quarta-feira, 22 de junho de 2011

DE QUAL MARCELO TAS VOCÊ GOSTA?

Uma leitora, a Talita, me enviou este email ontem à noite:

Lola,
Oi! Tudo bem contigo? Espero que sim. Passei só pra dar um link.
O ridículo do Tas agora tá querendo pagar de bom moço, deu entrevista para a Crescer falando que apoia a amamentação, e querendo ensinar como é que se faz mamaço.
Segundo ele, 'ações são feitas com humor e serenidade, deixando de lado um certo revanchismo contra os homens. Não acredito que é uma boa ideia combater preconceito com raiva, chutes e pontapés. Amamentar coletivamente já é um gesto suficientemente cheio de poder, beleza, alegria e liberdade.'
E a revista, bem parcial, só fala que 'A amamentação em locais públicos têm ganhado tanto fôlego que envolveu, inclusive, o apresentador e colunista da CRESCER Marcelo Tas em uma polêmica sobre o assunto'.
Tadinho, foi envolvido pelo fôlego do mamaço... Não foi ele e sua turma que se meteram a fazer piada com o que não deviam!
Aham, senta lá Claudia. Blarrrrghhhhh”

Pois é, adoro como a mídia usa e abusa de recursos como a voz passiva e o sujeito oculto, como se leitor@s fossem idiotas sem a menor curiosidade em saber quem envolveu o brilhante colunista, humorista e jornalista (tudo rima!) em qual polêmica. Pelo jeito não dava pra gastar meio parágrafo explicando que o CQC 3.0 fez um programa tenebroso (tiraram o programa do site ontem, provavelmente depois deste texto, mas dá pra vê-lo no YouTube) ridicularizando as mães que amamentam em público, dizendo que elas só querem exibir as tetas, que isso é nojento, que elas deveriam se cobrir, que logo as que se exibem são as murchas que não deveriam se exibir, e que eles não veem nenhuma gostosa, nenhuma Giselle, amamentando. Não dava pro artigo da revista dizer que um monte de mães e mulheres em geral sentiram-se diretamente ofendidas pelo “humor e serenidade” dos chistes, ou que o Tas, aquele um tão divertido, bem-humorado e sereno, ameaçou com um processo uma blogueira (moizinha!) que ousou associá-lo com o CQC.
Uns dias atrás a Carol, uma leitora que tem Facebook (eu não tenho), conta como foi a polêmica por lá:
Eu curtia a página do Facebook do Marcelo Tas (assim como a de tantos outros jornalistas/cantores/escritores) e cheguei no seu blog por causa da polêmica 'CQC x amamentação'. Tas fez uma postagem nos seguintes termos: 'Alguém aí pode por favor me passar o link que mostre onde eu disse que sou contra a amamentação?' Em minutos choveram comentários, um deles me levou até você. Confesso que fiquei muito chocada a hora que eu vi o vídeo e soube o que tinha acontecido. Poucos minutos depois, ao voltar pro Facebook -- pimba! Marcelo Tas excluiu a publicação sem nem sequer dar satisfação, e seguiu como se o assunto não existisse. Estranho, não? Eu sempre aprendi que 'quem não deve, não teme'. Tas agiu censurando o assunto, no meu entender isso era atitude de quem se arrependeu do que foi dito, do que aconteceu. Logo depois li seu post onde você diz que Tas te ameaçou de processo — o link circulando muito no Facebook também. Então não era arrependimento e nem vergonha — era atitude de alguém extremamente arrogante e prepotente, que julga ser o dono da verdade e não admite críticas.

Não custa lembrar que em absolutamente nenhum momento Tas ou os outros integrantes do programinha pediram desculpas pelo que falaram. Não, o máximo que fizeram foi dizer que acham amamentação o máximo! (sendo que eles não foram loucos de discursar contra a amamentação, um procedimento que só traz vantagens pra mãe e pro bebê. Eles só falaram contra a amamentação em público!).

Outra leitora, a Natalia, de SP, já havia me mandado o seguinte email dez dias atrás:
Eu estive acompanhando seu combate contra o machismo do mundo e do CQC principalmente, eu acho que essa não é uma briga só sua, sei que eu e muitas outras feministas estão do seu lado. Tomando como principal argumento o fato de que os comentáios dos membros do CQC podem incentivar o estupro e a não amamentação (mesmo que indiretamente), e tambem que Rafinha Bastos sendo considerado um dos homens mais influentes do mundo mostra-se com uma postura irresponsável e concervadora a qual não deve servir de exemplo a ninguém, eu te convido a começar uma campanha (FORA CQC MACHISTA) exigindo a retratação pública com as mulheres do mundo, pois o estrago feito por eles já foi muito grande. Não acho justo que o enredo dessa história seja esperar que Marcelo Tas desista do processo ou esperar o próprio processo para agir. [...] Acredito que se o assunto não cair no esquecimento, e se bater na porta da imagem pessoal dos membros do CQC, eles terão que responder. Obrigada por estar à frente desse movimento Lola, sou sua admiradora e queria um poster seu pra pendurar na minha parede do lado do poster do Prestes, Beatles, Luther king e Chuck Berry HAHA.

Pois é, eu sinto que, nesta expectativa de me fazer esperar pelo processo, Tas conseguiu o que queria, que era me calar. Claro, ainda estou falando, e bem alto, mas pra um monte de emails e comentários e ofertas de ajuda que recebo, eu respondo: “Vamos esperar pra ver se ele me processa mesmo”. E enquanto isso não estamos agindo. E sim, eu acho que esses babacas do CQC (e pra mim todos que riram e fizeram piadinhas misóginas são babacas) devem desculpas. É muito bonitinho Tas dar uma entrevista sem contextualizar qual foi a polêmica e dizer pro seu leitorado como ele está preocupado com a situação feminina no Brasil pré-histórico, enquanto no seu programinha, que tem um público muito maior e mais diverso que o da revista, ele e seu CQC (ou ele não tem nada a ver com o programa e senta lá no meio por acaso?) ofendem as mulheres. Quer dizer, o CQC não contribui para manter a situação da mulher brasileira na pré-história? Sério? Nem um pouquinho? Eles vão insistir na tese furada de que só fazem humor e nesse caso pode tudo? Não sei se um bando de adolescentes vai passar a ofender as mulheres só porque o CQC faz isso, mas funciona como um aval. É uma espécie de “Junte-se a nós! Vamos rir juntos das mulheres exibicionistas e suas muchibas que amamentam em público! Vamos apontar pra elas e dizer, em coro, 'Eca! Que nojo!'. E vamos aproveitar pra abraçar os estupradores de mulheres feias pela oportunidade dada a elas de fazer sexo! Yayyyy! Epic win!”.
Olha, sinceramente? Nojo tenho eu. Não nojo das mulheres, evidentemente, mas desses homens com destaque na mídia que primeiro ofendem todo um gênero, depois ameaçam processar quem reclama, depois ditam como quem reclama deve se comportar (com serenidade, sem revanchismo). Nojo tenho eu de certos homens públicos que, nos veículos onde têm espaço, posam de paladinos da liberdade de expressão, mas, longe dos holofotes, mandam email particular dizendo “Você vai aprender através de um processo por calúnia e difamação a ser mais responsável com o que publica".
E aí, de qual Marcelo Tas você gosta? Pessoalmente, não gosto de nenhum. Detesto hipocrisia.

90 comentários:

@SucksLaahSays disse...

Acho que há linha tênue entre fazer uma brincadeira e ofender alguém. Como renomado jornalista que é, duvido muito que Marcelo Tas, ou qualquer membro do CQC que seja,tenha tido a intenção de denegrir certa classe ou gênero. Convenhamos também que é MUITO FEIO sim mulher amamentando na rua, eu como MULHER jamais me prestaria a tal papel. Ninguém é obrigado a ver uma mulher com o seio de fora e não se incomodar. Essa geração do "tudo pode" e do "politicamente correto" já tá enchendo. Agora a tal da "Marcha das Vadias", fruto de uma geração que quer pedir respeito da forma mais errada possível. Me desculpem, mas não consigo ver como uma mulher quer respeito indo a tal movimento. Liberdade não é libertinagem, é uma pena que poucas pessoas saibam distinguir isso, e a maioria faça um "oba oba" por pouca coisa.

Escarlate disse...

Lixo, nojo, revolta. É só isso que eu sinto quando eu vejo a hipocrisia do Tas e dos CQCistas. E o humor que eles fazem é digno de pena:

(twitter de Rafinha Bastos)- "Eu apoio a Marcha das Vadias. Já comi várias."

Engraçado, não? Acho que ele deve ter adorado que as vadias de SP marcharam até seu teatro/bar Comedians Club e encheram a fachada com cartazes de protesto. Deve ter sido hilário, né Rafael Bostas?

O programa é um lixo, sempre foi. Nunca tive paciência pra programa que se diz inteligente humilhando minorias.

Juliana disse...

Outro dia eu postei uma imagem anti Rafinha Bastos em meu Facebook e um colega meu, com quem convivi durante a faculdade e sempre achei muito simpático comenta: "Adoro o CQC, tem mulher que pede para ser estuprada". Fiquei indignada, é nessas horas que a gente descobre realmente quem são as pessoas ao nosso redor. Evidentemente, ele também apagou esse comentário após ser reprimido, sem pedir desculpas ou se dizer errado, assim como o Tas faz. Obrigada Lola por me ajudar nessa revelação.

aiaiai disse...

Eu nunca gostei do tas, só de um personagem que ele interpretou, o professor tiburcio, mas obviamente o texto não era dele. Meu filho ria muito dele qd era pequeno. Fico feliz que hoje em dia ele não veja a menor graça nem no tas nem no cqc.

Se vcs não conhecem, vejam, era bonitinho:

http://www.youtube.com/watch?v=bXiBS2Oc2jA

Escarlate disse...

HUAHUAHAUHAUH adorei o primeiro comentário...

TRADUÇÃO: "Coitadinhos dos CQCistas, eles não falaram nada demais, na verdade, eu tenho nojo de mulheres amamentando, até parece que isso é bonito, né? Oi, eu sou mulher, e aprendi a odiar o meu corpo e os das outras mulheres, sou conservadora e prefiro apoiar os machistas do que defender a mim mesma e aos meus direitos. Sou moralista e gosto de ditar o que as pessoas tem que fazer com suas vidas, e acho essa Marcha das Vadias uma pouca vergonha, não que eu vá fazer alguma coisa pra mudar, mas prefiro desprezar um movimento pq mulher não tem direito ao seu corpo mesmo, onde já se viu elas quererem usar a roupa que quiser sem ser culpadas pelo estupro?!?"

Raquel disse...

Não entendo muito como essas coisas funcionam, mas sou muito a favor de um processo coletivo exigindo a retratação no programa... algo deve ser feito, não sei se essa é a melhor maneira...
apenas um comentário: liberdade pode ser libertinagem sim! e pq não? afinal a liberdade não é moralista... ou eu não fui nessa aula? porra!

Géssica Neves disse...

É ridículo esperar que uma mãe com uma criança pequena que precisa se alimentar não o faça pq existem babacas que se incomodam por ver um seio de fora.
Não acho pouca coisa uma mãe ter que se privar de alimentar seu filho por algumas pessoas se incomodarem, não acho pouca coisa aceitar mulheres serem estupradas pela forma que escolhem se vestir.
Existem coisas que se não forem levadas ao extremo, como o Mamaço e a Marcha das Vadias, nunca seriam ouvidas, nunca seriam sequer discutidas.

Giovana Damaceno disse...

Disse e repito: Marcelo Tas é uma farsa. A máscara vai cair.

aiaiai disse...

kkkk rindo muito não do tiburcio mas da comentarista primeirona desse post. kkkkkkk

querida @sucks, vc tá fazendo ironia, né? Porque se não é ironia, só posso lhe dizer que com esse decote vc tá pedindo pra ser estuprada !!! kkkkk Ou vc só usa isso em casa? quando sai, bota uma burca por cima?????

The Buk's On The Table disse...

Saiu uma matéria na revista Istoé, de 22/06/2011 – Nº2171, sobre o mamaço, com o título: A Polêmica da Amamentação. Eles citam um caso absurdo de uma mulher de origem marroquina que perdeu a guarda de sua filha na Espanha. Mas nesse caso alegaram que a mulher chamada Habiba é desempregada, solteira, morava num abrigo, tem problemas mentais e não tinha condições de cuidar da criança. Existe o movimento Todos Somos Habiba.

Fabiana Zardo disse...

Eu li uma reportagem na Istoé e um estudioso (não lembro o nome, me perdoem) comentou sobre como a sociedade associa o ato de amamentação a algo religioso e por isso, repudia o ato público. Às vezes, acho que o discurso da Lola acaba numa vertente meio radical (já disse aqui antes, adoro o blgo, mas tem coisa que não concordo ) e coloca todo mundo que é contra no mesmo balaio: cretinos, hipócritas e afins. Não é bem isso. Temos que analisar o que há por trás desse costume e não podemos esperar que todo mundo desista de um dia pra outro de uma crença tão enraizada.
Esse é um ponto.
O Tas pisou na bola, fato. Mas ele é um Tas na Crescer e outro no CQC. São personagens diferentes. Qual é a real, eu não sei. Não sou casada com ele pra saber nem sou filha. Porém, como ator e comediante, ele se rendeu àquilo que dá dinheiro, o lugar-comum do humor. Piada de loira, preto, português e por aí vai. Podem me xingar à vontade, mas eu ri com o comentário do rocambole, sou uma pessoa extremamente visual e achei engraçado. Crucifiquem-me, mas estou longe da perfeição. Ser politicamente correta o tempo todo não dá, mas ter o discernimento do porque falar mal da amamentação em público é uma coisa ruim faz toda a diferença.
As mudanças sociais são lentas. Não dá pra chegar numa geração e dizer: "Para tudo, o que vocês pensam e fazem está errado. O certo é isso aqui, ó!" Pode haver debates e discussões saudáveis, mas vejo muitas vezes esse tom de> "Essa é minha verdade, quem não concorda é um filha da puta".
Quando mais ibope se dá ao Tas e essa questão, mais ele está em destaque. Será que é esse o caminho?

Pili disse...

suckslaahsays:

realmente Tas é renomado e ele sabe que por isso muitos vão por ele acima de suspeitas.
É por isso que ele passa dos limites. E adivinha só, vc caiu nessa :P

Escarlate disse...

Olha Fabiana, acredito que você é uma pessoa razoável, e aberta a discussão, certo?

O Tas ofendeu sim muitas mulheres, não posso dizer todas, pq muitas nem levam a sério, mas como a Lola eu tb levei. Acho o cúmulo do absurdo uma mulher não poder amamentar o filho em público, já que criança com fome não espera. Mulheres na nossa sociedade só servem pra um coisa: SERVIR. Seja como objeto sexual para os homens, seja como empregada doméstica.

E é por isso que o repúdio à amamentação em público se torna tão sério: Por que as mulheres não podem mostrar os seios como os homens andam sem camisa? Por que somos apenas objetos sexuais que devem seguir em conformidade com o desejo do sexo masculino? Por que nosso corpo é tão sexualizado?

Eu não quero ser grossa, mas pra mim, quem não acha bonito mulher amamentando, vire a cara. É simples. Não gostou, ignore. Não é justo que o nojinho de alguns (ou muitos) obrigue as mães a usarem mini-burcas ou estarem confinadas a amamentarem em casa ou num canto qualquer.

Andreia Ramires de Souza disse...

É muito interessante como mulher sambando nua com as tetas balançando no sambodromo é coisa mais normal no Brasil, mas mulher que mostra o seio para amamentar é algo que se devia esconder. É ridiculo isso. Tah amamentando, tem que mostrar o peito sim e sem vergonha, e ser vadia (quanto a marcha) é ter orgulho de ser mulher vinculada aos mesmos direitos dos homens (que não não chamados de vadios mas de garanhão). Se ter o direito de usar minha sexualidade no mesmo patamar masculino, e se isso é ser vadia, então é isso que sou mesmo. Pena de quem vive na Idade Média com ideias vinculadas a vergonha sexual quando o assunto é mulher, meu corpo não será castrado como de tantas meninas que são criadas para satisfazer homens em vez delas mesmas (termo no qual vadia é usado para denegrir essa atitude). Tudo que pedimos é igualdade de generos assim como receber o mesmo respeito que um homem receberia. Tenho pena de quem não entendeu a proposta da marcha das vadias e não sabe distinguir o por que esse nome foi usado para a marcha. Isso não é um oba oba, é um meio de provocar indagações que as pessoas não estão acostumadas a fazer, pois como minha mãe, acham que o mundo sempre foi como é. Pior do que um mascu denegrindo e esteriotipando a imagem da mulher, é uma mulher se auto castrar.

Mariana. disse...

a única coisa que tenho em comum com o tas é o nosso amor pelo SANTOS. mas até aí... ele que se ferre, tô contigo e não abro, lola!!!!

Roy disse...

Voce segue batendo na mesma tecla.

O terror a quem gosta do CQC continua.

Defendo seu direito de defender sua opiniao.

So quero saber se voce, sim, daria as caras para pensar no outro lado.

Em grande resumo, nesse aspecto sempre discordaremos, nao adianta.

Bjx

Roy Frenkiel

floresfrutas disse...

Viram essa do sensacionalista satirizando o Rafina Bastos?
http://www.sensacionalista.com.br/2011/06/18/humorista-feio-e-estuprado-e-agradece-o-favor/

L. disse...

Tenho acompanhado essa discussão no seu blog, desde que ela começou. Concordo completamente com vc.
Agora, sabe o que pra mim é o pior de tudo? É a revista CRESCER, uma revista que teoricamente é veiculada ao público materno exibir essa entrevista RIDÍCULA com o Marcelo Tas.
Poxa, acho que o mínimo que deveria ser feito era passar a informação de forma correta.
Acho muito estranho a revista se posicionar " de fora" do assunto, sendo que o assunto é de completo interesse e revolta das mães que a leem.
Lamentável.

=Maíra= disse...

Lola, tô impressinada com o timing perfeito que rolou aqui: estava buscando informação sobre a questão de educar sem bater e acabei lendo alguns artigos da revista "Crescer". Eis que me deparo com a tal entrevista e, quando venho aqui pra deixar com comentário off-topic no outro post, vejo um post falando exatamente sonbre isso!

Enfim, empolgação de timing perfeito à parte, fiquei chocada com a atitude de tentarem botar panos quentes na situação e tentar construir a imagem do bom moço, depois da arrogência desse Tas... Foi uma pena não ter encontrado espaço para comentários na revista, porque ia descer a lenha lá, haha.

Isso pra mim é atestado de culpa + o clássico "você sabe com quem está falando?". Enfim: que tal mandarmos um e-mail pra revista, contando o que aconteceu? O que você acha?
Beijo!

Carol Balan disse...

Depois de conhecer esse lado do Marcelo Tas só consigo achá-lo um perfeito idiota.

Na verdade, acho esse tipo de discussão totalmente inútil e desgastante. O que precisamos é de mais respeito! Como alguém (como a moça do primeiro comentário) pode dizer que amamentar é feio? Amamentar é um ato fisiológico, isso é natural e necessário! Isso nunca deveria ser discutido! Todos deveriam achar isso totalmente natural! Você se incomoda porque uma mãe está amamentando?? Vá se tratar, então, porque você é doente. Deve ter algo muito reprimido dentro de você e a culpa é do coitado do bebê que precisa ser alimentado?? Se fosse seguir essa lógica, comer em público também deveria incomodar. E mulheres nuas em filmes também. Mas aí pode.

Sexo c/ Amor? disse...

pois é, eu já falei que estas pessoas estão com a massa cinzenta abatumada. como o bolo que vira uma lajota, por falta de oxigenação.

Flávia_Cola disse...

eu, particularmente, se tivesse um filho, não o amamentaria em público, claro que nunca o deixaria com fome, mas evitaria ter que fazê-lo. minha opinião pessoal é uma coisa, mas eu DEFENDO PLENAMENTE o direito de toda e qualeur mulher amamentar o seu bebê em público.

moro numa cidade costeira e tô careca de ver homem andando de sunga nas ruas, na feira de sábado, etc... porque eu sou obrigada a ver pintos velhos muchibentos pendurados em sungas andando pela rua (e não na praia onde deveriam estar) e esses idiotas, misóginos, machistas, preconceituosos não podem ver uma mulher amamentando, dando a vida a um bebê????

democracia é isso, gente, posso não concordar com o que vc diz, mas defendo até a morte o seu direito de manifestar sua opinião.

até piadas têm limite!!!!

Loucas por Livros disse...

Sabe o que me irrita? As pessoas não podem mais fazerem piadas, não podem brincar que as pessoas levam tudo a sério. Rafinha, Luque e Tas fizeram uma PIADA sobre amamentação? e dai? Foi uma piada. Todos falam de liberdade de expressão mas não permitem que as pessoas falem o que querem. Eu não me sinto comoda quando as mulheres em lugares públicos expõem seus seios para amamentar, mas essa é a minha opinião e eu posso dá-la porque tenho liberdade de expressão. Então quando eu não gosto ou o Tas ou qualquer outro não gosta é liberdade de expressão. Assim como umas não vêem nada demais, particularmente não gosto.

Daní Montper disse...

Uma louca por livros que tem problema de interpretação de texto... lástima.

Lola, concordo contigo, acho que devemos exigir desculpas públicas, até o momento eles ainda se acham os certos nessas história toda.
Se desculpar seria o mínimo, aceitar o convite da delegada da condição da mulher e ir ao seminário para entender o que é estupro, poderiam diminuir a péssima fama que ele tem agora, de misógino asqueroso.

Laurinha (Mulher modernex) disse...

acho que todas as mulheres que já ousaram reclamar de alguma coisa, qualquer coisa, feita por algum homem público já passaram por isso e já se cansaram.
se você não aprova ou não abaixa a cabeça ou ri junto com a ofensa, você é a chata, mal humorada, revanchista, stressada.
isso quando a situação fica feia pro lado deles, senão continuam é repetindo a piada sem graça.
campanha contra machismo e misoginia na tv é o que precisamos, está passando da hora.

Edenilson Francisco disse...

Olá Lola! Há pouco tempo conheci este blog e tenho gostado e aprendido muito com o que leio aqui, ainda que não concorde com uma e outra coisa. E nem sou tão progressista, moderninho, mente aberta ou coisa que o valha.

Li quando comentou sobre o péssimo gracejo, minha visão,feito no CQC relativo ao mamaço coletivo e vc denominou o Tas de misógino. Bem, como feminista é sua opinião classificá-lo assim.

Eu vi como uma péssima, rasa e burra expressão de humor, justamente por quem se propõe (????) fazer humor inteligente. O mesmo vale para a "piada" sobre estupro feita por Rafael Bastos.

Fiquei abismado com a ameaça e tentativa de intimidação feita a vc e aguardo sentado prá ver se o cabra é roxo mesmo em concretiza-la.

Vc foi feliz ao usar o termo hipócrita ao indicar a entrevista dada por Tas, não há como entender diferente.

Hipocrisia esta que permeou o ocorrido com a líder de torcida estuprada, como certamente permeia outros casos.

Hipocrisia, eis o denominador comum em nosso dia a dia. Seja entre antiquados ou progressistas.

Não sei qual Tas me "agrada" mais, se é que me agrada, deixei de assistir o CQC faz tempo. Admiro inteligência, transparência e honestidade, faltem estes valores, não merece minha atenção.

Abraços!

Roy disse...

Olha ai de novo. Louca por Livros da sua opiniao:

"Sabe o que me irrita? As pessoas não podem mais fazerem piadas, não podem brincar que as pessoas levam tudo a sério. Rafinha, Luque e Tas fizeram uma PIADA sobre amamentação? e dai? Foi uma piada. Todos falam de liberdade de expressão mas não permitem que as pessoas falem o que querem. Eu não me sinto comoda quando as mulheres em lugares públicos expõem seus seios para amamentar, mas essa é a minha opinião e eu posso dá-la porque tenho liberdade de expressão. Então quando eu não gosto ou o Tas ou qualquer outro não gosta é liberdade de expressão. Assim como umas não vêem nada demais, particularmente não gosto."

E Dani, a mesma que disse que desejaria que esses piadistas fossem estuprados, vale lembrar, responde:

"Uma louca por livros que tem problema de interpretação de texto... lástima."

Ja falei e vou repetir, porque ao contrario da Lola, que sim tem uma repercussao muito grande no universo virtual e real, eu nao tenho nenhuma, e meu ponto de vista jamais vi representado em lugar nenhum.

Quando e' representado aqui por um ou outro como a Louca por Livros, voces nao percebem:

GENTE, voces estao ATACANDO, LINCHANDO, MALTRATANDO pessoas que pensam diferente de voces. Voces estao tornando pessoas boas, legais, camaradas, que pensam como voces nos assuntos anti-preconceito, anti-homofobia, anti-misoginia, em pessoas racistas, homofobicas e anti-semitas.

Pergunto a Dani, se tiver coragem de responder sem desejar que eu seja estuprado, se ela ja foi acusada de ser racista, misogina e outras coisas por uma opiniao que diferenciou-se da NORMA que voces estao criando, e se foi, como se sentiu. PORQUE E' EXATAMENTE O QUE ELA ESTA FAZENDO COM OUTRAS PESSOAS.

E infelizmente isso ficou comum aqui em TODOS os posts sobre o CQC.

Na boa, nao vai rolar processo, eu ja falei que nao ia, mas se rolar, eu sou totalmente contra o processo. Sou tambem a favor de voce e qualquer pessoa defender seu lado.

VOCES ESTAO LINCHANDO PESSOAS INOCENTES. SE TOQUEM! VOCES NAO QUEREM SER ASSOCIADOS COM AS MESMAS COISAS QUE ACUSAM OS OUTROS, ou querem?

Forte abrax

Roy

Gizelli Sousa disse...

Tas, faz o seguinte... Não mostra mais essa sua careca em público. Não é bonita, sabe? Não é aquela careca com formato agradável. Toda vez que quiser deixar a sua careca respirar, vai num banheiro público. Tenha mais respeito com as outras pessoas! Por que quando um careca se exibe por aí, nunca é um vin diesel, hein?

#humorpodetudo,né?

Edenilson Francisco disse...

floresefrutas,

Obrigado, estou rindo até agora com a indicação.

Abraços!

Daní Montper disse...

Caro Roy, onde em meu comentário eu disse que a louca por livros é misógina? E onde que afirmar que uma pessoa tem problema em interpretar um texto é xingamento?

E o que tem a ver meu comentário de agora com um anterior sobre estupradores merecerem ser estuprados para terem empatia, mas que meu humanismo não me permite desejar isso(parte que você omitiu)?


Bem, parece que que você também tem problema para contextualizar, não é?


Enfim, continuarei a sentir lástima de pessoas assim, e nojo de pessoas como o Rafinha Bastos. Obrigada.

lola aronovich disse...

Roy, quem está linchando alguém? A Louca por Livros manifestou a sua opinião, aí a Dani manifestou a sua opinião sobre o que a Louca por Livros falou (e eu também tive essa forte impressão que a Louca não entendeu o que leu, ou no mínimo pulou vários outros posts que escrevi, porque já falei sobre o troço de "é só uma piada!" e porque eu sou contra a censura). Aí vc falou sobre o que a Dani falou. Cadê o linchamento? Mas eu proponho evitar termos como "se vc tiver coragem de me responder sem desejar que eu seja estuprado". Primeiro, porque indiretamente vc está chamando a Dani de covarde (se ela não te responder, e isso, pra mim, é bem mais agressivo que dizer que alguém não interpretou direito um texto). Segundo porque vc deve ter percebido, neste blog e nas várias marchas das vadias, que estupro é um assunto muito sério pra nós mulheres. Ao usar o termo num comentário que não tem absolutamente nada a ver com estupro, vc está ajudando a banalizar o tema.
Mas talvez vc pense que minha crítica ao seu comentário seja também um linchamento...

Daní Montper disse...

Ah sim, Roy, não, nunca fui acusada de ser racista, misógina e homofóbica ou qualquer outra coisa do gênero, por que será, né?

Fabiana Zardo disse...

Escarlate, eu concordo com o movimento pró-amamentação. Não concordo com essa postura do “Só eu estou certo, o resto do mundo que se foda”. Acho muito mais útil entender o porquê, como mudar e aceitar que nem tudo acontece da noite pro dia. Meu namorado é uma pessoa super aberta, tranquila e ele disse que se incomoda sim, com mulher amamentando em público. Ele é extremamento aberto para algumas coisas, mas isso é algo que ele não gosta. Ele jamais vai mandar uma mulher guardar o seio, mas vai se retirar do ambiente onde ela está ou desviar o olhar. Por quê? Porque para ele, o seio da mulher é algo íntimo e ele foi criado com a visão de que o que é íntimo, se resguarda. Vou fazer o que? Bater nele? Dizer que ele é horrível por achar isso? Não creio que ele vá mudar. Mas quem sabe nossos filhos (se um dia eu tiver um, fiquem tranquilos que fome ele não vai passar) vão pensar diferente porque eu vou poder dar essa educação diferente.
Eu respeito a opinião dele e ele, a minha. Concordamos em discordar.

Vader disse...

Gostava do Marcelo Tas do Castelo Rá-Tim-Bum.

[.ingrid.] disse...

A revista Crescer já é uma porcaria, do tipo que fala que o melhor é fazer cesárea com 38 semanas, deixar o bebê chorando até dormir, para se tornar independente...

Não é de se surpreender que tenha um colunista como ele, que não entende NADA de amamentação!

Rubens disse...

Sabem o que seria Genial?

Uma quantia de mães gravarem um video amamentando os seus bb's e dai enviassem uma cópia para o CQC com uma carta aberta (divulgado em cópia para emails de outras midias, como jornais e revistas) dizendo o seguinte:

"Caro careca (Marcelo Tas) se vc é a favor da amamentação, divulgue este video no seu programa e fale sobre como é benefico e bonito uma mãe amamentando seu bebê"

Queria ver como ele ia sair dessa!

Priscila Boltão disse...

Gente, ri muito do comentário da Gizelli Sousa. É exatamente esse o ponto.
Olha concordo com o pessoal "do contra" em uma coisa: quando a gente deseja que mal a eles, estamos nos igualando a eles.
Eu entendo a raiva. Pq eu já passei pela minha história de horror e fiquei com raiva quando ouvi a "piada", e desejei mal a ele tb. Mas eu sou melhor q isso, pq, diferente dele, eu sei admitir que desejar esse horror pra alguém - qualquer pessoa - é errado da minha parte.
Porque, diferente deles, eu sei me retratar quando erro.
O problema dos conservadores fundamentalistas é que eles acham que nós é que somos radicais. Mas ngm tá falando a toa. O rafinha fazer piada sobre estupro é MUITO diferente da gente dizer q ele tá errado. Pq tá, pombas. Me prove q não está. Pq era só piada? Então todas as mulheres que ficaram horrorizadas não tem senso de humor? Ah, muito justo. E a gente achar errado eles fazerem piadas das mães q põe o seio de fora pra amamentar? Somos muito, muito malvadas! Era só brincadeirinha quando disseram q só as de peitos feios mostram os peitos. Nós não temos nada mesmo pra basear nossos argumentos.
Olha, enquanto não me apontarem um argumento sério a favor dessas bobagens, sou "radical" contra eles.
Eu entendo o ponto de vista da Fabiana. Aliás, "concordamos em discordar" descreve bem. Eu acho mesmo que ngm é obrigado a gostar. Mas é obrigado a respeitar. O negócio é q as pessoas não entendem o porque não gostam. A dona lá do primeiro comentário - que prefiro nem comentar muito - por exemplo, tem a mentalidade do "acho feio, acho pouca vergonha". Por que, colega? Seios - atenção - são puramente funcionais, como disse a rosie em Beautiful Girls. Eles são feitos assim, volumosos e com canais pro leite unica e exclusivamente pros bebês. O fato de serem zonas erógenas não devia interfirir tanto porque homens também os tem - e não são volumosos pq eles não precisam amamentar. Pronto. Pq alguém resolveu, algum dia, que nossos mamilos precisam ser escondidos e os deles não?
Por mim, o tas pode achar oq quiser. Por mim o rafinha bastos pode achar q estuprador merece abraço. Eu acho q eeles são idiotas por isso, assim como eles acham q nós somos idiotas. Mas eles não tem direito de fazer piada em cima do drama e do trauma de quase toda mulher, não tem direito de usar de um veículo de comunicação de massa e posições influentes pra disseminar preconceitos nem fazer apologias a crimes, e não tem direito de querer processar quem pensa diferente deles tentando calar a liberdade de expressão. Se eles querem ser hipócritas, fazendo pose de cool numa hora e esculhambando minorias em outro, ok, então eu posso ser radical feminista e chama-los de babacas misóginos. É um país livre, assim.
Eu sou a favor de um processo coletivo, faz tempo. Já passou da hora de a gente mostrar que sexo frágil é aquele que precisa de autoafirmação através do insulto.
Dá-lhe Lola! Tamo contigo!!

Fabiana Zardo disse...

O comentário da Priscila Boltão foi perfeito, não tiraria uma vírgula sequer.
Violência gera violência. Defender um ponto de vista é sempre válido, desde que você não o force goela abaixo da outra pessoa. Portanto, concordo que tem que falar. Mas quando a coisa fica pessoal e rancorosa, não funciona!!!
Eu já disse isso no Twitter e repito aqui: tudo que leio e ouço eu analiso, guardo o que me interessa e descarto que não é legal. O que eu acho que falta é essa auto-análise. Isso é uma coisa que eu admiro muito no movimento feminista, a capacidade de discutir um assunto e buscar argumentos reais, fortes. Por isso estou aqui e leio todos os posts da Lola.
Mas tirando esse bla bla bla todo, o que acho que seria útil é bombardear a Crescer com e-mails sobre essa hipocresia. Algo padrão, nem que fosse Control C, Control V, para a revista receber essa mensagem. Duvido que por melhor que seja a equipe de Análise de Redes Sociais, a Crescer vai descobrir esses comentários aqui, por exemplo.
Fazer barulho (de novo, não sou adepta ao apontar o dedo na cara) costuma surtir algum efeito. É uma pedrinha na montanha, pelo menos.

Fabiana Zardo disse...

Hipocrisia, com i. Não precisa assassinar o português.

Alice Bittencourt disse...

Não gosto de nenhum Marcelo Tas. Não gostava antes desse episódio. Gosto menos ainda agora. Acho que como apresentador ele é propositalmente forçado e ruim, as piadas são sofríveis. Os três sentadinhos de terno, na bancada do CQC, posando de programa jornalístico/humorístico/crítico/blábláblá, me dá vontade de desligar a televisão e sair correndo. Só fiquei sabendo de mais esse absurdo pelo seu blog, que leio sempre.

Ewaldy Marengo disse...

Oi, Lola. Só passando para divulgar esse link. Uma pesquisa sobre como as pessoas reagem à amamentação em público (não estou querendo passar nenhum ponto de vista, só compartilhar o link, mesmo).

http://www.psychologytoday.com/blog/science-small-talk/201106/the-big-deal-about-breasts

Abs.

Telma Maciel disse...

Olha eu, particularmente, não conheço Marcelo Tas. Só o nome mesmo. Nunca assisti CQC pq não gosto desse tipo de programa. Acho q a pessoa dizer q não concorda com a atitude do mamaço é uma coisa, mas fazer piada sem graça disso? Piada que acaba ofendendo tanta gente?
Já disse uma vez e repito: gosto de humor q faça rir de coisas engraçadas. Não gosto de humor negro ou de piadas machistas ou ainda piada que envolva assuntos sérios.
E não acho q o Tas vai te processar. Ele seria bem estúpido ao fazer isso... Eles devem é pensar duas vezes antes de 'programar' o tipo de humor q vão fazer!

Lar Ternura disse...

Teve um programa onde o CQC mostrou a "entrevista" com o Bolsonaro, onde enfim aquele dinossauro vomita seus preconceitos inclusive contra os homossexuais.Ao final da entrevista Tas disse que sua filha(sim é isso mesmo a filha de Tas) é homossexual...
Muito me espanta uma pessoa que diz ter uma filha homossexual ter esse comportamento tão asqueroso contra as mulheres, só posso dizer que tenho nojo desses caras, boicote ao CQC.

J. Machado disse...

Eu não gosto de nenhum dos dois, aliás, há um certo tempo Marcelo Tas sempre foi uma personalidade digna de admiração, até conhecer sua personalidade machista e misógina no CQC. É triste ver pessoas que tem o poder da mídia nas mãos, uma vasta carreira, conhecimentos e usá-los para promover assuntos tão simplórios, deploráveis e nojentos. Deixo registrado minha indignação como mulher!

Blanca disse...

HAHAHAHAHAHAH o primeiro comentário HAUAHUASHAUASHAUSHASUASHASU


Exato, Escarlate

Mariana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Blanca disse...

Eu ia até mandar um email pra Lola sobre mandar emails para jornais, mas já que surgiu o assunto aqui...

seria bem bacana. Alguém aí já escreveu algo? Vou ver se envio um também. :)

Mariana disse...

Saudades do tempo em que ele era somente o Professor Tibúrcio...

Ághata disse...

..."SucksLaahSays" + fotinho + falando sobre promiscuidade? Uh, será fake de macho?

"pois é, eu já falei que estas pessoas estão com a massa cinzenta abatumada. como o bolo que vira uma lajota, por falta de oxigenação."

HUhauhauhauhauhauhaha, ah, como eu ri!!!

Priscila Boltão falou muito bem!

Ah, Fabiana, sem ofensas, já que você curte tanto auto análise, poderia propor uma ao seu namorado. Ele também vira o rosto quando vê revista da playboy em banca de revista e acelera as partes de filme ou muda de canal quando vê mulher com pouca roupa ou seio à mostra? Por que esta reação com a amamentação?

Dani diz que uma fulana com problemas de interpretação de texto tem problemas de interpretação de texto e pronto, já é linchamento de inocentes - em caixa alta!
Mas que melodrama...

Diana disse...

Particularmente (e, neste caso, não poderia nem falar diferente), eu gosto do Marcelo. Tenho muitas diferenças com o Tas, mas do Marcelo eu gosto. Porque ele é um sujeito legal, e responsável. Porque ele é um bom pai e um marido companheiro. Porque ele tratou bem todos nós, por anos, pertubando a existência dele.

Infelizmente, tem muito pouco do Marcelo no Tas. De certa forma, eu o vejo bem mais na crescer (pelo que li, hoje, diga-se de passagem) do que no CQC. Talvez isso seja porque conheci o Marcelo exatamente como pai - talvez porque em 3 colunas lidas eu tenha mais contato com a crescer do que com o CQC, talvez porque seja menos para aparecer?

Eu gosto do Marcelo, pessoalmente. O vídeo que alguém comentou, sobre a Luiza (http://tinyurl.com/6kr7vpd) não foi, ao contrário do que muitos pensam, pura forma de se colocar "do lado certo". Ele é assim. Ele sempre aceitou, respeitou e deu apoio à Luiza - e a todos em volta dela que passaram por processos parecidos de descobrir sua sexualidade, bem como suas inclinações gerais para a vida.

Eu gosto do Marcelo, porque ele foi um ótimo sogro. Gosto dele, como da Luiza, como do Miguel, e da esposa dele; da ex-mulher também, e certamente gostaria da Clarisse se a conhecesse (que, tendo a mesma idade do meu filho, não era nascida na época). Em suma, eu gosto do Marcelo pessoalmente.

Mas quanto ao comportamento relacionado ao CQC ser deprimente, eu concordo. E tento separar enquanto dá.

Lúcia Safu disse...

Lola, que achaste da história da Naomi e o chocolate?
http://juliapetit.com.br/home/chocolate-absolvido/#comments

Blanca disse...

Diana, você foi casada/namorou com @ filh@ dele?

Acho chato o Tas representar isso, se o que você diz é verdade. Ele, com uma filha lésbica, se se diz tão pró amamentação, ter que ouvir Rafinha e Gentili. Aliás, "ter que" não, saia do emprego, arranje outro programa, vá escrever para um site, jornal, sei lá. Morrer de fome não vai.

Feminismo é exagero disse...

Sinceramente?Vocês feministas se preocupam com cada bobagem(pra não dizer idiotice).Agora virou moda fazer protesto por qualquer besteira.Ah,mas isso não vai dar resultado.Só vai gerar um debate chato e que depois todo mundo vai esquecer.E mesmo sendo mulher,acho ridículo mães que dão de mamar para o seu filho na rua mostrando o seio.Não,não é porque outros homens vão olhar ou você seja feia e blá blá.É questão de educação.Os seios são partes íntimas da mulher e ela não deve mostrar ele em público.:)

Escarlate disse...

Nossa, nem discutam com "a" trollzinh@ aí de cima, perda de tempo. Nós feministas somos, chatas bobas, feias e histéricas, e adoramos ser do contra.

Sara disse...

Será que criar uma página ou grupo no no FB seria fazer alguma coisa?

Olha, eu detestei amamentar em público, mas é o meu corpo e eu mando nele. Agora um qualquer chegar e dizer que eu deveria ir à um banheiro porque não quer ver minha "muchiba" ou "vc é gostosa, pode continuar aí mostrando que eu quero ver." Isso é demais!
Agora o que mais me revoltou foi mesmo a piada sobre estupro. Brincar com o sofrimento dos outros NUNCA tem graça! Questionar as convicções, a religião, a opção sexual até pode ser alvo de humor, mas nunca o sofrimento de alguém!
Acho incrível o Tas continuar na Crescer depois disso. Mas o idiota mesmo, para mim, é o Rafael Bastos.

Tati disse...

"Questionar as convicções, a religião, a opção sexual até pode ser alvo de humor, mas nunca o sofrimento de alguém!"

Ah, então fazer piadas (que muitas vezes são ofensivas) com homossexuais pode?
Você acha que piadas infames envolvendo gays não são ofensivas, não causam sofrimento?
Você concorda também com piadas racistas, Sara?
E pelo amor, ninguém escolhe ser homossexual.Assim sendo, não existe lógica na expressão "opção sexual".
Orientação sexual, por favor!

Tati disse...

Credo, os mascus estão atacados!
Mascus pró-estupro, mascus anti-feminismo (ops, pleonasmo!), mascus defensores da liberdade de expressão sem limites (quando o discurso massageia o ego deles, lógico), mascus (mal) disfarçados de mulheres.
Onde a frustração e a falta de empatia leva as pessoas, meu Deus!

Tati disse...

Correção: "levam"

Renata disse...

E tenho dito, quem não apoia a amamentação em lugar publico, não apoia a amamentação.

Porque amamentar não pode ter lugar e hora certa.

E se quem se incomoda de ver um peito de mulher começasse um movimento contra os decotes, contra os biquinis e contra os peitos saltitantes do carnaval?????

Tô pagando pra ver.

A questão não é o peito de fora. Peito de fora no Brasil é coisa comum.

A questão é uma criança sugando um peito.

Não me assusta que a pedofilia cresça de forma alarmante num contexto em que as mães são chamadas ao pudor por alimentar suas crianças, mas que como mulheres comuns, ninguém faça piada porque no carnaval, os peitos saltam livremente no desfile.

Estou com preguiça desta sociedade. Parem o mundo, por favor.

Shey, Sheid, enfim... disse...

Será possível que o Brasil tá andando pra trás, gente? Será possível?

Por que será essa mania imbecil de copiar besteiras vindas de fora?

Eu própria fui amamentada em público, muitas crianças que eu conheci ao longo da vida também foram e lembro muito bem como eu achava legal que, ao menos nessas ocasiões, seios expostos não causavam chiliques.

E isso, há 15, 30 anos atrás.

E agora vem esse pessoal, Tipo a primeira comentarista vim falar, dando a impressão que amamentar em público é algo de agora?

E como já falaram, no Carnaval, mulher de peito de fora pode, mas pra amamentar o filho é essa frescuraiada toda? Peito foi feito pra macho ver, agora?

Pelamordedeus, vocês chegaram ontem dos EUA?


Então façam o favor de voltar pra lá, plz?

denise disse...

to achando que esses papos de que amamentar é algo vergonhoso, pra ser feito num quarto escondido dentro de casa ou é papo de troll que n tem o q fazer, ou é gente realmente doente, com uma tremenda flatulência mental.

Carolina disse...

O CQC 3 simplesmente TIROU DO AR o malfadado programa em que os apresentadores fazem comentários em desfavor das mães que amamentam em público. Não entendi. Não era SÓ uma piada? Por que tirar do ar então?

Gabriele disse...

Também me incomoda o fato de que eles tentam "desfazer" o estrago, mas nunca pedem desculpas. Me lembra um pouco um caso que teve esses tempos com a MTV, que no programa Comédia MTV fez uma paródia chamada "Casa dos Autistas". Muita gente reclamou na internet, falou que era ofensivo, de mau gosto e tal (nem cheguei a ver com medo do que encontraria). E a MTV emitiu uma nota pedindo desculpas, se responsabilizando pelo erro, e abrindo as portas para entidades que lidam com autismo, passou a veicular alguns comerciais de conscientização, etc. E eles não se tornaram menos dignos por causa disso nem nada, muito pelo contrário. Quem não se desculpa quando erra, humorista que não tem capacidade de reconhecer quando passa dos limites e cai no mau gosto, pra mim não é um humorista inteligente, e sim um sensacionalista teimoso e idiota.

Gabriele disse...

E foi só sair daqui pra dar uma volta pela internet que encontrei essa matéria: http://www.medicalnewstoday.com/releases/229282.php

Diana disse...

Bianca, eu namorei a filha dele sim; acho que fui a terceira namorada que ela teve - ela foi minha primeira namorada fixa.

A Luiza era bem novinha na época, também, tinha 14/15 anos. Nem por isso ele jamais tratou como "fase", ou como "coisa de adolescente" ou "experimentação". (Nem me processou pela diferença de idade hahahhaha)

Quanto a relação dele com o programa, não faço comentários. Não posso falar sobre isso - e não falo sobre o que não sei.

Rebecca Leão disse...

Lola, é impressionante o que os seus leitores têm coragem de postar aqui... As discusssões entre eles são a própria piada pronta. Deveríamos chamar o Zé Simão, ele sim ia saber fazer graça disso. Cara, deixa esse Tas pra lá, o CQC é um programa horroroso, como qualquer programa que se pretende humorístico para "massas" (eh... vida de gado)... É só deixar quieto, que a coisa vai arrefecer... vai por mim, beijos

floresfrutas disse...

da mesma forma que a Shey, Sheid, acho estranho hoje repudiarem a amamentação em público, sendo que isso tem sido tratado tão naturalmente há tantos anos. desde sempre vi mulheres amamentando na rua, em restaurantes, em ônibus em igrejas. e se isso pode causar algum incômo a uns e outros que veem, nem se compare ao tamanho do incômodo que o bebê vai sentir com fome, né?

Paulo disse...

Uma amiga postou no facebook que um Bispo de Guarulhos declarou que o estupro só é possível com o consentimento das mulheres. É uma fala tão absurda que parece mentira. Você leu algo a respeito dessa declaração?

Ma. disse...

Depois do que acompanhei no seu blog, de nenhum. Nem tenho palavras. Indignação fala bem mais alto!

ana_alice disse...

paulo, a lola até postou o link pra entrevista... tá lá no twitter dela http://www.ihu.unisinos.br/index.php?option=com_noticias&Itemid=18&task=detalhe&id=44253

M. H. da Costa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
BastetAzazis disse...

Estava lendo alguns comentários e não pude deixar de escrever minha visão de toda essa "rixa" Tas vs Lola.

O maior problema que os amiguinhos do Tas criaram ao xingar mulheres que amamentam em público com o pretexto de fazer piada não é a liberdade de expressão, seja dos falsos piadistas ou das mulheres indignadas.

Quando o CQC fez piada sobre a amamentação em público, a mensagem que as mulheres receberam foi: "peito de mulher amamentando é feio", "amamentar em público é humilhante", "a sociedade repudia mulheres que amamentam em público". São mensagens sublimares, mas a prova de elas existem foram os diversos comentários de mulheres - a maioria adolescentes e sem filhos - concordando com os meninos do CQC.

Resumindo, o CQC, programa que alega ser portador da liberdade de expressão, sem querer ou não, divulgou uma mensagem que, bem lá fundo, quer dizer:

"Mulher, se você é mãe e está em fase de amamentar seu filho, não saia na rua. Se seu filho ficar com fome na filha do banco, você vai ter que deixá-lo chorando desesperado porque amamentar em público é uma aberração."

Defensores do CQC vão dizer que estou exagerando, mas se pararem para pensar no que seus queridos ídolos falaram, a única maneira de evitar ver mulheres amamentando nas ruas é prendendo-as em casa. É isso que o CQC prega?

Se não é, já passou da hora de não apenas Tas, mas todos os seus puxa-saquinhos pedirem desculpas. Isso não tem nada a ver com ser "politicamente correto", com não aceitar a opinião alheia. Humor não é desculpa para ofensa.

g disse...

As mulheres solteiras eram proibidas obter a pílulas anticoncepcional nos anos 1960,pois cabia ao homem cuidar do corpo da mulher sendo assim só mulheres casadas e com a permissão do marido poderiam fazer uso de tal método.Pois convenhamos era muito feio para uma dama sair por ai trasando com qualquer estranho,afinal mulher de respeito fica em casa escondida amentando seus filhos.Mas e lógico que um bando de mulheres de uma geração que não souberam pedir respeito da maneira certa.Lutaram pelo seu direito de ser vadia! E@SucksLaahSays e triste quando isso ocorre.Né?
PS:UM PARABÉNS AS MULHERES SEM RESPEITO POR LUTAR SEMPRE POR SUA EMANCIPAÇÃO.

g disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
g disse...

Peço desculpas não posso ler todos pots pois estou trabalhando,mas parabéns pelo debate!

Fabiana Zardo disse...

Ághata, e você acha que ele deu essa opinião por quê? Estávamos discutindo exatamente essa questão da amamentação em público e eu expondo pq sou a favor e ele contra.
E ele é contra e acabou. A diferença é q ele jamais mandaria alguém não fazer, nem mandaria alguém sair do mesmo lugar que ele por causa disso. Os incomodados que se mudem, concorda? E o mais importante: ele respeita o meu direito e o de todas as mulheres de fazerem aquilo que acham certo. Sem encher o saco, o que é o que mais amo nele.
Repito novamente: mania de achar que o que eu acho certo deve ser enfiado goela abaixo. Por acaso, seu/sua companheir@ é a pessoa politicamente mais correta que existe?
Com relação ao repúdio por e-mail, acho sim que isso pressionaria a mídia a fazer algo a respeito. Eu acompanhei o CQC após o caso da Lola e o Tas simplesmente ignorou o que aconteceu, não deu resposta ao público nem nada. Fingiu que não era algo importante e está fugindo da raia. Temos mais é que cobrar uma posição dele. Seja afirmando a cretinice ou se retratando.

Fabiana Zardo disse...

Aghata, namorado da Fabiana falando, auto analise vc faz? pelos comentário parece que não... cada um acha e faz o que bem entender... a polemica por trás de tudo somente coloca em destaque a guerra dos sexo... mulheres estão cada dia mais assumindo as posicões de destaque na sociedade, porém existem pessoas que adoram fazer tempestade em copo d água... seu post demonstra exatamente o que quero dizer, não acrescenta nada ao que está sendo discutido aqui e apenas faz críticas de pessoas que não conhecem... Falar mal dos outros é facil, duvido apontar o dedo no espelho e falar que esta errada.... Mulheres são cada vez mais independentes, mas como os homnes ainda falta bom senso....
Por fim, criticando personagens, Rafinha Bastos que é tão mais machista sem noção do que o Marcelo Tas e não vejo a criticas a ele, inclusive o pior comentario sobre o assunto foi dele...

Sara disse...

Tati, questionar é um direito de qualquer um! Quando você não pode questionar, chama-se ditadura, fascismo e sei lá mais o que. Você pode questionar gritando com dedo na cara ou ou fazer uma indagação com um tom de humor, sim!
Quanto ao homossexualismo, na minha opinião, é opção sim. E cada um cuida da sua vida. Eu estou aqui porque sou a favor de todos viverem em paz, cada um na sua vida, sem lâmpadas na cabeça de ninguém e sem pedradas na igreja de ninguém.

Robson Fernando de Souza disse...

Acho que essa @suckslaahsays está trollando, só pode ser.

Quanto ao Tas, me enoja a hipocrisia. Ele deu essa participação na Crescer simplesmente pra tentar limpar sua imagem, pra se mostrar amiguinho das mães que amamentam. Só que não está esclarecido sobre o que ele enfim pensa da amamentação em público.

Letícia Bispo disse...

Quanto será que a revista recebeu pra publicar essa matéria?

Doutor Sujeira disse...

Acho que o problema do CQC (e do Tas) não é "só" a misoginia. Claro, esse é um problema grave. Mas há outros igualmente impressionantes: o moralismo conservador e a ideia de que as coisas e pessoas públicas são sempre ruins também é asqueroso. Nunca vi o CQC criticar uma empresa privada, porque será? Tenho pânico, ops, desse pessoal.

Tati disse...

Sara,

Sinto dizer, mas você não respondeu a nenhuma das minhas perguntas.
E sobre você achar que homossexualidade é opção, ainda bem que é só sua opinião.
E ainda bem que sua opinião contraria estudos científicos e mesmo a lógica.
Engraçado, sou lésbica mas não me lembro de ter escolhido ser assim. Mas você, como heterossexual (?) deve saber mais do que eu, né?
Alias, em que momento você escolheu ser hetero?

Outra: mesmo que na sua concepção a homossexualidade seja uma escolha individual, isso não elimina o seu dever de RESPEITAR os outros.
Respeitar inclui não ofender. Piadas com temática gay são geralmente ofensivas e fomentam estereótipos defendidos por homofóbicos.


Sua liberdade de expressão termina quando você fere a dignidade de outra pessoa!

Koppe disse...

Aí está uma boa pergunta, Dr Sujeira...

"Nunca vi o CQC criticar uma empresa privada, porque será?"

exit disse...

Desde quando "tudo pode" anda junto com "politicamente correto". Acho esse termo "politicamente correto" muito "errado". Desde quando existe mesmo um certo e errado? "Politicamente correto" pra mim significa ter ética!! Seguir essa ou aquela tendência política não é algo que se chama de certo ou errado. Esse ambiente pode ser esquerdista, mas nunca na vida será ruim conversar com um direitista esclarecido que saiba ser ético!!! Que não falta com respeito aos outros!
O fato de algumas pessoas se incomodarem com seios de fora não lhes dá o direito de dizer quais seios deveriam estar de fora, quais seios deveriam ser tapados com lencinho. E se vc pensa assim, Sux (seu nick te descreve perfeitamente), põe um lencinho no decote, pq tá incomodando, é impossível não olhar!
É claro que nos intimidamos quando vemos qualquer nudez, seja o peitoral sarado de um homem que anda sem camisa, seja o seio da senhora que amamenta, mas vc tem que ser muito imbecil pra querer que as pessoas vistam ou escondam o que sempre esteve à mostra!
E se homens sarados depilados ou pançudos e peludos podem andar por aí sem camisa, eu também quero andar sem blusa a hora que eu quiser! Em casa,debaixo do sol, na praia, jogando bola, na hora que eu quiser!!!

Maysa Leão disse...

Minha nossa, que comentário triste foi este primeiro. Retrata exatamente os males que o machismo acarreta. É muito feio amamentar em público porquê? quem determina? eu lhe digo minha cara: o machismo do qual vc tbm é vítima, o machismo que te faz pensar dessa forma que vc julga razoável, mas é no mínimo ingênua. É ele que determina que o seio tem apenas a conotação sexual, fora desta conotação, causa repulsa, é feio.

ntwrdprss disse...

'...Rafinha Bastos sendo considerado um dos homens mais influentes do mundo mostra-se com uma postura irresponsável e conCervadora'

acuma?

Pedro disse...

É sempre assim. Todo criminoso busca uma maneira de se "justificar". Se mata, é porque foi traído; se estupra, é porque ela era uma vadia. O pior é que funciona. Nossa sociedade é que é vagabunda. Um bando de gente estúpida defendendo que crime tem justificativa. Depois, quando uns e outros defendem que quem rouba é porque é excluído, os mesmos defensores dos estupradores vão gritar que é um absurdo. Absurdo é jornaleco estrangeiro que dá espaço pra um imbecil que faz comentários que causa revolta até entre os presos. Pela lógica desses idiotas, quem tem dinheiro merece ser roubado e tem que agradecer, afinal, ele é culpado por sair se exibindo!

Marcelo disse...

O Tas é bem dissimulado. No CQC não pode piada contra judeus e paulistas. O idiota do Rafinha merecia o primeiro lugar no top five por considerar que estupro também é sexo. Sexo contra a vontade e sem prazer? É um babaca. Mas, é fácil imaginar como ele desenvolveu essa ideia. Algumas mulheres devem ter dito que transar com ele era como um estupro e o gênio concluiu que estupro era um sinônimo para sexo. Algumas pessoas nunca aprendem.

Marcelo disse...

Sei quem é Dolores Abramovich. Sem quem é Judith Butler. Sei quem é Simone de Beauvoir. Sei quem é Monique Wittig. Sei quem é Teresa de Lauretis. Sei quem é Rita Schmidt. Sei quem é Rita Felski. Sei quem é Zahidé Muzart. Sei quem é Donna Haraway.

Mas não sei quem é esse tal de Tas. Nem o que é esse tal de CQC.

lola aronovich disse...

É? Quem é Dolores Abramovich? Não conheço.