quinta-feira, 8 de outubro de 2015

GUEST POST: QUANDO O OPRIMIDO SE UNE AO OPRESSOR

Recebi um relato muito interessante e bem escrito de uma moça chamada Julia:

Sempre estive um ano adiantada na escola, porém quando terminei o ensino médio passei por alguns anos de indecisão sobre qual curso eu realmente queria cursar. Estava, enfim, na universidade, mas agora não como a pessoa mais jovem da turma. Entrei na faculdade com a idade que a maioria sai, 22 anos. 
Não sei bem se pela idade ou se porque já trabalhava há 5 anos, minha expectativa era encontrar um pessoal mais maduro do que no ensino médio, com ideias e comportamentos mais responsáveis e adultos. A verdade é que eu estava bastante empolgada. E assim tinha que ser, pra aguentar a rotina de 8 a 9 horas de trabalho de dia e mais 4 horas de estudo à noite.
Primeiro dia de aula. Procurei minha sala e, embora um pouco atrasada, consegui encontrar. Pela janelinha da porta, vi que o professor já estava a postos e falava com a turma. Bati na porta, pedi licença e entrei. Qual não foi o tamanho da minha surpresa quando comecei a ouvir assobios de “fiu-fiu” e comentários do tipo “linda” e “gostosa”! Enrubesci. Não tinha passado por aquilo diante de uma sala de 50 alunos nem no ensino médio, que cursei em escola pública. Achei muito constrangedor, além de desrespeitoso com o professor, que dizia “classe, por favor!”. Procurei uma carteira vazia e sentei-me. 
À medida que mais meninas atrasadas chegavam à classe, o comportamento se repetia: “fiu-fius” e os mesmos comentários que fizeram a mim. O professor não conseguia controlar nem identificar os autores exatamente, até porque cada vez mais meninos aderiam à “brincadeira”. A maioria das meninas demonstrava constrangimento, outras nem tanto. Aquilo deveria ser coisa de primeiro dia, pensei. Estava errada: o “fenômeno” se repetia dia após dia. Exceto com as meninas consideradas “feias”, que sentavam nas carteiras mais à frente da sala, consideradas as nerds ou CDFs pela “turma do fundão”.
Embora tímida e um pouco seletiva com amizades, não demorei a me enturmar. Tinha mais afinidade com a galera da frente, que eram os mais “zoados” pelo resto da sala. A maior parte meninas. Sempre comentávamos como era desagradável aquela atitude de assobios. Aquilo não deveria caber num ambiente universitário. Mas a situação não mudava, por mais que a maioria das meninas demonstrasse não gostar.
Passado aproximadamente um mês de aula, já tínhamos um grupo de emails da classe para trocarmos materiais e informações das aulas, além de piadinhas, é claro, nem todas de bom gosto. Sobre as de mau gosto, me refiro principalmente aos emails que comentavam, sem citar nomes, como lhes agradava a roupa ou a aparência de algumas meninas. Eu simplesmente não me manifestava sobre esses emails, ignorava-os. Algumas meninas “entravam na onda”, mas eram poucas. A maioria fazia como eu, não comentava.
Aquele clima de “assédio” me incomodava cada vez mais. E contribuía pra minha frustração com o ambiente universitário também. Até hoje não sei se dei azar ou se isso acontecia com a mesma intensidade em outras turmas. Minha paciência chegou ao fim quando chegou um email sugerindo a criação de um “ranking das meninas”. Os meninos queriam dar notas para cada uma das meninas da turma, com base numa série de critérios como “cabelo”, “bunda”, “rosto”, etc. 
Cheguei a pensar que a ideia seria rechaçada por alguém, mas ela começou a tomar força nas trocas de emails e estava prestes a se concretizar. Eu pouco me lixava pra que raio de nota eu receberia ou em que posição daquele ranking idiota eu ficaria. Eu era mais velha do que aquelas garotas de 17 anos e, qualquer que fosse o resultado daquele absurdo, eu sabia que era forte e que poderia suportar comentários. 
Mas eu juro que me preocupei com minhas colegas, que já eram zoadas com comentários maldosos como “tem bigode”, “se veste que nem uma velha”, dentre outros. Eu sabia que elas se sentiriam humilhadas, pois aqueles maldosos iriam nos colocar como últimas do tal ranking. Eu não podia ficar calada, mesmo que fosse a única a me manifestar sobre aquilo (e fui). Respondi o email assim: “Gente, pelo amor de Deus… A última vez que vi esse tipo de ranking eu estava na 6a série. Vamos crescer, por favor, estamos na universidade!”.
Foi assim que meu pesadelo começou. Com um mês de universidade eu passei a ser a pessoa odiada da turma. Meu email foi respondido pelos autores da ideia de forma extremamente grosseira, com frases do tipo “se enxerga”, “tá com medo porque é horrorosa?”, etc, etc e etc. Ninguém me defendeu nos emails. Recebi uma avalanche deles. Não respondi mais. 
No mesmo dia à noite, entrei na classe e a galera do fundão me vaiou. Dei de ombros e me sentei. Minhas colegas vieram falar comigo demonstrando apoio, mas em particular. Fiquei contente. Mas o tímido apoio não durou nem duas horas. O pessoal do fundão falou com elas que aquilo tudo era uma brincadeira para aumentar o entrosamento da sala, pras pessoas se conhecerem melhor e… elas caíram! Ou seja, perdi o apoio até do “meu pequeno círculo de amizade”, que me colocou de lado.
A partir de então eu fiquei sozinha. Era zoada todos os dias como “velha”, “radical”, “mal amada”, entre outros adjetivos. Não tinha mais companhia pra conversar, fazer trabalhos, nem pra ir à cantina tomar um lanche. Fiquei triste, confesso. Não pelo o que aqueles imbecis faziam comigo, mas por não ter o apoio de uma única pessoa sequer, de uma única garota. Me isolei. Comecei a faltar e a perder a vontade de estar ali. 
O resultado foi a reprovação por faltas em diversas disciplinas. No semestre seguinte fiquei com a grade de aulas bagunçada devido às reprovações e tive de fazer várias disciplinas em turmas diferentes, o que me possibilitou conhecer pessoas bacanas com as quais tenho amizade até hoje. Mas nunca mais levei os estudos universitários com a mesma seriedade e empolgação do início. Fui “passando de ano” até me formar, sempre na média.
Se me arrependo de algo? Acho que sim. Primeiramente de ter aguentado calada a hostilidade que criaram contra mim. Acho que deveria ter reagido, chamado todas aquelas garotas de covardes e desafiado aqueles meninos idiotas, que só eram valentes porque estavam em bando, diga-se de passagem. Não conseguiam sustentar um debate de ideias que fosse, ganhavam no grito.
A opressão só pode sobreviver através
do silêncio
Não sei se me arrependo de ter me manifestado contra o ranking. Mas acho que hoje faria de forma diferente, de forma mais política, buscando um diálogo, pois foi muito duro passar 6 meses excluída e ainda por cima prejudicar meus estudos. De certa forma sinto que eu “venci”, pois apesar do isolamento e humilhação que enfrentei, o tal ranking nunca foi concretizado. Nem naquele semestre nem em semestres posteriores. 
Isso prova que no fundo eles sabiam que estavam errados, que eu tinha razão sobre o absurdo que aquilo representava. Também o meu objetivo original, que era o de poupar minhas (então) colegas de uma humilhação pública e injusta, foi atingido. Mas hoje vejo que esse “vencer” é relativo, pois pra isso eu tive de “carregar a cruz sozinha”, e eu não tenho “talento pra ser Jesus Cristo”. Hoje eu teria deixado o tal ranking acontecer para depois “militar”. 
Aquelas meninas precisavam (infelizmente) sentir na pele a agressão para, quem sabe, se unirem para combater não só aquele fato em si, mas a mentalidade machista predominante (nos meninos e nas meninas) daquela classe.
Foi muito duro pra mim ver o oprimido se unir ao opressor para se proteger. Penso ser esta a forma mais covarde possível de se obter proteção. Mas foi exatamente isso que eu presenciei ali. 
Penso se isso não é uma característica muito humana, aquela ideia de “se não pode vencê-los, junte-se a eles”. Freud e a psicanálise devem ser capazes de explicar isso bem. 
Hoje fico feliz quando encontro pessoas que não buscam o caminho mais fácil para se protegerem, mas se colocam na luta com coragem. O mundo é carente de pessoas assim. Pessoas do calibre de um Nelson Mandela, Martin Luther King Jr., ou simplesmente como eu e você, como a Lola Aronovich. A vocês, corajosxs, anônimos ou não, meu muito obrigada por existirem. 

Meu comentário: Obrigada, Julia querida. Vale a pena lembrar uma frase de Paulo Freire, referência em educação em todo o mundo, mas absolutamente odiado pelos conservadores (por que será, né?): "Quando a educação não é libertadora, o sonho do oprimido é ser o opressor". 

191 comentários:

@vbfri disse...

Que meleca!

Esse tipo de coisa deveria ser punido pela instituição. Eu fico muito revoltada com essas coisas acontecerem debaixo do nariz dos professores e a instituição como um todo ignorar esse tipo de comportamento.

Isso merecia ser investigado, punido, rechaçado. Nenhuma mulher deveria passar por essa situação!

Urghhhh... Nojo desse machismo todo camuflado de "brincadeirinha".

Em tempo, vcs viram a história do Mackenzie?

Rafael Cherem disse...

Que coisa horrorosa,mas em realidade o comportamento médio do brasileiro é infantilizado, vejo ambientes de trabalho que mais parece salas de quarta- série, e fora o comportamento social geral, parece que nada é levado a sério, tudo tem que ser motivo para brincadeira e divertimento, não é sem motivo que somos lanterna no ranking de produtividade em todo o mundo civilizado.

Especificamente com relação a universidades, o que esperar em um ambiente onde as pessoas vão apenas para pegar o diploma e ter um profissão e não para se aprofundar em um assunto, estudar de verdade,produzir conhecimento e trocar idéias e experiências? Vi coisas assim durante meu período lá, a autora deu azar por já ter uma experiência de vida, vivência e querer realmente estudar coisa que os molequinhos lá estavam postergando.Quanto as coleguinhas que ficaram contra você,um bando de falsas, não é para ter pena, nem de longe são oprimidas, são opressoras também.

Anônimo disse...

Dizem que nos Usa, na faculdade ninguem interaje com ninguem MAs as escolas la Dao crueis dizem que é igual nos filmes mesmo.

Anônimo disse...

Menino é mt mais idiota que mulher, tem uns que parecem que nao sairam da quarta serie. So nao querem ser crianças quando o assunto é sexo.

Anônimo disse...

Galerinha de primeiro ano de faculdade geralmente é bem infantil mesmo. A cabeça não muda de forma automatica ao passar no vestibular. A criançada se ve pela primeira vez na vida podendo sair da sala para ir ao banheiro sem ter q pedir permissão para o professor e se sentem livres e donos do mundo. É dificil de aguentar mesmo. Mas parece que a autora do guest post romantizou bastante a ida a faculdade. As expectativas se frustraram pq o foco de desviou, afinal ela estava lá para estudar ou fazer amigos? Se estava lá para fazer amigos provavelmente foi dificil passar o curso isolada. E pode ter certeza que a zoeira da molecada continuou, mas ela não sabe pq estava excluida disto tambem.

Anônimo disse...


Sou professor universitário aposentado e nunca antes havia passado por este tipo de experiência até vir lecionar em uma instituição privada no interior das Minas Gerais.

Minha primeira reação foi a de tentar convencer a turma de que a atitude deles não combinava com o que se esperava em um ambiente universitário adulto.

A mentalidade imperante, além do machismo, era efetivamente a de escolinha de segundo grau.

Pedi auxílio à direção da Privada e, fazendo jus a esta categoria, tudo o que obtive de apoio foi m...

Poucos anos depois acabei entrando em conflito direto com os alunos que, ao invés de serem devidamente orientados pela instituição eram temidos por esta, pois eram a fonte principal dos seus recursos orçamentários.

Me aposentei com um gosto amargo, pois após cerca de 30 anos de atividade docente e de pesquisa em importantes centros universitários do Brasil, tive a decepção de intuir que uma nova geração, que fatalmente deveria assumir a direção do país em breve, era completamente despreparada, egocêntrica, preconceituosa, ignorante.

Isto se passou entre 2001 e 2003.

Hoje estes ex-alunos já têm quase 40 anos e fazem parte da classe dirigente do país. Certamente, aprovam este tipo de comportamento. Certamente, se ocuparem cargos de direção em empresas ou instituições de ensino, acharão muito normal o fiu-fiu, os rankings, os trotes e outras ocorrências humilhantes com os que "não fazem parte da patota".

O relato de Júlia, portanto, não me surpreende. A única surpresa é que não hajam mais relatos como esses.

Jonas Klein disse...

Olá Julia

E lamentável isso que aconteceu com você, e absolutamente sem querer julgar você, eu penso que o que falto foi um pouco mais de capacidade de articulação em você, o ideal neste caso seria você se juntar com as outras meninas da sala e procurar a direção da instituição onde você estudava e pedir providencias(e se isso não resolver, ai eu não sei o que fazer), já que nem o professor era obedecido.

Agora sabe depois de tudo que já vi e li sobre universidade nos últimos anos, eu percebi que universidade e um dos piores lugares que uma pessoa pode ter que frequentar(pelo menos as brasileiras).

Por fim eu não tenho esperanças de que as coisas venha a melhorar no futuro, pois a geração sem limites, esta se tornando a maioria e num pais do estilo salve-se quem puder como este aqui, isso e assustador.

Bom dia

Anônimo disse...

"Urghhhh... Nojo desse machismo todo camuflado de "brincadeirinha"."

Concordo e vou além: Nojo da covardia de camuflar em "brincadeirinha" todo tipo de ofensa e humilhação. Normalmente, as piores acusações e injúrias são feitas em tom de piada a fim de minimizar qualquer reação. Como se o "humor" significasse carta branca para afirmar qualquer atrocidade.

@vbfri disse...

Ao professor Anon de 11:38

Eu acho que existe muito relato disso, por todos os cantos. A violência contra a mulher é tão constante que chega a ser banalizada. Aí muitas ou não vêem esse tipo de violência ou participam ou preferem ignorar mesmo.

Exemplo: toda a mulher sabe que ao ir à balada, ou carnaval, ou algum outro evento lotado, levará apalpadas. Já faz parte do pacote. Estamos em 2015 e ainda parece que sair de casa é aventurar-se no mundo, correndo riscos de assédios, violência, coação.

E a mulher ainda é criada para ficar quieta e não criar confusão.

Triste.

Anônimo disse...

E se a aluna river a fim do professor oq fazer?

Anônimo disse...

Julia, que orgulho de você, sério mesmo. Vc venceu, ainda que tenha passado todos esses anos isolada. E não se culpe por ter tido expectativas quanto á faculdade, isso é normal. A pessoa que vai passar em média 4 anos indo todo santo dia no mesmo lugar precisa ter uma relação pelo menos harmônica com as pessoas de lá, senão a coisa desanda mesmo. Porém, é melhor ficar isolada do que "se juntar á gentalha", como diz Dona Florinda. Quando vc se enturma com gente nojenta, a solidão é um alívio. Nessa hora vejo como eu tive sorte: minha turma só tinha 20 e poucas pessoas, e só 1 homem. Ás vezes juntava com outra turma que tinha mais homens, mas eles eram tranquilos, pelo menos em público, mesmo com as "mais bonitas", por assim dizer.
Sei que o que eu vou dizer é errado, mas não tenho solidariedade alguma com mulher que chupa saco de machista. Sinto até mais raiva, tipo o Blade com os colaboradores. E, parabéns de novo, queria ter conhecido alguém igual vc na faculdade (em qualquer lugar, na verdade).

Dan

Anônimo disse...

"Exceto com as meninas consideradas 'feias', que sentavam nas carteiras mais à frente da sala, consideradas as nerds ou CDFs pela 'turma do fundão'."

Onde sentavam os caras que tu ficava no fim do ensino fundamental e durante o ensino medio? Sao as mulheres que alimentam esse pessoalzinho.

Anônimo disse...

O aplicativo Lulu mandou lembranças para o post

Anônimo disse...

Oi, Julia...

Sinto muito por isso que você passou. Eu simpatizo com sua situação, muito mesmo.
Entendo o que você sentiu ao entrar na faculdade e entendo sua decepção. Passei por algo semelhante quando comecei minha segunda faculdade aqui no exterior. Não há assédio sexual por parte dos docentes ou colegas, mas o sexismo se manifesta de outras maneiras, mesmo sendo um curso com mais de 90% de estudantes/funcionárias mulheres.

Sobre a falta de ação dos professores,eu acredito que muitos se sentem paralisados, quando não acuados com essas situações. Com certeza existem aqueles que fomentam esse tipo de comportament e há aqueles que não fazem nada por que simplesmente não se importam.
Porém a coisa chegou a um ponto tão crítico que, hoje em dia, ser professor no Brasil deve ser uma das profissões mais insalubres e desgastantes. Então sei lá, quando eles se calam diante das bizarrices dos alunos, no fundo me dá é pena deles...

Jane Doe

B. disse...

Com certeza ser professor é uma das profissões mais insalubres que existem! Não há dúvidas, e super mal paga (escola pública).

Ter que aguentar aluno debochado, aluno que bate em professor, aluno nem aí, e se o professor diz um "ai", nossa, coitadinho, menor de idade, "oprimido".

Se vissem o tipo de pessoa que tive que aguentar no colégio, iam mudar rapidinho de ideia sobre o "menor coitadinho". E nem eram pobres: estudavam em colégio particular.

Sobre o post: que faculdade é essa, gente? Essa palhaçada de ranking, eu lembro, era normal no ensino médio e fundamental (babaquice extrema), mas nunca esperava listinha das mais bonitas em plena universidade. Por mim, nem precisavam estar ali, tirando vaga de outras pessoas que querem estudar de verdade.

Anônimo disse...

Jane Doe,

Poderia dissertar sobre as formas de sexismo no exterior? Fiquei curiosa. Acho interessante essa relação de sexismo descarado com sexismo velado dependendo da cultura.

Pri Leone

Anônimo disse...

É errado fazer e comentar isso publicamente, agora querendo ou não os homens sempre avaliarão as mulheres, vcs acham que não fazemos ranking mentais das qualidades físicas de vcs, que não avaliamos pelo que vcs deixam nós fazermos ou não e o tempo que levamos para fazer determinada coisa?
as mulheres tambem nos avaliam, seja nosso emprego, nossa relação familiar, nossa maturidade, etc.
Ass: Sincero

Anônimo disse...

Diva

Júlia querida, você é foda!!
Parabéns por sua coragem! Queria ter sido como você e quando eu era mais jovem.
Só fiz faculdade (Gastronomia) quando larguei meu ex marido infiel e agressivo(e nesta situação, acredite acabei com muitas "amizades" com mulheres que né criticaram e me tacharam de "fraca" por não né esforçar pra "salvar meu casamento", duas dessas mulheres são ótimas minhas!).
Apesar da na minga turma ter um pouco mais de rapazes que moças, nunca fui atormentada nem humilhada, e antes que venha mascu falar " deviam ser gays", nenhum era, todos eles heteros).
Sei que muita mulher aceita a "proteção" de um traste machista por medo e por uma educação tradicional e repressora (eu fui um destes exemplos) mas tem muita mulher escrota que tem orgulha de ser tão machista e abjeta como homem e que vive regulando a vida de outras mulheres.
O importante é que você fez o CERTO, passou por tudo isso, é uma guerreira, e estes moleques imbecis, fdp e misóginos(não merecem chamados de homens) e estas mulheres covardes e traiçoeiras são um bando de lixo que você não precisa naus conviver.

Anônimo disse...

Lili

Sincero, vc falou uma boa parte de verdade sim, mas esqueceu que mentalmente nos mulheres TAMBÉM avaliamos vocês homens pelo físico e beleza(ou falar deste).
Se homem bonito não fizesse sucesso não teria nenhuma mulher se esgoelando por Cauã Reymond ou Brad Pitt(e acredite, sua mulher muitas vezes pode ter fantasiado com outros homens quando vai ora cama com você, assim como vc deve ter fantasiado com outras mulheres).
O mimimi "mulher só avalia homem pelo dinheiro e bens materiais" tá batido baby! Conheço um monte de mulher que nem eu que prefere um cara bacana, charmoso e pobre que um imbecil rico.
Melhora seu argumento sobre "preferências de mulher hétero" que aí não debocho mais de você kkk.
Mentalmente o ser humano, seja homem ou mulher, tem o direito de pensar o que quiser, mas pensar é uma coisa, fazer é outra!
Um cara avaliar em sua mente, garotas por magreza, beleza, altura, etc, direito que ele tem como vice versa, mas a partir do momento, que ele faz uma lista de quem: tem maior peito, maior bunda, aparência delicada, aparência masculinizada, quem é fedorenta, quem é "galinha", quem é " sapatão ", quem gosta de anal, quem curte oral, etc, EXPONDO garotas e mulheres ao constrangimento, ódio e preconceito, não passa de um grande babaca misógino e que com certeza não pensa que sua irmã, namorada, parentes, etc, também poderiam fazer parte de uma lista de humilhação.
Entendeu ou quer que eu desenhe?

Anônimo disse...

O que isso tem a ver com o post?

Anônimo disse...

Lili, vc não leu a parte que eu disse que é errado fazer isso publicamente, posso desenhar se vc quiser.
Ass:sincero

Anônimo disse...

O aplicativo Lulu só inverteu o que acontece com mulheres há tempos. O problema é que homem não aguenta e fica choramingando enquanto as mulheres são obrigadas a criar uma "casca" pra aguentar isso. Homens foram na justiça para acabar com Lulu no Brasil. Acho justo até. E as mulheres fazem o quê? Para onde correm quando esse tipo de coisas acontecem?

Anônimo disse...

Mas eles não fizeram mentalmente, aff gente avaliar é normal a gente tira um conceito de uma pessoa logo nos primeiros minutos.

Anônimo disse...

Oi, Pri...

Então... sabe aquele escândalo que fazem que na Alemanha não tem gente qualificada pra trabalhar? Que se arrancam os cabelos por que "ainnn as mulheres não querem mais ser matrizes reprodutoras e agora não tem quem pague o seguro social/imposto"?
Não é beeeeeeeeeem assim. De fato a natalidade está abaixo da taxa de reposição e é um país de idosos. Mas o que ninguém diz em alto e bom som é que o que falta são homens 100% alemães... que é só o que eles querem.
E não sou eu que estou tirando isso do meu traseiro. São dados do ministério do trabalho e inúmeras pesquisas sociais. Entre uma mulher altamente qualificada e com alta produtividade e um homem meia boca, vão contratar o homem.
O próprio sistema aqui é desenhado para que as mulheres não voltem ao trabalho, caso tenham filhos. Então, ao invés de manter parte da população ativa, que produz e paga seguro social/imposto, eles as tiram com pouca chance de retorno põe a culpa nelas pelo rombo previdenciário.

Minha experiência pessoal foi exatamente assim - me candidatei a 3 vagas de trabalho na uni. Duas perdi por ser mulher, um por ser estrangeira. Em todas as situações eu era de longe a melhor candidata.
Já nos foi explicado também por que mulheres não são desejáveis em algumas ramos da profissão. O discurso pode ser mais sutil, mas a mensagem é sempre a mesma - vocês só servem pra procriar...

Jane Doe

Anônimo disse...

Quando saem nudes eles gostam, agora quando eles são avaliados eles se doem, a pergunta fica a mesma quem mandou fazer sexo se não fizessem não estariam sendo avaliados tudo putos.

Anônimo disse...

Eu estudo numa faculdade pública, no prédio de artes e letras, e em se tratando de organização e estrutura a minha universidade é uma porcaria. Mas os alunos do meu curso, mesmo os mais novinhos de 19, 20 anos levavam os estudos mais a sério do que a gente fazia na escola e os rapazes nem de longe eram tão BABACAS e INFANTILÓIDES como esses aluninhos. Era uma faculdade pública, uma particular de respeito (tipo a Maurício de Nassau em Pernambuco) ou uma dessas Pagou Passou onde qualquer cavalgadura entra se puder pagar?

Anônimo disse...

O que o nude tem a ver com a questão da avaliação? Já estão querendo desvirtuar o post

Anônimo disse...

"Em todas as situações eu era de longe a melhor candidata."

Jane, talvez você não tenha sido escolhida pela sua "modestia".

Anônimo disse...

Não tem nada a ver, mas tavam falando do lulu, aí eu disse não gostaram do lulu mas gostam de espalhar nudes de meninas por aí sem consentimento. Não gostam de ser expostos ao ridículo mas gostam de expor.

Anônimo disse...

Muito pelo contrário só as mal informadas, que acreditam que feminismo é colocar homem numa fogueira enfiar crucifixo no anus. As que se informam e não tiram conclusões precipitadas estão cada vez mais ligadas ao feminis pois sabem que é uma forma diferente de ver a vida e bem melhor.

Anônimo disse...

E qual o problema de ela dizer que era a melhor candidata? Verdade dói né? Ela só está fazendo uma constatação. Quem inventou modéstia queria colocar tontos(as) conformistas como você no seu "devido lugar".

Anônimo disse...

Eu mesma nunca consegui saber direito o que é feminismo.
Só sei que me chamam de feminista, quando expresso sentimentos que me distinguem de um capacho.
Rebecca West

Jonas Klein disse...





Gente tão tentando desvirtuar o post, deixem os masCus bostas falando para as paredes(Logo a Lola apaga os comentários deles), a discussão esta indo bem, pois ainda esta se mantendo o foco no tema do post.

Anônimo disse...

O melhor nude não é aquele que o homem espalha sem autorização o que faz a mulher vítima, e sim aquele que ela tira sozinha e vaza, fazendo ela se sentir culpada, geralmente as que tiram sozinhas são as mais bonitas, por isso tiram foto sem roupa, e o fato da imagem cair em público sem elas quererem torná a foto mais especial

Anônimo disse...

Nunca presenciei nem participei de quaisquer desses atos.
A autora do post simplesmente foi azarada. Em quase 19 anos dentro de 4 escolas, nunca vi isso.
Não generalizem nem achem que toda vez que ficam pra trás é por culpa do machismo malvadão.

BLH

Anônimo disse...

Jane Doe

interessante, não sabia disso. É uma pena essa visão da mulher só como encubadora. E no fim das contas você conseguiu algum emprego? Você pensa em ter filhos? E se sim, pretende largar a carreira?

Pri Leone

@vbfri disse...

A verdade é que homem nenhum aguentaria um dia sequer sendo tratado como as mulheres são tratadas diariamente.

Assim como nenhuma pessoa branca aguentaria um dia sequer sendo tratada como as pessoas negras são tratadas desde sempre.

E os héteros e os cis, o que os LGBTTs sofrem...

Enfim. Acho que vcs entenderam a ideia.

Para treinar um pouco de empatia, sugiro assistirem o filme Olhos Castanhos/Olhos Azuis.

Beijo.

Anônimo disse...

Eu fiquei isolada na faculdade que fazia pq não aguentava a idiotice de pagar pau e fazer tudo que os veteranos queriam, não cheguei a concluir o curso mas é outra história, sei que me sentia mal inúmeras vezes com as pessoas tentando me ferrar de inúmeras formas. Uma vez na apresentação de um trabalho as pessoas da turma me bombardearam de perguntas que eu não tinha condições de responder, pq era muito mais avançado do que estávamos estudando na disciplina, eles sabiam o tema do meu trabalho e tiveram a precaução de pesquisar perguntas do tipo pra me constranger, até o professor ficou constrangido. Na verdade tudo começou a piorar pq uma menina da minha turma namorava um veterano e eu flagrei ele beijando a melhor amiga dela, eu n falei nada pq eu n conhecia elas direito e não tinha nada a ver com isso. Acontece que a amiga contou pra traída o que aconteceu e que eu vi, imediatamente a turminha e os veteranos começaram a me hostilizar ainda mais.

Anônimo disse...

Anônimo @vbfri disse...
A verdade é que homem nenhum aguentaria um dia sequer sendo tratado como as mulheres são tratadas diariamente.

Assim como nenhuma pessoa branca aguentaria um dia sequer sendo tratada como as pessoas negras são tratadas desde sempre.

E os héteros e os cis, o que os LGBTTs sofrem...

Enfim. Acho que vcs entenderam a ideia.

-------

Logo, eu que sou homem, branco, hétero e de classe média alta, nesse blog, sou considerado um deus ? (quá quá quá)

Anônimo disse...

O que é engraçado, as pessoas que traíram a menina n foram hostilizadas e eu uma mera testemunha ocular fui. Não que eu quisesse que eles fossem hostilizados, mas eu n entendo tudo que acontece comigo.

Anônimo disse...

Eu fiquei isolada na faculdade que fazia pq não aguentava a idiotice de pagar pau e fazer tudo que os veteranos queriam, não cheguei a concluir o curso mas é outra história, sei que me sentia mal inúmeras vezes com as pessoas tentando me ferrar de inúmeras formas. Uma vez na apresentação de um trabalho as pessoas da turma me bombardearam de perguntas que eu não tinha condições de responder, pq era muito mais avançado do que estávamos estudando na disciplina, eles sabiam o tema do meu trabalho e tiveram a precaução de pesquisar perguntas do tipo pra me constranger, até o professor ficou constrangido. Na verdade tudo começou a piorar pq uma menina da minha turma namorava um veterano e eu flagrei ele beijando a melhor amiga dela, eu n falei nada pq eu n conhecia elas direito e não tinha nada a ver com isso. Acontece que a amiga contou pra traída o que aconteceu e que eu vi, imediatamente a turminha e os veteranos começaram a me hostilizar ainda mais.

-----------------

Nossa isso aqui já tá parecendo aquele programa das tardes do SBT. Sempre um tema 'interessantíssimo". Esse aqui poderia ser...

"me hostilizaram porque vi a menina beijando o namorado da outra na faculdade".

cada dia um tema fundamental para o futuro do humanidade ....

Anônimo disse...

Também acho absurdo que a instituição, os professores, todo mundo "lave as mãos". Meu primeiro curso universitário foi um curso tecnológico num IFSC. Fiquei só um semestre e, no trote, pegaram meu tênis e eu, que me recusei a participar, tive de ficar lá descalça esperando... Reclamei na secretaria e o secretário simplesmente RIU e disse que não podia fazer nada...

Nem preciso contar o que aconteceu no trote, né? Várias brincadeiras extremamente imbecis!

Pra minha sorte, passei em um curso de Humanas numa federal e não pensei duas vezes em trocar de universidade. Melhor coisa que fiz na vida. Não teve trote. A maioria dos colegas era menina e o clima era BEM MAIS agradável.

Hoje estou terminando meu doutorado e quando for professora, não lavarei as mãos, não!

Anônimo disse...

Diva

Querida não fique chateada!
Você não fez NADA de errado! As pessoas que te hostilizaram são BURRAS e COVARDES;
Nossa sociedade não costuma recriminar os homens que fazem merda! Aposto que pelas costas sempre tem alguém chamando a garota que traiu a amiga de "vadia" (não to dizendo que ela tava certa, mas quem devia fidelidade era o cara).
Enfim, esqueça essas pessoas desprezíveis! Você não perdeu nada em não ter mais convivência com elas. Pessoas preconceituosas, cruéis, recalcadas e sem caráter que somem do nosso convívio é um grande presente. Abraço. :)

Anônimo disse...

Anônimo Anônimo disse...
Ps: corrigindo, coragem, dignidade e caráter lhe faltam MUITO, anônimo de merda das 13:59

Ser o "ser pessoa normal" é ser um imbecil covarde ew viadinho como você é melhor ser meio doido(a) mesmo kk.
---------

me explique melhor sobre como é vergonhoso e feio ser um viadinho ?

entenda, as taras ideológicas que botaram na sua cabeça, são apenas chacota para pessoas nomais (isto é, que tem coisas mais importantes para fazer na vida).

Anônimo disse...

Liga não anônimo, 14:13...

O anônimo das 14:06 estava lá durante a entrevista, leu meu curriculum e dos outros candidatos, me conhece melhor que eu mesmo e sabe tudinho da minha vida aqui. Ele viu que eu cuspi na cara da entrevistadora e chamei meus colegas de incompetentes....
;/
Típico - se um homem diz que é competente, é verdade absoluta e irrefutável. Se mulher fala o mesmo, ela é arrogante e quer aparecer...


Voltando ao assunto:
Sério que vocês querem comprar o dano do lulu (que sim é de tremendo mal gosto, afinal não se põe nota em pessoas como gado em feira), que foi rapidamente tirado de circulação, com o dano dos seus rankings e revenge porn causam as mulheres? Algum homem já perdeu o emprego por que mostrou a bunda? Vocês já viram alguma mobilização semelhante e tão rápida quando se trata de violência simbólica contra as mulheres? Quem leva a culpa quando esse tipo de coisa acontece??

Jane Doe

Anônimo disse...

O Mascu das 14:32, porque tá comentando aqui então seu parasita?!
Tá incomodado? Vai procurar uma rola!

Anônimo disse...

Outro tema para o programa da Cristina:



Pegaram o meu tênis no trote. Um trauma que carrego para a vida.

Anônimo disse...

ops, corrigindo comentário das 14h34: "no IFES".

André disse...

Eu nem sei qual seria a melhor atitude a se tomar. Talvez criar um ranking pros caras também, tipo: piroquinha, molejão, boca de bueiro, ligeirinho, suvaquera, etc. Quem sabe se todo mundo sofrer com as "brincadeiras" o pessoal se toca.

Anônimo disse...

André,

o que é molejão ?

Anônimo disse...

Acho boa ideia.
Se no diálogo, os imbecis misóginos hostilizam a pessoa, é melhor fazer eles provarem do próprio veneno.

André disse...

Molejão também conhecido como meia bomba.

Anônimo disse...

Anônimo chato, você de novo?!!

Ser gay é uma coisa, ser um viadinho covarde e chorão como você é outra. Entendeu agora?
Quem disse que ser um machista que trata mulher como lixo e ser "normal"?! Que disse que ser uma mulher fraca we com baixo alto estima que aceita ser tratada como capacho é " ser normal"?! Quem disse que fazer listas humilhando mulheres é "ser normal"(aliás há imaginou se colocassem sua mãe, irmã ou namorada em uma dessas listinhas)?! Se me responder de forma inteligente e adulta, passo a te respeitar.

Anônimo disse...

14:15
femen não é feminista, mas aconveniência não te deixa ver isso, aposto que vc nunca leu sobre feminismo só passa o olho aqui e vem direto tirar conclusões precipitadas igual ao resto do seu rebanho que passam a vida toda falando de moral e fazem merda atrás de merda.

Igual a Eduardo cunha e sua conta na Suíça homem de bem tirando o direito das mulheres e enchendo o ku de mais de dois milhões do nosso dinheiro. Mas só acusam a Dilma né, e olha que nem votei na Dilma muito menos sou esquerdista. Mas esse papo de feminazi já tá enfadonho e vcs querendo pagar de bonzinhos, coisa que não são mesmo.

Ah só esperando dia que vcs vão a tag com #cunhanagmagazine ou #bolsonaronagmagazine

Jonas Klein disse...

André

Sabe eu nunca achei boa ideia neste caso fazer os caras tomarem o veneno deles, pois assim você perde a razão para reclamar da conduta deles, ainda mais que para certas pessoa ser exposto(a) e algo insuportável, mesmo tendo possibilidade de fazer o mesmo.


Cada um com a sua opinião, mas para mim revanchismo e tiro no pé.

Anônimo disse...

Anônimo chato, você de novo?!!

Ser gay é uma coisa, ser um viadinho covarde e chorão como você é outra. Entendeu agora?
Quem disse que ser um machista que trata mulher como lixo e ser "normal"?! Que disse que ser uma mulher fraca we com baixo alto estima que aceita ser tratada como capacho é " ser normal"?! Quem disse que fazer listas humilhando mulheres é "ser normal"(aliás há imaginou se colocassem sua mãe, irmã ou namorada em uma dessas listinhas)?! Se me responder de forma inteligente e adulta, passo a te respeitar.

-----
Agradeço, mas acho mais divertido como está. Mas vamos lá.

Existe alguma lei que impeça vcs de fazerem exatamente a mesma coisa ? Existe alguma lei que impeça de que assoviem quando os rapazes entram na sala ? De fazer ranking de beleza dos moçoilos ? De fazer trotes e botá-los para dançar na boquinha da garrafa no começo do ano ?

Então. Fica tudo igual, não. Pronto.

Agora não venha querer igualdade querendo que o mundo se molde aos seus caprichos de feminazi.

Alexandre disse...

Ja comentei antes e não fui claro. Primeiro,nunca disse que não gosto de mulher. O que disse e vou repetir, é para algumas mulheres que odeiam homens. Criem uma sociedade só de mulheres que nos odeiam! Simples assim! Mulheres de verdade como a idealizadora do blog é que quero estar junto, que pensa como eu e muitos homens e mulheres, ou seja, um mundo igualitário. Tenho esposa e filha e quero um mundo melhor para elas. Agora, para as que odeiam homens(não são todas, graças a Deus), isolem-se, o mundo permite isso. Reunam as cientistas que queiram e formem esta sociedade, longe de homens.Só não entendo por que mulheres que odeiam homens ainda insistem em compartilhar este mundo conosco!

André disse...

Jonas,

Não sou favorável a zoar características físicas. Mas as universidades de um modo geral se omitem e levar um caso desses para a polícia pode gerar mais aborrecimento que solução. Como eu disse: eu não sei se essa é a melhor estratégia, mas como reação talvez funcione.

Alexandre disse...

Eu só posso supor, que pessoas que pregam o ódio aqui, não são verdadeiros representantes desta causa. Embora seja homem, não concordo com muitos dos atos decorrentes do machismo na sociedade.Para que aja uma solução, deve haver sempre a troca de ideias, de forma inteligente.

Anônimo disse...

Num país onde ocorrem 58 mil homicídios por ano, levar para a polícia o incrível fato que fui zoado na faculdade.

É faz sentido.

Anônimo disse...

Alexandre disse...

mimimimi eu gosto de mulheres, eu quero conviver com mulheres, mas só aquelas que aceitam meu machismo e não questionam meus privilégios! As outras (essas feminazis) que sumam e criem uma sociedade só para elas, onde meus privilégios não sejam colocados em perigo!

Se toca, otário. Não adianta vir em todo post dar essa ideia imbecil. Nós vamos derrubar o machismo nessa sociedade mesmo, ainda que demore séculos.

Anônimo disse...

Se toca, otário. Não adianta vir em todo post dar essa ideia imbecil. Nós vamos derrubar o machismo nessa sociedade mesmo, ainda que demore séculos.

----

Vou deixar uma carta avisando meus bisnetos

Anônimo disse...

Pri,

Eu faço vários bicos. Não é muito mas ajuda bastante nas contas e paga minhas taxas e materiais. Do mais, vivemos de bolsa. Uma grande vantagem é que aqui se vive MUITO bem com pouco. O futuro é incerto...
Não quero ter filhos. E nada nem ninguém me faria largar estudos/carreira.

Jane Doe

Anônimo disse...

Sylvie

Concordo em boa parte com o que escreveu. Sou a favor de uma sociedade igualitária para todos.
Mas eu acrescento, da mesma forma que há mulheres que odeiam homens (compreendo as que tem esse sentimento quando passaram por algum tipo de violência e humilhação, essas merecem nosso carinho e compreensão), há MUITOS homens que odeiam as mulheres, pregam pedofilia, estupro corretivo contra lésbicas, e toda sorte de violencia contra mulheres em geral.
Se mulheres misandricas merecem ser isoladas, homens misoginia devem ser isolados em dobro, colocados em solitárias e ainda acorrentados com bolas de ferro kk.
Todos preconceituosos isolados(incluindo racistas e homofóbicos), e todo mundo vive feliz. Utópico mas tb gostaria que disse assim.

Anônimo disse...

André
você é burro ou o quê a sociedade em que homens odeiam mulheres está cheia de mulheres, não vejo nenhum homem preferindo se isolar delas.
Pq vocês não fazem isso? pq não vão pra marte ou pra uma ilha mas acho que na ilha não ia caber...
Vocês nos odeiam mas casam com a gente então é muita hipocrisia agora querer dizer como devemos odiar vocês, otário!

Anônimo disse...

Vou deixar uma carta avisando meus bisnetos

Fique à vontade, eu espero sinceramente que seus bisnetos homens não sejam uns machistas bostões feito você. E que suas bisnetas sejam todas feministas. :)

Alexandre disse...

Em relação ao post,é lamentável que a mulher tenha que passar por estas situações. Não há outra forma mais sensata senão pensar em inserção de caráter nestes indivíduos e isso deve ocorrer a médio e longo prazo. O novo Ministério, criado pela Presidenta Dilma, deve começar a definir estratégias e metas e fomentar a elaboração de políticas públicas para transformar nossa sociedade.

Anônimo disse...

Engraçado que se esquecem aqui como os homens também são cobrados pela família, mulheres, sociedade, etc.
Como se não fossem feitos alguns rankings de nossos carros ou ausência deles, de nossos empregos, de nossa posição, de nosso dinheiro, ou seja, tudo. As mulheres também gostam de ranquear seus namorados com os das suas amigas, muitas vezes os homens são desprezados pelo fato de haver a preocupação com a opinião das outras pessoas, o aplicativo LULU foi uma prova do quanto a crueldade em avaliar não tem sexo

Anônimo disse...

vram o menino de 15 anos que queria nudes das lideres de torcida elas não deram e eles queria matar elas, é mole gente?
sorte que descobriram esse puto

http://www.rawstory.com/2015/10/idaho-teen-threatened-to-kill-all-the-girls-because-cheerleaders-wouldnt-send-him-any-freaking-nudes/

ta em ingles

Anônimo disse...

15:16
é mesmo até pq os homens são perseguidos quando vazam sex tape, perdem empregos, ficam com a imagem de vagabundos, tem que trocar até de cidade ou de visual.
tadinho dos homens os dois são avaliados querido o problema é que a parte feminina tem um ônus bem maior...

Alexandre disse...

Sylvie

Concordo em boa parte com o que escreveu. Sou a favor de uma sociedade igualitária para todos.
Mas eu acrescento, da mesma forma que há mulheres que odeiam homens (compreendo as que tem esse sentimento quando passaram por algum tipo de violência e humilhação, essas merecem nosso carinho e compreensão), há MUITOS homens que odeiam as mulheres, pregam pedofilia, estupro corretivo contra lésbicas, e toda sorte de violencia contra mulheres em geral.
Se mulheres misandricas merecem ser isoladas, homens misoginia devem ser isolados em dobro, colocados em solitárias e ainda acorrentados com bolas de ferro kk.
Todos preconceituosos isolados(incluindo racistas e homofóbicos), e todo mundo vive feliz. Utópico mas tb gostaria que disse assim.

Sylvie, fico feliz que eu tenha sido claro no meu comentário. Alguns estão pensando que sou machista. Você é inteligente, como uma VERDADEIRA MULHER É!!!

Anônimo disse...

Homem acha que gostar de mulher é casar com ela. Nós não pedimos pra vocês casarem com a gente nem nos amar só queremos respeito. A maioria nem gosta de mulher gosta de dominar, na mente burra de um homem isso é gostar de mulher.

Alexandre disse...

Desde que conheci este blog percebi nele uma excelente ferramenta para que se alcance os objetivos do movimento feminista, cuja filosofia admiro. Obviamente, como qualquer projeto, importante que se defina metas e estratégias.

Anônimo disse...

Ps: gostaria que fosse assim.
Corretor de celular kk.

Anônimo disse...

Que culpa as mulheres tem que os homens são criados pra serem maquinas de dinheiro e sexo?
quem criou isso? vocês levam o ônus do machismo e vem aqui chorar.
Além disso a mulher hoje em dia que não tiver grana tá fudida e conheço muito homem que fica com mulher e é sustentado e ainda com o discurso de que isso é feminismo pra não pagarem nada e ainda terem sexo de graça e as feminista caindo nesse papo furado.

Anônimo disse...

Felizmente no meu curso a presença é majoritariamente feminina, então não tive problemas em relação a babaquice de macho, constrangimento, etc. Eu percebo que quando há poucos homens em um ambiente feminino eles tendem a ficar mais acuados, evitam ficar mexendo e incomodando. Agora em um curso de maioria masculina, como as exatas da vida que tem menos mulheres, a situação é outra.

Alexandre disse...

Que culpa as mulheres tem que os homens são criados pra serem maquinas de dinheiro e sexo?
quem criou isso? vocês levam o ônus do machismo e vem aqui chorar.
Além disso a mulher hoje em dia que não tiver grana tá fudida e conheço muito homem que fica com mulher e é sustentado e ainda com o discurso de que isso é feminismo pra não pagarem nada e ainda terem sexo de graça e as feminista caindo nesse papo furado.

Bom, eu não sou esta máquina de dinheiro e sexo, rsrs. ALGUNS homens serem isto, concordo!

Alexandre disse...

Assim como ALGUMAS mulheres são materialistas

Anônimo disse...

Anônimo masculinazi mal amado, como vc é insistente cara, kk.

Concordei en parte com o que escreveu, mas não é fácil na prática o que é na teoria.
Se um grupo de mulheres fizessem listas humilhantes os machinhos de merda iriam criar uma guerra com as moças e com certeza elas seriam ameaçadas de violência (ou talvez fossem até vítimas de violência).
Trotes infelizmente são organizados só por homens porque estes são maioria da elite e as poucas mulheres a integrarem grupos de trote acabam topando humilhar só suas colegas mulheres pra ficarem bem na fita com os machinhos babacas.
Uma coisa é ranking de beleza, outra é lista de humilhação, acho que vc não sabe compreender um texto não é mesmo? Kk
Querido, não são os misóginos inseguros como você que botaram lei criminalizando mutilação genital de meninas, nem foram masculinazis que salvaram mulheres de serem apedrejadas ou vítimas de tráfico sexual, ou que salvaram meninas de infanticídio e abusos por redes de pedófilos.
Fomos nós "feminazis" que estamos ajudando meninas como a valente Malala a estudarem, somos nós "feminazis" que estamos contribuindo por um mundo melhor.
O Mundo já está se moldando aos "nossos caprichos", pode " cholar mais(como diria o Cebolinha)" kk.
Agora que já conversamos, vai lá pedir pra mamãe preparar seu leite com pêra, enquanto to no meu escritório preparando mais um trabalho de design. Tchau. :)

@vbfri disse...

Alexandre,

Favor estudar acerca dos milhões de estupros sofridos por mulheres e os milhões de assassinatos de mulheres por ex-cônjuges, companheiros, etc.

Favor comparar essas estatísticas com o contrário (mulheres estuprando homens, assassinando homens).

Depois venha me explicar sobre os bônus da existência do machismo.

Enquanto está estudando, favor averiguar também como foi a batalha das mulheres pelos seus direitos (tipo dirigir, votar, estudar, etc).

Favor perceber a quantidade de mulheres que morreram por buscarem IGUALDADE.

Depois a gente conversa sobre ônus e bônus do machismo.

Obrigada. De nada.

PS: Que merda. Cada dia que passa vem mais um homem para cá com mimimi de nem todo homi é assim. Mimimi, porque eu não sou assim. Mimimi, vocês são más...
Porra.

Alexandre disse...

@vbfri disse...

Alexandre,

Favor estudar acerca dos milhões de estupros sofridos por mulheres e os milhões de assassinatos de mulheres por ex-cônjuges, companheiros, etc.

Favor comparar essas estatísticas com o contrário (mulheres estuprando homens, assassinando homens).

Depois venha me explicar sobre os bônus da existência do machismo.

Enquanto está estudando, favor averiguar também como foi a batalha das mulheres pelos seus direitos (tipo dirigir, votar, estudar, etc).

Favor perceber a quantidade de mulheres que morreram por buscarem IGUALDADE.

Depois a gente conversa sobre ônus e bônus do machismo.

Obrigada. De nada.

PS: Que merda. Cada dia que passa vem mais um homem para cá com mimimi de nem todo homi é assim. Mimimi, porque eu não sou assim. Mimimi, vocês são más...
Porra.

Até agora não entendi em que parte me declarei machista em meus comentários.

Alexandre disse...

Ademais, em que momento desconsiderei o sofrimento das mulheres no mundo?

André disse...

15:10,

Quando a zoeira infringe os artigos 138, 139 ou 140 do CP deixa de ser má educação e se torna crime. E crime deve ser tratado pela polícia. Além disso, o mesmo comportamento violento que gera as zoações na escola influencia nos milhares de homicídios. Evidente que a autoridade local (professor, chefe de departamento, diretor, etc) poderia tentar resolver o problema sem apelar para polícia ou judiciário, mas lembre-se que esses normalmente se omitem.

Alexandre disse...

Pelo que percebo, seria plausível conceber um novo tipo penal definido como crime de machismo, então, pois, as várias condutas descritas aqui, caracterizam-se por condutas criminosas. Na verdade nem entendo o que seria machismo, uma vez que estes atos definidos assim, são praticados por criminosos. Basta aplicar a lei penal.

Anônimo disse...

Obrigada :). Eu sei de tudo isso, mas na época foi bem difícil.

Alexandre disse...

15:10,

Quando a zoeira infringe os artigos 138, 139 ou 140 do CP deixa de ser má educação e se torna crime. E crime deve ser tratado pela polícia. Além disso, o mesmo comportamento violento que gera as zoações na escola influencia nos milhares de homicídios. Evidente que a autoridade local (professor, chefe de departamento, diretor, etc) poderia tentar resolver o problema sem apelar para polícia ou judiciário, mas lembre-se que esses normalmente se omitem.

8 de outubro de 2015 15:57

Muito bom André!

Alexandre disse...

Nós temos que começar a separar as condutas: o que seria machismo e o que seria crime.

Alexandre disse...

Se ambas são de mesma natureza, encaminhemos um projeto de lei definindo machismo como crime.

Anônimo disse...

André das 15:10:

"Quando a zoeira infringe os artigos 138, 139 ou 140 do CP deixa de ser má educação e se torna crime. E crime deve ser tratado pela polícia."

Ahã! Em um País onde menos de 80% dos homicídios são solucionados, onde há crimes hediondos ocorrendo sem parar e não há policiais suficientes, você está certo em ocupar o aparto investigativo e policial por causa de zoeira na faculdade.

TÁ SERTO!!

J.M. disse...

"Existe alguma lei que impeça vcs de fazerem exatamente a mesma coisa ? Existe alguma lei que impeça de que assoviem quando os rapazes entram na sala ? De fazer ranking de beleza dos moçoilos ? De fazer trotes e botá-los para dançar na boquinha da garrafa no começo do ano ?"

---> Não, mascuzão lixo, não precisa ter lei que obrigue as pessoas a serem civilizadas, independente do sexo, em um ambiente universitário. Ter o mínimo de bom senso quando o ambiente exige, deveria ser o mínimo a se esperar de uma pessoa adulta. Mas acho que isso é demais pra gente com excremento no lugar de massa cinzenta.

Anônimo disse...

Você é uma pessoa extremamente ignorante que n sabe o peso do bullying. A hostilidade n começou aí, só piorou. Ela começou no trote, ter de obedecer alguém só pq ela começou a estudar 1 ano antes que vc é justo? Frequentar festas e beber quando isso n faz parte da sua perpersonalidade mimimi?

Alexandre disse...

conforme o artigo 146, é facilmente definido como sendo o constrangimento dirigido a outrem, mediante violência ou grave ameaça, ou depois de lhe haver reduzido, por qualquer outro meio, a capacidade de resistência, a não fazer o que a lei permite, ou a fazer o que ela não manda. É delito explicitamente ligado ao princípio da legalidade, ou da reserva legal: ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude da lei, consoante o artigo 5º, II, da Lei Maior.( Dançar na boquinha da garrafa)

Sandra disse...

""Quando a educação não é libertadora, o sonho do oprimido é ser o opressor". "

Isso é tãooooooooooooooooooooooo verdade

Alexandre disse...

Sandra, você fez um comentário excepcional. Acredito que a educação seja a chave que permitirá a existência de uma sociedade mais organizada e, neste diapasão, as mulheres são de extrema valia!

@vbfri disse...

Alexandre,

Apenas fazendo uma rápida leitura de todos os seus comentários, dá pra ver que você é um grande machista.

É o tipo da pessoa que fala: "ué, se não quer violência, pq não fica em casa?!"

"Ué, já que homem não presta, porque vocês não fazem uma sociedade só pras mulheres?"

Cara, na boa. Já deu de gente com preguiça desse jeito.

Por favor, se quer comentar, leia, estude. Não é difícil, juro. Aprenda a ter empatia.

Que saco.

Obrigada.

Lizi Edler disse...

Essa é uma das poucas postagens que acompanhei, na qual homens machistas tentam embasar os clichês mais batidos possíveis por meio de uma suposta prerrogativa de "sensatez" e "normalidade". O texto fala de uma jovem que apontou uma postura extremamente machista de forma bastante educada considerando-se a violência psicológica que ela já vinha sofrendo até então, e alguns homens aqui tentam transformá-la em uma "louca feminazi", que cometeu a ousadia de querer ter sua dignidade preservada, e não servir de objeto decorativo para quase desconhecidos.

Tentando justificar o injustificável, lançaram mão do falso paralelismo em relação ao aplicativo Lulu, o qual, de fato, representou uma ideia de extremo mau gosto, mas que foi retirado de circulação rapidamente (outro ponto que, convenientemente, não comentam: as características disponíveis para avaliação eram "bonito", "olhos claros", "é apaixonado pela ex", e do lado pejorativo, o mais ofensivo era "não toma banho". Não havia NADA a respeito, por exemplo, de desempenho sexual). Depois que o Lulu foi desativado, quantos casos de "revenge porn" vieram à tona? Quantas mulheres tiveram que trocar de emprego e endereço ou foram ameaçadas?

Desejo muita força àquelas que têm animo de rebater argumentos tão desonestos todos os dias, e espero que o desespero desses homens de provar que machismo não existe seja a constatação de que, aos poucos, as mudanças estão, de fato, acontecendo (quer eles queiram, quer não).

@vbfri disse...

E os seus comentários de "MULHER DE VERDADE".... Porran...

Você já entra cagando regra no que é e o que não é uma "mulher de verdade"....

"Amélia não tinha a menor vaidade
Amélia é que era mulher de verdade"

Anônimo disse...

Falso paralelismo, parei de ler aqui

Jonas Klein disse...

@vbfri

Olha eu acho que você esta sendo dura demais com a Alexandre, ele pelo visto tem futuro dentro do feminismo, ele só precisa aprender a se expressar de forma mais aduada, repensar esta posição que você citou e separar troll de feminista de vdd, mas isso não nada que alguns meses frequentando este blog, ele não consiga se quiser.

Lizi Edler disse...

Nossa, anônimo, como você parece inteligente ao deslegitimar um conceito em apenas uma frase-padrão.

Parabéns!

Anônimo disse...

Não sou eu quem quer minimizar o LULU, a coerência mandou lembranças

Anônimo disse...

Estudei em um curso composto majoritariamente de mulheres (na verdade, não tinha nenhum menino na minha turma), e sofri o inferno na terra com aquelas meninas.
Como nunca gostei de festas/chopadas e era virgem (escolha minha), elas me humilhavam muito! Viviam fazendo montagens com fotos minhas em corpo de mulher pelada e mandando pros meninos de outros cursos que eram no mesmo prédio, colocavam coisas em redes sociais, dizendo como eu era horrorosa, infantil e careta, que eu só podia ser crente (sou ateia), que eu era manipulada por religião, etc. Ficavam fazendo apostas, oferecendo dinheiro pros meninos pra me beijarem. Tentaram tirar uma foto minha por baixo da porta do banheiro, "pra ver o que tinha por baixo das minhas roupas, se eu era mesmo mulher", porque nunca usei shorts nem roupas curtas (novamente, escolha minha). Como eu trabalhava depois da aula, ia pra faculdade com o uniforme do trabalho (calça social e terninho), e por isso diziam que eu era burguesa, vitima do sistema, já que elas usavam camisas de bandas, ou com frases legais, iam de chinelo, etc (aqui é muito calor). Eu era mais velha também, sofri muito por não ser como elas.

@vbfri disse...

Sim, claro, anon... Pq UM app que ficou disponível por uns três dias deslegitima séculos de luta pela igualdade.

Fio, não confunda a reação do oprimido com a violência do opressor, ok?

O Lulu foi um app que sequer tratava mal os homens. E outra: homens não sofrem nem 1% da violência que nós sofremos e o post deixou bem claro que a humilhação da menina durou MESES e foi DIÁRIA.

Vai cagar, sério.

Lizi Edler disse...

É isso que vocês fazem aqui sempre: distorcem qualquer argumento para provar um ponto vazio.

Sei que foi essa a sua intenção, mas vou explicar para outras pessoas que estão lendo. Não minimizei o Lulu, e acompanhei a movimentação para que ele fosse retirado de circulação. Houve até ações judiciais de homens que se sentiram lesados (como eu sei disso? deve ser por que dei importância ao caso, né?), as quais, felizmente, foram julgadas procedentes. Nenhuma pessoa deve ser exposta, independentemente do gênero, e tenho certeza de que aquelas características passíveis à votação expunham a intimidade das pessoas ainda que não tivessem conotação sexual.

Enfim, o Lulu não existe mais, e espero que nunca retorne sob nova roupagem. E a violência de gênero? E a normalização desses "rankings", conforme exposto pela autora da postagem, que acontece inclusive com meninas muito novas nos colégios, e portanto, ainda mais vulneráveis?

Claro, é muito mais importante falarmos sobre um aplicativo que, FELIZMENTE, já foi extinto do que discutirmos o problema aventado pela autora da postagem. A coerência manda lembranças para você também!

donadio disse...

"Em um País onde menos de 80% dos homicídios são solucionados, onde há crimes hediondos ocorrendo sem parar e não há policiais suficientes, você está certo em ocupar o aparto investigativo e policial por causa de zoeira na faculdade."

Sim, está - porque a certeza da impunidade começa aí, e evolui para a certeza da impunidade também nos crimes mais sérios.

André disse...

"Em um País onde menos de 80% dos homicídios são solucionados"

Uai, já que tão de bobeira mesmo podiam ir pra cima dos babacas que já estão identificados. Pelo menos melhora as estatísticas.

Anônimo disse...

Quem é vc?
Carrie a estranha.

Anônimo disse...

Ninguém tá distorcendo nada, vc que é uma mala mimizenta

Anônimo disse...

André 17:07,
Mas... se eu li direito, eles não cometeram HOMICÍDIO, mas sim zoeira.

"80% dos H-O-M-I-C-Í-D-I-O-S"

Se tivessem cometido homicídio, estariam presos, pois estão claramente identificados.

Zoeira só pega em quem apela. Tivesse levado na brincadeira, nada teria acontecido.

Vcs não sabem viver.

Alexandre disse...

@vbfri disse...

Sim, claro, anon... Pq UM app que ficou disponível por uns três dias deslegitima séculos de luta pela igualdade.

Fio, não confunda a reação do oprimido com a violência do opressor, ok?

O Lulu foi um app que sequer tratava mal os homens. E outra: homens não sofrem nem 1% da violência que nós sofremos e o post deixou bem claro que a humilhação da menina durou MESES e foi DIÁRIA.

Para você que gosta de estudos;

Em mais de 80% dos casos, a vítima foi um homem. Ao todo, mais de 98 mil brasileiros do sexo masculino morreram por causas violentas no ano passado contra 19,2 mil mulheres. (Fonte IBGE)

Alexandre disse...

Não quero desmerecer a situação das mulheres, mas dizer que só mulher é vítima de violência é ingenuidade ou quiçá, irresponsável.

Alexandre disse...

A última Pnad (Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílio), divulgada nesta sexta-feira (21), mostrou que o Brasil possui 5,8 milhões de mulheres a mais do que homens. De uma população de 195,2 milhões de habitantes, 100,5 milhões --ou 51,5%-- são mulheres e 94,7 milhões são homens --48,5% do total.

"Eu brinco que mulher só 'sobra' depois dos 60 anos", diz Iná Elias de Castro, professora de geografia da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro). Para ela, os homens morrem mais cedo do que as mulheres por causas relacionadas ao stress provocado pelo trabalho. "Eles são mais sobrecarregados, correm mais risco de sofrer infarto, por exemplo."

Anônimo disse...

Quem é você?
Masculinazi, o viadim? Kkk

Alexandre disse...

Bom, o que eu quero analisar com estas duas pesquisas que mostrei é que, será que para tornar homens menos violentos ou machistas, a sociedade não deveria considerar estes dois parâmetros que divulguei. Ńão estou afirmando nada, apenas conjecturando.

@vbfri disse...

Amore...

"mais de 98 mil brasileiros do sexo masculino morreram por causas violentas no ano passado contra 19,2 mil mulheres."

Sim. Normalmente quem mata OS HOMENS são os PRÓPRIOS HOMENS.

E quem mata as mulheres? São os HOMENS TAMBÉM.

Vá a um centro de vítimas de violência doméstica.

Alexandre disse...

A propósito estou aqui para discussões sérias, que tragam alguma eficácia, portanto vou ignorar certos comentários hostis dirigidos a mim, os quais até o momento não entendi. Ou esta pessoa possui algum transtorno mental( nada contra) ou quer me irritar tão somente. Não se consegue travar um diálogo com esta pessoa. Parece um troglodita, perdoem-me a opinião.

Lizi Edler disse...

Anônimo 17:11: cansou de argumentar? haha Fiquei muito ofendida com o que você escreveu, parabéns, atingiu seu objetivo e só escreveu comentários inteligentes. Beijos!!

Alexandre disse...

@vbfri disse...

Amore...

"mais de 98 mil brasileiros do sexo masculino morreram por causas violentas no ano passado contra 19,2 mil mulheres."

Sim. Normalmente quem mata OS HOMENS são os PRÓPRIOS HOMENS.

E quem mata as mulheres? São os HOMENS TAMBÉM.

Vá a um centro de vítimas de violência doméstica.

8 de outubro de 2015 17:27

Eu tenho plena ciência disto. Em momento algum disse que homens são vítima de mulheres, apenas afirme que são vítima também, logo, esta sociedade machista nos prejudica também!!

@vbfri disse...

E antes que você venha com mais "dados"

A maior parte dos estupros também é cometida por homens. Inclusive os contra homens!

Alexandre disse...

Será que eu ainda não consegui explicar meu ponto de vista? rsrs

Alexandre disse...

Estou tentando dizer que o machismo é prejudicial tanto para as mulheres quanto para nós homens. Se puder contribuir para a aniquilação deste comportamento, eu farei.

@vbfri disse...

"logo, esta sociedade machista nos prejudica também!"

Moço, você merece uma balinha. Sério!

Que ideia REVOLUCIONÁRIA!!! Oooooohhhhhhhhhhh!!! Gentchiiiii!!!!

Descobriu a pipoca.

TODOS são vítimas da sociedade machista, meu caro.

TODOS.

Só queeee....

A mulher é a que se fode nessa merda toda. Muito mais do que homem.

E olhe a motivação dos crimes contra homens...

Brigas por drogas, dinheiro, acerto de contas, etc.

Mulher morre porque separou de homem.

PELAMORDEDEUS, comece a refletir sobre isso.

Alexandre disse...

Minha cara, não quero "balinha". Gostaria de ver ações concretas, através de estratégias eficazes que pudessem extirpar este mal.

Jonas Klein disse...

Alexandre

Cara na boa ta, você quer acreditar acredite, mas eu me preocupo mais com as 19,2 mil mulheres, que morreram de forma violenta do que com 98 mil homens que também morreram desta forma, pois as circunstâncias que envolvem a morte da grande maioria destas mulheres foram diferentes, procure conhecer as circunstancias que envolveram a morte destas 19,2 mulheres e destes 98 mil que você vai entender porque minha preocupação com morte das mulheres e maior.

Agora que a @vbfri pisou na bola ela pisou sim.

Espero que você não me desaponte cara.

André disse...

André 17:07,
"Mas... se eu li direito"
Não leu direito, já que eu não disse que a polícia deveria ser a primeira opção.

"80% dos H-O-M-I-C-Í-D-I-O-S"
Como alusão à falta de tempo da polícia para tratar casos de menor importância. De qualquer modo, a ironia era bem clara na minha resposta.

"Zoeira só pega em quem apela. Tivesse levado na brincadeira, nada teria acontecido."
Ela explicou porque não levou na brincadeira. É um direito dela não querer ser zoada. Além disso, se tivesse lido direito, a minha sugestão foi de ampliar a "brincadeira".

"Vcs não sabem viver."
Talvez não. Mas eu não aceito lição de como se vive vinda de babacas.

Alexandre disse...

Jonas, meu camarada. Você é bacana! Amigo, o resultado, morte, é ruim de qualquer forma, indiferentemente do gênero, raça, credo, etc. A violência, normalmente é advinda de um mesmo sentimento, que é a intolerância, ambas devem ser analisadas.

Anônimo disse...

Alexandre, você entende o conceito de violência de gênero?

Você ainda não compreendeu que é especificamente sobre isso que estamos falando? Que mulheres são abusadas, mutiladas e mortas apenas por serem mulheres?

Jane Doe

@vbfri disse...

Não, Jane Doe. Ele não entendeu ainda isso.

E eu já cansei de explicar pra criatura.

É o típico argumento: AIIIINNNNN! IUZOMIIII??? UZOMI TAMBÉIN SOFRIIIII!!!!

Cansei. Cansei. Cansei.

Alexandre disse...

A sociedade machista em que vivemos é invariavelmente ligada ao capitalismo. Homens são mais propensos à disputas por poder(que é inerente ao capitalismo), então podemos aduzir que a maior vítima de homicídio são homens justamente por estarem mais em evidência neste modelo.

Alexandre disse...

Alexandre, você entende o conceito de violência de gênero?

Você ainda não compreendeu que é especificamente sobre isso que estamos falando? Que mulheres são abusadas, mutiladas e mortas apenas por serem mulheres?

Jane Doe

Bom, presumo que entrei neste blog para APRENDER, algo que A @vbfri parece não entender. Ela pensa que já sei tudo até porque nunca pratiquei esta violência de gênero. Sua explicação Jane foi mais esclarecedora. Obrigado!

Alexandre disse...

Com certeza vou estar atento a isto!

Alexandre disse...

Eu, de fato, sempre tive interesse em entender o caráter da luta de vocês, mas, confesso que estava meio perdido, principalmente quanto aos comentários hostis dirigidos à minha pessoa. Se em algum momento transpareci comportamento machista, peço que me perdoem.

Anônimo disse...

Negar certas realidades, fingir que não existe, que não é bem assim, que precisa da explicação de gente que FEZ O DEVER DE CASA, pra mim é atestado de mau-caratismo. Típico de quem é parte do problema.

Alexandre disse...

Jane Doe, isso é realmente nojento! Sofrer violência por que é mulher. Sou pai de uma linda garota. Só de pensar isso, dói.

Anônimo disse...

O LULU foi a maior opressão dos últimos tempos, uma da hipergamia da nossa sociedade

Anônimo disse...

Alexandre,

O que nos causa gastrite e o motivo da irritação é que SEMPRE que falamos de violência contra mulher, aparece alguém pra tirar o foco do assunto e deslegitimar a causa.
Quero acreditar que você não fez isso de má fé. Mas foi exatamente o que você fez.
Não dá pra comparar mortes relacionadas ao tráfico, conflitos armados, transito violento, péssimo hábitos de vida que levam a problemas de saúde fatais com o que estamos falando.

Tudo isso é grave? É. Gravíssimo!!! Ninguém aqui jamais negou isso. Mas essas mortes foram causadas por outras circunstâncias que, na grande maioria das vezes, poderiam ser evitadas por decisões mais inteligentes.

Mulheres tem um papel claro na sociedade - servir o homem como e quando ele quiser. Caso contrário ela deve ser punida. Com esse conceito em mente, o tarado do metrô se masturba e ejacula na mulher sentada ao lado. O babaca da balada quebra o braço da moça por que ela não quis beija-lo. O marido abusivo decepa as mãos e pés da esposa por que ela quis por um fim na violência diária.

Isso é violência de gênero. É disso que estamos falando. É essa uma das bandeiras do feminismo.

Jane Doe

Anônimo disse...

Anônimo chorão das 18:00 fala sério!!

Sei que expor publicamente parceiros ou parceiras de cama é errado, e sempre fui CONTRA esse aplicativo, mas bem PIOR são as meninas e mulheres expostas por atos misóginos como revenge porn e top 10, e essas moças largam escola e trabalho e muitas cometem suicídio.

Se pra você um mero aplicativo é a "maior opressão dia últimos tempos", imagina o seguinte anonimi chorão e mariquinha as meninas e mulheres exploradas por tráfico sexual, assassinadas por ex namorados e maridos, violentadas, com suas genitálias cortadas, impedidas de estudar e trabalhar, humilhadas e assassinadas.
Mas " opressão" é sua mãe não preparar seu Todynho e você ser chamado se bobo em um aplicativo não é?

Anônimo disse...

O bom desse negócio de postar anônimo é que você pode falar muita merda e ninguém vai ficar sabendo quem é a anta.

Lynne disse...

Na graduação não tive essa experiência, uma vez que eu era uma das mais novas da sala e as outras pessoas eram muito mais velhas. Naquele ano (2004) muitos professores voltaram a estudar porque a lei passou a exigir professor com licenciatura e não somente magistério. Portanto a turma era de maioria de pessoas com mais de 30/40 anos, com a cabeça mais no lugar, embora também houvesse a parcela de jovens.

Na pós é que senti um pouco dessa "bobice". Havia muito aquele mito da "mulher que não casa cedo não casa mais", iam descer no meio da aula pra ver novela, fizeram abaixo assinado pra tirar uma professora sem sequer conversar com ela antes (ela não fez nada de errado, as pessoas só não gostavam da aula dela, pq não conversar? Enfim, será que pedir civilidade é pedir demais?), e meio que me desiludi com o meio acadêmico.

Tenho ideias de fazer mestrado mas já vou mais bem "pé no chão", títulos não significam exatamente sensatez e respeito, há idiotas formados.

Sobre o post da moça, não caberia até mesmo ação judicial? Se a maioria era maior de idade, pq não mover uma ação? Afinal ficar rotulando as pessoas de: feia, velha, mal amada, mal comida e os cambau incorre em crime de injúria, caso eu não esteja enganada.

Eu faria só pra ver no que daria. Gostar de mim ngm ia gostar mais, mas pelo menos quem sabe respeitariam mais?

Anônimo disse...

Em regra .....

A MATURIDADE EMOCIONAL NÃO TEM A VER COM SUA IDADE ....
TEM GENTE DE 50 anos na cara E POSSUI COMPORTAMENTOS INFANTIS ... IMATUROS ....
SUA VIDA QUE FAZ VC CRESCER EMCIONALMENTE ... E VC ESCOLHE ... SER ALGM DE CARÁTER OU NÃO ....

E BELEZA EXTERIOR É RELATIVO ... DEPENDE D QM VÊ ... OQ É BELO PRA VC PODE NÃO SER PRA MIM ...

SOFRI BULLYING EXTREMO DURANTE TODO MEU ENSINO MÉDIO .. FOI DOIDO .. SOFRIDO ...

BULLYING .... PESSOAS QUE O FAZEM SÃO AQUELAS SEM MATURIDADE EMOCIONAL ... ADOTAM TAL COMPORTAMENTO ASSEDIADOR JUSTAMENTE POR INSEGURANÇA DE MANTER SE SOZINHO EM ALGM AMBIENTE ..

NECESSIDADE DE APROVAÇÃO EM MEIO A ALGUM BANDO .... CURIOSAMENTE QM PRATICA BULLYING SÃO PESSOAS EXTREMAMENTE INSEGURAS E Q PRECISAM DE CONSTSNTE APROVAÇÃO ELOGIOS ... E OUTROS DO BANDO DO BULLIER, COM ATITUDE IMITATIVA REPETEM OS COMANDOS PARA SREM ACEITOS PERANTE TAL BANDO ... TAL COMO OS RECEM NASCIDOS APRENDEM A BOCEJAR ... RIR ... ETC ...


E QM SOFRE BULLYING .. SÃO JUSTAMENTE AQUELES QUE DETRM ALGUNA CARACTERÍSTICA POSITIVA E O ASSEDIADOR

DESEJA OFUSCAR O BRILHO ... O STATUS DA PESSOA .. É TÍPICO DE COMPORAMENTO DE INVEJA E INCONFORMISMO

MARCELLA ;******

Claudia - RJ disse...

Quando as mulheres passaram a usar o Lulu, a casa caiu. Indignação, polêmica, chororô e mimimi. Não estou defendendo o aplicativo, apenas mostrando que pimenta no furico dos outros é hipoglós.

Mila disse...

Minha cara, que situação horrível. É por isso q falo q se a gente só tentar conversar e levar informação não dá certo. Me refiro a esses meninos da sua sala que são universitários e reproduzem esse tipo de pensamento com a desculpa da "zoeira". Mas qnd são zoados, acusam a gente de discriminação e começa um chororô q dá pra encher a Cantareira. E aí, o q a gente faz com uns tipos desses?
Em relação à mulher q bate palma pra machista, sinto muito, não sou do clube q defende aliviar. Pra mim é decepção dupla qnd mulher apoia machista, pq eu sempre espero algum nível de empatia vinda de outra mulher. Mas aprendi a conviver com isso e deixar pra lá. Quando elas pisarem fora da linha, serão as "feminazi louca e mal comidas" que estarão lá, defendendo.
Falando em coisa boa, deu um orgulhinho de ver no G1 as gurias daqui do DF q fizeram uma coletânea de apoio para a Cristiane Damasceno (jornalista vítima de ofensas raciais no fb) e agora se organizam para enviar um material para uma moça do Sul q teve as mãos decepadas pelo "companheiro".

Anônimo disse...

Anon da 11:58 e os caras q pagavam pau para esse pessoalzinho querendo entrar na turma? As nerds, cdfs etc não alimentam essa galera jamais

Anônimo disse...

Hoje em dia as mulheres passaram a false mal de homem tbm a exigir mais, a chamar os caras de meia bomba. E isso incomoda eles que sempre se acharam no direito de exigir uma puta na cama e nem se mover pra fazer um oral. Os homens precisam ficar espertos pois se continuarem com essa marra Toda vao fazer papel de ridiculos e todo mundo vai saber.

Anônimo disse...

A casa dos homens Ta caindo EU vou empoderar todas as mulheres que encontrar plantar a sementinha do feminismo, ja faço isso na sala de aula. Todo Lugar que EU tiver oportunidade vou falar. E aconselho as mulheres a fazerem o mesmo, os homens Mao vao mais fazer merda e sairem de herois, tbm aconselho a parar de fingir orgasmo e sair com homens que nem ligam pro seu prazer.

Anônimo disse...

Em relação ao LULU eu digo a fraexde Paulo Freire: quando a educação não é libertadora, o sonho do oprimido é ser opressor.
Agora durmam com esse barulho

Anônimo disse...

Violência de gênero é pura hipocrisia, já vi casos de mulheres matando e agredindo namorado, marido, pelos mesmos motivos toscos q os homens dão.
Pq foi traída, o cara n quis dar uma casa na praia, n quis transar, armou com o amante para matar o marido e ficar com a grana...
Nunca vi ninguém dizendo q matou pq era homem ou mulher.
E ainda soltam a balela q mulher quase n agride homem, n foi isso q achei pesquisando na net, só achei dados da Inglaterra, 700 mil homens agredidos por mulheres é raro mesmo.
Nada contra querer q mulheres n sejam agredidas, mas esses argumentos mentiroso e vitimistas são podres.

Anônimo disse...

Anon das 20:21 deixa eu enfiar um dildo EXTRA G na sua bunda, tirar fotos e filmar, depois postar o vídeo e as fotos na internet, mandar pra todos os seus amigos, sua família e seu chefe junto com seu endereço, telefone e fotos suas e da sua casa. Aí, quando você for injuriado por todos os lados, receber todo dia centenas de e-mails te xingando de viado e mandando você se matar, seu chefe te demitir porque "faz mal à imagem da empresa" e pra todo lado que você olhe alguém te ameace de estupro e assassinato você pode falar que está sendo oprimido. Até lá, vai aprender a cagar pelo buraco certo.

Anônimo disse...

Anon das 21:17 primeiro: isso aqui é o Brasil. Não adianta tentar chorar as pitangas com dados da Inglaterra, ninguém vai se fazer de capacho pra mascu só porque vocês vem aqui chorar a perda dos seus privilegios-e te prepara que vocês vão perder ainda mais. Segundo: qual é a fonte dessa sua estatística? Ela existe e é séria ou é só mais uma do Instituto Mascu As Vozes Me Disseram? E mesmo que seja verdade, acontece muito mais com mulheres do que com homens.

E antes que você mimize mais, quem diz que homem não pdoe ser vítima de agressão, silencia e humilha os homens vitimizados é o machismo que você tanto ama e defende. Essa está na sua conta e na dos seus amiguinhso perdedores de um real.

Anônimo disse...

Os vídeos e fotos que vc tenta falar não são aqueles que as PRÓPRIAS mulheres gravam?

Anônimo disse...

Eu sou a favor de ambientes seguros exclusivos para mulheres, faculdades, transporte publico,ambientes de trabalho exclusivo para mulheres.
Já esta provado que a convivência com homens e extremamente desagradável para nós.

Anônimo disse...

Em geral quem torna a vida de mulheres fora dos padroes em ambiente universitario são as proprias mulheres bonitas. Riem e fazem chacota diariamente, em ambientes q homens não tem acesso como os banheiros femininos, infelizmente, essa tal sororidade é tão distante pra muita gente.

Anônimo disse...

Em relação ao LULU eu digo: tinha que ser pior. Tinha que ter como classificar de: pau pequeno, só dá uma, brocha, não sabe chupar, fala mais do que faz, etc.

Aí sim ia ser legal.

Já que tentaram desvirtuar a porra do post pra falar dessa merda que morreu em 2013, taí a verdade.

Anônimo disse...

Sério que até hoje tem omi chorando por causa do Lulu? kkkkkkkk
Depois ainda chamam mulheres de sexo frágil. Eles não aguentariam 1/8 do que muitas mulheres passam diariamente na rua, no trabalho, em qualquer lugar. Bando de mimizento

Anônimo disse...

"Pq foi traída, o cara n quis dar uma casa na praia, n quis transar, armou com o amante para matar o marido e ficar com a grana..."

Nenhum desses exemplos q vc citou são casos de violência de gênero, pode ser pq a mulher seja uma babaca e uma gananciosa, mas não pq ela é misândrica, (com exceção do "n quis transar", mas o q eu acredito ser uma tremenda mentira, já q são vcs mesmos q dizem q mulher "não gosta de sexo", como é então q elas matariam o cara pq ele não quis transar? Seus palermas, decidam-se, assim fica feio pra vcs, seus mascuzóides de merda incoerentes)

Anônimo disse...

E isso tudo pra depois o brasileiro bater no peito e dizer "somos uma sociedade conservadora", pois é, bela bosta essa sociedade ~conservadora~ brasileira.

Fico estarrecida sobre o que acontece nas universidades brasileiras e me pergunto se lá fora (nas grandes e melhores universidades) as coisas são assim tb, espero sinceramente q não, q seja exatamente o oposto, se não ficaria tremendamente chateada com o grau da [verdadeira] decadência moral e de bom senso da qual chegamos.

Anônimo disse...

Mulheres são maioria no mundo, e em praticamente todos os países, q raios a gente tá esperando pra virar o jogo de vez, e como diz aquela canção inspiradora do Anthony and the Johnsons: "Quando é q eu vou me virar e CORTAR O MUNDO"

https://www.youtube.com/watch?v=U9a1C1qXHfM

Anônimo disse...

Sei que não tem nada a ver com o post, mas uma duvida que eu sempre tive é sera que um homem pode ser conservador(evangélico não-fanatico) e feminista?

Anônimo disse...

Eu entendo a autora. Entrei numa faculdade publica aqui do rio e por conta de bulling pesado acabei levando qse 10 anos pra me formar. Eu era obrigada a abandonar as materias, me esconder pelos corredores.... Td por causa da minha aparência. Não tinha amigos, pois quem chegasse perto de mim tb era ridicularizada. Nem no segundo grau sofri bulling. Parece q na facul as pessoas regridem, liberam o pior de si.

Anônimo disse...

quarta-feira no programa da Fátima estava lá aquele padre meio bonito e ele até falou umas coisas interessantes sobre relacionamento abusivo, fiquei pensando se ele fala aquilo também no confessionário ou só porque estava na tv. Alguém viu? Só pra efeito de comparação tinha um homem lá falando merda mas o padre me surpreendeu.

Anônimo disse...

Eu parei de ler os comentários quando passaram a se preocupar com o que o Alexandre/Zero/qualquerum acha ou deixa de achar...
ALEXANDRE, NÃO É SOBRE VOCÊ!

Anônimo disse...

Gente,
O Alexandre é o Zero! Mesmo horário de comentar e mesmo estilo insistente sem noção: EU acho, EU não acho, EU.....
ALEXANDRE, NÃO É SOBRE VOCÊ! (2x)

André disse...

"sera que um homem pode ser conservador(evangélico não-fanatico) e feminista?"

Só se for um evangélico não praticante, se é que existe. De qualquer forma vai ter que haver uma certa dose de hipocrisia no culto ou na defesa de suas ideias feministas. Sem falar que o feminismo implica em mudanças em padrões de comportamento, o que parece ser exatamente do que os conservadores discordam.

Naata disse...

Essa descrição tá parecendo a sinopse de garotas malvadas. Risos.

Naata disse...

Meu deus, como tu és patético! Vai pro inferno com essa zoeira que machuca e humilha.

Naata disse...

Primeiro, não.
Segundo, não tem essa de [insira a religião] não -praticante. Isso simplesmente não tem lógica.

Naata disse...

Não vejo como. Não mesmo.

Naata disse...

Não vi. Era o padre Fábio de Melo?

Samira b. disse...

Posso estar sendo infantil, mas dar uma resposta bem dada que inverta a situação pode funcionar pra desenvolver a "empatia" do agressor muito melhor do que duas horas de sermão explicando porque o que ele está fazendo é errado. Seria super a favor de surpreender os homens da turma com ranking humilhante também.É uma estratégia de defesa, de não se aceitar na posição de vítima sem ao menos tentar fazer algo a respeito. Isto, de jeito nenhum é uma crítica a autora, porque na vida real algumas ações deixam a gente tão "passada" que nem pensamos em como reagir. Mas acho que vale refletir como as mulheres aceitam tão fácil serem julgadas sem nem mesmo tentar se colocar na posição de julgador. Lembram daquele blogueiro que de padrão de beleza não tinha nada querendo julgar a beleza das mulheres? Então, como pode?

Anônimo disse...

23:36

Não sou mascu, para vocês só mascus discordam das suas mentiras? Mulheres e homens gostam de transar, outros n. Tanto faz.
O problema é que nunca vi ninguém explicando e comprovando pq um caso é ódio contra mulher e o outro a mulher é só uma babaca, se eles agridem e matam pelos mesmos motivos.
E esta aí a noticia falsa:

http://blogs.oglobo.globo.com/pagenotfound/post/mulher-ataca-namorado-apos-ter-sexo-negado-por-ele-569120.html

Anônimo disse...

Jamaisssssssssss fazer ranking pra eles tb como forma de dar o troco.
Quem levaria a pior ? os garotos fora do padrao... e que as vezes nao tiveram nada a ver com a ranking feminino.

Fazer ranking é só reforçar o padrao.
coisa ridicula

Anônimo disse...

"Negar certas realidades, fingir que não existe, que não é bem assim, que precisa da explicação de gente que FEZ O DEVER DE CASA, pra mim é atestado de mau-caratismo. Típico de quem é parte do problema."

Num é????

Pra achar pornografia, o cara pergunta pros amigos, pesquisa, entra na Deep Web, entra nos fóruns mais esgotos da internet, escala montanhas, nada oceanos.

Agora, pra se informar sobre uma questão básica de DIREITOS HUMANOS (feminismo), aí precisa que alguma mulher faça o serviço do vagabundo e lhe explique tudinho, dando links e o kct.

TOMAR
NO
RABO

Má-fé purinha purinha

André disse...

11:58,

A autora narrou um caso em que a tentativa de chamar as pessoas (meninas alvo por não estarem no padrão, meninas objetificadas por estarem no padrão, meninos que serão alvo em outras situações por não estarem no padrão e meninos no padrão que, mesmo assim, ainda são seres humanos com capacidade de empatia) para uma reflexão não funcionou. Ao contrário, perseguidos se juntaram aos perseguidores. Talvez, se todo mundo estiver incomodado, eles reflitam mais.

@vbfri disse...

Sobre pessoas religiosas praticantes e feministas...

Conheço várias. A maior parte, mulheres, alguns homens (poucos) e, SURPREENDENTEMENTE, evangélicos. Todos.

A religião mais machista (pelo menos na minha timeline) é a católica.

Para quem falou de padre...

Gente... o Pe. Fabio de Melo é uma luz na igreja católica. Tá lá uma pessoa que vale a pena ver e acompanhar.

Anônimo disse...

Usar um caso Como parametro é muita falsa simetria. As mulheres nao Sao alimentadas a ter esse tipo de conportamento se a mulher nasce ela ja é vagabunda pro homem e pras mulheres tbm né. Nao tem Como uma mulher ter a libido estimulada pelos pais, nenhum pai vai pagar puto pra filha perder a virgindade nem se orgulhar dela ter ficado com a escola inteira. Teve um caso de Baba que transou com garoto de quinze anos e os homens so falavam sortudo MAs se fosse um homem pra eles seria estupro, entao fica dificil defender homens se eles tratam estupro Como sexo quando convem a eles.

Anônimo disse...

12:13 mais machista isla.

Anônimo disse...

Mulheres não são maioria no mundo, 49.6%. E isso não é justificativa para nada, de qualquer forma.

Anônimo disse...

Os homens sempre tratam de estupro Como se fosse sexo. E as vezes as mulheres se permitem pra nao dizer que elas foram estupradas e que consentiram que gostaram isso acontece com casais. A mulher tapa os olhos Para o seu algoz e prefere fingir que aceita do que enfrentar a realidade.

Anônimo disse...

Claro que pode.

Anônimo disse...

12:36 Muito comum com praticas de sodomia e sexo a tres em que a mulher ate fingi ser bissexual pra agradar o homem. Igual aquela pietra Principe, que diz que ser bissex nao gosta de transar com dois homens ao mesmo tempo,e nao vive sem dar o bueiro. Muito conveniente ela sair por ai falando isso, e nao é incomum encontrar mulher assim. É uma sindrome de estolcomo social.

Anônimo disse...

http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/a-campanha-de-odio-contra-os-que-pedem-fora-dilma-o-caso-doda-cartunista-laerte-ou-a-ultima-da-baranga-moral/

Ataque transfóbico Do Reinaldo Azevedo ao Laerte.

Anônimo disse...

Ué, não entendi porque a Lola apagou o meu comentário achando que o Alexandre pode ser o Zero. ...não era ofensivo nem nada....

Mila disse...

Sobre religiosos e feministas,

Minha timeline é dominada por ateus e agnósticos. E quase todo mundo é feminista ou pró direito das mulheres (ainda bem). Mas os mais conservadores que vejo são evangélicos, ou pior, EVANGÉLICAS. Tiro por exemplo as minhas primas que vivem postando foto de feto morto e do quanto elas amam os maridos da Igreja e do quanto o casamento é uma benção na vida da mulher.
Os católicos, mesmo os praticantes, mantém uma postura um pouco mais neutra. Claro que em certos assuntos mais espinhosos, eles tendem a ser mais radicais.
No geral, percebo que as religiões neopentecostais costumam ser muito, mas muito mais conservadoras e radicais que a Igreja Católica por exemplo. Sobre o pq disso, eu não sei. Juro que queria entender pq religiões tão conservadoras estão ganhando espaço no país e não é só entre os mais velhos.

Anônimo disse...

Anon 13:21,
Nossa, esse Reinaldo é asqueroso! Laerte deveria processá-lo por isso!

Anônimo disse...

Leiam os comentários. Os leitores da Veja acusando Laerte de usar um espaço democrático para disseminar preconceitos (no caso, a coxinhafobia); acusando Laerte de ser parcial e anti-jornalístico. Leitores da Veja dizendo que os movimentos progressistas são a minoria no poder.
Não tenho nem palavras para descrever tamanha ignorância.

André disse...

@vbfri,

Como dá para ser praticante, e pregar coisas como o homem ser a cabeça do casal, e ao mesmo tempo ser feminista? Claro que uma pessoa que acreditar naquele lance de amai-vos uns aos outros vai se condoer com o sofrimento das mulheres, mas isso não basta, tem que ver a mulher como um ser igual ao homem. Nesse ponto não vejo como conjugar as duas coisas.

Anônimo disse...

Hoje eu vejo que dei sorte, tanto por ter estudado numa época em que as brigas acabavam em bolinhas de papel quanto por ter estudado em uma universidade em que as pessoas eram mais maduras.

@vbfri disse...

Andre,

Eu não sei. Realmente, não sei. Mas eu tenho várias amigas (e um amigo se destaca também) que são ávidos defensores dos direitos humanos. E que vão ao culto semanalmente.
E eu tenho uma amiga católica que parou de falar comigo há algum tempo (após 15 anos de amizade) pq eu acredito na doutrina espírita e, segundo ela, o espiritismo = ocultismo.
Eu não tenho religião (há muito tempo, muito mesmo), mas acredito em Deus e busco respeitar a todos.
Enfim.
Essa é a minha experiência, o que nem de longe deve servir de parâmetro para a experiência alheia.
Esse meu amigo evangélico, é professor de história. Então ele defende os movimentos feministas, LGBTs, igualdade social, etc. Ao mesmo tempo, ele acredita que a bíblia é um texto com muitos simbolismos e que nem sempre os seres humanos que escreveram/traduziram expressaram corretamente a palavra de Deus... Enfim...
Minha visão é que qualquer palavra que traga separação, não é de Deus. Deus une, o homem separa...
E, incrivelmente, tenho várias amigas que são evangélicas e que pensam assim. Uma delas é a mãe do meu afilhado. E o meu afilhado (quase 4 anos) adora brincar com tudo, inclusive com as bonecas da irmã mais velha. Para a minha amiga e o marido (ambos evangélicos), é um desafio não repreender o menino E eles não tem repreendido (o pai é um pouco machista, mas a minha amiga é bastante feminista). Eles têm deixado o meu afilhado livre para escolher com o que brincar, como fazer. E ele tem se transformado dia a dia numa criança livre, leve, sem preconceitos e sem neuras.
E brinca com todo mundo. Brinca de casinha, de carrinho, de super herói. Quase morro de orgulho! rs
E assim tenho outras amigas também, que têm questionado esses paradigmas e que defendem o amor livre, o feminismo, etc. Bem no esquema de amar ao próximo e não julgar para não ser julgado.

Anônimo disse...

Sim, foi o Padre Fábio quem estava no programa e falou coisas interessantes sobre relacionamento abusivo. Lembrei disso pq alguém perguntou se um homem podia ser conservador e feminista. Pelo menos ele não falou nada machista sobre o assunto.

E para quem está de saco cheio de explicar coisas pra quem é folgado/vagabundo/preguiçoso está aqui um link super útil (está em inglês mas é legal mesmo assim)

http://thewomansplainer.com/

A pessoa entra aí e pagando $20 uma feminista vai usar o google pra ele e entregar os links e informações tudo. Isso só pra começar. Pra conversar no twitter é mais caro mas tenho certeza que uma pessoa tão interessada e sem tempo vai querer usar os serviços.

André disse...

@vbfri,

A Bíblia é meio contraditória em muitos pontos. Mas um ponto em que há um certo consenso é a submissão da mulher. Fico feliz que os religiosos estejam conseguindo filtrar o ódio que tem nela, mas isso implica em desconsiderar uma boa parte dela, como a contribuição de Paulo, por exemplo. É nesse sentido que eu disse não ser possível ser praticante e feminista ao mesmo tempo.

Ana disse...

Concordo com ambas as msgs, Alexandre.
Ana