terça-feira, 12 de janeiro de 2016

MULHERES DANDO MOLE

Esses dias um mascu veio compartilhar mais uma prova de que eles não têm contato com a realidade.
Ele estava num supermercado, fazendo compras, olhando carne num freezer, e uma mulher, cliente como ele, falou algo com ele sobre a carne.
 
Conclusão óbvia do mascu: a vadia estava querendo dar pra ele. E, como mascu não é muito chegado, ele respondeu grosseiramente e foi embora. 

Joguei isso no Twitter e recebi respostas instigantes de como muitos homens confundem a gentileza das mulheres (somos educadas para sermos gentis, principalmente com os homens) com "ela está super a fim de mim".
 
E sabe, de repente uma mulher falando de um pacote de picanha no supermercado só está mesmo interessada no pacote de picanha, ô mascuzinho arrogante.

74 comentários:

Anônimo disse...

Muito engraçado o 1o quadrinho kkk, eu lembrei do amigo do Chris: cara ela tá tão afim de vc.

Anônimo disse...

Aconteceu algumas vezes comigo e na maioria das vezes eu estava sendo só simpática, outro dia cedi lugar a um rapaz e ele ficou achando que eu tava interessada, a gente acha engraçado, mas sabemos que eles saem se achando.

Anônimo disse...

Pode ser até que role aquela paquera em lugares como mercado ou cinema, mas o problema é que esses caras se acham e muitas vezes sem razão, aposto que eles ainda ficam reclamando da feia que perguntou as horas pra ele ao invés de ser a boazuda.

Anônimo disse...

Mas se as mulheres forem grossas pra deixar claro que não querem nada esses mimizentos também vão reclamar...

Anônimo disse...

Olha o delírio do mascu 17:54 provando que mascu não entende MERDA NENHUMA de mulher. Acham que todas estão loucas atrás da piroca podre dele e morrem pela aprovação desse babaca-e tudo isso porque uma mulher que ele considera feia (mas o homem de verdade que ela pega não) perguntou educadamente alguma coisa sobre o preço da carne, tentando ser amigável com o vizinho bizarro e esquisito pra ver se ajuda o coitado a acordar pra vida. Eu morro de rir com essas deliradas mascus.

Anônimo disse...

18:02 é que como as mulheres são ensinadas a ser educadas com homens, elas se fazem de tonta pra se livrar de você ao invés de te mandar tomar no cu.

Anônimo disse...

Tem homens que são doentes mesmo... Você não pode ser legal com eles porque você é uma pessoa legal? Qualquer coisinha pra eles já é interesse sexual da nossa parte, credo.

Anônimo disse...

Ah... me lembro de uma situação dessa:

Cara me pergunta onde fica a plataforma de trem que ele tem que pegar.
Peço para ver a passagem dele, vejo para onde ele quer ir. Mostro onde fica a plataforma.
Cara me pergunta - Do you wanna go out with me??
Atônita, boquiaberta, com cara de incredulidade, e me esforçando para acreditar que eu não tinha ouvido aquilo:
Eu: WHAAAAAAT??
Cara: Go out with me...
Eu: =0 Nooooooooooooooooooooo!!!!!
cara: Why?
Eu: ainda com expressão =0 viro as costas e vou embora...

A falta de noção e civilidade de alguns homens é algo que vai me chocar até o fim dos meus dias.

Jane Doe

Anônimo disse...

Esses caras que acham que a mulher tá a fim deles só pq fez alguma pergunta ou deu um simples "oi" são muito ridículos!
Se acham os fodões, mas elas nem sabem que eles existem.

Eu não fico igual um otário paquerando as mulheres na rua, aliás eu fico quieto, mas quando há uma química evidente da parte dela, só aí eu começo a agir. E olha que eu transo com elas passando longe do clitoris e mesmo assim ainda as faço ter um excelente orgasmo, elas sempre pedem bis.

Pra mim é muito simples: tem muito cara que não se enxerga, acha que está abafando sendo que a mulher nem notou que ele existe. Pra esses aí eu só lamento.

Anônimo disse...

Assunto interessante... vamos ver a coleção de comentários de otários (a rima é tão infame quanto eles) que vai aparecer aqui. O das 18:26 já é um exemplo. Nada comprova mais a insegurança de um cara do que ele 'explicar' sem ninguém pedir se é ou não bom de cama.
Experiência própria: esses são sempre terríveis, e é bem provável que tenha vergonha até de bater punheta sozinho no banheiro. #ficaadica

Anônimo disse...

18:25
O típico perfil de um cara que acha que qualquer mulher que tenha uma conversa normal com ele está dando mole é na verdade um coitado que quase não recebe atenção feminina e que está desesperado para conseguir alguém. Um cara "pegador" (player) sabe agir nessas situações e descobrir com sutileza se o interesse da moça é nele ou se ela quer apenas algum informação, ele faz isso sem parecer um psicopata que está deseperado por atenção até porque está acostumado a agir com mulheres desconhecidas.
Jogar na cara desses coitados que vocês não querem nada com eles só vai fazer com que eles fiquem com mais medo de agir perto de mulher e pode até despertar raiva contra elas (o que não é o que vocês querem).
A melhor forma de agir seria apenas agradecer o interesse, mas dizer que não gostaria de sair/ficar o q seja que o coitado esta propondo.

Anônimo disse...

Existem dois extremos ai, de um lado machistas que acreditam que um bom dia e um "convite para sexo" uma faltade respito com a familia e blah blah blah
De outro feministas que acham que um bom dia e uma "ameaça de estupro, que qualquer tipo de paquera e machismo e blah blah blah"

Porem as pessoas deveriam entender que outras pessoas quando estão a fim emitem sinais,saber lidar com recusas e seguir em frente, e saber lidar com o sim e não queimar etapas também.

Anônimo disse...

Olá. eu gostaria de saber das feministas heterossexuais aqui, como conheceram seus maridos, namorados peguetes emfim?
Em certo momento o cara demostrou interesse sexual, senão seria apenas um amigo e não nada disto que que citei em cima, acredito que não levou meses para isto eu acho, como foi?

Joana disse...

Hahaha.

Meus colegas de trabalho são assim! E eles não são mascus. Talvez machistas e em muito pontos completos idiotas, mas não mascus, rs. Fico chocada...

E preciso admitir que já vi mulheres agindo da mesma forma...

Acho mesmo é que temos uma boa quantidade de exemplares de narcistas com uma auto estima que eu até queria para mim se ela não viesse desprovida de bom senso.

Daiane Moreira disse...

Sou Enfermeira. Esse post me lembrou uma vez em que um paciente chegou pra eu avaliar uma ferida. Quando eu comecei a fazer perguntas, pra preencher um questionário padrão do prontuário, eu percebi uma mudança de comportamento do paciente. Eu fiquei me perguntando qual o problema, até que eu percebi que o sujeito achava que eu estava dando em cima dele e ele "tentando me corresponder". Foi ridículo e constrangedor. Mas felizmente eu consegui contornar isso e mostrar pro indivíduo que, fazer perguntas, era uma etapa do atendimento. Eu acho que ele entendeu.

Anônimo disse...

Mulher paquera? Como fazem isto? Eu nunca vi.

Jackeline disse...

Engraçado como isso às vezes começa cedo neles. Lembro até hoje de um moleque quando estava na sétima série, que eu não podia nem olhar na cara que ele já ficava transtornado. Se eu falasse com ele então, ele surtava (ele me achava feia, por isso tinha uma reação agressiva ao invés de ficar felizinho e se achando hahaha).
Sem contar nos "amigos" homens que precisam que você soletre pra eles que vc só gosta deles como amigos.

Anônimo disse...

Estava no último ano do ensino médio. Havia uma garota que às vezes conversava comigo nos intervalos. Ela me cumprimentava também. Eu, como típico "mascu" interessei-me, afinal ela era bonita e simpática. Todavia, sempre fui comedido com mulheres pois, havia o receio de causar todo este mal estar que vocês citam. Desta forma, nunca direcionei-me a ela com outras intenções, nem tampouco ela. Poucos anos depois, a amiga desta garota, confidenciou-me que ela nutria um interesse por mim. Culturalmente, para algumas mulheres, ainda é atribuição do homem tomar a iniciativa e, no meu caso, perdi a oportunidade de relacionar-me e provavelmente, taxado de gay(não que seja ruim ser gay).

Camila Gois disse...

Isso acontecia comigo o tempo todo na adolescência! Era muito desagradável, então logo no início da conversa, eu já dava um jeito de dizer que tinha namorado. Muitas vezes nem estava namorando, mas inventava que estava, só para tentar diminuir o assédio dos sem noção... Era tipo assim: Você tem horas? Estou esperando meu namorado... rsrsrsrsrs...

Anônimo disse...

Isso tb acontecia direto comigo, eu tb sempre inventava que tinha namorado, sempre que percebia que estavam me interpretando errado. Tem homens que um simples sorriso de bom dia, ou de agradecimento, já acha que estou dando mole.

Anônimo disse...

Vocês duas tem sorte, na minha adolescencia, a maioria das vezes que achavam que eu estava interessada era tratada super mal. Eu até evitava olhar direto para os meninos, com medo.

Anônimo disse...

19:10
Eu conheci meu namorado na faculdade. Ele era monitor da matéria que eu estava cursando, paqueramos um cadinho (só eu que acho "paquerar" uma palavra engraçada?) e depois começamos a namorar.
Mas calma, economiza o texto em que você me explica VIU, SÓ É ASSÉDIO SE O CARA É FEIO E POBRE, SE FOR ALFA RICO VIRIL É PAQUERA e lalala.
É assédio quando a mulher demonstra que não está gostando e o cara continua. É assédio quando o cara sequer tem intenção de ficar com a moça mas quer constrangê-la (cof cof, cantada de rua).
Resumindo, quem decide se é assédio NÃO É VOCÊ. Não importa se você "se sentiria honrado" na mesma situação, a moça se sente constrangida. Ponto. Você tem que respeitar isso. "Ah, mas aí o Fulano deu mole pra ela e ela correspondeu o Fulano, só porque ele é mais rico/bonito/sociável que eu!" Pois é, as mulheres têm direito de escolher com quem elas ficam, e essa simplesmente não quis ficar com você. A parte do "só porque sou pobre/feio/tímido" é baixa autoestima sua. Psicólogo ajuda, não ficar de mimimi jogando a culpa no feminismo.

Anônimo disse...

"Culturalmente, para algumas mulheres, ainda é atribuição do homem tomar a iniciativa e, no meu caso, perdi a oportunidade de relacionar-me e provavelmente, taxado de gay(não que seja ruim ser gay). "


Que irônico, acabo de ler no chan dos mascus uma história de um sujeito q supostamente perdeu um interesse numa menina e ficou com nojo dela pq ela tomou a iniciativa. Mascus são seres tão patéticos e sem inteligência não sabem nem o q querem e suas atitudes não têm nenhuma lógica. Vcs não possuem nenhuma habilidade social, carisma, simpatia, bom papo e desenvoltura pra chegar numa mulher e conquista-la e por isso, obviamente, passam a vida toda na seca, odiando mulheres. Mas se por um milagre do destino, uma mulher se interessa por vcs e toma a iniciativa, vcs ficam com raiva e nojinho. Vcs são nojentos, asquerosos e querem apenas um motivo pra descontar em alguém a frustração pelo fato de suas vidas serem tão podres, vazias e sem sentido. Merecem passar a vida toda na punheta, sendo execrados pela sociedade.

Anônimo disse...

"A melhor forma de agir seria apenas agradecer o interesse, mas dizer que não gostaria de sair/ficar o q seja que o coitado esta propondo."

agradecer o que?
pau no cu de machinho recalcado
tá bom que euzinha vou ter que validar as psicoses de um frustrado, eu heim

a melhor forma de agir é esses caras ficarem em casa PRA SEMPRE, home office tá aí pra isso (inclusive a Gol tá contratando, fikadika)

"agradecer o interesse"
quem fala isso acha que cantada é elogio
eles que se coloquem no devido lugar e as opiniões IDEM

Anônimo disse...

00:49
O cara já é um frustrado, você pisando em cima dele ainda vai gerar revolta na pessoa, não é uma coisa sadia de se fazer.
Veja bem, esse sujeito que acha que qualquer contato é dar mole não é mascu, não odeia mulheres, porque quem odeia já seria grosso de cara, nem tentaria dizer algo creepy para tentar ficar com a mulher.
O cara também não sabe como agir socialmente com mulheres, justamente porque não deve ter muito contato com elas daí ele interpreta qualquer coisa como interesse sexual nele, e age de forma esquisita. Um cara que já tivesse ficado com várias mulheres saberia como agir e obter uma resposta sem ser awkward.
Então provavelemente esse sujeito é um bunda-mole frustrado desesperado por mulher, porém sem ódio nenhum e de forma geral bem intencionado.
Você não ganha nada pisando num cara desses.

Anônimo disse...

Lola, que acha de divulgar?

Abaixo assinado para as mulheres poderem descer fora do ponto de ônibus depois das 22h. Já é lei no DF e querem transformar em lei nacional. Faltam umas 2500 assinaturas (meta é 10mil)

https://www.change.org/p/congresso-nacional-lei-nacional-para-que-mulheres-possam-descer-do-%C3%B4nibus-fora-do-ponto-depois-das-22h?recruiter=75821369&utm_source=share_petition&utm_medium=facebook&utm_campaign=autopublish&utm_term=des-lg-no_src-no_msg&fb_ref=Default

Anônimo disse...

Porque só as mulheres? Homem não é assaltado não?

@vbfri disse...

Mulher não gosta de sexo mas quer dar para o primeiro cara que aparece no supermercado.

Lógica zero.

E faculdade de humanas é só suruba (onde, meu Deus? Cinco anos de faculdade e eu nunca fui convidada pra nenhuma??? Why God????).

@vbfri disse...

" E olha que eu transo com elas passando longe do clitoris e mesmo assim ainda as faço ter um excelente orgasmo, elas sempre pedem bis."

Vê-se que a pessoa entende zero de anatomia e que não sabe que a mulher finge orgasmo.

Pedir bis é só ela dando a oportunidade pra ver se você faz melhor.

@vbfri disse...

Sobre como conheci namorado/marido etc.

1º namorado (virou marido, 1998): conheci através da minha mãe. Ele era técnico em informática onde ela trabalhava e ela o contratou para reformar meu computador. Somos amigos até hoje.
2º namorado (um ano após fim do casamento, 2006): através de um amigo de infância. Perdemos o contato por iniciativa dele.
3º namorado (um ano após fim do namoro n. 2, 2008): através de amigos em comum. Somos amigos até hoje. Aliás, ele é um dos meus melhores amigos.
Autal (4º) namorado (3 anos após fim do namoro n. 3, 2015): trabalho.

Anônimo disse...

isso é carência, não é exclusividade de mascu e nem de homens, é típico de ser humano, conheço e conheci mulheres que um simples "oi" era interpretado como uma cantada, uma palavra mais educada idem, simular na própria cabeça um interesse de outra pessoa é uma forma(enganosa) de melhorar a auto-estima, quando vem o não é um baque, mas uma pessoa normal supera e aprende com a situação.

Marcia Baratto disse...

Anônimo das 7:36, assaltados, certamente. Porém estuprados, muito raramente. Tem peculiaridades na violência sexual contra mulheres adultas que desencorajam a adoção da medida para ambos os sexos. Das vítimas adultas de estupro, 97% são mulheres. Nessa faixa etária o estupro acontece muito fora de casa, no caminho para o trabalho, escola ou lazer (é mais de 35% dos casos, segundo estatísticas mais recentes). Eu, infelizmente, já presenciei ao menos três mulheres nos últimos cinco anos sendo assediadas e ameaçadas de estupro no ônibus, se os homens também puderem descer fora do ponto, poderão escolher onde descer com vítima, ou seguir a vítima que desce fora do ponto. Não considero prudente. Descer sozinha fora do ponto (mas mais perto da sua casa) é uma vantagem para mulheres, por que os crimes de agressão sexual são mais demorados do que os de roubo, quanto menos tempo uma mulher levar para chegar em casa, menor é o tempo disponível para ela ser agredida. Com o crime de assalto, a dinâmica é outra. Para homens vítimas de assalto em pontos de ônibus, é melhor desenvolver soluções como os aplicativos que reúnem pessoas de uma região para usar os mesmos ônibus e combinar horários, cobra da prefeitura ampla iluminação pública (assalto diminui significativamente com ampla iluminação pública e presença de mais de duas pessoas no local) e, no mais, tratar dessa sociedade violenta e doente.

@vbfri disse...

Enquanto eu "rodei" você ficou batendo punheta.
Enquanto eu tive relacionamentos adultos, onde cada um teve a liberdade de escolher por onde ia, você se escandaliza com a liberdade feminina.
Enquanto eu nunca dependi de homem para pagar as minhas contas, você deve precisar de mulher para lavar até as suas cuecas.
Enquanto eu trabalho, estudo, faço muuuuuito sexo e tenho a autoestima elevada, você vem a um blog feminista, atacar anonimamente outras pessoas.

Na minha vida, a expressão "a porta da rua é a serventia da casa" sempre foi aplicada. Quando eu não quis mais estar num relacionamento ou o outro, sempre houve a liberdade para haver uma conversa e acabar com uma situação que não estava mais agradando a um ou a ambos.

Sem agressão, sem traição, sem ataques.

Horrível pensar que algo assim seja possível, né?

Homem, para estar comigo, tem que ser muito bem resolvido. Meu namorado sabe que eu escolho estar com ele todos os dias. E eu sei que ele escolhe estar comigo todos os dias.

Não me relaciono com pirralhos imaturos.

Anônimo disse...

Na maioria das vezes isso não é escrotisse machista, nem "psicose", como alguém disse aí pra cima. É só carência...

Mila disse...

Isso acontece muito aqui em Brasília, onde dizem os machos, as mulheres tem fama de mal-educadas. Eu tento ser educada com as pessoas, homens e mulheres, mas alguns a gente prefere vestir a carapuça de mal-educada.
Uma vez na balada, minha prima estava com um amigo. Sendo gentil, eu comprei um drink e ofereci para ela e o cara. No final da noite, ele já estava chateado pq eu "dei mole e desprezei". Outra vez, eu passava por um grupo de senhores que jogava dominó na praça. Como sempre via aquele grupo, passei a dar bom dia. Pronto! Não deu uma semana para alguns fazerem piadas de conotação sexual. Tem hora que tá difícil ser gentil.
E o contrário tb ocorre. Às vezes tem um amigo só tá sendo gentil em te oferecer uma carona, mas como a gente passa a desconfiar de tudo e todos, não dá certo, tem mina que fica com medo e tal.

Anônimo disse...

Mila, eu tbm moro em Brasília e é incrível como os caras acham as mulheres grossas, que não tomam iniciativa etc. Assim como vc, mesmo na balada e com sujeitos que mereciam, eu dizia que estava acompanhada, tentava não ser grossa.
Uma vez, só pra fazer teste, fui tentar paquerar um rapaz mediano na balada (observei se não estava acompanhado etc). Fui puxar um papo e o moleque reagiu com 10 pedras na mão. Nem insisti. Percebi que os que reclamam de mulheres grossas são grossos tb, então eles se merecem.

donadio disse...

"Olá. eu gostaria de saber das feministas heterossexuais aqui, como conheceram seus maridos, namorados peguetes emfim?
Em certo momento o cara demostrou interesse sexual, senão seria apenas um amigo e não nada disto que que citei em cima, acredito que não levou meses para isto eu acho, como foi?
"

Ai, ai. O profundo mistério de como relacionamentos afetivos podem começar sem que o homem diga à mulher algo como "aí gostosa! Afim de um picolé de macho agora?"

Minha primeira namorada conheci no bar da faculdade. Estava lendo uma revista (Isto É, que naquele tempo ainda dava para ler), quando levantei os olhos percebi que ela estava me olhando. Ela desviou os olhos imediatamente, eu fui sentar do lado dela e puxei papo sobre os assuntos do dia (a capa da revista era a morte do papa João Paulo I).

Outra namorada conheci no partido, éramos companheiros de núcleo. Não me lembro mais exatamente como evoluiu de um simples papo para um relacionamento sexo-afetivo, mas com certeza foi algo bem gradual, não envolveu um "momento mágico" em que eu disse para ela que queria transar com ela.

Outra namorada conheci no trabalho, morava mais ou menos perto de mim, ofereci carona, passei a dar carona quase todos os dias, um dia quando parei o carro em frente à casa dela, olhei pra ela, ela olhou pra mim, nos beijamos, ela disse algo como "eu estava esperando por isso". Claro que cada um de nós já tinha mais ou menos manifestado interesse no outro por diversas vezes.

Mais uma namorada, conheci na internet, ambos buscando ativamente por parceiro sexual, conversamos um pouco, marcamos um encontro.

Etc, etc. Enfim. É algo absolutamente tranquilo. Simplesmente "rola", como o pessoal diz. Se não rolar, é por que não rolou.

Ajuda prestar atenção ao que a outra pessoa está fazendo. Se ela demonstrar inúmeras vezes que está a fim de você, e você se fizer de desentendido, ela vai desistir. Se você tomar a iniciativa e ela recusar, e você insistir, ela vai te achar, na melhor das hipóteses, um chato. Se ela tomar a iniciativa e você recusar, ela vai tomar a sua recusa a sério, e muito provavelmente não te dará uma segunda chance.

Anônimo disse...

"Olá. eu gostaria de saber das feministas heterossexuais aqui, como conheceram seus maridos, namorados peguetes emfim?

Talvez seu mundo caia, mas entre eu e meu noivo nos conhecermos e começarmos a namorar foram 3 dias. Nos conhecemos na Internet e conversamos. Nos encontramos no outro dia e conversamos (sem pressão para namorar ou transar). No outro dia, ele disse que estava interessado e perguntou se o interesse era recíproco. Pronto. Pode voltar a formular teorias bizarras sobre ter que ficar anos para namorar uma mulher.

@vbfri disse...

@donadio

Sempre achei que vc fosse mulher... rs...

Foi mal aí se tiver trocado o/a quando me referi a você em posts anteriores.

Anônimo disse...

Eu antes ignorava completamente os homens. Não tinha quem me fizesse responder ou perguntar nada. Hoje, assim que uso minha gentileza, olho pra chão e saio correndo. Respeito eles, ajudo se puder, mas mais que isso não dá. Eu tinha uma amiga de faculdade que tinha um monte de caras atrás dela, e eu achava que ela tava errada e tinha culpa porque era muito solícita e usava muita roupa decotada (machismo em alto grau), mas depois que melhorei como ser humano, vi que os caras é que agiam errado com ela.


Dan

@vbfri disse...

Considerando que quem desdenha quer comprar, me pergunto se o mascutóide de plantão tá querendo a mim ou ao donadio ou simplesmente inveja a expressão da liberdade sexual.

Agora vai lá limpar seu piupiu que a mamãe já vai entrar no seu quarto com seu almoço.

donadio disse...

"Sempre achei que vc fosse mulher... rs..."

Vou tomar como um elogio... ;)

@vbfri disse...

@donadio

Tome como um elogio, sim.

Acho suas opiniões sempre bastante lúcidas e nunca vi nenhum mansplaining da sua parte (algo que vejo até nos meus amigos mais "feministas").

Beijo.

Camila Bezerra disse...

"E olha que eu transo com elas passando longe do clitoris e mesmo assim ainda as faço ter um excelente orgasmo, elas sempre pedem bis."

Não, filho, pare... melhore.

Anônimo disse...

"Talvez seu mundo caia, mas entre eu e meu noivo nos conhecermos e começarmos a namorar foram 3 dias. Nos conhecemos na Internet e conversamos"
_
na internet? Outro dia a Pag Feminismo sem demagogia fez um textão contra paquera na internet e redes soociais, dizendo que mulher não participa de rede social para achar homem mas sim socializar com outras mulheres e blah blah blah
Mas emfim:
Na balada também não pode, mulher vai pra balada pra se divertir com azamigas não pra arrumar homem, por isto dizem elas e melhor balada GLS para mulheres.

No trabalho nem se fala

Na faculdade colégio não pode, mulher ta la para estudar não para conhecer "omi".

Em local publico(Rua, praia,Metrô,supermercado) e crime inafiançável

Na academia não pode falar com mulher, elas tão para somente treinar.

Porque as feministas não criam logo um muro separando gêneros e decretam a extinção da raça humana de vez.

Anônimo disse...

Uma coisa que disseram antes e eu concordo plenamente: culturalmente as pessoas tratam como "tomar iniciativa" uma coisa de homem. Já cansei de ver amigas e conhecidas minhas reclamando de homem "frouxo", que não demonstra interesse na balada, dos tímidos que não tem atitude, etc. E aí, como proceder nesses casos? Essas moças sao validadoras do machismo?

Anônimo disse...

Olha eu vejo muita feminista afirmando que só existe orgasmo através do clitóris, respeito a vivência de cada uma, mas eu tenho sim orgasmos com penetração, ate porque o clitóris se estende por todo o corpo da vagina não fica sona pontinha, eu tenho orgasmo com estimulação clitoriana sim, mas também tenho com a penetração que e muito mais intenso, e muitas amigas minhas dizem o mesmo, outras dizem que somente quando estimulam o clitóris e algumas nunca tiveram orgasmo.
mas como disse antes respeito a vivência de cada uma, apenas quis desmitificar algo que tenho o ouvido há algum tempo.

Anônimo disse...

Já cansei de ver amigas e conhecidas minhas reclamando de homem "frouxo", que não demonstra interesse na balada, dos tímidos que não tem atitude, etc. E aí, como proceder nesses casos? Essas moças sao validadoras do machismo?

13 de janeiro de 2016 11:02
_
Mas obvio que sim, são validadoras, o machismo em que estão inseridas as fazem acreditar que assedio masculino e uma forma de cortejo, que faz bem ao ego, mas na verdade e assedio mesmo.

E Homem que fica na dele sem o que você diz "tomar a iniciativa" (assedio) não e frouxo e humano e sabe respeitar o espaço de outro ser humano..

Anônimo disse...

Pronto, tava demorando para aparecer validadora de machismo aqui defendendo penetração>


"eu tenho orgasmo com estimulação clitoriana sim, mas também tenho com a penetração que e muito mais intenso"


kkkkk, firmeza Alice, agora conta a vez que você seguiu o coelho branco na toca, kkkk

Anônimo disse...

10:56 ta claro que as mulheres não gostam de você, lide com isto arrume um Hobby sei la, mas deixe-as em paz, tu não tem nada de atrativo pelo seu depoimento e incomoda mulher em todo lugar,carisma e algo que a pessoa tem ou não tem, não adianta forçar que fica pior artificial, aceite que doí menos.

Anônimo disse...

Eita, agora tem gente querendo cagar regra até na gozada alheia.

Anônimo disse...

"Mas obvio que sim, são validadoras, o machismo em que estão inseridas as fazem acreditar que assedio masculino e uma forma de cortejo, que faz bem ao ego, mas na verdade e assedio mesmo.

E Homem que fica na dele sem o que você diz "tomar a iniciativa" (assedio) não e frouxo e humano e sabe respeitar o espaço de outro ser humano.. "

Perdoem-me, mas seguindo o raciocínio acima, nem eu nem ninguém aqui teria nascido. Imagino meu pai, o dia em que ele viu minha mãe,sendo humano e respeitando o espaço de minha mãe, com medo de ser taxado de estuprador, misógino, machista, não aproximasse dela.Do outro lado minha mãe, com medo de ser taxada de fácil, galinha,com medo do meu pai ser estuprador, misógino, machista. Pronto, nem a mulher nem o homem se aproximam.

Anônimo disse...

11:23 seu pai pegou sua mãe na rua assim do nada, ou a conheceu em um ambiente que a transmitisse segurança entre conhecidos em comum?

E pelamor saiam do Sec. 19, a reprodução humana já conta com meios científicos avançados não precisa mais da "iniciativa dos parrudos" para ocorrer, sem contar que o mundo já ta superlotadinho demais não acha, os recursos naturais já estão pedindo arrego.

Anônimo disse...

Nossa agora é regra: não pode ter orgasmo com penetração. Realmente a estimulação do clitóris é essencial mas gostar de penetração é validar o machismo agora ? Mesmo que na experiência da moça tenha sido prazeroso ? Realmente cagação de regra da gozada alheia.

@vbfri disse...

Lição básica de anatomia:

O clitóris não é uma bolinha, mas sim um órgão que assemelha-se a um pênis e que envolve boa parte do assoalho pélvico feminino (o ponto G, DENTRO da vagina, faz parte do clitóris).

Então, se você penetra, você está estimulando. Se você chupa a bolinha, está estimulando.

Entendeu o porquê de não ser possível você transar com uma mulher, penetrando-a, e "passar longe" do clitóris?

Cada uma que parece duas, viu?

https://www.google.com.br/search?q=clitoris+por+dentro&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ved=0ahUKEwi6ys71iKfKAhXLCpAKHVH2BWYQ_AUIBygB&biw=1233&bih=615

Anônimo disse...

Tem uns posts que o pessoal comenta de uma perspectiva tão limitada, eu hein?
Iniciativa não é igual assédio, 10:59. Pessoas normais paqueram outras sem incomodá-las ou constrangê-las. Alguns lugares onde as pessoas estão lá para socializar são mais propícios à paquera que outros.

Não deu certo? Bola pra frente. As pessoas se conhecem de inúmeras formas, seja procurando sexo nos aplicativos de pegação (ou mulher tem que ser virginal e não gostar de sexo - só lembrando que existe app de pegação pra todos os tipos de orientação sexual), seja num café, seja numa balada ou aquele amigo ou amiga de infância. Somos seres sociais, necessitamos de laços com os outros seres humanos ou não, e não, não formamos estes laços com intuitos necessariamente reprodutórios, se assim fosse, homossexuais não podem namorar/casar, muito menos casais inferteis. Não formamos laços com nossas famílias, ou amigos, ou animais, ou pessoas que queremos ter um relacionamento amoroso?
Se forem feministas dizendo isso, pensem com cuidado. Pensem se não estamos corroborando com os pensamentos dos conservadores da nossa sociedade nos limitando à biologia e à definição de papeis de gênero limitados a ela. Pensem se não estamos excluindo mulheres lésbicas, mulheres inférteis ou as que simplesmente não querem ter filhos pois não são máquinas de parir.

@vbfri disse...

"Pessoas normais paqueram outras sem incomodá-las ou constrangê-las."

Né???

Meu atual namorado começou conversando comigo numa boa, trocando ideias. Um dia, ele me perguntou se eu tinha namorado. Falei que não. Continuamos conversando. Um dia ele me chamou para sair. Aí nós saímos. Aí rolou clima, aí a gente se beijou. Aí, o relacionamento evoluiu. Aí a gente está junto.

Difícil, né?

Ele não precisou chegar "e aí, gostosa, o que tá pegando? Quer me chupar?"

Anônimo disse...

@vbfri então você ficou em sua zona de conforto esperando ele tomar a iniciativa, coube a ri apenas confortavelmente dizer sim ou não, se sim e paquera se não e assedio?

Já tomou a iniciativa alguma vez na vida moça? Se não não sabe como e difícil.

Anônimo disse...

Que ridiculo, gozar com penetração é validar o machismo!? Eu gozo no anal e ai?

@vbfri disse...

"@vbfri então você ficou em sua zona de conforto esperando ele tomar a iniciativa"

Logo ali em cima veio o cara dizer que eu sou rodada e que homem nenhum vai me querer. Agora, porque eu não dei em cima do meu atual namorado, eu fiquei na minha zona de conforto.

Deixa eu ver se consigo explicar a diferença entre assédio e paquera:

Se meu namorado tivesse me chamado para sair e eu falasse "não, obrigada, meu interesse em você é puramente profissional" e ele ficasse insistindo O TEMPO TODO após isso, me chamando de gostosa, etc, seria assédio.

Se um cara, hoje, me chamar para sair, eu responder que tenho namorado e ainda assim ele continuar me abordando, me mandar fotos do "instrumento" dele, me chamar de "Putinha gostosa", seria assédio.

Atenção não requisitada/não recíproca é assédio, é violência.

Paquera é quando há RESPEITO. Reciprocidade.

Sério que é tão difícil entender isso?

Uma vez saí com uma pessoa e vi que estava se apaixonando por mim. Como eu tinha acabado de sair de um relacionamento e não queria entrar em outro, sentei um dia e conversei. Coloquei as cartas na mesa. Falei o que eu estava sentindo e como eu estava me sentindo.

É uma pessoa incrível, simpática, com quem eu super me relacionaria hoje, mas que não era para ser naquela época. Nunca me arrpenedi de ser honesta. A pessoa ficou livre (está casada hoje, feliz), eu ganhei mais uma amizade e todos saíram felizes.

Podia ter enrolado? Podia. Podia ter seduzido? Podia. Podia ter machucado? Podia.

A diferença é que eu respeito os seres humanos.

Até na paquera.

Anônimo disse...

Preferimos que você vá tomar seus remédios.

Anônimo disse...

10:59. Primeiro vc precisa diferenciar assédio de paquera.
Vc assedia essa pessoa quando ela se sente constrangida ou ameaçada, com medo. Seja pela força física (agarrando em balada), seja pela insistência e perseguição (seguir, mandar nude não autorizado/solicitado), utilizar posição privilegiada como forma de coerção (chefe com sua subordinada) ou simplesmente gritando "gostosa" na rua, por comportamento sem noção (adianta querer mandar nude num app de casamento evangélico). Na boa, quem aqui depois de ouvir uma dessas na rua, de um completo desconhecido, fala "ain seu gostosão, vou te dar aqui agora" ou "meu principe encantado, vamo lá em casa pra vc me pedir em casamento"?

Anônimo disse...

Anônimo das 7h36

Se vc tivesse lido a petição, veria que eles estudarão a viabilidade de estender para os homens, no entanto, por motivos óbvio (mulheres são mais visadas em assaltos e principalmente o risco de estupro), o foco é conseguir isso para as mulheres.

Anônimo disse...

Se vc olha o cara por mais de 0,4 segundo, por qualquer motivo que seja, ele também acha qe vc tá a fim. Já veio carinha pra cima de mim em festa e eu dizendo que não tava a fim e depois soube que todos os amigos dele achavam que eu era a fim dele porque ele disse que eu "olhava" pra ele.... kkk.. e eu mal sabia que ele existia. Isso foi na escola.

Anônimo disse...

Imaginem a liberdade para as mulheres um mundo em que todo homem fosse gay?
Imaginem sermos deixadas em paz?
Eu tenho este experiência sempre que vou em balada glbt e acho o máximo .

Anônimo disse...

(Viviane)
É o mesmo princípio do vagão rosa no metrô: "Não educamos os homens para se comportarem como gente, mas protegemos as mulheres da sanha desses selvagens".
Preguiça da humanidade...

Anônimo disse...

Para todas as mulheres que não entendem porque o cara acha que você está afim dele em qualquer mínimo contato: Esse cara é um bunda-mole provavelmente virgem que não sabe como agir com mulheres, ele não odeia vocês, não quer fazer mal a ninguém e se sente como um merda cada vez que fala uma besteira e é rejeitado pela mulher que ele achou que estava dando mole. É um coitado.

Anônimo disse...

Anônimo disse...
Imaginem a liberdade para as mulheres um mundo em que todo homem fosse gay?
Imaginem sermos deixadas em paz?
Eu tenho este experiência sempre que vou em balada glbt e acho o máximo .

Eu tambem sempre me senti muito à vontade em boites gays e nunca soube explicar exatamente o porquê: agora vc deu nome ao sentimento. Liberdade! Além de as pessoas serem mais autênticas, unicas e transparentes, era exatamente isso. A sensaçao de respeito e liberdade é incrivel!

E olha que eu moro na França, aqui boite LGBT é misturada (nao fazem boite gay e boite lesbica separada) e mta gente vai com os amigos héteros. Eu mesma ja fiquei com um cara hétero numa balada gay.

Anônimo disse...

e tem os trejeitos clássicos de mulheres que os babacas acham que são 'demonstrações de interesse', como por exemplo, passar a mão no cabelo. Já cansei de ouvir que se um cara tá conversando com uma mulher e ela passa a mão no cabelo, é porque tá afim dele
aaaai aaaaii ¬¬

hahahhhahahahahha

donadio disse...

"na internet? Outro dia a Pag Feminismo sem demagogia fez um textão contra paquera na internet e redes soociais, dizendo que mulher não participa de rede social para achar homem mas sim socializar com outras mulheres e blah blah blah"

Contexto, cara. Tá cheio de espaços na internet que são explicitamente para achar parceiros. E mesmo em outros espaços, as coisas acontecem, ou não acontecem. Depende do seu papo, entende? E o problema é que o seu papo pelo visto é ruim de doer, como demonstrado aqui. Só mimimi, só narcisismo mal-resolvido, só vitimismo, só complexo de inferioridade. Quem vai se interessar por um cara que só sabe conversar sobre si mesmo, e nem é para falar das coisas boas que é capaz de fazer, mas apenas para reclamar como o universo está errado em não reconhecer você como o centro de tudo?

"Na balada também não pode, mulher vai pra balada pra se divertir com azamigas não pra arrumar homem, por isto dizem elas e melhor balada GLS para mulheres."

Qualquer ser humano normal do sexo masculino que frequente baladas vai ocasionalmente arranjar parceira feminina. Não vai acontecer todas as noites, nem todos os encontros vão ser legais, nem todas as mulheres serão bonitas, inteligentes ou bem-resolvidas. Mas se você se dispuser a:

1. ir à balada (sim, é impossível "ganhar" mulher em balada sem ir à balada. Revelação do ano);
2. dançar (ajuda se você souber dançar, de preferência bem, mas boa-vontade também serve);
3. conversar (ter uma noção geral do mundo ajuda; preconceitos, em especial contra mulheres, atrapalham; incapacidade de conversar sobre qualquer assunto que não seja você, suas vontades, e como as mulheres devem se submeter às suas vontades se não quiserem ser taxadas de vadia, atrapalha mais ainda);
4. ouvir (nada é mais broxante do que você dizer que não gosta de azul e a outra pessoa perguntar se você torce para o Cruzeiro);
5. estar aberto às possibilidades (só porque ela "deu mole" pra você não quer dizer que ela está disposta a viver com você até que a morte os separe e ter todos os seus filhos; só porque você a encontrou na balada não quer dizer que ela não está interessada numa relação estável);

você muito provavelmente conseguirá alguns encontros sexuais e/ou afetivos.

Ser chato, por outro lado, nunca conquistou mulher nenhuma. Nem homem, aliás.

donadio disse...

"Já tomou a iniciativa alguma vez na vida moça? Se não não sabe como e difícil."

Se é difícil para você, que, por ser homem, foi ensinado desde criança a tomar a iniciativa, imagina como é para as mulheres, que foram ensinadas desde criança que tomar a iniciativa é errado? Que sempre estão sujeitas a serem chamadas de puta quando tomam a iniciativa?

O que você faz quando uma mulher toma a iniciativa com você? Ou você é tão travado que não é capaz de perceber quando uma mulher toma a iniciativa?

Anônimo disse...

"Anônimo disse...

00:49
"O cara já é um frustrado, você pisando em cima dele ainda vai gerar revolta na pessoa, não é uma coisa sadia de se fazer."

Foda-se ele e sua revolta.
Tá na hora de homem aprender o que as mulheres são ensinadas desde que nascem: GUARDE A MERDA DA SUA OPINIÃO PRA SI MESMO.

Achou linda? Apenas ache.
Achou feia? Apenas ache.
Vai falar com ela sem ser solicitado? Não faça. Siga em frente. Olhe na sessão de frios. Pegue a fila do caixa. Não fale nem por um segundo.

Foda-se se vai ficar com raiva. Foda-se se vai ficar em casa e descontar tudo assistindo animes pedófilos de garotas de 10 anos com seios gigantes, F O D A - S E.

Mulher nenhuma é obrigada.

Ana Kairalla disse...

"(...) história de um sujeito q supostamente perdeu um interesse numa menina e ficou com nojo dela pq ela tomou a iniciativa"

Explicação: Eu sou tão merda, mas tão merda, que se uma mulher se interessa pela minha pessoa só pode haver alguma coisa errada com ela.

Simples, assim...

Ana Carolina Serrao disse...

Deve ser o chocolate Bis, com certeza.