quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

PERGUNTA QUE EU TE RESPONDO

A Bárbara perguntou: “Lola, já pensou em fazer um formspring.me para você? As pessoas fazem perguntas e você responde, é bem divertido! Ah, e o limite de caracteres é maior que o do twitter.

Então. Não gosto do Twitter, não consigo escrever em 140 caracteres, e sei que seria bom eu ter Twitter pra ajudar a divulgar o meu bloguinho, mas realmente não é a minha praia. Conto com vocês, gentis leitoras, para que recomendem posts meus que gostam no Twitter. Esses dias sem querer fui parar no Twitter do meu amigo Ricardinho pela primeira vez. Ele indicou minha crítica de Lula, o Filho do Brasil pros seus seguidores, e falou muito bem de mim (também: eu até elogiei a estátua de anão über kitsch que ele tem no banheiro. Só escrevi über porque aquele publicitário comedor de sushi deve adorar esses termos). Mas ele podia ter parado aí, porque sabem que mais ele disse? Que meu blog é terrível de tão feio e meus textos, longos demais. Chuif. Ok, que os textos são quilométricos nem é uma questão de opinião. É um fato. E eles não saem assim de propósito. Eu tento encurtá-los, muitas vezes os divido em duas ou três partes, só que meu espírito prolixo não permite muito menos. Mas feio é o seu anão de banheiro, Ricardinho! Eu tinha que desabafar. Estou melhor agora (na real, acho que o Ricardinho sofre de abstinência de batata assada. Porque quando ele morava em Joinville ele vinha aqui em casa jogar pôquer e comer batata assada que eu fazia especialmente pra ele. E ele notou que o dia fatídico de eu me mudar pra Fortaleza está se aproximando. E imagino que ele teme que eu o abandone e ele tenha que comer sushi pelo resto dos seus dias).
Ahn, certo. Voltando ao formspring.me. É um jeito das pessoas fazerem perguntas, em geral curtas e que pedem respostas curtas. Tirando a parte do tamanho das respostas, eu venho fazendo isso desde 2008. Já respondi algumas perguntas aqui, aqui, aqui, aqui, aqui e aqui, e tenho mais meia dúzia na fila. Mas e aí, vamos seguir a sugestão da Barbara? Vocês podem fazer perguntas aqui mesmo, perguntarem o que quiserem, que eu tento responder (aqui mesmo no blog, não no tal do formspring), sendo o mais breve possível. O que no meu caso é impossível. Mas farei um esforço. Como janeiro tá paradão mesmo, aproveitem pra saber minhas opiniões sobre qualquer coisa (pelo que entendi, a única vantagem do formspring é que permite perguntas anônimas. Bom, eu permito comentários anônimos aqui. Mas faça como eu: não tenha vergonha. Juro que não me ofendo com perguntas). Sou 100% honesta e, pro meu mal, não tenho nada que esconder. Uma vergonha pra humanidade, eu sei.

31 comentários:

Bárbara disse...

Eu me emocionei quando abri o blog e vi meu nome logo de cara *muito boba*.
É uma pena que eu esteja viajando e não possa mais ler os seus posts diários =/

Ok, mas voltando às perguntas, lá vai a minha: você pretende continuar o "As buscas estranhas que o Google manda pra cá"?

Luz! disse...

Ai, eu jamais criticaria seus posts longos Lola. Deve ser pq eu sofro do mesmo mal da prolixidade.

Eu te entendo nisso, pq uma amiga minha sempre reclama dos tamanhos ds meus textos, e diz que só lê o começo e o final de tudo que eu escrevo... rsrs

Enfim, leio seus posts num tapa, e ainda lamento quando chegam ao final! :D

Beijo!

Roberta disse...

Eu gosto dos posts.O jeito que vc escreve torna a leitura leve ,parece uma conversa.Nem reparo que eles são longos.

Márcia disse...

Lola, adoro você escrever todo dia.

Se fosse perto de ruim o que escreve, eu até reclamaria dos textos longos, mas não é.

Então, você POOOOODE, entende? Tá podendo escrever texto longo, porque é muito bom.

É como um pedaço de torta de chocolate não tão doce, nem enjoativa, mas que se acha excelente do 1º pedaço à raspada na bandeja.

E a gente quer chegar no outro dia e ter mais.

Carolina Pombo disse...

Lola, eu tenho uma pergunta sim. Apesar de frequentar seu blog há pouco tempo, percebi que seus posts (que são longos e ótimos - dá pra ler em 2 minutos sem sentir!) são bem pessoais, quer dizer, misturam opinião com as estórias da sua vida e de seu dia-dia. Você já se sentiu exposta demais? Já se arrependeu de ter exposto alguma coisa da sua vida aqui?

Essa questão me intriga, porque sou blogueira iniciante, mas como você, sou prolixa e uso muito o blog para colocar opiniões e fatos pessoais. E confesso, às vezes fico na dúvida se essa exposição é boa... Mas, I can't help it!

Beijos!

Dånut disse...

Lola, não diminui o tamanho dos textos não. Eu já acho eles muito curtos assim :P Quer dizer, é que são tão bons que quando chega no fim eu sempre fico pensando que precisava ter mais...

luci disse...

ah, pois eis aqui duas coisas que sempre me farão voltar ao seu blog: você posta diariamente e seus textos são longos. mas tamanho não é documento, certo? mas a questão é que você viaja, vai prum lado, vai pro outro, começa falando de uma coisa, desvia e depois volta pro ponto inicial. é otimo. eu gosto. :)

ah, eu tava respondendo a tua pergunta la no meu blog (como foi sua morte aos 4 anos? hehehe), mas a resposta ficou tão longa, que eu vou adaptar pra um post, depois venho aqui dar o link da coisa. brigada pela visita/comentario no blog. se eu soubesse que você iria lê-lo, eu teria dito que eu odeio baratas, não gatos...

beijo, lola!

Zymberknopf disse...

Lola, tenho acompanhado vc há bastante tempo, quando fui atraída pelas suas críticas de filmes. Depois você foi se aproximando dos seus leitores e contando sua vida de uma forma muito interessante e até hilária. As conversas com o maridão são as minhas preferidas. Continue escrevendo desse jeito, que o seu público fiel adora.

Isabela Campoi disse...

Lola, tamanho näo é documento...rsss.. sua escrita flui, deliciosamente. Beijos...

Vivien Morgato : disse...

Eu gosto do tamanho dos textos, no caso deste e de alguns blogs.
Acho que a reflexão fica estimulante e o caso é que todo mundo acaba escrevendo pacas...nunca vi comentários tão longos e tão interessantes.
Sempre uso um bom tempo aqui neste blog.

Paloma disse...

Lola, se seus posts diminuírem quer dizer que a gente vai perder alguma coisinha que você pensou sobre o tema e isso seria uma lástima! Afinal, o nome do blog já avisa que aqui é lugar para quem gosta de ler, afinal só no título a palavra "escreva" aparece duas vezes!
Quem não gosta de ler, vai para o Twitter, o Ego, ou plantar batatas, o que preferir!;)

Anônimo disse...

lolita, você sempre fala que as pessoas acham que você é "meio lésbica", (seja já o que isso significar!)só porque vc é feminista. Pois eu sou lésbica e meia e queria saber se você já se sentiu atraída por alguma mulher. Sei que o "maridão" lê o blog, então, digamos, antes do casamento, é claro!

Mariana. disse...

Ah, Lola, adoro seus posts longos e até as cores totalmente sem combinação do seu blog, rs..

Quando o twitter estourou, eu detestei: também tenho isso de não conseguir sintetizar as coisas. Mas eu resolvi experimentar e adorei: você acaba sabendo de várias coisas, conhecendo pessoas e blogs legais também. É uma pena você falar do que não conhece.

Quanto ao formspring.. Fiz cadastro mas ainda não fiz qualquer interação. Mas é um mecanismo válido e mais eficiente do que fazer perguntas e respostas num blog desse.

E adoro quando você responde nos comentários, ou mesmo em um post. O que não gosto é do que a senhorita anda fazendo (e vou ser bem sincera aqui): (citando exemplos). Primeiro no post da manipulação (quando a gente descobre que é manipulado), você não me respondeu. E a dúvida era sincera sobre a sua opinião. Gosto daqui e concordo com voce na maioria das vezes... Não era provocativo como no caso dos trolls.

E sobre o filme do sherlock! Tudo bem você não ter gostado, mas acharia legal voce ter aparecido lá, comentado, debatido... Mas aí você jogou esse post e os comentários dos passados vão acabar 'morrendo'.

Enfim, é isso.

anália disse...

Oi, Lola!

Não tem nenhuma ofensa para homem do tipo "ele falou isso porque está na TPM", não é?
Pode falar para ele que você não faz posts, mas sim crônicas!
Bjs,
Anália

Alba Almeida disse...

Olá Lolíssima.

Acho que a maioria falou quase tudo, do quanto é saborosa essa leitura aqui.

Faz um post da Zilda Arns, estou chocada e triste por ela nunca ter recebido o Prêmio Nobel da Paz, ninguém nunca fez jus a sua luta contra a desnutrição nesse pais....
E nem liga pra esse teu amiguinho ele é bobo. (Se você soubesse, o quanto falo de você, quando você resume seus posts,... digo logo que estavas com preguiça, ahahah!)

É isso...

Beijos e boa quarta.

Alba Almeida disse...

continuando...
Sabe uma coisa que é muito legal e chego a ficar emocionada, é quando você responde.

Alba Almeida disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Caso me esqueçam disse...

http://casomeesquecam.blogspot.com/2010/01/eramos-quatro-lascados.html

taih! :)

Marlena disse...

Faz pouco mais de uma semana que descobri seu blog e foi para os meus favoritos logo após ler o primeiro post. Adoro os seus posts, os curtos, os longos e os mais longos ainda. Gosto de ler argumentações bem embasadas, idéias amplamente desenvolvidas e que apelam à reflexão. Esse formato do Twitter é irritante, cheio de frases instantâneas, muitas vezes tentando parecer originais. Aborrece-me profudamente.

Quanto à forma, está bacana. É simples e prático. Não mexeria em nada.

Abraços

Larissa disse...

Minhas perguntas são sobre mulheres e duas instituições: exército e igreja.
Quando fui me alojar no instituto militar de engenharia, uma tenente foi nos receber, indicar os dormitórios e passar as instruções. Durante essas últimas ela começou a comentar de como os homens da instituição, inclusive os de patente abaixo das aspirantes olhavam indiscretamente, gostavam de comentar, eleger pela beleza, propagar fofocas e principalmente rotular as mulheres, que segundo ela chegavam lá bem inocentes. Entao ela nos deu uma solução: nada de ser simpática, dar sorrisinhos, beber em festas, ficar com mais de uma homem da instituição, pra não "ficar falada". E claro, se vc qr ser respeitada não pode usar roupa acima do joelho (nesses 41 graus do Rio de Janeiro) pq eles olham tbm, e dai se vc pega o rótulo, fica com ele até o final da graduação, o q nao acontece c os homens, segundo ela. Como uma mulher, uma das pioneiras na conquista de vagas para mulheres na melhor instituição de engenharia, pode ser tão retrógrada? o q dá p gnt fazer para q essas pessoas nao espalhem por ai essas sandices? pq o discurso dela soa para mim exatamente como o caso de violencia domestica, estupro e tal: ela acha q a solução é mudar o agredido e nao o agressor.
E a pergunta sobre igreja é: só aki na minha região tem MUITO mais mulheres indo à igreja do q homens? Eu fui fazer prova em uma escola de freiras, tinha uma igreja anexa. Estava eu sentada na portaria e nada menos do que 23 pessoas perguntaram se haveria missa naquele domingo. Dessas pessoas 21 eram mulheres, 3 delas estavam acompanhadas por um indivíduo do sexo masculino e apenas 2 homens perguntaram por si msmos se haveria missa. Dois pontos que nao pude deixar d reparar: em um casal, normalmente qm se reporta ao garçom no restaurante ou faz qlqr tipo de pergunta, pede informações é um homem, no caso da igreja as mulheres estavam mais interessadas do q os parceiros, ou tomaram a iniciativa. E pra mim, pessoas que tem religião ou se convertem é pq já passaram por dificuldades grandes e precisaram de um apoio psicológico maior e mais barato: acreditar em uma força acima d nós. Entao a maioria que passa por dificuldades são mulheres e msmo assim elas recorrem a um igreja q só as subjulga ainda mais? (foi a colclusao q eu cheguei, o q vc acha?) bom, n sei o q dá p falar sobre isso, mas gostaria de saber seu pitaco tbm. beijos!

Larissa disse...

errata: subjuga*
E não escreva textos curtos, se não teremos que escrever comentários curtos.
Escreeeeeeeva Lola, escreva!

Gaúcho disse...

Lola, em vários posts tu diz ser de esquerda, queria saber tua opinião sobre isso: http://resistir.info/n_klein/desastre.html

Dai disse...

Eu leio seus textos longos pelo google reader, assino o feed dos meus blogs preferidos e leio quando dá, pois ando meio sem chance de parar para navegar e pular de blog em blog, como antigamente. Eu não gosto de tuíter e ainda não me dei conta do que estou perdendo (ou se estou), também não me apetecem os bloguinhos muito fofinhos, lindinhos e ajeitados com pouca informação. Mas sou realmente grata ao fato de ainda poder encontrar na net textos consistentes (com começo, meio e fim) e com temáticas que me interessam, que é o que encontro aqui.
Quanto às perguntas, já pensei em fazer algumas e até fui contemplada em respostas a outras pessoas.
Loléts, acho que minha pergunta talvez seja se vc já se irritou com o fato de que eu nunca consigo escrever os guest posts que vc me sugere, é procrastinação pura, viu, falta de timing. Não é por mal.
Abraço!

Marilia disse...

Acho o blog Lindo! Um azul pastel que não cansa a vista, pontuado com vermelho e bordô! Só faltou o amarelo pra harmonia ser de primárias, que eu amo. E a sua foto pequeninha é a coisa mais fofa, Lola!


Minha pergunta:
Lola, vc já leu os livros da Alice do Lewis Caroll?
É que estava lendo o segundo novamente e me lembrei do Maridão por causa da relação com o xadrez.

Rita disse...

Perguntinha: por que o Nordeste? Sei que se você não tivesse sido aprovada no concurso de Fortaleza, teria tentado em outros lugares, mas já li em algum lugar aqui que você e o maridão tinham mesmo vontade de mudar para uma capital nordestina. Você é de São Paulo? Not sure about that. Mas, a pergunta é: por que o Nordeste?

Beijocas
Rita

Kenny Guilherme disse...

Concordo com todos acima, Lola, vc pode não escrever pouco, mas escreve muito bem e a gnt nem sente ler.
Minha pergunta é: e o mensalão em 2005? Ofereço até algumas alternativas:

a) nunca existiu, é coisa da mídia golpista (Veja, Globo, Folha, etc)
b) qual o problema? O PSDB também teve seu mensalão.
c) é normal mesmo, todo político rouba.
d) foi uma questão menor. Qual o problema de ter algum "dinheiro não contabilizado"?
e) manchou irremediavelmente a história do PT e do Lula. Fiquei desuludida com o partido.
f) o partido "cometeu um pequeno erro", mas o presidente não sabia de nada.

Eu sei quais alternativas vc NÃO vai escolher, mas estou curioso pra ver qual linha vc segue. Sei de sua visão política e sempre quis saber o que vc achava desse episódio.

Um abraço e parabéns pelo blog.

Bárbara disse...

Ah, esqueci de dizer: uma coisa que é vantagem no formspring.me é que todas as perguntas ficam numa mesma página. Então elas ficam mais organizadas e fáceis de encontrar. Mas se as perguntas forem por aqui mesmo, por mim tudo bem.

Felipe Guimarães disse...

Eu não gosto desse fomrspring. Acho tão tosco. Poxa, pergunta pra pessoa no orkut, e-mail, twitter, ou melhor: ao vivo. Pra que perguntar num site?

aiaiai disse...

Há algum tempo, desde um post seu sobre essa coisa das mulheres poderem escolher ficar em casa, eu quero fazer uma pergunta:
Caso o maridão ganhasse rios de dinheiro e vc não precisasse trabalhar, vc realmente iria parar de fazer tudo o que faz e viver as custas dele?

Priscila disse...

Mas é verdade! Os posts são terrivelmente longos e o layout dói na vista. Ainda bem que eu assino o feed, então não preciso vê-lo. hehe...

E quanto à prolixidade, eu sou boa em leitura dinânima, e sempre pulo alguns parágrafos. Aí fica tudo certo.

Te amo, Lolinha!

Nilton Lopes disse...

Apesar de nunca ter postado comentários leio sempre seu blog, aprecio e compartilho muito sua postura feminista (sou publicitário e acredite, me ajuda muito) e pensamento político, as críticas de cinema são singulares e tudo num pacote sem superficialidade.
Concordo que a internet é um veiculo dinâmico onde a informação corre em tempo real, porém um conteúdo mais denso, se for de qualidade, não tem problema nenhum e este blog é o caso.
Obrigado.