segunda-feira, 9 de maio de 2016

QUEM NÃO QUER UMA INTERNET LIVRE?

Ontem à noite fui ao belo Dragão do Mar ver o documentário Freenet (veja o trailer aqui) e, após a exibição, participar de um debate com o diretor do filme, Pedro Eckman. Foi ótimo.
O documentário é excelente e você pode organizar uma sessão onde você trabalha ou estuda, basta preencher este formulário. Ele fala de diversos temas, desde o acesso à internet à liberdade de expressão, entrevistando um monte de especialistas e descrevendo a situação nos EUA, China, Quênia, Índia, Uruguai, e aqui no Brasil, claro. 
Na África, continente gigantesco que reúne um bilhão de pessoas em 54 países, apenas 16% da população tem acesso à internet. No Brasil é metade da população, o que ainda exclui uma enormidade de gente (cem milhões de brasileiros!). 
O filme mostra dois bairros vizinhos em São Paulo, Morumbi, um bairro nobre, caro, e Paraisópolis, uma comunidade. Do lado de lá todo mundo tem internet, mas do outro, o acesso é precário e caro. 
Freenet fala bastante também de Caramuri, uma cidadezinha a nove horas de Manaus. 
Lá finalmente chegou energia elétrica, mas sinal de internet, quando tem, é só em torno da pequena igreja local. As operadoras internacionais não têm a menor intenção de investir nessa comunidade. Felizmente, empresas minúsculas, nacionais, decidem instalar uma torre de 84 metros que atingirá três cidades ribeirinhas. E, agora com acesso à internet, a comunidade de Caramuri pode fazer campanhas para exigir estrada asfaltada e escola. 
Freenet vai até Detroit, cidade que conheço bem, pois vivi um ano lá, entre 2007 e 2008, durante meu doutorado-sanduíche. Lá acontece um verdadeiro monopólio da operadora Comcast. No país mais capitalista do planeta, na terra das oportunidades e do livre mercado, da nação que crê que o mercado se regulamenta sozinho, há monopólio de internet. Não sei quantas horas perdi ligando pro atendimento da Comcast pra reclamar que minha internet não funcionava. E não havia opção: era a Comcast ou a Comcast. 
Isso foi oito anos atrás, mas desconfio que a situação tenha piorado. Eu lembro quando surgiu a internet na minha vida, há quase duas décadas. Desde aquela época eu ouvia que em breve a internet seria rápida e barata, praticamente de graça. O que aconteceu com essas promessas? Hoje estamos à beira de um grande retrocesso com a ameaça do limite à internet. 
Freenet usa como exemplo de democratização da internet o Uruguai. A experiência do Uruguai é fascinante (e nem tudo isso está no filme; muito foi contado por Eckman durante o debate). No nosso país vizinho, nos anos 1990, como aqui e na Argentina, tudo foi privatizado. Mas houve um plebiscito com a população, que optou pela reestatização dos serviços básicos. 
Por isso, a internet é vista como dever do Estado. As operadoras privadas podem explorar a banda móvel, mas a internet fixa é responsabilidade do governo. Desta forma, o governo colocou internet grátis nas escolas públicas e praças, e deu computadores portáteis para os alunos. 
E lógico que internet deve ser vista como um serviço tão básico quanto água, luz e saneamento. É essencial em nossas vidas. "Se todos os direitos são universais, a internet, que é um instrumento para o exercício de muitos direitos, também deve ser de acesso universal", diz um especialista. O documentário dá vários exemplos: para se inscrever no Enem, segundo maior concurso do mundo, tem que ser online; para alunos verem notas; para conseguir uma moradia ou um emprego, são exigidos contatos online. 
Glenn Greenwald, o jornalista americano mais atuante durante todo o processo de impeachment, diz com muita sabedoria: "Existe uma grande promessa da internet de ser uma ferramenta sem precedentes para a liberalização, democratização e liberdade, e que ainda pode ser assim, se a internet for livre. Mas também existe a possibilidade da internet se tornar a pior e mais extrema forma de repressão e controle já vista na história da humanidade se nos tornarmos uma sociedade vigiada. Esta é a encruzilhada em que estamos". 
No final, o documentário tem a engenhosa ideia de tentar filmar conversas privadas de amigos num bar e registrar o que gente na rua faz nos seus smartphones. Invasão de privacidade? Sem dúvida, mas é exatamente isso que as corporações fazem com as informações que trocamos na internet. E a maior parte das pessoas ou não sabe, ou não se importa.
Como diz uma outra especialista, "A privacidade, como a liberdade, como a vida, é um direito, não uma mercadoria. E ninguém pode negociar com os direitos humanos". Como sabemos, a democracia não serve à população em geral, e sim às empresas. Portanto, não podemos dar a essas empresas o controle sobre a nossa liberdade.
Por essas e outras reflexões sobre uma ferramenta que usamos diariamente e que é tão fundamental, sugiro que você veja o documentário.
Em tempo: hoje, às 14:30, haverá uma audiência pública na Assembleia Legislativa do Ceará, solicitada pelo deputado Renato Roseno (PSOL), com a presença de Eckman, representando o Intervozes, e de Flávia Lefevre, integrante da Proteste. 

34 comentários:

Anônimo disse...

Nao muito a ver com o post,
mas ta mais do que na hora de ~limitar~ o acesso de menores de idade as redes sociais.
Se acham que eh importante, ok, mas deveria vir um termo de consentimento para o e-mail dos pais (ou responsaveis), em que estes autorizassem e se comprometessem a verificar o que o filho anda fazendo.

Unknown disse...

Bom post. Diferente de agua, energia etc a Internet não é um recurso natural. Não é um direito. Essa coisa de direito a internet livre eu nao concordo. Custa dinheiro, alguem tem que pagar.

Unknown disse...

Sobre o que os filhos andam fazendo. Isso é de interesse dos pais. Cabe aos pais vigiar, proibir, regular etc. Se seixar a cargo do governo, os pais estao sendo lesados do seu direito de educar os filhos.

Anônimo disse...

Unknown,

voce tem acompanhado a historia da menina com cancer que tem muitos likes ?
voce tem visto o tanto de jovens (pelas fotos aparentam ser menores de idade) que estao ofendendo a menina ? Dai, os pais nao se interessam... eles continuam ofendendo... e a menina e a familia dela, coitada, tendo que aguentar isso...afinal, menor de idade nao eh punido e os pais nao tem interesse em educar.

E esse eh so um exemplo, tem muitos outros.

Unknown disse...

Não acompanho mas ja ouvi a respeito. Inclusive que ela foi derrubada, se a mesma que eu estou pensando. Criança sozinha sozinha é um perigo, internet nao é brinquedo. Ela esta se expondo, outros estao atacando... enfim. Por outro lado os governos, as empresas etc tem o dever de tornar a internet um lugar seguro, ja que é aberto a criançada. Mas os pais é que devem estar atentos, pois são os responsáveis diretos. (Não estou sabendo colocar mau nome ali)

Anônimo disse...

O colapso do capitalismo não pode ser evitado.

Previsões de um futuro colapso (não tão distante) do meio de produção capitalista, intimamente associado ao atual sistema monetário, são baseadas no fato de que ele se sustenta principalmente em fontes de energias e matérias primas esgotáveis, além de produzir desemprego a medida que automatiza os sistemas de produção por meio de máquinas e sistemas informatizados, que dispensam cada vez mais a necessidade de seres humanos. O que acaba reduzindo o numero de pessoas inseridas no mercado de consumo e, consequentemente, minando o sistema capitalista que necessita de um aumento constante do consumo para se manter.

lola aronovich disse...

Waldir Maranhão, presidente da Câmara, anula o processo de impeachment! Ele vai pedir para que o processo inclua Temer. Já pediu para que o relatório enviado ao Senado volte! Golpistas já estão pedindo "volta cunha"! Não vai ter golpe!

Anônimo disse...

O projeto Vênus pode ser explicado como um novo modelo social e ambiental para a humanidade. Desde o surgimento da espécie humana poucas vezes vivemos como animais realmente sociais, nos atuais tempos modernos, teorias utópicas para fazer os seres humanos conseguirem viver num sonho de real sociedade surgiram de variadas tendências, que na verdade acabaram levando a mais discórdia, miséria e descaso com o meio ambiente. O Projeto Vênus se diz a solução a isso.

Prometendo acabar com as guerras, a pobreza, o elitismo, devastação ambiental e outros problemas sérios da humanidade, o projeto propõem uma drástica mudança nas bases da sociedade atual. O fim do sistema monetário(dinheiro), de mercado e político, automação total industrial, acabar com a necessidade de trabalhar para sobreviver ou adquirir bens fazendo cada pessoa escolher como deveria usar seu total tempo livre. Com fim ao atual sistema econômico e alcançar uma gestão eficiente de recursos, que recebeu o nome de ''Economia Baseada em Recursos.''

Sem políticos ou classe dominante essa sociedade seria basicamente uma sociedade anarquista baseada no meio ambiente sustentável. Esse sistema defende que o planeta tem recursos suficientes para sustentar todos os habitantes, se esses forem geridos de um forma eficiente e respeitando os limites da biosfera. Vendo que o atual sistema de mercado é insustentável, e que não repassa os mesmos recursos a todos, propõe a superação do mesmo. Criticando todos os sistemas, capitalismo, comunismo, socialismo ou qualquer outro que usa o dinheiro como método para resolver os problemas. Onde nesses mesmos, tecnologias que poderiam ser úteis para a humanidade estão fora do alcance, normalmente porque estão orientadas para o lucro e não para o bem estar humano, gerando tensões entre os que tem e os que não podem ter.

A primeira fase dos planos do projeto já está em andamento. Jacque Fresco, fundador do Projeto, e sua sócia Roxanne Meadows completaram a construção de um centro de pesquisa em Venus, Flórida (daí que vem o nome). O projeto tem uma grande rede de publicidade, envolvendo livros, filmes e maquetes das cidades futuristas, que devem ter sua primeira cidade modelo construida num futuro próximo.

O plano e construir novas cidades, já que modificar as antigas seria muito custoso, essas baseadas totalmente em sistemas auto sustentáveis, com zero poluição e desperdício. As inovadoras cidades projetadas com formas geométricas chamam muita atenção, feitas para ter um gasto de energia menor possível mas com uma grande qualidade de vida. A reciclagem de dejetos, os sistemas de geração de energia limpa e renovável e outros serviços seriam gerenciados por métodos automatizados. Os estilos de vida e as preferências seriam totalmente livres. Algumas das cidades seriam circulares enquanto outras lineares, subterrâneas ou cidades flutuantes.

Anônimo disse...

Unknown

eh sobre essa menina mesmo !
ao que eu entendi, a pagina dela parece ser supervisionada sim (tenho essa impressao, ao menos).
O que nao eh supervisionado sao os menores (ou ao menos aparentam ser menores) que vao ate uma menina em tratamento com cancer pra destilar odio.
E se os pais deles nao tem interesse em educar, os outros que sao punidos ?
Se isso acontece numa escola, a direcao chama (ou ao menos, deveria chamar) os pais. Mas na internet faz o que ? Sao menores de idades. Ja da pra ver que os pais ou nao se interessam pelo que seus filhos fazem na internet ou sabem o que fazem e nao se importa (nesse caso em questao).
E tb nao entendo a necessidade de menor de idade em usar rede social...nao que os maiores tenham necesidade, pq tb nao. Mas eh algo que eu nao vejo beneficio aos menores de idade.

Alessandro Bruno disse...

A decisão não tem validade, pra não dizerem que é coisa de golpistas, vou colocar um artigo da Carta Capital que explica
http://www.cartacapital.com.br/blogs/parlatorio/decisao-de-maranhao-e-juridicamente-inexistente

Anônimo disse...

Sejam razoáveis. É lógico que é dever dos pais acompanhar o que seus filhos andam fazendo na Internet, mas a realidade é bem diferente. Os pais mal conversam com seus filhos, ou são analfabetos digitais que mal sabem ligar um computador, ou preferem a companhia de seus tablets e smartphones. O resultado a gente vê. Um bando de guri mal educado e que se acha dono do mundo, pagando de huehue br zoeiro na net.

Anônimo disse...

Lola... adoro isso no seu blog: em um dia você fala sobre master chef, no outro sobre internet livre, no outro sobre feminismo, no outro sei lá, sobre gatos. Com os poucos blogs legais sobreviventes na internet tão segmentados, é bem legal sua diversidade de pauta. Parabéns!!!

Anônimo disse...

(Viviane)
Unknown, saúde e educação também não são recursos naturais e custam dinheiro, mas, ao menos no Brasil, são direitos a serem providos pelo Estado. Entendo que a internet faz parte do direito à comunicação. Se temos sinal de TV aberta, por que não o de internet?

Marquinho disse...

Concordo. Pederia ou deveria haver um provedor publico e gratuito do Estado para todo o brasil. Quem quiser alguma coisa alem do basico, contrate uma empresa particular. Eu que nao entendo nada, só dou palpite. Mas realmente existe escolas e hospitais publicos mas no maximo alguns pontos de internet publicos por ai.

Anônimo disse...

Quem é o golpista agora, não é mesmo?

Uma decisão totalmente alheia ao disposto no regimento interno da câmara dos deputados (inclusive a assessoria jurídica da câmara emitiu nota dizendo ser nula a decisão do presidente interino, acrescendo ainda que não existe qualquer previsão para a reforma de um ato jurídico perfeito que, inclusive, já tinha a matéria encaminhada ao senado. só para traçar um paralelo: é como um juiz de primeiro grau proferir sentença, a parte recorrer e quando o recurso já tiver sido admitido pelo tribunal, o juiz decidir mudar a decisão).

Enfim, é uma tentativa esdrúxula de golpe contra a democracia, um desrespeito aos princípios mais básicos... o eduardo cardozo assinou e recurso e participou das reuniões sobre a decisão do presidente interino da camara. É como ser advogado e juiz em um mesmo processo, absurdo!!! Carece do básico. Totalmente desacreditada essa decisão, zero credibilidade.

Obviamente isso não irá prosperar, mas nem por isso vou deixar de lamentar tanta gente comemorando algo tão contrário a um sistema democrático só porque é uma decisão alinhada ao seu posicionamento político.

Agora é minha vez de dizer: não vai ter golpe.

Alícia

Anônimo disse...

(Viviane)
Alicia, tome vergonha na cara!!!
Depois de tudo o que aconteceu, com a imprensa internacional caindo de pau no Brasil, você têm a desfaçatez de falar SÓ AGORA em "golpe contra a democracia"?
Democracia é aprovar um impedimento sem prova de crime?
Tudo bem, você entrou aqui com esse personagem "feminista de direita" (tão coerente quanto "negro neonazista"), mas agora passou de qualquer limite, pois um direitista que se preze defende a democracia.
E não, não me importa nem um pouco qualquer coisa que você venha a responder. Com gente dessa laia não se dialoga, apenas se marca posição. Caso insista, não me responsabilizo por onde vou mandar você enfiar sua opinião.

Anônimo disse...

Apesar de ser inegavel os beneficios que a internet trouxe ao mundo, em alguns momentos eu sinto falta do mundo sem internet, ainda que eu tenha conhecido tao pouco dele.

Anônimo disse...

Eu não vou responder viviane, fique tranquila.

Juristas muito mais conhecedores do que eu o farão, e já estão fazendo. Ninguém realmente deu muita bola para essa tentativa.

Sobre a existência de crime de responsabilidade, não julgo você repetir o que lê em páginas alinhadas ao seu posicionamento. As pedaladas realmente não são algo de fácil entendimento, foi um ardil engenhoso como nunca visto para se garantir uma reeleição.

Nunca vou defender um golpe. Estava até o último minuto pensativa sobre estar do lado certo da história. Votei no PT algumas vezes (e me arrependi) e jamais votei no PSDB. Procurei saber os motivos do processo de afastamento e só então tomei partido.
Não é um golpe e mesmo se fosse, estaria justificado afastar um golpe com outro?

PS: você é muito mal educada.

Alícia

Anônimo disse...

(Viviane)
Eu avisei:
Pegue a opinião que você diz não ter dado (e ainda tenta passar com esse argumento de autoridade rasteiro... Juristas mais qualificados... tenha dó!), imprima, faça um canudo com o papel e enfie no cu!

Pronto! Agora sim pode me chamar de mal-educada...

André disse...

"Algumas rápidas obervações sobre a decisão do Deputado Waldir Maranhão que anulou a sessão da Câmara no processo de impeachment:

1) A decisão é oportuna e não está preclusa, uma vez que a AGU interpôs recurso tempestivo não apreciado pelo Deputado Eduardo Cunha, e que precisa ser analisado pelo atual Presidente, sob pena da fase de autorização da Câmara dos Deputados não restar concluída. Logo, a Câmara não poderia encaminhar validamente o processo ao Senado sem dirimir a questão a ela submetida pela defesa. Se o fez, e a alegação é acolhida, os atos praticados pelo Senado não têm validade. Os papéis da Câmara e do Senado no processo de impeachment são diferentes e não há que se falar em convalidação da decisão da primeira pelo segundo, pois não há hierarquia entre as duas Casas Legislativas.

2) O presidente da Câmara é competente, de acordo com o Regimento Interno da Casa, para conhecer questões de ordem e reclamações quanto às matérias decididas em sessão plenária, cabendo, contra a sua decisão, recurso ao Plenário. O Regimento Interno não prevê a possibilidade da questão ser encaminhada diretamente ao Plenário sob pena de haver supressão de instância.

3) No mérito, assiste razão ao Deputado Waldir Maranhão, uma vez que o artigo 23 da Lei n. 1079/50 estabelece que não pode haver encaminhamento de votação, o que afasta a ideia, utilizada pela Câmara dos Deputados, de fechamento de questão, por partido, levando à nulidade da sessão.

4) O fechamento de questão por partido, e o encaminhamento da votação pelos líderes, inclusive com a ameaça de expulsão da agremiação por infidelidade, como ocorreu no caso concreto, leva ao afastamento da investigação, a partir da consciência de cada parlamentar, sobre a justa causa para autorização da abertura do processo, substituída por uma decisão partidária sobre a continuidade do governo, o que claramente se demonstrou.

5) O Senado Federal não pode recusar-se a dar cumprimento à decisão da Câmara dos Deputados sob a alegação de ilegalidade. Se com ela não concorda, deveria procurar o seu afastamento por meio de provimento jurisdicional, e não dar prosseguimento ao processo de impeachment, sem autorização da Câmara dos Deputados, o que levará a sua nulidade."
Ricardo Lodi

Anônimo disse...

Sim, Alícia, pedalada fiscal é um ardil tão engenhoso, vil e impensável pra um governante que FHC, Lula e 17 governadores também as fizeram. Pra manter a coerência teria que ter impeachment de todos esses governadores que ainda estão no poder. Cadê os processos? Ouvi falar de nenhum. Os batedores de panela, que tão aí desde a reeleição? Nessa mesma data no ano passado, não tinham nem ideia do que era pedalada fiscal. Pois é, é golpe. É pegar qualquer subterfúgio de merda (como foram os outros 2 golpes, ambos curiosamente da direita, no Brasil) pra justificar a tomada do poder. Não que eu ache que Waldir Maranhão tenha tomado a decisão por pura idoneidade de caráter; ele certamente está jogando o jogo político. Mas daí a dizer que a decisão dele é tentativa de golpe enquanto o impeachment foi democracia por excelência? Faça-me o favor.

Alessandro Bruno disse...

Essa jogada foi tão sem sentindo, que o próprio Maranhão voltou atrás menos de 24 horas. O processo continua e Dilma deve sair quarta-feita, dia 11/05.

http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/presidente-interino-da-camara-revoga-ato-que-anulou-o-impeachment

Anônimo disse...

Kkkk a cara de pau dos petistas é foda, ainda o mimimi de "outros fizeram a mesma merda e n foram punidos " , o que mais tem é isso mesmo, bando de politico fdp solto, mas já q n da pra punir todos de uma vez ou n puniram no passado, deixa pra lá. .. só pq é do pt.
Pedalada é crime mas ao mesmo tempo dizem q n é, faz sentido. ..
E n teve golpe mas descarado do q o do lula, q falhou felizmente.

André disse...

Sem sentido político. Sentido jurídico nem cabe analisar mais, já que até o STF já não observa as leis mais.

B. disse...

Só digo que:

Ruim com Dilma,
pior com Temer.

Anônimo disse...

"O fechamento de questão por partido, e o encaminhamento da votação pelos líderes, inclusive com a ameaça de expulsão da agremiação por infidelidade, como ocorreu no caso concreto, leva ao afastamento da investigação, a partir da consciência de cada parlamentar, sobre a justa causa para autorização da abertura do processo, substituída por uma decisão partidária sobre a continuidade do governo, o que claramente se demonstrou."

Isso me lembrou de 2003, quando o PT expulsou a Heloísa Helena e o Babá porque eles não quiseram votar no Sarney pra presidente do Senado.

http://www.cartamaior.com.br/?/Editoria/Politica/Direcao-do-PT-expulsa-rebeldes-e-adverte-tendencias-radicais/4/733

Anônimo disse...

Na verdade se vocÊs procurarem fontes confiáveis verão que sim, as pedaladas fiscais começaram em 2013.

grosso modo é o seguinte. vamos falar das pedaladas relativas aos programas sociais.

Como sempre aconteceu: o governo repassa para a caixa economica o valor mais ou menos correto do que será gasto com os programas sociais durante o ano. 500bi, por exemplo.
Aí beleza, a caixa vai pagando os beneficiários. No final do ano esse valor foi ultrapassado (sei lá, 510bi). A caixa pagou por conta e aí o governo repassa esse excedente depois.

No governo dilma os 500bi não eram repassados. a caixa pagava por conta. O dinheiro era usado para outras finalidades, continuava constando no orçamento. Isso era feito alheio as autorizações do congresso nacional. Aí o orçamento era baseado no que estava constando lá (inclusive os 500bi). Isso foi feito por dois anos seguidos. Aí ano passado quando foi constatada a pedalada e viram que não tinha tanto dinheiro assim, o orçamento foi drasticamente reduzido.

Ou seja: foi feito um empréstimo de dinheiro com um banco público (o que é vedado pela lei);

isso foi feito sem autorização do congresso. crime de responsabilidade.

basicamente ela gastou mais do que devia, sem previsão no orçamento.


Isso porque ela ampliou programas sociais indevidamente. É lindo dar bolsa família? é. Dar bolsa para o ciencia sem fronteiras? custear prouni? tudo é lindo gente. Programas louváveis.

Mas isso justifica irresponsabilidade com a contas públicas? muito pelo contrário. Por se tratar de programas sociais que atingem de maneira tão grande a camada mais pobre da população é que a responsabilidade tem que ser redobrada. Imagina um jovem que não vai conseguir terminar a faculdade porque seu benefício foi cortado? pois é, conheço dois nessa situação. O benefício foi revogado porque NãO TEM DINHEIRO. Disseram que tinha, mas não tem. Tinha só na época da reeleição.

Isso foi vil e vergonhoso.

Enfim. sobre a revogação da anulação, risos eternos. É uma aberração jurídica do início ao fim. Como eu disse, ninguém deu muita bola.

Alícia

Anônimo disse...

"Só digo que:

Ruim com Dilma,
pior com Temer."

Corroboro

B. disse...

Repito o que disse aqui: ruim com Dilma, PIOR com Temer. Mas tenho que concordar com muitos dos argumentos da Alicia.

Anônimo disse...

"No governo dilma os 500bi não eram repassados. a caixa pagava por conta. O dinheiro era usado para outras finalidades, continuava constando no orçamento. Isso era feito alheio as autorizações do congresso nacional. Aí o orçamento era baseado no que estava constando lá (inclusive os 500bi). Isso foi feito por dois anos seguidos. Aí ano passado quando foi constatada a pedalada e viram que não tinha tanto dinheiro assim, o orçamento foi drasticamente reduzido. "

Só mesmo uma coxinha inveterada pra achar isso. Querida, somos a sétima economia do MUNDO, dinheiro é o que não falta.

Tem que dar bolsa família sim! Tem que ampliar os benefícios sim!!
Pedalada nem é crime de responsabilidade, todos os governos fazem!!!

Essa elite raivosa não aceita que os pobres possam comer um pouco!!!

Anônimo disse...

E digo mais: Dilma aumentou o bolsa família. Temer já disse que vai rever o bolsa família.

Então, já sabem em quem os ricos votarão? E os trabalhadores pobres, votarão em quem???

Anônimo disse...

Sim, o grande problema é que eu, elite raivosa, não quero pobre comendo três vezes ao dia, sentando ao meu lado no avião, frequentando universidade... é isso que me move.

¬¬

to cagando pra quem tá do meu lado no avião.

pra quem falou que inventei. procure o significado da palavra EXEMPLO. esses números não são reais, é só pra ilustrar o que aconteceu.

o que adianta prouni e fies se vcs n conseguem interpretar um comentário.

ALícia

Anônimo disse...

beleza vc ser de esquerda.

mas está além da minha esfera de compreensão a pessoa se iludir achando que o pt foi um governo de esquerda, só por conta dos programas sociais que, em última análise, visam distribuir renda.

1) se for assim o psdb também distribuiu renda através do plano real (que o pt foi contra);

2) governo de esquerda com uma taxa de popularidade absurda como foi o do lula não aproveitar para aprovar uma mera lei aprovando os impostos sobre grandes fortunas? estranho... vai ver pq os verdadeiros companheiros são os grandes empresários, e em muito foi para eles que o pt governou.

3) só para ilustrar, o dinheiro das pedaladas não foi usado apenas para custear a ampliação inconsequente de programas sociais. na vdd do todo apenas 2% do montante foi para isso. o grosso mesmo era destinado a programas de incentivo à empresas (desvirtuado, porque quem foi beneficiado não foi o micro empreendedor, e sim os grandes empresários que poderiam honrar o empréstimo, fraude atrás de fraude), isso tudo tá no relatório.

4) daí os manifestantes pró dilma vão protestar pedindo terra... cadê o governo de esquerda? cade terra em 14 anos? é uma piada vcs chamarem o pt de governo esquerdista.

5) os trouxas iludidos ainda vão lá queimar pneu, achando que tão defendendo pobre. não estão.

6) a baixeza tem sido tão grande que o pt e seus aliados já declararam que farão oposição ferrenha, e que temer terá vida difícil com eles... a serviço do brasil, sqn. o negócio é fazer oposição, mesmo que for algo bom, como sempre fez o pt.

7) dilma já aumentou o bolsa família em mais uma irresponsabilidade economica. não tem dinheiro e sim, o programa tem q ser revisto (50 milhões de beneficiados... 1/4 da pop brasileira) pq n tem dinheiro. Infelizmente medidas impopulares terão q ser tomadas e não é pq o temer n gosta de pobre.

Alícia

Anônimo disse...

"Pedalada nem é crime de responsabilidade, todos os governos fazem!!!"

Eu ainda estou absorvendo isso.

Nenhuma lei sancionatória é revogada por costume. Só porque todo mundo faz não significa que deixou de ser errado, ou de ser crime, ou que é ok fazer.

Mas, no caso, pedalada fiscal é crime sim, gente.

'As pedaladas fiscais constituem, sim, crime de responsabilidade, crime de responsabilidade contra a lei orçamentária. Essas pedaladas fiscais, usadas abusivamente pelos estados, é que levaram à falência a maioria dos bancos estaduais. A Lei de Responsabilidade Fiscal, em boa hora, acabou com a ‘farra orçamentária’, tipificando-as como crime de responsabilidade. Ora, o fato de governos anteriores terem praticado pedaladas fiscais não exclui a culpabilidade do governo que foi autuado. Convém esclarecer que o procurador do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas esclareceu que nos governos anteriores teria havido simplesmente pequenos atrasos nos repasses. Agora, no governo Dilma, as pedaladas chegaram a bilhões de reais, o que foi atestado pelo Tribunal de Contas da União'.

Nenhum governante está livre de punições, no caso da prática de crimes, seja crime de responsabilidade, seja crime comum. A impunidade dos maiores leva à impunidade geral. Se o presidente da república age mal, comete delitos, se omite e deixa que subordinados seus pratiquem delitos, o servidor na ponta inferior não vai comportar-se bem. Instala-se, então, a balbúrdia, o caos administrativo, a corrupção se expande, as instituições públicas desgastam-se e perdem credibilidade.

aLÍCIA