terça-feira, 1 de dezembro de 2015

GUEST POST: #MEUAMIGOSECRETO NÃO ENTENDE

Fernanda Valada, economista formada pela UFRGS, com mestrado em desenvolvimento econômico, me enviou este lindo texto sobre a hashtag que dominou o Twitter na semana passada.

#‎meuamigosecreto teve o seu nascimento comemorado. Nesse momento, sabia-se que se tratava de um ser humano completo. Era macho. O direito de existir nunca lhe foi negado, não foi cogitado seu assassinato ao nascer. O infanticídio fora reservado para a ‪#‎minhaamigasecreta
#meuamigosecreto não teve o seu corpo mutilado. Quando crescia e seu corpo e mente se desenvolviam, a sua sexualidade não foi interpretada como uma ameaça, era homem. 
O direito ao prazer nunca lhe foi negado, não foi requerido que perdesse partes de seu corpo. A mutilação genital foi reservada para a #minhaamigasecreta.
#meuamigosecreto não teve o seu corpo violado. Não precisou entender a diferença entre sexualidade e humilhação, entre intimidade e violência. É homem, o seu corpo tem integridade e a integridade do corpo da mulher o pertence. O estupro foi reservado para a #minhaamigasecreta
#meuamigosecreto não teve a verdade negada. Sua palavra, sua versão, seus direitos não são questionados, é homem. Se confrontado por uma mulher, é manipulação, é loucura, é mentira. Pois a verdade lhe pertence. A construção da histeria foi reservada para a #minhaamigasecreta
#meuamigosecreto não teve sua existência social limitada. Entende que é o ser humano completo, capaz de exercer todas as funções e postos sociais. O homem é o ser social, a ele a sociedade pertence. A exclusão foi reservada para a #minhaamigasecreta
#meuamigosecreto não teve a sua intelectualidade contestada. É homem, entende que age racionalmente, tem capacidades cognitivas plenas. Acredita que, ao contrário do segundo gênero, seu julgamento moral e científico não é influenciado pela sua subjetividade sentimental. A suposta irracionalidade emotiva foi reservada para a ‪#‎minhaamigasecreta
#meuamigosecreto não teve seu corpo tornado um objeto. Afinal, é um ser humano completo. Entender a intimidade sexual como a troca de prazer e de afetos entre dois seres humanos não é relevante, pois ele tem seus objetos. Para ele, as mulheres não são lidas socialmente como seres humanos completos, corpo e mente e, dessa forma, se reproduz no sexo. A hierarquia de gêneros é levada ao extremo na sexualidade. A sexualidade é por onde o macho humano constrói seu alter ego de homem. Um ser superior brincando com seus objetos. A humilhação, a violência, a negação da sexualidade, o julgamento de seus corpos em pedaços, foi reservada para a #minhaamigasecreta
#meuamigosecreto não teve a paternidade impositiva. Sabe que é um ser social, a complexidade de proteger e auxiliar no desenvolvimento de outro ser humano não lhe preocupa. Para ele, a mulher é o ser familiar; ele, o social. Acredita que é fato dado, é instinto materno, faz parte da irracionalidade das mulheres, a fêmea humana não foi capaz de se dissociar de seus instintos animais. A responsabilidade pelas crianças foi exclusivamente reservada para a #minhaamigasecreta.
#meuamigosecreto não teve sua voz abafada. É o ser social, é o protagonista dos espaços políticos. Acredita estar apto para legislar sobre a sociedade, sobre a violência contra as mulheres, sobre o direito aos corpos das mulheres, sobre o aborto, sobre a maternidade, sobre tudo que diz respeito às mulheres. A representatividade política foi negada para a #minhaamigasecreta
#meuamigosecreto não entende o que a discriminação já no nascimento, a mutilação dos seus corpos, o estupro, a falta de direito a verdade, as limitações nos espaços da sociedade, a negação do direito ao pensamento e de contestação, a objetificação do corpo, a maternidade impositiva e a falta de representação política, significam na construção de sua identidade social como homem. O segundo gênero, o ser humano incompleto, foi reservado para a #minhaamigasecreta.
#meuamigosecreto não entende a luta das mulheres. Acredita que por ter nascido em um espaço social e momento histórico no qual as mulheres já obtiveram grandes conquistas e alcançaram certas formas de direitos jurídicos, que não é uma pessoa machista, pois não os está negando. Se considera uma pessoa progressista, não é um “Bolsonaro”. Acredita que as mulheres podem ser educadas, podem participar das eleições, podem atuar em espaços sociais outrora negados. Para ele, já há igualdade entre homens e mulheres em nossa sociedade. Ele até acredita que estamos próximos da superação do machismo. Então, cabe a #minhaamigasecreta desconstruir o machismo em nossa sociedade.
#meuamigosecreto não concorda com a #minhaamigasecreta.
Diz que não é machista, que entende e quer participar da luta das mulheres, vai além, diz que pode protagonizar a luta feminista. Acredita estar apto para isso, pois é progressista e não nega a violência contra as mulheres. Mas quando questionado em seu comportamento, se sente ameaçado. Sente o seu status como o primeiro gênero esvaziar-se, pois não entendeu ainda a relação que o gênero reproduz na construção de sua identidade social. 
Se sente ameaçado, pois a sua existência não é mais comemorada meramente por ter nascido macho. Não é louvado por entender o mínimo: que as mulheres são seres humanos.
Sente que a sua sexualidade foi negada ao ser confrontado contra a objetificação. Não é capaz ainda de perceber os corpos e a mente das mulheres como seres humanos completos e não como meras posses sexuais. 
Sente seu direito patriarcal desmoronar ao ser requerido de suas responsabilidades paternas. Não entende que o cuidado dos filhos deve ser tanto deles quanto das mães, independente do status do relacionamento entre os pais.
Sente sua intelectualidade menosprezada. Não consegue mais acusar de louca, histérica, sentimental, irracional. O mais medíocre dos homens perdeu suas armas, não é mais um deus diante de uma mulher. 
Sente que seu espaço social está sendo limitado. Não entende que ele não é necessário para a efetivação da luta feminista. E isso lhe causa medo. Protagoniza todos os outros espaços, como nesse não seria? Não percebe que o seu papel na luta feminista é a desconstrução do seu machismo e dos seus companheiros e cabe as mulheres a construção da luta.
Sente a sua voz negada, a sua verdade questionada. Para se defender contra essas “ameaças” em sua condição por nascimento de primeiro gênero, não basta mais dizer que não é machista. Há mulheres que o questionam, há mulheres que apontam suas contradições. Não percebe que gritar que não é machista e culpar as mulheres que o questionam não é luta, é reafirmar a opressão.
#meuamigosecreto, quem luta todos os dias contra a opressão, quem sobrevive todos os dias contra o assédio e a violência, é a #minhaamigasecreta. É a #minhaamigasecreta que protagoniza a luta na escola, no trabalho, na família, nas ruas, na política, pela construção de uma sociedade feminista. #meuamigosecreto, você precisa entender isso.

43 comentários:

Anônimo disse...

Meu #amigosecreto do 1º comentário tem dificuldade de aceitar de que ele não vale nada pir ser homem.

Eugênio Gênio disse...

caramba, seu amigo secreto é um filho da puta, você devia parar de andar com ele

Anônimo disse...

Nossa se ainda acham que não existe machismo depois desse texto fabuloso é por puro comodismo.
Lembrando que essa tag vale pras mulheres, tem muita mulher que se diz feminista mas não lava um copo em casa e deixa td pra mamãe fazer. Vamos ser feministas de verdade!!!

Anônimo disse...

Eu nem me preocupo com o entendimento dos homens se eles que tbm são prejudicados com isso não ligam, eu não vou me importar com eles. Cobram que nós devemos fazer campanhas de igualdade pra eles tbm, mas eles querem virar as costas pra nossas causas.

Anônimo disse...

fdp é um xingamento machista!!

Anônimo disse...


"O mais medíocre dos homens perdeu suas armas, não é mais um deus diante de uma mulher."
UAU
Não merece Palmas mas o Tocantis inteiro.

Anônimo disse...

Nossa minha vida e uma maravilha e ninguém me avisou? Minha vida não vale menos que a de uma mulher segundo o senso comum ( Morrem 9 vezes mais homens que mulheres, mas a morte da mulher e sempre mais impactante que a de vários homens)
Eu não sou visto como um utilitário segundo o senso comum, minha sexualidade não e demonizada e nivelada a de uma minoria doente depravada segundo o senso comum, Minha paternidade n~çao e relegada a algo menor segundo o senso comum, Se eu der um abraço e um beijo em minha filha eu não desperto olhares maliciosos e repressivos segundo o senso comum, eu não vivo em media 10 anos menos e me aposento 5 anos mais tarde segundo a lei, eu não sou segregado em vagões apertados no metrô como um bicho segundo a lei que acha isto natural, eu não sou cobrado socialmente ao limite para não ser considerado um fracassado pela sociedade segundo o senso comum, eu não sou linha de frente de guerras e conflitos.
Gente como eu não vi que era tão privilegiado assim antes?

Anônimo disse...

Passou isso no encontro ontem uma menina que falava do preconceito contra mulher no trânsito.
Homem nunca vai saber o preconceito que é, quem causa mais mortes no transito são eles mas quem é acusada de dirigir mal somos nós. Quem tá no poder há anos são eles mas quem é acusada de fuder o país é uma mulher e ainda é chamada de cachorra e vagabunda, coisa que um homem jamais passou em igual situação.

Anônimo disse...

13:39
minoria doente não maioria, a maioria das parafilias, pedofilia, prostituição, zoofilia é praticada por homens.
85% das atrizes pornos sofrem algum tipo de violencia física violencia contra mulher vende.

ah esqueci do estupro!

O estado islâmico tbm garante que está fazendo o bem! são tãao inocentes!

Anônimo disse...

Tenho um duvida? Se o problema e o machismo, e ele parte de homens, como se pretende mudar isto se feminismo não faz efeito em homens?!
Tipo assedio (Desde moderado como atração paquera, ou ate cantadas toscas na rua, e tudo nojento) e o problema, ele parte de homens(Ate porque mulher não asseia e nem tem interesse em homem) você conscientiza as mulheres a não aceitarem isto, beleza, mas se o feminismo não atingi homens não faz efeito algum neles, eles não capacidade de empatia para com mulheres e isto mais que provado e fato., eles vão continuar assediando e não dando a minima para o discurso certo?!

Eu defendo que não somente nos emponderemos, mas também que ocupemos espaços de liderança publica e criemos leis de contenção da dita masculinidade, e ate espaços de segurança por asim dizer que os mantenham longe de nós.

Anônimo disse...

que pode fazer o que quiser?

eu sou reprimida em casa desde cedo ouço vários nãos e quem tem irmão homem sabe que eles podem tudo.

teve o caso da filha do político em goias que apanhou após mandar nudes, mas se fosse o filhinho já ia ganhar um carro de presente por ser o putão!

Pode fazer o que quiser? nunca!!!

Anônimo disse...

13:39
"minoria doente não maioria, a maioria das parafilias, pedofilia, prostituição, zoofilia é praticada por homens.
85% das atrizes pornos sofrem algum tipo de violencia física violencia contra mulher vende."

Lacrou, a masculinidade/machismo em todos os aspectos deveria ser considerada doença social.
-
"Homem nunca vai saber o preconceito que é, quem causa mais mortes no transito são eles mas quem é acusada de dirigir mal somos nós"

Exatamente, e a maioria quase total das mortes violentas em geral são eles os protagonistas também, se pelo menos se matassem somente entre si e nos deixassem em paz, em duas gerações o mundo seria um lugar bem melhor para se viver. .

Anônimo disse...

Eu defendo que não somente nos emponderemos, mas também que ocupemos espaços de liderança publica e criemos leis de contenção da dita masculinidade, e ate espaços de segurança por asim dizer que os mantenham longe de nós.

Exatamente isso! as mulheres podiam criar os filhos para não serem machistas

Anônimo disse...

Existe uma solução para isto meninas, afastem-se em definitivo de homens, de todos os homens.
Evitem ao máximo todo contato com homens em suas vidas.

Anônimo disse...

Até hoje a educação é negada as mulheres com desculpas religiosas e culturais, até hoje o machismo é aceito com desculpas e mais desculpas quem quiser se omitir que se omita mas eu não vou me calar enquanto tem milhares de mulheres sofrendo com ácido jogado na cara, sendo estupradas, traficadas. E isso é só o grosso do que acontece!

Anônimo disse...

O único feminismo aceito pelo homem é o da mulher ser liberal demais a ponto de fazer sexo a tres com outra mulher.

Anônimo disse...

essa tag repercutiu até em portugal
http://mariacapaz.pt/cronicas/tu-cara-maria-capaz-que-me-les-quando-e-que-sofreste-o-teu-primeiro-assedio-sexual-por-gabriela-altaf/view-all/
#meu1oassedio



parebéns meninas

Anônimo disse...

As feministas fizeram do limão uma limonada, o que era pra ficar por isso mesmo como sempre foi, agora teve barulho.

Eu fico muito feliz quando vejo esse tipo de coisa acontecer, chega de ser saco de porradas e engolir sapo.

Anônimo disse...

#meuamigosecreto é ativista no feminismo mas acha ok chamar de transfobia o fato de mulheres lésbicas consentirem relacionamento sexual somente com pessoas sem pênis.

Anônimo disse...

Patrícia.

Meu coração está pleno de alegria com este texto! A autora sintetizou muitas situações pelas quais as mulheres passam. Palmas, só tenho isso a dizer. A luta continua! Estamos cada vez mais despertas.

anon A. (radfem) disse...

Ótimo post, mas tem uma dissonância gigante um post desses, claramente apontando a opressão que mulheres sofrem por nascerem no sexo feminino, estar em um blog que acha que existe 'privilegio cis'.

Anônimo disse...

Caracas, que texto fodástico!!!

o/

Jane Doe

Anônimo disse...

Para que tá feio miga

Anônimo disse...

off topic:

Revista ELLE br, traz 4 CAPAS com frases feministas!!
achei uma iniciativa sensacional... será que vamos conseguir virar o jogo? eu começo a acreditar que sim!!

vejam:http://ffw.com.br/noticias/moda/elle-faz-manifesto-feminista-em-capas-da-edicao-de-dezembro/

bjs Lola! Manu

Vicky_ disse...

"Para que tá feio miga".
Pare você, indivíduo.

A observação dela faz completo sentido. E tenho certeza que muitas outras feministas (inclusive eu) contestam essa incoerência.

Anônimo disse...

#meuamigosecreto vem tentar trollar as feministas do blog pra tomar no rabo e chorar quando ganha as respostas que merece e vê que ninguém liga pro ego dele.

Anônimo disse...

E vocês ficam dando atenção para este coitado sanctu que foi estuprado na cadeia, depois reclamam de trollagem, parece que s;ão viciadas em espantalhos.

Vicky_ disse...

Lista para fazer do Estuprador Diário:
Culpar mulheres OK
Culpar mulheres sem mostrar a própria cara OK
Usa dados que nunca existiram OK
Falar mal de feminista OK

Pronto, receberam sua dose de atenção diária, agora caiam fora. Pacto suicida é o que há de melhor pra vocês.

Acho o ato de escrever em espelhos de faculdade e escolas pouco produtivo para protesto, além de dificultar a situação das mulheres que trabalham na faxina, melhor colocar aquelas folhas impressas e presas com pedaço de fita, quando desgasta, é só tirar. Já quanto ao escracho:

Façam a torto e direto! Todo desgraçado precisa ser exposto ao ridículo para futuramente ser preso! Quanto mais avisos, menor a chances dele fazer uma nova vítima.
Ou de uma vítima ter forças para denunciar.

Anônimo disse...

"Acho o ato de escrever em espelhos de faculdade e escolas pouco produtivo para protesto, além de dificultar a situação das mulheres que trabalham na faxina, melhor colocar aquelas folhas impressas e presas com pedaço de fita, quando desgasta, é só tirar. Já quanto ao escracho:

Façam a torto e direto! Todo desgraçado precisa ser exposto ao ridículo para futuramente ser preso!"
_
Mas veja bem Viky, e se isto for usado como vingança pura e simples? Tipo a menina esta com raiva por ter tomado um toco de um carinha que preferiu ficar com outra e usa desta estrategia para destruir a reputação do carinha?

Anônimo disse...

"#meuamigosecreto é ativista no feminismo mas acha ok chamar de transfobia o fato de mulheres lésbicas consentirem relacionamento sexual somente com pessoas sem pênis."

Tiramos o mesmo amigo secreto então. O meu, além disso aí, não aceita transar com mulheres trans "porque não é gay". Ué................... eu sou obrigada e ele não? Bugou aqui.

Anônimo disse...

"Mas veja bem Viky, e se isto for usado como vingança pura e simples? Tipo a menina esta com raiva por ter tomado um toco de um carinha que preferiu ficar com outra e usa desta estrategia para destruir a reputação do carinha?"

Iuzomi heim? Tadinhos duzomi.

Anônimo disse...

"Mas veja bem Viky, e se isto for usado como vingança pura e simples? Tipo a menina esta com raiva por ter tomado um toco de um carinha que preferiu ficar com outra e usa desta estrategia para destruir a reputação do carinha?"

É curioso que quando uma menina é vítima de revenge porn, e olhe que isso é bem mais comum que as falsas denúncias, não há essa indignação toda. Só se ouve o barulho dos grilos.

Anônimo disse...

09:01, você é um merda. Só isso. Um merdinha. Volta pro Tietê, lá é seu lar...

Marcia Baratto disse...

Eu achei o texto fantástico! Sim, tudo isso acontece com mulheres, com uma frequencia absurda, que faz tudo isso relatado ser o padrão normal da forma de se tratar mulheres. Mas chamou minha atenção o fato de que várias das opressões registradas aí também acontecerem com outras vítimas de violência e opressão, independente do sexo. Afinal, não vejo como um homem negro ou um indígena tenham direito de voz assegurada, apesar de seu sexo, nessa sociedade brasileira. E sim, quando mulheres brancas podem falar dessas dores, e eles não podem, isso é um privilégio. Esse, para mim, não tem haver com a ausência de dor, mas com a possibilidade de lutar de cabeça erguida contra opressões. As mulheres por aqui começam a ter um pouco dessa autonomia de luta, não entendo por que negar apoio ao mesmo tipo de autonomia para outras pessoas. Ouvi essa semana de uma liderança indígena uma frase triste, mas bonita: sabe o que o branco faz com meu povo? é um tipo de dor tão doída como a que eles fazem as mulheres, suas mães, irmãs e parceiras. As assassinam, dizem que elas não valem, que são sempre crianças que precisam ser guiadas... Como confiar em quem maltrata os seres que dão vida? Não confio.
Eu acho gênero uma questão tão fundamental, que acredito sim que as mais múltiplas opressões podem ser explicadas por essa maldita binaridade: homem v. mulher. O corpo dos torturados (independentemente do gênero) também não pertence a eles, homens em tortura frequentemente são 'ameaçados' por seus algozes de que serão 'transformados em mulheres', frase muito comum antes do estupro, como técnica de confissão. Tão absurdamente comum em qualquer parte do sistema de prisão do país...
Isso, para mim, não significa desprezar o sofrimento das mulheres, ao contrário: as nossas dores são tão institucionalizadas, elas são tão fundamentais para construção da sociedade como um todo, que sempre que alguém quer excluir outro, basta transformá-lo em mulher.

São mais evidências do quão nocivo e cruel é a opressão de gênero. Não imagino homens ou mulheres trans tendo algum tipo de voz que um 'homem cis' tem, por exemplo. Verdade negada também tiveram os 4 jovens negros assassinados essa semana pela PM, por que né, nossa polícia é treinada e estimulada a não ver problema algum em anular homens negros, como se faz tão frequentemente com mulheres.

Diferente em alguns aspectos? Claro que é, mas isso também acontece com mulheres cis, todas nós temos histórias diferentes de horror para contar, todo o nosso sofrimento tem aspectos peculiares, quer maneira mais eficaz para acabar com a dignidade de alguém, do que manipular o sofrimento com ricos detalhes particulares, específicos para ferir aquela pessoa? Se subjetividade importa, tá mais do que na hora de reconhecê-la para além da generalidade: sou mulher.

Anônimo disse...

É apartheid agora??

B. disse...

Parece mesmo que o apartheid tá na moda né? Mulheres querendo viver num mundo sem homens, negros querendo "pureza racial"...nunca pensei que estaria viva pra ver gente moderna e supostamente liberal defendendo apartheid.

Quero viver num mundo com todo mundo junto, não quero ter que me mudar p/ uma bolha pra ser respeitada!

Anônimo disse...

Oi, Lola. Tudo bom? Sigo seu blog regularmente e leio com frequência as postagens que denunciam crimes cometidos contra mulheres motivados pelo machismo presente na sociedade.
Queria compartilhar com você um caso complicado que aconteceu essa semana com uma moça que milita pelo feminismo desde que aprendeu sobre o movimento e que sofreu discriminação de quem menos esperava.
Usando a tag meu amigo secreto, a moça desabafou contra a discriminação sofrida por defender o feminismo e militar contra o racismo e a discriminação de genero...e o fato de ser branca e heterossexual.
Segundo ela, uma amiga a acusou de ser hipócrita porque ela não havia nascido negra e não sabia nada do sofrimento das mulheres negras na sociedade negra. A amiga também a acusou de não ter o direito de falar em nome do movimento LGBT por ela não ser homossexual.

A declaração da moça, feita em um fórum feminista, foi recebida com grande hostilidade e ela recebeu ofensas e xingamentos, sendo obrigada a se defender das acusações de ser uma branca heterossexual falando em nome de um movimento que não a representava.
Um dos comentários do tópico consistia em declarar que os brancos privilegiadoumdo Brasil eram todos racistas e preconceituosos porque não tinham consciência da condição do negro no país. Outro comentário dava a entender que todos aqueles que nasceram e foram criados na nossa sociedade eram homofóbicos de nascimento por causa da nossa cultura homofóbica. O comentário ignorava os milhões de vítimas da violência doméstica, estando filhos e irmãos das mulheres vitimadas inclusos.
As pessoas que teceram os comentários eram mulheres jovens, da faixa dos 20 anos. A moça que usou a expressão "brancos privilegiados" constava como uma mulher negra em sua foto de perfil.

A moça que fez a declaração vem escrevendo um livro no qual denuncia casos de violência contra mulheres. Lola, torço para que leia meu relato e lance uma luz nesta questão. A moça mereceu ser tratada com hostilidade e sofrer discriminação pela sua condição natural (ser branca) e pir sua opção sexual (heterossexual), sendo não somente consciente do machismo, do racismo e da discriminação sexual, como também militante da causa feminista? Obrigada pela atenção.

Anônimo disse...

(Viviane)
Anon A., há algum tempo surgiu neste blog a discussão entre pessoas trans e feministas radicais e eu continuo sem entender porque não existiria "privilégio cis". Penso que a discriminação por ser mulher é diferente da discriminação por ser trans. Por mais machismo que eu, mulher, tenha sofrido ao longo da vida (e você pode acreditar que foi muito), ainda assim me vejo como privilegiada por ter identidade de gênero = sexo biológico e não ter passado pelas situações que pessoas trans passam. Não entendo como privilégio "socialização masculina" quando o alvo dessa socialização renega e sofre com ela. Pelo contrário, parece ser um fardo bem pesado.
Obs.: Antes que alguém, ou você mesma, tenha essa ideia: Laerte Coutinho, a meu ver, é a "exceção da exceção" e não serve como parâmetro para discutir este tema.
Enfim, há um tempo, alguma pessoas pediram (eu incluída) que você escrevesse um post sobre as principais ideias do Feminismo Radical. Se isso não foi possível, gostaria da sua gentileza em responder a este comentário, pois essa questão me intriga e eu gostaria de ouvir outras ideias. Obrigada!

Anônimo disse...

"Anon A., há algum tempo surgiu neste blog a discussão entre pessoas trans e feministas radicais e eu continuo sem entender porque não existiria "privilégio cis"."

Então amiga, "privilégio cis" sempre diz respeito a mulheres. Que é maravilhoso ser mulher cis, que mulher trans não tem útero, morre mais, vive menos etc. O que é altamente questionável, primeiro: existe mesmo esse tal de cis? Não é estranho gente que defende o não-binarismo binarizar o mundo entre cis e trans? Segundo, mostra pra mim qual é o privilégio de ser estatisticamente a maior vítima de estupros, pedofilia, violência doméstica, diferença salarial e ser execrada e humilhada e diminuída APENAS porque nasceu biologicamente do sexo feminino? Porque é muito legal você passar 30 40 50 60 anos da sua vida como homem e aí decidir ui, virei mulher, miabrassa feminismo! Vira um Bruce Jenner da vida, que falou - procura que tem vídeo - que a coisa mais difícil em ser mulher é escolher o que vestir. Então não, não existe privilégio cis para mulheres e ele é sempre invocado para diminuir pessoas que nasceram biologicamente do sexo feminino, inclusive homens trans são praticamente invisíveis dentro do ativismo trans e encontram bem mais espaço no feminismo por motivos óbvios. Ser mulher não é botar saltinho e sim ser socializada como mulher e ter um peso em si que vai além da biologia, em um sistema estruturado e hierarquizado por centenas e centenas de anos na história da humanidade. Mas ai, privilégio cis, bota trigger warning pra falar de útero, menstruação e aborto pra não machucar azirmã trans.... ninguém merece.

Helena disse...

Então, Viviane, eu também já fui na onda de acreditar em privilégio cis. Como você mencionou, temos menos um fardo que é o de nosso sexo biológico ser a nossa identidade de gênero. Mas a forma que o privilégio cis é colocado chega a ser ofensivo. Sim, já vi em discussões sobre estupro, gravidez, maternidade e aborto transativistas repetirem "privilégios cis" ad eternum. Não há privilégio nenhum em sofrer as consequências da nossa socialização, não há privilégio nenhum em ser estuprada, objetificada, sofrer com maternidade compulsória, engravidar de estuprador, morrer fazendo aborto ilegal. Não sou radical, mas acho chato sim o trigger warning. O grupo de mulheres e interessados no feminismo é heterogêneo e diversificado, então quando uma mulher negra vem me falar de coisas específicas do racismo, eu escuto e tiro minhas dúvidas. Só pq não me afeta diretamente, não quer dizer que seja inútil para mim. Tento o mesmo com trans. Sei que os tipos de preconceito por elas enfrentado é diferente dos que eu enfrento, assim como de mulheres negras e lésbicas (e não precisamos colocar aviso para não machucar irmã branca e hetero nenhuma).

Anônimo disse...

Hahahaha

'Segregado como um bixo no vagão apertado'...

Meu querido, cerca de 20% dos vagões são reservados para as mulheres... Elas é que são segregadas!

E porque? Pra que seus coleguinhas homens não ejaculem nelas enquanto elas vão e voltam do trabalho!!!

Caramaba, mas vc é a vítima oprimida nesse caso, né?? Tadinho, tem que viajar apertado (como todo mundo no metro)...

Se os abusos sexuais nos metros fossem raríssimos, voce acha que essa medida seria implantada?? Já tentou se colocar no lugar das mulheres que não podem nem se locomover sem o risco de terem suas genitálias apalpadas, sem terem um pênis sendo esfregado nelas e pasme, sem que um desconhecido ejacule sobre elas por puro sadismo??

Olha pra fora do seu umbigo, meu chapa!

Anônimo disse...

(Viviane)
Helena e anon 02h09, obrigada por responderem. Só queria esclarecer que, em momento nenhum, falei que é "mais fácil" ser mulher cis em nossa sociedade. Deixei bem claro que discriminação contra mulheres e contra pessoas trans (homens e mulheres) são diferentes, sem dizer quem é mais ou menos discriminado. Sobre o privilégio cis, acho que é similar ao privilégio de mulheres brancas: existe a desvantagem de ser mulher, mas a vantagem de ser branca. Assim como existe a desvantagem de ser mulher, mas a vantagem de ser cis. Concordo sobre as exigências de trigger warning, também acho exagero, mas também acho que isso se restringe a grupos virtuais e não encontra respaldo no mundo real (só acho, não tenho nenhum dado empírico sobre isso).
Sobre o "reforço de estereótipos de gênero" feito pelxs trans, eu entendo que é uma forma de assegurar ser reconhecidx pelo gênero com o qual se identifica. Eu não preciso estar sempre de saia para ser vista como mulher, mas uma trans pode precisar, para não passar pelo constrangimento de ser chamada por nome de homem. Infelizmente, os estereótipos ainda são usados como critério de diagnóstico para pleitear cirurgias de redesignação sexual (existe um projeto do conselho federal de Psicologia para mudar esses critérios).
Bem, não sei se me fiz entender...

Anônimo disse...

(Viviane)
Anon 02h09, só mais um detalhe que deixei passar.
Pus uma observação no meu comentário para não se usar Laerte Coutinho como parâmetro e me esqueci de Bruce Jenner, aff...
Novamente: ambos não servem como exemplo, a maioria das pessoas trans passa por dificuldades imensas na família, escola, para arrumar emprego, mesmo tendo sido "socializados como homens". Como se fosse fácil recusar essa socialização...