizer sou a favor da pessoa beber até chegar à este ponto.

Eu quis dizer, que ela pode fazer o que quiser com o corpo dela.Se ela quiser beber, se drogar e o que quer que seja prejudicial a saúde, é problema dela, mas que isto não dá o direito de ninguém se aproveitar dela.

Eu sei que álcool faz mal à saúde.Eu leio, vejo noticiários, vejo boletins médicos.Tenho alcoólatras na família. Não precisa vir me dizer isto é errado.Só não achava que eu teria que colocar TUDO AO PÉ DA LETRA,explicar tim por tim.

Mas agora já estou esperta ;D

Heloisa Biagi disse...

Triste e horripilante essa postagem. Como muitos já disseram, o que é feito bêbado é pensado sóbrio. Não acho que o estupro tenha sido só porque a autora se declarou feminista. Acredito que isso foi só a desculpa, o estopim, para o comportamento violento. Penso que sujeito teria a estuprado e agredido mesmo se a questão fosse times de futebol rivais. O que me chama a atenção nesse caso e o estupro de vulnerável.

Caramba, ele tá clarinho lá no artigo 217-A do Código Penal:

Art. 217-A. Ter conjunção carnal ou praticar outro ato libidinoso com menor de 14 (catorze) anos:

Pena – reclusão, de 8 (oito) a 15 (quinze) anos.

§ 1o Incorre na mesma pena quem pratica as ações descritas no caput com alguém que, por enfermidade ou deficiência mental, não tem o necessário discernimento para a prática do ato, ou que, por qualquer outra causa, não pode oferecer resistência.


E mesmo assim, uma quantidade ASSUSTADORA de homens o faz. Mesmo sendo crime passível de pena, os caras preferem seguir a regra do "c# de bêbado não tem dono". E estupram mesmo, pois na mente de muitos, não é crime. Sei que vai ser difícil para a autora (e para qualquer mulher que passa por isso) seguir adiante nas denúncias. Mas se houver forças, algo deve ser feito. Esse tipo de crime tem que parar. A imagem que fica no coletivo é a de que o estuprador é um monstro que ataca mocinhas em becos escuros, mas a grande verdade é que o estuprador pode ser qualquer um. E não conheço as estatísticas, mas tenho certeza que esse estupro de vulnerável ocorrido entre quem tomou umas a mais deve ser o tipo mais comum de estupro que acontece por aí. Porque ninguém encara como estupro. Como eu disse anteriormente, infelizmente, fica o ditado de que "c# de bêbado não tem dono".

Outra que eu acho coisa deprimente são os conselhos que dizem para não beber demais ao lado de ficante ou gente de pouca intimidade. Eu entendo que esses conselhos têm a melhor das intenções. Mas isso dá quase na mesma que a questão da roupa curta. Não é nós, mulheres, que não devemos tomar umas a mais e não ficar vulneráveis a fim de evitar o estupro. São os homens que não devem estuprar. Estuprar é crime. Fazer sexo com quem não está em perfeitas condições de julgamento e não pode oferecer resistência é crime. Será que é muito difícil não cometer um crime????

«Mais antigas ‹Antigas   1 – 200 de 217   Recentes› Mais recentes»