sexta-feira, 1 de abril de 2016

CRIAR SEM RELIGIÃO, UM BOM CAMINHO

O guest post da Andressa sobre educar os filhos sem religião rendeu alguns comentários muito interessantes: 

"Apoio organizações sem
profetas" (trocadilho com
"sem fins lucrativos"
"Pela minha experiência pessoal, religião não melhora alguém, pelo contrário -- eu me tornei uma pessoa melhor quando DEIXEI a religião. Mas pra perpetuar os absurdos que o cristianismo, a religião mais influente no Brasil, prega hoje, só fazendo a lavagem cerebral desde a infância. Afinal, quem vai dar o dinheiro da comida dos filhos pro pastor comprar carrão do ano e celular último tipo ou ser explorada, fazer jornada tripla, ser humilhada, espancada, estuprada pelo marido sem reclamar, ou jogar pedra em crianças umbandistas, ou surrar homossexuais até a morte se não tiver uma figura de autoridade enchendo seu ouvido de que tudo isso é normal e certo, e, mais ainda, vontade de uma força superior? Eu passei por isso, de ter o cérebro lavado pra achar que ódio e desprezo pelo diferente é normal, e de me achar superior a quem não está no 'clubinho'. E é uma merda.
Olha, eles são como predadores. Farejam os mais vulneráveis e atacam com tudo, inclusive usando táticas de relacionamento abusivo, como te afastar da família e dos amigos e te fazer achar que ninguém mais além deles se importa de verdade com você. Foi o que fizeram comigo. Os religiosos que tentaram me arrastar pro buraco com eles sabiam que eu era o alvo perfeito: criança bobinha, adolescente extremamente ingênua, jovem medrosa, condicionada na base de porrada a não questionar o que os adultos diziam, enganada que o que eu pensava e percebia do mundo nunca estava certo, quase um autômato que podia ser programado como qualquer zé mané quisesse 
Vou pro inferno em todas as religiões
-- e pior, sem ser protegida desses abutres eclesiásticos por ninguém porque, ora, se eu já tinha tamanho eu já era plenamente capaz de me cuidar sozinha mesmo que durante toda a minha vida eu tivesse sido programada pra sempre ir pela cabeça dos outros e nunca cuidar de mim mesma, né? 
Porra nenhuma! Minha irmã, que sempre foi por méritos próprios forte, independente e sempre pensou pela própria cabeça e sempre questionou os adultos nos absurdos deles -- essa eles nunca tentaram 'trazer pra Deus', né? ABOMINO pais que fazem lavagem cerebral no filho com a desculpa de 'criar um cidadão de bem'." (Titia)

Isso não será sobre Jesus, será?
"Acho que meus pais não me batizaram por preguiça também. Meu pai não é religioso mas minha mãe é católica -- não praticante. Eles dizem que foi pra eu escolher minha religião mas eu acho que foi preguiça da minha mãe mesmo.
Eu tenho muito orgulho de não ser batizada. Até hoje eu agradeço a preguiça de mainha :D
Quando eu tinha 10 anos um pessoal foi distribuir umas mini bíblias na minha escola (colégio particular não religioso). Parecia uma miniatura. Pois alguns anos depois eu estava arrumando umas gavetas, encontrei a bibliazinha e coloquei num saco pra jogar no lixo. Minha mãe olhou com os dois olhos esbugalhados pra mim e disse: 'Julia, você não pode jogar bíblia no lixo!' Eu perguntei se ela ia ler porque eu não ia. Depois eu joguei fora escondida. Ela nunca deu falta" (Júlia).

Divirta-se com padrões duplos:
devota, religiosa vs oprimida
"Eu também não fui batizada, Júlia! É tão pouca gente num país cristão como o nosso que não foi batizada... É raríssimo encontrar. Quando eu queria ser freira, não ser batizada era motivo de angústia pra mim. Porque as freiras na escola diziam que só quem era batizado ia pro céu. Eu perguntava: mas e se um bebê morrer antes de ser batizado? Ele não vai pro céu? E elas diziam que não, que ia pro purgatório e ficava lá pra sempre. E eu com 13 anos me considerava uma santa, então achava muito injusto que, se algo acontecesse comigo, eu iria pro purgatório em vez de ser canonizada sem escalas. 
Faça a sua escolha de
escada rolante
Então naquele breve período religioso da minha vida eu enchi muito o saco do meu pobre pai, porque eu precisava ser batizada pra ontem! Só que ser batizada aos 13 anos é bem diferente de quando se é bebê. Acho que precisa fazer curso, os pais também... Não é fácil. E meu pai amado sabia que minha fase religiosa iria passar logo, então ele sempre dizia: 'Mañana, mañana'. Eu sabia que estava sendo enrolada, suponho. Tadinho. Só posso imaginar o alívio que meu pai sentiu quando minha fase freira passou." (Lola)

"Ahã, acredito"
"Meus filhos foram criados sem nenhuma religião. Eu não tenho e meu marido era muito preguiçoso. Certa vez ele me disse que precisávamos batizar as crianças. Eu disse que isso não me era importante, mas que se ele quisesse, procurasse padre e igreja. Não se mexeu.
Meus filhos cresceram, tornaram-se adultos comprometidos, compassivos e solidários como muito religioso de carteirinha não há. A vida sem religião faz muito mais sentido." (Maria Cristina)

"Eu gostei da forma como meus pais me criaram nesse sentido. Meu pai é ateu apostólico romano praticamente e a minha mãe acredita até em gnomos. Em casa nunca teve conflito ou problema quanto a isso. E sobre mim, eles me deram liberdade total.
Então eu já fui em centro de religiosidade africana, já fui em reuniões budistas, frequentei a igreja Mórmon por um período bem breve (uma amigaça minha era e acabou me arrastando, o clima da igreja era bem legal mas o compromisso de seguir uma religião não me convenceu), estudei em colégio católico, participei de grupo de jovens espíritas... tudo isso rolou dos 10 aos 19 anos. Meus pais não opinavam, não davam pitaco, me levavam nos lugares que eu queria ir e fim.
Sou eu que estou ensinando
evolução para seu filhos
E de adulta passei a não me importar mais com religião e hoje em dia me considero ateia também.
Foi fundamental ter o exercício da liberdade de credo (ou não-credo) para minha formação como indivíduo. Sou grata a eles por isso.
Porque no meu entender, tanto forçar uma religião quanto proibir esse exercício de crença são igualmente ruins. Desconsidera O INDIVÍDUO e vira cagação de regra do mesmo jeito.
Acredito que essa é a melhor forma de lidar com a situação sem oprimir ninguém dentro da sua própria casa." (Anônima)
Como me converter para... : coisas que realmente importam

84 comentários:

Anônimo disse...

Faltou colocar aqueles comentários que discordaram o post, né... Ou só é bom e embasado aquele comentário que concorda com vc?

É ridículo a ideia de criar um filho sem religião... só fazem isso os pais que têm religião de 'fachada', tipo: sou católico mais nunca vou na missa. É óbvio que seu filho vai te ver como uma fraude, vai achar a religião um saco, sem sentido e opressora e vai crescer com aversão de religião (tipo os comentários que a Lola repostou).

É como os pais que só comem porcaria e ficam tentando fazer os filhos comer salada... não vai funcionar. Crianças aprender muito mais pelo exemplo. Isso chama hipocrisia. E crianças 'farejam' hipocrisia de longe.

Agora pensem comigo.... se você é um cristâo devoto, por definição, você acredita e sente o evangelho que Jesus pregou como 'A BOA NOVA', ou seja, é a melhor notícia de todos os tempos. É o fundamento da sua alegria, da sua paz de espírito, é a melhor coisa da sua vida.... Como que alguém assim pode considerar a possibilidade de não levar isso pras pessoas que mais ama, que são filhos??

Vou fazer uma comparação muito tosca, com a esperança que as pessoas não religiosas e ateias possam vislumbrar o que eu to dizendo: Você esperimentou Nutella pela primeira vez e achou maravilhoso.... vc pensa: gente, que coisa mais maravilhosa, como alguém pode viver uma vida sem conhecer Nutella, isso é bom demais!!! No segundo seguinte, o que você pensa: o fulano precisa conhecer isso!!
Quem é o fulano?? as pessoas que você mais ama... seus pais, irmãos, marido/namorado, filhos, melhores amigos.... você quer dividir aquela boa notícia, aquela descoberta. Você quer que outras pessoas tenham a sensação maravilhosa que é comer Nutella... Dá pra entender???

Bom... sentir fé, esperança, descobrir o amor de Jesus por nós, sentir alegria, paz, liberdade e etc, são muito maiores do que comer Nutella.

É uma pena que tanta gente se esqueça dos sentimentos listados acima e vivam a religião de forma burocrática, repressora e com tristeza ou que não respeitem a liberdade alheia e queiram 'cagar regra por aí'... mas essa não é a essência da fé, aliás, é alguma coisa totalmente o contrário...

Anônimo disse...

12:44 falar é fácil, mas na prática é exatamente o contrário e todo mundo sabe

religião é lixo, só serve pra alienar e prender a mente das pessoas, esse papinho de amor é outra balela pra fazer os otários darem dinheiro pra pastor

queria ver esse "amor cristão" na hora q o médico se recusa a atender a criança pq os pais seguem uma ideologia política diversa

E criar filhos sem religião é a melhor opção sim e isso já foi comprovado

Anônimo disse...

Meus pais eram religiosos, desses que viviam dentro da igreja mesmo... e assim eu nasci e cresci dentro da igreja.
Todo esse amor e fe que o primeiro comentarista cita, acredito que eh o que meus pais vivenciam e por isso queriam inserir os filhos nesse meio.
Mas pra mim foi a pior coisa,
a igreja cegou meus pais e eles nao viam que aquele ambiente nao me fazia bem.
Sofri bullying ali, mas era relevado pois so podia ser coisa de crianca que ja os pais d algoz tb eram da igreja,
Minha mae sabia de uma jovem que nao conseguia ter relacoes sexuais (mesmo casada) pois tinha assimilado que aquilo era errado, mas nunca quis conversar comigo sobre o assunto (so depoois de muito adulta)
os adultos adoravam comentar que barravam amizades dos filhos com criancas de outras religioes, e apesar de isso nao ter dado certo na minha casa, meus pais valorizavam muito mais meus amigos da mesma religiao ,
vi muitas familias criticando criancas que foram batizadas sendo que os pais nao eram casados, e algumaS familias, se achando super corretas, diziam que nao deveriam criticar as criancas, e sim os pais,
vi muita gente condenando o divorcio, e deixando de conviver com membros da igreja (antes amigos) apos o divorcio dos mesmos (alguns pelos simples fato do divorcio, outros para nao tomar partido...seja pelo motivo q for, se deixaram de conviver, entao nao era uma amizade verdadeira)
vi gente dentro da igreja tentando dar rasteira em outras pessoas, e so deixou de ser relevado quando a situacao ficou TERRIVELMENTE escancarada ( e sim, sei que esse tipo de gente existe em qq lugar, mas frequentando religiao era onde eu menos esperaria)
vi panelinhas (inclusive entre adultos)
vi pessoas julgando os outros o tempo inteiro, seja pela roupa, pq gastava muito, por qq motivo

ou seja,

apesar da fe e da imensidao de amor que sinto por Deus, ali dentro eu nao aprendi nada,
pelo contrario, sinto que os valores de verdade eu aprendi sozinha, depois que sai dali.

Anônimo disse...

12:44

É por isso q eu ensino meus filhos no amor de Zeus, de Iançã, ou até de Buda né

muuuuuuuito melhor

Anônimo disse...

O "comentários interessantes", por acaso, são todos a favor do post. Que coincidência!

Anônimo disse...

O ideal não é criar o filho sem religião, mas criá-lo com todas, sim, todas religiões ou pelo menos a maioria delas, não significa que a criança praticará todos os costumes ao mesmo tempo, a criança crescerá sabendo da existência, sabendo da diferença, sabendo dos costumes, sabendo do que cada uma prega, conhecendo e deixando de ter preconceitos, se ela se identificar com alguma delas e quiser seguir seus ensinamentos - legal, mas nenhuma religião deve ser jamais imposta, assim, quando tiver maturidade suficiente poderá seguir seu próprio caminho com ou sem religião.

lola aronovich disse...

Vc ñ queria que eu escolhesse os SEUS comentários tão inteligentes, queria, anon das 13:36? (que, aliás, nem sei quais são, pois vc é anônimo).
Fui eu que escolhi os comentários. Então eu escolhi os que são interessantes pra mim. Não me lembro se tinha algum "comentários contrário" interessante. E sabe, este não é um assunto tão binário. Mas pra vc tudo deve ser.

Anônimo disse...

Anônimo 13:21

Religião não é lixo. Na verdade ele existe porque em um momento da humanidade ela precisou existir. Na verdade a crença na religião, ao invés de ser um demérito, ao contrario, é uma capacidade do ser humano em pensar, sentir e crer de forma abstrata, além da matéria, em uma quarta dimensão.

Paradoxalmente, quem estraga a religião e, aí sim talvez a torne um lixo, é justamente o ser humano com sua indefectível sordidez.

Anônimo disse...

Concordo plenamente com você, Lola. Seria muito mais interessante se todos fossem criados sem religião.
Fui criada em uma casa que não era muito ligada nisso, fui a igreja algumas vezes quando era pequena, fui batizada mas não fiz primeira comunhão. Hoje sou ateia. Não acho que seja necessário ser criada na base dos ensinamentos de jesus ou sei la o que, eu acho que sou mais educada que muitos que vão a igreja com frequencia e se dizem seguidores de deus.
Obs.: Sei que voce apaga os comentários que vão contra o seu texto, mas seria legal se deixasse alguns, não muito ofensivos, é claro.

Anônimo disse...

Só comentários que concordem com você estão certos Lola. E sim, eu sou muito inteligente e meus comentários deveriam ser, se não aprovados, pelo menos respeitados. Senão pra que um blog público?, passe um e-mail para seu amigos.

PS. Quem é você para desrespeitar milhões de pessoas religiosas no mundo? O que você sabe?

S. disse...

Eu acho que criança nenhuma n deve ser criada em religião, porque vai ser tudo forçado, se a pessoa depois quiser buscar uma religião é diferente, vai ser por vontade própria. E não precisa seguir religião nenhuma pra ensinar coisas boas aos filhos.
Eu fui batizada, meus pais também, mas não fui forçada a seguir nada e eles também n seguiam.
Eu até fui em algumas igrejas mas n gostei, na universal assisti uma peça que consistia em dizer que qualquer um diferente deles iria pro inferno, sem falar q pediram dinheiro da hora da entrada até a saída e ainda tiveram a cara de pau de dizer quem quisesse, podia dar uns 1000 reais pra eles kkkkkkkkkk
Na igreja evangélica é uma gritaria dos infernos, não dá pra aguentar, missas católicas são um porre, eu prefiro estudar a espiritualidade sozinha, tem muita coisa que essas religiões n falam. Leio livros sobre diversas coisas, budismo, espiritismo, meditação...
Mas n é de todo ruim, porque tem gente que consegue largar as drogas em alguma religião.

Anônimo disse...

Anônimo das 13h22

Há uns 2000 mil anos Jesus respondeu sobre o fato de seus seguidores serem cheios de pecados... segue um trechinho:

E aconteceu que, estando ele em casa sentado à mesa, chegaram muitos publicanos e pecadores, e sentaram-se juntamente com Jesus e seus discípulos.
E os fariseus, vendo isto, disseram aos discípulos de Jesus: Por que vosso Mestre come com os publicanos e pecadores? Jesus, porém, ouvindo, disse-lhes: Não necessitam de médico os sãos, mas, sim, os doentes. Ide, porém, e aprendei o que significa: quero Misericórdia, não sacrifício. Porque eu não vim para chamar os justos, mas os pecadores, ao arrependimento.

Bom... se a gente que tá dentro da igreja, lutando diariamente pra sermos pessoas melhores, mais humildes, mais misericordiosas, pra não julgar, não falar mal dos outros e etc estamos assim, conforme você descreveu, imagina se a gente não estivesse lá?? Se estivéssemos entregues às nossas fraquezas, vícios e paixões.... Eu certamente seria muito pior do que já sou. Sorte daqueles que já nasceram bons... os sãos que Jesus menciona.

Mas aos maus e pecadores, à igreja. E que Jesus tenha misericórdia de nós, pecadores.

lola aronovich disse...

Anon das 13:45, eu não apago os comentários que são contra meus textos ou contra guest posts. É só dar uma olhada na enorme diversidade de opiniões que podem ser encontrada na caixas de comentários de praticamente qualquer post. Mas eu apago comentários ofensivos, de trolls, que fazem copy and paste de algum site de direita, ou que contém links para sites de ódio. Só. O resto, tá liberado. Até o do babaquinha embaixo de vc que se acha inteligente e diz que estou desrespeitando milhões de pessoas religiosas no mundo.

Anônimo disse...

como dizem:
mito é a religião do outro

Anônimo disse...

Eu que fiz o primeiro comentário... A questão é: não to entrando no mérito se é bom ou é ruim criar filho sem religião, isso porque a hipótese é infundada a priori, pelos argumentos que eu escrevi lá.
Não adianta vcs ateus e não religiosos chegarem a conclusão de que é melhor criar filho sem religião, porque pra uma pessoa devota, isso nunca vai acontecer.... Não faz o menor sentido!!
Eu vou a missa todos os dias, tenho crucifixo espalhado pela casa inteira, vou à reuniões da igreja toda semana, faço orações com meu marido todas as manhãs e noites, fazemos ações voluntários aos finais de semana.... Aí meu filho vai querer participar e eu vou dizer o que? Nao meu filho, religião é coisa de adulto... Não posso te ensinar isso pq não tenho certeza se faz bem pra vc.
Tipo... Não tem como.... Uma coisa tao intrinsica na nossa rotina, Só se eu mandasse meu filho pra casa de um ateu e fosse buscar qnd fizesse 18 anos... Rsss

Anônimo disse...

Eu conheci de verdade a religião católica com mais de 20 anos. Fui criada assim, com liberdade religiosa. Na maior parte do tempo frequentava o espiritismo com a vizinha, mas tb ia na igreja evangélica com uma tia e vez ou outra na católica. Não acho que foi bom. A única coisa boa disso é que hj eu posso apreciar melhor a beleza da luz, porque já conheci as sombras...

Anônimo disse...

A comparação com a nutella foi complicada, porque pra gostar de nutella não precisa dar nada em troca, só comer. Agora, pra seguir uma religião, vc tem que abdicar de muita coisa. As religiões que eu conheço não deixam espaço pra possibilidades, vc tem que obrigatoriamente ser convicto daquilo e afastar tudo o que é contra. Por isso, com raras exceções, religiosos 100% praticantes são pessoas intragáveis. Aliás, ainda pretendo esbarrar com uma exceção, porque tá difícil.

Dan

Anônimo disse...

"Bom... se a gente que tá dentro da igreja, lutando diariamente pra sermos pessoas melhores, mais humildes, mais misericordiosas, pra não julgar, não falar mal dos outros e etc estamos assim, conforme você descreveu, imagina se a gente não estivesse lá??"

Isso é história para boi dormir. O que a anônima descreveu foi gente má por causa da religião, e não o contrário. Talvez se essas pessoas não estivessem sofrendo lavagem cerebral e acreditando que são melhores que todo mundo porque seguem a religião X ou Y, elas seriam boas.


No fim das contas, quem tem má índole, tem independente de religião ou não (religião serve até para justificar crimes e falhas de caráter, todos sabem). As pessoas deveriam se preocupar em ser boas e empáticas não porque "Deus quis assim" ou para não ir para o inferno, e sim para uma boa convivência na sociedade.

Anônimo disse...

Lola para de mentir. Você não apagava. Agora apaga sim. E eu vejo que uma pessoa coloca uma opinião diversa veem esses comentaristas com vinte pedras nas mãos palavrões e atacam quem ousou pensar diferente, mas desde estes que estejam alinhados com você, mesmo xingando, ofendendo, eles ficam, os que não são na sua linha de pensamento são sumariamente deletados. Você pode até ter esse direito, mas não venha falar que hoje você permite a diversidade de opiniões que não é verdade.

Anônimo disse...

É curioso que as pessoas podem aceitar que se façam sacrifícios e abdicações em prol de praticamente qualquer coisa, menos em prol de princípios religiosos...
- se for pelo esporte ou pela ciência: ser celibatário é um esforço OK. (Vários cientista/artistas foram celibatário, pra não se distraírem da ciência, como Paul Dirac).
- se for um religioso ou uma religiosa: são reprimidos, são fakes, hipócritas.
- se for pra emagrecer, ficar bonito, poupar os animais: passar fome ou ter uma dieta restritiva é OK.
- se for pra fazer um jejum pela quaresma, pra treinar a força de vontade, pq a igreja pede abstinência de carne: já sabem, né??? ouço o coro de 'reprimidos'.
Quanto esforços e sacrifícios as pessoas adimitem na busca de uma carreira bem sucedida, de beleza, de saúde, de um amor, de uma causa (os veganos, as feministas, e etc) e tudo isso é aceito e bem visto.

Anônimo disse...

Todo ateu é mais inocente, ignorante, perdido e arrogante do que qualquer pessoa religiosa. E existe um motivo pra isso: nós não sabemos nada do universo, portanto querer ser o autossuficiente quando basta um diagnóstico de câncer pra qualquer ateu dizer MEU DEUS!, não é sequer racional, mas sim patético.

Anônimo disse...

Nos países que pregavam o ateísmo também existiram ditaduras e matanças, várias conquistas da humanidades se deram em virtude da existência da igreja, ela foi um dos pilares da civilização, o Estado moderno também existe em virtude do protestantismo.
Existem fanáticos, sim é claro que existem, existem fanáticos e assassinos no futebol, vamos acabar com o futebol ou combater os fanáticos?

Anônimo disse...

Tanto religiosos quanto ateus morrem de câncer. E eu não conheço nenhum ateu que tenha se convertido por doença, mas conheço UM MONTE de cristãos que dizem que câncer e outras doenças vem por "castigo" ou "falta de Deus" (ah, o amor ao próximo, como é lindo).

Só porque não temos todas as respostas sobre a vida, o universo e tudo mais, não quer dizer que é preferível acreditar que uma entidade superior criou tudo e faz questão de governar a vida de todos os seres existentes, castigando quem não segue seus preceitos mesquinhos. Isso pra mim é preguiça de pensar. "Ah, deus quis assim, não preciso raciocinar, só aceitar". Isso por acaso não é patético?

E outra: "meu deus" é apenas uma expressão. Eu sou ateia e falo, mas já ando substituindo por "pelo amor da deusa"... Não quer dizer que acredito em divindades.

Anônimo disse...

Se vc é religioso, não é que vc tenha que prender as suas crianças em casa se elas quiserem ir pra igreja com vc. É sobre, caso elas não quiserem ir, vc respeitá-las e não obrigá-las. Se elas quiserem ir a outros centros religiosos, vc respeitá-las e oferecer condições para que isso aconteça. Sobre deixar transparente que vc ainda vai amá-las e respeitá-las, mesmo se elas não amarem ou mesmo acreditarem em nenhuma entidade divina -inclusive a sua. É sobre isso, amor e respeito. Tanto que o outro post era justamente sobre uma moça que tinha uma religião e a mãe a proibiu de continuar frequentando a igreja - e ainda fez isso sem oferecer à menina nenhuma explicação. Mesmo que ela tenha tido as razões dela, isso foi o cúmulo da falta de pedagogia. Pode (espero) ter tido amor ali, mas nessa parte certamente faltou respeito.
Ideal meeesmo também seria vc mesmo apresentar outras religiões pra criança, pq achar que o único doce que existe é Nutella, ngm merece. Mas se isso for impossível pra vc, tente não dificultar o crescimento pessoal delas caso elas desejem seguir outros caminhos.

Mikaela T. disse...

Semana passada ajudei a diretora da escola onde trabalho a montar os ninhos de pascoa das crianças e papo vai papo vem e eu disse que sou ateia. A cara dela ficou assim: O_O. Hehehe.
E ela perguntou se eu não sentia falta e como eu fazia quando precisava tomar uma decisão importante. Olha, temos duas ferramentas que em conjunto são uma maravilha para esse fim: filosofia e senso de justiça. E falta de que exatamente? Acordar às 08:00 de domingo pra ficar sentada num banco desconfortável pra cacildis e fazer aquele aeróbico interminável de "podem sentar-podem levantar" e no fim sutilmente me dizerem que vou queimar no inferno?
Naaaaaah! To de boa na lagoa. ^^

Mikaela T. disse...

Plus:

Até meus 10 anos, todo domingo de manhã tive que enfrentar o seguinte:

Mainha (diva mor): -Vocês querem ir pro culto?
Minha irmã e eu (mini divas): - nãããããããão... X.x
Mainha (diva mor): - Cês vão!!! Ò.Ó

Hoje em dia rio com isso. xD Mas era muito frustrante ela perguntar quando já tinha decidido que íamos. u.u

Bizzys disse...

Nossa, Mikaela T., concordo muito com você. Nunca gostei de seguir esses rituais religiosos sem sentido, minha mãe me obrigou a ser católica até os 16 anos, mas depois da crisma eu chutei o balde e segui meu caminho sendo ateia.

As pessoas acham que sem religião temos uma vida "vazia", mas vazia como? Eu estudei, trabalho, tenho pessoas que amo junto comigo, me divirto, aprendo, enfim, tento viver e ser feliz, como todo mundo. Estou muito bem sem ter que controlar todas as minhas ações (e até pensamentos!) baseada no que uma divindade ou as pessoas da igreja vão pensar.

Quando eu era criança, eu tinha aula de ensino religioso na escola, achava chatíssima, e quando a professora me ouviu reclamando um dia ela me deu o típico sermão de fiel superior: "quero ver onde você vai chegar na sua vida sem religião".

Bem, eu estou aqui e estou ótima, obrigada.

Anônimo disse...

Quem cria filhos sem religião é quem teme o julgamento de Deus. Religião ensina a pessoa a ter compaixão, respeito e disciplina e dignidade. Ajuda a pessoa a encontrar um caminho e achar o rumo da felicidade. Pessoas que não querem religião normalmente desprezam a família, a união entre seres humanos e se envolvem com drogas, sexo casual e outras práticas nocivas à saúde.

Sempre lembrando que nunca é tarde demais para ninguém, Deus está sempre de braços abertos para receber quemestá disposto a aceita-lo, e quanto antes vc aceitar Deus mais próximo estará da felicidade.

Anônimo disse...

"Religião ensina a pessoa a ter compaixão, respeito e disciplina e dignidade"

Pela quantidade de resultados encontrados quando se busca "pastor é preso" no google (a maioria, ora veja, por estupro) acho que sua afirmação está meio errada...

https://www.google.com.br/search?q=pastor+%C3%A9+preso&oq=pastor+%C3%A9+preso&aqs=chrome..69i57j0l5.4495j0j7&sourceid=chrome&ie=UTF-8

Anônimo disse...

Anônimo das 12:44, vc se perdeu completamente no seu ponto de vista. Existe uma diferença entre ser um "relioso desleixado" e não sentir empatia pela religião, seja ela qual for. Ao que me pareceu, para você, ter qualquer visão crítica da religião é sinal de que vc não a conheceu de vdd, quando o contrário é verdadeiro. Eu fui criado a vida toda na igreja, ia ao culto quase td domingo e fui por causa disso que eu consegui formar um senso crítico a respeito dela. Foi por causa disso que consegui ver todo o preconceito, intolerância, fofoca etc. Me pareceu que o que vc quis dizer foi que qualquer crítica fundada na religião não se baseia na verdade. E aí vc se perdeu de novo ao fazer uma metáfora (pq as pessoas continuam insistindo em fazer metáforas?) com alimentação, que não tem nada a ver. E mais um detalhe, que muitas pessoas esquecem, não existe só um tipo de pessoa no mundo, então se a religião foi a melhor coisa pra vc, não significa que vai ser assim pra outro, assim como não foi pra mim. Ninguém está dizendo que tds as religiões deveriam ser abolidas, mas sim que as crianças deveriam ter a liberdade de escolher qual elas querem, se quiserem alguma.
Leon

S. disse...

14:30

O problema é que as crianças geralmente não vão porque querem, vão porque os pais obrigam, a única coisa que conseguem é a criança fingir que tá gostando e mais tarde mandar tudo a merda ou continuar porque já sofreu lavagem cerebral suficiente para ter medo de parar no inferno.
O que eu acho absurdo é isso aí, senão seguir tudo, você vai pro inferno porque Deus é muito bom. As qualidades de Deus não combinam com os atos.
To cansada de ouvir que Deus castigou fulano através do seu filho, o pais fazem a merda e o filho se ferra por pura vingança de Deus??
Ou a bíblia que trata mulher que nem lixo enquanto homem pode tudo. Cada historia sem noção, tem uma que eu n lembro o nome do cara, ele era fiel a Deus, todo correto, aí aparece o Demo e diz que é mentira ou algo assim, daí Deus simplesmente mata a família inteira dele, mata os animais, deixa o cara cheio de doenças, tudo só para provar ao Demo que ele ia continuar fiel.
Que bondade é essa????

Anônimo disse...

Veganos e feministas são aceitos?? Onde, meu filho? Praticamente TODAS as pessoas que eu conheço fizeram abstinência na quaresma, e ninguém achou nada de mais. Agora, diga no meio de amigos ou da família que é feminista, vegano ou que quer ser celibatário por conta da sua arte... Só não vão te zoar se e somente se for por princípios religiosos.

Dan

Anônimo disse...

Anônimo disse...

Só comentários que concordem com você estão certos Lola. E sim, eu sou muito inteligente e meus comentários deveriam ser, se não aprovados, pelo menos respeitados. Senão pra que um blog público?, passe um e-mail para seu amigos.

PS. Quem é você para desrespeitar milhões de pessoas religiosas no mundo? O que você sabe?


Esta é a verdadeira face de um movimento que não respeita opinião divergente, através de uma de suas mais devotas integrantes. Não somente comentários ofensivos são deletados. Eu não posto nada com teor agressivo e mesmo assim vários comentários meus foram deletados. Bastam quaisquer comentários que não sigam fielmente a cartilha feminista, para que os excluam. Fica nítida a impressão de que não há espaço para diálogo e sim a imposição de suas ideologias.
Como um movimento deseja pregar o respeito, a tolerância e a igualdade se vocês mesmas não respeitam isso?

G. disse...

Para o anonimo do mimimi. Para de encher o saco, cara! Estou vendo um monte de comentários que não compactuam com as ideias da Lola e estão aí, inclusive os seus. Já parou para ler? Para de falar merda e vai caçar o que fazer.

Anônimo disse...

Anônimo disse...

"Religião ensina a pessoa a ter compaixão, respeito e disciplina e dignidade"

Pela quantidade de resultados encontrados quando se busca "pastor é preso" no google (a maioria, ora veja, por estupro) acho que sua afirmação está meio errada...

https://www.google.com.br/search?q=pastor+%C3%A9+preso&oq=pastor+%C3%A9+preso&aqs=chrome..69i57j0l5.4495j0j7&sourceid=chrome&ie=UTF-8

1 de abril de 2016 16:01

Anônimo disse...

Anônimo disse...

"Religião ensina a pessoa a ter compaixão, respeito e disciplina e dignidade"

Pela quantidade de resultados encontrados quando se busca "pastor é preso" no google (a maioria, ora veja, por estupro) acho que sua afirmação está meio errada...

https://www.google.com.br/search?q=pastor+%C3%A9+preso&oq=pastor+%C3%A9+preso&aqs=chrome..69i57j0l5.4495j0j7&sourceid=chrome&ie=UTF-8

1 de abril de 2016 16:01

AGORA PODE POSTAR LINK? ENGRAÇADO QUE QUANDO POSTO LINKS SOBRE NOTÍCIAS FALSAS DE ESTUPRO(QUE SÃO INÚMERAS) PONDO POR TERRA O CONCEITO DE CULTURA DO ESTUPRO É DELETADO.

Anônimo disse...

G. disse...

Para o anonimo do mimimi. Para de encher o saco, cara! Estou vendo um monte de comentários que não compactuam com as ideias da Lola e estão aí, inclusive os seus. Já parou para ler? Para de falar merda e vai caçar o que fazer.


COMPORTAMENTO TÍPICO DE MULHER : XINGAR, XINGAR E XINGAR. DEPOIS RECLAMAM DE SÓ OS HOMENS SEREM AGRESSIVOS.

HILÁRIO

Natasha disse...

Veganos são respeitados? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk N respeitam nem vegetarianos, que dirá vegano que é mais restrito ainda, difícil eu falar pra alguém que sou vegetariana e n ouvir uma piadinha escrota em seguida. Só de falar que n como carne, parece que to obrigando todo mundo a parar de comer e eu n abro a boca para mandar ninguém fazer o mesmo.

Você falou que ninguém critica cirurgia plástica e dietas malucas. Nós criticamos sim,é só mais uma forma nojenta de destruir nossa autoestima, mulher nenhuma nasce desejando passar fome ou torrar rios de dinheiro pra tentar ficar perfeita.

Já que vc diz que respeita tanto as escolhas, se seus filhos n quiserem ir na igreja ou se forem ateus, você vai deixar eles em paz ou vai ficar ameaçando com o inferno? Porque meu pais faziam isso, eu ia contra a vontade na igreja evangélica e já vi que muita gente lá paga de bonzinho, n por ser bonzinho, é somente para n parar no inferno e seguindo a lógica da religião, vão parar lá assim mesmo, porque é tudo na falsidade.
O pessoal religioso faz merda assim como todo mundo, só que eles acham que já estão salvos, só por terem religião, o resto é lixo que vai arder no fogo do inferno eternamente bla bla bla...
E tb me dá uma raiva esse gente que bate na tua porta para ficar empurrando a religião deles, n tem nada pra fazer n?

Mila disse...

Não é bem assim, 12h44.
Lá em casa tds são católicos muito devotos. Daqueles q rezam terço, vão à missa, aos eventos da Igreja... no entanto, isso nunca me apeteceu. Na vdd, a parte mais legal da Igreja para mim é quando rolava a Campanha da Alimentação e a gente recolhia alimentos para as pessoas carentes.
Só que vc não precisa de religião para ajudar os outros, ser uma boa pessoa e adotar principios cristãos (tipo bondade, humildade, amor e outras ações que Cristo praticava e os cristãos de hoje ignoram solenemente).

Fabi disse...

Criar qualquer tipo de fanatismo em uma criança é ruim, seja relativo à religião, ideologia política, time de futebol, etc. Acho que o papel dos pais é ensinar, mostrar as diversas possibilidades de vida, e não criar um filho ou filha bitolados e submersos na própria irracionalidade.

Anônimo disse...

Gente, de novo... vcs pensam com a cabeça de uma pessoa não religiosa e por isso não funciona.
Se você escolheu uma religião, é pq vc acha que aquilo é o certo, que é a verdade, que é o melhor, logo, você quer ensinar o que é o melhor pro seu filho? Religião não é catálogo de produto, que é uma questão de 'gosto pessoal'. Cada pai e mãe acha que está ensinando o que é verdade para o filho. Até certa idade, é o que ele vai aprender.... Agora quando ficar mais velho, começar a questionar, quando estiver amadurecendo, se quiser conhecer outras religiões, é outra história, os pais não devem impedir... mas não significa criar seus filhos desde criança longe da sua religião...
Mas enfim.... to dando murro em ponta de faca aqui... hahaha
Assim como dou murro em ponta de faca tentando falar de cultura de estupro nos meus grupos da igreja... rsss
Paciência... uma hora eu desisto .

titia disse...

17:53 ensinar não é um problema. O problema é a lavagem cerebral. Tive os dois tipos de atitude na infância e seu muito bem a diferença.

15:58 é mesmo, a família! Essa instituição linda em que o marido pode humilhar e escravizar a mulher, bater no filho pra não "virar viado", surrar a filha pra ela não se atrever a dizer um 'não' pra papai, onde a violência emocional e psicológica rola solta e se quiser o amo e senhor ainda pode pular a cerca, estuprar a esposa e passar AIDS pra ela - porque depois a pobre mulher ainda vai ouvir que foi "falta de fé" e que ela não foi uma "mulher sabia que edifica sua casa". Ah, e se o ditador por algum motivo quiser estuprar as filhas, tudo vai ser abafado pra não "trazer vergonha pra família".

A família que se foda. Essa instituição infernal já causou mal demais nesse mundo, é hora de acabar com essa merda de uma vez por todas.

16:47 vocês mascus já poluem o blog o suficiente com seus comentários lixos. Não precisamos de links pros seus sites mentirosos pra piorar o nível do blog. Passar mal.

titia disse...

18:14 quer um chocalho e uma chupeta também?

Anônimo disse...

Se pra vc família é isso aí, você é doente...

Anônimo disse...

O Drama do Ateu - O drama do ateu é que ele precisa justificar-se, enquanto o crente está livre para acreditar em suas superstições religiosas, em divindades imaginárias, em demônios inexistentes, em suas bíblias mitológicas; pode acreditar que atrás de nossa consciência existe uma alma ou espírito para nos garantir uma eternidade; que supostos milagres podem alterar as leis da natureza; pode acreditar que um Universo existente por suas próprias contingências imanentes teve um Criador; que sem a Divindade não há moral, quando a verdade é que a ética decorre da própria necessidade de se harmonizar a convivência humana

titia disse...

18:43 cortesia do site Cantada de Rua:


não fizeram nada, só brigaram comigo e minha prima – 1896 – Quando eu era criança, eu e minha prima fomos abusadas por um primo mais velho.. [Trigger warning] Sempre queria brincar de pegar nas nossas partes, fazer a gente…

boa parte da minha família me fez acreditar que eu quis o abuso – 1619

contei tudo pra minha mãe, ela simplesmente virou e me mandou fazer a janta – 1858

“eu quero um beijo aqui, beija o vovô” – 1464


E esses são cortesia de um site de busca qualquer:

Marido espanca mulher até a morte na frente dos filhos - www.youtube.com/watch?v=0HNpbycVnFE

Marido espanca mulher grávida de 3 meses na frente dos filhos - noticias.r7.com/cidade-alerta/noticias/marido-espanca-mulher...


Marido espanca esposa na frente de filha, em Monteiro
https://www.pbagora.com.br/conteudo.php?id=20160301122643&cat=...

Marido espanca mulher até a morte na frente do filho de sete anos
tv.r7.com/record-play/balanco-geral/videos/marido-espanca-mulher...

Pastor evangélico espanca a esposa na frente da filha ...
shalomairan.blogspot.com/.../pastor-evangelico-espanca-esposa-na.html

Marido mata esposa na frente dos filhos em Glória do Goitá
jconline.ne10.uol.com.br/canal/cidades/policia/noticia/2015/12/14/...

Gente como você é cúmplice desse tipo de monstro, porque imagine!, se isso vai acontecer numa família tradicional com papai e mamãe, essa menina é que é uma vadia mentirosa, essas meninas de 10 anos hoje em dia não são mais inocentes, blábláblá famílias são perfeitas, essas coisas não existem, é tudo mentira de feminazi pra destruir a família tradicional, blábláblá...


18:47 uau cara, que coisa horrível pra se dizer, vou chorar... zzzzzzzzzzzzz

Esses trolls que nunca saem do jardim de infância... não tem a menor graça discutir com eles.

Anônimo disse...

17:53, se você concorda que o que não pode é proibir/fazer chantagem emocional caso a criança comece a divergir da sua religião, então na verdade concordamos. Eu mesma sou atéia, e se tiver filhos vou criá-los "sem religião". Mas se um dia eles se mostrarem curiosos pra frequentar uma, vou dar condições para que eles possam fazê-lo. O que entendi do post é isso: não force a sua religião (ou falta dela) goela abaixo dos seus filhos.

Anónimo disse...

Isso não condiz com a vdd,tive vários comentários super lúcidos que não ofenderam ninguem apagados...mas fazer oque eh assim que funciona esse lugar,ACHO q daqui a pouco esse vai ser apagado tbm....ou não ;D

Anônimo disse...

Cadê o mimizento do Lola-ditadora-apagadora-de-comentários pra defender a permanência dos comentários chamando a titia de chata, boba e cara de mamão? Pq realmente, essas ~opiniões~ divergentes esclarecedoras têm msm q ficar aki, né?

Gente, vocês querem formar família papai, mamãe e filhinhos? Perfeito, arranjem alguém que quer formar uma família assim tb. Só n encham o saco "aiiiin, mas e a moral e os bons costumes" de quem tiver uma configuração familiar diferente.

Anônimo disse...

orgulho de ser da maçonaria,

pisei na igreja católica q por séculos nutre inveja por essa minha instituição digníssima e nos pastores evangélicos q são nossos capachos, rsrsrs

Anônimo disse...

Orgulho de ser maçom/fazer parte da maçonaria, pq:

humilha a igreja católica q só sente inveja e recalque e é cada ano mais irrelevante, ao contrário da gente, q comandamos setores como a política, mídia e forças armadas (e quiçá até o papa/vaticano)

fazemos os pastores e os demais evangélicos de capachos. Vou contar um segredinho: vcs sabiam q muita igreja evangélica é aberta (até de maneira não muito legal/regular), pq a gente é quem permite e determina? Q muitos pastores grandes e famosos tem q nos obedecer e uma parte do q a igreja arrecada de dízimos e ofertas vão pra nossas lojas? Rsrsrs

Anônimo disse...

Falando em cantada de rua, a religião resolve o problema.

https://m.youtube.com/watch?v=mgw6y3cH7tA

titia disse...

19:52 ou seja, pra você o problema é que a mulher é a culpada do assédio que sofre por... ser mulher. Que crime, hein? Então, sua vadia, cubra-se da cabeça aos pés e finja não existir pra que os pobres homens não sejam provocados por sua simples existência e não cometam uma violência contra você. Então, basicamente sua solução pro assédio é trocar um tipo de violência machista por outra.

Eu sugiro você ir chupar uma piroca. Ocupará sua boca e seus dedos pra que você não possa cagar por eles vai te ensinar a fazê-lo pelo lugar certo.

Anônimo disse...

Fui batizada aos 4 anos e não faço a mínima idéia do pq já que boa parte das pessoas é batizada ainda bebê.
Só sei que todo mundo dizia que era um momento especial, que seria um dia divino, que eu ia receber o espírito santo e que isso ia me trazer coisas maravilhosas e etc. E eu ao ouvir toda essa lorota, fiquei com a expectativa lá em cima esperando que algo realmente mágico acontecesse.
Mas aí na hora h, com um vestido branco todo pomposo bem maior que meu corpinho magrelo, apenas jogaram uma aguinha qualquer na minha cabeça e...ahhh só isso? Isso que é ser batizada? Que frustração! E enquanto via minha espectativa sumir, geral berrava de felicidade!
A alegria era tanta que ganhei uma bonequinha de presente e minha avó fez feijoada pra toda a família e amigos.
Enquanto todos comiam e bebiam super felizes, fiquei num canto com cara de cu segurando a boneca sem entender que merda era aquela.

Anônimo disse...

AOs 8 me empurraram pro catecismo e como odiei! Pra começo de conversa a igreja fica mt bem perto da mina casa, mas tinha que acordar cedo no sábado pra assistir àquelas aulas sem nexo, numa época em que acordava cedão todos os dias pra ir pra escola. Queria acordar tarde no sábado, mas o catecismo atrapalhou isso, logo comecei a odiar o catolicismo. E olha que ainda não sabia das atrocidades que ela cometeu no passado.
As aulas eram sem sentido e ainda tinha prova valendo nota pra piorar. Como estudar pra algo que não tinha nexo? E pagando a igreja pra ter essas aulas e comprando o livro didático.

Mas algumas aulas me marcaram.
Uma delas qd passaram um vídeo da história de adão e eva em que achei que era apenas um conto de fadas religioso. Só mts anos depois é que fui saber que tem gente que acredita naquilo. Fiquei chocada.
Outra foi qd a tia catequista disse que todos são pecadores por nascerem nus e que nu é proibido pq é pecado. Aquilo nunca entrou na minha cabeça pq ninguém nasce vestido e nu é natural. Mas infelizmente passei um tempinho acreditando nessa bosta e cheguei até a reprimir um amiguinho de 6 anos que ficou babando num outdoor enorme com uma mulher nua numa pose erótica. Achei pecado aquilo, mas hoje em dia sei que era machismo mesmo ao por a mulher daquela forma.

E o preconceito? O racismo e o elitismo naquela igreja eram enormes. As catequistas não queriam mas crianças negras das favelas vizinhas mali pq eles achavam que elas eram mal educadas e sujas.
Na missa das crianças do catecismo, o único garoto loiro de olhos azuis sempre era escolhido pra colher grana dos fiéis pq ele tinha cara de anjo enquanto que as demais crianças sempre pediam pra ser o anjo e as tias nunca deixaram.
Minha mãe e outros pais foram reclamar e aí colocaram eu e as outras nas missas seguintes apenas 1 vez. No resto do tempo o menino loiro voltou a ser o escolhido.
Em outro momento havia uma procissão em que as crianças tinham que ir vestidas de anjo com um vestido de cetim. Minha mãe qd foi perguntar qual tecido era usado na fantasia, foi mal respondida pq por ela ser negra, a tia achou que ela era pobre! Minha mãe deu um puta fora na mulher.

O dia mais feliz desse tormento todo foi a 1ª comunhão. Finalmente estava livre até pq à partir daquelas aulas escrotas, me tornei atéia.

Anônimo disse...

"Pela minha experiência pessoal, religião não melhora alguém, pelo contrário -- eu me tornei uma pessoa melhor quando DEIXEI a religião."

Li só as primeiras linhas e já vi quem vem merda/senso comum/raciocínio generalizante logo abaixo. Se funciona de um jeito pra ti não significa que funciona do mesmo jeito pra todo mundo, né. Vamos usar o cérebro?

Anônimo disse...

Agora terminar de ler o resto e venho dar minha opinião. Vamos ver se muda algo da primeira impressão.

Anônimo disse...

Terminei de ler. Comentário da Titia é isso aí mesmo que já falei, bem evidente o raciocínio indutivo (i.e. generalizante) da mesma. Ela diz que pra ser cristão só com lavagem cerebral desde a infância, mas os adultos convertidos por aí podem dar uma boa resposta. E não falo dos que se converteram ao suposto "cristianismo" definido nas palavras dela, outra insinuação generalizante. Enfim, só o que vejo nesse comentário é alguém com muito ódio querendo falar mal de outras pessoas que também tem muito ódio tsc. Comentário da Julia legal, interessante, a parte de jogar a Bíblia no lixo tá ok né, se não é tua religião e está em um momento/local íntimo não tem porque ficar guardando um livro que não significa nada pra ti. Sobre o comentário da Lola, já conhecia a história da fase de freira na juventude, só acho que a freira que respondeu que bebês não batizados vão para o purgatório deveria estudar mais a parte da teologia católica sobre salvação hein, porque isso não é verdade. Bonita a história da Maria Cristina, que bom que seus filhos cresceram assim, mas novamente não podemos generalizar pra nenhum dos dois lados (filhos com e sem religião) e dizer que "a vida sem religião faz muito mais sentido" somente por causa de uma experiência pessoal. Nesse caso o mais adequado seria especificar para quais vidas isso faz mais sentido (i.e. sua vida, a do seu marido, a dos seus filhos). No mais, concordo com o último comentário da anônima. O importante é a criança/jovem ter liberdade para conhecer outras religiões, mesmo que sua família já seja praticante de alguma. Afinal, se a família tem tanta fé de que está praticando "a verdade", não é o fato de conhecer outras religiões que vai desviar a criança/jovem de praticar "a verdade" no futuro.

Anônimo disse...

E se porventura a criança/jovem se desviar da suposta "verdade", é culpa da família/comunidade que não estava praticando "a verdade" mas sim praticando a hipocrisia, uma religiosidade corrupta/falsa. Porque boa parte das pessoas que se afastam espiritualmente de uma religião na qual foram educadas desde a infância, se afastam por motivos relacionados a hipocrisia. Elas se desencantam porque veem que o que a religião prega não é o mesmo que as pessoas fazem, e isso logicamente não é praticar "a verdade", mas sim uma visão corrompida da mesma. Nesse caso resta ao jovem/adulto procurar "a verdade" em outra religião (ou em nenhuma, porque não?), e tem todo o direito de fazer isso.

Mikaela T. disse...

Amén, Bizzys! xD

Anônimo disse...

Por isso meus filhos são criados no satanismo.
Nosso senhor Satã é maravilhoso. Não te obriga a fazer nada,como muitas religiões fazem por aí.Não tem sofrimento, nem sangue,nem dor.

Unknown disse...

hm, muita coisa interessante pra comentar.
uma coisa que sempre me intriga e: por que, no Brasil, quando se fala em "religião " a maioria das pessoas pensa automaticamente em cristianismo? eu sou bastante religiosa e nao sou cristã. e vejo muita gente "bugar" com isso, rsrsrs. ja teve ate amiga me dizendo que eu era "mais crista que muitos cristãos que ela conhecia" achando que tava elogiando.....rsrsrsrs.
hm, sobre o primeiro comentário (o de ser impossível criar filhos sem religião quando a religião e uma presença diaria na sua vida), acho o seguinte : assim como vc nao esconde de seus filhos que gosta de ouvir rock ou ler livros de suspense (ate pq os cds e livros estarão na sua estante....) voce nao precisa esconder dos seus filhos que tem uma religião. agora, isso e TOTALMENTE diferente de converte-los desde pequenos sem levar em conta a vontade deles.
por exemplo, aqui em casa, eu sou pagã, meu companheiro e agnóstico (cre em uma forma divina mas nao segue religiao. a familia cristã dele nao entende e diz que ele e ateu, rsrsr) e nos optamos por criar nossos filhos sem religião.
quando viemos morar juntos, eu perguntei a ele se ele toparia fazer uma cerimônia pagã , pq era importante pra mim. se ele tivesse dito "nao", eu teria respeitado e aberto mao. mas ele concordou e assim nos casamos em um handfasting.
eu tenho um altar em casa. faco pequenos rituais nos esbats e sabbats e frequento um Círculo de Mulheres. vou ter como "esconder " isso dos meus filhos qd forem maiores? claro que nao. agora, vou leva-los as reunioes do circulo ou convida-los para os meus rituais? so se eles me pedirem EXPRESSAMENTE -e so quando tiverem idade e discernimento suficiente para isso!
meus pais eram católicos praticantes. me batizaram e tal, mas so me levaram a missa quando eu PEDI, com todas as letras, aos 5 anos de idade. So me botaram no catecismo tb qd eu pedi, aos 8. e, alguns meses depois, qd eu quis sair pq nao concordava com o que estava sendo ensinado la (nao curtia muito aquela ideia de "a Terra e horrivel e a vida so e boa quando vamos para o Paraiso) eles respeitaram a minha decisao. jamais fiz primeira comunhão - e nao houve qualquer problema quanto a isso.
mais tarde, aos 20 anos, conheci o paganismo e me "converti" (palavra estranha na nossa religião, que fala principalmente em liberdade de pensamento, mas enfim, foi mais ou menos isso, rsrrs). meus pais respeitaram e minha mae ate se interessou pelo assunto, leu um pouco a respeito e achou interessante.
ninguém disse nada qd eu montei meu altar no meu quarto.
no paganismo, nos nao iniciamos crianças (somente pessoas em condições de consentir). assim sendo, nao fiz qualquer tipo de batismo com meus filhos (so um ritual de proteção para o parto).
acho que isso e criar sem religião. ou seja: e perfeitamente possível ser religioso e nao criar seus filhos com religião. ;)

Maria Fernanda Lamim

titia disse...

22:40 se você usasse o cérebro, porífero, teria se ligado que o que está ali é minha OPINIÃO PESSOAL - baseada na MINHA experiência com gente religiosa. Não é senso comum não, foi o que ME ACONTECEU, mas eu sei que vocês religiosos odeiam qualquer um que se atreva a dizer umas verdades sobre as manipulações e lavagens cerebrais que vocês fazem; se as pessoas que estão fora descobrirem como o esquema funciona, de que jeito vão atrair mais otários, ops, fiéis pra encher o rabo de grana?

23:12 ô mula acéfala, você ao menos LEU a parte que dizia que é minha EXPERIÊNCIA PESSOAL - ou seja, o que ACONTECEU DE VERDADE comigo? Ah, claro que não né, imagine, se alguém fala mal de religiosos está mentindo, eles não são manipuladores que atacam as pessoas frágeis e não usam táticas de relacionamento abusivo pra te prender, nem fazem lavagem cerebral pra que você se sinta superior aos outros só porque está no clubinho deles. Te contei que aqueles religiosos nem mesmo permitiam amizades de fora do círculo deles? Que "descrentes" não serviam nem pra amizade? Mas claro que é mentira, imagine se uma pessoa religiosa faz isso!

Troll maníaco por datas das 23:10 eu falei isso pra um troll que disse que se a mulher está incomodada com assédio, ela deve se cobrir dos pés à cabeça e fingir não existir pra não provocar "uspóbriszomis" abusadores. Vá fazer companhia a ele já que estão tão desocupado que vem reclamar do tratamento que eu dou a trolls no blog. Vão chupar um ao outro pra confortar a tristeza que vocês sentem ao verem uma mulher mandando dois machos irem se lascar.

Tá vendo como é a sociedade? Você não pode falar nada de macho nem de religioso (ainda que seja a mais pura verdade) que já vem um exército defende-los. Depois vem esse povo em falar em heterofobia e cristãofobia - enquanto mulheres morrem fazendo abortos ilegais por causa das igrejas e nem 10% dos estupradores vão pra cadeia.

Elvis disse...

Achei muito boa a sua analogia com Nutela. Porque a Nutela é ótima! Se eu tivesse um filho pequeno, daria Nutela para ele desde cedo, e se ele não gostasse, eu deixaria bem claro como eu ficaria triste por ele não gostar de Nutela e diria que pessoas boas adoram Nutela, não tem como uma pessoa ser boa e não gostar de Nutela. Mais hora menos hora, meu filho abraçaria a Nutela, mas não o forcei a nada, só mostrei o caminho certo. Se anos depois ele tivesse diabetes e colesterol alto por comer muita Nutela desde cedo, não é culpa da Nutela, aliás essas doenças nem existem, isso é coisa de gente sem Nutela no coração.

Analogia perfeita!

Ana Carolina Serrao disse...

É o Jó né?
Realmente, hoje em dia analisando essas coisas que me eram impostas na infância, eu vejo o quão doentias e irracionais eram tais estórias.

Flávia disse...

A anônima só tá agindo como a maioria dos pais, o filho é propriedade deles e só vão ser respeitados depois de grande, enquanto for criança vai ter que engolir o que eles quiserem.
A crença é dela mas quer impor ao filho, ninguém precisa frequentar uma igreja pra ser uma pessoa decente, isso é desculpa pra obrigar a ir na igreja, porque só lá será uma pessoa de bem... vide pastores ladrões, pedofilos, crentes intolerantes...
Eu sou espírita , se eu tiver um filho, ele só vai seguir se quiser, n vou forçar ele a ir com a desculpa de q é só pra conhecer, mimimi virar pessoa de bem, mimimi inferno...

Anônimo disse...

Maria Fernanda Lamim

me fala mais sobre a sua religião (neo)pagã, é tipo wicca ou druidismo? Me conta, tem algum site, blog, coisa parecida? me interessei

obrigada

NATTRAMN disse...

meus merdapais sao cristãos e contribuem para a violencia contra mulheres. em 2010 e 2016 agora eles me internaram no hospicio e jogaram no lixo da rua 10 facas, canivetes, pes de cabra e martelos que eu costumava comprar, no lixo da rua bandido pega e usa contra mulheres, matando ou assaltando. cristãos sao misoginos asquerosos nojentos

Anônimo disse...

Alguem escreveu que quem estamos escrevendo sem pensar com a cabeca de alguem que tem religiao.
Eh verdade. Concordo.
Sou a Anonima de 1 de abril de 2016 13:22
e eu sei que eh dificil para as pessoas que tem religiao (e vivem intensamente dentro de uma) criar um filho fora dela.
Foi o caso dos meus pais. So que a religiao so me trouxe nao me trouxe nenhuma coisa boa na vida (exceto uns amigos da igreja que ainda mantenho, mas sao poucos). Eu amo muito Deus, mas esse amor nao eh vinculado com nenhuma religiao.


Ha algumas semanas atras aconteceu uma tragedia na vida de uma pessoa querida minha. Como eu moro MUITO longe, eu nao poderia ir ve-la naquele fim de semana. Mas fiquei em casa triste. Liguei para uma amiga para sair pra comer alguma coisa, disse que so queira desabafar ou que ela poderia vir na minha casa...eu so queria conversar. Sabe o que ela me respondeu ? Que ela tinha que ir na missa, e que depois estaria cansada...pra gente combinar outro dia.

E mais ainda, na epoca que eu era da igreja. Meus pais me ensinavam a fazer a mesma coisa. Se alguem me convidasse pra alguma coisa no horario da missa, era pra eu convidar a pessoa para ir a missa comigo (claro que nao funcionou, so me afastou da igreja, mas o Deus que eu sentia dentro de mim nao me queria assim)

Anônimo disse...

Lola, isso de criar só vale pras cristãos ou vale pra outras crenças tradicionais como o judaísmo? Gostaria de um post seu falando sobre a sua experiência judaica como você foi criada, se isso te fez mal, te fez intolerante crescendo se achando um povo escolhido etc faça um post sobre isso.. Seria bem interessante

Anônimo disse...

Eu cresci em um lar pentecostal, onde minha mãe e minha avó sempre me levava aos cultos da Escola Dominical.Naquela igreja onde não podia cortar os cabelos, e as senhoras usavam coques e anáguas por baixo das saias.Mas nem por isso segui a religião depois de adulta.Nunca me batizei,(nessas igrejas vc só se batiza a partir de 12 anos)não vou aos cultos, enfim, sou uma pessoa sem religião.Minha irmã mais velha também não tem religião, e a do meio é umbandista.E por incrível que pareça, minha mãe continua sendo da mesma igreja, é missionária e diaconisa.Criar os filhos em uma religião, não quer dizer que os mesmos vão segui-la, ou tornar-se-ão fanáticos religiosos.Eu creio que a maioria que aqui comentam deve ter sido criado em lar religioso, porém optaram pela não religião.

lola disse...

Já fiz este post, anon das 19:03. Não sou judia. Não sei nada de judaísmo. Leia aqui.

Lúcio Oliveira disse...

Só um detalhe na comparação entra a freira e a muçulmana: uma é voluntária a se cobrir, a outra é OBRIGADA sob risco de vida se não cumprir a determinação.

Aline disse...

Não necessariamente, Lúcio. Nem todos os países de religião muçulmana obrigam que as mulheres cubram seus cabelos. Além disso, existem mulheres que moram em países laicos, como França e canadá, por exemplo onde elas não só optam como tambéem lutam pelo direito de cobrir seus cabelos/rostos. Inclusive, durante as eleiçoes aqui no Canadá, no ano passado, houve uma grande discussão sobre as mulheres poderem ou não votar com o rosto coberto e muitas mulheres muçulmanas lutaram pelo direito de ter sua religião e opçao respeitadas. Elas não são ignorantes ou vítimas sem voz, são pessoas comuns, inteligentes e articuladas.

Não sei se foi mencionado anteriormente, pois não li todos os comentários, mas há também entre as comunidades judaicas ortodoxas, mulheres que cobrem seus cabelos com perucas ao invés de lenços. Em Montreal esta comunidade é bem grande e não é incomum vê-las nas ruas.

Bom domingo a todos!

Anônimo disse...

anon que me perguntou sobre a minha religiao: o paganismo e bem livre, engloba a wicca, o druidismo, o reconstrucionismo celta e helenico, os cultos nordicos, entre outros.
algumas coisas nos unem: o culto ao Sagrado Feminino em suas diversas formas,o politeismo, a ligaçao com os ciclos da Natureza, e o fato de nao haver lideres e seguidores (existem sacerdotes e sacerdotisas iniciados, mas eles nao lideram um "rebanho", como no cristianismo).
as praticas de cada grupo diferem um pouco.
existem inumeros blogs, e so googlar algo como "neo paganismo" e voce tem acesso a muito material.
eu nao tenho uma linha muito definida, mas nao sou praticante de magia como a galera da wicca. vejo o paganismo como filosofia de vida e pratico alguns rituais particulares, alem de frequentar o Circulo (que tambem e misto em suas crenças).
espero ter respondido ao seu interesse! :)

Maria Fernanda Lamim

Josiane Caetano disse...

Eu simplesmente AMEI a comparação da Nutela.O da resposta, é claro.Arrasou!

Josiane Caetano disse...

Eu simplesmente AMEI a comparação da Nutela.O da resposta, é claro.Arrasou!

Anônimo disse...

Se partirmos do princípio que uma célula é milhares de vezes mais complexa que o mais complexo computador existente e que temos bilhões de celulas funcionando conjuntamente e harmonicamente ....precisamos ser muito idiotas para acreditar que tudo isto evoluiu do nada embora não consigam os explicar o que é o nada.É fácil então falar que esta evolução durou bilhões de anos porque ninguém vai comprovar.A religião são formas diversas de se louvar o nosso criador seja qual nome vocês dêem... o fato é que se imaginarmos tudo sem uma inteligencia superior por trás por que nos submetermos as leis que nós mesmos criamos?Por que não nos matamos uns aos outros para ver quem é o melhor?Uma sociedade só existe se existir uma hierarquia. A moça ai em cima a Andressa já não era melhor quando entrou na religião e saiu dela pela incapacidade de melhorar com o que na religião se aprende.E não é porque ela saiu que as religiões vão acabar basta apenas uma doença e o medo da morte a fará mudar e ai sera mais uma dando testemunhos.Se no momento as pessoas se acham independentes de Deus .Eliot ficarem caladas porque aqui ninguém vai acompanhar a vida de ninguém para ver suas opiniões no futuro.A Bíblia diz...se não for por amor sera pela dor...então sejam mais humildes e menos pseudo intelectuais para no futuro não fazer o que vejo muitos fazerem na TV arrependidos

Anônimo disse...

Acho que é um absurdo criar crianças com religião. Não precisa de um deus pra explicar tudo. Só as leis da física e ciência já são o suficiente.
Criar os filhos na base do "faça isso ou irá para o inferno" é no minimo patetico, não se deve fazer o bem para ter uma recompensa. Sou ateia e faço o correto, faço o correto não pelo fato de querer ter vida eterna, sim pq sei que alguns atos trazem dor para a pessoa que foi prejudicada e para sua família.
As pessoas devem fazer o bem, respeitar o próximo, serem educadas, falarem as palavrinhas mágicas, respeitar os mais velhos, não roubar, não matar, não criticar sem saber, não xingar gays, não falar mal de gordo, não ser racista, pelo fato de ser o correto, não porque Deus irá castigar.
Não acredito que religião seja algo necessário, mas já percebi que algumas pessoas NECESSITAM ter alguma religião, necessitam apoiar em algum Deus, em santos para entender a vida, sei lá, para se sentirem bem, eu respeito, sabe? Mas também acho que devo ser respeitada por não crer em nenhum Deus, será que é pedir demais?

Anônimo disse...

É verdade, tenho que concordar com você sobre a lavagem cerebral que os religiosos tem feito na mente das pessoas, afinal percebo que muitas são apenas vítimas como foram no passado diante da inquisição católica onde tudo era proibido, e nada de novo poderia ser dito sob pena de ser morto pelos inquiridores!Acredito que tenha sido um dos piores momentos da história religiosa humana, um período negro onde a liberdade humana de expressão foi cortada e deixava todos à mercê de religião estado politico da época.Nos nossos tempos a religião continua a oprimir e manter cativa às pessoas até mesmo chegando ao ponto de extorqui-las em nome de Deus!Uma desonra e um verdadeiro atentado à nossa liberdade de expressão e ao nosso direito de fazer escolhas!Lamentável que ainda hoje pessoas se deixem dominar por este tipo de pessoas que se fazer de santos e devotos a deus, mais que no fundo seu desejo é apenas oprimir o próximo!

Anônimo disse...

Lola, obrigado por seus esclarecimentos, essas mentiras sobre você sempre são espalhadas e acabamos acreditando.. O anon da pergunta

Camila S. Brenner disse...

Eu sou uma pessoa crente (leia-se acredita em Deus, não evangélica), mas não tenho uma religião definida, nem meu marido. Meu pai é católico meio praticante, e minha mãe evangélica.Eu tenho um filho de um ano e optamos por não batizá-lo, para horror de alguns amigos e parentes. Como nós acreditamos em Deus, ele terá sim uma base religiosa, eu o ensinarei o que sei, lerei a Bíblia pra ele, explicarei o que eu souber... Mas eu penso que para seguir uma religião, você tem que se "entregar" de corpo e alma, acreditar naquilo e praticar aquilo. Como eu não consigo concordar com algumas atitudes religiosas, eu prefiro não acatar nenhuma. Eu nunca fui criada com medo de ir pro inferno, muito pelo contrário, pra mim sempre foi falado que Deus é amor... acho um pouco exagerado a visão que algumas pessoas tem, a gente sempre fala pra não ficar generalizando mas chega a hora de falar de religião e vocês jogam todas as pessoas num mesmo balaio, como se todas fossem pastores safados que usam o dinheiros dos fiéis em benefício próprio... enfim...

Murilo disse...

Gosto de Nutella e quero que fulano, meu grande amigo experimente. Posso forçar fulano a experimentar só porque eu acho boa a tal da Nutella?

Anónimo disse...

Então não fala bosta de como as pessoas são criadas ok?Temos atitudes diferentes pq somos seres pensantes e não nascemos prontos,pensamos e repensamos ,erramos e uma hora chegamos a acertar para errar um pouco depois,entao minha filha,pensa direito antes de falar bosta