domingo, 8 de julho de 2012

FOCINHO DO OUTRO

Hoje vocês me abandonaram legal, minha estratégia de vendas não deu certo,  e eu fiquei deprê. Outro dia perguntei no Twitter se os blogs de todo mundo despencam em número de visitas em julho, e a resposta foi um sonoro siiim. Com a exceção de um rapaz com quem nunca falei antes que disse: "Talvez essa queda seja permanente...". Chuif, um verdadeiro animador de torcidas, esse abutre.
Mas se tem um grupelho que sempre me faz sorrir, este é o dos mascus. Percebam o comentário que um mascu anônimo deixou: "A capa [do meu livro] é parecida com a do manifesto SCUM de propósito?" Como que eu sei que foi um mascu que fez o comentário? Bom, basicamente porque as únicas pessoas na face da terra que ainda se lembram da Valerie Solanas, uma autora que nunca foi importante pro feminismo e que morreu 24 anos atrás no mais completo ostracismo, são os mascus. 
No entanto, sejamos justas: esses rapazes frustrados podem não entender bulhufas de feminismo, mas certamente sacam tudo de design, diagramação, essas coisas. Eu não tinha me dado conta como a capa do meu livro é praticamente idêntica ao manifesto da Solanas!
Capa do meu livro (preciso especificar pra que vocês não se confundam).
Capa mais conhecida do Scum Manifesto
Não é incrível a semelhança? Uau! Cara de um, focinho do outro! A cor, as fotos (o Carlito deve ter sido irmão gêmeo da Solanas, separado ao nascer, com algumas décadas de diferença), tudo...
Opa, mas talvez o perspicaz mascu não estivesse falando exatamente da capa do meu livro, e sim da orelha, que também foi usada pro poster de divulgação do lançamento em SP! Pois é, é difícil decidir qual se parece mais com a Solanas na capa do Scum, se o Chaplin ou a Janet Leigh gritando na cena do chuveiro em Psicose!
Peço encarecidamente que vocês comprem o livro de qualquer jeito. Por mais que a capa esteja parecidíssima com a da obra de uma maluca que atirou no Andy Warhol (os homofóbicos mascus sabem que Warhol era gay?), as chances são de que pouquíssima gente saiba quem foi Solanas. Se, de repente, vocês receberem a visita de um mascu em casa, basta esconder o livro que você comprou de mim, com dedicatória. Esconda-o perto de onde você, pessoa precavida, guarda o crucifixo, o alho, a estaca e a bala de prata, que você já poupa uma viagem.

P.S.: Isso me lembra uma das cenas mais hilárias do maravilhoso Ed Wood, em que o lendário pior diretor de todos os tempos, após perder seu astro Bela Lugosi, vê uma semelhança assombrosa num outro cara. Só ele vê essa semelhança, lógico. Ria com a cena aqui

35 comentários:

garoto disse...

Mascus apelando para esculhambar o feminismo. Eu vi um filme bacana sobre Valerie Solanas, chamado Um Tiro Para Andy Warhol.

Luciana disse...

Olha, se você não tivesse colocado legendinhas eu não saberia distinguir os livros. Verdadeiro plágio.

Mas falando sério, fiquei decepcionada com você. Fazendo piada com moços menos favorecidos intelectualmente só para vender livros tsi tsi tsi. Shame on you!


hasudhausdhkuahsdkah <3

carolinapaiva disse...

Os mascus devem estar que nem o Chapolin agora: "a Lola não contava com nossa astúcia!"
Afinal, eles estudam tanto as entrelinhas e as mensagens subliminares do blog que viraram experts.

Carol NLG disse...

Tsc tsc tsc

Obviamente um plágio! Nem consegui diferenciar. Que vergonha, Lola! :P

Carol NLG disse...

Ah, sim,

só não vale me mandar o manifesto SCUM ao invés do seu livro, hein? Eu sei que você é fã, e tals, tanto que cria um monte de fakes pra espalhar a palavra dela, mas, por favor, me mande o seu livrinho mesmo!

maisfazer disse...

Oi flor, acho que o pessoal aqui esperava um livro sobre feminismo, não sobre cinema. Sei lá, mil coisas... Mas não entra em deprê domingueira não.

lola aronovich disse...

Se eu te mandar o manifesto SCUM em vez do meu livro vc nem vai perceber mesmo, Carol! Não só as capas são idênticas, como eu e todas as feministas somos misândricas com um estilo igualzinho ao da nossa gurua. Todo dia a gente reza pra Santa Solanas, pedindo pra que ela corte todos os homens. Claro que a gente pede isso bem baixinho, porque, né, sou misândrica mas sou casada, e não quero assustar o coitadinho do meu maridão! Porque se ele fugir e me abandonar, eu vou viver do quê? Do meu salário?! Já pensou que terrível?! Ter que se sustentar sozinha!

Rose disse...

Mas eles são brilhantes mesmo!!
Só eles para notar tamanha semelhança...Ambos são livros, logo, são a mesma coisa...ambos escritos por mulheres, então é sobre o mesmo assunto.Gênios.rsrs

PS. mas o que esperar de um grupo que tem como fonte de informações um liquidificador?

Matheus disse...

Aonde que algum mascu reclamou sobre a capa do livro?

Eliza (Biii) disse...

Lola,

Acho que o final de período é o culpado. Tenho sido uma leitora menos assídua mesmo nos últimos tempos por excesso de coisas pra estudar no mestrado e por estar me separando de um casamento de dois anos... aff!

Mas eu queria muito um livro seu! Não me mexi quando vi o post sobre porque achei q não sobraria um exemplar pra mim. Vou olhar de novo o post sobre como faz pra depositar amanhã e aí realizo o procedimento necessário. Não sei se você lembra de mim, sou uma das que ficou tietando depois da aula na UFRJ em março. Depois escrevo mais por email.

Não tome a diminuição das visitas como algo grave. Daqui a pouco eu volto a te ler diariamente e a compartilhar teus lindos textos com pessoas inteligentes.

Abraço!
Eliza

Anônimo disse...

A Solanas merece mais que isso,ser tachada como fracassada e ou louca,fico espantada é que não aplicam a mesma ferocidade com que criticam a Solanas a escritores e outros profissionais masculinos. Ah, Schopenhauer é misógino, mas é genial. Nietzche idem. Woody Allen comeu a enteada de doze anos, mas os filmes dele são tãããooo legais... agora Solanas? Uma vaca extremista, odiosa, nada dá a ela o direito de falar tanta escrotice.

A própria Solanas disse que o SCUM não era para ser levado a sério! é claramente um breve histórico de como boa parte dos grandes pensadores viam as mulheres (de modo revertido) durante milênios com umas hipérboles para dar um efeito dramático!

Mas faz todo o sentido,esse escarceu que os detratores do movimento fazem em cima da Solanas, Mais ainda se se considera que o machismo sempre foi pródigo em projetar nas mulheres todas as suas frustrações e inseguranças (nunca tive isso com tanta clareza depois de ler Backlash) - o que é essa coisa toda em cima do SCUM se não uma reação histérica a uma paródia da situação em que as mulheres foram colocadas durante tanto tempo? (E ainda são!!!!)

Se agente fosse fazer um livrão com escritores/filosofos sexistas/machistas eu teria que sair de casa para o livro entrar,que o diga Schopenhauer ,o primeiro Guerreiro de Um Real.


Cética

Nomeou-se sonhadora. disse...

Oi gente! Um comentário nada haver com o post (que como sempre está ótimo HAHAH) Lola me disse que talvez vocês possam me ajudar. Desde sempre escrevi bastante, sempre apaixonada por leitura, por escrever (qualquer besteira que fosse. eu só precisava escrever!) Então depois de alguns elogios e incentivos de amigas resolvi fazer um blog o ilarilarireis.blogspot.com/
Se alguém estiver interessado em alguns textos um tanto dramáticos (eu acho. Sempre balancei mais pro drama, mas não é nada demais.)não só dramáticos, ok? Eu gostaria MUITO de saber a opinião das pessoas, de receber críticas, de saber o que preciso melhorar, o que já é bom.. Eu seria mais feliz HAHA Então, estejam convidados a visitar o meu cantinho. :D OBRIGADA!

lola aronovich disse...

Gente querida, imagino que vcs estavam esperando um livro sobre feminismo, mas este livro de crônicas de cinema foi meio por acaso. Foi um projeto da Liris querida. Ela perguntou "Topas publicar um livro com suas crônicas de cinema?", e eu topei, claro. O próximo livro será feminista (mas este já tem um viés totalmente feminista). Vai demorar um pouquinho pra sair...


Cética, concordo que o Scum é uma sátira e não deve ser levado a sério. Concordo que vários escritores homens tão misóginos quanto a Solanas era misândrica são celebrados até hoje. Mas meu ponto é que a Solanas não é, nem nunca foi, representativa do feminismo. E os mascus e demais anti-feministas pegam a Solanas como se só existisse ela, e como se ela tivesse sido mais importante que Beauvoir e tantas outras... Minha crítica é mais a esse pensamento de quem não sabe nada sobre feminismo e pensa que Solanas foi uma guru. Só que eu tampouco nutro qualquer carinho por Solanas. Ela foi uma pessoa bem perturbada. (Na realidade, eu só fiquei sabendo de sua existência quando vi Um Tiro Para Andy Warhol. Aliás, fiquei com vontade de rever o filme).

Anônimo disse...

Lola,é nesse ponto que foco,e daí que mascuzões e outros ões usem a Solanas pra "manchar" o movimento?(não é por ignorância que fazem isso),me incomoda essa falta do direito de errar, essa necessidade do feminismo (e de qualquer movimento pela igualdade) ter que nascer perfeito, irretocável e uno(tipo renegar o filho mais rebelde,a ovelha desgarrada).O resto da vida dela não me interessa,não estou aqui para julgar a Solanas,mas para detectar que ela denunciou com propriedade alegórica o que ocorre até hoje com as mulheres.

Cética

Liris Tribuzzi disse...

Lola, faço minha mea culpa pela falta de textos feministas no livro. Vamos aos fatos:
1- Sou fã incondicional dos seus textos sobre cinema desde 2005.
2- Já tinha te dito que queria publicar um livro seu com elas em 2009.
3- Muitos textos sobre feminismo aqui do blog são um pouco datados, ou seja, precisariam de uma contextualização enorme pra serem colocados em um livro, e poderiam perder a força quando impressos. O que já não acontece com filmes, já que a referência se encerra em si mesma.
4- Esta livro saiu como parte de um trabalho da editora-laboratório da Universidade de São Paulo, tendo isso em mente, optei por não tomar partido em temas polêmicos ou controversos.
5- Nada a ver com os argumentos anteriores, mas os números estão subindo, devagar, mas subindo!
6- (juro que é o último) Eu me lembro do Pedro sempre comentando nos seus textos de cinema.

Anônimo disse...

Sabe quando eu ouvi falar de Valerie Solanas pela primeira vez? Quando encontrei o Manifesto SCUM entre os livros da minha namorada. E naquela época ainda nem se falava em masculinismo, ao menos no Brasil. Então não se trata de uma autora desconhecida das mulheres. Parece-me exatamente o tipo de literatura que as mulheres adoram ler e discutir em segredo.

Anônimo disse...

Se a autora afirma que Valerie Solanas não represente nada no feminismo, o que representa os sanctus no masculinismo ? e por que o masculinismo incomoda tanto vocês ? e um assunto de homens,que buscam sua reeducação emocional, e não lhes diz respeito algum !!!

Anônimo disse...

O cara acha um livro entre os pertences de UMA mulher e sai dizendo que todas não apenas tem o livro mas que isso é um indício fortíssimo de que todas nós fazemos parte de um movimento secreto que visa disseminas e colocar em prática as palavras da Valerie Solanas, faz me rir né...
E de qualquer forma, ela não pode ter comprado pra ler e depois formar uma opinião? Assim como pelo visto vários mascus se não possuem o livro pelo menos o leram na internet?

Não sei porque eu me dou ao trabalho de explicar coisa pra machista troll, enfim...

(leio o blog a algum tempo mas é minha 1a vez comentando :)

Luciana disse...

O troll que escreve igual um jumento é o Fábio,pode apagar Lola.O cara deve ficar dando F5 no teu blog pra ver se aparece post novo e vir vomitar um pouco da bíblia Alitiana.

Fábio você é um lixo covarde que chegou aqui de mansinho,fingindo ser um mascu mais adestrado e "meter a real" agora já fez escola com os amiguinhos nefastos dos fóruns e voltou pra aplicar o seu blábláblá só que mais agressivamente.

Sinceramente Lola,sei que o blog é seu,mas se eu fosse você mudaria pro Wordpress,lá mascu nenhum ia ter vez.
E diferente da Lola que é educada e ainda permitiu por muito tempo que você escória chamada "Fábio" se é que o seu verdadeiro nome mesmo viesse aqui falar um monte de merda e ofender as comentaristas.
Espero que você morra da pior forma possível junto com os sanctos e toda essa lixarada misógina e imunda.

lola aronovich disse...

Eu não sei o que acontece pra que alguns comentários de mascutrolls apareçam publicados e eu tenha que deletá-los duas vezes. O sistema do blogger (pra variar) não é grande coisa. Todos os coment.vão pra "Awaiting moderation", só que aí vc tem que clicar em todos -- nos que vc quer publicar e os que vc quer mandar pra spam. Deveria poder clicar só pros que a gente quer publicar, e o restante iria pra pasta de spam, né? Parece a coisa lógica. Mas, pra piorar a situação, tem vezes que eu mando o coment.pro spam e ele aparece publicado. Muito estranho.
Bom, a Niemi me enviou todo um tutorial, uma apostila mesmo, de como usar o Intense Debate. Vou tentar aplicá-lo, porque parece bom.

Cora disse...

Tendo a concordar com a cética.

Em relação à solanas, satírica ou não, uma coisa não dá pra negar: vivemos sob um sistema criado por homens, para os homens. E desde que o mundo é mundo. Como mudar qualquer coisa se trabalharmos para ele, para este sistema? Se ficarmos nos desculpando o tempo todo por reivindicar reconhecimento político e voz, por reivindicarmos direitos? Não é intrigante a necessidade dos homens em subjugar as mulheres? Não é intrigante o receio dos homens de qualquer conquista feminina, por mais sutil que ela seja? Não é intrigante que alguns homens considerem qualquer conquista (ou nem tanto, qualquer reivindicação) de independência e liberdade feminina como cerceamento da expressão masculina?

Eu também tenho a tendência contemporizadora. Também coloco panos quentes. Também explico e dialogo. Também pondero. Mas, depois de conhecer o masculinismo, passei a me questionar até que ponto vale a pena tanto cuidado em não desagradar e explicar o feminismo para os homens mantenedores do status quo.

É isso que é o masculinsmo. Uma forma de manutenção do status quo disfarçada de reeducação emocioanal.

O que solanas escreveu a respeito de homens, lemos a respeito das mulheres, em escritos de todas as épocas, desde que a humanidade passou a deixar registros de sua história. Esses homens estão incomodados com UM manifesto. E nós aqui, dizendo pra eles que ele não é importante não. Que não se preocupem porque não pensamos assim, não. Mas eles, ao contrário, dizem que pensam exatamente como pensam todos os misóginos, de hoje e de ontem.

Repetem sem dor na consciência, sem medo de deixar mulheres incomodadas, estereótipos femininos repetidos ad nauseam desde o início dos tempos. Quantos estão se desculpando? Quantos estão contemporizando?

Para qualquer desconforto masculinista, aparecemos com falas cheias de ressalvas e explicações e justificativas. Gente bem jovem tá usando a bíblia pra justificar e legitimar a submissão feminina e a gente contemporizando com esse pessoal?

Vocês viram o programa “novo” do bial (blergh!)? O pouco caso dele em relação à objetificação abjeta da mulher no brasil? A cara de paspalho babão quando entram as mulheres pra dançar aquela música infame? E qual é o público alvo daquela m****? Jovens!!

E a gente não querendo ofender e deixar desconfortável esse tipo de homem? Porque é esse tipo que fica incomodado com a solanas. Qual a diferença entre os textos de solanas e n.a. (me recuso a escrever o nome desta criatura)? Os únicos caras que falam de solanas, escrevem hoje, século xxi, coisas muito piores, pois sustentada por milênios de textos misóginos. Quem é mais perigoso? Solanas ou n.a. e escritos religiosos misóginos?

Anônimo disse...

"Para qualquer desconforto masculinista,aparecemos com falas cheias de ressalvas e explicações e justificativas"


Isso acontece,MUITO,aqui mesmo,basta ver os vários guest post sobres mascuzões/idiotões/lerdões,um monte de menina se explicando,mostrando o outro lado(nos tmb somos gente,sofremos,amamos e pasmem!!!gostamos de sexo sim =o) e blá blá,sinceramente? vc acha realmente que um cara que chega vomitanto n.a,e toda aquela verborragia podre deles (alfa,beta,gama,o fim o inicio e o meio...)tá interessando em diálogo? pra esses frustrados,mulher nenhuma presta e não é meia dúzia de palavras que vai mudar o pensamento doentio/nojento deles,pra mim,isso é dar um verdeiro significado ao dito biblico "jogar pérolas aos porcos".


Cética

Sara disse...

Cética e Cora realmente vcs estão pra lá de certas em tudo que disseram nesses últimos comentários, eu mesma me pego tentando explicar pra esses egocentricos, que como vcs mesma disseram não merecem nenhuma contemplação.

lola aronovich disse...

Cética, Cora, Sara, concordo com vocês que dialogar ou debater com mascus, esses seres das profundezas da ignorância e do atraso, é uma total perda de tempo. Acredito que até seja possível que um dia eles mudem, até por uma questão de sobrevivência, porque se não eles morrerão cedo, sozinhos e rancorosos (acho que ódio mata), mas, se mudarem, não será por convívio com feministas. Mas admiro muito quem tem paciência de debater. Lembrem-se de quem lê o blog (e os comentários do blog) não são apenas mascus ou feministas, mas muita gente que ainda está formando sua visão sobre um monte de assuntos. E ao ver feministas superinteligentes, divertidas, queridas, com ótimos argumentos, debatendo com trolls que só sabem repetir preconceitos e que têm dificuldade pra formar uma frase completa, bom, acho que isso afeta muito a posição que essas pessoas vão tomar. Acho que debater não é o mesmo de justificar. De vez em quando eu vejo alguns posts em outros blogs e fico pensando: por que tantos dedos? Por que tanta vontade em agradar? Por que tantas justificativas? Por que essa gana em ser vista como “ativista limpinha e cheirosa”? Mas, sinceramente, eu não acho que faço isso, nem vejo as comentaristas daqui fazendo.
Haters gonna hate, isto é fato. Quem odeia o feminismo vai sempre associá-lo com Solanas, que é a única feminista que eles conhecem. E, se não fosse ela, iriam destacar alguma frase fora do contexto da Dworkin, da Greer, sei lá de quem. O que eu acho incrível é que eles não conseguem dar UM SÓ EXEMPLO de misandria aqui do blog. Eles chamam feministas de misândricas, e isso basta. Enquanto a gente vive dando exemplos de misoginia nos fóruns e blogs mascus não só do Brasil, como dos EUA...
Mas, isso posto, gente, eu não consigo gostar de Solanas, não consigo vê-la como importante. Tem tanta feminista com uma obra sólida, pra gente gastar tempo falando com uma desequilibrada que atirou no Andy Warhol.

Laís disse...

Na primeira vez em que vi um mascus (ele dizia não entender como o feminismo se tornou TÃO PARECIDO com o nazismo) citar a Solanas, fiquei me sentindo muito ignorante por ser feministas e não conhecê-la. Fui pesquisar a respeito e fiquei feliz por não conhecê-la, mas segui achando que muitos conhecessem.

Bom saber que eu estava errada =))


Sobre o blog e os livros: sigo acessando o blog todos os dias (é um vício!!!!), mas meu dinheiro misteriosamente sumiu durante as férias. Terei que esperar agosto pra adquirir minha edição (se ainda tiver até lá!). Boas intenções não faltam!

Anônimo disse...

São idênticas, ainda bem que vc mostrou as diferenças kkkkkk

Mascus, visão distorcida para tudo, literalmente

Bjos Lola

Lana

Li disse...

e eu na minha ingenuidade achava que a capa do seu livro parecia com aquela foto clássica do alexander rodchenko e com a capa do cd do franz ferdinand... (http://magculture.com/blog/?p=1663)

Luciana disse...

Idênticas às capas! Não vejo diferença – Hauhauhauhauhauhauhauhauhau!! Esses mascus são uns palhaços.

Cora disse...

Lola,

Adoro seu blog, admiro a liberdade que você concede aos comentadores, admiro as mulheres e os homens que comentam aqui, admiro os debates que acontecem e como as conversas evoluem.

Não acho q você se justifique, não. E muito menos que faça a linha “limpinha e cheirosa”. Teu espaço, repito, é fantástico. E é todo mérito seu.

Foi mais uma autocrítica, aquele meu comentário. Já dialoguei com eles (gastei meu tempo e meu humor com isso!) e com outros preconceituosos irascíveis, aqui e em outros lugares.

E fiz e faço (ainda) isso, justamente pelas (e para) pessoas que leem. Sempre foi assim, em todos os debates virtuais dos quais já participei.

Mas acho que eles merecem experimentar do próprio veneno, sim. O contraponto racional e sensato é super importante. Alguma ponderação e depois, cabe desconstruir sem dó. Apontando o ridículo mesmo. Incomodando. Eles é que devem ficar desconfortáveis.

Não sei bem como fazê-lo, afinal, eles são os odiadores. Eu não. Nós não. Detesto violência, injustiça, agressão. Eu ainda estou aprendendo a lidar com discurso de ódio.

Bom, nem sei bem onde quero chegar... só algumas inquietações. É que li umas coisas complicadas esses dias. Já sou pessimista e a internet... putz! Desanimadora!

**

Sara, também faço isso! A gente acha que dá pra tirar a venda de todo mundo. Mas não dá, infelizmente. Pelo menos não usando o bom senso.

Bruna disse...

é igualzinho, hein?

Ric disse...

Cara Lola, se o seu livro não está vendendo (embora esteja muito bom) não é culpa dos mascus, vai descontar em outros.

Se bem que em matéria de escritores Nessahan Alita ainda ainda é muito mais popular que vc...

bruna disse...

lolíssima,
Seu livro é uma delícia e minha dedicatória ficou muito fofa! Amei! Na hora em que ele chegou comecei a devorá-lo e me dei conta, uma hora depois de que deveria ler com mais calma, pra não acabar né, porque eu tenho "síndrome de fim de livro", fico com saudade da linguagem, da cia... Plagie mais livros assim, eles são ótimos ;)

luisandromendes disse...

depois que você mandou o link que eu vi que tinha coisa nova no blogue (sempre tem coisa nova aqui), só que visito ele semanalmente e não tinha lido os posts novos.

Renato Corrêa disse...

A Solanas é doida varrida, mas o texto dela é muito bem escrito.

Acho interessante como as pessoas podem usar (bem) as palavras para torcer e retorcer qualquer tipo de argumentação.

Anônimo disse...

Na verdade a capa do seu livro se parece mesmo é com um antigo cartaz de propaganda soviética de incentivo à leitura feita por Alexander Rodchenko: http://www.albumartexchange.us/images/rodchenko.jpg , e que foi usada como inspiração para a capa de um álbum recente da banda britânica Franz Ferdinand.