quarta-feira, 25 de maio de 2011

DICAS PARA PREVENIR ESTUPROS. NÃO SE OFENDA!

Siga essas dicas de prevenção de estupro. Sim, sabemos que é difícil, mas... você consegue! (Imagem tirada daqui, de um texto que circula já faz um tempinho na internet. Tradução minha).

1. Não coloque drogas nas bebidas das pessoas para controlar o comportamento delas.
2. Quando você vir alguém andando sozinha, deixe-a só.
3. Se você encostar seu carro para ajudar alguém com problemas no carro, lembre-se de não estuprá-la.
4. Nunca arrombe uma janela ou porta trancada sem ser convidado.
5. Se você estiver num elevador e mais alguém entrar, não a estupre!
6. Use o sistema de amizades! Se você não for capaz de deixar de estuprar as pessoas, peça a um amigo para ficar com você enquanto estiver em público.
7. Seja sempre honesto com as pessoas! Não finja ser um amigo preocupado para conseguir a confiança de alguém que você pensa em estuprar. Pense em falar pra ela que você pensa em estuprá-la. Se você não comunicar suas intenções, a outra pessoa pode ver isso como um sinal que você não pensa em estuprá-la.
8. Não se esqueça: você não pode transar com alguém a menos que ela esteja acordada!
9. Leve um apito! Se você está preocupado que pode estuprar alguém acidentalmente, você deve dar o apito à pessoa com quem você está para que ela possa usá-lo se você tentar alguma coisa.
10. Não estupre.
---
Se você, homem, sente-se ofendido porque escrevo o estuprador no masculino e a vítima no feminino, saiba que infelizmente é assim que o estupro funciona no nosso mundo. Em vez de reclamar desta realidade, que tal tentar mudá-la? Faça a sua parte.
Faz meses que li esta notinha num tumblr americano. Agora a traduzo:

Caro Todososhomens,

Quando nós recla
mamos sobre homens estuprando, abusando, incomodando e recusando-se a nos dar direitos humanos, e você vem furioso dizendo 'Mas não são todos os homens que são assim! Como vocês ousam inferir que eu posso ser assim?”, você não acha que o problema pode vir do fato que você fica furioso com a gente por reclamar, ao invés de ficar furioso com seus colegas garotos e homens por esta misoginia duradoura? Ao invés de ficar furioso por nós apontarmos que tantos homens agem dessa forma -– incluindo homens em quem as mulheres confiam plenamente –- fique furioso que existam homens que tratarão mal sua mãe, irmã, filha, amiga, namorada simplesmente por elas serem mulheres. Não apenas isso, mas esses homens te dão uma má fama, não a nós.
Atenciosamente,

Mulheres


Tradução imagem 1: Vivemos numa sociedade que ensina a não ser estuprada, ao invés de não estuprar.
Imagem 2: Beber não é crime. Estupro sim. (Crise de Estupro – Escócia).

Imagem 3, da série “Minha força não é pra machucar”: Então quando paguei o nosso jantar, ela não me devia nada. Slogan: Homens podem parar com o estupro.

107 comentários:

Pentacúspide disse...

BOA! de todos os tipos de "dez mandamentos" que já encontrei este ano, este é de longe o melhor. 10 pontos. Pois o necessário mesmo é uma "auto-inspecção", visto que a maior parte dos violadores alega depois: "ai, não se o que me tomou e perdi o controlo", assim vale a pena prevenir para que o controlo não se perca quando se é atreito a perdê-lo.

Bruno S disse...

Muito boa a citação.

Serve para a gente lembrar que parte considerável(a maioria?) desses crimes é praticada não por "bandidos comuns", mas por caras com quem dividimos ambientes de trabalho, mesa de bar, hábitos de consumo e que estão aparentemente fora de suspeitas.

lola aronovich disse...

Gente boa, o Blogger continua oferecendo problemas pra quem tenta comentar. Não sei se é só no meu blog (duvido!), ou se é um problema de vários blogs da plataforma Blogger, deste sistema Blogger que já falhou feio faz poucos dias.
Por favor, tenham paciência. Recomendo SEMPRE (não só agora que tá dando problema) sempre apertar o copy antes de apertar a tecla do "publicar comentário". Desta forma, se algum problema acontecer e seu comentário sumir, é só vc apertar paste, que ele está lá. Isso vale principalmente pra quem escreve comentários grandes. Já aconteceu bastante comigo de perder comentários, e sei como é frustrante. Por isso sempre copio antes (aliás, como o Word fica sempre aberto aqui no computador, eu escrevo o comentário no Word, e depois só copy and paste).
Qualquer coisa, mande o comentário pro meu email lolaescreva@gmail.com que eu o coloco aqui quando puder (porque não vou estar aqui o tempo todo).

Abração e desculpem!

Lord Anderson disse...

Muito, muito bom.

Ajuda a tirar o foco da vitima e passa para quem de fato precisa, o estuprador.

Alem de denunciar que muitas praticas que alguns caras acham "normais" são sim, estupros pura e simples.

Espero sinceramente que mais homens reflitam e entendem oq isso significa.

Zilda Santiago disse...

Excelente!!!Compartilhadíssimo!!!!Bjsssssss

Barbara O. disse...

mereceria um cartaz em cada escola, faculdade, empresa, indústria...

Janaina disse...

Excelente post, Lola! Nós, mulheres, estamos sempre atentas e tentando nos proteger, mas se houvesse a cooperação deles, tudo seria muito mais fácil. Já estou compartilhando!

Imprensa na rede disse...

Meu nome é Tatiana Dias e trabalho para uma empresa de Comunicação e Marketing, na Espanha. Gostaria de saber se te interessa colaborar com uma campanha de publicidade de um site de classificados gratis no Brasil. Pagamos 50 euros por PayPal pelo trabalho.
Se está interessada na proposta, não deixe de entrar em contato comigo em este mesmo e-mail: tatiana.segala@gmail.com
Atenciosamente,
Tatiana A Dias

André disse...

Mas o foco do combate ao estupro tem que ser nas mulheres, são elas que tem que aprender que ser estuprada é um crime e deve ser denunciado mesmo que o criminoso seja o pai/amigo/colega, são elas que tem que encontrar amparo e proteção do estado. Acredito que tratar todo homem como possível estuprador, a menos de situações muito específicas, é errado, não por ser ofensivo aos homens não-estupradores, mas por ser ineficiente.

Niemi Hyyrynen disse...

Lola genial o post ja estou repassando o cartaz.

Recebeu o meu texto? Já está revisado.

André

Muitas mulheres não denunciam o agressor por ele morar em ambiente próximo da vitima, muitas vezes ele é um familiar, alguem que frequenta a casa da pessoa. E eles são tão covardes que se utilizam de chantagens para que a mulher fique calada. Isso não, quando pelo proprio machismo, a mulher resolve denunciar o abuso e é desacreditada, procure no google há até casos que a mulher é presa depois de denunciar o estupro!

Vc como homem tem muito mais creditos para chegar nos seus amigos e falar do assunto, a melhor politica é o debate.

Já ouviu aquela frase que o maior problema está nas pessoas "de bem" que não fazem nada para impedir a maldade daqueles que são ruins?

Então.

aiaiai disse...

genial!

Fora do assunto mas genial também, leiam o manifesto da esquerda festiva!

http://migre.me/4DmM2

Giovanni Gouveia disse...

Só faltou: "Não é não"!!!

Não me ofendi!

P.S> Adorei o tao dançando no avatar de Pentacúspide

Daní Montper disse...

Amei, Lola!

Concordo com quem disse que deveria ser colado nos muros e pilastras de escolas, universidades, escritórios, ruas etc

Carina Prates disse...

Segundo o André, remediar é mais eficiente do que prevenir.

Tanko disse...

André, o eficiente mesmo seria capar ou matar o agressor, mas infelizmente isso é contra a lei.

denise disse...

Lola o texto parece a nós mulheres tão obvio, chega a parecer sarcástico, mas infelizmente não é, que bom seria se muitos homens tivessem acesso a ele e refletissem, que bom se houvesse mais empatia entre homens e mulheres, mas parece haver tão pouca.

denise disse...

Lola o texto parece a nós mulheres tão obvio, chega a parecer sarcástico, mas infelizmente não é, que bom seria se muitos homens tivessem acesso a ele e refletissem, que bom se houvesse mais empatia entre homens e mulheres, mas parece haver tão pouca.

André disse...

Niemi, nenhum amigo meu estupra ou tolera o estupro. Tudo bem que eu vivo num ambiente privilegiado, mas nem sempre foi assim e eu nunca vi alguém se gabando de ter estuprado uma menina. Os estupradores sabem que estão errados, tanto que o fazem escondidos e ameaçam as vítimas para que não sejam denunciados.
Carina e Tanko, ou eu não me expressei de forma clara ou vocês entenderam errado o que eu disse.

dsc disse...

Acho isso tudo bastante ridículo por um ponto muito simples.

Estupradores não são homens mal-educados, sem etiqueta. São psicopatas.

Ninguém pode seriamente esperar que psicopatas façam a coisa decente de não estuprar.

Não é muito diferente de recomendações para não se ser vítima de assalto meramente como roubo. É idiotice fazer campanhas de protesto, dizendo "a sociedade ensina como não ser roubado, não ensina a não roubar".

A sociedade também não ensina a não usar o próprio bebê como saco de pancadas, mas tem gente que literalmente faz isso. Literalmente.

Não é algo que precisa ser explicitamente ensinado. Pessoas não-psicopatas já naturalmente não fazem isso, nem conseguiriam, é contra a sua índole. Não é meramente uma questão de "educação" no sentido de etiqueta.

É o mesmo com estupro. E isso não vai mudar com campanhas de cartazes e blogs em posts. Na verdade, se seguido literalmente, a tendência seria um prato cheio para os estupradores, que estão pouco se lixando para isso tudo, e só teriam vítimas mais fáceis, iludidas por estúpido enquadramento da coisa em torno de "culpa" de se colocar em situações de risco.

Será que vamos ver campanhas parecidas dizendo, sobre assaltos, ou roubos à domicílios, em vez de "compre cadeados", "compre um cão de guarda", "instale um alarme", "contrate uma companhia de segurança", coisas focadas no indelicado ladrão, "não fique xeretando nas jenelas vendo quem tem coisas que você poderia roubar", "não estude as casas que parecem ser mais fáceis de roubar e possíveis trejetos de fuga", etc? Por algum motivo não vejo isso acontecendo, parece que há qualquer coisa que faz as pessoas serem mais sãs nesse caso.



Ah, e não há mesmo por que se preocupar muito quanto a drogas adicionadas em bebidas porque isso é um mito. Não há uma droga "sem gosto e sem cheiro" como muitas vezes anunciado. Esse mito já fez mulheres perderem o caso de estupro no tribunal. A droga do estupro é realmente apenas o álcool. E embora seja possível que em alguns casos seja acrescentado mais álcool à bebida alcoólica, o principal cuidado deve ser não beber além da conta. Ninguém pode te forçar a beber, mas podem te forçar a fazer outras coisas depois de enxer a carar, não precisa nem ser "forçar" literalmente, pode ser só convencer. E isso não vale só para estupro, ainda que esse tipo de assalto seja o mais comum.

dsc disse...

Vocês acreditam mesmo que o estuprador é só um cara comum, uma pessoa qualquer, com um problema de "educação" no sentido de etiqueta?


Algo que se resolveria mais ou menos como se resolve falar para as pessoas não jogarem lixo no chão ou não falar de boca cheia?


Vocês acham que os crimes de assalto e roubo poderiam ser também melhorados com um enfoque similar?

Em vez da vítima evitar "dar bobeira" com coisas caras, não ter cães de guarda, cadeados, etc, deveria poder andar tranqüila por onde quiser carregando o relógio ou celular que quiser, dormir com as portas destrancadas, que a culpa é só do ladrão, então ele é que tem que fazer a coisa decente de não roubar?

Seria bom hein. Os problemas de segurança acabariam se fizéssemos uma campanha assim também. E todos poderíamos dormir tranquilamente com nossas casas destrancadas, porque os ladrões teriam finalmente colocado a mão na consciência ao ver cartazes e posts em blogs como esse.

Veriam uma casa ou uma pessoa "dando sopa" com algo caro, mas, agora, sabendo que é errado mesmo, iriam conter seu impulso de roubar e fazer o que é decente.

Carina Prates disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carina Prates disse...

dsc, recomendo que você leia o livro: Sexualidade violentada - Uma tentativa de destruição.

Carina Prates disse...

Ou então leia sobre a "cultura de estupro". Leia também sobre o perfil dos homens estupradores e perceberá que não se trata de psicopatas, como vc comentou. Refutar as coisas no achismo é que não muda nada.

Carina Prates disse...

Ah, sim. Só pra não esquecer, leia também sobre a forma como o estupro é utilizado como arma de guerra... e como corretivo para lésbicas... e sobre estupro marital...
Poxa, quanto psicopata no mundo.

lola aronovich disse...

DSC, então a sua solução pro problema do estupro é... nenhuma? Fácil e conveniente pra vc, não? Afinal, vc só pode ser homem. Essa total falta de empatia com vítimas de estupro, infelizmente, é coisa de homem. Entenda que não se pode comparar estupro a assalto. São coisas totalmente diferentes. Não se assalta alguém pelo poder que isso dá ao assaltante, e sim pra conseguir alguma coisa. Se vc acha que o estuprador quer acima de tudo sexo, está enganado. Estupro tem muito mais relação com poder, com violência, com humilhação, que com sexo. Então vc já parte de um pressuposto errado sobre o que é estupro. E, pelo jeito, vc acredita na ladainha que estuprador é um psicopata que fica à espreita nas ruas desertas à noite, esperando passar uma mulher. Não é verdade. Esses casos de estupro representam apenas 20% do total. Os outros 80% de estupros são cometidos por conhecidos – pai, padrasto, tio, irmão, primo, vizinho, amigo, colega de trabalho, chefe, paquera, etc etc. Todos esses homens são psicopatas? Ou são pessoas bastante comuns? A estatística MUNDIAL é que 30% das mulheres já tenham sido abusadas sexualmente. Isso quer dizer 3 em cada 10. É muita mulher pra pouco estuprador, não acha? Quando a gente fala em “cultura de estupro”, quer dizer que vivemos num mundo em que os homens fazem muito pouco do estupro. Boa parte nem acredita que isso existe. Tenho certeza que muitos estupradores nem acharam que estupraram, porque insistiram, porque vieram com a historinha de que “é claro que vc quer”. Se a mulher está chorando, implorando, dizendo que não, muitos homens acham que é um mero capricho. Um joguinho. Várias pesquisas mostram que homens sequer sabem o que é estupro. Quando se pergunta “vc já estuprou alguém?”, as respostas são diferentes de “Vc já forçou alguém a fazer sexo?”, ou “Vc já fez sexo sem o consentimento da outra pessoa?”. Ué, mas forçar alguém e não ter consentimento não são as definições de estupro?! Não, parece que não, pra muitos homens. Então não tem nada a ver com questões de etiqueta. Tem a ver com conscientização mesmo. Começando por vc, que, do alto do seu privilégio, não faz a menor ideia do que está falando, mas vem a um blog feminista dizer que qualquer ação contra estupro não resolve.

Aoi Ito disse...

Lola, muito bom o post. Tava rolando uma discussão semelhante nesse fórum: http://www.zeldauniverse.net/forums/serious-discussion/126409-slutwalk-whos-heard-of-it.html Recomendo MUITO ler todo o tópico (Em inglês) já que tem vários pontos de vista, mas dá pra separar entre os que acham que mulheres não são culpadas por seu próprio estupro (óbvio) e os boçais que acham que mulheres "pedem por isso". Claramente o maluco com avatar e assinatura dos EUA se encontra no segundo grupo. =p

Eu lembro de quando teve o caso do menino Hélio, que foi arrastado e morreu. A mãe tinha parado o carro no farol de noite, rua vazia etc. Não vi NINGUÉM dizer que ela pediu pra ser assaltada e ter o filho morto, todo mundo queria a morte dos moleques que cometeram a atrocidade. Por que assim não é com estupro? É tão naturalizado assim? Eu acho que é mais fácil esperar que você seja assaltado num carrão, parando num farol de noite com crianças dentro que ser estuprada enquanto anda sozinha, mas é culpa da mulher quando ela sofre algo que ninguém imaginaria. Nem falo "andar de noite" e "andar com pouca roupa", já que né, estuprador raramente é um bicho que pula em cima de você e te arrasta pra um beco. Existem, mas a maioria é date rape ou estupro marital.

(Favor notar que eu não tô falando que a morte do menino João Hélio foi culpa da mãe dele, só comparando as duas situações)

Por que é mais fácil ficar procurando a culpa da mulher? Uma mulher, como eu disse no tópico, NÃO se estupra sozinha. Ela é completamente passiva nessa situação. Quem está agindo, cometendo o crime, é o homem, então por que procurar a possível culpa da mulher? Não importa o que ela fez antes, senão tudo é motivo para justificar estupro. Ah, ela se vestiu com pouca roupa. Ah, ela tinha jeitão de lésbica. Ah, ela tava andando sozinha. Ah, ela tava me provocando com coisa X ou Y. Ah, eu a-do-ro meninas punk. Então eu posso bater num babaca da minha faculdade, que é abertamente homofóbico e machista, chama todo mundo que não é de extrema-direita de comunista e tenta desprezar as opiniões deles assim? Porque ele tá me provocando, ele sabe que eu sou queer e continua falando merda. Pode isso, Arnaldo? A culpa vai ser dele, né? Então assim eu posso fazer tudo, é isso? Virou bagunça? Ah, vou lá roubar aquela Ferrari porque o dono dela estacionou perto e tava me provocando com ela. Vou bater em qualquer um que me irrita porque ele estava pedindo por isso. Vê? Essa lógica de victim-blaming é tão ferrada, não faz sentido algum. Me ameaçaram de estupro enquanto eu estava crossdressing, porque notaram que sou biologicamente mulher! Acho que isso é mesmo o estupro corretivo, sorte que tive coragem de levantar o dedo do meio e tava perto de casa :/ Mas que o cu ficou na mão, ficou. Então se uma mulher se veste com pouca roupa, ela está pedindo por isso. Se ela usa uma saia acima do joelho, uma calça justa, salto-alto, ela está pedindo por isso. Se está vestida de modo não-convencional, contra o papel de gênero, ela está pedindo por isso. Provavelmente se ela usar saião longo e blusa de gola e manga comprida, com tênis, vai estar provocando também porque ela parece uma virgem inocente, né?

É um jogo que não tem como ganhar. A escolha de estuprar é do estuprador, até porque não se tropeça e acidentalmente estupra uma pessoa, não tem como não notar a falta de consenso. Se ele tem essa escolha, a culpa do estupro é DELE. Simples assim. A continha é tão fácil, mas parece que o pessoal não entende. :/

Aoi Ito disse...

http://slutwalkseattle.com/

Also, outro bom site anti-estupro. Recomendado.

Aoi Ito disse...

http://youarenotsosmart.com/2010/06/07/the-just-world-fallacy/

E isso também! Esse acho que você vai gostar muito, Lola! Desculpe pelo flood. :)

Amana disse...

Genial. E a frase "Vivemos numa sociedade que ensina a não ser estuprada, ao invés de não estuprar." resume tudo.
É tão difícil entender?

Estou realmente pensando muito com seus ultimos posts sobre estupro...

bjs!

J.A disse...

Como um colega acima disse, acho de uma ineficácia tremenda essa campanha.

Estupradores não são homens mal educados, são psicopatas que devem ser presos.
Se não um psicopata, um bandido doente que, da mesma forma, precisa ser preso.

Querer ensinar o estuprador a não estuprar é o mesmo que querer ensinar o pedófilo (que não deixa de ser um estuprador) a não abusar.

Essa situação só melhorará quando o estuprador souber que o seu ato não ficará impune, quando o abusador infantil souber que seu mundo cairá abaixo se ele cometer o ato hediondo que passa por sua mente.

O governo precisa colocar como prioridade a segurança da mulher, a polícia precisa ser eficaz.

Tenho certeza que nenhum homem minimamente normal é amigo de um estuprador, a não ser que não saiba sobre esse lado obscuro desse "amigo".

aiaiai disse...

andré,

sabe o que quer dizer contradição?

É isso que vc fez:

"nenhum amigo meu estupra ou tolera o estupro..."

"... eu nunca vi alguém se gabando de ter estuprado uma menina. Os estupradores sabem que estão errados, tanto que o fazem escondidos e ameaçam as vítimas para que não sejam denunciados."

se os estupradores não se gabam disso, como é que vc sabe q nenhum amigo seu estupra ou tolera o estupro?

aiaiai disse...

e dsc,

vc acha que o Dominique Strauss-Kahn é um psicopata?

Aoi Ito disse...

J.A, tecnicamente um pedófilo é uma pessoa que sente atração sexual por crianças. Isso não necessariamente implica que ele vá estuprar crianças - Pode haver pedófilos por aí que, por reconhecer que sua preferência sexual implica em coisas MUITO ruins, prefere ficar com, sei lá, lolicon, shotacon. Deplorável, sim, mas ele não estaria abusando ninguém. É tudo uma questão de escolha. Acho muito esquisito isso de que pessoa X AUTOMATICAMENTE vá fazer Y, e então não tem chance além de let it be e depois prender.

Até porque é socialmente aceitável forçar uma mulher a fazer sexo se "ela provocou". :) Se fossem só psicopatas doentes assassinos, não haveria casos de "poxa, ele era uma menino TÃO BOM, nunca teria feito isso". É quase um caso de No True Scottsman. Todo estuprador é psicopata e não tem jeito. Fulano X estuprou e ninguém nunca falou nada dele, ele era um menino ótimo. Então na verdade ele era um psicopata? Como disseram, então quantos psicopatas ou doentes no mundo, hein? Assim até soa como uma justificativa, bem do tipo "boys will be boys", "homem não se segura"... Tirar o estuprador do conceito de homem e botar ele como "outro", quando o estupro É socialmente aceito. Estupros maritais, por exemplo... Todas essas mulheres se casaram com psicopatas ou perturbados? Se estupro não fosse socialmente aceitável, será que haveria tantos estupros assim? Será que haveria tantos psicopatas assim?

Hide yo kids, hide yo wife, hide yo husband, cuz they be rapin everybody 'round here; já dizia o sábio filósofo Antoine Dodson.

Lord Anderson disse...

J.A., Andre, dsc

Então pq tantas mulheres são violentadas por conhecidos e mesmo familaires?

A campanha é importante sim, até pq existe muitos casos em que algumas pessoas não acham que seja um estupro quando o cara, dá uma forçadinha "basica".

A propria ideia do "ela diz sim, quando fala não" é um exemplo dessa mentalidade.

Sem contar, os caras que tentam fazer a moça ficar embriagada, ou mesmo colocam algum tipo de droga na bebida delas.

Esses sujeitos não são doentes ou psicopatas, e na maioria das vezes nem consideram oq fazem um estupro.

É justamente isso que essa campanha quer fazer.

Que os homens abram os olhos e entendam todas as situações em que o estupro ocorre.

J.A disse...

Aoi Ito

Não acho que seja algo socialmente aceitável.
Mas lendo outros comentários, vejo que existe também uma questão cultural nessa questão. Isso deve mudar.
Nesse sentido sim acho que os homens devem ser conscientizados; mas de forma geral, não acho que o estupro seja algo socialmente aceito.
Sim, uma pessoa que abusa crianças não necessariamente é um pedófilo e um pedófilo não necessariamente abusa de crianças. Eu estava simplificando apenas.

Sobre psicopatas... Existem mais psicopatas por aí do que vocês imaginam.
Acredita-se que uma pessoa a cada 30 seja psicopatas:
http://super.abril.com.br/ciencia/seu-amigo-psicopata-446474.shtml

Mas reconheço que estava sim equivocado em alguns pontos. O comentário da Lola sobre o assunto foi bastante pertinente.

Leo disse...

Lola, totalmente off-topic, dá uma olhada nessa matéria:
http://www.dailymail.co.uk/news/article-1389593/Kathy-Witterick-David-Stocker-raising-genderless-baby.html
É bem interessante, sobre pais que resolveram criar seu filho recém nascido sem um sexo predefinido, de forma que ele possa estar livre pra escolher...

Aoi Ito disse...

J.A, digo socialmente aceito no próprio sentido do victim blaming. Claro que não é no sentido do estupro na cara dura, que eu acho que a maioria das pessoas pensa que é estupro (O maluco que surge do nada, põe uma faca no pescoço da mulher, leva pro beco, etc. E até nesse tipo de estupro tem modos da mulher sair culpada, olha só). Por exemplo, estupros maritais. Pessoal acha que casar significa dar consenso 24h/d, e que uma mulher não pode ser estuprada porque ele é o esposo dela. Mas pode, não pode? Mas ninguém diz que pode, porque não é a noção de estupro que a sociedade haja de existe, mesmo que ainda seja estupro, e é aceito: Então é socialmente aceitável. Uma garota que está de paquerinhas com o gatinho do colégio, ele vai, estupra (Até mesmo eu ia falar "força a fazer sexo", jésus) a menina, mas aí ela queria ter algo mais com ele então ela conseguiu o que queria, ou então ela já tinha pego mais de um cara na vida então não tinha COMO ela não querer. É aceitável um cara forçar uma garota a fazer sexo por X ou Y, mas não seria isso estupro, já que ela não deu o consenso?

J.A disse...

Aoi Ito

Da forma como você colocou agora ficou mais compreensível e especificado.
Pensei que você estivesse falando do estupro de uma forma geral.

Nesses casos concordo com vocês.

Numa parte do livro Os 13 Porquês uma garota que estava bêbada e inconsciente é estuprada por seu "amigo", enquanto outro "amigo" vigia a porta do quarto, numa festa.

Acho que entra bem no que vocês querem dizer.

André disse...

Ai, ai, ai, você sabe o que é tirar uma frase do contexto e inferir dela uma coisa que não foi dita?
Lord Anderson, não acho que todo estuprador é psicopata, mas todos eles tem algum problema.
Por que os estupradores agem escondidos, ameaçam as vítimas para não contar para ninguém o que eles fizeram, tentam negar/justificar o crime (nem que seja com argumentos ridículos como os já citados)? Porque eles sabem que fizeram uma coisa errada. Eles não precisam de esclarecimento. Precisam ser identificados e punidos. Qualquer campanha de esclarecimento tem que focar as mulheres, que normalmente são as vítimas ou estão mais próximas das vítimas (mães, tias, vizinhas, professoras, etc).

Ághata disse...

Não, muitos estupradores não acham que estão errados. Inclusive, há vários documentos com relatos de estupradores em que eles dizem mesmo que o que fizeram não era errado por causa disso ou daquilo.

E muitos não se comportam como se fossem culpados. Já vi o relato de um caso de um garoto que estuprou a namorada e continuou se comportando como se isso não fosse nada - não ameaçou ela, não fez nada para ocultar o crime e no dia seguinte foi pra escola como se nada tivesse acontecido. Até que foi surpreendido pel@s amig@s dela que foram lá lhe descer a porrada.

aiaiai disse...

andré,

não, não sei o que é tirar uma frase do contexto e inferir dela uma coisa que não foi dita?

me explica, por favor!

e aproveita e me explica como é que vc sabe que seus amigos nunca estupraram ninguém se, é óbvio, que os estupradores não saem contando isso para as pessoas?

eu me divirto muito kkkkkkkkkkkkkk

Edson Bueno de Camargo disse...

Mais uma vez divulgando em meu Face e twitter. Simples e lógico.

a sociedade paternalista e patriarcal é psicopata.

pm disse...

Essa etiqueta já vem com um "não se ofenda" pq ela é ofensiva. Eu fui vítima, então como vítima, ler um manual de dicas é de uma falta de sensibilidade...todo e qualquer ser que comete esse crime tem sérios problemas mentais. Sim, existem muitos psicopatas no mundo. Sociopatas, portadores de transtorno de personalidade, qualquer que seja o nome da doença. Pra estuprador não existe manual nem dica pra prevenir nada. Isso parece brincadeira de mal gosto.

Carla Mazaro disse...

Um ponto importante é que campanhas como essa, apesar de focar os homens, acaba atingindo as mulheres. Tenho certeza de que muitas delas não sabem que foram estupradas, ou mesmo "aceitam" a culpa... com campanhas assim, além de colocar a culpa na pessoa certa (o estuprador) conscientiza a própria mulher de que não, a culpa não é dela! Não importa o que ela tenha feito, estuprar não é justificavel! Da mesma forma que homicidio não é justificavel... não importa o que a pessoa tenha feito (pelo menos é o que eu creio - por isso sou contra a pena de morte).
J.A.
Nem todo mundo tem a paciencia da Aoi Ito... e pra nós mulheres que vivemos tão dentro dessa realidade, ás vezes soa absurdo ter que explicar em miudos... mas fico contente que você tenha entendido o nosso ponto de vista.
Obriga Aoi Ito!!
E só uma coisa... "estupros em geral" são por conhecidos... são por causa da mentalidade "ela diz não mas quer dizer sim"...

Carla Mazaro disse...

PM... não entendi... ou vc é homem e se sente vitimizado quando apontam homens em geral como estupradores, ou você é foi vitima de um estupro e pelo titulo do post, resolveu não lê-lo...
Ao contrário do policial canadense que acha que a solução pro estupro é "não se vestir como vagabunda" esse post propõe uma solução verdadeira: conscientizar as pessoas que estupro não tem justificativa!!

pm disse...

Carla, eu sou mulher. Eu li o post inteiro e eu não acredito em cartilha ou manual de conduta para estuprador. Isso é doença, assunto de saúde pública e esse "manual" não me mostra em momento algum que estupro não tem justificativa. Nem uma coisa nem a outra. Eu me sinto ofendida sim, manual é para montar brinquedos, não para doentes mentais.

Débora Lima disse...

Quando li o título do post pensei "Aanh, alguém irritou tanto a Lola pra ela fazer uma lista irônica do que mulheres devem fazer ou deixar de fazer...?", claro que não, tinha que ser coisa muito melhor!

É ridículo de tão obvio, mas os caras acham que estupro é só bandido na rua que faz, o que eles fazem com a esposa, namorada, amiga, irmã, vizinha, empregada, ou uma completa desconhecida, é outra coisa, é só tirar proveito, ser esperto, exercer seu direito... oi? É difícil acreditar neles ¬¬

Mais difícil ainda Não me irritar com os quem vem com a famosa revolta ofendida...

Enfim, genial como sempre Lola!

denise disse...

parabens Lola por tudo o que disse a esse DSC, ele é bem o retrato de grande parte dos homens, e tudo o que vc disse é o que muitas de nós queriamos expressar tambem, e realmente se vc mudar a pergunta, se os homens forem sinceros, muitos terão que admitir , que sim , que eles mesmos foram os tão famigerados estupradores, parece que é dificil pra eles se nominar assim, parece que soa mais suave dizer que forçou, ou fez sem o consentimento.

pm disse...

Débora, eu fui estuprada por um tio. Vc acha que o manual ajudaria a prevenir o que ocorreu? As intenções são muito nobres, mas mostrem o manual para 5 pessoas que passaram por isso - homem ou mulher - e se alguma delas achar que é banalizar a questão, eu revejo meu ponto de vista. De resto, só se sente revoltado e ofendido quem tem motivos para tal. Com todo o respeito, não estamos falando de assalto na esquina de casa, embora o trauma tb mereça o meu respeito.

pm disse...

Corrigindo o que escrevi: se alguma delas NÃO se sentir banalizada.

denise disse...

Olha PM não sei bem se um manual poderia impedir o q te aconteceu, mas uma educação para os homens no sentido de que eles devem entender que não somos objetos para eles , acho que melhoraria sim, aposto que muitas mulheres aqui tb ja sofreram estupros, eu mesma tb e não uma vez apenas infelizmente, tenho certeza absoluta que as pessoas que me agrediram dessa forma não eram doentes mentais muito menos psicopatas, na verdade da primeira vez estavam em 5 homens na praia, não é possivel que todos fossem retardados ou loucos varridos, da segunda foi um amigo acima de qualquer suspeita, portanto acho que é sim um problema de educação machista, seu tio provavelmente se achou no direito de fazer o que fez com vc, não deve ser nenhum maluco.
Ao que parece muitos homens senão a maioria deles não tem empatia com nossos sentimentos, muitos acham normal agir dessa forma, até uma cartilha como essa talvez ajudasse alguns deles.

André disse...

Ai, ai, ai, a Niemi sugeriu que eu esclarecesse meus amigos, eu disse que não precisava porque eles não são estupradores, eu os conheço de longa data, conheço as famílias, ponho a mão no fogo por eles. Extrapolando para os colegas ou conhecidos (a maioria professor universitário ou engenheiro meio nerd), pode ser que algum ache que uma mulher "mereceu" ser estuprada, se esse assunto surgir numa conversa colocarei meu ponto de vista, mas não vou sair pregando contra.
Porém, quando era solteiro eu frequentava ambientes menos família e já tive companheiros de pelada/buteco de péssima fama (um desses é suspeito de ter estuprado e matado uma garota em minha cidade natal, um morreu durante uma briga, dois estão envolvidos com tráfico, um em roubo de carro). Claro que não tenho estatísticas, mas o que eu digo é que, mesmo nesses ambientes, nunca vi ou ouvi falar de alguém que se gabasse de ter estuprado alguém. Ficou mais claro?

Isabel disse...

Serei obrigada a concordar que um estuprador tem, sim, pelo menos um traço de psicopatia: falta de empatia. Pode não ser uma falta de empatia global, mas certamente um criminoso sexual vê aquela mulher como objeto. Ele a usa pra se impor, reafirmar seu poder e tudo mais que foi mencionado.

Nesse caso do traço psicopata, ao invés do diagnóstico em si, realmente pode-se inibir esse comportamento.

O triste é que a gente vive numa sociedade muito psicopática em relação às mulheres. Somos apenas objetos que alguém usa pra vender um produto ou conseguir sexo. Daí a necessidade de educar a sociedade que não são as mulheres que devem se proteger do estupro, mas os homens é que não devem estuprar. Não é educação no sentido de etiqueta. É educar pra pensar na vítima como ela é: VÍTIMA. Não culpada por ter andado onde não devia, usado uma roupa muito curta, não se dar ao respeito - seja lá o que for isso. É extremamente necessário fazer esse trabalho de conscientização.

Essa falta de empatia da sociedade em relação às mulheres é preocupante, muito mais do que a suposta sociopatia dos agressores.

Carla Mazaro disse...

PM, desculpa se fui rude, mas realmente não tinha entendido.... eu nunca passei por uma situação dessa... mas acredito piamente que educar os homens de forma diferente iria diminuir muito os casos de estupro... posso ter esse ponto de vista exclusivamente porque nunca passei por isso...
Enfim... pq se as mulheres não fossem vistas como objeto ou propriedade ou como seres inferiores, os homens agiriam de forma diferente com relação a gente... não vejo essa campanha como uma banalização... é um meio de discutir o assunto... apesar de que eu acredito que ela seja mais voltada ao date rape ou para homens que não ameaçariam uma mulher... mas se encontrasse ela desacordada não veria problemas em se aproveitar dela... não sei se fui clara... mas é isso

pm disse...

Oi Carla, entendi o seu ponto de vista.

Mas pense por outro lado...educação, aquela dos valores básicos, vem de pequeno. E quem faz isso é a mãe. O pai mostra o filho para o mundo, a mãe o traz para si, o protege, tem medo. Quem cria o homem é a mulher. O pai tem um papel importantíssimo na educação de uma criança, mas é ele que da asas, que mostra o mundo, que joga o bebê pra cima sem medo enquanto a mãe teme a queda. Eu acredito na educação da mulher. Acredito que mulheres machistas geram muito mais homens machistas. Meu filho pode tudo, pelo simples fato de ser meu. De me pertencer. Isso é um discurso da sociedade atual que eu venho estudando faz tempo, pq o resultado disso será um documentário.

E quanto mais alta a classe social, pior ainda. Eu sou filha de classe média alta e 10 anos depois de todos os acontecidos comigo, nada foi feito pela minha família. A lei do silêncio impera. É isso que me pega, o buraco é mais embaixo. Não sei se conseguimos atingir o cara com um desejo sexual pervertido e sem nenhuma noção de respeito ou responsabilidade. Ele é tão doente quanto a família que se cala e manda a vítima pra terapia, pois assim é mais conivente.

Mas temos que atingir a família, que cala e torna a vítima responsável pelo seu próprio suplício. Até entender que não existe a culpa, entre outras coisas, e existe vida após o trauma.

Eu tenho muita sorte. Apesar de tudo, eu tenho um bom tratamento. Nisso, para as vítimas, também falta investimento. O que me pega nesse "manual" é que fica parecendo muito simples algo que é muito complexo. As mulheres também precisam refletir pq são elas que educam. Elas são a maioria nas salas de aula. Tem ótimos comentários por aqui. A discussão vai além.

Em um primeiro momento, me abalou bastante ver uma "cartilha" do comportamento pré violência sexual. Ei, amigo...não faça isso, vá bater uma e relaxe. Foi a sensação que eu tive. Mas eu sou a primeira pessoa a querer me unir a outras pessoas que lutam contra essa causa. Somos poucos ainda, e estamos engatinhando.

De qualquer forma, qualquer iniciativa é bem vinda. Vejam as recentes pesquisas, o perigo mora dentro de casa. O pai é o maior violador. Isso não é tenebroso? E quem se cala, a mulher.

Enfim, da pano pra muita manga.

Abraço,
Paula

lola aronovich disse...

Paula, eu acho que a cartilha ou manual quer mais é ironizar quem diz que é a mulher que deve evitar o estupro. Bem no estilo do Slut Walk, sabe? Não acho que as dicas são pra ser levadas muito a sério (apito? Contar com um amigo se o cara estiver a fim de estuprar?). É só uma tentativa bem-humorada de tirar o problema do estupro do âmbito da vítima. Pra mim é revoltante como estupro é visto como assunto de mulher. Parece que os homens não têm nada a ver com a história, sendo que essa história não é feita só de vítimas, mas de agressores. E quem deve mudar o comportamento é quem estupra, não a vítima! Nós feministas vivemos falando de estupro, mas em geral é pra mulheres, pra outras feministas. Em geral falamos pras vítimas. E tenho certeza que muitos estupradores não acham que estupraram, porque eles têm uma ideia tão deturpada da sexualidade feminina, são tão misóginos, que nem veem aquilo como estupro. Imagina se um namorado que força a namorada a transar com ele pensa que é estupro! Ele pensa que tá no seu direito. Afinal, são namorados.
Sinto muito pelo que vc sofreu, Paula. E fico feliz que vc tenha acesso à tratamento e esteja conseguindo se recuperar. Abração!

Bruna disse...

Ótimo. Claro que ainda não dá pra deixar de falar pra nossas filhas, amigas, irmãs, tomarem cuidado. Não dá pra não tomar precauções, não beber demais, não andar em lugar deserto, não confiar em qualquer primo, cunhado, sei lá... Ainda não dá, ainda não dá, infelizmente. Mas acredito completamente que os homens devem ser educados, conscientizados, alertados desde sempre, e acredito que isso pode mudar muito as coisas.

dsc disse...

"DSC, então a sua solução pro problema do estupro é... nenhuma? Fácil e conveniente pra vc, não? Afinal, vc só pode ser homem."

E porque você acha que é exatamente "cômodo" achar que uma mãe, irmã, prima, ou amigas correm sério risco de serem vítimas de estupro?


"Essa total falta de empatia com vítimas de estupro, infelizmente, é coisa de homem."

Ah, que vontade de xingar. Se não fosse a internet, já tinha sido.

Você não sabe porra nenhuma da minha vida para dizer um "a" sobre "total empatia com vítimas de estupro".

Que irônico, e hipócrita, se falar de "total falta de empatia", sem se colocar no lugar da outra pessoa, só julgar, da forma mais preconceituosa possível.

Quando, o que, quando o que eu falo é que simplesmente cartazes pedindo para os estupradores serem bonzinhos, não vão adiantar nada. E cartazes de "estupradores, sejam bonzinhos" aliados a "mulheres, enxam a cara a vontade livres de culpa porque a culpa, se acontecer algo, é só do estuprador", só pioram a situação.


E NÃO TEM NADA DE "CULPAR A VÍTIMA" em se dizer que deve se procurar ter cuidado.

Se uma pessoa esquece as chaves no carro, vai embora, volta, e roubaram o carro, a culpa não é da pessoa que se descuidou, ainda é do ladrão.

Mas é perfeitamente aceitável falar em tomar cuidado para não esquecer o carro, em se ter alarme, em se preferivelmente estacionar em estacionamentos fechados e não na rua, especialmente em lugares arriscados, que você não é um monstro que não tem empatia com a vítima do roubo de carro, que desonera o ladrão.

Só nessa situação de estupro que a de repente a lógica vai para o escambau.



"Entenda que não se pode comparar estupro a assalto. São coisas totalmente diferentes. Não se assalta alguém pelo poder que isso dá ao assaltante, e sim pra conseguir alguma coisa. Se vc acha que o estuprador quer acima de tudo sexo, está enganado. Estupro tem muito mais relação com poder, com violência, com humilhação, que com sexo"

Olha, eu não sei como é exatamente a mente de um estuprador e todas suas motivações.

Tudo que posso saber é que ele não tem empatia com a vítima (e entenda aqui um pouco da indignação em ser acusado disso).

Partindo daí, não creio que seja realista que cartazes dizendo, "sr, estuprador, seja legal, vai, não estupre não, é feio" vão adiantar.

Sim, estupro é bem diferente de roubo, e nessa diferença que essa campanha se mostra ainda mais ridícula.

Já é óbvio ululante que uma campanha do tipo "poderia ter roubado aquele carro dando sopa. NÃO ROUBEI" não vai fazer com que muitos ladrões de carro abandonem a carreira, apesar de, o distânciamento do ladrão com a vítima não "requisitar" que o ladrão seja um psicopata, alguém sem empatia pela vítima. O ladrão pode até ser um cara com uma empatia bastante normal, mas essa distância, não necessariamente ver a vítima, faz com que não seja um problema tão grande.

Agora, com o estupro, a vítima está ali, diante dele, o tempo todo, muitas vezes chorando, implorando para parar, ou, mesmo desmaiada.

Eu tenho que fazer pausas para escrever isso, é algo tão... absurdo... tanto o ato quanto ter que explicar algo que parece tão óbvio.

Um cara que "faz sexo" dessa maneira não é normal. Não importa que ele seja o vizinho, o colega de classe, que não tenha uma cicatriz horripilante feito um vilão de um filme de terror.

De um cara que é capaz de fazer isso, não se pode esperar mudança por esse tipo de campanha, não dá, é um delírio.

Pouco importa se ele "quer uma coisa", ou se é algo para se sentir "com poder". Tanto pior!

dsc disse...

" Então vc já parte de um pressuposto errado sobre o que é estupro. E, pelo jeito, vc acredita na ladainha que estuprador é um psicopata que fica à espreita nas ruas desertas à noite, esperando passar uma mulher. Não é verdade. Esses casos de estupro representam apenas 20% do total. Os outros 80% de estupros são cometidos por conhecidos – pai, padrasto, tio, irmão, primo, vizinho, amigo, colega de trabalho, chefe, paquera, etc etc. Todos esses homens são psicopatas? Ou são pessoas bastante comuns?"

Nada do que eu disse se aplica apenas a esses casos de estupro por estranhos (que, dependendo de para quem se perguntar, não serão tão menos, ou até um pouco mais que os outros, de qualquer modo -- mas esses são os mais fáceis de se prevenir então de certa forma menos preocupantes).

E não há nada que separe os "dois tipos", quando muito, aqueles que já eram próximos à vítima, são mentalmente PIORES, justamente por essa proximidade ser algo que, em pessoas normais, deveria aumentar a empatia, não diminuir.

Como eu disse, "psicopatas", ou "sociopatas", ou "pessoas com distúrbio de anti-socialidade", não são os típicos vilões de filmes de terror, são pessoas que você pode ver e achar que são normais e muito simpáticas. Ted Bundy, por exemplo.



" A estatística MUNDIAL é que 30% das mulheres já tenham sido abusadas sexualmente. Isso quer dizer 3 em cada 10. É muita mulher pra pouco estuprador, não acha?"

Não sei, me parece que a maior parte dos estupradores são seriais. E a estatística mundial distorce um pouco as coisas porque há países como a África do Sul e o Congo, onde as mulheres têm maior chance de serem vítimas de estupro do que alfabetizadas. Essas são verdadeiras "culturas do estupro".

dsc disse...

" Quando a gente fala em “cultura de estupro”, quer dizer que vivemos num mundo em que os homens fazem muito pouco do estupro. Boa parte nem acredita que isso existe. Tenho certeza que muitos estupradores nem acharam que estupraram, porque insistiram, porque vieram com a historinha de que “é claro que vc quer”. Se a mulher está chorando, implorando, dizendo que não, muitos homens acham que é um mero capricho. Um joguinho. Várias pesquisas mostram que homens sequer sabem o que é estupro. Quando se pergunta “vc já estuprou alguém?”, as respostas são diferentes de “Vc já forçou alguém a fazer sexo?”, ou “Vc já fez sexo sem o consentimento da outra pessoa?”. Ué, mas forçar alguém e não ter consentimento não são as definições de estupro?! Não, parece que não, pra muitos homens. Então não tem nada a ver com questões de etiqueta. Tem a ver com conscientização mesmo. Começando por vc, que, do alto do seu privilégio, não faz a menor ideia do que está falando, mas vem a um blog feminista dizer que qualquer ação contra estupro não resolve."


Eu não disse que "qualquer ação contra o estupro não resolve".

Disse apenas que essas ações especificamente me parecem no mínimo infrutíferas, e, infelizmente, muito arriscadas.

Não acho que irá conseguir se convencer qualquer potencial estuprador de que o estupro é errado, não importa se ele não dá esse rótulo a "sexo forçado" ou "sexo sem consentimento", por quaisquer que sejam as "razões" em sua cabeça.

Sexo forçado/sem consentimento simplesmente não é algo que uma pessoa normal não é capaz de fazer. Requer que não haja empatia com a vítima. Isso não é normal. Tente imaginar você fazendo algo parecido, vai se julgar completamente incapaz, não só a parte de usar força física para conter alguém, como isso e ao mesmo tempo manter excitação sexual. Para mulheres talvez seja mais difícil se imaginar nessa situação, de ter um homem recusando sexo, uma vez que os homens são "mais fáceis", mas ao menos tentem. Imaginem se achariam concebível fazer sexo com um cara chorando, etc, etc. Pense então se não é uma enrolação toda essa coisa dos caras que supostamente "não sabiam que ela não queria, que era charminho"*

A impressão que eu tenho é que tal campanha terá a mesma efeitividade de se fazer campanhas com mães felizes segurando seus bebês, com dizeres como, "quando meu bebê estava me irritando, tive vontade de segurar a mãozinha dele contra a panela quente. NÃO FIZ", e etc. Coisas que qualquer mulher normal não precisa dessa referência para "saber", para "se conscientizar".


A única margem para conscientização mesmo é bebida com moderação. Tanto homens e mulheres. Para homens ficarem mais cientes de que podem não se controlar nesse estado, e de que, isso não é (ou não deveria ser) desculpa, e que as mulheres se tornam vítimas mais fáceis assim também, e que devem evitar homens que estejam já bebendo demais. Acho que é por aí.

Para corrigir aqueles que são capazes de estuprar alguém, não sei se tem jeito não. Eu não consigo ver isso como outra coisa senão psicopatia, falta de empatia pela outra pessoa, e isso, infelizmente, parece que não é algo que se consegue "recuperar", e terapias que tentaram tiveram até o efeito de piorar os psicopatas, que aprenderam a conquistar a confiança das vítimas. Fico com medo de uma campanha desse tipo acabar tendo algum efeito parecido, mas não acho que seja para tanto.



* - com exceção de, a mulher estar bêbada e não resistindo mesmo, ou até ativamente participando -- não que isso seja aceitável, mas é a única situação que tem alguma margem para fugir desse padrão de psicopata, tanto mais quanto o próprio cara já estiver bêbado também -- novamente, não que isso o isente de qualquer culpa, especialmente se tiver havido violência, o certo é OS DOIS não beberem além da conta.

http://cityroom.blogs.nytimes.com/2007/10/15/gray-rape-a-new-form-of-date-rape/

dsc disse...

E pelo amor de deus, quando disse que "o certo é que os dois" não bebam além da conta, não quer dizer que, "se a mulher não cumprir a parte dela, então a culpa é dela, merece/pode ser estuprada".

Acho que não existe outro assunto onde é tão profundamente irritante se ser mal interpretado.

Só hoje já fui chamado de estuprador pelo menos uma vez, e de potencial estuprador pelo menos umas duas ou três.

Ainda bem que é interenet. Se fosse pessoalmente era capaz de eu estar na cela de uma delegacia a essa hora.

Menina disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Menina disse...

Você já sofreu violência sexual? A maioria dos homens nunca sofreu. Eu sofri e foi terrível. Eu não denunciei. Eu achava um absurdo uma mulher não denunciar um abuso, mas EU NÃO DENUNCIEI. Por que? Por medo, por vergonha, para não me expor, por que eu achava que a culpa era minha. E quer saber? O cara que me estuprou disse enquanto me estuprava: "Fica quietinha que eu sei que você quer!". Eu acho que ele acredita até hoje eu eu queria que ele me machucasse e me fizesse ficar sangrando, com dores e com medo de pegar alguma doença só pra fazer sexo com ele... Homens deveriam aprender que um NÃO É SEMPRE NÃO, independente de ele achar que é charminho... E que ESTUPRAR É ERRADO.
Você não entende? Eu NÃO QUERO DENUNCIAR. Eu quero voltar ao passado e NÃO SER ESTUPRADA!
Todo menino deveria ser ensinado em casa, na escola, em qualquer ambiente que tocar uma mulher contra a vontade dela é errado, que "passar a mão" em uma coleguinha de escola sem ela querer é errado, que tentar beijar uma garota sem ela querer é errado e que transar com alguém que não quer transar com você é errado!
Isso deveria ser repetido em todos os lugares: MULHERES QUEREM VIVER SEM TER QUE FAZER DENUNCIAS, SIMPLESMENTE POR QUE ELAS QUEREM VIVER SEM SEREM ESTUPRADAS.
Como você pode ter certeza que ninguém no seu meio é hipocrita? O cara que me estuprou é respeitado, tem um alto cargo em uma multinacional, é modelo para muita gente. Meu primo que mordeu minha orelha quando eu era criança e pediu pra que eu não contasse para o meu pai por que ele não iria entender é uma cara bem de vida, profissionalmente bem sucedido, que as pessoas acham que é boa gente.
O cara é psicopata? Acho que não. Ele tem algum problema? Tem sim, de conduta e de educação. Eu sei que é um caminho bem longo entre passar a mão na bunda de uma colega da escola quando se é adolescente e estuprar alguém, mas é assim que começa: ela quer, só está fazendo doce...
Quantos homens, pessoas que convivem comigo, eu já ouvi dizer que tem mulher que merece ser estuprada, que provoca o cara e depois cai fora? Se elas caem fora é por que não querem! É tão dificil assim respeitar? Tem gente que diz que homens pensam com o penis, mas é bem pior, alguns pensam de acordo com uma educação machista e convenientemente seletiva, onde a mulher que provoca e cai fora é por que quer e está fazendo doce. A mulher que diz não, na verdade está dizendo sim. A colega de escola adora que passem a mão na bunda dela e toda mulher adora levar cantada na rua!
Meu NÃO É NÃO!
Eu não costumo provocar ninguém, mas é da natureza humana se sentir inseguro e algo que você queria pode deixar de querer em qualquer momento? Vão dizer que vocês homens nunca broxaram? Nunca perderam a vontade na hora H. Só que se vocês não querem o negócio não tem como continuar e partir pra violencia, a não ser que sejam vocês homens os penetrados! Já se uma mulher "broxa", perde a vontade, a probabilidade de ela ser estuprada é enormemente grande!
DSC: SIM, AS PESSOAS DEVERIA SER ENSINADAS A NÃO ROUBAR, NÃO MENTIR, NÃO COBIÇAR O QUE É DO OUTRO!
"Vocês acreditam mesmo que o estuprador é só um cara comum, uma pessoa qualquer, com um problema de "educação" no sentido de etiqueta? "
Sim novamente, é uma pessoa normal, que está no nosso meio, que pode nunca na vida cometer qualquer outro tipo de crime.
"Vocês acham que os crimes de assalto e roubo poderiam ser também melhorados com um enfoque similar? "
Sim, afinal as pessoas deveriam ter o direito se usar e mostrar aquilo que elas tem, sem ter que se preocupar com um assalto também. Além de dar acesso a estudo, a trabalho digno e outras coisas mais, que as pessoas precisam e por isso roubam.
O estuprador ele não quer nada quando ele estupra alguém, ele nem quer sexo, ele quer mostrar o quão poderoso ele é!

Continua....

Menina disse...

Continuação...

Muitas pessoas tem desejos e as controlam. Uma pessoa que sente atração por crianças e adolescentes, mas que fica longe delas, não vê fotografias e não toca em nenhuma delas, pode ter uma parafilia, mas a sua educação faz com que ele não agrida nenhuma criança ou adolescente. Ou seja, ele não é um criminoso. É uma pessoa que precisa de tratamento, mas não comete nenhum crime.
PM, eu fui estuprada. E também sofri abuso por parte de um primo. Eu fiquei na cama ´por 15 dias. Cortei as costas, meus seios sangravam por que ele mordeu. Ele me forçou a fazer sexo anal. Eu não sabia mais por onde eu sagrava, boca, nariz, etc. Sofri um aborto dois meses depois. E acho sim, que se alguém tivesse repetido milhões de vezes pra ele que: "Quando uma mulher diz : para que eu não quero nada com você. Quer dizer que ela não te quer e isso não te dá o direito de machucá-la" Talvéz ele não tivesse feito isso. Talvéz ele não tivesse por 2 meses me tocado todos os dias, mesmo percebendo que eu chorava quando ele fazia isso. Talvéz quando eu disse: "Não faz isso por que eu não quero", ao invés de ele me bater e me estuprar e me machucar ele tivesse pensado bem e parado com os assédios.
Como eu disse, o cara é respeitado, renomado, ninguém nem pensa que ele possa ter feito isso.
A culpa é minha por que eu não denunciei? A culpa é dele! Da cultura dele!
Sabe o que é sofrer violencia sexual? É deixar de ter controle da sua vida e passar a ter sua vida controlada por outra pessoa. É passar anos fazendo exames para DST's, é sofrer abortos ou ter crianças que você vai olhar e lembrar que é fruto de um ato de violência. É ter seus desejos e vontades subjulgadas.
Um estuprador sabe que muitas vezes ele não precisa nem usar de força física para estuprar, basta ameaçar que a mulher acaba fazendo tudo que ele quiser para não ser agredida.
Tem pessoas que gostam de sexo mais "pesado", tem pessoas que gostam de Sadomasoquismo, dominação erótica. Mas sabe qual a diferença disso pra um estupro? É que esses fetiches tem regras, que segundo li, são incluídas em uma sigla: SSC - São (Somente pessoas sãs podem praticar esses fetiches), Seguro (tudo deve ser feito de maneira a manter a integridade física e psicologica dos participantes, e por último e mais importante: CONSENSUAL (As pessoas tem que estar de ACORDO com tudo que será feito).
Um estupro nunca é consensual, nunca é segura e com certeza na maioria das vezes uma das partes não está sã.
Já ouvi falar de maneiras de "curar" mulheres homossexuais: estuprando-as, para que seja ensinadas a gostar de homens.
Eu não posso ser homossexual se eu quiser?
Eu não posso beber pra me divertir, mas os homens podem, afinal eles não serão estuprados.
Eu tenho que tomar conta das minhas roupas e de como eu me visto, mas um homem não, por que ele não vai ser estuprado.
Eu tenho que ficar de olho em qualquer homem que se aproximar de mim e tentar me tocar, por que ele pode ser um estuprador?
Eu tenho que trabalhar somente em áreas onde tem muitas mulheres, pois áreas típicamente masculinas são cenários para estupro?
Eu tenho que ficar de olho nas meninas da minha familia, por que qualquer homem da minha familia é um potencial estuprador?
Eu não quero viver assim! Quero acreditar que as pessoas são boas e que com boa educação eu não precise viver com medo!
Ser estupra é horrível e eu PRECISO repetir mais uma vez: EU NÃO QUERO DENUNCIAR! EU QUERO VOLTAR AO PASSADO E NÃO SER ESTUPRADA.

beijos

♪ ewerton M. disse...

Na MINHA opinião, essa foi a resenha mais fraca que li da Lola, não por "possíveis ofensas", mas pela inaplicabilidade do proposto, ao menos a quem se endereça, lógico que de pronto, todavia ainda assim vale pelo debate, pois todo debate é valido, mas acho uma, digamos ingenuidade, acha que cartilhas, modos de conduta, passeatas e toda essas "coisas" vão por "transgressores/criminosos" nos eixos, que eles não matarão porque fizeram uma "passeata em pro da vida" ou que bandido vai entregar as armas deles porque temos uma "campanha de desarmamento" que paga uma ninharia em troca da arma, diga-se de passagem... Ou que um potencial estuprador, que com toda certeza sofre algum tipo de distúrbio, algum tipo, em algum grau, porque o cara não conseguir se conter, mesmo que seja sua esposa, namorada ou uma garota que esta no motel com ele e na hora H desiste... (eu ja passei por isso, é frustrante, mas daí a estuprar, vixxxê horrendo!)ele tem la associada a sua educação/cultura um distúrbio de alugam ordem em algum grau... Também não creio que alguém seja amigo ou aprove um estuprador, não os "estupradores convencionais", já em relação ao "estupro velado", creio que pela cultura e pela educação possa sim haver essa aceitação, entretanto o mote da campanha estaria meio que desfocado, e eles não entenderiam, deveria ser refeito... De qualquer forma vale por abordar o tema que de cetro é obscurecido, por muitos viesses...

Deve ser porque sou homem, ai compreendo mais ou menos o que os garotos J.A., Andre, dsc, quiseram expor... Cada uma em seu grau de comprometimento... Acho que não fazer nada como disse a Lola não é o ponto, creio que o ponto principal deve ser voltando na educação infantil como um todo, onde a misoginia, o machismo e demais preconceitos não tenham vez, onde o haja tratamento igualitário entre as crianças, acho também que o incentivo a denuncia é de suma importância, a guarita do estado em casos de dependência economia ou/e emocional, efetivação no tratamento das vitimas e agilidade na punição dos culpados, e vá lá, campanhas do tipo, como um endereçamento para não falar ao vazio.

Mas é só uma opinião gente...


Beijos e abraços!


;)

Menina disse...

Everton, denunciar é um remédio, não uma vacina! E muitas vezes nem remédio é, por que em delegacias por ai não se acredita que exista estupro. A mulher é humilhada mais ainda (você sabe qual o tipo de exame que uma mulher estuprada tem que fazer?), perguntam o que ela estava vestindo, onde ela estava, o por que não gritou ou reagiu... Dizem: “Bonita assim, deveria andar coberta até a cabeça!”, “mulher bonita sozinha pede pra ser estuprada”.
Isso sai da boca de policiais, pessoas que deveriam estar preparadas para atender pessoas que sofreram violencia.
Li uma matéria na revista superinteressante que diz que a maioria dos psicopatas não vira estuprador ou serial killer por que é EDUCADO de maneira que torna-se uma pessoa com consciência. Pode ser que seja uma pessoa, com pouca ou nenhuma empatia, mas ainda assim não se tornará um criminoso.

Flasht disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Flasht disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Camila disse...

O estuprador apoia-se na ideia de que a mulher à sua frente lhe é inferior e, por isso, pode exercer seu poder sobre ela por meio da violência sexual. NÃO É NECESSÁRIO SER DOENTE MENTAL PRA PENSAR DESSA FORMA, basta viver em uma sociedade como a nossa, em que a inferioridade feminina é ensinada pra todos.

Deve ter, sim, estupradores que têm transtornos psiquiátricos, mas duvido que sejam maioria. A não ser, claro, que você considere como transtorno um pensamento tradicionalista como esse... Mas aí precisaria partir do princípio de que toda a nossa sociedade é doente.

Como é difícil pras pessoas entenderem que, sim, o homem comum também se sente no direito de exercer seu poder, também dispõe do corpo da mulher como quer, também é violento e também estupra!!!

lola aronovich disse...

O ponto todo, mais uma vez, é que homens que estupram não são necessariamente psicopatas. São pessoas comuns. Estão no seu meio social. Trabalham, estudam, casam-se, tem filhos. Comparar estupro com outros crimes mostra que vcs homens não fazem a menor ideia do que seja um estupro. Mas estupro é tão aceito na nossa sociedade que todos nós já ouvimos, e muitos já falamos, coisas como “Essa daí tá pedindo pra ser estuprada”, “essa mereceu”, “mas o que será que ela fez pra isso acontecer?” etc. Pra mim é falta de empatia DEMAIS achar que as mulheres mentem sobre estupro ou que a estatística de 30% das mulheres terem sofrido abuso sexual é irreal. Pra mim um leitor que nunca comentou aqui, como esse dsc, que vem aqui já com pedras na mão, já xingando, e depois sugere que pessoalmente teria cometido violência física contra mim, e tudo porque ele se sente ofendido – bom, pra mim um cara assim já é meio psicopata. Olha só a energia que vcs gastam, meninos, pra reclamar que campanhas desse tipo são ineficazes, que só psicopatas estupram, que estupro sempre vai continuar... Que tal gastar parte dessa energia pra ajudar a diminuir um problema que representa uma verdadeira chaga social? O que vcs podem fazer pra ajudar a diminuir os estupros? Nada? Vcs continuam acreditando que estupro é uma coisa que alguns poucos homens doentes fazem e que isso não tem nada a ver com vcs? Então tá.
Depois não reclamem que as mulheres olhem pra todos os homens com desconfiança e medo.


Menina, querida, que vontade que dá de procurar o seu estuprador e abalar um tantinho que seja a vida dele...

lola aronovich disse...

Deletei o comentário de um mascu misógino (perdão pela redundância), porque a tese dele é que, se as mulheres liberassem pros homens, não haveria estupro. E que só há estupros porque as mulheres provocam. E que estupro marital não existe mesmo, afinal, o homem só se casa pra fazer sexo, e a mulher vai regular? E outras atrocidades mais que já estamos cansadas de conhecer.
Sabe, trollzinhos assim fazem com que eu perca a fé nos homens.

Menina disse...

Lola, Obrigada pela preocupação e carinho.
Eu não sei mais o que fazer para que as pessoas acreditem que as mulheres não querem denunciar, por que na verdade elas queriam nunca ter passado por aquilo. Denunciar é ter que viver aquilo denovo...
Desculpe pelo comentário anterior, extremamente longo.
Espero que um dia, posts como esse sejam realmente desnecessários.
Uma vez ouvi o presidente de uma ong dizer: O objetivo da minha ong é não precisar existir mais! Penso nisso sempre. O objetivo das feministas é que termos como feminismo, machismo, masculinismo e outros deixem de existir, por não serem mais necessários em uma sociedade equalitária, livre de preconceitos.

Bjs

Aurelio Coelho disse...

Achei engraçado comparar um estuprador com um assaltante. Na minha cabeça, parecem ser coisas muito diferentes, e as pessoas que as cometem têm diferentes motivações.

Mas de qualquer forma, a conscientização da sociedade como um todo, diminuiria com certeza a ocorrência de ambos os fatos.

Se a formação do caráter de um indivíduo começa em casa, se desenvolve através do estudo e do convívio em sociedade. Tornando essa uma sociedade melhor, não seria evidento o efeito é em cascata?!

Concordo com as feministas, para mim parece mais óbvio SABER "o que fazer para não ser atacada" (parece que mulher tem sexto sentido pra isso).

Então a conscientização parece ser mais eficaz no sentido contrário... ensinar aquilo que "não é tão evidente ou óbvio" como o comportamento machista da própria sociedade.

Pentacúspide disse...

Eu não vi essas dicas como algo para ser cumprido, mas para levantar uma questão. Alguém já dizia: ridendo castigat mores.
Pode parecer ofensivo a quem tenha sido vítima de violação, por achar que se está a brincar com uma questão série, mas infelizmente é assim o humor. Há violadores e violadores: há o serials, há os não sei quantas e há os impulsivos, e ainda há, aqueles que seguem os outros, como no caso de um miúdo de quinze anos que participou num "gang rape" porque foi incentivado pelos amigos.
É claro que essas dicas não vai parar um "violador serial", mas talvez pare um "impulsivo", considerando que esse talvez queira experimentar, mas conhece as consequência e sabe que é mau; porém acima de tudo, essas dicas servem para reflectir que a campanha pode e deve fazer-se em duas direcções. Pode parecer que o violador não precisa de um campanha porque sabe que é crime, tal como o traficante não precisa de um, mas quem disse que um campanha deste género, um apelo directo à consciência do prevaricador, não funciona de todo subestima o poder de sugestão... O PONTO FORTE disto é CRIAR O DEBATE.

♪ ewerton M. disse...

Bom são vocês quem estão dando conotação "cefalóide", "débil", "psicopata porra louca", ao menos agora no debate ja são vocês que dão continuidade a tal, pois eu mesmo afirmei que algo de errado há, e continuo a acha, até que (científicamente) me provem contrário que não pode ser totalmente normal ou esta em estado normal um homem que não se contem diante uma mulher, ainda mais se esta for uma conhecida ou um familiar, não disse que teria necessariamente que ser um louco desvairado, ou um "pisaicoserialkilersedentodexoxota"então, continuo a achar que quem faz algo assim tem lá um "distúrbio" de alugam ordem, em algum grau associado a sua educação/cultura.
Infelizmente, mesmo após todos os coerentes comentários, não me convenci ainda de que tal campanha venha surtir efeito no público alvo... Pra mim o potencial estuprador, não se comovera com algo assim... Volto a afiram ela serve sim e pode ser usada para levantar o debate, ai beleza!

Menina,

Querida, se você observar, eu dei tanto um remédio como uma vacina, o remédio que eu sendo um médico poderia e acharia ser o indicado, e também prescrevi uma vacina, a vacina a qual eu acho que poderia e surtiria efeito(em relação a denuncia, continuo convicto de que deve ser sim feita, sempre, acho que não há controversas com relação a isso né? Mesmo que seja debaixo de perguntas, questionamentos, insinuações e todos os impropérios desrespeitosos que sabemos que podemos encontrar, infelizmente, mas ainda assim é o que pode conter e punir, tal monstro. E outra existem delegacias e delegacias, policiais e policias, é também nosso dever, e ai vai um conselho para acompanhantes de quem denúncia, imposição, autoridade... Autoridades policiais não têm faculdade julgadora, ainda mais em se tratando de vitimas ou denunciadores, cabe-lhes tão somente registrar tudo, e tudo mais que a vitima descreve... Fica a dica). Também não me posicionei como um "filho da put@#$%¨&*()_" que acha que a mulher "deu lugar", "mereceu", "fez alguma coisa" e etc. mas não creio que todas as pessoas do mundo tenham que pensar, achar e concordar umas com as outras em debates sócio-filosóficos-historicistas, mas vá lá tudo bem, sem alguém tem que jogar a toalha que seja "nos" os machistas(?).

♪ ewerton M. disse...

Lola e Aurelio,

Em relação a mim, ao meu post.. Não houve nenhuma tentativa de comparar estupro a qualquer outro crime, até porque como Bacharel em Direito e policial sei das minuciosidades, percursos e efeitos que cada crime possui. Sei muito bem distinguir a agressividade, potencialmente, invasão... Que algo assim acarreta a uma mulher (e digo-lhes, já vi homens também que sofreram algo assim, pois com o advento da Lei 12.015/09, o homem agora pode e é estuprado, o que não era possível com a lei anterior). Minha "esdrúxula" comparação se dá tão somente no efeito que as campanhas contra, ou em repudio, ou para a prevenção ou para o não esquecimento... esses crimes pode surtir em indivíduos que os comete, em toda a minha carreira (vá lá, é bem pequena, hehe!) e em tudo que já estudei sobre tais temas não vi nenhum efeito sobre esses indivíduos, pode ser até que haja, mas sinceramente, ainda não vi. Agora na "sociedade", a depender da campanha de seu alcance, da vitima, do criminoso, pode sim ter algum resultado.

E volto a dizer, se derem uma olhadinha novamente no que eu escrevi, verão que eu não propus, um "não fazer nada", "não é minha culpa", "deixa quieto" ou pior, "ela deu lugar", "merecia" e essas coisas ai que vocês acham que todos sempre acham. E eu também devo dizer que nunca, nunca em toda a minha vida (vá lá de novo não é tã tão de vida assim)percebi, achei, vi qualquer mulher olhando-me como medo, desconfiança ou como um potencial ladrão, assassino, quiçá estuprador. mas vai saber né, talvez eu viva no mundo da lua... No mais, obrigado pelo debate educado e construtivo.

Avante! Com as campanhas! Avante...

Beijos e um forte abraço em todos.

;)

Menina disse...

ewerton, eu assim como você achava que toda mulher tinha que denunciar. Sabe quando eu mudei de idéia? Quandl fui estuprada...
Só depois que você passa por isso é que vc entende.

denise disse...

Menina, eu te entendo perfeitamente, ha muitos fatores envolvidos, que não ha como deixar de levar em conta, quando se para pra pensar em tudo o que pode resultar de uma denuncia como essa, nem sei o que nos assusta mais. Um abraço e toda a minha compreensão.

Aoi Ito disse...

Menina, mas que raiva, raiva mesmo. Tô com uma puta vontade de caçar esse cara. Todo o apoio a você, espero que você esteja melhor agora, mas claramente seria muito melhor se você não tivesse tido que passar por uma atrocidade dessas... ): Estamos contigo. O pior é que é um sentimento de impotência enorme... Eu sinto ódio e quero destruir esse cara, mas não tenho como. Você é uma mulher muito corajosa mesmo por falar disso. Mas eu gostaria de agradecer também por você falar de algo que eu sinto que muitas pessoas não entendem - BDSM NÃO é estupro, NÃO é abuso... :/

Obrigado mesmo por falar de tudo isso. :) Tenho muito respeito e admiração por você.

Tanko disse...

Ewerton

É óbvio que a cartilha não é voltada à conscientização dos estupradores ou estupradores em potencial. Ela usa o recurso da ironia para que a sociedade perceba a inversão de valores que é colocar a culpa/responsabilidade de uma agressão sexual na mulher que a sofreu.

(Não entrando aqui no mérito de alguém possa se sentir genuinamente ofendid@ com seu conteúdo.)


Por isso emula cartilhas onde as mulheres são "ensinadas" a evitar estupros.

Como se, é claro, qualquer cartilha do tipo fosse garantir a segurança de uma mulher enquanto os homens forem criados desta forma machista.

Talvez as campanhas devessem partir para uma linha mais óbvia, se quiserem atingir o público masculino em geral.

Ângela disse...

Achei que a cartilha matou a pau... o discurso misógino.
Óbvio que ela não deterá estupradores, mas denuncia o discurso naturalizado de que a mulher é responsável pela violência contra ela ou que isso é um problema individual, e não social.

"Menina"... sempre fico muito sensibilizada quando você fala. Te desejo muito boa sorte. Um grande abraço. ;)

Ághata disse...

Não tive paciência para ler todos os comentários, mas eu só vou dizer que eu acho que psicopatas, esquizofrênicos, neuróticos e outras pessoas que tenham Sofrimento Psíquico Grave de uma forma geral devem realmente se ferrar na nossa sociedade.

Já não basta ter que lidar (ou não, dependendo do caso) com toda sua condição, não! Também tem que aguentar todos os preconceitos infundados que os filminhos de Hollywood (obrigada, viu?) enfiam gole a baixo dos incautos que vieram ao mundo à passeio.

Ficariam muito surpresos em saber que a média de crimes ou atos violentos cometidos por pessoas com estas doenças ou quadro psíquico é abaixo da média das chamadas "pessoas normais"?

É tão difícil por acaso ver que a nossa sociedade tá imersa numa cultura altamente violenta? Que é um erro sem pé nem cabeça achar que crimes e violências que chocam são causadas pelas pessoas "Anormais"?
Por que esta crença em "Monstros"? Por que transformar qualquer pessoa em condição especial num 'monstro vírgula via de regra'?

Falta de empatia Não é a causa de alguém cometer um crime.
E não é apenas uma condição de psicopatas ou sociopatas.
E na nossa cultura machista ninguém é educado pra ter empatia de mulher - tanto é assim que todo mundo culpa a mulher, a família, os amigos, o delegado de polícia e ela mesma.

Ághata disse...

Aliás, não faz nem duas semanas, tivemos o dia da luta nacional antimanicomial (16 de maio).

Teresa Silva disse...

Crônica de Contardo Calligaris

A fantasia (presumida) de DSK

"Li no "Times" de Londres desse domingo que Dominique Strauss-Kahn (DSK, na imprensa francesa), no dia de sua prisão, sentou-se numa poltrona de primeira classe do Air France 23 para Paris e fez um comentário sobre a aeromoça da cabine: "Bonita bunda". Isso, num tom suficientemente alto para que outros passageiros (e, presumivelmente, a própria aeromoça) ouvissem.

A seguir, o diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional e candidato socialista à Presidência da França foi retirado de seu assento e preso, acusado do estupro de uma mulher que entrara na sua suíte de hotel para fazer a limpeza.

Desde então, outras mulheres vieram a público para revelar que elas foram, no passado, vítimas de assédio sexual ou estupro por Strauss-Kahn. Todas declaram que calaram-se, convencidas de que a palavra delas pesaria menos do que a do poderoso DSK.

A quantidade e qualidade das acusações excluem a hipótese de armação da extrema direita francesa, que se beneficiaria com a saída de cena do candidato socialista.

Pois bem, DSK não foi julgado ainda. Mas apareceram numerosos comentários de leitores e colunistas da imprensa internacional, dos quais discordo -e talvez seja interessante explicar por quê.

Imaginemos que as acusações contra Dominique Strauss-Kahn se confirmem. Muitos perguntam: como é possível que um homem prestes a realizar seu sonho político não saiba se controlar e se deixe levar por compulsões "animalescas"?
Para Minette Marrin (do "Times"), "quando ele é possuído pelo espírito do "chaud lapin" (coelho excitado), DSK perde qualquer interesse pelos sentimentos de uma mulher. Ele os ignora e se impõe à mulher, agarrando-a e amassando-a como um dono (...) que não vê nada de errado na ideia de que a mulher não goste; talvez ele nem seja capaz de entender se ela gosta ou não".

Ora, o padrão presumido de DSK não é "animalesco" e é totalmente consistente com seu projeto de vida. Ou seja, o que acontece não é que Strauss-Kahn não controlaria um impulso secreto, que não teria nada a ver com sua vida pública. Ele não pula em qualquer mulher, aconteça o que acontecer. Ao contrário, aparentemente, sua fantasia dominante é a expressão coerente de uma ambição política, de domínio.

Teresa Silva disse...

Continuação

Ou você acha que é por acaso que ele teria escolhido mulheres que ele conseguiu manter no silêncio pela simples força de seu status?

A fantasia em jogo no caso (presumido) de Strauss-Kahn é mais complexa (e mais grave) do que o "simples" estupro; ela diz: "Eu te agarro, te uso, E VOCÊ NÃO VAI OUSAR NEM PIAR SOBRE ISSO".
Diferente do que diz Marrin, o Strauss-Kahn das denúncias se importa muito com o que pensam as mulheres, pois ele preza (acima de tudo, talvez) a frustração e a impotência exasperada de suas vítimas, incapazes de denunciá-lo.
Ou seja, à vista das acusações, DSK goza de uma fantasia de poder (mais do que propriamente sexual): seu prazer está em criar uma situação em que a vítima será e se sentirá derrotada, no silêncio. O caso relatado pelos passageiros da Air France é emblemático: a aeromoça não falaria, exatamente como as outras. De repente, em Nova York, uma camareira imigrante africana teve a coragem de falar.

A ideia de que o senhor feudal teria o direito de deflorar as noivas de suas terras (dito "direito da primeira noite") é provavelmente um mito -ao menos, enquanto instituição jurídica.
Mas o tal "droit de cuissage" (direito de encoxar), embora não instituído, devia ser uma fantasia exercida sem dificuldade e sem risco: quem ousaria se queixar de ser agarrada pelo senhor das terras, e qual noivo ousaria pedir satisfação?

A família de meu pai é originária de uma cidade perto de Ivrea, no Piemonte, onde se celebra o carnaval com a Batalha das Laranjas. É assim: uma jovem da cidade é escolhida "filha do dono do moinho" e simboliza uma mulher do povo, que cortou a cabeça de um duque que exigiu passar com ela a famosa primeira noite. Milhares de cidadãos, vestidos a caráter, do domingo à terça de Carnaval, metralham com laranjas os guardas do duque que desfilam pela cidade de charrete. Alguns dizem que é um despropósito: são toneladas de laranjas desperdiçadas, a cada ano. Mas eu sempre achei que valia a pena".

paula-lirio disse...

Meu comentário será gigantesco, desculpa. Achei o texto fantástico, definitivamente merecia estar colado em todos os muros. Mas gostaria de dizer algumas coisas claras.

Sim, vivemos numa cultura que diz que mulher é objeto, propriedade, e homem é dono. E a maioria das vítimas conhecidas são mulheres. Mas nem toda vítima é mulher. Nem todo estuprador é homem. O estupro é o sexo sem consenso. Mulheres, homens, pessoas de gênero não definido, mulheres transgênero e homens transgênero. Dizer que só mulher é vítima é como dizer que não conta como estupro quando não é mulher, é como dizer que as outras vítimas não merecem ser ouvidas, é como dizer que é vergonhoso que um homem não tenha se defendido.

Nem todo estuprador é psicopata. Existem centenas de casos diferentes. E alguns estupradores não sabem/não fazem idéia do que causaram (sério). As pessoas precisam ser educadas quanto a isso.

paula-lirio disse...

(continuação)

A vítima não é só aquela que disse não, não é só aquela que foi drogada, não é só aquela que foi forçada a calar a boca. As vítimas são também aquelas que estão bêbadas/inconscientes/incapazes de dizer sim ou não. São também aquelas que primeiro disseram sim e depois desistiram. São também aquelas que fazem sexo com muitos parceiros, mas não queriam fazer com o estuprador. São aquelas cujos corpos reagiram ao estímulo, mesmo que não quisessem.

Agora pare para pensar quantas vezes você viu alguém levar pra casa uma pessoa que estava bêbada demais para dizer onde estava, com quem estava ou se queria ou não fazer sexo. Pare pra pensar quantas vezes você viu alguém dizer que um homem dizia que não queria, mas estava “duro”. Não deixa de ser estupro porque você não sabe que estuprou. “Convencer” uma pessoa a fazer sexo enquanto ela está muito bêbada é a mesma coisa que estuprar. A vítima não está completamente ciente, não está possibilitada de dizer o que quer e o que não quer.

Nem todas as vítimas ficam de boca fechada por medo de ameaça do estuprador. Ouvimos falar de casos o tempo todo, da vítima que denunciou e foi desconsiderada como vítima, da vítima que denunciou e passou por humilhação em hospitais, delegacias, etc. De pessoas que foram acusadas de provocar, pessoas que foram expulsas de casa por “fazer sexo” com estranhos. De vítimas que foram presas por acusar “falsamente” um estuprador. De vítimas que “poderiam ter se defendido”, portanto queriam ser estupradas. Ainda existe uma mentalidade medieval quando se trata de estupro.

paula-lirio disse...

(continuação)

Se prevenir contra o estupro não é a mesma coisa que se prevenir contra roubo. Você não diz para “não colocar cadeado, não instalar alarme, não comprar um cão de guarda”, mas você também não diz “não pinte sua casa, não mostre sua casa, finja que sua casa não é uma casa, não abra as janelas, não deixe ninguém ver o que tem na sua casa, podem tentar te roubar, só construa uma casa com várias outras casas ao lado”. Mas ainda assim, as pessoas recebem as “dicas” de não se vestir de determinada maneira, não se mostrar interessadas em sexo, não beber demais, não andar com muitas pessoas de outro gênero.

As pessoas precisam se educar melhor. Estupro não é sexo bruto. Estupro é abusar de alguém. É tratar como objeto. É dizer que essa pessoas não é digna do seu respeito. É a tentativa de destruir alguém.

bibi move disse...

GENIAL!!
uma das coisas que me deixou mais otimista na mídia ultimamente...
lamentavel que nao seja no brasil.

Menina disse...

Angela, eu descobri que sou mais forte do que imaginava. Consegui não me acabar e tenho uma vida profissional boa, sou casada e amo meu marido. Algumas vezes a depressão me consome e a raiva toma conta de mim.
As vezes comentários me doem e me deixam sem saber o que falar.
Passei a pesquisar parafilias e o "por que" que homens agem dessa maneira. A primeira coisa que pesquisei foi sobre sadismo. E me deparei com o que o/a Aoi Ito (desculpe, não sei se vc é homem ou mulher) disse, um tipo de fantasia que tem por nome bdsm e descobri que na verdade a violência nada tem haver com esse "fetiche", descobri que esse "fetiche" tem haver com prazer, enquanto o estupro tem haver somente com poder, poder e machismo. Puro machismo.
O Homem que abusa de uma mulher, que a violenta, não está buscando prazer, está querendo mostrar seu poder.
O estupro é usado como coação, castigo, tortura e principalmente demostração de quem pode mais.
Eu descobri que um estuprador não necessariamente tem um parafilia, como um pedofilo ou necrofilo. Um estuprador tão pouco é um fetichista, ele é uma pessoa educada em uma sociedade onde o corpo da mulher não pertence a ela.
Onde a mulher é um objeto e assim deve ser tratada.
Onde a mulher que diz muito não estpa mentindo. Onde a mulher que diz muito sim está errada.
Onde a mulher não pode escolher.
Onde a mulher tem que ser "protegida" por que é mais fraca e por isso deve "pagar" com sexo.
Muitos homens lamentam a tecnologia, por que as mulheres "dependem menos da proteção deles" e por isso "regulam mais o sexo, tendo que fazer com que os homens paguem pelo sexo".
Alguns lamentam a crianção de carros, abridores de lata e garrafa, bebês de proveta, adoção, sistema de segurança e computadores, por que eles "facilitaram" a vida das mulheres(a dos homens não!) e assim dificultam o acesso ao sexo por parte dos homens, afinal mulher não gosta de sexo, o usa apenas como moeda de troca. Pensando assim, um homem não estaria estuprando e sim roubando uma mulher, já que o sexo é um "bem" que pode ser usado como "pagamento" para homens que nos abrem latas, trocam lâmpadas e nos dão proteção. Se um homem faz sexo a força com uma mulher está "roubando" ela.
Claro que homens também são vitimas de estupro as vezes. Mas são tão raros os casos e tão isolados que o foco maior é o estupro feminino. É claro que eu quero que ninguém seja estuprado, assaltado ou que sofra violência.
Quero que as pessoas façam somente aquilo que elas querem, de maneira 100% consensual.

bjs

dantecarlo disse...

RIDICULO ESSE CARTAZ, MAIS UMA VEZ A CULTURA FEMINISTA TENTA DEMONIZAR A TODOS OS HOMENS DANDO A ENTENDER QUE TODOS PODEM (E PROVAVELMENTE) FAZER ISSO E QUE AS MULHERES (PRA VARIAR) NÃO PASSAM DE VITIMAS. SE VC DEIXAR SUA CASA ABERTA É MUITA MAIS PROVÁVEL DE SER ROUBADO, QUE É QUE TEM UMA MINAZINHA ANDAR QUASE DE CALCINHA NO MEIO DA RUA NINGUEM PODE TOCAR... É ÓBVIO QUE ISSO ATRAI TODO TIPO DE GENTE E QUE UMA DESSAS PESSOAS PODE VIR A QUERER ESTUPRÁ´-LA, EM OUTRAS PALAVRAS, GERALMENTE( E DISSE GERALMENTE) AS VITIMAS DE ESTUPRO TEM UMA PARCELA DE CULPA ( EU DISSE PARCELA). SÓ QUE O GRANDE PROBLEMA NÃO RESIDI AI, MAS SIM NA FALTA DE IMPUNIDADE QUE É A ORDEM DA VEZ NESSE PAIS.... AI VEM UM IDIOTA E DIZ: AH! VAMOS CRIAR DELEGACIA ESPECIALIZADA, LEI ESPECIALIZADA E TALZ.... SIM IMBECIL, E A CONSTITUIÇÃO JÁ NÃO COBRE ISSO NÃO?! COBRE! MAS FALTA APLICABILIDADE.... EM UM PAIS EM QUE UM KRA COMO O PALLOCI ROUBA PRA CARAMBA E NÃO ACONTECE NADA, VC QUER TER APLICABILIDADE?! SÓ UMA SUGESTÃO: TENTA ROUBAR O GOVERNO PRA VER O QUE ACONTECE.... AH SIM! UM RECADO PROS CARAS QUE NASCERAM COM UMA VAGINA E QUE VIVEM PRA DEFENDE-LA... VIREM HOMENS, SEUS PALHAÇOS!

Menina disse...

dantecarlo,
você realmente leu o texto? Por que ele diz justamente que nem todos os homens são estupradores, mas que todos deveriam ser ensinados desde criança a não ser.

EU sempre me vesti com roupas discretas, inclusive quando fui estuprada estava de uniforme, uma camisa social e uma calça social e sapato. Sempre andei de cabelo preso. Sem fui quieta, na minha.
Nunca bebi, odeio inclusive. Não fumo. Nunca sai sozinha depois das 10 horas da noite, nunca passei sozinha por lugares vazios.
Sabe onde estava a pessoa que me estuprou? Dentro a empresa que eu trabalhava e foi justamente lá dentro que tudo aconteceu.
Vai dizer que é medida de segurança agora as mulheres ficarem em casa ou não trabalharem em áreas tipicamente mais masculinas.
Parcela de culpa? Quem é você pra acusar de ter uma parcela de culpa, você conhece alguma vitima de estupro?
Você já foi estuprado?
Por que você não vai fazer alguma coisa mais útil do que criticar vitimas de estupro?
Menina

Aoi Ito disse...

Menina, não se preocupe, minha intenção é parecer andrógin@. :) (Falo ainda que a cada post eu respeito mais você e te acho mais awesome, pode isso, Arnaldo?)

Acho especialmente legal que você falou também do estupro de homens, não naquela luz "Ahá! Homens também são estuprados, feminista, e agora? Te peguei, nhénhénhé", mas numa luz sóbria e decente, falando dos fatos: Estupro de homens é minoria. Ponto. Deixa de ser importante? Não, mas no caso do estupro de mulheres temos toda uma cultura que permite esse estupro, incentiva e aceita, e os números femininos estão lá no alto. Por que, então, fazer com que mulheres parem de dar atenção a mulheres e vão dar atenção aos homens? Sempre que eu vejo alguém falando "ah, homens também são estuprados, kd feministas ajudando" eu penso "Ué, filho do capeta, por que VOCÊ não levanta e vai fazer alguma coisa? Por que os HOMENS não vão ajudar seus companheiros que foram abusados?". É quase como falar que branc@s também sofrem racismo, então @s negr@s deveriam focar sua atenção a el_s também...

(Como é difícil escrever em gender-neutral em português, holy shit)

De qualquer jeito, agradeço pelos posts, Menina. Como eu diria se estivesse ruim, te considero pra caralho. :D

Lucas disse...

Menina

Não se estresse nem perca seu tempo respondendo aos mascus e trolls, eles são incapazes de ver fora da bolha e ter empatia.

Tudo de bom.

denise disse...

Quando leio o que esses mascus escrevem aqui , e nos blogs que eles mantém, fico achando que deve ter algum fator no ar ou talvez na alimentação, quem sabe hormônios na carne do frango ou de boi , sei La mais o que, que esta afetando a inteligência deles , será que é possível tanta imbecilidade, os comentários que esse Dantecarlo fez são cópias do que eles falam nos blogs, eles atribuem todos os males da sociedade as mulheres, e o que vc falou menina é bem isso mesmo que eles afirmam , chegam até a dizer q a tecnologia se voltou contra eles, pq agora não temos mais que pagar com sexo pelos favores braçais que eles faziam no passado, da vontade de rir, mas não acho que seja realmente engraçado, pelas implicações que eu acho que esse tipo de asneira esta tendo.
Mas acho que realmente alguém deveria pesquisar se excesso de testosterona , danifica o cérebro.

André disse...

Paula-Lírio, que bom seria se a liberdade de ir e vir fosse plena, pudéssemos ir a qualquer lugar e a qualquer hora sem medo de ser assaltado/estuprada/assassinado. Hoje, infelizmente, não é assim. Vamos lutar por um futuro melhor, mas vamos tentar sobreviver ao presente.
Quando um policial chega na sua casa para atenter uma ocorrência de assalto e, ao invés de tomar as providências necessárias para tentar capturar o criminoso, fica te culpando pelo muro não ter 5m de altura ele está sendo canalha. Mas ele estará no papel dele se der conselhos de segurança, ao notar que há falhas grosseiras na mesma. Infelizmente, no caso do estupro, as falhas de segurança não são do mesmo tipo que no roubo, porque a maioria dos casos ocorrem em locais que deveriam ser seguros (casa/trabalho/etc) e praticadas por pessoas que deveriam ser de confiança (parentes/amigos/conhecidos).
Não critico a cartilha do post pois sei que é um sarcasmo que busca induzir uma discussão. Mas acho errado tirar o foco das vítimas e das pessoas que deveriam lhe dar suporte. Sei que existem casos em que o estuprador acha que nem fez uma coisa errada, mas são casos pontuais onde o agressor teve uma criação muito falha ou é tão privilegiado que se acha acima de todas regras. Na maioria absoluta dos casos, há indícios claros de que os agressores reconhecem que estão fazendo algo errado. Como tentativa de comprar o silêncio da vítima, ameaças contra a vítima ou pessoas queridas dela, tentativa de ocultação do fato, etc. Quando apanhados, muitos irão apelar para o "não sabia que era errado", mas não se iluda, eles sabiam sim, só estão tentando fugir das suas responsabilidades.

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Falou tudo Lola.
A energia que é gasta por certos homens se colocando na defensiva e se indignando quando mulheres reclamam de estupros, violência doméstica, assédio sexual, desrespeito, seria tão melhor gasta se eles se indignassem com os homens que fazem essas coisas.
Taí uma coisa que nunca vou entender.

Denise disse...

Ótimo post. Seria muito bom se a gente pudesse viver num mundo onde não precisássemos nos preocupar com a violência, estupros, homofobia, racismo, enfim... Com essas idiotices que a espécie humana cisma em propagar. E imaginar que temos que nos comportar de maneira a não "provocar" ou "incitar" os coitadinhos dos homens, esses seres descontrolados... Eu fico com tanta pena, mas é tanta... Eu acho que a capação deveria ser utilizado nesses casos. Sem anestesia, claro. De verdade! E acho que estuprador é bem tratado nas prisões. Mesmo! É de enojar que exista gente que acredita que pode subjugar, humilhar, tomar pra si outros seres e achar que isso é normal, está tudo bem, afinal, mulheres são para isso mesmo, não é? Olha, é incompreensível que gente assim esteja dividindo o mesmo ar com pessoas que são o oposto. Como entender essas pessoas? Como entender o mundo? E pior: como entender que esses seres também tem direitos? (eu diria: tudo bem, a gente não te mata, mas sem seus genitais você vai ficar). Agora eu entendo porque senti tanta euforia ao assistir às cenas de vingança do filme I spit on your grave. Não tem como se sentir diferente ao perceber a realidade, tomar conhecimento de algumas vítimas e ler, abismada-chocada-revoltada-furiosa-inconformada-irada, a esses comentários que culpabilizam as mulheres e acham que os homens são seres providos de infinita sabedoria e nasceram já programados a ser bem educados e contidos. É muita imundície.

Denise disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Denise disse...

Ah, e esse discurso de "psicopatas", "monstros", "anormais", já cansou... Troquem o disco, pelo amor de Gandhi! Homens (estes que ficam com esse trelelê imbecil de culpar as mulheres e de achar que estupro=sexo): quando vocês viverem sob a ameaça e medo constante de serem ou forem estuprados, aí venham falar que tiveram culpa aqui pra gente, tá bom? Aproveitem e vão na delegacia mais próxima, ouvir piadinhas e ser motivo para descrença. E tenham mais respeito pelas vítimas que aqui frequentam e depõem. Ainda bem que vocês* são educados e conscientes naturalmente, pois se não fossem e precisassem ser conscientizados, imagina só, hein?

*observem o grupo a que estou me referindo acima, tá? não estou generalizando.

Denise disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Denise disse...

Pessoal, vejam só isso...

http://www.youtube.com/watch?v=VVY1ksZw-XE&feature=related

Roube, mas não mate. Estupre, mas não mate.

Estupremos Maluf com um pedaço de pau bem grosso então!!!
Afe!!! Quando a gente pensa que já viu de tudo, vem esse infeliz e fala essa idiotice.

Sem paciência. Sem mais.

Sarah Lynn disse...

Sou feminista e participo de várias comus também feministas no orkut. E vi esses dias um topico com o nome: "Dicas de como não ser estuprada"... achei um absurdo, pois eram dicas direcionadas somente para casos onde a mulher é violentada por um homem estranho na rua.

Muitas são violentadas em casa, por companheiros ou parentes. Muitas são violentadas independente de serem bebês ou idosas. Então, o problema está no estuprador, jamais na vítima.

Por isso adorei o post. Rs!

Leviatã disse...

Por favor, nessa era de aquário quando vocês dominarem não façam uma inquisição às aveças... estou ficando com medo de mulheres extremistas... eu sei a culpa é dos homens FPDs que fizeram essa fama... mas que dá medo dá.

Eric Mus disse...

Post mais acertado, impossível.

Eu, como homem, nem consigo entender como um cara consegue se satisfazer com um estupro. Se estou numa relação, e a mulher não está curtindo o bastante, meu prazer até passa. Qto mais algo forçado!

Mas sei que sou exceção. Vivemos mesmo numa cultura do estupro.

Leio Lola Leio disse...

Muito bom. Lamentável como postagens tão antigas em seu blog permanecem com caráter atual. Lamentável termos ainda que nos debruçar sobre essas questões, mas temos de enfrentá-las e com a esperança de que um dia tais problemas sejam superados por nossa sociedade.

Anônimo disse...

Essa lista é piada né?
Inútil em termos de prevenir estupro, boa em causar raiva
E no final vc ignora o fato q o mesmo homem q reclama de vcs considerarem tds os homens como estupradores em potencial menospreza estupradores pra encontrar um problema onde não existe, putz, se homens não achassem q estupro fosse algo vil eles não se incomodariam de ser chamados de estupradores, não haveria reclamação em primeiro lugar.
E não, não é o fato de vc colocar estuprador no masculino q ofende, é vc achar q existe alguém q precise dessas dicas, tão úteis qnto "não esfaqueie pessoas"