quarta-feira, 13 de abril de 2016

O CALVÁRIO QUE É FAZER UM ABORTO LEGAL NO BRASIL

Ontem à noite uma leitora deixou um excelente comentário no blog, pedindo para divulgar uma reportagem da agência independente de notícias Pública. Vou falar desta matéria daqui a pouco. Antes, o comentário da leitora:
"Queria aproveitar pra fazer um comentário-apelo: Não digam que o aborto em caso de estupro e risco de vida à gestante é permitido no Brasil. Sério, eu sei que toda a imprensa fala isso, todos os blogs, todos, mas NÃO É PERMITIDO. O Código Penal Brasileiro não diz 'não é crime' e sim 'não se pune', se praticado por médico. As duas situações não são a mesma coisa e eis a prova: fora de São Paulo, é extremamente comum pedirem alvará para mulher que foi estuprada. Alvará, falando de um jeito bem basicão, é uma autorização judicial que, em algumas situações, é dada para você poder fazer uma coisa que, a rigor, a lei não permite. Como sacar dinheiro alheio, por exemplo, e no caso do aborto.
E eu digo fora de São Paulo porque na cidade tem centros muito bons de acolhida para mulheres vítimas de violência sexual, um deles mencionado na matéria. No mais, a realidade brasileira é essa: médicos alegando excusa de consciência, mulher sendo tratada como bandida, pedidos de alvará que só chegam depois das vinte semanas de gravidez (prazo limite para a execução do aborto, muito embora a lei não diga nada a respeito, o que já configura outra ilegalidade), constrangimento ilegal (exigência de B.O., outra coisa que a lei é silente) e demais atrocidades.
Eu vou insistir: não digam que é permitido. Não é. Nenhum aborto, nenhuma hipótese de aborto é permitida no Brasil pelo nosso Código Penal (o entendimento de atipicidade do Supremo diz respeito a fetos anencefálicos somente, o que sequer era necessário, já que se trata de gravidez de risco para a gestante, por conta da exposição dos órgãos internos do feto na cavidade uterina. Sim, isso pode matar. Sim, já estava previsto. Não, não precisava dessa manobra)."

Pois é, mea culpa. Em muitos dos posts publicados aqui sobre aborto, sempre escrevi que aborto é permitido em caso de estupro e risco de vida à gestante. Não sabia que existia diferença entre "não é crime" e "não se pune". Fazemos isso, creio, para facilitar o acesso à informação. Por incrível que pareça, tem muita mulher que não sabe de seus direitos, não sabe que, se ela foi estuprada, pode realizar um aborto, inclusive sem ter que fazer BO (algo que nossos deputados fundamentalistas cristãos estão loucos pra "corrigir", porque parte-se do princípio que toda mulher mente). 
Mas "poder fazer um aborto" é bem diferente de fazer um aborto de fato. Não só querer não é poder. No caso do Brasil, nem poder fazer é fazer. É disso que trata a ótima matéria da Pública. Os dados são alarmantes: cerca de 7% das mulheres estupradas acabam engravidando (ao contrário do que dizem os republicanos dos EUA, para quem o corpo feminino -- esse corpo do qual eles manjam tanto -- bloqueia esperma vindo de estupradores). 
Chocante: 80% das crianças -- até 12
anos -- que engravidaram não fizeram
aborto legal. Só 5,6% conseguiram
fazer (clique para ampliar)
67,4% das brasileiras que engravidaram em decorrência de estupro não conseguem abortar, mesmo que a lei não puna, porque há inúmeros empecilhos. Vale lembrar que muitas dessas vítimas de estupro que engravidam são crianças e pré-adolescentes. Ou seja, elas serão forçadas a parir ou serão submetidas a cesáreas, sem que seus corpos estejam formados. Elas correm risco de vida ao prosseguir com a gravidez, e ainda assim, nosso Estado (nada laico) as obriga a isso. 
Ah, e lembrando também: toda vez que falamos de acesso ao aborto, não queremos obrigar ninguém a realizar um. O que queremos é que mulheres tenham escolhas. Se uma mulher ou uma menina é estuprada, engravida, e decide ter o bebê, é decisão dela. Todo o apoio a ela. Mas, a julgar pelos números, existe sim uma obrigatoriedade: a que ela prossiga com a gravidez, mesmo que não queira.
Distribuição dos serviços de aborto
legal no Brasil, mapa de 2005
Quando escrevi um post bem informativo chamado "Como fazer um aborto legal", ou seja, um aborto em que a lei não puna, me assustei com a dificuldade que é descobrir quais hospitais realizam o aborto. É quase impossível. Já são pouquíssimos os hospitais por estado (só 65 hospitais em todo o país!) que fazem aborto em casos de estupro, risco de vida pra gestante e fetos anencéfalos, e eles não são divulgados. 
A matéria do Pública fala do caso de uma moça de Goiânia, L., 28 anos, desempregada, mãe solteira de um menino de 5 anos. Ela bebeu, apagou, e foi estuprada numa festa. Ela conta que, se não tivesse engravidado, não saberia que foi estuprada. L. foi primeiro à Delegacia da Mulher (recomenda-se que a vítima vá direto ao serviço de saúde, para fazer os exames necessários e receber coquetel de medicamentos). Na delegacia, L. precisou contar e recontar sua história para quatro pessoas que aparentemente não acreditaram nela e a bombardearam com perguntas do tipo "Ele [o estuprador] não é seu namorado?"
Ainda pediram para que ela voltasse com duas testemunhas do estupro! Pô, gente, às vezes não parece que a gente tá em algum país do Oriente Médio? Não é lá que só se acredita na mulher se ela tiver testemunhas homens?!
Finalmente L. conseguiu um BO e foi ao Hospital Materno Infantil de Goiânia, referência para acolhimento à mulher vítima de violência sexual. Com cinco semanas de gestação, L. fez exames na madrugada do dia 15 de fevereiro. Voltou horas depois para ser entrevistada de forma áspera por uma assistente social, que quis saber se o estuprador não era seu namorado (ô fixação, hein?) ou se ela não tinha religião.
Depois de várias horas, desnorteada, sem informação, sem atendimento, duas médicas a entrevistaram de novo. Quiseram saber como ela ficou sabendo do hospital (não falei que a divulgação é secreta?!). 
As médicas falaram pra ela que a médica responsável pelo aborto legal estava de férias e voltaria em 16 dias. L. disse que não podia esperar tanto. Conseguiu falar com a diretora da ginecologia, "a mais rude de todas", que lhe disse: "Você está bem informadinha, né?" (porque, pelo jeito, ser informada é crime). L. conta: "Eu estava muito nervosa, chorando, elas estavam me tratando como se eu tivesse cometido um crime". Pois é, no Brasil, exigir um aborto, mesmo legal, é crime!
Um mês depois, após duas entrevistas com um psicólogo, L. recebeu uma resposta: seu pedido de realizar um aborto foi negado. L. pensou em se matar, em tomar remédios. Felizmente, entrou em contato com a ONG feminista Artemis, que acionou a rede de mulheres que levou L. para São Paulo, para ser devidamente atendida no Pérola Byington. 
A diretora jurídica da Artemis, Ana Lúcia Keunecke, diz que a ONG vai formalizar uma denúncia junto à Presidência da República e o Congresso Nacional. Afinal, todos os direitos de L. foram negados. Diz Ana Lúcia: “Seja no Hospital Materno Infantil de Goiânia, seja na delegacia que lhe exigiu duas testemunhas, seja pela assistente social que não a acolheu, pelo psicólogo que apenas relatou seu desequilíbrio, pela médica que questionou sua credibilidade, pelo defensor na demora da propositura da ação e do magistrado que até o presente momento não decidiu algo tão urgente”.
A Pública tentou entrevistar a Secretária de Saúde do Estado de Goiás, mas só conseguiu falar por telefone com a diretora do hospital onde L. foi tão mal atendida (e notem que o hospital é referência em acolhimento a vítimas de estupro no Estado! Imaginem os outros que não são referência!). A diretora disse que, por causa da objeção de consciência de outros médicos, o hospital conta com apenas uma médica que realiza abortos, e ela estava de férias (boa sorte se você, vítima de estupro, engravidou bem nas férias da única médica que realiza aborto!). 
É tanto absurdo nessa história, tanta dor, tanta falta de respeito! Mas o pior é que este caso não é exceção -- é a regra. Ou será que todas as 67% das mulheres e meninas grávidas em decorrência de estupro que não abortam não abortam porque não querem? Sabe o que parece, sinceramente? Parece que todo o Brasil, um país de dimensões continentais, é uma cidadezinha pobre de Pernambuco, aquela em que uma menina de 9 anos, estuprada desde os 6 pelo padrasto, engravidou e teve que vencer um verdadeiro calvário para conseguir abortar. 
Durante o processo para obter permissão para realizar um aborto, sua mãe (que defendia o aborto pra filha, até porque a menina corria risco de vida se seu pequeno corpo prosseguisse com a gravidez), as feministas que ajudaram a família, e os médicos que finalmente realizaram o aborto -- todos foram excomungados pela igreja católica. 
Opa, eu disse todos? Não foram bem todos. O estuprador não foi excomungado. O arcebispo de Olinda declarou que o que o padrasto havia feito (estuprar durante anos a menina e sua irmã que sofria de problemas mentais) era terrível, mas muito mais terrível era abortar. 
Parece que toda vítima de estupro que engravida tem que passar por essa via crucis. Toda gestante correndo risco de vida tem que passar por essa tortura. E isso que estamos falando de abortos legais. Imaginem os clandestinos, que são a imensa maioria?
E, se depender da nossa direita cristã, a situação só vai piorar. 

210 comentários:

1 – 200 de 210   Recentes›   Mais recentes»
B. disse...

Fiquei me tremendo de raiva ao ler esse texto. que paisinho de MERDA é esse Brasil, sinceramente! Depois não se sabe pq é um PAISECO DE Terceiro Mundo. Os países mais atrasados são os mais arraigados à religião, reparem.

cianaly disse...

Fiquei absurdada com o relato dessa moça. Quanto desespero e ninguém pra acolher! Fico feliz por ela ter relatado todo o seu sofrimento, assim, se acontecer algo com alguma de nós ou com alguma conhecida saberemos como agir e orientar, e também saberemos quais os transtornos há que poderemos ser submetida. Triste!

Anônimo disse...

Post sem imagens ilustrativas?

q vanguardista

Anônimo disse...

É preciso desburocratizar o aborto e a laqueadura. 65 hospitais no Brasil todo é uma vergonha! Isso não dá nem pro começo!

Toda cidade com mais de cem mil habitantes deveria ter um hospital exclusivo para abortos e laqueaduras!

Anônimo disse...

Lola, como tu consegue aguentar tanto troll? Meus parabéns!

No mais, desejo imensa força às mulheres que precisam passar por isso. Enquanto o Brasil mantiver enraizadas as culturas do 'jeitinho' e do 'eu primeiro, foda-se os outros', infelizmente não vejo solução a curto/médio prazo para este e muitos outros problemas que nos assolam.

Anônimo disse...

aborto é pecado!
ALÁ não aprova tal coisa!!
E o dever da mulher é ser obediente ao marido. este é o padrão estabelecido por DEUS expresso no CORÃO!!!

Sayyid

Anônimo disse...

12:57

ng se importa com o q 'sei lá' aprova ou não, seu lixo; pega o corão, engula e vá pro quinto dos infernos, bem lá na grelha do capeta, onde bin laden, sadam hussein e maomé estão queimando



Anônimo disse...

Lola, eu realmente acho estranho suas colocações. Ou você não entende o que lê ou tenta subverter as informações. O art 128 do CP fala do aborto necessário(se não outro há outro meio de salvar a vida da gestante) e no Inciso II fala sobre o aborto humanitário(em caso de estupro). Em ambos os casos, NÃO SE FAZ NECESSÁRIO AUTORIZAÇÃO JUDICIAL! Aí você coloca uma situação de não se pune ou não é crime. Meu Deus, a parte especial do CP define quais são o delitos e as penas previstas, óbvio que nesta parte especial, o legislador não coloca o que não é crime! Acho que este blogo presta um desserviço. Todo o seu posto cai por terra por esta simples análise. NÃO HÁ NECESSIDADE DE AUTORIZAÇÃO JUDICIAL NOS CASOS CITADOS!

Anônimo disse...

Se os mascus tivessem sido abortados, com certeza o mundo seria bem melhor e bem mais livre de doenças

Anônimo disse...

13:14

ng liga pra juridiquês não seu besta, o negócio é q a interrupção da gravidez deve ser liberada em todos casos em até 12 semanas, ponto final

E q as instituições não podem desrespeitar as leis, como vem acontecendo, será q vc não sabe ler não?

Anônimo disse...

Anônimo disse...

13:14

ng liga pra juridiquês não seu besta, o negócio é q a interrupção da gravidez deve ser liberada em todos casos em até 12 semanas, ponto final

E q as instituições não podem desrespeitar as leis, como vem acontecendo, será q vc não sabe ler não?

13 de abril de 2016 13:18


Este é o nível de pessoa que frequenta aqui. Diz que ninguém liga para o "juridiquês"(não liga mas está sempre choramingando aqui sobre mudanças na lei). O posto fala justamente sobre aborto em caso de estupro e não por qualquer motivo e sou eu quem não sabe ler???

Anônimo disse...

13:24

o post fala sobre desrespeito as leis, e vc se apegou ao único fator do juridiquês, não é essa a pauta principal, vc realmente não sabe ler

Anônimo disse...

Anônimo disse...

13:24

o post fala sobre desrespeito as leis, e vc se apegou ao único fator do juridiquês, não é essa a pauta principal, vc realmente não sabe ler


Cite qual é o desrespeito as leis.

Anônimo disse...

13:28

vc leu o artigo inteiro seu idiota? tem certeza de q sabe ler?

Anônimo disse...



a) Lola sou sua fã mas infelizmente a questão do aborto não vai avançar muito pelo contrário vamos caminhar para a idade média com direito a tribunal de inquisição.

b) Eu estou feliz com a queda da Dilma pois eu quero ver as seguintes situações:

c) A classe média metida a rica que formou o pior parlamento da História e que defende a meritocracia, agir quando filhos e irmãos de deputados pegarem os melhores empregos e se virar diante do projeto político do PMDB organizado com os empresários e diminuir direitos trabalhistas.

d)



Anônimo disse...

13:28

vc leu o artigo inteiro seu idiota? tem certeza de q sabe ler?

13 de abril de 2016 13:29


O animal! o título do post é : " o calvário Que É Fazer Um Aborto Legal No Brasl"!!! Discorre sobre a DIFICULDADE que é fazer o aborto não que é desobedecida a lei!

Isso é a analfabeta funcional!

Anônimo disse...

"Um mês depois, após duas entrevistas com um psicólogo, L. recebeu uma resposta: seu pedido de realizar um aborto foi negado."

O traste ainda pergunta onde está o desrespeito às leis, sendo q tem um parágrafo inteiro sobre isso, é o ponto principal do artigo

Tem gente q só gosta de aparecer mesmo, não falam nada q presta, a única preocupação é bancar o bonzão "entendedor de tudo", ah vá se foder

Anônimo disse...

13:32

seu babaca, o único alfabeto funcional é vc, pq quem se apega à um título de matéria é um forte indício de analfabetismo funcional:

"Um mês depois, após duas entrevistas com um psicólogo, L. recebeu uma resposta: seu pedido de realizar um aborto foi negado."

O traste ainda pergunta onde está o desrespeito às leis, sendo q tem um parágrafo inteiro sobre isso, é o ponto principal do artigo

Tem gente q só gosta de aparecer mesmo, não falam nada q presta, a única preocupação é bancar o bonzão "entendedor de tudo", ah vá se foder

Anônimo disse...

Está bem claro que a intenção de vocês é garantir o assassinato de fetos independentemente da condição. Assumam isso de uma vez. Esta é a verdadeira face deste movimento.

Anônimo disse...

"Se os mascus tivessem sido abortados, com certeza o mundo seria bem melhor e bem mais livre de doenças" (2)

Anônimo disse...

Médicas e estudantes de medicina, como é isso na universidade? Tem médicos que se opõem a ensinar como fazer abortos, estudantes que se recusam a aprender? Queria muito saber...

Anônimo disse...

Anônimo Anônimo disse...

13:32

seu babaca, o único alfabeto funcional é vc, pq quem se apega à um título de matéria é um forte indício de analfabetismo funcional:

"Um mês depois, após duas entrevistas com um psicólogo, L. recebeu uma resposta: seu pedido de realizar um aborto foi negado."

O traste ainda pergunta onde está o desrespeito às leis, sendo q tem um parágrafo inteiro sobre isso, é o ponto principal do artigo

Tem gente q só gosta de aparecer mesmo, não falam nada q presta, a única preocupação é bancar o bonzão "entendedor de tudo", ah vá se foder

13 de abril de 2016 13:35

O desgraça!!!! a autorização para o aborto é do médico e não de psicólogo!! Vai estudar lá , vai! KKKKKKKKKK

Anônimo disse...

Vários parágrafos falando sobre como a lei é desrespeitada em relação à interrupção da gravidez, e o babaca querendo bancar o advogado e seu juridiquês de meia tigela, sendo q ng perguntou nada sobre isso

É muita vontade de aparecer mesmo

Anônimo disse...

Por isso foi negado, consultou com psicólogo. O art 128 fala que o médico é quem deve autorizar mediante comprovação do estupro. Estude minha filha, estude!

Anônimo disse...

13:38

leia o parágrafo inteiro seu retardado

Anônimo disse...

13:40

mas isso é óbvio
leia o parágrafo inteiro seu retardado, pra vc ver como os direitos dela e de tantas mulheres são tolidos

Anônimo disse...

NÃO É NECESSÁRIO AUTORIZAÇÃO JUDICIAL. NÃO ENTENDEU ATÉ AGORA? E VOCÊS SE PRENDEM A UMA TRANSCRIÇÃO DE UM FATO OCORRIDO EM OUTRA CIDADE E NEM SABE SE OCORREU CONFORME O POST CITA. LEIAM O ART 128 DO CP!

Anônimo disse...

Sinceramente, os trolls que frequentam aqui não tem mais o que fazer?
Parem de se intrometer em ASSUNTO DE MULHER. Tomem vergonha na cara.

Anônimo disse...

Não só os direitos das mulheres são tolidos, dos brasileiros de uma forma geral!

Anônimo disse...

"Vários parágrafos falando sobre como a lei é desrespeitada em relação à interrupção da gravidez, e o babaca querendo bancar o advogado e seu juridiquês de meia tigela, sendo q ng perguntou nada sobre isso"

Só quer aparecer

Anônimo disse...

Assunto de mulher? Pensei que o feminismo era pluralista

Anônimo disse...

"mas isso é óbvio
leia o parágrafo inteiro seu retardado, pra vc ver como os direitos dela e de tantas mulheres são tolidos"

Não vai, o babaca só quer aparecer

Anônimo disse...

13:44

o assunto é aborto seu inútil, para de tentar aparecer, seu babaca

Anônimo disse...

Pensou errado, 13:45. Toma vergonha e pare de se intrometer em ASSUNTO DE MULHER. Vai jogar um videogame. Vaza.

Anônimo disse...

O direito à vida não é " assunto de mulher". É um bem jurídico tutelado pelo Estado. E podem se conformar que não haverá autorização a bel prazer como vocês querem!

Anônimo disse...

"Pensou errado, 13:45. Toma vergonha e pare de se intrometer em ASSUNTO DE MULHER. Vai jogar um videogame. Vaza."

Não vai, o babacóide quer só um minutinho de fama

Anônimo disse...

Quando não tem argumentos passam para ofensas. Movimento ridículo este!

Anônimo disse...

"Se os mascus tivessem sido abortados, com certeza o mundo seria bem melhor e bem mais livre de doenças" (3)

Anônimo disse...

Aborto legal em até 12 semanas, para todos os casos JÁ

Anônimo disse...

O início do post já distorce tudo quando diz que precisa de autorização judicial. A quem quer enganar? rsrsrsrs

Anônimo disse...

"Aborto legal em até 12 semanas, para todos os casos JÁ"

Mas do q nunca, já está na hora

Anônimo disse...

"Vários parágrafos falando sobre como a lei é desrespeitada em relação à interrupção da gravidez, e o babaca querendo bancar o advogado e seu juridiquês de meia tigela, sendo q ng perguntou nada sobre isso

É muita vontade de aparecer mesmo"

Reafirmo

Anônimo disse...

Sim, este é o objetivo do movimento. Legalizar o aborto independente da situação. Agora sim está mais legitimado.Só acho que vocês devem parar de rodeios e assumir para que o feminismo veio. Fica melhor assim. Chega de mentiras.

Anônimo disse...

Até um aborto clandestino se torna mais seguro e dá menos dor de cabeça q depender do estado pra isso, puto q fugiu

Anônimo disse...

Depois não sabem do pq de tantos abortos em clínicas (clandestinas?) de luxo, estado não serve nem pra isso

Anônimo disse...

Homens tem tanta INVEJA do feminino que querem interferir em coisas que só mulheres tem direito. Patéticos.

Anônimo disse...

Publicado por Tribunal Regional Federal da 2ª Região

As gestantes vítimas de estupro que quiserem interromper a gravidez têm o direito de fazer a cirurgia pelo SUS, independente de apresentar registro de ocorrência policial. A 6ª Turma Especializada do TRF2 declarou nulo o decreto do município do Rio de Janeiro que estabelece a exigência de registro. A decisão foi proferida no dia 18 de outubro no julgamento de apelação cível apresentada pelo Ministério Público Federal (MPF), contra sentença de primeiro grau.

Ensine suas seguidoras a buscar informação Lola e não confundi-las.

Anônimo disse...

Se for pra ser assim, passar por esse constrangimento todo, prefiro abortar sozinha, sinceramente

Anônimo disse...

Anônimo disse...

Homens tem tanta INVEJA do feminino que querem interferir em coisas que só mulheres tem direito. Patéticos.

13 de abril de 2016 13:56

O direito a vida não é tutelado por mulher!

Anônimo disse...

13:57

Isso é óbvio seu retardado, a questão é q as leis não são respeitadas, vc é burro ou o quê?

Anônimo disse...

"O direito a vida não é tutelado por mulher!

13 de abril de 2016 13:58"


É sim. Não gostou? Reclame com a MÃE natureza.

Anônimo disse...

Homens tem tanta INVEJA do feminino que querem interferir em coisas que só mulheres tem direito. Patéticos. (2)

Anônimo disse...

Aborto legal já

Anônimo disse...

Só pra deixar bem claro, eu sou favorável sim ao aborto em caso de estupro e risco de morte para a gestante, não sou insano de pensar o contrário. Só ressaltei que na legislação não prevê autorização. Se há o desrespeito è lei vocês devem reportar ao MP para a providências cabíveis.

Anônimo disse...

Felizmente, conheço clínicas luxuosíssimas, jamais vou precisar me submeter ao estado me tratando feito lixo, JAMAIS

Anônimo disse...

"Se há o desrespeito è lei vocês devem reportar ao MP para a providências cabíveis."

isso é óbvio, seu idiota, é o q está sendo tratado aqui, e vc ainda querendo bancar o "bonzão fdp", sendo q ng precisa dos seus "conselhos", vá tentar aparecer em outro lugar

Anônimo disse...

"Só ressaltei que na legislação não prevê autorização."
É mesmo? Que gênio. Ainda bem que vc veio aqui explicar porque nenhuma feminista sabia disso. Ótimo mansplainning. Sabe como vc pode ajudar mais essa discussão? Se retirando. Chispa. Fora. Rala!

Anônimo disse...

"sendo que não é necessário"

Vc não sabe do q está falando, eu sou quem comentei sobre a clínica particular, eu já precisei realizar uma interrupção da gravidez por risco de vida, me dirige ao hospital com avaliação médica, e mesmo assim o hospital não autorizou, exigiu uma ordem do juiz, foi uma luta ter q correr atrás disso, pq simplesmente fazem de tudo pra dificultar, quando vi q até conseguir o "alvará" não iria mais dar tempo, decidi recorrer à clínica particular. Uma coisa é o q está na lei, outra é a prática, mais uma vez, não fale do q vc não sabe, pq vc nunca precisou e nem nunca irá precisar realizar um aborto

Anônimo disse...

"É mesmo? Que gênio. Ainda bem que vc veio aqui explicar porque nenhuma feminista sabia disso. Ótimo mansplainning. Sabe como vc pode ajudar mais essa discussão? Se retirando. Chispa. Fora. Rala!"

Reitero

Anônimo disse...

Nota da reitoria da usp sobre estupro que teve no crusp:

Prezados docentes, alunos e servidores técnicos e administrativos,

Na semana passada, foi relatada à Universidade e à Polícia a ocorrência de agressão a uma aluna, no Conjunto Residencial da Universidade (Crusp). Segundo as informações divulgadas, os possíveis autores da agressão são alunos de Pós-Graduação que residem no Crusp. Após a ocorrência, um grupo de pessoas, grande parte delas com os rostos cobertos, invadiu a sede da Superintendência de Assistência Social (SAS), reivindicando a expulsão imediata dos alegados agressores.

A Reitoria repudia enfaticamente a grave agressão e esclarece que está tomando todas as providências cabíveis no âmbito administrativo. Foi instaurada sindicância para apurar os fatos e a Comissão de Direitos Humanos da Universidade e o SOS Mulher da SAS estão acompanhando o caso.

Deve-se ressaltar, contudo, que nosso sistema jurídico não permite a aplicação de penalidades drásticas, como o desligamento de alunos, de forma sumária, como vem sendo pleiteado pelos invasores da sede da SAS. O direito ao contraditório e à ampla defesa, inclusive no âmbito da Administração Pública, é uma conquista democrática de nossa sociedade, que não pode ser desprezada, nem mesmo diante da ocorrência de fatos graves como os aqui relatados. Dessa forma, caso, após o devido processo legal, sejam confirmados os fatos e a sua autoria, as punições cabíveis serão aplicadas pela Universidade.

Outrossim, a Universidade repele as medidas agressivas e desproporcionais dos invasores da sede da SAS, que exigem a tomada de uma medida – a expulsão sumária – vedada pelo ordenamento jurídico e, por isso, não reconhece a invasão como legítima manifestação político-estudantil.

Por fim, deve ser destacado que a invasão da SAS afeta o regular funcionamento de tal Órgão, prejudicando o atendimento da comunidade universitária, como, por exemplo, o funcionamento dos restaurantes. A persistência dessa ocupação desnecessária trará, dessa forma, inevitáveis prejuízos aos serviços de apoio à permanência e formação estudantil.

ReplyLink

Anônimo disse...

Pá não usam citotec nesses casos?
Pq que tem que ser cirúrgico?

Anônimo disse...

14:51

Pq é melhor e mais seguro, mas eu recomendo as mulheres q estão mesmo sem qualquer alternativa e q se sintam completamente menosprezadas pelas instituições "competentes" a fazer o uso pessoal. Mas com muito cuidado e responsabilidade. Mas isso é papo pra outro post

Anônimo disse...

Sei lá, citotec+acompanhamento me parece ser a forma menos invadida e mais econômica.
Complicou? Encaminha pro cirúrgico.
Aí o médico não vai estar fazendo um aborto, mas salvando a vida de uma mulher das complicações de um.
Tão mais prático...

Anônimo disse...

*menos invasiva

Anônimo disse...

Mais prático de fato, são as clínicas de luxo da alta classe média e burguesia

Anônimo disse...

Aborto além de questão de saúde pública, é questão econômica tb, pq...

Pagou, tirou

Mila disse...

Eu já tinha alguma noção de que mulheres vítimas de violência sexual eram constrangidas, mas não imaginava o quanto. Por situações como essas que imagino que a legalização do aborto não iria surtir os efeitos que esperamos (número de hospitais credenciados, médicos, burocracia e falta de celeridade num processo que precisa ser rápido).
Minha mãe é enfermeira e numa noite que eu tinha ido ao hospital em que ela trabalhava para entregar algo, uma moça solicitou atendimento de emergência na ginecologia. Notei que todos os pacientes eram chamados e depois encaminhados, então quando chegou a vez da moça, a atendente gritou bem alto: "FULANA, GINECOLOGIA!". Quando perguntei a razão, minha mãe disse que atendimento emergencial na ginecologia à noite geralmente era motivado por violência sexual sofrido por prostitutas. Senti uma vergonha alheia imensa da atendente diante do constrangimento da moça.
Minha mãe também contava que era um calvário ser bem atendida em outros tipos de procedimento. Ela contava que há uns 20 ou 30 anos (espero que não aconteça mais), ela contava certos médicos deixavam a mulher sofrendo se soubesse que era uma tentativa de aborto.

Anônimo disse...

Sei que deve ter sido uma PESSIMA experiencia pra essa mulher, mas o seguinte, porque ela não procurou um advogado? Sim, advogado é caro, mas ela poderia procurar um advogado em assistencia jurídica gratuita em faculdade, só chegar e ser atendida. Não estou falando que foi culpa dela, mas nossa, se tivesse acompanhada de alguém que saiba o que está falando e sabe dos direitos dela, isso talvez (muito provavel) não teria acontecido.

Anônimo disse...

"É mesmo? Que gênio. Ainda bem que vc veio aqui explicar porque nenhuma feminista sabia disso. Ótimo mansplainning. Sabe como vc pode ajudar mais essa discussão? Se retirando. Chispa. Fora. Rala!" (2)

Anônimo disse...

Eu acho que o anônimo do jurisdiquês não entendeu a questão. Se está previsto a inexigibilidade de autorização judicial (A teoria) e na prática estão cobrando isso, significa que há um desrespeito ao que está previsto. É esse o cerne do post, de abrir os olhos das leitoras que no dia que vc precisar fazer um aborto nos casos previstos em Lei, não será um mar de rosas e de facilidades, mesmo que seja seu direito. E principalmente de gente que acha que o tratamento da mulher na questão do aborto (nem estou entrando na questão da legalização, estamos falando apenas de casos já previsto em lei) precisa melhorar e muito.
Ou o colega acredita que se uma lei é instituída, ela surtirá efeitos tal qual pensou o legislador? Se acredita nisso, tá na hora de acordar pra realidade.

Anna

Anônimo disse...

"Se os mascus tivessem sido abortados, com certeza o mundo seria bem melhor e bem mais livre de doenças" (4)

Anônimo disse...

Anna, obrigado por não me xingar. Eu entendi a dificuldade que é sim. Só achei errado colocar no primeiro parágrafo do post que se faz necessário a autorização judicial. A mulher desinformada vai acreditar que é necessário e só vai protelar o seu pedido. Com certeza estas pessoas que me xingam o fazem só pra avacalhar, não há outra explicação. Em momento algum estou sendo ofensivo.

Anônimo disse...

"Eu acho que o anônimo do jurisdiquês não entendeu a questão. Se está previsto a inexigibilidade de autorização judicial (A teoria) e na prática estão cobrando isso, significa que há um desrespeito ao que está previsto. É esse o cerne do post, de abrir os olhos das leitoras que no dia que vc precisar fazer um aborto nos casos previstos em Lei, não será um mar de rosas e de facilidades, mesmo que seja seu direito. E principalmente de gente que acha que o tratamento da mulher na questão do aborto (nem estou entrando na questão da legalização, estamos falando apenas de casos já previsto em lei) precisa melhorar e muito.
Ou o colega acredita que se uma lei é instituída, ela surtirá efeitos tal qual pensou o legislador? Se acredita nisso, tá na hora de acordar pra realidade."

Q pisão no babaca chato não se enxerga e acha q entende das coisas

"Vc não sabe do q está falando, eu sou quem comentei sobre a clínica particular, eu já precisei realizar uma interrupção da gravidez por risco de vida, me dirige ao hospital com avaliação médica, e mesmo assim o hospital não autorizou, exigiu uma ordem do juiz, foi uma luta ter q correr atrás disso, pq simplesmente fazem de tudo pra dificultar, quando vi q até conseguir o "alvará" não iria mais dar tempo, decidi recorrer à clínica particular. Uma coisa é o q está na lei, outra é a prática, mais uma vez, não fale do q vc não sabe, pq vc nunca precisou e nem nunca irá precisar realizar um aborto"

Mais um relato relevante, pra ver se certos entendam das coisas de uma vez por todas, antes de virem querer mostrar q "dominam" algum assunto

Anônimo disse...

A propósito, Anna, é exatamente este o meu argumento em relação a nomenclatura do tipo penal previsto no artigo 121 do CP, onde a simples troca não mudará o status quo. Mesmo que o indivíduo mate pelo fato de ser mulher, a pena vai ser a mesma prevista no parágrafo, inciso ll do referido diploma legal, ou seja, será equivalente ao crime hediondo e não excederá 30 anos. Só mudar o nome não vai ter eficácia.

Anônimo disse...

Foi por isso que ela usou o termo EXTREMAMENTE COMUM e não o OBRIGATORIAMENTE, este último sim, seria uma interpretação equivocada. Com relação à lei do feminicídio, a nomenclatura só altera o status quo se, e somente se, for acompanhada de políticas públicas efetivas. Do contrário, estaremos criando mais uma lei para ficar apenas no papel.. Mas este é um debate, que, por ora, não é relevante neste espaço.


Anna

Anônimo disse...

"Amigo, se vc não vê mudança nenhuma na tipificação do crime como feminicídio, pra que todo esse drama pela criação do mesmo? Eu sei que é o seu desespero de querer provar que o feminismo é inútil, mas deixa eu te dizer uma coisa: existe preconceito contra a mulher enraizado na nossa sociedade, nós vivemos em uma sociedade patriarcal (onde obviamente homens são privilegiados, dã). A não ser que você negue que existe preconceito contra a mulher, é adepto do iuzomismo e/ou é um daqueles paranóicos que acham que vivem num matriarcado, é muito simples entender o porquê do crime de Feminicídio ter sua importância ao ser destacado entre os outros. Isso é pra deixar bem explícito pra sociedade que mulheres estão sendo mortas pelo simples fato de serem mulheres. Isso mesmo amigo, é pra jogar na cara desses idiotas que vivem abrindo a boca dizendo que machismo/misoginia não existem ou que não causam mal nenhum pras mulheres. Quando sabemos que existem sim e causam mal sim, e muito. A lei do Feminicídio vem pra somar na busca de quais as melhores estratégias para o combate do mesmo. E também pra amedrontar os misóginos, por servir como agravante e destacar ele como um assassino covarde de mulheres.

Agora se vc é um desses que acham que homem é tão vítima de preconceito quanto a mulher, nesse tipo de crime (faça-me rir)... Vá lá e reclame com os legisladores, prove que isso merece ser escancarado para a sociedade tanto quando o feminicídio. Esse teu discurso é típico de quem não quer perder os privilégios e fica batendo o pé se perguntando "iuzomi?". Me poupe. Vai ter exaltação de crime contra a mulher vitima de preconceito sim!

Pra mim é muito importante que fique bem grande e em caixa alta nos noticiários quando ocorrer: FEMINICÍDIO (e não um mero "discriminação de gênero"). Tem que chamar a atenção mesmo para a causa de que mulheres estão sendo mortas pelo simples fato de serem mulheres e principalmente, de que os responsáveis serão punidos severamente (tem que botar medo nesses vermes covardes). Eu vi muita evolução quando a Lei Maria da Penha foi aprovada (um monte de macho parou de bater nas esposas). Se for trabalhado corretamente, a do feminicídio também vai surtir bastante efeito, por mais que você fique aqui torcendo pra que não.

Lide com isso.

Daiane"

Anônimo disse...

Se não se pode comentar aqui e expor pontos de vista, por que ficar reclamando então ? Comuniquem-se por e-mail. Talvez pessoas aqui trabalhem em setores estratégicos e seja importante trocar idéias, não? Se o médico está exigindo autorização judicial, está errado, façam o BO endereçado ao MP (IMPORTANTE FRISAR) e não a DEPOL.

Anônimo disse...

Mais um relato relevante, pra ver se certos entendam das coisas de uma vez por todas, antes de virem querer mostrar q "dominam" algum assunto

Normal quando omen tentar meter o bedelho onde o assunto não o compete

Anônimo disse...

Cheio de gente "inteligente", sabida de ~direito~ e outras baboseiras retóricas

Mas q não são nem sábios e nem dominam o q acontece na prática de fato, esses mesmos querendo ditar o "melhor a ser feito"

Passo

Anônimo disse...

Daiane, o que te fez concluir que estou torcendo contra o fim de assassinatos contra mulheres? Que coisa deselegante imputar afirmações inverídicas contra as pessoas, hein?

Anônimo disse...

"Cheio de gente "inteligente", sabida de ~direito~ e outras baboseiras retóricas

Mas q não são nem sábios e nem dominam o q acontece na prática de fato, esses mesmos querendo ditar o "melhor a ser feito"

Passo"

Sim, e ao mesmo tempo q se acham o centro das atenções, q tudo é voltado para eles, mas seus argumentos só fazem sentido entre as paredes, para onde suas falas são direcionadas

Anônimo disse...

"Normal quando omen tentar meter o bedelho onde o assunto não o compete"

omen é um estorvo, só se escora em assuntos q não lhe são direito, pra depois só falar baboseira e querer chamar a atenção achando q entende alguma coisa de vdd

Anônimo disse...

Realmente, não há limitação legal para a realização do aborto, em relação ao período gestacional. Ou seja, não existe, legalmente, esse limite de 20 semanas.

Mas deixando a lei de lado, se fosse autorizado, vcs achariam ética a prática do aborto em uma gravidez em estágio avançado?

Alícia

Anônimo disse...

"aborto em uma gravidez em estágio avançado?"

Aborto? vc não quis dizer parto prematuro?

Mas independente da terminologia, a resposta é não se fosse muito necessário

Anônimo disse...

67,4% de mulheres que foram estupradas e têm direito ao aborto legal não o conseguem. Isso só dos casos notificados. Resultado: têm de levar a gravidez adiante, muitas vezes sem condições e colocar no mundo alguém que veio de uma violência sexual, por vezes de um parente abominável ou de um desconhecido. Saber que o Brasil possui este tipo de atendimento na forma como a legislação prevê hj me dá cada vez menos esperança de que a legalização vai realmente salvar a quantidade de vítimas que queremos.

Anônimo disse...

Não. Aborto após 3 meses de gravidez é alto risco para a mãe. Em todos países que o aborto é legalizado sempre é até 3 meses

Anônimo disse...

Desculpe minha ignorância, Anon, 16h20.

O que é um parto prematuro?
porque assim, eu suponho que "aborto", ainda que realizado através de uma cesariana, não tem o objetivo de fazer o "feto" sair vivo da barriga da mulher...

Alicia

Anônimo disse...

16:23

Aborto tem haver com interromper uma gravidez, não se o embrião tem chance de sobreviver ou não

Se alguém faz um aborto no momento q o feto já tem chances de sobreviver e sobrevive, é o mesmo q ter realizado um parto prematuro

Anônimo disse...

Eu nao faria o aborto, em hipotese alguma. Isso vale pra mim, apenas pra mim.
Nao tenho nada pra colocar o dedo na vida dos outros.
Massssss....
esse assunto me deixa triste.
Eu entendo que uma mulher (adolescente, jovem, adulta, depois dos 50, etc...) pelo motivo que seja nao queria ter engravidado (o sexo nao foi consentido, ou os metodos contraceptivos falharam, nao se sente preparada pra ser mae no momento, nao quer ser mae nunca, falta de dinheiro, falta de apoio, quer terminar estudos,ja tem muitos filhos, etc...). Eu entendo qq motivo que leve uma mae a falar que nao queria filho naquele momento.

O que eu nao entendo, quando dizem que queriam sim um filho, mas apenas se saudavel.
E sei que nesse caso muita gente vem falar do filho do primo da amiga do cunhado da vizinha que vive acamado nao fala, nao anda, nao escuta e tem que ter cuidadores em periodo integral.
Nao estou falando dessas pessoas (e nem conheco caso de pessoas assim que foram ~descobertos~ ainda na gravidez).

Estou falando de pessoas apenas diferentes, com pequenas limitacoes... mas que os pais querem apenas se for saudavel.
Vide o debate da microcefalia.

Parece algo como ~eu quero um filho, mas que seja perfeito, pq eu nao tenho muito tempo pra me dedicar ou pq eu quero um trofeu pra exibir~
Pra essas pessoas, eu gostaria que repensassem o porque de querer um filho. E se o filho sofrer um acidente amanha ? ou for descoberta uma doenca depois do nascimento ?

Tem muita gente que tem filho e depois maltrata. Porque essas pessoas tiveram filho ?
Acho que as pessoas deveriam pensar no porque de ter filhos.
E acho que isso deveria ser discutido mais dentro do feminismo. Porque eu vejo, entre pessoas que eu conheco que se dizem feministas, que nao ter filho parece ser bem aceito, mas questionar se as pessoas devem ou nao ter filhos, nao parece tao aceito.

Eu acho que nosso direito termina, quando comeca o do proximo. E ter filho sem ter condicoes de dar amor, carinho, etc... seria negar o basico ao proximo.

Anônimo disse...

Eu, pessoalmente, jamais faria um aborto.

E hoje repenso muito acerca do meu posicionamento em relação a esse assunto.
Sempre fui a favor do direito de escolha irrestrito para as mulheres, sempre apelei para a questão da saúde pública, da segregação econômica (que leva algumas mulheres a terem esse direito de abortar e outras, pobres, não terem o mesmo acesso), enfim, mil argumentos muito bem consolidados.

Acontece que há dois anos, virei vegetariana.
Sempre gostei de carne. Ainda gosto. Passo muita vontade, salivo, morro de saudades de comer picanha, cupim, carne de panela da minha mãe.
Não o faço por motivos éticos. Respeito a vida, irrestritamente. O direito de viver deve ser de todos, animais humanos ou não. Não queria causar dor a ninguém só porque "é gostoso" comer.

Bom, então está claro que parei de comer carne porque queria evitar o sofrimento alheio. Isso me fez repensar meu posicionamento em relação ao aborto. Hoje já não tenho tantas convicções.

Penso que o aborto deve ser autorizado, em qualquer situação, apenas até o período gestacional anterior a formação do sistema nervoso (e, consequentemente, da capacidade de o feto sentir dor). Mas isso se dá cedo demais: na sexta semana. Já pensava assim antes.
Nesse período, a maioria das mulheres sequer descobriu que esta gravida. Entao, apensar de a teoria ser boa, na prática não iria funcionar.

Meu norte moral é: não causar (ou evitar o quanto possível) causar dor. Então sou contra abortos realizados após esse período. Feto é vida sim.
Podemos relativizar apenas nos casos já previstos legalmente, ainda sim, nao há justificativa para realizar um aborto após o terceiro mes (a não ser o risco de vida p mãe)
É desumano.

Eu acho que o feminismo iria prestar um serviço muito melhor para as mulheres se fizesse a conscientização sobre os métodos contraceptivos, seus riscos, sua eficácia, suas falhas, suas combiações.

É incrível a quantidade de mulheres negligentes quanto ao uso de métodos anticoncepcionais. Mais incrível ainda é quanto muitas são extremamente mal informadas. Gravidez não plenejada não é justificativa para aborto: sexo é o único meio natural de se ficar gestante. É um risco que se corre quando se decide transar. O bom uso dos métodos disponíveis evita a enorme maioria dos acidentes.

É a minha opinião.

Alícia.

Mila disse...

Alícia,

É um equívoco comum achar que o feminismo defende a legalização do aborto como método contraceptivo. Não é.
- Quando se defende a legalização, não se defende o aborto. A maioria das pessoas pró-legalização jamais fariam um aborto. Mas elas defendem que as escolhas pessoais jamais devem se sobrepor à vida de outras.
- Um dos principais motivos para defender a legalização é justamente o uso incorreto dos métodos contraceptivos. Já citaram aqui muitos casos onde as mulheres engravidaram por falta de informação. E mesmo entre pessoas de classe média, cidade grande, ainda há pessoas que usam métodos contraceptivos de maneira equivocado. Esses dias me deparei com uma pesquisa que apontava a possibilidade de falha da pílula anticoncepcional e da do dia seguinte em mulheres acima do peso, por exemplo. E ainda há situações que medicamentos cortam o efeito da pílula.
- Meu posicionamento pessoal em relação ao aborto, acredito que o de muitas feministas seja parecido, é o que a mulher deve sim receber informações suficientes para decidir por livre e espontânea vontade. E principalmente que o aborto deve ser acompanhado de uma ampla política pública de métodos contraceptivos. Mas como alcançar tal objetivo se ainda existem setores da sociedade que acham que a discussão sobre sexo deve ser dever único e exclusivo da família? Que acham que a responsabilidade da contracepção é somente da mulher? Que acha que vacinas contra HPV ou distribuição gratuita de camisinha é estimular as pessoas a fazer sexo? Bem, assim fica difícil dialogar sobre contracepção né?
- Mais uma vez, o aborto não é método contraceptivo. As mulheres devem ser informadas, se ainda não ficou claro, que aborto é um procedimento que pode trazer sim, riscos à saúde (porém, os riscos dentro de um ambiente controlado e feito com profissionais competentes são menores), não deve ser um procedimento banal. Um aborto mecânico não deve ser uma experiência positiva e legal. A mulher não aborta por que quer, ela o faz pq precisa. Essas coisas precisam ficar muito claras numa discussão sobre o aborto.

Anônimo disse...

Alicia

Se vc não quiser abortar, não aborte, ponto final, isso é indiscutível.
Assim como a decisão daquelas q querem, tb é indiscutível, a motivação até pode ser julgada (não q o julgamento esteja sempre correto), mas ainda sim é um direito; e direito é direito.

Anônimo disse...

Eu acho que a Sara não tem a menor chance com a Lola. A Sara é até inteligente, sabe aproveitar as chances de aparecer na mídia, fez uma bela família e tal.

Já a Lola tem uma casca mais grossa e um grelo mais duro, acredito que ela leva vantagem sim numa discussão com a Sara. Enfim, vamos aguardar pra ver no que dá?

Anônimo disse...

Anon 18h02

Ninguém tem o direito de ceifar a vida de outrem.
Seja essa vida humana, intra-uterina ou de animal senciente.
Causar dor não é um direito.

Você não é melhor que ninguém. E seu direito termina quando começa o do próximo.

Alícia.

Anônimo disse...

Mila.

Entendo seu posicionamento.

Mas legalizar o aborto porque a mulher não teve acesso a informaçao é ridículo.
A solução é informar a mulher, e não manter ela desinformada e autorizar o aborto.

Eu sei que ninguém recorre a algo tão extremo e encara isso como algo banal e faz porque quer. Continua não sendo justificativa para abortar.

Concluo pelo seu próprio argumento - de que ninguém faz aborto porque quer - que a melhor solução é informação de qualidade sobre metodos contraceptivos.
Posso tomar antibiótico? posso isso, posso aquilo? a pessoa tem que saber disso tudo, sim.
E, na dúvida, não transe naquele dia/semana. Aprenda a conhecer o próprio corpo, quando se está fértil, isso é fácil.


Não acho que a criminalização seja útil. Não é. É patético. Mas daí até o feminismo ter o aborto como bandeira antes da divulgação de métodos contraceptivos é ridículo sim.

Alícia.

Daniele Lemonje disse...

Hospital, médico e nenhum ser humano deve ser obrigado a fazer aquilo que considera errado. Não podemos obrigar médicos e hospitais promover a remoção cirurgica e morte de uma criança. O fato do aborto ser legalizado no Brasil não diz que existe a obrigação do profissional da área promover a ação se ele ou ela considera incorreto, imoral ou se simplesmente não quer fazer.

Em todas as discussões que eu vejo por ai notei que ninguém se importa com as pessoas que serão responsáveis pela realização da ação. Médicas, enfermeiras, auxiliares sempre são esquecidas quando se debate o assunto.

Anônimo disse...

Sobre escolhas pessoais:

apoio a liberdade individual.
Sou contra a crminialização do aborto.

O que questiono aqui é o feminismo levantar isso como bandeira prioritária, num mundo em que a desinformação sobre métodos anticoncepcionais reina. Entende?

Não quero obrigar ninguém a levar uma gestação a diante. Não mesmo.
Eu quero uma reflexão. Sua liberdade individual existe tanto quanto a da criança, de nascer. Não vou relativizar isso, me desculpem. Não vou ignorar que um feto sente dor, mesmo antes de ter consciencia da propria existencia. É inadimissível isso pra mim.

Então o que proponho é informação. Incentivo aos métodos anticoncepcionais, educação sexual nas escolas.
TUdo isso antes de levantar a bandeira do aborto.

Alicia.

Anônimo disse...

18:17

Minha flor, lamento ter q ser rude, mas se tiver uma lombriga dentro do meu estômago ela vai ter q sair de lá sim, doa à ela ou não. Acho q qualquer um teria a mesma opinião, a não ser q vc ame demais as lombriguinhas nas suas tripas, ao ponto de não querer q elas sofram. Fala sério

"Não pode causar dor" - vc não concorda q esse argumento é muito fraco? Afinal, o parto tb causa dor, e muita dor, tanto ao feto, quanto a mãe, mas nem por isso ele deixa de ser devidamente realizado.

Não defendo a prática do aborto deliberado, mas há sacrifícios q precisam ser feitos. A gestante tem o direito NATURAL sobre o embrião q ela carrega, na prática, a mulher é quem decide sobre a vida do feto e ng para pra pensar nisso. A vida do embrião é um direito NATURAL (repito: NATURAL) q só a mulher possui, queiram vcs ou não

Anônimo disse...

A questão não é direito e sim o que é melhor pra sociedade. E nestes casos é melhor matar o feto do que fazer a mãe criar uma criança que ela não quer e provavelmente se tornará um bandido ou drogado.

Anônimo disse...

Porra se fosse direito natural ela não precisava de médico pra matar o filho dela

titia disse...

Olha no que dá essa história de misturar religião com Estado. O próximo que vier me falar de cristãofobia vai ser mandado pros quintos de infernos com gosto. Afinal, é do inferno que vem a maioria dos pensamentos desses senhores cristãos - do céu é que não vem essa vontade de humilhar, constranger, violentar e matar mulheres. O cara lá de cima simplesmente não aprova essas coisas e basta ler dois livros do novo testamento pra saber disso.

Daniele Lemonje, não é uma criança. É um embrião, um simples aglomerado de células que não pensa, não sente, não tem consciência e nem sabe que existe - ao contrário da mulher. E esse embrião não pode de maneira nenhuma ter prioridade sobre a mulher -aaté porque depois que esse embrião se tornar bebê e nascer, os "pró-punição-pra-vadia-que-se-atreveu-a-transar" vão mandar mãe e filho à merda. Não se importam se a criança vai passar fome e frio, sofrer abusos físicos, psicológicos e sexuais, não se importam se ela terá educação ou amor, e a vagabunda da mãe que não se atreva a cobrar creche pública ou bolsa família pra dar comida ao filho!

É assim que TODO hipócrita contra a legalização do aborto pensa. Nasceu? Vai pra merda e morra de fome na rua que não é mais problema meu!

Alícia, ninguém faz aborto porque quer porque as mulheres não querem ser estupradas. Porque querem se prevenir mas não sabem, ou os homens não deixam. Olha, você não é obrigada a abortar se legalizarem, nunca vai ser. As feministas não vão arrombar sua porta e te levar debaixo de porrada pra um clínica e fazer um aborto à força em você. Mas a sua opinião NÃO É a verdade absoluta; é só a sua opinião. E ela NÃO pode pautar a vida de outras mulheres.

Daniele Lemonje disse...

Alicia, as Pedras Guias da Geórgia trabalham muito esse assunto do método anticoncepcional quando diz: Manter a humanidade abaixo de 500.000.000 em perpétuo equilíbrio com a natureza.

Usar aborto como médoto anticoncepcional pode causar o mesmo desequilibrio que acontece na China e Índia. Nesses dois países, os mais populosos do mundo, eles fazem sexagem e aborto seletivo. Hoje eles tem milhões de homens a mais do que mulheres e isso gera muita violência de ordem sexual.

Se for aborto para eliminar sindrome de Down, sindrome de Turner e tantas outras anomalias genéticas que pode ser detectada analisando o DNA do liquido amniótico eu concordo. Mas permitir aborto para aprimoramento genético também abre espaço para a sexagem, seleção de embrião por sexo. Se a prática é liberada sem regras, por pura volição da portadora, com certeza vamos ter que lidar com esse fato no futuro.

Anônimo disse...

Anon 18h17


Olha, nem de longe acho que as situações são comparáveis.
Fetos não são parasitas. Fetos, a não ser em caso de estupro, vão parar na sua barriga sem você querer. Ainda que você não queira, assumiu o risco.



A comparação com o parto também é esdrúxula. O parto é meio necessário para um fim: o nascimento. É o único meio de se concretizar o direito a vida. É o ponto culminante da gravidez. O que vai acontecer naturalmente.


"há sacrefícios que precisam ser feitos" - fácil falar isso quando não é você quem vai se sacrificar né.

O fato não é um apêndice do corpo da mãe. Inclusive ele tem direitos, por exemplo a pensão alimentícia ainda quando está na barriga.

Alícia.

Anônimo disse...

18:26

Então esses "profissionais" não deveriam ser médicos, pensassem nisso antes de escolher essa profissão

Claro q ninguém é e nem pode ser forçado a nada, mas q é uma atitude completamente antiprofissional é sim

Quer dizer q eu, médica, posso me recusar a atender alguém, pq vai contra minha ideologia política (caso real), e ainda ser inimputável até moralmente por isso? Mas é cada coisa viu

Anônimo disse...

Você tem duas opcoes:

- Matar o feto e continhar sua vida normalmente.

- Criar um filho na má vontade e transformalo num marginal.

Óbvio que é melhor matar, até pro próprio filho que viveria uma vida extremamente infeliz

titia disse...

16:48
as necessidades de uma criança com microcefalia e de uma criança sem ela são MUITO diferentes. Nem todo mundo é um cuidador, e nem todo mundo consegue que pode cuidar de uma criança saudável consegue cuidar de uma com necessidades especiais. Colega, ninguém se torna um cuidador de primeira só porque virou mãe; isso de que mãe consegue cuidar de tudo é a maior e mais absoluta mentira. A mãe continua sendo um ser humano e seres humanos tem suas limitações. Ser cuidador é uma vocação, assim como ser piloto, médico, legista ou bombeiro. Você já tentou cuidar de uma criança deficiente? Se tiver essa oportunidade aceite e você verá o quanto é diferente cuidar de uma criança normal e de uma deficiente.

Cuidar de crianças portadoras de necessidades especiais é dureza. É difícil, emocional, financeiro e socialmente. Em geral a mãe cuida sozinha, passa semanas no hospital, mal tem tempo de tomar um banho, não sai de casa a menos que possa contratar alguém que saiba cuidar ou tenha um parente com a capacidade e a boa vontade de cuidar da criança. O pai se lixa, paga as contas de casa e passa dois minutos olhando o filho pra mulher comer depois vai embora. As escolas não tem estrutura, as creches também não, os hospitais com estrutura são de acesso mais difícil. Sem contar o preconceito e a exclusão que a criança vai sofrer da sociedade, inclusive da própria família. E o linchamento moral será quatro ou cinco vezes maior se ela disser que não aguenta mais ou se o filho ficar doente do que o linchamento de uma mãe com um filho sem necessidades especiais.

Anônimo disse...

"Fetos não são parasitas"
Isso é subjetivo, olha muita gente considera como parasita sim, mas whatever

"fácil falar isso quando não é você quem vai se sacrificar né"
Outro fato subjetivo, nós tb tomamos decisões q exigem sacrifícios pessoais, até a morte

"Inclusive ele tem direitos"
Mas a gestante tem bem mais, a vida do feto é decidida pela mulher, se ele vai viver ou não, só ela quem pode autorizar, mais ninguém, pq é NATURAL

Anônimo disse...

18h43

Então eu como advogada sou obrigada a pegar todos os casos que me aparecerem pela frente? Uma advogada feminista é obrigada a defender estupradores?

Sério, pensa antes de falar merda.

Alícia.

titia disse...

Alícia a pensão durante a gravidez é para a MÃE, não para o embrião. E você não é obrigada a pegar qualquer causa - mas outro advogado pode - assim como você não é obrigada a fazer aborto - mas outras mulheres devem poder fazer um aborto seguro se quiserem. Não é tão difícil de entender.

Daniele Lemonje a disparidade de sexos na China é fruto do machismo, não da legalização e muito menos do uso do aborto como método contraceptivo. Na China crianças que não sejam filhas de pais casados não tem direitos, sua existência não é reconhecida pelo governo e as mulheres que engravidam sem serem formalmente casadas abortam independente da criança ser menino ou menina. Não coloque na conta do aborto legal o que é culpa do machismo

Anônimo disse...

18:42

china e índia não são os únicos países q autorizam aborto

Tem os EUA, a Europa, etc. E em nenhum deles há problemas com "sexagem"

E nesses países, problemas com sexismo teriam com ou sem aborto, pq até as meninas q nascem na índia por exemplo, são desprezadas e abandonadas pra morrerem, não foi a permissão da lei q criou isso

Anônimo disse...

18:49

E o q advocacia tem haver com medicina??????? Mas é cada coisa viu, pensa antes de falar merda

As obrigações de um médico são bem diferentes da de um advogado, viu querida, pense bem

Anônimo disse...

18h43

Assim como médicos podem não se sentir a vontade para a prática da eutanásia, por exemplo.
Não é algo inerente a profissão, não tente forçar isso.
A não ser que a mulher esteja morrendo (sei lá, começou a realizar um aborto e deu merda e ela precisa de atendimento médico emergencial), ele tem direito sim de se recusar a realizar o aborto.

--------

Muita gente considera feto parasita? é mesmo? quem?
Qual a definição de parasitose que se encaixa para enquadar um feto como uma lombriga?

É difícil entender que se as pessoas não fossem tão negligentes (e são) no uso de método contraceptivo, não precisaríamos ter essa discussão, e o aborto seria um recurso apenas para a exceção da exceção.

Repito: há bandeiras mais urgentes e dignas para o feminismo do que o aborto.
Repito: sou contra a criminalização.
repito: meus motivos não são religiosos, sou atéia


Alícia

Anônimo disse...

18:49

Tem a ver sim, meu anjo, a partir do momento que você sugeriu que um médico que alega escusa de consciência deveria repensar a profissão dele.

Então um advogado, cujo ofício é defender pessoas e se recusa a defender praticantes de estupro, por exemplo, também deveria repensar?

Alícia.

Daniele Lemonje disse...

Anônimo 18:43 esse seu ponto de vista é interessante. Quando é melhor matar? Ainda enquanto é um feto ou deixar a polícia militar matar depois de adulto? Esse seu argumento me faz pensar que na sua cabeça reacionária qualquer pessoa que nasceu em situação social limite deverá obrigatoriamente virar bandido. Eu considero isso uma forma de discriminação social. Até porque aqueles que roubaram o futuro da nação, que nessa ação Lava Jato está ficando cada vez mais detalhado, eles não são pessoas pobres e afrodescendentes como você insiste em acusar. São brancos, de nível superior, adorados e votados por uma militância que até hoje não aceita os fatos.

Anônimo disse...

Titia, acho que foi voce que não entendeu.

Estava respondendo o anon que argumentou que médicos q se recusam a praticar aborto deveriam ter pensado nisso antes de se tornarem médicos.
;)

E voce ignorar que a pensão recebida pela mãe não tem NADA a ver com o bebê, e este é o motivo pelo qual ela recebe, ainda que seja em seu proprio nome o pleito, é até intelectualmente desonesto.

Alicia.

-------


Queria que vcs entendessem que eu não quero interferir no direito de escolha de ninguém. Quero sim que o direito de todos sejam respeitados. Inclusive sou contra a criminalização do aborto.

Meu maior questionamento é sobre a insistência do feminismo nessa bandeira, sem nunca dar enfoque aos métodos contraceptivos, mesmo sabendo que, se isso fosse feito, a maior parte das gravidezes indesejadas ou não planejadas seria evitada.

Anônimo disse...

"Não é algo inerente a profissão"
Isto é inerente a profissão sim meu bem, tudo q faz parte da medicina não tem como não ser inerente, eu já disse: ng pode ser forçado a nada nessa vida, mas q é uma posição antiética e antiprofissional, É SIM

"Muita gente considera feto parasita?"
Sim, do ponto de vista pessoal, sem contar q um feto pode ser mais nocivo q uma lombriga. E esse meu argumento foi só pra jogar por terra a sua falácia de q "toda vida merece ser preservada", MENTIRA, vida não é um direito absoluto, aliás, não existe direito absoluto, nem para humanos

"também deveria repensar?"
Não meu amor, pq a profissão de médico não tem nada a ver com a de advogado. A obrigação ética de um médico é infinitamente superior q a de um advogado, comparação esdrúxula

"Meu maior questionamento é sobre a insistência do feminismo nessa bandeira"
Querida, se a sua intenção é fugir do debate, ok, vá ser feliz, ng pediu pra vc vir argumentar

"Ainda enquanto é um feto ou deixar a polícia militar matar depois de adulto?"
Essa pergunta é óbvia, é claro q enquanto for um embrião, e não seja bobinha, pq muita dondoca realiza aborto em clínica de luxo sem o menor repreendimento, bjs

titia disse...

Alícia as feministas que querem a legalização do aborto também querem educação sexual e distribuição de contraceptivos, mas não ficamos nessa de "antes luta por X, depois a gente vê Y". Todas as pautas feministas tem o mesmo espaço de luta. Se você é a favor da legalização e entende que não pode impor seu ponto de vista aos outros, então estamos ok.


Daniele Lemonje, os caras que queimaram o índio Galdino, que espancaram a doméstica no ponto de ônibus, que estupraram a colega no banheiro da escola e o tal do Elliot Roger são brancos de classe média e alta mas não deixam de ser bandidos frios e extremamente cruéis. Um filho indesejado que foi criado de qualquer jeito por uma mulher que não o queria pode sim virar bandido, e não necessariamente precisa ser pobre e negro. E sim, colega, "matar" enquanto ainda é um embrião (embrião, não feto. Embrião. Punhadinho de células que não pensa, não sente, não tem consciência e nem sabe que existe) é melhor. Ao menos ele não nasce pra sofrer descaso, negligência, violência física, psicológica e/ou sexual antes de ser morto (provavelmente de forma cruel) pela polícia.

Anônimo disse...

"Mas a gestante tem bem mais, a vida do feto é decidida pela mulher, se ele vai viver ou não, só ela quem pode autorizar, mais ninguém, pq é NATURAL"

todo mundo se esquece desse importante detalhe

Anônimo disse...

Amore,

tem médicos que se recusam a fazer cirurgia bariátrica, por exemplo. São contra.
São anti profissionais também?

Sobre médicos terem mto mais obrigação ética. Fala isso pra quem tá preso, dormindo na cadeia. Fala lá.

Nunca disse que vida era um direito absoluto. Disse onde? Se assim fosse, tava aqui falando que nem em caso de estupro deveria ser permitido o aborto.
A vida, de fato, assim como qualquer direito, é absoluta. A liberdade individual também não.
Mas sim, a vida deve ser preservada ao máximo.
Parasitas sugam vida. Eles se aproveitam da energia do hospedeiro. O hospedeiro precisa aliminá-lo para permanecer vivo ou com saúde.
Se o feto causa os mesmos sintomas na gestante, então é uma gravidez de risco, situaçaõ essa contemplada pelo CP concorda?

Não quero fugir do debate. Quero questionar isso. Ninguém respondeu, sou eu quem estou fugindo do debate?

Alícia.

Anônimo disse...

Corrigindo:

A vida, de fato, assim como qualquer direito, não* é absoluta.

Anônimo disse...

"São anti profissionais também?"
Dependendo do motivo, são sim. Se for pelo fato de serem inexperientes, não, mas se por motivos religiosos, com certeza. E isto se aplica ao resto

"Fala isso pra quem tá preso, dormindo na cadeia. Fala lá."
Hã??????? O quê????????? Hãããã????????

"Parasitas sugam vida. Eles se aproveitam da energia do hospedeiro. O hospedeiro precisa aliminá-lo para permanecer vivo ou com saúde."
E o embrião realiza a mesma coisa, até com mais voracidade, independente do objetivo da mãe ser de q ele venha nascer ou não

"Ninguém respondeu"
Alícia as feministas que querem a legalização do aborto também querem educação sexual e distribuição de contraceptivos, mas não ficamos nessa de "antes luta por X, depois a gente vê Y". Todas as pautas feministas tem o mesmo espaço de luta. Se você é a favor da legalização e entende que não pode impor seu ponto de vista aos outros, então estamos ok

Mas uma vez, a mulher tem o direito NATURAL sobre o embrião q ela gesta, não é moral, não é legal, é NATURAL, a vida ou a morte está literalmente nas mãos da gestante, ela é quem decide sobre a vida do feto, pq isso é uma determinação biológica/natural, é incontestável

Anônimo disse...

É muito fácil não vivenciar o dia a dia de uma profissão e tachar que essa pessoa não passa por dilemas éticos diários.
O médico, o advogado e muitas outras ocupações passam sim por isso, a todo o tempo.
Falar que um tem muito mais obrigação ética que outro é, no mínimo, desinformação.
Usei o exemplo da prisão para demonstrar que as atividades profissionais de um advogado podem sim impactar sobremaneira na vida de alguém. No futuro. Tratar isso com responsabilidade é um dever. Não ser negligente.
Fazer escolhas éticas também faz parte da vida de um advogado. Todos tem direito a defesa, mas devo me recusar a defender alguém? É exatamente a mesma situação do médico no caso da escusa de consciência.

Aliás, a motivação do médico nem sempre é religiosa. Eu sou atéia. Conheço inúmeros ateus contrários ao aborto. Assim como tem religiosos favoráveis ("católicas pelo direito de decidir"). O problema é só a motivação? pensei que era o ato em si.

---

Continuo sem resposta. É obvio que um país no qual escolas disponibilizam educação sexual e amplo acesso a métodos contraceptivos terá muito menos casos de aborto. Isso deveria ser de alta prioridade. Mas o que vejo é a defesa do aborto só porque é um direito individual da mulher. Não sei que tanta liberdade e autonomia voces veem nisso.

------


Gravidez causa transformações no corpo. Assim como envelhecer, fazer dieta e atividade física. tomar um remédio. Fazer um tratamento.
Não quer passar por isso é só não ficar grávida. E pra isso é só não ser negligente.
Engravida sim quem quer. Exceto nos casos de estupro e casos de falha real do método (a maioria é falha humana mesmo, aceitem, mau uso).

Sobre o seu último parágrafo: discordo. Acho que o feto tem direito a vida sim. É uma vida.
A mulher tem que ser presa por praticar o aborto? não. Não tem. É inútil esse tipo de medida.

O que quero é a conscientização para não precisar chegar nesse ponto.

Alicia

Anônimo disse...

Titia,

acho que voce nao entendeu nada do que eu disse.
Sim, ser cuidador é uma vocacao. Mas as vezes a vida nos apresenta situacoes que nao temos outra saida...o que fazer quando o pai, a mae, o marido precisa de cuidador e nao temos dinheiro pra custear ? é a mesma coisa com filho.

Volto a dizer. Eu sou contra o aborto pra mim, e serei sempre.
Mas nao tenho nada com a vida de ninguem.
Mas eu entendo uma menina com seus 20 anos que fale que queria muito ter um filho, mas que sonha em terminar os estudos, que nao tem apoio da familia e que nao tem condicao de ter um filho agora, mas que gostaria de um filho depois de uns 10 anos. Ou mil variacoes dessa situacao, de nao poder ter um filho agora, mas quem sabe um dia.

O que eu nao entendo é uma pessoa que quer ter um filho agora, mas apenas se ele for saudavel. Isso eu nao entendo. Nao estou falando que no caso dela eu sou contra ou a favor do aborto. (pra mim, eu sou contra sempre. Pros outros, cada um sabe de si...me entristece, mas nao opino). Estou falando que pessoas assim deveriam repensar pq querem ter um filho. Titia, esses casos que vc falou, de criancas especiais, pergunte para as maes quantas descobriram ainda na gravidez. Va ver o numero é baixo. Muitas vitimas de acidentes (dos mais variados tipos) ou alguma doenca (ou consequencia dela) descoberta depois). Ninguem é imune a isso. E se a pessoa nao tem a tal vocacao pra cuidar, como vc disse. O que faz ?

Nao ter filho nao vai ferir ninguem.
Mas ter um filho e nao saber atender suas necessidades, ou ve-lo como um fardo, deve ser horrivel para a crianca.

é isso que deveria ser mais discutido no feminismo. Se discute que, num mundo ideal, todo mundo deveria ter chance de interromper uma gravidez. Mas nao se discute pessoas que nao estao preparadas para ter filhos, e que ainda assim querem ter.
E eu nao estou falando de dinheiro, pq pra isso da-se um jeito, tem programas sociais,tem ajuda da familia,amigos etc.
Estou falando de quem falta amor, falta estrutura psicologica, falta equilibrio...
vide o topico de um ou dois dias atras, da mae que batia na filha.

Anônimo disse...

"Mas uma vez, a mulher tem o direito NATURAL sobre o embrião q ela gesta, não é moral, não é legal, é NATURAL, a vida ou a morte está literalmente nas mãos da gestante, ela é quem decide sobre a vida do feto, pq isso é uma determinação biológica/natural, é incontestável"


O que e natural e incontestável e o direito a vida. Isto que você disse e loucura o feto não faz parte do corpo da mulher, e um novo ser com DNA novo e único.

Anônimo disse...

19:46
Meu bem, presta atenção: Qual o médico responsável por tratar do coração? O cardiologista. Agora me fala... como um cardiologista pode se recusar a atender alguém -mal do coração- por motivos ideológicos, por exemplo? Ou por qualquer motivo banal q seja? Não dá; é claro q eu não vou forçar o cárdio a fazer a consulta, exame, etc. Mas é antiprofissional, é antiético, não tem lógica. Pro médico profissional em interrupção de gravidez é a mesma coisa, como ele vai se recusar a fazer um aborto se ele se especializou pra isso? A não ser q haja um motivo muito relevante (alegar religião não conta), caso contrário é antiprofissionalismo, é antiético.
Um advogado, se particular, pode recusar o caso q ele quiser, não há uma obrigação para q advogados atendam qualquer caso q vier a tona, eles têm essa liberdade, médicos não, por isso a comparação com a advocacia é esdrúxula, não insista nisso, pq não vou mais responder sobre.

"Continuo sem resposta"
Só pq vc quer ou não aceita, pq mil respostas já foram dadas. Não existe prioridade entre as pautas feministas, se vc não sabia disso antes, agora saiba. Existe muita luta pela conscientização e educação sexual, mas há aqueles (os mesmos) q são contra, não é culpa das feministas essa questão ser resistida

E minha querida, saiba q qualquer caso de gravidez pode ser alegado como falha, quem é vc pra afirmar o contrário? Só me diz qual a diferença na interrupção de uma gravidez, quando o motivo é por falha do contraceptivo ou pq a mulher quer simplesmente exercer o seu direito? Nenhum, não há diferença nenhuma, a interrupção é a mesma, logo, não há pq pautar essa possibilidade em cima de uma justificativa subjetiva, tem q liberar de vez, é a maneira correta.

"Acho que o feto tem direito a vida sim"
É claro q ele tem minha amada, mas só quem pode garantir isso à ele é a mulher, não pq eu ou uma lei diga isso, mas pq é uma condição natural, fisiológica e biológica. Não há nada q mude isso

"só porque é um direito individual da mulher"
Não é ---só por que--- q mereça ser desprezado, repetindo: não ficamos nessa de "antes luta por X, depois a gente vê Y". Todas as pautas feministas tem o mesmo espaço de luta.

"para não precisar chegar nesse ponto."
E também repetindo: Existe muita luta pela conscientização e educação sexual, mas há aqueles (os mesmos) q são contra, não é culpa das feministas essa questão ser resistida

Ponto final

Anônimo disse...

"O que e natural e incontestável e o direito a vida"

direito a vida não é absoluto seu mongolóide, quantas vezes eu vou precisar repetir isso? Isto que você disse é loucura

"o feto não faz parte do corpo da mulher"
É claro q faz, ele é um hospedeiro totalmente dependente da mulher para sobreviver, o direto da vida dele está nas mão da mulher, se ele vive ou não, a mulher é quem decide, pq enqunto ele for um feto, é uma condição natural

Anônimo disse...

Como vocês são más.

titia disse...

20:00 é justamente por isso. Uma criança nascer com deficiência ou alguma condição mental que sua mãe (porque o pai sai correndo na hora) não consegue cuidar resulta em sofrimento e angústia pros dois, a mãe E a criança. Se não é possível ser evitado então não há o que fazer. Mas se é possível evitar deve sim ser evitado. E colega, de boa: quem é que QUER ter um filho deficiente? Você quer? E se quer, pra quê? Pra exibir? Pra mostrar o quanto você é moralmente superior? Pra usá-lo como um distintivo da sua nobreza inata? Como prova de que você é uma alma virtuosa?

Ninguém quer sofrer um acidente ou ter um filho com deficiência. Acontece, mas ninguém QUER isso. Você quer sofre um acidente? Quer ter um filho deficiente? Quer que sua mãe sofra um acidente? As pessoas querem que seus filhos sejam saudáveis porque ser saudável resulta em qualidade de vida. Não pergunte só às mães, pergunte às pessoas portadoras de deficiências leves sobre como é a vida deles nessa sociedade preconceituosa que não dá espaço, oportunidades nem condições a pessoas deficientes.

Velho, por que pra você as pessoas só podem querer ter filhos se quiserem ter um filho deficiente? Qual é a lógica desse pensamento? Ah, como desgraças podem acontecer você tem que querer que desgraças aconteçam na sua vida ou não pode viver? Como gestações podem resultar em crianças deficientes você não pode querer ter filho a menos que queira ter filho deficientes? Que lógica bizarra é essa?

Não, colega, eu realmente não entendi o que você quis dizer porque não consigo entender como você pode virar pras pessoas e dizer que se elas não querem ter um filho deficiente não devem ter filho nenhum. Não, não entendo como você pode achar que querer um filho saudável sem deficiências é motivo pra você dizer que as pessoas não devem ter filhos. E também não faço questão de entender. Não se oponha à descriminalização do aborto nem tente mandar no útero das outras que estamos de boa.

Alícia, eu já te respondi e as anônima também. Lutas feministas não tem hierarquia nem lugar na filinha como criança no jardim de infância. Lutas feministas são lutadas e pronto.

Anônimo disse...

Já que falaram em natureza e que entre os mamíferos a fêmea é quem gera, na natureza também fêmea é quem cria. Nos mamíferos quem gesta é a fêmea, quem amamenta é a fêmea, portanto a responsabilidade sobre o filhote é exclusivamente da fêmea. O macho fecunda e fêmea e vai procurar outra pra fecundar, só isso. Então, se o direito reprodutivo é só da mulher, os deveres como provedora também são só dela, a responsabilidade sobre a guarda e criação é exclusivamente da mulher, o homem não tem nada a ver com isso.

Anônimo disse...

20:53
Deixa de ser babaca, seu mascu idiota, até pq a realidade já é assim, escárnio inútil, seu lixo

E quem aqui falou de mamíferos? Omen é burro demais, puto q fugiu

Anônimo disse...

21:02

Vá se fuder seu panaca, mascu é burro mesmo só pode

o q mamífero tem a ver com o assunto, seu lixo?

omen é uma anta mesmo

titia disse...

21:16 é simples: mascu usa qualquer desculpa, até mesmo o comportamento dos animais, pra justificar um vagabundo que fugiu correndo e abandonou a mulher sozinha pra cuidar do filho.

Anônimo disse...

Na falta de armentos restam as agressões.

Anônimo disse...

Não são vocês quem estão falando que o filho é da mulher, que a mulher é que nutre, que é coisa da "mãe natureza". Então, só estou continuando de onde vocês pararam, completando o discurso de vocês, qual o problema?

Anônimo disse...

titia, omen é escória

depois ficam chorando quando são chamados de anomalias cromossômicas, se bem q pelo visto, são mesmos, o Y faz muito mal a sanidade mental de um ser humano

Anônimo disse...

ei mascutroll, seja um bom mamífero e vá cheirar o ânus do seu parceiro mascu, aproveita e coma bosta tb, seja um bom animal adestrado

Cristo, omen é uma anta, como é q pode

Anônimo disse...

A anon 20:15 e a titia já disseram tudo o q deveria ser dito, nada mais a acrescentar

Anônimo disse...

Já pareceu mascu aqui querendo ser tratado feito rato, kkkkkk

mas são muito panacas mesmo, imbecis, mas o fato deles quererem ser ratos não o muda o fato de q eles já são ratos, seus imundos

Então saiam, não quero pegar peste bubônica

Anônimo disse...

os mascus querendo bancar os ratos aqui, já estão espalhando leptospirose

dedetização já nesses patifes, pelo amor de deus

Anônimo disse...

Mascu babaca, já que é pra apelar pra natureza, o homem, antes de um mamífero, é um animal social.
Chupa essa!

Anônimo disse...

Antes vocês falaram que era "a mãe natureza", que era a mulher quem nutria o filho por isso o direito de decisão era só dela, agora o homem já é um animal social. Eu disse que o discurso de vocês muda com a conveniência, não segue lógica nenhuma, é puramente passional.
Muito difícil argumentar com meus comentários sendo excluídos.

Anônimo disse...

22:16

sai daqui seu rato, tá espalhando peste bubônica

dá pra sentir o cheiro de leptospirose daqui, ah, são os mascus q agora viraram ratos, entendi

Anônimo disse...

"depois ficam chorando quando são chamados de anomalias cromossômicas, se bem q pelo visto, são mesmos, o Y faz muito mal a sanidade mental de um ser humano"

reitero

Anônimo disse...

Parir um mascu é crime contra a humanidade, isso é indiscutível. De todos que participaram claro, médicos e enfermeiras que executam o ato e de todos que consentiram com o nascimento da praga.

Anônimo disse...

22:32

nossa quanto chororô, falou o cara q quer agir feito um rato, ok, direito seu, só q faz o favor e dê licença, ng aqui quer pegar peste bubônica

Anônimo disse...

"e tenho argumentos puramente"

ninguém precisa dos seus ~argumentos~, todos os argumentos inteligentes e puramente biológicos já foram dados aqui, e nenhum partiu de vc

faça bom proveito dos seus ~argumentos~

Anônimo disse...

22:39

é pq vc está empesteando o ambiente, é só por isso, compreenda

Anônimo disse...

O filho pertence ao pai, não a mulher. A própria mulher deve obediencia ao marido e a ele pertence. Nós muçulmanos acreditamos no padrão que ALÁ criou, que determina o dever do homem de liderar a sociedade e cuidar e proteger sua familia.
A mulher que for submissa ao marido e a ALÁ terá sua recompensa na vida eterna.

Anônimo disse...

22:44

ng se importa com o q 'sei lá' aprova ou não, nem com o q o islamerda acredita; pega o corão, engula e vá pro quinto dos infernos, bem lá na grelha do capeta onde bin laden, sadam hussein e maomé estão assando

Anônimo disse...

Oh mascuzinho mamífiro, vai mamar o pau do seu macho vai. Esses mascus odeiam mulheres porque têm inveja do útero. Assuma logo que não gosta de mulher, case-se com um homem e pare de enxer o saco das feministas.

Anônimo disse...

Seguinte, mascu, o feto na barriga da mãe não está na sociedade.
Assim como o dildo que vc enfia no rabo, no momento que ele está no seu rabo, ele não pode ser socislizado.
Entendeu ou quer um desenho mais didático?

Anônimo disse...

22:44, pega o corão, a bíblia, o torá e enfia no cú

Anônimo disse...

22:58

Mas isso não é novidade nenhuma

o X é MITOcondrial (Eva-mitocondrial) e antigo, milenar

o y é cromossomial (chateadão-cromossomial) e recente, inferior

E a cura pra essa distorção evolutiva, o y, é a seleção natural, q dará conta de extingui-los um por um

Mulheres vieram antes, e sairão depois, omens apenas coadjuvantes num curto espaço de tempo da história humana

Anônimo disse...

Titia,
deixa eu tentar explicar de novo.
Eu sou contro o aborto pra mim, em QUALQUER situaçao. E para as outras, eu nao tenho nada com isso. Essa parte estamos entendidas, nao é ?

Eu nao conheço ninguem que tenha feito um aborto. Mas conheço pessoas que dizem que fariam caso a criança tivesse deficiencias. Claro que ninguem deseja um filho com problemas de saude, assim como ninguem deseja um filho que chora a noite inteira... mas e aí ? faz o que ?

Eu vou adotar. E voce tem que dizer se aceita crianças com deficiencias. Sim, aceito. Aceito com deficiencia ou sem deficiencia. Porque eu tenho amor pra qualquer filho. Deficiencia é só um detalhe.
Mas isso sou eu.
Eu entendo que algumas deficiencias exijam uma casa adaptada, outras exijam mais tempo...etc... e que nem todo mundo tem.
Daí que pergunto... essas pessoas que nao aceitam um filho com deficiencia...elas ja pararam pra perguntar pq querer um filho ?E se o filho sofrer um acidente ? como será a vida delas ?

Vou dar um exemplo pra tentar ficar mais explicado.

Pensa no homem que diz que o sonho é casar e ter filhos.
E ele realiza o sonho.
Nem vou falar daqueles que só contribuem com dinheiro em casa.
Pensa num homem normal, que reparte as tarefas de casa e dos filhos com a esposa. E ele é feliz dessa forma.
Daí um dia a esposa morre e o deixa com 1, 2, 3 crianças pequenas. E o cara surta.
Era um bom pai até a esposa morrer.
A partir daí ele quer que a mae, sogra, irmã, tia que cuida das crianças. Ou quer arrumar outra mulher pra cuidar. Joga a tarefa pra outra mulher. Ou casa de novo e deixa os filhos com a avó. Conhece algum caso assim ?
Nao estou dizendo que é a maioria, apenas que tem algumas pessoas que sao assim.

Agora eu te pergunto...
pq essa pessoa quis ter filho ?
pq ele nao se perguntou antes se aguentaria qq infortunio ?
Filho nao é brinquedo que hj eu nao quero brincar pq tá chovendo. Filho é pra sempre.

E isso que muitas pessoas deveriam se perguntar. Ninguém é obrigado a fazer filho. Nao colocar filho no mundo nao vai fazer mal pro mundo nem pra ninguem. Mas quando for colocar, é bom pensar...pq eu quero colocar alguem no mundo ? e só pra eu me satisfazer ? exibir meus genes como trofeu ?
E se amanha meu marido morre ?
E se amanha meu filho fica acamado ?
E se amanha minha renda cai pela metade ?
ainda assim tudo bem ? ainda assim eu quero ter filho ?

Anônimo disse...

22:51, 22:55, 22:58 e 23:03 disseram tudo de forma simples e rápida, mas do jeito que esses ômis mascus são burros nunca terão capacidade de entender.

Anônimo disse...

Mascu imbecil mentecápto das 23:08, o filho no orfato já está na sociedade idiota, o feto ainda está na barriga da mulher, não está na sociedade. Não sei porque mascu é homofóbico, mais fácil pra eles arrumar um homem que nem aborta. Enquanto o feto estiver no útero ele é parte do corpo da mulher. Vai pra um blog mascu comentar e pare de poluir este com doenças de rato.

Anônimo disse...

Quis dizer, mascu das 23:05, não é 23:08

Anônimo disse...

Lola, deleta esse lixo das 23:20 aí, só veio atrapalhar o debate.

Anônimo disse...

Porra!
Mascu deve ter mó tesão em ser xingado e escorraçado por feminista.
Vai entender essa pira.
Sai daqui, carniça!

Anônimo disse...

É muita falta de amor próprio e ruelisse.

Anônimo disse...

Mascus são masoquistas por natureza 23:37, quanto você xinga mais eles gostam ahahaha. Tem que levá-los no psicólogo para tar essa falha na fase anal deles, assim eles param de defecar pela boca.

Anônimo disse...

23:05

O filho que já está na sociedade acidentar e ficar deficiente é algo que muitas vezes foge ao controle, mas se você puder evitar você evita certo? Então, você pode evitar colocar alguém que ainda não nasceu na sociedade que vá sofrer com deficiência física também. Entendeu ou quer que eu desenhe?

Anônimo disse...

Robson "Otto" Aguiar

Qual diferença entre um mascu e um estuprador impune?

Anônimo disse...

00:06

nunca q esse monte de merda e bandido vai ser presidente de alguma coisa, no máximo, o líder do mictório do presídio onde esse ebola humano estará até 2018

Anônimo disse...

Pra comentarista contra a eugenia.
O homo sapiens sapiens tem uns 50mil anos.
As chamadas grandes civilizações não passam de 3 mil anos.
A geração paz e amor não tem nem 50 anos.
Faça as contas e veja que tipo de comportamento prevaleceu durante esse tempo todo: preferir ter filhos saudáveis e, por ventura/cultura/qlq que seja a força, preterir filhos deficientes, inclusive indo as vias de fato; ou, aceitar o desafio e o trabalho de se ter um filho deficiente e mantê-lo vivo pelo máximo de tempo possível?
Não estou tomando partido nem dizendo que uma prática é melhor que a outro, só estou tentando demonstrar de onde vem essa ânsia por filhos saudáveis.

Anônimo disse...

"Já chegou o mascu biólogo para falar em homo sapiens, esses seres são irracionais, é por isso que se comparam as animais. Esse tipo gente deveria é ser extinta, porque nunca irão evoluir." (2)

depois q chamam de anomalia cromossômica (e com razão) reclamam

esses portadores da anomalia y não tem o q fazer mesmo, umas antas q só

Anônimo disse...

Aos fãs do bolsonada:
Se ele chegar a 30% das intenções de voto será muito. Deve ficar na casa dos 21%.
+ matemática - ilusão
Mas não se acanhe, pode bater punheta a vontade pensando no seu glorioso (sic) bolsovômito. Só faça isso no seu cantinho, pra não fazerem os outros sentirem vergonha alheia.

Anônimo disse...

00:22

esse bandido não passa nem dos 2%, como vcs são generosas

esse monte de excremento vai ser presidente só do mictório da penitenciária onde ele vai mofar

Anônimo disse...

Aff quanto troll

Anônimo disse...

Não subestime o outro. Isso pode ser um erro.
+ matemática - projeção

Anônimo disse...

00:30

"Eu mesmo sou uma dessa", sei ...
Fanfic
Você é mulher só na intensão mascu. Também, vocês estão até o sexo com travestis só porque odeiam mulher, não é de se estranhar.

Anônimo disse...

"Você é mulher só na intensão mascu. Também, vocês estão até o sexo com travestis só porque odeiam mulher, não é de se estranhar."

isso, desmascara mesmo esses idiotas

Anônimo disse...

Kkkkk
Adogay!
5 anos de leitora e comentadora e agora querem caçar minha carteirinha e me taxar de mascu.
Vá em frente. #sqn

Desculpa aí, mas eu fiz história e tava tentando mostrar que não é tudo a ferro e fogo e é possível desejar algo e ainda assim compreender seu oposto.

Fiquem raivosas comigo não.
Vão ali reclamar com Clio.

+ razão - cegueira

Post duplo pq o outro saiu no lugar errado.
Quem nunca?

Anônimo disse...

O CORÃO é palavra de Deus, voces querendo ou não irão se submeter a ele e no fim e o bem enfim vencerá o mal o que significa que não haverá mais feminismo nem mulheres desobedientes. Estas serão colocadas no seu devido lugar: no inferno!
Não tenho duvidas que o ISLã, que é a religião da paz e do amor, vencerá.

Sayyid

Anônimo disse...

01:03

ng se importa com o q 'sei lá' aprova ou não, nem com o q o islamerda acredita; pega o corão, engula e vá pro quinto dos infernos, bem lá na grelha do capeta onde bin laden, sadam hussein e maomé estão sendo assados

Anônimo disse...

Sayyid, vai atrás de um bom prato de bacon que vc será mais feliz.

Anônimo disse...

Se as feministas tivessem sido abortadas crianças não seriam mortas.

Anônimo disse...

ui, o fã do bolçonojo ficou nervosa

Anônimo disse...

Anon das 23:51

vc que nao está entendendo nada.

Eu sou contra o aborto pra mim (pela milesima vez falando isso). Mas nao tenho nada que apontar o dedo pra vida de ninguem.

Pessoa gera um filho com alguma deficiencia e quer abortar. Supondo que seja permitido. Ela vai e faz. Sou contra, mas nao tenho nada com a vida dela, as atitudades dela sao por conta dela. Ok.

Daí vc vem repetindo o que todo mundo repete " mas acidente nao da pra prever, ou pra evitar.." ou sei lá o que vc escreveu.
EU SEI ( dãããã) que ninguem tem bola de cristal pra saber se o filho vai sofrer acidente aos 10 anos, ou ter alguma doença incapacitante, etc...
O fato é... se ter um filho nessa situação seria um fardo... porque ter filhos ?

E esse é só um exemplo.
É só pensar. Se um filho que foge as nossas expectativas é um fardo...porque querer engravidar (pergunta para homens e mulheres) ?



Maria disse...

É de cair o c... Da bunda! Já sabia a epopeia q é realizar um aborto "legal" no país mas não sabia da omissão da lista dos hospitais! Chocada.... Não entendi a questão da anencefalia em q os órgãos internos ficam em contato c a cavidade uterina!!??
Fiz um aborto legal em Londres onde morei por 4 anos, fui super bem atendida ao longo do processo e só no início me perguntaram se eu já havia pensado em todas as opções (doação, ...) mas sem nenhuma intenção de me demover a ideia!
Força aí, mulherada!

Anônimo disse...

É preciso divulgar a lista dos hospitais todo santo dia, assim como site da OBG para que menos mulheres passem por isso. Vivemos num país cheio de absurdos, mas dá para lutar contra eles usando a internet.

Estamos numa guerra mundial declarada pela Direita.Nos EUA, TRUMP mostra sua cara de diabo reacionário. Aqui no Brasil temos Bolsonaros e cia. Eles querem dominar o dinheiro e as mentes de todos.

Mudar as ideias das pessoas comuns é o grande desafio.

Gabriela disse...

"É só pensar. Se um filho que foge as nossas expectativas é um fardo...porque querer engravidar (pergunta para homens e mulheres)?"



Qual a dificuldade de entender que nem todo mundo está preparado para cuidar de um filho deficiente? Mas é tão óbvio! Uma mulher quando está grávida deseja que seu filho seja saudável para que consiga ter qualidade de vida. Acho que nenhuma mãe deseja que seu filho dependa dela 100% pelo resto da vida, quando temos um filho queremos que a partir de uma certa etapa da vida ele consiga viver sozinho, que ele cresça, amadureça e que ele tenha autonomia, dono da sua própria vida e história. E que eu consiga viver a minha vida, oras. O que não acontece com um filho deficiente, que vai depender de mim para tudo, vou ter que estacionar minha vida, vou ter que abdicar de todos os meus sonhos e vontades em prol da vida desse filho, e como já disseram aqui nossa sociedade não está preparada para receber essas pessoas, falta acesso no básico: Educação e Saúde. Eu tenho familiar deficiente e sei das suas dificuldades, dos obstáculos que ele precisou e precisa passar para ter uma vida digna e como a vida da sua família modificou após o seu nascimento, me desculpa, mas é muito sofrimento. E não há porque condenar uma mãe por querer abortar um filho com deficiência, visto que é ela quem vai cuidar dessa criança e passar por todas as dificuldades SOZINHA, ou você não viu o número de casos de pais que abandonaram a mulher quando o filho nasceu com microcefalia?

Não faz o menor sentido seu questionamento. Se você tem o dom de viver o resto da sua vida presa a cuidar da vida de outra pessoa, ótimo pra você! Parabéns! Só não venha falar que a vontade de ser mãe/pai deve seguir a esse limite que você impôs!

Anônimo disse...

Imbecil, a maioria que aborta nem é feminista. A maioria é de mulheres casadas, com filhos, católicas e conservadoras (até o calo apertar, né).

Anônimo disse...

Enfie este seu livro onde o sol não bate.

Anônimo disse...

gente, vcs viram um projeto de lei na suécia, se não me engano, país onde o aborto é permitido em qualquer caso até o terceiro mes de gestação, propondo que o homem possa, até o terceiro mes de gestação, se manifestar se quer ou não assumir a paternidade da criança? se falar que não quer até esse prazo e a mulher decidir seguir com a gravidez e ter o filho ela terá que arcar sozinha com todas as despesas, sem poder pedir pensão ou registrar a criança com o nome do pai na certidão?

o que vcs acham disso?

Alícia

Anônimo disse...

Médicos contratados pela rede pública podem alegar escusa de consciência.

Advogados públicos (defensores públicos, concursados, pagos pelo estado), também podem alegar escusa de consciência ao pegar uma causa para defender.

Se você não tem a capacidade intelectual de entender essa comparação válida e simples meus pêsames pelo seu neuronio.

Beijos de luz, Alícia.

Anônimo disse...

Ué, mas e o direito da criança à paternidade? O Direito não é da mãe, e sim do bebê (depois de nascido, que fique claro).

Anônimo disse...

Não estou defendendo a Lei, estou perguntando o que vocês acham.
Na verdade também me causa estranhamento.

Mas num país em que a mulher pode escolher se quer ou não aquele filho até o terceiro mês, até que não me parece tão injusto conceder ao homem o mesmo tratamento.

Ademais, a mulher não estará "desavisada". O homem deveria comunicar formalmente essa decisão até o terceiro mês de gestação.

Claro que surgem muitos pormenores que a matéria não esclareceu.

Mas acho uma lei relativamente válida no caso de relacionamentos esporádicos (sexo casual) em que a intenção jamais seria gerar um filho.

Outros casos já não sei.... Gostaria de saber a opinião de todos.

Quanto ao direito a paternidade, creio também não se tratar de direito absoluto, vide casos de inseminação artificial, em que é preservado o anonimato aos doadores de esperma.

Alícia.

Anônimo disse...

Alícia, não sei porque ainda estão discutindo com você. Você suporta a descriminalização (e aqui repito também, que a descriminalização absoluta que a maioria das feministas defende é até 12ª semana). Não concordo com suas convicções morais acerca do aborto, mas você não quer mexer no meu direito ao aborto, eu não quero mexer no seu direito de não abortar. Podemos seguir felizes.

Sobre a anom do "criança com deficiência", também não concordo com a posição dela, mas ela não quer tirar meu direito ao aborto, também.

Sobre o "aborto paterno" que você colocou, Alícia, é a única situação que eu não consigo ter opinião formada. Se ambos não querem, que se prossiga o aborto. Se ambos querem, que se prossiga a gravidez. Se a mãe não quer mas o pai sim, que se prossiga o aborto (já que é a mãe que fica com o ônus da gestação). Agora, se a mãe quer mas o pai não, como fazer? Meu lado cínico tem ânsia de soltar "não quer ter filho, só guardar o pau" pra ver a argumentação dos imbecis do "não quer ter filho, só fechar as pernas". Mas não sou hipócrita nesse nível. De um lado, acho defensável a posição de que a decisão de abortar ou não cabe apenas à mãe porque só ela passa pela gestação, e que o homem deveria tomar cuidado para não chegar a esse ponto. Ainda assim, me soa injusto, determinismo biológico demais. Mas daí entra na questão do 14:21, de que a criança vai nascer, e até onde vão os direitos do pai e os direitos da criança, que é outro campo inteiro já de discussão. O que vocês acham?

Anônimo disse...

"Médicos contratados pela rede pública podem alegar escusa de consciência".
Cala boca sua burra, vai falar mentira em outro canto, maldita, até agora não entendeu q médicos não podem se recusar, advogados sim, vá se lascar

Anônimo disse...

Médico pode sim.

Você discorda.
Mas pode.

Exceto, como eu JÁ DISSE, em caso de emergência.
No mais, ele pode se recusar a fazer o aborto tranquilamente.

Beijos de luz de novo, pessoa linda doce e educada.

Alícia.

Anônimo disse...

18:47

Não pode, e beijo de luz pra vc

Vc discorda
Mas não pode

Anônimo disse...

Tenho q reptir pra essa ANTA pra vc se entra na cabeça de baga dela:

"Meu bem, presta atenção: Qual o médico responsável por tratar do coração? O cardiologista. Agora me fala... como um cardiologista pode se recusar a atender alguém -mal do coração- por motivos ideológicos, por exemplo? Ou por qualquer motivo banal q seja? Não dá; é claro q eu não vou forçar o cárdio a fazer a consulta, exame, etc. Mas é antiprofissional, é antiético, não tem lógica. Pro médico profissional em interrupção de gravidez é a mesma coisa, como ele vai se recusar a fazer um aborto se ele se especializou pra isso? A não ser q haja um motivo muito relevante (alegar religião não conta), caso contrário é antiprofissionalismo, é antiético.
Um advogado, se particular, pode recusar o caso q ele quiser, não há uma obrigação para q advogados atendam qualquer caso q vier a tona, eles têm essa liberdade, médicos não, por isso a comparação com a advocacia é esdrúxula, não insista nisso, pq não vou mais responder sobre."

Daqui a pouco vem ela com um: "ain pode çim"
Espero q vc leia tudo, sua desgraça

Anônimo disse...

Eu ia colar todos os links aqui.

Mas to com preguiça.

Digita aí no google: objeção de consciência médico aborto

Aí você vê se pode ou não alegar tá?

"aiin mas não pode" Pode sim. Tirando casos de urgencia e emergencia ele pode.

Beijos pessoa linda doce e educada.

Se não acredita em mim, nem no google, pergunta PRO MEDICO Q VC QUISER. LIGA DO CRM DO SEU ESTADO. Não precisa nem voltar aqui pra admitir que vc é uma pessoa mal informada, já sabemos disso há tempos.



Alícia

Anônimo disse...

Não dá; é claro q eu não vou forçar o cárdio a fazer a consulta, exame, etc. Mas é antiprofissional,

SUA OPINIÃO.

Vc n pode forçar o médico a realizar um aborto eletivo (ou seja: não emergencial).
Pode até achar antiético anti isso e aquilo.

Mas não pode forçar. Ou seja: ele não é obrigado.

A própria jumenta dando argumento. Eu preciso rir pra não chorar de um trem desses, sem base isso gente.

Anônimo disse...

Lola, por favor, interfira aqui e diga que SIM. Médico pode alegar objeção de consciência.

Por favor. Porque parece que seus leitores são pessoas anencéfalas, não é possível.

Anônimo disse...

"por isso a comparação com a advocacia é esdrúxula, não insista nisso"

Já basta, argumentação suficiente

Anônimo disse...

Lamentável a situação do nosso país em relação isso, precisa mudar e vai começar com o aborto sendo legal e seguro, é um direito

PRA JÁ

Anônimo disse...

Não é minha opinião não sua monga, é um fato, antiprofissionalismo incontestável, e o q ainda pode acarretar numa demissão/cassação

Essa gente se faz de desentendida, só pode, mongolóides

Anônimo disse...

"Fiquei me tremendo de raiva ao ler esse texto. que paisinho de MERDA é esse Brasil, sinceramente! Depois não se sabe pq é um PAISECO DE Terceiro Mundo. Os países mais atrasados são os mais arraigados à religião, reparem."

Já reparei, é lamentável

«Mais antigas ‹Antigas   1 – 200 de 210   Recentes› Mais recentes»