quinta-feira, 7 de junho de 2012

GUEST POST: A DANÇA DO VENTRE NA NOVELA DAS OITO

A Rayara, estudante de Publicidade e Propaganda aqui em Fortaleza, me enviou este guest post. Ela tem um blog sobre dança do ventre.

Meu nome é Rayara, tenho 17 anos e sou estudante e bailarina de Dança Oriental, ou Dança do Ventre, como é mais popular. Tenho contato (aulas, facebook) com várias bailarinas muito sérias da área aqui no Brasil, que desenvolvem um trabalho belíssimo. A Dança do Ventre chegou ao Brasil em geral junto com os imigrantes sírio-libaneses e de outros países árabes, e começou a se desenvolver mais significativamente da década de 70 para 80. Nasceram aqui então bailarinas que hoje têm reconhecimento internacional e são referência no que fazem.
A maioria de nós (as bailarinas comprometidas, digamos assim) estuda muito. Somos artistas dedicadas, que representam uma cultura que não é nossa e têm noção da responsabilidade que isso acarreta. Assim, estudamos técnicas orientais da dança, além de outras técnicas ocidentais que se inseriram na Dança do Ventre. Estudamos cultura árabe, algumas até mesmo aprendem a língua quando há oportunidade. Estudamos técnicas teatrais, investimos em cursos, viagens, figurinos... Tudo isso para tornar nossa arte cada vez mais rica e bem representada, juntamente com toda a sensibilidade que colocamos na nossa dança.
Mas, infelizmente, não é essa a imagem que a mídia muitas vezes passa. No dia 2, sábado passado, a Globo mais uma vez apresentou a Dança do Ventre numa ótica sexista e banalizada (veja aqui a cena). Essa arte tão encantadora que valoriza a mulher e estimula a autoestima das suas praticantes foi apresentada como um mero meio de entretenimento machista. Foi ao ar uma cena na novela Avenida Brasil de uma luxuosa despedida de solteiro regada à muita bebida alcóolica, onde os únicos convidados presentes eram homens brancos.
Para o entretenimento destes, havia algumas bailarinas de dança do ventre dançando e sorrindo, enquanto os convidados as olhavam da mesma forma que um animal carnívoro olha um pedaço de carne. Algum tempo depois, chegam strippers para "completar" o time, e todas prosseguem rebolando em cima das mesas e se insinuando para os homens com um sorriso estático. Mais uma vez, mulheres retratadas como objetos sexuais que não falam, não pensam, não sentem. Apenas servem.
É deprimente sermos desrespeitadas dessa forma. Nossa arte sempre é retratada com toda essa ignorância e sexismo nas novelas globais. Em geral o padrão se repete: ou é a mulher que dança para conquistar/agradar o marido/namorado/afins, ou é a bailarina que tem o papel de entreter muito mais com o seu corpo do que com a sua dança.
E é essa a imagem de nós, bailarinas sérias, que é muitas vezes passada para as pessoas. Das muitas bailarinas que conheço, não são poucas as que já foram abordadas de forma ofensiva, que já sofreram piadinhas machistas, que já foram chamadas para fazer participação em programas sensacionalistas ou para realizarem "show particulares". Eu também já passei por tudo isso. Ainda assim, nós conseguimos divulgar essa arte da forma como ela merece ser divulgada e mudamos a mentalidade de muita gente que tem essa visão errada da Dança Oriental. Como se já não bastasse o preconceito que a sociedade tem com o artista, ainda temos mais esse para lutar contra.
Enfim, fica aqui um desabafo, um protesto que não é só meu, mas de muitas bailarinas que também se indignaram com uma emissora ignorante, preconceituosa e sexista, que ofende artistas sérias que colocam tanto amor e dedicação no que fazem (assine o abaixo-assinado). Ainda assim, eu acredito que as coisas podem melhorar sim, cada vez mais. E isso depende muito de nós, artistas. Não me calo diante disso nem nunca vou me calar, porque tenho a certeza do meu direito de protesto.

209 comentários:

1 – 200 de 209   Recentes›   Mais recentes»
Anônimo disse...

não sou fã de dança do ventre, mas estudei com uma colega que era que nem a autora do post: estudava horrores, levava super a sério. aliás, bailarinos formados (ou em formação) estudam muito, sim!

Carol M disse...

Como estudante de dança do ventre, tb me indignei com a forma que foi retratada a arte pela globo (se viesse algo que prestasse até me surpreenderia). É uma arte feminina, que não se presta a agradar /servir homens, é algo para mulheres entrarem em contato com seus corpos e se amarem. O mito da odalisca/prostituta infelizmente é muito difundido, mas não precisamos da grande mídia dando mais força ainda para ele.

ila fox disse...

Uma vez estava no taxi, e o carro parou ao lado de uma loja de roupas de dança do ventre. O taxista comentou que achava bonito. Eu disse que de vez em quando a moda voltava por causa de alguma novela, como foi na época do O Clone, o que era bom pra quem trabalhava com isso (não é meu caso).

Depois ele já emendou: "É dança de boate né, de garota de programa..."

Ai gente, quanta desinformação!

Páginas Da Minha Vida disse...

Gente,tirando o fato da dança em si, a Globo é uma emissora machista e falsa moralista.para mim, este episódio da dança nem foi tanta novidade assim.Eles gostam de colocar a mulher como símbolo sexual, mas não permite beijos gays ( e ops,os maiores autores e diretores por lá, são tudo gays enrustidos e adoram fazer testinhos do sofá).Eles gostam de falar em corrupção e afins e, eles adoram apoiar certos candidatos corruptos.Falam tanto de drogas e a maioria daquele povo do projac são usuários...

Digo e repito : A Globo é machista e falsa moralista.

Anônimo disse...

páginas - teve uma novela há pouco tempo em que viviam mostrando uma negra tomando banho de mangueira... uó, né.

Luisa disse...

Meu primeiro contato com essa séria Avenida Brasil foi uns dias atrás, no taxi (o motorista estava assistindo em uma TV portatil - provavelmente é proibido, mas não vem ao caso agora). No começo achei bem "avant-garde" pois mostrou uma Cristiane Torlone de "body" e bastante celulite a mostra, além do Marcelo Novaes visivelmente acima do peso. Mas de repente, pula pro Marcelo Novaes agredindo sua parceira e ela "achando bom", no melhor estilo "mulher de malandro" que a Globo adora. Eu não conheço o contexto dessa série ou do que ela trata, mas tenho a impressão de que tem uma enxurrada de problemas.

Laura disse...

uma amiga bailarina me falou muito indignada que pras pessoas em geral a dança é invisível. a gente estuda na escola movimentos de literatura, de música, mas nunca sabe o que pega na dança. e se as artes em geral já são tão desprezadas (a menos que seja a "arte certa", não é, aquela que dá status à elite e pela qual ela está disposta a pagar caro, sem necessariamente entendê-la ou apreciá-la), é triste que uma coisa tão presente no dia a dia quanto a dança, que põe a gente tão em contato com o próprio corpo, seja ignorada e mal representada e que a Globo se preste mais uma vez a esse (des)serviço. e eu com meus dois pés esquerdos quero estudar música e escuto todo dia que vou morrer de fome. ah se eu ligasse.

além de que na dança a gente lamenta um dos reflexos escondidos do machismo: a perda cultural. quantos bailarinos loucamente talentosos nunca descobriram que podiam contribuir pra arte do mundo porque "ah, ballet não é coisa de menino". essa minha amiga dançava na escola com um cara, que é um puta dançarino fantástico (e que também é gay), que tem a nossa idade, uns 18 anos... e que não consegue começar a carreira dando aula (o que ele gosta) porque TCHARAM, ele é um menino, e mães e pais não querem suas filhinhas tendo aula com um homem, por mais competente que ele seja. assim como na música, quando a gente quer fazer uma jam session, é dificílimo ter outra menina tocando comigo no meio dos caras - sendo que quase todo menino pelo menos pega num violão na vida. não basta o machismo matar todo dia, tem que suprimir a aspiração pela cultura também.

Páginas Da Minha Vida disse...

Pois é, tinha essa mulher negra tomando banho de mangueira, tinha aquela mulher que passou a novela INTEIRA apanhando do marido e mesmo prestando queixa, no final o aceitou de volta ( eles colocaram ela aceitando o marido de volta, mas dormindo no sofá,quer dizer, você apanha apanha e em vez de denunciar e despachar o cara de vez, não, você coloca ele para dormir no sofá,né?)...mostrou tantas cenas patéticas! essa de agora mostra o cara esculachando a mulher e ela igual uma pateta chorando de infelicidade, como se ela precisasse disso.Olha,essa Globo não vale o que o gato enterra!

Anônimo disse...

laura, tenho cá com meus botões que muita coisa ligada a corpo é desvalorizada. é ligada a corpo, mas tem a parte totalmente intelectual (até qdo vamos separar corpo de cabeça?), que muita gente ignora.

Iara disse...

Tenho uma amiga terapeuta especialista em massagem ayurvedica, quem conhece ela sabe o que ela investiu de tempo e dinheiro para poder conhecer um pouco de uma tecnica milenar.Mas a palavra massagem já tem outra conotação e ela vive escapando de armadilhas, apesar de trabalhar em uma clinica especializada, rara vez atende homens, já que estes sempre perguntam se a massagem é só isso e se não tem mais nada incluido.
Gostaria de pensar que apenas as pessoas que trabalham nessa area e na dança são vitimas de machismo,mas a realidade é mais ampla, mulheres são vitimas do machismo, não importa a carreira.Quem nunca escutou pelos corredores da empresa que a chefe é brava porque deve ser falta de sexo? É o carma de nascer mulher em um mundo machista e misogino, todas estão no mesmo lugar para os homens .

Anônimo disse...

iara, é isso que não entendo. se tem falta de sexo, é ruim. se tem muito sexo, é ruim tbem. não existe saída.

Anônimo disse...

O real significado da dança do ventre não tem nada a ver com erotismo, mesmo. Acho interessante deixar um link contando as origens dessa dança. Na Wikipedia tem algo bem legal:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Dan%C3%A7a_do_ventre

Anônimo disse...

Wikipedia é a pior fonte possível sobre qualquer coisa que se possa imaginar

Laura disse...

Anônimo (a), você tem muita razão! não tinha pensado nisso. os conflitos com o sexo obviamente passam por aí também. essa coisa contraditória de chamar o corpo de sujo, passagem, pecado, e ao mesmo tempo dizer que ele é tudo e só o que importa nessa vida de consumo pra que você seja alguém. meio que faz viver eu aqui, meu corpo lá, não é... é também essa vontade (vontade o escambau, sistema) de definir o mundo por "opostos" que na verdade não são opostos coisa nenhuma (corpo vs. mente, homem vs. mulher, por aí vaí. e é claro que, paralelamente, pra precária lógica machista, homem = mente, mulher = corpo. é distorção de valores até sair pelo ladrão)

Anônimo disse...

laura, é bem isso. muita gente "esquece" o corpo e parte pra uma vida totalmente intelectual e o corpo cobra. foi o que aconteceu comigo desde criança. aí vou cuidar do corpo, pronto, já viro automaticamente burra. até amigas minhas têm preconceito comigo por praticar esportes. pessoas que estudaram, se dizem abertas e modernas. mas não aceitam muito minha dedicação a esportes E aos livros.

perfeita, essa sua consideração sobre os opostos. falei disso na minha dissertação.

li disse...

gente, assisti metade do vídeo (não aguentei ir até o final) e já fiquei horrorizada. vocês tem todo o direito de reclamar. aliás, quando comecei a tomar aulas de dança do ventre, tinha medo de dizer isso pras pessoas com medo do tabu... :(

Bruxinha disse...

Eu estudo DV, amo mesmo, é minha válvula do escape do estresse nosso do dia a dia, mas ainda tenho um certo receio de comentar sobre ela com alguns homens pq o comportamento deles muda ao saber e eu fico constrangida...

Anônimo disse...

uma coisa que acho interessante nisso tudo é que várias coisas vindas de sei lá qto tempo atrás sempre fizeram bem pras mulheres no sentido de fortalecerem assoalho pélvico, o que ajudaria a mulher a conhecer seu corpo e ter uma vida sexual mais prazerosa - além de ajudarem as mulheres mais velhas a tonificar essa região e não ter problemas de escapes de urina depois da menopausa, por exemplo. ex: dança do ventre, pompoarismo, yoga...

é como se o conhecimento sobre o corpo da mulher viesse pela experiência desses exercícios. um treinamento pro corpo feminino... acho que tudo isso desperta, sim, a SENSUALIDADE, mas não no sentido de sexo pelo sexo ou de prepararem a mulher para ser usada por um homem. mas no sentido de ela perceber seu próprio corpo, saber tirar prazer desse corpo e manter esse corpo saudável.

quem pratica yoga sabe do significado do chakra sacro. sim, tem ligação aos órgãos sexuais, acontece que, nesse sentido, a sexualidade é vida, é sopro de energia vital, não toma essa conotação vulgar do sexo "sujo".

não tenho religião e nem sigo nenhuma filosofia de vida "alternativa", mas acho interessante como muitas dessas práticas ligam uma saúde física à mental/espiritual. a vida moderna é muito parada. uma pessoa que trabalhe 8h praticamente sentada, no mínimo, fica com circulação ruim, pode reter líquido... e a gente não trabalha várias coisas no nosso corpo (além de encurtar outras, como iliopsoas).

só uma reflexão...

Anônimo disse...

A especialidade da rede Globo é pegar qualquer manifestacao cultural ou qualquer assunto sério e transformar num "freak show".
Pouquíssima coisa que essa emissora transmite se salva.

Ana

juli disse...

Bom, não li todos os comentários, então, talvez repita alguma coisa.

A novela mostrou a exata imagem que a dança do ventre tem ao longo da sua breve história: uma manifestação não artística que mulheres usam para seduzir, entreter e chamar atenção...

O mais engraçado é que 90% das minhas colegas indignadas se revoltam com a Globo, mas usam filmes egípcios que colocam as dançarinas em posição semelhante (dadas as devidas diferenças culturais), como fonte de estudo ignorando o estigma e preconceito de boa parte das imagens, ainda chamando isso de "Era de Ouro"...

A dança do ventre sobrevive até hoje como dança usada em festas e casamentos árabes, onde a dançarina ocupa o papel de animadora de festa (um elemento decorativo), e nem sempre é tratada com respeito. Portanto, também gostaria de entender onde a despedida de solteiro da novela é tão diferente das festas em que alguns árabes se juntam e te chamam de charmuta (ou brasileiros de gostosa, vadia e afins) enquanto tentam enfiar notas de dinheiro (tem sempre quem aceita), na sua roupa...

Mais uma vez, a novela não mostrou nada além do que os meus 28 anos e 12 de dança do ventre já estão cansadinhos de ver...

No cinema e na história da dança do ventre ela raramente foi considerada arte e geralmente acompanhada de forte estigma social. Dançarina e prostituta costumam ocupar lugar no imaginário social no OM e, muitas vezes, por aqui...

Ao meu ver existem dois problemas: o machismo incapaz de entender que arte não precisa ser assexuada e a completa falta de consciência das dançarinas de dança do ventre com a sua imagem e pq?

O ballet, o contemporâneo, o flamenco e a dança indiana não vendem as suas aulas como: uma jornada para encontrar a deusa interior, recuperar a autoestima e se descobrir como mulher. Eles vendem dança, atividade física e arte...A dança do ventre está tão atrelada a imagem da mulher sedutora e de uma estética que privilegia elementos considerados como inerentes a "feminilidade", que ela se afoga no próprio clichê. Pior, boa parte das minhas colegas não entende a imagem que vende...

Sabe, na primeira aula de dança do ventre deveríamos ensinar o que é orientalismo e obrigar todas a lerem Belly dance : Orientalism, transnationalism, and harem fantasy...

Drica Leal disse...

Fugindo um pouquinho (mas nem tanto) do tema central do post, gostaria de registrar meu descontentamento com os novelistas da Globo principalmente João Emanuel Carneiro e Aguinaldo Silva, que tem pesado a mão nas personagens femininas em suas novelas e nos discursos machistas. O que me espanta é que esses novelistas são homossexuais, e no entanto nas suas novelas mulheres são sempre retratadas por clichês e sempre estão envolvidas em situações de machismo e misoginia, muitas vezes disfarçadas de humor.
Não sou assídua das novelas, geralmente assisto aos primeiros capítulos pra saber do que se trata mas não tenho paciência pra acompanhar o resto; às vezes assisto quando algum personagem ou fato da novela está gerando muito burburinho e tal, mas o que vejo entre os novelistas, principalmente os homossexuais, é uma sucessão de clichês machistas reproduzidos em suas personagens femininas. Quase todas as personagens mulheres desses caras são as "vadias", interesseiras, megeras, fúteis, histéricas, traiçoeiras, as que pisam no pescoço da outra pra roubar o marido/namorado... Enquanto isso, os personagens homens geralmente são engraçados, ingênuos, o bom malandro, o mulherengo divertido, etc. Parece que querem se vingar por não poderem mostrar beijo gay nas novelas e descontam isso carregando na misoginia, que agrada em cheio ao brasileiro médio. Isso quando não ridicularizam sua própria "classe", os homossexuais.

Anônimo disse...

Sempre achei estranho ficarem vanglorizando dança do ventre,cuja origem vem de culturas em que a nós ficava restrito a sedução.Não importa o quanto chamem de cultura(se á assim,podemos glamourizar a estirpação de clitores,dizer que estudamos a cultura faz tempo e que nada tem demais,como muita gente envolvida com prática pensa,incluindo mulheres)a ees~encia é a mesma.Só lamento que tem tanta mulher ingênua que tenta glamourizar,dizer que é saúde( ué,tanta ginéstica também é como a yoga,e não tem essa de sensualizar a mulher),e tantas outras coisas mais.

Existem práticas para promover bem estar humano,praticada por monges: kung fu.Em nada o kung fu erotiza o homem,por que tudo que é para nós tem que ser erotizado?Nunca pararam pára pensar sobre isso?Realmente uma mulher semi-nua se requebrando não tem nada ver? è culpa dos "machistas mente-suja" unicamente?

Sinto muito,mas erotização da mulher não melhora quando chamada de "cultura",já ouço esta "desculpa" dezenas de vezes aqui no Rio por causa deste maldito carnaval que nos promove no exterior como comercadoris sexuais.

A tal autora do post não tem muito o que reclamar se acha tudo tão "natural e cultural" assim.

juli disse...

As próprias dançarinas precisam entender as suas escolhas, o que dançam, porque dançam e como dançam. Enquanto não fizermos isso vamos continuar sendo desrespeitadas em todos os âmbitos: na dança, na acadêmia, na sociedade etc...

Anônimo disse...

18:59 - aí que tá. eu não acho errado um ser humano ser sensual, entendendo essa palavra como ter consciência do próprio corpo (sensual - sentidos). a dança do ventre foi trazida de outros tempos até hoje com enfoque erótico e para diversão masculina.

mas desde sempre as manifestações culturais envolveram dança e, por que não, sexo. acontece que o que veio até nós traz uma carga absurda de uma sexualidade para o uso do outro.

e eu ainda acredito em sabedoria de tempos lá atrás pra saúde, sim. acontece que a dança do ventre hoje é beeeem diferente da dança do ventre dos primórdios. até pq ela atravessou várias etapas na cultura.

óbvio que eu tô inserida numa cultura e sei o que uma mulher seminua rebolando na frente de um cara representa. acontece que existe gente que ESTUDA essa dança, do mesmo jeito que muita gente estuda outros tipos de dança. vai me dizer que o papel do homem na dança flamenca não é altamente erotizado?

acho bem complicado querer esvaziar a história de um estilo de dança e todo seu estudo só por causa do seu significado mais popular, que é reforçado em novelas e afins.

e, não, não sei nem dançar quadrilha.

Drica Leal disse...

Anônimo, eu também não acho errado UM SER HUMANO SER SENSUAL. Mas por que essa sensualidade é voltada exclusivamente para as mulheres? Por que tudo que uma mulher faz tem que ser erotizado? Essa é a discussão.

Anônimo disse...

drica, acho que o problema é o sentido que a palavra sensual tomou. sensualidade tbem é ligada a sentidos, a sentir o corpo.

o que eu acho errado é erotizarem a mulher, seu corpo (que é objetificado) e prepará-lo pro prazer alheio, nunca o dela.

eu acho super saudável uma mulher que se sinta, saiba como seu corpo funciona, conheça seu corpo (homens tbem, mas, na nossa cultura, o homem acaba explorando mais o corpo do que a mulher), conheça seu prazer e se sinta bem e viva dentro do próprio corpo, que deveria ser sempre seu aliado, nunca inimigo.

o erro é que esse corpo seja sempre prepararo PRO OUTRO, nunca pra ela. que a mulher seja um objeto pra uso dos outros.

Drica Leal disse...

Discordo que o homem explore o corpo mais que a mulher. Na nossa cultura, o homem canaliza tudo para o pênis, não explora nem 10% do que seu corpo e seus sentidos possam proporcionar. São muito limitados em sensações corporais, em conhecer o próprio corpo.

Ao contrário do que você sugere, as mulheres, apesar de terem restrições a práticas como a masturbação, por exemplo, tem um contato muito mais amplo com a sensualidade, no sentido de desenvolver e explorar seus sentidos, do que os homens.

Anônimo disse...

drica, mas não são maioria. tá cheio de cursinho aí pra mulheres "se conhecerem" e toda têm que levar um espelhinho pra aprenderem a localizar seus clitóris! e por que tanta mulher tem dificuldade de gozar? isso não é "culpa" das mulheres, mas tem gente que morre e nunca nem olhou pra própria vagina. sim, isso existe.

o homem pode canalizar o prazer pro pênis (e eu concordo totalmente com sua colocação), mas ele sabe o que dá tesão, o que o faz gozar, enfia aquele pinto em tudo que pode. e eu não acho que isso seja uma sexualidade mais desenvolvida ou algo assim. desde crianças saem testando esse gozo deles.

não sugeri o contrário, drica, isso de sensualidade é exatamente o sentido que vejo pra coisa. a mulher é mais difusa, sim, e tem mais contato com sua sensualidade, mas não no sentido de ela se ver como objeto para o outro. eu me vejo exatamente como vc falou, mas tem MUITA MULHER ainda super reprimida e eu creio que a educação pro próprio corpo pode ser uma saída pra essas mulheres. só que pra uma descoberta de si mesmas, não pra fazerem, sei lá, curso de strip tease pra salvarem o casamento.

Anônimo disse...

só um exemplo, drica: veja posts sobre corpo. veja quantas e quantas mulheres dizem que não conseguem gostar do próprio corpo ou não conseguem se sentir bonitas dentro do próprio corpo. como dizer que essas sabem achar essa sensualidade se mal de olham?

Josiane Caetano disse...

Fiz 5 anos de dança do ventre e mesmo sendo uma dançarina " mais ou menos", aprendi muita coisa:
1- Que realmente a dança do ventre é uma dança que melhora a auto estima femenina.E isto envolve a sensualidade, mas como algo individual, não como atrativo para a ala masculina especificamente.
2- Que ela é tão cheia de técnicas como qualquer outra dança- o que se " vende" na mídia não mostra nem 5 por cento do que a dança realmente representa para seus praticantes sérios
4- Que a dança do ventre, antes de ser imaginada como " sensual", deve ser vista em seu fim estético, ou seja, quem realmente ama a dança do ventre sabe que estamos falando de Arte, acima de tudo.
5- Só entende a Arte da Dança do Ventre quem a estuda corretamente. Como a maioria das pessoas não se preocupa nem mesmo em obter cultura em áreas mais acessíveis, o que dirá então desta cultura tão fora da realidade ocidental? Então o que resta é a visão deturpada de sempre...

Drica Leal disse...

É, nisso você tem razão. A sensualidade feminina apesar de difusa, geralmente é voltada para agradar ao outro e não pra si. É fato também que muitas mulheres desconhecem o que lhes dar prazer, esse moralismo em cima da sexualidade feminina criou uma série de pudores e um desequilíbrio em como homens e mulheres vivenciam as sensações, a sexualidade, o erotismo. No homem ficou essa fixação com o pênis e a ignorância de todo o resto; nas mulheres essas sensações que embora sejam mais diversificadas que a do homem são quase etéreas, de tão desconhecidas e inexploradas em seu próprio benefício.

Josiane Caetano disse...

Escrevi femenina, mas sei que é feminina. Foi um erro, sorry...

Drica Leal disse...

gente, desculpa por estar fugindo do tema, é que não entendo nada de dança do ventre mas como tocou nesse ponto de sensualidade, erotização, etc, eu acabei fugindo pra esse lado por ignorância de todo o resto.

Laura disse...

... e não só essa coisa da mulher ser um objeto para o prazer de outro, mas também a afirmação constante de que a única forma de poder que a mulher tem na sociedade é o poder sexual. as mulheres também não são otárias de virar objetos mudos por todo o curso da história, mas estavam e estão inseridas num contexto que lhes dizia repetidamente que a manipulação pelo sexo (castidade e maternidade, sob a ótima machista, inclusas) é a única forma que uma mulher tem pra se estabelecer e ter uma posição no mundo. e nisso elas-nós viram-viramos objetos, pois. é só começar uma discussão feminista pra alguém falar "mas huurp duurp as mulheres conseguem o que querem dos homens porque duurp elas têm peitos". pois é, experimenta ouvir a vida toda que a única forma de poder que você pode querer ter, por ser mulher, é manipular algum cara com seus peitos (esse cara sim o detentor do poder de verdade) e que as coisas são assim mesmo. de onde ver a sexualidade da mulher acerca dela própria é sim bastante revolucionário.

de modo geral acho que a chamada sensualidade é um fator de expressão e afirmação fodasticamente importante, que tem que estar nas mãos de cada um. pros caras também. e que a arte amplia tanto que até muda de nome. mas de fato, há uma linha ou um limite? hm, tá interessante a discussão :)

Anônimo disse...

"O real significado da dança do ventre não tem nada a ver com erotismo, mesmo. Acho interessante deixar um link contando as origens dessa dança. Na Wikipedia tem algo bem legal:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Dan%C3%A7a_do_ventre
7 de junho de 2012 17:31"



"Anônimo disse...
Wikipedia é a pior fonte possível sobre qualquer coisa que se possa imaginar
7 de junho de 2012 17:33"

---------

Okay. Então alguma bailarina de Dança Oriental poderia nos dizer se essa informação da wikipedia é valida?
Ou melhor, poderia nos passar um link com informações sobre?
Seria muito bom. Conhecimento nunca é demais.

Anônimo disse...

drica, é bem isso. a menina desde cedo já tem aquela censura toda em cima do corpo. como conhecer esse corpo desse jeito? não tô falando de mim ou de vc, já que, se estamos aqui falando essas coisas, temos um mínimo de pensamento sobre o assunto.

mas, cara, já vi cada coisa. minha mãe morreu sem nunca olhar pra vulva dela (eu ia dizer vagina, mas o certo não é isso). qdo eu era pequena, me lembro da dificuldade que ela teve pra botar um remédio e eu, criança, já achava um absurdo uma pessoa não se tocar. eu cresci pensando que eu seria diferente. e olha que ela teve 3 filhos, passou por mudanças enormes 3 vezes. já eu me lembro de me masturbar ainda bem nova. graças aos céus que minha mãe me criou meio largada pq eu tive uma sexualidade mais livre que a dela. então, essa minha sexualidade nunca me soou como coisas pros outros ou como algo sujo. era minha descoberta pra mim - nessa época, eu achava que era coisa que tinha a ver só comigo, eu não achava que eu usaria essas coisas com um homem mais tarde. qdo transei pela primeira vez, eu já sabia gozar um monte, eu já me conhecia.

algumas dessas coisas que vêm de "bem antigamente", como yoga, dança do ventre (sem ser a global), pompoarismo... acho que tudo isso meio que converge pra saúde física e mental da mulher. hj em dia, muita mulher tem que fazer exercícios com pesinhos (kegel) pq o assoalho pélvico tá completamente largado. tá cheio de médico uro-ginecologista indicando isso pras mulheres. nesse aspecto é que vejo essas "artes" ou "filosofias de vida"como algo interessante no autoconhecimento.

mas, repito: pra que ela se conheça, não pra dar prazer pro parceiro (tudo isso praticamente virou uma escola de dar prazer pro outro, de salvar casamento... e eu não concordo com nada disso).

juli disse...

Anônimo, se vc quer entender sobre o que é dança oriental, e não é a dançca do ventre cabaré que fazemos, leia os livros do anthony shay, principalmente, o que eu citei!

Belly dance : Orientalism, transnationalism, and harem fantasy

Tbm tem a dissertação de mestrado da cinthia nepomucemo que define bem que a dança do ventre que fazemos é uma arte performática híbrida e não pode ser considerada nem oriental, nem ocidental!

Sara disse...

Acredito que não há nada nesse nosso planeta mais machista do que a cultura árabe, portanto não me causa nenhuma estranheza que seja associado uma expressão dessa cultura como a dança do ventre em uma cena como a que foi mostrada na TV.
Aprecio essa dança, até já tentei aprender alguns passos, mas realmente não possuo talento pra tanto, o que não consigo é desvincular a sensualidade dessa dança como pretende a autora do post.
No imaginário popular essa dança tem sim conotação sexual, e acho muito difícil que isso mude.
Não achei a cena degradante para as dançarinas, afinal elas estavam ali para animar a festa de despedida de solteiro de um dos personagens.
Já vi cenas muito parecidas em despedidas de solteiro de mulheres, com dançarinos do clube das mulheres e achei o máximo, e participei alegremente.
Acho que depende muito do ponto de vista de cada um, o que é desrespeito, em uma situação como essa.

Rayara disse...

Primeiramente, Lola, agradeço muito a você pela publicação do Guest Post.

Juli, entendo perfeitamente sua colocação, e sei que a imagem da Dança do Ventre em muitas partes do Oriente Médio é muito ruim. Eu também discordo muito dessas práticas no OM, particularmente não acho nada bonito só por ser árabe. Eu mesma disse para muitas amigas que vieram conversar comigo sobre a novela que não tinha nada de novo naquilo.

No entanto, independente dos conceitos do OM ou não, hoje em dia a Dança do Ventre já não é mais uma dança "de mãe pra filha", ela se estendeu pelo mundo inteiro e virou uma dança de palco, uma manifestação artística, pois muitas das suas grandes bailarinas a colocam assim. Para mim, e tenho certeza que para você também, merece muito respeito, seja aqui no Brasil ou em qualquer outro lugar.

De fato, concordo que as próprias bailarinas/professoras têm sua responsabilidade na mudança ou conservação dessa imagem. Mas o que a Globo fez também não ajuda em nada quem tenta mudar a forma como da Dança do Ventre é vista, pelo contrário, piora, e muito.. Por isso, acho muito válido questionar.

Anônimo disse...

rayara... no dia que a globo ajudar a matar algum estereótipo... hahaha...

acho sempre válido questionar e conversar sobre o assunto. acho que só acrescenta.

Rayara disse...

Sara, prefiro não entrar no assunto "cultura árabe", pois apesar de estudar bastante sobre, não me julgo no nível de falar a fundo sobre. Há sim seus traços machistas, mas o que eu posso te dizer é que hoje a Dança do Ventre já se modificou bastante e aderiu a várias técnicas ocidentais, como o ballet, e outros elementos que usamos.

Continua sendo uma dança sensual, não nego isso e nem teria porque negar, já que não vejo nada de errado. Mas vejo uma diferença muito grande entre a sensualidade e a sexualização no contexto da objetificação da bailarina, o que foi feito na cena, a meu ver.

Como a Juli disse, um dos grandes problemas é o machismo que impede muitos de ver que a arte não precisa (nem deve) ser assexuada.

Vivi disse...

Não acompanhei este caso, mas além do machismo, vejo que as novelas, a Globo etc, só sabem mesmo retratar o mundinho deles (rico/branco/sudeste, ou seja minoria privilegiadíssima). O resto é tão , mas tão caricato/preconceituoso que dá raiva. Tudo que não é do mundo deles é tratado como exótico, o árabe ignorante, o judeu ganancioso, o japonês bobo..o rockeiro vagabundo drogado, o pobre alegre e tapado, o negro sensual, a loira burra..Ou seja, além do machismo deste caso, a REAL (rsrrs) é que eles não sabem NADA fora do mundinho deles, por isso o preconceito senso comum..E ainda se acham artistas....

Anônimo disse...

vivi, concordo. "exótico". afe.

eu não entendo nada de dança do ventre, mas consigo me identificar com o que a autora falou sobre outros temas que eu estudo ou que têm a ver comigo.

Anônimo disse...

Juli, está difícil achar uma cópia do livro a venda no Brasil. Até mesmo os ebooks não achei. Mas a partir da sua referencia sobre Cinthia Nepomuceno encontrei outras dissertações de mestrado e artigos científicos sobre o tema:

http://www.centraldancadoventre.com.br/artigos-cientificos/33-artigos-cientificos/239-dissertacoes-de-mestrado-sobre-danca-do-ventre

Muuuito obrigada.

Anônimo disse...

alguem obrigou as moças a fazerem isso ?
alguem obriga uma mulher a fazer dança do ventre para seduzir seu homem ?
não sei o que tanto feministas querem ficar cuidando da vida do outros, cuidem das suas po, cada um no seu quadrado !!

Vivi disse...

Nossa Juli, muito interessante seu comentário.Só pude ler agora os comentarios.
Eu não entendo nada de dança. Mas o que vc colocou faz super sentido..
Fiquei até cnfusa agora, nem sei se vc verá isso, mas qndo vc diz

"dança do ventre sobrevive até hoje como dança usada em festas e casamentos árabes, onde a dançarina ocupa o papel de animadora de festa (um elemento decorativo), e nem sempre é tratada com respeito."

Quer dizer, existe uma origem da dança, e sua apropriação pela cultura machista que a faz sobreviver, infeizmente, dentro deste machismo?
Não sei o que pensar. Tenho medo de ser preconceituosa, mas independente de ter um estudo da dança cmo a autora do guest post disse, de nós respeitarmos as pessoas de tais culturas etc, não tem como negar, e isso não pode nos invalidar de afirmar que boa parte da cultura árabe é ultra machista, certo? e se vc fala que mesmo no mundo árabe a dança é usada pra festas em casamentos isso me faz pensar então - com todo a superficialidade da globo e limitação- que, neste caso, a imagem usada na novela não foge da realidade de parte da dança no mundo árabe? É isso??

Nossa, fiquei confusa agora..

Bjos

Anônimo disse...

21:00 - primeiro de tudo que nem me digo feminista. segundo que é só ver o tanto de gente tirando dinheiro de mulher desesperada pra salvar casamento em cursinhos meia-boca de dança do ventre e aulas de strip tease. como se isso fosse receita de bolo pra uma mulher feliz, que, aliás, seria a reponsável por requentar um casamento. obrigar? ninguém obriga ninguém a nada na força, mas nos significados subentendidos na cultura.

Anônimo disse...

Olha que sensacional esse homem numa apresentação de dança oriental:

http://www.youtube.com/watch?v=U8DpL-bM9Q0&feature=related

Anônimo disse...

isso só prova que vc nao conhece nenhuma feminista, filho.

Louise Nouvain disse...

Já que você é tão profundo "conhecedor" das feministas anônimo covarde de merda,porque não dá a cara a tapa? Lixo anônimo me dá preguiça /pena1

juli disse...

Vivi, não foge muito. Em casamentos muito tradicionais e religiosos nem sempre vai haver dança do ventre ( leia isso como uma profissional contratada). Acho improvável que num casamento wahabita, por exemplo, isso aconteça. No entanto, em algumas festas a dançarina ainda funcionam como entretenimento. Já ouvi histórias de que a dançarina era usada para abençoar a fertilidade da relação dos noivos, não sei até onde isso é correto. Me parece mais uma invenção ocidental, mas não tenho como afirmar isso.

Porém essa cena não é compatível só com alguns países árabes, mas com o Brasil também. A dança do ventre no Brasil não sobrevive no teatro (talvez nem outras danças). São raros os espetáculos que atraem um público não composto por alunas. A dança, enquanto performance, sobrevive nos bares e casas noturnas com suas noites árabes e festas. Quem vive mesmo de dança, sobrevive dando aulas.

Em São Paulo, por exemplo, já aconteceram muitas festas árabes, apesar de hoje sertanejo dar mais dinheiro...rs...Nessas festas o público é composto de descendentes de árabes, recém chegados do Líbano, Sírio, Iraque etc, e alunas/admiradoras de dança. É claro que muitas pessoas respeitam e admiram, mas o meu árabe meia boca já foi capaz de ouvir muita piada e comentário sexista por parte de homens e por parte dos músicos...Assim como meus amigos fluentes já traduziram muitas coisas para mim...

Voltando ao mundo árabe. É importante ressaltar que existem diversas danças que compõe o folclore árabe e que dança do ventre (nesse molde disseminado a partir do Egito no século XX) é outra coisa...Outra confusão muito comum no nosso meio, a confusão que fazemos entre folclore e dança do ventre.

A questão é que esses estereótipos orientalistas também influenciam a "cultura árabe" (entre parênteses pq estamos falando de muitos países para generalizar). A dança do ventre de alto padrão, digamos, acontece onde? Nos hotéis, restaurante e casas mais "caras", locais onde turistas, em sua maioria, vão...Pq? A ideia é ir ao oriente, ver coisas exóticas e como não ver dança do ventre?

O aspecto social também influencia nessa relação com a dançarina. Moças pobres que dançam em festas populares e casamentos simples sofrem muito mais assédio, as vezes até físico.

Só que o interesse pela dança do no ocidente é grande, então, as dançarinas que se tornam estrelas (que dançam com coreógrafos famosos e em hotéis 5 estrelas) acabam tendo mais status, ainda que também sofram com o preconceito e estigma. Dançarina e sinônimo de puta.

A dança vai perdendo espaço com o aumento da religiosidade, mas principalmente, por uma questão cultural. A mulher que deve cobrir o seu corpo no espaço público faz isso pq está implícito que a exposição do mesmo incita/autoriza homens a fazer o que querem, isso é o que diz o machismo, então, não faz sentindo nesse contexto alguém dançar de mini saia e barriga de fora e ainda ser respeitada. Não vai... Por isso, a dança do ventre profissional é muito mal vista.

Mais uma vez, eu não acho que o aspecto sensual da dança seja ruim, porém, acho esquizofrênico como muitas dançarinas se recusam a ver isso. Pra mim o problema da dv é que somos uma arte incapaz de criar novas linguagens, estamos apegadas a mesma estética...tirando o tribal, o que fizemos de novo? E onde encontrar espaço pra explorar essas propostas?

Anônimo, o preconceito contra homem dançando é grande, mesmo que ao longo da história eles já tenham ocupado esse espaço tbm.

Algumas pessoas até se recusam a ensinar homens a dançar simplesmente pq eles são homens...

Sobre as dissertações recomendo mesmo a da Cinthia, é a melhor que eu já li. Vou tentar achar alguns artigos do Shay!

juli disse...

A Leandra Yunis tem uns artigos bem interessantes, boa parte deles com base em questões discutidas pelo Shay. Vale a leitura e a reflexão!

http://leandrayunis.blogspot.com.br/p/tese-sobre-danca-oriental.html

Augusto disse...

http://www.youtube.com/watch?v=2W5EmWpfcp4

Lola, já viu essa propaganda MACHISTA?

fabio disse...

Anônimo, o preconceito contra homem dançando é grande, mesmo que ao longo da história eles já tenham ocupado esse espaço tbm.
-------------------------------------tem razão, eu tive uma formação militar, e agradeço por isso, pois aprendi muito sobre honra, valores, dignidade, respeito e a dar valor a minhas origens e minha patria, mais confesso que certos paradigmas machistas ainda surtem muito efeito neste tipo de formação, dançar por exemplo e algo que nunca foi natural em mim,eu dançando e uma porta e a mesma coisa kkk, e ainda mais devido a minha altura,eu fico muito esquisito quando tento rsrsrs, mas e algo que eu gostaria muito de aprender, minha namorada sugeriu que a gente inscreva num curso de dança ainda este ano, achei bonitinho da parte dela querer me acompanhar, pois ela dança muito bem, principalmente pagode e forró( ela fez curso de dança do ventre inclusive), e viu que eu ficava constrangido de não saber (^_^)
-
quanto a danças sensuais, não tem nada de mais em ser sensual, a sensualidade faz parte da natureza humana,( apesar de eu achar que a baixo libido feminina faz a maioria não dar a minima se homem e sensual ou não ) mas infelismente o que vemos em muitos caso hoje não e seusualidade mesmo, e vulgaridade, como esse lixos funks, que depreciam a imagem da mulher brasileira,( fora a apologia a pedofilia) com coreografias e letras absurdas !!!

Augusto disse...

Fabio, morre!

fabio disse...

augusto, va lamber sabão...

Augusto disse...

Não despeje preconceitos, ainda mais em um blog feminista!

fabio disse...

preconceitos ?? contra funk ? tenho mesmo, apologia a destruição da dignidade, e se voce for destes muleks dig dig dum, use argumentos para defender letras como " senta aqui novinha senta, sobe e desce sobe e desce novinha" e não seja um monossilábico, funk e lixo cultural, apologia ao sexismo, a prostituição e ao crime..
...e quando entrar no metrÔ, faça o favor de por a porr@ do fone.

Rayara disse...

Juli, adorei suas dicas de leitura! Vou aproveitar pra estudar bastante... E acho que conheço você de uns videos!

Augusto disse...

Desculpe, está sendo falacioso em quase tudo que está dizendo.

No seu primeiro comentário você fez uma analogia entre vulgaridade e vileza. Não posso não dizer que seu comentário foi sexista, você disse claramente que mulheres não podem ser vulgares, e elas podem, não há nada de errado nisso.

Há funks, sim, que são sexistas. Como há funks que não são. Músicas de mpb são sexistas, pagodes são, sertanejos são. Sexismo está enraizado na sociedade. Mas funk não é só sexismo, há grandes feministas cantoras de funk, basta quebrar o preconceito com o estilo musical.

Eu, pessoalmente, não gosto de funk, mas entendo que faça parte da cultura brasileira. E sei que foi um grande contribuinte para a libertação de algumas mulheres numa sociedade machista.

Em seu segundo comentário, a excreção de preconceito continuou. Claro que existem pessoas que escutam funk sem fone, mas pergunte-se o porquê? A resposta é óbvia: Muitas pessoas que ouvem funk vêm de uma família de baixa renda, e estas pessoas têm outras regras morais a seguir, elas vieram de um outro meio e estão acostumadas com esse tipo de comportamento. Agora, tudo que você disse me pareceu preconceituoso tanto com os pobres quanto com os negros. Pense e repense antes de escrever coisas falaciosas. E atende aos direitos humanos.

Uma última observação que eu gostaria de fazer é sobre o fato de que seu vocabulário parece muito com o de alguns 'mascus'. Observa-se o uso de "honra", "valores" e "lixo cultural", são expressões direitistas e muitas vezes relacionadas a preconceitos.

Espero que você mude.

fabio disse...

vamos por partes :
-
sensualidade e bonito de se ver, vulgaridade não, nem para homem e nem para mulheres, e depreciativo a imagem humana, não queira ver "revoluções" ode elas não existem, cada um faz o que quer da sua vida, mas não cobre que eu ache bonito uma mulher rebolando de mini saia e sem calcinha em em cima de uma lage, com crianças e pessoas de idade passando na rua, isso não e contracultura, e falta de respeito mesmo

-
funk libertador de mulher ? funk e apologia a obijetificação da mulher, suas letras são machistas ao extremo, e se a valeska popozuda, e a tati quebra barraco são exemplos de feminismo, então o feminismo ta fuu.., elas são a favor da mulher se nivelar ao homem no que ele tem de pior, não melhor( aliais elas não são a favor de nada, e sim de ganhar dinheiro e transar com traficantes).
-
o preconceituoso aqui e voce, com esse seu "socialismo de almanaque" quer dizer que pessoas pobres e humildes são necessariamente mau educados ? não tem noção de que incomodam os outros, se liga cara,se todo mundo que for pobre no brasil for selvagem, isso aqui fica inabitavel, eu vim de familia muito humilde, mas minha educação foi a melhor herança que eu herdei
-
e quanto essas suas bobagens de direita X esquerda, socialismo X capitalismo, marcianos X venuzianos, eu não dou a minima para isso, nunca dei, isso e coisa de viuvas do muro de berlim, que não se tocaram ainda que estamos em pleno seculo 21, e ficam se apegando a ideologias falidas do seculo passado, pessoas não são latas de ervilha para serem rotuladas, cada cabeça e um universo, cada individuo tem suas convicções !!

fabio disse...

Uma última observação que eu gostaria de fazer é sobre o fato de que seu vocabulário parece muito com o de alguns 'mascus'. Observa-se o uso de "honra", "valores" e "lixo cultural", são expressões direitistas e muitas vezes relacionadas a preconceitos.

- SIM EU SOU MASCULINISTA, tai minha cara, esse e meu nome, e no meu perfil tem meu e-mail, não devo nada a ninguem, e meu pensamento e livre, e não enlatado.

Augusto disse...

Aceite:

1. que para alguns vulgaridade é algo bonito de se ver. Não é por isso que será mostrado na rua. Basta ter limites que não ultrapassam a constituição.

2. que o funk ajudou muito para que a mulher se libertasse das amarras da sociedade. Até a Valesca tem resquícios de feminismo em algumas músicas, mas algumas músicas delas em si são sexista. mas existem cantores funkeiras feministas propriamente ditas. Mulher Filé é um exemplo a ser citado, além disso ela é inteligente.

3. que pessoas pobres não têm acesso a educação como a maioria: o nível de desistência escolar é bem maior em famílias pobres; informação sobre métodos para evitar gravidez é bem menor a estas pessoas; e a maior parte dos estudantes que frequentam uma universidade são da classe C, B e A.

4. que sua educação não foi a melhor coisa que herdou, está longe disso. Procure outra coisa para se vangloriar, esta não serve.

Augusto disse...

Pensamento livre na medida do possível. Não pode denegrir (sic) mulheres por estas serem vulgares. Desculpe, você está errado, fale merda no seu cubículo, não aqui, por favor.

fabio disse...

1- pessoas vulgares acham bonito chocar a sociedade com bizarrices sexistas.

2-explique melhor como alguem chamada "mulher filé" ajudou a combater a cultura da mulher objeto,com letras a favor de pornografia, pedofilia, promiscuidade e infidelidade ?

3- o que voce citou chama-se conhecimento adquirido, ex. "2 +2= 4. pedro alvares cabral descobriu o brasil" eu me referi a educação civica, de ter empatia pelo proximo, de respeitar o semelhante, isso se aprende em casa, não queira parrar para o estado o que e de obrigação da base familiar.

-
tenho muito orgulho das minhas origens,da minha base familiar e do pai e mãe que tive !!, e voce o que tem ?
-

fabio disse...

e por ultimo; meu pensamento e totalmente pleno,e não na "medida do possivel" eu não pretendo nem preciso denegrir ninguem, pois sei que a realidade da vida e o cemiterio das ilusões, essa e a real !!

Erres Errantes disse...

"Essa arte tão encantadora que valoriza a mulher e estimula a autoestima das suas praticantes foi apresentada como um mero meio de entretenimento machista."


Minha irmã faz dança do ventre há dez anos e, por isso, tive um certo contato com o universo dessa expressão artística, embora seja uma impressão totalmente superficial, já que nunca me interessei em aprofundar meus conhecimentos sobre esse assunto. Mas a ideia que muitas dançarinas me passam é de que a tal da sensualidade é algo fundamental e inerente à mulher. Já vi algumas dançarinas do ventre falarem em essência feminina. Isso me incomoda porque não acredito em essência. Homens e mulheres agem de determinada forma porque são educados assim. E mesmo que existisse essa essência feminina, por que as mulheres haveriam de entrar em contato com a sua essência justamente através de uma dança que inclui movimentos insinuantes e cujas dançarinas estão fartamente maquiadas, enfeitadas, com os seios valorizados por tops justíssimos e com a barriga de fora? Dizem que a dança do ventre aumenta a autoestima da mulher, mas apenas partindo do viés da aparência. Posso estar sendo ignorante, mas acho que, em nossa sociedade, a dança do ventre reforça a ideia de que a mulher nasceu para ser decorativa e para se comportar de maneira graciosa a fim de agradar e excitar os homens. Dizem que a dança do ventre é aberta a todas as mulheres, mas eu reparo nos vídeos que minha irmã assiste e, neles, eu nunca vi uma dançarina famosa que fosse gorda e/ou negra. Pelo contrário, as dançarinas famosas são claras, magras, de cabelos longos e na maioria das vezes jovens. Parece que elas estão lá justamente para reforçar aquele velho padrão de beleza de sempre, imposto às mulheres. E eu acho que é por isso que muitas vezes a dança do ventre é mostrada de maneira desrespeitosa, como ocorreu na novela, como mero entretenimento para o público masculino.

Anônimo disse...

Desde quando dá pra ser sensual só para sí? Achava que sensualidade era algo que era dado ao outro, sempre.

Esta cena da novela é uma expressão do que a sociedade se baseia em suas representações. Querer censurar este tipo de cena não tira esta característica da própria sociedade.

Anônimo disse...

02:38 - desde qdo? desde qdo uma pessoa sente prazer de se sentir, de ser dentro do próprio corpo. sensualidade não é necessariamente só insinuação e encenação para o olhar masculino ou do outro. é a exploração dos sentidos e suas possibilidades.

Anônimo disse...

"desde qdo uma pessoa sente prazer de se sentir, de ser dentro do próprio corpo"

Ok, se amar não é algo estranho, mas, que eu saiba, o próprio conceito de sensualidade envolve atração do outro.

Anônimo disse...

02:46 - não é questão de se amar. é de sentir. sentidos. háptico. temos 5 sentidos, somos seres sensuais. de ter prazer em sentir o corpo existindo.

sensual
adj. 2 g.
1. Concernente aos sentidos.
2. Voluptuoso.
3. Lúbrico.
4. Libidinoso.

Anônimo disse...

02:38 - e ninguém falou em censurar. a própria autora do post disse que achava interessante discutir.

Becx disse...

Nào é por nada não, mas apesar dessa cena ter sido um pouco forçada, com asmeninas da dança do ventre foi uma cena curta, a coisa pesou mesmo cam as stripers. Não acho que a globo denegriu a dança, pelo contrário, a maior oropaganda foi na novel O Clone, e virou febre. Essa dança só se popularizou no Brasil de pois da novela, e vcs bailarinas sérias da dança, só as são por causa da programação e propaganda da globo, naquela época, seja ela direta( vcs assistiram a novela) ou indireta (sua professora assistiu, alguma amiga assitiu, pessoas do ramo aproveitaram e abriram novos estudios da dança pelo país) Enfim foi por causa de O clone, que ficamos derretidas, que eu me apaixonei. A cena foi grotesca, foi, péssimos atores, clichés até não aguentar mais, sim, mas o fato é que dança do ventre é um entretenimento, as pessoas pagem pra ver as meninas dançarem, (como todas as danças)em qlq ocasião. Aqui onde moro, ta uma moda de contratar dançarinas de samba (estilo avenida mesmo) todas pintadas com plumas e tangas, pra dançar em festas de casamento. O mesmo acontece com dança do ventre, e o mesmo acontece e festas de despedida de solteiro. É uma dança, uma arte, mas tb uma forma de entreter...acontece com todos os estilos, em todas as partes do mundo

Bruno S disse...

Devo admitir que eu não imaginava a dimensão do que representa a dança do ventre até o dia em que compartilhei um voo com uma equipe de meninas e mulheres adultas que ia para um evento internacional de dança no Egito.

Embora tenha me parecido um tanto quanto estranho uma competição de dança (enquanto eu seguiria viagem para assistir a uma competição esportiva), deu para ter uma noção de que h[a uma grande sereiedade em torno da comunidade das praticantes da dança.

Carol disse...

Sem falar das coisas totalmente estereotipadas, tipo a novela da sete com nordestinos, que mostram que eles só podem ser ricos se eles forem algum cantor brega ou simplesmente elas só podem ser empregadas espalhafatosas, ridículo.

Anônimo disse...

Até em post sobre Dança do Ventre vem uns brothers defender o funk.

Esse Augusto ai e sua pura teoria de esquerdista de butique, tudo que pobre faz de errado esquerdista passa a mão na cabeça e fala "coitadinho, não teve educação".

AMIGO para educar um filho vc não precisa de ser rico ok? Vc precisa é de ter EDUCAÇÃO, para ensinar educação.

A grande verdade é que esses funkeiros que ouvem seus lixos em transporte público são uns folgados mesmo, sim, a maioria não tem estrutura familiar, isso é um ciclo, os caras não querem saber de educação não, (família, essa estrutura "patriarcal" tão infame, agora descobrimos pra quê ela serve, para dar educação...hum).

Priscila Boltão disse...

THIS.
Nem tenho oq comentar sobre esse texto pq já foi dito tudo.
Eu fiz Dança do ventre por 6 meses, onde minha auto-estima, praticamente inexistente, melhorou muito, sem falar na minha saúde. Tive q parar por falta de tempo. Mas a falta de respeito q eu vejo na representação da mídia causa exatamente a mesma indignação.

Marussia de Andrade Guedes disse...

Que post moralista! Eu, sinceramente, não sei por qual motivo as mulheres são contra o erotismo. Só consigo achar que é herança de uma moral religiosa que é muito prejudicial para as mulheres. Estas pessoas só vêem o sexo e o erotismo como algo sujo. Mas este post é demais. A Globo não pode mostrar cenas de dança com fins de sedução para não sujar a " imagem" das dançarinas " sérias" . Me poupe! Algumas pessoas podem até fazer opção por uma vida sem erotismo mas que não queiram impor aos outros.

Allana disse...

Acho que não entendi, então uma "arte" jamais pode ser usada para fins de sedução? Mostrar o lado sensual de uma dança fere os "profisionais serios" que lidam com ela? Se for assim, que se fechem todas as aulas de Tango e de tantas outras danças que são lindas e muito sensuais.
A autora tem todo direito de protestar, mas a meu ver , não houve nada de tão grave na cena a ponto de motivar tamanho indignação.

Carol disse...

Marussia não entendeu nada do que o post quis dizer

Cão em Forma de Cão disse...

Concordo com a Allana...a dança pode ser vista como algo sensual sim, e qual o problema? Isso não desmoraliza ninguém...só porque as moças estão lá erotizando a dança não quer dizer que estão fazendo algo de errado. A dança do ventre envolve movimentos nos quadris, as moças usam pouca roupa e se balançam até não poder mais, óbvio que a maioria das pessoas vai enxergá-la como algo sensual, mas desde quando isso é ruim? Gente, sexo é bom demais, e só porque uma coisa está ligada ao sexo não quer dizer que é desrespeitoso ou agride a visão da mulher. Gosto muito dos posts da Lola, admiro a opinião dela, mas não concordo com a opinião exposta neste.

Carol disse...

Vocês leram o post?
"uma luxuosa despedida de solteiro regada à muita bebida alcóolica, onde os únicos convidados presentes eram homens brancos."

Isso por si já diz tudo

Cão em Forma de Cão disse...

Era uma despedida de solteiro...claro que os únicos convidados eram homens. E se só tinham homens brancos até poderia se argumentar pelo racismo, mas não vejo no que isso ofende as mulheres dançarinas de dança do ventre.

Anônimo disse...

ninguém aqui falou que erotização e sensualidade são ruins, gente. pelamor!

a questão toda tá mais pra objetificação da mulher e o erotismo sob encomenda para o outro e não pra si e tudo isso em nome de uma arte. e a autora não falou em momento algum de censura e afins. ela falou da discussão da coisa toda.

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Sou apaixonada por dança do ventre e acho uma pena que essa dança (como quase tudo que envolve o corpo da mulher) que é tão linda seja vista dessa forma: como algo que é feito unicamente pra dar prazer ao homem.
Não assisto a novela mas fiquei sabendo da cena através de alguns blogs de dança que sigo.
Achei a cena nojenta. Um bando de mulheres servindo àquele bando de homens bêbados e sem graça.
Não consigo ver com bons olhos nada que seja feito com a sexualidade e com o corpo que tenha como objetivo dar prazer a apenas um lado envolvido na história.

Claudia disse...

Pra falar a verdade a cena nao me chocou. Claro que eh machista ao extremo, mas seria o mesmo se fossem dancarinas de funk, axe, ou qualquer outra musica. A cena era para mostrar exatamente isto: uma despedida de solteiro com homens brancos, regada a alcool. Qualquer outra danca teria o mesmo efeito. A Globo eh machista, todos sabemos. E nao cabe a autora do post se ofender apenas porque ela pratica danca do ventre. A danca eh sensual por si so e apesar de ter a ver com o empoderamento da mulher, ainda esta sim ligada a erotizacao e sensualidade. Temos que nos sentir ofendidas praticamente por tudo o que vemos na tv hoje em dia. O que eu acho muito pior eh o que esta acontecendo na novela das sete, Cheias de Charme. O termo usado para chamar as trabalhadoras domesticas e "empreguete". Achei de extremo mau gosto, e infelizmente ja estou escutando varias "patroas" chamando suas faxineiras, babas, cozinheiras de "empreguete". O termo diminui ainda mais a categoria em uma novela que tinha o papel de mostrar exatamente como esta o trabalho domestico hoje em dia. Desprezivel.

Anônimo disse...

e o curioso é que, em vários casos aqui, falaram em sensualidade como algo pro outro. sensualidade e sedução são coisas diferentes. a pessoa É sensual, mas, pra seduzir, precisamos do objeto direto. pressupõe existência do outro pra ser seduzido. será que até no discurso já ficou incorporado que a mulher não pode simplesmente apenas SER sensual pra si? tem que até isso ser pro outro?

Anônimo disse...

claudia, eu concordo que a globo é machista. e a cena da dança do ventre não me chocaria pq, né, o que esperar da globo? se eu fosse estudante da dança, talvez eu ficasse indignada, mas não chocada.

e eu soube disso aí das empreguetes, apesar de não ter visto pra entender direito do que se trata. mas confesso que só algumas coisas que foram ditas já me indignaram pq essa coisa de "sou empregada doméstica, mas sou feliz", é meio esquisita. ainda mais num país em que trabalhos manuais (de meter a mão na massa mesmo) são considerados algo "menor" e, consequentemente, as empregadas tbem seriam. eu não concordo com isso, claro, mas fico vendo essas domésticas que acordam às 3 da manhã pra trabalhar enqto tem global riquinho que ainda taca ovo nas que passam sob suas janelas... just saying.

Brisa disse...

Quem não gosta ou não conhece muito da dança do ventre, acaba é não sabendo que a maioria do público em eventos sérios, concursos, lugares onde a dançarina se apresentam, são em sua maioria mulheres.
Mulheres que gostam de apreciar os passos, a técnica, a leitura musical de outras dançarinas. Quem dança profissionalmente, acaba tendo um público feminino muito maior.
O problema é que como tudo que envolve a mulher e seu corpo já é automaticamente relacionado ao prazer do homem, o estereótipo reforçado é o da dançarina que tem como objetivo excitar um homem, quando na realidade, é uma minoria.

Anônimo disse...

Anônimo 03:04.

Não precisa usar as palavras para se dizer algo. É óbvio que se a cena é preconceituosa, não importa o quanto a gente discuta, ela ainda vai ser preconceituosa e merece sair do circuito televisivo por motivos N.

Censura não é necessariamente algo negativo. É só um veto de linha ideológica oposta.

Entretanto, eu naõ creio que essa cena da novela tenha sido machista, pois a própria novela retrata a sociedade machista. Se a cena foi machista, não foi puntualmente contra as dançarinas, mas sim no total. Na novela em-si.

Becx disse...

Eu detesto quando alguém fala que "estou vendo problema em tudo e se eu quiser eu vou ver machismo em tudo mesmo" geralmente eu concordo... a cena foi machista pq o conceito de despedida de solteiro e machista... mas ai falar que a globo ta objetificando a mulher... que foi uma falta de respeito com a dança e as dançarinas, que estão como sempre sensualizando umadança tão linda... 1. a globo ta mostrando um uma cena machista, e ficou bem claro que eles realmente estavam pintando os caras como uns idiotas babões chuvinistas com cara de tonto; 2 a cena com as meninas é muito custa, elas só "começaram a festa, o bicho pegou com as stripers; 3. Dança do ventre é extremamente sensual e essa é a base e a intenção dessa dança; 4 quando as meninas que acharam um absurdo e bla bla bla entraram em contradição aqui, falarm que o post era sobre objetificação das mulheres E O FATO DE só ter HOMENS BRANCOS na festa... bom quanto a isso, não vejo motivo para as dançarinas se sentirem ofendidas, afinal o fato de homens brancos e negros não ser mostrados comemorando juntos, não é exatamente um motivo para as dançarinas se sentirem tão ofendidas!. 3. as dançarinas são contratadas para TODOS OS TIPOS DE FESTAS, inclusive muito do negcio vem de festas para homens (como despedidas de solteiro)são contratadas como as sambistas tb são, como as de dança espanhola tb são, como as stripers (em maioria são)...Não se sintam tão ofendidas, agora se vcs estiverem revoltadas pela tradição de contratar mulheres para entreter, aí eu concordo plenamente... mas ai vamos todas, as de dança de ventre, jazz, burlesque, pole dance... todas tem uma razão pra ficarem bravas.... vão peder muito trabalho.... mas

Anônimo disse...

Então me expliquem uma coisa, a intenção da dança do ventre não é exatamente sensualizar o homem?????!!

Então agora a dança do ventre só pode ser praticada para um parceiro? Ou, a dança do ventre não tem nada de sensual e é apenas um entretenimento das mulheres?

Então uma despedida de solteiro é coisa de machista? Mulher não pode fazer despedida de solteiro também?

Vcs sao a favor ou contra a despedida de solteiro?

Anônimo disse...

E outra, se a mulher se dispõe voluntariamente e recebe por isso, para ser "objeto" sexual, ela não pode fazer isso? Se ela própria escolhe isso, a culpa é do homem que paga? Ela não tem culpa alguma? E mais, a Globo retrata a realidade nas novelas, ou tenta, então ela esta incentivando ou esta dando a oportunidade para as pessoas formarem suas opiniões diante daquela cena? Vcs querem censurar a Globo?

Anônimo disse...

deuses. NINGUÉM falou em censurar nada.

"não é exatamente sensualizar o homem". vc tem certeza de que disse o que queria dizer? não, a dança não tem um objetivo, do mesmo jeito que qualquer outro tipo de arte não tem exatamente objetivo além do estético (e estético é diferente de plástico, mas sei que vão entender como plástico, enfim...). acontece, aí sim, que a dança o ventre é usada vulgarmente (mais uma vez sei qeu vão entender errado) para SEDUZIR o homem, não para sensualizar o homem (seja lá o que vc entende por sensualizar).

a dança tem, sim, seu lado bem sensual, só que a sensualidade não precisa de um objetivo pra existir, ela simplesmente existe na pessoa.

cara, se despedida de solteiro é machista, sim, acho que é. mas tá dentro de uma cultura machista em todos os níveis, não só nisso. acho meio babaca, mas não me atinge se outras pessoas gostam de despedida de solteiro. dá impressão de que a pessoa tem que despirocar antes de ficar presa a um relacionamento e eu acho que relacionamentos não podem ser prisões.

a culpa não é do homem que paga. é resultado de uma cultura machista. e cultura machista não significa que apenas homens são machistas. sim, ela pode "voluntariamente" fazer o qeu quiser, mas eu questiono muito o que é voluntário. aquela guria ficando careca no pânico foi voluntário? ela disse que sim. uma criança há uns anos dançando vestida de fio-dental e com chicotinho da tiazinha tbem foi algo que essa criança "quis" fazer. e aí? é muito simplista achar que "ah, ela quis, ela recebeu por isso", se vc não considera em que contexto a coisa toda foi feita e não questiona o significado disso tudo.

Vivi disse...

Anônimo 13:26.
Me desculpe, mas SEMPRE qndo se discute, debate algo na mídia vem gente como vc dizer que "querem censurar".
Onde é que vc viu que alguém quer cesurar meu pai?? Qual o conceito de censura pra vcs? Debater e criticar a mídia, a forma como é retratado, apontar o preconceito é censura? Acho que vcs não fazem a mínima ideia o que é, do que foi (na Ditadura por. ex.) censura.
Vejo que realmente neste país da cordialidade brasileira, tudo que é debate é mal visto. Discutir é chato, é feio, apontar erro é ruim, querer que alguém se responsabilize por algum erro é vingança etc etc...Nossa, me cansa demais isso..
O silenciamento imposto pra gente como algo bom e a passividade sim que é ruim pra democracia..

E na boa colega "a Globo retrata a realidade nas novelas,"
sério que vc acha isso?

Abraços

Anônimo disse...

vivi , "E na boa colega "a Globo retrata a realidade nas novelas,"
sério que vc acha isso?"

é por isso que a globo ainda é o que é. e justificamos assim várias coisas em vários níveis. "ah, a realidade é assim". se até fotos podem ser manipuladas (e nem falo sobre photoshop, falo sobre escolha de ângulo, de decisão de fotografar, etc), imagine uma novela.

Sil Teixeira disse...

Nunca tive muito contato com a dança, mas sei que, em geral, artistas são desrespeitados, pois já passei por isso. Então a questão da moça "poder ou não" se ofender é exclusividade dela. Direito dela se sentir ofendida, pois quem pratica a dança é ela e só ela pode saber o que é passar por esse tipo de preconceito.

Em geral a sociedade tende a imaginar que mulheres que trabalham com o corpo (bailarinas) e para o corpo (massagistas, acupunturistas) são a mesma coisa que garotas de programa. Que no final da apresentação ou sessão vai ter "programa".
Ao meu ver sobre a sensualidade foi como já foi dito, que é algo para si e não significa sexo. :)

Anônimo disse...

Lolinha, entendo o que a dançarina disse, porém, não considero dessa forma. A "dança oriental" é sim uma dança sensual. Sim, existe a parte da auto estima, dos grupos, organização, etc, mas o que há de mal na sensualidade? Homens e mulheres podem ser sensuais. O que combatemos é a sujeitação e não instintos naturais (como querer parecer melhor para o parceiro - isso não quer dizer que eu tenha que me maquiar de forma x, afinal ISSO é cultural). Danças são expressões culturais... O que podemos discutir é que não é pq a menina está dançando que ela está 'pedindo' algo pra alguém. Dança é uma arte

Anônimo disse...

14:02 - mal nenhum na sensualidade. mas muito mal na sensualidade exclusivamente para o outro e na obrigação de ser para o outro. até pq não existe nem objeto direto pra "sensualizar". existe pra "seduzir", mas não qdo se trata de SER sensual.

Anônimo disse...

Anônimos das 13.41 e 13.49: vcs não sabem ler só pode, eu disse "a Globo retrata a realidade nas novelas, OU TENTA"

Ah bom, mulheres dançando de forma sensual é um fim de si mesmo então, elas dançam por dançar...

Anônimo das 13.37, sim, elas dançam e se submetem a isso voluntariamente, fazem porque querem, assumem isso, agora comparar com criança não dá né... A criança não é livre para manifestar sua vontade, não é civilmente capaz, nem penalmente... Se a cultura é machista ok, agora fazem pq querem e ganham com isso, e muitas ganham muito, e estão cagando pra causa de vcs... Essa é a realidade, elas estão CAGANDO pra vcs. A maioria q se submete a isso só quer ganhar seu $ pq afinal hj em dia, para muitas mulheres, e homens também, o q importa na vida é ter poder e dinheiro.

Anônimo disse...

14:05 - raiva? estamos conversando e discutindo.

uma pessoa mencionou isso de censurar, vc não pode querer pescar um comentário que não tem a ver com o post sendo que a própria pessoa que escreveu o post passou aqui e disse que só queria a discussão.

desculpe, mas não querer entender é pior do que não entender.

Anônimo disse...

http://www.jb.com.br/programa/noticias/2012/01/23/critica-a-fonte-das-mulheres/

http://www.adorocinema.com/filmes/filme-178832/


Em falando em Oriente, conhece esse filme? Parece ser interessante

Anônimo disse...

14:07 - nossa, realmente meu objetivo de vida é que ninguém cague pra mim. tô nem aí, amigue. inclusive, nem aí pra seu pensamento obtuso.

Anônimo disse...

"Anônimos das 13.41 e 13.49: vcs não sabem ler só pode, eu disse "a Globo retrata a realidade nas novelas, OU TENTA""

jura que vc acha que tenta? ô, dó...

Flá Milena disse...

Lola querida! Leio seu blog a anos, e faço dança do ventre a anos tbm, e finalmente um lugar isento de moralismo pra falar sobre esse assunto!
Que ninguem leva praticamente nenhuma classe de artista a serio com isso nós ja lidamos a bastante tempo.Que a dança do ventre virou sinonimo de sensualidade em qq midia e até por mtas escolas ditas especializadas isso tbm ja cansamos de ver!
O que me incomoda é que as bailarinas estão com tochas na mão por causa dessa cena especifica, e muitas estão apenas colocando o proprio machismo pra fora!Vi bailarina falando que é por causa de dançarinas desse tipo das q apareceram na novela que a violencia domestica vem crescendo (acredite),a meninada ta querendo tacar na fogueira, ta exigindo respeito e gritando que nós não somos prostitutas!
Ok, nós não somos prostitutas e sabemos disso... não queremos ser vistas como objetos pq dançamos com a barriga de fora,ok! Mas eu me perunto aonde estava essa raiva toda dessas mulheres durante todo esse tempo em que estamos sendo violentada,tratadas como objeto pelo simples fato de sermos mulheres? Ser tratada como objeto não é exclusividade de dançarina do ventre, e contra a objetificação que temos na midia a vida toda e pela sociedade toda,pela nossa educação machista, cadê o abaixo assinado?cade essa vontade de lutar?
Falo como alguem que conhece bem o meio da dança do ventre, mta gente trabalha sem etica, mta gente só coloca o ego em cima do palco, a maioria é consumista e seguidora do padrão de beleza! A luta que deveria ser feminista das bailarinas virou moralista!
Estamos agindo como a santa inquisição,usando as palavras da minha professora Aysha Almee,uma das melhores profissionais do Brasil!
Sem contar o numero de praticantes da dança que vive se achando superior por não dançar funk ou axé, e ofende as pessoas desse meio com todo o preconceito que acham que tem direito.quero ver o abaixo assinado dos funkeiros tbm,por todas as vezes que foram comparados a animais transmissores de doenças,xingados com raiva e ofendidos artistica e pessoalmente, quero abaixo assinado de toda mulher que se veste com roupa curta querendo respeito por todas as vezes que jogaram no ar a ideia de que elas merecem sofrer estupro!
Nós não queremos a nossa arte marginalizada, mas devemos começar a trabalhar a nossa propria ética primeiro, e isso eu digo com conhecimento de causa: falta e muito no meio da dança arabe, infelizmente!!!

Anônimo disse...

Ok, ok. Sexualidade é diferente de sensual. A dança não tem como fim único sensualizar o homem, isso é óbvio por ser uma ARTE. Agora, é inegável dizer que é sim uma dança sensual. Sensual por si mesma, concordo.Acho estranho misturarem meninas de pole dance com de dança do ventre, como se fossem tudo farinha do mesmo saco (não desvalorizando as que fazem pole dance, mas sim frisando as diferenças culturais). Mas o que eu disse que é tolo achar que um homem, por exemplo, não ache uma dança sensual. O que alguns tem que ver que sensual não é necessariamente o sexo, e sim a BELEZA de algo, a magia. Entã, não vejo errado ver como uma dança sensual.

Anônimo disse...

14:18 - cara, sensualizar não significa seduzir. vc pode excitar os sentidos de uma pessoa de várias formas, não só a sexual. e, se for sexual, tbem não há problema algum. o problema é achar que uma bailarina faz algo PARA O PRAZER DO OUTRO. ela faz arte. se a globo destaca uma coisa e joga ali como simplesmente uma dança pré-sexo, até entendo que quem estude ache isso péssimo.

SIM, É SENSUAL E NINGUÉM NEGOU ISSO ATÉ AGORA. meldels.

Anônimo disse...

e eu até arrisco dizer que a arte em si tende a sensualizar. no sentido de acordar os sentidos, estimular os sentidos. e temos 5 sentidos, fora um certo prazer intelectual na arte.

Sara disse...

Me poupe! Algumas pessoas podem até fazer opção por uma vida sem erotismo mas que não queiram impor aos outros.[2]

Pra variar concordo com vc Marussia

Isabel SFF disse...

eu fiz dança do ventre por cerca de 2 anos e essa erotização automática quando eu falava disso era algo que me irritava. Eu fazia por entretenimento, adorava, até hoje foi a atividade física que eu mais gostei de fazer. É realmente uma arte e uma maneira bem bacana de entrar em contato com nosso próprio corpo. E, bom, não dá pra negar que é uma dança carregada de sensualidade.

Meu problema é que todo mundo jurava que eu fazia dança pra ~aprender a seduzir~ os homens, quando eu fazia para me divertir e ver meu corpo se mexendo. Isso me irritava e devia ser pior ainda para minhas professoras, que eram profissionais e levavam a dança bem a sério.

Mas, na boa, gente: a dança do ventre é uma arte bem sexy. Isso não é negativo, nem tira a seriedade de quem estuda, na minha opinião. O corpo humano por si só é erótico.

Anônimo disse...

isabel sff, mas ser sexy, erótico ou o que for não é negativo. o negativo é que isso seja sempre o OBJETIVO da coisa toda. entende? é o que vc falou no início do seu comentário. vc fazia pra vc. agora, se vc, dançarina que era, resolvesse usar isso pra seduzir alguém, seria escolha sua, não coisa automática.

Anônimo disse...

14:36 - cada um com seus valores, né.

só posso lamentar pelos seus.

Sil Teixeira disse...

"perdem dias e dias lutando por mulheres que não tem aí pra causa de vcs"

Eu ganho dias e dias lutando por MIM e por mulheres que infelizmente não tem consciência de que ainda vivemos em um mundo desigual em questão de gênero.

Anônimo disse...

sil, eu tbem só ganho.

Anônimo disse...

Sil Teixeira,

Lutando por vc é válido.

Agora lutar pelos outros, bom, realmente há mulheres que não têm consciência, mas numa boa, a maioria tem consciência. Sabe muito bem que está se oferencendo, e faz isso para lucrar.
A cena da novela podia muito bem ser real (ao contrário do que alguns por aqui dizem, q a Globo sequer tenta mostrar a realidade - eu acho q não consegue, mas enfim), e se a cena é real, certamente moças que dançam para seduzir, pra deixar o cara excitado, fazem isso por conta própria. São adultas. E ganham com isso.

Adriana disse...

Eu vejo muitos posts que falam da mulher como se ela fosse apenas um objeto sexual, um brinquedo masculino...
Eu como mulher, odeio esse tipo de coisa e me enoja muito isso, o fato de a mulher ser apenas um corpo que está para a serventia do sexo oposto...
Mas o que muitas mulheres esquecem, é que outras mulheres gostam e se prestam a esse tipo de coisa por prazer. Mulheres se matam pra posarem nuas, aparecer quase pelada na TV, se mostrar de jeito vulgar na mídia. As próprias mulheres se se resumem a peito, bunda e cara de oferecida por vontade própria. Não culpo somente os homens, mas as próprias mulheres também, que se prestam a esse tipo de situação.
E elas usam de tudo pra aparecer, seja dança do ventre, dança da bundinha, da garrafinha, da gueixa... não interessa... elas só querem usar seus corpos como maneira de chamar a atenção (DOS HOMENS)!

Cláudio disse...

Cara moça que enviou e-mail à autora, leia mensagem que passa acho que em todas as novelas globais (ou passava pelo menos, não sei) diz mais ou menos assim:

"Esta novela é uma ficção não tem compromisso algum com a realidade."

Questione as pessoas que veem novelas e acham que tudo que passa lá, acontece na vida real e não a emissora / novela.

Rayara disse...

Oi Flá!

Eu vi o post da Aysha Almee, uma bailarina que eu admiro muito.
Em geral concordo com você, principalmente na parte onde fala que estão querendo jogar as bailarinas que fizeram a cena na fogueira. Não falei desse assunto aqui porque aqui não é exatamente um espaço para pessoas do meio da Dança do Ventre, então achei que podia soar como detalhe...
Acho que de nada adianta crucificar as bailarinas em questão, prefiro nem criticá-las, até porque, veja bem, se não fossem elas, seriam outras. Ou seriam figurantes, atrizes, modelos, enfim, seria qualquer outra pessoa disponível.

Mas acho que parece generalizar muito dizer que não lutamos contra o machismo. Não são todas, mas eu mesma depois que comecei a ler o blog da Lola, assumi uma postura muito diferente, e tento contribuir com essa luta que também é minha no meu dia a dia, confrontando opiniões e atitudes machistas que nem sempre são comigo.

Esse episódio da Dança do Ventre não me chocou, como pensaram alguns aqui, porém me indignou sim, assim como qualquer situação machista me indigna. Mas concordo com você que tem muita gente, mas muita gente que fecha os olhos pro machismo e pra outros preconceitos pelo simples fato de não a afetarem tão claramente.

E, para esclarecer um pouco minha opinião, não vejo problema algum na dança do ventre ser sensual, e ela é sim, muito. Tem problema dançar pro namorado? Não. Mas tem problema colocar uma cena que tem o poder de generalizar e reforçar a imagem de que toda bailarina de dança do ventre tá ali exclusivamente pra seduzir e entreter sexualmente alguém? Tem. Simplesmente porque não é isso que a maioria de nós fazemos. Fazemos como uma arte, colocando sentimentos na dança, é algo muito mais profundo do que simplesmente "se sacudir toda" e fazer cara de bonita. Acreditem, é muito chato estudar tanta coisa e sua dança não ser levada a sério como arte por uns machistas. Mas sempre há os aplausos e os elogios do público que vale a pena!

Inclusive, já vi muita mulher que vem fazer aula só pra dar uma dançadinha pro seu respectivo namorado/marido/ficante etc, e quando percebe a complexidade daquilo, amplia sua visão e seus objetivos com a dança.

A questão é: a mulher não pode se portar como sensual ou praticar uma dança sensual que já é colocada como "em busca de homem" mesmo que não esteja. Isso é o que muitas vezes acontece...

Anônimo disse...

adriana, machismo não é exclusivo de homens. nossa cultura é machista.

e isso de querem posar pelada como objetivo de vida ou dançarem dança da garrafa, da bundinha... claro que foram lá e fizeram. a questão toda é entender de onde vem esse desejo de fazer essas coisas. por que isso é valorizado, por que essas coisas são desejadas por muitas mulheres.

um indivíduo pode decidir usar seu corpo conscientemente pra alguma coisa. mas, qdo esse desejo de usar seu corpo se transforma em fenômeno na cultura, é de se questionar por quê. ou o que tá envolvido nisso. então: por que o corpo da mulher seria visto como objeto pro prazer masculino, por que o corpo "durinho" seria moeda de troca na nossa cultura ou por que muita mulher se sente valorizada por ficar com um, sei lá, jogador de futebol. entende?

Adriana disse...

Então Anonimo...

O que eu quero dizer é que cada um usa o corpo do jeito que quiser. Cada um é dono do seu corpo, faz o que quer com ele.
Mas o que eu quero dizer que as mulheres criticam tanto os homens desejando tanto as mulheres sexualmente, sendo que elas próprias é que vão atrás de despertar isso nos homens...
E até onde eu sei isso acontece desde que o mundo é mundo.
As mulheres se sentem injustiçadas em seres vistas como um objeto sexual, mas as próprias se vendem como isso...
Claro, não podemos generalizar... mas a numero de mulheres que agem assim são muitos! da mesma forma que eu acredito que há muitos homens no mundo que nao enxergam as mulheres como meros objetos.
Não sei se consegui mostrar exatamente o que eu penso...

Anônimo disse...

14:59 - sim, mas os fenômenos têm significados. do mesmo jeito que na índia estão vendendo sabonetes íntimos que clareiam a vulva e isso faz com que a mulher se sinta mais valorizada e casável. tudo que se faz tem um significado na cultura.

só não concordo que homens sejam mais visuais e que isso sempre foi assim. naturalizar é meio complicado.

Anônimo disse...

adriana, eu entendo o que vc quer dizer. mas minha proposta é questionar por que isso acontece.

exemplo: vc pode não se colocar na posição de mulher objeto. mas, se fica estabelecido que mulher É objeto, VC tbem entra no balaio e vai ser tratada como objeto. as ações, ainda mais se repetidas, têm um significado cultural. e é esse significado que tem que ser entendido. e até mudado, dependendo do que for.

Anônimo disse...

"Não querer seduzir um homem"

eu, hein, quem disse que mulheres não gostam de seduzir e que isso não seria bom? homens tbem seduzem, lembre-se disso e isso tbem é muito gostoso.

Sil Teixeira disse...

Anônimo das 14:47

Essas mulheres só existem porque a cultura machista dá espaço para elas, afinal a mulher é sempre julgada primeiro pela sua aparência física. Elas são apenas o reflexo desse pensamento.

Também digo que luto pelos homens, afinal o machismo é um mal para todos. :)

Anônimo das 14:59

Vá se juntar com seus amigos mascus, por favor.

Anônimo disse...

14.59

Homens são mais visuais. Há vários e vários estudos sérios a esse respeito.

Não é apenas cultura machista não.

Se vc ler observações de antropólogos sobre tribos indígenas irá observar comportamentos semelhantes.

O que varia de cultura pra cultura é o conceito de belo.

Anônimo disse...

Ah Sil Teixeira,

Não seja ingênua. É evidente que a cultura machista influencia.

Mas mulheres, assim como homens, não são todas puras.

No mundo sempre vai existir pessoas sedentas por poder, por dominar o outro. Essas mulheres refletem isso. Elas querem dominar os homens, controlar, ter aos seus pés. O machismo é só uma ferramenta. Tira o machismo, esse comportamento continuará se manifestando de outras formas.

Adriana disse...

Se a mulher que por silicone, clarear a vulva, se pilar, pintar cabelo pra atrair um homem, que faça... eu como mulher nao vejo nada de errado. cada um faz o que quer. Se a mulher se sente bem como é, que assim seja. e se nao, ela tem todo direito de recorrer e fazer o que bem entender pra se sentir melhor.
Isso é natural, até entre os animais irracionais (acho que seres humanos se encabeçam nisso, viu) existe esse tipo de artimanha pra atrair o sexo oposto.
o que eu acho um absurdo é essa hipocrisia de mulher se sentir vítima e vista apenas como um pedaço de carne. TODA A MULHER usa algum artifício de sedução quando quer atrair um homem, seja pra casar, namorar ou apenas transar.
Isso nao dá o direito lógico, de homens abusarem sexualmente, estuprar e tudo o mais...
Hoje o mundo está muito "sexualizado", as mulheres possuem a tão desejada liberdade que sempre quiseram e que lutaram ha anos para conseguirem, agora usem isso aoseu favor em vez de se fazerem de vitimas.
Uma mulher só é vista como pedaço de carne quando quer... E se toda vez que um homem olhar pra uma mulher com "admiração" e ela achar machismo por se sentir um pedaço de carne... se mata, fia!

Sil Teixeira disse...

Há mulheres e homens machistas. Lutar contra o machismo é lutar contra uma ideologia, não é lutar contra homens ou mulheres, ou seja, não luto contra mulher x ou y que dança na TV de short curto. Luto contra o pensamento que faz essa mulher existir.

Um dia desses vi um cara dizendo que mulheres são extremamente visuais! Que só ficam com caras bombados e que o dinheiro escorre pelos bolsos. Acho que um certo movimento tem que entrar em acordo sobre se a mulher é ou não visual. HAHA

Adriana disse...

Anônimo, obrigada.
Acho que agora vc entendeu o que eu quis dizer...

Anônimo disse...

"Homens são mais visuais. Há vários e vários estudos sérios a esse respeito."

há vários estudos na área de ciência cognitiva provando que o cérebro passa a funcionar de maneira diferente de acordo com o tipo de estímulo que lhe é dado. quem nasce falando espanhol simplesmente não ouve certos sons que outras línguas têm. isso quer dizer que quem é falante nativo de espanhol não teria capacidade de ouvir esses sons? depende. até certa idade, eles podem passar a ouvir esses sons pq o cérebro se molda de acordo com o estímulo.

e várias pesquisas já mostraram que certos povos pensam mais em certas coisas só por causa de estrutura da língua.

ou seja, não venha querer naturalizar pq isso é furada.

só UM exemplo (pq é o que tá à mão aqui) - estudo conduzido pelo centro internacional de neurociência da rede sarah, com colaboração de cientistas de portugal, frança e bélgica mostra que o aprendizado da leitura (e, com isso, cultura, preste atenção) altera a forma de funcionamento do cérebro. há uma mudança nas redes neuronais da visão e da linguagem. os resultados mostram que o cérebro faz um rearranjo de suas funções ao iniciar qualquer aprendizado. isso é só UM exemplo pq é o que tá aberto aqui.

começou a invasão mascu. vou trabalhar e escrever. depois volto.

Anônimo disse...

Sil,

Não sei quem disse que mulheres são visuais. Quem falou isso disse asneira.

Tem que ver o sentido usado também, o conceito de visual pode ser polissêmico.

Mas esclarecendo, o homem é visual por se atrair diretamente pela imagem física que lhe é passada: o corpo, as curvas, as pernas, os lábios, etc.

A mulher, por sua vez, repara em muito mais fatores (há mto do inconsciente em ambos): o físico, a força que o homem demonstra, a capacidade dele protegê-la, a segurança passada, o seu valor enquanto homem (conceito variável), seus atributos. TODOS podem contar, ou alguns, mas em geral ela não foca no físico DA MESMA FORMA como o homem (antes que venham falar q eu disse q mulher não se importa...)

Anônimo disse...

sil, MORRI! HAHAHHAHAHAHAHAH.

"Um dia desses vi um cara dizendo que mulheres são extremamente visuais! Que só ficam com caras bombados e que o dinheiro escorre pelos bolsos. Acho que um certo movimento tem que entrar em acordo sobre se a mulher é ou não visual. HAHA"

Anônimo disse...

a, adriana, sem respeito e com argumentos vazios... nem discuto mais. sério, fica bem difícil.

mulheres não são vitmizadas, mulheres adoram sexo, mulheres adoram seduzir, mulheres tbem são visuais. ninguém negou nada disso aqui. cada um interpreta como pode ou quer. desisto.

Adriana disse...

Homem, mulher... são todos visuais e agem por estímulos ou seja la como querem chamar.
Nós estamos no mundo pra reproduzir, procriar...
Bem no fim, tudo acaba levando ao sexo. Uns preferem monogamia, outros não.
Eu sou a favor do feminismo que protege a mulher contra a submissão, o abuso, o estupro, a humilhação feita por homens. o feminismo que cuida, que defende...
Agora, feminismo que perde tempo em falar que maquiagem é sexual, que mulher é vista como pedaço de carne, que as mulheres que querem estar bonitas são fúteis e nao podem ser feministas... Para tudo!
Acho que não é nem questão de feminismo, é justiça com o ser-humano, como pessoa.
Eu abraço a causa de que NINGUÉM tem direito de humilhar, abusar NINGUÉM. seja home, mulher, gay...
Sou a favor DOS SERES HUMANOS, da caridade, do bem e não de um sexo e/ou gênero!

Anônimo disse...

MEu Deus!

É óbvio que se há uma sanção em relação ao ato, por exemplo, uma retirada do ar por se um conteúdo preconceituoso, há, de alguma forma, um veto do conteúdo. Fica explícito que se houver qualquer conteúdo deste tipo explícito, ele será vetado.

Quanta frescura em usar a palavra censura. É uma caminho lógico: aquilo que vai contra determinados princípios, sejam eles quais forem, acaba sendo censurado por uma cultura dominante ou por forças políticas dominantes.

Nunca vi tantas ressalvas pra falar isso. Video-clipe racista e machista, como o do Alexandre Pires, tem todo o conteúdo para ser censurado, vetado, retirado do ar. A censura, em-si, não é algo nazista, é uma forma de controle da própria sociedade em relação aquilo que é produzido nela.

Só que, quando vcs começam a associar censura com determinados padrões técnicos, como a inspeção, a seleção de conteúdo e etc, fica mais difícil enxergar um conceito geral de censura.

Anônimo disse...

Anônimo das 15.26

Nunca disse que o comportamento humano não é plástico, e tb nao disse que a cultura machista não influencia.

Mas isso de que o ser humano pode ser treinado para tudo, é uma meia verdade.

Há sim fatores que não são culturais, e são da própria natureza, ainda mais quando se trata de sexualidade, momento em que homens e mulheres conseguem manifetar-se de forma tão humana e tão animal ao mesmo tempo, coexistindo ambas.

Há estudos sérios sim que comprovam que homens são bem mais visuais que mulheres. Como vc explica estudos que comprovam que homens tem cognição espacial mais desenvolvida que das mulheres?

Anônimo disse...

Vcs realmente acham que a sexualidade masculina e feminina seja igual?

Vinicius disse...

"Homens são mais visuais. Há vários e vários estudos sérios a esse respeito.

Não é apenas cultura machista não.

Se vc ler observações de antropólogos sobre tribos indígenas irá observar comportamentos semelhantes.

O que varia de cultura pra cultura é o conceito de belo."

As condições dos homens e das mulheres nas sociedade indígenas era completamente diferente, sendo as mulheres a parte final de um jogo de trocas quase infinito.

Não tem sentido nenhum essencializar qualquer coisa do tipo "Somos mais visuais" e etc.

Adriana disse...

Isso aqui virou um bando de gente querendo filosofar e falar bonito...
Um querendo mostrar que é mais culto que o outro e tem mais conhecimento. Nem sabem o que tão falando

Sil Teixeira disse...

Anônimo das 15:28

Tudo que você citou sobre a mulher é um fator cultural. O homem não olha desse jeito para a mulher porque no imaginário dele a mulher nunca vai protegê-lo. Reparo em tudo que você descreveu sobre curvas, boca, coxa... Observar/reparar é uma coisa, a pessoa nem nota que você o fez. Como fotógrafa tenho esse olhar sobre o outro, tanto homens como mulheres. Tem diferença de observar e secar como se a pessoa fosse um pedaço de carne que só serve para o prazer de quem olha.

Vinicius disse...

E outras, quanta besteira em falar que "Quem dança faz por que quer" logo, não há necessidade de se expressar em relação a uma cultura machista, como se as pessoas escolhessem serem depreciadas por serem mulheres.

Vale à pena ver que a crítica a uma sociedade machista não é uma crítica aos indivíduo enquanto indivíduos, mas uma crítica à toda um sistema de coisas que faz com que determinados atos sejam representações simbólicas de submissão, depreciação, etc e etc.

Dizer que a dançarina é consciente, é uma coisa totalmente relevante.

Adriana disse...

e atire a primeira pedra a mulher que nunca olhou pra um homem bonito e pensou: "oh la em casa!"
é a mesma coisa, tratar o homem como apenas um objeto sexual.

Esse tipo de atitude vale pra todos os lados...

Sil Teixeira disse...

"começou a invasão mascu. vou trabalhar e escrever. depois volto".

Faço minhas palavras.

Vinicius disse...

****Totalmente Irrelevante

Adriana disse...

Mulheres, queremos ser tão fortes e nós mesmo nos tratamos como fracas!
Se fazer de vítima nesses casos é lamentável.
Mudar esse tipo de pensamento de que a mulher é um objeto sexual é muito difícil, é assim desde que mundo é mundo, mesmo porque tem muitas mulheres agindo como tais.
Nós lutamos por mulheres que nem se importam por serem vistas assim... eu simplesmente ignoro esse tipo de coisa. se eu me importar sempre que isso acontecer, vou ser infeliz o resto da vida!

Anônimo disse...

Esse vídeo é bem interessante, tem tudo a ver com a discussão recente aqui:

http://www.youtube.com/watch?v=G4wimD3iQDI

Anônimo disse...

Adriana

Vá rachar lenha, criatura.
Nós nos ferramos todos os dias por causa do machismo, não precisamos de um projeto de mulher(?) dizendo que nos fazemos de vítima.
Os teus comentários me lembram aqueles que falaram que a Marcha das Vadias é inútil, que nao vai mudar nada, coisa de gente desocupada... blá, blá, blá (encaixe qualquer discurso machista e nojento aqui).

Não estamos nos fazendo de vítima. Estamos lutando, reclamando, questionando, formando opiniões e a nossa luta é sim URGENTE. Deu pra entender?

Bruna B.

Anônimo disse...

Tá gente, mas stripper não pode dançar dança do ventre, do mesmo jetio qeu se veste de professora, enfermeira, diabinha e outros?

Sim, soue studante e amo dança do ventre, mas não tenho "vergonha" ed ser confundida com dançarina de boate ou coisa do tipo...

Anônimo disse...

(desculpem os erros de digitação) =/

Anônimo disse...

Reparem nesse video!!

HOMENS E MULHERES NÃO SÃO IGUAIS

Homem é visual sim!

Anônimo disse...

Ainda sou a mesma anônima ali de cima

uso dança pra provocar meu namorado sim, acho que ela TAMBÉM serve pra isso, e é um dos aspectos nela que eu mais gosto porque sou uma criatura muito sexual.

Ah, quem quiser me achar uma vadia pode ficar à vontade, tô nem aí. Felizmente conheço várias pessoas legais que gostam de mim como eu sou.

Anônimo disse...

Homem é visual sim, talvez até um pouco mais visual que a mulher, mas mulher TAMBÉM é visual

Se fosse assim, mulher não gozaria vendo filme pornô, queriduxos

Anônimo disse...

Mulheres são menos visuais que os homens?

PRONTO, começou o desfile de balelas pseudo-científicas sem enbasamento e/ou comprovação nenhuma.

E pra anônima das 16:40
Não, tu não és uma vadia, nenhuma feminista te taxaria como uma... Esse julgamento são os machistas/hipócritas que fazem.



Bruna B.

Anônimo disse...

Alou, a ADRIANA É HOMEM.

Adriana disse...

Bruna B.

Coração... tem muito mais causas importantes pra lutar do que o julgamento que vão fazer por uma dança do ventre...

Se você ler todos os comentários que eu fiz, bela, vc vai ver que tipo de coisa realmente julgo importante defender a mulher, e nao somente a mulher, como o ser humano num todo.
O machismo vem de todas as classes, gêneros e sexo. Vai da mulher realmente interpretar pelo que vale mesmo a pena arregaçar as mangas e lutar.
eu acho que em vez de sairmos falando um monte de coisa contra o machismo, temos que tomar uma atitude dentro da nossa casa, da nossa cabeça.
Que eu tenho certeza que voce deve ser bem do tipinho que quando ver uma mulher de mini saia e salto alto, decote, xinga de vadia!
é muito fácil se julgar uma feminista... ser feminista nao é nao usar maquiagem ou nao seguir padrao de beleza.
Vai muito mais alem... voce como uma mulher, tenho certeza que é bastante machista. PARE E PENSE BENZINHO!

Anônimo disse...

Olha os termos que O ADRIANA usa:

Coração, bela, BENZINHO!

ADRIANA É HOMEM!

Coé gente, vocês não perceberam. Ele inclusive fez o perfil agora em maio só p comentar aqui. hahaha!

Anônimo disse...

"Que eu tenho certeza que voce deve ser bem do tipinho que quando ver uma mulher de mini saia e salto alto, decote, xinga de vadia!"

Aham, senta lá.
E você é daquelas(es?) que pega o trem andando e quer sentar na janela.
Não preciso te provar nada e em nenhum momento falei algo sobre dança do ventre. O que eu vi desde o primeiro comentário que fizeste foi asneira após asneira.

Não venha dizer quais são as causas que devemos defender. Aqui dentro você só é mais uma convidada e não tem o mínimo direito de ditar o que é pauta ou não... deixe esse trabalho para a dona do blog.

Engraçado como achas perda de tempo falar sobre os estereótipos transmitidos pela televisão... por que estás aqui discutindo?

Enfim, vou repetir: não se trata de uma dança, não se trata de definir se ela é sensual ou não, não se trata de brigar pelo título de 'gênero mais visual'... se trata de questionar o tipo de estereótipo criado pela mídia, de pensar sobre o que está sendo passado para o público.
Pena que aqui poucas pessoas tenham entendido o intuito do guest post.

(Ah, me poupe dos 'elogios'. Cinismo é coisa de gente intelectualmente atrasada.)

Bruna B

Bruna B. disse...

ADRIANA É HOMEM!

Olha, tomara que seja... porque uma mulher falando tanta asneira seria deprimente.

Anônimo disse...

Aff, a Adriana é a mais SENSATA daqui, ela não é vitimista. Mimimi sou coitadinha o mundo é mau e machista. Querem mudar o mundo, lutem por isso!! Briguem, sustentem suas teses... Mas sem vitimismos, discurso de pobrezinhas e injustiças, é pra vomitar isso tudo.

"Se fosse assim, mulher não gozaria vendo filme pornô, queriduxos"

HAHAHAH ta de brincadeira né, bem comum mesmo mulher acessando site pornô... E nem venham falar que só homem que não tem mulher acessa, praticamente todo homem acessa. Mais de 90%. Seu namorado acessa, seu marido. E bem mais do q vc.

Revista pornô (quando nao tinha a internet), quantas revistas para o público feminino tem?

A própria indústria pornográfica é destinada majoritariamente para homens (heteros e gays).

Vejam o vídeo.

Quantas de vcs ficam excitadas qd estão num metrô apenas pq um homem está do seu lado? É uma constância isso na vida do homem, passa uma mulher bonita na rua ele se sente atraído, e se dependesse dele apenas iria fazer sexo com ela, naquela hora mesmo.

Quanto à intensidade, não tenho dúvidas q isso ocorre pq o homem é sempre incentivado desde pequeno a demonstrar sua sexualdade (mas os tempos estão mudando!). Agora que é mais visual do que a mulher, é. Só ver o vídeo.

Flá Milena disse...

Sil Teixeira, lindo comentario:"Há mulheres e homens machistas. Lutar contra o machismo é lutar contra uma ideologia, não é lutar contra homens ou mulheres, ou seja, não luto contra mulher x ou y que dança na TV de short curto. Luto contra o pensamento que faz essa mulher existir."

Rayne,concordo com vc que não pode haver generalizações,pelo meu comentario pode parecer que qq profissional da dança do ventre não tem ética nenhuma, o que não é verdade! O que me incomoda nesse bafafá todo é que na minha opinião o buraco que faz a Dança do Ventre ser tão desrespeitada até dentro do proprio cenario da dança é bem mais embaixo!
Acho que a representação que temos na midia é o menor dos nossos problemas...e achei realmente exagero o escandalo que foi feito,sendo que a cena foi ofensiva para mulheres no geral, e não só para as dançarinas,coisa que acontece na mídia e principalmente na globo desde sempre, a globo é campeã em estereotipos ofensivos!
os problemas que nos impedem de sermos respeitadas como artistas eu considero que são outros, mas concordo com vc que não convem citar aqui, pois aqui a discussão é outra!
Assim como se queremos melhorar o status da dança oriental, a nossa discussão tem que ser outra, pq a mídia está preocupada em ganhar dinheiro, e enquanto tiver gente comprando tal ideia, ela vai continuar vendendo! e algumas coisas são vistas como menos serias pela sociedade no geral, por responsabilidadede dos proprios praticantes, sem generalizar é claro, existem profissionais incriveis e serios em todas as areas!
Mas acho que se a briga vai ser essa, o pessoal ta esquecendo das cenas do Clone,aonde a Jade dançava em cima da cama pro cara, (e não venha me dizer que o clone mostrou a dança do ventre como arte,a jade era ruim e era um personagem cuja maior caracteristica era a sensualidade), esqueceram das fantasias de "odalisca" em sex shop e moteis, das odaliscas em filmes pornograficos, das assistentes de palco vestidas de odalisca e etc...

em suma a culpa não é só da globo se nos erotizam, a culpa é da nossa cultura machista,q mts vezes nós ajudamos a perpetuar.

Futuro milionário disse...

eu também não acho legal a banalização da sexualidade na televisão. ontem eu vi tv enquanto estava jantando e tinha uma cena horrivel, de um cara com roupas picotadas pela mulher andando na rua, não entendi mt bem mas achei aquilo um pouco triste. era uma cena "engraçada", e aposto que mt gente riu. imagine só se fizessem isso com uma mulher, né? seria um escandalo nacional...

Sara disse...

acho q sou homem tb , pq achei os comentários da Adriana bem razoaveis!!!!

Anônimo disse...

"Tem diferença de observar e secar como se a pessoa fosse um pedaço de carne que só serve para o prazer de quem olha."

Qual o problema de secar uma garota ou mulher como se fosse um pedço de carne?

Meu deus, vcs querem castrar os homens agora? E se for recíproco?

O fato de o homem secar NÃO é intencional, vc não escolher isso, vc sente, é mais forte.

Ainda, o fato de um homem olhar e secar uma mulher na rua, e querer fazer sexo com ela ali mesmo, não tem absolutamente nada a ver com saber amá-la, tratá-la com respeito. Desejar sexualmente, ter vontade de pegar de jeito, é desrespeitar?

Anônimo disse...

Essa sua última resposta foi para a SIL

Anônimo disse...

A mulher que mais ganha dinheiro com dança do ventre no Brasil é a Lulu Sabongi. E o objetivo principal é emocionar, encantar.
Dança do ventre como arte é isso aqui:
http://www.youtube.com/watch?v=6XgknGBXVj0

Pena que tanta gente quer entrar em uma discussão só reproduzindo coisas do senso comum.

Anônimo disse...

Eu acho assim, por mais que a mulher passe 20 anos da vida estudando dança e fortalecendo o corpo, a dança-do-ventre e o pole-dancing são sim artes muito sensuais, artes que servem para instigar e seduzir os intintos masculinos, fascinar e mexer com os homens. Então é normal que os homens fiquem excitados, confudam as coisas e façam ofertas para essas mulheres, que podem ou não aceitar, aí vai da cabeça delas - eu não tenho nada contra uma mulher se prostituir, acho uma forma bem válida de ganhar dinheiro fazendo o que gosta. Ficar brava por ser confundida com uma "prostituta", bem, se uma menina está andando na zona do meretrício com uma saia curtinha, um topzinho, saltão alto, cheia de maquiagem e tudo mais e se ela for confundida com uma das "colegas" que estão ali trabalhando, acho que é injusto da parte dela agir assim. É sabido que existem muitas prostitutas disfarçadas de dançarinas, bailarinas, massagistas e tudo mais, então é um osso do ofício ser confundida com essas pessoas mas se a pessoa não é prostituída ou não quer saber disso, se considera muito séria e quer respeito, acho que basta não aceitar os convites ou simplesmente muda de ramo para ficar livre dos julgamentos, é o que eu penso.

Anônimo disse...

Claro que é sensual e seduz sim.

É que tem mulher que gosta de se colocar em situações em que seduz mas não quer assumir isso de jeito nenhum.

NÃO estou dizendo que todas que dançam fazem isso.

Mas tem algumas aqui q já comentaram coisas do tipo: ah, pq danço por dançar, é um exercício... é sim...

Anônimo disse...

A excitação começa ou com o visual ou com a imaginação (que nada mais é do que uma imagem que te vem na cabeça).
Depois é que outras coisas entram em questão, como o toque, o cheiro, a voz.
Se mulheres não fossem visuais, não ficariam excitadas ao verem uma cena de sexo, não teriam lubrificação vaginal ao verem uma foto

Anônimo disse...

"Eu acho assim, por mais que a mulher passe 20 anos da vida estudando dança e fortalecendo o corpo, a dança-do-ventre e o pole-dancing são sim artes muito sensuais, artes que servem para instigar e seduzir os intintos masculinos, fascinar e mexer com os homens. "

Homens, parem de achar que o mundo e as mulheres giram em torno de vocês.
Coisa chata. Vcs ficariam surpresos em saberem que a maioria das coisas que as mulheres fazem não tem absolutamente nada a ver com vcs.
Coisa chata.
Se a gente põe uma roupa bonita é porque quer agradar homem, se põe uma roupa discreta é porque quer parecer respeitável pra homem, se malha é porque quer ficar bonita pro homem, se dança é porque quer seduzir os homens, se sabe cozinhar bem é porque quer cozinhar bem pro marido.
Credo. Desencanem. O mundo não gira em torno do pinto de vcs.
Muitas vezes a mulher dança porque gosta, porque ela acha bonito, porque sente prazer em dançar.

Anônimo disse...

Vcs ficariam surpresos em saberem que a maioria das coisas que as mulheres fazem não tem absolutamente nada a ver com vcs.

Essa é a mentira que faz corar a mais ferrenha das feministas.

Anônimo disse...

"Se mulheres não fossem visuais, não ficariam excitadas ao verem uma cena de sexo, não teriam lubrificação vaginal ao verem uma foto"

Veja como é DISTORCER o que as pessoas falam.

Eu disse que o homem é MAIS visual do que a mulher.

Veja o vídeo postado aqui.

Esses critérios de cheiro, voz, imaginação, são típicos critérios FEMININOS. Vc acha, supõe que por vc sentir isso, o homem também vai sentir. NÃO. É evidente que um cheiro bom é bem-vindo, e que um toque delicado e feminino ajuda, mas o desejo é anterior a isso tudo, esses critérios servem apenas para dar mais chances de MANTER o interesse sexual.

Vejam o vídeo.

Anônimo disse...

Eu fico pasma com o tanto que homens sabem pouco a respeito da sexualidade feminina.
Se deixam guiar por coisas clichês, antigas, que são repetidas desde o tempo em que mulheres não falavam a respeito delas mesmas.
Homem querendo discutir com uma mulher a respeito de como funciona a sexualidade dela é o fim da picada.
É por isso que o tempo passa e muitos homens continuam sem saber nada realmente a respeito de mulheres.
É por isso que é tão comum mulheres dizerem que homens não as escutam.
Alguns estão ocupados demais com o pensamento de que sabem tudo sobre ela.
Felizmente existem aqueles que estão dispostos a saírem dos clichês repetitivos e vazios, e com esses a gente acaba se divertindo bem mais...

Anônimo disse...

Eu fui com meu marido a uma famosa casa de chá "egipcio" em São Paulo, bem antiga e tradicional lá na Vila Mariana. Coloquei o "egípcio" entre aspas porque ali é meio um samba do sheik doido, tem referências caricatas da cultura árabe em geral mas tudo meio kitsch, ainda assim achei um programa legalzinho pra fazer de vez em quando. Serem um buffet de pães e chás bem gostosinho, apesar de um pouco caro.

Nessa casa tem muitas meninas que se apresentam fazendo dança do ventre, geralmente 5 por "lote", uma de cada vez, na sequência até completar um número de quatro ou cinco dançarinas, depende do dia.

Eu achei muito bonita a dança, nunca tinha visto de perto. Tem umas mais magrinhas, umas mais cheínhas (nenhuma gordinha) e as moças têm estilos diferentes, umas são mais sensuais, outras mais ativas, outras fazem show com veus e bastões e por aí vai, é bem variado o estilo.

Uma coisa que eu reparei é que as meninas são ou devem ter sido treinadas para olharem para a MULHER, quando acompanham um homem. Então tem um casal, a dançarina não olha para o homem e sim para a mulher. Eu confesso que teve uma ali que se me olhasse mais 3 minutos, levaria uma cantada. De verdade. Ela era lindíssima e dançava maravilhosamente bem.

Agora vem a parte engraçada da história. Na saleta onde eu estava, sentada no chão, haviam mais 2 casais. Comecei a observar só as outras mulheres e tive que segurar pra não rir. Uma lá estava tão nervosa, mas tão nervosa, que foi dar um cutucão no namorado e deixou cair o chá que estava tomando, fazendo uma baita sujeira. Os caras disfarçavam, é claro, mas dava pra ver nos olhos deles a excitação e o desejo. E na boa gente não poderia ser diferente, pensem em mulheres maravilhosas fazendo movimentos hiper sensuais ali na sua frente e ainda te olhando nos olhos! Eu levaria todas para casa sem a menor dúvida e não seria pra discutir doutrina feminista não........

No fim de tudo eu conversei brevemente com uma das dançarinas que tinham se apresentado e ela comentou da moça do chá, demos risada e ela me falou que isso era comum e que já aconteceu de ter alguns problemas com namoradas e esposas enciumadas, menos do que com homens, porque geralmente eles respeitavam. Curioso né?

No mais, achei o show muito bonito e que elas não deveriam ter vergonha de dizerem "sou sensual sim, e daí?". Isso de se achar confundida com prostituta, pra mim, é um baita preconceito.

Anônimo disse...

"Isso de se achar confundida com prostituta, pra mim, é um baita preconceito."

Concordo e resume tudo o que eu penso sobre artes que mexam diretamente com a sensualidade.

Anônimo disse...

Acho que homem tem dificuldade de aceitar que a excitação da mulher também se inicia com o que ela está vendo, porque aí vão ter que aceitar que muitas vezes quando ela está vendo um ator bonitão na tela ou só de começar a reparar em um determinado cara que ela acha bonito, o corpo dela começa a se preparar para o sexo. Isso é humano... ou animal, rsrs...

Anônimo disse...

"Isso é humano... ou animal, rsrs..."

É humano e não tem nada demais, qualquer novela joga sexo como valor a cada 5 segundos, você vê o tempo todo mulheres provocantes, beijos, gente na cama, sexo é uma temática recorrente e como não tem só Tony Ramos na telinha, os fortões malhadões estão lá fazendo o que? Cenografia? Claro que não, é para atrair a atenção das mulheres ora!

Anônimo disse...

21:13 - cara, deve ser muito triste a mulher estar ali, dançando sensualmente, querendo ser desejada, SIM, mas não por vc. aí vira puta, bagulho e afins.

entenda, meu caro: ela pode estar querendo dar e distribuir, mas não pra vc. ela pode escolher pra quem ela faz isso mesmo em público. deal with it.

Anônimo disse...

"entenda, meu caro: ela pode estar querendo dar e distribuir, mas não pra vc. ela pode escolher pra quem ela faz isso mesmo em público. deal with it."

Eu lido com isso. E as mulheres que sensualizam mas não assumem o risco, lidam? Acho que não heim....

Anônimo disse...

21:26 - que risco? de estupro? aí é crime. e aí vão culpar a mulher de ser gostosa e desejável. muito bem, flipper.

Anônimo disse...

"Acho que homem tem dificuldade de aceitar que a excitação da mulher também se inicia com o que ela está vendo, porque aí vão ter que aceitar que muitas vezes quando ela está vendo um ator bonitão na tela ou só de começar a reparar em um determinado cara que ela acha bonito, o corpo dela começa a se preparar para o sexo. Isso é humano... ou animal, rsrs...

8 de junho de 2012 21:04"

AHAM, então me explica no auge da sua sabedoria, explica como um cara feio como o neymar pega as mais gostosas de santos?? Mulher não é visual como o homem. Nem precisa ser só o neymar, ta cheio de jogador feio pra burro com as mais desejadas. E aí?

Anônimo disse...

"21:26 - que risco? de estupro? aí é crime. e aí vão culpar a mulher de ser gostosa e desejável. muito bem, flipper."

Não, o risco de ser desejada. De ter um ou vários homem te olhando com desejo e pensando mil coisas na cabeça. Aí fazem cara de nojinho quando alguém as aborda... ué, saíram de casa assim por que então, se não é pra mostrar as carnes?

Anônimo disse...

Mulheres se atraem pelo que enxergam: valor social do homem; seua capacidade de ser desejado por outras mulheres; a segurança passada; o homem bonito para elevar o ego da mulher, que se sentirá poderosa perante as demais por pegar um homem bonito; o artista, que ouve gritos e gritos de gostoso, na frente de todos; o rico, quando a mulher é superficial....

Anônimo disse...

Anônimo de cima, então homem só transa com mulher bonita?
Se for assim, acho que a maioria das pessoas não faz sexo, porque a maioria das pessoas que eu vejo andando nas ruas, tanto homens quanto mulheres, não são considerados bonitos.

Anônimo disse...

"Não, o risco de ser desejada. De ter um ou vários homem te olhando com desejo e pensando mil coisas na cabeça. Aí fazem cara de nojinho quando alguém as aborda... ué, saíram de casa assim por que então, se não é pra mostrar as carnes?"

Para elevar o ego, e se sentir poderosa e superior às demais mulheres. O homem não é o centro das atenções das mulheres, como o inverso.

Anônimo disse...

"Anônimo de cima, então homem só transa com mulher bonita?
Se for assim, acho que a maioria das pessoas não faz sexo, porque a maioria das pessoas que eu vejo andando nas ruas, tanto homens quanto mulheres, não são considerados bonitos.

8 de junho de 2012 21:33"

Claro que não. Mas lembre-se que a beleza não é um valor fixo, varia de pessoas pra pessoas. Mas a regra é válida, os homens que mais fazem sucesso, os mais ricos, estão com as mais bonitas. Isso não sugere que mulheres querem um homem com alto valor social e homens querem mulheres bonitas?

Anônimo disse...

Dãããã...

A maioria das pessoas não é considerada bonita, mas tem partes do corpo atraentes.
Muita gente tem rosto feio e corpo bonito e vice-versa. Tem mulher que é considerada feia mas tem seios ou bumbum ou pernas considerados bonitos, que arrancam elogios.
Mesma coisa com homens.
Mas estou falando de desejo sexual né. Não estou falando de prostituição ou relação sexual por interesse.
Porque pode ter certeza que uma pessoa que faz sexo com outra só pelo dinheiro, sente atração sexual não por esse pessoa, mas por outras. E a chance da carteira ambulante ser feita de bobo e corno são enormes.

Anônimo disse...

Ah sim, as fãs do chico Buarque não sao as mesmas do neymar, mas gritam gostoso pra ele, e ctz q a maioria que grita dariam pra ele, e sentiriam prazer no ato certamente... E numa boa, ele não é bonito, pode ter sido, mas não é

Anônimo disse...

Lembrei de um cara do meu serviço, é o único entre onze mulheres.
Não sei se é por isso, mas o negócio é que ele é bonito, principalmente de rosto, mas como tem um corpo bonito, não malhado, mas natural, já ouvi praticamente todas elogiando.
Tô vendo o dia q vai dar confusão.

Anônimo disse...

Claro, ainda mais nessa situação, em q há várias mulheres no mesmo ambiente e um cara que tem um atributo desejável por todas... Acirra a competitividade feminina mais ainda, mexe com ego

Anônimo disse...

Então por que não gritam gostoso pra Caetano Veloso? Deve ser porque ele não está de acordo com o padrão de beleza meio europeu, olhos claros, traços suaves, corpo médio (nem gordo e nem magro) que Chico Buarque está.
O Chico Buarque é o coroa mais bonito que eu já vi, claro que não pode ser comparado com quem ainda está no auge, mas ele já foi e ainda é muito bonito.

Anônimo disse...

Pq o Caetano é afeminado e não chega aos pés do chico como músico e em fama, prestígio, por isso.

Ah sim, me fala uma mulher de 60 anos tão desejada por homens como o chico é por mulheres.

Anônimo disse...

"Lembrei de um cara do meu serviço, é o único entre onze mulheres."

Não vamos nos esquecer que quando a pessoa está carente ou falta gente do sexo oposto, a exigência baixa...
Não digo que é o caso, mas é que já trabalhei em lugar onde a maioria é homem, não sou nenhuma Gisele, mas pelo fato de ser a única mulher aconteceu.

Anônimo disse...

Vera Fisher.
Aí os mascus vão dizer: eu não tenho tesão por Vera Fisher e fingir q muito homem não tem.
Ué, eu também não tenho tesão por Chico Buarque...
Também fico sem saber se os gritos não fazem parte da gracinha do público com o artista.
Se vc for em um show de dança do ventre de uma bailarina conhecida no meio, vai ver várias fãs dela gritando: linda, maravilhosa,...
Isso não quer dizer q estejam com tesão por ela...

Anônimo disse...

E estou falando de fãs mulheres, heterossexuais, gritando que a mulher é linda e maravilhosa, tal como fazem com o Chico, se não ficou claro.

Anônimo disse...

Ah sim, muito atraente a Vera fischer sim, talvez a uns 10 anos atrás, e com as milhares de PLÁSTICAS q ela fez... Colocar um homem em erro é fácil, ela não aparenta ter a idade dela, ao contrário do chico, q aparenta sim ter 60 anos, e ela não é desejada como ele. Talvez, talvez a 10 anos atrás.

Anônimo disse...

21:32 - ué, saí pra "mostrar as carnes" e pra atrair quem ELA QUER atrair. se vem um loser nada interessante já na derrota com cara de guri pidão que tomou o toddynho em casa antes de sair e acha que MERECE pegar quem ele quiser, ele vai tomar um toco MESMO. se não for interessante, não for legal, vai tomar um toco e pronto. acho tão simples.

Anônimo disse...

*sair

Anônimo disse...

E além disso, me fala, qual o destaque da Vera fischer? Vc realmente acha q importa alguma coisa pro homem se ela é atriz, ou não, se é uma perua, ou se é uma executiva? Nenhuma. Se o chico não fosse musico eu DUVIDO que 90% das mulheres q curtem ele há dariam pra ele.

fabio disse...

mulher e visual ? aonde ? alguem ve mulher comprando revista de homem nu para ver ? alguem ve mulheres admirando boquiabertas homens em ambientes comuns, como homem admira a figura feminina ?
-
homem sim e visual, se exita apenas com a imagem feminina, mulher e fetichista, precisa de padrões artificiais para se exitar, esses padrões variam de mulher para mulher, pode ser fama, dinheiro, cargos elevados,destaque em meios sociais, ou ate ser o unico homem num ambiente feminino, ai o que conta e o maior fetiche feminino, A COMPETITIVIDADE, ESSA E A REAL !!!

Anônimo disse...

A maioria das pessoas acaba é se relacionando com pessoas bem próximas a elas, tanto no nível social, cultural como até na questão da aparência.
Mas como mascus parecem viver vinte e quatro horas na internet, só parecem saber da vida de celebridades, aí o mundo se resume a jogadores de futebol, marias chuteiras querendo fama, velhinhos milionários, coelhinhas da playboy querendo dinheiro, e eles querem que a gente engula que essas pessoas são maioria e não somente um ou outro exemplo do mundinho das celebridades.
Esse modo de pensar é até perigoso. Capaz de passarem a vida toda juntando dinheiro e um belo dia serem vítimas de golpe do baú pra depois saírem repetindo q toda mulher é assim, qdo eles mesmos é q parecem mais interessados em quem faz esse tipo de coisa. Quem só pensa em aparência ou dinheiro ou fama e não olha conteúdo e caráter, tem grandes chances de se dar mal.

«Mais antigas ‹Antigas   1 – 200 de 209   Recentes› Mais recentes»