quinta-feira, 26 de julho de 2012

MAIS UM MITO: OS HOMENS INVENTARAM TUDO

Em junho, o New York Times publicou um artigo falando de um caso de assédio sexual no Silicon Valley e dando tapinhas nas costas dos homens inventores (“Lawsuit shakes foundation of a man's world of tech”, ou “Processo balança fundação do mundo masculino da tecnologia”). 
O problema não estava na parte sobre o assédio sexual, e sim na suposição que toda a internet foi criada por homens (aqui tem uma boa refutação à "homens criaram a internet", que deveria ser corrigido para "homens são creditados por terem criado a internet"). Que é o mesmo argumento que os mascus fazem o tempo todo: se não fossem os homens, a gente ainda estaria no tempos das cavernas, pois tudo que temos hoje foi criado por uma brilhante mente masculina, e nós, feministas, nos aproveitamos de todos esses aparelhos e nem agradecemos os incríveis homens que nos proporcionaram todo esse conforto. Ou seja, como resumiu um troll meu num raro momento de inspiração, somos ingratas com o patriarcado.
Sempre que ouço esses argumentos (que são repetidos pelos mascus, sem exagero, pelo menos duas vezes por semana -– sério, deve ter um computador monitorando quantas vezes certas asneiras deles precisam ser repetidas), meu primeiro impulso é perguntar o que esses mascus que estão falando essas besteiras inventaram, além de vocábulos como mangina e guerreiros da real e teorias mirabolantes como aquela dos 20% dos homens pegarem 80% das mulheres. 
Aí eu penso também se esses manés já ouviram falar em contextualização histórica. Tipo assim, durante séculos, mulheres não podiam nem aprender a ler e escrever, daí ficava difícil ir pra faculdade, né? (no Brasil, as universidades abriram as portas pras mulheres 130 anos atrás, em 1879, mesmo ano da França, e um ano antes da Austrália e Canadá). Sem falar que, se é pra usar essa linha de raciocínio, foram os homens brancos que criaram tudo. E essa não seria uma colocação um tanto... racista?
Mas aí Violet Socks, da Reclusive Leftist, decidiu responder o artigo do NYT de uma maneira muito mais precisa do que eu poderia, num adorável post chamado “Patriarchy in action: the NYT rewrites history” (Patriarcado em ação: o NYT reescreve a história). Não vou traduzir tudo porque é longo, mas ela diz que é típico do patriarcado pegar o crédito pros meninos de tudo que é feito no mundo, e depois ficar reclamando por ter de compartilhar os brinquedos com as meninas.
“1) As mulheres inventaram todas as tecnologias originais que fizeram esta civilização possível. Isso não é um mito feminista; é o que os antropólogos de hoje acreditam. Mulheres inventaram cerâmica, a fazer cestas, tecelagem, tecidos, horticultura, e agricultura. É verdade: sem as invenções das mulheres, não seríamos capazes de carregar ou guardar ou amarrar coisas ou ir pescar ou caçar com redes ou empunhar uma lâmina ou vestir roupas ou produzir nossa comida ou viver em assentamentos permanentes. Chupe isso.
2) Mulheres continuaram a estar envolvidas na criação e na melhoria da civilização através da história, mesmo que vc não saiba. Escolha qualquer coisa -– uma tecnologia, uma ciência, uma forma de arte, uma escola de pensamento -– e comece a cavar o que está oculto. Você encontrará mulheres lá, eu garanto, fazendo contribuições e muitas vezes inventando a p*rra da coisa em primeiro lugar.
3) Mulheres fizeram essas contribuições apesar de barreiras incríveis. Barreiras como não poder ir pra escola. Barreiras como não poder trabalhar num escritório com homens, ou fazer parte de uma associação profissional, ou andar na rua, ou possuir propriedade. Exemplo: procure por Lise Meitner quando puder. Quando ela nasceu em 1878 era ilegal na Áustria que meninas frequentassem a escola depois dos 13 anos. Quando as leis finalmente deram uma aliviada e ela pôde ir à universidade, ela não foi autorizada a estudar com homens. Aí ela conseguiu uma posição na pesquisa mas não pôde usar o laboratório por causa de micoses femininas. A vida toda dela foi assim, mas ela ainda conseguiu descobrir a danada da fissão nuclear. Aí o comitê do Nobel deu o prêmio ao colega júnior dela e ignorou sua existência completamente.
4) Homens nas civilizações patriarcais, incluindo a nossa, têm trabalhado para diminuir ou negar as contribuições criativas das mulheres. Isso porque o patriarcado funda-se na crença que mulheres são para reprodução e homens são os únicos seres pensantes. A maneira mais fácil dos homens apagarem as contribuições femininas é simplesmente ignorar que elas aconteceram. Porque quando vc ignora alguma coisa, ela é esquecida. As pessoas da geração seguinte não ouvem falar naquilo, e então elas crescem pensando que nenhuma mulher já fez alguma coisa. E quando as mulheres na geração delas fazem coisas, as outras pessoas pensam “foi por acaso, nunca aconteceu antes na história da humanidade, ignore”. Então elas ignoram, e o negócio é esquecido.
5) Finalmente, e isso é importante: até as mulheres que não foram inventoras e intelectuais, até aquelas que realmente passaram a vida toda fazendo o estereotipado 'trabalho feminino' –- elas também construiram este mundo. O trabalho mundano da vida é o que faz possível todo o resto. Antes de poder ter cientistas e engenheir@s e artistas, você precisa ter um monte de gente (que geralmente são mulheres) que garantam o básico: cultivar e colher e cozinhar a comida, providenciar roupa e abrigo, buscar a lenha e a água, alimentar e cuidar, atender e ensinar. Toda e cada migalha de invenção e sonho e pensamento vem dessa fundação. Nunca se esqueça disso”.

78 comentários:

Anônimo disse...

O homem descobriu o vidro e inventou a garrafa.
A mulher descobriu o vidro e inventou o espelho.
O homem inventou o baralho e, logo depois, o jogo.
A mulher descobriu o baralho e inventou a cartomante.
O homem descobriu a palavra e inventou a conversa.
A mulher descobriu a conversa e inventou a fofoca.
O homem descobriu o dinheiro e inventou o comércio.
A mulher descobriu o comércio e inventou a dívida.
O homem descobriu a comida e inventou o almoço.
A mulher descobriu a comida e inventou a empregada.
O homem descobriu a mulher e inventou o namoro.
A mulher descobriu o homem e inventou o casamento.
E aí o homem não inventou mais nada :(

Bruno S disse...

Até um tempo atrás eu via quem reproduzia esse mito de que os homens é que inventam tudo como alguém brincando.

Nos últimos tempos fiquei preocupado, porque fui percebendo que há pessoas que realmente levam isso a sério.

Carolina disse...

adorei o post. as pessoas realmente ignoram completamente a questão do contexto histórico quando falam em contribuição científica.

tem duas figuras femininas na ciência que eu admiro muito, Marie Curie (que é bem famosona e tal) e Hipátia, de Alexandria (essa muito mais soterrada pela história do que a outra). A primeira foi uma das que obteve o prodigioso feito de conseguir dois Nobel em áreas diferentes (feito grandioso até mesmo entre os homens) e a segunda, infelizmente foi apedrejada em contexto político e cultural muito averso a sua pessoa. Alguns dizem que morreu em decorrência de vingança política, outros que ela levantou a fúria de uma população cristã que se espalhava no império romana nos primórdios da expansão do cristianismo (Hipátia era pagã, recusou casamento a vida toda e enfim, era uma mulher entre homens que nunca se intimidou e sempre expôs seu conhecimento a quem quer que fosse... isso devia mesmo deixar um pessoal meio enfurecido). Tenho plena certeza que houve muitas outras mulheres como elas, mas que infelizmente foram ignoradas pela história, pelo contexto, pela sociedade em geral. Mas quando eu quero me espelhar em alguém é pra elas que eu olho.

E quanto ao que foi dito sobre mulheres que mesmo só tendo vivido sob o estereótipo de atividades femininas terem ajudado e muito a civilização a andar, concordo muito. Não tinha aquele papo de que pros gregos pensarem alguém tinha que trabalhar e esse alguém eram os escravos? Então por mais que o escravos (fossem eles os da Grécia antiga ou os escravos da era moderna) não pudessem contribuir diretamente pro avanço da ciência, por que a eles não foi dada a oportunidade, ao trabalhar e manter as coisas em ordem e o cotidiano funcionando eles possibilitaram aos seus algozes tempo pras ciências e pros avanços que eles tanto se vangloriavam como puro fruto de seu gênero, sua raça ou seu status social.

Enfim, ótimo texto.

Gabi disse...

Lola, estou no trabalho e nao consigo fazer o vídeo rodar. Assim nao estou 100% certa de que se trata do video que eu queria mostrar. Mas dentro do tema, é interessante conhecer a vida dessa mulher (fizeram um filme sobre ela também com a Rachel Weisz)

Gabi disse...

Esqueci de mandar o link (acho) http://www.youtube.com/watch?v=GeiGy8CFhaI

Mirna disse...

Na biologia atual, o melhor exemplo desse sistema de ignorar as mulheres aconteceu com a Rosalind Franklin na descoberta do DNA... Ignorada! Mas sem a descoberta dela, o Watson e o Crick não estariam na história.

Pokerol - a programadora disse...

Olha só que argumento furado dizer que os homens inventaram a internet: a internet só é possível porque existe um jeito de se comunicar com as máquinas, uma linguagem de programação, que foi inventada por uma mulher. A primeira pessoa a conseguir um jeito de passar comandos para uma maquina foi a Condessa Ada Lovelace

link pra wikipedia:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Ada_Lovelace

Chupa essa mascus!

Rose disse...

Sobre os mascus e a computação, pergunte se eles já ouviram falar de Ada Lovelace.
Outro dia eu estava lendo uma reportagem sobre a Sra Mildred Dresselhaus (a cientista que ajudou a criar a era da nanotecnologia) tudo que interessou ao jornal foi: "como a senhora conciliou a criação dos seus filhos e a ciência"
Não é uma graça?

Sara disse...

Maravilhoso seu texto Lola, calou fundo na alma.
Tenho certeza que apesar de TUDO, nós mulheres vamos mudar o futuro mas não vamos esquecer toda injustiça que ficou no passado.

ta-chan disse...

Hj é o tal do lingerie day...
oq vc acha Lola?

Paulo Henrique disse...

Mulheres são fantásticas por terem feito o que fizeram e continuam fazendo mesmo com todo o machismo e a misoginia que existem no mundo.
Eu sinceramente espero que as mulheres ganhem muito mais espaço e mais condições em todos os setores pra fazer pesquisas,estudos,viagens e tudo mais o que desejarem.
Minha namorada é Física e trabalha em uma das maiores áreas de pesquisa da Unicamp,ela mesmo já comentou comigo muito chateada o quanto já teve que se provar pelo simples fato de ser mulher...Isso me entristece muito que grande parte dos homens tenham essa mentalidade medieval e cretina.
Lugar de mulher é...aonde ela quiser e quando ela quiser!
Beijos Lola seu blog é fantástico!

lu disse...

Me lembrei de uma passagem de "um teto todo seu" da virgínia woolf (ensaio que fala sobre porque é tão raro e difícil para uma mulher ser escritora)


"(..)qualquer mulher nascida com um grande talento no século XVI teria certamente enlouquecido, se matado com um tiro, ou terminado seus dias em algum chalé isolado, fora da cidade, meio bruxa, meio feiticeira, temida e ridicularizada.(..) Se sobrevivesse, o que quer que houvesse escrito teria sido distorcido e deformado, fruto de uma imaginação retorcida e mórbida. E sem dúvida, pensei, olhando a prateleira onde não há peças da autoria de mulheres, seu trabalho sairia sem assinatura. Esse refúgio ela, decerto, teria buscado. Foi o resquício do sentimento de castidade que ditou o anonimato às mulheres até mesmo no século XIX. Currer Bell, George Eliot, George Sand, todas vítimas do conflito interno, como provam seus escritos, buscaram inutilmente esconder-se atrás de nomes masculinos. Assim renderam homenagem à convenção — que, se não implantada pelo outro sexo, foi fartamente incentivada por ele (a glória maior da mulher é não ser falada, disse Péricles, ele próprio um homem muito falado) — de que a publicidade das mulheres é detestável."

B. de Campos disse...

E mais um adendo: os africanos inventaram/descobriram a metalurgia!

Que os racistas convivam com isso, hehe :)


PS.: Muito triste saber que a NYT é assim tão parcial. Põe em cheque a qualidade e veracidade do trabalho deles. :/

Nane disse...

Com tantos impedimentos , as mulheres fizeram muito!Certamente fariam muito mais se não fôssemos tão tolhidas.
Eu , por exemplo , era impedida até de brincar com meninos. Andar de bicicleta , pique-pega , voley etc ? Jamais! O colégio que estudava era só feminino , direcionado a ensinar "coisas femininas".Mesmo assim , lutei , fiz curso superior (medicina) ,e me orgulho do que consegui!

O Guri disse...

Sabe que eu nunca havia pensado nisso?

Não é nem questão de imaginar se todas as nossas invenções essenciais à vida foram criadas por homens.Eu simplesmente nunca parei pra pensar nisso. O que me surpreende, e muito.

Quando eu era crianças, tive mulheres como professoras. Isso sempre me pareceu normal e até muito mais confortável. Um homem como professor seria só pra Educação Física. Aí quando eu cheguei no ensino médio, estranhei até demais ter aulas dadas por um professor. Por um homem. Isso é tão estranho.

E também me sinto bem mais a vontade em sala de aula quando o professor é uma mulher. Talvez eu esteja generalizando, mas creio que elas são mais competentes para o ensino. Sem contar que uma professora não fica assediando os alunos durante as explicações e nem pelo facebook quando a aula acaba.

Outra coisa que talvez seja bobagem, mas é que na faculdade, as meninas minhas colegas tem uma capacidade de organização e senso prático muito maior do que qualquer outro garoto. Elas geralmente sabem se expressar e focam muito mais nos estudos. E as que já possuem família conseguem muito bem conciliar os estudos com as obrigações de casa. Até mesmo porque quando não conseguem, são criticadas e acabam culpadas, o que as fazem largar os estudos.

{http://umgurientregurias.blogspot.com.br/}

Lord Anderson disse...

Ja falaram da Lady Lovelace, a patrona de todos os programadores.

Mas eu acrescento ainda a francesa Irene Curie física desenvolveu isótopos radioativos artificiais, como o rádio sólido e o rádio fosforoso. E junto com o marido, tb fisico, provou que, com a participação do urânio, se produzem nêutrons capazes de iniciarem uma reação em cadeia.

já a norte-americana Mary Anderson, criou o limpador de pára-brisa ajudando a resolver o problema de visibilidade em veiculos.

O projeto foi adotado por Henry Ford,e poucos anos mais tarde, todos os veículos dos EUA já saiam de fábrica com o limpador de pára-brisa.

A britanica Erna Schneider Hoover, licenciada em história medieval, filosofia e matemática, em 1954, criou um sistema automatizado que utilizava um computador para supervisionar as chamadas telefonicas.

A ideia é usada até hoje e foi uma das primeiras patentes de software do mundo.

Catherine Blodgett foi a primeira mulher a se doutorar em Física na Universidade de Cambridge, em 1926.
Sua pesquisa sobre as camadas monomoleculares a conduziu a uma descoberta revolucionário: o vidro que não reflete.
Em 1938 patenteou o processo, que teve muitas aplicações: limitar a distorção em microscópios, lentes, telescópios, câmaras fotográficas e lentes de projetor.


A alemã Katharina Paulus foi a primeira mulher a pilotar dirigíveis profissionalmente e inventou em 1913 o pára-quedas portátil.

A também alemã Marga Faulstich inventou as lentes leves para óculos.

Enfim, apesar do muro levantando pelo machismo, qualquer pessoa que tenha interesse real em pesquisar consegue achar facil o nome de mulheres que descobriram ou colaboraram em importantes descobertas.

Hamanndah disse...

Lola

Fantástico o seu post

Eu adoraria escrever tão bem quanto você

Só discordo de você de duas coisas: acredito em Deus, sou contra o aborto em todos os casos

Deve ter mais alguma coisa que discordo, mas admiro muito sua inteligência

bjs
Hamanndah

Ricardo disse...

De nada, Lola.
Agora eu deixo você usar minha internet.

acaos disse...

Agora, o que os mascus podem assinar embaixo sem medo é a máxima: "se algo pode ser feito, tem que ser feito" na tecnologia, estão ai os transgênicos, bombas atômicas e viagens espaciais que ficam na frente de qualquer intencao de tornar o nosso mundo melhor para todos os que estão nele.

Lud disse...

E a Mileva, não se esqueçam da Mileva!

http://super.abril.com.br/cultura/mileva-maric-442512.shtml

Fábio RT disse...

Todo dia agradeço a Deus pela educação que recebi ... não vou dizer que a gente não é influênciado pela sociedade...mas agradeço principalmente pelo fato que quando vejo uma mulher na minha frente eu vejo um ser humano .. e não uma criatura estereotipada e categorizada dentro de sei lá quantas regras impostas ... o mesmo vale pra quando eu vejo um homem ...
Agradeço ter conhecido esse site também ... que com seus textos e comentários sempre me lembra de quão rídiculo é colocar as pessoas dentro de um grupo e generalizar as características dos mesmos ... por fim agradeço por ter sido criado por uma mulher, além de ser chefiado e conviver com uma maioria de mulheres no ambiente acadêmico ... sepultando definitivamente qualquer chance de desenvolver traços de misoginia no meu caráter

B. de Campos disse...

Notícia de última hora!!!

:))

http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2012/07/estudante-cria-cerebro-artificial-capaz-de-detectar-cancer-de-mama.html

Carolina disse...

vou pedir desculpa pra falar de uma coisa que não tem nada a ver com o post, mas que me doeu um pouco ao ler nos comentários, a usuária ""acaos"" falou das bombas atômicas, dos transgênicos e das viagens espaciais como se fossem tecnologias inúteis e frutos de pura ambição. que as bombas atômicas são danosas eu concordo plenamente, mas a tecnologia por trás delas possibilitou o desenvolvimento de importantes instrumentos de diagnóstico na Medicina, ou seja, a mesma tecnologia que mata, também salva vidas.

Quanto as viagens espaciais, me desculpem, eu sou amante da astronomia e da astrologia pra deixar isso passar quieto, muitas das tecnologias que utilizamos hoje foram desenvolvidas especialmente pra essas viagens e somente depois foram revertidas pra população civil. E outra, descobrir o universo que nos cerca, os nossos planetas vizinhos e estrelas distantes nos ajudaram e muito a entender como as coisas acontecem aqui dentro, como a dinâmica do clima, aquecimento global e muito mais. e ao perceber o dimensão do universo, nos tornamos mais humildes perante a nossa insignificância. aliás, um dos cientistas mais humanistas que eu já ouvi falar era astrônomo.

E até mesmo nessas duas áreas há grande contribuição feminina. enorme mesmo. a culpa não é da tecnologia, mas de quem a aplica.

Então Lola, me desculpe o offtopic, mas me incomodei um tanto com o comentário, só quis mesmo expor minha opinião.

Carolina disse...

hahahahaha falei astrologia no tópico anterior.... não! quis dizer astrofísica! hahaha malzaê

Anônimo disse...

Einstein sabia que a Alemanha estava por desenvolver a bomba atômica e os propósitos de Hitler eram piores do que aquilo que ele fez contra os judeus nos campos de concentração. Einstein ajudou os EUA para evitar algo pior, muito pior do que Hiroshima e Nagasaki.

Carolina 19:41 seu comentário está 1.000% correto.

Drica Leal disse...

Legal esse post, sempre leio e ouço por aí homens se gabando de que o gênero deles inventou tudo o que por si só é uma mentira, mas é pior ainda porque mesmo que fosse verdade, eles fingem ignorar que durante quase toda a existência humana a mulher foi impedida por todos os meios a ter acesso ao conhecimento e desenvolver habilidades intelectuais. Sem falar da divisão dos papéis de gênero: elas ficam com todas as atividades de servir aos outros, eles podem desenvolver e aperfeiçoar as atividades que quiserem.

No fundo, acho que esses homens sentem-se diminuídos diante dos feitos das mulheres ao longo da História, pois mesmo com tudo contra, com todos os impedimentos, com todas a opressão que eles impuseram, mulheres brilhantes conseguiram fazer coisas tão ou mais magníficas que certos homens brilhantes que nunca enfrentaram impedimento algum para se desenvolverem. Deve ser duro pra esses machistóides constatar que só se destacam quando qualquer liberdade ou conhecimento é vetado ás mulheres, caso contrário, elas se igualam ou até mesmo superam os homens em feitos intelectuais. E mesmo hoje, quando podemos estudar e trabalhar mas continuamos sendo socialmente cobradas para sermos "femininas", dóceis, objetos sexuais, esposas, mães, donas de casa, estamos cada vez mais avançando nos desenvolvimentos científicos e intelectuais. É assombroso para os machistas e misóginos ver em poucas décadas as mulheres conquistando e superando o que lhes foi negado durante milênios.

Drica Leal disse...

Ah, outra coisa;

Muitos feitos de mulheres acabam ficando ocultos por um detalhe importante: homens são mestres na autopromoção. Se vangloriam de qualquer coisa, por isso, mesmo que façam menos, serão destaque numa equipe. Já as mulheres, por uma questão de condicionamento de gênero, tendem a ser modestas quando trabalham em equipe, não exaltam seus feitos individuais e muitas vezes acabam injustiçadas e passadas pra trás na hora de ter seus méritos reconhecidos. Isso já foi cientificamente comprovado.

Nada de ser boazinhas, meninas! se são boas em algo, façam com que isso apareça sem medo de serem consideradas arrogantes ou cheias de si: façam com que suas qualidades e feitos REAIS apareçam, pois um homem que saiba ou tenha feito até menos que você pode ficar com todo o mérito apenas por ser homem e não ter vergonha de se autopromover,

;-)

Carla disse...

Milagre, nenhum troll, este é um dia de muita felicidade por isso.Vai ver eles não tem como responder.

Ah, quase esqueci,ótimo texto Lola.

Leandro disse...

Nao foi Lovellace que criou os conceitos de informática foi o Charles Babbage. Ela apenas usou a máquina e Babbage e traduziu os conceitos do Babbage. Mas o precursor da informática foi Babbage...

Leandro disse...

"Na biologia atual, o melhor exemplo desse sistema de ignorar as mulheres aconteceu com a Rosalind Franklin na descoberta do DNA... Ignorada! Mas sem a descoberta dela, o Watson e o Crick não estariam na história."
- Quem descobriu o DNA foi o suíço Friedrich Miescher, no século XIX. Sem a descoberta de Miescher, não teria como Rosalind Franklin determinar a estrutura da molécula do DNA.

Anônimo disse...

a wikipedia que cita algumas mulheres inventoras e filosofas que ficaram esquecidas. procurem lá no "portal: mulher" e nos artigos "mulheres na historia", "mulheres na ciencia", "mulheres na filosofia".

Anônimo disse...

Não está particularmente relacionada ao post, mas achei que gostaria da matéria da Carta Maior: http://cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=20617

Orahcio disse...

Adorei o post Lola, a mulher foi muito boicotada ao longo da história. Mas o que aprendi em história da ciência, é que se algúem não fez algo certamente outro ou outra fará. Essa de se não fosse o homem não teríamos esse conforto todo, é a coisa mais sem sentido, e posso imaginar o atraso tecnológico que o machismo proporcionou, pois 50% das possíveis cientistas eram impedidas de exercer tal carreira. Por causa disso em nossa área ainda é uma luta atrair as mulheres, mas já podemos. Como o samba que é branco na poesia e negro demais no coração, faltou mencionar o primeiro programador da história Ada Lovelace, ops, ela é mulher, primeira programadora melhor dizendo. Logo se o computador é homem na poesia é mulher demais no coração. Aliás Alan Turing, o pai da computação moderna foi vítima da homofobia daqueles tempos. Então o melhor conselho para machistas e homofóbicos é, passem o resto de suas vidas lavando as mãos, e depois disso nunca mais toquem num computador novamente. Voltem às cavernas.

Castro disse...

LOLA,

Sou homem e adoro seus textos, na verdade....gosto mais da espontaneidade com que voce escreve.....mas dessa vez, e só dessa vez eu discordo desse texto.

Eu não sou nenhum mascu revoltado...ou então de "direita"( seja la o q isso signifique).....


Mas esse texto seu foi o menos convincente até hoje e o mais "apelativo" e perto dos mascu que eu já vi... ;/

Eu conheço bem os mascus pq fui "apresentado" a eles a 1 ano por um amigo....e sempre achei eles muito "chorões"( coisa pouco masculina, machismo? )

E vou te dizer a verdade...o unico argumento que eu dava a eles( e ainda dou) ...é esse da ciencia...que realmente é verdade( culpa do patriarcado ou das diferenças geneticas??) enfim....as diferenças são assustadoras....não existe nenhum tipo de igualdade na ciencia ; /...( infelizmente )

"As mulheres inventaram todas as tecnologias originais que fizeram esta civilização possível" olha, isso é de falta de verdade arrasadora....

E dizer que as "cestas" foram as mulheres ....vc está ofedendo as mulheres Lola....pq cesta não é bem uma invenção...(até os chimpanzés usam cestas) ; /

Tecido tbm não é bem invenção.....as peles dos lobos nao foram bem uma invenção....

E por final esse argumento que mulher esterotipada contribui para o mundo( eu concordo)......foi argumento emocional/desesperado(mesmo que verdadeiro)...tipicamente um argumento mascu !


Assim mesmo, continuo sendo seu fã e achando seus textos brilhantes e muitos dificeis de achar outros em blog brasileiros a sua altura. Um beijos. de um leitor que não passa 2 dias seguidos sem entrar aqui... ;)

Grão da Noite disse...

Este post me fez lembrar de Hedy Lamarr, uma atriz que, além de muito bonita, foi uma das desenvolvedoras (existe essa palavra?) dos fundamentos teóricos da telefonia móvel. Ela era um gênio da física. E a Marie Curie? E essa pesquisa que comprovou a teoria do bóson de higgs? A equipe é coordenada por uma física italiana (me esqueci do nome dela). Acho revoltante a invisibilidade do chamado "trabalho feminino". Meu irmão também é gay e manteve um relacionamento com outro homem por quase 8 anos. Durante uns 4 desses 8 anos os dois moraram juntos, mas só o outro trabalhava fora. Meu irmão estava estudando pra concursos. Ele colocava a roupa na máquina de lavar, fazia a comida, recolhia o lixo, ia ao supermercado. Preparava café da manhã, almoço e jantar. Levava o outro pro trabalho durante bem uns dois anos, até que finalmente o simpático tirou a carteira de motorista. Quando foram morar juntos, o outro, que passou num bom concurso público no serviço público federal, não sabia nem o que era um cheque e não sabia fazer absolutamente nada sozinho. Meu irmão é que organizou a vida dois em outra cidade, já que o outro não sabia sequer trocar uma lâmpada. Enfim, meu irmão era "dono de casa", motorista e secretário particular do companheiro. Uma faxineira ia uma vez por semana ao apartamento dos 2, mas nos outros 6 dias da semana quem fazia 90% das coisas era meu irmão. Há dois anos a relação acabou, e o "ex" do irmão não queria dar nada a ele. Disse que só ele trabalhava fora, então seria injusto ele pagar uma pensão a meu irmão. Pra ele os trabalhos doméstios que meu irmão fazia eram totalmente invisíveis. Ele não conseguia enxergar que, se meu irmão não fizesse tudo aquilo que fez por 4 anos, o sujeito ia ter que pagar um terceiro pra fazer, e que a economia que meu irmão proporcionava ao casal tinha, sim, que ser contabilizada como uma contribuição financeira. Tempo e trabalho valem dinheiro, como os americanos sabem muito bem. Depois de muita dificuldade o fulano topou pagar uma pensão ao "ex" companheiro. Mas não foi por senso de justiça, não. Foi por medo de ver a relação dos 2 exposta nos autos de um processo judicial. E ainda saiu dizendo pra todo mundo que meu irmão é um chantagista, por dizer que iria processá-lo se ele não pagasse uma pensão. Esse "ex" do meu irmão foi de um machismo que eu não esperava. Ele não conseguia enxergar o esforço do meu irmão, o trabalho que ele tinha pra dar todo um suporte pra tornar a vida dele confortável e fluida, sem problemas com as miudezas do quotidiano, mas miudezas cuja solução é o que torna a vida possível; o cara só fazia trabalhar fora, mas todo o resto do trabalho da vida a 2 ficava nas costas do meu irmão. As mulheres que há décadas atrás eram "apenas" donas de casa padeciam invisibilidade triste. Elas faziam seus maridos "provedores" economizar um bom dinheiro, mas tudo isso passava despercebido pelos olhos deles. Meu irmão também passou num concurso. Agora, para muitos, por estar trabalhando fora, ele passou a existir...

Bruxinha disse...

@Rose
"Outro dia eu estava lendo uma reportagem sobre a Sra Mildred Dresselhaus (a cientista que ajudou a criar a era da nanotecnologia) tudo que interessou ao jornal foi: "como a senhora conciliou a criação dos seus filhos e a ciência"
Não é uma graça?"
Se fosse para um cientista, ainda que pai de dez filhos, a pergunta jamais seria colocada na entrevista, né?

Ramon Melo disse...

Gostaria apenas de lembrar que praticamente toda a computação moderna nasceu na primeira metade do século XX, quando os homens estavam ocupados treinando táticas militares e guerreando para ver quem tinha o maior órgão sexual (uma abordagem freudiana). Boa parte da mão de obra nos centros de pesquisa, portanto, era feminina.

Não é à toa que, em muitos idiomas, a palavra que designa o computador tem gênero feminino, porque a maioria esmagadora dos primeiros "computadores"/ordenadores" (os operadores humanos das primeiras máquinas de processamento) eram mulheres. No próprio português, "calculadora" permanece com o gênero original, mesmo depois de tanto tempo.

Basta procurar as fotos e os vídeos dos primeiros computadores, como o ENIAC, e vocês não verão um só homem nas imagens.

Huan Icaro Piran disse...

Concordarei com o Castro, mas até ler ele eu já havia praticamente esquecido sobre esse pequeno ponto.
Há tanta injustiça contra a mulher na ciência que eu temo que esse tipo de comentário apaixonado é totalmente aceitável. Provavelmente eu faria também se fosse mulher, principalmente por minha alma revolta e apaixonada que herdei de meus pais.
Falar que mulheres não contribuem para a ciência é realmente um tiro no pé, tem exemplos demais para refutar esse argumento...

Grão da Noite disse...

Hedy Lamarr: a biografia dela daria um filme. Há um documentário que passou se não me engano no Discovery, mas explorando mais o lado científico. Ela convenceu o marido ciumento e controlador a levá-la para uma festa usando todas as jóias caras que ela possuía. Na festa ela o dopou e conseguiu fugir para os EUA levando suas jóias mais valiosas. Não sabia disso. Vi agora na Wikipedia. Os mascus vão chamá-la de vadia (rs). Só não vão por causa da moderação. Pra eles (mascus) toda mulher inteligente é vadia, principalmente porque mulher inteligente corre deles, como fez Hedy (nada mais justo do que ela levar consigo os presentes que ganhou).

Lamarr nasceu em Viena, Áustria, de pais judeus. A mãe, Gertrud (nascida Lichtwitz), era uma pianista de Budapeste, vinda de uma família burguesa, e o pai, Lemberg, nascido Emil Kiesler, um diretor bancário[2][3]. Hedy estudou bale e piano até os 10 anos de idade.

Quando, mais tarde, trabalhou com Max Reinhardt, em Berlim, foi considerada, por ele, a "mais bela mulher da Europa". Durante a adolescência, fez diversos papéis em filmes alemães, ao lado de atores como Heinz Rühmann e Hans Moser.

No início de 1933 estrelou o filme de Gustav Machatý, Ecstasy, um filme tcheco feito em Praga, que a deixou famosa por aparecer nua, correndo por entre folhagens, mergulhando em um lago e simulando um ato sexual com direito a closes do orgasmo. O marido, milionário e ciumento, gastou uma fortuna na tentativa de readquirir e destruir cópias da película.

Em agosto de 1933, Hedy casou com Friedrich Mandl, um vienense fabricante de armas 13 anos mais velho, com o qual ficou casada durante 4 anos. Em sua autobiografia, Ecstasy and Me, Lamarr descreveu Mandl como um homem extremamente controlador, que tentava mantê-la trancada em sua mansão.[4] Hedy acompanhou o marido em diversos jantares com a ascendente elite nazista, com a qual Mandl tinha relações. De acordo com sua autobiografia, em 1937 persuadiu Mandl a autorizá-la a comparecer a uma festa usando todas as suas joias, depois o drogou e, com a ajuda de uma empregada, escapou do país levando consigo as valiosas jóias. Lamarr naturalizou-se norte-americana em 10 de abril de 1953.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Hedy_Lamarr

Joel Bueno disse...

Fora de pauta (mas talvez te interesse):
http://blogjoelbueno.blogspot.com.br/2012/07/olimpiada-futebol-brasil-5-x-0-camaroes.html
(machismo e futebol feminino)

Luciana disse...

Lola apague esse comentário Lixo do Leandro mascutroll e o do anônimo da 01:36,ta só poluindo esse post tão bonito que você fez.
Tolerância ZERO pras esses machistóides de plantão.

Drica Leal disse...

Castro:

tem certeza de que você ainda tem dúvidas se a diferença entre homens e mulheres nas ciências se due po condicionamento social ou aptdão natural depois de tudo o que vem sendo exposto por aqui?

Tenha dó, né? Vir com esse papinho a essa altura é querer desqualificar todos os esforços de mulheres ao longo da História que com todos os impedimentos para que não adquiram ou desenvolvam conhecimento científico.

Huan Icaro Piran disse...

Drica, acho que o castro apenas fez uma critica aos casos específicos, não a postagem de forma geral. Também não acho que ele tenha alegado que a diferença se de por, mas apenas de uma possibilidade de exemplos mal escolhidos no casos de cestos por exemplo.
Contudo, posso ter interpretado errado também...

Anônimo disse...

AS MULHERES SÓ PUDERAM ESTUDAR A POUCO TEMPO ATRÁS...

então é meio óbvio tudo o que aconteceu até agora, não?

Bruna B. disse...

Gente, vou fugir do tópico, mas olhem o nível dos masculinistas brasileiros:

http://a2.sphotos.ak.fbcdn.net/hphotos-ak-prn1/551334_354943551218020_1813025620_n.jpg


É cada pérola...

Marce disse...

Lola, você presta um servico de esclarecimento e utilidade pública como ninguém no Brasil e contribui enormemente para diminuir a ignorância e o obscurantismo. Acho que você deveria estar mais presente em outras mídias também.

Anônimo disse...

Concordo com Marce 16:29 e acho que deveria haver um debate aberto ao público com a Lola e os tais machistas, porém com alguém que soubesse fazer o papel de moderador/a com maestria, o que me parece o mais difícil.

lola aronovich disse...

É mesmo, anônimo? E vc sugere que eu, uma pessoa com nome, sobrenome, profissão, RG, lugar onde mora e trabalha, fotos etc etc (enfim, uma pessoa de verdade, que não se esconde atrás do anonimato ou de avatares)debata com qual mascu anônimo? Ou vc acha que existe algum tipo de debate entre uma pessoa que não tem medo de se esconder e outra que assina com nomes ridículos como, sei lá, Búfalo Viril, Doutrinador, Enigmático e Realístico, Shamtia, Arlindaoviril, Batatas Fritas Viris? Não há debate possível entre um movimento sério como feminismo e uma piada misógina chamada masculinismo, que vive num universo alternativo. Eu não dialogo com esses caras doentes. Prefiro rir deles.

Anônimo disse...

Lla, no caso os tais mascus teriam de botar a cara, se identificar um por um e o debate a que me refiro seria para tentar alguma melhora entre ambos os lados. Apenas isso. Desculpe-me se a ideia te inflamou. Eu vi o lado positivo; você viu ataque. Sooooo sorry.

Giovanni D.de Carvalho disse...

É mesmo Lola? Pois eu também tenho nome, sobrenome, RG, e o que mais você quiser, e me disponho a debater os equívocos, contradições e contra-sensos dessa piada anacrônica chamada feminismo, num mundo em que a mulherada já consegue lutar boxe, dirigir caminhões, se eleger presidente da república e já invadiu até o último baluarte do chamado universos masculino: trabalhar como "árbitras" de futebol. Achar que o feminismo ainda têm algo a reivindicar num mundo desses é ser acometida de vitimologia patológica, a doença fatal que acometeu as feministas de antanho.

Topas?

lola aronovich disse...

E vc representa quem, Giovanni? Porque vcs mascus são os primeiros a dizer que não existe masculinismo no Brasil (e, pelo jeito, nem fora daqui, já que nos EUA o pessoal não se considera masculinist, e sim Men's Rights Activists)?
Não, não há debate ou sequer diálogo com grupos de ódio como os mascus. Seria como grupos de ativismo negro debaterem com a Ku Klux Klan, ou grupos LGBTTT debaterem com homofóbicos. Não espero que vc entenda a diferença.

Anônimo disse...

Talvez o termo adequado seja outro no lugar de 'debate'... na TV americana já houve várias encontros entre ex-ativistas KKK e negros qdo os que odeiam se retratam e pediram desculpas ou durante a conversa, ao ouvir o lado magoado, os agressores e as agressoras se retrataram. Ser radical a diálogo, seja com quem for, tem nada de democrático. É ódio contra ódio.

Castro disse...

Oi Drica Leal.... eu não quero brigar não...ok ??


Olha...eu sei que a cultura machista influenciou bastante...mas na minha experiencia de vida( não é muita coisa) eu noto que EXISTE SIM....uma grande falta de vontade da maiorias das mulheres por ciencia/politica/esporte

Eu diria que em esportes...é 300 vezes pior que na ciencia e politica.... e por mais que tenhamos a Dilma e umas 20 ou 30 cientistas famosas , a diferença é avassaladora.

Eu sei que isso é tecla infalivel dos mascus....eles manipulam essa informação a favor deles....( numa suposta superioridade do homem)


Agora, os mesmos mascus não dizem que a taxa de encarceiramento dos homens é infinitamente superior as mulheres..... sabe pq ? o homem é mais violento que a mulher ! e não só o machismo explique isso ! ..os acidentes mortais de carro, são quase todos feitos por homem ! a testorena mata....ou seria o excesso dela ?

ah e muitas das mulheres presas...estão presas pq tava ajudando o namorado bandido....

existe bandidas solitarias? sim! mas pense numa cadeia? só pensou em homem né? isso é machismo seu? não, são os fatos !

Existe sim uma diferença entre os sexos que vai além da cultura....e corre nas veias de seus membros.

E isso não tem nada a ver com um ser superior/inferior ao outro....

Afinal de contas.....se não fossemos diferentes....não teria graça nehuma. ; )

Drica Leal disse...

Castro:

Você está tomando o efeito como a causa. É uma observação rasteira dizer que mulher não se interessa tanto por política, ciência, esportes quanto o homem sem considerar que desde o útero (sim, a diferença de tratamento já começa quando se sabe que o bebê esperado é menino ou menina) somos condicionadas a não nos interessar por nada disso.

Existem inúmeras pesquisas a respeito e nesse blog mesmo você pode encontrar a explicação pra isso: mulheres nunca foram e ainda não são estimuladas à vida pública. Temos que nos preocupar em sermos lindas, dóceis, servis para sermos aceita. desde o berço. Não somos elogiadas se somos inteligentes, mas se somos belas. meninas não são estimuladas a brincadeiras de superação, estratégia e inteligência por exemplo. Botam uma boneca nas mãos dela pra cuidar enquanto meninos brincam de coisas que estimulam a inteligência, por exemplo. E isso desde tempos imemoriais.

Se você fosse mulher e tivesse que passar a maior parte da usa vida sendo bombardeada e cobrada a se preocupar excessivamente com futilidades e mimimi você também não ia querer saber de política, mas de esmaltes, batom, roupas, sapatos, cabelos. Se você fosse mulher não brincaria de se superar, ganhar posições hierárquicas, ter sua inteligência e força reconhecidos pelo grupo na infância e adolescência: você seria condicionado pela família e sociedade a se comportar direitinho, ficar quietinha e bonitinha e sonhar com contos de fadas, em ser uma princesinha e aprender a cuidar das tarefas domésticas.

Sinceramente, Castro, é ignorância ou má vontade de sua parte não reconhecer que se existe esse déficit entre homens e mulheres nas áreas que você citou simplesmente poruqe desde o berço meninos e meninas são CONDICIONADOS a se interessar por coisas diferentes: vocês para o comando, autoridade, poder, vida pública, estratégias, inteligência e nós para sermos belas, servis, dóceis, mães e donas de casa. E, claro, somos severamente criticadas e punidas toda vez que fugimos do papel que é reservado ao nosso gênero.

Acorde, pare de repetir esses clichês de que existe uma aptidão natural maior do homem para ciências, política, etc, como se desdenhasse ou não achasse grande coisa a diferença abissal de tratamento e interesses a que somos condicionados desde que nascemos e ao longo da vida, além de todos os mecanismos de critica, impedimentos e punições para mulheres que queiram se dedicar a essas coisas que vocês homens consideram domínio natural do seu gênero. É muito confortável pra vocês a manutenção desses clichês comportamentais de gênero porque quem sempre sai em desvantagem, quem fica com as tarefas e habilidades de nenhuma relevância econômica, política e social somos nós, mulheres, e o mundo continua como sempre foi.

Drica Leal disse...

Castro:

Que bonitinho você afirmar que somos naturalmente diferentes, opostos em gostos e interesses e que não tem nada demais que seja assim, que não teria graça se fosse de outra forma. Deve ter muita graça pra você mesmo e para outros homens machistas, afinal, essa diferença dá a vocês o controle de tudo o que é relevante no mundo e a nós o papel de coadjuvantes, talvez até ajudantes de vocês na trajetória humana. Não é legal, nós ficamos servindo vocês, enfeitando o mundo com nossas belezas e docilidade, cuidamos dos seus filhos, suas casas enquanto vocês, naturalmente mais aptos, claro, decidem os rumos da humanidade através das ciências, política, economia sem nossa participação, já que só temos que nos preocupar com o lar e com futilidades, o que é nossa aptidão natural também.

o curioso é que se essa diferença fosse tão linda assim quanto você acha nós mulheres não lutaríamos tanto ao longo da História pra mudar a condição do nosso gênero no mundo. se essa diferença fosse tão natural assim, vocês não precisariam criar tantos mecanismos culturais para manter e fortalecer essas diferenças, às custas de nos tratarem como seres humanos de segunda classe e nos expondo a todo tipo de indignidades, desrespeito e violências de gênero. Mas nós mulheres reclamamos, enfrentamos e desafiamos a ordem imposta para o nosso gênero porque somos umas ingratas, descontroladas, que gostamos de sabotar essa perfeita harmonia e equilíbrio entre os gêneros que você enxerga, não é mesmo? ;-)

Castro disse...

ah e drica...não é querendo desmerecer a luta do feminismo mas ela não tem nem um século por tanto...não é "muito tempo" do ponto de vista histórico...


E mais o feminismo só avança em regiões onde há "paz"(notadamente no ocidente), em tempos de conflito o feminismo é varrido do mapa e voltamos ao estado machista q qse sempre imperou nas culturas.

Perceba que o feminimo é muito forte no ocidente e MUITO FRACO NO ORIENTE, ele começou a crescrer justamente depois da 2 guerra...e de lá pra cá nao houve nehuma guerra dentro da europa....já no oreiente médio e asia....é guerra de decada em decada....


Tomara que nada mude....eu prefiro viver no mundo em paz do q na guerra.

Drica Leal disse...

Castro:

O feminismo como ideologia sócio-política, com construção teórica para embasamento da luta é recente sim, mas muito antes disso várias mulheres já transgrediam o que a sociedade determinou para o gênero feminino. Sempre existiram mulheres que lutaram por afirmação como seres humanos plenos, sempre existiram mulheres que desafiaram a ordem imposta ao sei gênero e milhares, senão milhões ao longo da História humana foram punidas por isso, simplesmente por não aceitarem seu papel de coadjuvantes dos homens na sociedade. isso tudo muito antes do feminismo estabelecido como corrente ideológica que você está falando aí.

Seu problema é o da maioria dos homens que entram aqui querendo dar aula: vocês conhecem feminismo de ouvir falar e querem discutir na base do "eu acho" o que nós aqui sentimos na pele desde sempre, onde atuamos desde sempre e o que sabemos de fato.

Drica Leal disse...

E Castro

Um videozinho pra você que acredita que diferenças tão grandes entre os gêneros numa sociedade machista não influenciam tanto assim nas escolhas, atitudes e gostos de homens e mulheres e que essa diferença é totalmente natural:


http://www.youtube.com/watch?v=NTxUWQ2IE6s

Anônimo disse...

Oi lola-sama só não comentei antes pois eu tava com o pc quebrado... ótimo post! serio mesmo lola de onde você tira tanto talento? Eu acredito que gêni*s nascem em qualquer lugar,sexo,raça e etc não influenciam em nada a inteligência de alguem! pra mim tod*s *s gêni*s se veram sobre qualquer advercidade... existem homems que tiveram tantas dificuldades pra se tornarem cientistas quanto as mulheres (edisson e tezla) ... Mas isso não desmerece as mulheres, afinal NO GERAL as mulheres foram mais empedidas que os homems... Existem muitas gênias que eu admiro muito (vc já citaram quase todas elas) mas sabiam q quem inventou o microfone foi uma mulher? (desculpe mas não me lembro o sobrenome dela,e chamar uma pessoa do nível dela pelo primeiro nome não rola). Em minha opinião cada pessoa é única!As mulheres tiveram menos oportunidades e fizeram menos que os homem( em quantidade dixando claro aqui) só mente por causa disso (eu tenho uma lista de grandes cientistas com 10000 nomes em um livro). pra mim a genialidade pode vir em qualquer corpo e em qualquer lugar... queria saber se mais alguém penssa assim, que a genialidade não depende de raça,sexo,orientação sexual, localização , nem nada disso! acredito eu que todos os lugares tenham exatamente a mesma quantidade de geni*s,sendo misto exato de xx e xy, oque muda é como a nação trata a*s seus/suas gêni*s! e ai quem concorda?

Sem ofensas, você que falou da guerra tem noção do q disse ? machismo é cultural! e tem uma origem, que eu to com pregiça de explicar... essa comparação sua de onde há feminismo não há guerra, e que na guerra o machismo volta... é falta de noção sua... tem muitas mulheres que gurreiam pelo mundo! ha menos feminismo onde há mais religião! esse é o fato! ou então entre paises de cultura machista... tipo o japão ,ja foi machista,hoje não é mais! machismo só existe em pessoas escrotas! e tiveram muitas mulheres violentas e sanguinárias! tipo Budika (celtas) !

off
lola tem umas series de anime/manga que eu acompanho e q combatem o machismo e o racismo... vc que q te passe os nomes?

alguem sabe me dizer se o nome Äs nodt é feminino ou masculino, ?

Ass Arthur nerd e fan da lola

Gabriela disse...

Li um livro há pouco tempo (Como se ensina a ser menina: o sexismo na escola, da Montserrat Moreno) que mostra como as instituições escolares colaboram para perpetuar essa ideia aos alunos ainda crianças. Mostra como essa ideologia androcêntrica é passada de forma sutil, não explícita, o que torna mais difícil a contestação.

Castro disse...

O drica.....voce não le nada q eu escrevo.....bota palavras em minha boca e diz coisas que nao passaram por minha cebça.....

Eu tenho certeza que a cultura influencia sim as mulheres...e eu nunca disse que as diferenças são SÓ de ordem natural.....eu disse que existe uma infleuncia da orden natural....pode ser pequena...mas existe.... agora vc entendeu?

O feminismo é recente....pq a paz é recente....as mulehres que quebraram regras antigamente não eram feministas.....também houve muitos homens rebeldes no mundo.....isso não serve pra dizer que o feminismo é antigo.....nunca foi...rebeldia sempre teve no mundo ;/ ,


ah drica...esse video é tão baixo....pessoas como voce dão munição pros mascus.....esse tipo de video é feito pra pessoas com Q.I abaixo de 70....competamente baixo e apelativo....


gostie do video

Julia disse...

É por isso que leio o seu blog, Lola. Obrigada.
E pensar que eu passei a vida ouvindo essa história me dá uma raiva..
E sempre que alguma mulher "criava" algo era porque ela fora casada com um cara foda que realmente criou a coisa e ela só deu uma ajudinha. Putz.

Julia disse...

Por que a DRICA (sou sua fã, viu?) fica discutindo com o Castro que nem escrever direito consegue. Adoro o discurso desses tipinhos. EU NÃO SOU MACHISTA. Tá querendo convencer quem, meu filho?

Rosanna Andrade disse...

Anonimo das 1:34

Por favor, passe o nome dos mangas e anime aos quais vc se referiu. Na maioria dos q eu conheco, as mulheres ainda sao tratadas de maneira decorativa: podem ser heroinas e tudo mas, mas tem de ser sexies! Adoraria ler algo alternativo.

Drica Leal disse...

Julia:

Muito obrigada, querida!

Olha, apesar de várias vezes prometer a mim mesma que não vou ficar respondendo sempre as mesmas coisas, que não darei "ouvidos" a questionamentos estúpidos ou rasteiros que volta e meia aparecem por aqui, eu não resisto e respondo. Porque no fundo tenho a esperança de que o caso de alguns deles seja apenas ignorância mesmo, que alguns deles não façam isso por má vontade ou provocação, apenas porque nunca pararam pra pensar sobre certas coisas. Mas nem sempre tenho essa paciência não, porque a maioria desses caras entra aqui mesmo pra tumultuar, encher a paciência, ignorar tudo o que a gente diz só pelo prazer de continuar repetindo as mesmas coisas, se fingir de desentendidos como se fossem nos vencer pelo cansaço.. Uma chatice!

Anônimo disse...

rosana andrade passo sim o nome dos animes,mas já aviso sou chegado numa carnificina ok? pegue claymore(tem nudez mas sem conotação sexual,vide que a protagonista nem tem corpo pra isso) e bem interessante,pra começar a heroina é uma mulher não esteriotipada,mas já aviso o mundo em claymore e deprimente e sem comédia! tem um outro que eu indicaria,mas ele é meio psicopata... tipo olhos,pele e órgãos sendo arrancados em camera lenta... se quizer te passo... faz uma conta na foruproject e me acha lá,meu nome é Arthur-sama (longa história) mas quanto ao post,pra não desvirtuar muito,tenho uma duvida lola-sama... pq ninguém faz um livro contendo as mulheres cientistas,nem a beatris alvarenga q é uma delas(muito f*** diga-se de passagem) ?

ass Arthur nerd e fan da lola

Julia disse...

Ah, mas eu gostei que vc tenha respondido na verdade. Eu aprendi muito. Vc deu uma aula pra esse Castro. Foi lindo, parabéns.
A Lola podia copiar as respostas que vc deu pro Castro e fazer tipo um guest post pra que mais gente possa ler. Nem sempre lemos todos os comentários. Muitas precisam ler o que vc escreveu aqui.

EneidaMelo disse...

"tem nudez mas sem conotação sexual,vide que a protagonista nem tem corpo pra isso"

Desenvolve, por favor. Não tem corpo pra quê e por quê?

Rosanna Andrade disse...

Obrigada Arthur, a carnificina n eh mto minha praia mas vou dar uma olhada. Qdo tiver mais tempo me inscevo no forum, bjs

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Eu acho engraçado como algo que foi inventado por um indivíduo do sexo masculino de repente é creditado a todos os homens e logo as mulheres devem a invenção a eles... e não a seu verdadeiro inventor, que não devia gostar nem um pouco disso, suponho.
Não sinto que nenhum homem deve me agradecer pelo nobel da Marie Curie, as músicas da Chiquinha Gonzaga, as obras de Clarice Lispector e Virginia Wolf, devemos a elas.
No mais, esse povo se esquece, se a gente for olhar nesse contexto cultural, então nós brasileiros e mestiços devemos quase tudo a europeus e norte-americanos. Mas isso eles não querer repetir.
Gozar com o pau alheio só tem graça quando a pessoa pode gozar junto...

Renato Corrêa disse...

Adoro refutar essas bobagens ante meus colegas programadores. Alguns deles repetem bobagens ouvidas por aí, de que mulher é menos "lógica" e mais "emocional", portanto não são boas para programação.


"Você sabe quem foi o primeiro programador?" - perguntei a um deles. Ante a negativa do grupo inteiro, respondi: "Ada Lovelace".

- Uma mina!?
- Yeah, uma mina.

Silêncio constrangedor...

Anônimo disse...

Ultimamente a ONU fez uma pesquisa sobre a qualidade do ensino fundamental pelo mundo, foi-se constatado um fato em destaque: "Meninos tem mais afinidade com ciência e matemática do que as meninas". Já as meninas apresentaram mais afinidade em literatura. O único mito que ha de ser derrubado é essa mentira de que os homens impedem as mulheres de fazerem coisas que são próprias do homem em si. Eu não preciso desse tal "patriarcado" para aprender ou fazer o que gosto, eu vou pela minha própria tendencia. Oque o feminismo ensina: A sociedade tem que ir em busca da capacidade da mulher. Ora! elas não tem iniciativa própria, tudo na mulher é passivo. Se fossemos iguais haveria conflito.

Yann Martins disse...

E generalização da parte dos masculinistas,que os homens tenham inventado tudo,tipo 90% das coisas importantes foram criadas por homens,o resto então,e raro achar uma mulher genial,mas nao e mais raro do que encontrar um homem genial também,oque e engraçado que a milhões de anos atras as mulheres foram responponsaveis pela criação dos filhos,os homens nunca interferiram nisso NADA,o trabalho de parto TUDO era com a mulhererada,e no fim,um homem inventa o fórceps...no século XX era comum vc ver mulheres jovens ganhando pianos,e to ando violino desde cedo,era a chance de criar algo novo no mundo da música,ai chega as negros(que levavam a maior porrada da sociedade naquela época) e inventam o Jazz e o Blues,que incrementou na criação do Rock,os trabalhos dos homens sempre foram mais arriscados e perigosos,a mulherada ficava sa e salva dentro de suas casas semdo "oprimidas",eu nao sei porque isso acontece,porque mulheres nao inventa nada de importante?Porque?

Nasdaq disse...

Os homens inventaram praticamente tudo e isso não pode negar.
Pode ir buscar meia dúzia de exemplos que isso não vai alterar nada! Nem chega a 1% das descobertas e criações.
Quer que comece a disparatar aqui com coisas, fazendo uma lista? nem no ano 3 mil acabaria.
A diferença entre o homem e a mulher é que o homem está mais orientado para certas actividades, interessa-se por certas actividades. Dá a desculpa que antes não estudavam...está certo...e durante todo o século XX e início do século XXI em que já podem estudar, o que fizeram? Quase nada.
Querem mais saber dos vernizes e do cabelo, preocupam-se mais em arranjar homem para casar e pk é que a amiga tem homem e ela não tem, perdem tempo a ver roupa e novela, etc....
Dizem que são multitarefa, está correcto. Mas saiba que se você quer ser mesmo bom numa coisa, quer ser um génio ou descobrir algo incrível, tem que se FOCAR no assunto e esvaziar a cabeça de outras coisas, fofoquices, televisão, etc...
O homem pode só fazer uma coisa de cada vez, mas caramba, quando se aplica chega onde a 99,9% da mulher nunca chegará, isso pode crer.
E basta ver o que foi feito nos últimos cem anos, em que a mulher já pode estudar e o que fez? Niente.
Já os homens....Desde Jobs, Gates, na informática...Até o blog onde escreveu o seu artigo, o mouse que utilizou, o computador que utilizou, os transístores do computador que utilizou, tudo criado por homens. O carro, o motor de combustão interna, os aviões, a engenharia, a matemática, a filosofia, a medicina, a astrofísica, a química, tudo homens.
Por isso, cara blogger, não atire areia para os olhos com um ou meia dúzia de exemplos...

Anônimo disse...

Assim como o homem a mulher também é inteligente.Os homens inventaram muita coisa para facilitar o trabalho deles.A mulher também inventou cosas para facilitar o trabalho domestico.Por exemplo quem inventou o acuador de coar o café foi a mulher chamada Melitta Bentzchamada .O Filtro de papel leva o seu nome dela Melitta.Eu acho que as pessoas deveriam parar com essa palhaçada de rivalidade.O homem e a mulher se fossem mais unidos poderiam criar muita coisa boa.

Anônimo disse...

"Querem mais saber dos vernizes e do cabelo, preocupam-se mais em arranjar homem para casar e pk é que a amiga tem homem e ela não tem, perdem tempo a ver roupa e novela, etc.... "

Nasdaq, faz um favor, pega essa ignorância e enfia onde quiser. Pare de generalizar que fica feio para você e ofensivo para todas as mulheres que tem muitas preocupações na vida além do cabelo e de procurar homem.

Anônimo disse...

Na era medieval as mulheres que eram inteligente e que demostrava inteligencia eram tida bruxas .E a família e igreja católica as condenava como bruxas e as queimava .Joana d'Arc foi vitima do machismo e do catolicismo.Muitas mulheres que eram inteligente naquela época não podiam expressar a sua inteligencia se não eram queimadas pela igreja ou iam para o hospício.

Anônimo disse...

...
Morri de rir com o comentario da Joana D'arc.

... Desculpem, a formação universitária e muito nova para as mulheres, mas não e tão antiga assim para os homens.

A investigação cientifica foi muito importante para se calhar 90% das invenções dos últimos 8 séculos, mas não tanto para o que veio antes disso.
Em maior parte da vida da humanidade as invenções surgiam directamente como resposta aos problemas que se punham no momento e as guerras tiveram grande influencia nisso.

So para dizer que frequencia universitaria nao procede como justificacao da aptidao inventiva/criativa dos homens.