quinta-feira, 25 de agosto de 2016

GUEST POST: A FALTA QUE FAZ O ESPORTE FEMININO NA TV

Allan Patrick é um leitor antigo do blog que eu considero meu amigo. Além de colaborador frequente do blog, ele é auditor fiscal da Receita Federal. 

Há dois anos faleceu o locutor esportivo Luciano do Valle. Depois que ele saiu da Globo ao final da Copa do Mundo de 1982 foi trabalhar em outras emissoras, sendo hoje em dia mais conhecido pelo período que esteve na Band, desde a segunda metade dos anos 1980 até quando veio a falecer em 2014.
O que há de tão especial em sua carreira profissional? Quem acompanha o twitter da Lola sabe que frequentemente, em especial em época de Copa do Mundo ou Jogos Olímpicos, surgem debates sobre questões de gênero no esporte. Quando falamos de futebol feminino, de esportes que só tem visibilidade no período olímpico ou da ausência de narradoras de futebol na TV, em todas essas ocasiões costuma vir ao debate o nome de Luciano do Valle.
Por que isso? Durante a segunda metade dos anos 1980 e todos os anos 1990, quando a TV por assinatura era uma raridade no país ou extremamente cara e a TV aberta era dominada, a Band cavou um espaço no mercado publicitário, "O Canal do Esporte". Transmitia várias competições esportivas famosas em sinal aberto, como a NBA nos tempos em que Michael Jordan e o Chicago Bulls venceram vários campeonatos, chegando ao extremo de ter uma programação dominical quase exclusivamente dedicada ao esporte, com 10 horas de transmissão.
Pois bem, embora essa abordagem tenha garantido um nicho confortável à emissora (especialmente se comparamos com sua situação de penúria atual, com boa parte da programação alugada a igrejas pentecostais; os programas minimamente interessantes, como o MasterChef, são exibidos em horários proibitivos), a marca do "canal do esporte" implicava entretanto num grave problema para uma emissora que à época tinha a ambição de ir além: na hora de comercializar publicidade, grande parte dos anunciantes não demonstravam interesse numa emissora com um perfil de audiência muito masculino.
O esporte feminino como estratégia de sair do impasse publicitário
Todo mundo deve conhecer a anedota dos vendedores de sapato que chegaram numa cidade onde todo mundo andava descalço. Enquanto um deles estava certo de que iria à falência, o outro via naquela situação uma oportunidade única.
Foi assim que Luciano do Valle (que era muito mais do que um simples narrador de eventos esportivos, tendo grande influência nos rumos da emissora) enxergou a situação como uma oportunidade, e a emissora teve um grande papel no estímulo à transmissão de esportes femininos.
Foi na Band que o Brasil pôde ver Marta e Hortência serem campeãs mundiais de basquete feminino em 1994 (quantas leitoras e leitores sabiam que o país já havia sido campeão mundial em basquete feminino?).
O vôlei feminino, numa época em que ainda não havia ganho nenhuma medalha ou título de Grand Prix, tinha espaço também na programação da emissora.
A emissora transmitiu a Copa do Mundo de Futebol Feminino de 1995. Se o esporte sofre com a falta de condições hoje, que o Brasil rotineiramente chega às semi-finais, imagine transmitir esse campeonato em TV aberta comercial num tempo em que o Brasil ficava em último lugar do seu grupo na primeira fase!
Na mesma época, também tentou emplacar uma narradora para as transmissões de futebol. 
Legado
Qual o legado dessas iniciativas? O fato de não terem se perenizado indica que fracassaram? Provaram que ninguém quer saber de esporte feminino?
Se há uma característica do capitalismo que não é posta em prática no Brasil é tal da livre concorrência. A Globo entendeu perfeitamente o risco que o sucesso do esporte feminino poderia representar, abrindo a possibilidade de que sua concorrente deixasse o nicho publicitário e disputasse anunciantes de maior qualidade. Impôs então um apagão noticioso na área. 
Eu lembro bem porque na época era adolescente e 1994 foi um ano marcante pra mim (entrei na faculdade e vi o Brasil ganhar uma Copa do Mundo de futebol masculino após 24 anos de jejum). A repercussão de ser campeão mundial em basquete feminino na Globo e demais emissoras de TV aberta foi ZERO. Nem uma notinha no Jornal Nacional. Tampouco a mídia impressa, como a Folha de S. Paulo (meu pai era assinante na época), fez mais do que minúsculas matérias protocolares.
O basquete feminino era tão desimportante assim? Então porque até hoje Paula e Hortência, as estrelas daquela equipe, ainda têm destaque nos quadros das emissoras de TV quando há Jogos Olímpicos? Paula, inclusive, chegou a ser comentarista na TNT das finais da NBA (liga profissional de basquete masculino dos EUA) até bem pouco tempo (saiu porque a TNT não transmite mais NBA no Brasil).
No caso dos esportes que conseguiram romper o cerco rumo a uma maior popularidade, como o vôlei feminino, a Globo foi lá e comprou todos os direitos de transmissão e confinou a modalidade à TV por assinatura.
Conclusões
Atualmente, vivemos o que a Lola já chamou aqui no blog de backlash, uma espécie de volta no tempo em termos de representatividade da mulher, e o espaço para transmissões de esporte feminino na TV aberta é praticamente nenhum. 
Minha geração, apesar de só dispor de 4 ou 5 canais de TV, tinha um acesso razoável a esporte feminino na TV. A atual, para tanto, tem que assinar TV paga e correr atrás de pacotes mais caros que incluam os canais esportivos adequados.
A TV Brasil até que tenta furar o cerco e, desde o ano passado, transmite o campeonato de futebol feminino. Mas as iniciativas da TV pública (ainda mais o campeonato sendo patrocinado por um banco também público, a Caixa) entram imediatamente no index prohibitorum do que a mídia se nega terminantemente a repercutir. E o governo golpista já tem planos de simplesmente acabar com a existência da TV Brasil.
Enfim, as mulheres querem praticar esporte, querem ver mulheres praticando esporte, mas as forças contrárias ao "livre mercado" continuam sabotando as iniciativas de criação de espaços de representatividade da mulher.
P.S.: Me permite um pequeno off-topic com gancho nas Olimpíadas? Lembra quando queriam (aliás, ainda querem) esfolar o Lula por promover empresas brasileiras no exterior? Aí o que faz o Primeiro Ministro do Japão na Cerimônia de Encerramento das Olimpíadas? Se fantasia com as vestimentas de um personagem de videogame de uma empresa japonesa! Não lembro de ninguém na mídia ou nas redes sociais propondo a prisão dele.

72 comentários:

Anônimo disse...

Nada a ver comparar o primeiro ministro japonês fantasiado como um personagem da cultura popular com as acusações feitas ao Lula

Cesc Biavati disse...

Quem não assiste esporte feminino? Adoro as tenistas russas :D

Anônimo disse...

Porque não passam jogos da 4a divisão na tv aberta?
Deve ser o machismo opressor patriarcal

Anônimo disse...

Ninguém quer "esfolar o Lula por promover empresas brasileiras no exterior", o que queremos é que ele responda pelos crimes que é acusado: lavagem de dinheiro, falsidade ideológica e peculato. Ele não pode está acima da lei só porque algumas pessoas o veneram como se fosse um deus.

Mila disse...

Texto muito pertinente Allan, ainda mais em uma época pós-Olimpíadas e refutando o argumento de que o esporte feminino não atrai investimentos, por isso não é transmitido.

Comecei a assistir futebol feminino um ano depois que eu comecei a ver o masculino. Até hoje, me lembro da ingenuidade em achar que depois da Prata de Atenas, cujo jogo as meninas jogaram com muita garra e foram severamente prejudicadas pela árbitra Diane Ferreira-James, que o futebol feminino teria algum valor no Brasil. Pq poxa, elas foram medalhistas de prata! Até o Galvão Bueno pediu para que se investisse! Três Olimpíadas depois e o que se vê é o 0 interesse. E infelizmente não vejo um grande futuro considerando que o investimento só poderá ser feito caso o Brasil traga resultados.
É certo que em tempos de Jogos, os brasileiros torçam, mas também reclamem tanto quando o Brasil não alcança as medalhas que todo mundo quer ver. A nossa nação é um público de futebol, nós simplesmente ainda não temos capacidade de entender como funciona o mundo em outras modalidades e a mídia também ajuda bastante nisso. É por isso que não conseguimos entender como o judô feminino tem tanto peso internacional, pq as meninas do handebol chegaram como esperança de medalha e também entender pq não éramos favoritas ao ouro no futebol feminino.

Anônimo disse...

Espero que seja pelo talento Cesc Biavati, pq se for pelo corpo tem um pecado da luxúria, cobiçar a mulher alheia aí né


Mas aproveitando o comentário do nosso troll cristão, é bom observar que o esporte feminino tem mais visibilidade a atleta ainda pode ser "feminina" (10 entre 10 matérias: fazer x e manter a feminilidade né). O tênis e o vôlei feminino são bons exemplos. Daí que vão tentando "embelezar" o esporte. Há um tempo atrás vi que uma confederação esportiva aí queria que as atletas começassem a partida maquiadas. Outros tentam deixar o uniforme mais sexy. O que sai na mídia é só enaltecendo a beleza. Via atletas fodas como Ronda Rousey, Yelena Isinbayeva ou Maria Sharapova sendo mais notícia porque eram musas do que pelo desempenho do esporte em si, não importava quantos recordes elas quebrassem ou torneios importantes ganhassem. Atletas fora do padrão de beleza só são notícia se realmente o feito delas não tiver como ser escondido e isso sempre acompanhado pelos "Fulano de Saia" da vida. Também temos atletas medianas, mas que por serem bonitinhas, ganham mais destaque que as fodonas de suas modalidades.
No fim, macho só quer ver esporte se for pra pelo menos olhar umas gostosas. Acho que tá na hora da gente também entrar nesse espaço, superando essa barreira de que esporte é coisa de homem.
PS: Vi tanto macho brasileiro pagando pau das loiras suecas nas Olimpíadas, mal sabem eles que boa parte lá é "feminazi" inclusive a nível de ativismo.

Anônimo disse...

Será que a Nintendo reformou o sítio do Shinzo Abe também por camaradagem? Ou contratou uma consultoria do Shinzinho feita na Wikipedia por alguns milhões de ienes?

Anônimo disse...

Bastava as mulheres prestigiaram o futebol feminino não só nas olimpíadas.
É melhor pensar que existe uma conspiração do patriarcado do que as leis do livre mercado, eu também não vejo na TV polo aquático masculino e feminino, handebol masculino e feminino, hóquei na grama masculino e feminino, etc.
Vamos pensar da seguinte maneira: se o futebol feminino levasse 40 mil para o estádio, caravanas fossem para outros Estados para ver seus times,milhões assistisse pela TV aberta, outros milhões pagassem TV a cabo,todo um comércio girasse em torno disso, aí a Globo podendo ganhar dinheiro com isso deixaria de passar pq seus executivos em uma mesa com telinhas com o pessoal do FBI e dos Iluminatis on line, junto com o Temer a proibisse em nome do patriarcado opressor ( após isso risadas satânicas )
Hj a maioria prefere futebol masculino, INCLUSIVE AS MULHERES, ah já sei, foi a sociedade que fez elas gostarem, mimimi...

Rafael Cherem disse...

No caso especifico do futebol ele foi proibido às mulheres até pouco tempo, quanto as outras modalidades as mulheres sempre foram afastadas também por questões históricas,é uma bobagem tentar justificar a falta de interesse do público como base apenas no mercado, nos torcemos por identificação, reparem nas histórias de superação dos atletas populares, não há como criar essa identificação se não há espaço seja para o público assistir pessoalmente seja para praticar.

Anônimo disse...

"Hj a maioria prefere futebol masculino, INCLUSIVE AS MULHERES, ah já sei, foi a sociedade que fez elas gostarem" Claro que não, é biológico o fato de mulheres gostarem que ver um bando de macho correndo atrás de uma bola.

Patrick disse...

Porque não passam jogos da 4a divisão na tv aberta?
Deve ser o machismo opressor patriarcal


A TV Brasil transmite a Série D do campeonato brasileiro de futebol masculino em sinal aberto e o Esporte Interativo na TV por assinatura.

A Rede Vida (tv católica de sinal aberto) transmite a Série A-2 (terceira divisão) do campeonato paulista de futebol masculino.

Cesc Biavati disse...

Sim, eu sei que é pecado. E todos nós pecamos. Todos somos pecadores. Luxúria é interpretado como atos lascivos e libidinosos desregrados e sem amor. É claro que existe talento das russas e suas belezas fazem bem para vista :D.

Nada a ver isso aí. A pessoa se destaca pelo talento e não por beleza, ou você acha que a maioria dos jogadores (de todos os esportes) são coisas "maravilhosas"?
Os jogadores brasileiros e brasileiras de futebol tem cara de favelado e isso não tira o mérito das conquistas.
Se a pessoa ainda tem beleza, ajuda no marketing pessoal e só. Beleza não ganha competição olímpica.

Anônimo disse...

Uma vez, eu tinha 10 anos, a professora avisou que nós íamos participar de um campeonato em outra escola. Íamos de ônibus e tudo. Eu fiquei super empolgada. Perguntei o que a gente ia jogar. Ela respondeu que os meninos iam jogar futebol as meninas iam pra assistir. Eu não entendi nada na hora. Nem depois. To tentando entender até hoje, aliás. Resolvi que ia me divertir de outro jeito. Passei o jogo todo puxando gritos de guerra contra os meninos da minha escola.
Feminazi desde criancinha.

Patrick disse...

Será que a Nintendo reformou o sítio do Shinzo Abe também por camaradagem? Ou contratou uma consultoria do Shinzinho feita na Wikipedia por alguns milhões de ienes?

Shinzo Abe é herdeiro da fortuna política familiar e política do seu avô, que também foi Primeiro Ministro do Japão nos anos 1950 e 1960 e fez fortuna na vida sendo governado de regiões da China ocupadas pelo Japão na primeira metade do século. Comandava campos de trabalho escravo e fazia questão de ser servido exclusivamente em restaurantes cujas garçonetes lhe oferecessem favores sexuais após as refeições. Na opinião dele, os chineses estavam abaixo dos seres humanos e no máximo poderiam alcançar o status de cães, se fossem bem adestrados.

Quem teve a ideia de fantasiar o Primeiro Ministro de personagem da Nintendo foi um outro ex-Primeiro Ministro japonês, Yoshiro Mori, que agora é o Presidente do Comitê Olímpico organizador de Tóquio 2020 mas que depois que havia deixado o cargo de Primeiro Ministro foi ocupar uma Diretoria na Nintendo, sem entender patavina de nada de jogos eletrônicos.

Aguardo a sua defesa da prisão desses dois primeiros ministros japoneses por defenderem os interesses das empresas do seu país.

Anônimo disse...

(Viviane)
Além de culpar as mulheres, anon de 17h23, você também não leu o post do Patrick, né? Se tivesse lido, veria que ele responde exatamente ao seu "argumento".

Anônimo disse...

(Viviane)
Cultura popular, anon de 14h48? Não me faça rir. Se Lula ou Dilma se vestissem de um personagem da Turma da Mônica, haveria gritaria sobre "lobby para Mauricio de Sousa"...

Anônimo disse...

Eu torço a adoro quando mulher supera os homens (esses babacas metidos) nos esportes, se for futebol então é uma cartasse, mas nestas olímpiadas as mulheres nos deram muitas expectavas mas brocharam feio. Se não fossem os homens só teríamos três medalhas. Que feio.

Anônimo disse...

Personagem da cultura japonesa?! Cara, foi criado pela Nintendo! O Lula está sendo acusado de facilitar a vida de empresas privadas nacionais então o que o primeiro ministro japonês fez de diferente?!
Não tem tua posição política, provavelmente!

Anônimo disse...

As mulheres foram a grande decepção Brasileira desta Olimpíada. Se não fossem os medalhistas homens do Brasil, ficaríamos pra lá de 50ºlugar no quadro de medalhas...
Nos decepcionaram muito, e mais pronunciadamente, Joanna Maranhão, Mauren Maggi, as "meninas" do futebol feminino, e etc...
Sério, foi de dar vergonha!
Menos, Lola. Menos, feministas. Olhem e entendam a realidade uma vez na vida, pelo menos. Os homens salvaram (mais uma vez) vcs todas da vergonha internacional.

Anônimo disse...

Eu não gosto de futebol, mas eu vejo que a maioria das mulheres que dizem ser fãs de futebol só se interessam pelo futebol masculino.

Anônimo disse...

O feminismo deveria em nome da igualdade pedir o fim das categorias masculino e feminino nos esportes, tudo deveria ser misto.

Hods Hits disse...

Lendo esse artigo me dei o tempo de pesquisar sobre a existência de algum Campeonato Feminino de Futebol e vi que já temos um em pleno andamento já faz alguns dois anos. O que me incomoda é o fato da mínima - ou quase nula - repercussão quanto a isso, mesmo que grandes emissoras como Sport TV ainda transmitam os jogos femininos do brasilerão feminino. Pelo que vi, o campeonato parece contar com um contingente um tanto limitado de equipes. Isso nos mostra que o foca que se aplica no esporte feminino é geralmente em épocas de competições olímpicas ou em outras modalidades erroneamente taxadas de "de mulher", como o vôlei.
Particularmente, nunca fui de assistir muito futebol. Sempre preferi as outras modalidades como vôlei de praia, futsal e tênis de mesa. E garanto que sempre veio mais ao meu interesse esportes femininos do que o masculino em si.

Anônimo disse...

21:00, menos você, querido. Eu posso usar esse argumento pra dizer que tem que se investir mais no esporte feminino. Dar mais espaço para a nova geração de meninas que vão trazer mais medalhas nas próximas Olimpíadas como fizeram as mulheres em Londres 2012. Mas tenho certeza que não é isso que vc queria ler, né? E não to com a mínima vergonha das atletas mulheres. A Joanna Maranhão não tinha chance de medalha e a Maurren está com uma hérnia. A seleção feminina deu tudo de si, tiveram garra até o último momento. Então abaixa a sua bolinha aí. Os homens não nos salvaram de nada como já é de hábito. Por mim posso dizer que não torci para nenhum deles, estava ocupada assistindo outrAs atletas e torcendo pro elas.

Anônimo disse...

"Eu não gosto de futebol, mas eu vejo que a maioria das mulheres que dizem ser fãs de futebol só se interessam pelo futebol masculino."

Vc quis dizer o futebol mainstream, que passa toda quarta e domingo nas maiores emissoras?

Anônimo disse...

Gostaria de, publicamente, parabenizar a seleção brasileira de futebol masculino por mais uma conquista.
Rapazes, vcs são excelentes jogadores. Principalmente você, Neymar.

Formamos uma grande equipe. Ouro merecido.

Anônimo disse...

Provando que até os campeonatos mais lixo masculinos dão mais ibope

Anônimo disse...

Não era melhor ter se revoltado com quem definiu a regra injusta?

Anônimo disse...

Acho que o machismo só vai acabar quando não tiver mais gente no mundo.

Anônimo disse...

Comentários estúpidos e misóginos como este, sempre me fazem lembrar deste texto:

“Dizer que um homem é heterossexual implica somente que ele mantém relações sexuais exclusivamente com o sexo oposto, ou seja, mulheres. Tudo ou quase tudo que é próprio do amor, a maioria dos homens hétero reservam exclusivamente para outros homens. As pessoas que eles admiram; respeitam; adoram e veneram; honram; quem eles imitam, idolatram e com quem criam vínculos mais profundos; a quem estão dispostos a ensinar e com quem estão dispostos a aprender; aqueles cujo respeito, admiração, reconhecimento, honra, reverência e amor eles desejam: estes são, em sua maioria esmagadora, outros homens. Em suas relações com mulheres, o que é visto como respeito é gentileza, generosidade ou paternalismo; o que é visto como honra é a colocação da mulher em uma redoma. Das mulheres eles querem devoção, servitude e sexo. A cultura heterossexual masculina é homoafetiva; ela cultiva o amor pelos homens.”

Anônimo disse...

Você dever ter problemas cognitivos muito sérios para pensar que o feminismo defende este tipo de coisa. Ou está agindo de má-fé mesmo.

Cássia disse...

Em 1994, eu tinha 15 anos de idade e assisti à final do mundial de basquete. Eu sempre acompanha os jogos e AMAVA a Paula e a Hortência, elas foram minha referência esportiva na época. Hoje o meu amor é do futebol, tanto masculino quanto feminino, mas se eu tenho acesso a tudo do primeiro, tenho de correr atrás de tudo do segundo. Como faz falta o imenso espaço que a Band dava aos esportes.

Anônimo disse...

(Viviane)
O cara cita Mauren Maggi como participante dos Jogos de 2016 e quer ser levado a sério...

Anônimo disse...

http://guiadoestudante.abril.com.br/aventuras-historia/gregos-inventores-amor-435513.shtml

Anônimo disse...

Cesc Biavati, continua orando na tua Igreja que de marketing esportivo você não entende NADA.
- O fenômeno do reconhecimento da beleza é muito mais recorrente no esporte feminino. Qual gênero que você vê bundas e peitos aparecendo mais que as atletas e suas conquistas? Qual gênero que atletas medíocres são mais valorizadas por serem mais bonitas que as melhores da sua categoria? Qual gênero os telespectadores querem ver ao menos umas gostosas?
- O que seria "cara de favelado"? Ou por acaso a beleza escolhe onde morar (os bonitos vão para a Zona Sul e os feios para as favelas). Duvido responder isso sem racismo ou a falácia do "gosto pessoal"
- O futebol masculino mereceu o ouro. Mas não fez nada mais que a obrigação. Presente nos Jogos Olímpicos desde 1908, o badalado futebol pentacampeão nunca havia subido no ponto mais alto do pódio. Ouro olímpico era algo que até equipes do segundo escalão do futebol, como Camarões e Nigéria têm. Agora que já temos o ouro e nada a provar a ninguém, não sei se vai continuar tanto foco no futebol olímpico.
- "Mimimi os homens salvaram o Brasil da vergonha mundial, agradeçam a nós feminazis e lambam nossos falos": falou o sujeito que nem deve dar uma estrelinha fazendo guerrinha de gênero. A quarta série deve estar com inveja da sua gurerrinha de meninos vs meninas. Vergonha mundial seria se os Jogos fossem um desastre em termos de organização e segurança. Mas já que é pra falar de vergonha mundial e ter guerrinha de gênero, bora recapitular 2014-2016 o biênio esportivo da modalidade mais amada do Brasil:
a) Capitão brasileiro desabando no choro para não bater penal
b) 7x1 tomado em casa numa Copa do Mundo
c) Seleção mais preocupada com selfie do que com jogo
d) Eliminação na primeira fase de uma Copa América num grupo com os poderosos Equador, Haiti e Peru.

E o sujeito ainda quer falar em vergonha mundial. Ô geração que mereceu esse 7x1 viu?

Anônimo disse...

Lola,
Eu gostei muito do seu ponto de vista sobre a Lelis. Como feminista, fui ofendida por essa moça várias vezes. Mas antes de tudo o que importa é a equanimidade. É essa moça está sofrendo o mal que plantou mas também está sendo arrasada por pessoas que se diziam amigas. Isso é doloroso.
Ao meu ver ela só precisava de disciplina, terapia, estudo e filosofia. Com essas coisas qualquer ser humano melhora.
Enfim, queria compartilhar essas duas reportagens, com vc e a comunidade lolistica.
Elas mostram que só estamos vendo um lado dessa estória.
Janot avocou o inquérito e esse delegado paulista vai sofrer as consequências de seu ato, uma das missões do MP é justamente verificar a lhaneza dos atos policiais.
Mas enquanto isso, Sara Inverno e cia foram convidadas à delegacia, tiraram selfie com delegado, falaram que a preventiva de Lelis seria pedida. E milhões seguem o que eles falaram. E acreditam. E massacram a moça que nem facebook tem para se defender.
Não tem laudo provando que a moça era mitomaniaca. Tem laudo, como mostra abaixo, provando que ela é uma vítima e tem transtornos.


PS: Bolsonaro ofendendo a Jandira ontem foi um prenuncio. É esse tipo de gente que está ganhando, nunca achei que viveria para ver a ascensão de fascistas bem na minha frente. Como estudiosa da Segunda Guerra e período prévio, estou vendo a história sendo tecida. De novo.
Alê

https://medium.com/democratize-m%C3%ADdia/delegado-que-mentiu-no-caso-feliciano-é-filiado-ao-psdb-e-carrega-histórico-polêmico-a6df5b18cf95#.wysnz7vmj

https://medium.com/democratize-m%C3%ADdia/delegado-mentiu-em-inqu%C3%A9rito-para-questionar-postura-de-jovem-abusada-por-feliciano-3202986f811a#.ocd90g2bg

Lúcio Oliveira disse...

Falei pra minha mãe parar de ver novela e ir assistir futebol feminino para ajudar as mulheres, ela me mandou pra...

Anônimo disse...

Falou o mascu que precisa comentar como mulher por ser um tremendo covarde e que não aguenta nem cinco minutos de esteira (e que mesmo assim quer criticar atletas de nível olímpico).

Rodrigo Almeida disse...

Eu acho q a mídia é muito hipócrita por criticar os clubes de futebol que não investem no fut feminino, mas eles mesmo não qrem transmitir os jogos pela televisão. Vão alegar q o motivo é falta de espaço e não teria audiência.

Agora, bola fora da Lola tentar defender o bandido preferido da esquerda.

Maria disse...

Enfim, conseguiu reconhecer que o livre mercado é algo bom!
Se houvesse livre concorrência entre os canais de televisão, sem dinheiro de propagandas do governo, sem milhares de leis para regulamentação, sem monopólios, haveria canais de esporte para todos os gostos, desde que tenha audiência e, consequentemente, mercado.

Agora, imagina isso aplicado a todas as áreas! :)

Anônimo disse...

Patrick,

Refaço minha pergunta. A Nintendo concedeu favores PESSOAIS ao Shinzo Abe e à família dele em troca de contratos superfaturados com o governo para depois repassar parte do superfaturamento ao partido do primeiro ministro? Porque é essa a questão toda do Lula, e não o fato de ele fazer lobby para empresas brasileiras no exterior.

Mas eu sei que você sabe disso. É que é mais fácil ficar na retórica de que estão querendo criminalizar a parte lícita da coisa enquanto joga pra baixo do tapete toda a falcatrua por trás.

Anônimo disse...

lola sabe essse boom da igreja evangelica contribui muito com isso.E realmente o Brasil está retrocedendo, eu me lembro disso que o post fala pois tenho 33 anos. Eu vejo a mulheres serem incentivadas a malhar par ficar gostosas mas nao a praticar um esporte prazeroso pra ela e que ajude a socializar etc.

Anônimo disse...

Falavam taaanto sobre como a seleção feminina de futebol é superior, e no final ganhamos ouro no masculino enquanto o time feminino não nos trouxe nem um bronze...

Cesc Biavati disse...

26 de agosto de 2016 09:02

Kkkkkkk. Uer. Que distorção psicótica do que falei. Só falei em marketing pessoal no quesito da beleza do atleta. Se o atleta ou a atleta, além de ter talento, foi bonito (a), ajuda mais ainda no marketing pessoal. Só isso. Nem falei de 7x1, nem falei de Copa América, nem falei das decepções e fracasssos de seleção brasileiro. Você cheirou um pó aí e saiu comentando tudo o que lhe deu na cabeça. E sim, a seleção brasileira tem cara de favelado pelo fato do futebol por poder permitir que qualquer pessoa jogue, desde um pobre a um rico. Já reparou que a coisa muda em certos esportes? Não precisa ir a esportes de elite, mas esportes como futsal, volei, handbol......

Anônimo disse...

Depois de tudo isso daqui:

a) Capitão brasileiro desabando no choro para não bater penal
b) 7x1 tomado em casa numa Copa do Mundo
c) Seleção mais preocupada com selfie do que com jogo
d) Eliminação na primeira fase de uma Copa América num grupo com os poderosos Equador, Haiti e Peru.

E ainda os absurdos investimentos financeiros que o futebol masculino recebe, em detrimento de outros esportes, estes jogadores meia-boca mais o mimadinho mal-educado do Neymar não fizeram nada mais que a obrigação. Mesmo assim, não apagaram o vexame histórico do 7x1. Mas entendo porque os machos gostam tanto de lamber os pés destes caras: o futebol masculino no Brasil é um dos últimos refúgios dos modelos fracassados de masculinidade.

Anônimo disse...

Mas isso na época da Dilma, né... Quando tudo dava errado no país.

Mudou o presidente, e veja aí o resultado se reflete na seleção brasileira.

Anônimo disse...

Cesc Biavati, pare de achar que o mundo gira em torno de você. As duas colocações que eu fiz, e em tópicos, para separar os assuntos, você se esquivou. As outras, obviamente foram para as crianças que estão aí falando sobre ozomi ter salvo a honra do Brasil. Será que a gente precisa desenhar? A primeira colocação foi para deixar claro que o marketing esportivo feminino é pautado principalmente pela aparência e não pelo mérito, como é com os homens. Segundo (que você não respondeu): o que é a cara de favelado?

O resto do seu comentário é pautado pelo ad hominem, o que por si só já é uma falácia, mas dada a percepção de que o restante do meu comentário não se destina a sua pessoa, torna a sua colocação ("cheirar pó") como uma sentença ilógica e falsa.

Anônimo disse...

Favor alguém encaminhe esse post diretamente pras nossas jogadoras. <3

Cesc Biavati disse...

Vixe.....Quantos tecos cê deu, criatura? Maneira aí. O que isso tem a ver com o que falei? Cara de favelado é a cara da seleção brasileira. Olhe a origem da maioria jogadores e jogadoras de futebol no Brasil.

Que honra? Saiu falando um monte de bosta sobre marketing. Se a pessoa é bonita ajuda no marketing dela própria tanto para atletas homens quanto para mulheres.

E eu quero que desenha. Desenha aí, mas sem tremer por causa........

Cada uma.

Anônimo disse...

"Mas isso na época da Dilma, né... Quando tudo dava errado no país.

Mudou o presidente, e veja aí o resultado se reflete na seleção brasileira."


Zidane te manda 3 lembranças

Anônimo disse...

Velho, não gosto da Dilma nem do Temer. Mas para com esta idiotia de confundir esporte com política...

Patrick disse...

Refaço minha pergunta. A Nintendo concedeu favores PESSOAIS ao Shinzo Abe e à família dele em troca de contratos superfaturados com o governo para depois repassar parte do superfaturamento ao partido do primeiro ministro? Porque é essa a questão toda do Lula, e não o fato de ele fazer lobby para empresas brasileiras no exterior.

Lula, após deixar a presidência, trabalhou para grandes empresas brasileira, do mesmo modo que Bill Clinton (isso já foi relatado em post que escrevi e Lola publicou aqui no blog). Não há nada nas acusações que lhe são feitas além de tentar criminalizar essa relação comercial. Porque a particularíssima interpretação que o juiz Sérgio Moro dá ao direito penal, quando o acusado é do PT, é que quando não há provas de que você fez alguma coisa, é porque você escondeu muito bem e deve ser o cabeça do grupo criminoso.

Anônimo disse...

Alguma dessas empresas concedeu favores pessoais à família Clinton e depois foi flagrada em um esquema de desvio de recursos de uma estatal para o Partido Democrata?

Anônimo disse...

Cesc Biavati, será que um dia eu vou ler uma resposta sua onde não contenha nenhum ad hominem? Ou será que seus argumentos são tão fracos que você precisa atacar seu interlocutor para desqualificá-lo. Ou talvez seja trollagem, o que não é exatamente novidade.
Só pedi para você descrever que cara de favelado os jogadores possuem. Custa para você ser bem mais específico na sua descrição? Pq ao que me consta, o bairro onde você nasce não determina a cara que você vai possuir e sim a sua genética. Acho que isso é meio que aceito pela ciência (ao menos eu não li uma tese que corrobore isso). Como é a cara de quem mora na Rocinha? E de quem mora em Botafogo? E de quem mora em Ipanema? Neymar tem cara de favelado tanto quanto David Luiz ou Oscar?

Quais são as bostas que eu falei sobre marketing? Diz aí. Falei que a imagem da atleta feminina é trabalhada de forma a enaltecer mais a beleza que a habilidade ou dominância. Citei exemplos, embora eles estejam a olho nu de quem acompanha esportes numa Olimpíada. Ao contrário de você, munido de seus "argumentos" que necessitam de ataques ao interlocutor, mostro artigos. Leia-os, se a arrogância permitir:

http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-026X2002000100026&script=sci_arttext
http://www.scielo.br/pdf/ref/v11n2/19131
http://www.seer.ufrgs.br/Movimento/article/view/2896

Anônimo disse...

Perde tempo não, não jogue pérolas aos porcos. Este sujeito é um troll fanático religioso (claro, só quando interessa a ele).

Anônimo disse...

17:33 na verdade, acho ele um personagem. Note que ele é uma caricatura do macho, religioso, cristão com todas os seus trejeitos e extravagâncias. Vez em quando vejo alguém zoando do personagem Cesc Biavati, quando num post ele deu um piti xingando o pessoal em CAPS LOCK e a galera falando do pecado da Ira.

Anônimo disse...

O país que possui o maior número de medalhas,EUA, teve muito de seus ouros devido ao investimento no esporte feminino, visto que possui uma lei que obriga a igualdade salarial entre os atletas masculinos e femininos. Mulheres são 52% do comite olímpico americano. O mesmo se trata da China, que também tem um imenso investimento em esportes femininos, tendo o número de atletas mulheres maior do que o de atletas homens, cerca de 62% de mulheres. A Grã-Bretanha tem aumentado o foco nos esportes femininos a cada olimpíada,o que obviamente favoreceu em um maior ganho de medalhas. O próprio Presidente do Comite olímpico internacional disse que as olimpíadas vão se tornar femininas. A expectativa é que nas olimpíadas de tokio tenha o maior numero de atletas mulheres do que todas as comemorações passadas. E agora machos?

Anônimo disse...

A Lola sempre elege um trollzinho de estimação. Desta vez, elegeu este Cesc Biavati. Acho que o melhor seria só ignorar e pular sempre que aparecer um comentário dele. Vai que é doença...

Patrick disse...

Alguma dessas empresas concedeu favores pessoais à família Clinton e depois foi flagrada em um esquema de desvio de recursos de uma estatal para o Partido Democrata?

Nem preciso me dar ao trabalho de fazer uma pesquisa profunda sobre esse assunto, porque tem matéria publicada hoje em The Intercept: Democratic Pundits Downplay Serious Ethical Issues Raised by the Clinton Foundation

Anônimo disse...

Além disso, vale lembrar que o placar moral da final foi 4x1 para a Alemanha, pois a selecinha ganhou o ouro na SORTE. Eles jogaram mal, foram dominados pelos alemães o jogo inteiro e levaram nada menos que TRÊS bolas na trave.

Sabe o que essa selecinha de moleques mimados merecia mesmo? Levar a prata e outro 7x1 no lombo.

Anônimo disse...

20:40, para dizer que a Alemanha dominou o jogo você não deve nem saber quantos lados têm a bola, a Alemanha ficou a maior parte do tempo na retranca, o Brasil criou mais oportunidades, deu mais pressão, até as estatísticas do jogo mostram isso. Além do mais, nosso goleiro foi em todas as bolas, o deles passou longe em todas, então mesmo nos pênaltis o Brasil foi de fato superior, o goleiro salvou o jogo.
Não gostar da seleção tudo bem, mas seu exagero é ridículo

Anônimo disse...

Ótimo
Por mim Clinton E Lula na cadeia, o fato dos democratas TAMBÉM serem corruptos não isenta nosso EX presidente. Não tenho bandido de estimação

Anônimo disse...

Estou achando ridículo o rumo que esse tópico tomou.
Somos todos brasileirxs, gente.

Não tem sentindo isso de torcer conta o próprio país. Nessas olimpíadas a seleção masculina jogou muito bem, mereceu ganhar, PONTO PRA ELES!
A seleção feminina também é muito boa, muito profissional, mas DESTA vez elas estavam menos preparadas, paciência! deixamos para a próxima!

O que não dá pra continuar é essa guerrinha contra os homens, querendo que a seleção masculina perca!!!

Anônimo disse...

anon das 23:10, mas foram vocês feministas que começaram com isso.
Fizeram até videos aproveitando a imagem de uma criança para dizer que a marta era melhor que o neymar... só que não.

Agora o mundo inteiro viu que o neymar é 1000x melhor que a marta, e acabaram entendendo pq o futebol feminino é muito sem graça e sai gol toda hora, parecendo jogo de basquete.

Você pode ( e deve, na verdade achei nobre da sua parte ) pedir para os brasileiros pararem de brigar por isso, mas quem começou foram vocês.

Anônimo disse...

01:42, o legal é que elas adoram falar do 7x1, sendo que era OUTRA seleção formada por "criancinhas" tão frágeis que ficavam chorando dentro do campo, não tinham preparo psicológico nem pra trabalhar quem dirá ganhar uma copa do mundo. O fato de existirem seleções vergonhosas como a de 2014, não desmerece a tradição centenária do futebol brasileiro, somos os únicos a ter 5 copas do mundo. O que conta no futebol mundial é copa do mundo, não olimpíada, mesmo assim o ouro olímpico da seleção masculina está aí, cadê a medalha de ferro da feminina? Não ganharam nada

The Crow disse...

A TV Brasil só dá gasto e traço no ibope. Desperdício de dinheiro público.

Anônimo disse...

00:11 seleção de futebol feminino está há anos luz do nível de profissionalismo e organização da masculina e vocês estão exigindo o mesmo desempenho.
Se vocÊs fossem um pouco mais espertos, saberiam que não éramos favoritas ao ouro. A projeção do COB (exagerada) era a luta pelo bronze.
Mas o que esperar de um povo que só assiste futebol (masculino é claro), não sabe dar uma estrelinha e depois exige medalha de atleta brasileiro sem entender bulhufas de como anda a modalidade atualmente né?

Anônimo disse...

Anônimo de 1:42, com que propriedade você diz que foram AS FEMINISTAS que começaram isso?
Acho que não assistiu as Olimpíadas, bora recapitular.
Quando a Rafaela Silva, mulher negra, pobre, periférica e lésbica levou o ouro, muita gente comemorou, afinal, 4 anos antes racistas babacas perniciosos a chamaram de macaca nas redes e ela pensou até em desistir do esporte. Então muita gente, inclusive feministas, achou o máximo ela ter dado a volta e feito esses pedaços de lixo engolirem a merda que falaram sobre ela.
Começaram a comparar o futebol feminino com o masculino não para enaltecê-las, mas sim para rebaixar os homens, como quem diz "Até as mulheres tão jogando melhor que vocês". Isso partiu de feminista não. Partiu de machistinhas como vocês que acham que para denegrir um homem tem que compará-lo a uma mulher. Quem disse que Marta não se compara a Neymar pq ela tem 5 bolas de ouro e Neymar nenhuma foi o Galvão Bueno. Ele te parece um grande ícone feminista?
E por último, as feministas enalteceram as Olimpíadas por vários motivos. Estamos mais cientes dessa cultura de objetificação da mulher com as matérias sobre musas e atletas bonitas. Começamos a elogiá-las por suas capacidades e habilidades. Começamos a repudiar quem se referia a Simone Biles ou Kate Ledecky como os Usain Bolt ou Phelps de saias e sim pelo mérito delas próprias. Achamos ótimo que mais e mais atletas tenham saído do armário. Achamos o máximo que pouco a pouco as Olimpíadas começam a ter várias caras, cores e ser um ambiente mais diverso que o dominado pelo homem, branco, hetero e de país superpotência.
Acha ruim? Favor registrar sua reclamação no departamento feminista-gayzista mais próximo onde suas male tears serão recolhidas.

Patrick disse...

Por mim Clinton E Lula na cadeia, o fato dos democratas TAMBÉM serem corruptos não isenta nosso EX presidente. Não tenho bandido de estimação

Não basta você não gostar de alguém para automaticamente as ações desse alguém se tornarem um crime. Na história recente, temos o exemplo da Alemanha Nazista, onde ser judeu, comunista, cigano ou homossexual já qualificava suas ações como criminosas. O fato de alguém (os Clinton, Lula) praticarem atos em sua vida privada com os quais não concordamos, como palestras para bancos e construtoras, não significa que isso seja um crime.

Hele Silveira disse...

Ah... homem gosta de valorizar lixo? Tá explicada a dificuldade de convivência, de interpretação, o complexo de inferioridade e muita coisa. Obrigada pelo relevante esclarecimento, rs.

Luise Mior disse...

Que disposição que você tem Patrick para explicar as coisas jurídicas para gente de fora... Adoro tuas reflexões!Parabéns e sinta-se abraçado ;)

Anônimo disse...

Deve ser foda estar na situação da Lola, tendo que bloquear dezendas de comentários, pois eles falam o que ela não quer ler, e liberando só os comentários de um ou outro gato pingado que dá razão para o que as feministas fizeram no futebol feminino... rs

Anônimo disse...

Você é analfabeto funcional? O que mais tem aqui é machista de bosta desancando a seleção feminina de futebol. Quer mais? Vá ler os comentários de notícias da uol, da globo e goze.